PECADO CONTRA O ESPÍRITO SANTO

Criada em 04 de agosto de 2011 Modificada em 12/07/17 às 08: 40

PECADO CONTRA O ESPÍRITO SANTO

RELAÇÃO ENTRE O ESPÍRITO SANTO E O LIVRE-ARBÍTRIO.

Quantos espíritos santos existem??

Livre-arbítrio incondicional - o Pai Jeová pratica.


NÃO TENHA MEDO DE QUESTIONAR À “VERDADE”.

A verdade sempre respeita o livre-arbítrio. A verdade” nunca será imposta, a verdade” é sempre ensinada, e a verdade” quando é entendida, sempre é aceita. Isto só ocorre quando a fonte da verdade é também a fonte da sabedoria. O "TEMPO" é o aliado nº1 da "verdade". O "TEMPO" é o aliado nº1 da "sabedoria". E o tempo nunca para. O TEMPO nos levará diretamente à verdade.

A "verdade" nunca foge do questionamento e nunca se ira quando questionada. A "verdade" sempre se alegra muitíssimo quando é questionada. A verdade” sempre tem muita profundidade. A "verdade" quando questionada, sempre se prova como "verdade", sempre apresenta respostas que nunca se contradizem. Humanos imperfeitos sempre se contradizem, entretanto, Jeová e seu Filho Jesus nunca se contradizem. Eles são a "verdade".

É o tirano quem não admite o questionamento de suas palavras e ordens.


O OFENDIDO É AQUELE QUE DECIDE SE PERDOA OU NÃO PERDOA O OFENSOR. É O OFENDIDO QUEM PRATICA A AÇÃO DE PERDOAR.

SERÁ QUE O ESPÍRITO SANTO É UMA PESSOA?? A pessoa é usada pelo espírito santo para praticar uma ação ou a pessoa usa o espírito santo para praticar uma ação?? Será que o “espírito santo” domina a mente de uma pessoa, para que ela satisfaça os desejos deste “espírito santo”??


O ESPÍRITO SANTO NÃO PERDOA O PECADO DE BLASFÊMIA COMETIDA CONTRA ELE.

Será que o humano consegue praticar contra o espírito santo, algum outro pecado, que não seja a blasfêmia??


A honestidade não é sólida, não é líquida e nem é gasosa, mas ela existe. Ela não tem a capacidade de fazer nem o bem e nem o mal a qualquer pessoa, animal, plantas ou a qualquer coisa física existente neste planeta. Ela não toma a iniciativa em fazer nada.

Podemos dizer que a honestidade é um espírito, não podemos??

A competição não é sólida, não é líquida e nem gasosa, mas ela existe. Ela não tem a capacidade de fazer nem o bem e nem o mal a qualquer coisa ou pessoa. Ela não toma a iniciativa em fazer nada.

Também podemos dizer que a competição é um espírito, não podemos??

A bondade não é sólida, não é líquida e nem gasosa, mas ela existe. Ela não tem a capacidade de fazer nem o bem e nem o mal a qualquer coisa ou pessoa. Ela não toma a iniciativa em fazer nada.

Também podemos dizer que a bondade é um espírito, não podemos.

A imparcialidade não é sólida, não é líquida e nem gasosa, mas ela existe. Ela também não tem a capacidade de fazer nem o bem e nem o mal a qualquer pessoa ou coisa. Ela não toma a iniciativa em fazer nada.

Também podemos afirmar que a imparcialidade é um espírito, não podemos??

A humildade não é sólida, não é líquida e nem gasosa, mas ela existe. Ela também não tem a capacidade de fazer nem o bem e nem o mal a qualquer pessoa ou coisa. Ela não toma a iniciativa em fazer nada.

Também podemos afirmar que a humildade é um espírito, não podemos??

O favoritismo não é sólido, não é líquido e nem é gasoso, mas ele existe. Ele não tem a capacidade de fazer nem o bem e nem o mal a qualquer pessoa, animal, plantas ou a qualquer coisa física existente neste planeta. Ele não toma a iniciativa em fazer nada.

Podemos dizer que o favoritismo é um espírito, não podemos??

A desigualdade não é sólida, não é líquida e nem é gasosa, mas ela existe. Ela não tem a capacidade de fazer nem o bem e nem o mal a qualquer pessoa, animal, plantas ou a qualquer coisa física existente neste planeta. Ela não toma a iniciativa em fazer nada.

Podemos dizer que a desigualdade é um espírito, não podemos??

O egoísmo não é sólido, não é líquido e nem é gasoso, mas ele existe. Ele não tem a capacidade de fazer nem o bem e nem o mal a qualquer pessoa, animal, plantas ou a qualquer coisa física existente neste planeta.

Podemos dizer que o egoísmo é um espírito, não podemos??

O altruísmo não é sólido, não é líquido e nem é gasoso, mas ele existe. Ele não tem a capacidade de fazer nem o bem e nem o mal a qualquer pessoa, animal, plantas ou a qualquer coisa física existente neste planeta. Ele não toma a iniciativa em fazer nada.

Podemos dizer que o altruísmo é um espírito, não podemos??

Será que podemos afirmar que santo é aquilo que sempre produz como resultado final (fruto) o bem para todos ao redor?? Sim, podemos.

Será que podemos afirmar que o que é iníquo é aquilo que sempre produz como resultado (fruto, consequência) o mal para todos ao redor?? Sim, podemos.

Podemos afirmar que a honestidade é um espírito santo?? Sim, podemos, pois se trata da realidade em relação a ela (honestidade).

Podemos afirmar que o egoísmo é um espírito santo?? Mesmo que fizéssemos tal afirmação, seria mentira, pois não é a realidade em relação a ele (egoísmo), afinal de contas, o resultado final (fruto) que ele poderá produzir é o bem para uns e o mal para outros.

Neste caso, o egoísmo é um espírito iníquo..

Podemos afirmar que o altruísmo é um espírito santo?? Sim, podemos, pois se trata da realidade em relação a ele (altruísmo).

O altruísmo só poderá produzir como resultado final (fruto) apenas o bem para todos..


De posse deste raciocínio plenamente lógico, podemos entender o porque o Pai tem sete espíritos e que Jesus também tem os mesmos sete espíritos que o Pai tem..

(Revelação 5:6) 6 E eu vi no meio do trono e das quatro criaturas viventes, e no meio dos anciãos, um cordeiro em pé, como se tivesse sido morto, tendo sete chifres e sete olhos, [olhos] que significam os sete espíritos de Deus, os quais têm sido enviados à terra inteira.


(Revelação 3:1) 3 “E ao anjo da congregação em Sardes escreve: Estas coisas diz aquele que tem os sete espíritos de Deus e as sete estrelas: ‘Conheço as tuas ações, de que tens a fama de estar vivo, mas estás morto.


Sendo o Pai uma pessoa santa, isto significa que todos os sete espíritos que ele tem são santos. Isto nos leva a conclusão de que somente é santo, aquele que tem todos os sete espíritos santos que o Pai tem e que Jesus também tem, obviamente..

Somente uma pessoa que tenha combinação sete completa de sete espíritos santos é que conseguirá ser santa.

Com isto em mente, continuemos a nossa consideração sobre “espírito santo”..


O PAI PERDOA TODOS OS PECADOS DE TODOS OS PECADORES, INCLUSIVE A BLASFÊMIA.

O FILHO PERDOA TODOS OS PECADOS DE TODOS OS PECADORES, INCLUSIVE A BLASFÊMIA.

O HUMANO QUE DEIXAR DE PERDOAR UM PECADO CONTRA SI MESMO, INCLUSIVE A BLASFÊMIA, COMETE UM PECADO.

QUAIS SÃO AS CONDIÇÕES EXIGIDAS PARA QUE ACONTEÇA O PERDÃO?? É necessário que haja um ofensor e uma vítima. Também é necessário que a vítima não guarde ressentimento da ação do ofensor. É a vítima quem decide se perdoa ou não perdoa.


ENTÃO, PORQUE O ESPÍRITO SANTO NÃO PERDOA UMA BLASFÊMIA COMETIDA CONTRA ELE??

EM RELAÇÃO A QUE, UM HUMANO FALARIA CONTRA O ESPÍRITO SANTO??


O QUE FARIA O ESPÍRITO SANTO AO SER OFENDIDO POR ALGUÉM??

TEM O ESPÍRITO SANTO A AUTONOMIA PARA MATAR UM HUMANO??

TEM O ESPÍRITO SANTO O PODER DE DECIDIR FAZER OU NÃO FAZER ALGO??

TEM O ESPÍRITO SANTO A CAPACIDADE DE TOMAR DECISÕES??


O que é uma pessoa??

PESSOA – Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): ….. ser... dotado de atributos como a racionalidade, autoconsciência, linguagem, moralidade e capacidade de agir.


pessoa

s.f. (sXIII) 1 indivíduo considerado por si mesmo; ser humano, criatura 2 indivíduo notável, eminente; personagem 3 caráter particular ou original que distingue alguém; individualidade <admiramos muito a sua p.> 4 gram ling categoria linguística, ligada esp. a verbos e pronomes, que mostra a relação dos participantes do ato de fala com o(s) participante(s) do acontecimento narrado 5 fil cada ser humano considerado como individualidade física e espiritual, e dotado de atributos como racionalidade, autoconsciência, linguagem, moralidade e capacidade para agir p. física jur qualquer ser humano, sujeito de direitos pelo fato de pertencer à espécie humana; pessoa natural • p. interposta jur 1 intermediário em um negócio; mediador 2 m.q. presta-nome ('testa de ferro') • p. jurídica jur instituição, associação ou sociedade com existência e responsabilidades legalmente reconhecidas e devidamente autorizadas a funcionar • p. natural jur m.q. pessoa físicaem p. 1 pessoalmente <a dama compareceu em p.> 2 representado em um indivíduo <esse bandido é a maldade em p.>primeira p. gram ling aquele que fala; locutor, falante • segunda p. gram ling aquele a quem se fala; interlocutor • ser a segunda p. de ser o auxiliar mais importante de • terceira p. gram ling aquele ou aquilo de que se fala etim lat. persóna,ae 'máscara de teatro' sin/var criatura, indivíduo col bando, gente, hoste, magote, massa, multidão, pessoal, povo, turma




Para que o espírito santo fosse uma “pessoa”, ele teria os mesmos atributos que qualquer “pessoa” possui, inclusive o livre-arbítrio. O espírito santo deveria ter a autoconsciência. Jeová é uma “pessoa” dotada de atributos. Ele se encaixa perfeitamente nas descrições acima quanto ao que é uma “pessoa”. Jeová (IHVH) passa a ser uma definição do que é uma pessoa. Embora não possamos ver o Seu corpo (incapacidade dos nossos olhos), percebemos nas suas palavras e ações um ser individual dotado de atributos.


O “espírito” de superioridade pode falar??


Vejamos esta informação dada por Jesus:

(Lucas 18:9-14) 9 Mas, ele contou a seguinte ilustração também a alguns que confiavam em si mesmos como sendo justos e que consideravam os demais como nada: 10 “Dois homens subiram ao templo para orar, um sendo fariseu e o outro cobrador de impostos. 11 O fariseu estava em pé e começou a orar as seguintes coisas no seu íntimo: ‘Ó Deus, agradeço-te que não sou como o resto dos homens, extorsores, injustos, adúlteros, ou mesmo como este cobrador de impostos. 12 Jejuo duas vezes por semana, dou o décimo de todas as coisas que adquiro.’ 13 O cobrador de impostos, porém, estando em pé à distância, não estava nem disposto a levantar os olhos para o céu, mas batia no peito, dizendo: ‘Ó Deus, sê clemente para comigo pecador.’ 14 Digo-vos: Este homem desceu para sua casa provado mais justo do que aquele homem; porque todo o que se enaltecer será humilhado, mas quem se humilhar será enaltecido.”


Tradução Almeida reza:

(Lucas 18:9-14) 9 Propôs também esta parábola a uns que confiavam em si mesmos, crendo que eram justos, e desprezavam os outros: 10 Dois homens subiram ao templo para orar; um fariseu, e o outro publicano. 11 O fariseu, de pé, assim orava consigo mesmo: ó Deus, graças te dou que não sou como os demais homens, roubadores, injustos, adúlteros, nem ainda com este publicano. 12 Jejuo duas vezes na semana, e dou o dízimo de tudo quanto ganho.13 Mas o publicano, estando em pé de longe, nem ainda queria levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: ó Deus, sê propício a mim, o pecador! 14 Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque todo o que a si mesmo se exaltar será humilhado; mas o que a si mesmo se humilhar será exaltado.



AS AÇÕES DOS HUMANOS QUE RECEBERAM O ESPÍRITO SANTO.


Para receber o espírito santo a pessoa precisa ser santa?? Se ele recebeu o espírito santo é porque ele não é iníquo, poderá afirmar alguém. Será que é uma verdade??

Torna-se santo aquele humano que receber o espírito santo?? Torna-se sábio aquele humano que receber o espírito santo?? Torna-se obediente aquele humano que receber o espírito santo?? Será que Deus usa o espírito santo como instrumento para modificar alguém??


Nunca podemos esquecer de um fato. Jeová sempre respeita o “livre-arbítrio” das criaturas feitas à Sua semelhança. O livre-arbítrio está permanentemente vinculado à vontade daquele que possui o livre-arbítrio.

Ao revermos as ações destes homens, homens que tinham sobre si o espírito santo, tenhamos em mente a seguinte pergunta: Quem praticou a ação, foi o humano ou foi o espírito santo?? A ação praticada era a “vontade” do humano sendo colocada em prática ou era a “vontade” do espírito santo sendo colocada em prática?? Tratava-se do fruto da vontade do espírito santo ou se tratava do fruto da vontade do humano?? Quem é que estava externando uma vontade, o espírito santo ou o humano??

Se o espírito santo tiver vontade própria, isto é, a capacidade de agir por iniciativa própria, ele mostra ser uma pessoa. Não podemos esquecer disto.

Agora perguntemos em relação aos exemplos abaixo citados: Quem é que tinha um “espírito” vingativo?? Quem é que tinha um “espírito” violento??


O primeiro caso é do profeta Eliseu.

Assim está registrado:

(2 Reis 2:23-25) 23 E dali passou a subir a Betel. Quando subia pelo caminho, havia uns pequenos rapazes que saíram da cidade e começaram a fazer troça dele, e que lhe diziam: “Sobe, careca! Sobe, careca!” 24 Finalmente, ele se virou para trás e os viu, e invocou sobre eles o mal em nome de Jeová. Saíram então da floresta duas ursas e dilaceraram quarenta e dois meninos deles. 25 E ele seguiu de lá para o monte Carmelo, e de lá voltou a Samaria.

Assim verte a Tradução Almeida:

(2 Reis 2:23-25) 23 Então subiu dali a Betel; e, subindo ele pelo caminho, uns meninos saíram da cidade, e zombavam dele, dizendo: Sobe, calvo; sobe, calvo! 24 E, virando-se ele para trás, os viu, e os amaldiçoou em nome do Senhor. Então duas ursas saíram do bosque, e despedaçaram quarenta e dois daqueles meninos. 25 E dali foi para o monte Carmelo, de onde voltou para Samária.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(2 Reis 2:23-25) 23 Dali subiu a Betel; enquanto ele ia subindo pelo caminho, saíram da cidade uns rapazes, zombaram dele e lhe disseram: Sobe, calvo; sobe, calvo. 24 Ele olhou para trás, viu-os e amaldiçoou-os em nome de Jeová. Saíram do bosque duas ursas, e despedaçaram deles quarenta e dois. 25 Dali foi para o monte Carmelo, e de lá voltou para Samaria.


Tal ação de violência praticada contra os jovens, que mostrou ser fruto da intolerância, foi um fruto da vontade de Eliseu ou um fruto da vontade do espírito santo??

Quem sentiu-se ofendido com a atitude dos jovens?? Quem tinha a aparência de careca?? Será que era o espírito santo??


O segundo caso é o do profeta Elias.

Assim está registrado:

(2 Reis 1:7-15) . . .Em vista disso, falou-lhes: “Qual era a aparência do homem que veio ao vosso encontro e então vos falou estas palavras?” 8 Disseram-lhe, pois: “Um homem que tinha uma vestimenta de pêlos e um cinto de couro cingido em volta dos lombos.” Ele disse imediatamente: “Foi Elias, o tisbita.” 9 E passou a enviar a ele um chefe de cinqüenta com os seus cinqüenta. Quando este subiu até ele, eis que estava sentado no cume do monte. Falou-lhe então: “Homem do [verdadeiro] Deus, o próprio rei falou: ‘Desce.’” 10 Mas Elias respondeu e falou ao chefe dos cinqüenta: “Ora, se eu sou homem de Deus, desça fogo dos céus, e devore a ti e os teus cinqüenta.” E veio fogo descendo dos céus e devorando a ele e os seus cinqüenta. 11 De modo que ele lhe enviou novamente outro chefe de cinqüenta com os seus cinqüenta. Este, por sua vez, respondeu e falou-lhe: “Homem do [verdadeiro] Deus, assim disse o rei: ‘Desce depressa.’” 12 Mas Elias respondeu e falou-lhes: “Se eu sou homem do [verdadeiro] Deus, desça fogo dos céus, e devore a ti e os teus cinqüenta.” E veio fogo de Deus descendo dos céus e devorando a ele e os seus cinqüenta. 13 E ele foi enviar novamente um terceiro chefe de cinqüenta e seus cinqüenta. Mas o terceiro chefe de cinqüenta subiu, e chegou e dobrou os joelhos diante de Elias, e começou a implorar-lhe favor e a falar-lhe: “Homem do [verdadeiro] Deus, por favor, seja preciosa aos teus olhos a minha alma e a alma destes cinqüenta servos teus. 14 Eis que desceu fogo dos céus e foi devorar os precedentes dois chefes de cinqüenta e seus cinqüenta, mas agora, seja a minha alma preciosa aos teus olhos.” 15 Então falou o anjo de Jeová a Elias: “Desce com ele. Não tenhas medo dele.” Levantou-se, pois, e desceu com ele até o rei.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(2 Reis 1:7-15) 7 Ele lhes perguntou: Qual era a aparência do homem que vos subiu ao encontro e que vos disse estas palavras? 8 Responderam-lhe: Era um homem vestido de pêlos, e cingido duma correia em volta da cintura. Então disse ele: É Elias tesbita. 9 O rei enviou-lhe um capitão de cinqüenta juntamente com os seus cinqüenta. Este subiu a ter com ele; e eis que estava sentado no cume do monte. Disse-lhe: Ó homem de Deus, o rei mandou que desças. 10 Respondeu Elias ao capitão de cinqüenta: Se eu sou homem de Deus, desça do céu fogo e te devore a ti e aos teus cinqüenta. Desceu fogo do céu e devorou a ele e aos seus cinqüenta. 11 O rei tornou a enviar-lhe outro capitão de cinqüenta juntamente com os seus cinqüenta. Este lhe disse: Ó homem de Deus, assim mandou o rei: Desce depressa. 12 Respondeu-lhes Elias: Se eu sou homem de Deus, desça do céu fogo e te devore a ti e aos teus cinqüenta. O fogo de Deus desceu do céu e devorou a ele e aos seus cinqüenta. 13 O rei tornou a enviar-lhe o capitão de uma terceira tropa de cinqüenta juntamente com os seus cinqüenta. Vindo este, pôs-se de joelhos diante de Elias, e suplicou-lhe e disse: Peço-te, ó homem de Deus, que seja preciosa aos teus olhos a minha vida, e a destes cinqüenta teus servos. 14 Eis que fogo desceu do céu e devorou os dois primeiros capitães de cinqüenta juntamente com os seus cinqüenta; agora, porém, seja preciosa aos teus olhos a minha vida. 15 O anjo de Jeová disse a Elias: Desce com ele; não tenhas medo dele. Levantou-se e desceu com ele ao rei.


A ação praticada contra estes homens era fruto da vontade de Elias ou era fruto da vontade do espírito santo??

Quem sentiu-se ameaçado?? Quem é que estava com medo?? O que falou Jeová para Elias, nesta ocasião??


O terceiro caso é do juiz Sansão.

Assim está registrado:

(Juízes 16:25-30) 25 E sucedeu que, estando alegre o coração deles, começaram a dizer: “Chamai a Sansão, para que nos divirta.” De modo que chamaram a Sansão da casa dos presos para servir de diversão diante deles; e passaram a fazê-lo ficar de pé entre as colunas. 26 Sansão disse então ao rapaz que lhe segurava a mão: “Deixa-me apalpar as colunas em que se firma a casa e deixa-me encostar-me nelas.” 27 (Incidentalmente, a casa estava cheia de homens e de mulheres, e estavam ali todos os senhores do eixo filisteus; e no terraço havia cerca de três mil homens e mulheres que olhavam enquanto Sansão os divertia.) 28 Sansão clamou então a Jeová e disse: “Soberano Senhor Jeová, por favor, lembra-te de mim e fortalece-me só esta vez, por favor, ó tu, o [verdadeiro] Deus, e vingue-me eu dos filisteus com vingança por um dos meus dois olhos.” 29 Com isso, Sansão se firmou nas duas colunas do meio em que a casa se fundava firmemente e foi segurá-las, uma com a sua direita e a outra com a sua esquerda. 30 E Sansão passou a dizer: “Morra a minha alma com os filisteus.” Então se encurvou com poder e a casa foi cair sobre os senhores do eixo e sobre todo o povo que havia nela, de modo que os mortos, que entregou à morte ao ele mesmo morrer, vieram a ser mais do que os que entregara à morte durante a sua vida.


Assim verte a Tradução :

(Juízes 16:25-30) 25 Estando eles alegres, disseram: Mandai vir Sansão, para que nos divirta. Mandaram vir do cárcere Sansão, que os divertia: e puseram-no entre as colunas. 26 Disse Sansão ao moço que o guiava pela mão: Deixa-me apalpar as colunas, em que se sustem a casa, para que a elas me encoste. 27 Ora a casa estava cheia de homens e mulheres; estavam também ali todos os régulos dos filisteus; havia no telhado uns três mil homens e mulheres, que olhavam enquanto Sansão os divertia. 28 Sansão clamou a Jeová, e disse: Senhor Jeová, lembra-te de mim, e fortalece-me ainda esta vez, ó Deus, para que me vingue nos filisteus ao menos dum dos meus dois olhos. 29 Abraçou-se Sansão com as duas colunas do meio, em que a casa se sustinha, e pegou nelas, numa com a mão direita, noutra com a mão esquerda, 30 e disse: Morra eu com os filisteus. Empurrou com toda a sua força; e a casa caiu sobre os régulos, e sobre todo o povo que nela estava. Assim foram mais os mortos que matou na sua morte do que os que matou na sua vida.


A ação praticada contra estes homens era fruto da vontade de Sansão ou era fruto da vontade do “espírito” santo??

A vontade de Sansão era fruto do sentimento de Sansão. A vontade de Elias era fruto do sentimento de Elias. A vontade de Eliseu era fruto do sentimento de Eliseu.

