TER FÉ EM MIM – O QUE SIGNIFICA REALMENTE

Criada em 14/08/09 - Modificada em 23/01/14 às 08 : 31





Jesus veio estabelecer a diferença entre o certo e o errado, entre o bem o mal, entre o que era pecado e o que não era pecado, e entre verdade e mentira.

Neste caso, Jesus era a verdade. No entanto, antes de Jesus estar entre os humanos como carne e sangue, já existiam muitas informações fielmente seguidas pelos humanos, como se estas informações tivessem a Jeová como origem.

O que aconteceria se as informações dadas por Jesus fossem opostas a estas informações fielmente seguidas por milênios??

Será que os humanos aceitariam como verdade as informações dadas por Jesus??

Qual é a importância de se ter fé em Jesus? O próprio Jesus responde: (João 6:28-29) 28 Disseram-lhe, portanto: “Que devemos fazer para realizar as obras de Deus?” 29 Em resposta, Jesus disse-lhes: “Esta é a obra de Deus, QUE EXERÇAIS FÉ NAQUELE A QUEM ESTE ENVIOU.”

Assim verte a Tradução Almeida:

(João 6:28-29) 28 Pergutaram-lhe, pois: Que havemos de fazer para praticarmos as obras de Deus? 29 Jesus lhes respondeu: A obra de Deus é esta: Que CREIAIS naquele que ele enviou.



Assim verte a Tradução Brasileira:

(João 6:28-29) 28 Eles lhe perguntaram: Que havemos de fazer para praticar as obras de Deus? 29 Respondeu-lhes Jesus: A obra de Deus é esta, que CREIAIS naquele que ele enviou.



Jesus disse mais: (João 6:40) 40 POIS ESTA É A VONTADE DE MEU PAI, QUE TODO AQUELE QUE OBSERVA O FILHO E EXERCE FÉ NELE TENHA VIDA ETERNA, E EU O RESSUSCITAREI NO ÚLTIMO DIA.”

Assim verte a Tradução Almeida:

(João 6:40) 40 Porquanto esta é a vontade de meu Pai: Que todo aquele que vê o Filho e CRÊ nele, tenha a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(João 6:40) 40 Pois esta é a vontade de meu Pai, que todo o que vê o Filho do homem e nele CRÊ, tenha a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia.



Este é o desejo do Pai, esta é a obra do Pai: “Exerçais fé no Filho; Tenhais fé no Filho”.

O que é fé??

– Esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: confiança absoluta (em alguém ou em algo)

s.f. (1111) 1 rel no catolicismo, a primeira das três virtudes teologais 2 sistema de crenças religiosas; religião <fé cristã> 3 confiança absoluta (em alguém ou em algo); crédito <um homem digno de fé> 4 asseveração, afirmação, comprovação de algum fato <em fé do que dizia, apresentou uma documentação> 5 compromisso assumido de ser fiel à palavra dada <violou a fé que devia ao amigo> 6 jur credibilidade que deve ser dada ao documento no qual se funda, resultando disso a própria veracidade do documento ² fé conjugal jur fidelidade conjugal • fé de carvoeiro a crença cega das pessoas ingênuas e simples • fé de ofício jur 1 fé baseada na honra profissional de quem atesta ou abona 2 folha de serviço de servidor público civil ou militar • fé pública jur crédito que se deve dar a documentos emanados de autoridades públicas ou serventuários da justiça, em virtude da função ou ofício exercido • fé púnica falsidade, perfídia, má-fé • à falsa fé deslealmente; traiçoeiramente <apunhalou-o pelas costas à falsa fé>à fé com certeza; na verdade • dar fé 1 jur afirmar como verdade; testificar, dar por fé 2 jur garantir, por encargo legal, a autenticidade de (texto, documento, assinatura etc.); dar por fé 3 perceber, notar, ver <um distraído que jamais dá fé do que se passa a sua volta>dar por fé m.q. dar fé ('afirmar', 'garantir') • fazer fé 1 merecer crédito 2 dar testemunho autêntico • fazer fé em m.q. ter fé emlevar fé infrm. acreditar em (alguém ou algo) <levava fé naquele rapaz>ter fé merecer crédito • ter fé em depositar confiança em; acreditar; fazer fé em ¤ etim lat. fìdes,éi 'fé, crença (no sentido religioso), engajamento solene etc.' ¤ sin/var ver sinonímia de confiança ¤ ant ver antonímia de confiança ¤ hom fés(pl.) / fez \é\ (s.f.) ¤ par (s.m.); fés(pl.) / fês(pl.fê[s.m.]) e fez \ê\ (fl.fazer e s.m.)


Os discípulos de Jesus devem ter confiança absoluta em Jesus, tanto em suas ações como em suas palavras.

Será que os apóstolos sabiam o que era ter fé em Jesus??

Que conceito será que tinham sobre fé??

Será que fé é algo que se possa dar para outra pessoa??

(Lucas 17:5-6) 5 Os apóstolos disseram então ao Senhor: Dá-nos mais fé.” 6 O Senhor disse então: “Se tivésseis fé do tamanho dum grão de mostarda, diríeis a esta amoreira-preta: ‘Sê desarraigada e plantada no mar!’ e ela vos obedeceria.


Assim verte a Tradição Almeida:

(Lucas 17:5-6) 5 Disseram então os apóstolos ao Senhor: Aumenta-nos a fé. 6 Respondeu o Senhor: Se tivésseis fé como um grão de mostarda, diríeis a esta amoreira: Desarraiga-te, e planta-te no mar; e ela vos obedeceria.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Lucas 17:5-6) 5 Disseram os apóstolos ao Senhor: Aumenta-nos a fé. 6 O Senhor respondeu: Se tivésseis fé como um grão de mostarda, diríeis a este sicômoro: Arranca-te e transplanta-te no mar; e ele vos obedeceria.

Bem, o que notamos?? Notamos que o sentido ficaria muito estranho sendo vertido por dá-nos mais fé. Notamos que o sentido mais correto seria o aumenta-nos a fé.

Como podia Jesus aumentar a fé destes homens??

O que os outros judeus concluíram sobre a questão de ter fé em Jesus??

Eles falaram as seguintes palavras:

(João 6:30-31) 30 Disseram-lhe, portanto: “O que, então, realizas como sinal, a fim de que [o] vejamos e ACREDITEMOS em ti? Que obra estás fazendo? 31 Nossos antepassados comeram o maná no ermo, assim como está escrito: ‘Ele lhes deu pão do céu para comer.’. . .


Assim verte a Tradução Almeida:

(João 6:30-31) 30 Perguntaram-lhe, então: Que sinal, pois, fazes tu, para que o vejamos e te CREIAMOS? Que operas tu? 31 Nossos pais comeram o maná no deserto, como está escrito: Do céu deu-lhes pão a comer.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(João 6:30-31) 30 Perguntaram-lhe, pois: Que milagre operas tu, para que o vejamos e te CREIAMOS? que fazes tu? 31 Nossos pais comeram o maná no deserto, como está escrito: Deu-lhes a comer pão do céu.

Pelo que entendemos das palavras destes homens, Jesus tinha de fornecer a eles algum motivo suficientemente forte para que eles viessem a confiar em Jesus. Esta confiança em Jesus estava condicionada a Jesus fazer algo especial.

Esta é uma teoria humana. Este é um comportamento comum aos humanos.

Vejamos oque aconteceu no caso de Moisés:

Depois de escolhido para revelar ao povo as informações dadas por Jeová, o que falou Moisés e o que fez Jeová??

(Êxodo 4:1-9) 4 No entanto, Moisés disse em resposta: Mas, suponhamos que não me acreditem e não escutem a minha voz, pois irão dizer: ‘Jeová não te apareceu.’” 2 Jeová disse-lhe então: “Que é isso na tua mão?” ao que ele disse: “Um bastão.” 3 Disse-lhe, pois: “Lança-o na terra.” De modo que o lançou na terra e ele se tornou uma serpente; e Moisés começou a fugir dela. 4 Jeová disse então a Moisés: “Estende tua mão e segura-a pela cauda.” De modo que estendeu sua mão e a segurou, e ela se tornou um bastão na palma da sua mão. 5 “A fim de que”, conforme disse, “eles acreditem que te apareceu Jeová, o Deus de seus antepassados, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó”. 6 Jeová disse-lhe então mais uma vez: “Por favor, mete tua mão na dobra superior da tua roupa.” De modo que meteu sua mão na dobra superior da sua roupa. Quando a retirou, ora, eis que sua mão estava atacada de lepra semelhante à neve! 7 Depois disse: “Retorna tua mão à dobra superior da tua roupa.” De modo que retornou sua mão à dobra superior da sua roupa. Quando a retirou da dobra superior da sua roupa, ora, eis que se restabelecera igual ao resto da sua carne! 8 “E tem de dar-se que”, conforme disse, “se não te acreditarem e não escutarem a voz do primeiro sinal, então certamente acreditarão na voz do sinal posterior. 9 Contudo, tem de dar-se que, se não acreditarem nem mesmo nestes dois sinais e não escutarem a tua voz, então terás de tomar água do rio Nilo e derramá-la na terra seca; e a água que tomarás do rio Nilo certamente se tornará, sim, deveras se tornará sangue em terra seca.”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Êxodo 4:4-9) 1 Respondeu Moisés: Mas eis que não me crerão, nem ouvirão a minha voz, pois dirão: Jeová não te apareceu. 2 Perguntou-lhe Jeová: Que é isso que tens na tua mão? Respondeu-lhe: Uma vara. 3 Continuou Jeová: Deita-a no chão. Ele deitou-a no chão, e ela se converteu em cobra; e Moisés fugiu dela. 4 Então disse Jeová a Moisés: Estende a mão e pega-lhe pela cauda (estendeu ele a mão e pegou-lhe, e ela se tornou em vara na sua mão); 5 para que creiam que te apareceu Jeová, o Deus de teus pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó. 6 Disse-lhe mais Jeová: Mete a tua mão no teu seio. Quando a tirou, eis que a sua mão estava leprosa, tão branca como a neve. 7 Torna a meter, disse Jeová, a tua mão no teu seio. (Tornou ele a meter a mão no seio; e, quando a tirou segunda vez, eis que havia tornado como o restante da sua carne.) 8 Se não te crerem, nem ouvirem a voz do primeiro prodígio, crerão a voz do segundo prodígio. 9 Se nem ainda crerem a estes dois prodígios, nem ouvirem a tua voz, tomarás da água do rio e a derramarás sobre a terra; a água que tirares do rio tornar-se-á em sangue sobre a terra.

