AS PÉROLAS DO REINO

Criada em 26 de abril de 2009 Alterada em 02 de janeiro de 2013 às 18 : 49





AS PÉROLAS DO REINO DE DEUS

(Mateus 13:45-46) 45 “Novamente, o reino dos céus é semelhante a um comerciante viajante que buscava pérolas excelentes. 46 Ao achar uma pérola de grande valor, foi e vendeu prontamente todas as coisas que tinha e a comprou.

As pérolas do Reino são os novos mandamentos dados por Jeová e instituídos por Jesus. Estes novos mandamentos, uma nova lei, produzem ovelhas autênticas. Trata-se da única lei dada por Jeová que produz pessoas dóceis como ovelhas. Trata-se de um tesouro de grande valor. Embora muitos reconheçam a Jesus como Filho de Deus, ainda não o reconhecem como o intermediador do novo pacto. O pacto anterior foi intermediado pelo profeta Moisés. Moisés foi o porta-voz entre Jeová e o povo, assim como Jesus foi o porta-voz (profeta) entre Jeová e o povo. Naquela ocasião, Jeová deu uma lei e Moisés foi o intermediador do pacto. Jesus iria exercer as mesmas funções de Moisés. Jeová afirmou: "Ele reproduzirá as minhas palavras; ele falará tudo o que Eu mandar".

Falando a Moisés, assim previu Jeová sobre a atuação de Jesus: (Deuteronômio 18:18-19) 18 Suscitar-lhes-ei do meio dos seus irmãos um PROFETA semelhante a ti; e deveras porei as minhas palavras na sua boca e ele certamente lhes falará tudo o que eu lhe mandar. 19 E tem de dar-se que o homem que não escutar as minhas palavras que ele falar em meu nome, deste eu mesmo exigirei uma prestação de contas.
Dirigindo-se aos apóstolos de Jesus desde os céus, assim falou Jeová: Escutai-o. (Mateus 17:5) 5 Enquanto ele ainda falava, eis que uma nuvem luminosa os encobriu, e eis uma voz vinda da nuvem, dizendo: “Este é meu Filho, o amado, a quem tenho aprovado; ESCUTAI-O.”
Assim falou Jesus a respeito de si mesmo: (João 12:49-50) 49 porque não falei de meu próprio impulso, mas o próprio Pai que me enviou tem-me dado um mandamento quanto a que dizer e que falar. 50 Sei também que o seu mandamento significa vida eterna. Portanto, as coisas que eu falo, assim como o Pai mas disse, assim [as] falo.”
Depois de sua morte e ressurreição, foi falado a respeito de Jesus: (Revelação 19:11-13) 11 E eu vi o céu aberto, e eis um cavalo branco. E o sentado nele chama-se Fiel e Verdadeiro, e ele julga e guerreia em justiça. 12 Seus olhos são chama ardente e na sua cabeça há muitos diademas. Ele tem um nome escrito que ninguém conhece, exceto ele mesmo, 13 e está vestido duma roupa exterior manchada de sangue, e o nome pelo qual é chamado é A Palavra de Deus.
Todas as palavras saídas da boca de Jesus são provenientes da mente e boca de Jeová, as quais Jesus repetiu sem modificar nem uma única vírgula, cabendo-lhe assim o título de "A Palavra de Deus".

Sendo Jesus o intermediador entre Jeová e o povo, precisamos saber que nova lei, que novo mandamento servia de base para este novo pacto.

Para existir um reino, tem de haver um rei, uma lei e os súditos. Decerto, o Sermão do Monte é a nova lei dada por Jeová através de Jesus, para transformar as pessoas em súditos do Reino dos céus. Os que não são discípulos de Jesus, valorizam muitíssimo o Sermão do Monte. O rei do reino dos céus foi o primeiro a cumprir de forma perfeita esta nova lei, mostrando a todos "como deveriam ser" os súditos deste reino. Os súditos teriam de pensar e agir assim como o seu rei. A transformação não é uma coisa automática, não é um passe de mágica. Também não é uma imposição em face de Jeová respeitar o livre arbítrio.

