QUEM OU O QUE É O “DESASSOCIADO”??

Criada em 16/02/10 - Última alteração em 12/07/2015 às 19 : 05



O Desassociado – quem é ele?

Não é ele alguém que foi julgado por um humano ou por um grupo de humanos??



Jesus veio à terra definir para o humano o que era o certo e o que era o errado, o que era pecado e o que não era pecado, o que era verdade e o que era mentira, o que era luz e o era escuridão.

Quem depositar confiança absoluta em Jesus aceitará que suas ações são as ações de um homem justo e que qualquer ação oposta à praticada por Jesus será a ação de um homem iníquo.

Antes de iniciarmos a sabatina sobre desassociação, vejamos uma interessante ação tomada por aquele que aceita o sermão do monte como uma lei a ser obedecida por ele:

Mandamento dado por Jesus:

(Mateus 5:23-24) 23 Se estiveres, pois, apresentando a tua oferta no altar, e aí te lembrares que teu irmão tem contra ti alguma coisa, 24 deixa ali a tua oferta diante do altar, vai primeiro reconciliar-te com teu irmão, e depois vem apresentar a tua oferta.

Vai primeiro fazer as pazes (reconciliação) com o teu irmão.

Se o teu irmão te cumprimenta e você não responde ao cumprimento dele, significa que há algo errado entre você e ele, que não paz entre você e ele, que há uma separação entre você e ele, e que há a necessidade de reconciliação entre você ele.

Reconciliaçãoesta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: estabelecer a paz entre, congraçar(-se), harmonizar(-se), conciliar(-se); ajuntar novamente

reconciliar

v. (sXIV) 1 t.d.bit. e pron. estabelecer a paz entre; fazer as pazes, congraçar(-se), harmonizar(-se), conciliar(-se) <foi impossível r. os países beligerantes> <r. com o grupo o amigo extraviado> <reconciliaram-se os adversários> 2 t.d. restituir à graça de Deus <o confessor reconcilia o pecador> ¤ etim lat. reconcilìo,as,ávi,átum,áre 'reunir, ajuntar novamente, reconciliar' ¤ sin/var recongraçar; ver tb. sinonímia de conciliar ¤ ant ver sinonímia de malquistar ¤ hom reconciliáveis(2ªp.pl.) / reconciliáveis(pl.reconciliável[adj.2g.])


Percebemos tratar-se de algo individual. Independente do que os outros façam você prestará contas somente daquilo que tu fazes. O mandamento não é para a congregação (igreja). O mandamento é para o indivíduo, pois a congregação não presta contas, é o indivíduo quem presta contas.

Você obedece ao que a bíblia ensina ou ao que Jesus ensina??

Os sacerdotes, os fariseus e demais estudiosos da “bíblia existente e obedecida” sempre contestavam Jesus com um “ensino” da bíblia.

Eles diziam: Jesus, olhe o que “a bíblia ensina” sobre este assunto.

Diziam mais: Jesus, este é um ensino bíblico.

Os que concordavam com Jesus sempre eram rotulados como pessoas que não conheciam a bíblia que toda a nação obedecia. Eram rotulados de fora da lei.

Os que usavam a bíblia como base para suas decisões em relação aos problemas de relacionamento humano no dia a dia, contestavam as decisões de Jesus e as informações de Jesus sobre as decisões de Jesus e a base que Jesus apresentava para suas decisões.

Diziam: Jesus, nós só fazemos o que a bíblia ensina.

Não receber pecadores em seus lares, não entrar na casa de pessoas aviltadas e nem sentar-se com eles para comer era um dos costumes de todo o povo.

Casar-se de novo após a apresentação de um certificado de divórcio também era outro costume praticado por todo do povo. Apedrejar certos pecadores também era outro costume praticado por todo o povo.

Para cada um destes e de outros costumes, os sacerdotes, responsáveis diante do Pai Jeová, para retransmitir ao povo os mandamentos criados por Ele, apresentavam a bíblia para todo o povo o diziam: “É o que a bíblia ensina”.



Continuemos a nossa sabatina sobre a desassociação.

Trata-se de um dos “costumes” não praticados por Jesus.

Trata-se de uma ação de INTOLERÂNCIA contra o pecado ou uma ação de intolerância contra o pecador??

Praticou Jesus o autoritarismo sobre os seus discípulos?? O Mestre ensinou seus discípulos a praticarem o autoritarismo??

