OS ESCOLHIDOS POR JEOVÁ

Criada em 30/12/08 Última alteração em 01/11/16 às 17 : 49









Escolher é...

Esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: fazer opção entre (duas ou mais pessoas ou coisas)..

escolher Datação: sXIII

n verbo

transitivo direto

1 manifestar preferência por (alguém ou algo)

Ex.: escolheu o campo para viver

transitivo indireto e bitransitivo

2 fazer opção entre (duas ou mais pessoas ou coisas)

Exs.: e. entre duas alternativas

entre as duas, escolheu a mais alta

transitivo direto

3 selecionar, separar o bom do ruim; aproveitar (aquilo) que apresenta maior qualidade

Ex.: era perito em e. os melhores grãos

transitivo direto

4 marcar, assinalar

Ex.: correu o dedo no mapa e escolheu o lugar para passar a noite


É aquele que escolhe quem estabelece o seu “critério” para fazer a sua escolha. Desta forma, ele faz a sua escolha em face do critério dele naquele momento. Vai depender muito do objetivo que ele tem em mente para fazer aquela escolha.

Por exemplo, posso escolher os frutos mais verdes ou os frutos mais maduros. Isto vai depender do objetivo que tenho em mente naquele momento para fazer aquela escolha.

O que é critério??

Critério – esta é a definição dada pelo dicionário Dicio (Dicionário online de Português): o que é usado como parâmetro para estabelecer uma comparação, escolha...


Significado de Critério

s.m.Princípio usado como referência para distinguir o verdadeiro do falso. O que é utilizado como parâmetro para estabelecer uma comparação, escolha, julgamento ou avaliação: perspicácia foi o critério de admissão. Juízo; capacidade para opinar ou julgar acertadamente: ele age sem critério. Modo particular de avaliar pessoas, circunstâncias, coisas: usava de rígidos critérios para avaliar os alunos.[Filosofia] Avaliação; conceito imprescindível que, num sistema de pensamento, estabelece a diferença de julgamentos entre categorias, como: o bem e o mal.


Não foi o povo que escolheu YHWH para ser seu Deus.

Foi YHWH quem escolheu aquele povo para ser Seu povo e para se mostrar um Deus para eles.


O Pai tinha um objetivo.

Objetivo – Esta é a definição dada pelo dicionário Dicio (Dicionário online de Português): propósito; o que se pretende alcançar, realizar ou obter.;


Significado de Objetivo

s.m. Propósito; o que se pretende alcançar, realizar ou obter: a presidente discursou com o objetivo de acalmar o povo; o objetivo é aumentar as vendas. adj. Imparcial; que não apresenta preferência em relação a; que é desprovido de preconceitos: escreveu um texto objetivo sobre política.Prático; que se comporta de maneira rápida sem perder tempo com distrações. Direto; que se expressa claramente; que não é prolixo. [Filosofia] Diz-se do que se refere aos objetos exteriores ao espírito. [Militar] Aquilo que é o alvo das operações militares: atingiu o objetivo! Diz-se daquilo que se encontra no âmbito da experiência sensível, sendo separado do pensamento particular (individual) que, por sua vez, pode ser percebido por todos os observadores. Que se pode referir ao objeto.


Depois da escolha feita, poderemos ter a versão dada pelo escolhido e a versão dada por aquele que escolheu??

As coisas inanimadas não emitem opinião sobre o objetivo de terem sido escolhidas.

No entanto, os humanos tem esta capacidade, ou seja, a capacidade de presumir.

Quando aquele que escolheu não diz de forma clara o objetivo daquele escolha naquele momento, o escolhido e os observadores só poderão presumir e presumir sobre aquilo que estava na mente daquele que escolheu.


Quem é Aquele que escolhe?? O que é Aquele que escolhe??


(Levítico 19:1-2) 19 E Jeová falou mais a Moisés, dizendo: 2 Fala à assembléia inteira dos filhos de Israel, e tens de dizer-lhes: ‘Deveis mostrar-vos santos, porque eu, Jeová, vosso Deus, sou santo.


Assim verte a Tradução Brasileira:


(Levítico 19:1-2) 1 Disse Jeová a Moisés: 2 Fala a toda a congregação dos filhos de Israel, e dize-lhes: Sereis santos; pois eu Jeová vosso Deus sou santo.


  1. Jeová é Aquele que escolhe.

  2. Jeová, Aquele que escolhe, é Santo.

  3. O Santo Jeová tinha um objetivo em mente ao escolher tais humanos.



JEOVÁ ESCOLHEU HOMENS.

Por exemplo, Noé mostrou-se justo "em comparação" com a geração de seus dias antediluvianos. É o que está escrito em relação a ele.


JEOVÁ ESCOLHEU UM POVO, UMA NAÇÃO.

Jeová também escolheu “um povo”. Jeová diz: “Vocês SE TORNARÃO para mim, um povo, e Eu me tornarei Deus para vós e vou dar-vos a terra que jurei dar a Abraão.

(Êxodo 6:7-8) 7 E certamente vos tomarei para mim como um povo e deveras MOSTRAREI SER Deus para vós; e sabereis certamente que eu sou Jeová, vosso Deus, que vos faz sair de debaixo dos fardos do Egito. 8 E hei de levar-vos à terra a respeito da qual levantei minha mão em juramento para dá-la a Abraão, Isaque e Jacó; e hei de dá-la a vós como possessão. Eu sou Jeová.’” (Levítico 25:38) 38 Eu sou Jeová, vosso Deus, que vos fiz sair da terra do Egito para dar-vos a terra de Canaã, PARA MOSTRAR-ME vosso Deus.


Assim verte a Tradução Almeida 1967:

(Êxodo 6:7-8) 7 Eu vos tomarei por meu povo e SEREI VOSSO DEUS; e vós sabereis que eu sou Jeová vosso Deus, que vos tiro de debaixo das cargas dos egípcios. 8 Eu vos introduzirei na terra que jurei dar a Abraão, a Isaque e a Jacó; e vo-la darei por herança. Eu sou Jeová.


(Levítico 25:38) 38 Eu sou o Senhor vosso Deus, que vos tirei da terra do Egito, para vos dar a terra de Canaã, PARA SER o vosso Deus.


Que conceito tinha o escolhido quanto ao que era ou quanto ao que representava ser, ter a Jeová como sendo seu Deus??
O que faz um Deus para um indivíduo??

O que faz um Deus para um povo??

Que conceito quanto a “Jeová ser Deus deles”, tinham os escolhidos???

Que conceito quanto a “Jeová ser Deus deles”, tinha o próprio Jeová???


Ora, Ele me escolheu para agir como um Deus para mim. O que isto representará no meu dia a dia??


Eles não conheciam este Deus. Jeová iria se fazer conhecer a este povo que Ele mesmo escolheu.

Qual foi a reação do povo após esta oferta de Jeová através de Moisés? Não escutaram.

(Êxodo 6:9) 9 Posteriormente, Moisés falou neste sentido aos filhos de Israel, mas eles, de desânimo e devido à dura escravidão, não escutaram Moisés.


Escolhido porque..... Escolhido por que havia algum mérito no escolhido??


Ou será:


Escolhido para..... Aquele que escolhe tem um objetivo em mente em relação àquele que ele escolheu??

Não foi escolhido para ser guardado.

Não foi escolhido por estar pronto para consumo ou pronto para ser destruído.

Pode ter sido escolhido para ser trabalhado, manipulado, modificado.

A escolha tinha a ver com todas as famílias da terra.

Neste caso, fica bem claro que Jeová tinha um objetivo em mente. Algo que tinha a ver com o futuro.

Quando foi que o Pai deixou isto bem claro??

O Pai afirmou:

(Gênesis 12:1-3) 12 E Jeová passou a dizer a Abrão: “Sai da tua terra, e da tua parentela, e da casa de teu pai, para a terra que te mostrarei; 2 e farei de ti uma grande nação e te abençoarei, e hei de engrandecer o teu nome; e mostra-te uma bênção. 3 E hei de abençoar os que te abençoarem e amaldiçoarei aquele que invocar o mal sobre ti, e todas as famílias do solo certamente abençoarão a si mesmas por meio de ti.”


Os escolhidos cometeram muitos erros. O relacionamento do Pai com os filhos errantes continuou.


Qual era o objetivo do Pai??

Que todos os filhos aprendessem com os erros daquele que foi escolhido.




De forma prática, Jeová iria lhes mostrar a sua personalidade. Haveria um relacionamento direto entre um povo e Seu Deus. Foram escolhidos PARAem caso de obediência”, tornar-se um reino de sacerdotes e uma nação santa. Estas foram as palavras que saíram da boca de Jeová, aquele que estava no comando da situação:

(Êxodo 19:5-6) 5 E agora, SE obedecerdes estritamente à minha voz e deveras guardardes meu pacto, E ENTÃO VOS HAVEIS DE TORNAR minha propriedade especial dentre todos os [outros] povos, pois minha é toda a terra. 6 E vós mesmos VOS TORNAREIS para mim um reino de sacerdotes e uma nação santa.’ Estas são as palavras que deves dizer aos filhos de Israel.”


Assim verte a Tradução Almeida:

(Gênesis 19:5-6) 5 Agora, pois, SE atentamente ouvirdes a minha voz e guardardes o meu pacto, ENTÃO sereis a minha possessão peculiar dentre todos os povos, porque minha é toda a terra; 6 e vós sereis PARA MIM reino sacerdotal e nação santa. São estas as palavras que falarás aos filhos de Israel.


Seriam manipulados através de palavras para se tornarem aquilo que o Pai tinha em mente.


SERÃO ENSINADOS, E CASO APRENDAM - SE TORNARÃO UM REINO DE SACERDOTES E UMA NAÇÃO SANTA.

Se,..., então..., vos tornareis uma nação santa. Se tornar uma nação santa estava CONDICIONADO a "obedecerdes estritamente a minha voz". Obedecer estritamente a voz de Jeová produziria uma nação santa.


Um reino de sacerdotes?? Qual era a função do sacerdote dentro do reino?? O que Jeová esperava do sacerdote??


O que exatamente representava ser uma “nação santa”?? Quais eram as ações de uma “nação santa”?? Qual era o comportamento de um povo santo?? Quem iria dizer se eles eram ou não eram uma nação santa??


O povo não sabia o que era ser uma nação santa. JEOVÁ ENSINARIA o povo a como se tornarem uma nação santa.

Um Professor escolhendo alunos para ensiná-los a se comportarem como uma “nação santa”.

As palavras faladas por Jeová na 1ª pessoa do singular deixam claro o seu objetivo: Para ensiná-los.

(Êxodo 24:12) 12 Jeová disse então a Moisés: “Sobe a mim no monte e fica ali, pois quero dar-te as tábuas de pedra, e a lei e o mandamento que tenho de escrever PARA ENSINÁ-LOS.

Depois de ensinado, o povo se tornaria aquilo que foi projetado pelo Professor. O povo tinha coisas a aprender.

Foram escolhidos para serem ensinados... Um Professor escolhendo pessoas para serem seus alunos.


Alguns anos depois, Moisés já via o povo como um povo santo para Jeová:

(Deuteronômio 7:6) 6 Porque ÉS um povo santo para Jeová, teu Deus. Foi a ti que Jeová, teu Deus, escolheu para te tornares seu povo, uma propriedade especial dentre todos os povos que há na superfície do solo.

Assim verte a Tradução Almeida: (Deuteronômio 7:6) 6 Porque TU ÉS POVO SANTO ao Senhor teu Deus; o Senhor teu Deus te escolheu, a fim de lhe seres o seu próprio povo, acima de todos os povos que há sobre a terra.

Te tornastes algo acima?? Te tornastes uma propriedade especial??

Te tornastes “santos”??

Já?? Já haviam se tornado “santos”??


Quem foi que os declarou santos??

Foi o Pai Jeová quem os declarou santos??

Ou será que foi Moisés quem os declarou santos??

Ou será que foi um dos escribas que usou sua falsa caneta para declarar o povo santo??


Será que já se tratava de uma autoaprovação?? Era uma auto santificação??

Alguns anos depois, assim via Moisés o MOTIVO de Jeová ter feito a escolha por este povo:

(Deuteronômio 7:7-8) 7Não foi por serdes o mais populoso de todos os povos, que Jeová vos teve afeição a ponto de vos escolher, pois éreis o mínimo de todos os povos. 8 Mas FOI POR JEOVÁ VOS AMAR E POR ELE CUMPRIR A DECLARAÇÃO JURAMENTADA que fizera aos vossos antepassados, que Jeová vos fez sair, com mão forte, para te remir da casa dos escravos, da mão de Faraó, rei do Egito. . .

Alguns anos depois, Moisés ainda menciona a condição para se tornarem um reino de sacerdotes e uma nação santa:

(Deuteronômio 7:12-14) 12 E tem de suceder que, POR CONTINUARDES A ESCUTAR ESTAS DECISÕES JUDICIAIS, E DEVERAS AS GUARDARDES E AS CUMPRIRDES, Jeová, teu Deus, terá de guardar para contigo o pacto e a benevolência que jurou aos teus antepassados. 13E ele certamente te amará e te abençoará, e te multiplicará, e abençoará o fruto do teu ventre e o fruto do teu solo, teus cereais e teu vinho novo, e teu azeite, a cria das tuas vacas e a prole do teu rebanho, no solo de que jurou aos teus antepassados que te havia de dar. 14Tornar-te-ás o mais abençoado de todos os povos. Não se mostrará haver em ti nem macho nem fêmea sem descendência, nem tampouco entre os teus animais domésticos.


Assim verte a Tradução Brasileira: (Deuteronômio 7:12-13) 12 Acontecerá que, por ouvirdes estes juízos, e os guardardes e os cumprirdes, Jeová teu Deus te guardará a aliança e a misericórdia que prometeu com juramento a teus pais. 13 Ele te amará, te abençoará e te multiplicará; também abençoará o fruto do teu ventre e o fruto do teu solo, o teu pão, o teu mosto e o teu azeite, o produto das tuas vacas e as crias dos teus rebanhos, na terra que prometeu com juramento a teus pais que te daria.



Assim verte a Tradução Almeida: (Deuteronômio 7:12-13) 12 Sucederá, pois, que, por ouvirdes estes preceitos, e os guardardes e cumprirdes, o Senhor teu Deus te guardará o pacto e a misericórdia que com juramento prometeu a teus pais; 13 ele te amará, te abençoará e te fará multiplicar; abençoará o fruto do teu ventre, e o fruto da tua terra, o teu grão, o teu mosto e o teu azeite, a criação das tuas vacas, e as crias dos teus rebanhos, na terra que com juramento prometeu a teus pais te daria.


A palavra usada na TNM traz a ideia de continuidade ao que já estava acontecendo, ou seja, basta “continuardes” a obedecer estas decisões judiciais....

Já estavam obedecendo, e, era só continuar.

No entanto, não é este o caso das outras traduções.

Por ouvirdes estes preceitos e guardardes e cumprirdes.. Não é transmitida a ideia de continuidade.


Por escutar e obedecer as decisões judiciais de Jeová estes SE TORNARIAM um reino de sacerdotes e uma nação santa. Bastava aos alunos obedecerem ao Professor.


O próprio Moisés havia entendido o objetivo de Jeová manter um relacionamento exclusivo com a nação, por isso assim falou ao povo:

(Deuteronômio 26:18-19) 18 Quanto a Jeová, ele te induziu a dizer hoje que te tornarás seu povo, uma propriedade especial, assim como te prometeu, e que observarás todos os seus mandamentos, 19 e que ele te porá alto acima de todas as outras nações que fez, RESULTANDO EM LOUVOR, E EM FAMA, E EM BELEZA, ao passo que te mostres um povo santo para Jeová, teu Deus, assim como ele prometeu."


Assim verte a Tradução Brasileira: (Deuteronômio 26:18-19) 18 Jeová hoje te fez dizer que lhe serás por seu próprio povo, como te prometeu, e que guardarás todos os seus mandamentos; 19 de modo que, acima de todas as nações que ele fez, te exalte para seu louvor, renome e honra; a fim de que sejas um povo santo a Jeová teu Deus, como disse.



Assim verte a Tradução Almeida: (Deuteronômio 26:18-19) 18 Outrossim, o Senhor hoje te declarou que lhe serás por seu próprio povo, como te tem dito, e que deverás guardar todos os seus mandamentos; 19 para assim te exaltar em honra, em fama e em glória sobre todas as nações que criou; e para que sejas um povo santo ao Senhor teu Deus, como ele disse.

Foi claro, não foi??

