É UMA COISA TERRÍVEL CAIR NAS MÃOS DE JEOVÁ??

Criada em 27/09/09 Alterada em 15/11/13





COISA TERRÍVEL É CAIR NAS MÃOS DO DEUS VIVENTE??



Que Deus vivente era este mencionado por Paulo??


(Hebreus 10:26-31) 26 Pois, se praticarmos o pecado deliberadamente, depois de termos recebido o conhecimento exato da verdade, não há mais nenhum sacrifício pelos pecados, 27 mas [há] uma certa expectativa terrível de julgamento e [há] um ciúme ardente que vai consumir os que estão em oposição. 28 Qualquer homem que tiver desconsiderado a lei de Moisés morre sem compaixão, pelo testemunho de dois ou três. 29 De quanto mais severa punição, achais, será contado digno aquele que tiver pisado o Filho de Deus e que tiver considerado de pouco valor o sangue do pacto com que foi santificado, e que tiver ultrajado com desdém o espírito de benignidade imerecida? 30 Pois, conhecemos aquele que disse: “Minha é a vingança; eu recompensarei”; e, novamente: “Jeová julgará o seu povo.” 31 COISA TERRÍVEL É CAIR NAS MÃOS DO DEUS VIVENTE.


Assim verte a Tradução Brasileira: (Hebreus 10:26-31) 26 Pois se pecamos voluntariamente, depois de termos recebido o pleno conhecimento da verdade, já não resta mais sacrifício pelos pecados, 27 senão uma certa expectação terrível do juízo e um ardor de fogo que há de devorar aos adversários. 28 Aquele que transgride a Lei de Moisés, sendo-lhe provado com duas ou três testemunhas, morre sem misericórdia; 29 de quanto mais severo castigo, pensais vós, será julgado digno aquele que calca aos pés o Filho de Deus e tem em conta de profano o sangue da aliança, com que foi santificado, e ultraja ao Espírito da graça? 30 Pois conhecemos aquele que disse: Minha é a vingança, eu retribuirei; e outra vez: O Senhor julgará ao seu povo. 31 Horrenda coisa é cair nas mãos do Deus vivo.


Este Jeová da lei de Moisés era alguém sem nenhuma misericórdia para com o errante, não era??

Havia incompatibilidade entre este Jeová da lei de Moisés e a misericórdia para com o errante. Segundo a lei de Moisés, Jeová e Misericórdia eram coisas incompatíveis. Segundo Moisés, Jeová ordenara que os humanos não tivessem misericórdia dos errantes. Que matassem os errantes sem a menor compaixão. Segundo Moisés não deveria haver qualquer tolerância para com o transgressor da lei. Segundo a lei de Moisés, Jeová era intolerante para com o pecador, (transgressor da lei), não usando de misericórdia para com tal transgressor da lei.


A posição oficial daquele reino era o “não perdão”. Paulo estava atribuindo ao Pai Jeová, uma pessoa Santa, a mesmíssima intolerância que era praticada naquele reino.


Tolerante – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: indivíduo que é dotado de tolerância ou indulgência.


tolerante

adj.2g. (1789) 1 que tolera 2 que desculpa certas falhas ou erros <a chefia sempre se mostrou t. com os atrasos dele> n adj.2g.s.2g. 3 diz-se de ou indivíduo que é dotado de tolerância ou indulgência <devemos ser t. com as crianças> <os t. ouvem e respeitam opiniões diferentes das suas> ¤ etim lat. tolerans,antis, part.pres. do v.lat. toleráre 'suportar, tolerar' ¤ ant fanático, ferrenho, implacável, inflexível, intolerante




Intolerante – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: que não admite opinião, posição etc., que divirja da sua.


intolerante

adj.2g. (1789) 1 falto de tolerância, de condescendência, de compreensão; inflexível, rígido <é i. com os erros de outrem> 2 que não admite opinião, posição etc. que divirja da sua <seita religiosa i.> <teórico i.> 3 med diz-se do organismo que manifesta alergia a certos medicamentos <organismo i. ao leite> n adj.2g.s.2g. 4 m.q. intolerantista ¤ etim lat. intolèrans,antis 'id.' ¤ ant tolerante


Será que o Pai Jeová é tolerante ou Ele é intolerante??


O que é incompatível??


Incompatível – Esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: que não pode coexistir com outra coisa; inconciliável, incombinável.


incompatível

adj.2g. (1535) 1 que não é compatível 1.1 que não pode coexistir com outra coisa; inconciliável, incombinável <conceitos, métodos i.> 1.2 que não pode entender-se com outra pessoa <nunca junte duas pessoas i. numa mesma sala> 1.3 que não pode ser simultaneamente ministrado com outro medicamento, produto ou tratamento <remédios i.> 1.4 que não pode ser exercido simultaneamente pela mesma pessoa (diz-se de cargo, função, ofício, vantagem, direito etc.) ¤ etim in- + compatível ¤ sin/var ver sinonímia de adversário ¤ ant compatível; ver tb. antonímia de adversário


Neste caso, Jeová ficava bem longe da compaixão pelo errante, pois a compaixão pelo errante era incompatível com a pessoa de Jeová.

A lei dada por Moisés determinava a não existência de misericórdia para com o transgressor da lei.


Se a ofensa a um humano qualquer é tratada sem qualquer misericórdia, então imagine aquele que calca aos pés o filho Jesus. Segundo o nosso irmão Paulo de Tarso, uma ofensa a Jesus era muito mais ofensa do que uma ofensa a qualquer outra pessoa, tornando-se tal ofensor digno de uma punição muito mais severa.

Se o Pai mandou Moisés agir com intolerância contra aquele que ofende um pecador, então o que Ele fará com aquele que ofender o santo filho Jesus??


Será que Jeová toleraria tal coisa??

Segundo as palavras de Paulo de Tarso, haveria uma vingança sem compaixão.




Será que realmente é terrível cair nas mãos de Jeová, ou será que a melhor coisa do mundo é cair nas mãos de Jeová?

Será que eu deveria ficar com medo de cair nas mãos de Jeová? Será que eu deveria ficar contente por cair nas mãos de Jeová?? Será que Ele trata o homem com severa punição, agindo com vingança e sem compaixão? Será que Jeová guarda ressentimento daquele que o ofende?? Será que Jeová guarda ressentimento daquele que despreza a palavra que sai de Sua boca?? Que tratamento recebeu de Jeová aquele “servo escolhido” que mesmo sabendo da Lei de Jeová, ou seja, mesmo depois obter o conhecimento exato da verdade, decidiu praticar o pecado?? Um tratamento sem compaixão, morte sem compaixão?? Não há mais nenhum sacrifício pelos seus pecados??

Poderia o sacrifício ser o pagamento para se obter o perdão?? O que prometeu Jesus àquele que mesmo ouvindo a palavra saída de sua boca, decidisse não observá-la?? Que severa punição pediu Jesus para aqueles humanos que o estavam humilhando, fazendo sofrer e matando?? Morte sem compaixão?? Que severa punição deu Jesus para seus discípulos que o abandonaram?? Que severa punição deu Jesus para aquele que, perante os homens, negou que o conhecia, mesmo apesar de ter sido advertido que o negaria naquela mesma noite?? Morte sem compaixão?? Que severa punição deu Jesus para Tiago e João, após estes decidirem queimar uma aldeia de samaritanos, mesmo depois de receberem o mandamento de “sempre oferecerem a outra face”??


O que o nosso amado irmão Paulo afirmou a respeito do comportamento humano da nação santa??

Ele afirmou:


Bem, isto era o que acontecia segundo a lei de Moisés. O nosso irmão Paulo, sendo um profundo estudioso das “Escrituras” e defensor da “lei de Moisés” revelava ser uma testemunha deste comportamento adotado pela nação santa em relação ao pecador. Segundo Moisés, Jeová havia ordenado tal atitude contra o errante. O nosso irmão Paulo era partidário e defensor de tal comportamento. Paulo de Tarso revelou sua total intolerância contra aqueles que ele via como pecadores, quando invadia lares e usava de plena violência contra tais supostos pecadores. Neste caso ele era partidário e praticante da plena intolerância contra a pessoa do pecador, pecador aos seus olhos, obviamente.


Depois destas palavras, e passando a usá-las como base, Paulo passa a externar a forma como devem ser vistos aqueles que ofendem a Jesus depois de serem informados das palavras de Jesus.

Paulo afirmou: Os que fizerem isto são merecedores de uma punição muito mais pesada.


Segundo Paulo, a pessoa que passar a ofender Jesus depois de ter recebido o conhecimento sobre as palavras de Jesus, passa a ser merecedora de receber um tratamento bem mais violento do que o previsto na lei de Moisés.


Depois disto Paulo busca palavras nas “Escrituras” para servir de base para esta sua afirmação.

Daí, Paulo apresenta a base bíblica:


Paulo afirma: Pois conhecemos muito bem a Jeová, aquele que afirmou isto e aquilo.