Quem é que desejava se vingar por um dos seus dois olhos?? Quem é que se sentia ofendido?? Quem é que estava com o “espírito” ressentido??? Quem é que tinha o “espírito” de ressentimento??


Será que o espírito santo tem “vontade” própria, fruto de determinados “sentimentos”??


Vamos ver uma informação dada por Jesus...

(Marcos 7:20-23) 20 Outrossim, ele disse: “O que sai do homem é o que avilta o homem; 21 pois, de dentro, dos corações dos homens, saem raciocínios prejudiciais: fornicações, ladroagens, assassínios, 22 adultérios, cobiças, atos de iniqüidade, fraude, conduta desenfreada e um olho invejoso, blasfêmia, soberba, irracionalidade. 23 Todas estas coisas iníquas saem de dentro e aviltam o homem.”


Assim verte a Tradução Almeida:

(Marcos 7:20-23) 20 E prosseguiu: O que sai do homem, isso é que o contamina. 21 Pois é do interior, do coração dos homens, que procedem os maus pensamentos, as prostituições, os furtos, os homicídios, os adultérios, 22 a cobiça, as maldades, o dolo, a libertinagem, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a insensatez; 23 todas estas más coisas procedem de dentro e contaminam o homem.


Todas estas coisas más, saem de dentro. Todas estas coisas más sem do coração... Todas estas coisas invisíveis saem de dentro do coração....

O coração precisa ser um local invisível, não é verdade???

A soberba é uma coisa invisível, não é mesmo??

A soberba é o espírito de superioridade, não mesmo??

Uma pessoa pode ter um espírito vingativo, não pode??


Bem, nestes três casos, estes homens faziam coisas incomuns em razão de estarem com o espírito santo. Nunca podemos esquecer do livre-arbítrio e de que o livre-arbítrio sempre está vinculado à vontade, que por sua vez está vinculada aos sentimentos. Não há dúvida de que o espírito santo habilitava estes homens a fazerem tais coisas incomuns aos demais humanos.


Será que nestes casos, o espírito violento e o espírito vingativo não eram destes três homens??

Um espírito santo pode ser violento e vingativo??

A violência e a vingança são coisas limpas ou coisas sujas??


Que influência exerceu o espírito santo nestes três casos??




Nos três casos, as ações eram frutos de sentimentos existentes nos corações de cada um dos humanos que haviam recebido o espírito santo.

Qual o papel do espírito santo em cada um dos três casos acima??

Bem, o espírito santo deu a estes humanos o poder necessário para que a ação pudesse ser praticada. O espírito santo habilitou aquele humano a praticar determinadas ações.

Percebemos também que sem o espírito santo, estes humanos não teriam a capacidade de realizarem tais ações. Tratava-se de coisas excepcionais, no entanto, temporárias.

Neste caso, percebemos tratar-se de uma capacidade temporária para realizar algo excepcional. Percebemos também que o humano não aprendia a fazer algo novo. Sem estar com o espírito santo, a pessoa não conseguirá repetir o que ela conseguiu fazer, estando com o espírito santo.

No caso de Sansão isto ficou bem evidente, não ficou??

Ele pediu a força que o espírito santo lhe dava para que ele pudesse satisfazer a sua própria vontade.

Isto não se pode ser negado.


Assim, o espírito santo deu ao humano uma capacidade temporária para executar algo.


Capacidade – o que é isto??

Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): qualidade ou condição de capaz....

capacidade

s.f. (sXV) 1 potencial para conter, acomodar ou guardar algo; volume <garrafa com c. de 2 litros> <o teatro tem c. para 500 pessoas> 2 poder de produção, de execução; rendimento máximo <aquela fábrica reduziu sua c. em 50 %> 3 qualidade ou condição de capaz 3.1 habilidade física ou mental de um indivíduo; aptidão, perícia <c. para falar outras línguas> 4 p.met. pessoa de muito talento, grande saber, ilustração ou habilidade <nosso professor é uma c.> 5 eletr valor da carga de uma célula ou bateria (em ampere-hora), ou sua energia (em watt-hora) 6 eletr propriedade de um conjunto de dois ou mais condutores isolados entre si por meio de dielétricos, que tem como função armazenar carga e energia no campo eletrostático que se estabelece entre os condutores c. calorífica fís razão entre a quantidade infinitesimal de calor fornecida a uma substância, necessária para aumentar sua temperatura de um valor infinitesimal, e esta mesma variação de temperatura (símb.: C) • c. civil jur aquela que habilita o indivíduo a exercer pessoalmente atos jurídicos relativos à vida civil [A capacidade civil plena é alcançada aos 21 anos.] • c. elétrica eletr m.q. capacitânciac. jurídica jur capacidade de ser sujeito de direitos e obrigações • c. penal jur possibilidade de o autor de um delito ser responsabilizado por seus atos [A maioridade penal é alcançada aos 18 anos.] • c. vital fisl capacidade respiratória dos pulmões, cuja expressão é a quantidade máxima de centímetros cúbicos de ar capaz de ser inspirada após uma expiração completa etim lat. capacìtas,átis 'volume que um recipiente pode conter, poder de compreensão' sin/var ver sinonímia de condão, faculdade, inteligência e serventia ant imperícia, improficiência, inaptidão, incapacidade; ver tb. antonímia de serventia e sinonímia de inépcia


Capaz – Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): … que possui qualidades necessárias ao desempenho;


capaz

adj.2g. (sXV) 1 dotado de capacidade (para acomodar, conter, abrigar etc. pessoas ou coisas) <elevador c. de suportar 12 pessoas> 2 que possui qualidades necessárias ao desempenho (diz-se de pessoa) <pessoa c. de grande concentração> 3 que possui certas características propiciadoras (diz-se de pessoa ou coisa) <indivíduo c. de agir violentamente se provocado> <material c. de repelir calor> 4 dotado de seriedade e competência; honesto, idôneo <funcionário c.> 5 próprio (para o fim a que se destina); conveniente, adequado <acomodações c. de receber a família real> gram sup.abs.sint.: capacíssimo etim lat. capax,ácis 'que pode conter, que pode apreender ou compreender' ant incapaz, inepto


De onde é que sai o espírito de competição???


O que aconteceu no dia da páscoa, aquele dia que os apóstolos estavam reunidos com Jesus em Jerusalém para relembrarem a páscoa dos descendentes de Jacó??

Vamos rever o que aconteceu??

(Lucas 22:24-26) 24 No entanto, levantou-se também uma disputa acalorada entre eles sobre qual deles parecia ser o maior. 25 Mas ele lhes disse: “Os reis das nações dominam sobre elas, e os que têm autoridade sobre elas são chamados de Benfeitores. 26 Vós, porém, não deveis ser assim. Mas, que o maior entre vós se torne como o mais jovem, e o que age como principal, como aquele que ministra.


Assim verte a Tradução Almeida:

(Lucas 22:24-26) 24 Levantou-se também entre eles contenda, sobre qual deles parecia ser o maior. 25 Ao que Jesus lhes disse: Os reis dos gentios dominam sobre eles, e os que sobre eles exercem autoridade são chamados benfeitores. 26 Mas vós não sereis assim; antes o maior entre vós seja como o mais novo; e quem governa como quem serve.


Esta não tinha sido a primeira ocasião, não é mesmo??


Em outra ocasião, este espírito de competição levou a um pedido de favoritismo, junto a Jesus, não levou??

(Marcos 10:35-37) 35 E Tiago e João, os dois filhos de Zebedeu, aproximaram-se dele e disseram-lhe: “Instrutor, queremos que faças para nós o que for que te peçamos.” 36 Disse-lhes ele: “Que quereis que eu faça para vós?” 37 Disseram-lhe: “Concede-nos que nos assentemos um à tua direita e outro à tua esquerda, na tua glória.”


Assim verte a Tradução Almeida:

(Marcos 10:35-37) 35 Nisso aproximaram-se dele Tiago e João, filhos de Zebedeu, dizendo-lhe: Mestre, queremos que nos faças o que te pedirmos. 36 Ele, pois, lhes perguntou: Que quereis que eu vos faça? 37 Responderam-lhe: Concede-nos que na tua glória nos sentemos, um à tua direita, e outro à tua esquerda.


Comprovando a existência da competição (entre os santos), qual foi a reação dos outros (santos)?? Será que ficaram ofendidos?? Estavam desejando passar a perna dos seus companheiros??? Estavam buscando um favoritismo?? Estavam tentando induzir Jesus a cometer uma iniquidade??

(Marcos 10:41) 41 Ora, quando os outros dez ficaram sabendo disso, principiaram a indignar-se com Tiago e João.


Assim verte a Tradução Almeida:

(Marcos 10:41) 41 E ouvindo isso os dez, começaram a indignar-se contra Tiago e João.


Parece que este espírito de competição era bem forte em Tiago e João, não é mesmo???

Seria esta uma manifestação do “espírito santo”???


Em outra ocasião estes mesmos humanos, o que se propuseram a fazer, no desejo de agradar Jesus???

(Lucas 9:52-54) 52 De modo que enviou mensageiros na sua frente. E eles foram e entraram numa aldeia de samaritanos, a fim de fazerem os preparativos para ele; 53 mas não o receberam, porque o seu rosto estava endurecido [na determinação] de ir a Jerusalém. 54 Vendo isso os discípulos Tiago e João, disseram: “Senhor, queres que mandemos que desça fogo do céu e os aniquile?”


Assim verte a Tradução Almeida:

(Lucas 9:52-54) 52 Enviou, pois, mensageiros adiante de si. Indo eles, entraram numa aldeia de samaritanos para lhe prepararem pousada. 53 Mas não o receberam, porque viajava em direção a Jerusalém. 54 Vendo isto os discípulos Tiago e João, disseram: Senhor, queres que mandemos descer fogo do céu para os consumir (como Elias também fez?)


Estavam externando uma vontade pessoal ou uma vontade do espírito santo???

Estavam externando um sentimento pessoal em relação aos samaritanos ou o sentimento do espírito santo em relação aos samaritanos??


Desejavam fazer tal coisa hedionda somente para agradar Jesus, não é verdade???

Por que fazer um “agrado” para Jesus???

Será que desejavam alguma coisa em troca??

O que tanto desejavam???

Será que amavam a igualdade??

Será que tinham o espírito de igualdade??


PROFETA – Relação do espírito santo com o profeta.


QUE CONDIÇÃO PRECISA EXISTIR PARA HAVER UM PROFETA? Foi o próprio Jeová quem definiu o que seria um profeta e quando seria usado. De forma prática, assim mostrou Jeová, o "quando" passaria a existir um profeta: (Êxodo 6:28-7:2) 28 E sucedeu, no dia em que Jeová falou a Moisés, na terra do Egito, 29 que Jeová prosseguiu falando a Moisés, dizendo: “Eu sou Jeová. Fala a Faraó, rei do Egito, tudo o que eu te falar.” 30 Moisés disse então perante Jeová: “Eis que sou de lábios incircuncisos; portanto, como é que me escutará Faraó?” 7 Por conseguinte, Jeová disse a Moisés: “Vê, eu te fiz Deus para Faraó, e Arão, teu próprio irmão, SE TORNARÁ TEU PROFETA. 2 Tu — tu falarás tudo o que eu te ordenar; e Arão, teu irmão, é quem falará a Faraó, e este tem de mandar os filhos de Israel para fora do seu país.


Para existir a figura do profeta tem de existir a fonte da mensagem e o destinatário da mensagem. O profeta só existe quando existir uma mensagem e um destinatário. É prerrogativa da fonte escolher a quem ele quer usar como profeta. Também é prerrogativa da fonte escolher o destinatário. A mensagem precisa chegar ao destinatário com 100% de exatidão para produzir o efeito desejado pela fonte no destinatário, no momento exato que a fonte deseja tal efeito. Neste caso, é imprescindível que este humano se lembre de cada palavra falada.

Não existindo fonte não há profeta e não existindo mensagem não há profeta. Profeta é um porta-voz, um repetidor de uma mensagem específica para um destinatário específico.


Se há um recado a ser dado, se há uma mensagem de Jeová a ser retransmitida e se alguém foi escolhido para levar a mensagem, então existe um mensageiro, então existe um porta-voz, então existe um profeta. Jeová tem de ter falado algo, para que o profeta ouça e para que este algo seja retransmitido ao destinatário especificado pela fonte. Jeová usa o espírito santo como profeta, por entregar através do espírito santo, uma mensagem a um profeta humano que Ele, Jeová, escolheu.

Decerto, o espírito santo NUNCA retransmitiria uma falsa mensagem para o profeta humano.

Paulo afirma:
(1 Coríntios 12:3) 3 Portanto, quero que saibais que NINGUÉM, FALANDO PELO ESPÍRITO DE DEUS, DIZ: “JESUS É AMALDIÇOADO!e ninguém pode dizer: “Jesus é Senhor!” exceto por espírito santo.



Decerto, o espírito santo NUNCA induziria qualquer humano a falar ou escrever algo em oposição a Jeová, assim como também NUNCA induzirá qualquer humano a falar ou escrever algo em oposição a Jesus.

Oposição a Jeová inclui falar abertamente contra uma palavra já falada por Jeová, assim como também oposição a Jesus inclui falar abertamente contra uma palavra já falada por Jesus.

Deve existir um CONTROLE por parte de Jesus sobre o humano??


Não repetir exatamente igual, isto é, 100% igual ao falado por Jeová e Jesus, também é se colocar em oposição a eles. O simples fato de discordar (mesmo sem externar) já é estar em oposição.

Esta primeira afirmação de Paulo deixa uma coisa bem clara. O espírito santo impediria a pessoa de fazer tal afirmação. O espírito santo impediria a pessoa de amaldiçoar Jesus na palavra e na ação?? O espírito santo não permitiria que aquela pessoa sobre quem ele estivesse, viesse a fazer tal pronúncia.

Não podemos esquecer que IMPEDIR alguém de falar alguma coisa é uma ação de tirania. Neste caso, o espírito santo destituiria tal pessoa do seu livre-arbítrio.

A segunda afirmação de Paulo foi: “Ninguém pode dizer Jesus é Senhor exceto por espírito santo”.

No entanto, podemos perguntar em relação a segunda afirmação de Paulo: Será que a pessoa precisa receber espírito santo para afirmar ter Jesus como seu Senhor??


Não deve o livre-arbítrio ser o ponto de ligação entre o humano e o “senhor” Jesus?? Não se trata de uma relação entre duas pessoas?? Não se trata de uma via de mão dupla?? Não deve existir a plena liberdade nesta via me mão dupla?? Será que deve existir um CONTROLE de um sobre o outro?? Deve Jesus usar o espírito santo para CONTROLAR o humano??


Significa isto que nenhum humano sincero reconheceria Jesus como seu Senhor, sem que o espírito santo o obrigasse a reconhecer isto ou o induzisse a reconhecer isto??

Neste caso, podemos perguntar: A pessoa se transformaria em um marionetes?? O espírito santo transformaria o humano em um marionetes?? O espírito santo iria interferir no uso que a pessoa faz do seu livre-arbítrio??

A pessoa é usada pelo espírito santo ou a pessoa usa o espírito santo?? Será que neste caso, o espírito santo domina (comanda) a mente do profeta fazendo-o escrever aquilo que o espírito santo quer?? Isto seria tirania, não seria?? Sim, seria. Neste momento, aquele humano ficaria destituído do seu livre-arbítrio para que um objetivo determinado fosse alcançado.


Com o nobre objetivo de que a bíblia não contivesse mentiras, Jeová usaria o espírito santo para impedir que humanos adicionassem ali suas mentiras” - seria isto uma verdade em relação a Jeová, o livre-arbítrio em pessoa?


O que foi afirmado??

Foi afirmado que Jeová é um déspota que usa o espírito santo para CONTROLAR um humano qualquer para que este faça a Sua vontade específica.

Foi afirmado que Jeová usa o Seu espírito santo para GARANTIR que o humano faça aquilo que Jeová quer que seja feito. Neste caso, onde ficaria o livre-arbítrio??


Será que o Pai Jeová é realmente um déspota??

Será que o Pai Jeová é realmente um tirano??

Será que o Pai Jeová é um ditador??


Afirmar que Jesus é o seu Senhor devia ser uma ação exercida através do livre-arbítrio, sem qualquer tipo de imposição ou pressão, não é verdade??

A pessoa afirma que reconhece e aceita Jesus como seu Senhor. A pessoa precisa ser convencida a aceitar Jesus como o seu Senhor, isto é, aquele a quem ele decide ter como seu Senhor (Amo, Comandante), alguém que ele decide obedecer de livre e espontânea vontade.


Como é que se pratica o ato de convencer??


Convenceresta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: persuadir alguém ou a si mesmo a aceitar uma ideia ou admitir um fato, por meio de razões ou argumentos bem fundados....

convencer

v. (1369) 1 t.d.int. e pron. persuadir (alguém ou a si mesmo) a aceitar uma ideia ou admitir um fato, por meio de razões ou argumentos bem fundados <tentou aliciá-la para o partido, mas não a convenceu> <um advogado hábil quase sempre convence> <só se convencerá com provas concretas> 1.1 bit. e pron. p.ext. fazer aceitar ou aceitar a realidade (de) <a reação da amiga convenceu-o de sua amizade> <ainda luta para se c. da morte do amigo> 2 t.d.int. envolver ou ser envolvente pela força dramática, pela trama, pela atuação dos protagonistas etc.; atrair <a tragédia de Romeu e Julieta convence e comove o espectador> <esse filme não convence> ¤ gram apresenta duplo part.: convencido, convicto ¤ etim lat. convinco,is,víci,victum, vincère 'fazer prevalecer, convencer' ¤ sin/var capacitar, compenetrar, encasquetar, exortar, induzir, levar, mover, persuadir, suadir; ver tb. antonímia de dissuadir ¤ ant ver sinonímia de dissuadir


Ficou bem claro que existe a necessidade de usar argumentos.

De acordo com esta afirmação do nosso irmão Paulo, aquelas pessoas que não aceitaram Jesus como Senhor, não o haviam feito porque não receberam espírito santo.

De acordo com o nosso irmão Paulo, aquelas pessoas que aceitaram Jesus como Senhor, só o fizeram porque receberam o espírito santo.

O nosso irmão Paulo também afirmou que aquele que recebe espírito santo NUNCA negaria as palavras de Jesus, ou seja, NUNCA deixaria de obedecer Jesus, ENQUANTO estivesse com o espírito santo.


Se uma pessoa com espírito santo viesse de alguma forma a negar palavras e ações de Jesus, ou a pessoa de Jesus, isto significava que a pessoa não estava com o espírito santo, e sim, com um espírito demoníaco.

Seria verdade tal afirmação do nosso irmão Paulo de Tarso??


No dia a dia de Jesus, o que ele usou para convencer as pessoas?? Ele usou o espírito santo ou apresentou razões e argumentos bem fundados? Não seria muito mais simples e fácil usar o espírito santo??

O acontecido com os samaritanos revela que o espírito santo se apossou deles para que eles reconhecessem Jesus como o Salvador do mundo???

Vamos rever o acontecido??

Assim reza a Tradução Brasileira:


(João 4:39-42) 39 Muitos samaritanos daquela cidade creram nele por causa das palavras da mulher, que testificara: Ele disse-me tudo o que fiz. 40 Quando, pois, estes samaritanos vieram ter com Jesus, pediram-lhe que ficasse com eles; e passou ali dois dias. 41 Muitos mais creram por causa das palavras de Jesus, 42 e diziam à mulher: Não é mais pelas tuas palavras que nós cremos; mas porque nós mesmos temos ouvido e sabemos que este é verdadeiramente o Salvador do mundo.


Qual era mesmo o motivo dos samaritanos fazerem aquela afirmação a respeito de Jesus, afirmação esta que os próprios judeus não faziam a respeito de Jesus??


Eles se convenceram de que Jesus era o Salvador do mundo por ouvirem Jesus falar.. Foram as palavras faladas por Jesus que os fez chegar a conclusão que ele, Jesus, era o Salvador do mundo.

Jesus não estava exaltando o povo judeu diante dos samaritanos.. Jesus estava revelando uma forma de viver o dia a dia que livraria o mundo daquela condição em que se encontrava.


Tinha algo a ver com receber espírito santo para poder reconhecer Jesus como Senhor e Salvador??

Não, não tinha nada a ver com o recebimento de espírito santo.

Depois de raciocinarem com Jesus, aqueles humanos chegaram a conclusão que a informação dada por Jesus salvaria o mundo, desde que cada um decidisse praticar...


Apercebemos como a informação do nosso irmão Paulo de Tarso estava totalmente equivocada??


As inúmeras ilustrações contadas por Jesus revelam que ele usava todo o tempo de argumentos bem fundados, visando CONVENCER seus ouvintes.


O espírito santo é rebelde?? Certamente, não. Logo, aceitar qualquer “expressão inspirada” que afrontar àquilo que já foi falado por Jeová ou Jesus como sendo dada pelo “espírito santo”, representa aceitar que o espírito santo é rebelde.

Isto é pecar contra o espírito santo. Isto é atribuir ao espírito santo uma iniquidade que certamente não existe nele, pois ele é santo.


Jesus afirmou claramente a respeito do espírito da verdade, que como ajudador, seria enviado. (João 16:13-15) 13 No entanto, quando esse chegar, o espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade, pois NÃO FALARÁ DE SEU PRÓPRIO IMPULSO, MAS FALARÁ AS COISAS QUE OUVIR e vos declarará as coisas vindouras. 14 ESSE ME GLORIFICARÁ, porque RECEBERÁ DO QUE É MEU E VO[-LO] DECLARARÁ. 15 Todas as coisas que meu Pai tem são minhas. É por isso que eu disse que recebe do que é meu e [o] declara a vós.

A palavra falada por Jesus em relação ao espírito foi bem clara, não foi?? Não falará de seu próprio impulso, mas falará as coisas que ouvir. Esse me glorificará. Receberá do que é meu e vo-lo declarará.


O espírito ouve?? Sim, Jesus afirmou que sim.

O espírito fala?? Sim, Jesus afirmou que sim.


Receberá do que é meu – esta outra afirmação de Jesus em relação ao espírito é bem clara.


O espírito iria retransmitir as palavras que Jesus viesse a falar para ele.

Este espírito falado por Jesus também iria fazer seus apóstolos lembrarem das palavras faladas por Jesus e das ações praticadas por Jesus.


Jesus afirmou: “Eu falarei para ele e ele repetirá para vós”.


Aumentando ainda mais a seriedade deste assunto, Jesus afirmou que ele e o Pai formavam uma União de pensamentos e sentimentos. “Eu e o Pai somos um”, afirmou Jesus. Tendo o próprio Jeová confirmado para os discípulos desde os céus a sua plena confiança em Jesus, fica bem claro que as palavras faladas por Jesus eram uma repetição exata das palavras do Pai. Assim falou Jesus: (João 10:30) 30 Eu e o Pai somos um.”


Assim falou Jeová desde os céus: (Mateus 17:5-7) 5 Enquanto ele ainda falava, eis que uma nuvem luminosa os encobriu, e eis uma voz vinda da nuvem, dizendo: “Este é meu Filho, o amado, a quem tenho aprovado; escutai-o.6 Ouvindo isso, os discípulos prostraram-se com os seus rostos [em terra] e ficaram com muito medo. 7 Jesus aproximou-se, então, e, tocando-os, disse: “Levantai-vos e não temais. . .


