FILHOS RECEBENDO PUNIÇÕES PELOS ERROS DOS PAIS??

Criada em 10/10/2007 Última modificação em 04/07/14



Os pais comem as uvas verdes e os dentes dos filhos é que ficam embotados




Você gostaria de pagar pelo erro do seu pai? Ficaria satisfeito em saber que sua vida seria tirada por causa do erro de seu ancestral? Dificilmente.

Ficaria satisfeito em estar enterrando um filho seu, muito amado, por causa de um erro do seu rei? Dificilmente. Parece que os israelitas também não gostaram de viver esta situação temporária. Um relacionamento assim soa como injustiça e gerou o dito proverbial acima. Em certa ocasião tiveram de chorar a morte de setenta mil israelitas por causa do erro de Davi, seu rei. Suponha que aquele filho que você tanto ama, seu filho querido estivesse na relação dos mortos. Que sentimentos nutriria por Davi? Acharia que Jeová estava sendo justo? Acharia que Jeová estava sendo injusto??

Havia um mandamento e havia uma punição prevista, não havia?? Sim, tanto havia, como o próprio Davi foi avisado em relação a ela. Embora houvesse sido questionado, Davi insistiu em satisfazer a Sua vontade.

O oposto talvez fosse melhor. Independente de minha atuação no presente, serei ricamente favorecido por causa de um ancestral. Pela boa atuação do meu rei serei ricamente favorecido, muito embora eu não mereça nada do que vou herdar. Definitivamente, esta situação é bem mais agradável, mas sinceramente, não me sentiria nada bem em estar nesta situação. Soa como favoritismo, protecionismo, parcialidade.

Será que Jeová estabeleceu esta base de relacionamento como a forma que Ele trataria toda a humanidade??

Será que a humanidade ficaria dividida com dois grupos??

Um grupo dos favorecidos em face do acerto de um homem em oposição a outros grupos formados por todos os demais não descendentes deste glorioso humano??

Mas, estranho como pareça, estas foram duas das condições do "acordo" ou "pacto" que o Criador estabeleceu com a nação de Israel.

Será que existe algo a ser entendido com o passar do tempo??

Seria este o definitivo relacionamento de Deus com a humanidade??

Estas foram as palavras saídas da boca de Jeová: Êxodo 20:5,6 5 Não te deves curvar diante delas, nem ser induzido a servi-las, porque eu, Jeová, teu Deus, sou um Deus que exige devoção exclusiva, trazendo punição pelo erro dos pais sobre os filhos, sobre a terceira geração e sobre a quarta geração no caso dos que me odeiam, 6 mas usando de benevolência para com a milésima geração no caso dos que me amam e que guardam os meus mandamentos.
Êxodo 34:6,7 6 E Jeová ia passando diante da sua face e declarando: “Jeová, Jeová, Deus misericordioso e clemente, vagaroso em irar-se e abundante em benevolência e em verdade, 7 preservando a benevolência para com milhares, perdoando o erro, e a transgressão, e o pecado, mas de modo algum isentará da punição, trazendo punição pelo erro dos pais sobre os filhos e sobre os netos, sobre a terceira geração e sobre a quarta geração.”
Números 14:17,18
17 E agora, por favor, torne-se grande o teu poder, ó Jeová, assim como falaste, dizendo: 18 ‘Jeová, vagaroso em irar-se e abundante em benevolência, perdoando erro e transgressão, mas ele de modo algum eximirá da punição, trazendo punição pelo erro dos pais sobre os filhos, sobre a terceira geração e sobre a quarta geração.’
Deuteronômio 5:9,10
9 Não te deves curvar diante delas, nem ser induzido a servi-las, porque eu, Jeová, teu Deus, sou um Deus que exige devoção exclusiva, trazendo punição pelo erro dos pais sobre os filhos, e sobre a terceira geração e sobre a quarta geração, no caso dos que me odeiam, 10 mas usando de benevolência para com a milésima geração no caso dos que me amam e que guardam os meus mandamentos.

