QUANDO SE DEVE USAR DE MISERICÓRDIA?

Criada em 11/01/2009 Modificada em 24/05/10





SEJA MISERICORDIOSO, SEMPRE.


DEVE-SE TER MISERICÓRDIA PARA COM OS QUE ESTÃO SENDO PUNIDOS POR JEOVÁ?


MISERICÓRDIA é um SENTIMENTO cujo resultado prático se revela na maneira em que tratamos qualquer ser vivo ou morto que tenha se tornado um ofensor, independente do grau da ofensa praticada por este. A Misericórdia é o sentimento que está sempre produzindo seus frutos, mesmo para aqueles que ainda não tenham alcançado a condição de "ofensor".

É imprescindível ter SENSIBILIDADE para usar "Misericórdia" e de muito mais SENSIBILIDADE para SER "Misericordioso". Quanto maior for a sensibilidade da pessoa, maior quantidade de misericórdia ela usará no seu relacionamento com outros seres vivos ou mortos. Misericordioso é aquele que se tornou uma FONTE, uma nascente de Misericórdia.


MISERICÓRDIA É IGUAL A> clemência, comiseração, compaixão, dó, indulgência, pena ou piedade mesmo para com aqueles que se encontram sendo punidos.

A Misericórdia é a parte dominante da personalidade de Jeová. Ele mesmo chamou a atenção disso, quando descreveu sua personalidade para Moisés. Ao descrever sua personalidade, Jeová colocou a misericórdia como a Sua primeira qualidade. Certamente, a mais destacada. Assim falou Jeová: (Êxodo 34:5-7) 5 E Jeová passou a descer na nuvem e a pôr-se ali junto dele, e passou a declarar o nome de Jeová. 6 E Jeová ia passando diante da sua face e declarando: “Jeová, Jeová, Deus MISERICORDIOSO e clemente, vagaroso em irar-se e abundante em benevolência e em verdade, 7 preservando a benevolência para com milhares, perdoando o erro, e a transgressão, e o pecado, mas de modo algum isentará da punição, trazendo punição pelo erro dos pais sobre os filhos e sobre os netos, sobre a terceira geração e sobre a quarta geração.”
Assim, podemos perceber que Jeová é uma pessoa extremamente sensível; a pessoa mais sensível do universo. Jeová não usa a misericórdia, antes, Ele é Misericordioso.

Ao analisarmos o relacionamento de Jeová com seus filhos humanos, a qualidade predominantemente observada é a Misericórdia, e não podia ser diferente. Os frutos da Misericórdia fluem de forma natural da personalidade de Jeová e se revelam claramente neste relacionamento. Ele não se esforça para usar Misericórdia; Ele é Misericórdia em pessoa. Logo após descrever-se como Misericordioso, Jeová passou a mostrar os frutos da Sua Misericórdia. Perdoar o erro, a transgressão e o pecado é um dos frutos da Sua Misericórdia. Jeová não se esforça para perdoar.

Misericordioso é aquele que não perde uma única oportunidade para usar de misericórdia. Jeová não perde uma única oportunidade para usar de misericórdia. Jesus revelou ser a imagem e semelhança do Pai. Tal Pai, tal Filho.

Revelando o alto grau de sensibilidade de Jeová, assim falou Jesus: (Mateus 10:29) 29 Não se vendem dois pardais por uma moeda de pequeno valor? Contudo, nem mesmo um deles cairá ao chão sem o [conhecimento de] vosso Pai.
No entanto, os humanos têm descrito a Jeová de outra forma. Passemos a observar Jeová usando Misericórdia todo o tempo em todas as suas ações. Perceberemos que no lugar de Jeová usar de Misericórdia, Ele é uma Fonte de Misericórdia; uma Nascente de Misericórdia. Assim, veremos que em todos os atos de Jeová existe Misericórdia na forma passiva e na forma ativa.

Aquele povo que foi escolhido por Deus, aquele que Deus fez conhecer os Dez Mandamentos através de Moisés, aquele povo que se fantasiava como adoradores do Deus de nome Jeová (JHVH), não alcançaram o objetivo de Deus para eles. Não conseguiram adorar a Deus do jeito que Deus queria. Assim falou Jeová através de um mensageiro: (Isaías 48:1-2) 48 Ouvi isto, ó casa de Jacó, vós os que vos chamais pelo nome de Israel e que procedestes das próprias águas de Judá, vós os que jurais pelo nome de Jeová e que fazeis menção até mesmo do Deus de Israel, não em verdade e não em justiça.Pois chamaram-se como sendo da cidade santa e firmaram-se no Deus de Israel, cujo nome é Jeová dos exércitos.
Do ponto de vista de Jeová, os do povo escolhido eram adoradores de Jeová, sim eram, mas, não em verdade, não em justiça. Fantasiavam-se de adoradores de Jeová, se sentiam adoradores de Jeová, mas, não era de verdade. Eles se viam como sendo um povo santo, se chamavam de nação santa, no entanto, Jeová afirmava que tal coisa não era verdade.
 

Na verdade, aquele povo que adorava a Jeová, que tinha a JHVH como sendo seu Deus era O mais iníquo dos povos” - este era o do ponto de vista de Jeová – assim falou Jeová: (Ezequiel 5:5-9) 5 “Assim disse o Soberano Senhor Jeová: ‘Esta é Jerusalém. Coloquei-a no meio das nações, com terras ao seu redor. 6 E ela passou a comportar-se rebeldemente contra as minhas decisões judiciais, EM INIQÜIDADE MAIOR DO QUE AS NAÇÕES, e contra os meus estatutos, MAIS DO QUE as terras ao seu redor, pois rejeitaram as minhas decisões judiciais, e quanto aos meus estatutos, não andaram neles.’ 7 “Portanto, assim disse o Soberano Senhor Jeová: ‘Visto que fostes MAIS TUMULTUOSOS DO QUE AS NAÇÕES ao vosso redor, não andastes nos meus estatutos e não executastes as minhas decisões judiciaismas, porventura não agistes segundo as decisões judiciais das nações ao vosso redor? — 8 portanto, assim disse o Soberano Senhor Jeová: “Eis que sou contra ti, [ó cidade,] sim, eu, e vou executar no teu meio decisões judiciais aos olhos das nações. 9 E vou fazer em ti o que não fiz e como não mais farei, por causa de todas as tuas coisas detestáveis. . .

Jerusalém, a cidade, era formada de pessoas, pessoas estas que davam o verdadeiro perfil da cidade. As diversas personalidades das pessoas moldavam o perfil da cidade. Ainda hoje, o perfil das pessoas que residem em uma cidade continuam formando o perfil desta cidade. Jerusalém devia ser conhecida como a "Cidade Santa". No entanto, o verdadeiro perfil da cidade não era este. As leis dadas por JHVH, quando fielmente obedecidas, dariam à cidade o perfil de Cidade Santa.

No lugar de ser "nação santa", o povo adorador de JHVH era o pior, o mais iníquo dos povos, o mais tumultuoso dos povos. Foram as ações do povo adorador de Jeová, vistas pelo próprio Jeová, que colocaram o povo adorador de Jeová como o povo mais iníquo dos povos. Vestiam uma suntuosa capa de adoradores de Jeová, no entanto, comportavam-se e foram destacados como o povo mais iníquo entre os demais povos. Foi o próprio Jeová o autor desta afirmação.

Se esta afirmação partisse de algum humano, poderia haver contestação.



Na visão de JHVH, entre seus adoradores Não havia nenhum homem leal, não havia nenhum homem reto, o melhor deles é como a sarça e o mais reto deles é pior que uma sebe de espinhos. (Miquéias 7:1-4) 7 Ai de mim, porque me tornei como o recolhimento de frutas de verão, como a rebusca da vindima! Não há cacho de uvas para comer, nem figo temporão que a minha alma almeje! 2 Pereceu da terra aquele que é leal e não há nenhum reto entre a humanidade. Todos eles estão de tocaia para derramar sangue. Caçam, cada um o seu próprio irmão, com uma rede de arrasto. 3 [Suas] mãos estão sobre o que é mau, para [o] fazer bem; o príncipe pede [algo] e aquele que julga [o faz] pela recompensa, e o grande profere a avidez da sua alma, da sua própria; e eles urdem a trama. 4 O melhor deles é como a sarça, o mais reto [deles] é pior do que uma sebe de espinhos. Tem de chegar o dia dos teus vigias, [de] se fixar a atenção em ti. Agora ocorrerá a sua consternação.

Jeová é o autor de tal afirmação a respeito do povo que lhe adorava, o povo que vestia uma suntuosa fantasia de adoradores de Jeová. Jeová não mente.

Ser “reto” é ser alinhado, correto, digno, honesto, honrado, incorruptível, probo e virtuoso. Ser “Leal” é ser sincero e constante, isto é, sem haver interrupções. Não havia nenhum reto e nenhum leal entre o povo ensinado de Jeová.