Fechando o seu raciocínio de acordo com as bases apresentadas, o nosso amado irmão Paulo afirmou claramente:


Esta é uma frase que é fruto de um raciocínio plenamente lógico e com “base bíblica”.

Sendo Paulo um respeitado estudioso das “Escrituras”, esta afirmação dele deve estar de mãos dadas com a mais pura realidade a respeito da personalidade Jeová.


Será que o nosso irmão Paulo está coberto de razão nesta sua análise e conclusão?? A afirmação de Paulo nos leva a concluir que Jeová não perdoará aquele que venha ofender Jesus depois de ter recebido o conhecimento das palavras de Jesus.


O que aconteceria com aquele que depois de estar em uma relação pactuada com Jeová, decidisse sair desta relação para praticar uma outra??

O que faria Jeová com aquele humano que depois de concordar em ser um súdito Dele, depois de algum tempo decidisse mudar de opinião??


Vamos deixar o próprio Jeová responder através de Sua ação ao se encontrar em uma condição como esta.


Vamos ver o fato histórico e ver o que Jeová falou e fez.

(1 Samuel 8:4-9) 4 Reuniram-se então todos os anciãos de Israel e vieram a Samuel, a Ramá, 5 e disseram-lhe: “Eis que tu mesmo ficaste velho, mas os teus próprios filhos não têm andado nos teus caminhos. Agora, designa-nos deveras um rei para nos julgar, igual a todas as nações.” 6 Mas a coisa era má aos olhos de Samuel, visto que haviam dito: “Dá-nos deveras um rei para nos julgar”, e Samuel começou a orar a Jeová. 7 Jeová disse então a Samuel: “Escuta a voz do povo referente a tudo o que te dizem; pois, não é a ti que rejeitaram, mas é a mim que rejeitaram como rei sobre eles. 8 Conforme todos os seus feitos que praticaram desde o dia em que os fiz sair do Egito até o dia de hoje, continuamente me abandonando e servindo a outros deuses, assim estão também fazendo a ti. 9 E agora escuta a sua voz. Somente o seguinte: deves adverti-los solenemente e tens de informá-los da prerrogativa legítima do rei que reinará sobre eles.”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(1 Samuel 8:4-9) 4 Tendo-se congregado todos os anciãos de Israel vieram ter com Samuel a Ramá, 5 e disseram-lhe: Eis que tu estás velho, e teus filhos não andam nos teus caminhos. Constitui-nos um rei, como o têm todas as nações, para que ele nos julgue. 6 Porém esta palavra pareceu mal aos olhos de Samuel, quando disseram: Dá-nos um rei, para que nos julgue. Então Samuel orou a Jeová. 7 Disse Jeová a Samuel: Ouve a voz do povo em tudo o que eles te dizem; pois não é a ti que eles rejeitaram, mas a mim, para eu não reinar sobre eles. 8 Segundo todas as obras que têm feito desde o dia em que os fiz subir do Egito até o dia de hoje, pois me abandonaram a mim e serviram a outros deuses, assim também te fazem a ti. 9 Agora ouve a sua voz; contudo lhes declararás solenemente e lhes farás ver como se portará o rei que há de reinar sobre eles.


A palavra de Jeová foi bem clara ao descrever o que estava acontecendo: “Eles Me rejeitaram em continuar a ser rei sobre eles”.

A palavra é rejeitar.


Depois de ser rejeitado como rei, o que devia fazer um rei??

Era a vontade do rei contra a vontade do povo. O que fazer em uma condição como esta??


O que Jeová fez??


Jeová afirmou: Deves ouvir a voz do povo, no entanto, deves lhes declarar solenemente como se portará o rei humano que há de reinar sobre eles.


Detalhe. A TNM verte esta situação como Jeová estabelecendo e “legitimando” ações iníquas dos reis humanos. A TNM fala de prerrogativa legítima. As ações iníquas de plena “desigualdade” que seriam praticadas contra o povo foram rotuladas de prerrogativas legítimas daqueles reis humanos. Sendo prerrogativas legítimas, isto significava que Jeová não via tais ações como pecados praticados por estes reis humanos.

Quanto a este detalhe, ou seja, em as ações dos reis ser ou não ser uma prerrogativa legítima, estamos dedicando uma página neste site somente para raciocinar sobre tal tema. Está sendo analisada em: prerrogativa legítima ou iniquidade do rei


Bem, o que Jeová fez??

Jeová respeitou a escolha do povo rebelde, sem antes lhes avisar sobre o resultado da péssima escolha feita.

No entanto, continuou a se relacionar com o povo rebelde.


(1 Samuel 8:10-22) 10 Portanto, Samuel disse todas as palavras de Jeová ao povo que lhe pedia um rei. 11 E passou a dizer: “A seguinte será a prerrogativa legítima do rei que reinará sobre vós: Tomará os vossos filhos e os porá como seus nos seus carros e entre os seus cavaleiros, e alguns terão de correr na frente dos seus carros; 12 e a fim de designar para si chefes sobre mil e chefes sobre cinqüenta, e [alguns] para lavrarem por ele e para ceifarem a sua colheita, e para fazerem seus instrumentos de guerra e os petrechos de seus carros. 13 E tomará as vossas filhas para misturadoras de ungüento, e cozinheiras, e padeiras. 14 E os vossos campos, e os vossos vinhedos, e os vossos olivais, os melhores, ele tomará e realmente dará aos seus servos. 15 E tomará o décimo de vossos campos de sementeira e de vossos vinhedos, e ele certamente [os] dará aos seus oficiais da corte e aos seus servos. 16 E tomará os vossos servos e as vossas servas, e as vossas melhores manadas e os vossos jumentos, e terá de usá-los para a sua obra. 17 E tomará o décimo de vossos rebanhos e vós mesmos vos tornareis seus como servos. 18 E naquele dia certamente clamareis por causa do vosso rei que escolhestes para vós, mas Jeová não vos responderá naquele dia.” 19 No entanto, o povo negou-se a escutar a voz de Samuel e disse: “Não, mas um rei virá a estar sobre nós. 20 E também nós teremos de tornar-nos iguais a todas as nações, e o nosso rei terá de julgar-nos, e terá de sair na nossa frente e travar as nossas batalhas.21 E Samuel deu ouvidos a todas as palavras do povo; falou-as então aos ouvidos de Jeová. 22 E Jeová passou a dizer a Samuel: “Escuta a sua voz, e tens de fazer um rei reinar para eles.” Por conseguinte, Samuel disse aos homens de Israel: “Ide cada um para a sua cidade.”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(1Samuel 8:10-22) 10 Referiu Samuel todas as palavras de Jeová ao povo que lhe havia pedido um rei, 11 e disse: Assim se portará o rei que há de reinar sobre vós: tomará vossos filhos e os porá nos seus carros e entre os seus cavaleiros, e eles correrão adiante dos seus carros; 12 e os constituirá capitães de mil e capitães de cinqüenta, e lavradores dos seus campos, e segadores das suas messes, e fabricantes das suas armas e dos seus carros. 13 Tomará vossas filhas para perfumistas, cozinheiras e padeiras. 14 Tomará o melhor dos vossos campos, e das vossas vinhas, e dos vossos olivais, e dá-los-á aos seus servos. 15 Dizimará as vossas sementes e as vossas vinhas, para dar aos seus eunucos e aos seus servos. 16 Também tomará os vossos servos e as vossas servas, e os vossos melhores mancebos, e os vossos jumentos, e os empregará no seu trabalho. 17 Dizimará também os vossos rebanhos; e vós sereis seus servos. 18 Naquele dia vós lamentareis por causa do vosso rei, que vós mesmos escolhestes; e Jeová não vos responderá naquele dia. 19 Mas o povo não quis escutar a voz de Samuel; e disseram: Não; mas queremos ter um rei sobre nós, 20 para que sejamos também como todas as nações. O nosso rei nos julgará, marchará à nossa frente e pelejará as nossas batalhas. 21 Samuel ouviu todas as palavras do povo, e as referiu aos ouvidos de Jeová. 22 Jeová disse a Samuel: Escuta a sua voz, e constitui-lhe um rei. Samuel disse aos homens de Israel: Volte cada um para a sua cidade.


Neste caso específico, foi terrível estar nas mãos de Jeová??


A boca fala daquilo que o coração está cheio”esta afirmação de Jesus é verdade, uma verdade absoluta. A palavra saída da boca de Jesus é sempre verdade.


AO OUVIR TAL AFIRMAÇÃO HUMANA – “coisa terrível é cair nas mãos do Deus vivente” - como Jeová a classificaria?? Agradeceria pelo elogio ou ficaria triste por tal blasfêmia??