Foi dito em relação ao rei do reino dos céus: (Revelação 7:16-17) 16 Não terão mais fome, nem terão mais sede, nem se abaterá sobre eles o sol, nem calor abrasador, 17 porque o Cordeiro, que está no meio do trono, os pastoreará e os guiará a fontes de águas da vida. E Deus enxugará toda lágrima dos olhos deles.”
O rei é uma ovelha, um cordeiro. Ele é também
O Guia.

Foi dito por Jeová em relação aos súditos do reino: (Ezequiel 34:22-24) 22 E eu vou salvar as minhas ovelhas e elas não mais se tornarão algo a ser saqueado; e vou julgar entre ovídeo e ovídeo. 23 E vou suscitar sobre elas um só pastor e ele terá de apascentá-las, sim, meu servo Davi. Ele mesmo as apascentará e ele mesmo se tornará seu pastor. 24 E eu mesmo, Jeová, me tornarei seu Deus, e meu servo Davi, maioral no meio delas. Eu, Jeová, é que falei.   (Ezequiel 34:31) 31 “‘E no que se refere a vós, minhas ovelhas, ovelhas do meu pasto, vós sois homens terrenos. Eu sou vosso Deus’, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová.. . .
Os súditos também são ovelhas. O Cordeiro os pastoreará; o Cordeiro é também um Pastor e Guia. Certamente, a nova lei dada por Jeová objetiva a manter todos os humanos na condição de ovelhas. Certamente, a nova lei objetiva ensinar ao ser humano a como se tornar uma ovelha e a como se manter indefinidamente como uma ovelha. O Guia mostrou o COMO cumprir esta lei.

Reconhece que esta lei se originou de Jeová?? Reconhece que Jesus é um porta-voz, um profeta de Jeová, profeta este que repetiu com exatidão todas as palavras saídas da boca de Jeová destinadas aos humanos? Reconhece que Jeová confiava plenamente em Jesus e que Jesus recebeu um selo de "aprovado por Jeová"?? Reconhece que para conhecer a Jeová, nós dependemos de "acreditar na palavra falada por Jesus"?? Então receba a nova Lei dada por Jeová e intermediada por Jesus.

ESTA É A NOVA LEI.

INTRODUÇÃO

(Mateus 5:3-7:29) 3 “Felizes os cônscios de sua necessidade espiritual, porque a eles pertence o reino dos céus. 4 “Felizes os que pranteiam, porque serão consolados. 5 “Felizes os de temperamento brando, porque herdarão a terra. 6 “Felizes os famintos e sedentos da justiça, porque serão saciados. 7 “Felizes os misericordiosos, porque serão tratados com misericórdia. 8 “Felizes os puros de coração, porque verão a Deus. 9 “Felizes os pacíficos, porque serão chamados ‘filhos de Deus’. 10 “Felizes os que têm sido perseguidos por causa da justiça, porque a eles pertence o reino dos céus. 11 “Felizes sois quando vos vituperarem e perseguirem, e, mentindo, disserem toda sorte de coisas iníquas contra vós, por minha causa. 12 Alegrai-vos e pulai de alegria, porque a vossa recompensa é grande nos céus; pois assim perseguiram os profetas antes de vós. 13 “Vós sois o sal da terra; mas, se o sal perder a sua força, como se lhe restabelecerá a sua salinidade? Não presta mais para nada, senão para ser lançado fora, a fim de ser pisado pelos homens. 14 “Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade situada sobre um monte. 15 As pessoas acendem uma lâmpada e a colocam, não debaixo do cesto de medida, mas no velador, e ela brilha sobre todos na casa. 16 Do mesmo modo, deixai brilhar a vossa luz perante os homens, para que vejam as vossas obras excelentes e dêem glória ao vosso Pai, que está nos céus. 17 “Não penseis que vim destruir a Lei ou os Profetas. Não vim destruir, mas cumprir; 18 pois, deveras, eu vos digo que antes passariam o céu e a terra, do que passaria uma só letra menor ou uma só partícula duma letra da Lei sem que tudo se cumprisse. 19 Quem, portanto, violar um destes mínimos mandamentos e ensinar a humanidade neste sentido, será chamado ‘mínimo’ com relação ao reino dos céus. Quanto àquele que os cumprir e ensinar, esse será chamado ‘grande’ com relação ao reino dos céus. 20 Pois eu vos digo que, se a vossa justiça não abundar mais do que a dos escribas e fariseus, de modo algum entrareis no reino dos céus.