Moisés achava necessário estar de posse de vários sinais incomuns para comprovar que Deus havia falado com ele, um humano.

Respeitando o livre-arbítrio de Moisés, Jeová lhe concedeu o poder para praticar sinais incomuns.

Os sinais incomuns precederiam a palavra retransmitida por Moisés. Moisés poderia usar tais sinais para confirmar que Jeová havia falado com ele e que o havia enviado, no entanto, como Moisés poderia comprovar que as informações que ele estava dando ao povo eram um simples REPETIÇÃO das palavras saídas da boca de Jeová?? Como Moisés poderia comprovar?? Havia alguma forma de Moisés comprovar que Jeová lhe havia falado determinada palavra??

Independente dos sinais, o povo precisava confiar em Moisés.

Olha gente, eu não tenho como comprovar que as palavras faladas por Jeová foram estas, no entanto, vocês precisam confiar em mim, no entanto, eu tenho estes sinais que comprovam que Ele falou comigo. Nenhum deles havia participado daquela conversa particular entre Moisés e Jeová e não havia nenhuma testemunha daquele diálogo.

Independente dos sinais, o povo precisava ter confiança absoluta em Moisés.

Existia outra alternativa??

Confiar – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: acreditar na sinceridade e nas boas intenções de (alguém) crer.

confiar

v. (sXIII) 1 bit. e pron. pôr (algo, alguém ou a si próprio) sob a guarda ou os cuidados de pessoa, instituição etc., em quem se tenha confiança <confiamos-lhe as chaves de nossa casa> <c.-se a Deus> 2 bit. entregar (a alguém ou a algo) a responsabilidade de um trabalho, missão etc.; incumbir <confiou-lhe a educação dos filhos> 3 bit. revelar [a alguém] (sentimentos íntimos, segredos, informações confidenciais etc.) <não confie suas inquietações a ninguém, sob pena de desmoralizar-se> 4 t.i.int. acreditar na sinceridade e nas boas intenções de (alguém); crer <c. nas palavras do presidente> <se não existe alternativa, o melhor é c.> ¤ etim lat. *confidáre por confidère 'fiar-se de ou em; pôr confiança em; esperar' ¤ sin/var ver sinonímia de incumbir ¤ ant desconfiar


Acreditar é uma ação pessoal, assim como obedecer e desobedecer.

Logo depois de terem saído do Egito, que prova de confiança absoluta em Moisés revelaram ter os descendentes de Jacó??

(Deuteronômio 5:23-27) 23 E sucedeu que, assim que ouvistes a voz do meio da escuridão, enquanto o monte ardia com fogo, passastes a chegar-vos a mim, todos os cabeças das vossas tribos e todos os vossos anciãos. 24 Então dissestes: ‘Eis que Jeová, nosso Deus, nos mostrou a sua glória e a sua grandeza, e ouvimos a sua voz do meio do fogo. Neste dia vimos que Deus pode falar com o homem e que este realmente pode continuar vivendo. 25 E agora, por que devíamos morrer, visto que este grande fogo nos pode consumir? Se novamente ouvirmos ainda mais a voz de Jeová, nosso Deus, então certamente morreremos. 26 Pois, quem há de toda a carne, que tenha ouvido a voz do Deus vivente falar do meio do fogo, assim como nós, e ainda continue vivendo? 27 Chega-te tu e ouve tudo o que Jeová, nosso Deus, disser; e serás tu quem nos falará tudo o que Jeová, nosso Deus, te falar, e certamente escutaremos e [o] faremos.’


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Deuteronômio 5:23-27) 23 Quando ouvistes a voz do meio das trevas, enquanto ardia o monte em fogo, viestes ter comigo, a saber, todos os cabeças das vossas tribos, e os vossos anciãos; 24 e dissestes: Eis que Jeová nosso Deus nos fez ver a sua glória e a sua grandeza, e ouvimos a sua voz do meio do fogo; hoje vimos que Deus fala com o homem, e este continua a viver. 25 Agora, pois, porque havemos de morrer? Este grande fogo nos consumirá; se nós tornarmos a ouvir a voz de Jeová nosso Deus, morreremos. 26 Pois quem há de toda a carne, que tenha ouvido a voz do Deus vivente falar do meio do fogo, como nós a ouvimos, e tenha continuado a viver? 27 Tu chega-te mais, e ouve tudo o que Jeová nosso Deus disser; tu nos falarás tudo o que Jeová nosso Deus te falar a ti, e ouvindo-o, o cumpriremos.

O povo dispensou o ouvir os mandamentos diretamente da boca de Jeová, ou seja, continuar ouvindo aquela voz que já estavam ouvindo.

Tu nos falarás tudo o que Jeová te falar e nós obedeceremos.

Confiança absoluta em Moisés.

Independente do que Jeová fale contigo, nós obedeceremos.

Como saberiam se o que Moisés falava com eles tinha sido falado por Jeová para Moisés??

Tinham de ter confiança absoluta em Moisés, não tinham??



TER FÉ EM MIM – O QUE JESUS QUERIA DIZER COM ESTA EXPRESSÃO

MANDAMENTO o que é? Segundo a definição de certo dicionário mandamento é:

MANDAMENTO s.m. Ação ou efeito de mandar. / Ordem, mandado. / Voz de comando./ Preceito do decálogo, preceito da Igreja.

Faça isto, não faça aquilo, faça assim, faça assim como eu estou fazendo, pare de fazer isto, são exemplos de mandamentos.

A ordem é para ser obedecida. As ordens de Jesus têm de ser obedecidas.

MEUS MANDAMENTOS – É igual a “Minhas ordens”.

As palavras de Jesus em relação às ordens dadas por Jeová através dele foram assim escritas por quem às receberam: (João 14:15-21) 15Se me amardes, observareis os MEUS MANDAMENTOS; 16 e eu solicitarei ao Pai e ele vos dará outro ajudador para estar convosco para sempre, 17 o espírito da verdade, que o mundo não pode receber, porque nem o observa nem o conhece. Vós o conheceis, porque permanece convosco e está em vós. 18 Não vos deixarei orfanados. Vou ter convosco. 19 Mais um pouco e o mundo não me observará mais, mas vós me observareis, porque eu vivo e vós vivereis. 20 Naquele dia sabereis que estou em união com o meu Pai, e vós estais em união comigo, e eu estou em união convosco. 21 Quem tem os MEUS MANDAMENTOS e os observa, este é o que me ama. Por sua vez, quem me ama, será amado por meu Pai, e eu o amarei e me mostrarei claramente a ele.”

Observar os mandamentos de Jesus é igual a obedecer aos mandamentos de Jesus. (João 15:9-10) 9 Assim como o Pai me tem amado e eu vos tenho amado, permanecei no meu amor. 10 Se observardes os MEUS MANDAMENTOS, permanecereis no meu amor, assim como eu tenho observado os mandamentos do Pai e permaneço no seu amor.

Jesus obedecia aos mandamentos do Pai.

(João 15:11-12) . . .. 12 Este é o MEU MANDAMENTO, que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei.

O QUE EU VOS MANDO – O que eu vos mando fazer. Minha ordem. Uma ordem é um mandado.

(João 15:13-14) . . .. 14 Vós sois meus amigos, se fizerdes O QUE VOS MANDO.

(João 15:17) 17Estas coisas EU VOS MANDO, que vos ameis uns aos outros.

MINHAS PALAVRAS – ESTAS MINHAS PALAVRAS. MINHAS DECLARAÇÕES. Se mostrará ser um discípulo, aquele que obedecer EXCLUSIVAMENTE as declarações de seu MESTRE. Ele compara as declarações de outras pessoas, mesmo as mais íntimas que ame muito, com as declarações do seu MESTRE e sempre PERMANECE com as declarações de seu MESTRE.