Séculos depois, o povo questionava o Criador quanto a este item do acordo ou pacto. O Todo-Sábio Criador passou a explicar-lhes aquilo que Ele queria que seus filhos enxergassem e falou-lhes a respeito de um futuro "acordo" ou "pacto" a ser firmado com eles. Jeová queria que vissem: Um relacionamento assim é horrível.

Como poderia haver um julgamento com base individual, plenamente justo e definitivo para todos, em um relacionamento em que o filho é "beneficiado pelo acerto" do ancestral ou recebe "punição pelo erro" do ancestral? 

Que definitivo julgamento individual poderia haver, por exemplo, para os 70.000 que foram mortos pelo anjo de Jeová pelo erro de Davi?

Sendo um filho escolhido para ser ensinado e outro não ensinado, ou seja, foi produzido um ambiente mais favorável para um filho do que para outro não havendo isonomia. As condições teriam de ser iguais para todos os filhos antes do julgamento individual destes. Nos coloquemos no lugar dos não ensinados. É uma condição de igualdade?

Certamente, Jeová não é iníquo.

Os não ensinados estavam agindo de forma iníqua. Deviam ser eliminados?? Os ensinados queriam que fosse assim. No entanto, os ensinados também estavam agindo de forma iníqua, aliás, de forma mais iníqua do que os não ensinados. O que eles desejavam?? Desejavam ser perdoados.

Os que estão sendo ensinados devem receber perdão por suas iniquidades e os não ensinados devem receber a eliminação. Não existe algo errado neste desejo humano?? Bem, este era o desejo dos que foram escolhidos para serem ensinados.

Jó e seus companheiros tinham o "conceito humano" até então acreditado de que ao humano iníquo e aos filhos dos iníquos, o Criador daria todas as pragas, só as pragas, enquanto ao humano justo e a seus filhos, o Criador daria coisas boas, só coisas boas. Façamos uma análise deste conceito em: quem é o iníquo?

Quer ouvir a palavra do Todo-Sábio Criador sobre este dito proverbial criado pelos israelitas?

Em certa parte do diálogo, o Criador afirma: Assim falou o Criador em Jeremias 31:28-30: 28 “E terá de acontecer que assim como fiquei alerta para com eles para desarraigar, e para demolir, e para derrubar, e para destruir, e para danificar, assim ficarei alerta para com eles para edificar e para plantar”, é a pronunciação de Jeová. 29 “Naqueles dias não se dirá mais: ‘Os pais foram os que comeram a uva verde, mas foram os dentes dos filhos que ficaram embotados.’ 30 Mas cada um morrerá pelo seu próprio erro. Qualquer homem que comer uva verde, os seus é que serão os dentes que ficarão embotados.”

O Criador admite haver um relacionamento em que “filhos são punidos pelo erro dos pais”, entretanto, de forma lógica, relaciona o “naqueles dias” (futuro) em que não se dirá mais tal dito proverbial, com os dias do cumprimento do novo pacto. No mesmo diálogo, dando seqüência na sua explicação para seu povo, assim falou o Criador sobre o novo pacto em Jeremias 31:31-34: 31 “Eis que vêm dias”, é a pronunciação de Jeová, “e eu vou concluir um novo pacto com a casa de Israel e com a casa de Judá; 32 não um igual ao pacto que concluí com os seus antepassados no dia em que os tomei pela mão para os tirar da terra do Egito, ‘pacto meu que eles próprios violaram, embora eu mesmo tivesse a posse marital deles’, é a pronunciação de Jeová”. 33 “Pois este é o pacto que concluirei com a casa de Israel depois daqueles dias”, é a pronunciação de Jeová. “Vou pôr a minha lei no seu íntimo e a escreverei no seu coração. E vou tornar-me seu Deus e eles mesmos se tornarão meu povo.” 34 “E não mais ensinarão, cada um ao seu companheiro e cada um ao seu irmão, dizendo: ‘Conhecei a Jeová!’ porque todos eles me conhecerão, desde o menor deles até o maior deles”, é a pronunciação de Jeová. “Porque perdoarei seu erro e não me lembrarei mais do seu pecado.”