ARTIGO UM

21 “Ouvistes que se disse aos dos tempos antigos: ‘Não deves assassinar; mas quem cometer um assassínio terá de prestar contas ao tribunal de justiça.’ 22 No entanto, digo-vos que todo aquele que continuar furioso com seu irmão terá de prestar contas ao tribunal de justiça; mas, quem se dirigir a seu irmão com uma palavra imprópria de desprezo terá de prestar contas ao Supremo Tribunal; ao passo que quem disser: ‘Tolo desprezível!’, estará sujeito à Geena ardente.

ARTIGO DOIS

23 “Se tu, pois, trouxeres a tua dádiva ao altar e ali te lembrares de que o teu irmão tem algo contra ti, 24 deixa a tua dádiva ali na frente do altar e vai; faze primeiro as pazes com o teu irmão, e então, tendo voltado, oferece a tua dádiva. 25 “Resolve prontamente os assuntos com aquele que se queixa de ti em juízo, enquanto ainda estás com ele em caminho para lá, para que, de algum modo, o queixoso não te entregue ao juiz, e o juiz, ao oficial de justiça, e sejas lançado na prisão. 26 Eu te digo categoricamente: Certamente não sairás dali até pagares a última moeda de pouco valor.

ARTIGO TRÊS

27 “Ouvistes que se disse: ‘Não deves cometer adultério.’ 28 Mas eu vos digo que todo aquele que persiste em olhar para uma mulher, a ponto de ter paixão por ela, já cometeu no coração adultério com ela. 29 Se, pois, aquele olho direito teu te faz tropeçar, arranca-o e lança-o para longe de ti. Porque é mais proveitoso para ti que percas um dos teus membros, do que ser todo o teu corpo lançado na Geena. 30 Também, se a tua mão direita te faz tropeçar, corta-a e lança-a para longe de ti. Porque te é mais proveitoso perder um dos teus membros, do que todo o teu corpo acabar na Geena.

ARTIGO QUATRO

31 “Outrossim, foi dito: ‘Quem se divorciar de sua esposa, dê-lhe certificado de divórcio.’ 32 No entanto, eu vos digo que todo aquele que se divorciar de sua esposa, a não ser por causa de fornicação, expõe-na ao adultério, e quem se casar com uma mulher divorciada comete adultério.

ARTIGO QUINTO

33 “Novamente, ouvistes que se disse aos dos tempos antigos: ‘Não deves jurar sem cumprir, mas tens de pagar os teus votos a Jeová.’ 34 No entanto, eu vos digo: Não jureis absolutamente, nem pelo céu, porque é o trono de Deus; 35 nem pela terra, porque é o escabelo de seus pés; nem por Jerusalém, porque é a cidade do grande Rei. 36 Tampouco deves jurar pela tua cabeça, porque não podes tornar nem um só cabelo branco ou preto. 37 Deixai simplesmente que a vossa palavra Sim signifique Sim, e o vosso Não, Não; pois tudo o que for além disso é do iníquo.

ARTIGO SEXTO

38 “Ouvistes que se disse: ‘Olho por olho e dente por dente.’ 39 No entanto, eu vos digo: Não resistais àquele que é iníquo; mas, a quem te esbofetear a face direita, oferece-lhe também a outra. 40 E, se alguém quiser levar-te perante o tribunal para obter posse de tua roupa interior, deixa-o ter também a tua roupa exterior; 41 e, se alguém sob autoridade te obrigar a prestar serviço por mil passos, vai com ele dois mil. 42 Dá ao que te pede e não te desvies daquele que deseja tomar emprestado de ti [sem juros].