Lhe serás por seu próprio povo. Ainda não eram, apesar de já haver um tempo de relacionamento.



(Deuteronômio 28:1) 28 "E tem de suceder que, SE SEM FALTA ESCUTARDES A VOZ DE JEOVÁ, teu Deus, cuidando em CUMPRIR TODOS os seus mandamentos que hoje te ordeno, então Jeová, teu Deus, certamente TE PORÁ ALTO acima de todas as outras nações da terra.


Não resta dúvida, tratava-se de OBEDECER aos mandamentos de Jeová. Tratava-se de obedecer àquilo que O Legislador havia estipulado como Seus mandamentos.


Depois de Jeová rejeitar uma "geração" rebelde, uma geração que não obedeceu estritamente a voz de Jeová” , uma geração que morreu no ermo, Ele estendeu o mesmo convite para os descendentes diretos, os filhos destes rebeldes, ainda no ermo :

(Deuteronômio 26:16-19) 16 Neste dia Jeová, teu Deus, te manda cumprir estes regulamentos e decisões judiciais; e tens de observá-los e cumpri-los de todo o teu coração e de toda a tua alma. 17 Induziste Jeová a DIZER HOJE que ele se tornará teu Deus enquanto andares nos seus caminhos e observares os seus regulamentos, e os seus mandamentos, e as suas decisões judiciais, e enquanto escutares a sua voz. 18 Quanto a Jeová, ele te induziu a dizer HOJE que te tornarás seu povo, uma propriedade especial, assim como te prometeu, e que observarás todos os seus mandamentos, 19 e que ele te porá alto acima de todas as outras nações que fez, resultando em louvor, e em fama, e em beleza, ao passo que te mostres um povo santo para Jeová, teu Deus, assim como ele prometeu.”

Vemos que Jeová, apesar de rejeitar uma inteira geração” do povo escolhido, ainda mantém seu objetivo com o mesmo povo escolhido, que é: ele te porá alto acima de todas as nações que fez, resultando em louvor, e em fama, e em beleza, ao passo que te mostres um povo santo para Jeová”.


Porque aquela geração havia sido reprovada como sendo uma nação santa??

Foi por desobedecerem, não foi??


Quem reprovou aquela geração??

Não foi exatamente Aquele que os havia escolhido??? Sim, foi.


Outra geração foi convidada??

Sim, foi.

Aquele que havia escolhido foi aquele que reprovou uma geração de escolhidos??

Sim, foi.

Aquela geração não havia cumprido o objetivo daquela escolha feita dezenas de anos antes, o objetivo Daquele que escolheu, obviamente..

Normal e natural, não é mesmo??

Foi oferecida a mesma oportunidade para uma geração seguinte??

Sim, foi exatamente isso o que fez Aquele que tinha escolhido e oferecido a oportunidade de aprendizado àquela geração de Moisés.

Será que o erro estava nos mandamentos dados àquela geração de Moisés??

Será que o Pai, Aquele que fazia a escolha, introduziria alguma mudança de quanto aos mandamentos que Ele havia dado a geração de Moisés??

No entanto, a condição ainda era a mesma, ou seja, andar nos caminhos de Jeová e obedecer aos regulamentos, os mandamentos e as decisões judiciais de Jeová, enfim, escutar a voz de Jeová, O PROFESSOR.

O professor era o mesmo e os mandamentos eram os mesmos que tinham sido dados aos antepassados e o objetivo continuava o mesmo.

Assim falou Moisés referente ao mesmo pacto de Jeová com esta nova "geração" do mesmo povo escolhido:

(Deuteronômio 29:10-13) 10Todos vós estais hoje de pé diante de Jeová, vosso Deus, os cabeças das vossas tribos, vossos anciãos e vossos oficiais, cada homem de Israel, 11 vossos pequeninos, vossas esposas e teu residente forasteiro que está no meio do teu acampamento, desde o ajuntador da tua lenha até o tirador da tua água, 12 para entrares no pacto de Jeová , teu Deus, e no seu juramento, que Jeová, teu Deus, HOJE está concluindo contigo, 13 tendo por objetivo ESTABELECER-TE HOJE como seu povo e provar-se teu Deus, assim como te prometeu e como jurou aos teus antepassados Abraão, Isaque e Jacó.


Novamente, Jeová pergunta, só que agora, para uma outra geração: Vocês estão dispostos a terem a Mim como sendo Deus para vocês???


Conseguiria tanto aquela nova "geração" pactuada, assim como as demais consecutivas gerações deste povo escolhido obedecer estritamente a voz de Jeová” ?

O próprio Jeová falou o que Ele via naquele momento quanto a disposição do povo. Assim falou Jeová: "Este povo certamente me abandonará e violará meu pacto que concluí com eles,... porque bem sei a sua inclinação que HOJE estão desenvolvendo ANTES de Eu os introduzir na terra que lhes jurei.

(Deuteronômio 31:16-22) 16 Jeová disse então a Moisés: "Eis que te estás deitando com os teus antepassados; e este povo certamente se levantará e terá relações imorais com deuses estrangeiros da terra à qual vão, no seu próprio meio, e CERTAMENTE ME ABANDONARÃO e violarão meu pacto que concluí com eles. 17 Em vista disso, naquele dia deveras se acenderá a minha ira contra eles, e eu certamente os abandonarei e esconderei deles a minha face, e eles terão de tornar-se algo a ser consumido; e têm de vir sobre eles muitas calamidades e aflições, e forçosamente dirão naquele dia: ‘Não é porque o nosso Deus não está no nosso meio que estas calamidades vieram sobre nós?’ 18 Quanto a mim, esconderei absolutamente a minha face naquele dia, por causa de toda a maldade que fizeram, porque se viraram para outros deuses. 19 "E agora, escrevei para vós este cântico e ensinai-o aos filhos de Israel. Ponde-o nas suas bocas, para que este cântico sirva como minha testemunha contra os filhos de Israel. 20 Pois eu os levarei ao solo que jurei aos seus antepassados, que mana leite e mel, e certamente comerão e se fartarão, e engordarão e se virarão para outros deuses, e deveras os servirão e me tratarão com desrespeito, e violarão meu pacto. 21 E tem de dar-se que, vindo sobre eles muitas calamidades e aflições, então este cântico tem de responder diante deles como testemunha, pois não deve ser esquecido pela boca de tua descendência, porque bem sei a sua inclinação que hoje estão desenvolvendo antes de eu os introduzir na terra que lhes jurei." 22 De modo que Moisés escreveu este cântico naquele dia, para ensiná-lo aos filhos de Israel.


Jeová tinha certeza absoluta que seu povo não cumpriria o pacto e consequentemente não alcançaria a condição de nação santa. Tanta certeza tinha o Criador, que compôs um cântico como TESTEMUNHA CONTRA o povo e deu ao povo para que este se lembrasse todos os dias de que VIOLARIAM O PACTO.

Qual o motivo de tanta certeza?? Será que estavam predestinados à rebeldia contra os mandamentos dados pelo Pai??

Claro que não.

Trava-se do pleno conhecimento e entendimento que o Pai tinha em relação aos sentimentos já existentes naquela geração, sentimentos estes, que os levariam à plena rebeldia.


Neste cântico testemunha, o que Jeová previu em relação ao futuro povo escolhido??

(Deuteronômio 32:4-6) 4 Ele é a Rocha, as suas obras são perfeitas, Porque todos os seus caminhos são justiça. Deus, fiel e sem iniqüidade, justo e reto é ele. 5 Procederam corruptamente com ele, não são seus filhos, é essa a sua mancha; Eles são geração perversa e deformada. 6 É assim que tratas a Jeová, Ó POVO INSENSATO E IGNORANTE? Não é ele teu pai, que te adquiriu? Ele te fez, e te estabeleceu.


Assim verte a Tradução Almeida: (Deuteronômio 32:4-6) 4 Ele é a Rocha; suas obras são perfeitas, porque todos os seus caminhos são justos; Deus é fiel e sem iniqüidade; justo e reto é ele. 5 Corromperam-se contra ele; não são seus filhos, e isso é a sua mancha; geração perversa e depravada é. 6 É assim que recompensas ao Senhor, POVO LOUCO E INSENSATO? não é ele teu pai, que te adquiriu, que te fez e te estabeleceu?



Tempos depois, Jeová volta a falar do objetivo de sua escolha e do resultado alcançado.

Jeová fala do objetivo da escolha e relacionamento com o povo que Ele escolheu, e do resultado? Através de seu porta-voz Jeremias, assim falou o Criador.

(Jeremias 13:11) 11Pois assim como o cinto se apega aos quadris do homem, assim fiz toda a casa de Israel e toda a casa de Judá apegar-se a mim mesmo’, é a pronunciação de Jeová, A FIM DE QUE se tornassem para mim um povo, e um nome, e louvor, e algo belo; MAS ELES NÃO OBEDECERAM’.


Assim verte a Tradução Almeida:

(Jeremias 13:11) 11 Pois, assim como se liga o cinto aos lombos do homem, assim eu liguei a mim toda a casa de Israel, e toda a casa de Judá, diz o Senhor, PARA me serem por povo, e por nome, e por louvor, e por glória; mas não quiseram ouvir:



Novamente chama-se a atenção sobre o objetivo, sobre a condição para alcançar o objetivo e novamente destaca-se o fracasso do povo, o fracasso dos alunos.


Na minha condição de Pai e por estarem diante de outros filhos Meus, eles deveriam se tornar motivo de orgulho para mim. Eles deveriam ser motivo de glória para Mim. Eu devia me sentir orgulhoso.


Através de seu porta-voz Ezequiel, Jeová fala, descrevendo seu relacionamento com a nação.

(Ezequiel 16:7) 7 Fiz de ti uma multidão muito grande, qual renovo do campo, PARA QUE crescesses, e te tornasses grande, e entrasses com o enfeite mais belo. Os próprios dois seios se desenvolveram firmemente e teu próprio cabelo cresceu abundantemente, sendo que tinhas estado nua e despida.”’

(Ezequiel 16:14) 14 “‘E um nome começou a sair para ti entre as nações por causa da tua lindeza, pois era perfeita devido ao meu esplendor que eu tinha posto sobre ti’, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová.”

O caso específico era de uma sequência de gerações e mais gerações infiéis do mesmo povo escolhido, gerações e mais gerações sucessivas que não obedeceram estritamente a voz de Jeová. A história dos alunos que fracassaram em tornar-se uma nação santa. Jeová, contando a história do seu povo escolhido, chama a atenção, que as sucessivas gerações anteriores haviam sido rebeldes, não obedecendo estritamente a Sua voz e que a geração à qual falava, agia com rebeldia ainda maior que as gerações anteriores.



Será que o Pai Jeová tinha motivos para se sentir “orgulhoso” por causa do filho escolhido??


Um pai qualquer pode sentir orgulho por causa da beleza física de seu filho. Um pai qualquer pode sentir orgulho por causa da beleza espiritual de seu filho.

Vejamos agora a história contada por aquele que escolheu a geração de Moisés.

Ele conta a história do relacionamento Dele com a geração de Moisés e todas as gerações até aquela geração de Ezequiel, o mensageiro que Ele havia escolhido para ser testemunha do que o Pai estava falando e fazendo àquela sua geração.

Assim falou o próprio Jeová, referindo-se às sucessivas "gerações":

(Ezequiel 20:1-44) 20 Sucedeu então, no sétimo ano, no quinto [mês], no décimo [dia] do mês, [que] entraram homens dos idosos de Israel para consultar a Jeová, e eles passaram a assentar-se na minha frente. 2 Então veio a haver para mim a palavra de Jeová, dizendo: 3Filho do homem, fala com os idosos de Israel, e tens de dizer-lhes: ‘Assim disse o Soberano Senhor Jeová: “É para consultar a mim que estais chegando? ‘Assim como vivo, não serei consultado por vós’, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová.”’ 4Julgá-los-ás tu? Julgá-los-ás tu, ó filho do homem? Faze-os saber as coisas detestáveis dos seus antepassados. 5 E tens de dizer-lhes: ‘Assim disse o Soberano Senhor Jeová: “NO DIA  EM QUE ESCOLHI ISRAEL, passei também a levantar a minha mão [em juramento] à descendência da casa de Jacó e a dar-me a conhecer a eles na terra do Egito. Sim, passei a levantar a minha mão [em juramento] a eles, dizendo: ‘Eu sou Jeová, vosso Deus.’ 6 Naquele dia levantei a minha mão [em juramento] a eles de fazê-los sair da terra do Egito para uma terra que espiei para eles, uma [terra] que manava leite e mel. Era o ornato de todas as terras. 7 E prossegui, dizendo-lhes: ‘Lançai fora, cada um de vós, as coisas repugnantes dos seus olhos, e não vos avilteis com os ídolos sórdidos do Egito. Eu sou Jeová, vosso Deus.’ 8 “‘“E ELES COMEÇARAM A REBELAR-SE CONTRA MIM e não quiseram escutar-me. As coisas repugnantes dos seus olhos eles não lançaram fora, individualmente, e não abandonaram os ídolos sórdidos do Egito, de modo que prometi derramar sobre eles o meu furor, a fim de levar a cabo a minha ira contra eles NO MEIO DA TERRA DO EGITO. 9 E eu prossegui, agindo em prol do meu próprio nome, para que não fosse profanado perante os olhos das nações entre as quais estavam, porque eu me dera a conhecer a eles perante os seus olhos, fazendo-os sair da terra do Egito. 10 POR ISSO OS FIZ SAIR DA TERRA DO EGITO E OS LEVEI AO ERMO. 11 “‘“E passei a dar-lhes os meus estatutos; e dei-lhes a conhecer as minhas decisões judiciais, para que o homem que continuar a cumpri-las também continue a viver por meio delas. 12 E também lhes dei os meus sábados, para se tornarem um sinal entre mim e eles, para que soubessem que sou eu, Jeová, quem os santifica. 13 “‘“MAS ELES, [OS] DA CASA DE ISRAEL, REBELARAM-SE CONTRA MIM NO ERMO. Não andaram nos meus estatutos e rejeitaram as minhas decisões judiciais, por meio das quais, continuando a cumpri-las o homem, também continuará a viver. E profanaram muitíssimo os meus sábados, de modo que prometi derramar sobre eles meu furor no ermo, A FIM DE EXTERMINÁ-LOS. 14 Mas agi em prol do meu próprio nome, para que não fosse profanado perante os olhos das nações, diante de cujos olhos eu os fizera sair. 15 E eu mesmo também levantei a minha mão [em juramento] a eles no ermo, de não levá-los à terra que eu [lhes] dera, uma [terra] que manava leite e mel, (ela é o ornato de todas as terras,) 16 visto que rejeitaram as minhas próprias decisões judiciais; e quanto aos meus estatutos, não andaram neles, e profanaram meus sábados, porque seu coração ia atrás dos seus ídolos sórdidos. 17 “‘“E meu olho começou a ter dó deles [para me impedir] de arruiná-los, e não os exterminei no ermo. 18 E PASSEI A DIZER AOS FILHOS DELES NO ERMO: ‘Não andeis nos regulamentos dos vossos antepassados, e não guardeis os seus julgamentos, e não vos avilteis com os seus ídolos sórdidos. 19 Eu sou Jeová, vosso Deus. Andai nos meus próprios estatutos e guardai as minhas próprias decisões judiciais e cumpri-as. 20 E santificai os meus próprios sábados, e eles terão de servir como sinal entre mim e vós, [para] saberdes que eu sou Jeová, vosso Deus.’ 21 “‘“E OS FILHOS COMEÇARAM A REBELAR-SE CONTRA MIM. Não andaram nos meus estatutos, e não guardaram as minhas decisões judiciais por cumpri-las, por meio das quais, continuando a cumpri-las o homem, também continuará a viver. Profanaram meus sábados. De modo que prometi derramar sobre eles o meu furor, a fim de levar a cabo a minha ira contra eles no ermo. 22 E retirei a minha mão e fui agir em prol do meu próprio nome, para que não fosse profanado perante os olhos das nações, diante de cujos olhos eu os fizera sair. 23 Também, eu mesmo levantei a minha mão [em juramento] a eles no ermo, de espalhá-los entre as nações e de dispersá-los entre as terras, 24 visto que não cumpriram as minhas próprias decisões judiciais, e rejeitaram os meus próprios estatutos, e profanaram os meus próprios sábados, e seus olhos mostraram estar atrás dos ídolos sórdidos dos seus antepassados. 25 E eu mesmo também os deixei ter regulamentos que não eram bons e decisões judiciais pelas quais não podiam manter-se vivos. 26 E fui deixá-los ficar aviltados pelas suas dádivas, quando fizeram cada criança que abria a madre passar pelo [fogo], a fim de fazê-los desolados, para que soubessem que eu sou Jeová.”’ 27Portanto, fala à casa de Israel, ó filho do homem, e tens de dizer-lhes: ‘Assim disse o Soberano Senhor Jeová: “Ainda neste respeito VOSSOS ANTEPASSADOS falaram de mim de modo ultrajante, AGINDO CONTRA MIM com infidelidade. 28 E passei a fazê-los entrar na terra a respeito da qual eu levantara a minha mão [em juramento] de dá-la a eles. Quando chegaram a ver todo morro alto e toda árvore ramosa, então começaram a sacrificar ali os seus sacrifícios, e a dar ali as suas ofertas ofensivas, e a apresentar ali os seus cheiros repousantes, e a derramar ali as suas ofertas de bebida. 29 Por isso eu lhes disse: ‘Que significa o alto ao qual estais chegando, que deva ser chamado pelo nome de Alto até o DIA DE HOJE ?’”’ 30Portanto, dize à casa de Israel: ‘Assim disse o Soberano Senhor Jeová: “VÓS VOS AVILTAIS SEGUNDO O PROCEDIMENTO DOS VOSSOS ANTEPASSADOS, e estais indo atrás das suas coisas repugnantes em relações imorais? 31 E ao elevardes as vossas dádivas, fazendo os vossos filhos passar pelo fogo, estais aviltando a vós mesmos por todos os vossos ídolos sórdidos até o dia de hoje? Ao mesmo tempo, hei de ser consultado por vós, ó casa de Israel?”’ “‘Assim como vivo’, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová, ‘não vou ser consultado por vós. 32 E aquilo que está subindo no vosso espírito positivamente não acontecerá, visto que dizeis: “Tornemo-nos iguais às nações, iguais às famílias das terras, ministrando à madeira e à pedra.”’” 33 “‘Assim como vivo’, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová, ‘será com mão forte, e com braço estendido, e com furor derramado que vou reinar sobre vós. 34 E vou fazer-vos sair dentre os povos e vou reunir-vos das terras às quais fostes espalhados com mão forte, e com braço estendido, e com furor derramado. 35 E vou fazer-vos entrar no ermo dos povos e pôr-me em julgamento convosco ali, face a face. 36 “‘Assim como me pus em julgamento com os vossos antepassados no ermo da terra do Egito, assim me porei em julgamento convosco’, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová. 37E vou fazer-vos passar sob a vara E VOU FAZER-VOS ENTRAR NO COMPROMISSO DO PACTO. 38 E vou eliminar de vós os revoltosos e os transgressores contra mim, porque os farei sair da terra da sua residência como forasteiros, mas não chegarão ao solo de Israel; e tereis de saber que eu sou Jeová.’ 39E vós, ó casa de Israel, assim disse o Soberano Senhor Jeová: ‘Ide servir, cada um de vós aos seus próprios ídolos sórdidos. E depois, se não me escutardes, não mais profanareis então o meu santo nome com as vossas dádivas e com os vossos ídolos sórdidos.’ 40 “‘Pois, no meu santo monte, no monte da altura de Israel’, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová, ‘ali é que me servirá toda a casa de Israel, na sua inteireza, no país. Ali é que terei prazer neles, e ali é que exigirei as vossas contribuições e as primícias das vossas apresentações em todas as coisas sagradas. 41 Terei prazer em vós por causa do cheiro repousante, quando eu vos fizer sair dentre os povos e realmente vos reunir das terras às quais fostes espalhados, E EU VOU SER SANTIFICADO EM VÓS PERANTE OS OLHOS DAS NAÇÕES.42 “‘E tereis de saber que eu sou Jeová, quando eu vos fizer chegar ao solo de Israel, à terra a respeito da qual levantei a minha mão [em juramento] de dá-la aos vossos antepassados. 43 E certamente vos lembrareis ali dos vossos caminhos e de todas as vossas ações com que vos aviltastes, e tereis realmente aversão às vossas próprias faces por causa de todas as vossas coisas más que fizestes. 44 E tereis de saber que eu sou Jeová, QUANDO EU TOMAR AÇÃO CONTRA VÓS POR CAUSA DO MEU NOME, NÃO SEGUNDO OS VOSSOS CAMINHOS MAUS OU AS VOSSAS AÇÕES CORRUPTAS, ó casa de Israel’, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová.”