Esta união tinha de ser ampliada até os apóstolos e posteriormente a todos os demais discípulos. Este era o desejo do Pai, conforme expressado por Jesus: (João 17:20-23) 20Faço solicitação, não somente a respeito destes, mas também a respeito daqueles que depositam fé em mim por intermédio da palavra deles; 21 a fim de que todos sejam um, assim como tu, Pai, estás em união comigo e eu estou em união contigo, para que eles também estejam em união conosco, a fim de que o mundo acredite que me enviaste. 22 Também, eu lhes tenho dado a glória que tu me tens dado, a fim de que sejam um, assim como nós somos um. 23 Eu em união com eles e tu em união comigo, a fim de que sejam aperfeiçoados em um, para que o mundo tenha conhecimento de que tu me enviaste e que os amaste assim como amaste a mim.


A União entre Jeová e Jesus já estava plenamente concretizada. Para que esta União pudesse se concretizar entre os discípulos, e também entre os discípulos e Jesus, todos tinham de continuar falando a mesma linguagem. Tratava-se da unidade de pensamentos e de sentimentos. Jesus estava voltando para os céus, isto é, para o local de onde ele tinha saído. Ele estava retornando. No entanto, ele enviaria o espírito da verdade. Sendo uma união de pensamentos, a União não podia ser quebrada com informações divergentes. Jesus estava preocupado com isso. Jesus deixa bem claro que não se tratava de tirania. Jesus não foi tirano no seu trato com os humanos. O espírito santo também não seria.


Surge uma pergunta bem interessante: Será que Jesus era unidade com o Pai porque havia recebido o espírito santo??

Seria necessário receber o espírito santo para se tornar uma unidade com o Pai??

Tiago e João revelaram ter um espírito de competição e um espírito de desigualdade.

Jesus também tinha um espírito. Que espírito tinha Jesus?? Que espécie de espírito tinha Jesus??


Jesus tinha sete espíritos.

(Revelação 3:1) 3E ao anjo da congregação em Sardes escreve: Estas coisas diz aquele que tem os sete espíritos de Deus e as sete estrelas: ‘Conheço as tuas ações, de que tens a fama de estar vivo, mas estás morto..


(Revelação 5:6) 6 E eu vi no meio do trono e das quatro criaturas viventes, e no meio dos anciãos, um cordeiro em pé, como se tivesse sido morto, tendo sete chifres e sete olhos, [olhos] que significam os sete espíritos de Deus, os quais têm sido enviados à terra inteira.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Apocalipse 03:1) 1 Ao anjo da igreja em Sardes escreve: Isto diz aquele que tem os sete Espíritos de Deus e as sete estrelas: Sei as tuas obras; que tens nome de que vives, e estás morto.


(Apocalipse 5:6) 6 Vi no meio do trono e das quatro criaturas viventes, e no meio dos anciãos, um Cordeiro em pé, como se tivesse sido morto, tendo sete chifres e sete olhos, que são os sete Espíritos de Deus, enviados por toda a terra.

Sim, Jesus tem sete espíritos, assim como o Pai também tem sete espíritos.


O que Jesus falou sobre um dos espíritos, ou seja, aquele que ele enviaria para seus apóstolos.


Agora vejamos esta informação dada por Jesus:

(João 15:26-27) 26 Quando chegar o ajudador que eu vos enviarei do Pai, o espírito da verdade, que procede do Pai, esse dará testemunho de mim; 27 e vós, igualmente, haveis de dar testemunho, porque estivestes comigo desde que comecei.


Assim verte a Tradução Almeida:

(João 15:26-27) 26 Quando vier o Ajudador, que eu vos enviarei da parte do Pai, o Espírito da verdade, que do Pai procede, esse dará testemunho de mim; 27 e também vós dareis testemunho, porque estais comigo desde o princípio.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(João 15:26-27) 26 Quando, porém, vier o Paráclito, que eu vos enviarei da parte do Pai, o Espírito da verdade, que procede do Pai, esse dará testemunho de mim; 27 e vós também dareis testemunho, porque estais comigo desde o princípio.


Jesus falou que enviaria um espírito ajudador.

Este era um dos sete espíritos que Jesus tinha e que seria enviado à terra inteira.


O espírito da verdade (ajudador) não falaria nada contra Jeová, nem falaria nada contra Jesus. Não falaria nada contra o que saiu da mente e da boca de Jeová, assim como também não falaria nada contra nenhuma das palavras saídas da boca de Jesus, pois aquilo que saiu da boca de Jesus era proveniente da mente do Pai. Da mesma forma, não modificaria nada do que saiu das mentes de Jeová e Jesus.

O espírito da verdade (ajudador), aquele espírito que os doze apóstolos já conheciam por conviver diariamente com ele, era diferente do espírito santo que, ao ser recebido possibilita àquele que o recebe a fazer obras poderosas como curar, ressuscitar e falar em línguas.

O espírito da verdade, também chamado de Ajudador, Paráclito ou Paracleto, mostrou ser o espírito dominante de Jesus e o mesmo espírito existente no Pai Jeová (IHVH). Este espírito habilitava Jesus a fazer certas coisas e a não fazer certas coisas. No entanto, este espírito procedia de dentro de Jesus, assim como o espírito de competição procedia de dentro de Tiago e de João.

Em relação a este espírito da verdade (Ajudador), este daria testemunho de Jesus em face de suas ações de ajuda, assim como os doze apóstolos também testemunhariam em relação a ele, pois foram os beneficiados diretos das palavras e ações de Jesus, ações e palavras frutos do espírito ajudador que procedia de dentro de Jesus..


Jesus já havia falado em relação ao Ajudador:

(João 14:15-18) 15 “Se me amardes, observareis os meus mandamentos; 16 e eu solicitarei ao Pai e ele vos dará OUTRO AJUDADOR para estar convosco para sempre, 17 o espírito da verdade, que o mundo não pode receber, porque nem o observa nem o conhece. Vós o conheceis, porque permanece convosco e está em vós. 18 Não vos deixarei orfanados. Vou ter convosco. 19 Mais um pouco e o mundo não me observará mais, mas vós me observareis, porque eu vivo e vós vivereis.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(João 14:15-19) 15 Se me amardes, guardareis os meus mandamentos. 16 Eu rogarei ao Pai, e ele vos dará um outro Paráclito, a fim de que esteja para sempre convosco. 17 o Espírito da verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; vós o conheceis, porque ele habita convosco e estará em vós. 18 Não vos deixarei órfãos, eu voltarei a vós. 19 Ainda por um pouco e depois o mundo não me verá mais, mas vós me vereis, porque eu vivo, e vós vivereis.


Quem é que continuaria sendo Ajudador dos doze apóstolos??

Jesus afirmou: Eu vou retornar a vós. O mundo não me verá, mas, vós me vereis.

Percebemos que Jesus continuaria agindo qual ajudador dos doze apóstolos, mesmo na condição invisível para o mundo.

Jesus afirma que, embora o mundo não possa mais me observar, vós podereis me observar.

O que mudaria no relacionamento entre Jesus e seus doze apóstolos??

Jesus lhes revela que não haveria nenhuma mudança.

- Vou continuar cuidando de vocês e, apesar de o mundo não mais poder me ver, vocês poderão, e vocês perceberão o meu espírito ajudador cuidando de vocês.


Não vos deixarei orfanados.

Ficou bem claro que Jesus era um Ajudador, aquele que tinha um espírito de Ajudador.

Ficou claro que era com este espírito que Jesus se relacionava com os seus doze apóstolos durante aqueles três anos e meio.

O mundo não observa este espírito e não conhece este espírito.

O mundo não conhece o espírito ajudador e não observa este espírito ajudador.


A contínua disposição interior de Jesus era a disposição de um ajudador. Como ajudador que era, Jesus lhes afirma que não os deixará orfanados.

Vou voltar e vou continuar cuidando de vocês.


O que é um órfão???

Órfãoesta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: que perdeu alguém que lhe era muito querido ou que o amparava, o protegia.


órfão

adj. (sXIII) 1 que perdeu o pai e/ou a mãe 2 p.ext. que perdeu alguém que lhe era muito querido ou que o amparava, o protegia 3 p.ext. apic que perdeu a rainha (diz-se de sociedade de abelhas) 4 p.metf. deixado ao abandono; abandonado, desamparado <pobres ó. da vida!> 5 p.metf. carente ou privado de (algo); falto, vazio <criança ó. de amor> <ó. de boas ideias, desistiu de participar do projeto> n s.m. 6 indivíduo órfão <o ó. decidiu morar com os tios> <um ó. do amor> 6.1 jur indivíduo menor de 21 anos que perdeu os pais ou um deles, por motivo de falecimento ¤ gram fem.: órfã; pl.: órfãos ¤ etim lat. orphànus,i 'órfão', este do gr. orphanós,ê,ón 'id.' ¤ sin/var ver antonímia de abundante ¤ ant ver sinonímia de abundante ¤ col orfandade


Nota-se a preocupação daquele que amparava e protegia, no caso, Jesus, com os amparados, ou seja, os seus doze apóstolos.

Informação de Jesus: “Vocês necessitam de proteção e amparo. Por causa disso, eu vou solicitar ao Pai que seja providenciado um Ajudador”.

A condição dos apóstolos era muito precária. Quais crianças, eles necessitavam de serem protegidos e amparados.

Além de terem o Pai e Jesus como Ajudadores, aqueles doze apóstolos necessitavam da continuidade deste espírito ajudador por parte de outros.

O que capacitava Jesus a ter o espírito ajudador?? O que tornava Jesus uma fonte de ajuda??

Será que era o espírito santo que ele recebeu após ser batizado, espírito este que o capacitava a fazer milagres, ressuscitar mortos e até mesmo curar doentes à distância??

Não, o espírito santo não capacitava Jesus a ser um ajudador, ou seja, uma fonte de ajuda.


Então, o que capacitava Jesus a ter o espírito ajudador??

Eram as informações saídas da boca do Pai.


Este espírito era diferente do espírito santo enviado àqueles 120 reunidos em Pentecostes, pois o espírito enviado em Pentecostes dava algum tipo de poder àquele que o recebia, pois a pessoa passava a fazer algo que ela, até então, não tinha a capacidade de fazer, e que, sem este espírito, a pessoa não mais faria.

Com este espírito, a pessoa poderia curar doenças, ressuscitar mortos e falar em línguas.

O espírito também daria informações para certos humanos que seriam chamados de profetas, na verdade, mensageiros.


Este mesmo espírito que capacitava pessoas a curar e ressuscitar, também retransmitiria informações da parte de Deus e de Jesus.

Será que este espírito daria falsas informações para o humano escolhido para ser mensageiro??


O espírito santo rebaixaria a algum dos artigos da “nova lei” (para os ouvintes) dada por Jeová e retransmitida por Jesus no Sermão do Monte?? Instituiria o espírito santo alguma forma de burlar a esta nova lei (supostamente nova) dada por Jeová através de Jesus??


De quem procede o espírito??

Do Pai.

As palavras faladas por Jesus procediam de quem??

Do Pai.

SE o espírito santo contrariar qualquer palavra falada por Jesus, ele estaria contrariando o próprio Pai, no caso de admitirmos que Jesus só repetiu as palavras faladas pelo Pai.

De quem o espírito dará testemunho??

De Jesus.

Será que o espírito santo iria corrigir alguma palavra falada por Jesus?? Será que o espírito santo chamaria Jesus de mentiroso por desmentir qualquer palavra falada por Jesus?? Será que o espírito santo afirmaria que uma ou outra ação de Jesus não era para ser praticada pelos discípulos de Jesus??

Seriam palavras diferentes das palavras já faladas por Jesus??

Jesus afirmou: “Vós também dareis testemunho, PORQUE estais comigo desde o princípio”.


O que percebemos desta declaração de Jesus?? Não percebemos que haveria uma confirmação das palavras e ações de Jesus??

Percebemos também que haveria uniformidade entre palavras que ele já havia falado e as declarações intermediadas pelo espírito que seria enviado, isto é, o espírito santo, aquele que viria da parte do Pai.

Tanto o espírito santo, quanto o espírito da verdade, um dos sete espíritos do Pai enviados à terra inteira, não desmentiriam Jesus, pois Jesus tinha em si todos os sete espíritos do Pai.


Por Jesus ser um clone espiritual do Pai, ou seja, uma cópia da personalidade do Pai, sendo fonte de cada um dos sete espíritos do Pai, suas palavras e suas ações não seriam desmentidas pelo espírito santo enviado para um profeta.


Negar as palavras de Jesus seria o mesmo que negar as ações de Jesus, pois as palavras de Jesus se confundem com as ações de Jesus.


Poderia o espírito procedente do Pai negar palavras e ações de Jesus??


A respeito de si mesmo, assim falou Jesus:
(João 15:15) 15 Não mais vos chamo de escravos, porque o escravo não sabe o que seu amo faz. Mas, eu vos chamei de amigos, porque TODAS AS COISAS QUE TENHO OUVIDO DO MEU PAI VOS TENHO DEIXADO SABER.

Jesus não falou de sua própria iniciativa, NUNCA, embora tivesse o livre-arbítrio.
Jesus foi um verdadeiro profeta, um verdadeiro mensageiro.
Apenas o que ouviu de Jeová foi o que ele falou. Um profeta autêntico.


Jesus foi aquele profeta que além de falar o que fazer, também mostrou o como fazer.


Todas as coisas que tenho ouvido do meu Pai vos tenho deixado saber”. Esta afirmação de Jesus é bem clara, não é?? “Tudo aquilo que eu falo para vocês é uma repetição daquilo que o meu Pai falou”.


O espírito santo, também não fala nem uma única palavra de sua própria iniciativa.


Entretanto, tendo por base o que sabemos a respeito dele, o espírito santo não possui o livre-arbítrio. Será que o espírito santo possui autonomia??


AUTONOMIA – Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): Direito de um indivíduo tomar decisões livremente”.

autonomia

s.f. (1836) 1 capacidade de governar-se pelos próprios meios 1.1 direito reconhecido a um país de se dirigir segundo suas próprias leis; soberania 1.2 direito de um indivíduo tomar decisões livremente; independência moral ou intelectual 2 fil segundo Kant (1724-1804), capacidade da vontade humana de se autodeterminar segundo uma legislação moral por ela mesma estabelecida, livre de qualquer fator estranho ou exógeno com uma influência subjugante, tal como uma paixão ou uma inclinação afetiva incoercível 3 capacidade de um veículo (esp. aeronave e navio) percorrer uma distância em determinado tempo sem que haja necessidade de reabastecimento etim gr. autonomía 'direito de reger-se segundo leis próprias' ant dependência, servidão


Será que o espírito santo decide entre fazer e não fazer determinadas coisas?? Será que o espírito santo possui autonomia para tomar decisões?? Será que o espírito santo tem “vontade” própria??


Jesus tem como vontade, cumprir a vontade do Pai. Ele toma suas decisões de acordo com sua vontade. Eu tomo minhas decisões de acordo com minha vontade, assim como todos os humanos que possuem livre-arbítrio.


Não está o livre-arbítrio diretamente vinculado a satisfação da vontade?? Não é ausência de interferência na minha decisão que irá caracterizar a minha liberdade em tomar aquela decisão?? Não se trata de “minha decisão”??

Caso o espírito santo tivesse livre-arbítrio, poderia ele deixar de perdoar?? Neste caso ele poderia perdoar ou não perdoar, pois ele tomaria sua decisão. Neste caso ele estaria revelando a sua vontade, não estaria?? Neste caso, a que diretrizes o espírito santo obedeceria?? Sendo o espírito santo uma pessoa igual a Jesus, não teria ele mandamentos a obedecer?? Não seriam os mesmos mandamentos obedecidos por Jesus?? Óbvio que sim.

Se o espírito santo fosse uma pessoa autônoma assim como Jesus, deveria ser 100% igual a Jesus, não é mesmo?? Haveria unidade plena, não é mesmo?? Seria tão perdoador quanto Jesus, não é verdade??

No entanto, se ele tomasse a decisão de não perdoar, estaria ele sendo um com Jesus?? Deixando ele de perdoar, estaria sendo um com o Pai?? Estaria em união com o Pai??


É bem prudente o conselho de João. (1 João 4:1)4 Amados, NÃO ACREDITEIS EM TODA EXPRESSÃO INSPIRADA, mas PROVAI as expressões inspiradas PARA VER SE SE ORIGINAM DE DEUS, porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo afora.


Não se pode deixar de considerar que a palavra grega original aqui traduzida como "expressão inspirada", literalmente significa "espírito". A frase ficaria assim: “Amados, não acrediteis em todo espírito”... Ou ainda: “Amados não acrediteis em toda palavra soprada pelo espírito”.

Outras Traduções da bíblia usam a palavra grega original.


Assim verte a Tradução Brasileira: (1João 4:1) 1 Amados, não creiais a todo o espírito, mas provai os espíritos, se vêm eles de Deus; porque muitos falsos profetas têm aparecido no mundo.

Assim verte a Tradução Almeida: (1João 4:1) 1 Amados, não creiais a todo o espírito, mas provai os espíritos, se vêm eles de Deus; porque muitos falsos profetas têm aparecido no mundo.


O que podemos observar destas palavras de João, é que havia espíritos procedentes de Deus e havia espíritos que não procediam de Deus. Do ponto de vista de João, espíritos procedentes de Deus falavam uma coisa e os espíritos não procedentes de Deus falavam outras coisas. Do ponto de vista de João, o profeta estava ouvindo um espírito, ou seja, algo invisível que passava informações para tal profeta.

Neste caso, na visão de João, a pessoa sempre estava sendo vítima de um espírito, neste caso, ou seria o espírito de Deus ou um espírito que não fosse de Deus.... Ou a pessoa ficava possuída pelo espírito de Deus ou ficava possuída pelo espírito que não fosse de Deus....

Nesta guerra de espíritos, o humano fica como uma folha de papel, sendo levado para lá e para cá........ Desta forma, pobre coitado do humano, sempre uma inocente vítima, pois em ambos os casos ela seria usada por uma força superior a ela e contra a qual o humano nada podia fazer.


Será que o apóstolo João acreditava que o espírito santo controlava a pessoa?? Será que João acreditava que a pessoa ficava possuída pelo espírito santo??

O que seria uma pessoa possuída??


Possuído – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: dominado;..


possuído

adj. (sXV) 1 que sofre uma possessão ('estado do que é habitado por ente sobrenatural'); dominado 2 de que alguém tem a posse 3 com quem se teve cópula (diz-se de pessoa) 4 B infrm. que se julga o melhor; arrogante, presumido n adj.s.m. 5 m.q. possesso ('que ou aquele que se crê dominado') ª possuídos s.m.pl. 6 coisas e riquezas possuídas, posses, bens, haveres 7 B N. B N.E. infrm. as partes genitais ¤ etim part. de possuir


Uma pessoa dominada pelo espírito só faria aquilo que o espírito determina.

Uma pergunta: Será que Jesus era “dominado” pelo espírito santo??

Será que Jesus era apenas uma folha de papel sendo levada para lá a para cá pelo espírito santo?? Será que Jesus só consegui ser uma imagem do Pai, porque o espírito santo comandou Jesus qual marionetes???

Ora, qualquer pessoa que for levada para lá a para cá pelo espírito santo conseguirá fazer as mesmas coisas que Jesus fez...

Neste caso, tudo dependerá do espírito santo....... Neste caso, se eu for possuído pelo espírito santo eu poderia ser igual a Jesus. Tudo vai depender do espírito santo que me possuir.


Será que o espírito santo desrespeitaria o livre-arbítrio de um humano??


João, nos seus dias, associou profeta com "expressão inspirada", que na verdade é com "espírito". Nos seus dias, João estava notando que muitos falsos profetas “têm saído mundo afora”. Estes profetas estavam falando e falando coisas. Assim falou mais João a respeito de tais profetas:

(1 João 4:2-3) 2 Obtendes o conhecimento da expressão inspirada da parte de Deus pelo seguinte: Toda expressão inspirada que confessa Jesus Cristo como tendo vindo na carne origina-se de Deus, 3 mas toda expressão inspirada que não confessa a Jesus não se origina de Deus. Além disso, esta é a [expressão inspirada] do anticristo, de que ouvistes que viria, e agora já está no mundo.


Assim verte a Tradução Brasileira: (1 João 4:2-3) 2 Nisto conheceis o Espírito de Deus: todo o espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne, é de Deus; 3 e todo o espírito que não confessa a Jesus, não é de Deus. Este é o espírito do anticristo, de cuja vinda tendes ouvido falar, o qual agora já está no mundo.


Assim verte a Tradução Almeida: (1 João 4:2-3) 2 Nisto conheceis o Espírito de Deus: todo espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus; 3 e todo espírito que não confessa a Jesus não é de Deus; mas é o espírito do anticristo, a respeito do qual tendes ouvido que havia de vir; e agora já está no mundo.


Afinal, porque João estava afirmando que aqueles profetas eram falsos?? O que João via nestes profetas para chamá-los de falsos?? Tinha João presenciado o momento em que Jeová falou com tal profeta?? Algum humano foi chamado para exercer esta função de testemunha?? Pode algum humano testemunhar o sonho de outro humano?? Então, o que nosso amado irmão João havia notado?? João estava notando profetas que negavam a Jesus, embora estes mesmos afirmassem falar por espírito santo. Se tais profetas admitissem a pessoa física de Jesus, mas, negassem as palavras de Jesus, o que seriam??

Ora, estes profetas admitiam e professavam ser discípulos de Jesus, não é verdade??

Obviamente. Se não afirmassem ser discípulos de Jesus, muitos sequer os ouviriam, não é verdade??

O que diria qualquer discípulo de Jesus, tendo conhecimento de que aquele humano não era um discípulo de Jesus??

Não afirmaria tratar-se de um demônio?? Isto é óbvio, não é??

O que seria confessar a Jesus??

A frase é: “todo espírito que não confessa a Jesus”.....

Neste caso seria: “todo espírito que não concorde com Jesus”.....

Porque João faria tal afirmação??

Por lembrar-se das palavras faladas por Jesus, das quais ele havia sido testemunha. Por lembrar-se das ações de Jesus, que na verdade, eram as palavras de Jesus sendo colocadas em prática.

Muito embora a grande maioria não tivesse sido testemunhas das palavras faladas por Jesus, João havia sido testemunha. Os doze apóstolos tinham sido testemunhas e Jesus falou que eles também seriam testemunhas em relação ao que o espírito santo falasse. O espírito dará testemunho de mim e vós também haveis de dar testemunho. Como testemunhas que foram, os doze apóstolos podiam perceber a uniformidade entre as palavras faladas por Jesus e as novas palavras retransmitidas por “espírito santo”. As palavras e as ações de Jesus eram de um Ajudador. Se João ou os demais apóstolos não percebessem uma palavra de ajuda, podiam desconfiar da origem da palavra falada.

