NÍNIVE VISTA PELOS OLHOS DE JEOVÁ E JESUS

Última alteração em 30/01/2010










Como Jeová vê os física, mentais, espiritual e emocionalmente doentes descendentes de sua criação perfeita? Neste aspecto, que lição quer Jeová pessoalmente nos ensinar ao fazer registrar o acontecido com Jonas e a cidade de Nínive? Os ninivitas sequer eram povo escolhido, ensinado e pactuado com o Criador; eram e continuaram a ser um povo pagão (iníquo), viviam seus próprios caminhos ignorantes, um povo que os judeus não haviam desenvolvido qualquer afinidade, muito pelo contrário, exatamente por serem pagãos, homens iníquos, derramadores de sangue humano, adoradores de ídolos. O Criador nos mostra a “Sua” visão das coisas.
Jonas 4:11
E eu, da minha parte, não devia ter pena de Nínive, a grande cidade, em que há mais de cento e vinte mil homens que absolutamente não sabem a diferença entre a sua direita e a sua esquerda, além de [haver] muitos animais domésticos?”
Estas são palavras proferidas pelo próprio Jeová. Este é o
sentimento de Jeová qual Pai, para com imperfeitas criaturas que não eram adoradores seus, eram iníquos. Todos são quais crianças. São ignorantes. Nem raiva, nem ódio, nem aversão, são dignos de pena por serem tão ignorantes que não sabem a diferença entre sua direita e sua esquerda.
O estado mental de quem não sabe diferenciar a direita da esquerda é de uma criança entre 3, 4 ou 5 anos.
Se o Criador se preocupa com os animais irracionais, quanto mais se preocupará com o imperfeito racional, que foi originalmente criado à imagem do Criador,
muito embora ainda não sabendo a diferença entre o bem e o mal, pois ninguém nasce sábio!
As palavras saídas da boca de alguém tão sábio quanto o Criador Jeová deveriam ser encaradas por nós imperfeitos como um valiosíssimo tesouro a ser sempre pesquisado. De fato, são águas da vida. A sabedoria precisa ser “percebida” para poder ser admirada. De fato, são palavras inquestionáveis.
Não foi por acidente que Jeová escolheu exatamente a Jonas para cumprir algo que este Criador usaria como uma profunda lição a ser ensinada a toda humanidade. Jesus usou esta lição do caso de Jonas para ensinar outra, de igual profundidade e sabedoria.
Jonas fazia parte do povo instruído e pactuado com o Criador, logo, individualmente ele também devia ser luz.
O que Jonas não percebeu? Egoistamente, não via a gravidade de seus próprios erros. Sua vida foi poupada, mas ele não percebeu. Na prática, ele foi morto e depois ressuscitado por Jeová, pois a continuidade da sua vida deveu-se exclusivamente ao Criador enquanto estava na barriga do grande peixe. Não estava plenamente “apercebido” de sua situação (iníquo) em relação a Jeová, o Criador perfeito e em relação aos iníquos ninivitas. Jonas se considerava um adorador de Jeová, se considerava como fazendo parte da “nação santa” e certamente tinha um relacionamento único com o Criador. Logo, como devia Jonas considerar um pedido, na verdade uma ordem de Jeová para ele?? Deveria ser uma honra poder obedecer ao pedido de Jeová. Será que foi assim que Jonas se comportou?? Como será que Jeová via Jonas?? Como um filho obediente?? Agora, como Jonas via os homens de Nínive?? Egoistamente, não via os ninivitas como seus semelhantes (próximos), tão vítimas da imperfeição quanto ele próprio. Esta criança
sentia-se superior e os ninivitas eram para ele, simplesmente sem valor, meros coadjuvantes. Não via os ninivitas como dignos de ser tratados com qualquer tipo de Misericórdia. Eram iníquos que mereciam única e exclusivamente a destruição. Quanta soberba!

Enquanto Jonas foi um rebelde contra Jeová, não revelando nenhum respeito pela palavra saída da boca de Jeová, os ninivitas revelaram grande reverência e temor pelas palavras saídas da boca de Jeová e retransmitidas a alguns destes por este humano rebelde.

É a morte que eu mereço, reconheceu Jonas. Entretanto, Jeová deu a Jonas a sua Misericórdia. Não lhe tirou a vida e ainda por cima o manteve na condição de porta-voz, dando-lhe uma segunda oportunidade de fazer aquilo que foi mandado fazer e que Jonas rebeldemente havia se negado. Foi tratado com muita Misericórdia.