Estava o Pai Jeová agindo arbitrariamente durante aquele tempo??

Óbvio que não. Aqueles homens finalmente perceberiam o quanto eles estavam sendo permanentemente perdoados durante todo o tempo. Desta forma, na mente deles deixaria de fazer sentido aquele dito proverbial.

Entendi. Tudo era uma questão de percepção daqueles humanos pactuados.

Como o tempo é o aliado da verdade, havia necessidade de tempo. Durante este tempo, os humanos pactuados tinham muitos pensamentos sobre o que representava aquele relacionamento dedicado exclusivamente a eles.

No entanto, a verdade seria descoberta por eles no tempo devido.

E quanto ao Pai Jeová??

Ora, o Pai Jeová era Aquele que estava ensinado as lições, não era??

Bem, o Professor sabe toda a matéria. Quem não sabe a matéria são os alunos. Até aprenderem o que está na mente do Professor, os alunos presumem muitas coisas e tomam decisões com base em suas prematuras conclusões.

Entretanto, o Criador também havia colocado outro item no primeiro pacto: perdoando erro e transgressão, mas ele de modo algum eximirá da punição.

Será que o Pai Jeová é aquele tipo de pessoa que não exime ninguém da punição??

Segundo a Versão TNM, o Criador perdoaria o erro, a transgressão e o pecado, MAS o pecado não ficaria sem a devida punição. Ele não abriria mão da punição - mas ele de modo algum eximirá da punição.

Neste caso, se trava de um Deus de plena justiça, não é mesmo??

No entanto, fica uma grande contradição na mesma afirmação.

Antes de tal frase, está registrada uma outra informação: Vou perdoar o erro, a transgressão e o pecado”.

Vamos recorrer a uma outra Tradução??

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Êxodo 20:5-6) 5 Não as adorarás, nem lhes darás culto, porque eu, Jeová teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos, na terceira e na quarta geração daqueles que me aborrecem, 6 e uso misericórdia até mil gerações daqueles que me amam e guardam os meus mandamentos.

Assim verte a Tradução Almeida:

(Êxodo 20:5-6) 5 Não te encurvarás diante delas, nem as servirás; porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam. 6 e uso de misericórdia com milhares dos que me amam e guardam os meus mandamentos.

Bem, estas duas Traduções nos oferecem uma visão diferente: Nos apresentam o termo “visitar”.

Vamos tentar entender??

Vamos verificar o significado e uso da palavra “visitar”;

Visitaresta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: percorrer fiscalizando; inspecionar, vistoriar; manisfestar-se (Deus) aos homens; fazer visitas mutuamente; conviver..

visitar

v. (1365) 1 t.d. ir ver (alguém), por cortesia, dever, afeição etc. no local em que se encontra <foi v. a madrinha> 2 t.d. ir conhecer, rever ou percorrer com determinada finalidade <visita muitos museus nas férias> 3 t.d. ir atender (doente) em seu domicílio ou leito hospitalar <o médico visita várias famílias no bairro> 4 t.d. percorrer fiscalizando; inspecionar, vistoriar <inspetores visitam a fábrica mensalmente> 5 t.d. manifestar-se a, aparecer a <a tristeza visita-o frequentemente> 6 t.d. manifestar-se (Deus) aos homens <Deus visitou-o em seu martírio> 7 pron. fazer visitas mutuamente; conviver, dar-se com <são parentes afastados que nunca se visitam> ¤ gram a respeito da conj. deste verbo, ver -itar ¤ etim lat. visìto,as,ávi,átum,áre 'ver muitas vezes, visitar' ¤ hom visita(3ªp.s.), visitas(2ª p.s.) / visita(s.f.) e pl.


O que faria Jeová??

Ele conviveria com os pecados dos pais, dos filhos, dos netos e dos bisnetos (quatro gerações).

Não foi exatamente isto o que O Pai Jeová fez??

O que informou o Pai para Abraão??