Jesus afirmou que o espírito santo receberia dele, Jesus, e retransmitiria aos demais humanos, logo, o real espírito santo confirmaria palavras e ações de Jesus e os doze apóstolos testemunhariam esta realidade, ou seja, a unidade.


João estava observando pessoas falando palavras contra as palavras já faladas por Jesus e praticadas por Jesus durante aqueles três anos e meio. Ora, João foi testemunha das palavras e das ações de Jesus. Eram palavras sobre perdão, igualdade, misericórdia, não julgar, viver para o dia de hoje, não acumular riquezas (pobreza), não revidar, não discriminar, perdoar, perdoar e perdoar, não julgar, não julgar e não julgar, não punir, não punir e não punir. Foi exatamente assim que João e os outros apóstolos haviam sido tratados por Jesus. Em nenhuma oportunidade Jesus havia deixado de ser um ajudador destes homens. Jesus havia falado a palavra e mostrado como obedecer a tal palavra, palavra esta originária do Pai.

Jesus havia estabelecido um padrão de como o humano devia viver o dia a dia. Tratava-se de um padrão diferente do padrão até então vivido pelos adoradores de Jeová. Tratava-se de um padrão oposto ao praticado até então. Tratava-se um padrão oposto ao padrão praticado e ensinado por Moisés. No entanto, todo o padrão ensinado e vivido por Jesus envolvia o livre-arbítrio. O padrão vivido e ensinado por Jesus envolvia o perdoar todas as ofensas praticadas contra si mesmo. O padrão vivido e ensinado por Jesus envolvia a igualdade entre os humanos.


Não podemos esquecer que João foi testemunha das palavras faladas por Jesus. Ele estava lá, e não só ouviu cada palavra falada, como também viu cada ato de Jesus.


Os profetas, para terem credibilidade perante os humanos, usando o livre-arbítrio, sempre afirmam ter recebido esta ou aquela informação de Jeová, quer diretamente, quer através do espírito santo. Afinal, os profetas sempre afirmam ter uma mensagem da FONTE máxima. Notoriamente, foi depois dos dias de Jesus, depois do envio do espírito santo, que humanos começaram a profetizar; profetizaram depois de receberem o espírito santo.


Jeová havia prometido que seria exatamente assim, exatamente nesta sequência: (Joel 2:28-29) 28 "E depois terá de acontecer que derramarei meu espírito sobre toda sorte de carne, e vossos filhos e vossas filhas certamente profetizarão. Quanto aos vossos homens idosos, terão sonhos. Quanto aos vossos jovens, terão visões. 29 E até mesmo sobre os servos e sobre as servas derramarei naqueles dias meu espírito.


Quem recebia o espírito santo também recebia uma missão, uma tarefa, um trabalho a realizar, geralmente algo que aquele humano ainda não havia feito, comprovando que não era uma anterior aptidão do humano. Este humano poderia receber um portento para que o destinatário soubesse que o mensageiro era alguém enviado por Jeová. Mas e quanto a mensagem?? Supostamente, a mensagem também vinha desta fonte. Ele, como profeta, tinha de ter o cuidado em repetir para o destinatário, a mensagem recebida, pois deveria repeti-la com exatidão de 100%. Não era o espírito santo que, naquele momento, estava repetindo a mensagem. Era o profeta quem a estava repetindo. Esta era a função dele como profeta. O espírito santo o capacitava a lembrar-se de toda a mensagem dada por Jeová. No entanto, somente ele e a fonte da mensagem sabiam se a mensagem havia sido reproduzida com 100% de exatidão.


§♥§ Homens movidos pelo espírito santo??

Como é que isto se daria na prática??

Homens movidos por espírito santo???

Foi exatamente isso o que disse o nosso irmão Pedro:

(2 Pedro 1:20-21) 20 Pois sabeis primeiramente isto, que nenhuma profecia da Escritura procede de qualquer interpretação particular. 21 Porque a profecia nunca foi produzida pela vontade do homem, mas os homens falaram da parte de Deus conforme eram movidos por espírito santo.

A Tradução Brasileira assim verte:

(2|Pedro 1:20-21) 20 conhecendo primeiro isto, que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação, 21 porque a profecia jamais foi dada pela vontade dos homens, mas os homens da parte de Deus falavam, movidos pelo Espírito Santo.

Vamos destacar aqui a informação dada pelo nosso irmão Pedro.


Será que o Pai ficava realmente comandando o que os humanos falavam??

Será que o Pai usava o espírito santo para comandar o que aqueles homens deviam falar eu que não deveriam falar??

Visando evitar qualquer erro de informação, será que o Pai usava o espírito santo para comandar o que os humanos deveriam eu que não deveriam falar??

Acompanhemos o que a história do relacionamento entre o Pai e os humanos chamados por Ele e os não chamados por Ele para serem profetas... (mensageiros Dele diante da nação)

Tudo indica que ser profeta era encarado pelos humanos pactuados, como uma profissão honrosa e passada de pai para filho, assim como sumo sacerdote e sacerdote e até mesmo rei, ou seja, uma posição destacada ACIMA dos demais.


Para muitos dos profetas do passado assim falou Jeová: (Jeremias 23:21-22) 21 Não enviei os profetas, no entanto, eles mesmos correram. NÃO FALEI COM ELES, NO ENTANTO, ELES MESMOS PROFETIZARAM. 22 Mas, se tivessem estado de pé no meu grupo íntimo, então teriam feito meu povo ouvir as minhas próprias palavras, e teriam feito que recuassem do seu mau caminho e da ruindade das suas ações.”

Assim verte a Tradução Almeida: (Jeremias 23:21-22) 21 Não mandei esses profetas, contudo eles foram correndo; não lhes falei a eles, todavia eles profetizaram. 22 Mas se tivessem assistido ao meu concílio, então teriam feito o meu povo ouvir as minhas palavras, e o teriam desviado do seu mau caminho, e da maldade das suas ações.


Assim verte a Tradução Brasileira: (Jeremias 23:21-22) 21 Eu não enviei estes profetas, contudo eles correram; eu não lhes falei, todavia profetizaram. 22 Porém se tivessem assistido no meu concílio, teriam feito o meu povo ouvir as minhas palavras, e o teriam desviado do seu mau caminho e da maldade dos seus feitos.

Notou alguma coisa em relação a ser movido pelo espírito santo??

O que é mover??

Mover – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: fazer deslocar; fazer mudar de lugar ou de posição

mover Datação: sXIII

n verbo

transitivo direto

1 pôr em movimento; acionar, movimentar

Ex.: a fricção move o brinquedo

transitivo direto e pronominal

2 executar movimento(s) [com]; mexer(-se)

Exs.: não consegue m. o pulso engessado

já não pode m.-se com a mesma agilidade

transitivo direto e pronominal

3 fazer deslocar ou deslocar-se; fazer mudar ou mudar de lugar ou de posição

Exs.: moveu o controle para a última faixa do CD

o reboque moveu o carro

a Terra se move

pronominal

4 ir de um lugar para outro; andar

Ex.: move-se com lentidão

transitivo direto e pronominal

5 agitar(-se) de leve; bulir(-se), mexer(-se)

Exs.: a brisa movia as folhas da palmeira

com o vento, a água da lagoa movia-se

pronominal

6 começar a agir; determinar-se a fazer (algo)

Ex.: impossível esperar, mova-se!

pronominal

7 escoar-se, decorrer, passar

Ex.: movem-se os dias, e não lhe chega a maturidade

transitivo direto e bitransitivo

8 levar a (realizar algo); induzir, mobilizar

Exs.: o desejo move os indivíduos

a miséria move o povo à revolta

9 dar sinal de si; reagir

Ex.: era desanimador, a plateia não se movia

transitivo direto

10 Derivação: sentido figurado.

incutir, inspirar, despertar

Ex.: em sua curta vida, moveu muitas paixões

transitivo direto e pronominal

11 convencer ou ser convencido; persuadir(-se)

Exs.: não conseguiu movê-lo

moveu-se aos meus argumentos

transitivo direto e pronominal

12 Derivação: sentido figurado.

despertar ou sentir inquietação, compaixão, tristeza, simpatia etc.; inquietar(-se), comover(-se), sensibilizar(-se)

Exs.: a tragédia moveu toda a família

m.-se às lágrimas

transitivo direto

13 levar a efeito (uma campanha, uma ação judicial etc.)



Neste caso, o espírito santo seria usado para fazer o homem falar as coisas que Deus queria que fossem faladas..

Será que era assim que as coisas funcionavam entre o Pai e um profeta qualquer???

O que fazia o Pai??

O Pai falava com o humano através de uma visão ou através de um sonho.

Através da visão ou sonho, o Pai falava uma mensagem a ser dada por aquele mensageiro para alguém também definido pelo Pai, o Mentor da informação, o Criador da informação.

Depois de ter dado toda a informação, este humano acordava do sonho ou parava de ter a visão.

E depois disso, o que acontecia??

Passava este humano a ser algo a ser usado pelo espírito santo no momento de repassar aquela mensagem??

Como seria isso na prática..

Acabei de ter uma visão da parte de Deus.

Então passei a ser um robô dirigido pelo espírito santo para que não houvesse alteração na mensagem a ser repassada.

Será que era isso mesmo??

Vamos observar as palavras usadas pelo Pai quando o assunto era profetas.


Aqueles humanos encaravam o ser profeta como uma profissão.

Certamente, tratava-se de profetas profissionais, ou seja, tratava-se de pessoas que encaravam ser profeta como uma profissão, profissão que eles abraçavam, pois embora Jeová não tivesse falado nada para eles, eles afirmavam ter recebido uma informação de Jeová.


Continuou falando o próprio Jeová: (Ezequiel 13:6-7) 6 Visionaram o que é inverídico e uma adivinhação mentirosa, os que estão dizendo: ‘A pronunciação de Jeová é’, quando o próprio Jeová não os enviou, e eles esperavam que se cumprisse a palavra. 7 Acaso não é uma visão inverídica a que visionastes e UMA ADIVINHAÇÃO MENTIROSA A QUE DISSESTES, DIZENDO: ‘A PRONUNCIAÇÃO DE JEOVÁ É’, QUANDO EU MESMO NÃO FALEI NADA?”

Assim verte a Tradução Almeida:

(Ezequiel 13:6-7) 6 Viram vaidade e adivinhação mentirosa os que dizem: O Senhor diz; quando o Senhor não os enviou; e esperam que seja cumprida a palavra. 7 Acaso não tivestes visão de vaidade, e não falastes adivinhação mentirosa, quando dissestes: O Senhor diz; sendo que eu tal não falei?


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel 13:6-7) 6 Viram vaidade e adivinhação mentirosa, os que dizem: Jeová diz; quando Jeová os não enviou. Fizeram que os homens esperassem fosse cumprida a palavra. 7 Acaso não tivestes visão de vaidade, e não falastes adivinhação mentirosa, porquanto dizeis: Jeová diz; sendo que eu não falei?


Notou o verbo usado??

O profeta dizia:

Jeová disse isso e mais isso.....

Estava plenamente confirmado...

O Pai falava uma informação em sonho ou em uma visão, e aquela informação deveria ser repassada para o destinatário.

Jeová os chama de adivinhos, pois tratava-se de profetas profissionais que estavam praticando a adivinhação.

Continuou falando Jeová para tais profetas: (Ezequiel 13:8-9) 8 “‘Portanto, assim disse o Soberano Senhor Jeová: “‘Visto que vós falastes o que não é verdade e visionastes uma mentira, por isso, eis que sou contra vós’, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová.” 9 E A MINHA MÃO VEIO A ESTAR CONTRA OS PROFETAS QUE VISIONAM O QUE NÃO É VERDADE E QUE ADIVINHAM UMA MENTIRA. Não continuarão no grupo íntimo do meu povo e não serão inscritos no registro da casa de Israel, e não chegarão ao solo de Israel; e tereis de saber que eu sou o Soberano Senhor Jeová,


Assim verte a Tradução Almeida:

(Ezequiel 13:8-9) 8 Portanto assim diz o Senhor Deus: Porque tendes falado vaidade, e visto mentiras, por isso eis que eu sou contra vós, diz o Senhor Deus. 9 E a minha mão será contra os profetas que vêem vaidade e que adivinham mentira; não estarão no concílio do meu povo, nem nos registros da casa de Israel se escreverão, nem entrarão na terra de Israel; e sabereis que eu sou o Senhor Deus.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel 13:8-9) 8 Portanto assim diz o Senhor Jeová: Porque tendes falado vaidade, e visto mentiras, por isso eis que eu sou contra vós, diz o Senhor Jeová. 9 A minha mão será contra os profetas que vêem vaidade, e que adivinham mentiras; não estarão no concílio do meu povo, nem serão escritos nos registros da casa de Israel, nem entrarão na terra de Israel. Sabereis que eu sou o Senhor Jeová.



Muito embora os profetas, usando o livre-arbítrio, falassem contra Jeová, isto é, falassem contra a vontade de Jeová para aquele momento, o povo amava-os assim mesmo. Assim falou Jeová: (Jeremias 5:29-31) 29 Não devia eu ajustar contas por causa destas mesmas coisas”, é a pronunciação de Jeová, “ou não devia vingar-se a minha alma duma nação tal como esta? 30 Uma situação assombrosa, mesmo uma coisa horrível fez-se existir no país: 31 OS PRÓPRIOS PROFETAS REALMENTE PROFETIZAM EM FALSIDADE; e quanto aos sacerdotes, estão subjugando segundo os seus poderes. E MEU PRÓPRIO POVO AMOU-O ASSIM; e que fareis vós ao final disso?”


Assim verte a Tradução Almeida:

(Jeremias 5:29-31) 29 Acaso não hei de trazer o castigo por causa destas coisas? diz o senhor; ou não hei de vingar-me de uma nação como esta? 30 Coisa espantosa e horrenda tem-se feito na terra: 31 os profetas profetizam falsamente, e os sacerdotes dominam por intermédio deles; e o meu povo assim o deseja. Mas que fareis no fim disso?


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Jeremias 5:29-31) 29 Acaso não hei de castigar por causa destas coisas? diz Jeová; duma nação como esta não se há de vingar a minha alma? 30 Coisa espantosa e horrenda tem-se feito na terra: 31 os profetas profetizam falsamente, e os sacerdotes dominam por meio deles; e o meu povo assim o quer. Que fareis no fim disto?


Será que um profeta poderia furtar uma ou mais informações dadas por Deus, deixando de repassar esta ou aquela informação para determinado destinatário??

(Jeremias 23:30-32) 30 Por isso, eis que sou contra os profetas”, é a pronunciação de Jeová, “aqueles que FURTAM as minhas palavras, cada um do seu companheiro”. 31 Eis que sou contra os profetas”, é a pronunciação de Jeová, “aqueles que empregam a sua língua para pronunciar: ‘Uma pronunciação!’” 32 Eis que sou contra os profetas de sonhos falsos”, é a pronunciação de Jeová, “que os narram e fazem meu povo vaguear por causa das suas falsidades e por causa da sua gabação”. “Mas eu mesmo não os enviei nem lhes dei ordem. Assim, de modo algum trarão proveito a este povo”, é a pronunciação de Jeová.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Jeremias 23:30-32) 30 Portanto eis que eu sou contra os profetas, diz Jeová, que FURTAM as minhas palavras cada um ao seu próximo. 31 Eis que eu sou contra os profetas, diz Jeová, que usam as suas línguas e dizem: Ele diz. 32 Eis que eu sou contra os que profetizam sonhos mentirosos, diz Jeová, e os referem, e fazem errar o meu povo com as suas mentiras e com a sua vã jactância; eu não os enviei, nem lhes dei ordem. Nada aproveitarão eles a este povo, diz Jeová.

Ora, um homem movido pelo espírito santo não furta nenhuma palavra, ele não dá nenhuma interpretação à mensagem que recebeu, pois ele estaria incapacitado de fazer tal coisa.

Se um profeta furtasse uma palavra, ele estaria dando uma interpretação particular, mas Pedro afirmou que nenhuma profecia recebeu tal interpretação particular.

Bem, neste caso, o Pai estaria mentindo ao afirmar que Suas palavras estavam sendo furtadas pelo profeta ao não reproduzir exatamente aquilo que havia ouvido da parte de Deus.

Bem, Deus não estava mentindo, não é mesmo??

O Pai não falou nada sobre espírito santo estar envolvido nesta relação entre Ele e o mensageiro, ou será que falou??

Eu não li nada sobre tal coisa.

Será que o pecado destes profetas era um pecado contra o espírito santo?? Será que Jeová estava enganado?? Será que estes profetas não eram vítimas do espírito santo?? Será que eram vítimas de espíritos com personalidade própria (anjos)??


O que percebemos??

Percebemos que Jeová continuava respeitando o livre-arbítrio de todo o povo, inclusive do profeta. Jeová podia IMPEDIR que o profeta falasse uma mentira em Seu nome, não podia?? Decerto, que sim.

No entanto, caso Jeová impedisse o profeta de falar uma mentira, Ele, Jeová, estaria interferindo no livre-arbítrio deste humano, não é verdade??

Se ele obrigasse o profeta a repetir apenas o que Ele havia falado, estaria configurado o uso da tirania. O tirano desrespeita o livre-arbítrio para que sua vontade seja feita, mesmo que isto represente o bem para terceiros.

Objetivando o bem da maioria, será que Jeová desrespeitaria o livre-arbítrio de um mensageiro que Ele escolhe??

Objetivando o bem da maioria, será que Jeová desrespeitaria o livre-arbítrio de qualquer humano que se apresentasse como profeta??

Configuraria a tirania, não configuraria??

Será que as circunstâncias justificariam o uso da tirania??


Os profetas falavam contra Jeová por falarem algo que agradava ao profeta, que agradava ao povo e que supostamente seria feito por Jeová, quando Jeová não havia falado nada daquilo. O profeta afirmava: tive um sonho, tive uma visão.

O que significava a expressão “tive um sonho” ou “tive uma visão”??

Não representava a mesma coisa que “Jeová falou comigo”??

Sim, exatamente isto, ou seja, “Jeová falou comigo”.

O Pai Jeová falava diretamente como profeta???

Sim. Foi o que Ele mesmo disse que faria.

Ele não disse que usaria o espírito santo para dar uma informação ao profeta.

Como foi no caso de Moisés??

O Pai afirmou:

Face a face falo com o meu servo Moisés.

E depois disso??

Bem, depois disso, Moisés continuava com a sua liberdade de escolher o que falar.


O que acontecia no caso do profeta que o Pai nada tinha falado com ele??

O profeta falava e ficava aguardando que a palavra falada por ele se cumprisse.

Jeová afirmou:


Jeová estava externando para Seus dois mensageiros (Jeremias e Ezequiel) exatamente aquilo que Ele estava vendo e permitindo acontecer.

Mais uma vez, afirmamos: O Pai nada falou sobre os profetas serem movidos pelo espírito santo, além do que, tal ação só aconteceria se o Pai violasse a liberdade do mensageiro ou do suposto mensageiro.

Aqueles homens foram movidos pelo espírito santo visando garantir a integridade das palavras faladas pelo Pai??

Não.

O Pai não faria isso.

Jeová permitia que tais coisas acontecessem dentro do Seu reino??

Jeová permitia a livre ação dos falsos profetas dentro do seu reino, embora estivesse vendo-os praticarem tal crime contra outras pessoas??


Jeová permitia que tais coisas acontecessem dentro do Seu reino, exatamente porque Ele continuava respeitando o livre-arbítrio.


"Meu povo me abandonou", afirmou Jeová: (Jeremias 2:12-13) 12 Olhai espantados para isso, ó céus; e ficai arrepiados em grandíssimo horror’, é a pronunciação de Jeová, 13 porque há duas coisas más que meu povo tem feito: ABANDONARAM-ME, A MIM, A FONTE DE ÁGUA VIVA, a fim de escavarem para si cisternas, cisternas rotas, que não podem conter água.’


Assim verte a Tradução Almeida:

(Jeremias 2:12-13) 12 Espantai-vos disto, ó céus, e horrorizai-vos! ficai verdadeiramente desolados, diz o Senhor. 13 Porque o meu povo fez duas maldades: a mim me deixaram, o manancial de águas vivas, e cavaram para si cisternas, cisternas rotas, que não retêm as águas.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Jeremias 2:12-13) 12 Pasmai, céus, sobre isto, e espantai-vos, e sede sobremaneira desolados, diz Jeová. 13 Pois dois males fez o meu povo: deixaram-me a mim, fonte de águas vivas, e cavaram para si cisternas, cisternas rotas, que não retêm as águas.



Quando os profetas afirmam ter recebido de Jeová por meio do "espírito santo" as mensagens que falam, como podemos saber se é verdade o que eles falam??

Hoje, em face da corrente do tempo, nós estamos em melhores condições do que muitos antepassados. Podemos comparar tais expressões do profeta com as anteriores palavras saídas da mente e boca de Jeová, e da mente e boca de Jesus. Devemos observar se entram em confronto com posteriores palavras e ações praticadas por Jeová e com as ações praticadas por Jesus.

Caso afrontem o que Jeová já falou, ou ainda, caso afrontem o que Jesus falou, caso afrontem a lei dada por Jeová através de Jesus, este profeta não recebeu esta sua mensagem através do "espírito da verdade", espírito que Jesus afirmou que só falaria aquilo que recebesse de Jeová e de Jesus. O erro não pode ser do “espírito”. Pelo que até então sabemos a respeito dele, o "espírito da verdade" não possui livre-arbítrio. Ademais, o espírito é santo. Sabemos também da uniformidade existente entre Jeová e Jesus.


Por que, mesmo havendo uma prometida condenação pesada (como a inexistência de perdão) para esta prática de acusar o "espírito santo" de fazer algo que ele não faz, não foi e não tem sido um freio para tal prática pecaminosa?? (Mateus 12:31-32) 31 Por esta razão, eu vos digo: Toda sorte de pecado e blasfêmia será perdoada aos homens, mas A BLASFÊMIA CONTRA O ESPÍRITO NÃO SERÁ PERDOADA. 32 Por exemplo, quem falar uma palavra contra o Filho do homem, ser-lhe-á perdoado; mas QUEM FALAR contra O ESPÍRITO SANTO, NÃO LHE SERÁ PERDOADO, não, nem neste sistema de coisas, nem no que há de vir.


Assim verte a Tradução Brasileira: (Mateus 12:31-32) 31 Por isso vos declaro: Todo o pecado e blasfêmia serão perdoados aos homens, mas a blasfêmia contra o Espírito não lhes será perdoada. 32 Ao que disser alguma palavra contra o Filho do homem, isso lhe será perdoado; porém ao que FALAR contra o Espírito Santo, não lhe será perdoado, nem neste mundo, nem no vindouro.


Assim verte a Tradução Almeida: (Mateus 12:31-32) 31 Portanto vos digo: Todo pecado e blasfêmia se perdoará aos homens; mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada. 32 Se alguém disser alguma palavra contra o Filho do homem, isso lhe será perdoado; mas se alguém FALAR contra o Espírito Santo, não lhe será perdoado, nem neste mundo, nem no vindouro.


