OBREIROS DO QUE É CONTRA A LEI

Modificada em 01/01/2011





OS DOZE APÓSTOLOS RECEBEM PODERES.

(Mateus 10:5-8) 5 A estes doze enviou Jesus, dando-lhes as seguintes ordens: "Não vos desvieis para a estrada das nações, e não entreis em cidade samaritana; 6 mas, ide antes continuamente às ovelhas perdidas da casa de Israel. 7 Ao irdes, pregai, dizendo: ‘O reino dos céus se tem aproximado.’ 8 CURAI DOENTES, RESSUSCITAI MORTOS, TORNAI LIMPOS OS LEPROSOS, EXPULSAI DEMÔNIOS. De graça recebestes, de graça dai.. . .

Poderes recebidos para curar, ressuscitar, expulsar demônios e tornar limpos os leprosos. Entretanto, ter tais poderes lhes transformavam em homens de fé, homens justos, homens fiéis, homens santos, homens leais?? Passaram a ser apóstolos fiéis, passaram a ser apóstolos leais?? Antes de receberem tais poderes, os apóstolos eram homens de fé, homens justos, homens fiéis, homens leais, homens santos?? Se este fosse um homem que guardasse ressentimento e fosse vingativo, coisas que lhe foram ensinadas desde a infância, depois de receber tais poderes, deixaria ele de ter tais sentimentos que eran parte de sua personalidade?? O livre arbítrio de cada um deles foi respeitado.

Devemos lembrar que a fidelidade é caracterizada por CONSTANTES ATOS de fidelidade a alguém presente ou ausente; a lealdade se caracteriza por CONSTANTES ATOS de lealdade a alguém presente ou ausente. Fidelidade é caracterizada por sua CONTINUIDADE. Fidelidade e lealdade se caracterizam por SUA CONTINUIDADE SEM INTERRUPÇÃO.

Cumprir 9 de 10 ordens e descumprir apenas 1 das 10 ordens, caracteriza a pessoa como rebelde, não caracteriza a pessoa como leal a 9 ordens.

Uma pessoa é classificada de FIEL E DE LEAL somente até o momento da classificação. Houve um ponto inicial e há o momento da análise ou do julgamento. Nascer branco ou negro é algo definitivo e irrevogável, não depende da pessoa. No entanto, SER fiel e ser leal, depende unicamente da pessoa TODO o seu tempo de vida.

Convém relembrar que Fidelidade e Lealdade se caracterizam por SUA CONTINUIDADE SEM INTERRUPÇÃO. Só haverá Fidelidade e Lealdade, se e somente se, houver "continuidade sem interrupção". Atos mínimos ou máximos, porém, sem interrupção.

Não é apenas um ato ou alguns atos praticados por alguém, que conferem a este, o título perpétuo de homem fiel, antes, é a contínua execução de atos leais e fiéis. Desleal e infiel é aquele que interrompe seu longo ou curto bom histórico, com um único ato desleal ou um único ato de infidelidade. Ato mínimo ou máximo, não importa.

Voltando ao caso dos poderes dados por Jesus a seus apóstolos, poderiam tais poderes serem dados a homens pecadores e faltos de fé?? Por serem pecadores, poderiam usar de forma errada os poderes recebidos?? A resposta é "sim" para as duas perguntas.

Jesus já havia falado algum tempo antes de lhes conferir tais poderes, que: "Fazer obras poderosas em meu nome não identifica a pessoa como fazendo a vontade de Deus". Poderiam estar fazendo estas "obras poderosas" como expulsar demônios, curar doentes e outras, e ainda assim estar praticando obras contra a lei, ou ainda, tê-las realizado (obras poderosas) e em um instante seguinte se tornar obreiro do que é contra a lei .

Assim falou Jesus no Sermão do Monte:

(Mateus 7:21-23) 21 "Nem todo o que me disser: ‘Senhor, Senhor’, entrará no reino dos céus, senão aquele que fizer a vontade de meu Pai, que está nos céus. 22 Muitos me dirão naquele dia: ‘SENHOR, SENHOR, NÃO PROFETIZAMOS EM TEU NOME E NÃO EXPULSAMOS DEMÔNIOS EM TEU NOME, E NÃO FIZEMOS MUITAS OBRAS PODEROSAS EM TEU NOME?23 Contudo, eu lhes confessarei então: Nunca vos conheci! Afastai-vos de mim, vós obreiros do que é contra a lei.

As obras poderosas aqui mencionadas, realizadas em nome de Jesus, por qualquer dos discípulos de Jesus, não podem partir deste humano, sem que o espírito santo as realize, isto é, sem a autorização divina. Estes recebem o "poder" para realizar tais obras. As obras poderosas, curas e expulsar demônios são realizadas através do espírito santo de Jeová, pela manipulação da vontade da pessoa que recebe tal espírito. Jeová lhe concede a "força" e você a usa segundo o seu desejo. O caso de Sansão exemplifica e deixa bem claro tal situação. Sansão recebia a força. No entanto, como ele usaria tal força e contra quem a usaria ficava a critério de Sansão. O livre arbítrio de Sansão não foi reprimido ou controlado por Jeová pelo simples fato de Jeová ter dado "força física" a Sansão.

Sansão até mesmo casou-se com uma das filhas dos filisteus, tornando-se assim um homem que embora fizesse obras poderosas, também era "obreiro do que é contra a lei": (Juízes 14:1-3) 14 Sansão desceu então a Timná e viu em Timná uma mulher das filhas dos filisteus. 2 Por isso subiu e o contou a seu pai e a sua mãe, e disse: "Há uma mulher que vi em Timná, das filhas dos filisteus, e agora obtende-a para mim por esposa." 3 Seu pai e sua mãe disseram-lhe, porém: "Não há mulher entre as filhas dos teus irmãos e entre todo o meu povo, que vás tomar esposa dentre os filisteus incircuncisos?" Contudo, Sansão disse a seu pai: "Obtém-me só esta, porque ela é que está direita aos MEUS olhos."

Jeová tinha dado uma ordem aos israelitas: "Não façam alianças matrimoniais com as outras nações", ou seja, case-se apenas com israelitas. Era uma ordem simples e tinha de ser obedecida por todos, inclusive Sansão. No entanto, Sansão decidiu não obedecer a esta ordem, tornando-se "obreiro do que é contra a lei". Fez uma obra contra a "lei que era válida" para ele.

Jesus autorizou seus apóstolos a realizar tais obras poderosas em seu nome e é fato que estes realmente realizaram muitas obras, sinais e portentos.

(Atos 5:12-13) 12 Além disso, por intermédio das mãos dos apóstolos continuavam a ocorrer muitos sinais e portentos entre o povo; e todos eles estavam de comum acordo na colunata de Salomão. 13 Verdadeiramente, nem um só dos outros tinha a coragem de se juntar a eles; não obstante, o povo os afamava.

Passado certo tempo depois da morte de Jesus, tais poderes só eram repassados a outras pessoas, através da imposição das mãos dos apóstolos. Somente aos apóstolos foi concedido a autoridade de repassar os poderes dado a eles por Jesus. Isto é o que a história contada pelo escritor do livro de Atos dos apóstolos nos revela.

 (Atos 8:14-17) 14 Quando os apóstolos em Jerusalém ouviram que Samaria havia aceito a palavra de Deus, mandaram-lhes Pedro e João; 15 e estes desceram e oraram para que recebessem espírito santo. 16 Porque não tinha ainda caído sobre nenhum deles, mas eles tinham sido batizados apenas no nome do Senhor Jesus. 17 Impuseram-lhes então as suas mãos e eles começaram a receber espírito santo .

(Atos 8:18-19) 18 Ora, vendo Simão que o espírito era dado pela imposição das mãos dos apóstolos , ofereceu-lhes dinheiro, 19 dizendo: "Dai-me também esta autoridade, para que todo aquele a quem eu impuser as minhas mãos receba espírito santo. . .

A Paulo também foi concedido esta autoridade. (Atos 19:1-7) 19 No desenrolar dos eventos, enquanto Apolo estava em Corinto, Paulo passava pelas regiões interiores e desceu a Éfeso, e achou alguns discípulos; 2 e ele lhes disse: "Recebestes espírito santo, quando vos tornastes crentes?" Disseram-lhe: "Ora, nunca ouvimos [falar] que há espírito santo." 3 E ele disse: "Então, em que fostes batizados?" Disseram: "No batismo de João." 4 Paulo disse: "João batizava com o batismo [em símbolo] de arrependimento, dizendo ao povo que cressem naquele que vinha após ele, isto é, em Jesus." 5 Ouvindo isso, foram batizados no nome do Senhor Jesus. 6 E, quando Paulo pôs as suas mãos sobre eles, veio sobre eles o espírito santo e começaram a falar em línguas e a profetizar . 7 Ao todo havia cerca de doze homens.