 


Apesar destas fortes palavras de Jeová contra seu povo amado, pura verdade, o povo amado não se via assim, ainda se viam como leais, como servos leais. Assim falava o povo no momento da punição: (Salmos 79:0-13) Uma melodia de Asafe. 79 Ó Deus, as nações entraram na tua herança; Aviltaram teu santo templo; Fizeram de Jerusalém um montão de ruínas.  2 Os cadáveres dos TEUS SERVOS eles deram por alimento às aves dos céus, A carne DOS QUE TE ERAM LEAIS, às feras da terra.  3 Derramaram seu sangue como água Ao redor de Jerusalém, e não há quem faça o enterro.  4 Tornamo-nos um vitupério aos nossos vizinhos, Caçoada e troça para os que estão ao nosso redor.  5 Até quando ficarás irado, ó Jeová? Para sempre? Até quando arderá o teu fervor como fogo?  6 Derrama teu furor sobre as nações que não te conheceram E sobre os reinos que não invocaram teu próprio nome.  7 Pois consumiram a Jacó E causaram a desolação do próprio lugar de permanência dele.  8 Não te lembres contra nós dos erros dos antecessores. Apressa-te! Confrontem-nos as tuas misericórdias, Pois empobrecemos muitíssimo.  9 Ajuda-nos, ó Deus de nossa salvação, Por causa da glória do teu nome; E livra-nos e cobre os nossos pecados por causa do teu nome. 10 Por que deviam as nações dizer: “Onde está o Deus deles?” Saiba-se entre as nações, diante de nossos olhos, A vingança do sangue dos teus servos que se derramou. 11 Chegue diante de ti mesmo o suspiro do prisioneiro. Segundo a grandeza do teu braço, preserva os destinados à morte. 12 E paga de volta aos nossos vizinhos, sete vezes ao seu seio, Seu vitupério com que te vituperaram, ó Jeová. 13 Quanto a nós, teu povo e o rebanho do teu pasto, Agradeceremos a ti por tempo indefinido; Declararemos o teu louvor de geração em geração.

Nós somos teu povo, o teu rebanho, somos as ovelhas, somos os que invocamos o teu nome, estamos sendo punidos pelos erros de nossos antepassados. Os leais estão sendo mortos pelas nações e suas carnes dadas às feras da terra. No entanto, Jeová cumpria profecias naquela geração iníqua – Vejamos algumas das profecias saídas da boca de Jeová.

O povo que se considerava santo afirmava: Não pequei, não pequei. Jeová lhes responde: (Jeremias 2:35-37) 35 “MAS TU DIZES: Permaneci inocente. Decerto, a sua ira recuou de mim.’ “Eis que entro numa controvérsia contigo POR DIZERES: NÃO PEQUEI.’ 36 Por que tratas como muito insignificante a mudança do teu caminho? Também do Egito te envergonharás, assim como te envergonhaste da Assíria. 37 Também por esta causa sairás com as tuas mãos sobre a cabeça, porque Jeová rejeitou os objetos da tua confiança e não terás êxito com eles.”
Como podeis dizer: Não me aviltei?? Nota o que fizeste; Nota o que fizeste; Olha teu caminho; Olha teu caminho; Vê o que fizeste". Estas foram as palavras faladas por Jeová: (Jeremias 2:22-24) 22 “‘Porém, mesmo que fizesses a lavagem com álcali e tomasses para ti grandes quantidades de barrela, teu erro certamente seria uma mancha diante de mim’, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová. 23 COMO PODES DIZER: ‘NÃO ME AVILTEI. Não andei atrás dos Baalins’? VÊ O TEU CAMINHO NO VALE. Nota o que fizeste. Uma veloz fêmea nova de camelo correndo a esmo para lá e para cá nos seus caminhos; 24 uma zebra acostumada ao ermo, no almejo da sua alma, fungando o vento; no seu tempo de cio, quem a pode fazer voltar atrás? Todos os que a procurarem não se cansarão. Achá-la-ão no seu mês.



> Profecia cumprida naquela geração que ainda se achava leal - (Jeremias 7:32-34) 32 “‘Portanto, eis que vêm dias’, é a pronunciação de Jeová, ‘em que não mais se dirá [que é] Tofete e o vale do filho de Hinom, mas o vale da matança; e terá de se fazer o sepultamento em Tofete sem haver bastante lugar. 33 E os cadáveres deste povo terão de tornar-se comida para as criaturas voadoras dos céus e para os animais da terra, sem que alguém [os] faça tremer. 34 E eu vou fazer cessar nas cidades de Judá e nas ruas de Jerusalém a voz de exultação e a voz de alegria, a voz do noivo e a voz da noiva; porque a terra se tornará nada mais que um lugar devastado.’”

> Profecia cumprida naquela geração que ainda se achava leal - (Jeremias 34:18-21) 18 E eu vou entregar os homens que infringem meu pacto, visto que não cumpriram as palavras do pacto que concluíram perante mim [com] o bezerro que cortaram em dois para passarem entre os seus pedaços; 19 [a saber,] os príncipes de Judá e os príncipes de Jerusalém, os oficiais da corte, e os sacerdotes, e todo o povo da terra, que passaram entre os pedaços do bezerro — 20 sim, vou entregá-los na mão dos seus inimigos e na mão dos que procuram a sua alma; e seus cadáveres terão de tornar-se alimento para as criaturas voadoras dos céus e para os animais da terra. 21 E Zedequias, rei de Judá, e seus príncipes entregarei na mão dos seus inimigos, e na mão dos que procuram a sua alma, e na mão das forças militares do rei de Babilônia, que se estão retirando de [ir] contra vós.’

> Profecia cumprida naquela geração que ainda se achava leal - (Jeremias 14:15-16) 15 Portanto, assim disse Jeová a respeito dos profetas que profetizam em meu nome e que eu mesmo não enviei, e que estão dizendo que não virá a haver nem espada nem fome nesta terra: ‘Pela espada e pela fome chegarão ao seu fim estes profetas. 16 E o próprio povo a quem eles profetizam tornar-se-á gente lançada nas ruas de Jerusalém, por causa da fome e da espada, sem haver quem os enterreeles, suas esposas e seus filhos, e suas filhas. E eu vou derramar sobre eles a sua calamidade.’

> Profecia cumprida naquela geração que ainda se achava leal - (Jeremias 16:3-13) 3 Pois assim disse Jeová referente aos filhos e referente às filhas que nascem neste lugar, e referente às suas mães que os dão à luz e referente aos seus pais que causam seu nascimento nesta terra: 4 ‘De mortes por enfermidades morrerão. Não serão lamentados, nem serão enterrados. Tornar-se-ão como estrume sobre a superfície do solo; e chegarão ao fim pela espada e pela fome, e seus cadáveres servirão realmente de alimento para as criaturas voadoras dos céus e para os animais da terra.’ 5 “Pois assim disse Jeová: ‘Não entres na casa dum banquete de luto, e não vás para lamentar e não te compadeças deles.’ “‘Porque tirei deste povo a minha paz’, é a pronunciação de Jeová, ‘sim, a benevolência e as misericórdias. 6 E eles certamente morrerão, os grandes e os pequenos, nesta terra. Não serão enterrados, nem as pessoas se baterão no peito por causa deles, nem fará alguém cortes em si mesmo, nem se fará calvo por causa deles. 7 E não partilharão entre eles nenhum pão por causa do luto, para consolar alguém pelo morto; nem lhes darão o copo de consolação para beber por causa do pai de alguém e por causa da mãe de alguém. 8 E não deves entrar em nenhuma casa de banquete para te assentar com eles para comer e beber.’ 9 “Pois assim disse Jeová dos exércitos, o Deus de Israel: ‘Eis que neste lugar, perante os vossos olhos e nos vossos dias, faço cessar a voz de exultação e a voz de alegria, a voz do noivo e a voz da noiva.’ 10 “E terá de acontecer que, quando contares a este povo todas estas palavras e eles realmente te disserem: ‘Por que razão proferiu Jeová contra nós toda esta grande calamidade, e qual é nosso erro e qual é nosso pecado com que pecamos contra Jeová, nosso Deus?’, 11 então terás de dizer-lhes: ‘“Pelo fato de que os vossos pais me abandonaram”, é a pronunciação de Jeová, “e seguiram andando atrás de outros deuses, e continuaram a servi-los e a curvar-se diante deles. Mas a mim me deixaram, e a minha lei não guardaram. 12 E vós mesmos agistes pior do que vossos pais, naquilo que fizestes, e eis que estais andando, cada um, atrás da obstinação de seu mau coração, não me obedecendo. 13 E eu vou arremessar-vos para fora desta terra, para uma terra que não conhecestes, nem vós, nem vossos pais, e lá tereis de servir a outros deuses, dia e noite, porque não vos concederei nenhum favor.”’

Jeová falou: "Vós mesmos agistes pior do que vossos antepassados", no entanto, os adoradores de Jeová falavam: “Jeová não te lembres contra nós dos erros dos nossos antepassados”. Não nos puna por causa do erro dos nossos antepassados.