DISCÍPULO – Esta é a definição de certo dicionário para a palavra discípulo.

DISCÍPULO  s.m. O que recebe disciplina ou instrução de outro; aluno. / Pessoa que adota uma doutrina: discípulo de Platão. / O que segue as idéias ou imita os exemplos de outro: discípulo de Hegel.

O bom discípulo é aquele que ouve as palavras do Mestre e as pratica, isto é, aceita e começa a praticar, enquanto que o mau discípulo é aquele que, embora ouça as palavras do Mestre, pode até mesmo achá-las bonitas, mas não começa a praticá-las. Revelará que aceitou a palavra do Mestre, aquele aluno que começar a praticar o que lhe foi mandado fazer. OBSERVAR A PALAVRA” É ACEITAR A “DECLARAÇÃO” OUVIDA E COMEÇAR A PRATICÁ-LA. Para que isto aconteça, o discípulo precisa ter confiança absoluta em seu mestre. “Palavra do Mestre” é aquela declaração que saiu da boca do Mestre. É aquela que ainda não foi distorcida.

Quando Jesus falava em "MINHAS PALAVRAS" referia-se unicamente àquelas frases que saiam de sua boca, que na verdade eram mera repetição das palavras saídas da boca de seu Pai.

(João 14:23-24) 23 Em resposta, Jesus disse-lhe: “Se alguém me amar, observará A MINHA PALAVRA, e meu Pai o amará, e nós iremos a ele e faremos a nossa residência com ele. 24 Quem não me ama, não observa AS MINHAS PALAVRAS; e a palavra QUE ESTAIS OUVINDO não é minha, mas pertence ao Pai que me enviou.

(Mateus 7:24-27) 24Portanto, todo aquele que ouve ESTAS MINHAS PALAVRAS e as pratica será comparado a um homem discreto, que construiu a sua casa sobre a rocha. 25 E caiu a chuva, e vieram as inundações, e sopraram os ventos e açoitaram a casa, mas ela não se desmoronou, pois tinha sido fundada na rocha. 26 Além disso, todo aquele que ouve ESTAS MINHAS PALAVRAS e não as pratica será comparado a um homem tolo, que construiu a sua casa sobre a areia. 27 E caiu a chuva, e vieram as inundações, e sopraram os ventos e bateram contra aquela casa, e ela se desmoronou, e foi grande a sua queda.”

(Lucas 9:26-27) 26 Porque todo aquele que ficar envergonhado de mim e DAS MINHAS PALAVRAS, deste o Filho do homem se envergonhará quando chegar na sua glória e na de seu Pai e dos santos anjos. 27 Mas eu vos digo em verdade: Há alguns dos em pé aqui, que não provarão absolutamente a morte, até que primeiro vejam o reino de Deus.”

PALAVRAS é o mesmo que DECLARAÇÕES. Tinham de acreditar nas declarações de Jesus. (João 5:45-47) 45 Não penseis que vos hei de acusar perante o Pai; há um que vos acusa, Moisés, em quem depositastes a vossa esperança. 46 De fato, se acreditásseis em Moisés, teríeis acreditado em mim, porque este escreveu a meu respeito. 47 Mas, se não acreditais nos escritos desse, como acreditareis nas MINHAS DECLARAÇÕES?”

(João 15:6-7) . . .. 7 Se permanecerdes em união comigo e as MINHAS DECLARAÇÕES permanecerem em vós, pedi o que quiserdes e ocorrerá para vós.

DEPOSITAR FÉ EM MIM” É IGUAL A DEPOSITAR FÉ NAQUILO QUE EU FALO

Muitos acreditavam em Jesus POR CAUSA da ressurreição de Lázaro (sinal realizado). Lázaro era a prova viva permanente de que Jesus tinha a aprovação do Deus de Abraão, Deus adorado pelos sacerdotes e demais judeus. Alguns sacerdotes queriam eliminar esta prova viva permanente, o motivo de muitos judeus depositarem fé nas afirmações de Jesus. (João 12:10-11) 10 Os principais sacerdotes deliberaram matar também Lázaro, 11 visto que por causa dele muitos dos judeus iam para lá e DEPOSITAVAM FÉ em Jesus.

Em face daquela ação de Jesus, muitos começavam a ter confiança naquilo que Jesus falava, ou seja, passavam a vê-lo como uma pessoa digna de confiança.

Apesar de tantas obras feitas, tantos sinais realizados, não acreditaram nas palavras faladas por este que realizava tais obras. Tinham de depositar fé na coisa ouvida. A “coisa ouvida” era a palavra saída da boca de Jesus. (João 12:37-40) 37 Mas, embora tivesse realizado tantos sinais na frente deles, NÃO DEPOSITAVAM Fé nele, 38 de modo que se cumpriu a palavra de Isaías, o profeta, que disse: “Jeová, quem DEPOSITOU FÉ NA COISA OUVIDA por nós? E quanto ao braço de Jeová, a quem tem sido revelado?” 39 A razão por que não podiam crer é que Isaías disse novamente: 40Cegou-lhes os olhos e endureceu-lhes os corações, para que não vissem com os seus olhos, nem compreendessem o pensamento com os seus corações, nem se voltassem e eu os sarasse.”. . .

(João 12:42-43) 42 De qualquer modo, muitos dos próprios governantes depositavam REALMENTE FÉ NELE, mas, por causa dos fariseus, não [o] confessavam, a fim de que não fossem expulsos da sinagoga; 43 pois amavam mais a glória dos homens do que mesmo a glória de Deus.

Depositar fé em mim é ACREDITAR nas "minhas declarações", nas coisas que eu falo. Depositar fé em mim é igual a ouvir "minhas declarações" e as guardar, aceitá-las e praticá-las. É necessário confiança absoluta naquele que fala. O que estou falando é uma repetição daquilo que o Pai me falou. (João 12:44-50) 44 No entanto, Jesus clamou e disse: “Quem depositar FÉ EM MIM, deposita fé, não [somente] em mim, mas [também] naquele que me enviou; 45 e quem me observar, observa [também] aquele que me enviou. 46 Eu vim como luz ao mundo, a fim de que todo aquele que depositar FÉ EM MIM não permaneça na escuridão. 47 Mas, se alguém ouvir as MINHAS DECLARAÇÕES e não as guardar, eu não o julgo; pois não vim julgar o mundo, mas salvar o mundo. 48 Quem me desconsiderar e não receber as MINHAS DECLARAÇÕES, tem quem o julgue. A palavra que eu tenho falado é que o julgará no último dia; 49 porque não falei de meu próprio impulso, mas o próprio Pai que me enviou tem-me dado um mandamento quanto a que dizer e que falar. 50 Sei também que o seu mandamento significa vida eterna. Portanto, as coisas QUE EU FALO, assim como o Pai mas disse, assim [as] falo.”

Exercer fé em mim é igual a ACREDITAR em mim. (João 14:1-2) 14Não se aflijam os vossos corações. Exercei fé em Deus, exercei fé também EM MIM. 2 Na casa de meu Pai há muitas moradas. . .

Assim como exercer fé em Deus não é simplesmente acreditar que Ele existe, o mesmo ocorre no caso de exercer fé em Jesus. Exercer fé em Jeová envolve acreditar nas palavras que "saem de Sua boca". Acreditar nas palavras, envolve ACEITÁ-LAS como "pura verdade". Aceitá-las como pura verdade envolve "praticá-las continuamente" em toda e qualquer circunstância. Envolve ir ao ponto de entregar pacificamente a vida defendendo esta afirmação divina. Exercer fé em Jesus envolve ACREDITAR que as palavras que saem de sua boca são uma REPETIÇÃO EXATA das palavras saídas da boca do Pai.

Exemplificando, uma das afirmações divinas repetidas por Jesus foi: amai ao próximo. Está envolvido não deixar de amá-lo nunca; mesmo quando este está agindo como um inimigo, tenho de continuar a amá-lo. Trata-se de um amor incondicional. Isto envolve não tomar nenhuma ação que o fira ou que o prejudique. Envolve não pedir a ninguém que o fira ou o prejudique, nem mesmo a Jeová. Envolve não desejar que ele morra ou que seja morto, o que seria vingança. Envolve não sentir nenhuma inimizade por ele. Jesus tinha fé em Jeová; Jesus mostrou como é que se faz. Jesus mostrou como é que se ama o próximo de forma incondicional.

Os sinais, as obras poderosas, identificavam inegavelmente a Jesus como um homem de Deus, no entanto, suas palavras, suas declarações, eram difíceis de se aceitar, ou seja, os ouvintes questionavam as declarações e achavam que Jesus estava errado nas declarações. As obras certamente eram divinas, como negá-las?? Um homem que estivera morto e colocado no túmulo por dias estava agora vivo. Como negar isto?? No entanto, o que dizer das declarações?? (João 3:1-2) 3 Ora, havia um homem dos fariseus, cujo nome era Nicodemos, um governante dos judeus. 2 Este veio a ele de noite e disse-lhe: “Rabi, sabemos que tu, como instrutor, tens vindo de Deus; pois, ninguém pode realizar esses sinais que tu realizas, a menos que Deus esteja com ele.”