Tal autoridade era dada através da imposição de mãos dos apóstolos. SOMENTE os que realmente recebiam tal autoridade é que podiam expulsar demônios. Os demônios não se submetiam a humanos que não tivessem recebido tal autoridade repassada pelos apóstolos:

(Atos 19:11-16) 11 E Deus realizava obras extraordinárias de poder por intermédio das mãos de Paulo, 12 de modo que se levavam aos doentios até mesmo panos e aventais do seu corpo, e as moléstias os abandonavam e os espíritos iníquos saíam. 13 Mas, certos dos judeus itinerantes, que praticavam a expulsão dos demônios, também empreenderam usar por nome o nome do Senhor Jesus para com os que tinham espíritos iníquos, dizendo: "Eu vos advirto solenemente por Jesus, a quem Paulo prega." 14 Ora, havia sete filhos dum certo Ceva, principal sacerdote judaico, que faziam isso. 15 Mas, o espírito iníquo disse-lhes, em resposta: "Eu sei de Jesus e estou familiarizado com Paulo; mas quem sois vós?" 16 Com isso, o homem em quem estava o espírito iníquo pulou sobre eles, dominou um após outro e prevaleceu contra eles, de modo que fugiram nus e feridos daquela casa.

Os apóstolos quando na companhia física de Jesus, embora tivessem poderes, naquele momento lhes faltava a Misericórdia e exatamente por isso foram censurados pelo Instrutor. Ter poderes especiais não lhes modificava o coração. Estavam com a disposição de não perdoar uma pequena falta de outros humanos, e Jesus já lhes havia ordenado: "Se não perdoardes aos homens as suas falhas, tampouco vosso Pai vos perdoará as vossas falhas". Jesus lhes havia ordenado também: "Não resistais àquele que é iníquo; mas, a quem te esbofetear a face direita, oferece-lhe também a outra". Jesus também lhes havia ordenado: Parai de julgar, parai de condenar”. Obviamente esta lei já estava valendo para os doze alunos (apóstolos).

Naquele momento, Jesus OS IMPEDIU de se tornarem "obreiros do que é contra a lei", contra a "lei" que tinham acabado de receber. Quando Jesus fosse embora, quem os IMPEDIRIA de se tornarem "obreiros do que é contra a lei"?? Na ausência de Jesus, quem refrearia esta TENDÊNCIA já manisfestada pelos apóstolos?? Tais apóstolos, embora realizassem muitas obras poderosas como expulsar demônios e curar pessoas, já demonstravam o desejo de praticarem coisas contra a lei que já haviam recebido e que já estava valendo para eles.

Os poderes dados aos apóstolos e discípulos de Jesus NÃO VIERAM ACOMPANHADOS de fé, de obediência, de misericórdia ou outras das qualidades divinas presentes em Jesus.

Assim nos conta o historiador Lucas: (Lucas 9:51-56) 51 Chegando então a completar-se para ele os dias de ser tomado para cima, endureceu o rosto [na determinação] de ir a Jerusalém. 52 De modo que enviou mensageiros na sua frente. E eles foram e entraram numa aldeia de samaritanos, a fim de fazerem os preparativos para ele; 53 mas não o receberam, porque o seu rosto estava endurecido [na determinação] de ir a Jerusalém. 54 Vendo isso os discípulos Tiago e João, disseram: "SENHOR, QUERES QUE MANDEMOS QUE DESÇA FOGO DOS CÉU E OS ANIQUILE?" 55 Mas ele se voltou e os censurou. 56 Foram assim a uma aldeia diferente.

Este pedido não revelava ser NO MÍNIMO uma resposta desproporcional ao mal recebido?? A própria lei dada através de Moisés (olho por olho) já determinava uma vingança de igual tamanho, de igual proporção, de igual intensidade. Se a retribuição for além do mal recebido, não estará transformando a outra pessoa em vítima de iniqüidade?? No entanto, a nova lei também dada por Jeová, a lei do Cristo, lhes ordenava que abrissem mão de toda e qualquer vingança; que abrissem mão de toda e qualquer retribuição.


Um exemplo do uso dos poderes recebidos, para fazer "obras contra a lei" nos foi fornecido pelo profeta de nome Eliseu. Assim foi historicamente registrado: (2 Reis 2:23-25) 23 E dali passou a subir a Betel. Quando subia pelo caminho, havia uns pequenos rapazes que saíram da cidade e começaram a fazer troça dele, e que lhe diziam: "Sobe, careca! Sobe, careca!" 24 Finalmente, ele se virou para trás e os viu, e INVOCOU SOBRE ELES O MAL EM NOME DE JEOVÁ. Saíram então da floresta duas ursas e dilaceraram quarenta e dois meninos deles. 25 E ele seguiu de lá para o monte Carmelo, e de lá voltou a Samaria.


Seria esta uma falta de respeito a um "servo" de Jeová e merecidamente recompensada com a morte?? Foi esta uma retribuição "olho por olho - dente por dente"? Não era esta a lei vigente??
Ser um "servo", um escolhido para cumprir uma missão, torna-o mais importante que os demais "servos"?? Este "servo" não foi escolhido para "
prestar serviço" para os demais servos?? Passa este "servo" a estar acima da lei vigente??
O que fazer se um humano qualquer blasfemasse contra o profeta?? Devia o profeta providenciar a morte deste humano ou grupo de humanos. Era isto o que determinava a lei dada através de Jesus. Caso um humano lhe ofenda por você falar com ele sobre o reino dos céus, você pode matá-lo?? Pode condená-lo a morte e pedir para Jeová executar tal pecador??


Faria Jesus o mesmo que o profeta Eliseu?? Jesus, aquele que tinha poderes muito maiores do que estes, estando em uma posição muito mais elevada, não agiu desta forma quando foi ridicularizado pelas pessoas ou quando foi severamente chicoteado pelos homens, ou quando lhe cuspiram no rosto ou quando lhe penduraram em um madeiro, não se tornou "obreiro do que é contra a lei". Jesus nos mostrou o que é ser justo, o que é não se importar com o prejuízo imposto por um ser humano qualquer, mesmo quando você tem muito mais poderes do que estes ou esteja realizando uma importante missão.


Os doze apóstolos, assim como todos os demais humanos que anteriormente haviam recebido o espírito santo de Jeová, a força ativa de Jeová, para realizarem certas tarefas, não foram TRANSFORMADOS em pessoas justas, não foram TRANSFORMADOS em pessoas misericordiosas e perdoadoras, não foram TRANSFORMADAS em pessoas bondosas, não foram TRANSFORMADOS em homens de fé, não foram TRANSFORMADOS em homens com autodomínio, não foram TRANSFORMADOS em homens amorosos, não foram TRANSFORMADOS em homens pacíficos, não foram TRANSFORMADOS em "ovelhas". Jeová continuou respeitando o livre arbítrio do humano que recebeu o espírito santo. O ato de receber o “espírito santo” não transforma a pessoa em “ovelha”. Jesus mostrou como é que se faz.
(Lucas 17:5-6) 5 Os apóstolos disseram então ao Senhor: “Dá-nos mais fé.” 6 O Senhor disse então: “SE TIVÉSSEIS FÉ do tamanho dum grão de mostarda, diríeis a esta amoreira-preta: ‘Sê desarraigada e plantada no mar!’ e ela vos obedeceria.
(Mateus 8:25-26) 25 E eles vieram e o acordaram, dizendo: “Senhor, salva-nos, pois estamos prestes a perecer!” 26 Mas ele lhes disse: “Por que sois medrosos, VÓS OS DE POUCA FÉ ?” Levantando-se, então, censurou os ventos e o mar, e deu-se uma grande calmaria.. . .
(Mateus 14:29-32) . . .Ele disse: “Vem.” Em vista disso, Pedro, descendo do barco, andou por cima das águas e dirigiu-se a Jesus. 30 Mas, olhando para a ventania, ficou com medo, e, começando a afundar-se, clamou: “Senhor, salva-me!” 31 Estendendo imediatamente a mão, Jesus agarrou-o e disse-lhe: “Ó TU, DE POUCA FÉ , por que cedeste à dúvida?” 32 E, depois de terem novamente subido ao barco, cessou a ventania.
(João 20:26-29) 26 Bem, oito dias depois, seus discípulos estavam novamente portas adentro, e Tomé com eles. Jesus veio, embora as portas estivessem fechadas à chave, e ficou em pé no meio deles e disse: “Haja paz convosco.” 27 A seguir, disse a Tomé: “Põe o teu dedo aqui, e vê as minhas mãos, e toma a tua mão e põe-na no meu lado, e pára de ser incrédulo, mas torna-te crente.” 28 Em resposta, Tomé disse-lhe: “Meu Senhor e meu Deus!” 29 Jesus disse-lhe: “CRESTE PORQUE ME VISTE ? Felizes são os que não vêem, contudo, crêem.”
(João 18:10-11) 10 Então Simão Pedro, visto que tinha espada, puxou-a e golpeou o escravo do sumo sacerdote, e cortou-lhe a orelha direita . O nome do escravo era Malco. 11 Jesus, porém, disse a Pedro: “Põe a espada na [sua] bainha. Não devia eu de toda maneira beber o copo que o Pai me tem dado?”

Jesus ainda estava com eles em carne quando os doze fizeram um voto a Jesus e no entanto, o abandonaram: (Mateus 26:31-35) 31 Jesus disse-lhes então: "Esta noite, todos vós tropeçareis em conexão comigo, pois está escrito: ‘Golpearei o pastor, e as ovelhas do rebanho ficarão espalhadas.’ 32 Mas, depois de eu ter sido levantado, irei adiante de vós para a Galiléia." 33 Mas Pedro, em resposta, disse-lhe: "Ainda que todos os outros tropecem em conexão contigo, eu nunca tropeçarei!" 34 Jesus disse-lhe: "Deveras, eu te digo: Esta noite, antes de cantar o galo, repudiar-me-ás três vezes." 35 Pedro disse-lhe: "Mesmo que eu tenha de morrer contigo, de modo algum te repudiarei ." TODOS OS OUTROS DISCÍPULOS DISSERAM TAMBÉM A MESMA COISA.

