A INTEGRIDADE DE DAVI

No ar desde 24/11/07 - Última alteração em 09/06/10





Minha Integridade


Estas foram as “palavras de Davi”.

(Salmos 7:8-9) 8 O próprio Jeová sentenciará os povos. JULGA-ME, ó Jeová, SEGUNDO A MINHA JUSTIÇA E segundo a MINHA INTEGRIDADE que há em mim. 9 Por favor, tenha fim a maldade dos iníquos, E seja o justo firmado por ti; E Deus, como justo, prova o coração e os rins.

(Salmos 26:1) 26 JULGA-ME , ó Jeová, PORQUE EU MESMO TENHO ANDADO NA MINHA PRÓPRIA INTEGRIDADE E tenho confiado em Jeová, PARA NÃO VACILAR .

Sou um homem justo e de mãos limpas, pois guardei os caminhos de Jeová, falou Davi:(Salmos 18:21-24) 21 Pois guardei os caminhos de Jeová E não me afastei iniquamente do meu Deus. 22 Pois todas as suas decisões judiciais estão diante de mim, E não removerei de mim os seus estatutos. 23 E mostrarei SER SEM DEFEITO para com ele E me guardarei do erro da minha parte. 24 E QUE JEOVÁ ME PAGUE DE VOLTA SEGUNDO A MINHA JUSTIÇA , SEGUNDO A LIMPEZA DAS MINHAS MÃOS DIANTE DOS SEUS OLHOS.

Quero receber de volta segundo a minha justiça - assim falou Davi. Eu confio na minha justiça; sou um homem justo. Aposto a minha vida na minha justiça.

A esperança de Davi estava baseada na "integridade dos seus caminhos" e exatamente por isso apostava sua vida na sua “integridade”.


*** it-2 p. 408 Integridade ***

Integridade

Retidão moral e inteireza, condição de ser inculpe e sem defeito .

Segundo a definição acima, o homem íntegro é o homem sem qualquer defeito moral. Era exatamente assim que Davi se sentia, um humano sem defeito para com Deus, um homem de mãos limpas.


*** it-2 p. 408 Integridade ***

Significado da Integridade Humana. Em alguns casos, o termo hebraico tom transmite simplesmente a idéia de motivação honesta, inocência quanto à má intenção. (Veja Gên 20:5, 6; 2Sa15:11.) Mas estes termos hebraicos aparentados denotam principalmente a inabalável devoção à justiça . O uso e os exemplos bíblicos acentuam a inquebrantável devoção a uma pessoa, Jeová Deus, e à Sua vontade e propósito expressos como sendo o proceder de vital importância.


Se o humano tiver uma motivação honesta quanto à má intenção, ele até mesmo mataria outro humano, achando que estava agradando a Deus?? Sim, o humano faria isto. Não foi exatamente isto o que Jesus afirmou?? Sim, foi. Nosso amado irmão Paulo revelou toda a sua “integridade”, quando invadia casas, torturava homens e mulheres, expulsava homens das sinagogas. Ele exigia que os homens se retratassem. Ele fazia tudo isto com uma motivação honesta, com inocência quanto à má intenção. Paulo fazia tudo isto em face de sua sincera devoção a Jeová, segundo o que ele havia aprendido em suas pesquisas das escrituras. No entanto, o que as vítimas de Paulo achavam??? O que Jesus achava??

Isto significa que temos de aceitar que todos os erros dos “inocentes” revelam ser “integridade” da parte deles. Na verdade eles revelam serem íntegros às suas ideias. Revelam ter uma motivação honesta aos seus pensamentos, ao que lhes parece ser certo.

Será que a honesta boa intenção transforma tudo o que fazemos em coisas aceitáveis para nossos semelhantes humanos??

Será que a honesta boa intenção transforma tudo o que fazemos em coisas aceitáveis para o nosso Criador e Pai, Jeová?? Não é Jeová aquele que define o que é certo e o que é o errado??? Não é Jeová, o nosso Professor, aquele que nos ensina a fazer o que é “certo”??


(in.te.gri.da.de) - definição segundo certo dicionário.


sf.
1 Qualidade ou estado do que é inteiro, do que não está menor do que era ou do que deveria ser ; INTEIREZA: Aferiu a integridade da remessa.
2 Estado do que não foi alterado, quebrado ou agredido (integridade física).
3 Fig. Qualidade de quem é íntegro, honesto, incorruptível ; HONESTIDADE; PROBIDADE: A integridade do funcionário é inquestionável.
4 Fig. Inocência, pureza, castidade.

[F.: Do lat. integritas, atis.]


Estado do que é inteiro (100%), uma linha inteira, ainda não partida, inteira sem emendas. Algo feito de forma contínua e ininterruptamente. É algo ou alguém que não se corrompe.


Devemos ter em mente que a "integridade" é demonstrada e provada através de "atos" reais praticados a cada segundo, além do que, a pessoa pode deixar de ser íntegra a qualquer momento.


Nosso amado irmão Tiago, nos fornece uma explicação prática do que representa ser íntegro. Assim falou o nosso irmão Tiago: (Tiago 2:10-11) 10 Pois, quem observar TODA a Lei, mas der um passo em falso NUM SÓ ponto, tem-se tornado ofensor contra TODOS ELES. 11 Pois, aquele que disse: “Não deves cometer adultério”, disse também: “Não deves assassinar.” Ora, se não cometeres adultério, mas assassinares, tens-te tornado transgressor da lei.
Obedecer a "todos" os artigos da lei. Não ofender a "nenhum" artigo da lei. Neste caso, passamos a verificar que a integridade deve ser medida em relação a uma lei previamente estipulada.

INCULPE, SEM DEFEITO, inquebrantável devoção a Jeová, INABALÁVEL devoção à justiça. É esta a integridade humana? Foi esta a integridade de Davi?

Devemos ter em mente que dar devoção a Jeová, amar a Jeová só é possível, se e somente se, obedecermos “todas” as Suas palavras. Obedecer as “palavras” de Jeová significa respeitar aos “sentimentos” de Jeová. O que teria acontecido a Davi, caso Jeová ouvindo tal oração sincera, a respondesse segundo o que foi pedido? Certamente Davi seria pulverizado de diante dos olhos de Jeová.

(Jó 27:5) 5 É inconcebível da minha parte declarar-vos justos! Até eu expirar não removerei de mim a minha integridade!

Jó também se considerava um humano "sem defeito" para com Deus. Jó também se considerava "justo" e também de forma sincera defendia veementemente sua integridade, chegando ao ponto de pronunciar Jeová como iníquo, para ter razão naquilo que falava em defesa de sua integridade. Entre outras palavras, Jó assim afirmou: (Jó 34:5-6) 5 Porque Jó disse: Eu certamente tenho razão, Mas o próprio Deus é que desviou meu julgamento. 6 Acaso digo mentiras contra o meu próprio julgamento? Meu ferimento sério é incurável, embora não haja transgressão.’ (Jó 35:1-2) 35 E Eliú continuou a responder e a dizer: 2 "É isto o que consideraste como juízo? Disseste: ‘Minha justiça é maior do que a de Deus.’

Jó estava multiplicando suas declarações "contra" o verdadeiro Deus e Eliú foi testemunha disso: (Jó 34:35-37) 35 ‘O próprio Jó fala sem conhecimento E suas palavras são sem [ele] ter perspicácia.’ 36 Meu pai, seja Jó provado até o limite Pelas suas réplicas entre homens prejudiciais. 37 Pois acrescenta ao seu pecado a revolta; Bate [palmas] entre nós e multiplica as suas declarações contra o [verdadeiro] Deus!”

Em face de declarações como estas, assim perguntou o Criador a Jó: (Jó 40:6-8) 6 E Jeová prosseguiu, respondendo a Jó de dentro do vendaval e dizendo: 7 Por favor, cinge os teus lombos como um varão vigoroso; Eu te perguntarei e tu mo farás saber. 8 Realmente, INVALIDARÁS tu a minha justiça? PRONUNCIAR-ME-ÁS INÍQUO , a fim de teres razão?

Jó afirmava que o Criador era capaz realizar certos "atos" que são classificados como produzidos por pessoas iníquas, como por exemplo, fazer uma maldade contra inocentes e se divertir com o sofrimento do inocente, desviar o julgamento, etc. Jó era na verdade INOCENTE, no pleno sentido de não saber, de não possuir o verdadeiro conhecimento. Jó era VÍTIMA do conhecimento errado que tinha sobre Jeová. Jó conhecia Jeová através de rumores, através de “ouvir dizer”. Por isso Jó disse para Jeová: Em rumores ouvi a teu respeito, mas agora é meu próprio olho que te vê. Por isso faço uma retratação e deveras me arrependo em pó e cinzas.

O que é retratação?? Esta é a definição dada por certo dicionário: confissão de erro. Erro de declaração; reconhecer que falou algo errado.

RETRATAÇÃO s.f. Ato ou efeito de retratar ou retratar-se; declaração contrária a outra anteriormente feita; confissão de erro; desmentido: exigiu-se a retratação dos responsáveis.

Jó reconheceu que suas declarações em relação a Jeová estavam erradas. Suas inocentes declarações erradas, na verdade eram blasfêmias contra Jeová.


Jó e seu pecado de blasfêmia estão sendo analisados em: Jó e o pecado de blasfêmia


Davi externa para Jeová seus sinceros sentimentos em relação aos iníquos, assim como também para com aqueles que tendo se tornado seus inimigos, o perseguiam. Estas foram as agressivas palavras saídas da boca de Davi (Atribui-se a Davi estes versos):

(Salmos 3:7)  7 Levanta-te deveras, ó Jeová! Salva-me, ó meu Deus! Porque terás de SOCAR NO QUEIXO todos os meus inimigos. Terás de QUEBRAR OS DENTES dos iníquos.

(Salmos 35:26) 26 Sejam juntos envergonhados e encabulados Os que se alegram da minha calamidade. Sejam VESTIDOS DE VERGONHA E DE HUMILHAÇÃO os que assumem ares de grandeza contra mim.

(Salmos 35:4-8) 4 Sejam envergonhados e humilhados os que caçam a minha alma. Faça-se que tornem atrás e fiquem encabulados os que maquinam calamidade para mim.  5 TORNEM-SE ELES COMO A PRAGANA diante do vento, E empurre-os o anjo de Jeová.  6 TORNE-SE O CAMINHO DELES EM ESCURIDÃO e em lugares escorregadios, E PERSIGA-OS O ANJO DE JEOVÁ.  7 Pois, sem causa encobriram de mim a sua cova de redes; Sem causa a cavaram para a minha alma.  8 VENHA SOBRE ELE A RUÍNA sem que o saiba E apanhe-o a sua própria rede que encobriu; Caia nela com ruína.

(Salmos 28:3-4) 3 Não me arrastes junto com os iníquos e com os que praticam o que é prejudicial, Os que falam de paz com os seus companheiros, mas em cujos corações há o que é mau.  4 Dá-lhes segundo a sua atuação E segundo a ruindade das suas práticas. Dá-lhes segundo o trabalho das suas mãos. PAGA-LHES DE VOLTA O SEU PRÓPRIO ATO

(Salmos 41:10) 10 Tu, porém, ó Jeová, mostra-me favor e faze-me levantar-me, Para que eu lhes RETRIBUA.

(Salmos 139:19) 19 Oh! que tu, ó Deus, MATASSES ao iníquo . Então certamente se retirariam de mim até mesmo os homens culpados de sangue,

(Salmos 140:10-11) 10 Deixem-se cair sobre eles brasas. FAÇA-SE QUE CAIAM NO FOGO, em poços de água, PARA QUE NÃO SE LEVANTEM. 11 O grande falador — não fique firmemente estabelecido na terra. O homem de violência — CACE-O O PRÓPRIO MAL COM REPETIDOS ASSALTOS.