Qual foi o pecado falado por Jesus em relação ao espírito santo?? Foi a blasfêmia. Blasfêmia é um pecado cometido com a boca, pois se trata de uma palavra falada. O pecado é falar mal, é falar contra o espírito santo. O que seria “falar contra” o espírito santo??


O conceito sobre “inspirar”.


Muitas pessoas chegaram a conclusão que o espírito santo vai “inspirar” uma pessoa a falar certas palavras. Na verdade, segundo pensam, o espírito iria dominar a pessoa e satisfazer suas vontades. Neste caso, o espírito iria dominar a pessoa e falar aquilo que, ele espírito, tinha em mente. Com este pensamento por base, as pessoas rejeitam o fato do profeta ser apenas um porta-voz, um mensageiro, independente da opinião formada por ele sobre a informação que ele está simplesmente retransmitindo.

Com este pensamento por base, as pessoas nunca chegariam a conclusão que o profeta poderia estar apenas externando a sua opinião ou desejo em relação a certas coisas.

No entanto, ainda outros chegam a conclusão que o espírito santo capacita a pessoa a raciocinar e que toda e qualquer informação dada por aquela pessoa é uma informação “inspirada” pelo espírito.

Sendo assim, tal pessoa vai supor que tal profeta SEMPRE está externando a opinião do espírito sobre aquilo que está acontecendo ou sobre a pessoa a quem é dirigida a mensagem.

De forma oposta, outros ficaram com ódio dos profetas em face da palavra retransmitida pelo profeta e desejaram matar este profeta, achando que o profeta estava influenciando o espírito santo contra ela.

No entanto, profeta é um mero repetidor de uma mensagem (informação) específica. O profeta recebe a mensagem (informação) de uma fonte e a leva até o seu destinatário. O profeta apenas repete a mensagem (informação) que ele ouviu.

No entanto, qualquer humano, ou mesmo um profeta escolhido, podem falar algo e dizer que é uma informação vinda de um deus, ou de um espírito (qualquer ser invisível aos olhos humanos).


SEGUNDO A MENTE E PALAVRA DE JESUS, se o "espírito santo" inspirou este ou aquele escritor de um livro da bíblia, por dizer escreva isto ou escreva aquilo, este livro não deveria conter qualquer afirmação que afronte ao próprio dono do "espírito santo", espírito de verdade. O espírito santo não faria isso, pois o "espírito santo" não é rebelde. Rebeldia é uma ação de quem está exercendo o livre-arbítrio.

Jesus afirmou que ele enviaria o espírito da verdade com informações. Obviamente, Jesus não deveria negar a si mesmo, não é verdade?? Ele estaria chamando a si mesmo de mentiroso, não é verdade??


Será que Jesus isentaria seus discípulos de fazerem exatamente aquilo que ele fez?? Liberaria Jesus os seus discípulos para que eles passassem a criar novos mandamentos ou que passassem a criar novos costumes, costumes estes diferentes dos costumes instituídos pelo Pai e praticados por Jesus?? O dia a dia dos apóstolos e dos demais discípulos devia ser diferente daquele vivido por Jesus durante aqueles três anos e meio?? O espírito santo tomaria a iniciativa em dar informações que modificassem qualquer um dos costumes ensinados e praticados por Jesus?? No caso de aparecerem problemas de relacionamento entre os discípulos, deviam ser criados outros costumes que afrontassem o “oferecer a outra face”, mandamento transmitido e obedecido por Jesus?? O que estava previsto pelo Mestre para que eles fizessem além de “perdoar”??

Devemos nos lembrar das palavras faladas por Jesus no sermão do monte em relação a qualquer dos mandamentos. Jesus afirmou:

(Mateus 5:17-19) 17 Não penseis que vim destruir a Lei ou os Profetas. Não vim destruir, mas cumprir; 18 pois, deveras, eu vos digo que antes passariam o céu e a terra, do que passaria uma só letra menor ou uma só partícula duma letra da Lei sem que tudo se cumprisse. 19 Quem, portanto, violar um destes mínimos mandamentos e ensinar a humanidade neste sentido, será chamado ‘mínimo’ com relação ao reino dos céus. Quanto àquele que os cumprir e ensinar, esse será chamado ‘grande’ com relação ao reino dos céus. . .


Assim verte a Tradução Almeida:

(Mateus 5:17-19) 17 Não penseis que vim destruir a lei ou os profetas; não vim destruir, mas cumprir. 18 Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, de modo nenhum passará da lei um só i ou um só til, até que tudo seja cumprido. 19 Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Mateus 5:17-19) 17 Não penseis que vim revogar a lei ou os profetas; não vim revogar, mas cumprir. 18 Porque em verdade vos digo: Enquanto não passar o céu e a terra, de modo nenhum passará da lei um só i ou um só til, sem que tudo se cumpra. 19 Aquele, pois, que violar um destes mínimos mandamentos, e assim ensinar aos homens, será chamado mínimo no reino dos céus; mas aquele que os observar e ensinar, esse será chamado grande no reino dos céus.


Vamos exemplificar.

Vamos tomar um dos mandamentos retransmitidos por Jesus logo após estas palavras acima:

(Mateus 7:1-2) 7Parai de julgar, para que não sejais julgados; 2 pois, com o julgamento com que julgais, vós sereis julgados; e com a medida com que medis, medirão a vós.


Assim verte a Tradução Almeida:

(Mateus 7:1-2) 1 Não julgueis, para que não sejais julgados. 2 Porque com o juízo com que julgais, sereis julgados; e com a medida com que medis vos medirão a vós.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Mateus 7:1-2) 1 Não julgueis, para que não sejais julgados; 2 porque com o juízo com que julgais, sereis julgados; e a medida de que usais, dessa usarão convosco.


Ora, depois da morte de Jesus, um discípulo Jesus passa a afirmar: Eu já julguei tal homem, pois ele praticou este pecado. Desta forma, vós deveis fazer o mesmo”. Deveis tomar esta ação contra ele como penalidade pelo seu pecado. Deve haver uma punição para ele.

O humano poderia afirmar: Em nome do Senhor Jesus vos ordeno que não deixeis de punir o discípulo que fizer isto ou aquilo.


Antes da punição vem o julgamento. A punição é consequência do julgamento. Para haver um julgamento, tem de haver um juiz.


O que estava acontecendo??

Muito simples. Este discípulo estava descumprindo um dos mandamentos retransmitidos por Jesus e estava ensinando outros a fazerem o mesmo que ele, logo, ele estava sendo chamado de mínimo em relação ao reino dos céus.


No entanto, alguém poderia afirmar que foi o espírito santo quem inspirou tal discípulo a fazer tal coisa, não poderia??

Decerto que sim.

Pelo que até então sabemos a respeito dele, o "espírito da verdade" está IMPOSSIBILITADO de falar qualquer mentira, pois ele só repete o que ouve da boca de Jeová e da boca de Jesus.

Afirmar que o "espírito santo" fez algo que ele não fez é blasfemar contra ele.

Afirmar que ele não fez o que ele realmente fez, também é blasfemar contra o "espírito santo".

Afirmar que o espírito santo falou algo que ele não falou é blasfemar contra o espírito santo.

Em face de que aceitamos o "espírito santo" como NÃO dotado de personalidade e vontade próprias, É IMPOSSÍVEL que "este" adultere uma mensagem dada por Jeová ou Jesus, mensagem esta a ser retransmitida ao humano para que este como profeta, como mensageiro, retransmita-a aos demais humanos.

Quando o "espírito santo" é usado como meio retransmissor, ele NUNCA apresentará qualquer tipo de falha na mensagem transmitida. O "espírito santo" NUNCA induziria o humano à apostasia, isto é, à rebeldia. A rebeldia é própria de quem exerce o seu livre-arbítrio. A rebeldia é natural àquele que possui vontade própria. O rebelde é aquele que discorda da palavra falada. Concordar ou discordar são ações próprias de quem está exercendo o seu livre-arbítrio.


Os profetas dos dias de Jeremias e antes dele afirmavam para a nação que Jeová havia falado uma mensagem para eles.


Quanto aos profetas que falavam que Jeová falou isso ou aquilo, quando Jeová não havia falado nada, Jeová falou que a apostasia se originou com os profetas de Jerusalém: (Jeremias 23:15) 15 Portanto, assim disse Jeová dos exércitos contra os profetas: "Eis que os faço comer absinto e vou dar-lhes de beber água envenenada. POIS DOS PROFETAS DE JERUSALÉM SAIU A APOSTASIA A TODO O PAÍS."
Os que prestavam serviço dentro da casa dedicada a Jeová instituíram a apostasia em todo o país.


Assim verte a Tradução Brasileira: (Jeremias 23:15) 15 Portanto assim diz Jeová dos exércitos acerca dos profetas: Eis que os alimentarei de absinto, e lhes darei de beber água de fel; porque dos profetas de Jerusalém saiu a contaminação de toda a terra.


Assim verte a Tradução Almeida: (Jeremias 23:15) 15 Portanto assim diz o Senhor dos exércitos acerca dos profetas: Eis que lhes darei a comer losna, e lhes farei beber águas de fel; porque dos profetas de Jerusalém saiu a contaminação sobre toda a terra.


APOSTASIAEsta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss):

apostasia

s.f. (sXV) 1 renúncia de uma religião ou crença, abandono da fé (esp. da cristã); renegação 1.1 quebra de votos, abandono da vida religiosa ou sacerdotal, sem autorização superior 2 p.ext. ato de renunciar a (partido, doutrina, teoria etc.) etim apostasía,as 'defecção, abandono de um partido' no grego da Bíblia 'apostasia', pelo lat.ecl. apostasìa 'deserção da religião'


Na verdade, a apostasia poderia ser classificada como uma contaminação.


CONTAMINAÇÃO – Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): “influência de uma coisa sobre alguém”.

contaminação

s.f. (1563) ato ou efeito de contaminar(-se) 1 transmissão de germes nocivos ou de doença infecciosa; infecção por contato 2 fig. transmissão de vícios, males etc. <a c. dos indígenas pelos invasores> 3 fig. influência de uma coisa sobre alguém ou algo <a c. da mídia sobre a população> <a c. de uma língua por outra> 4 p.ext. inf m.q. infecção 5 ling mudança linguística devida à semelhança formal e semântica entre duas palavras (p.ex., o inglês female 'fêmea' vem de femelle, e a troca do e por a foi resultado da contaminação do inglês male 'macho', do mesmo campo semântico); etimologia popular, cruzamento semântico etim lat. contaminatìo,ónis 'mancha, nódoa, contaminação' ant descontaminação



Obviamente que isto se deu tanto em face das palavras faladas pelos profetas, como das ações praticadas por tais profetas.


O que percebemos em relação a isto??

Percebemos que a “contaminação” (apostasia) se deu através da palavra falada pelo profeta, palavra esta, que o próprio Jeová afirmou não passarem de adivinhações.

O que percebemos??

Percebemos que Jeová falou em adivinhação do profeta humano. Jeová não estava revelando que o humano estava sendo vítima de um espírito que havia se tornado rebelde (espírito com livre-arbítrio). Jeová não estava revelando que o profeta estava sendo enganado por um espírito (espírito com livre-arbítrio). O ato de adivinhar foi praticado pelo profeta. O ato de adivinhar foi praticado pelo humano. Em face do seu sonho, este humano pensou (presumiu) ser um autêntico profeta para Jeová.


Este humano desejava tanto uma coisa que terminou sonhando com ela.

Este humano desejava tanto uma coisa que a fez se tornar uma verdade para ele. Daí, ele resolveu externar para outros esta sua fantasia.


Apesar da pesada penalidade prometida por Jesus para qualquer humano que blasfemasse contra o "espírito santo", em face do espírito santo não perdoar tal pessoa, o medo da punição não impediria que tais profetas surgissem e causassem um grande mal a seus ouvintes. Assim profetizou Jesus acerca do momento de tribulação:

(Mateus 24:11) 11 E surgirão MUITOS falsos profetas, e desencaminharão a MUITOS;

(Mateus 24:24) 24 Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas, e farão grandes sinais e prodígios, a fim de desencaminhar, se possível, até mesmo os escolhidos.


MUITOS FALSOS PROFETAS QUE DESENCAMINHARIAM A MUITOS. Exatamente por isto é que Jesus externou sua preocupação quanto a Unidade, pois a palavra de tais homens quebraria a Unidade, a Uniformidade. Os discípulos se desviariam dos pensamentos e sentimentos de Jesus, que eram uma cópia dos pensamentos e sentimentos do Pai. A preocupação de Jesus incluía até os apóstolos, os escolhidos por ele, pessoas que testemunharam as palavras e as ações de Jesus durante aqueles três anos e meio.

A história se repetindo com a mesma situação e as mesmas reações dos humanos pactuados com o Criador.

Tais profetas certamente afirmariam que suas mensagens eram “inspiradas”, dadas por "espírito santo", supervisionadas pelo "espírito santo", orientadas por "espírito santo". Para serem desencaminhadas, as pessoas teriam de encarar as mensagens trazidas por tais profetas, como se fossem uma mensagem divina, uma mensagem inspirada por Deus, fornecida pelo "espírito santo", orientada pelo "espírito santo" de Deus, soprada pelo espírito santo. Para os desencaminhados, tais falsos profetas eram verdadeiros profetas. Confiavam totalmente neles.

Embora as palavras faladas pelos falsos profetas afrontassem a palavra falada por Jesus e o exemplo dado por Jesus, os desencaminhados amariam os profetas mesmo assim, repetindo a história.

(Mateus 13:51-52) 51 "Compreendestes o sentido de todas estas coisas?" Eles lhe disseram: "Sim." 52 Então lhes disse: "Sendo este o caso, todo instrutor público, quando ensinado a respeito do reino dos céus, é semelhante a um homem, dono de casa, que tira do seu tesouro coisas novas e velhas."

PROFETA AUTÊNTICO ERA AQUELE QUE JEOVÁ ESCOLHIA E QUE JEOVÁ LHE TRANSMITIA UMA MENSAGEM. Esta mensagem tinha de ser repassada ao povo ou a alguém específico, segundo o desejo de Jeová. A função do profeta era só repassar a mensagem recebida, sem qualquer alteração. Quando o humano repassava a mensagem sem qualquer alteração, se constituía em um "autêntico" profeta. Este humano, escolhido para ser um mensageiro, não perdia o seu livre-arbítrio. Este humano continuava no comando de seus pensamentos, dos seus sentimentos e de suas ações. Este humano não se tornava um marionetes do “espírito santo”.


Por exemplo, quando o espírito santo se tornava ativo em Sansão ele se tornava muito forte. No entanto, o que fazer com toda aquela força ficava exclusivamente a critério de Sansão, pois ele não perdia o seu livre-arbítrio, transformando-se em um marionetes do espírito santo. Ele pedia a força e satisfazia a sua vontade. Sansão fazia uso do espírito santo para satisfazer uma vontade sua. Não era o espirito santo que usava Sansão para satisfazer uma vontade dele.


Quanto aos profetas que afirmavam que Jeová falou, quando Jeová não havia falado nada, na verdade, a palavra de quem falavam estes profetas?? A palavra saída da mente de Jeová sobre isto é: (Ezequiel 13:6-7) 6 "Visionaram o que é inverídico e uma ADIVINHAÇÃO MENTIROSA, os que estão dizendo: ‘A pronunciação de Jeová é’, quando o próprio Jeová não os enviou, E ELES ESPERAVAM QUE SE CUMPRISSE A PALAVRA. 7 Acaso não é uma visão inverídica a que visionastes e uma adivinhação mentirosa a que dissestes, dizendo: ‘A pronunciação de Jeová é’, quando eu mesmo não falei nada ?"’

Assim verte a Tradução Almeida:

(Ezequiel 13:6-7) 6 Viram vaidade e adivinhação mentirosa os que dizem: O Senhor diz; quando o Senhor não os enviou; e esperam que seja cumprida a palavra. 7 Acaso não tivestes visão de vaidade, e não falastes adivinhação mentirosa, quando dissestes: O Senhor diz; sendo que eu tal não falei?


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel 13:6-7) 6 Viram vaidade e adivinhação mentirosa, os que dizem: Jeová diz; quando Jeová os não enviou. Fizeram que os homens esperassem fosse cumprida a palavra. 7 Acaso não tivestes visão de vaidade, e não falastes adivinhação mentirosa, porquanto dizeis: Jeová diz; sendo que eu não falei?


O que estes homens estavam fazendo?? Estavam colocando palavras na boca de Jeová.


O profeta estava colocando palavras na boca de Jeová. Mesmo que ele afirmasse que ouviu o espírito santo, a palavra final de Jeová foi bel clara: Eu não falei nada para eles.

Neste caso, será que havia um espírito santo rebelde??? Todos admitem que não.


Jeová disse: "Uma adivinhação". Os profetas falavam e torciam para que se cumprisse. Eles afirmavam: 'é a pronunciação de Jeová', enquanto Jeová não havia falado nada para ele em relação àquele assunto.


Andam atrás do seu próprio coração, atrás do seu próprio espírito: (Ezequiel 13:1-3) 13 E continuou a vir a haver para mim a palavra de Jeová, dizendo: 2 "Filho do homem, profetiza a respeito dos profetas de Israel, que estão profetizando, e tens de dizer aos que PROFETIZAM DO SEU PRÓPRIO CORAÇÃO: ‘Ouvi a palavra de Jeová. 3 Assim disse o Soberano Senhor Jeová: "Ai dos profetas estúpidos que estão ANDANDO ATRÁS DO SEU PRÓPRIO ESPÍRITO, quando não viram coisa alguma!


Assim verte a Tradução Brasileira: (Ezequiel 13:1-3) 1 Veio a mim a palavra de Jeová, dizendo: 2 Filho do homem, profetiza contra os profetas de Israel que profetizam do seu coração: Ouvi a palavra de Jeová. 3 Assim diz o Senhor Jeová: Ai dos profetas insensatos, que seguem o seu próprio espírito, e não viram nada!


As coisas faladas eram oriundas do coração do profeta. Jeová deixou bem claro que não se tratava de rebeldia do espírito santo ou qualquer coisa parecida. Jeová falou que o profeta falava coisas existentes em seu próprio coração, isto é, no coração do próprio profeta.


Neste caso, não se tratava de informação dada por um anjo (espírito com livre-arbítrio).


O profeta externava a seus companheiros aquilo que ele desejava que acontecesse, na verdade expunha o desejo de seu coração. Estes profetas falavam sobre suas esperanças, suas expectativas, seus desejos; algo que foi produzido em suas mentes influenciado pelos seus corações humanos. Não falavam aquilo que havia sido produzido e que estava na mente de Jeová naquele instante. As afirmações dos profetas eram frutos da personalidade dos próprios profetas.


Outras palavras que saíram da mente de Jeová foram:(Jeremias 23:25-32) 25 "Ouvi o que disseram os profetas que PROFETIZAM FALSIDADE EM MEU PRÓPRIO NOME, dizendo: ‘Tive um sonho! Tive um sonho!’ 26 Até quando existirá no CORAÇÃO dos profetas que profetizam a falsidade e que são profetas da ARDILEZA DO SEU PRÓPRIO CORAÇÃO? 27 Pensam em fazer meu povo esquecer-se do meu nome mediante os SEUS SONHOS que continuam a narrar um ao outro, assim como seus pais se esqueceram do meu nome mediante Baal. 28 O profeta com quem há um sonho narre o SEU SONHO; mas aquele com quem está a MINHA PALAVRA fale a minha palavra verazmente." "Que tem a palha que ver com o grão?" é a pronunciação de Jeová. 29 "Não é a minha palavra correspondentemente como um fogo", é a pronunciação de Jeová, "e como o malho que despedaça o rochedo?" 30 "Por isso, eis que sou contra os profetas", é a pronunciação de Jeová, "aqueles que FURTAM AS MINHAS PALAVRAS, cada um do seu companheiro". 31 "Eis que sou contra os profetas", é a pronunciação de Jeová, "aqueles que empregam a sua língua para pronunciar: ‘Uma pronunciação!’" 32 "Eis que sou contra os profetas de SONHOS FALSOS", é a pronunciação de Jeová, "que os narram e fazem meu povo vaguear por causa das suas falsidades e por causa da SUA GABAÇÃO". "Mas eu mesmo não os enviei nem lhes dei ordem. Assim, de modo algum trarão proveito a este povo", é a pronunciação de Jeová.


Assim verte a Tradução Almeida:

(Jeremias 23:25-32) 25 Tenho ouvido o que dizem esses profetas que profetizam mentiras em meu nome, dizendo: Sonhei, sonhei. 26 Até quando se achará isso no coração dos profetas que profetizam mentiras, e que profetizam do engano do seu próprio coração? 27 Os quais cuidam fazer com que o meu povo se esqueça do meu nome pelos seus sonhos que cada um conta ao seu próximo, assim como seus pais se esqueceram do meu nome por causa de Baal. 28 O profeta que tem um sonho conte o sonho; e aquele que tem a minha palavra, fale fielmente a minha palavra. Que tem a palha com o trigo? diz o Senhor. 29 Não é a minha palavra como fogo, diz o Senhor, e como um martelo que esmiúça a pedra? 30 Portanto, eis que eu sou contra os profetas, diz o Senhor, que furtam as minhas palavras, cada um ao seu próximo. 31 Eis que eu sou contra os profetas, diz o Senhor, que usam de sua própria linguagem, e dizem: Ele disse. 32 Eis que eu sou contra os que profetizam sonhos mentirosos, diz o Senhor, e os contam, e fazem errar o meu povo com as suas mentiras e com a sua vã jactância; pois eu não os enviei, nem lhes dei ordem; e eles não trazem proveito algum a este povo, diz o Senhor.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Jeremias 23:25-32) 25 Tenho ouvido o que dizem os profetas, que em meu nome profetizam mentiras, dizendo: Sonhei, sonhei. 26 Até quando se achará isto no coração dos profetas que profetizam mentiras, dos profetas do engano do seu coração? 27 Os quais fazem que o meu povo se esqueça do meu nome pelos sonhos deles que cada um conta ao seu próximo, assim como os seus pais se esqueceram do meu nome por causa de Baal. 28 O profeta que tem um sonho, conte um sonho; e o que tem a minha palavra, fale a minha palavra fielmente. Que tem a palha com o trigo? diz Jeová. 29 Acaso não é a minha palavra como fogo? diz Jeová; e como um martelo que faz as pedras em pedaços? 30 Portanto eis que eu sou contra os profetas, diz Jeová, que furtam as minhas palavras cada um ao seu próximo. 31 Eis que eu sou contra os profetas, diz Jeová, que usam as suas línguas e dizem: Ele diz. 32 Eis que eu sou contra os que profetizam sonhos mentirosos, diz Jeová, e os referem, e fazem errar o meu povo com as suas mentiras e com a sua vã jactância; eu não os enviei, nem lhes dei ordem. Nada aproveitarão eles a este povo, diz Jeová.


Seu coração, seu coração , seu coração. Tratava-se de algo saído do interior do profeta.


"Seus sonhos" em oposição a "Minha palavra" ??

"Seus sonhos" - isto é igual à palavra humana saída da mente humana, associada ao desejo do coração humano, enquanto que "Minha palavra" - é igual à palavra saída da mente de Jeová, dos desejos do coração de Jeová.