(Mateus 26:56) 56 Mas tudo isso se tem realizado para que se cumprissem as escrituras dos profetas." TODOS OS DISCÍPULOS O ABANDONARAM ENTÃO E FUGIRAM.

Quanto a repudiá-lo, Jesus havia estabelecido que este seria um pecado que ele retribuiria na mesma moeda, ou seja, ele iria repudiar tal pessoa perante o Pai celestial. Assim, de forma antecipada, havia prometido Jesus a seus discípulos: (Mateus 10:32-33) 32 “Todo aquele, pois, que confessar perante os homens estar em união comigo, eu também confessarei perante meu Pai, que está nos céus, estar em união com ele; 33 mas AQUELE QUE ME REPUDIAR perante os homens, EU TAMBÉM O REPUDIAREI PERANTE MEU PAI, que está nos céus.
Confessar estar em união está em contrate com o repudiar. Confessar estar em união ou negar que conhece. E isto teria de acontecer, perante os homens. A situação poderia gerar o medo de confessar estar em união com Jesus. Estando com medo, o apóstolo escolhido por Jesus poderia afirmar perante os homens que não conhecia a Jesus, ou simplesmente fugir, deixando o Mestre só. Usando de misericórdia para com seus apóstolos, Jesus não os repudiou perante seu Pai, que está nos céus. Apesar do aviso antecipado não ter refreado os apóstolos de cometerem o pecado, Jesus os perdoou liberalmente.


E ELES TINHAM ACABADO DE FIRMAR UM "PACTO PARA UM REINO"!!


(Lucas 22:28-30) 28 "No entanto, vós sois os que ficastes comigo nas minhas provações; 29 e EU FAÇO CONVOSCO UM PACTO, assim como meu Pai fez comigo um pacto, para um reino, 30 a fim de que comais e bebais à minha mesa, no meu reino, e vos senteis em tronos para julgar as doze tribos de Israel.


O historiador Lucas nos revela outro detalhe chamado a atenção por Jesus. Pedro iria tropeçar e retornar. Assim falou Jesus: (Lucas 22:31-34) 31 "SIMÃO, SIMÃO, eis que Satanás reclamou que fôsseis peneirados como trigo. 32 Mas tenho feito súplica por ti, para que a tua fé não fraquejasse; E TU, UMA VEZ QUE TIVERES VOLTADO, fortalece os teus irmãos." 33 Então lhe disse: "Senhor, estou pronto a ir contigo tanto para a prisão como para a morte." 34 Mas ele disse: "Eu te digo, Pedro: O galo não cantará hoje até que tenhas negado três vezes que me conheces."


Apesar de avisados de forma antecipada, mesmo assim cometeram o pecado, exatamente como o previsto, e tornaram-se "obreiros do que é contra a lei". Jeová conhece muito bem o ser humano, lógico, ele o projetou sabiamente. Jesus conhecia plenamente a Pedro, pois mesmo Pedro tendo sido avisado antecipadamente que iria repudiar a Jesus três vezes "naquela noite ", mesmo assim ele o repudiou as três vezes, exatamente como Jesus havia previsto. Como não existe destino predeterminado, Jesus revelava seu profundo conhecimento da natureza humana. Conhecia profundamente os seus doze apóstolos. REPUDIAR a Jesus transformava os apóstolos em "obreiros do que é contra a lei". Jesus sabia que estes não conseguiriam manter-se contínua e ininterruptamente leais e fiéis.

Nós, atuais discípulos de Jesus, aprendizes de Jesus, é que precisamos estar cônscios desta verdade, de que esta verdade também acontece em relação a cada um de nós.



TRANSPORTAR AS COISAS SAGRADAS DE JEOVÁ NÃO TRANSFORMA HUMANOS EM SAGRADOS, NÃO OS TRANSFORMA EM JUSTOS, NÃO OS TRANSFORMA EM PUROS. (Ageu 2:11-14) 11 “Assim disse Jeová dos exércitos: ‘Por favor, pergunta aos sacerdotes a respeito [da] lei, dizendo: 12 “Se um homem levar carne sagrada na aba da sua veste e ele realmente tocar com a [aba da] sua veste em pão, ou cozido, ou vinho, ou azeite, ou em qualquer tipo de alimento, tornar-se-á este santo?”’” E os sacerdotes passaram a responder e a dizer: “Não!” 13 E Ageu prosseguiu, dizendo: “Se alguém que ficou impuro por uma alma falecida tocar em alguma destas coisas, tornar-se-á ela impura?” Os sacerdotes, por sua vez, responderam e disseram: “Tornar-se-á impura.” 14 Concordemente, Ageu respondeu e disse: “‘Assim é este povo e assim é esta nação diante de mim’, é a pronunciação de Jeová, ‘e assim é TODO o trabalho das suas mãos e TUDO que apresentam ali. É IMPURO.

Se tais obras poderosas não revelam em si mesmo a aprovação divina daquele que as realiza, então, o que buscaremos ver nestes homens ou em nós mesmos??

Jesus afirmou que tais pessoas que realizavam obras poderosas poderiam ser "obreiros do que é contra a lei". Realizariam obras poderosas e também realizariam obras contra a lei e que seriam punidos por praticarem obras contra a lei.



PELOS SEUS FRUTOS - PELAS SUAS OBRAS - PELAS SUAS REAÇÕES.

QUANDO É QUE OS APÓSTOLOS DE JESUS DEVIAM COMEÇAR A PRATICAR OS MANDAMENTOS FALADOS POR JESUS??

Jesus continuou a descrever as reações das pessoas que se achariam discípulos, que se veriam como discípulos dele, que se esforçariam grandemente para serem discípulos, aos novos mandamentos instituídos por ele. Assim falou Jesus: (Mateus 7:21-27) 21 "Nem todo o que me disser : ‘Senhor, Senhor’, entrará no reino dos céus, senão aquele que fizer a vontade de meu Pai, que está nos céus. 22 Muitos me dirão naquele dia: ‘Senhor, Senhor, não profetizamos em teu nome e não expulsamos demônios em teu nome, e não fizemos muitas obras poderosas em teu nome?’ 23 Contudo, eu lhes confessarei então: Nunca vos conheci! Afastai-vos de mim, vós obreiros do que é contra a lei. 24 "Portanto, todo aquele que ouve ESTAS MINHAS PALAVRAS e as pratica será comparado a um homem discreto, que construiu a sua casa sobre a rocha. 25 E caiu a chuva, e vieram as inundações, e sopraram os ventos e açoitaram a casa, mas ela não se desmoronou, pois tinha sido fundada na rocha. 26 Além disso, todo aquele que ouve ESTAS MINHAS PALAVRAS e não as pratica será comparado a um homem tolo, que construiu a sua casa sobre a areia. 27 E caiu a chuva, e vieram as inundações, e sopraram os ventos e bateram contra aquela casa, e ela se desmoronou, e foi grande a sua queda."

Profetizar, expulsar demônios, fazer obras poderosas, ter um portento - não são estas as coisas que serão levadas em conta por Jesus, quando este estiver fazendo a avaliação de suas ovelhas. Na avaliação, será levado em conta a "autenticidade" da ovelha. A nova lei dada tem por objetivo produzir ovelhas 100% autênticas, exatamente assim como Jesus demonstrou ser. Esta é a única lei que pode produzir ovelhas 100% genuínas.

Aquele que OUVE que palavras?? "Estas minhas palavras" que acabei de falar, afirmou Jesus. Tratava-se do que hoje é chamado de Sermão do Monte, que na verdade é a nova lei de Deus para o humano.

O que há de comum aos dois homens? Ambos ouvem a nova lei, "estas minhas palavras". Ambos decidem e constroem uma casa (sua personalidade). Sobre ambos vem grande tribulação, isto é, uma grande pressão emocional - chuva, inundações, ventos.

Em que diferem estes dois homens que OUVIRAM "estas" palavras? Um passa a praticar "esta nova lei" que ele ouviu, pois gostou do que ouviu, amou o que ouviu. O outro não passou a praticar "esta nova lei" que ele ouviu, pois não gostou do que ouviu.

Aquele que, no momento antes da tempestade, passou a praticar esta nova lei, quando submetido à provação, a uma pressão, não afronta esta nova lei, "estas minhas palavras" - a casa permanece de pé mesmo sob "forte" pressão EMOCIONAL.

Aquele que, no momento de calmaria, não praticou esta nova lei, quando submetido à provação, a uma pressão EMOCIONAL, passa a afrontar a esta nova lei, "estas minhas palavras" - a casa desmorona e é grande a sua queda.

Quais são "estas minhas palavras" faladas por Jesus, uma nova lei ensinada por Jesus?

Torna-se "obreiro do que é contra a lei", AQUELE, qualquer um, que afrontar a qualquer um destes artigos da lei dada por Jeová e instituída por Jesus de forma clara para eles.