> Profecia cumprida naquela geração que se achava leal - (Jeremias 52:12-14) 12 E no quinto mês, no décimo dia do mês, isto é, [no] décimo nono ano do Rei Nabucodorosor, rei de Babilônia, Nebuzaradã, chefe da guarda pessoal, que estava de pé perante o rei de Babilônia, entrou em Jerusalém. 13 E ele passou a queimar a casa de Jeová e a casa do rei, bem como todas as casas de Jerusalém; e a toda casa grande ele queimou com fogo. 14 E todas as forças militares dos caldeus que estavam com o chefe da guarda pessoal demoliram todas as muralhas de Jerusalém, em todo o redor.

> Eles se estribavam em Jeová e diziam: Não somos os adoradores de Jeová e não está Jeová no nosso meio? Mas, Jeová lhes disse: (Miquéias 3:9-12) 9 Por favor, ouvi isto, vós cabeças da casa de Jacó e vós comandantes da casa de Israel, os que detestais a justiça e que perverteis mesmo tudo o que é direito; 10 construindo Sião com atos de derramamento de sangue e Jerusalém com injustiça. 11 Seus próprios cabeças julgam apenas por suborno e seus próprios sacerdotes instruem somente por um preço, e seus próprios profetas praticam a adivinhação meramente por dinheiro; contudo, estribam-se em Jeová, dizendo: “Não está Jeová no nosso meio? Não virá sobre nós nenhuma calamidade.” 12 Portanto, por vossa causa Sião será arada como mero campo e a própria Jerusalém se tornará meros montões de ruínas, e o monte da casa será como os altos duma floresta.

> Profecia cumprida naquela geração que se achava leal - (Ezequiel 36:3-4) 3 Por isso profetiza, e tens de dizer: ‘Assim disse o Soberano Senhor Jeová: “Pela razão, sim, pela razão de que houve desolação e fostes abocanhados de todos os lados, para que vos tornásseis possessão dos remanescentes das nações, e de que se continua a falar de vós com a língua e há um relato mau entre o povo, 4 por isso, ó montes de Israel, ouvi a palavra do Soberano Senhor Jeová! Assim disse o Soberano Senhor Jeová aos montes e aos morros, aos regos e aos vales, e aos lugares devastados que foram desolados, e às cidades abandonadas que vieram a ficar para saque e para caçoada para os remanescentes das nações ao redor;




Uma lição que estava sendo aplicada por Jeová para todos os envolvidos. Embora neste momento, estes homens estivessem em uma situação diferente da situação de Judá, Jeová esperava destes homens determinadas reações de seus corações humanos.

Embora Jeová estivesse punindo seu povo rebelde, o mais iníquo dentre os povos, assim falou Jeová sobre o sentimento que Ele esperava daqueles que estavam sendo usados por Ele para punir Judá, ou seja, dos babilônios: (Isaías 47:1-7) 47 Desce e senta-te no pó, ó virgem filha de Babilônia. Senta-te no chão, onde não há trono, ó filha dos caldeus. Pois não mais terás a experiência de pessoas te chamarem de delicada e mimosa. 2 Toma um moinho manual e moe farinha. Descobre teu véu. Despe tua ampla saia. Descobre tua perna. Cruza os rios. 3 Devias expor a tua nudez. Também se devia ver o teu vitupério. Vingança é o que tomarei e não me encontrarei com nenhum homem [benignamente]. 4 “Há Um que nos resgata. Jeová dos exércitos é seu nome, o Santo de Israel.” 5 Senta-te silenciosa e entra na escuridão, ó filha dos caldeus; pois não mais terás a experiência de pessoas te chamarem de Senhora de Reinos. 6 Fiquei indignado com o meu povo. Profanei a minha herança e passei a entregá-los na tua mão. TU NÃO LHES MOSTRASTES MISERICÓRDIAS. Fizeste muito pesado o teu jugo sobre o homem idoso. 7 E continuavas a dizer: “Mostrarei ser Senhora por tempo indefinido, para sempre.” Não fixaste estas coisas no coração; não te lembraste do final do assunto.

Esperava Jeová um tratamento misericordioso para o iníquo povo que o adorava, o mais iníquo dos povos, no momento de punição? Sim, Jeová esperava.

 

NESTE MOMENTO DE PUNIÇÃO PARA JUDÁ, JEOVÁ PASSA A REVELAR QUE SENTIMENTO ELE ESPERAVA QUE FOSSE DEMONSTRADO POR OUTRO POVO QUE VIVIA EM GUERRA COM OS ISRAELITAS.

(Obadias 10-15) 10 Por causa da violência [feita] ao teu irmão Jacó cobrir-te-á a vergonha e terás de ser decepado por tempo indefinido. 11 No dia em que ficaste parado de lado, no dia em que estranhos levaram ao cativeiro a sua força militar e [quando] até estrangeiros entraram pelo seu portão e lançaram sortes sobre Jerusalém, tu também eras como um deles. 12 “E não devias ter contemplado o espetáculo no dia de teu irmão, no dia do seu infortúnio; e não te devias ter alegrado sobre os filhos de Judá no dia de seu perecimento; e não devias ter uma boca grande no dia da [sua] aflição. 13 Não devias ter entrado pelo portão do meu povo no dia do seu desastre. Tu, sim, tu não devias ter espreitado a sua calamidade no dia do seu desastre; e não devias ter estendido a mão sobre a sua riqueza no dia do seu desastre. 14 E não devias ter ficado de pé na bifurcação dos caminhos para decepar-lhe os fugitivos; e não devias ter entregue os seus sobreviventes no dia da aflição. 15 Pois está próximo o dia de Jeová contra todas as nações. Assim como fizeste, será feito a ti. Tua espécie de tratamento retornará sobre a tua própria cabeça.

JHVH esperava um tratamento misericordioso para o iníquo povo que o adorava e que estava sendo punido por Ele? Sim, Jeová esperava.


Ratifica Jeová sua forma de ver as coisas, pois ele revela o que Ele esperava de Edom (Esaú) em relação a seu irmão Jacó (a tribo de Judá). Assim falou Jeová: (Amós 1:11-12) 11 "Assim disse Jeová: ‘Por causa de três revoltas de Edom e por causa de quatro não o farei voltar atrás, por ele perseguir seu próprio irmão com a espada, e [por] ele ter arruinado as suas [próprias] qualidades misericordiosas, e sua ira estar dilacerando para todo o sempre; e sua fúria — ele a mantém perpetuamente. 12 E vou enviar fogo dentro de Temã e terá de devorar as torres de habitação de Bozra.’

Vou punir Edom (Esaú) por este não ter usado de misericórdia para com seu irmão Jacó, no momento da punição de Jacó. Não era o próprio Jeová quem estava punindo Jacó?? Sim, era. No entanto, o próprio Jeová ao mesmo tempo, também observava a reação dos seus outros filhos, mostrando-lhes que suas reações quanto a punição de Judá não era a esperada por Ele, não era a correta do ponto de vista Dele.


QUE SENTIMENTO TINHA JHVH PELOS INÍQUOS QUE ESTAVAM SENDO PUNIDOS POR ELE?

> SENTIMENTO para com seu próprio povo - (Jeremias 31:28) 28 “E terá de acontecer que assim como fiquei alerta para com eles para desarraigar, e para demolir, e para derrubar, e para destruir, e para danificar, assim ficarei alerta para com eles para edificar e para plantar”, é a pronunciação de Jeová. . .

> SENTIMENTO para com Moabe - (Isaías 16:6-11) 6 Ouvimos [falar] do orgulho de Moabe, que ele é muito orgulhoso; sua altivez, e seu orgulho, e sua fúria — seu palavreado oco não será assim. 7 Por isso, Moabe uivará por Moabe; sim, todo ele uivará. Pois, os golpeados deveras carpirão os bolos de passas de Quir-Haresete, 8 porque murcharam os próprios socalcos de Hésbon. A videira de Sibma — os próprios donos das nações abateram seus [sarmentos] encarnados. Estenderam-se até Jázer; andaram vagueando pelo ermo. Seus próprios rebentos tinham sido deixados para vegetar sozinhos; tinham passado para o mar. 9 Por isso é que chorarei com o choro de Jázer pela vide de Sibma. Com as minhas lágrimas te encharcarei, ó Hésbon, e Eleale, porque decaiu até mesmo a exclamação por teu verão e por tua colheita. 10 E tiraram-se do pomar a alegria e o júbilo; e nos vinhedos não há gritos de júbilo, não se brada. O pisador não pisa nenhum vinho no lagar. Eu fiz cessar a exclamação. 11 Por isso é que as minhas próprias entranhas estão turbulentas qual harpa mesmo por Moabe, e o meu íntimo, por Quir-Haresete.