Vejamos agora um exemplo de pessoas que depositaram fé em Jesus. Vejamos como estes humanos se comportaram e o que afirmaram.

(João 4:39-42) 39 Ora, muitos samaritanos daquela cidade depositaram nele fé por causa da palavra da mulher que dissera em testemunho: “Ele me disse todas as coisas que fiz.” 40 Portanto, chegando-se a ele os samaritanos, começaram a pedir-lhe que ficasse com eles; e ficou ali dois dias. 41 Em conseqüência disso, muitos mais creram por causa do que dizia, 42 e começaram a dizer à mulher: “Não é mais pela tua conversa que cremos; porque nós mesmos temos ouvido e sabemos que este homem certamente é o salvador do mundo.”



Depositaram fé porque:


Em face das declarações de Jesus, a que conclusão estes samaritanos chegaram em relação a Jesus??



Estes homens não eram adoradores de Jeová, em Jerusalém, mas reconheceram as palavras. Eles adoravam o que não conheciam. Salvador do mundo – esta foi a afirmação feita por eles em face das palavras que eles ouviram sair da boca de Jesus.

Jesus foi reconhecido como “salvador”, em face das palavras faladas por ele.

Não deviam os adoradores de Jeová em Jerusalém reconhecer a Jesus como salvador do mundo em face das palavras faladas por Jesus??

Nicodemos, uma autoridade entre os judeus, rendeu-se ao fato de que Jesus era um homem enviado por Deus; os sinais eram evidentes demais. Assim, Nicodemos passou a ter fé ou acreditar que Jesus tinha sido enviado por Deus. No entanto, as palavras faladas por Jesus eram estranhas ao ouvido de Nicodemos; eram palavras difíceis de aceitar. Nicodemos tinha de ter fé nas palavras faladas por Jesus; Nicodemos não tinha esta fé. Nicodemos preferia continuar acreditando nas afirmações anteriores às de Jesus, que eram afirmações contrárias, e nas quais ele depositava fé desde a sua infância. Nicodemos não acreditava nas afirmações de Jesus. Nicodemos não aceitava as afirmações que ele ouvia sair da boca de Jesus como afirmações verdadeiras. Se as afirmações de Jesus fossem verdadeiras, isto representava que ele tinha vivido uma mentira até aquele momento, que tinha acreditado em uma mentira.

Um dos exemplos de declarações de Jesus que eram difíceis de aceitar é esta: (Mateus 5:38-42) 38Ouvistes que se disse: ‘Olho por olho e dente por dente.’ 39 No entanto, EU VOS DIGO: Não resistais àquele que é iníquo; mas, a quem te esbofetear a face direita, oferece-lhe também a outra. 40 E, se alguém quiser levar-te perante o tribunal para obter posse de tua roupa interior, deixa-o ter também a tua roupa exterior; 41 e, se alguém sob autoridade te obrigar a prestar serviço por mil passos, vai com ele dois mil. 42 Dá ao que te pede e não te desvies daquele que deseja tomar emprestado de ti [sem juros].

Esta é uma declaração 100% oposta ao que se considerava certo até então. Até aquele momento, a vítima tinha o direito de retribuir o mal sofrido, desde que fosse à mesma proporção. Agora vem Jesus e afirma que a vítima não tem mais o direito de retribuir o mal sofrido; afirma que a vítima tem de perdoar o ofensor, ficar com o prejuízo causado pelo ofensor, não ficar ofendido com o ofensor e ainda por cima lhe oferecer outra chance. Abra mão da vingança proporcional. Perdoar e esquecer que sofreu ofensa daquela pessoa. Assim, a partir daquele momento, se a vítima retribuir o mal, estará indo contra a declaração de Jesus. E esta reação seria para todos os pecados, para todas as ofensas?? Se eu estiver sendo atacado, não posso atacar em legítima defesa?? Isto significa que também não tenho direito a compensação financeira em nenhum caso?? Ora, isto é exatamente o oposto a tudo o que eu aprendi até hoje, diria um judeu qualquer. Isto é o oposto ao que está nas Escrituras, diria um sacerdote. Questionaria um sacerdote ou outra autoridade entre os judeus: “Jesus, como é que eu vou acreditar em você?? Jesus, como é que eu posso ter confiança absoluta em você?? Jesus, somente quem não conhece a lei é que pode acreditar nestas palavras”. Diria finalmente: “Jesus, estas tuas palavras são palavras contra a lei”. Depois diria a Jesus: “Jesus, não vades além das coisas escritas”.

O que servia de impedimento para que aquele conhecedor da lei passasse a ter confiança absoluta em Jesus?? Não era a própria lei??

Moisés comprovou que Deus falara com ele e nos deu estes mandamentos. Nós temos confiança absoluta em Moisés.

E se alguém roubar meu dinheiro obtido com muito trabalho, o que devo fazer?? Assim foi declarado por Jesus: (Lucas 6:30) 30 Dá a todo o que te pedir, E DAQUELE QUE TE TIRAR TUAS COISAS, NÃO [AS] PEÇAS DE VOLTA.

Aceitar este fato e pronto?? Deixar pra lá?? É esta a atitude de uma vítima?? Segundo a declaração de Jesus, sim, esta tinha de ser a atitude da vítima. Abrir mão de toda e qualquer retribuição por todo e qualquer mal recebido. Isto significa passar todo o tempo perdoando as atitudes agressivas e maldosas de outras pessoas, sem tomar nenhuma ação contra aquela pessoa, qualquer pessoa de qualquer nacionalidade?? Segundo a declaração de Jesus, sim. A autoridade constituída certamente questionaria: Onde fica a “justiça” neste caso?? Como descontinuar as punições?? Isto pode se transformar em um caos.

Neste caso, a vítima teria de abandonar completamente o desejo de vingar-se, abandonar completamente o sentimento de vingança. Devo esquecer todo ato agressivo praticado contra mim?? Onde fica o meu direito de vítima??

Neste caso, a pessoa revelava concordar plenamente com os mandamentos recebidos de Moisés, não revelava??

A pessoa podia aceitar um milagre, uma cura de Jesus, e, no entanto, rejeitar tal ensinamento, tal mandamento de Jesus, tal ordem de Jesus, tal declaração de Jesus, tal palavra de Jesus. Seus milagres e suas curas provam que você é de Deus, mas suas palavras são palavras estranhas, muito estranhas, diria um sacerdote ou um fariseu ou qualquer autoridade entre os judeus.

Nem Deus age assim, podia afirmar alguém, ou ainda mais, só Deus pode agir assim. Isto não é para mim, diria outro. Tal sentimento e afirmação é rejeitar a palavra de Jesus, é rebelar-se contra a declaração de Jesus, é rebelar-se contra a palavra de Jeová, rebelar-se contra a declaração de Jeová, que foi apenas repetida por Jesus. A palavra saída da boca de Jeová revelam ser o desejo de Jeová em relação ao comportamento do humano no dia a dia. Você respeita o desejo de Jesus?? Que importância tem o desejo de Jesus para você??? Para Jesus, a satisfação da vontade do Pai era a coisa mais importante.

O ensino que Jesus falava era um vinho novo. O ensino transmitido por Jesus era 100% oposto ao ensino existente. Assim falou Jesus: (Lucas 5:36-39) 36 Outrossim, prosseguiu a dar-lhes uma ilustração: “Ninguém corta um remendo duma nova roupa exterior e o costura numa velha roupa exterior; mas, se o fizer, então, tanto o remendo novo se arrancará como o remendo da roupa nova não combinará com a velha. 37 Além disso, ninguém põe vinho novo em odres velhos; mas, se o fizer, então o vinho novo rebentará os odres e se derramará, e os odres ficarão arruinados. 38 Mas, vinho novo tem de ser posto em odres novos. 39 Ninguém, tendo bebido vinho velho, quer o novo; pois ele diz: ‘O velho é saboroso.’”

Os judeus não haviam notado que Jeová não havia exigido o cumprimento deste artigo da lei (dente por dente) no seu relacionamento com eles, os judeus. Jeová havia deixado pra lá todas as ofensas praticadas continuamente contra Ele; Jeová os perdoava continuamente, oferecendo continuamente a outra face.

Outra afirmação de Jesus que era 100% oposta ao ensinado até então, foi esta: (Mateus 5:43-48) 43Ouvistes que se disse: ‘Tens de amar o teu próximo e odiar o teu inimigo.’ 44 No entanto, EU VOS DIGO: CONTINUAI A AMAR OS VOSSOS INIMIGOS E A ORAR PELOS QUE VOS PERSEGUEM; 45 para que mostreis ser filhos de vosso Pai, que está nos céus, visto que ele faz o seu sol levantar-se sobre iníquos e sobre bons, e faz chover sobre justos e sobre injustos. 46 Pois, se amardes aos que vos amam, que recompensa tendes? Não fazem também a mesma coisa os cobradores de impostos? 47 E, se cumprimentardes somente os vossos irmãos, que fazeis de extraordinário? Não fazem também a mesma coisa as pessoas das nações? 48 Concordemente, tendes de ser perfeitos, assim como o vosso Pai celestial é perfeito.