Quando é que o autoritarismo passa a ser a coisa certa a ser feita?? Será que são as “circunstâncias” que o definirão como coisa certa??

Expulse-o de vossa companhia, remova o mal do vosso meio através da EXCLUSÃO daquele que pratica o mal – praticou Jesus esta “diretriz”?? Estabeleceu Jesus esta “diretriz”??

Moraria Jeová em uma mesma casa junto com pessoas iníquas??

EXCLUIR O PECADOR é a forma correta de ELIMINAR o pecado??

EXCLUIR O PECADOR – é esta a diretriz usada por Jeová para ELIMINAR o pecado??

Jesus afirmou: “Eu e o Pai somos um”. Poderia nosso irmão Paulo afirmar: “Eu e o meu Mestre Jesus somos um”??

Mostrou Paulo ser uma “imagem” de Jesus?? Mostrou Paulo ser uma “cópia” de Jesus?? O que os fatos mostram??

Jesus mostrou ser um PERDOADOR. Mostrou Paulo ser um PERDOADOR igual a Jesus?? Mostrou ser uma “cópia” de Jesus?? Poderia Paulo substituir Jesus para realizar alguma tarefa realizada por Jesus??

Quais “diretrizes” obedecia Jesus?? As “diretrizes” estabelecidas no “Sermão do monte”.

Que “normas de conduta” foram vividas por Jesus no seu dia a dia durante aqueles três anos e meio?? As “normas de conduta” que estão estabelecidas no “Sermão do monte”.

Como discípulo de Jesus, tinha Paulo que obedecer a estas mesmas “diretrizes” OBEDECIDAS por Jesus?? Tinha Paulo de se submeter às mesmas “normas de conduta” que seu Mestre se submetia??

Não deveria ser Paulo uma “cópia” de Jesus??

Paulo deveria ser um clone de Jesus, não deveria??

O que é um clone, fisicamente falando??

Clone – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: indivíduo geneticamente “idêntico” a outro, produzido por manipulação genética...

1clone

s.m. (1942) 1 gen conjunto de células geneticamente idênticas derivadas por mitose de uma única célula original 2 gen indivíduo geneticamente idêntico a outro, produzido por manipulação genética 3 gen fragmento de molécula de ADN que foi inserido em vetor e duplicado para formar várias cópias 4 fig. o que é ou aparenta ser a cópia de um original 5 inf B cópia de um elemento de hardware ou software capaz de executar as mesmas funções que o original ¤ etim emprt. gr. klôn,ónós 'rebento, broto, ramo pequeno', prov. através do ing. clone 'id.' ¤ sin/var clono


É óbvio que Paulo de Tarso não era um clone físico de Jesus, no entanto, deveria ser um clone espiritual... Ser um clone espiritual significaria ter as mesmas qualidades inerentes à personalidade de Jesus.

Como revelaria Paulo de Tarso ser um clone espiritual de Jesus???

Ao ser confrontado com as mesmas circunstâncias, Paulo de Tarso tomaria as mesmas decisões tomadas por Jesus, não havendo nenhuma diferença entre as decisões tomadas por um ou por outro... Os mesmos sentimentos, que levariam às mesmas palavras e às mesmas ações.

Discípulo de alguém que não come carne é aquele que não come carne. Se ele come carne como pode afirmar ser discípulo daquele que não come carne?? Um herbívoro é discípulo de outro herbívoro e um carnívoro é discípulo de outro carnívoro. O intolerante é discípulo do intolerante e o tolerante é discípulo do tolerante. O perdoador é discípulo do perdoador e o justiceiro é discípulo de justiceiro.

As seguintes palavras de Jesus na introdução do “sermão do monte”, respondem a esta pergunta, sem deixar qualquer dúvida: (Mateus 5:17-19) 17 Não penseis que vim destruir a Lei ou os Profetas. Não vim destruir, mas cumprir; 18 pois, deveras, eu vos digo que antes passariam o céu e a terra, do que passaria uma só letra menor ou uma só partícula duma letra da Lei sem que tudo se cumprisse. 19 Quem, portanto, violar um destes mínimos mandamentos e ensinar a humanidade neste sentido, será chamado ‘mínimo’ com relação ao reino dos céus. Quanto àquele que OS CUMPRIR e ensinar, esse será chamado ‘grande’ com relação ao reino dos céus.