(Salmos 143:12) 12 E na tua benevolência, que tu silencies os meus inimigos; E tens de DESTRUIR todos os que são hostis à minha alma, Porque sou teu servo.

(Salmos 139:21-22) 21 Acaso não odeio os que te odeiam intensamente, ó Jeová, E não TENHO AVERSÃO aos que se revoltam contra ti? 22 ODEIO-OS com ódio consumado. Tornaram-se para mim verdadeiros inimigos.

(Salmos 146:8-9)  8 Jeová abre [os olhos dos] cegos; Jeová ergue os encurvados; JEOVÁ AMA OS JUSTOS.  9 Jeová guarda os residentes forasteiros; Alivia o menino órfão de pai e a viúva, Mas ENTORTA o caminho dos INÍQUOS.


Davi amava a Jeová e por ser um "servo" de Jeová, e por ser um servo que foi escolhido por Jeová, se achava muito especial. Não se via como iníquo e odiava os iníquos. Tinha aversão aos que se revoltavam contra Jeová. Obviamente não se via como um dos que se revoltavam contra Jeová.

Se fui escolhido por Jeová é porque eu sou melhor do que aqueles que não foram escolhidos. Jeová não anda junto com iníquos. Jeová não tem pacto com os iníquos. Assim pensava Davi.

Os escolhidos por Jeová para realizarem qualquer tarefa são especiais, são melhores do que os não escolhidos. Jeová não escolheria alguém iníquo para dar uma tarefa. Assim pensava Davi.

Quando nós humanos estamos sofrendo muito, nos tornamos muito perigosos para a "VIDA" dos que nos cercam. Àqueles que consideramos como responsáveis pelo nosso sofrimento, nós os destruímos quando temos o poder para tal, e quando não temos o poder para tal, pedimos a Jeová que Ele o faça por nós ou que nos dê o poder para fazermos. Queremos e pedimos VINGANÇA pelo nosso INOCENTE sofrimento, pedimos que seja exterminado aquele que nos causa o sofrimento.

CONTRÁRIO A TODOS os humanos servos de Jeová até então, Jesus nos ensinou na teoria e na prática, que o "JUSTO AUTÊNTICO" não age desta maneira. Será que era Jesus quem estava errado? Será que os sentimentos de Jesus eram errados?? Jesus sentiu, falou e agiu 100% oposto a Davi.


Davi queria que Jeová, seu Deus, fosse tão iníquo quanto ele, um simples humano. Davi queria que Jeová fosse seu PODEROSO aliado contra os iníquos. Um justo (Davi) sendo defendido do ataque de iníquos, pelo próprio Jeová, O Todo Poderoso, Aquele que odeia os iníquos. Este era o ponto de vista externado por Davi; saiu do coração de Davi. Uma árvore supostamente justa, revelando seus frutos de suposta justiça.




Quando comparados com os sentimentos de Jesus, o que revelam ser os sentimentos externados de Davi? Seriam sentimentos dignos de se orgulhar ou de se envergonhar?

REPETIRIA Jesus qualquer uma destas expressões externadas por Davi em relação ao iníquo? Não, não repetiria. As expressões de Jesus são o OPOSTO das expressões de Davi. Os SENTIMENTOS de Jesus são 100% OPOSTOS aos sentimentos de Davi. Ademais, os atos de Jesus são 100% OPOSTOS aos atos de Davi. Porque são apostos??

Não veio Jesus exatamente nos ensinar a verdade a respeito de seu Pai? Não estava essa verdade ensinada por Jesus "totalmente contrária " ao que até então se ensinava a respeito do Pai? Alguma outra criatura conhecia o Pai tão bem quanto Jesus?

(Lucas 6:27-29) 27 Mas, eu digo a vós, os que estais escutando: Continuai a amar os vossos inimigos, a fazer o bem aos que vos odeiam, 28 a ABENÇOAR os que vos amaldiçoam, a ORAR pelos que vos insultam. 29 Àquele que te bater numa face, oferece também a outra; e a quem te tirar a tua roupa exterior, não negues nem mesmo a roupa interior. 30 Dá a todo o que te pedir, e daquele que te tirar tuas coisas, não [as] peças de volta.


(Lucas 6:35) 35 Ao contrário, continuai a amar os vossos inimigos e a fazer o bem, e a emprestar [sem juros], não esperando nada de volta; e a vossa recompensa será grande, e sereis filhos do Altíssimo, porque ELE É BENIGNO para com os ingratos e os iníquos .

Jesus afirmou: Jeová é "BENIGNO" para com os iníquos. Jeová é "MISERICORDIOSO" com os iníquos. Logo, Jeová "NÃO ODEIA" os iníquos. Jeová ama seus inimigos. Para ser um inimigo de Jeová, a pessoa precisa ser um iníquo. Se Jeová ama seus inimigos, JEOVÁ AMA OS INÍQUOS. Seria algo “passivo”?? Seria apenas uma questão de deixá-los viver, de fazer o sacrifício de aturá-los??


Jeová amava Davi e exatamente por isso agia com "misericórdia" para com Davi. Ser benigno é praticar atos concretos de misericórdia. Matar ou pedir a morte do iníquo não é ato de misericórdia em favor do iníquo. Quando comparados com este ensino, um novo ensino , o ensino que revela o que Jeová realmente espera do ser humano, tais sentimentos externados de Davi, revelam ser totalmente antagônicos com os sentimentos de Jeová. Davi não conhecia a Jeová. Jesus conhece a Jeová. O próprio Jesus chama a atenção e indica a Jeová como o exemplo perfeito a ser imitado. O próprio Jesus, mesmo tendo muito mais poderes que seus inimigos, demonstrou na prática que SEMPRE amava seus inimigos e que SEMPRE fazia o bem aos que o odiavam, que SEMPRE oferecia a outra face, SEMPRE estava abdicando, até mesmo da "justa retribuição" (olho por olho) ao iníquo ofensor, imitando o seu Pai. Apesar da condição extremamente adversa, de sua boca não saiu NENHUMA maldição ou praga pessoal, nem mesmo qualquer pedido a Jeová contra qualquer humano iníquo. Jesus nem mesmo os acusou perante o Pai de terem praticado pecados contra ele. Uma coisa em relação a Jesus: Ele não era um ator. Jesus mostrou o que é ser justo. Fazer diferente do que Jesus fez é praticar a iniquidade. Fazer o oposto do que Jesus fez é praticar a iniquidade.

Jesus não cometeu qualquer iniquidade contra humanos; de forma contrária, só praticou o amor. Jesus foi 100% amor. Apesar de tudo isso foi extremamente maltratado por seus contemporâneos. Sendo justo, demonstrando na prática aquilo que havia ensinado, assim falou Jesus a seu Pai Jeová: (Lucas 23:33-34) 33 E quando chegaram ao lugar chamado Caveira, pregaram-no numa estaca, e assim também os malfeitores, um à sua direita e outro à sua esquerda. 34 [[Mas Jesus estava dizendo: "Pai, perdoa-lhes, pois não sabem o que estão fazendo."]] Outrossim, para distribuírem as roupas dele, lançaram sortes.


Sendo Davi possuidor de parte do poder que Jesus tinha, não realizaria todos os seus desejos referentes aos que ele classificava como iníquos, exterminando-os?? Entretanto, os sentimentos e as palavras de Jesus foram 100% antagônicas às palavras e aos sentimentos de Davi.


Jesus ensinou a todos o que é ser justo, ensinou o que é justiça - cumpriu a profecia: (Mateus 12:15-21) 15 Jesus, vindo a saber [disso], retirou-se dali. Muitos o seguiram, também, e ele os curou a todos, 16 mas advertiu-os estritamente que não o tornassem manifesto; 17 para que se cumprisse o que fora dito por intermédio de Isaías, o profeta, que disse: 18 "Eis o meu servo a quem tenho escolhido, meu amado, a quem a minha alma tem aprovado! Porei sobre ele o meu espírito e ele esclarecerá às nações o que é justiça. 19 Não altercará, nem gritará, nem ouvirá alguém a sua voz nas ruas largas. 20 Não esmagará nenhuma cana machucada, tampouco extinguirá qualquer mecha fumegante, até enviar a justiça com bom êxito. 21 Deveras, em seu nome esperarão as nações."


Muito embora tivesse todo aquele poder em suas mãos, Jesus não esmagou nenhum humano, não maltratou nenhum humano, não produziu nenhuma vítima, antes, suportou todo o mal, não praticando nenhum mal, nem mesmo em palavras. Jesus foi o oposto, 100% oposto a todos os humanos nascidos até então, inclusive Davi. Jesus não era um ator de uma peça teatral escrita por Jeová.


As palavras de Jeová através do seu porta-voz Isaías, em relação a Jesus, foram: (Isaías 42:1-4) 42 Eis meu servo a quem estou segurando! Meu escolhido, [a quem] a minha alma tem aprovado! Pus nele o meu espírito. Justiça para as nações é o que ele produzirá. 2 Não clamará nem levantará [a sua voz], e não deixará ouvir a sua voz na rua. 3 Não quebrará nenhuma cana esmagada; e quanto à fraca mecha de linho, não a apagará. Produzirá justiça em veracidade. 4 Não se turvará nem será esmagado até estabelecer justiça na própria terra; e por sua lei estarão esperando as próprias ilhas.

Jesus nos ensinou o que realmente é "ser justo". Nos ensinou o que é realmente "praticar a justiça".



O Justo Jesus não pecou por pedir qualquer "imprecação" contra qualquer alma.


Depois de Jesus nos expor o que é ser justo , também ficou claramente revelado o que Davi era. Certamente Davi não era justo - era um iníquo, um iníquo muito amado por Jeová.

Quem quiser ser filho do Altíssimo tem de ser benigno para com ingratos e para com os iníquos.

No entanto, o sentimento externado por Davi estava em rota de colisão com o sentimento do Altíssimo. Certamente Davi não conhecia a Jeová. Suas palavras registradas nos salmos são a prova incontestável do seu desconhecimento da personalidade de Jeová e do seu grau de iniquidade. Entretanto, muitos preferem chamar a Jeová de iníquo do que aceitar o fato de que Davi era iníquo.

Profetas, sacerdotes, levitas, reis e outros revelavam "seus conceitos" tanto na teoria como na prática. Assim como Davi, sentiam AVERSÃO dos iníquos aos seus olhos. (Lucas 7:36-39) 36 Ora, certo fariseu pedia-lhe que jantasse com ele. Concordemente, entrou na casa do fariseu e recostou-se à mesa. 37 E eis que uma mulher, conhecida na cidade como pecadora, soube que ele estava recostado numa refeição na casa do fariseu e trouxe um vaso de alabastro com óleo perfumado, 38 e, postando-se atrás, aos pés dele, chorava e principiava a molhar os pés dele com as suas lágrimas, e enxugava-os com os cabelos de sua cabeça. Beijava também ternamente os pés dele e untava-os com o óleo perfumado. 39 À vista disso, o fariseu que o convidara dizia no seu íntimo: "Este homem, SE FOSSE PROFETA, SABERIA QUEM E QUE ESPÉCIE DE MULHER É QUE O TOCA, QUE ELA É PECADORA."

(Marcos 2:15-17) 15 Mais tarde, aconteceu que estava recostado à mesa, na casa deste, e muitos cobradores de impostos e pecadores se recostavam com Jesus e seus discípulos, pois havia muitos deles e começavam a segui-lo. 16 Mas os escribas dos fariseus, quando viram que ele comia com os pecadores e os cobradores de impostos, começaram a dizer aos discípulos: "COME ELE COM os cobradores de impostos e os PECADORES?" 17 Ao ouvir isso, Jesus disse-lhes: "Os fortes não precisam de médico, mas sim os enfermos. Não vim chamar os que são justos, mas pecadores."