Questionando e resistindo a esta declaração de Jesus, alguém poderá dizer: “O inimigo não foi feito para ser amado”. Jesus afirma que o Pai ama seus inimigos e que nós temos de ser semelhantes ao Pai, assim como ele Jesus já mostrava ser semelhante ao Pai. Quem não amar o inimigo não é semelhante ao Pai. Como, Jeová ama o inimigo?? Eles estavam convictos de que Jeová não só odiava os que se portavam como inimigos Dele como também odiava os inimigos do povo Dele.

O humano tem mesmo de ser semelhante ao Pai?? O que projetou Jeová para o humano?? “Façamos o homem a nossa imagem e semelhança”, foi o que falou o Criador. Assim, não resta dúvida, a vontade de Deus é que o humano seja igual a Ele em sentimentos.

Os judeus não haviam percebido que Jeová demonstrava continuamente “amar” os que se comportavam como Seus inimigos. Todos os antepassados haviam se comportado como inimigos de Jeová, embora afirmassem e até mesmo jurassem o contrário. No entanto, Jeová continuava a amá-los. Não foram rejeitados por Jeová. Os judeus não perceberam que eles eram os “INIMIGOS” amados por Jeová. Na visão dos israelitas, todos os outros é que eram os inimigos de Jeová, enquanto que eles eram os amigos, independente do que fizessem. Mesmo quando a nação era punida, a geração sobrevivente condenava a geração punida, via e apontava o erro da geração punida, no entanto, sempre se considerava melhor. Os viventes da “nação santa” nunca se consideravam iníquos. A geração dos dias de Jesus não podia ser diferente, obviamente.

O poder usado por Jesus dava às pessoas a cura dos males físicos, ASSIM COMO as declarações saídas da boca de Jesus são para a cura dos pecados, a cura para o defeito de “praticar pecados”. Os nossos sentimentos geram palavras e ações pecaminosas. A cura para nossos sentimentos se encontra nas “PALAVRAS” saídas da boca de Jeová e retransmitidas por Jesus. Para que a pessoa não pratique mais pecados, ela precisa beber das palavras, isto é, aceitar as palavras, acreditar nas palavras e agir de acordo com as palavras. As palavras saídas da boca de Jeová são para a cura. As palavras saídas da boca de Jeová geram novos sentimentos, geram os mesmos sentimentos sentidos pelo Pai. Cada palavra é uma dose do remédio que levará a cura. Assim falou o próprio Jeová: (Isaías 6:8-10) 8 E comecei a ouvir a voz de Jeová, dizendo: “A quem enviarei e quem irá por nós?” E eu passei a dizer: “Eis-me aqui! Envia-me.” 9  E ele prosseguiu, dizendo: “Vai, e tens de dizer a este povo: ‘Ouvi vez após vez, mas não entendais; e vede vez após vez, mas não obtenhais conhecimento.’ 10 Torna embotado o coração deste povo e torna insensíveis os próprios ouvidos deles, e gruda os próprios olhos deles, para que não vejam com os seus olhos e não ouçam com os seus ouvidos, e para que seu próprio coração não entenda, e PARA QUE REALMENTE NÃO RECUEM E OBTENHAM PARA SI A CURA .”

Nestas palavras, Jeová deixa bem claro que o ouvinte precisava recuar. Individualmente, ele tinha de tomar a ação de recuar, pois ninguém podia tomar esta ação por ele. Recuar é andar na direção contrária. A pessoa precisa ser convencida da necessidade de deixar de ir na direção que ela estava indo. É a própria pessoa que precisa tomar a decisão de andar na direção oposta à que ela estava indo. E se a pessoa gosta de estar naquela direção?? A direção oposta ao que a pessoa está indo, levará a pessoa à cura. Em face da liberdade de escolha que o indivíduo recebeu do próprio Criador, é o indivíduo quem tem de decidir em que direção quer andar. Não existe um piloto automático. Andar em direção à cura é uma atitude pessoal consciente, tem de ser feita de forma consciente todo o tempo.

Segundo o próprio Jeová, o que impede o indivíduo de mudar de direção?? O que impede o indivíduo de buscar a cura?? Que obstáculos precisam ser vencidos?? Jeová nos deu a resposta: Ouvi vez após vez, mas não entendais; e vede vez após vez, mas não obtenhais conhecimento.’ 10 Torna embotado o coração deste povo e torna insensíveis os próprios ouvidos deles, e gruda os próprios olhos deles, para que não vejam com os seus olhos e não ouçam com os seus ouvidos, e para que seu próprio coração não entenda.

A pessoa precisa dar passos na direção da cura. A obtenção da cura envolve ouvir para obter conhecimento, entender o que ouviu e ter um coração sensível para amar aquilo que ouviu. Logicamente, a fonte da cura é a boca de Jeová. A cura para nossos sentimentos está na boca de Jeová.

O que é um coração embotado??

Embotar é assim definido em certo dicionário:

EMBOTAR  v.t. Tornar menos cortante, menos agudo. / Fig. Tornar menos sensível, enfraquecer, atenuar: a ociosidade embota o ânimo.

Um coração embotado é um coração insensível. O coração insensível impede a pessoa de ouvir a palavra falada por Jeová através de Jesus. Embora ouça a palavra falada, a pessoa não a aceita como verdade. A pessoa quer uma outra verdade. É no coração que estão localizados todos os sentimentos do humano.

Quanto à sensibilidade do coração do amado povo escolhido, assim falou Jeová: (Ezequiel 36:22-27) 22 “Portanto, dize à casa de Israel: ‘Assim disse o Soberano Senhor Jeová: “Não é por vós que eu faço [isso], ó casa de Israel, mas por meu santo nome que tendes profanado entre as nações nas quais entrastes.”’ 23 ‘E hei de santificar meu grande nome que tem sido profanado entre as nações, que tendes profanado no meio delas; e as nações terão de saber que eu sou Jeová’, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová, ‘quando eu for santificado entre vós diante dos seus olhos. 24 E vou tirar-vos dentre as nações e reunir-vos dentre todas as terras, e vou fazer-vos chegar ao vosso solo. 25 E vou aspergir-vos com água limpa e vós vos tornareis limpos; purificar-vos-ei de todas as vossas impurezas e de todos os vossos ídolos sórdidos. 26 E vou dar-vos um coração novo, e porei no vosso íntimo um espírito novo, e vou remover da vossa carne o coração de pedra e DAR-VOS UM CORAÇÃO DE CARNE. 27 E porei meu espírito no vosso íntimo, e vou agir de modo a que andeis nos meus regulamentos, e guardareis as minhas decisões judiciais e realmente as cumprireis.
Comprova-se que havia a necessidade de ter um coração sensível como condição para se cumprir as decisões judiciais de Jeová. Os sentimentos alojados no coração é que o tornam um coração de pedra.

Quanto ao fato de ser Sua boca que transforma coisas sem valor em coisas preciosas, assim havia falado Jeová para seu porta-voz Jeremias: (Jeremias 15:19) 19 Portanto, assim disse Jeová: “Se voltares, então te trarei de volta. Estarás de pé diante de mim. E SE PRODUZIRES DE COISAS SEM VALOR AQUILO QUE É PRECIOSO, TORNAR-TE-ÁS COMO A MINHA PRÓPRIA BOCA. Eles é que voltarão a ti, mas tu mesmo não voltarás a eles.”

Sem dúvida, é aquilo que sai da boca de Jeová, (suas sábias palavras) que tem a capacidade de induzir o iníquo a recuar de seu mau caminho.

Assim falou Jesus: (João 6:63) 63 É o espírito que é vivificante; a carne não é de nenhum proveito. AS DECLARAÇÕES que eu vos tenho feito são espírito e SÃO VIDA.

Assim falou Jesus em relação a seu Pai: Pai, Seu mandamento é vida eterna! (João 12:49-50) . . .. 50 Sei também que o SEU MANDAMENTO SIGNIFICA VIDA ETERNA. Portanto, as coisas que eu falo, assim como o Pai mas disse, assim [as] falo.”

O humano pode aceitar ou rejeitar a palavra que sai da boca de Jeová. Se a palavra é a cura, o humano pode aceitar ou rejeitar a cura.

A falsa cura também está à disposição. Expressões ou frases rotuladas como “palavras de Jeová” foram produzidas por humanos, isto é, foram produzidas na mente de humanos e antes de serem pronunciadas, colocou-se na frente delas a expressão: “esta é uma pronúncia de Jeová”, ou ainda, “esta é a palavra de Jeová”. Muitas destas “palavras” encontram-se registradas na Bíblia, enquanto outras, em livros, revistas, etc. Geralmente são “palavras” que contradizem a “palavra que saiu” da boca de Jeová, são palavras que negam, contrariam e até se rivalizam com os sentimentos de Jeová. São também palavras que contradizem as declarações de Jesus, se rivalizando com os sentimentos de Jesus, são palavras que se rivalizam até mesmo com as ações de Jesus. Depois da morte e ressurreição de Jesus, as expressões ou frases de quaisquer humanos, discípulo ou não, que contradizem as frases faladas por Jesus, produziriam a verdadeira cura?? Não se trataria de resistência às frases faladas por Jesus?? Não se tratava de resistência ao mandamento de Jesus?? Será que a palavra mais correta seria “rebeldia” contra a palavra falada por Jesus, isto é, retransmitida por Jesus??