Jesus estava concluindo o Sermão do Monte onde havia estipulado uma nova lei, os novos mandamentos, que serviriam como base para instituição do novo pacto, exatamente assim como Jeová havia feito através de Moisés no monte Sinai. Não é o objetivo deste site e desta página determinar a quantidade de artigos desta lei ou quantos mandamentos existem nesta nova lei, antes é chamar a atenção para esta nova lei instituída por Jesus e os mandamentos ou artigos desta nova lei. Para aqueles ouvintes, realmente era algo inédito. Tratava-se de uma lei que revelava ser o produto de uma profunda sabedoria.

Tudo o que Jesus falou foi produzido na mente de Jeová. Tudo o que Jesus falou foi uma "repetição exata" das palavras saídas da boca de Jeová. Após sua morte, Jesus é chamado de "A palavra de Deus", exatamente por ter repetido com exatidão TODAS as palavras saídas da boca de Jeová. (Revelação 19:11-13) 11 E eu vi o céu aberto, e eis um cavalo branco. E o sentado nele chama-se Fiel e Verdadeiro, e ele julga e guerreia em justiça. 12 Seus olhos são chama ardente e na sua cabeça há muitos diademas. Ele tem um nome escrito que ninguém conhece, exceto ele mesmo, 13 e está vestido duma roupa exterior manchada de sangue, e o nome pelo qual é chamado é A Palavra de Deus.
Aceito isto como "verdade"?? Então, isto significa que aceito esta "nova lei" como a lei válida para os alunos de Jesus, que também são adoradores de Jeová. Isto significa que a aceito como a nova lei dada por Jeová através de Jesus.

OVELHAO PRODUTO FINAL DO SERMÃO DO MONTE.

ESTA É A ÚNICA LEI QUE TRANSFORMA PESSOAS EM OVELHAS. AS OVELHAS SÃO OS SÚDITOS FINAIS DO REINO DOS CÉUS. TODOS GUIADOS POR UMA OVELHA - "O CORDEIRO".

SOMENTE UMA OVELHA É CAPAZ DE OBEDECER A TODOS OS ARTIGOS DESTA LEI.

Mandamento 1 - (Mateus 5:21-22) 21 "Ouvistes que se disse aos dos tempos antigos: ‘Não deves assassinar; mas quem cometer um assassínio terá de prestar contas ao tribunal de justiça.’ 22 No entanto, digo-vos que todo aquele que continuar furioso com seu irmão terá de prestar contas ao tribunal de justiça; mas, quem se dirigir a seu irmão com uma palavra imprópria de desprezo terá de prestar contas ao Supremo Tribunal; ao passo que quem disser: ‘Tolo desprezível!’, estará sujeito à Geena ardente.

Àquele que "eu" considerar como um irmão. Não posso deixar passar despercebido de que foi O Pai quem criou esta lei.

Mandamento 2 - (Mateus 5:23-26) 23 "Se tu, pois, trouxeres a tua dádiva ao altar e ali te lembrares de que o teu irmão tem algo contra ti, 24 deixa a tua dádiva ali na frente do altar e vai; faze primeiro as pazes com o teu irmão, e então, tendo voltado, oferece a tua dádiva. 25 "Resolve prontamente os assuntos com aquele que se queixa de ti em juízo, enquanto ainda estás com ele em caminho para lá, para que, de algum modo, o queixoso não te entregue ao juiz, e o juiz, ao oficial de justiça, e sejas lançado na prisão. 26 Eu te digo categoricamente: Certamente não sairás dali até pagares a última moeda de pouco valor.

Àquele que meu coração vê como um irmão.

Àquele que meu olho vê como irmão. Novamente, não posso desperceber que O Pai vê a todos os humanos como filhos Seus.

Mandamento 3 - (Mateus 5:27-30) 27 "Ouvistes que se disse: ‘Não deves cometer adultério.’ 28 Mas eu vos digo que todo aquele que persiste em olhar para uma mulher, a ponto de ter paixão por ela, já cometeu no coração adultério com ela. 29 Se, pois, aquele olho direito teu te faz tropeçar, arranca-o e lança-o para longe de ti. Porque é mais proveitoso para ti que percas um dos teus membros, do que ser todo o teu corpo lançado na Geena. 30 Também, se a tua mão direita te faz tropeçar, corta-a e lança-a para longe de ti. Porque te é mais proveitoso perder um dos teus membros, do que todo o teu corpo acabar na Geena.

O pecado ocorre primeiro no coração. Realmente, esta informação era algo inédito.

Mandamento 4 - (Mateus 5:31-32) 31 "Outrossim, foi dito: ‘Quem se divorciar de sua esposa, dê-lhe certificado de divórcio.’ 32 No entanto, eu vos digo que todo aquele que se divorciar de sua esposa, a não ser por causa de fornicação, expõe-na ao adultério, e quem se casar com uma mulher divorciada comete adultério.

O divórcio não desfaz o casamento. Casar-se com um (a) divorciado (a) é praticar o adultério. O que fazer com um cônjuge infiel?? Perdoá-lo, obviamente. Este é o ponto de vista Daquele que criou esta lei, ou seja, Jeová, O Pai.

Mandamento 5 - (Mateus 5:33-37) 33 "Novamente, ouvistes que se disse aos dos tempos antigos: ‘Não deves jurar sem cumprir, mas tens de pagar os teus votos a Jeová.’ 34 No entanto, eu vos digo: Não jureis absolutamente, nem pelo céu, porque é o trono de Deus; 35 nem pela terra, porque é o escabelo de seus pés; nem por Jerusalém, porque é a cidade do grande Rei. 36 Tampouco deves jurar pela tua cabeça, porque não podes tornar nem um só cabelo branco ou preto. 37 Deixai simplesmente que a vossa palavra Sim signifique Sim, e o vosso Não, Não; pois tudo o que for além disso é do iníquo.

Falar a verdade todo o tempo e nunca falar meias verdades.

Mandamento 6 - (Mateus 5:38-42) 38 "Ouvistes que se disse: ‘Olho por olho e dente por dente.’ 39 No entanto, eu vos digo: Não resistais àquele que é iníquo; mas, a quem te esbofetear a face direita, oferece-lhe também a outra. 40 E, se alguém quiser levar-te perante o tribunal para obter posse de tua roupa interior, deixa-o ter também a tua roupa exterior; 41 e, se alguém sob autoridade te obrigar a prestar serviço por mil passos, vai com ele dois mil. 42 Dá ao que te pede e não te desvies daquele que deseja tomar emprestado de ti [sem juros].

Não importa o tamanho da ofensa e a quantidade de ofensas; Abra mão da "igual retribuição", sempre, em todos os casos de ofensa contra ti. Não use a "igual retribuição" como desculpa para fazer uma iniquidade. Abra mão da vingança, sempre, em todos os casos. Não tenha um espírito vingativo; não deseje a vingança. Perdoe sempre e nunca guarde ressentimento por qualquer tipo de ofensa praticada contra você. Bem, isto revela o que se deve fazer com o cônjuge que se tornar infiel, não revela??

Mandamento 7 - (Mateus 5:43-48) 43 "Ouvistes que se disse: ‘Tens de amar o teu próximo e odiar o teu inimigo.’ 44 No entanto, eu vos digo: Continuai a amar os vossos inimigos e a orar pelos que vos perseguem; 45 para que mostreis ser filhos de vosso Pai, que está nos céus, visto que ele faz o seu sol levantar-se sobre iníquos e sobre bons, e faz chover sobre justos e sobre injustos. 46 Pois, se amardes aos que vos amam, que recompensa tendes? Não fazem também a mesma coisa os cobradores de impostos? 47 E, se cumprimentardes somente os vossos irmãos, que fazeis de extraordinário? Não fazem também a mesma coisa as pessoas das nações? 48 Concordemente, tendes de ser perfeitos, assim como o vosso Pai celestial é perfeito.

Ame sem o limite das barreiras humanas; não estabeleça fronteiras. Ame o amigo, o conhecido, o desconhecido, o inimigo,... Seja imparcial no seu amor, assim como o Pai é imparcial no Seu amor. Independente do sentimento e das ações do teu próximo para com você, CONTINUE a amar o teu próximo; continue a amá-lo mesmo que ele pratique atos de um inimigo contra você. Uma pessoa pode afirmar que ama ao Pai, e no entanto, praticar atos de um inimigo contra O Pai. O Pai AMA os inimigos DELE. O Pai AMA àquele que não o ama. Esta é a verdadeira forma de amar. Você se transforma em uma fonte de amor que independe do que aconteça em volta. Seja como o Pai, foi o que nos falou Jesus.

Mandamento 8 - (Mateus 6:1-18) 6 "Tomai muito cuidado em não praticardes a vossa justiça diante dos homens, a fim de serdes observados por eles; do contrário não tereis recompensa junto de vosso Pai que está nos céus. 2 Portanto, quando fizeres dádivas de misericórdia, não toques a trombeta diante de ti, assim como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem glorificados pelos homens. Deveras, eu vos digo: Eles já têm plenamente a sua recompensa. 3 Mas tu, quando fizeres dádivas de misericórdia, não deixes a tua esquerda saber o que a tua direita está fazendo, 4  para que as tuas dádivas de misericórdia fiquem em secreto; então o teu Pai, que está olhando em secreto, te pagará de volta.

Não faça as coisas objetivando receber recompensa dos humanos que foram beneficiados com seus atos. Faça sem esperar receber nada de volta. O sentimento que o induz a praticar as ações para com o próximo é o amor. Quem ama não deseja receber glória. Analise e corrija a tua motivação ao fazer dádivas de misericórdia.