(João 7:47-49) 47 Os fariseus responderam, por sua vez: "Será que também vós fostes desencaminhados? 48 Será que um só dos governantes ou dos fariseus depositou fé nele? 49 Mas esta multidão, que não sabe a Lei, são pessoas AMALDIÇOADAS."

EXCLUIR E DESTRUIR - ESTES SÃO OS SENTIMENTOS EXTERNADOS POR DAVI, SÃO PROVENIENTES DO CORAÇÃO DE DAVI.

Assim disse Davi: (Salmos 26:5) 5 Tenho odiado a congregação dos malfeitores E NÃO ME SENTO COM OS INÍQUOS.


Não chegue muito perto e não me toque pois eu posso lhe passar santidade; ou o contrário, você pode me passar iniquidade. Aversão pelos iníquos?? A atitude de Jeová era exatamente o oposto, pois Jeová se sentava com iníquos, lhes estendia as mãos o dia inteiro, apesar de ser ofendido o dia inteiro: (Isaías 65:1-5) 65 “Deixei-me buscar por aqueles que não perguntaram [por mim]. Deixei-me achar por aqueles que não me tinham procurado. Eu disse: ‘Eis-me aqui, eis-me aqui!’ a uma nação que não invocava o meu nome. 2 “O DIA INTEIRO ESTENDI AS MINHAS MÃOS PARA UM POVO OBSTINADO, os que andam no caminho que não é bom, atrás dos seus pensamentos; 3 o povo [que se compõe] dos que de contínuo ME OFENDEM DIRETAMENTE À MINHA FACE, sacrificando nos jardins e fazendo fumaça sacrificial sobre os tijolos, 4 sentando-se entre as sepulturas, que também passam a noite nas guaritas das sentinelas, comendo carne de porco, havendo nos seus vasos até mesmo caldo de coisas imundas; 5 os que dizem:Fica onde estás. NÃO TE APROXIMES DE MIM, pois eu certamente te transmitirei santidade.’ ESTES SÃO FUMAÇA NAS MINHAS NARINAS, um fogo ardendo o dia inteiro.


Jeová notava este sentimento de aversão, entretanto, não gostava, NÃO GOSTAVA MESMO.

O conceito predominante dos sacerdotes, dos levitas e também dos profetas, nos dias de Jesus, era que os pecadores, os iníquos, eram amaldiçoados por Jeová, odiados por Jeová, que Jeová tinha nojo dos iníquos. O mesmo conceito externado por Jó, Davi e outros. Os que se achavam justos, incluindo os profetas e sacerdotes, os que se achavam e eram "servos" de Deus, os que vestiam uma suntuosa fantasia de adoradores de Jeová, externaram seus próprios sentimentos em relação aos iníquos, entretanto, seus sentimentos certamente não coincidiam com os sentimentos de Jeová. Mais do que isso, estavam em FRANCA OPOSIÇÃO aos sentimentos de Jeová.


Este foi o sentimento externado por Davi: (Salmos 58:10) 10 O JUSTO SE ALEGRARÁ POR TER OBSERVADO A VINGANÇA. BANHARÁ OS SEUS PASSOS NO SANGUE DO INÍQUO.

Ficar alegre com a vingança, ficar alegre em observar o sofrimento, ficar alegre em observar o iníquo sofrendo o mal??? Banhar os pés no sangue no iníquo, não é uma atitude vingativa?? Não é uma comemoração de vitória sobre o iníquo?? Festejar a morte do iníquo??

O sentimento externado por Davi também estava em ROTA DE COLISÃO com o sentimento externado pelo próprio Jó. Muito embora Jó também defendesse sua integridade, assim externou Jó o seu sentimento em relação a seus inimigos: (Jó 31:29-30) 29Se eu costumava alegrar-me com a extinção daquele que me odiava intensamente, Ou se fiquei agitado porque o atingiu o mal — 30 E não permiti que o meu palato PECASSE , Pedindo uma imprecação contra a sua alma.


Jó achava ser um pecado pedir qualquer maldição ou praga (imprecação) contra aquele que o odiava intensamente, embora a opinião externada de Davi fosse exatamente o oposto.

Enquanto Davi afirmou que o justo SE ALEGRAVA COM A VINGANÇA sobre o iníquo, Jó não se alegrava com a morte (extinção) do iníquo.

Mais detalhes a respeito da personalidade de Jó (inculpe e reto) veja em: a justiça praticada por Jó.

Do ponto de vista de Eliú, Davi com suas sinceras expressões, estava se voltando para o prejudicial. Estava trocando o "suportar alegremente a tribulação" pelo "desejo de vingança". Davi externava o seu sentimento de homem GUERREIRO que desejava a vitória sobre seus inimigos e a humilhação e extinção destes.


Quando estamos sofrendo e ainda mais, sofrendo injustamente, passamos a ser um perigo para a "vida", tanto a nossa como a de quaisquer outras "vidas" a nosso redor???


Quando estamos sofrendo, desejamos de algum modo a morte de alguém para o alívio de nosso sofrimento???

O desejo quando torna-se fértil, produz o pecado.


Quando estamos cercados por aqueles que se comportam como inimigos, pedimos a Deus que Ele os mate, acabando assim o nosso sofrimento???? Pedimos que Jeová faça "justiça", faça a vingança que somos incapazes de fazer??? Jesus não fez isso. Ele nos ensinou o que é ser justo.

Quando estivermos sendo violentamente mortos, solicitaremos a Deus "VINGANÇA" pelo nosso sangue que está sendo derramado???? Jesus não fez isso. Ele nos ensinou o que é ser justo.


Pedimos a "morte do inimigo" como VINGANÇA pela morte de nosso inocente irmão?????


A boca fala daquilo que o coração está cheio.

As sábias palavras de Eliú foram: (Jó 36:15-21) 15 Ele socorrerá o atribulado na sua tribulação E destapará seu ouvido na opressão. 16 E certamente te engodará [para longe] da boca da aflição! Um lugar mais amplo, não o aperto, haverá em seu lugar, E o consolo da tua mesa será cheio de gordura. 17 Certamente serás enchido com a sentença judicial contra o iníquo; A sentença judicial e o juízo é que segurarão. 18 Pois [cuida de] QUE O FUROR NÃO TE ENGODE A BATER PALMAS [por despeito], E não te deixes desencaminhar por um grande resgate. 19 Terá efeito teu clamor por ajuda? Não, nem na aflição Todos os [teus] poderosos esforços. 20 Não fiques suspirando pela noite, Para que os povos retrocedam [de] onde estão. 21 Guarda-te DE NÃO TE VIRARES PARA O QUE É PREJUDICIAL, pois ESCOLHESTE ISSO em vez de tribulação.

Não fique alegre com a sentença judicial contra o iníquo e nem peça a "destruição deles" no lugar da tua "tribulação".


Como poderia ser benigno, amável, bondoso, benévolo e bom, praticando atos de misericórdia para com alguém a quem você odeia ou sente aversão? Certamente tenho de verdadeiramente amar a pessoa para ser-lhe sinceramente amável, me interessar por ela, me desviar de afazeres pessoais para ajudá-la, gastar alegremente meu tempo, paciência e cérebro para encontrar a melhor forma para ajudá-la a entender algo, mesmo que ela esteja me atribulando. É exatamente assim que Jeová o faz. Ele é o exemplo perfeito para mim.

Jesus, aquele que conhecia plenamente o Pai, esclareceu de forma incontestável esta questão, não só pelo que falou, a teoria, mas também na forma de viver a vida, a parte prática. Ele mostrou o que é ser justo, ser íntegro.

Quem te bater na face direita, oferece-lhe também a esquerda - foi o que ORDENOU Jesus, o nosso Instrutor. Ele AGIU assim, seguindo o exemplo do Pai. Exatamente por isso podia ORDENAR. Jeová e Jesus não são atores.

Sendo Jesus o nosso único Instrutor e único modelo humano a ser seguido, rejeitemos todos os outros modelos humanos, pois nenhum deles foi realmente íntegro ou justo no pleno sentido da palavra. Para Jeová, eles não eram 100% íntegros, muito embora cada um deles se visse como íntegro e até mesmo pudessem jurar "por Jeová que vive", que eram íntegros.

Na sua ignorância não viam seus próprios erros, suas iniquidades, mas, "Jeová os via", entretanto, continuava sendo benigno para com eles.

Quem então se mostrou 100% íntegro, inculpe e sem defeito ? Como sempre, não foi o nosso Criador Jeová? Ele está sabiamente ensinando lições a seus filhos iníquos, que não admitem ser iníquos.

Em certa ocasião, setenta mil homens foram mortos no lugar de Davi; em outra ocasião um filho foi morto no lugar de Davi. Certamente Davi tinha uma dívida impagável para com Jeová. Isto representou "justiça" da parte de Jeová para com Davi, "justiça" para com os que foram mortos no lugar de Davi, ou revelava grande amor e misericórdia para com este "servo"?

Algum pai ou mãe aceitaria como "justiça", seu filho ou sua filha ser um dos morreram no lugar de Davi? Davi erra e meu filho é que morre em seu lugar? Meu filho é vítima de Davi, certamente concluiria. Desta forma, o sangue inocente do meu filho clama a Jeová por vingança. O ato de um humano iníquo certamente produz sofrimento em alguém, produz uma "vítima" que clama por ajuda.

Neste caso, Davi era um dos ingratos e um dos iníquos a quem Jeová usava de Misericórdia, de muita Misericórdia. Ele continua usando de Misericórdia para com os que "não admitem" ser ingratos e iníquos.


Quem é mais cego do que o servo de Jeová, quem é mais cego do que o servo recompensado de Jeová?? Esta pergunta foi feita pelo próprio Jeová. Assim perguntou Jeová: (Isaías 42:18-19) 18 Ouvi, ó surdos; e olhai para ver, ó cegos. 19 Quem é cego, se não o meu servo, e quem é surdo como o meu mensageiro a quem envio? Quem é cego como o recompensado, ou cego como o servo de Jeová?


Alguns séculos depois da morte de Davi, Jeová falou a seu povo através de um mensageiro as seguintes palavras: (Jeremias 5:1-2) 5 Percorrei as ruas de Jerusalém e vede, pois, e sabei e procurai vós mesmos nas suas praças públicas se podeis achar um homem, se existe alguém que pratique a justiça, alguém que procure a fidelidade, e eu perdoarei a ela. 2 Mesmo que dissessem: “Por Jeová que vive!” estariam com isso jurando pura falsidade.
Não havia nem um único homem justo, nenhum homem fiel, pois Jerusalém foi destruída. No entanto, os que estavam sendo punidos se achavam justos e fiéis.

Assim externou Davi a sua opinião quanto ao motivo de ser sustentado por Jeová: (Salmos 41:12) 12 Quanto a mim, SUSTENTASTE-ME POR CAUSA DA MINHA INTEGRIDADE E pôr-me-ás diante da tua face por tempo indefinido.

Davi ainda via INTEGRIDADE no seu caso. Não conseguia ver que o caso era unicamente de MISERICÓRDIA de Jeová para com ele, muita misericórdia.

(Êxodo 33:17-20) 17 E Jeová prosseguiu, dizendo a Moisés: “Farei também esta coisa de que falaste, porque tens achado favor aos meus olhos e eu te conheço por nome.” 18 A isso ele disse: “Por favor, faze-me ver a tua glória.” 19 Mas ele disse: “Eu mesmo farei toda a minha bondade passar diante da tua face e vou declarar diante de ti o nome de Jeová; e vou favorecer ao que eu favorecer e VOU TER MISERICÓRDIA DE QUEM EU TIVER MISERICÓRDIA.” 20 E acrescentou: “Não podes ver a minha face, porque homem algum pode ver-me e continuar vivo.”