Jeová falava de "gerações" passadas, da "geração" presente e de "gerações" futuras em relação ao tempo da palavra falada e repetida através do porta-voz Ezequiel. Foram consecutivas "gerações" rebeldes que foram punidas por rebeldia, consecutivas "gerações" rebeldes que mereciam o extermínio e que, no entanto, não foram exterminadas. Jeová não tomou ação contra seu povo segundo o caminho mau de cada "geração". Garantiu ainda mais o Criador, que continuaria não tomando ação contra as "gerações" seguintes, de acordo com os caminhos maus ou as ações corruptas praticadas por este povo escolhido. O sábio Criador garantiu continuar a punir seu povo escolhido, entretanto, jamais iria exterminar quaisquer de suas "gerações" futuras. Isto significava que eles continuavam na condição de povo escolhido; não seriam renegados como “povo escolhido”.


Em face da rebeldia das diversas "gerações", será que o plano de Jeová mudou? Jeová, agora através do porta-voz Jeremias assim falou para aquela mesma geração de rebeldes, que havia fracassado em tornar-se uma nação santa:

(Jeremias 33:4-9) 4 Pois assim disse Jeová, o Deus de Israel, a respeito das casas desta cidade e a respeito das casas dos reis de Judá, que estão demolidas por causa dos aterros de sítio e por causa da espada; 5 [a respeito] dos que estão chegando para lutar contra os caldeus e para encher espaços com os cadáveres dos homens que golpeei na minha ira e no meu furor, e por cuja maldade toda eu escondi minha face desta cidade: 6 Eis que suscito para ela restabelecimento e saúde; e eu vou sará-los e revelar-lhes uma abundância de paz e de verdade. 7 E vou trazer de volta os cativos de Judá e os cativos de Israel, e vou edificá-los assim como no princípio. 8 E eu vou purificá-los de todo o seu erro com que pecaram contra mim e vou perdoar-lhes todos os erros com que pecaram contra mim e com que transgrediram contra mim. 9 E ELA CERTAMENTE SE TORNARÁ PARA MIM UM NOME DE EXULTAÇÃO, LOUVOR E BELEZA PARA COM TODAS AS NAÇÕES DA TERRA, que ouvirão [falar] de toda a bondade que eu lhes faço. E certamente ficarão apavorados e agitados por causa de toda a bondade e por causa de toda a paz que faço [vir] a ela.’”


Todas as nações da terra ouvirão falar de toda a bondade com que lhes trato, e em face disto, estas nações ficarão apavoradas e agitadas por causa da bondade de Jeová.


Assim verte a Tradução Almeida:

(Jeremias 33:4-9) 4 Pois assim diz o Senhor, o Deus de Israel, acerca das casas desta cidade, e acerca das casas dos reis de Judá, que foram demolidas para fazer delas uma defesa contra os valados e contra a espada; 5 entrementes os caldeus estão entrando a pelejar para os encher de cadáveres de homens que ferirei na minha ira e no meu furor; porquanto escondi o meu rosto desta cidade, por causa de toda a sua maldade. 6 Eis que lhe trarei a ela saúde e cura, e os sararei, e lhes manifestarei abundância de paz e de segurança. 7 E farei voltar do cativeiro os exilados de Judá e de Israel, e os edificarei como ao princípio. 8 E os purificarei de toda a iniqüidade do seu pecado contra mim; e PERDOAREI TODAS AS SUAS INIQÜIDADES, com que pecaram e transgrediram contra mim. 9 E esta cidade me servirá de nome de gozo, de louvor e de glória, diante de todas as nações da terra que ouvirem de TODO O BEM QUE EU LHE FAÇO; e espantar-se-ão e perturbar-se-ão por causa de todo o bem, e por causa de toda a paz que eu lhe dou.



Pergunta-se, obviamente: Porque as nações ficariam espantadas e perturbadas por Jeová, o Deus Altíssimo tratar com bondade e este povo escolhido??


Ficariam espantadas em face das ações iníquas praticadas pela nação santa e pelo fato do Deus Altíssimo conceder o perdão para a nação santa.

Vamos repetir as palavras do próprio Jeová: PERDOAREI TODAS AS SUAS INIQUIDADES, com que pecaram e transgrediram contra mim.

Obviamente, se a nação santa praticasse ações santas, não haveria nenhum perdão a ser dado e não haveria nenhum espanto. Se fossem um ou dois pequenos atos de iniquidade, as nações não ficariam espantadas e perturbadas pelo fato de Jeová perdoar a nação santa dos classificados pelas nações de “pequenos pecados”.

Em completo espanto, as nações questionariam: “Como esse Deus ainda continua fazendo bondades pera um povo tão mau como este??”


Ficou bem claro: O espanto se dará pelo fato de ter havido muita iniquidade a ser perdoada e pelo fato dela ser realmente perdoada e tratada com muita bondade, sem haver qualquer ressentimento da parte de Jeová.


O povo escolhido deveria ser um motivo do Pai Jeová se orgulhar. As ações do povo escolhido traria orgulho para o Pai. Era isto o que deveria acontecer.

No entanto, o que estava ocorrendo??

No lugar do povo escolhido ser elogiado por povos não escolhidos, em face de suas ações de santidade, eles seriam vistos pelos demais povos como um povo que praticava a iniquidade.

Até os povos praticantes de iniquidade, veriam os escolhidos como praticantes de iniquidade. Eles ficariam espantados de um Deus Santo continuar a se relacionar amistosamente com um povo tão iníquo.

O que os povos não escolhidos veriam??

Os povos não escolhidos veriam um povo iníquo ser tratado com bondade. Os povos não escolhidos ficariam espantados com este fato. Para eles seria uma coisa estarrecedora.

As nações ficariam perturbadas por causa da bondade feita para quem merecia o extermínio. O que diriam estas nações não escolhidas??

Elas perguntariam:


Em face da filosofia de vida das nações não escolhidas, o comportamento do Pai Jeová neste relacionamento amistoso (amigável) com aquele que merecia o extermínio era algo incomum. Isto geraria um grande espanto e uma perturbação.


Lembra de alguém que ficou perturbado por notar que Pai não tratava os iníquos com a merecida inimizade??


Isto mesmo. Foi o nosso irmão Jó.

Ao notar os iníquos serem tratados como se fossem justos, o que falou o nosso irmão Jó??


(Jó 21:5-9) 5 Virai as vossas faces para mim e olhai assombrados, E ponde a mão sobre a boca. 6 E quando me lembrei, também fiquei perturbado, E um estremecimento se apoderou da minha carne. 7 Por que é que os próprios iníquos continuam vivendo, Têm envelhecido, também se tornaram superiores em riqueza? 8 Sua descendência está firmemente estabelecida com eles à sua vista, E seus descendentes, diante dos seus olhos. 9 Suas casas são a própria paz, livres de pavor, E a vara de Deus não está sobre eles.

Assim verte a Tradução Brasileira:


(Jó 21:5-9) 5 Olhai para mim e pasmai, E ponde a mão sobre a vossa boca. 6 Mesmo de pensar nisto, me perturbo, E o horror apodera-se da minha carne; 7 Por que vivem os iníquos, Se envelhecem, e se robustecem em poder? 8 Seus filhos estabelecem-se com eles à sua vista, E os seus descendentes diante dos seus olhos. 9 As suas casas estão livres de medo, E a vara de Deus não cai sobre eles.


Estando junto com o povo escolhido, o Pai chama agora a atenção deste para o que as outras nações estão vendo e falando a respeito deles e do comportamento deles, um comportamento iníquo, muito iníquo.

Ficou plenamente confirmado o relacionamento amistoso do Pai Jeová com um filho muito iníquo que merecia o extermínio.

Também ficou comprovado que tal relacionamento amistoso não era em face de uma cumplicidade do Pai em face das ações do iníquo filho.

O que ficou plenamente provado em relação ao Pai Jeová??

Ficou plenamente provado que o Pai continuava amado o filho iníquo e que mantinha o Seu objetivo em convencer o iníquo filho a mudar o seu comportamento de filho iníquo para o comportamento de filho santo.

O filho santo se mostra santo através do seu comportamento e o filho iníquo também se mostra iníquo através do seu comportamento.


Séculos depois de Moisés, e através do seu porta-voz Sofonias, assim falou Jeová, garantindo ter mantido e continuar mantendo o seu propósito, apesar da rebeldia das "gerações" anteriores:

(Sofonias 3:18-20) 18Certamente ajuntarei os pesarosos que estão ausentes da [tua] época festiva; vieram a estar distantes de ti por levarem vitupério por causa dela. 19 Eis que ajo contra todos os que te atribulam, naquele tempo; e vou salvar aquela que manqueja e vou reunir aquela que está dispersa. E vou colocar a tais como louvor e como nome em toda a terra de sua vergonha. 20 Naquele tempo vos farei entrar, sim, no tempo em que eu vos reunir. POIS FAREI QUE SEJAIS UM NOME E UM LOUVOR ENTRE TODOS OS POVOS DA TERRA, quando eu recolher os vossos cativos perante os vossos olhos”, disse Jeová.


Faria Jeová tais coisas para um povo fiel, ou ainda, para com alguns fiéis dentre o povo, alguns fiéis das consecutivas gerações de rebeldes? As palavras de Jeová acima, já não deixam margem para dúvidas, entretanto, através de seu porta-voz Isaías, assim falou Jeová, ratificando-as:

(Isaías 65:1-5) 65 “DEIXEI-ME BUSCAR POR AQUELES QUE NÃO PERGUNTARAM [POR MIM]. DEIXEI-ME ACHAR POR AQUELES QUE NÃO ME TINHAM PROCURADO. EU DISSE: ‘EIS-ME AQUI, EIS-ME AQUI!’ A UMA NAÇÃO QUE NÃO INVOCAVA O MEU NOME. 2O dia inteiro estendi as minhas mãos para um povo obstinado, os que andam no caminho que não é bom, atrás dos seus pensamentos; 3 o povo [que se compõe] dos que de contínuo me ofendem diretamente à minha face, sacrificando nos jardins e fazendo fumaça sacrificial sobre os tijolos, 4 sentando-se entre as sepulturas, que também passam a noite nas guaritas das sentinelas, comendo carne de porco, havendo nos seus vasos até mesmo caldo de coisas imundas; 5 os que dizem: ‘Fica onde estás. Não te aproximes de mim, pois eu certamente te transmitirei santidade.’ Estes são fumaça nas minhas narinas, um fogo ardendo o dia inteiro.


Onde estava a nação santa??

Jeová, Aquele que os havia escolhido passou a dar o Seu parecer em relação àqueles que se achavam santos.

Assim verte a Tradução Almeida:

(Isaías 65:1-5) 1 Tornei-me acessível aos que não perguntavam por mim; fui achado daqueles que não me buscavam. A uma nação que não se chamava do meu nome eu disse: Eis-me aqui, eis-me aqui. 2 Estendi as minhas mãos o dia todo a um povo rebelde, que anda por um caminho que não é bom, após os seus próprios pensamentos; 3 povo que de contínuo me provoca diante da minha face, sacrificando em jardins e queimando incenso sobre tijolos; 4 que se assenta entre as sepulturas, e passa as noites junto aos lugares secretos; que come carne de porco, achando-se caldo de coisas abomináveis nas suas vasilhas; 5 e que dizem: Retira-te, e não te chegues a mim, PORQUE sou mais santo do que tu. Estes são fumaça no meu nariz, um fogo que arde o dia todo.



Eu disse: eis-me aqui, eis-me aqui! A uma nação que não invocava o meu nome. Deixei-me achar por aqueles que não me tinham procurado. Deixei-me buscar por aqueles que não perguntaram por mim. Estas afirmações do próprio Jeová, deixam claro que toda a nação não era fiel e que todos os seus membros não eram fiéis a Ele, Jeová, apesar de escolhidos e ensinados.


Falando para a geração que vivia por volta de 607 anos antes de Jesus, assim falou o Professor Jeová:

(Jeremias 9:13-16) 13 E Jeová passou a dizer: “Por terem abandonado a minha lei que dei [para estar] diante deles, e [por] não terem obedecido à minha voz e não terem andado nela, 14 mas terem andado atrás da obstinação do seu coração e atrás das imagens de Baal, que seus pais lhes ensinaram; 15 por isso, assim disse Jeová dos exércitos, o Deus de Israel: ‘Eis que faço que eles, isto é, este povo, comam absinto, e vou fazê-los beber água envenenada; 16 e vou espalhá-los entre nações que nem eles nem seus pais conheciam e vou enviar atrás deles a espada até que eu os tenha exterminado.’