Estes fortes sentimentos de Jeová por Moabe, certamente soaram de forma estranha para os israelitas, para os adoradores de Jeová, para aqueles que usavam uma suntuosa capa de “adoradores de Jeová”. Continuam soando de forma estranha para os cristãos.


> SENTIMENTO para com Efraim (reino das dez tribos de Israel com capital em Samaria) - (Jeremias 31:20) 20 “É Efraim para mim um filho precioso ou um menino tratado com mimo? Pois, ao ponto de eu falar contra ele, sem falta me lembrarei dele ainda mais. Por isso é que as minhas entranhas ficaram turbulentas por ele. Decididamente terei piedade dele”, é a pronunciação de Jeová.

Efraim é um filho precioso e sem falta me lembrarei dele ainda mais do que fui ao ponto de falar contra. Minhas entranhas ficaram turbulentas por Efraim porque ele é um filho precioso para Mim. Decididamente terei piedade dele. Quando Jeová proferiu estas palavras, Ele já havia punido Efraim, seu filho precioso. Era o mesmo Efraim para o qual o Criador havia falado as seguintes palavras: (Oséias 8:11-14) 11 Pois Efraim tem multiplicado os altares a fim de pecar. Veio a ter altares a fim de pecar. 12 Passei a escrever-lhe muitas coisas da minha lei; foram consideradas como algo estranho. 13 Como oferendas para mim continuaram a sacrificar carne e prosseguiram comendo aquilo em que o próprio Jeová não teve prazer. Agora se lembrará do erro deles e ajustará contas pelos seus pecados. Eles mesmos passaram a voltar ao Egito. 14 E Israel começou a esquecer-se Daquele que o fez e a construir templos; e Judá, da sua parte, multiplicou as cidades fortificadas. E eu hei de enviar fogo dentro das suas cidades e terá de devorar as torres de habitação de [cada] uma.”

 

> SENTIMENTO para com Moabe - (Jeremias 48:29-39) 29 “Ouvimos [falar] do orgulho de Moabe — ele é muito altivo — de sua soberba, e de seu orgulho, e de sua altivez, e do enaltecimento do seu coração.” 30 “‘Eu mesmo conhecia a sua fúria’, é a pronunciação de Jeová, ‘e não ficará assim; seu palavreado oco — realmente não [o] farão exatamente assim. 31 Por isso é que uivarei sobre Moabe e clamarei por todo o Moabe. Gemer-se-á pelos homens de Quir-Heres. 32 “‘Com mais choro do que o por Jázer chorarei por ti, ó videira de Sibma. Teus próprios brotos florescentes cruzaram o mar. Estenderam-se até o mar — [até] Jázer. O próprio assolador caiu sobre os teus frutos de verão e sobre a tua vindima. 33 E a alegria e o júbilo foram tirados do pomar e da terra de Moabe. E dos lagares fiz cessar o próprio vinho. Ninguém fará a pisa com exclamação. A exclamação não será exclamação.’” 34 “‘Desde o clamor em Hésbon até Eleale, até Jaaz, deram vazão à sua voz, desde Zoar até Horonaim, até Eglate-Selisaia; porque até mesmo as próprias águas de Ninrim tornar-se-ão meras desolações. 35 E eu vou fazer cessar em Moabe’, é a pronunciação de Jeová, ‘aquele que leva uma oferta para cima ao alto e aquele que faz fumaça sacrificial ao seu deus. 36 Por isso é que o meu próprio coração ficará turbulento pelo próprio Moabe, igual a flautas; e meu próprio coração ficará turbulento pelos homens de Quir-Heres, igual a flautas. Por isso é que certamente perecerá a própria abundância que ele produziu. 37 Porque sobre toda cabeça há calvície e toda barba está cortada. Em todas as mãos há cortes e sobre os quadris há serapilheira!’” 38 “‘Em todos os terraços de Moabe e nas suas praças públicas — em todas elas — há lamento; porque destrocei Moabe como a um vaso que não agrada’, é a pronunciação de Jeová. 39 ‘Oh! como ela ficou aterrorizada! Uivai! Oh! como Moabe virou as costas! Ele ficou envergonhado. E Moabe tornou-se alvo de ridículo e algo aterrorizante para todos em volta dele.’”

Jeová não é um Deus de sentimentos falsos; ELE É AUTÊNTICO. Ele chorou e ficou com o coração turbulento pelo mal que estava acontecendo a este outro filho. Seu iníquo filho Moabe estava sofrendo por causa da necessária punição.




A "PUNIÇÃO" CONTRA MOABE, EMBORA FOSSE O ANIQUILAMENTO TOTAL DO POVO, NÃO FOI DEFINITIVA – ASSIM FALOU JEOVÁ:

(Jeremias 48:42) 42 “‘E Moabe há de ser aniquilado [deixando] de ser um povo, porque foi contra Jeová que ele assumiu ares de grandeza.

(Jeremias 48:46-47) 46 “‘Ai de ti, ó Moabe! Pereceu o povo de Quemós. Porque teus filhos foram levados como cativos e tuas filhas como cativas 47 E eu vou recolher os cativos de Moabe NA PARTE FINAL DOS DIAS’, é a pronunciação de Jeová.Até este ponto vai o julgamento de Moabe.’”

Na parte final dos dias vou recolher os cativos de Moabe. A parte final dos dias é um período ainda no nosso futuro.

 

PUNIÇÃO CONTRA OS FILHOS DE AMOM NÃO FOI DEFINITIVAASSIM FALOU JEOVÁ:(Jeremias 49:2-6) 2 “‘Portanto, eis que vêm dias’, é a pronunciação de Jeová, ‘e eu vou fazer ouvir um rebate de guerra mesmo contra Rabá dos filhos de Amom; e ela certamente se tornará um monte de terra dum baldio desolado e as suas próprias aldeias dependentes serão incendiadas com o próprio fogo’. “‘E Israel realmente se apossará dos que estão de posse dele’, disse Jeová. 3 “‘Uiva, ó Hésbon, porque Ai foi assolada! Gritai, ó aldeias dependentes de Rabá. Cingi-vos de serapilheira. Lamuriai e percorrei os redis de pedra, porque até mesmo o próprio Malcão será exilado, seus sacerdotes e seus príncipes, todos juntos. 4 Por que gabas as baixadas, tua baixada manante, ó filha infiel, tu, aquela que confiava nos seus tesouros, [dizendo:] “Quem chegará a mim?”’” 5 “‘Eis que trago sobre ti uma coisa pavorosa’, é a pronunciação do Soberano Senhor, Jeová dos exércitos, ‘de todos os ao teu redor. E vós haveis de ser dispersos, cada um na sua própria direção, e não haverá quem reúna os fugitivos.’” 6 “‘Mas DEPOIS recolherei os cativos dos filhos de Amom’, é a pronunciação de Jeová.”

Filha?? Filha infiel?? Filha adoradora de ídolos?? Jeová a via e a considerava como filha?? Sim, neste caso ela era irmã de Jerusalém, irmã de Samaria.


PUNIÇÃO CONTRA ELÃO NÃO FOI DEFINITIVA - ASSIM FALOU JEOVÁ:(Jeremias 49:34-39) 34 Isto é o que veio a haver para Jeremias, o profeta, como a palavra de Jeová a respeito de Elão, no princípio do reinado de Zedequias, rei de Judá, dizendo: 35 “Assim disse Jeová dos exércitos: ‘Eis que quebro o arco de Elão, o princípio da sua potência. 36 E eu vou fazer chegar sobre Elão os quatro ventos das quatro extremidades dos céus. E vou espalhá-los a todos estes ventos e não se mostrará haver nação à qual não tenham chegado os dispersos de Elão.’” 37 “E vou desbaratar os elamitas diante dos seus inimigos e diante dos que procuram a sua alma; e vou trazer sobre eles uma calamidade, minha ira ardente”, é a pronunciação de Jeová. “E vou enviar atrás deles a espada até que eu os tenha exterminado.” 38 “E eu vou colocar meu trono em Elão e vou destruir dali o rei e os príncipes”, é a pronunciação de Jeová. 39 E certamente acontecerá NA PARTE FINAL DOS DIAS que recolherei os cativos de Elão”, é a pronunciação de Jeová.

Na parte final dos dias vou recolher os cativos de Elão. A "parte final dos dias" é um período de tempo no nosso futuro.

 

Falando aos desrespeitosos para como Ele, aos iníquos, ao mais iníquo dos povos, assim prometeu o próprio Jeová em relação ao futuro deles: (Jeremias 23:16-20) 16 Assim disse Jeová dos exércitos: “Não escuteis as palavras dos profetas que vos profetizam. Eles fazem que vos torneis vãos. O que falam é a visão do seu próprio coração — não da boca de Jeová. 17 Dizem vez após vez aos que são desrespeitosos para comigo: ‘Jeová falou: “Paz é o que vós ireis ter.”’ E [a] todo aquele que anda na obstinação de seu coração disseram: ‘Nenhuma calamidade virá sobre vós.’ 18 Pois, quem estava de pé no grupo íntimo de Jeová para ver e ouvir a sua palavra? Quem deu atenção à sua palavra para ouvi-la? 19 Eis que certamente sairá o vendaval de Jeová, o próprio furor, sim, uma tormenta rodopiante. Rodopiará sobre a cabeça dos iníquos. 20  A ira de Jeová não recuará até que ele tenha executado e até que tenha realizado as idéias de seu coração. NA PARTE FINAL DOS DIAS dareis a isso vossa consideração com compreensão.