JEOVÁ FALOU A RESPEITO DE SI MESMO: (Êxodo 34:4-7) . . .. 5 E Jeová passou a descer na nuvem e a pôr-se ali junto dele, e passou a declarar o nome de Jeová. 6 E Jeová ia passando diante da sua face e declarando: “Jeová, Jeová, DEUS MISERICORDIOSO E CLEMENTE, vagaroso em irar-se e abundante em benevolência e em verdade, 7 preservando a benevolência para com milhares, PERDOANDO O ERRO, E A TRANSGRESSÃO, E O PECADO, mas de modo algum isentará da punição, trazendo punição pelo erro dos pais sobre os filhos e sobre os netos, sobre a terceira geração e sobre a quarta geração.”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Êxodo 34:5-7) 5 Tendo Jeová descido na nuvem, esteve com ele ali e proclamou o nome de Jeová. 6 Passando Jeová por diante dele, proclamou: Jeová, Jeová, DEUS MISERICORDIOSO E CLEMENTE, tardio em irar-se e grande em beneficência e verdade; 7 que guarda beneficência em milhares, QUE PERDOA A INIQÜIDADE, A TRANSGRESSÃO E O PECADO; e que de maneira alguma terá por inocente o culpado, visitando a iniqüidade dos pais nos filhos, e nos filhos dos filhos, na terceira e na quarta geração.


Não devemos passar despercebida esta interessante informação da Tradução do Novo mundo:


Em face desta afirmação, podemos perguntar:

  1. Será que o Pai não abre mesmo mão da punição??

  2. Se o Pai não abrir mão da punição, o que isto quer dizer em relação a Ele??

  3. Afinal, Ele é perdoador ou não??

  4. O Perdoador pode aplicar uma punição e mesmo assim continuar perdoador??

  5. Como isto pode acontecer??


Estas e outras perguntas em relação a este interessante assunto estão sendo analisadas em outra página deste site.

Esta é a página: A punição e o depois da punição


ALÉM DE DESCREVER SUA PERSONALIDADE, QUE HISTÓRICO FORNECEU O PRÓPRIO JEOVÁ QUANTO AO USO DE SUAS QUALIDADES?? AO FINAL, O QUE SE PODE AFIRMAR A RESPEITO DE JEOVÁ?? COISA MARAVILHOSA É CAIR NAS MÃOS DE JEOVÁ OU COISA TERRÍVEL É CAIR NAS MÃOS DE JEOVÁ?


QUANDO O HUMANO JULGA, CERTAMENTE NÃO USA DE MISERICÓRDIA E NEM DE CLEMÊNCIA REVELANDO ASSIM A SUA PERSONALIDADE.



Exatamente por isso é que o humano está terminantemente proibido de efetuar qualquer julgamento, pois o humano não possui as qualificações necessárias para executar esta tarefa, ele não possui a capacidade exigida para realizar tal tarefa. “Parai de julgar, parai de condenar” - esta foi a ordem dada por Jesus.


A PRIMEIRA PUNIÇÃO DADA POR JEOVÁ quando este se colocou como “vingador”– QUE QUALIDADE SE VÊ??


O caso é bem conhecido – é o caso de Caim.

Assim está registrado: (Gênesis 4:2-15) . . .E Abel tornou-se pastor de ovelhas, mas Caim tornou-se lavrador do solo. 3 E sucedeu, ao fim de algum tempo, que Caim passou a trazer alguns frutos do solo como oferenda a Jeová. 4 Mas, quanto a Abel, ele também trouxe dos primogênitos do seu rebanho, sim, dos seus pedaços gordos. Ora, ao passo que Jeová olhava com favor para Abel e para sua oferenda, 5 não olhava com favor para Caim e para sua oferenda. E acendeu-se muito a ira de Caim, e seu semblante começou a descair. 6 Então Jeová disse a Caim: “Por que se acendeu a tua ira e por que descaiu o teu semblante? 7 Se te voltares para fazer o bem, não haverá enaltecimento? Mas, se não te voltares para fazer o bem, há o pecado agachado à entrada e tem desejo ardente de ti; e conseguirás tu dominá-lo?” 8 Depois, Caim disse a Abel, seu irmão: [“Vamos ao campo.”] Sucedeu, pois, enquanto estavam no campo, que Caim passou a atacar Abel, seu irmão, e o matou. 9 Mais tarde, Jeová disse a Caim: “Onde está Abel, teu irmão?”, e ele disse: “Não sei. Sou eu guardião de meu irmão?” 10 A isto ele disse: “Que fizeste? Escuta! O SANGUE DE TEU IRMÃO ESTÁ CLAMANDO A MIM desde o solo. 11 E agora, maldito és, banido do solo, o qual abriu a sua boca para receber da tua mão o sangue de teu irmão. 12 Quando lavrares o solo, não te dará de volta seu poder. Tornar-te-ás errante e fugitivo na terra.” 13 A isto Caim disse a Jeová: “Minha punição pelo erro é grande demais para suportar. 14 Eis que neste dia realmente me expulsas da superfície do solo e ficarei escondido da tua face; e tenho de tornar-me errante e fugitivo na terra, e é certo que quem me achar me matará.” 15 Então Jeová lhe disse: “Por esta causa, quem matar a Caim terá de sofrer vingança sete vezes.”. . .


Jeová aconselha Caim, chamando-lhe a atenção para aquele sentimento que o levaria a tornar o pecado visível. Caim torna visível o pecado por matar o seu irmão. O sangue de Abel clama desde o solo. Não clama a ninguém mais, a não ser a Jeová. Jeová passa a agir qual vingador de Abel, decidindo qual será a punição que Caim receberá pelo seu pecado. Caim fica com medo de ser morto por algum humano que assumisse para si a posição de vingador de Abel. Jeová revela ser o protetor de Caim, deixando claro que nenhum humano poderia interferir neste caso, estipulando uma penalidade sete vezes maior para o intruso. Era uma relação direta entre o ofensor (Caim) e o ofendido (Jeová). Nesta relação, realmente só cabem duas pessoas.

Assim, Jeová foi CLEMENTE. Só se viu a MISERICÓRDIA em ação. Não deixou de haver punição. Foi uma punição clemente. Você gostaria de dar outra punição para este caso?? Quem o fizer receberá vingança sete vezes maior. Quem aplicará esta punição àquele que resolver ser um intrometido?? O mesmo Vingador, certamente.

Será que o Pai convidou algum humano ou anjo para ser fiscal do cumprimento da lei?? Designou alguém como carrasco de pecadores??


UM HUMANO FOI CHAMADO A FAZER SEU PRÓPRIO JULGAMENTO


Já sabemos de que humano estamos falando. Estamos falando de Davi. Foi um caso de cobiça colocada em prática, associada à premeditada morte de uma pessoa para ocultar o pecado praticado. Foi o caso de desvalorização de um “próximo” que não era israelita e que não era um “ungido” de Jeová. Como o próprio Davi afirmou: “por não ter tido compaixão”; o humano que Davi estava julgando não havia usado de compaixão. Davi sabia que era pecado e sabia da punição exigida para o caso. O sangue de Urias também clamava a Jeová. Que valor foi atribuído por Jeová para Urias, aquele que sequer era um israelita?? Jeová deixa Davi externar sua opinião sobre uma situação semelhante, sobre que tipo de punição deveria ser dada ao homem que agisse assim. Davi na sua ira, disse o que tal homem merecia. Davi jurou por Jeová. Realmente, qualquer humano que agisse assim “merecia” a morte, afinal de contas, a penalidade para qualquer pecado é a mesma “morte”.

Assim está registrado na TMN: (2 Samuel 12:1-14) 12 E Jeová passou a enviar Natã a Davi. Portanto, entrou até ele e disse-lhe: “Sucedeu que havia dois homens numa cidade, um deles rico e o outro de poucos meios. 2 Acontece que o rico tinha muitíssimas ovelhas e gado vacum; 3 mas o homem de poucos meios não tinha senão uma só cordeira, uma pequena, que havia comprado. E conservava-a viva, e ela crescia com ele e com seus filhos, todos juntos. Comia do seu bocado e bebia do seu copo, e deitava-se no seu regaço, e veio a ser para ele como uma filha. 4 Depois de algum tempo chegou um visitante ao homem rico, mas este evitou tomar de suas próprias ovelhas e do seu próprio gado para aprontá-los para o viajante que chegara a ele. Tomou, portanto, a cordeira do homem de poucos meios e a aprontou para o homem que chegara a ele.” 5 Nisso se acendeu grandemente a ira de Davi contra o homem, de modo que ele disse a Natã: “Por Jeová que vive, o homem que fez isso merece morrer! 6 E quanto à cordeira, deve compensá-la com quatro, em conseqüência do fato de ter feito tal coisa e por não ter tido compaixão.” 7 Então disse Natã a Davi: “Tu mesmo és o homem! Assim disse Jeová, o Deus de Israel: ‘Eu mesmo te ungi rei sobre Israel e eu mesmo te livrei da mão de Saul. 8 E eu estava disposto a dar-te a casa do teu senhor e as esposas do teu senhor no teu regaço, e a dar-te a casa de Israel e de Judá. E se não bastasse, eu estava disposto a acrescentar-te coisas tais como estas, bem como outras coisas. 9 Por que DESPREZASTE A PALAVRA DE JEOVÁ, fazendo o que é mau aos seus olhos? A Urias, o hitita, golpeaste com a espada e tomaste-lhe a esposa para ser tua esposa, e a ele mataste pela espada dos filhos de Amom. 10 E agora, por tempo indefinido, não se afastará a espada da tua própria casa, em conseqüência do fato de que ME DESPREZASTE, tomando a esposa de Urias, o hitita, para se tornar tua esposa.’ 11 Assim disse Jeová: ‘Eis que suscito contra ti uma calamidade provinda da tua própria casa; e hei de tomar as tuas esposas debaixo dos teus próprios olhos e dá-las ao teu próximo, e ele se há de deitar com as tuas esposas sob os olhares deste sol. 12 Ao passo que tu mesmo agiste às escondidas, eu, da minha parte, farei esta coisa perante todo o Israel e diante do sol.’” 13 Davi disse então a Natã: “Pequei contra Jeová.” A isto Natã disse a Davi: “Jeová, por sua vez, deixa passar o teu pecado. Não morrerás. 14 Não obstante, visto que inquestionavelmente trataste a Jeová com desrespeito por meio desta coisa, então o próprio filho, que te acaba de nascer, positivamente morrerá.”