Ardileza do seu próprio coração, seus sonhos, falsidade do seu próprio coração, sua gabação - foi assim que Jeová classificou as profecias, isto é, as mensagens destes profetas.


(ga.ba.ção) - Definição dada por certo dicionário.

sf. 1 Ação ou resultado de gabar ; ELOGIO; GABADELA; GABAMENTO; GABO; JACTÂNCIA; VANGLÓRIA. Pl.: -ções.

[F.: gabar + -ção.]

(gabar)

v. tr. || louvar, preconizar as boas qualidades de; celebrar, elogiar: "Os vinhos estranhos não provo nem gabo. " (Diníz da Cruz.) Cortês sorrindo o mercador gabava as cores vivas, o tecido, o corpo do estofo que vendia. (Gonç. Dias.) || ——, v. pr. jactar-se, vangloriar-se: Não se gabará ele de que me enganou nunca. (Vieira.) Gabando-se da sua finura. (Camilo.) || Bazofiar, fazer ostentação das próprias façanhas. F. ant. nórdico Gabb (zombaria).


O profeta falava de "seus sonhos", em como ele gostaria que as coisas acontecessem. Nos seus sonhos, eles sempre estavam bem com Jeová. No entanto, o profeta fazia questão de dizer: Jeová disse isto....


Um dos profetas que falavam coisas de seu próprio coração foi Hananias. Ele falava palavras a favor da cidade de Jerusalém, a favor do templo de Jeová e a favor dos tesouros do templo e contra o rei de Babilônia, o inimigo que estava atacando o povo de Jeová. O inimigo do povo de Jeová é automaticamente inimigo de Jeová, pensavam estes homens. Os sacerdotes e todo o povo amavam ouvir as palavras faladas por Hananias. Jeremias falava contra a cidade, contra o templo, contra os sacerdotes, contra todo o povo e a favor do rei de Babilônia.

Como alguém se atreve em falar a favor de um inimigo do povo de Jeová??


Hananias não havia recebido nenhuma mensagem de Jeová, no entanto, falava de seus próprios sonhos, falava dos desejos de seu coração, falava sobre aquilo que parecia ser o mais lógico em sua mente.


Assim falou Jeová: Vou falar com os profetas através de visões e sonhos. (Números 12:4-8) 4 Jeová disse então repentinamente a Moisés, e a Arão e Miriã: "Saí, vós três, para a tenda de reunião." De modo que os três saíram. 5 Depois, Jeová desceu na coluna de nuvem e ficou à entrada da tenda, e chamou Arão e Miriã. Em vista disso, ambos saíram. 6 E ele prosseguiu, dizendo: "Ouvi as minhas palavras, por favor. Se houvesse um profeta vosso para Jeová, seria NUMA VISÃO que eu me daria a conhecer a ele. Falar-lhe-ia NUM SONHO . 7 Não assim com meu servo Moisés! Ele está sendo incumbido de toda a minha casa. 8 Boca a boca falo com ele, mostrando-lhe assim, e não por enigmas; e a aparência de Jeová é o que ele contempla. Por que, pois, não temestes falar contra meu servo, contra Moisés?"

Moisés é um profeta diferenciado, pois falo com ele boca a boca, mas quanto aos demais, lhes falarei através de visões e sonhos.

No seu resumo das declarações de Jeová, Moisés assim aconselhou o povo: Não aceite tudo o que o profeta fala, mesmo que ele tenha portentos e sinais. (Deuteronômio 13:1-5) 13 "Caso se levante no teu meio um profeta ou um sonhador de sonho e ele te dê um sinal ou um portento, 2 e se cumpra o sinal ou o portento de que te falou, dizendo: ‘Andemos seguindo outros deuses, que não conheceste, e sirvamo-los’, 3 não deves escutar as palavras deste profeta ou o sonhador daquele sonho, porque Jeová, VOSSO DEUS, VOS ESTÁ PONDO À PROVA para saber se AMAIS A JEOVÁ , vosso Deus, de todo o vosso coração e de toda a vossa alma. 4 Deveis andar seguindo a Jeová, vosso Deus, e a ele deveis temer, e seus mandamentos deveis guardar, a sua voz deveis escutar, e a ele deveis servir, e a ele vos deveis apegar. 5 E aquele profeta ou aquele sonhador do sonho deve ser morto, porque falou em revolta contra Jeová , vosso Deus, que vos fez sair da terra do Egito e que te remiu da casa dos escravos, para te desviar do caminho em que Jeová, teu Deus, te mandou andar; e tens de eliminar o mal do teu meio.



Seguir a Jeová, temer a Jeová, guardar os mandamentos de Jeová, escutar a voz de Jeová, servir a Jeová, apegar a Jeová. Como saber se a pessoa continuará a fazer estas coisas permanentemente?? Como continuará a fazer tais coisas se aparecer alguém respeitável e em posição oficial, em quem confiamos, com um portento e falando que Jeová disse isso ou aquilo??

Cuidado! Muito cuidado! Surgirão falsos profetas, profetas que vão falar em meu nome aquilo que Eu não mandei falar. Assim falou Jeová a Moisés: (Deuteronômio 18:17-22) 17 A isso Jeová me disse: ‘Fizeram bem em falar assim. 18 Suscitar-lhes-ei do meio dos seus irmãos um profeta semelhante a ti; e deveras porei as minhas palavras na sua boca e ele certamente lhes falará tudo o que eu lhe mandar. 19 E tem de dar-se que o homem que não escutar as minhas palavras que ele falar em meu nome, deste eu mesmo exigirei uma prestação de contas. 20 “‘No entanto, o profeta que presumir de falar em meu nome alguma palavra que não lhe mandei falar ou que falar em nome de outros deuses, tal profeta terá de morrer. 21 E caso digas no teu coração: Como saberemos qual a palavra que Jeová não falou?” 22 quando o profeta falar em nome de Jeová e a palavra não suceder nem se cumprir, esta é a palavra que Jeová não falou. O profeta proferiu-a presunçosamente. Não deves ficar amedrontado por causa dele.’

Profetas falarão palavras que não os mandei falar. E agora?? Quando o profeta proferir uma mensagem que não recebeu de mim, isto significa que ele está agindo presunçosamente, ele está se adiantando: (1 Samuel 15:22-23) 22 Por sua vez, Samuel disse: "Tem Jeová tanto agrado em ofertas queimadas e em sacrifícios como em que se obedeça à voz de Jeová? Eis que obedecer é melhor do que um sacrifício, prestar atenção [é melhor] do que a gordura de carneiros; 23 pois a rebeldia é igual ao pecado da adivinhação, e AVANÇAR PRESUNÇOSAMENTE É IGUAL AO [USO DE] PODER MÁGICO E TERAFINS . Visto que rejeitaste a palavra de Jeová, ele concordemente rejeita que sejas rei."


(pre.sun.ção) - Definição dada por certo dicionário.

sf.
1 Ação ou resultado de presumir(-se)

2 Suposição da verdade ou validade de algo com base em sua aparência, em experiência anterior etc. : Seu comportamento justificava a presunção de que mentia.
3 Convicção, ger. infundada ou exagerada, de suas próprias qualidades ; AFETAÇÃO; PRETENSÃO; VAIDADE: "Ratapulgo, o Bugubú, prezava-se. Inventara para si uma altura, apoiava-se numa presunção de arrogância." (João Guimarães Rosa, Estas estórias)

4 Demonstração clara dessa convicção ; VAIDADE; IMODÉSTIA; PRETENSÃO

5 Jur. O que se supõe verdadeiro até prova em contrário ou, em certos casos, mesmo que esta exista; conjectura tirada de indícios : julgar por presunção. Pl.: -ções.

[F.: Do lat. praesumptio,onis.]


(pre.sun.ço.so)  [ô] 

a.
1 Que tem presunção, que supõe ser melhor que os outros, que acredita ter muitas e raras qualidades ; PRETENSIOSO; VAIDOSO

sm.
2 Pessoa excessivamente vaidosa e pretensiosa  Pl.: óFem.: ó

[F.: Do lat. praesumptuosus.]


Trata-se do ato de presumir. O que é presumir??


PRESUMIR - Assim define o dicionário esta expressão:

presumir

v. (sXIII) 1 t.d. tirar uma conclusão antecipada, baseada em indícios e suposições, e não em fatos comprovados; conjecturar, supor <p. o melhor para todos> 2 t.d. supor antecipadamente; prever, pressupor, achar 3 t.d. m.q. pressupor ('fazer supor') 4 t.d. desconfiar de; suspeitar <presumiu que seria traído> 5 t.d. formar ideia sem base real; imaginar, pensar, supor <não presuma que sairá desta ileso> 6 t.i. e pron. ter presunção ou vaidade; vangloriar(-se) <p.(-se) de intelectual> etim lat. praesúmo,is,praesumpsi,praesumptum,ère 'tomar antes do tempo, fazer juízo antecipado, conjecturar, suspeitar, julgar, presumir' sin/var ver sinonímia de achar



Ou a palavra foi falada por Jeová ou não foi falada por Jeová. O profeta não pode presumir que Jeová falaria isto ou aquilo para aquela ocasião. Se Jeová não falar nada, ele não deve dizer nada. Deve apenas esperar.

No entanto, depois que Jeová fez uma declaração, o profeta deve repetir palavra por palavra. O profeta não deve ficar preocupado se a declaração feita por Jeová irá desagradar àquele a quem é dirigida a declaração.

O profeta escolhido não deve atenuar as palavras ou falar meia palavra, visando não ofender o destinatário da palavra.


Quando um humano, qualquer humano está falando para outro humano a palavra de Jeová ou a palavra de Jesus, na verdade está agindo como um profeta, como um mensageiro, como um REPETIDOR. Este tem a responsabilidade de retransmitir a palavra que saiu da mente de Jeová ou da mente de Jesus, com o extremo cuidado em não modificar, não adulterar o que já foi falado. Agindo como um autêntico profeta, apenas repetirá de forma exata, não avançando presunçosamente e falando seus sonhos humanos.

Deve-se também cuidar em não repetir os sonhos de quaisquer outros humanos, pois recebemos a seguinte orientação de Moisés: (Deuteronômio 13:4) 4 Deveis andar SEGUINDO A JEOVÁ, vosso Deus, e A ELE deveis temer, e SEUS mandamentos deveis guardar, a SUA voz deveis escutar, e a ELE deveis servir, e a ELE vos deveis apegar.


Jeová quer expor (tornar visível) o que realmente temos em nosso coração (invisível), e é exatamente a nossa reação individual a certas circunstâncias que revelará o que temos no nosso coração. Assim se expressou Moisés: (Deuteronômio 13:3) 3 não deves escutar as palavras deste profeta ou o sonhador daquele sonho, PORQUE JEOVÁ, vosso Deus, VOS ESTÁ PONDO À PROVA para saber se amais a Jeová, vosso Deus, de todo o vosso coração e de toda a vossa alma.


Qual é a sensibilidade de nosso coração?? Temos o nosso coração igual ao do profeta?? Ou será que individualmente sabemos reconhecer a voz de Jeová??

Obviamente, temos de se conhecer profundamente a personalidade de Jeová para reconhecermos Suas palavras, reconhecermos Sua voz.

Por exemplo, Jeová queria que Moisés revelasse o que tinha no coração, quando assim se expressou: (Números 14:11-12) 11 Por fim, Jeová disse a Moisés: "Até quando me tratará este povo sem respeito e até quando não depositarão fé em mim, em vista de todos os sinais que realizei entre eles? 12 Deixa-me golpeá-los com pestilência e desalojá-los, e DEIXA-ME FAZER DE TI UMA NAÇÃO MAIOR E MAIS FORTE DO QUE ELES."


Mais tarde, Jeová revelou o que tinha no Seu coração: (Ezequiel 20:13-14) 13 "‘"Mas eles, [os] da casa de Israel, rebelaram-se contra mim no ermo. Não andaram nos meus estatutos e rejeitaram as minhas decisões judiciais, por meio das quais, continuando a cumpri-las o homem, também continuará a viver. E profanaram muitíssimo os meus sábados, de modo que prometi derramar sobre eles meu furor no ermo, a fim de exterminá-los. 14 Mas AGI EM PROL DO MEU PRÓPRIO NOME, PARA QUE NÃO FOSSE PROFANADO PERANTE OS OLHOS DAS NAÇÕES , diante de cujos olhos eu os fizera sair.. . .

E Jeová falou mais: (Jeremias 33:25-26) 25 "Assim disse Jeová: ‘Se não fosse o fato de eu ter designado meu próprio pacto do dia e da noite, os estatutos do céu e da terra, 26 então, também, eu rejeitaria a descendência de Jacó e de Davi, meu servo, de modo a não tomar da sua descendência governantes sobre a descendência de Abraão, de Isaque e de Jacó. Pois recolherei os seus cativos e terei piedade deles.’"

Por sua resposta, Moisés revelou o quanto já conhecia a Jeová e Jeová ficou feliz pela resposta de Moisés.


Todo o povo escolhido revelou ter um coração de pedra, um coração insensível, pois assim falou Jeová: (Ezequiel 11:17-20) 17 "Portanto, dize: ‘Assim disse o Soberano Senhor Jeová: "Vou também reunir-vos dentre os povos e ajuntar-vos das terras entre as quais fostes espalhados, e vou dar-vos o solo de Israel. 18 E eles certamente chegarão lá e removerão dele todas as suas coisas repugnantes e todas as suas coisas detestáveis. 19 E vou dar-lhes um só coração e porei no seu íntimo um espírito novo; e certamente removerei da sua carne o CORAÇÃO DE PEDRA e lhes darei um CORAÇÃO DE CARNE , 20 para que andem nos meus próprios estatutos e guardem as minhas próprias decisões judiciais e realmente as executem; e eles PODERÃO realmente tornar-se meu povo e eu mesmo poderei tornar-me seu Deus."’


JESUS DISSE MAIS COM RESPEITO A CONSEGUIR IDENTIFICAR A VOZ DE JEOVÁ: (João 8:42-43) 42 Jesus disse-lhes: "Se Deus fosse o vosso Pai, vós me amaríeis, pois procedi de Deus e aqui estou. Nem tampouco vim de minha própria iniciativa, mas Este me enviou. 43 POR QUE É QUE NÃO SABEIS DE QUE ESTOU FALANDO? Porque não podeis escutar a minha palavra.. (João 8:47) 47 Quem é de Deus escuta as declarações de Deus. É POR ISSO QUE NÃO ESCUTAIS, PORQUE NÃO SOIS DE DEUS."


QUEM É DE DEUS ESCUTA AS DECLARAÇÕES DE DEUS – O que esta expressão falada por Jesus deixa bem claro??


Deixa bem claro a necessidade de se “conhecer” a Deus, de se conhecer a personalidade de Deus. Deixa claro que ser um real filho de Deus, não se trata de um processo automático. Ficou bem claro que há a necessidade de “conhecer” a Deus para saber se as declarações feitas por alguém provêm realmente de Deus. O humano precisa saber identificar as palavras que realmente saíram da boca de Deus.


Aquilo que Jesus falava, a palavra saída de sua mente e boca, soava como algo estranho, soava como algo não vindo de Jeová, ou seja, daquele Jeová que eles viam. Eles viam a Jeová com uma determinada personalidade. Em face disso, assim falou Jesus a respeito da reação da maioria dos judeus: (João 16:1-3) 16 "Tenho falado estas coisas para que não tropeceis. 2 [Os] homens vos expulsarão da sinagoga. De fato, vem a hora em que TODO AQUELE QUE VOS MATAR IMAGINARÁ QUE TEM PRESTADO UM SERVIÇO SAGRADO A DEUS. 3 Mas, farão estas coisas PORQUE NÃO VIERAM A CONHECER NEM O PAI NEM A MIM.. . .


CHEGARÃO AO PONTO DE MATAR SEUS PRÓPRIOS IRMÃOS NA SUA CERTEZA DE ESTAREM PRESTANDO UM SERVIÇO SAGRADO A DEUS!!!

A INFORMAÇÃO ERRADA EM SUAS MENTES É A BASE DE SUAS HONESTAS REAÇÕES AGRESSIVAS ÀQUELE QUE RETRANSMITE A MENSAGEM DE JEOVÁ. INFORMAÇÃO ERRADA - REAÇÃO ERRADA. O OBJETIVO É AGRADAR A DEUS.


Embora Jesus informasse a seus apóstolos sobre a aparição de falsos profetas, falsos mensageiros, também lhes disse: (João 10:27) 27 Minhas ovelhas ESCUTAM A MINHA VOZ e eu as conheço, E ELAS ME SEGUEM. (João 10:14-16) 14 Eu sou o pastor excelente, e conheço as minhas ovelhas e as MINHAS OVELHAS CONHECEM A MIM, 15 assim como o Pai me conhece e eu conheço o Pai; e entrego a minha alma em benefício das ovelhas. 16 "E tenho outras ovelhas, que não são deste aprisco; a estas também tenho de trazer, E ELAS ESCUTARÃO A MINHA VOZ e se tornarão um só rebanho, um só pastor.


A OVELHA SABE IDENTIFICAR A VOZ DO SEU PASTOR. O SEU PASTOR TAMBÉM É UMA OVELHA.


O aluno saberia identificar a voz do seu professor. Como isto aconteceria??

Jesus previu e nos informou que muitos alunos seriam enganados.

O que isto provaria??

Provaria que os alunos não saberiam identificar a voz do professor.


Até mesmo aqueles escolhidos pelo professor e que tiveram pleno contato com ele por três anos e meio corriam o risco de deixarem-se enganar. Embora as declarações destes “falsos profetas” afrontassem a forma como Jesus viveu o dia a dia com os doze apóstolos escolhidos, Jesus os alertou sobre a possibilidade de até mesmo os escolhidos serem enganados.


As palavras de Jesus foram: (Mateus 24:24-25) 24 Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas, e farão grandes sinais e prodígios, a fim de desencaminhar, se possível, até mesmo os escolhidos. 25 Eis que eu vos avisei de antemão.

Da mesma forma como Jesus avisou aos seus alunos que todos eles o abandonariam naquela noite, ele os estava avisando em relação aos falsos profetas.

Os profetas se apresentariam com poderes, exatamente como no caso de Moisés, Elias, Eliseu e outros. No entanto, o que importava era a palavra falada por estes homens, palavra esta que poderia desviá-los do caminho trilhado por Jesus, pois Jesus era o caminho a ser seguido. As ações destes profetas também devia ser observada. A forma de Jesus viver o dia a dia durante aqueles três anos e meio era o “caminho”.

(João 14:5-6) 5 Tomé disse-lhe: “Senhor, não sabemos para onde vais. Como sabemos o caminho?” 6 Jesus disse-lhe: “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim.



MEU PRÓPRIO POVO AMOU O FALSO PROFETA, FALOU JEOVÁ: (Jeremias 5:30-31) 30 Uma situação assombrosa, mesmo uma coisa horrível fez-se existir no país: 31 Os próprios profetas realmente profetizam em falsidade; e quanto aos sacerdotes, estão subjugando segundo os seus poderes. E MEU PRÓPRIO POVO AMOU-O ASSIM; e que fareis vós ao final disso?"


O povo identificou a voz de seu pastor, escolhendo-o como pastor, em lugar de ouvir a voz de Jeová. Para o povo, a voz de Jeová era muito estranha. Amaram ao falso profeta e odiaram o verdadeiro profeta. Sendo uma voz estranha, queriam silenciar o retransmissor da voz estranha, por matá-lo: (Jeremias 26:7-9) 7 E os sacerdotes e os profetas, bem como todo o povo, começaram a ouvir Jeremias falar estas palavras na casa de Jeová. 8 Sucedeu, pois, que, acabando Jeremias de falar tudo o que Jeová [lhe] ordenara falar a todo o povo, então, os sacerdotes e os profetas, E TODO O POVO, PEGARAM-NO, DIZENDO: "POSITIVAMENTE MORRERÁS. 9 Por que é que profetizaste em nome de Jeová, dizendo:Esta casa se tornará igual àquela em Silo e esta mesma cidade será devastada para ficar sem habitante’?" E todo o povo se congregava em volta de Jeremias na casa de Jeová.


Jeová vai devastar a sua própria casa?? Jeová falando em fazer o mal contra a sua própria casa?? Isto é uma grande falta de respeito para com a casa de Jeová; e este profeta ainda fala isso dentro da casa do próprio Jeová?? Falar contra a casa de Jeová é falar contra Jeová, imaginavam eles. Aos ouvidos do povo, esta não era uma mensagem de Jeová. Para agradar a Jeová queriam matar o mensageiro, o profeta, aquele que realmente trazia a mensagem de Jeová. Segundo eles, Jeremias devia falar contra os inimigos do povo, pois os inimigos do povo eram automaticamente inimigos de Jeová. Eles desejavam ouvir palavras de vitória do povo de Jeová sobre os inimigos de Jeová.

Quando obedeceriam ao mandamento “não matarás”??


Que perigo!! Que perigo!!

Se estivéssemos lá a que voz nós escutaríamos?? Agiríamos nós diferente dos sacerdotes, dos profetas e do povo?? Dificilmente.


Outras ações envolvendo humanos com espírito santo em relação a outros humanos.


Esta ação ocorreu quando Jesus ainda estava vivo.

Jesus já havia dado espírito santo aos seus apóstolos. Eles já realizavam curas e expulsavam demônios em nome de Jesus. Será que estes homens passaram a ter suas vontades comandas pelo espírito santo??

No entanto, surgiu uma ocasião em que os poderes poderiam ser usados para fazer o mal.

Estes homens continuavam comandando suas vontades.

Neste momento, Tiago e João, ofendidos pela indiferença de uma aldeia de samaritanos, revelaram os seus reais sentimentos.

O que queriam ofertar para Jesus?? Queriam prestar um serviço sagrado a Jesus?? Queriam oferecer a Jesus, centenas de corpos humanos carbonizados??

O relato nos revela:

(Lucas 9:51-56) 51 Chegando então a completar-se para ele os dias de ser tomado para cima, endureceu o rosto [na determinação] de ir a Jerusalém. 52 De modo que enviou mensageiros na sua frente. E eles foram e entraram numa aldeia de samaritanos, a fim de fazerem os preparativos para ele; 53 mas não o receberam, porque o seu rosto estava endurecido [na determinação] de ir a Jerusalém. 54 Vendo isso os discípulos Tiago e João, disseram: “Senhor, queres que mandemos que desça fogo do céu e os aniquile?55 Mas ele se voltou e os censurou. 56 Foram assim a uma aldeia diferente.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Lucas 9:51-56) 51 Estando para se completarem os dias em que devia ser recebido no céu, manifestou a firme resolução de ir a Jerusalém, e enviou mensageiros adiante de si. 52 Indo eles, entraram numa aldeia dos samaritanos, para lhe arranjar pousada; 53 o povo, porém, não o recebeu, porque o seu rosto era como o de quem ia para Jerusalém. 54 Vendo isto os discípulos Tiago e João, perguntaram: Senhor, queres que mandemos descer fogo do céu para os consumir? 55 Mas ele, virando-se para eles, os repreendeu. 56 E foram para outra aldeia.