Alguns anos antes da destruição de Jerusalém e seu templo no provável ano de 607 AEC, em relação a "meu servo a quem escolhi", "os remanescentes", de forma paralela assim falou o Criador: (Isaías 43:3-4) 3 Porque eu sou Jeová, teu Deus, o Santo de Israel, teu Salvador. DEI o Egito COMO RESGATE POR TI, a Etiópia e Sebá, EM LUGAR DE TI. 4 Devido ao fato de que tens sido precioso aos meus olhos, foste considerado honroso e EU MESMO TE AMEI. Darei homens EM LUGAR DE TI e grupos nacionais EM LUGAR DA TUA ALMA.

A quem falava Jeová tais palavras?? Para um povo íntegro e fiel apesar das adversidades?? Jeová responde:  (Isaías 42:23-25) 23 Quem dentre vós dará ouvidos a isso? Quem prestará atenção e escutará para tempos posteriores? 24 Quem entregou Jacó como mera rapina e Israel aos saqueadores? Não foi Jeová, Aquele contra quem pecamos, e em cujos caminhos não quiseram andar e cuja lei não escutaram? 25 De modo que Ele continuou a derramar sobre aquele o furor, sua ira e a força da guerra. E isso o consumia em todo o redor, mas ele não fez caso; e chamejava contra ele, MAS NÃO FIXAVA NADA NO CORAÇÃO.

NÃO EXTERMINEI VOCÊ, PORQUE O MEU AMOR POR VOCÊ É UM AMOR POR TEMPO INDEFINIDO, UMA AMOR QUE NÃO PODE SER MEDIDO.
Jeová revela o motivo de tratar seu iníquo amado povo daquele modo, isto é, pagar a vida deles com a vida de outros. Jeová fala que faria isto com Seu povo iníquo porque: "Eu mesmo te amei".
Ao ouvirmos a outra declaração abaixo, saída da boca de Jeová, de que apesar da imensa iniquidade, não exterminaria seu povo, podemos nos perguntar:
Agia o Criador com "justiça" para com seu povo, dando outros povos iníquos como resgate por este iníquo povo? Os graves pecados do "povo escolhido" estavam sendo pagos com a vida de outros homens. Estas foram as palavras saídas da boca de Jeová: (Jeremias 5:15-19) 15 "Eis que farei chegar sobre vós uma nação longínqua, ó casa de Israel", é a pronunciação de Jeová. "É uma nação resistente. É uma nação de há muito tempo, uma nação cuja língua não conheces, e não podes ouvir [inteligivelmente] o que eles falam. 16 Sua aljava é como uma sepultura aberta; todos eles são homens poderosos. 17 Certamente consumirão também a tua colheita e o teu pão. Os homens consumirão teus filhos e tuas filhas. Consumirão teus rebanhos e tuas manadas. Consumirão tua videira e tua figueira. Destroçarão com a espada as tuas cidades fortificadas em que confias." 18 "E mesmo naqueles dias", é a pronunciação de Jeová, "NÃO EXECUTAREI O VOSSO EXTERMÍNIO. 19 E terá de acontecer que direis: ‘Devido a que fato nos fez Jeová, nosso Deus, todas estas coisas?’ E terás de dizer-lhes: ‘Assim como vós me abandonastes e fostes servir a um deus estrangeiro na vossa terra, assim servireis a estranhos numa terra que não é vossa.’"

Gostaria você de ser morto pelo erro de outra pessoa?? Seria isto "justiça"??

Não era esta uma questão de AMOR, assim como Jeová havia falado? CERTAMENTE NÃO ERA UMA QUESTÃO DE JUSTIÇA OU INTEGRIDADE DO POVO, gerando um relacionamento meritório ou seja, pagar o que se merece.


Muito iníquo, entretanto, eu mesmo te amei. Por isso dou homens em lugar de tua alma. Veja o quanto eu te amo!!


Exatamente assim com no caso de Davi, quando 70.000 almas morreram no lugar de Davi por seu ato de infidelidade, outros humanos foram punidos em lugar do "servo a quem escolhi", sim, "os remanescentes" foram resgatados através da morte de outros humanos, e também por causa de sua infidelidade , não por causa de sua justiça. Será que Davi não foi punido com a morte porque ele era "justo", íntegro ? No seu próprio julgamento do infrator, no caso Bate-Seba, Davi afirmou : tal homem MERECE morrer. Davi estava julgando a si próprio. Esta foi a sentença que Davi deu para si mesmo. A sentença estava corretíssima; aquele, qualquer um que agir assim MERECE a morte. No entanto, Jeová tomou para si a condição de Juiz. Uma leve punição, uma punição clemente, foi a decisão do Misericordioso Juiz Jeová. A pena de morte a ser imposta a alma que pecar, aplicava-se a Davi, estivesse ele em qualquer posição, amasse ele a Jeová muito ou pouco. A "justiça" assim o exigia; a IMPARCIALIDADE de Jeová assim o exigia. Ele é pai de todos e ama a todos com o mesmo amor. Os atos de "justiça" de Davi produziram muitas vítimas.

Mesmo que Davi tivesse sido um homem "justo" até o momento de ter praticado a “teimosa” desobediência e ter contado o povo, no momento que pecou, estaria condenado a morte. Assim explicou Jeová a regra imparcial: (Ezequiel 18:24-26) 24 "‘Ora, quando o justo recuar da sua justiça e realmente fizer injustiça; se estiver fazendo segundo todas as coisas detestáveis que o iníquo tem feito e estiver vivendo, NÃO SERÁ LEMBRADO nenhum dos seus atos justos que praticou. POR SUA INFIDELIDADE QUE PRATICOU E POR SEU PECADO COM QUE PECOU, POR ESTES É QUE MORRERÁ. 25 "‘E certamente direis: "O caminho de Jeová não é acertado." Ouvi, por favor, ó casa de Israel. Não é acertado o meu próprio caminho? Não são os vossos caminhos que não são acertados? 26 "‘QUANDO O JUSTO RECUAR DE SUA JUSTIÇA E REALMENTE FIZER INJUSTIÇA E MORRER POR CAUSA DE TAIS [ATOS], MORRERÁ PELA SUA INJUSTIÇA QUE FEZ.

Ter um longo e excelente currículo de prestação de serviço sagrado não tem qualquer valor para quem comete um único pecado, um único erro. Seu pecado não é negociável. Seu currículo não é negociável. Isto sim é imparcialidade. Sem favorecimento para qualquer pessoa.


Onde entraria aqui o "bom coração" de Davi?? Jeová perdoou a Davi porque Davi tinha um bom coração??


(im.par.ci:al) segundo certo dicionário

a2g.
1 Que é justo em seu julgamento,
sem favorecer qualquer pessoa ou grupo : O juiz foi imparcial ao condenar o réu [Antôn.: faccioso, injusto.]
2 Neutro, isento : Queremos uma versão imparcial do fatos [Antôn.: parcial, partidário.] Pl.: -ais

[F.: im-2 + parcial]


(i.so.no.mi.a) segundo certo dicionário

sf.
1 Jur. Princípio, assegurado pela Constituição, segundo o qual todos são iguais perante a lei, não podendo haver nenhuma distinção em relação a pessoas que estejam na mesma situação
2 A aplicação desta lei (isonomia salarial)
3 Condição ou estado daqueles que são governados pelas mesmas leis.

[F.: Do gr. isonomía, as.]


O ato iníquo é o "fruto" de um coração iníquo.

Assim como no caso do iníquo filho Davi, Jeová estava demonstrando amor para com o iníquo "servo a quem escolhi". Será que não eram iníquos estes filhos amados? Alguns poderiam até dizer que Davi tinha um "bom coração". As palavras de Jesus deixam claro que o homem justo, o homem bom, traz para fora EXCLUSIVAMENTE o bom. O homem justo, tal qual uma árvore, NUNCA produziria iniquidade. Uma mangueira nunca produz jaca. (Lucas 6:43-45) 43 "Pois NÃO HÁ ÁRVORE EXCELENTE QUE PRODUZA FRUTO PODRE; novamente, não há árvore podre que produza fruto excelente. 44 Pois cada árvore é conhecida pelo seu próprio fruto. Por exemplo, não se colhem figos de espinhos, nem se cortam uvas dum espinheiro. 45 O homem bom, do bom tesouro do seu coração, traz para fora o bom, MAS O HOMEM INÍQUO, DO SEU [TESOURO] INÍQUO, TRAZ PARA FORA O QUE É INÍQUO; pois é da abundância do coração que a sua boca fala.

A forma de Jesus viver a vida, produziram exclusivamente frutos justos, até mesmo naquilo que falava.

Toda ação, quer boa, quer má, é fruto de um sentimento.

A iniquidade praticada é o "fruto" produzido pelo coração iníquo. Jesus deixou isto bem claro ao dizer: (Mateus 12:33-35) 33 "Ou tornais a árvore excelente e seu fruto excelente, ou tornais a árvore podre e seu fruto podre; pois é pelo seu fruto que se conhece a árvore. 34 Descendência de víboras, como podeis falar coisas boas quando sois iníquos? Pois é da abundância do coração que a boca fala. 35 O homem bom, do seu bom tesouro, envia coisas boas, ao passo que o homem iníquo, do seu tesouro iníquo, envia coisas iníquas.

(Mateus 15:18-20) 18 No entanto, as coisas procedentes da boca saem do coração, e estas coisas aviltam o homem. 19 Por exemplo, do coração vêm raciocínios iníquos, assassínios, adultérios, fornicações, ladroagens, falsos testemunhos, blasfêmias. 20 Estas são as coisas que aviltam o homem; mas tomar uma refeição sem lavar as mãos não é o que avilta o homem."

A maldade praticada revela o conteúdo "da fonte" de onde ela saiu, assim como uma manga é fruto de um pé de manga. A maldade é o "produto" do coração doente, um coração iníquo. Será que esta inédita afirmação de Jesus é verdade??

Não perdoar o semelhante é um dos "frutos" produzidos por um coração iníquo. O coração de Davi também produziu este "fruto" iníquo. Esta iniquidade de Davi no caso de Simei, o benjaminita, registrada em 2Samuel 16:5-14, 2Samuel 19:15-23 e 1Reis 2:8-11 está sendo analisada em: "quem é o iníquo?"


Não estava Davi sendo perdoado por Jeová? Sim estava. Davi merecia perdão ou Jeová usava de misericórdia para com quem merecia a morte imediata? Este assunto continua sendo pesquisado em: perdão só para quem merece?


Davi considerava-se justo, se via como um homem justo, pois afirmou a respeito de si mesmo: (Salmos 18:24) 24 E QUE JEOVÁ ME PAGUE DE VOLTA SEGUNDO A MINHA JUSTIÇA, SEGUNDO A LIMPEZA DAS MINHAS MÃOS DIANTE DOS SEUS OLHOS.

Davi e outros podiam até não se considerarem iníquos, este era o caso, mas eram iníquos. Não percebiam, mas eram iníquos. O mesmo amor, o Criador tem para todos os demais filhos iníquos. Isto é IMPARCIALIDADE.


Sendo o responsável e culpado pela morte de 70.000 pessoas e pela morte do seu próprio filho, pessoas inocentes, que não haviam feito nenhum mal contra ele, podia Davi expressar-se assim: (Salmos 26:9)  9 Não tires a minha alma junto com os pecadores, Nem a minha vida junto com os homens culpados de sangue, ???

Quantos humanos estavam sofrendo a perda de um amado familiar por causa da teimosa atitude de Davi?? Foram milhares, milhares de enlutados enterrando as vítimas de Davi. Revelando estar ciente de seu erro, assim falou Davi:  (2 Samuel 24:15-17) 15 Jeová deu então uma pestilência em Israel, desde a manhã até o tempo designado, de modo que pereceram dentre o povo setenta mil pessoas, desde Dã até Berseba. 16 E o anjo estava estendendo sua mão para Jerusalém, a fim de a arruinar; e Jeová começou a deplorar a calamidade e por isso disse ao anjo que causava a ruína entre o povo: “Basta! Abaixe-se agora a tua mão.” E sucedeu que o próprio anjo de Jeová estava perto da eira de Araúna, o jebuseu. 17 E Davi passou a dizer a Jeová, ao ver o anjo que golpeava o povo, sim, passou a dizer: “Eis que fui eu que pequei e fui eu que cometi a falta; mas estas ovelhas — que fizeram elas? Por favor, venha a tua mão sobre mim e sobre a casa de meu pai.”