Foi um caso de “desprezo à pessoa de Jeová”. Jeová revelou como Ele se sentiu com a atitude de Davi: “Me desprezaste”. “Desprezaste a palavra de Jeová”. Jeová sentiu-se desprezado por Davi. Foi uma ofensa direta a Jeová.

Como foi que Jeová cuidou deste caso?? Novamente ficou destacada a CLEMÊNCIA. Só se viu a MISERICÓRDIA em ação. Será que algum humano que amasse muito a Urias poderia exigir vingança por Urias?? Se o fizesse, certamente seria um intruso. Você questionaria a CLEMÊNCIA de Jeová? Será que se tratava de uma misericórdia condicionada ao mérito do ofensor?? Será que Davi era um servo leal e justo?? Será que pessoas leias e justas têm o mesmo comportamento de Davi no seu dia a dia com outros humanos?? Novamente, era um caso entre Jeová e um ofensor, isto é, apenas entre duas pessoas. Só diz respeito aos dois envolvidos.


O MAIS INÍQUO DOS HUMANOS CAI NAS MÃOS DE JEOVÁ.


Quem é este mais iníquo dos humanos?? É Manassés, um dos reis da tribo de Judá, que reinou em Jerusalém.

Durante anos a fio, Manassés cometeu uma grande quantidade de pecados, dos quais Jeová havia definido a morte como punição. Foram enviados profetas para fazê-lo recuar de suas práticas, mas ele não dava atenção. Ele entregou seus filhos para serem queimados em troca de desejos egoístas. Novamente, Jeová afirma que foi uma ofensa à Sua pessoa. Tanto Manassés como os liderados por Manassés ofendiam a Jeová continuamente.

Assim está registrado na TMN: (2 Reis 21:1-16) 21 Manassés tinha doze anos de idade quando começou a reinar e reinou por cinqüenta e cinco anos em Jerusalém. E o nome de sua mãe era Hefzibá. 2 E ele passou a fazer o que era mau aos olhos de Jeová, segundo as coisas detestáveis das nações que Jeová tinha desalojado de diante dos filhos de Israel. 3 De modo que construiu novamente os altos que Ezequias, seu pai, tinha destruído, e erigiu altares a Baal e fez um poste sagrado, assim como fizera Acabe, rei de Israel; e começou a curvar-se diante de todo o exército dos céus e a servi-los. 4 E construiu altares na casa de Jeová, referente à qual Jeová dissera: “Em Jerusalém porei o meu nome.” 5 E foi construir altares a todo o exército dos céus em dois pátios da casa de Jeová. 6 E ele fez o seu próprio filho passar pelo fogo, e praticou a magia e procurou presságios, e constituiu médiuns espíritas e prognosticadores profissionais de eventos. Fez em grande escala o que era mau aos olhos de Jeová, PARA O OFENDER. 7 Além disso, a imagem esculpida do poste sagrado que fizera, ele colocou na casa da qual Jeová dissera a Davi e a Salomão, filho dele: “Nesta casa e em Jerusalém, que escolhi dentre todas as tribos de Israel, porei meu nome por tempo indefinido. 8 E não mais farei o pé de Israel vagar [para longe] do solo que dei aos seus antepassados, contanto que cuidem de fazer segundo tudo o que lhes mandei, sim, conforme toda a lei que meu servo Moisés lhes ordenou.” 9 E eles não escutaram, porém, Manassés continuou a seduzi-los para fazerem o que era mau, mais do que as nações que Jeová aniquilara de diante dos filhos de Israel. 10 E Jeová continuou a falar por meio dos seus servos, os profetas, dizendo: 11 “Visto que Manassés, rei de Judá, fez estas coisas detestáveis, ele agiu de modo mais iníquo do que todos os amorreus antes dele, e passou a fazer até mesmo Judá pecar com os seus ídolos sórdidos. 12 Por isso, assim disse Jeová, o Deus de Israel: ‘Eis que trago sobre Jerusalém e sobre Judá uma calamidade tal que, ouvindo alguém [falar dela], lhe tinirão ambos os ouvidos. 13 E certamente estenderei sobre Jerusalém o cordel de medir aplicado a Samaria e também o nível aplicado à casa de Acabe; e vou esfregar Jerusalém até ficar limpa, assim como se esfrega um tacho sem asas, esfregando-o e emborcando-o. 14 E abandonarei deveras o restante da minha herança, e os entregarei à mão dos seus inimigos, e vão tornar-se saque e rapina para todos os seus inimigos, 15 visto que fizeram o que era mau aos meus olhos e ME OFENDERAM CONTINUAMENTE, desde o dia em que seus antepassados saíram do Egito até o dia de hoje.’” 16 E também sangue inocente derramou Manassés em quantidade muito grande, até encher Jerusalém de ponta a ponta, além do pecado com que fez Judá pecar, fazendo o que era mau aos olhos de Jeová.


A PUNIÇÃO DADA POR JEOVÁ PARA MANASSÉS


(2 Crônicas 33:10-13) 10 E Jeová falava a Manassés e a seu povo, mas eles não prestavam atenção. 11 Por fim, Jeová trouxe contra eles os chefes do exército que pertencia ao rei da Assíria e eles capturaram, pois, a Manassés nos recessos e prenderam-no com dois grilhões de cobre, e levaram-no a Babilônia. 12 E assim que isto lhe causou aflição, abrandou a face de Jeová, seu Deus, e continuou a humilhar-se grandemente por causa do Deus de seus antepassados. 13 E orava a Ele, de modo que se deixou suplicar por ele e ouviu seu pedido de favor, e restaurou-o a Jerusalém ao seu reinado; e Manassés veio a saber que Jeová é o [verdadeiro] Deus.


Novamente, Jeová revela seu sentimento. Me ofendem. Uma ofensa contínua à pessoa de Jeová. Todo o sangue derramado por Manassés clamava a Jeová desde o solo, inclusive o sangue de seu próprio filho.

Novamente ficou destacada a CLEMÊNCIA. Só se viu a MISERICÓRDIA em ação. Será que algum humano poderia exigir vingança por alguma daquelas vidas?? Se o fizesse, certamente seria um intruso. Jeová não lhe pediu para opinar. Se Jeová pedisse sua opinião, questionaria a CLEMÊNCIA de Jeová? Novamente caracterizou-se uma relação entre Jeová e um ofensor. Uma relação que só diz respeito às duas pessoas envolvidas. Será que também neste caso a misericórdia estava condicionada a um mérito do ofensor?? Bem, onde fica o direito da vítima de ser vingada por tais atrocidades cometidas por Manassés??


O POVO MAIS INÍQUO DA TERRA CAI NAS MÃOS DE JEOVÁ. O que será que aconteceu com este povo??

Será que havia espaço para piedade e compaixão ou será que devia aplicar a lei de Moisés, assim como Paulo sugeriu em caso como este??


De que povo estamos falando?? Quem o classificou como o povo mais iníquo?

Jeová classifica o seu povo escolhido e amado como sendo o mais iníquo dos povos: (Ezequiel 5:5-9) 5 Assim disse o Soberano Senhor Jeová: ‘ESTA É JERUSALÉM. Coloquei-a no meio das nações, com terras ao seu redor. 6 E ela passou a comportar-se rebeldemente contra as minhas decisões judiciais, EM INIQÜIDADE MAIOR DO QUE AS NAÇÕES, e contra os meus estatutos, mais do que as terras ao seu redor, pois rejeitaram as minhas decisões judiciais, e quanto aos meus estatutos, não andaram neles.’ 7 Portanto, assim disse o Soberano Senhor Jeová: ‘Visto que fostes MAIS TUMULTUOSOS DO QUE AS NAÇÕES AO VOSSO REDOR, não andastes nos meus estatutos e não executastes as minhas decisões judiciais — mas, porventura não agistes segundo as decisões judiciais das nações ao vosso redor? — 8 portanto, assim disse o Soberano Senhor Jeová: “Eis que sou contra ti, [ó cidade,] sim, eu, e vou executar no teu meio decisões judiciais aos olhos das nações. 9 E vou fazer em ti o que não fiz e como não mais farei, por causa de todas as tuas coisas detestáveis.