Mandamento 9 - 5 "Também, quando orardes, não deveis ser como os hipócritas; porque eles gostam de orar em pé nas sinagogas e nas esquinas das ruas largas, para serem vistos pelos homens. Deveras, eu vos digo: Eles já têm plenamente a sua recompensa. 6 Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto particular, e, fechando a tua porta, ora a teu Pai que está em secreto; então o teu Pai, que olha em secreto, te pagará de volta. 7 Mas, ao orares, não digas as mesmas coisas vez após vez, assim como fazem os das nações, pois imaginam que serão ouvidos por usarem de muitas palavras. 8 Portanto, não vos façais semelhantes a eles, porque Deus, vosso Pai, sabe de que coisas necessitais antes de lhe pedirdes. 9 "Portanto, tendes de orar do seguinte modo: "‘Nosso Pai nos céus, santificado seja o teu nome. 10 Venha o teu reino. Realize-se a tua vontade, como no céu, assim também na terra. 11 Dá-nos hoje o nosso pão para este dia; 12 e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós também temos perdoado aos nossos devedores. 13 E não nos leves à tentação, mas livra-nos do iníquo.’

Não faça as coisas esperando por um aplauso. Não deseje ser exaltado. Não faça de suas orações um discurso a ser elogiado e aplaudido. Depois, O Pai nos concede uma oração que serve de testemunha de acusação contra nós mesmos, se estivermos descumprindo a lei do reino.

Mandamento 10 - 14 "Pois, se perdoardes aos homens as suas falhas, também o vosso Pai celestial vos perdoará; 15  ao passo que, se não perdoardes aos homens as suas falhas, tampouco o vosso Pai vos perdoará as vossas falhas.

Sua única opção é perdoar e perdoar, sempre e sempre. Não importa o tamanho do erro e a quantidade de ofensas, sua única opção é perdoar. Bem, o que fazer com o cônjuge que se tornou infiel??

Mandamento 11 - 16 "Quando jejuardes, parai de ficar com o rosto triste, como os hipócritas, pois desfiguram os seus rostos para que pareça aos homens que estão jejuando. Deveras, eu vos digo: Eles já têm plenamente a sua recompensa. 17 Mas tu, quando jejuares, unta a tua cabeça e lava o rosto, 18 para que não pareça aos homens que estás jejuando, mas ao teu Pai, que está em secreto; então o teu Pai, que olha em secreto, te recompensará.

Não faça as coisas exibindo-se para humanos e/ou esperando qualquer tipo de recompensa dos humanos à sua volta.

Mandamento 12 - (Mateus 6:19-24) 19 "Parai de armazenar para vós tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem consomem, e onde ladrões arrombam e furtam. 20 Antes, armazenai para vós tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde ladrões não arrombam nem furtam. 21 Pois, onde estiver o teu tesouro, ali estará também o teu coração. 22 "A lâmpada do corpo é o olho. Se, pois, o teu olho for singelo, todo o teu corpo será luminoso; 23 mas, se o teu olho for iníquo, todo o teu corpo será escuro. Se, na realidade, a luz que está em ti é escuridão, quão grande é essa escuridão! 24 "Ninguém pode trabalhar como escravo para dois amos; pois, ou há de odiar um e amar o outro, ou há de apegar-se a um e desprezar o outro. Não podeis trabalhar como escravos para Deus e para as Riquezas.

Não se apegue a nada que seu olho veja ou que sua mão possa tocar, pois estas coisas podem ser roubadas e destruídas. Não armazene nada, pois se você armazenar coisas você ficará rico. Rico é aquele que tem coisa armazenadas. Não fique rico; permaneça pobre. Deus está do lado oposto à Riqueza. Se empenhe em obter os mesmos tesouros que Jesus “revelou ter”. Quem acumular riquezas não conseguirá amar os mesmos tesouros que Jesus revelou ter e amar

Mandamento 13 - (Mateus 6:25-34) 25 "Por esta razão eu vos digo: Parai de estar ansiosos pelas vossas almas, quanto a que haveis de comer ou quanto a que haveis de beber, ou pelos vossos corpos, quanto a que haveis de vestir. Não significa a alma mais do que o alimento e o corpo mais do que o vestuário? 26 Observai atentamente as aves do céu, porque elas não semeiam nem ceifam, nem ajuntam em celeiros; contudo, vosso Pai celestial as alimenta. Não valeis vós mais do que elas? 27 Quem de vós, por estar ansioso, pode acrescentar um só côvado à duração de sua vida? 28 Também no assunto do vestuário, por que estais ansiosos? Aprendei uma lição dos lírios do campo, como eles crescem; não labutam nem fiam; 29 mas eu vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, se vestia como um destes. 30 Se Deus, pois, veste assim a vegetação do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, não vestirá ele tanto mais a vós, ó vós os de pouca fé? 31 Portanto, nunca estejais ansiosos, dizendo: ‘Que havemos de comer?’ ou: ‘Que havemos de beber?’ ou: ‘Que havemos de vestir?’ 32 Porque todas estas são as coisas pelas quais se empenham avidamente as nações. Pois o vosso Pai celestial sabe que necessitais de todas essas coisas. 33 "Persisti, pois, em buscar primeiro o reino e a Sua justiça, e todas estas [outras] coisas vos serão acrescentadas. 34 Portanto, nunca estejais ansiosos quanto ao dia seguinte, pois o dia seguinte terá as suas próprias ansiedades. Basta a cada dia o seu próprio mal.

Não esteja ansioso nem mesmo pelas necessidades materiais do corpo humano. Não esteja ansioso pelo alimento do dia. Logo, não armazene nada.

Mandamento 14 -(Mateus 7:1-5) 7 "Parai de julgar, para que não sejais julgados; 2 pois, com o julgamento com que julgais, vós sereis julgados; e com a medida com que medis, medirão a vós. 3 Então, por que olhas para o argueiro no olho do teu irmão, mas não tomas em consideração a trave no teu próprio olho? 4 Ou, como podes dizer a teu irmão: ‘Permite-me tirar o argueiro do teu olho’, quando, eis que há uma trave no teu próprio olho? 5 Hipócrita! Tira primeiro a trave do teu próprio olho, e depois verás claramente como tirar o argueiro do olho do teu irmão.

Você não está autorizado e não tem capacidade para julgar outros. Você não é juiz. O Pai não designou a nenhum humano como juiz. Em primeiro lugar, procure o pecado que há em você. Procure seus próprios pecados e encontre a forma de curar-se.

Mandamento 15 - (Mateus 7:6) 6 "Não deis aos cães o que é santo, nem lanceis as vossas pérolas diante dos porcos, para que nunca as pisem debaixo dos seus pés, e, voltando-se, vos dilacerem.

Mandamento 16 - (Mateus 7:7-11) 7 "Persisti em pedir, e dar-se-vos-á; persisti em buscar, e achareis; persisti em bater, e abrir-se-vos-á. 8 Pois, todo o que [persistir em] pedir, receberá, e todo o que [persistir em] buscar, achará, e a todo o que [persistir em] bater, abrir-se-á. 9 Deveras, qual é o homem entre vós, cujo filho lhe peça pão — será que lhe entregará uma pedra? 10 Ou talvez lhe peça um peixe — será que lhe entregará uma serpente? 11 Portanto, se vós, embora iníquos, sabeis dar boas dádivas a vossos filhos, quanto mais o vosso Pai, que está nos céus, dará boas coisas aos que lhe pedirem!

Mandamento 17 - (Mateus 7:12) 12 "Todas as coisas, portanto, que quereis que os homens vos façam, vós também tendes de fazer do mesmo modo a eles; isto, de fato, é o que a Lei e os Profetas querem dizer.

Só a sabedoria para perceber tal coisa. Amar, esta é a base de toda a lei. Praticar atos de amor independente de receber ou não atos de amor.

Mandamento 18 - (Mateus 7:13-14) 13 "Entrai pelo portão estreito; porque larga e espaçosa é a estrada que conduz à destruição, e muitos são os que entram por ela; 14 ao passo que estreito é o portão e apertada a estrada que conduz à vida, e poucos são os que o acham.

Exige esforço contínuo. Cuidado com a multidão.

Mandamento 19 - (Mateus 7:15-20) 15 "Vigiai-vos dos falsos profetas que se chegam a vós em pele de ovelha, mas que por dentro são lobos vorazes. 16 Pelos seus frutos os reconhecereis. Será que se colhem uvas dos espinhos ou figos dos abrolhos? 17 Do mesmo modo, toda árvore boa produz fruto excelente, mas toda árvore podre produz fruto imprestável; 18 a árvore boa não pode dar fruto imprestável, nem pode a árvore podre produzir fruto excelente. 19 Toda árvore que não produz fruto excelente é cortada e lançada no fogo. 20 Realmente, pois, pelos seus frutos reconhecereis estes [homens].

Falsos profetas serão reconhecidos por suas ações. Suas ações não serão ações de ovelhas autênticas. Reparem nas ações deles. São ações de lobos ou são ações de ovelhas?? Não copiem as ações de lobos. Cuidado também com as palavras faladas por eles. São palavras que transformam as pessoas em lobos.