O que é o “sermão do monte”?? Trata-se de uma coletânea de “diretrizes”, trata-se de uma coletânea de “normas de procedimento”, trata-se de uma coletânea de “normas de conduta”, pelas quais Jesus viveu o seu dia a dia terrestre durante aqueles três anos e meio.

Havendo um pecado grave (todo pecado é grave) no teu irmão, estará você credenciado, capacitado e autorizado a condená-lo?? Não é o perdão incondicional que deveis praticar no vosso dia a dia??

A contínua ação de Jeová para com alguém muito iníquo. Veja aqui.

Do ponto de vista de Jeová, excluir um irmão é uma ação motivada pelo ódio e não pelo amor. Veja aqui.

Que teoria serve de base para que um humano exclua outro humano do seu convívio, por este haver pecado?? Veja aqui.

A ordem para excluir certos pecadores do convívio: “Removei o iníquo de entre vós”. Quem a deu e quando? Quem estabeleceu esta “diretriz” para o discípulo de Jesus??? Em um sistema que é regido por LEI, o juiz determina que a LEI seja cumprida no caso daquele réu. Onde está a LEI que determina a exclusão de pecadores?? Obedeceria Jesus a tal ordem devidamente registrada na Bíblia??

Uma desassociação sempre é precedida de um JULGAMENTO. Quem se torna JUIZ neste julgamento?? Jesus negou-se a JULGAR os humanos. Discípulos de Jesus devem JULGAR outros discípulos de Jesus? Quem age qual Juiz, está cometendo um pecado?? Que Lei determina que agir qual JUIZ é um pecado?? Veja aqui.

O que devo sentir por alguém que comete uma coisa detestável contra Jeová?? Devo ficar do lado de Jeová e contra tal pecador?? Como ser LEAL a Jeová??

O que é uma “comissão judicativa”??

Não cumprimentar – trata-se de uma “obra excelente” ou de uma “coisa detestável”?? Que exemplo deu Jesus, o Mestre e Modelo dos que hoje não cumprimentam??

O desassociado é um “filho pródigo”??

O que é discriminação, o que é discriminar??

SERÁ QUE A ORDEM DE DESASSOCIAR O PECADOR SERIA OBEDECIDA POR JESUS?? E QUANTO A ORDEM DE NÃO FALAR COM O DESASSOCIADO SERIA OBEDECIDA POR JESUS??

Suponhamos que ocorra hoje a seguinte cena:

Senhor Jesus, Senhor Jesus, trouxemos este homem que embora afirme ser um discípulo seu, tem cometido muitos pecados, logo, ele nada vale. Não só foi dito, como também foi praticado por nossos antepassados e está registrado na “Bíblia”, que ele seja excluído do nosso grupo e que não falemos mais com ele. O QUE DIZES TU??

Certamente, Jesus lhes dirá: Foi este “costume” criado por mim?? Foi este costume praticado por mim?? Foram estes os MEUS sentimentos pelos que cometiam pecados?? Foram estas as MINHAS ações?? Imposição de autoridade é falta de respeito ao LIVRE-ARBÍTRIO da ovelha. Imposição de autoridade é DESVALORIZAR a ovelha.

Mudemos de sentimentos e mudemos a forma de relacionamento para com ele” – foi esta a regra de comportamento que eu pratiquei no meu dia a dia para com aqueles que cometiam pecados??

Certamente Jesus lhes falará ainda mais: Você sabia que condenar também é pecado?? Se você o condenar, você também serás condenado. Embora seja um pecado diferente, também é pecado. Preocupe-se em não cometeres nenhum pecado. Faça questão de não cometer nenhum pecado, nenhum.

Você sabia que mudar de comportamento em relação ao pecador em face do pecado dele é o mesmo que condenar o pecador??

A palavra e o exemplo de Jesus deviam ter a importância máxima para o discípulo de Jesus. Repetir a palavra e copiar o exemplo de Jesus devia ter a prioridade máxima na vida do discípulo de Jesus, afinal, ele afirma ser um COPIADOR de Jesus, não é verdade??

As palavras e o exemplo de outros adoradores de Jeová passam a ser exaltados, aceitos e copiados pelos que afirmam ser discípulos de Jesus. Desta forma, aquilo que deveria ter a importância máxima e a prioridade máxima passa a ser rebaixado. Desta forma, aquele que afirma ser um COPIADOR de Jesus, na verdade, está copiando outra pessoa. Ele estará copiando um “admirado” adorador de Jeová.