ARTIGO SETE

43 “Ouvistes que se disse: ‘Tens de amar o teu próximo e odiar o teu inimigo.’ 44 No entanto, eu vos digo: Continuai a amar os vossos inimigos e a orar pelos que vos perseguem; 45 para que mostreis ser filhos de vosso Pai, que está nos céus, visto que ele faz o seu sol levantar-se sobre iníquos e sobre bons, e faz chover sobre justos e sobre injustos. 46 Pois, se amardes aos que vos amam, que recompensa tendes? Não fazem também a mesma coisa os cobradores de impostos? 47 E, se cumprimentardes somente os vossos irmãos, que fazeis de extraordinário? Não fazem também a mesma coisa as pessoas das nações? 48 Concordemente, tendes de ser perfeitos, assim como o vosso Pai celestial é perfeito.

ARTIGO OITO

6Tomai muito cuidado em não praticardes a vossa justiça diante dos homens, a fim de serdes observados por eles; do contrário não tereis recompensa junto de vosso Pai que está nos céus. 2 Portanto, quando fizeres dádivas de misericórdia, não toques a trombeta diante de ti, assim como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem glorificados pelos homens. Deveras, eu vos digo: Eles já têm plenamente a sua recompensa. 3 Mas tu, quando fizeres dádivas de misericórdia, não deixes a tua esquerda saber o que a tua direita está fazendo, 4 para que as tuas dádivas de misericórdia fiquem em secreto; então o teu Pai, que está olhando em secreto, te pagará de volta.

ARTIGO NOVE

5 “Também, quando orardes, não deveis ser como os hipócritas; porque eles gostam de orar em pé nas sinagogas e nas esquinas das ruas largas, para serem vistos pelos homens. Deveras, eu vos digo: Eles já têm plenamente a sua recompensa. 6 Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto particular, e, fechando a tua porta, ora a teu Pai que está em secreto; então o teu Pai, que olha em secreto, te pagará de volta. 7 Mas, ao orares, não digas as mesmas coisas vez após vez, assim como fazem os das nações, pois imaginam que serão ouvidos por usarem de muitas palavras. 8 Portanto, não vos façais semelhantes a eles, porque Deus, vosso Pai, sabe de que coisas necessitais antes de lhe pedirdes.

ARTIGO DEZ

9 “Portanto, tendes de orar do seguinte modo: “‘Nosso Pai nos céus, santificado seja o teu nome. 10 Venha o teu reino. Realize-se a tua vontade, como no céu, assim também na terra. 11 Dá-nos hoje o nosso pão para este dia; 12 e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós também temos perdoado aos nossos devedores. 13 E não nos leves à tentação, mas livra-nos do iníquo.’

ARTIGO ONZE

14 “Pois, se perdoardes aos homens as suas falhas, também o vosso Pai celestial vos perdoará; 15 ao passo que, se não perdoardes aos homens as suas falhas, tampouco o vosso Pai vos perdoará as vossas falhas.

ARTIGO DOZE

16 “Quando jejuardes, parai de ficar com o rosto triste, como os hipócritas, pois desfiguram os seus rostos para que pareça aos homens que estão jejuando. Deveras, eu vos digo: Eles já têm plenamente a sua recompensa. 17 Mas tu, quando jejuares, unta a tua cabeça e lava o rosto, 18 para que não pareça aos homens que estás jejuando, mas ao teu Pai, que está em secreto; então o teu Pai, que olha em secreto, te recompensará.

ARTIGO TREZE

19 “Parai de armazenar para vós tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem consomem, e onde ladrões arrombam e furtam. 20 Antes, armazenai para vós tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde ladrões não arrombam nem furtam. 21 Pois, onde estiver o teu tesouro, ali estará também o teu coração. 22 “A lâmpada do corpo é o olho. Se, pois, o teu olho for singelo, todo o teu corpo será luminoso; 23 mas, se o teu olho for iníquo, todo o teu corpo será escuro. Se, na realidade, a luz que está em ti é escuridão, quão grande é essa escuridão!

ARTIGO QUATORZE

24 “Ninguém pode trabalhar como escravo para dois amos; pois, ou há de odiar um e amar o outro, ou há de apegar-se a um e desprezar o outro. Não podeis trabalhar como escravos para Deus e para as Riquezas.