Mandamento 20 - (Mateus 7:21-27) 21 "Nem todo o que me disser: ‘Senhor, Senhor’, entrará no reino dos céus, senão aquele que fizer a vontade de meu Pai, que está nos céus. 22 Muitos me dirão naquele dia: ‘Senhor, Senhor, não profetizamos em teu nome e não expulsamos demônios em teu nome, e não fizemos muitas obras poderosas em teu nome?’ 23 Contudo, eu lhes confessarei então: Nunca vos conheci! Afastai-vos de mim, vós obreiros do que é contra a lei. 24 "Portanto, todo aquele que ouve estas minhas palavras e as pratica será comparado a um homem discreto, que construiu a sua casa sobre a rocha. 25 E caiu a chuva, e vieram as inundações, e sopraram os ventos e açoitaram a casa, mas ela não se desmoronou, pois tinha sido fundada na rocha. 26 Além disso, todo aquele que ouve estas minhas palavras e não as pratica será comparado a um homem tolo, que construiu a sua casa sobre a areia. 27 E caiu a chuva, e vieram as inundações, e sopraram os ventos e bateram contra aquela casa, e ela se desmoronou, e foi grande a sua queda."

Que enorme sabedoria nos é transmitida por cada uma destas denominadas por Jesus de "estas minhas palavras", um pouco antes, saídas de sua própria boca ali no Monte!!

"Estas minhas palavras", palavras acima faladas por Jesus, revela ser a lei do reino de Deus, a lei do reino dos céus, uma nova lei para os judeus.

Neste caso, qualquer homem, qualquer dos discípulos de Jesus poderiam fazer muitas obras poderosas em nome de Jesus e no entanto deixar de cumprir a um único destes novos mandamentos, tornando-se assim um "obreiro do que é contra esta nova lei".

Como ficou comprovado no próprio caso dos doze apóstolos de Jesus, estar fazendo obras poderosas em nome de Jesus, não impede que este apóstolo cometa pecados, não impede o discípulo de desobedecer a lei do Cristo (retransmitida por Jesus), não impede o discípulo de cometer iniqüidade, não impede qualquer discípulo de se tornar "obreiro do que é contra a lei".

Observamos que Jesus ilustrou sabiamente a condição que alcançariam muitos dos seus alunos (discípulos), comparando-os de forma individual a uma casa que ou desmorona ou não desmorona, quando submetido a uma pressão.

Visando ajudar seus discípulos, Jesus falou do mesmo assunto, agora utilizando outra ilustração: "Vigiai-vos dos falsos profetas que se chegam a vós em pele de ovelha, mas que por dentro são lobos vorazes".

Profeta é aquele que afirma estar trazendo uma mensagem de Jeová; o profeta afirma ser um porta-voz de Jeová. Pessoas aparentemente dóceis como ovelhas, que afirmam ser discípulos, que acreditam ser discípulos, que fazem até mesmo obras poderosas em nome de Jesus, no entanto, o próprio Jesus afirma: Pelos seus frutos os reconhecereis; a árvore boa não produz fruto imprestável.

Uma ovelha é uma ovelha sob quaisquer circunstâncias, sob quaisquer situações de extrema dificuldade e sofrimento, inclusive quando diante da morte imposta por outrem.

Não importa a pressão, uma ovelha sempre será uma ovelha; ela é ovelha por fora e por dentro.

Na hora da dificuldade, na hora da tribulação, na hora da tempestade, na hora da ventania, na hora da inundação, na hora da pressão emocional, a ovelha continua ovelha. A árvore boa nunca produz fruto imprestável.

No entanto, aqueles que por dentro continuam a ser lobos vorazes, na hora da dificuldade, na hora da tribulação, na hora da pressão emocional, abandonarão a pele de ovelha, e aí, seus frutos serão notados, pois, certamente produzirão frutos imprestáveis, certamente se tornarão "obreiros do que é contra a lei", isto é, contra a esta nova lei. Na hora da pressão emocional, não suportarão receber o mal contra si mesmos, impostos por outras pessoas, assim como a ovelha autêntica suportaria.

Os mesmos apóstolos que horas antes haviam produzido obras poderosas (portentos), fazendo o bem por curar outros e anunciar o Reino dos céus, agora estavam dispostos a matar pessoas; uma aldeia de samaritanos não dispostos a recebê-los. Da mesma fonte estava saindo o bem e o mal. A mesma árvore produzindo frutos bons e frutos imprestáveis. "Ovelhas autênticas" não desejam matar pessoas, nunca, nem mesmo sob forte pressão emocional. Não foi exatamente assim que agiu Jesus, a ovelha??

Os alunos (apóstolos) estavam copiando o Instrutor, Jesus Cristo?? Certamente que não. Jesus mostrou ser uma árvore que só produz fruto excelente. Jesus mostrou ser uma ovelha autêntica, que apesar de todas as pressões, continuava a ser apenas uma ovelha. Uma ovelha muitíssimo poderosa, no entanto, apenas uma ovelha.

Esta "nova lei" dada por Jeová através de Jesus REVELA a personalidade que o discípulo de Jesus tem de desenvolver. Estamos nós, os que afirmamos ser discípulos de Jesus, cumprindo TODOS os mandamentos dados por Jesus no Sermão do Monte?? O que falou Jesus sobre imitarmos a ele?? Ele falou: (Mateus 10:24-25) 24 “O discípulo não está acima do seu instrutor, nem o escravo acima do seu senhor. 25 BASTA QUE O DISCÍPULO SE TORNE COMO O SEU INSTRUTOR e o escravo como o seu senhor. Se chamaram de Belzebu ao dono da casa, quanto mais [chamarão] assim aos de sua família?

Se tornar como o Instrutor, ser igual ao Instrutor, ter os mesmos sentimentos que o Instrutor e ter as mesmas reações que o Instrutor.

Deixar de cumprir um mínimo dos mandamentos, significa ser um "obreiro do que é contra a lei".

Obedecer a TODAS as ordens - esta é a obrigação do escravo.

Vejamos o caso de um escravo, um servo escolhido de Jeová, que profetizou em nome de Jeová uma mensagem realmente dada por Jeová, que fez obras poderosas em nome de Jeová e que se revelou ser "obreiro do que é contra a lei". Uma descrição prática da afirmação de Jesus - eles dirão: profetizamos em teu nome e fizemos obras poderosas em teu nome. O profeta sem nome profetizou em nome de Jeová e fez obras poderosas em nome de Jeová. O relato não revela o nome deste servo, deste escravo de Jeová, UM PROFETA, um porta voz, um mensageiro de Jeová, escolhido por Jeová. Diz o relato a respeito deste escravo: (1 Reis 13:1-24) 13 E eis que havia um homem de Deus que pela palavra de Jeová saíra de Judá para Betel, enquanto Jeroboão estava de pé junto ao altar, fazendo fumaça sacrificial. 2 Ele clamou então contra o altar, pela palavra de Jeová, e disse: "Ó altar, altar, assim disse Jeová: ‘Eis que nasceu à casa de Davi um filho, cujo nome é Josias! E ele há de sacrificar sobre ti os sacerdotes dos altos, que estão fazendo fumaça sacrificial sobre ti, e queimará sobre ti os ossos de homens.’" 3 E naquele dia ele deu um portento, dizendo: "Este é o portento de que Jeová falou: Eis que se fenderá o altar, e as cinzas gordurosas que há sobre ele certamente se derramarão." 4 E sucedeu que, assim que o rei ouviu a palavra do homem do [verdadeiro] Deus, que ele havia clamado contra o altar em Betel, Jeroboão estendeu imediatamente a sua mão, tirando-a do altar, dizendo: "Pegai-o!" Secou-se-lhe imediatamente a mão que estendera contra ele e não a pôde mais recolher a si. 5 E o próprio altar se fendeu, de modo que as cinzas gordurosas se derramaram do altar, segundo o portento que o homem do [verdadeiro] Deus dera pela palavra de Jeová.6 O rei respondeu então e disse ao homem do [verdadeiro] Deus: "Por favor, abranda a face de Jeová, teu Deus, e ora por mim para que se me restitua a minha mão." Em vista disso, o homem do [verdadeiro] Deus abrandou a face de Jeová, de modo que a mão do rei lhe foi restituída e ela veio a ficar como no princípio.  7 E o rei prosseguiu, dizendo ao homem do [verdadeiro] Deus: "Vem deveras comigo à casa e fortifica-te, e deixa-me dar-te uma dádiva." 8 Mas o homem do [verdadeiro] Deus disse ao rei: "Se me desses metade da tua casa não iria contigo, nem comeria pão, nem beberia água neste lugar. 9 Pois assim se me ordenou pela palavra de Jeová, dizendo: ‘Não deves comer pão nem beber água, e não deves voltar pelo caminho em que foste.’" 10 E ele começou a ir por outro caminho e não voltou pelo caminho em que viera a Betel. 11 E em Betel morava certo profeta idoso, e seus filhos entraram então e relataram-lhe todo o trabalho feito naquele dia pelo homem do [verdadeiro] Deus em Betel [e] as palavras que falara ao rei, e foram relatá-las a seu pai. 12 Seu pai falou então com eles: "Então, por que caminho foi ele?" Portanto, seus filhos mostraram-lhe o caminho pelo qual havia ido o homem do [verdadeiro] Deus, que saíra de Judá. 13 Ele disse então aos seus filhos: "Selai-me o jumento." Portanto, selaram-lhe o jumento e ele se foi montado nele. 14 E ele seguia o homem do [verdadeiro] Deus e foi achá-lo sentado debaixo da árvore grande. Disse-lhe então: "És tu o homem do [verdadeiro] Deus, que saiu de Judá?" a que ele disse: "Sou eu." 15 E ele prosseguiu, dizendo-lhe: "Vem comigo à casa e come pão." 16 Mas ele disse: "Não posso voltar contigo nem entrar contigo, e não posso comer pão nem beber água contigo neste lugar. 17 Porque me foi falado pela palavra de Jeová: ‘Não deves comer pão nem beber água ali. Não deves voltar pelo caminho em que foste.’" 18 A isto ele lhe disse: "Eu também sou profeta igual a ti, e um anjo é que falou comigo pela palavra de Jeová, dizendo: ‘Faze-o voltar contigo à tua casa, para que coma pão e beba água.’" (Enganou-o.) 19 De modo que voltou com ele para comer pão na sua casa e para beber água. 20 E sucedeu, enquanto estavam sentados à mesa, que a palavra de Jeová veio ao profeta que o tinha trazido de volta; 21 e ele começou a clamar para o homem do [verdadeiro] Deus, que saíra de Judá, dizendo: "Assim disse Jeová: ‘Visto que te rebelaste contra a ordem de Jeová e não guardaste o mandamento que Jeová, teu Deus, te ordenou, 22 mas voltaste para comer pão e beber água no lugar de que te falou: "Não comas pão nem bebas água", teu cadáver não entrará na sepultura dos teus antepassados.’" 23 E sucedeu que, depois de ele comer pão e depois de beber água, selou para ele imediatamente o jumento, isto é, para o profeta a quem tinha trazido de volta. 24 E ele se pôs a caminho. Mais tarde um leão o achou na estrada e o entregou à morte, e seu cadáver ficou lançado na estrada. E o jumento estava parado ao lado dele e o leão estava parado ao lado do cadáver. . .