Neste caso, não sendo punido na própria carne, Davi não se dava conta da gravidade de seus próprios erros, além de minimizar o valor da vida de outros humanos. Sua afirmação "não tires minha vida junto com os homens culpados de sangue", além de outras, revela o valor que ele dava àquelas vidas e ao sofrimento dos parentes das vítimas de sua ação pecaminosa.

Se Jeová me perdoou por não me matar, é porque não foi nada grave?? Ignorante, inocente ou cegamente, qualquer um humano pode estar nesta condição, e nós poderemos ser uma de suas vítimas.


O "acordo" feito por Jeová com seu povo no monte Sinai, deixava bem claro as regras a serem seguidas pelo Criador; os humanos pactuados beberiam deste copo. Assim falou o Criador: (Deuteronômio 5:9-10) 9 Não te deves curvar diante delas, nem ser induzido a servi-las, porque eu, Jeová, teu Deus, sou um Deus que exige devoção exclusiva, TRAZENDO PUNIÇÃO PELO ERRO DOS PAIS SOBRE OS FILHOS, e sobre a terceira geração e sobre a quarta geração, no caso dos que me odeiam, 10 mas usando de BENEVOLÊNCIA PARA COM A MILÉSSIMA GERAÇÃO no caso dos que me amam e que guardam os meus mandamentos.

(Êxodo 34:6-7) 6 E Jeová ia passando diante da sua face e declarando: "Jeová, Jeová, Deus misericordioso e clemente, vagaroso em irar-se e abundante em benevolência e em verdade, 7 preservando a benevolência para com milhares, perdoando o erro, e a transgressão, e o pecado, mas de modo algum isentará da punição, TRAZENDO PUNIÇÃO PELO ERRO DOS PAIS SOBRE OS FILHOS E SOBRE OS NETOS, sobre a terceira geração e sobre a quarta geração."


Jeová estava punindo um iníquo no lugar de outro iníquo, cumprindo seu acordo (pacto). Que lição estava Jeová ensinando para Davi e para os demais humanos que haviam rejeitado a Jeová como Rei, passando a pedir um rei humano?? Os humanos sentiam os efeitos deste "copo".

Este interessante assunto é analisado em punição ou julgamento definitivo?

Que objetivo tinha o Professor Jeová ao nos fazer experimentar tais sentimentos, proporcionados por esta interessante situação?? Gostaram deste “copo”??

O servo escolhido e ensinado mostrou ser iníquo. O "meu servo a quem escolhi", apesar de ser intensamente ensinado, é descrito pelo próprio Criador como "o mais iníquo dos filhos" nas seguintes palavras: (Ezequiel 5:5-6) 5 "Assim disse o Soberano Senhor Jeová: ‘Esta é Jerusalém. Coloquei-a no meio das nações, com terras ao seu redor. 6 E ela passou a comportar-se rebeldemente contra as minhas decisões judiciais, EM iniquidade MAIOR DO QUE AS NAÇÕES, e contra os meus estatutos, MAIS DO QUE AS TERRAS AO SEU REDOR, pois rejeitaram as minhas decisões judiciais, e quanto aos meus estatutos, não andaram neles.’

Exatamente por isso, foi gasto uma maior quantidade de amor para com ele, pois ele merecia o extermínio. Apesar da extrema iniquidade, era um filho amado. Era um filho que receberia punição, aprenderia sua lição. Certamente por "dever mais", "amará mais" quando perceber que já foi altruistamente perdoado. Assim falou Jesus sobre o sentimento resultante daquele que peca (erra) muito quando é perdoado: (Lucas 7:37-47) 37 E eis que uma mulher, conhecida na cidade como pecadora, soube que ele estava recostado numa refeição na casa do fariseu e trouxe um vaso de alabastro com óleo perfumado, 38 e, postando-se atrás, aos pés dele, chorava e principiava a molhar os pés dele com as suas lágrimas, e enxugava-os com os cabelos de sua cabeça. Beijava também ternamente os pés dele e untava-os com o óleo perfumado. 39 À vista disso, o fariseu que o convidara dizia no seu íntimo: "Este homem, se fosse profeta, saberia quem e que espécie de mulher é que o toca, que ela é pecadora." 40 Jesus disse-lhe, porém, em resposta: "Simão, tenho algo para dizer-te." Ele disse: "Instrutor, dize-o!" 41 "Dois homens eram devedores de certo credor; um devia quinhentos denários, mas o outro, cinqüenta. 42 Quando não tinham com que [lhe] pagar de volta, PERDOOU LIBERALMENTE a ambos. Portanto, qual deles o amará mais?" 43 Em resposta, Simão disse: "Suponho que seja aquele a quem perdoou liberalmente mais." Disse-lhe ele: "Julgaste corretamente." 44 Com isso se voltou para a mulher e disse a Simão: "Observas esta mulher? Entrei na tua casa; tu não me deste água para os meus pés. Mas esta mulher molhou os meus pés com as suas lágrimas e os enxugou com os seus cabelos. 45 Tu não me deste nenhum beijo; mas esta mulher, desde a hora em que entrei, não deixou de beijar ternamente os meus pés. 46 Tu não untaste a minha cabeça com óleo; mas esta mulher untou os meus pés com óleo perfumado. 47 Em virtude disso, eu te digo que os pecados dela, embora sejam muitos, estão perdoados, porque ela amou muito; mas aquele a quem se perdoa pouco, ama pouco."

Quanto mais iníqua for a pessoa, é gasto mais amor para perdoá-la, entretanto, em contrapartida produzirá mais amor do perdoado pelo perdoador. O perdão é um ato de amor que é feito "exclusivamente" para o iníquo. O justo "nunca" precisa ser perdoado. Justo é aquele que "ainda" não cometeu pecado. Ele também pode ser justo por 24 horas. O homem íntegro é aquele que não precisa ser perdoado. O homem justo não produz vítimas com seus atos.

Certamente este era um novo ensino teórico e prático, e CONTRARIAVA todo o conhecimento aceito até então, da relação e do sentimento de Jeová para com o iníquo. Jesus era o responsável por chamar-lhes a atenção para este ensino. Ele conhecia profundamente a Jeová. Jeová já os havia chamado de cegos anteriormente e Jesus ratificou: eram cegos guiando outros cegos. (Lucas 6:39-42) 39 Contou-lhes, então, também, uma ilustração: "Será que um cego pode guiar um cego? Não cairão ambos numa cova? 40 O aluno não está acima do seu instrutor, mas, todo aquele que for perfeitamente instruído será semelhante ao seu instrutor. 41 Então, por que olhas para o argueiro no olho de teu irmão, mas não observas a trave no teu próprio olho? 42 Como podes dizer a teu irmão: ‘Irmão, permite-me tirar o argueiro no teu olho’, enquanto tu mesmo não estás olhando para a trave naquele olho teu? Hipócrita! Tira primeiro a trave de teu próprio olho, e então verás claramente como tirar o argueiro no olho de teu irmão.

(Isaías 42:18-20) 18 Ouvi, ó surdos; e olhai para ver, ó cegos. 19 Quem é cego, se não o meu servo, e quem é surdo como o meu mensageiro a quem envio? Quem é cego como o recompensado, ou cego como o servo de Jeová? 20 O caso era de se verem muitas coisas, mas não ficaste vigiando. O caso era de se abrirem os ouvidos, mas não ficaste escutando.

(Isaías 43:8-9) 8 "Faze sair um povo cego, embora existam os próprios olhos, e os surdos, embora tenham ouvidos. 9. . .


Davi não se via como iníquo; certamente estava cego, era um recompensado servo cego. Não era Isaías o "surdo mensageiro" enviado por Jeová? Não era Isaías o "surdo profeta" enviado por Jeová??

Davi era um pastor que devia dar a sua vida por suas ovelhas, no entanto, causava a morte delas por suas atitudes egoístas. Um risco permanente para suas ovelhas. Você se sentiria seguro tendo a Davi como seu pastor? No entanto, Davi estava sendo perdoado, além do que, NÃO ESTAVA SENDO PUNIDO NA SUA PRÓPRIA CARNE (morte) por tais atos egoístas.

Jesus, este sim é o pastor excelente. Suas atitudes não causaram a morte de nenhuma ovelha. Assim falou Jesus: (João 10:11-13) 11 EU SOU o pastor excelente; O PASTOR EXCELENTE ENTREGA A SUA ALMA EM BENEFÍCIO DAS OVELHAS. 12 O empregado, que não é pastor e a quem não pertencem as ovelhas como suas próprias, observa o lobo vir e abandona as ovelhas, e foge — e o lobo as arrebata e espalha — 13 porque é um empregado e não se importa com as ovelhas.


O perdão é um ato de amor que só é dado a quem é iníquo. O Justo não precisa ser perdoado, nunca. O íntegro não precisa ser perdoado.


Jeová odeia a iniquidade, pois a iniquidade avilta o homem. Jeová não odeia o iníquo.


Alguns dos pontos de vista humano da relação entre Jeová e os iníquos.

Ø Jeová não mantém qualquer tipo de contato com os iníquos.

Ø Jeová não abençoa iníquos.

Ø Jeová não faz qualquer tipo de pacto com iníquos.

Ø Jeová não ama os iníquos.

Ø Jeová não ouve e não responde a oração dos iníquos.

Ø Jeová não dá ajuda aos iníquos.

Ø Jeová não dá espírito santo aos iníquos.

Ø Jeová odeia os iníquos.

Ø Jeová não se associa com iníquos.

Ø Jeová não usa iníquos para prestar serviço sagrado para Ele.

Ø Se estou sendo usado por Jeová para fazer algo, e além disso, estou sendo recompensado, então, não sou iníquo.


"Eu mesmo te amei". Esta foi a expressão de Jeová para com Judá por volta do ano 443 AEC. Entretanto, se a maioria de Judá foi punida com a morte, se todos os que sobraram foram para o exílio, se Jerusalém e o templo foram destruídos, como Jeová os amou?

O próprio Jeová passa a responder àquela geração que foi premiada com o retorno à "terra que mana leite e mel", após a destruição de Jerusalém em 607 AEC e do exílio de 70 anos, através de seu porta-voz Malaquias com as seguintes palavras: (Malaquias 1:2-5) 2 "Eu vos amei", disse Jeová. E vós dissestes: "De que modo nos amaste?" "Não foi Esaú irmão de Jacó?" é a pronunciação de Jeová. "Mas a Jacó eu amei 3 e a Esaú eu odiei; e finalmente fiz os seus montes um baldio desolado e a sua herança para os chacais do ermo." 4 "Visto que Edom está dizendo: ‘Fomos destroçados, mas retornaremos e construiremos [os] lugares devastados’, assim disse Jeová dos exércitos: ‘Eles, da sua parte, construirão; mas eu, da minha parte, derrubarei. E as pessoas certamente os chamarão de "território da iniquidade" e "o povo que Jeová verberou por tempo indefinido". 5 E vossos próprios olhos [o] verão e vós mesmos direis: "Magnificado seja Jeová sobre o território de Israel."’"

Vejam o que eu estou fazendo com Edom; deixarão de existir como povo por causa da iniquidade de suas ações. Quando reconstruírem suas cidades Eu as derrubarei. Quanto a Judá, embora mereçam a mesma punição, por causa de iniquidade ainda maior que a de Edom, já reconstruíram Jerusalém e continuará a existir como povo.

Não é sobrevivência por causa de merecimento de vocês, não é por justiça praticada por vocês. Trata-se de sobrevivência de Jacó como nação por causa do meu amor por vocês, os de Judá e os de Levi, remanescentes de Jacó.