(Jeremias 30:23-31:1) 23 Eis que saiu de Jeová um vendaval, o próprio furor, uma tormenta impetuosa. Rodopiará sobre a cabeça dos iníquos. 24  A ira ardente de Jeová não recuará até que ele tenha executado e até que tenha realizado as idéias de seu coração. NA PARTE FINAL DOS DIAS vós lhe dareis a vossa consideração. 31 “Naquele tempo”, é a pronunciação de Jeová, “tornar-me-ei Deus para todas as famílias de Israel; e quanto a eles, tornar-se-ão meu povo”.

No futuro (futuro também para nós hoje), ou seja, "na parte final dos dias", vós iníquos sobre os quais rodopiará o meu vendaval, sim o meu furor, dareis a isso a vossa consideração com compreensão. Jeová estava falando com os iníquos sobre quem Ele iria realizar as idéias de Seu coração. Vós - refere-se àqueles a quem Jeová falava, refere-se àqueles iníquos a quem Jeová puniria.

Fica assim comprovado que a punição com a morte para o mais iníquo dos povos não era definitiva. Logo, quando virmos alguém recebendo punição por causa de suas iniqüidades praticadas, tenhamos misericórdia de tal e no lugar de vangloriar sobre ele ou ainda dizer bem feito, ou ainda tirar qualquer vantagem de sua condição de punido, temos de ter e agir com misericórdia para este que está sendo punido, seja ele quem for. Se a punição estiver sendo aplicada pelo próprio Jeová, nosso sentimento de misericórdia deve ser o mesmo.

Exatamente por sabermos do sentimento de Jeová por alguém (Seu filho) que está sendo punido por Ele, mesmo que este seja extremamente iníquo, o mais iníquo dos filhos, é que temos de sentir misericórdia do estado de punido que este se encontra.

As palavras de Jeová a Esaú (descendência de Esaú), sobre o tratamento dado por este a seu irmão Jacó (descendência de Jacó), cuja geração se mostrou ser a mais iníqua entre os povos, revelam muito claramente o seu sentimento quanto ao ato de Esaú. Não devias, não devias, não devias , oito vezes repetiu Jeová esta expressão e por fim disse: assim como fizeste, será feito a ti. Irás beber do mesmo copo do seu irmão, o que ele sentiu, você também sentirá.

Agora, estando Esaú sofrendo seu padecimento, sendo também punido, poderia Jacó agir do mesmo modo como Esaú agiu?? Poderia vingar-se??

Sendo esta uma atitude iníqua, seja lá quem for que a pratique, estará praticando uma iniqüidade contra seu irmão. Sendo assim, esta atitude é condenável, tanto praticada por Esaú, quanto Jacó, Amom, Moabe, ou qualquer outro dos irmãos. Não usar de Misericórdia para com seu irmão que está sendo punido poderá lhe trazer uma retribuição de mesma proporção.

No entanto, que sentimento tinha o povo escolhido e ensinado por Jeová?? Será que revelavam ter o mesmo sentimento do Pai?? Eles revelaram seus sentimentos nas seguintes palavras desta canção: (Salmos 58:10) 10 O justo se alegrará por ter observado a vingança. Banhará os seus passos no sangue do iníquo.

Jeová falou para seu filho Esaú: “Não devias ter te alegrado sobre os filhos de Judá no dia do seu perecimento”. E agora que seu filho Judá também manifestava o mesmíssimo desejo?? Aprovaria o Pai este sentimento de seu filho Judá??

O Pai (Jeová) está ensinando para seus filhos, importantes lições quanto ao uso de Misericórdia.

Por Sodoma ter sido punida por Jeová, o que se deve sentir por ela? Desprezo, repúdio??

Sodoma é irmã de Jerusalém, irmã de Samaria, nossa irmã. Sodoma era formada por pessoas, Samaria era formada por pessoas, Jerusalém era formada por pessoas. Foram pessoas com suas atitudes que formaram o perfil destas cidades, perfil este, destacado por Jeová.

Temos de sentir Misericórdia pelo estado punido destas pessoas.

Quando em futuro breve, os que formam Babilônia, a Grande, estiverem sofrendo a punição prevista para ela, que sentimento deveremos ter por estes? Devem ter os sentimentos descritos naquela canção acima??

Temos de ter Misericórdia pelo estado de punição destes. Temos de ter Piedade destes pelo mal que se lhes está acontecendo. Temos de ter Piedade destes por sua grande dor. Temos de sentir a dor dos que estão sendo punidos por um erro ou outro. Não importa o tamanho do erro, este é apenas um erro.

O Criador disse que não abriria mão da punição. Como pode um Deus de Amor punir suas criaturas?? Um pai que pune seu filho está praticando um ato de Amor. Seu objetivo não é se desfazer, se descartar de seu filho, antes é ensinar lições ao filho. Quando o filho finalmente aumentar em sabedoria, irá reconhecer seu erro e o papel importante da punição no seu caso. O filho só aumentará em sabedoria se e somente se for ensinado pelo próprio Pai que é sábio.

Assim falou Jeová: (Êxodo 34:4-7) 4 De acordo com isso, Moisés lavrou duas tábuas de pedra iguais às primeiras, e levantou-se de manhã cedo e foi subir ao monte Sinai, assim como Jeová lhe mandara, e levava na mão as duas tábuas de pedra. 5 E Jeová passou a descer na nuvem e a pôr-se ali junto dele, e passou a declarar o nome de Jeová. 6 E Jeová ia passando diante da sua face e declarando: “Jeová, Jeová, Deus misericordioso e clemente, vagaroso em irar-se e abundante em benevolência e em verdade, 7 preservando a benevolência para com milhares, perdoando o erro, e a transgressão, e o pecado, mas de modo algum isentará da punição, trazendo punição pelo erro dos pais sobre os filhos e sobre os netos, sobre a terceira geração e sobre a quarta geração.”
 Perdôo o erro, mas, não abro mão da punição. Vou punir apesar de ter perdoado. O perdão não o isenta de receber punição. O Criador afirma que embora Ele perdoe o erro, Ele não abriria mão da punição. Quando um filho nosso comete um erro e nós, os pais, decidimos puní-los mesmo sabendo que ele sofrerá por um determinado tempo, não significa que deixamos de perdoar, que não perdoamos nosso filho. Punimos, mas ele já está perdoado. Não o descartamos como filho. Por exemplo, eu sou grato de minha mãe ter me punido algumas vezes. Eu a amo ainda mais por sua atitude de extrema preocupação quanto ao meu futuro. Agora eu a amo muito, muito mesmo, por ela não ter me descartado como filho. No entanto, na hora da punição eu não gostei nem um pouco.
Assim age o nosso Criador para conosco, seus ignorantes filhos. Quando aumentarmos em sabedoria, certamente lamentaremos profundamente termos cometido os erros e aumentaremos o nosso amor pelo Pai, pelo nosso Criador.

Assim, se todos somos irmãos e todos nós temos de amar nosso semelhante, aquele que é igual a nós, nosso irmão, como a nós mesmos, quando virmos qualquer ser humano sendo punido, tenhamos Misericórdia dele.

Misericórdia - é o que Jeová espera que tenhamos quando há punição para qualquer dos filhos.



No entanto, se o Criador sofreu quando estava punindo com a morte o seu povo escolhido, por causa da cometida iniqüidade maior que todas as nações ao redor, se Ele sofreu ao punir com a morte outros povos menos iníquos que o povo escolhido, então porque Ele não abre mão da punição??