Toda esta geração havia fracassado em ser uma nação santa, pois segundo a palavra do Professor Jeová, seus alunos preferiam seguir seus próprios corações e seguir as ordens dos antepassados, obedecer às palavras dos antepassados, no lugar de obedecer às palavras do Professor Jeová. São palavras bem claras ditas pelo próprio Professor Jeová.


Será que se tratava de pessoas cegas e surdas?? Será que se tratava de pessoas que não percebiam nada?? O que Falou Jeová para um dos mensageiros que Ele escolheu?? Assim Ele falou:

(Isaías 42:18-25) 18 Ouvi, ó surdos; e olhai para ver, ó cegos. 19 Quem é cego, se não o meu servo, e quem é surdo como o meu mensageiro a quem envio? Quem é cego como o recompensado, ou cego como o servo de Jeová? 20 O caso era de se verem muitas coisas, mas não ficaste vigiando. O caso era de se abrirem os ouvidos, mas não ficaste escutando. 21 O próprio Jeová, por causa da sua justiça, agradou-se de magnificar a lei e de fazê-la majestosa. 22 Mas é um povo saqueado e rapinado, todos presos em buracos, e eles foram mantidos escondidos nas casas de detenção. Vieram a ficar para o saque, sem livrador, para a rapina, sem que alguém dissesse: “Devolve!” 23 Quem dentre vós dará ouvidos a isso? Quem prestará atenção e escutará para tempos posteriores? 24 Quem entregou Jacó como mera rapina e Israel aos saqueadores? Não foi Jeová, Aquele contra quem pecamos, e em cujos caminhos não quiseram andar e cuja lei não escutaram? 25 De modo que Ele continuou a derramar sobre aquele o furor, sua ira e a força da guerra. E isso o consumia em todo o redor, mas ele não fez caso; e chamejava contra ele, mas não fixava nada no coração.



Assim verte a tradição Brasileira:

(Isaías 42:18-25) 18 Ouvi, vós os que sois surdos; e olhai, vós os que sois cegos, para ver. 19 Quem é cego, senão o meu servo? ou surdo, como o meu mensageiro que envio? Quem é cego como aquele que tem paz comigo, e cego como o servo de Jeová? 20 Vês muitas coisas, porém não observas; ele tem abertos os seus ouvidos, porém não ouve. 21 Foi do agrado de Jeová, por amor da sua justiça, engrandecer a lei e torná-la gloriosa. 22 Mas este é um povo roubado e saqueado; todos eles estão enlaçados em cavernas, e estão escondidos nas casas dos cárceres: são postos como presa, e ninguém os livra; como despojo, e ninguém diz: Restitui. 23 Quem há entre vós que dará ouvidos a isso? que escutará e ouvirá doravante? 24 Quem entregou Jacó por despojo, e Israel aos roubadores? acaso não foi Jeová? aquele contra quem temos pecado, em cujos caminhos eles não queriam andar, e cuja lei não queriam observar. 25 Portanto Jeová derramou sobre Israel o furor da sua ira, e a violência da guerra; isto lhe ateou fogo ao redor, contudo ele não percebeu; e o queimou, contudo ele não entendeu.


Certamente, tratava-se de um povo cego e surdo. A afirmação foi do próprio Jeová, pois tanto o povo quanto o mensageiro escolhido e enviado, eram cegos.


Em momento algum o Criador fala sobre Ele estar peneirando uma nata, o melhor das diversas gerações. Confirmadamente, as consecutivas gerações do povo escolhido não conseguiram obedecer estritamente a voz de Jeová. Se as primeiras gerações já haviam se desviado da palavra do Professor e as gerações seguintes preferiam seguir as palavras dos antepassados, como poderiam se tornar uma nação santa?? No entanto, Jeová estava usando continuamente de Misericórdia para com os escolhidos, não exterminando completamente as diversas gerações de rebeldes. O merecimento, segundo a palavra saída da mente e boca de Jeová, era o extermínio das diversas gerações. Nos diversos diálogos, o Criador exalta a sua Misericórdia . Permitia que novas gerações passassem a viver e concedia a estas novas gerações a oportunidade de cumprirem o pacto, mantendo um relacionamento amigável com aquele que merecia o extermínio, mantendo uma “amizade” com os homens maus.

Até então, só vimos o ponto de vista de Jeová. Vimos como Jeová via as coisas. Observamos através dos olhos de Jeová, um relacionamento Seu com sucessivas gerações de alunos rebeldes, de alunos infiéis.

No entanto, a geração que retornou do exílio em Babilônia, finalmente admitiu que "todas" as gerações anteriores haviam sido rebeldes contra Jeová. Finalmente confessaram a iniquidade dos antepassados e a sua própria iniquidade e rebeldia (apostasia). Finalmente admitiram que Jeová estava usando de Misericórdia todo o tempo. Misericórdia para com os não merecedores dela. Somente após a devida punição é que aquela geração confessou o erro dos antepassados e o seu próprio erro. Entretanto, o próprio Criador que já havia previsto a atitude rebelde das consecutivas gerações, também previu esta confissão. Assim falou o Criador através do porta-voz Moisés, ainda no monte Sinai:

(Levítico 26:39-40) 39 Quanto aos remanescentes entre vós, apodrecerão por causa do seu erro nas terras dos vossos inimigos. Sim, apodrecerão até mesmo por causa dos erros de seus pais, com eles. 40 E CERTAMENTE CONFESSARÃO SEU PRÓPRIO ERRO e o erro de seus pais na sua INFIDELIDADE, quando se comportaram de modo INFIEL para comigo, sim, mesmo quando ANDARAM EM OPOSIÇÃO A MIM.. . .


Tanta certeza tinha o Criador da atitude rebelde das consecutivas gerações do seu povo escolhido que o próprio Jeová compôs um cântico para ser usado como testemunha contra todas as gerações, INCLUSIVE ESTA QUE TINHA ACABADO DE VER SEUS PRÓPRIOS PAIS REBELDES MORREREM NO DESERTO. Mesmo avisados de forma antecipada, todos agiriam de forma rebelde, por não ouvirem estritamente a palavra que saíra da mente e boca de Jeová. Assim falou Jeová através de seu porta-voz Moisés, ainda no ermo:

(Deuteronômio 31:19-22) 19 "E agora, escrevei para vós este cântico e ensinai-o aos filhos de Israel. Ponde-o nas suas bocas, para que este cântico sirva como minha testemunha contra os filhos de Israel. 20 Pois eu os levarei ao solo que jurei aos seus antepassados, que mana leite e mel, e certamente comerão e se fartarão, e engordarão e se virarão para outros deuses, e deveras os servirão e me tratarão com desrespeito, e violarão meu pacto. 21 E tem de dar-se que, vindo sobre eles muitas calamidades e aflições, então ESTE CÂNTICO TEM DE RESPONDER DIANTE DELES COMO TESTEMUNHA, pois não deve ser esquecido pela boca de tua descendência, porque bem sei a sua inclinação que HOJE estão desenvolvendo antes de eu os introduzir na terra que lhes jurei." 22 De modo que Moisés escreveu este cântico naquele dia, para ensiná-lo aos filhos de Israel.


O cântico criado, composto por Jeová e dado a Moisés, revela antecipadamente as infidelidades das diversas gerações, assim como também as consequentes ações de Jeová contra as diversas gerações. O cântico está transcrito em Deuteronômio 32: 1-44.

Mesmo na situação de punição e mesmo confessando o erro dos antepassados e confessando seus próprios erros, do ponto de vista do povo, eles ainda SE VIAM COMO uma descendência santa. Assim registrou Esdras:

(Esdras 9:1-2) 9 E assim que se acabou com estas coisas, aproximaram-se a mim os príncipes, dizendo: "O povo de Israel, e os sacerdotes, e os levitas não se separaram dos povos das terras no que se refere às suas coisas detestáveis, a saber, dos cananeus, dos hititas, dos perizeus, dos jebuseus, dos amonitas, dos moabitas, dos egípcios e dos amorreus. 2 Pois aceitaram algumas das suas filhas para si e para os seus filhos; e eles, A DESCENDÊNCIA SANTA, ficaram misturados com os povos das terras, e a mão dos príncipes e dos delegados governantes mostrou estar na dianteira nesta infidelidade."


Assim verte a Tradução Almeida:

(Esdras 9:1-2) 1 Ora, logo que essas coisas foram terminadas, vieram ter comigo os príncipes, dizendo: O povo de Israel, e os sacerdotes, e os levitas, não se têm separado dos povos destas terras, das abominações dos cananeus, dos heteus, dos perizeus, dos jebuseus, dos amonitas, dos moabitas, dos egípcios e dos amorreus; 2 pois tomaram das suas filhas para si e para seus filhos; de maneira que a RAÇA SANTA se tem misturado com os povos de outras terras; e até os oficiais e magistrados foram os primeiros nesta transgressão.


Descendência santa, raça santaao se ouvir tais expressões, o que se nota???? Será que existe algum sintoma de superioridade???? Ou será que estavam mergulhados até o pescoço no espírito de superioridade em relação aos outros povos da terra de Canaã??

Estavam retornando de uma punição, e mesmo assim ainda se consideravam superiores a todos os demais povos que também estavam voltando do mesmo exílio forçado??

Se sentiam superiores ao demais companheiros de exílio forçado, pelo simples fato de serem os “escolhidos”??


"Descendência santa" era um título, um rótulo que eles carregavam e, segundo achavam, independia de serem realmente santos, ou seja, independia do comportamento santo. PARA ELES, ser a nação santa, NÃO ESTAVA CONDICIONADO a obedecer estritamente a palavra saída da boca de Jeová em TODOS os detalhes. Nação santa era uma suntuosa fantasia, uma herança física. No entanto, era o Professor Jeová quem deveria aprová-los como nação santa.


Eles se achavam e se rotulavam de “nação santa” simplesmente por serem descendentes de Abraão.


Estes homens viam como uma abominação a ação de se misturarem no sentido físico, ou seja, dar suas filhas e casarem-se com incircuncisos. No entanto, permaneciam seguindo outros costumes como a vingança, a formação de soldados, construção de monumentos, idolatrar antepassados, a escravidão de humanos, cobrança de juros e apedrejar pecadores, entre muitos outros.


Jeová não só observou e falou como o povo escolhido se sentia, como também mostrou Sua visão. Algum tempo antes da punição de exílio em Babilônia e da consequente confissão por parte do povo, Jeová afirmou através de Seu porta-voz Isaías:

(Isaías 48:1-2) 48 Ouvi isto, ó casa de Jacó, vós os que vos chamais pelo nome de Israel e que procedestes das próprias águas de Judá, vós os que jurais pelo nome de Jeová e que fazeis menção até mesmo do Deus de Israel, NÃO EM VERDADE E NÃO EM JUSTIÇA. 2 Pois chamaram-se como sendo da cidade santa e firmaram-se no Deus de Israel, cujo nome é Jeová dos exércitos.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Isaías 48:1-2) 1 Ouve isto, casa de Jacó, vós os que vos chamais do nome de Israel, e saístes das águas de Judá; que jurais pelo nome de Jeová, e fazeis menção do Deus de Israel, porém não em verdade nem em justiça. 2 Pois eles se chamam da cidade santa, e se firmam sobre o Deus de Israel; Jeová dos exércitos é o seu nome.


Assim verte a Tradução Almeida:

(Isaías 48:1-2) 1 Ouvi isto, casa de Jacó, que vos chamais do nome de Israel, e saístes dos lombos de Judá, que jurais pelo nome do Senhor, e fazeis menção do Deus de Israel, mas não em verdade nem em justiça. 2 E até da santa cidade tomam o nome, e se firmam sobre o Deus de Israel; o Senhor dos exércitos é o seu nome.



Esta foi uma INTRODUÇÃO sabiamente produzida por Jeová, preparando-os para as importantes informações seguintes. As informações seguintes também não traziam qualquer tipo de elogios para aquela geração do povo escolhido. Jeová continuou de forma sábia a expor suas informações:

(Isaías 48:3-11) 3 "Contei as primeiras coisas mesmo desde aquele tempo e saíram da minha própria boca, e eu fazia que fossem ouvidas. Repentinamente agi, e as coisas passaram a entrar. 4 Por eu saber que és duro e que a tua cerviz é um tendão de ferro e que a tua testa é cobre, 5 também eu te informava desde aquele tempo. Antes que pudesse entrar, fiz que [o] ouvisses, para que não dissesses: ‘Meu próprio ídolo as fez, e minha própria imagem esculpida e minha própria imagem fundida as ordenaram.’ 6 Tu ouviste. Observa tudo. Quanto a vós, não [o] contareis? Eu te fiz ouvir coisas novas do tempo atual, sim, coisas mantidas em reserva, que não conhecias. 7 Terão de ser criadas no tempo atual e não desde aquele tempo, sim, coisas de que antes de hoje não ouviste [falar], para que não digas: ‘Eis que eu já as conhecia.’ 8 "Além disso não ouviste, nem soubeste, nem foi aberto teu ouvido daquele tempo em diante. Pois eu bem sei que, sem falta, agias traiçoeiramente e foste chamado de ‘transgressor desde o ventre’. 9 POR CAUSA DO MEU NOME CONTROLAREI MINHA IRA E POR MEU LOUVOR ME REFREAREI PARA CONTIGO, PARA QUE NÃO HAJA DECEPAMENTO. 10 Eis que eu te refinei, mas não em [forma de] prata. Fiz a escolha de ti no forno de fundição da tribulação. 11 Por minha própria causa, por minha própria causa agirei, pois como pode alguém deixar-se profanar? E a minha própria glória não darei a outrem.


Assim verte a Tradução Almeida:

(Isaías 48:3-11) 3 Desde a antigüidade anunciei as coisas que haviam de ser; da minha boca é que saíram, e eu as fiz ouvir; de repente as pus por obra, e elas aconteceram. 4 PORQUE EU SABIA QUE ÉS OBSTINADO, que a tua cerviz é um nervo de ferro, e a tua testa de bronze. 5 Há muito tas anunciei, e as manifestei antes que acontecessem, para que não dissesses: O meu ídolo fez estas coisas, ou a minha imagem de escultura, ou a minha imagem de fundição as ordenou. 6 Já o tens ouvido; olha bem para tudo isto; porventura não o anunciarás? Desde agora te mostro coisas novas e ocultas, que não sabias. 7 São criadas agora, e não de há muito, e antes deste dia não as ouviste, para que não digas: Eis que já eu as sabia. 8 Tu nem as ouviste, nem as conheceste, nem tampouco há muito foi aberto o teu ouvido; porque eu sabia que procedeste muito perfidamente, e que eras chamado transgressor desde o ventre. 9 Por amor do meu nome retardo a minha ira, e por causa do meu louvor me contenho para contigo, PARA QUE EU NÃO TE EXTERMINE. 10 Eis que te purifiquei, mas não como a prata; provei-te na fornalha da aflição, 11 Por amor de mim, por amor de mim o faço; porque como seria profanado o meu nome? A minha glória não a darei a outrem,


O Professor dá o Seu parecer em relação ao aluno: “És obstinado; para que eu não te extermine, eu retardo a minha ira.


Foram escolhidos com o objetivo de serem ensinados a se tornarem ovelhas, a terem o comportamento de santos.


Vocês são ovelhas que ainda não aprenderam ser ovelhas.