ARTIGO QUINZE

25 “Por esta razão eu vos digo: Parai de estar ansiosos pelas vossas almas, quanto a que haveis de comer ou quanto a que haveis de beber, ou pelos vossos corpos, quanto a que haveis de vestir. Não significa a alma mais do que o alimento e o corpo mais do que o vestuário? 26 Observai atentamente as aves do céu, porque elas não semeiam nem ceifam, nem ajuntam em celeiros; contudo, vosso Pai celestial as alimenta. Não valeis vós mais do que elas? 27 Quem de vós, por estar ansioso, pode acrescentar um só côvado à duração de sua vida? 28 Também no assunto do vestuário, por que estais ansiosos? Aprendei uma lição dos lírios do campo, como eles crescem; não labutam nem fiam; 29 mas eu vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, se vestia como um destes. 30 Se Deus, pois, veste assim a vegetação do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, não vestirá ele tanto mais a vós, ó vós os de pouca fé? 31 Portanto, nunca estejais ansiosos, dizendo: ‘Que havemos de comer?’ ou: ‘Que havemos de beber?’ ou: ‘Que havemos de vestir?’ 32 Porque todas estas são as coisas pelas quais se empenham avidamente as nações. Pois o vosso Pai celestial sabe que necessitais de todas essas coisas. 33 “Persisti, pois, em buscar primeiro o reino e a Sua justiça, e todas estas [outras] coisas vos serão acrescentadas. 34 Portanto, nunca estejais ansiosos quanto ao dia seguinte, pois o dia seguinte terá as suas próprias ansiedades. Basta a cada dia o seu próprio mal.

ARTIGO DEZESSEIS

7Parai de julgar, para que não sejais julgados; 2 pois, com o julgamento com que julgais, vós sereis julgados; e com a medida com que medis, medirão a vós. 3 Então, por que olhas para o argueiro no olho do teu irmão, mas não tomas em consideração a trave no teu próprio olho? 4 Ou, como podes dizer a teu irmão: ‘Permite-me tirar o argueiro do teu olho’, quando, eis que há uma trave no teu próprio olho? 5 Hipócrita! Tira primeiro a trave do teu próprio olho, e depois verás claramente como tirar o argueiro do olho do teu irmão.

ARTIGO DEZESSETE

6 “Não deis aos cães o que é santo, nem lanceis as vossas pérolas diante dos porcos, para que nunca as pisem debaixo dos seus pés, e, voltando-se, vos dilacerem.

ARTIGO DEZOITO

7 “Persisti em pedir, e dar-se-vos-á; persisti em buscar, e achareis; persisti em bater, e abrir-se-vos-á. 8 Pois, todo o que [persistir em] pedir, receberá, e todo o que [persistir em] buscar, achará, e a todo o que [persistir em] bater, abrir-se-á. 9 Deveras, qual é o homem entre vós, cujo filho lhe peça pão — será que lhe entregará uma pedra? 10 Ou talvez lhe peça um peixe — será que lhe entregará uma serpente? 11 Portanto, se vós, embora iníquos, sabeis dar boas dádivas a vossos filhos, quanto mais o vosso Pai, que está nos céus, dará boas coisas aos que lhe pedirem!

ARTIGO DEZENOVE

12 “Todas as coisas, portanto, que quereis que os homens vos façam, vós também tendes de fazer do mesmo modo a eles; isto, de fato, é o que a Lei e os Profetas querem dizer.

ARTIGO VINTE

13 “Entrai pelo portão estreito; porque larga e espaçosa é a estrada que conduz à destruição, e muitos são os que entram por ela; 14 ao passo que estreito é o portão e apertada a estrada que conduz à vida, e poucos são os que o acham.

ARTIGO VINTE E UM

15 “Vigiai-vos dos falsos profetas que se chegam a vós em pele de ovelha, mas que por dentro são lobos vorazes. 16 Pelos seus frutos os reconhecereis. Será que se colhem uvas dos espinhos ou figos dos abrolhos? 17 Do mesmo modo, toda árvore boa produz fruto excelente, mas toda árvore podre produz fruto imprestável; 18 a árvore boa não pode dar fruto imprestável, nem pode a árvore podre produzir fruto excelente. 19 Toda árvore que não produz fruto excelente é cortada e lançada no fogo. 20 Realmente, pois, pelos seus frutos reconhecereis estes [homens].