Apesar dos corajosos ATOS de fidelidade e apesar das obras poderosas feitas em nome de Jeová, este profeta também praticou um ATO de infidelidade, um ATO de rebeldia contra uma das ordens que lhe foram dadas "diretamente" por Jeová. Este escravo cumpriu muito bem grande parte de sua missão. Deixou de cumprir UM único dos detalhes da sua missão; o de não comer pão e não beber água. Ter praticado alguns atos de fidelidade não lhe davam créditos para poder praticar qualquer tipo de ato de rebeldia.

O profeta declarou as decisões judiciais de Jeová exatamente como Jeová havia determinado. O profeta falou "apenas" aquilo que Jeová mandara falar, não aumentando nem diminuindo uma única palavra. Para comprovar que o profeta falava realmente em nome de Jeová, que aquele profeta realmente trazia um recado de Jeová, foi providenciado uma prova irrefutável, UM PORTENTO.

Exatamente como no caso de Moisés, quando Jeová providenciou os três PORTENTOS, ou sinais, que o identificavam como uma pessoa escolhida por Jeová para transmitir os recados de Jeová para este ou aquele humano, ou para este ou aquele grupo de humanos, aquele profeta sem nome também tinha um PORTENTO, ou seja: "Eis que se fenderá o altar, e as cinzas gordurosas que há sobre ele certamente se derramarão."

Àquele a quem eram dirigidas as palavras de Jeová, o recado retransmitido, rebelou-se momentaneamente através de suas palavras e ações, tendo sido punido e logo depois sarado de sua punição: 4 E sucedeu que, assim que o rei ouviu a palavra do homem do [verdadeiro] Deus, que ele havia clamado contra o altar em Betel, Jeroboão estendeu imediatamente a sua mão, tirando-a do altar, dizendo: "Pegai-o!" Secou-se-lhe imediatamente a mão que estendera contra ele e não a pôde mais recolher a si. 5 E o próprio altar se fendeu, de modo que as cinzas gordurosas se derramaram do altar, segundo o portento que o homem do [verdadeiro] Deus dera pela palavra de Jeová.6 O rei respondeu então e disse ao homem do [verdadeiro] Deus: "Por favor, abranda a face de Jeová, teu Deus, e ora por mim para que se me restitua a minha mão." Em vista disso, o homem do [verdadeiro] Deus abrandou a face de Jeová, de modo que a mão do rei lhe foi restituída e ela veio a ficar como no princípio.

O profeta, aquele que transmitia o recado, recebeu uma "lei" da mesma fonte, uma ordem que se aplicava exclusivamente a ele: 9 Pois assim se me ordenou pela palavra de Jeová, dizendo: ‘Não deves comer pão nem beber água, e não deves voltar pelo caminho em que foste.’" 10 E ele começou a ir por outro caminho e não voltou pelo caminho em que viera a Betel.

Embora a tenha cumprido temporariamente, logo depois, o profeta sem nome não cumpriu este um único detalhe da ordem dada exclusivamente para ele, e assim rebelou-se: 18 A isto ele lhe disse: "Eu também sou profeta igual a ti, e um anjo é que falou comigo pela palavra de Jeová, dizendo: ‘Faze-o voltar contigo à tua casa, para que coma pão e beba água.’" (Enganou-o.) 19 De modo que voltou com ele para comer pão na sua casa e para beber água.

Assim, este profeta sem nome, deixou que para ele, a palavra de um outro profeta fosse mais valiosa, mais verdadeira do que a palavra que ele ouviu sair da boca de Jeová.

Jeová o chamou de REBELDE. Rebelde contra uma das ordens de Jeová. (1 Reis 13:20-22) 20 E sucedeu, enquanto estavam sentados à mesa, que a palavra de Jeová veio ao profeta que o tinha trazido de volta; 21 e ele começou a clamar para o homem do [verdadeiro] Deus, que saíra de Judá, dizendo: "Assim disse Jeová: ‘Visto que TE REBELASTE contra a ordem de Jeová e não guardaste o mandamento que Jeová, teu Deus, te ordenou, 22 mas voltaste para comer pão e beber água no lugar de que te falou: "Não comas pão nem bebas água", teu cadáver não entrará na sepultura dos teus antepassados.’"

Sua punição foi a morte por um animal selvagem, muito embora, tal animal não tivesse devorado o cadáver deste escravo rebelde: (1 Reis 13:28-29) 28 Então se pôs a caminho e achou seu cadáver lançado na estrada, com o jumento e o leão parados ao lado do cadáver. O leão não tinha devorado o cadáver, nem tinha esmagado o jumento. 29 E o profeta passou a levantar o cadáver do homem do [verdadeiro] Deus, e a colocá-lo sobre o jumento, e a levá-lo de volta. Entrou assim na cidade do profeta idoso para lamentá-lo e para enterrá-lo.

Logo, a lição dada foi: Diversos ATOS de fidelidade não compram um único ATO de infidelidade. Quando tal profeta for ressuscitado, e certamente o será, como todos os demais humanos, terá o seu momento de vergonha e humilhação. No entanto, logo perceberá que foi amplamente perdoado, embora tenha recebido uma dura punição. Certamente aprenderá esta sua lição.

A rebeldia de Jeroboão foi punida com a secura de sua mão e logo depois esta foi restabelecida, enquanto que a rebeldia do profeta foi punida com a morte. Aquele a quem se dá mais, se exige mais. Ele, o profeta, foi escolhido por Jeová e havia recebido a ordem diretamente de Jeová.

Pudemos perceber também que, aparentemente, o velho profeta não recebeu qualquer punição. Ele foi testemunha do ato de rebeldia de seu irmão e do resultado final, tendo tido também uma participação ativa nos acontecimentos, já que foi a sua “palavra” que induziu seu irmão ao erro. Tendo sido ele, aquele que Jeová usou para retransmitir o tipo de punição a ser aplicada neste caso e também aquele que achou o cadáver, certamente foi muito doloroso para ele, ver o resultado da sua iniciativa em induzir seu irmão ao erro, o que não deixava de ser uma dolorosa punição para este velho profeta.

Em relação a este assunto, assim falou Jesus: (Lucas 12:47-48) 47 Então, aquele escravo, que entendeu a vontade de seu amo, mas não se aprontou, nem fez em harmonia com a sua vontade, será espancado com muitos golpes. 48 Mas aquele que não entendeu, e assim fez coisas que merecem golpes, será espancado com poucos. Deveras, DE TODO AQUELE A QUEM MUITO FOI DADO, MUITO SE RECLAMARÁ DELE; e a quem encarregaram de muito, deste reclamarão mais do que o usual.

Os diversos ATOS de fidelidade de Moisés não compraram seu ATO de rebeldia e falta de fé, pois Jeová disse: "Não passarás este Jordão", apesar dos pedidos de Moisés. (Deuteronômio 3:26-27) 26 E Jeová continuou furioso comigo por vossa causa e não me escutou; mas Jeová me disse: ‘Já chega de ti! Nunca mais me fales neste assunto. 27 Sobe ao cume do Pisga e levanta os teus olhos para o oeste, e para o norte, e para o sul, e para o leste, e vê com os teus olhos, pois não passarás este Jordão. . .

Apesar dos diversos ATOS de fidelidade, e apesar de demonstrar fé em diversas ocasiões, Jeová o puniu por ser "falto de fé": (Números 20:12) 12 Mais tarde, Jeová disse a Moisés e a Arão: "Visto que não mostrastes fé em mim para me santificar diante dos olhos dos filhos de Israel, por isso não levareis esta congregação à terra que lhes hei de dar.". . .