Assim falou Jeová, aquele que escolheu o povo e cujo objetivo estava em Sua mente:

(Ezequiel 34:1-31) 34 E continuou a vir a haver para mim a palavra de Jeová, dizendo: 2 Filho do homem, profetiza contra os pastores de Israel. Profetiza, e tens de dizer-lhes, aos pastores: ‘Assim disse o Soberano Senhor Jeová: “Ai dos pastores de Israel, que foram tornar-se apascentadores de si mesmos! Não é ao rebanho que os pastores devem apascentar? 3 A gordura é o que comeis e com lã é que vestis a vós mesmos. Abateis o animal gordo. Não apascentais o próprio rebanho. 4 Não fortalecestes as adoentadas, e não curastes a doentia, e não pensastes a quebrada, e não trouxestes de volta a dispersada, e não procurastes a perdida, porém, mantiveste-as em sujeição com severidade, sim, com tirania. 5 E aos poucos foram espalhadas por não haver pastor, de modo que se tornaram alimento de toda fera do campo e continuaram a ser espalhadas. 6 Minhas ovelhas continuaram a perder-se em todos os montes e em todo morro alto; e minhas ovelhas foram espalhadas sobre a superfície inteira da terra, sem haver quem [as] buscasse e sem haver quem [as] procurasse. 7 “‘“Portanto, pastores, ouvi a palavra de Jeová: 8 ‘“Assim como vivo”, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová, “por certo, visto que as minhas ovelhas se tornaram algo a ser saqueado e minhas ovelhas continuaram a ser alimento para toda fera do campo, por não haver pastor, e meus pastores não buscaram as minhas ovelhas, mas os pastores continuaram a apascentar a si mesmos e não apascentaram as minhas próprias ovelhas”’, 9 por isso, pastores, ouvi a palavra de Jeová. 10 Assim disse o Soberano Senhor Jeová: ‘Eis que sou contra os pastores, e certamente exigirei de volta as minhas ovelhas da sua mão e os farei cessar de apascentar as [minhas] ovelhas, e os pastores não mais se apascentarão a si mesmos; e vou livrar as minhas ovelhas da sua boca e elas não se tornarão alimento para eles.’” 11 “‘Pois assim disse o Soberano Senhor Jeová: “Eis aqui estou, eu mesmo, e vou buscar as minhas ovelhas e cuidar delas. 12 Com o cuidado de alguém que apascenta a sua grei no dia em que chega a estar no meio das suas ovelhas que foram espalhadas, assim cuidarei das minhas ovelhas; e vou livrá-las de todos os lugares aos quais foram espalhadas no dia de nuvens e de densas trevas. 13 E vou fazê-las sair dentre os povos e reuni-las das terras, e vou fazê-las chegar ao seu solo e apascentá-las nos montes de Israel, junto aos regos e junto a todos os lugares de morada da terra. 14 Apascentá-las-ei num bom pasto e seu lugar de permanência virá a estar nos montes altos de Israel. Ali se deitarão num bom lugar de permanência e pastarão num pasto gordo sobre os montes de Israel.” 15 “‘“Eu mesmo apascentarei as minhas ovelhas e eu mesmo as farei deitar-se”, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová. 16 Procurarei a perdida e trarei de volta a dispersa, e pensarei a quebrada e fortalecerei a doentia, mas aniquilarei a gorda e a forte. A esta apascentarei com julgamento.” 17 “‘E quanto a vós, minhas ovelhas, assim disse o Soberano Senhor Jeová: “Eis que julgo entre ovídeo e ovídeo, entre os carneiros e os cabritos. 18 É algo de somenos importância para vós apascentardes a vós mesmos no melhor dos pastos, mas pisardes o resto dos vossos pastos com os vossos pés, e beberdes água pura, mas sujardes a que sobra, batendo com os vossos próprios pés? 19 E quanto às minhas ovelhas, devem elas pastar no pasto pisado pelos vossos pés e devem elas beber a água tornada suja pelo bater de vossos pés?” 20 “‘Portanto, assim lhes disse o Soberano Senhor Jeová: “Eis aqui estou, eu mesmo, e hei de julgar entre o ovídeo gordo e o ovídeo magro, 21 visto que continuastes a empurrar com o lado e com o ombro, e visto que continuastes a marrar com os vossos chifres a todas as adoentadas até que as tínheis espalhado para fora. 22 E eu vou salvar as minhas ovelhas e elas não mais se tornarão algo a ser saqueado; e vou julgar entre ovídeo e ovídeo. 23 E vou suscitar sobre elas um só pastor e ele terá de apascentá-las, sim, meu servo Davi. Ele mesmo as apascentará e ele mesmo se tornará seu pastor. 24 E eu mesmo, Jeová, me tornarei seu Deus, e meu servo Davi, maioral no meio delas. Eu, Jeová, é que falei. 25 “‘“E vou concluir com elas um pacto de paz, e hei de fazer cessar no país a fera nociva, e elas realmente morarão no ermo em segurança e dormirão nas florestas. 26 E delas e dos arredores do meu morro vou fazer uma bênção e vou fazer as chuvadas descer no seu tempo. Chuvadas de bênção virá a haver. 27 E a árvore do campo terá de dar seu fruto e a própria terra dará a sua produção, e mostrarão estar realmente em segurança no seu solo. E terão de saber que eu sou Jeová, quando eu quebrar os paus do seu jugo e eu as tiver livrado da mão dos que as tinham escravizado. 28 E não mais se tornarão para as nações algo a ser saqueado; e quanto à fera da terra, não as devorará, e elas morarão realmente em segurança, sem que alguém [as] faça tremer. 29 “‘“E vou suscitar para elas a plantação de um nome, e elas não se tornarão mais as que são tiradas pela fome na terra e não mais levarão humilhação da parte das nações. 30 E terão de saber que eu, Jeová, seu Deus, estou com elas e que são meu povo, a casa de Israel’, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová.”’ 31 E no que se refere a vós, minhas ovelhas, ovelhas do meu pasto, vós sois homens terrenos. Eu sou vosso Deus’, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová.”



Embora o povo fosse rotulado ou SE ROTULASSE de povo santo e até mesmo jurassem pelo nome de Jeová e cumprissem os estipulados rituais no templo de Jerusalém, não existia verdade no povo, não existia justiça no povo. Embora as diversas gerações se considerassem povo santo, não era um povo santo, não tinham o comportamento de pessoas santas. Foram classificados por Jeová como rebeldes e infiéis. Sucessivas gerações de alunos infiéis.



Ao retornar do exílio em Babilônia, a "nação santa" assim confessou:

(Neemias 9:1-3) 9 E no vigésimo quarto dia deste mês, os filhos de Israel se ajuntaram com jejum, e com serapilheira, e com terra sobre si. 2 E a descendência de Israel passou a separar-se de todos os estrangeiros, e a ficar de pé e a fazer confissão dos seus próprios pecados e dos erros de seus pais. 3 Então se levantaram no seu lugar e leram alto do livro da lei de Jeová, seu Deus, por uma quarta parte do dia; e por uma quarta parte FAZIAM CONFISSÃO e se curvavam diante de Jeová, seu Deus.


(Neemias 9:6-37) 6 "Só tu és Jeová; tu mesmo fizeste os céus, [sim,] o céu dos céus e todo o seu exército, a terra e tudo o que há sobre ela, os mares e tudo o que há neles; e tu preservas vivos a todos eles; e o exército dos céus se curva diante de ti. 7 Tu és Jeová, o [verdadeiro] Deus, que escolheste a Abrão e o fizeste sair de Ur dos Caldeus e lhe puseste o nome de Abraão. 8 E achaste seu coração fiel diante de ti; de modo que se celebrou com ele o pacto de [lhe] dar a terra dos cananeus, dos hititas, dos amorreus e dos perizeus, e dos jebuseus, e dos girgaseus, a fim de [a] dar à sua descendência; e passaste a cumprir as tuas palavras porque és justo. 9 "Portanto, viste a tribulação de nossos antepassados no Egito e ouviste seu clamor junto ao Mar Vermelho. 10 Deste então sinais e milagres contra Faraó e todos os seus servos, e todo o povo da sua terra, pois sabias que agiram presunçosamente contra ti; e passaste a fazer para ti um nome como no dia de hoje. 11 E partiste o mar diante deles, de modo que passaram pelo meio do mar em terra seca; e aos seus perseguidores lançaste nas profundidades como uma pedra em águas potentes. 12 E guiaste-os de dia por uma coluna de nuvem e de noite por uma coluna de fogo, para iluminar-lhes o caminho em que deviam andar. 13 E desceste sobre o monte Sinai e falaste com eles desde o céu, e prosseguiste a dar-lhes decisões judiciais retas e leis de verdade, regulamentos e mandamentos bons. 14 E deste-lhes a conhecer teu santo sábado e ordenaste-lhes mandamentos, e regulamentos, e uma lei, por intermédio de Moisés, teu servo. 15 E deste-lhes pão desde o céu para a sua fome e fizeste-lhes sair águas do rochedo para a sua sede, e prosseguiste, dizendo-lhes que entrassem e se apossassem da terra a respeito da qual ergueste tua mão [em juramento] de dá-la a eles. 16 "E eles mesmos, sim, nossos antepassados, agiram presunçosamente e passaram a endurecer sua cerviz, e não escutaram teus mandamentos. 17 Negaram-se, pois, a escutar e não se lembraram dos teus atos maravilhosos que realizaste com eles, mas endureceram a sua cerviz e designaram um cabeça para retornar à sua servidão no Egito. Tu, porém, és um Deus de atos de perdão, clemente e misericordioso, vagaroso em irar-se e abundante em benevolência, e não os abandonaste. 18 Sim, quando fizeram para si a estátua fundida dum bezerro e começaram a dizer: ‘Este é o teu Deus que te fez subir do Egito’, e passaram a cometer grandes atos de desrespeito, 19 tu, sim, tu, na tua abundante misericórdia, não os abandonaste no ermo. A própria coluna de nuvem não se afastou de cima deles de dia, para guiá-los no caminho, nem a coluna de fogo de noite, para iluminar-lhes o caminho em que deviam andar. 20 E deste-lhes o teu bom espírito para fazê-los circunspetos, e não negaste teu maná à sua boca, e deste-lhes água para a sua sede. 21 E por quarenta anos lhes proveste alimento no ermo. Não careceram de nada. Seus próprios mantos não se gastaram e os próprios pés deles não ficaram inchados. 22 "E passaste a dar-lhes reinos e povos, e a repartir estes pedaço por pedaço; de modo que tomaram posse da terra de Síon, sim, da terra do rei de Hésbon, e da terra de Ogue, rei de Basã. 23 E fizeste seus filhos tantos quantas as estrelas dos céus. Então os levaste à terra de que prometeste aos seus antepassados que entrariam [nela] para tomar posse. 24 De modo que seus filhos entraram e tomaram posse da terra, e passaste a subjugar diante deles os habitantes do país, os cananeus, e a entregá-los na sua mão, mesmo os seus reis e os povos da terra, para que fizessem com eles segundo o seu bel-prazer. 25 E foram capturar cidades fortificadas e solo gordo, e tomar posse de casas cheias de todas as coisas boas, de cisternas escavadas, de vinhedos e de olivais, e de árvores para alimento em abundância, e começaram a comer, e a fartar-se, e a engordar, e a deleitar-se na tua grande bondade. 26 "Todavia, ficaram desobedientes e rebelaram-se contra ti, e persistiram em lançar a tua lei atrás das suas costas, e mataram os teus próprios profetas que testificaram contra eles para trazê-los de volta a ti; e eles prosseguiram cometendo atos de grande desrespeito. 27 Por causa disso os entregaste na mão dos seus adversários, os quais lhes causavam aflição; mas no tempo da sua aflição clamavam a ti e tu mesmo os ouvias desde os próprios céus; e segundo a tua abundante misericórdia lhes davas salvadores que os salvavam da mão dos seus adversários. 28 "Mas assim que tinham descanso, voltavam a fazer o que era mau diante de ti, e tu os abandonavas na mão de seus inimigos, os quais os espezinhavam. Então retornavam e clamavam por socorro, e tu mesmo ouvias desde os próprios céus e os livravas de acordo com a tua abundante misericórdia, vez após vez. 29 Embora testificasses contra eles, a fim de trazê-los de volta à tua lei, eles mesmos agiram até mesmo presunçosamente e não escutaram os teus mandamentos; e pecaram contra as tuas próprias decisões judiciais, as quais, praticando-as o homem, ele também tem de viver por meio delas. E persistiram em dar um ombro obstinado e endureceram a sua cerviz, e não escutaram. 30 Mas tu foste indulgente para com eles por muitos anos e continuaste a testificar contra eles por teu espírito, por intermédio dos teus profetas, e eles não deram ouvidos. Por fim os entregaste na mão dos povos das terras. 31 E TU, NA TUA ABUNDANTE MISERICÓRDIA, NÃO OS EXTERMINASTE NEM OS ABANDONASTE; POIS ÉS UM DEUS CLEMENTE E MISERICORDIOSO. 32 "E agora, ó nosso Deus, o Deus grande, poderoso e atemorizante, guardando o pacto e a benevolência, não deixes parecer pouco diante de ti toda a dificuldade que achou a nós, a nossos reis, a nossos príncipes, e a nossos sacerdotes, e a nossos profetas, e a nossos antepassados, e a todo o teu povo, desde os dias dos reis da Assíria até o dia de hoje. 33 E TU ÉS JUSTO NO QUE SE REFERE A TUDO O QUE VEIO SOBRE NÓS, POIS AGISTE FIELMENTE, MAS NÓS FOMOS OS QUE AGIMOS DE MODO INÍQUO. 34 Quanto a nossos reis, nossos príncipes, nossos sacerdotes e nossos antepassados, não praticaram a tua lei, nem prestaram atenção aos teus mandamentos ou aos teus testemunhos com que testificaste contra eles. 35 E eles mesmos — durante o seu reinado e no meio de tuas abundantes coisas boas que lhes deste, e na terra ampla e gorda que lhes fizeste disponível, não te serviram nem recuaram das suas práticas más. 36 Eis que hoje somos escravos; e quanto à terra que deste aos nossos antepassados para que comessem dos seus frutos e das suas coisas boas, eis que somos escravos nela, 37 e seus produtos abundam para os reis que puseste sobre nós por causa dos nossos pecados, e eles governam sobre os nossos corpos e sobre os nossos animais domésticos, segundo o seu bel-prazer, e estamos em grande aflição.


SÓ HOUVE CONFISSÃO, ADMISSÃO DOS ERROS, SÓ E SOMENTE SÓ, APÓS A DEVIDA PUNIÇÃO. Se não houvesse a grande punição, não haveria esta confissão, pois os punidos juravam que estavam fazendo o que era certo.


A escolha continua. Outros escolhidos.

Jesus escolheu 12 apóstolos.

Por um acaso, foram vocês que me escolheram?? Não.

Foi eu quem escolheu vocês.

Se tivessem sido vocês a me escolherem como Mestre, isto representava uma análise de vocês ou um desejo específico de vocês. Haveria um porque da escolha.

No entanto, não foi este o caso.

Ao me escolherem, o objetivo da escolha seria de vocês, mas, não foi este o caso.

(João 15:16) 10 Vós não me escolhestes, mas EU ESCOLHI A VÓS, e eu vos designei PARA prosseguirdes e persistirdes em dar fruto, e que o vosso fruto permaneça; a fim de que, não importa o que pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo dê.


Como se deu tal escolha da parte de Jesus??

Alguém aí sabe qual foi o critério usado por Jesus para escolher aqueles doze homens??

Será que eram mais alguma coisa qualquer do que os outros?? Eram menos pecadores do que os demais habitantes de Jerusalém??

Será que Jesus explicou a cada um deles o motivo especial de o ter escolhido??

Tratava-se de uma escolha porque havia algo especial no escolhido??

Jesus não falou nada disso, não é verdade??

Havia uma contínua disputa entre os escolhidos para saberem quem era o maior entre eles, não havia??

No entanto, Jesus informou que haviam sido escolhidos PARA a realização de algo...

Não lhes disse que haviam sido escolhidos por algo que eram ou que haviam feito. Não lhes disse nada disso, o que seria usado como uma arma na luta pela superioridade, que eles não abandonavam.

Se competiam entre si para serem o maior, o mais importante, como será que os apóstolos viam os demais??

Será que viam com igualdade??

Será??

Vejamos este fato registrado por eles mesmos:

(Lucas 12:39-43) 39 Mas sabei que se o dono da casa tivesse sabido a que hora havia de vir o ladrão, não o haveria deixado arrombar a sua casa. 40 Estai vós também apercebidos, porque à hora que não pensais, virá o Filho do homem. 41 PEDRO PERGUNTOU-LHE: SENHOR, DIRIGES ESTA PARÁBOLA A NÓS OU TAMBÉM A TODOS? 42 Respondeu o Senhor: Quem é, pois, o despenseiro fiel e prudente, ao qual o seu senhor confiará a direção da sua casa, para que em tempo devido distribua o alimento? 43 Bem-aventurado aquele servo a quem o seu senhor, quando vier, achar assim fazendo.

Para Pedro e todos os demais 11 escolhidos, havia uma diferença entre eles e os demais, só pelo fato de terem sido escolhidos. Não resta nenhuma dúvida disso. As atitudes e as palavras deixam isso bem claro. Eles se sentiam especiais em relação a todos os demais. Na mente deles, Jesus era um rei e eles eram os príncipes, e, quanto aos demais, eram a plebe. Na mente deles, não poderia haver uma outra forma das coisas acontecerem.