Enquanto Jonas, uma egoísta, cega e ignorante criança que cometia tantos erros, (foi poupado da morte por sua rebeldia, desobediência a uma ordem falada diretamente pelo Criador) ansiava, queria ver os ninivitas mortos por Jeová, o próprio Jeová, qual Pai, Sábio Instrutor e Disciplinador, estava sábia e amorosamente ensinando uma lição. Somente a Jonas? Não. Uma lição para toda a sua criação inteligente. Estava revelando detalhes de Sua maravilhosa personalidade, que deviam induzir Jonas e outros a envergonharem-se de suas atitudes egoístas. Para o dador da vida, a vida é muito valiosa e a vida inteligente, embora ignorante, é muito, muito mais.

O que Jonas desejava ardentemente?? O que Jonas tanto desejava ver??

Jonas deseja ver a calamidade assolar os ninivitas.

Jonas desejava e muito ver todos os ninivitas serem destruídos pelo Pai..

Depois de tanta decepção ao perceber que o Pai não havia exterminado os ninivitas, o que desabafou Jonas para o Pai IHVH??

Não foi por isso que eu resolvi fugir desta missão?? Como é que as pessoas vão olhar para mim agora?? Como um profeta que falou algo e este algo não aconteceu?? Não serei visto como um falso profeta?? Não serei visto como um profeta mentiroso??

Quais foram as exatas palavras de Jonas??

(Jonas 4:1-3) 4 Isso, porém, desagradava muito a Jonas e acendeu-se a sua ira. 2 Por isso orou a Jeová e disse: “Ai! ó Jeová, não foi esta a minha questão quando vim a estar no meu próprio solo? Por isso é que fui e fugi para Társis; pois eu sabia que és um Deus clemente e misericordioso, vagaroso em irar-se e abundante em benevolência, e que deploras a calamidade. 3 E agora, ó Jeová, por favor, tira-me a minha alma, pois é melhor eu morrer do que ficar vivo.”



Assim verte a Edição Pastoral:

(Jonas 4:1-4) 1 Jonas ficou muito desgostoso e despeitado. 2 E rezou a Javé: “Ah! Javé! Não era justamente isso que eu dizia quando estava na minha terra? Foi por isso que eu corri, tentando fugir para Társis, pois eu sabia que tu és um Deus compassivo e clemente, lento para a ira e cheio de amor, e que voltas atrás nas ameaças feitas. 3 Se é assim, Javé, tira a minha vida, pois eu acho melhor morrer do que ficar vivo”.

Eu prefiro morrer do que continuar vivo.

Bem, para um humano sedento de justiça como era Jonas, ver um culpado de pecado não receber aquilo que merecia, não estava certo, pois soava como impunidade.

Eu sabia que haveria impunidade.

Por favor, tire a minha vida, pois não consigo suportar tal coisa.

O aniquilamento era algo merecido. O Pai já havia prometido aniquilar. Só faltava cumprir o que havia prometido fazer. Palavra de rei não voltava atrás.

Poderia a palavra do Todo-poderoso voltar atrás??

Jonas estava possesso. Jonas estava muito irado.

Olha só o papel que eu estou fazendo nesta história. Como posso continuar vivo depois disso??

Bem, chegar ao ponto de pedir que o Todo-poderoso tirasse a sua vida, revela o quanto Jonas estava decepcionado com tudo o que havia passado e testemunhado, não é mesmo??


O “ignorante ponto de vista” do imperfeito Jonas era totalmente contrário ao “sábio ponto de vista” do Criador perfeito. Diferente de Jonas, Jesus não fugiu de sua missão, e muito embora a receptividade dos ninivitas fosse bem melhor que a daquela geração iníqua de judeus, ele, Jesus, não desejava ou ansiava a destruição daquela geração iníqua e adúltera. Apesar da diferença de receptividade entre os iníquos judeus e os iníquos ninivitas, ambos serão levantados, afirmou Jesus. A vergonha será destes judeus que viram e ouviram, mas não creram. A vergonha será no futuro Dia de julgamento. Sábia e respeitosamente, Jesus confirma que a realidade dos iníquos é aquela falada pelo próprio Jeová: são crianças bem pequenas. Não sabem a diferença entre a sua direita e a sua esquerda.
“Tire primeiro a trave do seu olho”, disse Jesus.