Assim verte a Tradução Brasileira: (Ezequiel 5:5-9) 5 Assim diz o Senhor Jeová: Esta é Jerusalém. No meio das nações a pus, e ao redor dela estão os países. 6 Ela se rebelou contra os meus juízos, praticando iniqüidade mais do que as nações, e transgredindo os meus estatutos mais do que os países que estão ao redor dela; pois os seus habitantes rejeitaram os meus estatutos, e quanto aos meus estatutos, neles não andaram. 7 Portanto assim diz o Senhor Jeová: Porque sois mais turbulentos do que as nações que estão ao redor de vós, e não tendes andado nos meus estatutos, nem guardado os meus juízos, nem procedido segundo as ordenanças das nações que estão ao redor de vós; 8 por isso assim diz o Senhor Jeová: Eis que eu, eu sou contra ti; executarei juízos no meio de ti à vista das nações.


Ora, ora, se tratava do povo que já havia recebido os mandamentos de Jeová, e, segundo Moisés, aquele que já recebeu o mandamento e deixa de cumpri-lo deveria morrer sem qualquer compaixão.


Os países ao redor de Jerusalém observavam os estatutos de Jeová mais do que a própria Jerusalém. Isto é incrível, não é??


Assim revela Jeová que se sentiu ofendido pelo seu povo amado: “Me ofendem; fizeram para me ofender; persistiram em virar as costas para mim”. (Jeremias 32:30-35) 30 “‘Pois os filhos de Israel e os filhos de Judá mostraram ser meros malfeitores aos meus olhos, desde a sua mocidade; porque os filhos de Israel ME OFENDEM até mesmo com o trabalho das suas mãos’, é a pronunciação de Jeová. 31 Pois esta cidade, desde o dia em que a construíram até o dia de hoje, mostrou ser nada mais do que causa para ira em mim e causa para furor em mim, a fim de removê-la de diante da minha face, 32 em razão de toda a maldade dos filhos de Israel e dos filhos de Judá, QUE FIZERAM PARA ME OFENDER, eles, seus reis, seus príncipes, seus sacerdotes e seus profetas, e os homens de Judá e os habitantes de Jerusalém. 33 E PERSISTIRAM EM VIRAR AS COSTAS PARA MIM e não a face; embora se lhes ensinasse, levantando-se cedo e ensinando, mas não havia nenhum deles que escutasse para receber disciplina. 34 E foram pôr suas coisas repugnantes na casa sobre a qual se invocou meu próprio nome, a fim de a aviltar. 35 Outrossim, construíram os altos de Baal, que estão no vale do filho de Hinom, para fazerem seus filhos e suas filhas passar [pelo fogo] a Moloque, coisa que não lhes ordenei, nem me subiu ao coração fazer tal coisa detestável com o fim de fazer Judá pecar.’


Que futuro foi reservado pelo “Vingador”, para este povo iníquo, o mais iníquo??

Assim falou o “Vingador”: Eu vou fazer isto. (Jeremias 33:4-9) 4 Pois assim disse Jeová, o Deus de Israel, a respeito das casas desta cidade e a respeito das casas dos reis de Judá, que estão demolidas por causa dos aterros de sítio e por causa da espada; 5 [a respeito] dos que estão chegando para lutar contra os caldeus e para encher espaços com os cadáveres dos homens que golpeei na minha ira e no meu furor, e por cuja maldade toda eu escondi minha face desta cidade: 6 Eis que suscito para ela restabelecimento e saúde; e eu vou sará-los e revelar-lhes uma abundância de paz e de verdade. 7 E vou trazer de volta os cativos de Judá e os cativos de Israel, e vou edificá-los assim como no princípio. 8 E eu vou purificá-los de todo o seu erro com que pecaram contra mim e vou PERDOAR-LHES TODOS OS ERROS COM QUE PECARAM CONTRA MIM e com que transgrediram contra mim. 9 E ela certamente se tornará para mim um nome de exultação, louvor e beleza para com todas as nações da terra, que ouvirão [falar] de toda a bondade que eu lhes faço. E certamente ficarão apavorados e agitados por causa de toda a bondade e por causa de toda a paz que faço [vir] a ela.’”

Assim falou o “Vingador”: Eu vou fazer isto. (Ezequiel 16:62-63) 62 “‘E eu, eu mesmo, vou estabelecer contigo o meu pacto; e terás de saber que eu sou Jeová, 63 para te lembrares e realmente te envergonhares, e para que não mais venhas a ter razão para abrir a boca por causa da tua humilhação, QUANDO EU FIZER EXPIAÇÃO POR TI, POR TUDO O QUE FIZESTE, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová.”


Assim verte a Tradução Brasileira: (Ezequiel 16:62-63) 62 Eu estabelecerei a minha aliança contigo e saberás que eu sou Jeová, 63 para que te lembres, e fiques confundida, e não abras mais a tua boca por causa da tua vergonha; quando eu te houver perdoado tudo o que fizeste, diz o Senhor Jeová.


Assim verte a Tradução Almeida: (Ezequiel 16:62-63) 62 E estabelecerei o meu pacto contigo, e saberás que eu sou o Senhor; 63 para que te lembres, e te envergonhes, e nunca mais abras a tua boca, por causa da tua vergonha, quando eu te perdoar tudo quanto fizeste, diz o Senhor Deus.



Assim falou o “Vingador”: Eu vou fazer isto. (Isaías 44:21-22) 21 Lembra-te destas coisas, ó Jacó, e tu, ó Israel, porque és meu servo. Eu te formei. Tu és um servo que me pertence. Ó Israel, da minha parte não serás esquecido. 22 VOU OBLITERAR as tuas transgressões como que com uma nuvem, e TEUS PECADOS como que com uma massa de nuvens. Volta deveras a mim, porque vou resgatar-te.

Assim verte a Tradução Brasileira: (Isaías 44: 21-22) 21 Lembra-te destas coisas, ó Jacó, e tu, ó Israel; porque tu és o meu servo: eu te formei, tu és o meu servo; tu, ó Israel, não serás esquecido por mim. 22 Apaguei as tuas transgressões como a névoa, e os teus pecados como a nuvem; volta-te para mim, porque te remi.


Para todos os casos houve uma punição. A punição dada por Jeová é uma punição clemente. Diferente do ser humano, na punição dada por Jeová, o que aparece é a Misericórdia. Novamente perguntamos: A misericórdia estava condicionada a algum mérito do ofensor?? Tratava-se do mérito daquele que se destacava em ser ofensor.

O que Jeová falou para seu filho já punido com a morte?? Assim falou Jeová para Efraim, o iníquo filho punido: Terei piedade do filho iníquo que Eu puni, sem falta me lembrarei dele muito mais. Embora Eu tenha falado muito antes de puni-lo, lembrar-me-ei dele muito mais depois da punição. (Jeremias 31:18-20) 18 Ouvi positivamente Efraim lastimar-se: ‘Corrigiste-me, para que eu ficasse corrigido, como o bezerro que não foi treinado. Faze-me voltar e eu voltarei prontamente, porque tu és Jeová, meu Deus. 19 Pois, após a minha volta senti lástima; e depois que se me fez saber bati na coxa. Fiquei envergonhado e senti-me também humilhado, porque eu levara o vitupério da minha mocidade.’” 20 É Efraim para mim um filho precioso ou um menino tratado com mimo? Pois, ao ponto de eu falar contra ele, sem falta me lembrarei dele ainda mais. Por isso é que as minhas entranhas ficaram turbulentas por ele. Decididamente terei piedade dele”, é a pronunciação de Jeová.


Eu sei que Efraim falará estas palavras para Mim.


Assim falou Paulo: Qualquer homem que tiver desconsiderado a lei de Moisés morre sem compaixão, pelo testemunho de dois ou três.

Isto era uma verdade?? Sim, pois Moisés havia afirmado: Não tenha dó, não tenha piedade, não tenha misericórdia. Ficou assim provado que estes homens cumpriam a lei de Moisés, logo, não tinham dó e não tinham piedade, não tinham misericórdia dos iníquos. Eram os verdadeiros discípulos de Moisés. No entanto, o que ficou provado até agora em relação ao Pai?? Não ficou provado que o Pai agia sempre com misericórdia, que o Pai sempre tinha dó e que não punia o pecador segundo aquilo que o pecador merecia?? Sim, até agora, isto ficou bem claro.