Assim como os doze filhos de Jacó formaram a base da "nação santa", povo escolhido de Jeová para ser motivo de honra e beleza, os doze apóstolos de Jesus formaram a base da nova "nação santa", povo escolhido para ser algo belo, algo para se orgulhar e exibir.

(Revelação 21:9-14) 9 E veio um dos sete anjos que tinham as sete tigelas cheias das últimas sete pragas, e falou comigo, dizendo: "Vem para cá, mostrar-te-ei a noiva, a esposa do Cordeiro." 10 Levou-me assim no [poder do] espírito para um grande e alto monte, e mostrou-me a cidade santa de Jerusalém descendo do céu, da parte de Deus, 11 e tendo a glória de Deus. Seu resplendor era semelhante a uma pedra mui preciosa, como pedra de jaspe, brilhando como cristal. 12 Tinha uma grande e alta muralha, e tinha DOZE PORTÕES, e, junto aos portões, doze anjos, e havia nomes inscritos, os quais são os das DOZE TRIBOS dos filhos de Israel. 13 Ao leste havia três portões, e ao norte havia três portões, e ao sul havia três portões, e ao oeste havia três portões. 14 A muralha da cidade tinha também DOZE PEDRAS DE ALICERCE, e sobre elas os doze nomes dos DOZE APÓSTOLOS do Cordeiro.


TAMBÉM SÃO ESCOLHIDOS PARA SEREM REIS E SACERDOTES:

(Revelação 5:9-10) 9 E cantam um novo cântico, dizendo: "Digno és de tomar o rolo e de abrir os seus selos, porque foste morto e com o teu sangue compraste pessoas para Deus, dentre toda tribo, e língua, e povo, e nação, 10 E FIZESTES DELES UM REINO E SACERDOTES PARA O NOSSO DEUS, E HÃO DE REINAR SOBRE A TERRA."


De entre que tipo de pessoas foram escolhidos os apóstolos? Entre os pecadores, entre os renegados pela autoridade espiritual reconhecida e que até então representava a Jeová.

(Marcos 2:13-17) 13 Novamente, foi para a beira do mar; e toda a multidão vinha a ele, e ele começou a ensiná-los. 14 Mas, ao passar para diante, avistou Levi, o [filho] de Alfeu, sentado na coletoria, e disse-lhe: “Sê meu seguidor.” E ele, levantando-se, seguiu-o. 15 Mais tarde, aconteceu que estava recostado à mesa, na casa deste, e muitos cobradores de impostos e pecadores se recostavam com Jesus e seus discípulos, pois havia muitos deles e começavam a segui-lo. 16 Mas os escribas dos fariseus, quando viram que ele comia com os pecadores e os cobradores de impostos, começaram a dizer aos discípulos: “Come ele com os cobradores de impostos e os pecadores?” 17 Ao ouvir isso, Jesus disse-lhes: “Os fortes não precisam de médico, mas sim os enfermos. Não VIM CHAMAR OS que são justos, mas PECADORES.”

Buscar e salvar o que estava perdido, afirmou Jesus: (Lucas 19:9-10) 9 A isto Jesus disse-lhe: “Neste dia entrou a salvação nesta casa, porque ele também é filho de Abraão. 10 Pois o Filho do homem VEIO BUSCAR E SALVAR O QUE ESTAVA PERDIDO .”


Os que se achavam conhecedores e praticantes da lei, os sacerdotes e levitas, os fariseus e outros que se achavam santos, a autoridade espiritual oficialmente constituída, como viam os discípulos de Jesus?

(João 7:45-49) 45 Portanto, os oficiais voltaram aos principais sacerdotes e fariseus, e estes últimos lhes disseram: “Por que é que não o trouxestes para cá?” 46 Os oficiais responderam: “Nunca homem algum falou como este.” 47 Os fariseus responderam, por sua vez: “Será que também vós fostes desencaminhados? 48 Será que um só dos governantes ou dos fariseus depositou fé nele? 49 Mas esta multidão, que não sabe a Lei, SÃO PESSOAS AMALDIÇOADAS.. . .


Do ponto de vista da autoridade espiritual estabelecida e aceita, todos os que davam atenção e seguiam Jesus eram pessoas amaldiçoadas, ou seja, pecadores.

Do ponto de vista de Jesus, segundo os olhos de Jesus, ele estava escolhendo doze pecadores, doze doentes que precisavam de médico. Jesus era o médico. Entretanto, os doentes precisam reconhecer que são doentes. O fato de tais doentes serem "escolhidos" não os tira da condição de doentes. O fato de tais pecadores serem "escolhidos" não os tira da condição de pecadores. O fato de terem sido escolhidos não representava que eram melhores do que os não escolhidos. Não havia nenhum mérito pelo fato de terem sido escolhidos.

Os doze apóstolos continuaram pecadores, mesmo depois da escolha de Jesus. Enquanto ainda estavam na presença física de Jesus, continuaram cometendo pecados - não se mostraram santos. Jesus os ensinou a teoria - como deveriam comportar-se. Ensinou-os também a parte prática - mostrou como deveriam comportar-se, através da forma como comportou-se, seu exemplo.

O professor Jesus estava ensinando a seus alunos como alcançarem a condição de nação santa. Cada um deles com o comportamento de santos, eles formariam um grupo santo.


Mesmo após já terem realizado obras poderosas em benefício dos que sofriam, CURANDO E EXPULSANDO DEMÔNIOS, apóstolos queriam matar os que não estavam dispostos - uma atitude nada misericordiosa:

(Lucas 9:51-56) 51 Chegando então a completar-se para ele os dias de ser tomado para cima, endureceu o rosto [na determinação] de ir a Jerusalém. 52 De modo que enviou mensageiros na sua frente. E eles foram e entraram numa aldeia de samaritanos, a fim de fazerem os preparativos para ele; 53 mas não o receberam, porque o seu rosto estava endurecido [na determinação] de ir a Jerusalém. 54 Vendo isso os discípulos Tiago e João, disseram: "SENHOR, QUERES QUE MANDEMOS QUE DESÇA FOGO DO CÉU E OS ANIQUILE?" 55 Mas ele se voltou e os censurou.


Agir desta forma seria ir muito além do que determinava o artigo "olho por olho e dente por dente" da lei dada a Moisés, pois os samaritanos "apenas" não receberam os mensageiros enviados por Jesus, ou até mesmo, não receberam a Jesus. Matá-los, queimando-os com fogo dos céus, seria ir muito além da ofensa recebida.

(Mateus 26:51-52) 51 Mas, eis que um dos que estavam com Jesus ESTENDEU A SUA MÃO E PUXOU A SUA ESPADA, e, golpeando o escravo do sumo sacerdote, cortou-lhe a orelha. 52 Jesus disse-lhe então: "Devolve a espada ao seu lugar, pois todos os que tomarem a espada perecerão pela espada.


Em ambos os casos, Jesus CENSUROU-OS PELA ATITUDE INÍQUA, deixando bem claro que fazer obras poderosas em nome de Jesus não transforma a pessoa em santa. Jesus já havia falado sobre isso no Sermão do Monte:

(Mateus 7:22-23) 22 Muitos me dirão naquele dia: ‘Senhor, Senhor, não profetizamos em teu nome e não expulsamos demônios em teu nome, e não fizemos muitas obras poderosas em teu nome?’ 23 Contudo, eu lhes confessarei então: Nunca vos conheci! Afastai-vos de mim, vós obreiros do que é contra a lei.


Embora fizessem obras poderosas no nome de Jesus, as outras obras dos apóstolos mereciam repreensão de Jesus por serem obras contra a lei. Decerto, não eram santos.


Entretanto, para que escolheu Jesus doze apóstolos, número exatamente igual aos doze filhos de Jacó? Das palavras que saíram da boca de Jesus se obtém a resposta:

(Mateus 5:13-16) 13 Vós sois o sal da terra; mas, se o sal perder a sua força, como se lhe restabelecerá a sua salinidade? Não presta mais para nada, senão para ser lançado fora, a fim de ser pisado pelos homens. 14 VÓS SOIS A LUZ DO MUNDO. Não se pode esconder uma cidade situada sobre um monte. 15 As pessoas acendem uma lâmpada e a colocam, não debaixo do cesto de medida, mas no velador, e ela brilha sobre todos na casa. 16 Do mesmo modo, DEIXAI BRILHAR A VOSSA LUZ perante os homens, PARA QUE VEJAM AS VOSSAS OBRAS EXCELENTES E DÊEM GLÓRIA AO VOSSO PAI, QUE ESTÁ NOS CÉUS.


PARA QUE MESMO??

Para que as pessoas vejam as vossas obras excelentes e deem glória ao vosso Pai, que está nos céus.

O objetivo do Pai continuava o mesmo, não continuava??

O escolhido deveria ser motivo de glória para Aquele que os escolheu.

PARA me serem por povo, e por nome, e por louvor, e por glória;


Vocês foram escolhidos PARA QUE os homens vejam algo de diferente em vocês e atribuam a Deus o crédito por isso - vejam obras excelentes.

Para que isso aconteça, vocês precisam ter um comportamento diferente do comportamento deles.


O motivo de Jeová escolher um povo foi: A FIM DE QUE se tornassem para mim um povo, e um nome, e louvor, e algo belo. Nas palavras de Jesus podemos ver a similaridade entre Jeová e Jesus quanto ao motivo da escolha, o objetivo da escolha.

Jesus deixou claro que além do escolhido ter de ser diferente no comportamento, havia a necessidade de persistir em dar fruto, isto é, produzir obras excelentes. Além de ter as características de Jesus, os escolhidos também teriam de ensinar outras pessoas a terem as mesmas características do Instrutor:

(João 15:16) 16 Vós não me escolhestes, mas eu escolhi a vós, e eu vos designei PARA PROSSEGUIRDES E PERSISTIRDES EM DAR FRUTO, e que o vosso fruto permaneça; a fim de que, não importa o que pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo dê.


Frutos contínuos – que o vosso fruto permaneça, que não seja temporário ou de acordo com as circunstâncias.


Para tal, para que os escolhidos fossem diferentes e produzissem obras excelentes, que chamassem a atenção dos homens, que induzisse estes homens a atribuir a Deus o crédito de tais obras, Jesus deu a seus escolhidos apóstolos e demais discípulos, novas determinações, novas ordens.

Que NOVAS ORDENS foram dadas, que quando cumpridas (obedecidas) gerariam obras excelentes, e que quando vistas pelos homens, estes homens dariam glória a Deus?

Era algo novo, um novo ensino, um ensino inédito, um vinho novo. Este vinho novo, a forma teórica dele, foi introduzido por Jesus no Sermão do Monte. Jesus mostrou quais eram as "atitudes pessoais" que seriam vistas nos discípulos. Não se tratava de poderes especiais, de realizar grandes milagres ou obras poderosas. Tratava-se de "atitudes pessoais" permanentes, atitudes estas que permaneceriam ou continuariam manifestas quando tal pessoa estivesse sobre extremas adversidades. Estas "atitudes pessoais" estariam profundamente arraigadas como uma casa construída sobre a rocha. Para manter tais "atitudes pessoais", o aluno (discípulo) teria de praticar continuamente as ordens dadas por Jesus no Sermão do Monte.



Assim falou Jesus, estipulando a nova Lei (apenas para os ouvintes, afinal para Jesus não havia nada de novo no que estava falando):