Se Jesus afirmou que esta ação é um pecado, poderia o discípulo achar que ele pode pode praticar tal ação e ainda assim estar agradando a Jeová?? Se Jesus afirmou que este sentimento é um pecado, e que tal sentimento produziu estas palavras iníquas de um fariseu, será que um apóstolo ou qualquer outro discípulo poderia repetir tal frase sem ser um pecado seu??

Nosso amado irmão João, um dos apóstolos de Jesus, assim aconselhou: (1 João 4:1)4 Amados, NÃO ACREDITEIS EM TODA EXPRESSÃO INSPIRADA, mas PROVAI as expressões inspiradas PARA VER SE SE ORIGINAM DE DEUS, porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo afora.

Obviamente, o pronunciante até mesmo juraria que "sua palavra" foi dada por Deus. Algumas destas palavras estão analisadas em

"não acrediteis em toda expressão inspirada".

O Criador nos deu cálices para serem saboreados. Vivam na prática este cálice. Que acharam?? Agora saboreiem este vinho novo. Qual dos dois é melhor?? Qual o fruto de cada vinho?? O que cada cálice produziu?? Que qualidades foram destacadas por cada cálice??

Um povo que obedeceu aos mandamentos

Quem observou e quem chamou a atenção para este fato foi o próprio Jeová. Estava bem próximo da destruição de Jerusalém e do templo; foi na geração de Jeremias que ocorreu tal destruição. Foi para a geração de Jeremias que Jeová falou as seguintes palavras, identificando tanto o povo que obedeceu ao mandamento que lhe foi dado, como também ao povo que não obedeceu ao mandamento que lhe foi dado: (Jeremias 35:1-16) 35 A palavra que veio a haver para Jeremias da parte de Jeová nos dias de Jeoiaquim, filho de Josias, rei de Judá, dizendo: 2Vai à casa dos recabitas, e tens de falar com eles e trazê-los à casa de Jeová, a um dos refeitórios; e tens de dar-lhes vinho a beber.” 3 Portanto, tomei a Jaazanias, filho de Jeremias, filho de Habazinias e seus irmãos, e todos os seus filhos, e todos os da casa dos recabitas, 4 e passei a levá-los à casa de Jeová, ao refeitório dos filhos de Hanã, filho de Igdalias, homem do [verdadeiro] Deus, que se achava ao lado do refeitório dos príncipes, que estava por cima do refeitório de Maaséias, filho de Salum, guarda da porta. 5 Então pus diante dos filhos da casa dos recabitas cálices cheios de vinho e copos, e disse-lhes: “Bebei vinho.” 6 Mas eles disseram: “Não beberemos vinho, porque Jonadabe, filho de Recabe, nosso antepassado, FOI QUEM NOS DEU A ORDEM, dizendo: ‘Não deveis beber vinho, nem vós nem os vossos filhos, por tempo indefinido. 7 E não deveis construir casa e não deveis semear semente; e não deveis plantar vinhedo, nem deve tornar-se vosso. Mas em tendas é que deveis morar todos os vossos dias, para que continueis vivendo por muitos dias na superfície do solo onde residis como forasteiros.’ 8 De modo que CONTINUAMOS A OBEDECER À VOZ DE JONADABE, filho de Recabe, nosso antepassado, em tudo o que nos ordenou, não bebendo absolutamente nenhum vinho, todos os nossos dias, nós, nossas esposas, nossos filhos e nossas filhas, 9 e não construindo casas para morarmos nelas, para que nenhum vinhedo, nem campo, nem semente se tornem nossos. 10 E CONTINUAMOS a morar em tendas e a obedecer e a fazer segundo tudo o que Jonadabe, nosso antepassado, nos ordenou. 11 Mas, aconteceu que, quando Nabucodorosor, rei de Babilônia, subiu contra o país, começamos a dizer: ‘Vinde e entremos em Jerusalém, por causa da força militar dos caldeus e por causa da força militar dos sírios, e moremos em Jerusalém.’” 12 E passou a vir a haver a palavra de Jeová para Jeremias, dizendo: 13Assim disse Jeová dos exércitos, o Deus de Israel: ‘Vai, e tens de dizer aos homens de Judá e aos habitantes de Jerusalém: “Não recebestes continuamente exortação para obedecerdes às minhas palavras?” é a pronunciação de Jeová. 14Houve cumprimento das palavras de Jonadabe, filho de Recabe, que ele ordenou aos seus filhos, para não beberem vinho, e eles não beberam nenhum até o dia de hoje, PORQUE OBEDECERAM AO MANDAMENTO DE SEU ANTEPASSADO. E no que se refere a mim, falei-vos, levantando-me cedo e falando, mas não me obedecestes. 15 E eu continuei a enviar-vos todos os meus servos, os profetas, levantando-me cedo e enviando-os, dizendo: ‘Recuai, por favor, cada um do seu mau caminho, e tornai boas as vossas ações, e não andeis atrás de outros deuses para servi-los. E continuai morando no solo que dei a vós e aos vossos antepassados.’ Mas vós não inclinastes o vosso ouvido nem me escutastes. 16 Mas os filhos de Jonadabe, filho de Recabe, cumpriram o mandamento de seu antepassado, que este lhes ordenou; quanto a este povo, porém, não me escutaram.”’” Vós não cumpriste o Meu mandamento, enquanto os filhos de Jonadabe obedeceram ao mandamento dele. E quais eram os mandamentos de Jonadabe?? Não ser proprietário de terras, não construir casas, morar em tendas, não semear semente, não beber vinho. Estas eram coisas consideradas normais, corretas e amadas pelos israelitas. Todas as nações ao redor faziam estas coisas, chegando ao ponto de competirem em fazer tais coisas. Elogiavam quem estivessem competindo com elas e denegriam quem caminhasse em sentido contrário, como era o caso dos recabitas. Não dar o primeiro passo para o enriquecimento?? Continuar sempre pobres?? Um caminho 100% oposto ao caminho escolhido pelos israelitas.

Como resultado da obediência do povo a Todo o mandamento do antepassado Jonadabe, assim falou Jeová: (Jeremias 35:17-19) 17Portanto, assim disse Jeová, Deus dos exércitos, Deus de Israel: ‘Eis que trago sobre Judá e sobre todos os habitantes de Jerusalém toda a calamidade que proferi contra eles, pela razão de que lhes falei, mas não escutaram, e continuei a chamá-los, mas não responderam.’” 18 E aos da casa dos recabitas Jeremias disse: “Assim disse Jeová dos exércitos, o Deus de Israel: ‘VISTO QUE OBEDECESTES AO MANDAMENTO de Jonadabe, vosso antepassado, e CONTINUAIS A GUARDAR TODOS OS SEUS MANDAMENTOS e a fazer segundo TUDO o que vos ordenou, 19 portanto, assim disse Jeová dos exércitos, o Deus de Israel: “De Jonadabe, filho de Recabe, não se decepará homem, [impedindo-o] de ficar de pé diante de mim para sempre.”’”

Os descendentes de Jonadabe obedeceram ao mandado (ordem) deste, apesar de todas as nações ao redor fazerem exatamente o oposto ao mandamento de Jonadabe. Decerto, isto realmente era algo digno de ser elogiado. Eles tinham sempre a opção de desobedecer a um antepassado já morto. O fato mais impressionante é que eles remavam contra a correnteza de todos os povos ao redor deles.

Jesus afirmou que obedecer aos seus mandamentos era uma questão de amor por ele: (João 14:15) 15SE ME AMARDES, observareis os meus mandamentos; (João 14:23-24) 23 Em resposta, Jesus disse-lhe: “SE ALGUÉM ME AMAR, observará a minha palavra, e meu Pai o amará, e nós iremos a ele e faremos a nossa residência com ele. 24 QUEM NÃO ME AMA, não observa as minhas palavras; e a palavra que estais ouvindo não é minha, mas pertence ao Pai que me enviou.

Certamente faremos a nós mesmos as perguntas: Tenho fé em Jesus?? Acredito em cada uma das declarações de Jesus?? Aceito cada uma das declarações de Jesus?? Pratico todas as declarações de Jesus?? Será que amo o "vinho velho", aquele que é venerado e praticado por todos os demais??

O vinho velho é o oposto ao mandamento de Jesus. Não devo enganar a mim mesmo.

TER FÉ EM MOISÉS

Por que os sacerdotes, fariseus e outros não depositaram fé, não acreditaram nas afirmações de Jesus??? Exatamente porque ia de encontro ao que eles acreditavam. Eles depositavam sua confiança em Moisés. Aquele que confiasse em Moisés não conseguiria confiar em Jesus. Assim falou Jesus: (João 5:43-45) 43 Vim em nome de meu Pai, mas não me recebestes; se algum outro chegasse no seu próprio nome, a este receberíeis. 44 Como podeis crer, quando aceitais glória uns dos outros e não buscais a glória que é do único Deus? 45 Não penseis que vos hei de acusar perante o Pai; há um que vos acusa, Moisés, em quem depositastes a vossa esperança.