ARTIGO VINTE E DOIS

21 “Nem todo o que me disser: ‘Senhor, Senhor’, entrará no reino dos céus, senão aquele que fizer a vontade de meu Pai, que está nos céus. 22 Muitos me dirão naquele dia: ‘Senhor, Senhor, não profetizamos em teu nome e não expulsamos demônios em teu nome, e não fizemos muitas obras poderosas em teu nome?’ 23 Contudo, eu lhes confessarei então: Nunca vos conheci! Afastai-vos de mim, vós obreiros do que é contra a lei.

ARTIGO VINTE E TRÊS

24 “Portanto, todo aquele que ouve ESTAS minhas palavras e as pratica será comparado a um homem discreto, que construiu a sua casa sobre a rocha. 25 E caiu a chuva, e vieram as inundações, e sopraram os ventos e açoitaram a casa, mas ela não se desmoronou, pois tinha sido fundada na rocha. 26 Além disso, todo aquele que ouve ESTAS minhas palavras e não as pratica será comparado a um homem tolo, que construiu a sua casa sobre a areia. 27 E caiu a chuva, e vieram as inundações, e sopraram os ventos e bateram contra aquela casa, e ela se desmoronou, e foi grande a sua queda.”

CONCLUSÃO

28 Ora, quando Jesus tinha terminado com ESTAS palavras, o efeito foi que as multidões ficaram assombradas com o seu modo de ensinar; 29 pois ele as ensinava como quem tinha autoridade, e não como seus escribas.

A divisão apresentada acima não é oficial, tampouco pretende ser. Este site nunca discutirá esta divisão. Foi assim dividida apenas para mostrar a existência de uma lei dada por Jeová e intermediada por Jesus. Algo novo, um vinho novo. Jesus viveu esta lei na íntegra e revelou-se uma ovelha. Jesus mostrou COMO cumprir integralmente esta lei. Esta é a única lei que realmente produz ovelhas autênticas. Esta é a única lei que ensina o que é ser um “humano abnegado”. É a única lei que produz “humanos abnegados”. Esta é a única lei que produz seres humanos altruístas. É a única lei que produz “homens pacíficos”. O criador desta lei é o próprio Jeová. Uma das principais características da ovelha é ela não fazer qualquer mal, mesmo quando está sendo morta.

É impossível tornar-se uma ovelha autêntica sem obedecer a TODOS os artigos desta nova lei. Se você precisa de um líder para poder obedecer a esta lei, você já tem, Jesus. Ele já deu o exemplo em COMO obedecer a esta lei; ele afirmou: “vim cumprir a lei”.

Esta lei é de valor inestimável; um verdadeiro tesouro composto de diversas pérolas, as pérolas do reino. Você se esforça para obter e não perder, aquelas coisas que você atribui um ALTO valor, coisas pelas quais você passa a ter ALTA estima. “Onde estiver o teu tesouro, ali estará o teu coração”, estas foram as palavras saídas da boca de Jesus. Isto significa que “eu” preciso ver esta lei como um tesouro e sentir por ela uma Alta estima.

Esta lei está em vigor para todos os alunos de Jesus, desde o dia em que foi pronunciada no Monte.

Os católicos precisam ouvir o papa, seu líder espiritual, afirmar que esta lei está valendo, para levá-la plenamente em conta, assim como os protestantes também precisam ouvir esta mesma afirmação de seus líderes. Será que existe exceção para esta regra??

Será que deveriam eles dar ouvidos a (acreditar em) outros que não fossem seus próprios líderes humanos??

Alguns cristãos têm até mesmo afirmado que não precisam obedecer a esta lei, pois isto seria somente para alguém perfeito assim como Jesus, logo, se dispensam de obedecer a todos os artigos desta lei, passando a dar razão e obedecer outros humanos que afirmaram não ser necessário obedecer a todos os artigos desta lei, apontando até mesmo as afirmações destes humanos dentro da bíblia, dentro das “Escrituras”. Percebe-se o valor e a estima que estes cristãos individuais dão e sentem por esta lei.