Sentimento humano – Quanto mais iníqua (pecadora) é a pessoa, mais desprezível ela é, menor valor ela possui e menor estima se tem por ela.

Prezar é igual a atribuir ALTO valor (valorizar) e ALTA estima (estimar) a alguma coisa ou a alguém.

Resumidamente, desassociado é uma pessoa qualquer que é retirada do convívio de um grupo. Geralmente ele é expulso do grupo por um motivo, que para o grupo é bastante válido.

É DA ABUNDÂNCIA DO CORAÇÃO QUE A BOCA FALA”. Sob certas circunstâncias, todas as palavras e todas as ações dos humanos são frutos dos sentimentos deste humano. O local onde todos os sentimentos se desenvolvem é o coração. (Mateus 12:34) 34 Descendência de víboras, como podeis falar coisas boas quando sois iníquos? Pois é da abundância DO CORAÇÃO que a boca fala. (Lucas 6:45) 45 O homem bom, do bom tesouro do seu coração, traz para fora o bom, mas o homem iníquo, do seu [tesouro] iníquo, traz para fora o que é iníquo; pois é da abundância DO CORAÇÃO que a sua boca fala.

OS PENSAMENTOS CONCLUSIVOS, AS PALAVRAS FALADAS E AS AÇÕES TOMADAS REVELAM QUE SENTIMENTO TINHA A PESSOA NAQUELE MOMENTO.

Palavras iníquas e ações iníquas são evidências visuais e audíveis dos SENTIMENTOS existentes no coração do seu autor. Enquanto os animais são movidos pelo INSTINTO, os humanos são movidos pelos SENTIMENTOS. Sob certas circunstâncias, todas as palavras e todas as ações humanas são frutos dos seus sentimentos.

Em relação a “expulsar da companhia”, que palavras falou Jesus? Assim se fez registrar: (Lucas 6:22-23) 22 Bem-aventurados sois, quando os homens vos odiarem, e quando vos expulsarem da sua companhia, vos ultrajarem e rejeitarem o vosso nome como indigno, por causa do Filho do homem. 23 Regozijai-vos naquele dia e exultai, porque grande é o vosso galardão no céu; pois assim seus pais trataram aos profetas.

Na corrente do tempo, esta prática de desassociar pecadores tem sido comum ao povo adorador de Jeová. Ela é fruto do sentimento de DESPREZO. É FRUTO de um grupo de pessoas que se sentem mais limpas do que aquelas que estão sendo expulsas, excluídas do grupo. É fruto de uma teoria de que o expulso representa um perigo para o grupo. Ao expulsar tais pessoas, o grupo passa a sentir-se cada vez mais limpo. O grupo busca alcançar e principalmente manter a condição de limpo e puro. Prezar é o oposto de desprezar. O DESPREZO é o SENTIMENTO pelo qual “eu” vejo uma pessoa como sendo indigna de valor, como indigna da “minha” estima e indigna da “minha” atenção. O ato de excluir é um dos frutos do sentimento chamado desprezo, logo, o ato de excluir só é praticado por quem tem desprezo no coração. SOMENTE UM “ALTIVO” TEM O SENTIMENTO DE DESPREZO. Os SENTIMENTOS de cada membro formam o sentimento do grupo e tornam o sentimento do grupo muito mais forte. Assim, o indivíduo passa a usar o grupo como escudo para as suas ações e no grupo ele se apoia. Desassociar é uma ação tomada contra o “PECADOR”. Para ser desassociada, a pessoa precisa ter cometido pecado. Não é qualquer tipo de pecado, mas, determinados tipos de pecados, pecados que os líderes do grupo passam a considerar como sendo “pecados graves”. Alguns até mesmo afirmam que o pecado é contra o grupo. Desassociado é um adorador de Jeová que cometeu um pecado, que os demais adoradores de Jeová consideram como “pecado grave”. Que base precisa haver para esta TEORIA a respeito de “pecados graves”?? A TEORIA de que existem pecados mais graves que outros pecados, obviamente. Esta é a TEORIA que serve de base para a existência de humanos superiores a outros humanos, humanos mais limpos que outros humanos.