Deixemos que Jeová fale na sua superior sabedoria. Assim falou Jeová sobre o seu nobre objetivo: (Ezequiel 18:23) 23 “‘Acaso me agrado de algum modo na morte do iníquo’, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová, ‘[e] não em que ele RECUE dos seus caminhos e realmente continue a viver?(Ezequiel 33:10-11) 10 “E no que se refere a ti, ó filho do homem, dize à casa de Israel: ‘Assim é que dissestes: “Visto que as nossas revoltas e os nossos pecados estão sobre nós e estamos apodrecendo neles, então, como é que continuaremos a viver?”’ 11 Dize-lhes: ‘“Assim como vivo”, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová, não me agrado na morte do iníquo, mas em que o iníquo RECUE do seu caminho e realmente continue vivendo. RECUAI, recuai dos vossos maus caminhos, pois, por que devíeis morrer, ó casa de Israel?”’ (Jeremias 18:7-12)EM QUALQUER MOMENTO em que eu falar contra uma nação e contra um reino, para [a] desarraigar, e para [a] demolir, e para [a] destruir, 8 e esta nação realmente recuar da sua maldade contra a qual falei, também eu vou deplorar a calamidade que pensei em executar sobre ela. 9 Mas, em qualquer momento em que eu falar a respeito de uma nação e a respeito de um reino, para [a] edificar e para [a] plantar, 10 e ela realmente fizer o que é mau aos meus olhos por não obedecer à minha voz, também eu vou deplorar o bem que eu disse [para mim] fazer-lhe para seu bem.’ 11 “E agora, por favor, dize aos homens de Judá e aos habitantes de Jerusalém: ‘Assim disse Jeová: “Eis que formo contra vós uma calamidade e cogito contra vós um pensamento. RECUAI, por favor, cada um do seu mau caminho, e tornai bons os vossos caminhos e vossas ações.”’” 12 E eles disseram: “É sem esperança! Pois andaremos seguindo os nossos próprios pensamentos e vamos executar cada um a obstinação de seu mau coração.” (Jeremias 25:3-5) 3 “Desde o décimo terceiro ano de Josias, filho de Amom, rei de Judá, e até o dia de hoje, estes vinte e três anos, veio a haver para mim a palavra de Jeová, e eu falava convosco, levantando-me cedo e falando, mas vós não escutastes. 4 E Jeová vos enviou todos os seus servos, os profetas, levantando-se cedo e enviando-os, mas vós não escutastes nem inclinastes vosso ouvido para escutar, 5 dizendo eles: ‘Por favor, RECUAI cada um do seu mau caminho e da ruindade de vossas ações, e continuai a morar sobre o solo que Jeová deu a vós e aos vossos antepassados desde há muito tempo e por muito tempo no futuro. (Jeremias 35:14-17) . . .E no que se refere a mim, falei-vos, levantando-me cedo e falando, mas não me obedecestes. 15 E eu continuei a enviar-vos todos os meus servos, os profetas, levantando-me cedo e enviando-os, dizendo: ‘RECUAI, por favor, cada um do seu mau caminho, e tornai boas as vossas ações, e não andeis atrás de outros deuses para servi-los. E continuai morando no solo que dei a vós e aos vossos antepassados.’ Mas vós não inclinastes o vosso ouvido nem me escutastes. 16 Mas os filhos de Jonadabe, filho de Recabe, cumpriram o mandamento de seu antepassado, que este lhes ordenou; quanto a este povo, porém, não me escutaram.”’” 17 “Portanto, assim disse Jeová, Deus dos exércitos, Deus de Israel: ‘Eis que trago sobre Judá e sobre todos os habitantes de Jerusalém toda a calamidade que proferi contra eles, pela razão de que lhes falei, mas não escutaram, e continuei a chamá-los, mas não responderam.’”  (Zacarias 1:3-4) 3 “E tens de dizer-lhes: ‘Assim disse Jeová dos exércitos: “‘Retornai a mim’, é a pronunciação de Jeová dos exércitos, ‘e eu retornarei a vós’, disse Jeová dos exércitos.”’ 4 “‘Não vos torneis como os vossos pais aos quais clamaram os profetas anteriores, dizendo: “Assim disse Jeová dos exércitos: ‘Por favor, RECUAI dos vossos maus caminhos e das vossas más ações.’”’ “‘Mas não escutaram e não prestaram atenção a mim’, é a pronunciação de Jeová. (Ezequiel 18:27-28) 27 “‘E quando o iníquo recuar de sua iniqüidade que praticou e passar a praticar o juízo e a justiça, é ele quem preservará viva a sua própria alma. 28 Quando vir todas as suas transgressões que praticou e RECUAR delas, positivamente continuará a viver. Não morrerá.
 
O Criador deixa bem claro:  Meu objetivo não é matar o iníquo. Meu objetivo é que o iníquo RECUE de seu mau caminho. Meu objetivo é que ele deixe de ser iníquo. Meu objetivo é que ele continue vivendo. Meu objetivo é recuperar o iníquo. Em qualquer momento em que o iníquo "reconhecer" o seu erro e deixar de praticá-lo, Eu vou deplorar a calamidade, vou deixar de cumprir, vou deixar de fazer a calamidade que prometi.

Nota-se claramente, que a palavra de punição, a promessa de punição saída da boca de Jeová tem um objetivo. A profunda motivação de Jeová é fazer alterar o comportamento e o sentimento daquele para quem a palavra é direcionada.

Podemos ver também que o sentimento do humano é diferente do sentimento de Jeová. O humano deseja ver o cumprimento da palavra de punição falada, enquanto Jeová não deseja ver o cumprimento da palavra de punição falada. Vamos ver um exemplo real em que poderemos ver claramente os dois sentimentos opostos, o sentimento humano e o sentimento de Jeová.

É o caso de Jonas. Jeová escolheu Jonas para retransmitir um recado (Sua palavra) para os habitantes da cidade de Nínive. Jonas não queria ir, mas, depois de ser convencido, Jonas foi retransmitir a palavra de punição falada. A palavra de punição falada apenas uma única vez produziu a reação esperada pelo Criador para o caso em questão. Pronto, o Criador ficou satisfeito. E quanto a Jonas, será que acompanhou o sentimento do Criador?? Vamos rever o que aconteceu?? Assim está registrado: (Jonas 3:1-4:4) 3 Então veio a haver a palavra de Jeová para Jonas pela segunda vez, dizendo: 2 “Levanta-te, vai a Nínive, a grande cidade, e faze-lhe a proclamação que eu te falar.” 3 Nisso Jonas se levantou e foi a Nínive, segundo a palavra de Jeová. Ora, a própria Nínive mostrou-se para Deus uma cidade grande, de três dias de caminhada. 4 Por fim, Jonas principiou a entrar na cidade numa caminhada de um dia, e continuava proclamando e dizendo: “Apenas mais quarenta dias e Nínive será subvertida.” 5 E os homens de Nínive começaram a depositar fé em Deus, e passaram a proclamar um jejum e a pôr serapilheira, desde o maior deles até o menor deles. 6 Quando a palavra atingiu o rei de Nínive, então ele se levantou do seu trono e despiu-se de seu manto oficial e cobriu-se de serapilheira, e assentou-se nas cinzas. 7 Além disso, fez proclamar e dizer em Nínive, pelo decreto do rei e dos seus grandes, dizendo: “Nenhum homem e nenhum animal doméstico, nem manada nem rebanho, deve saborear coisa alguma. Nenhum [deles] deve tomar alimento. Nem mesmo água devem beber. 8 E cubram-se de serapilheira, homem e animal doméstico; e clamem a Deus com força e recuem, cada um do seu mau caminho e da violência que havia nas suas mãos. 9 Quem sabe se o [verdadeiro] Deus [não] voltará e realmente [o] deplorará, e recuará da sua ira ardente, para que não pereçamos?10 E o [verdadeiro] Deus chegou a ver os seus trabalhos, que tinham recuado de seu mau caminho; e por isso o [verdadeiro] Deus deplorou a calamidade de que falara que lhes ia causar; e ele não [a] causou. 4 Isso, porém, desagradava muito a Jonas e acendeu-se a sua ira. 2 Por isso orou a Jeová e disse: “Ai! ó Jeová, não foi esta a minha questão quando vim a estar no meu próprio solo? Por isso é que fui e fugi para Társis; pois eu sabia que és um Deus clemente e misericordioso, vagaroso em irar-se e abundante em benevolência, e que deploras a calamidade. 3 E agora, ó Jeová, por favor, tira-me a minha alma, pois é melhor eu morrer do que ficar vivo.” 4 Jeová disse por sua vez: “É de direito que se acendeu a tua ira?”