Assim falou Jesus a respeito dos homens de Nínive, garantindo uma ressurreição para tais: (Mateus 12:41-42) 41 Homens de Nínive se levantarão no julgamento com esta geração e a condenarão; porque eles se arrependeram com o que Jonas pregou, mas, eis que algo maior do que Jonas está aqui. 42 A rainha do sul será levantada no julgamento com esta geração e a condenará; porque ela veio dos confins da terra para ouvir a sabedoria de Salomão, mas, eis que algo maior do que Salomão está aqui.

As pessoas das nações não ensinadas revelaram maior respeito e apreço por Jeová e pela sabedoria dada a um humano do que o povo escolhido e ensinado.

Muito embora tanto Jonas como a geração dos dias de Jesus, se considerassem muito melhores do que os ninivitas, na visão de Jesus não era assim.

Jesus profetizou a existência de um dia no futuro em que estariam juntos os homens de Nínive e a geração para a qual Jesus falara estas palavras. E ainda mais, os homens de Nínive condenariam esta geração que viu e ouviu Jesus. Certamente perguntarão os ninivitas aos judeus: Qual a boa razão de vocês não terem acreditado? Não viram vocês todos aqueles sinais? Como vocês puderam não acreditar??

A vergonha e humilhação serão dos judeus ao serem levantados juntos com os demais iníquos.

Naquele dia, quem receberá a incumbência de ensinar aos ninivitas sobre a vontade do Pai IHVH??

Ora, os ensinados, obviamente.

O que o Pai IHVH prometeu aos não ensinados e aos ensinados??

(Jeremias 12:14-17) 14 Assim disse Jeová contra todos os meus maus vizinhos que tocam na propriedade hereditária que fiz que meu povo, sim, Israel, possuísse: “Eis que os desarraígo do seu solo; e desarraigarei a casa de Judá do meio deles. 15 E terá de acontecer que, depois de eu os desarraigar, hei de ter de novo misericórdia com eles e vou trazê-los de volta, cada um à sua propriedade hereditária e cada um à sua terra.” 16 E terá de acontecer que, se sem falta aprenderem os caminhos do meu povo, jurando pelo meu nome: ‘Por Jeová que vive!’ assim como ensinaram ao meu povo a jurar por Baal, serão também edificados no meio do meu povo. 17 Mas, se não obedecerem, então vou desarraigar essa nação, desarraigando-a e destruindo-a”, é a pronunciação de Jeová.



Assim verte a Edição Pastoral:

(Jeremias 12:14-17) 14 Assim diz Javé a todos os meus vizinhos maus que puseram a mão na minha herança, que eu tinha dado em propriedade ao meu povo, Israel: Eu os arrancarei de seus campos e também arrancarei daí a casa de Judá. 15 Depois de arrancá-los, tornarei a compadecer-me deles e farei que voltem, cada um para a sua propriedade, cada um para a sua herança. 16 Se eles aprenderem de verdade os caminhos do meu povo e jurarem pelo meu nome, dizendo: “Pela vida de Javé!” da mesma forma como acostumaram o meu povo a jurar por Baal, então eles poderão se estabelecer no meio do meu povo. 17 Mas eu arrancarei e destruirei a nação que não quiser obedecer - oráculo de Javé.

Estarão todos juntos, não estarão??

De quem será a grande vergonha??

Jeová estava ensinando a Jonas uma prática lição de Misericórdia. Para usar de Misericórdia para com alguém, você tem de amá-lo, ele tem de ser muito importante para você. Você não pode considerá-lo como um objeto descartável. Jonas era um dos objetos da Misericórdia de Jeová, sendo ele um rebelde. Jonas representava toda a nação de Israel, que embora se rebelassem contra a palavra falada por Jeová, mesmo assim eram considerados e tratados por Jeová como objetos destinados a Misericórdia.

Jeová provou para Jonas através de atos, que Jonas era importante para Ele Jeová, apesar de Jonas ser rebelde e de não sentir misericórdia para com outros humanos iguais a ele. Jonas não passou a ser descartável para Jeová só pela insistente rebeldia deste humano. Jeová continuou a ensinar-lhe a lição de Misericórdia. Jeová deu-lhe uma punição segundo Sua misericórdia e continuou a lição.

Se celestiais criaturas perfeitas precisam de orientação para evitar o egoísmo, humanos imperfeitos, quais cegos, precisam ser guiados pela mão, pois já nascem “ignorantes” (não saber) e com o egoísmo.

Esta é a Bondade de Jeová. Assim Jeová escreveu a Sua história de Bondade.

Como nenhum dos filhos nascem altruístas, todos os filhos precisam ser ensinados, até se tornarem tão altruístas quanto o Pai IHVH.