Diferente da disposição dos humanos que afirmavam amar a Jeová, Jeová morava junto com os iníquos, habitava no meio dos iníquos. (Êxodo 29:43-46) 43 E ali vou apresentar-me aos filhos de Israel, e ele certamente será santificado pela minha glória. 44 E vou santificar a tenda de reunião e o altar; e santificarei Arão e seus filhos, a fim de atuarem para mim como sacerdotes. 45 E VOU RESIDIR NO MEIO DOS FILHOS DE ISRAEL E VOU MOSTRAR-ME SEU DEUS. 46 E saberão certamente que eu sou Jeová, seu Deus, que OS FIZ SAIR DA TERRA DO EGITO PARA RESIDIR NO MEIO DELES. Eu sou Jeová, seu Deus.

Diferente do sentimento humano, Jeová residia com os iníquos, morava com eles. (Jeremias 9:2-3) 2 Quem me dera ter no ermo uma pousada para viajantes! ENTÃO EU DEIXARIA MEU POVO E IRIA PARA LONGE DELE, porque TODOS eles são adúlteros, uma assembléia solene de [homens] traiçoeiros; 3 e eles retesam a sua língua em falsidade, como seu arco; mas não foi em fidelidade que se mostraram poderosos na terra. “Pois saíram de maldade em maldade, e desconsideraram até mesmo a mim”, é a pronunciação de Jeová.

Habitando no meio do povo desde os dias de Moisés, o que Jeová viu o seu amado povo fazer?? Ele mesmo responde. Jeová afirmou: Deixei-me buscar por uma nação que não invocava Meu nome; O DIA INTEIRO estendi as Minhas mãos para um povo iníquo e que me ofende diretamente à minha face. No entanto, o que mais via Jeová neste povo que Ele continuava morando e se relacionando, apesar da grande iniquidade?? Jeová responde: “Eles dizem a respeito de si mesmos: Não te aproximes de mim por causa da minha santidade”. Estranho, não?? O povo se achava santo e excluía os iníquos aos seus olhos. “Não te aproximes de mim” é uma frase que revela a espécie de sentimento que existe no coração de quem fala, é o fruto de um sentimento. O sentimento é o desprezo. As afirmações de Jeová para os iníquos eram 100% opostas às afirmações do povo para os iníquos. O povo santificava a si próprio, ou seja, se declarava santo. Assim está registrado: (Isaías 65:1-5) 65 “Deixei-me buscar por aqueles que não perguntaram [por mim]. Deixei-me achar por aqueles que não me tinham procurado. Eu disse: ‘Eis-me aqui, eis-me aqui!’ a uma nação que não invocava o meu nome. 2 O DIA INTEIRO ESTENDI AS MINHAS MÃOS PARA UM POVO OBSTINADO, os que andam no caminho que não é bom, atrás dos seus pensamentos; 3 o povo [que se compõe] dos que DE CONTÍNUO ME OFENDEM DIRETAMENTE À MINHA FACE, sacrificando nos jardins e fazendo fumaça sacrificial sobre os tijolos, 4 sentando-se entre as sepulturas, que também passam a noite nas guaritas das sentinelas, comendo carne de porco, havendo nos seus vasos até mesmo caldo de coisas imundas; 5 os que dizem: FICA ONDE ESTÁS. NÃO TE APROXIMES DE MIM, pois eu certamente te transmitirei santidade.’ Estes são fumaça nas minhas narinas, um fogo ardendo o dia inteiro.

Que coisa incrível estava acontecendo!!!!!

Jeová, Aquele que é realmente Santo, estava estendendo continuamente as Suas mãos para um povo que Ele via como iníquo. Esta era a ação de Jeová, aquele que é Santo.

No entanto, o que o povo iníquo estava fazendo??

O povo iníquo estava excluindo do seu convívio, aqueles que eles consideravam iníquos. Esta era a ação do povo, um povo iníquo. No entanto, o povo chamava a si mesmo de santo, ou seja, o povo se declara santo. O povo se declarava mais santo do que os demais povos.

Tratava-se de uma ação oposta a ação de Jeová.

Estes a quem Jeová estava falando, pessoas iníquas, EXCLUÍAM do seu convívio seus irmãos, por causa do nome de Jeová, e com a boca, davam glória à pessoa de Jeová.