Não deve o discípulo copiar o seu Mestre?? Não deve o discípulo ser guiado pelo seu Mestre?? Como afirmar ser discípulo de alguém e copiar as atitudes de outra pessoa, atitudes opostas a daquele que você afirma ser seu Guia e Mestre??

Outros afirmam ainda que esta lei é para ser cumprida somente no futuro à frente, quando todos os humanos forem perfeitos. No entanto, como poderão oferecer a outra face quando não houver ofensor?? E se por um acaso aparecer um ofensor, não se afirma que tal ofensor deverá ser sumariamente destruído??

Como poderão amar o inimigo, quando se afirma que qualquer um que praticar qualquer ação de um inimigo, deverá ser sumariamente destruído??

Esta é uma lei que valoriza a vida, que me revela qual deve ser a minha atitude em relação a uma vida que me é agressiva. Normalmente, o humano passa a desvalorizar o inimigo, adotando medidas de represália, que podem ir, desde o afastamento até a destruição daquela vida. Julgar e condenar aquela vida é o primeiro passo. Julgar e condenar ocorre primeiro no interior da vítima. Logo depois, a vítima passa a externar aquilo que ela tem no seu coração. No entanto, esta lei revela um sentimento diferente que levará a ações diferentes. Esta lei afirma que é para continuar AMAR o inimigo, continuar a cumprimentar o inimigo, isto é, não rebaixá-lo a uma condição de descartável; não é para rebaixar o valor de tal pessoa nem para si mesmo e nem para outros. Bem, isto é valorizar a “vida” do inimigo. Nunca desvalorize a vida, mesmo que ele se comporte como teu inimigo. Neste caso, apesar dele sentir inimizade por mim e demonstrar seu sentimento de inimizade, eu tenho de CONTINUAR a amá-lo e demonstrar meu sentimento de amizade. Logo, ressentimento e vingança são os sentimentos negativos que realmente não podem existir em mim, pois me IMPOSSIBILITAM amar um inimigo. Realmente, esta é uma coisa incrível. Realmente, você tem de pensar muito, raciocinar muito sobre isto, para permitir que esta “palavra” possa modificar teu sentimento por um agressor ativo ou passivo.

O que ocorre se esta pessoa passar a afrontar ou mesmo ferir alguém que seja do meu contínuo convívio, como uma esposa, um filho, um neto, etc?? Segundo a lei de Jeová retransmitida por Jesus, eu devo continuar a amar tal pessoa com o mesmo amor que se sente por um amigo.

Não se trata de uma coisa fácil de entender, aceitar e praticar.

A pergunta continua de pé: Quando obedecer a todos os artigos desta lei?? Não guardar ressentimento, não se vingar; amar o inimigo; perdoar todas as dívidas, inclusive as financeiras; não armazenar nada; não se tornar um juiz para o pecador, não condenar o pecador, não desejar qualquer mal ao ofensor, quer seja contra mim, contra um parente, contra um amigo ou até mesmo um ofensor contra Deus; não deixar de cumprimentar o inimigo; não despreze (rebaixe) ninguém, quer em palavras, quer em ações, não se eleve sobre ninguém, quer em palavras, quer em ações. Não te sintas melhor do que ninguém. Não sinta desprezo por ninguém. Quando é que eu devo começar a obedecer esta lei?? Quando é que esta lei passará a valer para mim??

Você reparou que a lei destaca todo o tempo os SENTIMENTOS?? Que valor tem o “sentimento” para cada humano?? São os “sentimentos” que ANTECEDEM e COMANDAM todas as palavras e todas as ações de cada humano. Neste caso, que valor tem esta lei??

Esta lei contem “coisas velhas e novas”, isto é, contém muitos mandamentos já entregues a Moisés, embora não cumpridos, e mandamentos novos, adicionais aos anteriores. São coisas novas que explicam coisas velhas.

Uma das “coisas velhas”, isto é, um mandamento, uma pérola, entregue a Moisés, é o “não deves tomar vingança e não deves guardar ressentimento”. Este foi um dos mandamentos que Jesus teve de MOSTRAR aos demais humanos o COMO obedecer.