Neste caso, Jeová revelava ter em ALTA estima, uma nação iníqua. Jeová atribuía um ALTO valor a uma nação muito iníqua.

Por qual motivo deixou Davi de ser morto como realmente merecia? Por que tinha um bom coração? Um bom coração não produz palavras e ações iníquas contra Jeová ou contra o próximo. Antes, tratava-se do Amor de Jeová. Amor para com um iníquo, um servo iníquo. DAVI NÃO FOI EXTERMINADO PORQUE JEOVÁ O AMAVA COM UM AMOR POR TEMPO INDEFINIDO, UM AMOR QUE NÃO PODE SER MEDIDO.


Reconhecer a iniquidade é uma questão de HUMILDADE. Não reconhecer ser iníquo é ser SOBERBO.


Aquele que não se visse como um iníquo, certamente cometeria o pecado da soberba. O soberbo acha-se melhor, acha-se mais justo, acha-se mais importante do que os demais semelhantes, os demais iguais. Acha-se "especial", diferente dos demais. E quanto àquele que é escolhido pelo Pai para realizar uma tarefa qualquer, como encara o fato de ter sido escolhido?? Será que dirá: Se fui escolhido entre tantos é porque não sou como o resto dos homens??? Jesus esforçou-se intensamente para que seus discípulos reconhecessem que eles não eram justos. Usando de ilustração, buscando sensibilizar seus corações, estas foram as palavras saídas da boca de Jesus: (Lucas 18:9-14) 9 Mas, ele contou a seguinte ilustração também a alguns que confiavam em si mesmos como sendo justos e que consideravam os demais como nada: 10 "Dois homens subiram ao templo para orar, um sendo fariseu e o outro cobrador de impostos. 11 O fariseu estava em pé e começou a orar as seguintes coisas no seu íntimo: ‘Ó Deus, agradeço-te que NÃO SOU COMO O RESTO DOS HOMENS, extorsores, injustos, adúlteros, ou mesmo como este cobrador de impostos. 12 Jejuo duas vezes por semana, dou o décimo de todas as coisas que adquiro.’ 13 O cobrador de impostos, porém, estando em pé à distância, não estava nem disposto a levantar os olhos para o céu, mas batia no peito, dizendo: ‘Ó Deus, sê clemente para comigo pecador.’ 14 Digo-vos: Este homem desceu para sua casa provado mais justo do que aquele homem; porque todo o que se enaltecer será humilhado, mas quem se humilhar será enaltecido."

Ser semelhante é ser igual, análogo, idêntico, similar.

Os que "confiam em si mesmos como justos" estão muito próximos do pecado da soberba, deixou muito claro o nosso Sábio Instrutor.

O coração que produzir tal pensamento e depois o sentimento ou tais palavras consequentes, certamente é um coração cheio de soberba. A soberba é um SENTIMENTO que produzirá “palavras” e “ações” soberbas, altivas.


Não precisa falar, basta se sentir superior no íntimo e já cometeu o pecado da soberba.


Não sou igual a estes crassos pecadores e tenho minhas boas obras para provar. Não percebe o pecado da soberba? Eu roubei, mas pelo menos não matei. Eu matei, mas pelo menos não estuprei. Eu menti uma mentira bem pequena, mas não cometi fornicação. Depois que cometi o pecado, eu me arrependi. O pecado dele é um crasso pecado. Ele merece a morte, mas eu não mereço a morte. Qual será o fim do soberbo? Este assunto é pesquisado em: o soberbo.



Com o julgamento que julgas outros, serás julgado, logo, parai de condenar, pois estás condenando a ti mesmo.


Parai de julgar é uma das ordens dadas por Jesus a seus seguidores. Um iníquo não tem autoridade para julgar outro iníquo - isto foi o que Jesus deixou claro com suas sábias palavras. As sábias palavras que saíram da boca de Jesus foram: (Lucas 6:37-38) 37 "Além disso, PARAI DE JULGAR, e de modo algum sereis julgados; e PARAI DE CONDENAR, e de modo algum sereis condenados. PERSISTI EM LIVRAR, e sereis livrados. 38 Praticai o dar, e dar-vos-ão. Derramarão em vosso regaço uma medida excelente, recalcada, sacudida e transbordante. Pois, com a medida com que medis, medirão a vós em troca." (Mateus 7:1-2) 7 "Parai de julgar, para que não sejais julgados; 2 pois, com o julgamento com que julgais, vós sereis julgados; e com a medida com que medis, medirão a vós.


Enquanto que não nos cabe julgar, perdoar é uma obrigação. Se não perdoardes, não sereis perdoados. O perdão substitui a condenação, o julgamento.


Já que não podeis julgar, então usem exaustivamente o perdão. As palavras saídas da boca de Jesus foram: (Mateus 6:14-15) 14 "Pois, se perdoardes aos homens as suas falhas, TAMBÉM o vosso Pai celestial vos perdoará; 15 ao passo que, SE NÃO PERDOARDES aos homens as suas falhas, TAMPOUCO o vosso Pai vos perdoará as vossas falhas.

Nem mesmo deveis querer a "JUSTA" (IGUAL) RETRIBUIÇÃO por uma ofensa praticada contra ti - foi uma das "ordens" dadas por Jesus. Ele ORDENOU: tendes de abdicar (abrir mão) da justa retribuição. Estas foram as palavras saídas da boca de Jesus: (Mateus 5:38-41) 38 "Ouvistes que se disse: ‘Olho por olho e dente por dente.’ 39 No entanto, EU VOS DIGO: Não resistais àquele que é iníquo; mas, a quem te esbofetear a face direita, OFERECE-LHE também a outra. 40 E, se alguém quiser levar-te perante o tribunal para obter posse de tua roupa interior, deixa-o ter também a tua roupa exterior; 41 e, se alguém sob autoridade te obrigar a prestar serviço por mil passos, vai com ele dois mil.

A "justa" (igual) retribuição trazida a atenção em "olho por olho" e que envolvia diversos detalhes do relacionamento humano, devia ser "assunto do passado". Este era o vinho velho; QUE FOI DADO AO HOMEM PARA SER BEBIDO. Este o experimentou e gostou. Os discípulos de Jesus agiriam de forma diferente. Perdoariam a todas as ofensas, "sempre" abrindo mão da "justa" retribuição em todo e qualquer assunto. Um vinho novo. Mesmo que você veja na mão de outra pessoa, algo seu que lhe foi roubado, não o peças de volta, ordenou o Instrutor. Abra mão sempre, perdoe sempre e deixe prá lá sempre. Esta é a atitude básica de uma pessoa justa. Jesus está ensinando aos iníquos o caminho para sermos justos.

Visto do ponto de vista deste novo ensino, o vinho novo, o que revelavam ser os pedidos de Davi em relação aos iníquos? Certamente não alegravam o coração de Jesus, assim como também não alegravam o coração de Jeová. Os pedidos de Davi eram um dos frutos da teoria egoísta de viver a vida. Tudo de bom para mim.

Ao fornecer o "modelo de oração", nosso Instrutor, de forma preocupada em que os "novos ensinamentos" (o vinho novo) não fossem esquecidos, deixou tal modelo de oração como uma testemunha contra nós mesmos. Entre outras coisas, somos lembrados a cada vez que oramos a Jeová: "nos perdoe ASSIM COMO nós temos perdoado", ou seja, nos julgue ou nos trate ASSIM COMO temos julgado os nossos semelhantes. Estamos sempre sendo lembrados que não temos a opção de não perdoarmos nossos semelhantes ou escolher o tipo de pecado que perdoaremos ou quantas vezes vamos perdoar esta ou aquela pessoa. O perdão "não está condicionado" a isto ou aquilo já realizado pelo nosso próximo. "Não está condicionado" a se o ofensor está arrependido; ele não precisa "pagar" nada PARA ser perdoado. Não está condicionado a absolutamente nada. Antes e acima de tudo, perdoe, perdoe e perdoe, nos ordenou Jesus.

Quão diferentes foram as orações proferidas por Davi!!!

O tratamento misericordioso que desejamos para nós, este é o que temos a obrigação de dispensar aos nossos semelhantes. Esta é a forma de demonstrar que REALMENTE amamos o nosso semelhante, inclusive àquele que se comporta como "inimigo".

As orações de Davi acima são reflexos de um "vinho velho" que não revelam a verdadeira personalidade de Jeová. A “personalidade” de Jeová é o “fruto” dos “Sentimentos” de Jeová. Assim, as orações de Davi revelam a personalidade de Davi moldada segundo o conhecimento que Davi tinha naquele momento (o vinho velho).

A fonte do desejo é o coração. Pedir a Jeová a "morte do iníquo" é externar um desejo concreto do coração. DESEJAR a morte é o mesmo que matar, assim como desejar uma mulher a ponto de ter paixão por ela, é cometer adultério no coração com ela. CONTINUAR furioso, o que também ocorre no coração, é o mesmo que assassinar. Só de um coração iníquo pode partir tal desejo de morte para o iníquo. (Mateus 5:27-28) 27 "Ouvistes que se disse: ‘Não deves cometer adultério.’ 28 Mas eu vos digo que todo aquele que persiste em olhar para uma mulher, a ponto de ter paixão por ela, já cometeu no coração adultério com ela. 

(Mateus 5:21-22) 21 "Ouvistes que se disse aos dos tempos antigos: ‘Não deves assassinar; mas quem cometer um assassínio terá de prestar contas ao tribunal de justiça.’ 22 No entanto, digo-vos que todo aquele que CONTINUAR furioso com seu irmão terá de prestar contas ao tribunal de justiça; mas, quem se dirigir a seu irmão com uma palavra imprópria de desprezo terá de prestar contas ao Supremo Tribunal; ao passo que quem disser: ‘Tolo desprezível!’, estará sujeito à Geena ardente.

Chamá-lo de desprezível é ter o sentimento de desprezo por ele; é sentir nojo dele e vê-lo como alguém vil; é vê-lo como alguém a ser mantido bem longe. Antes de a palavra "desprezível" sair pela boca, o coração está cheio de desprezo por aquele outro. Desprezo também é um sentimento que PRODUZ palavras e ações.

Todo aquele que - Continuar furioso com seu irmão - terá de prestar contas no Tribunal de Justiça. Todo aquele - isto inclui nosso irmão Davi. Davi continuou furioso com Simei e no seu leito de morte revelou para Salomão, seu filho, o real desejo de seu coração: “faça com que os cabelos grisalhos de Simei desçam com sangue ao Seol”. E isto depois de afirmar que havia perdoado aquele antigo pecado de Simei. (1 Reis 2:8-9) 8 “E eis que há contigo Simei, filho de Gera, benjaminita de Baurim, e foi ele quem invocou o mal sobre mim com uma penosa invocação do mal, no dia em que fui a Maanaim; e foi ele quem desceu ao meu encontro até o Jordão, de modo que lhe jurei por Jeová, dizendo: ‘Não te entregarei à morte pela espada.’ 9 E agora, não o deixes impune, porque és homem sábio e sabes muito bem o que lhe deves fazer, e terás de fazer os seus cabelos grisalhos descer com sangue ao Seol.”


Use sua sabedoria para encontrar um jeito de punir Simei por aquele pecado contra mim, lá em Maanaim. Afinal, houve perdão ou não houve perdão deste pecado de Simei contra Davi ?? O ofendido perdoou ou não perdoou? Cancelou ou não cancelou a dívida?? Um ressentimento guardado por muitos e muitos anos resultou em um pedido de vingança a seu filho. Foi isto o que Jeová ordenou para seus “servos”?? Esta foi a ordem de Jeová: (Levítico 19:18) 18 “‘Não deves tomar vingança NEM TER RESSENTIMENTO contra os filhos do teu povo; e tens de amar o teu próximo como a ti mesmo. Eu sou Jeová.