Vejamos agora o auge pleno da intolerância.


Se alguém tramar um mal, mas for descoberto antes de executar este mal, devereis fazer contra ele aquilo que ele tramou fazer.


Isto é que é intolerância, não é mesmo??


Assim determinou Moisés:


(Deuteronômio 19:15-21) 15 Uma só testemunha não se deve levantar contra um homem com respeito a qualquer erro ou qualquer pecado, no caso de qualquer pecado que ele cometa. O assunto deve ficar de pé pela boca de duas testemunhas ou pela boca de três testemunhas. 16 Caso se levante contra um homem uma testemunha que trame violência, para levantar contra ele uma acusação de revolta, 17 então os dois homens que tiverem a disputa têm de ficar de pé perante Jeová, perante os sacerdotes e perante os juízes que estiverem em exercício naqueles dias. 18 E os juízes têm de pesquisar cabalmente, e se a testemunha for uma testemunha falsa e tiver levantado uma acusação falsa contra seu irmão, 19 então tendes de fazer-lhe assim como ele tramou fazer ao seu irmão, e tens de eliminar o mal do teu meio. 20 Assim, os remanescentes ouvirão e ficarão com medo, e nunca mais farão no teu meio algo mau como isso. 21 E teu olho não deve ter dó: será alma por alma, olho por olho, dente por dente, mão por mão, pé por pé.


Plena intolerância.


Paulo de Tarso foi criado desde a sua infância neste espírito de plena intolerância. Esta intolerância era uma árvore muito grande no coração de Paulo de Tarso, pois ele concordava plenamente com tais ações como a solução para o problema da criminalidade.

Será que Jeová também tinha tal árvore em Seu coração?? Será que Jeová também usava tal solução para o problema de criminalidade praticada pela nação escolhida??


O que Jeová disse que faria??


O relacionamento agora é entre Jeová e todo um povo ofensor. Novamente, o ofendido afirma que perdoa todos os pecados, dando uma punição clemente. Vou fazer expiação por ti, por TUDO o que fizeste; vou obliterar (limpar, lavar) teus pecados. Novamente, uma relação em que apenas as duas partes estão envolvidas. É o depoimento do próprio Criador, depoimento que está na 1ª pessoa do singular (EU).


Bem, e quanto as vítimas?? E quanto as vítimas deste povo que não tinha dó, deste povo que obedecendo a lei de Moisés, não tinha piedade de ninguém?? Quem é que vingaria as vítimas??


OUTRO HUMANO MUITO INÍQUO, AGORA CAI NAS MÃOS DE JESUS.


O que ocorre quando o mais iníquo entre todos os fariseus cai nas mãos de Jesus??


O que fazia tal humano em questão?? Que iniquidade cometia tal homem?? Será que ele foi tratado segundo a lei de Moisés, isto é, sem dó e sem piedade?? Deixemos que ele mesmo nos conte: (Atos 26:1-18) 26 Agripa disse a Paulo: “Tens permissão de falar em teu favor.” Paulo estendeu então a mão e passou a dizer em sua defesa: 2 Concernente a todas as coisas de que sou acusado pelos judeus, Rei Agripa, considero-me feliz de que é diante de ti que hoje devo fazer a minha defesa, 3 especialmente visto que tu és perito em todos os costumes bem como nas controvérsias entre os judeus. Portanto, rogo-te que me ouças pacientemente. 4 Deveras, quanto à minha maneira de viver desde a mocidade, desde [o] princípio, entre a minha nação e em Jerusalém, todos os judeus 5 que já me conheciam desde o início, se quiserem dar testemunho, sabem que vivi como fariseu, segundo a seita mais estrita da nossa forma de adoração. 6 Contudo, agora estou sendo chamado a julgamento pela esperança da promessa que Deus fizera aos nossos antepassados, 7 ao passo que as nossas doze tribos estão esperando alcançar o cumprimento desta promessa por lhe prestarem intensamente serviço sagrado, noite e dia. Concernente a esta esperança estou sendo acusado pelos judeus, ó rei. 8 Por que se julga incrível entre vós que Deus levante os mortos? 9 Eu, da minha parte, realmente pensei no meu íntimo que devia cometer muitos atos de oposição contra o nome de Jesus, o nazareno, 10 o que, de fato, fiz em Jerusalém, e a muitos dos santos encerrei em prisões, visto que eu tinha recebido autoridade dos principais sacerdotes; e quando eles estavam para ser executados, eu lançava o meu voto contra eles. 11E, punindo-os muitas vezes, em todas as sinagogas, tentei obrigá-los a fazer uma retratação; e, visto que eu estava extremamente enfurecido contra eles, fui ao ponto de persegui-los até mesmo nas cidades de fora. 12 No meio destes esforços viajava eu para Damasco, com autoridade e comissão da parte dos principais sacerdotes, quando 13 vi ao meio-dia, na estrada, ó rei, uma luz, além do brilho do sol, reluzir do céu em volta de mim e em volta dos que viajavam comigo. 14 E caindo todos nós ao chão, ouvi uma voz dizer-me no idioma hebraico:Saulo, Saulo, por que me persegues? Duro te é persistir em dar pontapés contra as aguilhadas.’ 15 Mas eu disse: ‘Quem és, Senhor?’ E o Senhor disse: Eu sou Jesus, a quem tu persegues. 16 Não obstante, levanta-te e fica de pé. Pois, para este fim me tornei visível a ti, a fim de te escolher como assistente e testemunha, tanto das coisas que viste como das coisas que eu te farei ver com respeito a mim; 17 ao passo que eu te livro [deste] povo e das nações às quais te envio, 18 para abrires os seus olhos, para os desviares da escuridão para a luz e da autoridade de Satanás para Deus, a fim de que recebam perdão de pecados e uma herança entre os santificados pela [sua] fé em mim.’


O que fizerdes a um dos mínimos destes meus irmãos a mim o fizeste”.


Assim, Saulo estava perseguindo a Jesus. O que merecia este judeu insolente?? Um judeu, um estudioso das escrituras, um autêntico fariseu pedindo autoridade junto aos principais sacerdotes para perseguir Jesus em Jerusalém e todas as cidades ao redor. Entre os demais agressores, realmente, este homem se destacava em seus atos agressivos contra Jesus. Rejeitar e matar os profetas enviados por Jeová fazia parte do currículo do povo escolhido por Jeová, assim, em face do profeta Jesus, não podia ser diferente. Geralmente, esta atitude agressiva partia dos principais sacerdotes, os homens designados por Jeová para ensinarem a lei de Jeová ao povo de Jeová.

Saulo jurava que estava agradando a Jeová, aquele Deus que ele nunca deixou de adorar. Saulo queria que as pessoas se retratassem das afirmações que faziam em relação a Jeová, declarações estas que foram feitas por Jesus, pois tais pessoas somente repetiam as declarações de Jesus; este era o crime cometido por estas pessoas.

Para Saulo aquelas pessoas estavam ofendendo a Jeová, ofendendo a Moisés e ofendendo as “Escrituras”, afinal, Saulo era um dos mais esforçados estudiosos das “Escrituras”, não era?? Não se esforçava mais que todos os demais de sua geração?? Não se destacava mais que todos os demais de sua geração??

Não tinha Saulo certeza do que estava fazendo?? Devia-se ter dó de uma pessoa assim??

Deveria Saulo ser tratado sem clemência, sem misericórdia?? Deveria ser eliminado tal agressor que esbofeteava Jesus todos os dias??

Obedeceu Jesus a lei de Moisés?? Qual foi a reação de Jesus?? Foi chamá-lo para um aprendizado. Foi chamado para ser assistente e testemunha do próprio Jesus.

O que revelou ser esta reação de Jesus?? Que personalidade revelou ter Jesus?? Clemência e Misericórdia para com o mais estudioso entre os estudiosos, o mais iníquo entre os iníquos, o mais agressor entre os agressores, o mais violento entre os violentos?? Jesus revelou ter mantido aquela personalidade que ele revelou ter antes de sua morte às mãos dos mesmos humanos dos quais Saulo se destacava em ser “melhor”, em ser mais zeloso. Tratava-se de homens que se orgulhavam de serem discípulos de Moisés, pois amavam a lei de Moisés, uma lei de intolerância e violência contra o pecador.

Em uma carta a seu discípulo Timóteo, nosso irmão Paulo fala sobre sua iniquidade: (1 Timóteo 1:12-16) 12 Sou grato a Cristo Jesus, nosso Senhor, que me conferiu poder, porque ele me considerou fiel por designar-me para um ministério, 13 embora eu fosse anteriormente blasfemador, e perseguidor, e homem insolente. Não obstante, foi-me concedida misericórdia, porque eu era ignorante e agi com falta de fé. 14 Mas a benignidade imerecida de nosso Senhor abundou sobremaneira junto com a fé e o amor que há em conexão com Cristo Jesus. 15 Fiel e merecedora de plena aceitação é a palavra de que Cristo Jesus veio ao mundo para salvar pecadores. Destes eu sou o principal. 16 Não obstante, a razão pela qual me foi concedida misericórdia era que, por meio de mim, como o principal caso, Cristo Jesus demonstrasse toda a sua longanimidade, como amostra dos que irão depositar a sua fé nele para a vida eterna.