Assim reza na Versão Brasileira: João 5:45 - 45 Não penseis que eu vos hei de acusar perante o Pai; quem vos acusa é Moisés, no qual confiais.

Acreditavam eles em Moisés?? Acreditavam cegamente em Moisés. Assim revelaram seu ponto de vista em relação a diferença entre Moisés e Jesus: (João 9:27-29) 27 Respondeu-lhes ele: “Eu já vos disse, contudo, vós não escutastes. Por que quereis ouvi-lo de novo? Será que quereis também tornar-vos seus discípulos?” 28 Em vista disso, injuriaram-no e disseram: “Tu és discípulo daquele [homem], mas nós somos discípulos de Moisés. 29 SABEMOS QUE DEUS FALOU A MOISÉS; MAS, QUANTO A ESTE [HOMEM], NÃO SABEMOS DONDE É.”

Ora, uma coisa ficou bem clara: Os que confiavam em Moisés, não conseguiam confiar em Jesus.

Qual o motivo das coisas serem desta forma??

Aquele povo estava realmente diante de uma incógnita. Aquele povo confiava em Moisés e Elias como profetas de Jeová.

Estes homens copiavam as ações destes anteriores profetas de Jeová. As palavras faladas por Moisés geraram costumes. Estes costumes estavam enraizados nos corações daquela geração iníqua e adúltera.

Em certa ocasião, estando Jesus na casa de Simão, este questionou a forma como Jesus tratava os reais pecadores, comparando Jesus com os profetas anteriores.

(Lucas 7:39) 39 À vista disso, o fariseu que o convidara dizia no seu íntimo: “Este homem, se fosse profeta, saberia quem e que espécie de mulher é que o toca, que ela é pecadora.”

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Lucas 7:39) 39 Ao ver isto, o fariseu que o convidara, dizia consigo: Se este homem fosse profeta, saberia quem é a que o toca e que sorte de mulher é, pois é uma pecadora.

Tiago, João e Pedro foram os escolhidos para presenciarem algo especial. O que estes três homens observaram??

(Marcos 9:2-8) 2 Concordemente, seis dias depois, Jesus tomou a Pedro, e a Tiago, e a João, e os levou a sós a um alto monte. E ele foi transfigurado diante deles, 3 e sua roupagem exterior tornou-se cintilante, muito mais branca do que qualquer lavadeiro na terra poderia alvejar. 4 Apareceu-lhes também Elias com Moisés, e estes estavam conversando com Jesus. 5 E, como resposta, Pedro disse a Jesus: “Rabi, é excelente que estejamos aqui; armemos, pois, três tendas, uma para ti, e uma para Moisés, e uma para Elias.” 6 De fato, não sabia que resposta devia dar, porque ficaram bastante temerosos. 7 E formou-se uma nuvem, encobrindo-os, e uma voz saiu da nuvem: “Este é meu Filho, o amado; escutai-o.” 8 Repentinamente, porém, olharam em volta e não viram mais ninguém com eles, a não ser apenas Jesus.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Marcos 9:2-8) 2 Seis dias depois tomou Jesus consigo a Pedro, a Tiago e a João, e levou-os à parte sós a um alto monte. Foi transfigurado diante deles; 3 as suas vestes tornaram-se resplandecentes e em extremo brancas, como nenhum lavandeiro sobre a terra as pode alvejar. 4 Apareceu-lhes Elias com Moisés, e estes falavam com Jesus. 5 Pedro disse a Jesus: Mestre, bom é estarmos aqui; façamos três tabernáculos: um para ti, outro para Moisés e outro para Elias. 6 Não sabia o que havia de dizer, pois estavam aterrorizados. 7 Veio uma nuvem que os envolveu, e dela saiu uma voz, dizendo: Este é o meu Filho dileto; ouvi-o. 8 Eles, olhando de repente em redor, não viram mais a ninguém consigo senão só a Jesus.

Moisés e Elias eram reais profetas. Eram tão profetas quanto Jesus.

Pedro, Tiago e João não deveriam ter dúvidas disto. No entanto, a voz desde os céus falou para que eles descem ouvidos as palavras faladas por Jesus. Escutai a Jesus, foi a informação que estes três homens receberam.

A partir de então, deviam ter quaisquer dúvidas em relação a Jesus?? Não, não deveriam.

Foi-lhes dito:

Estes três homens receberam uma informação dada diretamente pelo Pai para eles.

Vocês podem confiar em Jesus. Confiem nas palavras faladas por ele.

Depois de um testemunho deste, será que estes três homens ainda conseguiriam ter alguma dúvida em relação a qualquer palavra falada por Jesus??

Seis dias antes deste acontecimento, Jesus havia falado algo interessante sobre aquela geração.

Ele afirmou:

(Marcos 8:38) 38 Porque todo aquele que ficar envergonhado de mim e das minhas palavras, nesta geração adúltera e pecaminosa, deste o Filho do homem também se envergonhará, quando chegar na glória de seu Pai, com os santos anjos.”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Marcos 8:38) 38 Porque se alguém nesta geração adúltera e pecadora se envergonhar de mim e das minhas palavras, também dele se envergonhará o Filho do homem, quando vier na glória de seu Pai com os santos anjos.

Aquela geração se orgulhava das palavras e das ações de Moisés e de Elias.

As palavras e as ações de Jesus eram diferentes das palavras e das ações dos demais profetas, logo, o discípulo se encaminhava para um momento de decisão.

Tiago e João encaravam como certo e normal a atitude de Elias de queimar pecadores, pois se tratava de uma atitude meritória. Desta forma, estavam prontos para imitarem Elias. Depois de receberem poderes que os capacitava, em certa ocasião revelaram o desejo de copiarem esta atitude de Elias. No entanto, a palavra de repreensão de Jesus os fez desistir de tal intenção.

(Lucas 9:54-55) 54 Vendo isso os discípulos Tiago e João, disseram: “Senhor, queres que mandemos que desça fogo do céu e os aniquile?55 Mas ele se voltou e os censurou.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Lucas 9:54-55) 54 Vendo isto os discípulos Tiago e João, perguntaram: Senhor, queres que mandemos descer fogo do céu para os consumir? 55 Mas ele, virando-se para eles, os repreendeu.

Ficou bem claro que as palavras e as ações de Jesus eram opostas às dos demais profetas.

Em um determinado momento alguém poderia ficar envergonhado de Jesus ou das palavras de Jesus, não poderia??

Depois da morte de Jesus, Pedro revelou envergonhar-se das palavras de Jesus, quando ele e outros judeus se envergonhavam de tomar refeições junto com incircuncisos das nações, pessoas pecadoras que eles consideravam imundas.

Os costumes praticados por Jesus provaram ser costumes opostos, não provaram??

Como será que aquela geração adúltera a pecadora via os costumes instituídos por Jesus, ou seja, os costumes ensinados e praticados por Jesus??

Em outra ocasião, Jesus questionou seus apóstolos quanto a quem ele realmente era.

O que mais falou Jesus nesta ocasião??

(Mateus 16:13-17) 13 Tendo então chegado às regiões de Cesaréia de Filipe, Jesus foi perguntar a seus discípulos: “Quem dizem os homens ser o Filho do homem?” 14 Disseram: “Alguns dizem João Batista, outros, Elias, ainda outros, Jeremias ou um dos profetas.” 15 Disse-lhes ele: “Vós, porém, quem dizeis que eu sou?” 16 Em resposta, Simão Pedro disse: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivente.” 17 Jesus lhe disse, em resposta: Feliz és tu, Simão, filho de Jonas, porque [isso] não te foi revelado por carne e sangue, mas por meu Pai, que está nos céus.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Mateus 16:13-17) 13 Indo Jesus para as bandas de Cesaréia de Filipe, perguntou a seus discípulos: Quem diz o povo ser o filho do homem? 14 Responderam: Uns dizem: João Batista; outros: Elias; e outros: Jeremias, ou algum dos profetas. 15 Mas vós, continuou ele, quem dizeis que sou eu? 16 Respondeu Simão Pedro: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo. 17 Disse-lhe Jesus: Bem-aventurado és, Simão Bar-Jonas, porque não foi carne e sangue quem to revelou, mas meu Pai que está nos céus.

Será que Pedro podia ter alguma dúvida?? Óbvio, que não. Pedro havia recebido esta informação do próprio Pai. Certamente, Pedro estava em vantagem em relação aos demais ali presentes, não estava??

Decerto, poderia se cobrar mais de Pedro do que dos demais ali presentes, não poderia?? Os poderes de Jesus diziam algo a respeito dele. Diferentes opiniões eram dadas a respeito de quem ele era, algo normal e natural.

Para o escolhido Pedro não havia qualquer dúvida e nem podia haver, pois o Pai que está nos céus revelou-lhe que Jesus era o Seu filho amado e que se devia confiar nas palavras faladas por ele.

Neste caso, ficou bem claro que aquilo que Jesus falava e fazia era comparado com o que outros profetas já tinham falado e feito. Eles confiavam nas palavras e nas ações dos profetas anteriores.