TNM reza:

(Gênesis 15:13-16) 13 E ele começou a dizer a Abrão: “Sabe com certeza que o teu descendente se tornará residente forasteiro numa terra que não é sua; e eles terão de servir-lhes, e estes certamente os atribularão por quatrocentos anos. 14 Mas eu estou julgando a nação à qual servirão, e depois sairão com muitos bens. 15 Quanto a ti, irás em paz para os teus antepassados; serás enterrado numa boa velhice. 16 Na quarta geração, porém, voltarão para cá, porque ainda não se completou o erro dos amorreus.”



Havia necessidade de completar o erro dos amorreus??

Durante quanto tempo??

Durante quatrocentos anos?? Durante quatro gerações??

Será que os descendentes de Abraão tinham algum parentesco com os amorreus??

O que Jeová falou centenas de anos depois de Moisés??

TMN reza:

(Ezequiel 16:1-3) 16 E a palavra de Jeová veio a mim adicionalmente, dizendo: 2 Filho do homem, faze saber a Jerusalém as suas coisas detestáveis. 3 E terás de dizer: ‘Assim disse o Soberano Senhor Jeová a Jerusalém: “Tua origem e teu nascimento é da terra do cananeu. Teu pai era amorreu e tua mãe hitita.



Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel 16:1-3) 1 Veio a mim a palavra de Jeová, dizendo: 2 Filho do homem, faze conhecer a Jerusalém todas as suas abominações, 3 e dize: Assim diz o Senhor Jeová a Jerusalém: A tua origem, e a tua natividade, vem da terra dos cananeus; o amorreu era teu pai, e tua mãe era hetéia.

Filhos de amorreus?? Sim, filhos de amorreus. Era assim que o Pai Jeová os via.

Durante quatrocentos anos Jeová estava inspecionando o erro do descendente dos amorreus.

Depois de quatrocentos anos, haverá uma geração que retornará para onde??

Para a terra de Canaã.

Quem foi que padeceu no Egito por quatrocentos anos??

Não foram os descendentes dos amorreus??

Será que as ações dos descendentes dos amorreus no caso Diná, precisava ser visitado pelo Pai durante as quatro gerações (quatrocentos anos)??

O que aqueles descendentes dos amorreus haviam feito??

ATMN reza:

(Gênesis 34:25-29) 25 No entanto, sucedeu que no terceiro dia, quando sentiam dores, os dois filhos de Jacó, Simeão e Levi, irmãos de Diná, passaram a tomar cada um a sua espada e a ir insuspeitos à cidade, e mataram todo macho. 26 E a Hamor e a Siquém, seu filho, mataram ao fio da espada. Tiraram então Diná da casa de Siquém e saíram. 27 Os outros filhos de Jacó atacaram os homens mortalmente feridos e foram saquear a cidade, porque haviam aviltado a sua irmã. 28 Tomaram os seus rebanhos, e as suas manadas, e os seus jumentos, e o que havia na cidade e o que havia no campo. 29 E a todos os seus meios de subsistência, e a todas as suas criancinhas, e as esposas deles levaram cativas, de modo que saquearam tudo o que havia nas casas.

Será que toda esta carnificina, engano, roubo e escravizar mulheres e crianças não representava um erro a ser exaltado, percebido, lamentado por todas as gerações destes descendentes dos amorreus??

Será que os filhos condenavam estas ações de seus antepassados ou será que repetiram os mesmos erros dos antepassados??

Será que se envergonhavam destas ações de seus antepassados??

Será que passaram a matar todo macho, deixando vivos apenas mulheres e crianças do sexo feminino, roubando todos os tesouros e ainda escravizando tais mulheres e crianças??

Não foi exatamente isto o que fizeram??

Não foi exatamente um descendente de Levi que tomou a iniciativa de voltar a praticar tais abominações na terra de Canaã??

Não foi exatamente um descendente de Levi que definiu que tais ações eram a coisa certa a ser feita com os demais habitantes da terra de Canaã??