(Mateus 5:1-7:29) 5 Quando viu as multidões, subiu ao monte; e, depois de se assentar, vieram a ele os seus discípulos; 2 e ele abriu a boca e começou a ensiná-los, dizendo: 3 “Felizes os cônscios de sua necessidade espiritual, porque a eles pertence o reino dos céus. 4 “Felizes os que pranteiam, porque serão consolados. 5 “Felizes os de temperamento brando, porque herdarão a terra. 6 “Felizes os famintos e sedentos da justiça, porque serão saciados. 7 “Felizes os misericordiosos, porque serão tratados com misericórdia. 8 “Felizes os puros de coração, porque verão a Deus. 9 “Felizes os pacíficos, porque serão chamados ‘filhos de Deus’. 10 “Felizes os que têm sido perseguidos por causa da justiça, porque a eles pertence o reino dos céus. 11 “Felizes sois quando vos vituperarem e perseguirem, e, mentindo, disserem toda sorte de coisas iníquas contra vós, por minha causa. 12 Alegrai-vos e pulai de alegria, porque a vossa recompensa é grande nos céus; pois assim perseguiram os profetas antes de vós. 13 “Vós sois o sal da terra; mas, se o sal perder a sua força, como se lhe restabelecerá a sua salinidade? Não presta mais para nada, senão para ser lançado fora, a fim de ser pisado pelos homens. 14 “Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade situada sobre um monte. 15 As pessoas acendem uma lâmpada e a colocam, não debaixo do cesto de medida, mas no velador, e ela brilha sobre todos na casa. 16 Do mesmo modo, deixai brilhar a vossa luz perante os homens, para que vejam as vossas obras excelentes e dêem glória ao vosso Pai, que está nos céus. 17 “Não penseis que vim destruir a Lei ou os Profetas. Não vim destruir, mas cumprir; 18 pois, deveras, eu vos digo que antes passariam o céu e a terra, do que passaria uma só letra menor ou uma só partícula duma letra da Lei sem que tudo se cumprisse. 19 Quem, portanto, violar um destes mínimos mandamentos e ensinar a humanidade neste sentido, será chamado ‘mínimo’ com relação ao reino dos céus. Quanto àquele que os cumprir e ensinar, esse será chamado ‘grande’ com relação ao reino dos céus. 20 Pois eu vos digo que, se a vossa justiça não abundar mais do que a dos escribas e fariseus, de modo algum entrareis no reino dos céus. 21 “Ouvistes que se disse aos dos tempos antigos: ‘Não deves assassinar; mas quem cometer um assassínio terá de prestar contas ao tribunal de justiça.’ 22 NO ENTANTO, DIGO-VOS QUE todo aquele que continuar furioso com seu irmão terá de prestar contas ao tribunal de justiça; mas, quem se dirigir a seu irmão com uma palavra imprópria de desprezo terá de prestar contas ao Supremo Tribunal; ao passo que quem disser: ‘Tolo desprezível!’, estará sujeito à Geena ardente. 23 “SE TU, POIS, TROUXERES A TUA DÁDIVA AO ALTAR e ali te lembrares de que o teu irmão tem algo contra ti, 24 deixa a tua dádiva ali na frente do altar e vai; faze primeiro as pazes com o teu irmão, e então, tendo voltado, oferece a tua dádiva. 25 “Resolve prontamente os assuntos com aquele que se queixa de ti em juízo, enquanto ainda estás com ele em caminho para lá, para que, de algum modo, o queixoso não te entregue ao juiz, e o juiz, ao oficial de justiça, e sejas lançado na prisão. 26 Eu te digo categoricamente: Certamente não sairás dali até pagares a última moeda de pouco valor. 27 “Ouvistes que se disse: ‘Não deves cometer adultério.’ 28 MAS EU VOS DIGO QUE todo aquele que persiste em olhar para uma mulher, a ponto de ter paixão por ela, já cometeu no coração adultério com ela. 29 Se, pois, aquele olho direito teu te faz tropeçar, arranca-o e lança-o para longe de ti. Porque é mais proveitoso para ti que percas um dos teus membros, do que ser todo o teu corpo lançado na Geena. 30 Também, se a tua mão direita te faz tropeçar, corta-a e lança-a para longe de ti. Porque te é mais proveitoso perder um dos teus membros, do que todo o teu corpo acabar na Geena. 31 “Outrossim, foi dito: ‘Quem se divorciar de sua esposa, dê-lhe certificado de divórcio.’ 32 NO ENTANTO, EU VOS DIGO QUE todo aquele que se divorciar de sua esposa, a não ser por causa de fornicação, expõe-na ao adultério, e quem se casar com uma mulher divorciada comete adultério. 33 “Novamente, ouvistes que se disse aos dos tempos antigos: ‘Não deves jurar sem cumprir, mas tens de pagar os teus votos a Jeová.’ 34 NO ENTANTO, EU VOS DIGO: Não jureis absolutamente, nem pelo céu, porque é o trono de Deus; 35 nem pela terra, porque é o escabelo de seus pés; nem por Jerusalém, porque é a cidade do grande Rei. 36 Tampouco deves jurar pela tua cabeça, porque não podes tornar nem um só cabelo branco ou preto. 37 Deixai simplesmente que a vossa palavra Sim signifique Sim, e o vosso Não, Não; pois tudo o que for além disso é do iníquo. 38 “Ouvistes que se disse: ‘Olho por olho e dente por dente.’ 39 NO ENTANTO, EU VOS DIGO: Não resistais àquele que é iníquo; mas, a quem te esbofetear a face direita, oferece-lhe também a outra. 40 E, se alguém quiser levar-te perante o tribunal para obter posse de tua roupa interior, deixa-o ter também a tua roupa exterior; 41 e, se alguém sob autoridade te obrigar a prestar serviço por mil passos, vai com ele dois mil. 42 Dá ao que te pede e não te desvies daquele que deseja tomar emprestado de ti [sem juros]. 43 “Ouvistes que se disse: ‘Tens de amar o teu próximo e odiar o teu inimigo.’ 44 NO ENTANTO, EU VOS DIGO: Continuai a amar os vossos inimigos e a orar pelos que vos perseguem; 45 para que mostreis ser filhos de vosso Pai, que está nos céus, visto que ele faz o seu sol levantar-se sobre iníquos e sobre bons, e faz chover sobre justos e sobre injustos. 46 Pois, se amardes aos que vos amam, que recompensa tendes? Não fazem também a mesma coisa os cobradores de impostos? 47 E, se cumprimentardes somente os vossos irmãos, que fazeis de extraordinário? Não fazem também a mesma coisa as pessoas das nações? 48 Concordemente, TENDES DE SER PERFEITOS, ASSIM COMO O VOSSO PAI CELESTIAL É PERFEITO. 6 “Tomai muito cuidado em não praticardes a vossa justiça diante dos homens, a fim de serdes observados por eles; do contrário não tereis recompensa junto de vosso Pai que está nos céus. 2 PORTANTO, quando fizeres dádivas de misericórdia, não toques a trombeta diante de ti, assim como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem glorificados pelos homens. Deveras, eu vos digo: Eles já têm plenamente a sua recompensa. 3 Mas tu, quando fizeres dádivas de misericórdia, não deixes a tua esquerda saber o que a tua direita está fazendo, 4 para que as tuas dádivas de misericórdia fiquem em secreto; então o teu Pai, que está olhando em secreto, te pagará de volta. 5 “TAMBÉM, QUANDO ORARDES, não deveis ser como os hipócritas; porque eles gostam de orar em pé nas sinagogas e nas esquinas das ruas largas, para serem vistos pelos homens. Deveras, eu vos digo: Eles já têm plenamente a sua recompensa. 6 Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto particular, e, fechando a tua porta, ora a teu Pai que está em secreto; então o teu Pai, que olha em secreto, te pagará de volta. 7 Mas, ao orares, não digas as mesmas coisas vez após vez, assim como fazem os das nações, pois imaginam que serão ouvidos por usarem de muitas palavras. 8 PORTANTO, NÃO VOS FAÇAIS SEMELHANTES A ELES, porque Deus, vosso Pai, sabe de que coisas necessitais antes de lhe pedirdes. 9 “Portanto, tendes de orar do seguinte modo: “‘Nosso Pai nos céus, santificado seja o teu nome. 10 Venha o teu reino. Realize-se a tua vontade, como no céu, assim também na terra. 11 Dá-nos hoje o nosso pão para este dia; 12 e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós também temos perdoado aos nossos devedores. 13 E não nos leves à tentação, mas livra-nos do iníquo.’ 14 “POIS, SE PERDOARDES AOS HOMENS AS SUAS FALHAS, TAMBÉM O VOSSO PAI CELESTIAL VOS PERDOARÁ; 15 AO PASSO QUE, SE NÃO PERDOARDES AOS HOMENS AS SUAS FALHAS, TAMPOUCO O VOSSO PAI VOS PERDOARÁ AS VOSSAS FALHAS. 16 “Quando jejuardes, parai de ficar com o rosto triste, como os hipócritas, pois desfiguram os seus rostos para que pareça aos homens que estão jejuando. Deveras, eu vos digo: Eles já têm plenamente a sua recompensa. 17 Mas tu, quando jejuares, unta a tua cabeça e lava o rosto, 18 para que não pareça aos homens que estás jejuando, mas ao teu Pai, que está em secreto; então o teu Pai, que olha em secreto, te recompensará. 19 “PARAI DE ARMAZENAR PARA VÓS TESOUROS NA TERRA, onde a traça e a ferrugem consomem, e onde ladrões arrombam e furtam. 20 Antes, armazenai para vós tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde ladrões não arrombam nem furtam. 21 Pois, onde estiver o teu tesouro, ali estará também o teu coração. 22 “A lâmpada do corpo é o olho. Se, pois, o teu olho for singelo, todo o teu corpo será luminoso; 23 mas, se o teu olho for iníquo, todo o teu corpo será escuro. Se, na realidade, a luz que está em ti é escuridão, quão grande é essa escuridão! 24 “Ninguém pode trabalhar como escravo para dois amos; pois, ou há de odiar um e amar o outro, ou há de apegar-se a um e desprezar o outro. NÃO PODEIS TRABALHAR COMO ESCRAVOS PARA DEUS E PARA AS RIQUEZAS. 25 “POR ESTA RAZÃO EU VOS DIGO: Parai de estar ansiosos pelas vossas almas, quanto a que haveis de comer ou quanto a que haveis de beber, ou pelos vossos corpos, quanto a que haveis de vestir. Não significa a alma mais do que o alimento e o corpo mais do que o vestuário? 26 Observai atentamente as aves do céu, porque elas não semeiam nem ceifam, nem ajuntam em celeiros; contudo, vosso Pai celestial as alimenta. Não valeis vós mais do que elas? 27 Quem de vós, por estar ansioso, pode acrescentar um só côvado à duração de sua vida? 28 Também no assunto do vestuário, por que estais ansiosos? Aprendei uma lição dos lírios do campo, como eles crescem; não labutam nem fiam; 29 mas eu vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, se vestia como um destes. 30 Se Deus, pois, veste assim a vegetação do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, não vestirá ele tanto mais a vós, ó vós os de pouca fé? 31 Portanto, nunca estejais ansiosos, dizendo: ‘Que havemos de comer?’ ou: ‘Que havemos de beber?’ ou: ‘Que havemos de vestir?’ 32 Porque todas estas são as coisas pelas quais se empenham avidamente as nações. Pois o vosso Pai celestial sabe que necessitais de todas essas coisas. 33 “Persisti, pois, em buscar primeiro o reino e a Sua justiça, e todas estas [outras] coisas vos serão acrescentadas. 34 Portanto, nunca estejais ansiosos quanto ao dia seguinte, pois o dia seguinte terá as suas próprias ansiedades. Basta a cada dia o seu próprio mal. 7 “PARAI DE JULGAR, PARA QUE NÃO SEJAIS JULGADOS; 2 POIS, COM O JULGAMENTO COM QUE JULGAIS, VÓS SEREIS JULGADOS; E COM A MEDIDA COM QUE MEDIS, MEDIRÃO A VÓS. 3 Então, por que olhas para o argueiro no olho do teu irmão, mas não tomas em consideração a trave no teu próprio olho? 4 Ou, como podes dizer a teu irmão: ‘Permite-me tirar o argueiro do teu olho’, quando, eis que há uma trave no teu próprio olho? 5 Hipócrita! Tira primeiro a trave do teu próprio olho, e depois verás claramente como tirar o argueiro do olho do teu irmão. 6 “Não deis aos cães o que é santo, nem lanceis as vossas pérolas diante dos porcos, para que nunca as pisem debaixo dos seus pés, e, voltando-se, vos dilacerem. 7 “PERSISTI EM PEDIR , e dar-se-vos-á; persisti em buscar, e achareis; persisti em bater, e abrir-se-vos-á. 8 Pois, todo o que [persistir em] pedir, receberá, e todo o que [persistir em] buscar, achará, e a todo o que [persistir em] bater, abrir-se-á. 9 Deveras, qual é o homem entre vós, cujo filho lhe peça pão — será que lhe entregará uma pedra? 10 Ou talvez lhe peça um peixe — será que lhe entregará uma serpente? 11 Portanto, se vós, embora iníquos, sabeis dar boas dádivas a vossos filhos, quanto mais o vosso Pai, que está nos céus, dará boas coisas aos que lhe pedirem! 12 “TODAS AS COISAS, PORTANTO, QUE QUEREIS QUE OS HOMENS VOS FAÇAM, VÓS TAMBÉM TENDES DE FAZER DO MESMO MODO A ELES; isto, de fato, é o que a Lei e os Profetas querem dizer. 13 “Entrai pelo portão estreito; porque larga e espaçosa é a estrada que conduz à destruição, e muitos são os que entram por ela; 14 ao passo que estreito é o portão e apertada a estrada que conduz à vida, e poucos são os que o acham. 15 “Vigiai-vos dos falsos profetas que se chegam a vós em pele de ovelha, mas que por dentro são lobos vorazes. 16 PELOS SEUS FRUTOS os reconhecereis . Será que se colhem uvas dos espinhos ou figos dos abrolhos? 17 Do mesmo modo, toda árvore boa produz fruto excelente, mas toda árvore podre produz fruto imprestável; 18 a árvore boa não pode dar fruto imprestável, nem pode a árvore podre produzir fruto excelente. 19 Toda árvore que não produz fruto excelente é cortada e lançada no fogo. 20 Realmente, pois, PELOS SEUS FRUTOS reconhecereis estes [homens]. 21 “Nem todo o que me disser: ‘Senhor, Senhor’, entrará no reino dos céus, senão aquele que fizer a vontade de meu Pai, que está nos céus. 22 MUITOS ME DIRÃO NAQUELE DIA:Senhor, Senhor, não profetizamos em teu nome e não expulsamos demônios em teu nome, e não fizemos muitas obras poderosas em teu nome?’ 23 Contudo, eu lhes confessarei então: Nunca vos conheci! Afastai-vos de mim, vós obreiros do que é contra a lei. 24 “PORTANTO, TODO AQUELE QUE OUVE ESTAS MINHAS PALAVRAS E AS PRATICA SERÁ COMPARADO A UM HOMEM DISCRETO, QUE CONSTRUIU A SUA CASA SOBRE A ROCHA. 25 E caiu a chuva, e vieram as inundações, e sopraram os ventos e açoitaram a casa, mas ela não se desmoronou, pois tinha sido fundada na rocha. 26 ALÉM DISSO, TODO AQUELE QUE OUVE ESTAS MINHAS PALAVRAS E NÃO AS PRATICA SERÁ COMPARADO A UM HOMEM TOLO, QUE CONSTRUIU A SUA CASA SOBRE A AREIA. 27 E caiu a chuva, e vieram as inundações, e sopraram os ventos e bateram contra aquela casa, e ela se desmoronou, e foi grande a sua queda.” 28 Ora, quando Jesus tinha terminado com estas palavras, o efeito foi que as multidões ficaram assombradas com o seu modo de ensinar; 29 pois ele as ensinava como quem tinha autoridade, e não como seus escribas.


Ao final, Jesus deixa claro que ouvir e praticar “estas” palavras que ele acabara de falar, "estas minhas palavras", ou seja, o ensino inédito para aquela geração, produziria a recompensa de suportar todos os problemas e tribulações, e manter-se fiel, obedecendo estritamente a estas palavras. Produziria pessoas luminosas mesmo quando a tribulação fosse grande.

Entretanto, ouvir e não praticar produziria como consequência, como fruto, como recompensa, o - "não suportar os problemas e tornar-se infiel" - passando a desobedecer a "estas minhas palavras" . Na hora da tribulação estes se provam infiéis. Produzem obras de infidelidade. Obedecer estritamente as ordens de Jesus, a "nova lei" intermediada por Jesus, dada ali no Sermão do Monte produziria pessoas luminosas. Produziriam frutos luminosos, os mesmos frutos luminosos produzidos por Jesus.

Os problemas seriam comuns a todos, entretanto, os que ouvissem e praticassem "este ensino inédito" (aos seus ouvintes), estas minhas palavras, esta nova lei (para os ouvintes), não seriam vencidos pelos problemas, ou seja, não praticariam o pecado por causa dos problemas.

Os obedientes praticantes deste “novo ensino” não apresentariam os problemas como a causa de terem cometido este ou aquele pecado.

Comportamento – “estas palavras” faladas por Jesus deveriam levar as pessoas a terem certo tipo de comportamento. É exatamente o comportamento que revelará se a pessoa aceita a palavra falada por Jesus como a solução para resolver os problemas de relacionamento humano no dia a dia.

Praticar a palavra falada por Jesus levaria a pessoa a ter certo tipo de comportamento quando chegasse a tempestade.

Não praticar a palavra falada por Jesus levaria a pessoa a ter outro tipo de comportamento diante da mesma tempestade.

A palavra falada é a mesma e a tempestade é a mesma.

O que muda??

Muda apenas o tipo de comportamento que a pessoa terá diante da tempestade.

As palavras faladas por Jesus deveriam servir de base para a formação dos sentimentos que levariam a pessoa vertas palavras e ações diante da tempestade.

Neste caso, a tempestade seria uma prova de que a pessoa havia aceito e concordado com as palavras.

Não é expulsar demônio, profetizar ou realizar outras grandes obras poderosas que indicará a aprovação de Jesus. Jesus deixou bem claro que seriam as "atitudes pessoais" do discípulo (comportamento), quando este estivesse sob grande tribulação (tempestade), que seriam analisados por ele, Jesus.

Tais "atitudes pessoais", somente se demonstradas no dia a dia, continuariam a ser demonstradas sob tribulação (tempestade) - se o discípulo praticasse e se mantivesse praticando tais "atitudes pessoais" ANTES da tribulação é que passaria pela tribulação sem queda.

Revelaria ser um homem discreto, que ouviu estas palavras de Jesus do Sermão do Monte, esta "nova lei" e as praticou, concordou, experimentou fazer e continuou a fazer. Quando a tribulação chegar o encontrará praticando as ordens dadas por Jesus no Sermão do Monte (se comportando de acordo com as palavras).

A tribulação virá sobre todos e as reações individuais (comportamento) indicarão se a casa permaneceu de pé ou se ela desmoronou.


Jesus deixou bem, claro que suas palavras provocariam o surgimento de dois comportamentos distintos. Este comportamento distinto seria resultado de dois tipos de pessoas.

Jesus falou dos tolos.

O que é um tolo??

Tolo – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss:


tolo Datação: 1521-1558 Ortoépia: ô

n adjetivo e substantivo masculino

1 que ou aquele que não tem inteligência ou juízo

2 que ou o que é tonto, simplório, ingênuo, diz ou pratica tolices


n adjetivo

3 que não tem nexo, significação ou razão de ser; disparatado, infundado

Exs.: ideia t.

suspeita t.

4 que tem vaidade, presunção; enfatuado

Ex.: exibia-se todo t. dentro da nova roupa

5 boquiaberto, estupefato, pasmado

Ex.: ficou t. com a beleza da moça


n substantivo masculino

Rubrica: ictiologia. Regionalismo: Brasil.

6 m.q. sebastião (Mustelus canis)



Quais são os sinônimos de tolo??


(e afins) abestalhado, abobalhado, apalermado, aparvalhado, apatetado, asno, atolado, atoleimado, azêmola, babaca, babaquara, basbaque, besta, bestalhão, bobo, boboca, bocó, bronco, burro, cândido, débil, estulto, estúpido, idiota, imbecil, inocente, jegue, jerico, jumento, mentecapto, néscio, obtuso, otário, pacóvio, palerma, parvo, paspalho, simplório, tapado, tolo, tonto, trouxa, zebra


Quais são os antônimos de tolo??


(e afins) águia, ajuizado, ardiloso, arguto, astuto, atilado, douto, erudito, espertalhão, esperto, inteligente, ladino, lúcido, malandro, malicioso, matreiro, perspicaz, pícaro, raposa, sabichão, sábio, sagaz, sensato, solerte, vivo


Do lado oposto ao tolo estaria o discreto, ou seja, o perspicaz, o sábio.


Ficou bastante claro que o sábio é aquele que ouve aquelas palavras de Jesus (sermão do monte) e as coloca em prática na sua vida, ou seja, que as usa como base para a tomada de todas as decisões do dia a dia.