Muitos anos depois da morte de Moisés, através de outro porta-voz afirmou Jeová: (Ezequiel 18:24-26) 24 "‘Ora, quando o justo recuar da sua justiça e realmente fizer injustiça; se estiver fazendo segundo todas as coisas detestáveis que o iníquo tem feito e estiver vivendo, NÃO SERÁ LEMBRADO NENHUM DOS SEUS ATOS JUSTOS QUE PRATICOU. Por sua infidelidade que praticou e por seu pecado com que pecou, por estes é que morrerá. 25 "‘E certamente direis: "O caminho de Jeová não é acertado." Ouvi, por favor, ó casa de Israel. Não é acertado o meu próprio caminho? Não são os vossos caminhos que não são acertados? 26 "‘Quando o justo recuar de sua justiça e realmente fizer injustiça e morrer por causa de tais [atos], morrerá pela sua injustiça que fez.

Moisés não foi rejeitado como servo, no entanto, ele foi punido por sua rebeldia, por sua falta de fé.

Nesta grandiosa sala de aula, podemos perceber o Criador nos dando sábias lições. Qual Pai sábio que visa o aprendizado do filho, que visa que o filho se torne tão sábio quanto o Pai, Jeová tem agido de forma sábia e amorosa, logo, podemos perceber os esforços paternos do seu sábio objetivo. Por vezes, teimosamente não buscamos aprender algumas lições e podemos piorar o nosso caso, até a vinda de uma punição qualquer, o que finalmente nos fará parar para pensar no erro, aumentando grandemente a nossa própria vergonha e humilhação.

Quando Jesus afirmou que usar os poderes dados, os PORTENTOS, não é fato primordial para análise do comportamento do mensageiro, do escravo escolhido, seu objetivo era nos alertar quanto aos nossos próprios sentimentos e nossos próprios atos. O mensageiro tem a obrigação de cumprir também aquele artigo da lei que é específico só para ele. Ele também está sendo observado em relação a todos os artigos da lei, todos os detalhes da ordem que recebeu. Será muito mais exigido do que aquele outro a quem ele retransmite a fala de Jeová.

Neste caso, a "nova lei", a lei dada por Jeová através de Jesus, também era válida para Jesus, e Jesus a obedeceu integralmente; Jesus obedeceu a todos os artigos desta "nova lei". Jesus nos mostrou COMO obedecer a esta "nova lei".

Não é a mensagem que ele repete em exatidão ou os PORTENTOS que recebeu para sua identificação, que comprovam sua condição aprovada perante aquele que o envia. O ESCRAVO TEM DE SER OBEDIENTE A TODAS AS ORDENS RECEBIDAS POR ELE.

Se porventura, outro escravo, também enviado, E TAMBÉM COM PORTENTOS, lhe transmitir um recado diferente daquele que ele recebeu diretamente da fonte, é porque este escravo está sendo testado na sua obediência àquela lei que ele recebeu diretamente da fonte, em relação a ele próprio. (João 14:15) 15 "Se me amardes, observareis os MEUS mandamentos; (João 14:21) 21 Quem tem os MEUS mandamentos e os observa, este é o que me ama. Por sua vez, quem me ama, será amado por meu Pai, e eu o amarei e me mostrarei claramente a ele." (João 14:23-24) . . .Em resposta, Jesus disse-lhe: "Se alguém me amar, observará a MINHA palavra, e meu Pai o amará, e nós iremos a ele e faremos a nossa residência com ele. 24 Quem não me ama, não observa as MINHAS palavras; e a palavra que estais ouvindo não é minha, mas pertence ao Pai que me enviou.

Os doze apóstolos receberam a “NOVA lei” diretamente de Jesus, ouviram da boca de Jesus, e além disso, acompanharam Jesus no dia a dia, vendo-o obedecer a esta lei, logo, não podiam ser enganados por qualquer outro ser, humano ou anjo, mesmo que este se apresentasse com grandes portentos. Estes, que viram e ouviram Jesus, tinham de amar a Jesus se apegando às palavras saídas da boca de Jesus. Os apóstolos não podiam se desviar de nenhum dos artigos da "nova lei" recebida por eles diretamente de Jesus. CONVIVÊNCIA NO DIA A DIA, esta foi a forma escolhida por Jesus para revelar a lei aos 12 apóstolos. FOI NO DIA A DIA que Jesus lhes mostrou o COMO obedecer a esta lei. Jesus amorosamente os avisou: (Mateus 24:24-25) 24 Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas, e farão grandes sinais e prodígios, a fim de desencaminhar, se possível, até mesmo os escolhidos. 25 Eis que eu vos avisei de antemão.

Para os doze apóstolos que conviveram com Jesus não podia haver qualquer dúvida. Em certa ocasião, assim falou Jesus: (Mateus 16:13-17) 13 Tendo então chegado às regiões de Cesaréia de Filipe, Jesus foi perguntar a seus discípulos: “Quem dizem os homens ser o Filho do homem?” 14 Disseram: “Alguns dizem João Batista, outros, Elias, ainda outros, Jeremias ou um dos profetas.” 15 Disse-lhes ele: “Vós, porém, quem dizeis que eu sou?16 Em resposta, Simão Pedro disse: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivente.17 Jesus lhe disse, em resposta: “Feliz és tu, Simão, filho de Jonas, porque [isso] não te foi revelado por carne e sangue, mas por meu Pai, que está nos céus....

Sim, tratava-se de um raro privilégio concedido a um humano. No entanto, tal privilégio veio acompanhado de uma grande responsabilidade. Exatamente por ter a plena certeza de que Jesus era o Cristo, o Filho do Deus vivente, Pedro e outros não podiam acreditar em quaisquer outros que apresentassem uma informação divergente da de Jesus, não é verdade??? Informação nova, diferente, só poderia ser trazida a eles através de alguém que se apresentasse como um profeta. Não vem escrito na testa se o profeta é verdadeiro ou falso. No caso de Jesus, foi o próprio Jeová quem assinou embaixo, autentificando as “declarações” de Jesus.

As declarações de Jesus foram as únicas declarações que foram autenticadas por Jeová. Jeová afirmou desde os céus: Escutai-o”.

Um profeta qualquer com seus grandes portentos, poderia afirmar que não precisa obedecer ao artigo 6 ou mandamento 6, segundo o apresentado acima. (divisão não oficial) Podia dizer àquele apóstolo que ouviu esta "nova lei" diretamente de Jesus: Se alguém lhe ofender você tem o direito de exigir a justa retribuição e a devida vingança. Ou ainda mais: Se alguém que não for teu irmão (um cobrador de impostos, um pecador ou um homem das nações) te ofender, exija dele a devida prestação de contas; procure as “autoridades” e peça a devida compensação pela ofensa. Ou ainda mais: Por este ou por aquele motivo, se você se casar com um (a) divorciado (a) você não está cometendo adultério. Por este ou por aquele motivo você não precisa perdoar seu cônjuge que se tornou infiel e voltar a ele (a). Ou ainda mais: Você não precisa perdoar todos os pecados e todas as blasfêmias contra você. A quem os apóstolos que ouviram as frases da boca de Jesus deviam obedecer? A Jesus, obviamente. Amariam a Jesus por perdoar altruistamente o próximo no lugar de exigir para este a "justa retribuição". Amariam a Jesus por obedecer ao mandamento 6, mandamento dado por Jeová e retransmitido por Jesus. Obedecer a Jesus é não se tornar um obreiro do que é contra a lei dada através de Jesus.

Ainda outro profeta ou servo escolhido por Jesus, que também tenha portentos, poderia afirmar que “para perdoar este ou aquele humano, tem de haver motivo válido para fazê-lo, que o perdão deve estar condicionado a existir motivo válido para ser concedido. A pessoa tem de merecer receber o perdão. A pessoa tem de apresentar o arrependimento como moeda a ser trocada pelo perdão”. A quem os apóstolos que conviveram com Jesus deviam obedecer?? A Jesus, obviamente. Amariam a Jesus por perdoarem todos os pecados do ofensor independente de qualquer coisa, pois o mandamento 10 é claro e não estabelece condicionamento para o perdão, antes, deixa bem claro que o perdão do “meu” pecado por Jeová, este sim, está condicionado a eu perdoar o pecado do meu próximo. No mandamento 9, peço ao Pai que me trate assim como eu trato o meu próximo, que me perdoe ASSIM COMO eu tenho perdoado meu próximo. Se eu condicionar o meu perdão ao próximo a um prévio ato deste, estarei pedindo que o Pai também condicione o Seu perdão para mim a um prévio ato meu. Me retribua segundo as minhas ações. No mandamento 7 foi-me dito que eu tenho de amar o próximo independente do sentimento e da ação que ele tome contra mim. Foi no convívio do dia a dia que Jesus mostrou o COMO obedecer a todos estes mandamentos. Assim, aquele discípulo que conviveu com Jesus no dia a dia, certamente diria: “Não foi desta forma que Jesus obedeceu a estes mandamentos”.

Nos dois casos acima, dar ouvidos ao profeta com portentos, significaria tornar-se obreiro do que é contra a nova lei dada por Jeová através de Jesus no Sermão do Monte. Significaria não amar a Jesus. Significaria não amar a Jeová. Assim como no caso do profeta sem nome, seria um ato de rebeldia contra Jeová, apesar de fazer muitas outras coisas que Jeová mandou fazer.

Não tenha vergonha de ser uma ovelha.

Topo desta página