Resta alguma dúvida sobre de quem era o desejo de queimar a aldeia de samaritanos??

Queimar uma aldeia de samaritanos com homens, mulheres e crianças??

Bem, este mostrou ser o desejo existente em seus corações.


O que Jesus já lhes havia entregue como um mandamento do Pai a ser obedecido??

(Mateus 5:38-39) 38 Ouvistes que se disse: ‘Olho por olho e dente por dente.’ 39 No entanto, eu vos digo: Não resistais àquele que é iníquo; mas, a quem te esbofetear a face direita, oferece-lhe também a outra.

Assim verte a Tradução Almeida:

(Mateus 5:38-39) 38 Ouvistes que foi dito: Olho por olho, e dente por dente. 39 Eu, porém, vos digo que não resistais ao homem mau; mas a qualquer que te bater na face direita, oferece-lhe também a outra;


Quando deveriam começar a praticar este mandamento?? A partir do momento em que o ouviram, não é verdade??

Se Jesus não estivesse presente, o que estes homens poderiam ter feito?? Poderiam ter satisfeito o desejo existente em seus corações.


O que ficou claro em relação ao espírito santo??


Ficou bem claro que o espírito santo satisfaz a vontade existente no coração daquele que o recebeu.



Agora vejamos esta outra ação. Esta ação envolvia um humano que havia sido ungido com espírito santo. O espírito santo concedia muitos poderes a este humano. Este humano passou a ter muitos poderes, exatamente por ter recebido o espírito santo. Este homem é Pedro, um dos apóstolos escolhidos por Jesus.

Dois outros humanos estavam se relacionando com Pedro. Seus nomes são Ananias e sua esposa Safira.


Esta é a cena:

(Atos 5:1-12) 5 No entanto, certo homem, de nome Ananias, junto com Safira, sua esposa, vendeu uma propriedade 2 e reteve secretamente parte do preço, sabendo disso também a sua esposa, e trouxe apenas parte e a depositou aos pés dos apóstolos. 3 Mas Pedro disse: “Ananias, por que te afoitou Satanás a trapacear o espírito santo e a reter secretamente parte do preço do campo? 4 Enquanto permanecia contigo, não permanecia teu, e depois de ter sido vendido, não continuou a estar sob o teu controle? Por que é que propuseste uma ação dessas no teu coração? Trapaceaste, não homens, mas a Deus.5 Ao ouvir estas palavras, Ananias caiu e expirou. E veio grande temor sobre todos os que ouviram isso. 6 Mas os homens mais jovens levantaram-se, enrolaram-no em panos e o levaram para fora, e o enterraram. 7 Ora, depois de um intervalo de cerca de três horas entrou a esposa dele, não sabendo o que tinha acontecido. 8 Pedro disse-lhe: “Dize-me, vendestes vós [dois] o campo por tanto?” Ela disse: “Sim, por tanto.” 9 Pedro [disse-]lhe então: “Por que concordastes entre vós [dois] fazer uma prova com o espírito de Jeová? Eis que estão à porta os pés dos que enterraram teu marido, e eles te levarão para fora.” 10 Ela caiu instantaneamente aos pés dele e expirou. Quando os jovens entraram, acharam-na morta, e levaram-na para fora e a enterraram ao lado de seu marido. 11 Conseqüentemente, veio grande temor sobre toda a congregação e sobre todos os que ouviram estas coisas. 12 Além disso, por intermédio das mãos dos apóstolos continuavam a ocorrer muitos sinais e portentos entre o povo; e todos eles estavam de comum acordo na colunata de Salomão.


Assim verte a Tradução Almeida:

(Atos 5:1-12) 1 Mas um certo homem chamado Ananias, com Safira, sua mulher, vendeu uma propriedade, 2 e reteve parte do preço, sabendo-o também sua mulher; e levando a outra parte, a depositou aos pés dos apóstolos. 3 Disse então Pedro: Ananias, por que encheu Satanás o teu coração, para que mentisses ao Espírito Santo e retivesses parte do preço do terreno? 4 Enquanto o possuías, não era teu? e vendido, não estava o preço em teu poder? Como, pois, formaste este desígnio em teu coração? Não mentiste aos homens, mas a Deus. 5 E Ananias, ouvindo estas palavras, caiu e expirou. E grande temor veio sobre todos os que souberam disto. 6 Levantando-se os moços, cobriram-no e, transportando-o para fora, o sepultaram. 7 Depois de um intervalo de cerca de três horas, entrou também sua mulher, não sabendo o que havia acontecido. 8 E perguntou-lhe Pedro: Dize-me: Vendestes por tanto aquele terreno? E ela respondeu: Sim, por tanto. 9 Então Pedro lhe disse: Por que é que combinastes entre vós provar o Espírito do Senhor? Eis aí à porta os pés dos que sepultaram o teu marido, e te levarão também a ti. 10 Imediatamente ela caiu aos pés dele e expirou. E entrando os moços, acharam-na morta e, levando-a para fora, sepultaram-na ao lado do marido. 11 Sobreveio grande temor a toda a igreja e a todos os que ouviram estas coisas. 12 E muitos sinais e prodígios eram feitos entre o povo pelas mãos dos apóstolos. E estavam todos de comum acordo no pórtico de Salomão.


O que vemos nesta cena??

Em primeiro lugar, vemos alguém praticando algo que não foi ordenado por Jesus. Qual foi o caminho trilhado por Jesus??


O que Jesus pediu para seus discípulos fazerem??

(Lucas 12:32-33) 32 Não temas, pequeno rebanho, porque vosso Pai aprovou dar-vos o reino. 33 Vendei as coisas que vos pertencem e fazei dádivas de misericórdia. Fazei para vós mesmos bolsas que não se gastem, um tesouro que nunca falhe, nos céus, onde o ladrão não chega perto nem a traça consome.

Assim verte a Tradução Almeida:

(Lucas 12:32-33) 32 Não temas, ó pequeno rebanho! porque a vosso Pai agradou dar-vos o reino. 33 Vendei o que possuís, e dai esmolas. Fazei para vós bolsas que não envelheçam; tesouro nos céus que jamais acabe, aonde não chega ladrão e a traça não rói.


O que Jesus pediu para o homem rico fazer??

(Mateus 19:21) 21 Jesus disse-lhe: “Se queres ser perfeito, vai vender teus bens e dá aos pobres, e terás um tesouro no céu, e vem, sê meu seguidor.”


Assim verte a Tradução Almeida:

(Mateus 19:21) 21 Disse-lhe Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, segue-me.


Segundo o pedido de Jesus, o humano teria a responsabilidade tanto de vender o que possuísse quanto a de dar aos pobres. O humano devia distribuir aos pobres que ele escolhesse, obviamente. O humano continuava com o livre-arbítrio de escolher a quem dar. No entanto, o pedido de Jesus não foi para que o produto da venda fosse colocado aos seus pés ou aos pés de algum dos doze escolhidos ou outros alunos quaisquer.

Será que a partir daquele momento começavam a existir pobres especiais que MERECIAM receber esmolas?? Os pobres do nosso grupo são melhores do que os pobres dos demais grupos??

Será que o fruto da venda devia ser destinada aos pobres que já fossem seguidores de Jesus?? Os pobres seguidores de Jesus eram melhores do que os demais pobres?? Os pobres que já fossem seguidores de Jesus deviam ter a preferência ou a prioridade em receber as dádivas??


Será que Jesus pediu que o produto da venda dos bens fosse trazida a ele, para que ele fizesse a distribuição das esmolas entre os pobres que ele escolhesse??

Não, não foi isto o que Jesus pedia aos humanos.

Pediu Jesus que os apóstolos fossem os intermediários entre aquele que vendesse os seus bens e os pobres recebedores das dádivas?? Não, ele não pediu. Não foi este o caminho que ele seguiu.


- “Vá, seja feliz ao entrar em contato com os pobres e veja a felicidade estampada neles ao sentirem a sua ação”. A felicidade devia ser daquele que repartia o que era seu.

Você será feliz em praticar o ato de dar àquele que precisa. Faça isto pessoalmente. Não use intermediários.


Dê àquele que não tem como te devolver, e serás feliz. Serás feliz porque eles não têm nada com que te pagar. Tratava-se de uma ação individual e sem intermediários.

(Lucas 14:12-14) 12 A seguir passou a dizer também ao homem que o convidara: “Quando ofereceres um almoço ou uma refeição noturna, não chames os teus amigos, nem teus irmãos, nem teus parentes, nem teus ricos vizinhos. Talvez eles por sua vez te convidem também e isso se torne para ti uma restituição. 13 Mas, quando ofereceres uma festa, convida os pobres, os aleijados, os coxos, os cegos; 14 e serás feliz, porque eles não têm nada com que te pagar de volta. Porque se te pagará de volta na ressurreição dos justos.”


Assim verte a Tradução Almeida:

(Lucas 14:12-14) 12 Disse também ao que o havia convidado: Quando deres um jantar, ou uma ceia, não convides teus amigos, nem teus irmãos, nem teus parentes, nem os vizinhos ricos, para que não suceda que também eles te tornem a convidar, e te seja isso retribuído. 13 Mas quando deres um banquete, convida os pobres, os aleijados, os mancos e os cegos; 14 e serás bem-aventurado; porque eles não têm com que te retribuir; pois retribuído te será na ressurreição dos justos.



O que Zaqueu afirmou que faria??

(Lucas 19:8-10) 8 Mas Zaqueu levantou-se e disse ao Senhor: “Eis que a metade dos meus bens, Senhor, dou aos pobres, e o que for que eu extorqui de qualquer um por meio de acusação falsa, eu restituo quatro vezes mais.” 9 A isto Jesus disse-lhe: “Neste dia entrou a salvação nesta casa, porque ele também é filho de Abraão. 10 Pois o Filho do homem veio buscar e salvar o que estava perdido.”



Assim verte a Tradução Brasileira:

(Lucas 19:8-10) 8 Zaqueu, levantando-se, disse a Jesus: Senhor, vou dar a metade dos meus bens aos pobres, e se em alguma coisa defraudei a alguém, lho restituirei quadruplicado. 9 Disse-lhe Jesus: Hoje entrou a salvação nesta casa, porquanto este também é filho de Abraão; 10 porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido.


Passou a haver uma mudança em Zaqueu a partir do seu contato com Jesus. As palavras de Jesus influenciaram Zaqueu a dar pelo menos a metade dos seus bens. Já era alguma coisa. Zaqueu conseguiu andar 50% do caminho. Ele passou a ver o pobre como alguém a ser ajudado, cuidado.


O pedido de Jesus foi bem claro e o seu objetivo também. Tratava-se de uma ação individual com a alegria individual. Aquele que tinha o bem, devia vender o bem e sentir a alegria de dar algo a alguém em necessidade. A pessoa devia se envolver pessoalmente em fazer um bem àquele que não tem como pagar. Ele devia ver o rosto feliz daquele que estava recebendo o que tanto necessitava.

O que Jesus afirmou logo depois?? Ele afirmou: “pois retribuído te será na ressurreição dos justos”.


Tratava-se de uma importante ação de justiça, não é verdade??


Bem, ficou bem claro que o pedido de Jesus nada tinha a ver com o que estava sendo praticado por Ananias e Pedro. Ananias devia pessoalmente dar aos pobres aquilo que era seu. Ele devia ver o sorriso de satisfação de cada pobre a quem ele fizesse a sua dádiva.

Não era para dar aos apóstolos. Os apóstolos passariam a ser os intermediários.


Foi Jesus o intermediário entre ricos doadores e pobres recebedores??


Depois de vender tudo e dar tudo aos pobres, o que aconteceria com Ananias?? Bem, ele se tornaria um pobre que dependeria de alguém lhe fazer uma dádiva de misericórdia.

Não foi isto o que Jesus havia pedido??

Mas e se a pessoa não desejasse dar tudo o que tinha?? O problema era dela. A insegurança era dela. A pessoa continua livre todo o tempo.


A pessoa não daria sua riqueza para Jesus distribuir entre os pobres.

A pessoa daria a sua riqueza aos pobres e depois seguiria Jesus.


Pedro queria que Ananias deixasse ali a seus pés todo o produto da venda. Isto passava a ser uma obrigação para Ananias?? Quem instituiu tal costume?? Pedro sabia que aquilo que Ananias lhe trazia não era todo o montante da venda.

Ananias desejava ficar com parte do dinheiro da venda, no entanto, ele decidiu mentir para Pedro.

No entanto, quem lhe perguntou sobre o preço da venda?? Não foi Pedro?? Ora, ora, o que Pedro tinha a ver com isso?? Será que este assunto era da alçada de Pedro??

Se eu tiver recebido o espírito santo, e alguém resolver mentir para mim, estará pecando contra mim ou contra o espírito santo?? Pecar contra alguém que recebeu o espírito santo é o mesmo que pecar contra o espírito santo??


Nunca podemos esquecer da permanente relação entre o livre-arbítrio e a satisfação da vontade, existente nas criaturas feitas à semelhança de Jeová.


O que interessava a Pedro saber sobre o montante da venda?? Quem o elegeu como fiscal das ações de Ananias??

Porque Ananias e sua esposa concordaram com esta mentira?? Porque decidiram ficar com parte do dinheiro?? Que destino dariam eles a esta outra parte do dinheiro?? Pagariam dívidas?? Dariam para parentes?? Fariam uma viagem?? Guardariam para si?? Será que tinham medo de Pedro?? Quem fez a pergunta, foi Pedro ou foi o espírito santo?? A resposta foi dada para Pedro ou para o espírito santo??

A ação seguinte foi a vontade de Jeová sendo externada?? Foi a vontade do espírito santo que estava sendo externada?? Foi a vontade de Pedro que estava sendo externada??

No caso de Pedro, quando alguém era curado por ele, a vontade de quem estava sendo externada?? O espírito santo o fazia, independente da vontade de Pedro?? Era Jeová quem o fazia, independente da vontade de Pedro?? Ou será que o espírito santo dava o poder para que Pedro satisfizesse a sua própria vontade??

Não podemos esquecer que Jesus negou-se terminantemente a intrometer-se em uma disputa humana que envolvia uma herança.


Estava Pedro seguindo estes passos de Jesus?? Não foi este o “caminho” estipulado por Jesus??


Estava Pedro sendo um com Jesus?? Se Jesus estivesse ali no lugar de Pedro, adotaria ele a mesma posição adotada por Pedro?? Será que Jesus copiaria Pedro??


Convêm analisarmos bem qualquer afirmação.

Muitos detalhes em relação as ações de humanos que receberam o espírito santo foram analisadas anteriormente e estão acima apontados.

Muitos afirmam que o espirito santo os matou sem a intervenção de Pedro, o que atribuiria ao espírito santo o poder de tomar decisões pessoais. Assim, o espírito santo tomaria a ofensa para si e seria o responsável pelas mortes de Ananias e de Safira, independente da vontade de Pedro.

Outros afirmam que Jeová os matou sem a intervenção de Pedro, isto é, sem que a vontade de Pedro tivesse algo a ver com o acontecido.


  1. O espírito santo fez.

  2. O espírito santo não fez.


De qualquer forma, trata-se de uma afirmação em relação ao espírito santo.


Afirmar que o espírito santo fez algo que ele não fez é uma blasfêmia contra o espírito santo.

Afirmar que o espírito santo não fez algo que ele realmente fez é uma blasfêmia contra o espírito santo.


E agora que eu já blasfemei contra o espírito santo, por fazer uma afirmação que não condiz com a verdade em relação a ele??

Será que Jeová guardará ressentimento de mim por este pecado contra o espírito santo?? Ora, o pecado nem foi contra Ele, Jeová!!!!!!!!!!

Mas, o espírito santo não é de Jeová??

Não é Jeová UM com o espírito santo??


O espírito santo não me perdoará??

Segundo a palavra de Jesus, não, não me perdoará.



Somente quem tem vontade própria é quem perdoa, agora e sempre.


Tome agora esta afirmação devidamente registrada nas Escrituras:

(2 Timóteo 3:16) 16 Toda a Escritura é inspirada por Deus e proveitosa para ensinar, para repreender, para endireitar as coisas, para disciplinar em justiça,

Assim verte a Tradução Almeida: (2 Timóteo 3:16) 16 Toda Escritura é divinamente inspirada e proveitosa para ensinar, para repreender, para corrigir, para instruir em justiça;


Toda a “Escritura” é inspirada por Deus, ou, toda a “Escritura” é soprada por Deus, ou pelo espírito santo de Deus.


Esta afirmação transforma a bíblia em um livro sagrado, onde não há qualquer tipo de palavra sem proveito, pois TODAS as palavras foram sopradas por Deus.

Consequentemente, toda as ordens registradas nas “Escrituras” tiveram a Jeová como origem. Será que isto é um fato verídico??

Muitos afirmam que Jeová IMPEDIU que os humanos colocassem ali palavras que não eram Dele.


Vamos ver uma das ordens registradas nas “Escrituras”, obedecida religiosamente pelos judeus.


(Deuteronômio 24:1-4) 24 "Caso um homem tome uma mulher e faça dela sua propriedade, como esposa, então tem de suceder que, se ela não achar favor aos seus olhos por ele ter encontrado alguma coisa indecente da parte dela, então tem de escrever-lhe um certificado de divórcio e pô-lo na mão dela, e tem de despedi-la de sua casa. 2 E ela tem de sair da sua casa, e tem de ir e tornar-se de outro homem.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Deuteronômio 24:1-4) 1 Quando um homem tomar uma mulher e se casar com ela, se ela não achar graça aos seus olhos, por lhe haver ele encontrado alguma coisa indecente, far-lhe-á uma carta de repúdio e lha dará na mão e a despedirá de sua casa.
2 Tendo ela saído da casa dele, poderá ir e tornar-se mulher de outro homem.


Não esqueça de dar a ela o certificado de divórcio, pois sem tal certificado, ela será condenada por adultério. Em uma nação que tinha o costume de apedrejar adúlteros, o certificado de divórcio é um salvo conduto, ele representa vida.


O que decidiu fazer José, objetivando salvar a vida de Maria??

(Mateus 1:18-19) 18 Mas, o nascimento de Jesus Cristo deu-se da seguinte maneira: Durante o tempo em que a sua mãe Maria estava prometida em casamento a José, ela foi achada grávida por espírito santo, antes de se unirem. 19 No entanto, José, seu marido, porque era justo e não queria fazer dela um espetáculo público, pretendeu divorciar-se dela secretamente.

Assim verte a Tradução Almeida:

(Mateus 1: 18-19) 18 Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: Estando Maria, sua mãe, desposada com José, antes de se ajuntarem, ela se achou ter concebido do Espírito Santo. 19 E como José, seu esposo, era justo, e não a queria infamar, intentou deixá-la secretamente.


Já havia o compromisso entre Maria e José, já havia o pacto e somente um certificado de divórcio é que faria Maria livre para um casamento com outro homem, um suposto causador daquela gravidez. José desejou tornar isto possível para Maria, impedindo-a de ser apedrejada.


Isto é uma prova da existência do costume e prática do divórcio. O certificado de divórcio era o salvo conduto que livraria Maria da morte por apedrejamento. O certificado de divórcio anulava o pacto do casamento.


Estando devidamente registrada nas “Escrituras”, teria sido este costume soprado por Deus para Moisés??

Não podemos esquecer que Jeová falava face a face com Moisés.


Depois de ser questionado, o que afirmou Jesus em relação a esta autorização devidamente registrada nas “Escrituras”??

(Mateus 19:3-9) 3 E vieram ter com ele fariseus, decididos a tentá-lo, e disseram: “É lícito que um homem se divorcie de sua esposa por qualquer motivo?” 4 Em resposta, ele disse: “Não lestes que aquele que os criou desde [o] princípio os fez macho e fêmea, 5 e disse: ‘Por esta razão deixará o homem seu pai e sua mãe, e se apegará à sua esposa, e os dois serão uma só carne’? 6 De modo que não são mais dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus pôs sob o mesmo jugo, não o separe o homem.” 7 Disseram-lhe: “Então, por que prescreveu Moisés que se desse um certificado de repúdio e que ela fosse divorciada?” 8 Ele lhes disse: “Moisés, por causa da dureza dos vossos corações, vos fez a concessão de vos divorciardes de vossas esposas, mas este não foi o caso desde [o] princípio. 9 EU VOS DIGO que todo aquele que se divorciar de sua esposa, exceto em razão de fornicação, e se casar com outra, comete adultério.”


Assim verte a Tradução Almeida: (Mateus 19:3-9) 3 Aproximaram-se dele alguns fariseus que o experimentavam, dizendo: É lícito ao homem repudiar sua mulher por qualquer motivo? 4 Respondeu-lhe Jesus: Não tendes lido que o Criador os fez desde o princípio homem e mulher, 5 e que ordenou: Por isso deixará o homem pai e mãe, e unir-se-á a sua mulher; e serão os dois uma só carne? 6 Assim já não são mais dois, mas um só carne. Portanto o que Deus ajuntou, não o separe o homem. 7 Responderam-lhe: Então por que mandou Moisés dar-lhe carta de divórcio e repudiá-la? 8 Disse-lhes ele: Pela dureza de vossos corações Moisés vos permitiu repudiar vossas mulheres; mas não foi assim desde o princípio. 9 Eu vos digo porém, que qualquer que repudiar sua mulher, a não ser por causa de infidelidade, e casar com outra, comete adultério; e o que casar com a repudiada também comete adultério.


Teria sido Jeová aquele quem autorizou a prática do divorcio?? As palavras faladas por Jesus foram claras:



Ficou claro?? Para mim, ficou bem claro. Foi Moisés quem autorizou a prática do divórcio.

Será que Jesus estava mentindo em relação a Moisés?? Isto seria uma blasfêmia contra Moisés, não seria??


O que isto significa??

  1. Isto significa que, embora a autorização esteja nas “Escrituras”, esta autorização não procedeu de Deus.

  2. Isto significa que esta autorização não foi inspirada por Deus, não foi soprada por Deus.


As palavras faladas por Jesus e as palavras faladas por Moisés e devidamente registradas nas “Escrituras” eram palavras opostas.

Que mais falou Jesus?? Ele falou: “Desde o princípio....... Não o separe o homem; não o separe”.

O que estas palavras de Jesus revelaram??

Que o mandamento contra o divórcio existe desde o “princípio”.


O que mais falou Jesus?? Jesus falou: “Por causa da dureza dos vossos corações”.

Jesus apontou o motivo de Moisés lhes ter autorizado a praticar o divórcio e depois se casar de novo.


O humano apresentava um motivo plenamente válido aos seus olhos para que o pacto fosse rompido, gerando assim a liberdade para a realização de um novo pacto.