Paulo reconhece sua grande iniquidade. Ele admitiu: “destes, eu sou o principal”. Decerto, uma confissão. Se ele estivesse no lugar de Jesus, certamente ele não agiria como Jesus agiu. Reconhece também que foi tratado com muita misericórdia, isto era uma coisa óbvia, não obstante, afirma que agia movido pela ignorância e que embora tenha ouvido, não acreditou na palavra ouvida, o que revela ser a “falta de fé”, ou seja, não ter acreditado que Jesus era o “enviado” de Jeová. Ora, todos os demais fariseus também não acreditavam em Jesus, afinal de cointas, eles defendiam Moisés e a lei de Moisés.

Ele ouviu?? Sim ele ouviu. Ele ouviu e não acreditou?? Sim, foi exatamente isto. Aquele que repetia as palavras saídas da boca Jesus tinha de se retratar perante Paulo?? Sim, era exatamente isto o que Paulo fazia. Ele admite: E, punindo-os muitas vezes, em todas as sinagogas, tentei obrigá-los a fazer uma retratação”;


RETRATAÇÃO – Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss):

1retratação

s.f. (1683) 1 ato ou efeito de retratar(-se) 2 confissão de engano, de equívoco cometido, mediante declaração contrária a outra anteriormente feita; desmentido 3 pedido de desculpa por alguma ofensa, injúria etc. que se tenha cometido 4 aquilo que se diz a fim de retratar-se; desculpa 5 jur no direito penal, ato pelo qual um sujeito, acusado de um crime de calúnia, injúria ou difamação, confessa o seu erro, a fim de eximir-se da penalidade etim lat. retractatìo,ónis 'id.' sin/var ver antonímia de afronta ant ver sinonímia de afronta


Saulo estava convencido de estar certo do que fazia, não estava??


Estes homens eram acusados por Paulo do crime de calúnia e difamação contra Moisés?? Sim, era exatamente isto. Eram acusados pelo crime de falarem palavras contra a lei dada por Moisés, contra os costumes deixados por Moisés e, obviamente, contra Deus, aquele que havia dado estes costumes e estas leis para Moisés.

Vejamos o caso Estêvão, no qual Paulo também estava presente. Assim está registrado: (Atos 6:8-14) 8 Ora, Estêvão, cheio de graça e de poder, realizava grandes portentos e sinais entre o povo. 9 Mas, levantaram-se certos homens da chamada Sinagoga dos Libertos, e dos cireneus e alexandrinos, e dos de Cilícia e Ásia, para discutirem com Estêvão; 10 contudo, não podiam fazer face à sabedoria e ao espírito com que ele falava. 11 Induziram então secretamente uns homens a dizer: “Nós o ouvimos falar declarações blasfemas contra Moisés e Deus.12 E atiçaram o povo, e os anciãos, e os escribas, e, vindo contra ele repentinamente, tomaram-no à força e o conduziram ao Sinédrio. 13 E apresentaram testemunhas falsas, que diziam: Este homem não pára de falar coisas contra este santo lugar e contra a Lei. 14 Por exemplo, nós o ouvimos dizer que esse Jesus, o nazareno, derrubará este lugar e mudará os costumes que Moisés nos transmitiu.”

Paulo estava presente: (Atos 7:58) 58 E depois de o lançarem fora da cidade, começaram a atirar pedras nele. E as testemunhas deitaram as suas roupas exteriores aos pés dum jovem chamado Saulo.


Bem, estes homens a quem Paulo, o mais zeloso, e os demais acusavam do crime de calúnia e difamação, estavam apenas repetindo as palavras faladas por Jesus.

Bem, uma das declarações repetidas por estes homens acusados do crime de calúnia e difamação contra Moisés era esta: (Mateus 5:38-39) 38 Ouvistes que se disse: ‘Olho por olho e dente por dente.’ 39 No entanto, eu vos digo: Não resistais àquele que é iníquo; mas, a quem te esbofetear a face direita, oferece-lhe também a outra.


Tratava-se de uma declaração contra Moisés?? Obviamente.

Tratava-se de um ensino 100% oposto, tratava-se de um costume 100% oposto ao costume ensinado por Moisés e repassado por Moisés.


Bem, Estêvão não só repetia tais palavras, como também praticava tais palavras. Assim afirmou Estêvão em relação àqueles que o condenavam e matavam, inclusive a Paulo: (Atos 7:59-60) 59 E atiravam pedras em Estêvão, enquanto ele fazia apelo e dizia: “Senhor Jesus, recebe meu espírito.” 60 Então, dobrando os joelhos, clamou com forte voz: Jeová, não lhes imputes este pecado.E, dizendo isso, adormeceu [na morte].


No lugar do pedido de vingança, esta vítima perdoa o ofensor e pede que Jeová não leve em conta esta agressão?? Não se trata de um novo e diferente “costume”, diferente do costume ensinado por Moisés e devidamente registrado nas “Escrituras”?? Não foi este o “costume” ensinado por Jesus, tanto na teoria quanto na prática??


Que veredicto dava Paulo para este caso??


(Atos 8:1) 8 Saulo, da sua parte, aprovava o assassínio dele. Naquele dia levantou-se grande perseguição contra a congregação que estava em Jerusalém; todos, exceto os apóstolos, foram espalhados através das regiões da Judéia e de Samaria.



NO lugar de ter misericórdia para com aquele que ensinava algo diferente, eles sentiam inimizade e ódio por tal pessoa e sempre buscavam tal pessoa para matá-la.


Quanta insolência diante de Jesus, aquele a quem ele perseguia!!!

Não resta qualquer dúvida, Jesus agiu com Clemência, com Misericórdia, assim como o Pai já vinha agindo para com os servos escolhidos, revelando estar copiando o exemplo do Pai. Jeová já deu o exemplo, Jesus já deu o exemplo.


Parece que os humanos é que precisam copiar o exemplo de Jeová e de Jesus no uso da Clemência e da Misericórdia.


Segundo Paulo, as pessoas que viessem a desobedecer às diretrizes retransmitidas por Jesus, depois de ter-se tornado um discípulo, devia ser tratado com nenhuma misericórdia, pois assim afirmou Paulo: De quanto mais severa punição, achais, será contado digno aquele que tiver pisado o Filho de Deus e que tiver considerado de pouco valor o sangue do pacto com que foi santificado, e que tiver ultrajado com desdém o espírito de benignidade imerecida?


Devia ser muito mais severo do que o especificado na lei de Moisés?? Será que Jesus tinha agido assim com os seus apóstolos depois de terem ouvido o sermão do monte?? Em que momento agiu Jesus aplicando severa punição maior do que a prevista na lei de Moisés?? Obedecia Jesus a Lei de Moisés registrada nas “Escrituras”?? A lei de Moisés determinava não se ter dó e nem piedade daquele que ofendesse a lei, não é isto o que está nas “Escrituras”??


Porque Jeová não vivia o dia a dia de acordo com esta lei?? Porque Jesus não obedecia a esta lei registrada nas Escrituras??


UM CASO PERDIDO, DE IMPOSSÍVEL RECUPERAÇÃO?? PARA QUEM??


Será que para Jeová e para Jesus existe o caso perdido?? O caso além de recuperação, ele existe?? (Hebreus 6:4-8) 4 Porque É IMPOSSÍVEL, quanto aos que de uma vez para sempre foram esclarecidos, e que provaram a dádiva celestial gratuita, e que se tornaram participantes de espírito santo, 5 e que provaram a palavra excelente de Deus e os poderes do vindouro sistema de coisas, 6 mas que se afastaram, reanimá-los novamente ao arrependimento, porque eles de novo pregam para si mesmos o Filho de Deus numa estaca e o expõem ao opróbrio público. 7 Por exemplo, o solo que absorve a chuva que freqüentemente cai sobre ele, e que então produz vegetação apropriada para aqueles para quem é também lavrado, recebe por sua vez uma bênção de Deus. 8 Mas, se produzir espinhos e abrolhos, é rejeitado e está prestes a ser amaldiçoado e acaba sendo queimado.


Assim verte a Tradução Brasileira: (Hebreus 6:4-6) 4 Pois é impossível que os que uma vez foram iluminados e provaram o dom celestial, e se tornaram participantes do Espírito Santo, 5 e provaram a boa palavra de Deus, e os poderes do mundo vindouro, 6 e depois caíram; impossível é renová-los outra vez para o arrependimento, visto que eles crucificam de novo para si o Filho de Deus e o expõem à ignomínia.


Não poderia mais uma vez o nosso amado irmão Paulo estar enganado em suas afirmações e ações??