Assim, falar de forma contrária ao que Moisés instituiu como costume era blasfemar contra Moisés e automaticamente blasfemar contra Deus, pois como Jeová falou com Moisés, logo, os costumes instituídos por Moisés foram dados por Jeová. Quando Jeová falou com Moisés não havia testemunha para confirmar a veracidade das palavras de Moisés. Neste caso, eles revelavam plena confiança em Moisés como repetidor das palavras de Jeová. E quanto a Jesus?? Também não havia testemunha para confirmar a veracidade das palavras de Jesus. Desta forma, se a palavra de Jesus fosse contrária às palavras de Moisés, o povo revelaria sua confiança em apenas um dos profetas. Assim falaram para discípulos de Jesus: (Atos 6:8-14) 8 Ora, Estêvão, cheio de graça e de poder, realizava grandes portentos e sinais entre o povo. 9 Mas, levantaram-se certos homens da chamada Sinagoga dos Libertos, e dos cireneus e alexandrinos, e dos de Cilícia e Ásia, para discutirem com Estêvão; 10 contudo, não podiam fazer face à sabedoria e ao espírito com que ele falava. 11 Induziram então secretamente uns homens a dizer: “Nós o ouvimos falar declarações blasfemas contra Moisés e Deus.” 12 E atiçaram o povo, e os anciãos, e os escribas, e, vindo contra ele repentinamente, tomaram-no à força e o conduziram ao Sinédrio. 13 E apresentaram testemunhas falsas, que diziam: “Este homem não pára de falar coisas contra este santo lugar e contra a Lei. 14 Por exemplo, nós o ouvimos dizer que esse Jesus, o nazareno, derrubará este lugar e mudará os COSTUMES QUE MOISÉS NOS TRANSMITIU.”

Mudar os costumes transmitidos por Moisés?? Uma ofensa contra Moisés. Os costumes transmitidos por Moisés não eram uma ordem de Jeová?? Aqueles homens confiavam plenamente em Moisés. Estes homens resolveram se posicionar do lado de Moisés e contra aquele (qualquer um) que apresentasse qualquer costume que fosse diferente do costume transmitido por Moisés.

Bem, estes homens que se intitulavam discípulos de Moisés, tinham fé em Moisés, acreditavam em Moisés, confiavam em Moisés. Estes afirmavam: “Sabemos que Deus falou a Moisés”. Certamente afirmavam: “A vontade de Jeová sobre estes assuntos já nos foi transmitida por Moisés, aquele com quem Deus falou; obviamente, aquilo que for diferente do que nos foi transmitido por Moisés, não vem de Jeová”. Ficou bem claro que os costumes transmitidos por Moisés representavam ser a vontade de Deus para eles; um ponto de referência em relação a vontade de Jeová. Se Moisés nos transmitiu o costume de apedrejar pecadores, como este Jesus se atreve a instituir um novo costume de não julgar, não sentenciar e não executar pecadores?? Se Moisés nos transmitiu o costume de nos vingarmos dos nossos ofensores, como se atreve este Jesus a instituir um novo costume de oferecer a outra face?? Se Moisés nos transmitiu o costume do divórcio liberar as pessoas para um novo casamento, como se atreve este Jesus a instituir um novo costume de que os divorciados que se casarem de novo cometem adultério, assim como aquele que se casar com um divorciado, também comete adultério?? Como não aceitar de volta uma coisa que foi roubada de mim e que eu acabei de ver com o ladrão?? O ladrão tem de devolver o montante que roubou e ainda por cima uma compensação de 20% sobre o montante roubado, assim como foi determinado por Moisés. Isto vai de encontro ao costume transmitido por Moisés de exigir o que foi roubado, acrescido de juros a título de compensação, não vai?? Segundo Moisés, o ofensor tinha de pagar pelo seu pecado, não tinha?? Como Jesus afirma que o ofensor deve ser perdoado??

Na verdade, além de terem fé em Moisés, estes homens amavam estes costumes que foram transmitidos por Moisés, orgulhando-se de praticarem tais costumes. Em consequência disso, os discípulos de Moisés tinham como inimigos tanto a Jesus como os discípulos de Jesus e procuravam matá-los visando agradar a Deus. Esta era uma questão de total desconhecimento da personalidade do Pai. Foi exatamente isto o que foi afirmado por Jesus, a Luz que veio tirar os homens da escuridão. Estes odiaram a Luz e se negaram a sair da escuridão porque amavam as obras da escuridão. Isto também foi afirmado por Jesus, a Luz. Expulsar das sinagogas, julgar, condenar e matar pecadores em nome de Deus, revelavam ser obras da escuridão. Não foram exatamente estes costumes transmitidos por Moisés que foram usados contra a Luz, Jesus?? Há como negar tais fatos?? Não viviam atrás de Jesus desejando apedrejá-lo em face das palavras faladas por Jesus??

Se depois da morte de Jesus, algum humano afirmar que expulsar pecadores da sua sinagoga não é um pecado, que o divorciado está livre para outro casamento sem praticar o pecado do adultério, que deixar de perdoar a ofensa cometida contra ele não é pecado, que armazenar bens ou qualquer outra coisa material não é pecado, que deixar de cumprimentar e não se sentar para comer com determinados tipos de pecadores não é um pecado, SERÁ QUE TAL PESSOA REVELA ACREDITAR NAS PALAVRAS SAÍDAS DA BOCA DE JESUS???

Esta pessoa revela ter fé no poder de Jesus, no entanto, esta pessoa também revela não ter fé nas afirmações de Jesus.

E quanto aos apóstolos, será que tinham fé em Jesus??

O que afirmaram os apóstolos e o que respondeu Jesus??

(Lucas 17:5-6) 5 Os apóstolos disseram então ao Senhor: “Dá-nos mais fé.6 O Senhor disse então: “Se tivésseis fé do tamanho dum grão de mostarda, diríeis a esta amoreira-preta: ‘Sê desarraigada e plantada no mar!’ e ela vos obedeceria.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Lucas 17:5-6) 5 Disseram os apóstolos ao Senhor: Aumenta-nos a fé. 6 O Senhor respondeu: Se tivésseis fé como um grão de mostarda, diríeis a este sicômoro: Arranca-te e transplanta-te no mar; e ele vos obedeceria.

Estes homens não tinham fé do tamanho de um grão de mostarda.

Ter fé em Jesus significa olhar para a pessoa de Jesus e ver a pessoa de Jeová.

Significa que ao ouvir Jesus falando reconhecer a voz de Jeová e ao ver Jesus realizando obras significa ver Jeová realizando obras. Os apóstolos não tinham esta fé.

(João 14:8-11) 8 Filipe disse-lhe: “Senhor, mostra-nos o Pai, e isso chega para nós.” 9 Jesus disse-lhe: “Tenho estado tanto tempo convosco e ainda não vieste a conhecer-me, Filipe? Quem me tem visto, tem visto [também] o Pai. Como é que dizes: ‘Mostra-nos o Pai’? 10 Não acreditas que eu esteja em união com o Pai e que o Pai esteja em união comigo? As coisas que vos digo não falo da minha própria iniciativa; mas o Pai, que permanece em união comigo, está fazendo as suas obras. 11 Acreditai-me que estou em união com o Pai e que o Pai está em união comigo; senão, acreditai por causa das próprias obras.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(João 14:8-11) 8 Replicou-lhe Filipe: Senhor, mostra-nos o Pai, e isso nos basta. 9 Disse-lhe Jesus: Há tanto tempo que estou convosco, e não me tens conhecido, Filipe? quem me vê a mim, vê o Pai; como dizes tu: Mostra-nos o Pai? 10 Não crês que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo, não as digo por mim mesmo; mas o Pai que permanece em mim, faz as suas obras. 11 Crede-me que eu estou no Pai, e o Pai em mim; ou senão, crede ao menos por causa das mesmas obras.

Filipe e os demais apóstolos não viam na pessoa de Jesus a pessoa de Jeová.

Jesus afirmou:

Ter fé em Jesus é ACREDITAR em Jesus, é CONFIAR totalmente nas palavras faladas por Jesus como sendo palavras faladas por Jeová. É ACREDITAR que TODAS as ações de Jesus são uma repetição das ações de Jeová.

Jesus afirmou:

(João 5:19) 19 Portanto, em resposta, Jesus prosseguiu a dizer-lhes: “Digo-vos em toda a verdade: O Filho não pode fazer nem uma única coisa de sua própria iniciativa, mas somente o que ele observa o Pai fazer. Porque as coisas que Este faz, estas o Filho faz também da mesma maneira.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(João 5:19) 19 Jesus, pois, lhes disse: Em verdade, em verdade vos digo que o Filho nada pode fazer de si mesmo, senão o que vir o Pai fazer; porque tudo o que ele fizer, o faz também semelhantemente o Filho.

De forma bem resumida, ter fé em Jesus é acreditar em todas as palavras de Jesus como sendo palavras do Pai, assim como também é acreditar que as ações de Jesus são repetições das ações do Pai.

Olhar para Jesus e ver o Pai.

Ele mesmo afirmou:

Consegues ver as coisas desta forma??

Se consegues, tendes fé em Jesus.











Topo desta página