O discípulo Marcos assim registrou o mesmo incidente mostrado acima: (Marcos 10:2-12) 2 Aproximaram-se então fariseus, e, para o porem à prova, começaram a interrogá-lo, se era lícito que um homem se divorciasse da esposa. 3 Em resposta, ele lhes disse: “Que vos ordenou Moisés?” 4 Disseram: “Moisés concedeu a escrita dum certificado de repúdio e divorciar-se [dela].” 5 Mas Jesus disse-lhes: “Foi por causa da dureza de vossos corações que ele vos escreveu este mandamento. 6 No entanto, desde [o] princípio da criação ‘Ele os fez macho e fêmea. 7 Por esta razão deixará o homem seu pai e sua mãe, 8 e os dois serão uma só carne’; de modo que não são mais dois, mas uma só carne. 9 Portanto, o que Deus pôs sob o mesmo jugo, não o separe o homem.” 10 Quando novamente na casa, os discípulos começaram a interrogá-lo a respeito disso. 11 E ele lhes disse: QUEM SE DIVORCIAR DE SUA ESPOSA E SE CASAR COM OUTRA, COMETE ADULTÉRIO CONTRA ELA, 12 E, SE UMA MULHER, DEPOIS DE DIVORCIAR-SE DE SEU MARIDO, SE CASAR COM OUTRO, ELA COMETE ADULTÉRIO.”

Assim verte a Tradução Almeida: (Marcos 10:2-12) 2 Então se aproximaram dele alguns fariseus e, para o experimentarem, lhe perguntaram: É lícito ao homem repudiar sua mulher? 3 Ele, porém, respondeu-lhes: Que vos ordenou Moisés? 4 Replicaram eles: Moisés permitiu escrever carta de divórcio, e repudiar a mulher. 5 Disse-lhes Jesus: Pela dureza dos vossos corações ele vos deixou escrito esse mandamento. 6 Mas desde o princípio da criação, Deus os fez homem e mulher. 7 Por isso deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e unir-se-á à sua mulher, 8 e serão os dois uma só carne; assim já não são mais dois, mas uma só carne. 9 Porquanto o que Deus ajuntou, não o separe o homem. 10 Em casa os discípulos interrogaram-no de novo sobre isso. 11 Ao que lhes respondeu: Qualquer que repudiar sua mulher E CASAR com outra comete adultério contra ela; 12 e se ela repudiar seu marido E CASAR com outro, comete adultério.


Realmente, Jeová não autorizaria o homem a cometer o pecado de adultério ao mesmo tempo em que puniria o humano por cometer o pecado de adultério.

Ou será que o adultério havia deixado de ser pecado a partir daquelas palavras de Moisés??


A que conclusão chegamos??

  1. Do ponto de vista do Pai, não existe nenhum motivo válido que possa desfazer o pacto do casamento.

  2. Se houver a decisão de afastamento, nenhum dos dois pactuados poderá formar um outro pacto com uma outra terceira pessoa, pois não houve rompimento do pacto.

  3. Depois de temporariamente afastados, os pactuados podem voltar a ficar juntos.

  4. Do ponto de vista do Pai, independente de qual tenha sido a ofensa, deve haver o perdão.

  5. Do ponto de vista do Pai, se não houver o perdão, configura-se pecado.


Será que Jeová estava abrindo exceções ao perdão??

Tratava-se de uma questão de coração, não se tratava??

Segundo Jesus, foi a dureza do coração do homem que gerou esta anulação de um pacto de casamento, permitindo que aquilo que Deus uniu fosse separado.

Houve a UNIÃO, não houve??

Tornaram-se UM, não se tornaram??

Não estavam autorizados a desfazerem esta UNIÃO.

Somente a morte podia desfazer esta UNIÃO.


E por que se separava definitivamente?? Em face da inexistência do perdão.


Estava configurada uma situação em que o humano estava autorizado a deixar de perdoar?? Sim, estava.


O que mais falou Jesus e relação ao perdão??

Ele afirmou no sermão do monte: (Mateus 6:14-15) 14 Pois, se perdoardes aos homens as suas falhas, também o vosso Pai celestial vos perdoará; 15 ao passo que, se não perdoardes aos homens as suas falhas, tampouco o vosso Pai vos perdoará as vossas falhas.


Assim verte a Tradução Brasileira: (Mateus 6:14-15) 14 Pois se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará; 15 mas se não perdoardes aos homens, tão pouco vosso Pai perdoará as vossas ofensas.


Segundo estas palavras de Jesus, deixar de perdoar é um pecado.



O que se nota em relação a toda “Escritura” ter sido soprada por Deus??


Este é apenas um dos muitos exemplos de mandamentos devidamente registrados nas escrituras, tidos como soprados por Deus, mas que se mostram opostos à vontade de Deus para o homem.


O que temos percebido??

Temos percebido que o humano tem afirmado que o espírito santo é o responsável por diversas palavras e ações que saíram dele, humano.


O ESPÍRITO DA VERDADE.


O que Jesus falou sobre o “espírito da verdade”??


(João 14:15-20) 15 Se me amardes, observareis os meus mandamentos; 16 e eu solicitarei ao Pai e ele vos dará outro ajudador para estar convosco para sempre, 17 o espírito da verdade, que o mundo não pode receber, porque nem o observa nem o conhece. Vós o conheceis, porque permanece convosco e está em vós. 18 Não vos deixarei orfanados. Vou ter convosco. 19 Mais um pouco e o mundo não me observará mais, mas vós me observareis, porque eu vivo e vós vivereis. 20 Naquele dia sabereis que estou em união com o meu Pai, e vós estais em união comigo, e eu estou em união convosco.


Assim verte a Tradução Almeida:

(João 14:15-20) 15 Se me amardes, guardareis os meus mandamentos. 16 E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Ajudador, para que fique convosco para sempre. 17 a saber, o Espírito da verdade, o qual o mundo não pode receber; porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque ele habita convosco, e estará em vós. 18 Não vos deixarei órfãos; voltarei a vós. 19 Ainda um pouco, e o mundo não me verá mais; mas vós me vereis, porque eu vivo, e vós vivereis. 20 Naquele dia conhecereis que estou em meu Pai, e vós em mim, e eu em vós.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(João 14:15-20) 15 Se me amardes, guardareis os meus mandamentos.16 Eu rogarei ao Pai, e ele vos dará um outro Paráclito, a fim de que esteja para sempre convosco. 17 o Espírito da verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; vós o conheceis, porque ele habita convosco e estará em vós. 18 Não vos deixarei órfãos, eu voltarei a vós. 19 Ainda por um pouco e depois o mundo não me verá mais, mas vós me vereis, porque eu vivo, e vós vivereis. 20 Naquele dia vós conhecereis que eu estou em meu Pai e vós em mim e eu em vós.


A primeira coisa que percebemos é que Jesus chama o “espírito da verdade” de ajudador.

Jesus fala de um outro ajudador.

A Tradução Brasileira chama de Paráclito.


Paracleto - Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): pessoa que defende e protege alguém...


paracleto

s.m. (1561) 1 teol o Espírito Santo F inicial maiúsc. 2 pessoa que defende e protege alguém; mentor ¤ etim gr. paráklétos,os,on 'que é chamado em socorro', donde substv. 'advogado, defensor, intercessor', nome dado ao Espírito Santo < v. parakaléó 'chamar para junto de si', pelo lat. paraclétus,i 'o Espírito Santo' ¤ sin/var paraclito, paráclito


Jesus falou com respeito ao relacionamento que mantinha com os doze escolhidos:

(João 17:12) 12 Quando eu estava com eles, costumava vigiar sobre eles por causa do teu próprio nome que me deste; e tenho-os guardado, e nenhum deles está destruído exceto o filho da destruição, para que se cumprisse a escritura.


Assim verte a Tradução Almeida:

(João 17:12) 12 Enquanto eu estava com eles, eu os guardava no teu nome que me deste; e os conservei, e nenhum deles se perdeu, senão o filho da perdição, para que se cumprisse a Escritura.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(João 17:12) 12 Quando eu estava com eles, guardava-os no teu nome que me deste, e protegi-os, e nenhum deles se perdeu a não ser o filho da perdição, para que se cumprisse a Escritura.


Neste caso, confirma-se que Jesus agiu como uma paracleto para os seus doze apóstolos.


Neste caso, Jesus afirmou que enviaria um outro paracleto, ou seja, um outro ajudador.


O mundo não pode receber este “espírito da verdade”, simplesmente porque não o observam e nem o conhecem.



O mundo não pode receber este paracleto que enviarei, simplesmente porque não o observam e nem o conhecem.


Este espírito da verdade era algo que os apóstolos já recebiam e já conheciam??



Está em vós ou estará em vós?? Não falaremos sobre isto agora, no entanto....


Vós o conheceis porque ele habita convosco. Ele habita convosco e vós o conheceis.

Isto deixa bem claro que os doze apóstolos já eram beneficiados com a presença do “espírito da verdade”, ou ainda, o paráclito (paracleto) que os guardava e protegia.


Quem os ajudava, os guardava e os protegia?? Jesus afirmou que era isto o que ele fazia em relação aos doze apóstolos, não foi??



O que ficou bem claro??

Ficou claro que não era o espírito santo que vigiava, guardava, conservava e protegia os apóstolos enquanto Jesus estava ali com eles em vida. Era o próprio Jesus.


Eu os guardava por causa do nome que me deste.

Eu os guardava no nome que me deste.


Quem cuida, vigia e protege é um paráclito.

Não foi este o nome que Jesus recebeu em relação a seus doze apóstolos??

O que as ações de Jesus em relação aos doze apóstolos revelaram??

Revelaram que ele era um paráclito para doze apóstolos.


Não vos deixarei orfanados – afirmou Jesus.


Órfão - Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): ...que perdeu alguém que lhe era muito querido ou que o amparava, o protegia....


órfão

adj. (sXIII) 1 que perdeu o pai e/ou a mãe 2 p.ext. que perdeu alguém que lhe era muito querido ou que o amparava, o protegia 3 p.ext. apic que perdeu a rainha (diz-se de sociedade de abelhas) 4 p.metf. deixado ao abandono; abandonado, desamparado <pobres ó. da vida!> 5 p.metf. carente ou privado de (algo); falto, vazio <criança ó. de amor> <ó. de boas ideias, desistiu de participar do projeto> n s.m. 6 indivíduo órfão <o ó. decidiu morar com os tios> <um ó. do amor> 6.1 jur indivíduo menor de 21 anos que perdeu os pais ou um deles, por motivo de falecimento ¤ gram fem.: órfã; pl.: órfãos ¤ etim lat. orphànus,i 'órfão', este do gr. orphanós,ê,ón 'id.' ¤ sin/var ver antonímia de abundante ¤ ant ver sinonímia de abundante ¤ col orfandade


Não os deixarei desamparados; não os deixarei desprotegidos.


Vou ter convosco; ei voltarei a vós.


Jesus os estava preparando para a sua morte. Jesus estava preocupado em como eles se comportariam com a sua morte. Jesus estava avisando sobre o que faria depois de sua morte. A minha morte não será o fim.


Jesus continua preparando os seus doze apóstolos em relação a sua morte bem próxima: “O mundo não mais me observará, no entanto, você me observarão.”



A preocupação de Jesus era plenamente justificada, pois Jesus sabia o quão frágeis eles eram. Eles não sabiam o que fariam na noite da prisão de Jesus, no entanto, Jesus sabia muito bem.


No dia em que eu voltar a vós, vós sabereis que eu estou em união com o Pai, assim como também sabereis que eu estou em união com vocês.


Que dia seria este??

Certamente seria o dia da ressurreição de Jesus. Neste dia eles teriam certeza de que o Pai estava em união com Jesus, pelo simples fato de verem Jesus vivo outra vez.

Também obteriam a certeza de que Jesus permanecia em união com eles, apesar do que fariam no momento em que Jesus seria preso.


Naquele dia percebereis muitas coisas.



Que mais falou Jesus sobre o “espírito da verdade” que ele enviaria??


(João 15:26-16:1) 26 Quando chegar o ajudador que eu vos enviarei do Pai, o espírito da verdade, que procede do Pai, esse dará testemunho de mim; 27 e vós, igualmente, haveis de dar testemunho, porque estivestes comigo desde que comecei. 16Tenho falado estas coisas para que não tropeceis....


Assim verte a Tradução Almeida:

(João 15:26-16:1) 26 Quando vier o Ajudador, que eu vos enviarei da parte do Pai, o Espírito da verdade, que do Pai procede, esse dará testemunho de mim; 27 e também vós dareis testemunho, porque estais comigo desde o princípio. 1 Tenho-vos dito estas coisas para que não vos escandalizeis.




Assim verte a Tradução Brasileira:

(João 15:26-16:1) 26 Quando, porém, vier o Paráclito, que eu vos enviarei da parte do Pai, o Espírito da verdade, que procede do Pai, esse dará testemunho de mim; 27 e vós também dareis testemunho, porque estais comigo desde o princípio. 1 Eu tenho dito estas coisas, para que não vos escandalizeis.


O paráclito, o ajudador, o espírito da verdade, que do Pai procede, dará testemunho de mim.


Quem enviaria o paráclito??

Jesus o enviaria.


Qual é a fonte deste paráclito??

O enviarei da parte do Pai, pois ele procede do Pai.


De quem o paráclito daria testemunho??

Daria testemunho de Jesus.


Quem mais daria testemunho de Jesus??

Vós também dareis testemunho de mim.


Por que dareis testemunho de mim??

Porque estais comigo desde o princípio. Estais comigo estes três anos e meio e observastes as minhas palavras e as minhas ações. Vós testemunhastes o que falei e o que fiz durante estes três anos e meio.


O “espírito da verdade” tinha o Pai como procedência. O “espírito da verdade” seria enviado por Jesus. O “espírito da verdade” daria testemunho de Jesus. O “espírito da verdade” confirmaria que Jesus e o Pai estavam em plena UNIÃO. Os apóstolos continuariam testemunhando estas coisas.

Certamente se lembrariam das palavras faladas por Jesus e das ações praticadas por Jesus ao resolver problemas no dia a dia.


Certamente, o espírito da verdade não falaria nada que contrariasse as palavras faladas por Jesus ou as ações praticadas por Jesus.


Por que tenho lhes dito estas coisas??

Para que não tropeceis; para que não vos escandalizeis.


Jesus revelava sua intensa preocupação com os doze apóstolos.

Demonstrando de forma prática como age um paráclito, Jesus estava avisando-os sobre coisas futuras. Quando estas coisas acontecerem, lembrem-se que eu já tinha lhe avisado.


Muitas das coisas faladas por Jesus eram totalmente desconhecidas pelos seus apóstolos.

Jesus era sabedor disso.


Que mais falou Jesus sobre o “espírito da verdade”??

(João 16:12-16) 12 Ainda tenho muitas coisas para vos dizer, mas não sois atualmente capazes de suportá-las. 13 No entanto, quando esse chegar, o espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade, pois não falará de seu próprio impulso, mas falará as coisas que ouvir e vos declarará as coisas vindouras. 14 Esse me glorificará, porque receberá do que é meu e vo[-lo] declarará. 15 Todas as coisas que meu Pai tem são minhas. É por isso que eu disse que recebe do que é meu e [o] declara a vós. 16 Dentro em pouco não me observareis mais, e, novamente, dentro em pouco me vereis.”


Assim verte a Tradução Almeida:

(João 16:12-16) 12 Ainda tenho muito que vos dizer; mas vós não o podeis suportar agora. 13 Quando vier, porém, aquele, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá o que tiver ouvido, e vos anunciará as coisas vindouras. 14 Ele me glorificará, porque receberá do que é meu, e vo-lo anunciará. 15 Tudo quanto o Pai tem é meu; por isso eu vos disse que ele, recebendo do que é meu, vo-lo anunciará. 16 Um pouco, e já não me vereis; e outra vez um pouco, e ver-me-eis.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(João 16:12-16) 12 Tenho ainda muito que vos dizer, mas não o podeis suportar agora; 13 quando vier, porém, aquele Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá o que tiver ouvido, e vos anunciará as coisas que estão para vir. 14 Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar. 15 Tudo o que o Pai tem, é meu; por isso eu vos disse que ele receberá do que é meu e vo-lo anunciará. 16 Um pouco e já não me vereis, e outra vez um pouco e ver-me-eis.


Existem muitas coisas que vocês ainda não sabem e que ainda não sois capazes de compreender.



O espírito da verdade guiará vocês a toda verdade.



O espírito da verdade será usado por mim para continuar vos informando sobre toda a verdade.



Ficou bem claro que haveria continuidade nas informações necessárias para que os apóstolos fossem compreendendo as informações anteriores, bem como as novas informações. No entanto, não haveria contradições entre as novas informações e as informações dadas diretamente por Jesus a eles durante aqueles três anos e meio. O “espírito da verdade” receberá do que é meu e o declarará a vocês. A fonte das informações permaneceria a mesma, isto é, Jesus continuaria lhes repetindo as palavras do Pai.


As informações iriam se complementar, pois a fonte continuaria sendo o Pai.



Agora, Jesus lhes dá uma nova informação, não tão nova assim.



Que reação tiveram os distraídos apóstolos a esta afirmação de Jesus??

(João 16:17-18) 17 Portanto, alguns dos seus discípulos disseram um ao outro: “Que significa isto que ele nos diz: ‘Dentro em pouco não me observareis, e novamente, dentro em pouco me vereis’, e, ‘porque eu vou para o Pai’?” 18 Por isso diziam: “Que significa isto que ele diz: ‘dentro em pouco’? Não sabemos de que está falando.”


Assim verte a Tradução Almeida:

(João16:17-18) 17 Então alguns dos seus discípulos perguntaram uns para os outros: Que é isto que nos diz? Um pouco, e não me vereis; e outra vez um pouco, e ver-me-eis; e: Porquanto vou para o Pai? 18 Diziam pois: Que quer dizer isto: Um pouco? Não compreendemos o que ele está dizendo.



Assim verte a Tradução Brasileira:

(João 16:17-18) 17 Então alguns de seus discípulos perguntaram entre si: Que vem a ser isto que ele nos diz: Um pouco e já não me vereis, e outra vez um pouco e ver-me-eis; e: Por que eu vou para o Pai? 18 Diziam, pois: Que vem a ser esse "um pouco"? Não compreendemos o que está ele dizendo.


Uma reação natural de quem não sabia do que Jesus estava falando. Jesus sabia o que estava bem próximo, no entanto, os apóstolos tinham outras ideias, outros planos.

Não estavam discutindo sobre quem era o maior entre eles?? Sim, estavam. Sua disputa tinha a ver com posição de destaque dentro do reino. Eles estavam preocupados com a glória do reino. Eles realmente não sabiam do que Jesus estava falando.


No entanto, como um bom paráclito que era, Jesus continuou a lhes informar sobre o que eles passariam imediatamente à frente:

(João 16:19-20) 19 Jesus sabia que queriam interrogá-lo, de modo que lhes disse: “Estais indagando entre vós mesmos sobre isso, porque eu disse: Dentro em pouco não me observareis, e novamente, dentro em pouco me vereis? 20 Digo-vos em toda a verdade: Chorareis e lamentareis, mas o mundo se alegrará; vós sereis contristados, mas o vosso pesar será transformado em alegria.


Assim verte a Tradução Almeida:

(João 16:19-20) 19 Percebeu Jesus que o queriam interrogar, e disse-lhes: Indagais entre vós acerca disto que disse: Um pouco, e não me vereis; e outra vez um pouco, e ver-me-eis? 20 Em verdade, em verdade, vos digo que vós chorareis e vos lamentareis, mas o mundo se alegrará; vós estareis tristes, porém a vossa tristeza se converterá em alegria.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(João 16:19-20) 19 Jesus, percebendo que desejavam interrogá-lo, perguntou-lhes: Indagais entre vós sobre o que vos disse: Um pouco e já não me vereis, e outra vez um pouco e ver-me-eis? 20 Em verdade, em verdade vos digo que vós haveis de chorar e lamentar, mas o mundo há de regozijar-se; vós vos entristecereis, mas a vossa tristeza se tornará em gozo.


Eram informações reais se aplicavam especificamente àqueles doze homens escolhidos por Jesus para serem testemunhas de suas palavras e de suas ações, além de partícipes de tribulações.



Estes homens choraram e lamentaram??

Sim. Choraram e lamentaram por seus erros confirmados, apesar do aviso de Jesus e a negativa veemente deles. Também choraram e lamentaram a morte de Jesus.


Exatamente como Jesus lhes avisou, a tristeza se converteu em alegria quando o viram ressuscitado, embora não o esperassem com certeza.


Não revelavam necessitar de um “paracleto”?? O que é mesmo um paracleto?? Pessoa que defende ou protege alguém, mentor.


Será que mudariam em um passe de mágica logo depois da ressurreição de Jesus?? Passariam a compreender imediatamente as palavras faladas por Jesus?? Jesus sabia que isto não aconteceria, logo, eles continuariam necessitando de um paracleto para os levar a toda verdade, defendendo, protegendo e ajudando, como um bom mentor faz.


Sete espíritos de Deus.


Ué, sete espíritos???

O Pai tem mais de um espírito santo???

Jesus também tem sete espíritos???

Jesus tem os sete espíritos de Deus???


(Revelação 3:1) 3E ao anjo da congregação em Sardes escreve: Estas coisas diz aquele que tem os sete espíritos de Deus e as sete estrelas: ‘Conheço as tuas ações, de que tens a fama de estar vivo, mas estás morto.


Assim verte a Tradução Almeida:

(Apocalipse 03:1) 1 Ao anjo da igreja em Sardes escreve: Isto diz aquele que tem os sete espíritos de Deus, e as estrelas: Conheço as tuas obras; tens nome de que vives, e estás morto.


Realmente, existem os sete espíritos de Deus...


(Revelação 4:5) 5 E do trono procedem relâmpagos, e vozes, e trovões; e [há] sete lâmpadas de fogo acesas diante do trono, e estas significam os sete espíritos de Deus.


Assim verte a Tradução Almeida:

(Apocalipse 4:5) 5 E do trono saíam relâmpagos, e vozes, e trovões; e diante do trono ardiam sete lâmpadas de fogo, as quais são os sete espíritos de Deus;


Os sete espíritos são enviados à terra inteira.


(Revelação 5:6) 6 E eu vi no meio do trono e das quatro criaturas viventes, e no meio dos anciãos, um cordeiro em pé, como se tivesse sido morto, tendo sete chifres e sete olhos, [olhos] que significam os sete espíritos de Deus, os quais têm sido enviados à terra inteira.


Assim verte a Tradução Almeida:

(Apocalipse 5:6) 6 Nisto vi, entre o trono e os quatro seres viventes, no meio dos anciãos, um Cordeiro em pé, como havendo sido morto, e tinha sete chifres e sete olhos, que são os sete espíritos de Deus, enviados por toda a terra.



Bem, e agora??

O espírito santo, na verdade são sete espíritos???

São sete pessoas distintas, pessoas com vontade própria, com sentimentos próprios e com decisões próprias??

Jesus também tem os mesmos sete espíritos de Deus......

Quantos destes sete espíritos de Deus são rebeldes???

Será que algum destes sete espíritos poderia ser rebelde e passar informações erradas para os humanos??

Será que eram estes aqueles espíritos que se apossavam dos humanos para poder matar humanos??


Uma coisa é certa. Deus tem sete espíritos.

Agora sim, as coisas ficaram melhores.......



ppppppppppppp

Topo desta página

l

TTTTTTTTTTTTTT