Será que foi somente Jonas quem revelou este sentimento contrário ao sentimento do Criador?? Bem, vamos a outro exemplo. Agora é a vez de Jeremias, outro escolhido por Jeová para retransmitir palavras de punição ao povo escolhido. Jeová tinha um objetivo fixo e um sentimento fixo ao falar as palavras de punição. Algumas vezes, Jeremias chegou a interceder em favor do povo, seus irmãos, seus companheiros. No entanto, depois de ver que a palavra de punição retransmitida por ele, não se cumpria, Jeremias falou as seguintes palavras para seu Criador: (Jeremias 20:7-18) 7 Tu me lograste, ó Jeová, de modo que fui logrado. Usaste a tua força contra mim, de modo que prevaleceste. Tornei-me objeto de riso o dia inteiro; todos caçoam de mim. 8 Pois, quantas vezes falo, eu clamo. Violência e assolação é o que clamo. Porque a palavra de Jeová tornou-se para mim uma causa para vitupério e para troça, o dia inteiro. 9 E eu disse: “Não farei menção dele e não vou mais falar em seu nome.” E isto mostrou ser no meu coração como um fogo aceso encerrado nos meus ossos; e fiquei fatigado de contê-lo e não pude [mais suportá-lo]. 10 Pois ouvi o relato mau de muitos. Havia horror ao redor. “Contai-o, para que [o] contemos a respeito dele.” Todo homem mortal me deseja: “Paz!” — estão vigiando para [ver-me] manquejar: “Talvez seja logrado para que possamos prevalecer contra ele e vingar-nos dele.” 11 Mas Jeová estava comigo como um poderoso terrível. Por isso é que os que me perseguem tropeçarão e não prevalecerão. Certamente serão muito envergonhados, porque não terão prosperado. [Sua] humilhação de duração indefinida será tal que não será esquecida. 12 Mas tu, ó Jeová dos exércitos, examinas o justo; vês os rins e o coração. Veja eu a tua vingança contra eles, porque te revelei a minha causa. 13 Cantai a Jeová! Louvai a Jeová! Porque livrou a alma do pobre da mão dos malfeitores. 14 Maldito o dia em que nasci! Não fique abençoado o dia em que a minha mãe me deu à luz! 15 Maldito o homem que trouxe boas novas a meu pai, dizendo: “Nasceu-te um filho, um macho!” Ele positivamente o fez alegrar-se. 16 E este mesmo homem terá de tornar-se igual a cidades que Jeová subverteu, sem que Ele o deplorasse. E ele terá de ouvir um clamor de manhã e um sinal de alarme ao tempo do meio-dia. 17 Por que é que ele não me entregou definitivamente à morte, desde a madre, para que minha mãe se tornasse para mim a minha sepultura e sua madre estivesse grávida por tempo indefinido? 18 Por que é que saí da própria madre, a fim de ver trabalho árduo e pesar, e que meus dias devam chegar ao seu fim em mera vergonha?

Em outra ocasião Jeremias expressou o seu desejo em relação a seus companheiros. Seus companheiros revelaram rebeldia contra as palavras faladas e contra o retransmissor das palavras. Assim falou Jeremias: (Jeremias 18:18-23) 18 E passaram a dizer: “Vinde, homens, e cogitemos contra Jeremias alguns pensamentos, porque do sacerdote não perecerá a lei, nem do sábio o conselho, nem do profeta a palavra. Vinde e golpeemo-lo com a língua e não prestemos atenção a nenhuma das suas palavras.” 19 Dá-me deveras atenção, ó Jeová, e escuta a voz dos meus oponentes. 20 Acaso retribuir-se-á mal por bem? Pois escavaram uma cova para a minha alma. Lembra-te da minha posição perante ti, para falar bem, mesmo a respeito deles, para fazer recuar deles o teu furor. 21 Portanto, entrega seus filhos à fome e passa-os ao poder da espada; e tornem-se as suas esposas mulheres privadas de filhos e viúvas. E tornem-se os seus próprios homens os que foram mortos por uma praga mortífera, seus jovens, os que foram golpeados com a espada na batalha. 22 Ouça-se um grito procedente das suas casas, quando trouxeres sobre eles repentinamente uma guerrilha. Pois escavaram um fojo para capturar-me e encobriram armadilhas para os meus pés. 23 Mas tu mesmo, ó Jeová, conheces bem todo o seu conselho contra mim para a [minha] morte. Não encubras o seu erro e não obliteres este pecado deles diante de ti; mas tornem-se eles os que se fazem tropeçar diante de ti. No tempo da tua ira, toma ação contra eles.



Jeremias sentiu-se desgastado nesta função que estava exercendo para o Criador, a função de repetidor de palavras. As palavras de punição estavam sendo dirigidas ao povo escolhido, seu filho Jacó, aqui representado pela tribo de Judá, concentrados em Jerusalém. O Criador insistia nas palavras, embora não apresentasse o mesmo resultado que foi visto em Nínive, afinal, o povo escolhido mostrou ser um povo muito rebelde.

Muito embora os humanos achem completamente normal estas reações contra os pecadores, contra os iníquos, tidas por tais profetas, não podemos esquecer que Jesus revelou ter sentimentos e reações 100% opostas as estas ao lidar com humanos mais rebeldes que estes.


O Criador já havia avisado, pedido, pedido diversas vezes para que seu filho recuasse do erro, entretanto o filho não recuou. O agravante é que o filho achava que estava agradando ao Criador. Novamente percebemos que a punição é o recurso final, recurso extremo utilizado por quem ama, para que o errante "reconheça", admita o seu próprio erro, modifique sua visão sobre aquele assunto e passe a agir de forma diferente. O errante sofrerá por causa da punição. No entanto, seu sofrimento causará o sofrimento do Pai que ama o filho e que não quer ver o filho sofrendo. No entanto, o filho com suas ações erradas estava fazendo outros filhos sofrerem. Ele tem de parar de agir de forma egoísta e a punição tem esta importante função.



Bem, e agora que Jeová já puniu com a morte aquele iníquo que não recuou do seu mal caminho, apesar dos fortes e contínuos apelos de Jeová?? Há ainda alguma chance para este iníquo teimoso?? Novamente deixemos que o próprio Jeová responda. Assim falou Jeová depois da punição de Efraim: (Jeremias 31:20) 20 “É Efraim para mim um filho precioso ou um menino tratado com mimo? Pois, ao ponto de eu falar contra ele, sem falta me lembrarei dele AINDA MAIS. Por isso é que as minhas entranhas ficaram turbulentas por ele. Decididamente terei piedade dele”, é a pronunciação de Jeová.

LEMBRAR-SE DE UM INÍQUO?? LEMBRAR-SE AINDA MAIS DO INÍQUO?? A “iniciativaé de Jeová. A iniciativa é do “ofendido”. Isto põe por terra vários conceitos humanos sobre Jeová, não põe??

Mesmo depois de punir aquele iníquo que não levou em conta os Seus contínuos apelos, Jeová não desiste deste iníquo, pois este iníquo continua sendo muito importante para Ele. Me lembrarei dele AINDA MAIS, falou Jeová. Para Jeová, ele, o punido, continua sendo um filho precioso, não é um filho descartável, não é um ex-filho.

Isto revela que Jeová tem este filho iníquo em alta estima, não revela?? Decerto que sim.

O que é estima mesmo?? Assim descreve certo dicionário a palavra estima:

ESTIMA s.f. Apreciação favorável de uma pessoa ou de uma coisa; amizade, apreço, afeição. / Consideração. / Estimação, avaliação.


Para os filhos Judá e Levi que embora sendo ensinados, comportaram-se de forma mais iníqua que Sodoma, comportaram-se como a geração mais iníqua que todos os povos ao redor, assim falou Jeová: (Ezequiel 16:51-61) 51 “‘E quanto a Samaria, ela não cometeu nem a metade dos teus pecados, mas tu continuaste a fazer abundar as tuas coisas detestáveis mais do que elas, de modo que fizeste as tuas irmãs parecer justas por causa de todas as tuas coisas detestáveis que praticaste. 52 Também tu, carrega a tua humilhação ao teres de argumentar a favor de tuas irmãs. Em vista dos teus pecados, nos quais agiste de modo mais detestável do que elas [agiram], elas são mais justas do que tu. E também tu, envergonha-te e carrega a tua humilhação por fazeres as tuas irmãs parecer justas.’ 53 “‘E eu vou recolher os seus cativos, os cativos de Sodoma e das suas aldeias dependentes, e os cativos de Samaria e das suas aldeias dependentes; vou recolher também os teus cativos no seu meio, 54 para que carregues a tua humilhação; e terás de sentir-te humilhada em vista de tudo o que fizeste, sendo que tu as consolaste. 55 E tuas próprias irmãs, Sodoma e suas aldeias dependentes, RETORNARÃO ao seu estado anterior, e Samaria e suas aldeias dependentes RETORNARÃO ao seu estado anterior, e tu mesma e tuas aldeias dependentes RETORNAREIS ao vosso estado anterior. 56 E Sodoma, tua irmã, não se mostrou algo digno de se ouvir tua boca [mencionar] no dia do teu orgulho, 57 antes que a tua própria maldade chegasse a ser exposta, assim como no tempo do vitupério das filhas da Síria e de todas ao redor dela, as filhas dos filisteus, as que te menosprezam, por todos os lados. 58 A tua conduta desenfreada e as tuas coisas detestáveis, tu mesma terás de carregá-las’, é a pronunciação de Jeová.” 59 “Pois assim disse o Soberano Senhor Jeová: ‘Também terei de fazer contigo assim como tu fizeste, porque desprezaste o juramento, violando [meu] pacto. 60 E eu, eu mesmo, terei de lembrar-me do meu pacto contigo nos dias da tua mocidade e terei de estabelecer para ti um pacto de duração indefinida. 61 E certamente TE LEMBRARÁS dos teus caminhos e TE SENTIRÁS humilhada ao acolheres as tuas irmãs, as mais velhas do que tu bem como as mais moças do que tu, e eu hei de dá-las a ti por filhas, mas não devido ao teu pacto.’