Depois de mais de quatrocentos anos, os descendentes dos amorreus voltaram a praticar os mesmos crimes hediondos na terra de Canaã??

Sim, a história está registrada.

Embora tivessem passado quatrocentos anos como escravos, e escravos atribulados, recebendo em si mesmos aquilo que haviam promovido para outros (escravidão), eles não passaram a condenar as ações de seus antepassados, antes, passaram a repetir as mesmas ações de seus antepassados, dando total aprovação àquelas ações.

O que mais disse o Pai Jeová para Ezequiel em relação aos descendentes dos amorreus??

A TMN reza:

(Ezequiel 16:4-6) 4 E quanto ao teu nascimento, no dia em que nasceste não te foi cortado o cordão umbilical e não foste lavada em água para purificação, e não foste esfregada com sal, e de modo algum foste enfaixada. 5 Nenhum olho teve dó de ti para fazer-te uma destas coisas em compaixão para contigo, mas foste lançada na superfície do campo, porque se abominava a tua alma no dia em que nasceste. 6 “‘“E eu vim passando por ti e cheguei a ver-te espernear no teu sangue, e passei a dizer-te no teu sangue: ‘Continua vivendo!’ sim, a dizer-te no teu sangue: ‘Continua vivendo!’



Após o cometimento deste crime hediondo, Jeová os orientou a irem para Betel, longe dos olhos das testemunhas de tal crime hediondo. Certamente se abominava a alma deste descendente de amorreus.

(Gênesis 35:1) 35 Deus disse depois a Jacó: “Levanta-te, sobe a Betel e mora ali, e faze ali um altar ao [verdadeiro] Deus que te apareceu quando fugiste de Esaú, teu irmão.”



O Pai Jeová não exterminou estes descendentes de amorreus. O erro destes amorreus devia ser reconhecido tanto pelos praticantes, como por seus descendentes. Deviam envergonhar-se grandemente por tais crimes.

Que reação haviam tido estes homens, logo após tal carnificina?? O que disseram??

A TNM reza:

(Gênesis 34:31) 31 Disseram, por sua vez: “Havia alguém de tratar nossa irmã como prostituta?”



Achavam-se plenamente justificados de terem praticado uma carnificina.

O que faria o Pai Jeová??

Continuaria visitando o erro dos descendentes dos amorreus, mantendo um relacionamento com tais praticantes de crimes hediondos.

Certamente que o Pai Jeová tinha um objetivo educativo em mente.

Ao final, o que faria o Pai??

O que o Pai prometeu ao ensinado que rejeitou os mandamentos do Pai Jeová e abominou os estatutos do Pai Jeová??

O Pai Jeová prometeu que perdoaria todos os erros e pecados deste rebelde filho escolhido e ensinado.

Tradução Brasileira verte:

(Ezquiel 16:59-63) 59 Pois assim diz o Senhor Jeová: Também te farei a ti, como fizeste, tu que desprezaste o juramento, invalidando a aliança. 60 Contudo eu me lembrarei da minha aliança contigo nos dias da tua mocidade, e estabelecerei contigo uma aliança eterna. 61 Então te lembrarás dos teus caminhos, e ficarás envergonhada, quando receberes as tuas irmãs, as irmãs mais velhas e bem assim as irmãs mais moças; e tas darei por filhas, porém não pela tua aliança. 62 Eu estabelecerei a minha aliança contigo e saberás que eu sou Jeová, 63 para que te lembres, e fiques confundida, e não abras mais a tua boca por causa da tua vergonha; quando eu te houver perdoado tudo o que fizeste, diz o Senhor Jeová.

- “Vou perdoar TUDO o que fizestes. Você se envergonhará”.

O Criador perdoaria todos os erros da nação ensinada. E quanto aos não ensinados, poderia deixar de perdoar? Ele é Imparcial na plenitude da palavra. 100% Imparcial.

O Pai Jeová tem os Seus princípios como invioláveis por Ele. É a inviolabilidade de princípios que dão ao Pai Jeová a condição de Santo.

Topo da página