Não condene teu irmão. És tu um juiz?? (Tiago 4:11-12) 11 CESSAI de falar uns contra os outros, irmãos. Quem falar contra um irmão ou julgar seu irmão fala contra a lei e julga a lei. Ora, se tu julgas a lei, não és cumpridor da lei, mas juiz. 12 Há um que é legislador e juiz, aquele que é capaz de salvar e de destruir. Mas tu, QUEM ÉS TU para julgares o [teu] próximo?




O DEPOIMENTO DE JESUS SOBRE OS PECADOS DOS HOMENS.


Saiu da boca de Jesus a seguinte afirmação em relação aos pecados cometidos pelos humanos. É uma questão de acreditar nesta afirmação ou não acreditar nela, de ter fé em Jesus ou não, acreditar em Jesus ou não, de concordar com Jesus ou não.

(Mateus 12:31-32) 31 Por esta razão, eu vos digo: TODA SORTE DE PECADO e blasfêmia SERÁ PERDOADA aos homens, mas a blasfêmia contra o espírito não será perdoada. 32 Por exemplo, quem falar uma palavra contra o Filho do homem, ser-lhe-á perdoado; mas quem falar contra o espírito santo, não lhe será perdoado, não, nem neste sistema de coisas, nem no que há de vir.

Jesus confirma as palavras de seu Pai: Toda sorte de pecados será perdoada aos homens. Você fica feliz ou triste??

O Pai perdoa todos os tipos de pecados - (Marcos 3:28) 28 Deveras, eu vos digo que TODAS AS COISAS SERÃO PERDOADAS AOS FILHOS DOS HOMENS, não importa que pecados e blasfêmias cometam blasfemamente.



Independente do tipo de pecado e independente de quantas vezes ele pecar contra você, perdoe-o - (Mateus 5:38-39) 38 Ouvistes que se disse: ‘Olho por olho e dente por dente.’ 39 No entanto, eu vos digo: Não resistais àquele que é iníquo; mas, a quem te esbofetear a face direita, oferece-lhe também a outra.


Quem desconsidera as declarações saídas da boca de Jesus, o que receberá do próprio Jesus?? Jesus responde: (João 12:46-48) 46 Eu vim como luz ao mundo, a fim de que todo aquele que depositar fé em mim não permaneça na escuridão. 47 Mas, se alguém ouvir as minhas declarações e não as guardar, EU NÃO O JULGO; pois NÃO VIM JULGAR o mundo, mas salvar o mundo. 48 Quem me desconsiderar e não receber as minhas declarações, tem quem o julgue. A palavra que eu tenho falado é que o julgará no último dia;


Quem falar uma palavra contra o Filho, ser-lhe-á perdoado”foi o que afirmou aquele que será o ofendido e que também será aquele que dará o seu perdão.

Quem ouvir e não guardar as minhas palavras, eu não o julgo”foi o que afirmou aquele que será ofendido e que também será aquele que dará o seu perdão.

Neste caso, eu não posso me intrometer, pois não é assunto meu, além do que, o ofendido já deu a sua posição, ele já deu a sua decisão do que fará. Trata-se de uma relação direta entre ofensor e ofendido.

Se eu afirmar que o ofendido não fará o que ele (Jesus) já afirmou que fará, revela que não concordo com o que ele afirmou que fará. Também o chamo de mentiroso.


Mesmo aquele que Eu puni com a morte, Eu me lembrarei dele muito mais – esta foi a afirmação do Pai, não foi??


Cada um dos humanos acima citados, ao darem seus depoimentos sobre esta questão, certamente dirá: Fui punido, foi necessário, mas, Coisa maravilhosa é cair nas mãos de Jeová!!!


Mesmo quando decide punir um humano iníquo, que tipo de punição dá Jeová?? Uma punição de inimizade?? Uma punição com ódio?? Será que Jeová cumpria aquela determinação da lei dada por Moisés, ou seja, não tenha dó?? Tratava-se daquela que o iníquo merece?? O que afirmou o próprio Jeová?? Ele afirmou: “Não vou lhes punir segundo o caminho mau de vocês”. (Ezequiel 20:44) 44 E tereis de saber que eu sou Jeová, quando eu tomar ação contra vós por causa do meu nome, não segundo os vossos caminhos maus ou as vossas ações corruptas, ó casa de Israel’, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová.”

Jeová prometeu para o iníquo que estava sendo punido: “Nos últimos dias vós compreendereis”. (Jeremias 23:19-20) 19 Eis que certamente sairá o vendaval de Jeová, o próprio furor, sim, uma tormenta rodopiante. Rodopiará sobre a cabeça dos iníquos. 20 A ira de Jeová não recuará até que ele tenha executado e até que tenha realizado as idéias de seu coração. Na parte final dos dias dareis a isso vossa consideração com compreensão.


Diferente de nosso irmão Paulo, certo profeta reconhecia que o uso da misericórdia era uma marcante e contínua característica de Jeová, mas que, pessoalmente ele não gostava muito. Em certa ocasião, este profeta, um dos mensageiros escolhido por Jeová para levar uma mensagem para um povo incircunciso, um povo muito iníquo, ao ver Jeová usar de misericórdia para com este povo muito iníquo, ficou tão irado que desejou a morte: (Jonas 3:7-4:3) 7 Além disso, fez proclamar e dizer em Nínive, pelo decreto do rei e dos seus grandes, dizendo: “Nenhum homem e nenhum animal doméstico, nem manada nem rebanho, deve saborear coisa alguma. Nenhum [deles] deve tomar alimento. Nem mesmo água devem beber. 8 E cubram-se de serapilheira, homem e animal doméstico; e clamem a Deus com força e recuem, cada um do seu mau caminho e da violência que havia nas suas mãos. 9 Quem sabe se o [verdadeiro] Deus [não] voltará e realmente [o] deplorará, e recuará da sua ira ardente, para que não pereçamos?” 10 E o [verdadeiro] Deus chegou a ver os seus trabalhos, que tinham recuado de seu mau caminho; e por isso o [verdadeiro] Deus deplorou a calamidade de que falara que lhes ia causar; e ele não [a] causou. 4 Isso, porém, desagradava muito a Jonas e acendeu-se a sua ira. 2 Por isso orou a Jeová e disse: “Ai! ó Jeová, não foi esta a minha questão quando vim a estar no meu próprio solo? Por isso é que fui e fugi para Társis; POIS EU SABIA QUE ÉS um Deus clemente e misericordioso, vagaroso em irar-se e abundante em benevolência, e que deploras a calamidade. 3 E agora, ó Jeová, por favor, tira-me a minha alma, pois é melhor eu morrer do que ficar vivo.”


Enquanto o Pai alegrava-se por ser benevolente, Jonas ficou irado por Jeová usar de benevolência para com o iníquo. Amava Jonas a benevolência?? A sua reação já forneceu a devida resposta. Com o que Jonas se alegraria?? Com a calamidade do iníquo, certamente. A nação tinha uma canção que retratava muito bem o seu desejo em relação ao iníquo: (Salmos 92:7) 7 Quando os iníquos florescem como a vegetação E estão florindo todos os que praticam o que é prejudicial, É para que sejam aniquilados para todo o sempre.


O que ficou provado?? Ficou provado que Jeová se agrada na benevolência, se agrada na misericórdia, enquanto que o povo escolhido e amado se alegrava na calamidade.


Jeová usa e SEMPRE se agrada da benevolência.

Qualquer outra afirmação contrária, seria uma ofensa a quem destaca sempre a Sua Bondade. Qualquer outra afirmação contrária seria uma blasfêmia contra aquele que provou ser BOM. Seria uma blasfêmia contra Jeová. No entanto, alegre-se, pois Jeová também perdoará esta blasfêmia.

Ainda há o agravante de que a declaração “coisa terrível é cair nas mãos do Deus vivente”, foi feita tempos depois de Jesus afirmar que” o Pai perdoa todos os pecados e todas as blasfêmias contra Ele, o Pai”. Como podemos contrariar a afirmação de nosso Mestre??

Tal afirmação de nosso irmão Paulo, não revela ser oposição às afirmações de Jesus em relação ao Pai?? Paulo revelou discordar de Jesus.


Aquele Jeová adorado por Paulo de Tarso era bem diferente daquele Jeová adorado por Jesus. Um Jeová era incompatível com o outro Jeová. Eles não podem ser a mesma pessoa. Isto é uma coisa impossível.

Bem, e agora??

Se for uma blasfêmia contra o Filho, alegre-se, pois o Filho também perdoará esta blasfêmia.

Jeová afirma; Vocês ficarão apavorados com a minha BONDADE; as nações ficarão agitadas por causa da minha BONDADE.

Esta é a BONDADE DE JEOVÁ.


Muita atenção e não se esqueça. O ofendido foi Jeová. Não condene àquele que Jeová já afirmou que Ele vai perdoar.


Topo da página