No mesmo diálogo em que Jesus explicou a seus apóstolos o motivo de os ter escolhido, Jesus, assim como seu Pai já fizera, estabeleceu um condicionamento, o mesmo condicionamento. Se obedecerdes os meus mandamentos, falou Jesus:

(João 15:1-10) 15 "Eu sou a verdadeira videira e meu Pai é o lavrador. 2 Todo ramo em mim que não dá fruto, ele tira, e todo o que dá fruto, ele limpa, para que dê mais fruto. 3 Vós já estais limpos, por causa da palavra que vos falei. 4 Permanecei em união comigo, e eu em união convosco. Assim como o ramo não pode dar fruto de si mesmo, a menos que permaneça na videira, do mesmo modo tampouco vós podeis, a menos que permaneçais em união comigo. 5 Eu sou a videira, vós sois os ramos. Quem permanece em união comigo, e eu em união com ele, este dá muito fruto; porque separados de mim não podeis fazer nada. 6 SE alguém não permanece EM UNIÃO comigo, ele é lançado fora como ramo e seca-se; e homens ajuntam estes ramos e os jogam no fogo, e eles se queimam. 7 SE permanecerdes EM UNIÃO comigo e as MINHAS DECLARAÇÕES PERMANECEREM EM VÓS, pedi o que quiserdes e ocorrerá para vós. 8 Nisto é glorificado o meu Pai, que persistais em dar muito fruto e vos mostreis meus discípulos. 9 Assim como o Pai me tem amado e eu vos tenho amado, permanecei no meu amor. 10 SE OBSERVARDES OS MEUS MANDAMENTOS, permanecereis no meu amor, assim como eu tenho observado os mandamentos do Pai e permaneço no seu amor.


Permanecer em “união comigo” é igual a concordar com as minhas decisões e tomar decisões iguais às decisões que eu tomo.

União – a palavra é união.

O que é mesmo união??

União é o resultado da prática do verbo unir.

Unir – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: unificar; juntar


unir Datação: 1439

n verbo

transitivo direto, bitransitivo e pronominal

1 aproximar(-se) ou reunir(-se) com outro(s), formando um todo; unificar(-se), juntar(-se)

Exs.: u. duas turmas para uma prova

uniu o último capítulo da tese à conclusão

as duas firmas uniram-se

transitivo direto, bitransitivo e intransitivo

2 aderir ou fazer aderir; juntar(-se), colar, grudar

Exs.: o remédio uniu os bordos do ferimento

u. uma peça que havia espatifado

u. o plástico à madeira

esta cola une mal

transitivo direto e bitransitivo

3 pôr em contato (uma coisa com outra); atar, juntar, ligar

Exs.: u. as pontas de uma corda

uniu o fio do gravador à tomada

transitivo direto e bitransitivo

4 servir de elo, de comunicação entre; comunicar, ligar

Exs.: um corredor une os quartos

esta avenida une o centro da cidade à zona sul

transitivo direto

5 atuar como elemento comum entre; aproximar, tornar unido

Ex.: a dor uniu a família

transitivo direto, bitransitivo e pronominal

6 ligar(-se) [por casamento]; casar(-se)

Exs.: o papa uniu o príncipe e a princesa

uniu a filha a um rico comerciante

uniram-se em matrimônio

transitivo direto e pronominal

7 associar(-se) [por algum tipo de vínculo, ideal, interesse etc.]; aliar(-se), reunir(-se)

Exs.: o tratado uniu vários países na luta contra as drogas

uniram-se os países do Norte contra os do Sul

transitivo direto, bitransitivo e pronominal

8 aproximar(-se), estreitar(-se)

Exs.: uniram os lábios num beijo

uniu a Bíblia ao peito

uniram-se num abraço

bitransitivo e pronominal

9 aliar(-se), combinar(-se), misturar(-se)

Exs.: u. gasolina com álcool

u. o útil ao agradável

certos líquidos não se unem

transitivo direto

10 estabelecer harmonia entre; conciliar

Ex.: u. litigantes


Que uso fez Jesus do verbo unir??

(Marcos 10:5-9) 5 Mas Jesus lhes disse: Pela dureza do vosso coração ele vos deixou escrito este mandamento. 6 Porém desde o princípio da criação, Deus fê-los homem e mulher; 7 por esta razão o homem deixará a seu pai e a sua mãe, 8 e será com sua mulher uma só carne. Assim já não são dois, mas uma só carne. 9 Portanto o que Deus ajuntou, não o separe o homem.

Notou que tipo de união que cada discípulo deveria ter com Jesus??

É uma união do tipo uma só carne. Embora pessoas separadas fisicamente, deveriam ser uma só carne. Deveria haver unidade.

Notou quantas vezes Jesus usou a expressão “união comigo”??

Notou a riqueza de detalhes??


Somente quem permanece em união comigo dará muito fruto. Somente quem permanece em união comigo permanece com minhas declarações. Somente quem obedece aos meus mandamentos permanece em união comigo. Se vocês se mostrarem ser meus discípulos, produzindo OS MESMOS FRUTOS que eu produzi, meu Pai será glorificado. Os escolhidos produziriam os frutos esperados deles, se e somente se obedecessem as palavras de Jesus, as ordens de Jesus, todas elas. Obedecer a algumas ordens de Jesus não produziria os frutos esperados. Sob tribulação, a casa certamente desabará.


E agora que minha casa caiu? E quanto àquele que ouviu a Jesus e não obedeceu a sua palavra?

(João 12:44-48) 44 No entanto, Jesus clamou e disse: “Quem depositar fé em mim, deposita fé, não [somente] em mim, mas [também] naquele que me enviou; 45 e quem me observar, observa [também] aquele que me enviou. 46 Eu vim como luz ao mundo, a fim de que todo aquele que depositar fé em mim não permaneça na escuridão. 47 MAS, SE ALGUÉM OUVIR AS MINHAS DECLARAÇÕES E NÃO AS GUARDAR, EU NÃO O JULGO; pois não vim julgar o mundo, mas salvar o mundo. 48 Quem me desconsiderar e não receber as minhas declarações, tem quem o julgue. A palavra que eu tenho falado é que o julgará no último dia;


Exatamente assim como o Pai, Jesus não julgou seus apóstolos escolhidos por todos os erros cometidos na sua presença física, deixando assim uma norma para seus discípulos copiarem dele. Afinal, ele, Jesus é o modelo a ser copiado. Afinal, dele, Jesus, é a voz que temos de obedecer estritamente.

Nenhum dos demais humanos são modelos a serem seguidos. Não sejais chamados de Líderes, pois um só é o vosso Líder, o Cristo, ao passo que todos vós sois irmãos. Seja lá quem for o irmão, ele não é nenhum Líder. Sendo ele um praticante das palavras estritamente faladas por Jesus, não se sentirá e jamais admitirá ser chamado de Líder. Ele continua um aluno (discípulo).


O que fizeram comigo também farão a vós. As reações de vocês têm de ser exatamente iguais as minhas, pois o discípulo tem de agir igual ao Mestre, falou Jesus:

(João 15:20) 20 Lembrai-vos da palavra que eu vos disse: O escravo não é maior do que o seu amo. Se me perseguiram a mim, perseguirão também a vós; se observaram a minha palavra, observarão também a vossa. (João 13:15-17) 15 Pois estabeleci o modelo para vós, a fim de que, assim como eu vos fiz, vós também façais. 16 Digo-vos em toda a verdade: O escravo não é maior do que o seu amo, nem é o enviado maior do que aquele que o enviou. 17 Se sabeis estas coisas, felizes sois se as fizerdes.


Assim verte a Tradução Almeida:

(João 15:20) 20 Lembrai-vos da palavra que eu vos disse: Não é o servo maior do que o seu senhor. Se a mim me perseguiram, também vos perseguirão a vós; se guardaram a minha palavra, guardarão também a vossa.

(João 13:15-17) 15 Porque eu vos dei exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também. 16 Em verdade, em verdade vos digo: Não é o servo maior do que o seu senhor, nem o enviado maior do que aquele que o enviou. 17 Se sabeis estas coisas, bem-aventurados sois se as praticardes.


Se tornar IGUAL ao Mestre:Basta que o discípulo SE TORNE COMO Jesus”.

(Mateus 10:24-25) 24 O discípulo não está acima do seu instrutor, nem o escravo acima do seu senhor. 25 BASTA QUE O DISCÍPULO SE TORNE COMO O SEU INSTRUTOR e o escravo como o seu senhor. Se chamaram de Belzebu ao dono da casa, quanto mais [chamarão] assim aos de sua família?


Assim verte a Tradução Almeida:

(Mateus 10:24-25) 24 Não é o discípulo mais do que o seu mestre, nem o servo mais do que o seu senhor. 25 BASTA AO DISCÍPULO SER COMO SEU MESTRE, e ao servo como seu senhor. Se chamaram Belzebu ao dono da casa, quanto mais aos seus domésticos?



"Eu" estabeleci o MODELO. Vejam qual tem sido a minha reação, minha "atitude pessoal", meu comportamento, quando acontecem tais coisas negativas. Estas coisas negativas acontecerão também a vós, entretanto, a reação de vocês deve ser exatamente igual a minha, o comportamento de vocês deverá ser igual ao meu..

O que mais chamou a atenção a respeito de Jesus, não foram os seus poderes, e sim a sua eterna atitude pacífica, apesar de ter tantos poderes. JESUS MOSTROU SER UMA "OVELHA" SUPER PODEROSA. Ovelha não faz mal a ninguém, mesmo sendo "super poderosa". Assim com "eu" fiz, vós tendes de fazer do mesmo modo, afirmou Jesus. "EU" ESTABELECI O MODELO - COPIEM O MODELO.

Vocês serão felizes se copiarem o MODELO que "eu" estabeleci para vós. Vocês serão alunos aprovados se copiarem o MODELO.


Envio vocês como ovelhas. Não se comportem como lobos. As ovelhas sofrem e morrem, no entanto elas não causam nenhum dano. Façam como eu fiz.


Vocês são os "escolhidos". Saibam antecipadamente o que acontecerá a vós por serdes os "escolhidos".

(Lucas 21:12-19) 12 "Mas, antes de todas estas coisas, as pessoas deitarão mãos em vós e vos perseguirão, entregando-vos às sinagogas e às prisões, sendo vós arrastados perante reis e governadores por causa do meu nome. 13 Isto vos resultará num testemunho. 14 Portanto, assentai nos vossos corações não ensaiar de antemão como fazer a vossa defesa, 15 porque eu vos darei uma boca e sabedoria, à qual todos os vossos opositores juntos não poderão resistir, nem [a] disputar. 16 Além disso, sereis entregues até mesmo por pais, e irmãos, e parentes, e amigos, e eles entregarão alguns de vós à morte; 17 e vós sereis pessoas odiadas por todos, por causa do meu nome. 18 Contudo, nenhum cabelo de vossa cabeça perecerá de modo algum. 19 Pela perseverança da vossa parte adquirireis as vossas almas.

Alegrai-vos e pulai de alegria por serdes perseguidos e vituperados por minha causa, afirmou Jesus:

(Mateus 5:11-12) 11 "Felizes sois quando vos vituperarem e perseguirem, e, mentindo, disserem toda sorte de coisas iníquas contra vós, por minha causa. 12 Alegrai-vos e pulai de alegria, porque a vossa recompensa é grande nos céus; pois assim perseguiram os profetas antes de vós.


Previu ainda mais Jesus para os escolhidos:

(Revelação 6:9-11) 9 E quando abriu o quinto selo, vi por baixo do altar as almas dos que tinham sido mortos por causa da palavra de Deus e por causa da obra de testemunho que costumavam ter. 10 E gritaram com voz alta, dizendo: "Até quando, Soberano Senhor, santo e verdadeiro, abster-te-ás de julgar e vingar o nosso sangue dos que moram na terra?" 11 E a cada um deles foi dada uma comprida veste branca; e foi-lhes dito que descansassem mais um pouco, até que se completasse também o número dos seus co-escravos e dos seus irmãos, QUE ESTAVAM PARA SER MORTOS ASSIM COMO ELES TAMBÉM TINHAM SIDO.


OS ESCOLHIDOS TERIAM DE PRODUZIR ALGO BELO, BELO COMO UMA ESPOSA, UMA ESPOSA PARA O CORDEIRO:

(Revelação 21:9-14) 9 E veio um dos sete anjos que tinham as sete tigelas cheias das últimas sete pragas, e falou comigo, dizendo: "Vem para cá, mostrar-te-ei a noiva, a esposa do Cordeiro."

(Revelação 5:9-10) 9 E cantam um novo cântico, dizendo: "Digno és de tomar o rolo e de abrir os seus selos, porque foste morto e com o teu sangue compraste pessoas para Deus, dentre toda tribo, e língua, e povo, e nação, 10 e fizeste deles um reino e sacerdotes para o nosso Deus, e hão de reinar sobre a terra."


Não sejais como os fariseus, advertiu nosso Líder.


O que percebemos:


  1. Que Jeová, o Santo escolheu homens.

  2. Que Jesus, um santo, também escolheu homens.


Para que Jeová escolheu homens?? Que objetivo Ele tinha??


(Levítico 19:1-2) 19 E Jeová falou mais a Moisés, dizendo: 2 Fala à assembléia inteira dos filhos de Israel, e tens de dizer-lhes: Deveis mostrar-vos santos, porque eu, Jeová, vosso Deus, sou santo.


Assim verte a Tradução Brasileira:


(Levítico 19:1-2) 1 Disse Jeová a Moisés: 2 Fala a toda a congregação dos filhos de Israel, e dize-lhes: Sereis santos; pois eu Jeová vosso Deus sou santo.


Qual era o objetivo final de tal escolha??


  1. Deveis mostra-vos santos

  2. Sereis santos


Todos os mandamentos saídos da boca do Santo eram mandamentos que visavam (tinham como objetivo) transformar os escolhidos em pessoas santas, logo, todos os mandamentos saídos da boca de Jeová também eram mandamentos santos.


Independente do ponto na corrente do tempo, todos os mandamentos dados pelo Santo, eram mandamentos santos.


O que revelaram as centenas de anos de relacionamento entre o Santo e os escolhidos??

Revelaram que os escolhidos rejeitaram os mandamentos santos e praticaram mandamentos iníquos.


Será que os escolhidos conseguiram ser iguais ao Santo que os escolhera??


Em certo ponto da corrente do tempo, qual mostrou ser o resultado??

O que o Santo informou aos escolhidos??


(Ezequiel 5:5-9) 5 Assim disse o Soberano Senhor Jeová: ‘Esta é Jerusalém. Coloquei-a no meio das nações, com terras ao seu redor. 6 E ela passou a comportar-se rebeldemente contra as minhas decisões judiciais, em iniqüidade maior do que as nações, e contra os meus estatutos, mais do que as terras ao seu redor, pois rejeitaram as minhas decisões judiciais, e quanto aos meus estatutos, não andaram neles.7 Portanto, assim disse o Soberano Senhor Jeová: ‘Visto que fostes mais tumultuosos do que as nações ao vosso redor, não andastes nos meus estatutos e não executastes as minhas decisões judiciais — mas, porventura não agistes segundo as decisões judiciais das nações ao vosso redor? — 8 portanto, assim disse o Soberano Senhor Jeová: “Eis que sou contra ti, [ó cidade,] sim, eu, e vou executar no teu meio decisões judiciais aos olhos das nações. 9 E vou fazer em ti o que não fiz e como não mais farei, por causa de todas as tuas coisas detestáveis.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel 5:5-9) 5 Assim diz o Senhor Jeová: Esta é Jerusalém. No meio das nações a pus, e ao redor dela estão os países. 6 Ela se rebelou contra os meus juízos, praticando iniqüidade mais do que as nações, e transgredindo os meus estatutos mais do que os países que estão ao redor dela; pois os seus habitantes rejeitaram os meus estatutos, e quanto aos meus estatutos, neles não andaram. 7 Portanto assim diz o Senhor Jeová: Porque sois mais turbulentos do que as nações que estão ao redor de vós, e não tendes andado nos meus estatutos, nem guardado os meus juízos, nem procedido segundo as ordenanças das nações que estão ao redor de vós; 8 por isso assim diz o Senhor Jeová: Eis que eu, eu sou contra ti; executarei juízos no meio de ti à vista das nações. 9 Farei em ti o que não tenho feito, e coisas às quais nunca mais farei semelhantes, por causa de todas as tuas abominações.


Rejeitaram os mandamentos santos e praticaram mandamentos iníquos, o que os levou e serem mais iníquos do que todas as nações ao redor.

No lugar de serem santos, eles eram os mais iníquos...

Embora eles se achassem santos e se chamassem de nação santa, aos olhos do Pai, eles eram os mais iníquos.

Todas as gerações eram santas aos seus próprios olhos, no entanto, aos olhos do Pai, eram os mais iníquos entre todos os povos..



Topo desta página