Bem, se neste caso fosse Saul, um “ungido de Jeová”, que tivesse invocado o mal contra Davi, que espécie de reação teria Davi?? Bem, sabemos o quanto Davi respeitava e valorizava um “ungido de Jeová”, pois suas ações já fazem parte da história. Seriam dois pesos e duas medidas?? Bem, o que ordenou Jeová para seus “servos”?? (Levítico 19:15) 15 “‘Não deveis fazer injustiça no julgamento. Não deves tratar com PARCIALIDADE ao de condição humilde e NÃO DEVES DAR PREFERÊNCIA À PESSOA DO GRANDE. Com justiça deves julgar o teu colega.

Tendo bem em mente as ordens dadas por Jesus no Sermão do Monte, como soam as sinceras declarações de Davi abaixo?

EXCLUIR E DESTRUIR - ESTES SÃO OS DESEJOS REVELADOS POR DAVI.

Davi e mais algumas palavras oriundas do coração de um homem guerreiro: (Salmos 31:6) 6 Odeio deveras os que dão consideração a ídolos vãos, fúteis; Eu, porém, confio deveras em Jeová.

(Salmos 31:17) 17 Ó Jeová, não seja eu envergonhado, pois te invoquei. Fiquem envergonhados os iníquos; Fiquem eles quietos no Seol.

(Salmos 32:10) 10 Muitas são as dores do iníquo; Mas, quanto ao que confia em Jeová, cerca-o a própria benevolência.

(Salmos 35:26) 26 Sejam juntos envergonhados e encabulados Os que se alegram da minha calamidade. Sejam vestidos de vergonha e de humilhação os que assumem ares de grandeza contra mim.

(Salmos 55:14-15) 14 Porque costumávamos desfrutar juntos de doce intimidade; Costumávamos andar para a casa de Deus com a multidão. 15 [Venham] sobre eles desolações! Desçam vivos ao Seol; Porque durante a sua residência como forasteiros houve neles coisas más.

(Salmos 55:23) 23 Mas tu mesmo, ó Deus, os farás descer ao poço mais baixo. Quanto aos homens culpados de sangue e enganosos, não viverão metade dos seus dias. Eu, porém, confiarei em ti.

(Salmos 59:11-13) 11 Não os mates, para que meu povo não se esqueça. Faze-os andar errantes, pela tua energia vital, E rebaixa-os, ó nosso escudo, Jeová, 12 [Pelo] pecado da sua boca, a palavra dos seus lábios; E sejam apanhados no seu orgulho, Sim, pela imprecação e pela impostura que ensaiam. 13 ACABA [com eles] em furor; ACABA [com eles], PARA QUE NÃO EXISTAM; E saibam eles que Deus está governando em Jacó até os confins da terra. Selá.

(Salmos 71:12-13) 12 Ó Deus, não te mantenhas longe de mim. Ó meu Deus, apressa-te deveras em meu auxílio. 13 Sejam envergonhados, TENHAM FIM os que resistem à minha alma. Cubram-se de vitupério e de humilhação os que procuram a minha calamidade.

(Salmos 69:23-28) 23 Obscureçam-se-lhes os olhos para que não vejam; E faze seus próprios quadris vacilar constantemente. 24 Derrama sobre eles a tua verberação E alcance-os a tua própria ira ardente. 25 Fique desolado seu acampamento murado; Não venha a haver morador nas suas tendas. 26 Pois perseguiram aquele que tu mesmo golpeaste E prosseguem narrando as dores dos que tu traspassaste. 27 Dá deveras erro sobre seu erro, E não entrem na tua justiça. 28 SEJAM EXTINTOS DO LIVRO DOS VIVENTES, E não sejam inscritos com os justos.

(Salmos 119:158) 158 Tenho visto os que agem traiçoeiramente E TENHO DEVERAS AVERSÃO, porque não guardaram a tua própria declaração.

(Salmos 149:5-9)  5 Rejubilem-se em glória os que são leais; Gritem de júbilo nas suas camas.  6 Haja nas suas gargantas canções que celebrem a Deus, E haja na sua mão uma espada de dois gumes,  7 PARA EXECUTAR VINGANÇA NAS NAÇÕES, Censuras, nos grupos nacionais,  8 Para prender seus reis com grilhões E seus glorificados com grilhetas de ferro,  9 Para executar neles a decisão judicial assentada por escrito. Tal esplendor pertence a todos os que lhe são leais. Louvai a Jah!

Vingança, Ódio, Aversão e Destruição FLUÍAM de forma natural de dentro de Davi.

Tantos e tantos pedidos de morte e destruição para os iníquos!! Os sentimentos de Davi estão externados nestes salmos. Repetiria Jesus alguma dessas orações e/ou cânticos acima, expressões saídas do coração de Davi?? Certamente que não. Como encararia meu Pai o meu pedido para que Ele matasse um outro filho que Ele também AMA?? Certamente este seria um dos argumentos do sábio Jesus. Jesus não tinha um espírito de DESTRUIDOR.

Amor, Misericórdia, Perdão, Atenção e Cuidados FLUÍAM de forma natural de dentro de Jesus.

SOU LEAL - afirmou Davi. (Salmos 86:1-3) 86 Inclina teu ouvido, ó Jeová. Responde-me, Porque estou atribulado e sou pobre.  2 Guarda deveras a minha alma, POIS EU SOU LEAL. Salva teu servo — tu és meu Deus — que está confiando em ti.  3 Mostra-me favor, ó Jeová, Pois continuo a invocar-te o dia inteiro.

Ser leal a uma pessoa é cumprir exatamente aquilo que foi pedido por esta pessoa, tanto na presença quanto na ausência desta pessoa. Cumprir "todas" as ordens.

Davi conhecia esta ordem de Jeová dada por meio do porta-voz Moisés: (Êxodo 30:11-16) 11 E Jeová prosseguiu falando a Moisés, dizendo: 12 "SEMPRE que fizeres a soma dos filhos de Israel como recenseamento deles, então CADA UM TERÁ DE dar a Jeová um resgate pela sua alma quando se fizer o recenseamento deles, PARA QUE não venha sobre eles alguma praga ao se fazer o seu recenseamento. 13 Isto é o que darão todos os que passarem para os contados: meio siclo segundo o siclo do lugar santo. Vinte geras são iguais a um siclo. Meio siclo é a contribuição a Jeová. 14 Todo aquele que passar para os registrados, de vinte anos de idade e para cima, dará a contribuição [pertencente a] Jeová. 15 O rico não deve dar mais e o de condição humilde não deve dar menos de meio siclo, a fim de dar a contribuição [pertencente a] Jeová para se fazer expiação pelas vossas almas. 16 E terás de tomar dos filhos de Israel o dinheiro de prata da expiação e dá-lo em benefício do serviço da tenda de reunião, para que deveras sirva de recordação perante Jeová para os filhos de Israel, a fim de se fazer expiação pelas vossas almas."

Além de conhecer a ordem de Jeová, Joabe ao receber tal ordem real, questionou-a e falou a Davi: (1 Crônicas 21:2-3)  2 De modo que Davi disse a Joabe e aos chefes do povo: "Ide, contai Israel desde Berseba até Dã, e trazei-mo para que eu saiba o seu número." 3 Mas Joabe disse: "Acrescente Jeová ao seu povo cem vezes mais do que são. Ó meu senhor, o rei, não pertencem todos eles ao meu senhor como servos? Por que procura isto meu senhor? POR QUE SE DEVE ELE TORNAR CAUSA DE CULPA PARA ISRAEL?"

Como Jeová já havia falado, a praga viria sobre o povo, apesar da responsabilidade do erro ser de quem mandou realizar a contagem sem cumprir os requisitos exigidos por Jeová. Apesar disso, apesar da reação contrária de Joabe, um subordinado, lembrando ao rei este detalhe da lei, a palavra de Davi, como rei, prevaleceu e foi feita a contagem, FOI SATISFEITA A "VONTADE" DE DAVI; Davi não recuou: (2 Samuel 24:4-9) 4 POR FIM PREVALECEU A PALAVRA DO REI SOBRE JOABE e os chefes das forças militares. Portanto, Joabe e os chefes das forças militares saíram de diante do rei para registrar o povo de Israel. 5 Cruzaram então o Jordão e foram acampar-se em Aroer, à direita da cidade que está no meio do vale da torrente, em direção aos gaditas e a Jázer. 6 Depois chegaram a Gileade e à terra de Tatim-Hodsi, e seguiram para Dã-Jaã e deram volta até Sídon. 7 Chegaram então à praça forte de Tiro e a todas as cidades dos heveus e dos cananeus, e chegaram ao ponto final no Negebe de Judá, em Berseba. 8 Assim percorreram todo o país e chegaram a Jerusalém ao fim de nove meses e vinte dias. 9 Joabe deu então ao rei o número do registro do povo; e Israel somou oitocentos mil homens valentes que puxavam da espada, e os homens de Judá eram quinhentos mil homens.

Onde estava a LEALDADE de Davi à ordem de Jeová? Será que Jeová viu este “ato”, como mais um dos atos de INTEGRIDADE de Davi?? O resultado - 70.000 pessoas mortas - mostraram para Davi que sua decisão contrária à ordem dada por Jeová, trouxe prejuízo direto para outros humanos. A rebeldia de quem está no comando, traz prejuízo para os comandados.

SABER que sua decisão traria prejuízo, traria morte para o povo, NÃO IMPEDIU Davi de manter sua decisão; não o impediu de satisfazer seu desejo, de manter a sua vontade. Neste caso, que valor estava dando Davi para a vida das pessoas do povo comum?? Qual foi o resultado?? 70.000 vítimas da ação de Davi.

Por vezes, mantemos decisões que prejudicam nosso próprio corpo, como fumar, beber e outras. Se fazemos maldade contra nós mesmos, o que nos refrearia de prejudicar nosso semelhante?? Pode acontecer de nos refrearmos de fazer o mal a um humano que consideramos especial e no entanto não nos refrearmos em relação a vida de outros que não consideramos especiais. Davi considerava Saul como sendo um humano especial. Davi atribuía a Saul um ALTO valor; Davi revelou ter uma ALTA estima por Saul.

Depois do flagelo do povo, veio a pergunta feita pelo povo: "qual foi o motivo de tal flagelo da parte de Jeová sobre nós"? A resposta trouxe humilhação para Davi. Davi foi o culpado por Jeová matar 70.000 homens; todos ficaram sabendo.

Quem teve um filho ou marido ou irmão morto nestas condições, certamente questionou: "porque Davi insistiu em não obedecer a Jeová?" E ainda mais: "porque não ouviu a Joabe?"

Certamente esta foi uma situação muito aflitiva para Davi, pois, além de reconhecer seu erro perante Jeová, também precisava reconhecer que seu ato iníquo não só causou vítimas mortas, como também causou aflição para familiares destas vítimas. Davi precisava pedir e receber o perdão de milhares de humanos.

A atuação de um homem justo não produz "vítimas". As ações de um homem justo não produzem "vítimas".

Davi e todas as 70.000 vítimas de Davi serão ressuscitadas - e agora?

Primeiro a vergonha para Davi perante tais pessoas e depois vem a alegria do perdão.

No entanto, apesar de todos estes erros, o Criador não desistiu de seu servo Davi. O Criador perdoou todos os pecados de Davi. Para Jeová, este humano continuou sendo “meu servo Davi”. O Criador e Pai continuou a atribuir a Davi um ALTO valor. Quanto às vítimas de Davi, estas, seguindo o exemplo do Criador, também terão de perdoar a Davi. Após a vergonha e humilhação virá o dia do perdão. Todos temos de perdoar TUDO o que os outros fizeram de mal contra nós e nós seremos perdoados por todas as nossas maldades contra os outros. Perdão amplo geral e irrestrito de todos para todos. Que dia feliz será este!!!! Um Jubileu.