Vocês, a geração que mostrou ser mais iníqua que Sodoma, retornará. Certamente retornarás; certamente te lembrarás dos teus caminhos; certamente te sentirás humilhada. “Eu é que farei isto”. Estas declarações saídas da boca do próprio Jeová, comprovam e ratificam suas palavras: "Não me agrado na morte do iníquo". Assim como vivo”, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová, NÃO ME AGRADO NA MORTE DO INÍQUO, mas em que o iníquo recue do seu caminho e realmente continue vivendo.

Eu quero que o iníquo recue. Eu quero que o iníquo recue. Mesmo depois da punição com morte, o Meu desejo não muda.

O próprio Criador continua revelando o que fará com seu filho que foi punido com a morte por sua grande iniqüidade: (Oséias 13:12-14) 12 “O erro de Efraim está embrulhado, seu pecado está entesourado. 13 O que virá a ele são as dores agudas de parto da parturiente. Ele é filho que não é sábio, pois na época não ficará parado por ocasião do irrompimento dos filhos [da madre]. 14 Da mão do Seol os remirei; da morte os recuperarei. Onde estão os teus aguilhões, ó Morte? Onde está a tua qualidade destrutiva, ó Seol? A própria compaixão ficará escondida dos meus olhos.
Vou recuperá-los da morte, vou tirá-los da sepultura. Quanta insistência!! Jeová não desiste do seu desejo. Trata-se de um desejo persistente.

Em palavras próprias Jeová revela o que Ele deseja ouvir e certamente ouvirá de seu filho que já foi punido com a morte por também ser um adorador de ídolos, depois deste ser retirado da sepultura: (Oséias 14:8-9) 8 “Efraim [dirá]: Que é que eu tenho ainda com os ídolos?’Eu mesmo certamente darei resposta e CONTINUAREI a reparar nele. Sou semelhante a um frondoso junípero. Em mim se tem de achar fruto para vós.” 9 Quem é sábio para entender estas coisas? Discreto, para sabê-las? Pois os caminhos de Jeová são retos e os justos serão os que andarão neles; mas os transgressores serão os que tropeçarão neles.

O filho dirá: Pai, veja como eu mudei. Eu não sou mais um adorador de ídolos. O Pai "continuará" a reparar nele. Continuará a observar as ações de seu amado filho. Isto põe por terra certas afirmações humanas a respeito de Jeová, não põe??

Jeová estava ratificando suas expressões anteriores quanto às palavras que seriam ditas por seu filho Efraim no futuro. Assim incentiva Jeová a Efraim: (Oséias 14:1-3) 14 "Volta deveras a Jeová, teu Deus, ó Israel, pois tropeçaste no teu erro. 2 Tomai convosco palavras e voltai a Jeová. Dizei-lhe, todos vós: ‘Que tu perdoes o erro; e aceita o que é bom, e nós ofereceremos em troca os novilhos de nossos lábios. 3 A própria Assíria não nos salvará. Não cavalgaremos em cavalos. E não mais diremos: "Ó nosso Deus!" ao trabalho das nossas mãos, porque és tu que tens misericórdia para com o menino órfão de pai.’

Aquele que havia tropeçado no erro, tratando como Deus algo feito com mãos humanas e que foi punido por tais erros, finalmente reconheceria seu erro e retornaria para Jeová. Para que isto aconteça, a iniciativa partirá daquele que foi o ofendido, Jeová.

Podemos concluir que, no caso de Jeová, punição é a atitude extrema tomada por quem ama, visando um bem maior daquele que será punido. Visa que o punido tome ciência de seu erro e possa demonstrar os sentimentos esperados daqueles que se conscientizam de seus próprios erros.

Que Deus Maravilhoso!! Que personalidade Nobre!! Quanta Sabedoria!! Este sim é Jeová!!!

Ratifica Jeová: "Ainda há esperança para os punidos". Jeová passa a revelar com milênios de antecedência as palavras que serão ditas por seu iníquo punido filho Efraim, revelando seus SENTIMENTOS, quando este for trazido de volta à vida: (Jeremias 31:15-19) 15 "Assim disse Jeová: ‘Ouve-se uma voz em Ramá, lamentação e choro amargo; Raquel chorando por seus filhos. Negou-se a ser consolada por causa dos seus filhos, porque eles já não existem.’" 16 Assim disse Jeová: "‘Retém a tua voz do choro e teus olhos das lágrimas, pois há uma recompensa pela tua atividade’, é a pronunciação de Jeová, ‘e certamente retornarão da terra do inimigo’. 17 "‘E existe esperança para o teu futuro’, é a pronunciação de Jeová, ‘e os filhos certamente retornarão ao seu próprio território’." 18 "Ouvi positivamente Efraim lastimar-se:Corrigiste-me, para que eu ficasse corrigido, como o bezerro que não foi treinado. Faze-me voltar e eu voltarei prontamente, porque tu és Jeová, meu Deus. 19 Pois, após a minha volta senti lástima; e depois que se me fez saber bati na coxa. Fiquei envergonhado e senti-me também humilhado, porque eu levara o vitupério da minha mocidade.’"

Jeová está descrevendo o sentimento do seu amado rebelde filho Efraim DEPOIS da punição. Jeová deixa claro, muito claro, que a punição de Efraim, punição com a morte, não foi definitiva. Efraim, rebelde adorador de ídolos, reconhecerá que houve necessidade de punição, lamentará ter cometido os erros, se sentirá envergonhado e humilhado e afirmará ter sido um erro da mocidade. Foi só depois que se me fez saber que eu bati na coxa. Bater na coxa é uma reação de quem reconhece e lamenta ter feito algo. Foi um erro da juventude, dirá o punido Efraim. Certamente não era uma punição definitiva para o ensinado, porém rebelde, adorador de Jeová.

Jeová não desiste do iníquo.

Se Jeová age assim com os escolhidos e ensinados, como agirá com os não ensinados??

Decerto, agirá com a mesmíssima Misericórdia. Jeová é um Deus Imparcial. Isto põe por terra certos conceitos humanos sobre Jeová, não põe??

Depois de vermos os SENTIMENTOS e a atitude de Jeová para com seus iníquos filhos "punidos" com a morte, que sentimentos e atitudes devemos ter para com estes já punidos?? Que sentimentos e atitudes devemos ter para com qualquer humano que se encontrar no estado de punição, que estiver recebendo uma punição agora ou que vier a receber uma punição no futuro??

Não nos resta outra alternativa a não ser sentir e demonstrar plena Misericórdia por tal humano, nosso igual, nosso semelhante, nosso irmão. Isto é uma questão de sensibilidade, de amor, de amor abnegado.

Jeová é realmente um Deus Maravilhoso, de personalidade maravilhosa!! Quanta sabedoria!! Quanta disposição de ensinar e quanta sabedoria no ensinar!! Um insistente amor para um teimoso iníquo. Um amor abnegado.

Esta personalidade maravilhosa não é apenas para ser admirada, pois assim falou Jesus: "Tendes de ser perfeitos ASSIM COMO vosso Pai é perfeito". Nós, os alunos, temos de imitar os SENTIMENTOS do professor; nós os filhos temos de sentir os mesmos sentimentos do Pai.

Vestir uma fantasia, vestir uma capa de povo de Deus, de povo adorador de Deus é muito fácil de fazer. No entanto, o Criador tem como objetivo, que cada um de nós seja exatamente igual a Ele, que pensemos como Ele, que sintamos como Ele e que passemos a agir como Ele. Este é o desafio de cada ser humano. Que tal começar agora??

Mais cedo ou mais tarde teremos de aprender. Antes, durante ou depois da punição teremos de aprender. Com mais vergonha ou com menos vergonha, teremos de aprender. Com mais humilhação ou com menos humilhação, teremos de aprender. Com mais sofrimento ou com menos sofrimento, teremos de aprender. Jeová é O Pai que AMA, logo, não abre mão, não desiste de cada um de nós. Embora sejamos filhos, Jeová está nos ensinando a nos comportarmos como filhos para que Ele possa orgulhosamente dizer: "Este é meu filho". Depois de descrever os sentimentos e as expressões de um filho punido, assim fala Jeová sobre Si mesmo: "Sou semelhante a um frondoso junípero. EM MIM se tem de achar fruto para vós.

Jeová já se mostrou e continua “mostrando ser” um frondoso junípero. É Nele que eu tenho procurado frutos??
Comparando-me com Jeová, pode-se dizer a respeito de mim: Tal Pai, tal filho? Quando se poderá afirmar a meu respeito: Tal Pai, tal filho?? Jesus demonstrou ser a imagem e semelhança do Pai. Ele pode afirmar: Quem tem me visto, tem visto o Pai, pois, eu e o Pai somos um. Quando terei a mesma personalidade do Pai? Ou ainda mais: Sendo Jesus uma cópia fiel do Pai, quando terei a mesma personalidade de Jesus?



 

 Topo desta página