Este mandamento, esta pérola, foi realmente entregue a Moisés?? Como então surgiu o mandamento de “olho por olho, dente por dente, 100% oposto ao que foi entregue a Moisés, e que foi obedecido por toda nação?? Bem, isto está sendo analisado em: “olho por olho” OU “não tomeis vingança?”

Os humanos até então consideravam a lei dada por Moisés como uma coisa valiosa, como uma pérola. Ora, como assim??

Segundo Moisés, as nações ao redor os elogiariam e os chamariam de sábios e entendidos, justamente em face dos mandamentos que ele estava dando a eles.

Ao referir-se àquela lei dada por ele, Moisés fez este seguinte comentário: (Deuteronômio 4:5-6) 5 Vede, eu vos ensinei regulamentos e decisões judiciais, assim como me ordenou Jeová, meu Deus, para procederdes deste modo no meio da terra à qual ides para tomar posse dela. 6 E tereis de guardá-los e cumpri-los, porque isso é sabedoria da vossa parte e entendimento da vossa parte diante dos olhos dos povos que ouvirão [falar] destes regulamentos, e eles certamente dirão: ‘Esta grande nação é indubitavelmente um povo sábio e entendido.’

Assim verte a Tradução Almeida:

(Deuteronômio 4:5-6) 5 Eis que vos ensinei estatutos e preceitos, como o Senhor meu Deus me ordenou, para que os observeis no meio da terra na qual estais entrando para a possuirdes. 6 Guardai-os e observai-os, porque isso é a vossa sabedoria e o vosso entendimento à vista dos povos, que ouvirão todos estes, estatutos, e dirão: Esta grande nação é deveras povo sábio e entendido.

Continuou falando Moisés: (Deuteronômio 4:8) 8 E que grande nação há que tenha regulamentos justos e decisões judiciais semelhantes a toda esta lei que HOJE ponho diante de vós?

Assim verte a Tradução Almeida:

(Deuteronômio 4:8) 8 E que grande nação há que tenha estatutos e preceitos tão justos como toda esta lei que HOJE ponho perante vós?

Segundo Moisés, os mandamentos que ele estava colocando diante deles naquele dia eram pérolas de sabedoria.

Como reconhecer uma pérola??

Será que o mandamento “dente por dente e olho por olho” era uma pérola de sabedoria a ser elogiada pelos outros povos??

A chave para reconhecer uma pérola, um mandamento pérola, uma joia de mandamento encontra-se na personalidade do próprio Jeová.

Para que o mandamento seja uma pérola verdadeira, ele não pode afrontar a nenhum dos dentes desta chave.

O mandamento “olho por olho” é a negação do perdão, logo, nunca poderia ser uma verdadeira pérola.

Os mandamentos retransmitidos por Jesus possuem os dentes da chave, revelando assim a sua fonte, isto é, a personalidade do próprio Jeová.

Os mandamentos que saem do interior de Jeová são pérolas, são pérolas de sabedoria.

Em face disto, qual foi a pergunta que Jeová fez para Jeremias em relação a sabedoria da lei que eles estavam obedecendo??

Assim perguntou Jeová: (Jeremias 8:8) 8 “‘Como podeis dizer: “Somos sábios e a lei de Jeová está conosco”? Seguramente, pois, o estilo falso dos secretários trabalhou em pura falsidade.

Assim verte a Tradução Almeida:

(Jeremias 8:8) 8 Como pois dizeis: Nós somos sábios, e a lei do Senhor está conosco? Mas eis que a falsa pena dos escribas a converteu em mentira.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Jeremias 8:8) 8 Como dizeis: Nós somos sábios, e a lei de Jeová está conosco? Mas, na verdade, eis que a falsa pena dos escribas a converteu em mentira.

Alguém perguntaria: Jeová permitiria que isto acontecesse e que tais mandamentos estivessem registrados nas Escrituras??

Jeová não impede que o humano pratique o erro. Jeová é o livre-arbítrio em pessoa.

Este é um dos dentes da chave.

Topo desta página