Quanto menos maldades fizermos, menor será a nossa vergonha e nossa humilhação!! No entanto, haverá vergonha e humilhação para todos nós humanos, sem exceção.

Desde já, aprendamos a perdoar e aprendamos a medir nossas ações para não produzirmos vítimas, quer através da nossa ação quer através de nossa omissão.

Apesar dos pecados cometidos, apesar de afrontar os regulamentos de Jeová, é Jeová quem o declara justo, por simplesmente perdoar todos os pecados de Davi e de todo e qualquer filho.

Para Jeová, QUE É O PAI, todos os filhos são importantes, não importa o grau de iniquidade cometida por este filho. Jeová gasta mais amor com este filho mais iníquo. No entanto, requer humildade reconhecer que não somos justos só porque não recebemos uma punição prevista; temos de reconhecer que somos iníquos. Requer humildade e amor reconhecer que os demais filhos são tão importantes quanto nós mesmos somos para Jeová, que é o Pai de todos e ama a todos de forma imparcial.

E quanto a Urias, o hitita, quão profundo era o amor de Jeová por tal homem que não era um israelita?? Urias era descendente de Hete, um dos filhos de Canaã, neto de Noé, de cujo descendente Abraão comprou o campo onde havia a caverna de Macpela, para o sepultamento de sua esposa. Será que o amor de Jeová por Urias seria da mesma intensidade do amor que Jeová demonstrou ter por Davi?? Seria Urias tão filho de Jeová quanto Davi?? Seria Urias uma espécie de filho inferior, podendo um filho superior fazer-lhe qualquer coisa?? Afinal, qual era o valor de Urias, um cananeu, um descendente de Canaã?? Seria Jeová um Pai parcial, assim como desejava seu amado filho Davi??

Bem, quanto ao valor atribuído por Davi a Urias, assim está registrado na história: (2 Samuel 11:2-17) 2 E sucedeu, pela hora da noitinha, que Davi foi levantar-se da sua cama e andar pelo terraço da casa do rei; e do terraço avistou uma mulher a banhar-se, e a mulher tinha aparência muito boa. 3 Davi mandou então indagar a respeito da mulher e alguém disse: “Não é esta Bate-Seba, filha de Elião, esposa de Urias, o hitita?4 Depois Davi enviou mensageiros, a fim de tomá-la. De modo que ela entrou até ele e ele se deitou com ela, enquanto ela se santificava da sua impureza. Mais tarde ela voltou para a sua casa. 5 E a mulher ficou grávida. Portanto, mandou informar Davi e disse: “Estou grávida.” 6 Em vista disso, Davi enviou [recado] a Joabe, dizendo: “Envia-me Urias, o hitita.” Joabe, pois, enviou Urias a Davi. 7 Quando Urias chegou a ele, Davi começou a perguntar como Joabe estava passando e como o povo estava passando, e como ia a guerra. 8 Por fim, Davi disse a Urias: “Desce à tua casa e lava teus pés.” Por conseguinte, Urias saiu da casa do rei e o presente de cortesia do rei saía atrás dele. 9 No entanto, Urias deitou-se à entrada da casa do rei com todos os outros servos do seu senhor e não desceu à sua própria casa. 10 Informou-se, pois, a Davi, dizendo: “Urias não desceu à sua própria casa.” Em vista disso, Davi disse a Urias: “Não chegaste duma jornada? Por que não desceste à tua própria casa?” 11 Urias disse então a Davi: “A Arca, e Israel, e Judá estão morando em barracas, e meu senhor Joabe e os servos do meu senhor estão acampados na superfície do campo, e eu — entraria eu na minha própria casa para comer e beber, e para me deitar com a minha esposa? Assim como tu vives e assim como a tua alma vive, não farei tal coisa!” 12 Davi disse então a Urias:Mora aqui também hoje, e amanhã te mandarei embora.” Por isso, Urias ficou morando em Jerusalém naquele dia e no dia seguinte. 13 Além disso, Davi o chamou para que comesse e bebesse diante dele. De modo que o embriagou. Todavia, ele saiu à noitinha para se deitar na sua cama junto com os servos do seu senhor e não desceu à sua própria casa. 14 E sucedeu, de manhã, que Davi passou a escrever uma carta a Joabe e a enviá-la pela mão de Urias. 15 Escreveu, pois, na carta, dizendo: “Ponde Urias na frente das mais fortes cargas de batalha e tereis de retirar-vos de detrás dele, e ele terá de ser golpeado e morto.16 E aconteceu que, enquanto Joabe manteve a cidade sob guarda, ele manteve Urias no lugar onde sabia haver lá homens valentes. 17 E saindo os homens da cidade e lutando eles contra Joabe, caíram então alguns do povo, servos de Davi, e morreu também Urias, o hitita.

Davi revelou que atribuía a Urias um BAIXO valor; Davi revelou ter por Urias uma BAIXA estima. Por que esta diferença tão grande em relação a Saul??

As afirmações de Davi abaixo, revelam que ele detestava tais coisas, quando acontecidas contra ele, ou seja, quando ele era a vítima. São atribuídos a Davi estes versos abaixo: (Salmos 35:4-8) 4 Sejam envergonhados e humilhados os que caçam a minha alma. Faça-se que tornem atrás e fiquem encabulados os que maquinam calamidade para mim. 5 tornem-se eles como a pragana diante do vento, E empurre-os o anjo de Jeová. 6 torne-se o caminho deles em escuridão e em lugares escorregadios, e persiga-os o anjo de jeová. 7 Pois, sem causa encobriram de mim a sua cova de redes; Sem causa a cavaram para a minha alma. 8 venha sobre ele a ruína sem que o saiba E apanhe-o a sua própria rede que encobriu; Caia nela com ruína.

(Salmos 28:3-4) 3 Não me arrastes junto com os iníquos e com os que praticam o que é prejudicial, Os que falam de paz com os seus companheiros, mas em cujos corações há o que é mau. 4 Dá-lhes segundo a sua atuação E segundo a ruindade das suas práticas. Dá-lhes segundo o trabalho das suas mãos. paga-lhes de volta o seu próprio ato.

Tudo leva a crer que Davi não conhecia o seu Pai Celestial, realmente, Davi não conhecia o seu Pai Celestial.

Será que tais coisas só seriam pecado se fossem praticadas contra um “ungido” de Jeová. Será que o “escolhido” de Jeová está acima dos demais e por isso pode fazer com os não escolhidos, não ungidos, qualquer coisa que desejar e permanecer leal e íntegro a Jeová??

Confrontando com o BAIXO valor atribuído por Davi a Urias, um hitita, vejamos agora, o ALTO valor dado por Davi a um “ungido” de Jeová, um humano chamado por Jeová para exercer uma função. A história já registrou: (2 Samuel 1:1-16) 1 E sucedeu, depois da morte de Saul e quando o próprio Davi retornara de golpear os amalequitas, que Davi ficou morando em Ziclague por dois dias. 2 E aconteceu que, no terceiro dia, eis que vinha um homem do acampamento, de Saul, com as suas roupas rasgadas e com terra na sua cabeça; e sucedeu que, vindo ele a Davi, lançou-se imediatamente por terra e prostrou-se. 3 E Davi passou a dizer-lhe: “Donde vens?” a que ele lhe disse: “Escapei do acampamento de Israel.” 4 E Davi prosseguiu, dizendo-lhe: “Em que resultou o assunto? Conta-me, por favor.” A isto ele disse: “O povo fugiu da batalha e também muitos do povo caíram, de modo que morreram, e até mesmo Saul e Jonatã, seu filho, morreram.” 5 Disse então Davi ao moço que o informava: “Como sabes realmente que Saul morreu, e também Jonatã, seu filho?” 6 A isto disse o moço que o informava: “Vim a estar inesperadamente no monte Gilboa, e eis Saul apoiando-se na sua lança; e eis que o haviam alcançado os condutores de carros e os homens montados. 7 Quando se virou e me viu, então me chamou e eu disse: ‘Eis-me aqui!’ 8 E ele prosseguiu, dizendo-me: ‘Quem és?’ a que eu lhe disse: ‘Sou amalequita.’ 9 Então ele disse: ‘Por favor, fica de pé sobre mim e entrega-me definitivamente à morte, pois se apoderou de mim a cãibra, porque toda a minha alma está ainda em mim.’ 10 De modo que fiquei de pé sobre ele e o entreguei definitivamente à morte, porque eu sabia que não podia viver depois de ter caído. Tomei então o diadema que havia na sua cabeça e o bracelete que tinha no braço, a fim de trazê-los para cá ao meu senhor.” 11 Davi agarrou então as suas roupas e as rasgou, e assim fizeram também todos os homens que estavam com ele. 12 E começaram a lamentar, e a chorar, e a jejuar, até à noitinha, por Saul e por Jonatã, seu filho, e pelo povo de Jeová, e pela casa de Israel, porque haviam caído pela espada. 13 Davi disse então ao moço que o informava: “Donde és?” a que ele disse: “Sou filho dum residente forasteiro, amalequita.” 14 Davi disse-lhe então: “COMO É QUE NÃO TEMESTE ESTENDER A TUA MÃO PARA ARRUINAR O ungido de Jeová?” 15 Com isso Davi chamou um dos moços e disse: “Chega-te perto. Acomete-o.” Por conseguinte, ele o golpeou, de modo que morreu. 16 Davi disse-lhe então: “A culpa de sangue por ti seja sobre a tua própria cabeça, porque a tua própria boca testificou contra ti, dizendo: ‘Eu mesmo entreguei o ungido de Jeová definitivamente à morte.’”

Davi realmente tinha um excelente histórico de respeito por um “ungido de Jeová”. E quanto aos demais humanos “não ungidos”?? Seu histórico não pode ser mais mudado; já aconteceu.

Estes salmos abaixo são atribuídos a Davi. Sendo a personalidade de Jeová a descrita nestes salmos, como Davi conseguiu manter um relacionamento com Jeová e continuar a ser chamado de “meu servo”, mesmo após sua morte?? Jeová revelou que amava Davi, apesar de Davi ter praticado cada uma das iniquidades descritas nestes salmos abaixo. Como se explicaria esta situação?? Seria Jeová um Deus parcial?? As palavras destes salmos não revelam a verdadeira personalidade de Jeová. Foi Jesus quem revelou a verdadeira personalidade de Jeová, e isto para o espanto e a dúvida da humanidade que acreditava e ainda acredita nas palavras destes salmos.

(Salmos 5:4-6)  4 Pois tu não és um Deus que se agrade da iniquidade; Ninguém mau pode residir contigo por tempo algum.  5 Nenhuns jactanciosos podem tomar posição diante dos teus olhos. Odeias deveras a todos os que praticam o que é prejudicial;  6 Destruirás os que falam mentira. Jeová detesta o homem que derrama sangue e que engana. (Salmos 11:5)  5 O próprio Jeová examina tanto o justo como o iníquo, E Sua alma certamente odeia a quem ama a violência.

Será que Jeová também considerava Davi, o “servo ungido”, como um “servo especial” em relação aos demais servos não ungidos e aos demais humanos ainda não chamados para uma relação pactuada?? Será que Jeová considerava Davi como sendo um servo leal, fiel e íntegro a Ele?? Davi, o servo ungido, é um servo especial, um servo fiel, um servo leal, um servo íntegro, um servo que todos os demais humanos devam copiar??

Pode um discípulo de Jesus ter a mesma personalidade de Davi?? Sim, pode. Ele repete as palavras e as ações de Davi, revelando ter os mesmos sentimentos de Davi. Obviamente, ele afirmará ser um discípulo de Jesus. No entanto, discípulo é aquele que revela ter a mesma personalidade de seu mestre. É aquele que revela ter os mesmos sentimentos do seu mestre. Bem, e agora??? Será que este discípulo também não se revela ser tão cego como o recompensado servo de Jeová??


Topo desta página