Assim falou Jeová, aquele que tudo via, para aqueles que recebiam a ação de exclusão da parte de seus irmãos: (Isaías 66:5) 5 Ouvi a palavra de Jeová, vós os que tremeis da sua palavra: “Vossos irmãos que vos ODEIAM, que VOS EXCLUEM POR CAUSA DO MEU NOME, disseram: ‘Glorificado seja Jeová!Ele terá de aparecer também com alegria da vossa parte, e ELES SERÃO OS ENVERGONHADOS.

QUE SENTIMENTO PRECEDE O ATO DE EXCLUIR?? O desprezo, que é o oposto de prezar.

QUAL O MOTIVO DA EXCLUSÃO DOS IRMÃOS?? Por causa do nome de Jeová. Os que praticam a exclusão, o fazem, segundo afirmam, por amor a Jeová.

Tratava-se da manifestação de amor?? Bem, Jeová, aquele que é mais sábio que todos os humanos, nos informa que se trata de uma manifestação de ódio. Excluir da companhia é um dos frutos do ódio. Devo aceitar a informação dada por Jeová??

Estes homens encontraram um motivo plenamente justificável em suas mentes para praticar esta ação de ódio. Qual era o motivo?? Por causa do nome de Jeová. Estes humanos odiados haviam feito algo que Jeová não gostava?? Era exatamente isto o que o olho daquele que odiava estava vendo, e isto era uma verdade.

SEGUNDO JEOVÁ, QUAL FOI O SENTIMENTO QUE PRECEDEU A EXCLUSÃO?? “Vossos irmãos que vos ODEIAM”, foi o que falou o próprio Jeová. Definitivamente, não foi o “AMOR ao próximo como a si mesmo” que os motivou a EXCLUIR seus irmãos. Não estavam obedecendo ao mandamento dado por Jeová, ou será que estavam?? Estavam praticando um sentimento oposto ao sentimento de Jeová.

Jeová revelou não gostar destas palavras e destas ações, e obviamente, também não gostar do sentimento que gerava tais coisas. O que previu Jeová para tais humanos que excluíam seus irmãos por causa do nome de Jeová?? Serem envergonhados.

No lugar de serem glorificados, como esperavam, eles seriam envergonhados, coisa que não esperavam.

Do ponto de vista de Jeová, excluir um irmão é uma ação de quem ODEIA seu irmão. Será que terão coragem de afirmar que Jeová está errado?? O mandamento dado a Moisés é claro: (Levítico 19:17) 17NÃO DEVES ODIAR TEU IRMÃO NO TEU CORAÇÃO. Decerto deves repreender o teu colega, para que não leves o pecado junto com ele.

Devo odiar um irmão que se tornou iníquo??


INDEPENDENTE DO MOTIVO, não deves odiar o teu irmão no teu coração, isto é, antes de você praticar contra ele qualquer ação fruto do ódio. Isto é o mesmo que determinar: “Como o sentimento precede a ação, então, não tenha o sentimento de ódio no teu coração”.

Excluir da companhia não é uma ação de amor. Do ponto de vista do Pai, trata-se de uma ação que é fruto do ódio.


O que passa a acontecer??

O humano se sente incomodado com o pecado praticado por seu próximo, e passa a sentir por este próximo um sentimento diferente do que sentiria por este próximo, se ele não tivesse cometido aquele pecado. Até o momento do cometimento do pecado, este suposto santo amava este próximo. Mas, bastou este próximo cometer um pecado e este suposto santo modifica a sua forma de ver e de tratar este pecador.

De quem este suposto santo é um clone espiritual?? Será quer é do Pai?? Será que é de Jesus???


Quem exclui seu irmão é porque odeia seu irmão, no entanto, a ordem é AMAR o irmão. Saberão que sois meus discípulos, se tiverdes AMOR entre vós, afirmou o MESTRE. Consequentemente, não deveria haver exclusão de pecadores. Jesus não excluiu pecadores, pois ele obedecia a lei de Jeová, não odiando o seu irmão, tendo como desculpa o fato deste irmão ter cometido um “grave” pecado. Jesus mostrou como obedecer a lei. Jesus mostrou que tipo de amor deveria ser praticado. É para praticar o mesmo amor praticado por Jesus, não aquele tipo de amor praticado por Moisés, Davi, Elias, Eliseu, ou outros servos do Pai.

Sendo um “clone espiritual” do Pai, Jesus só falava o que o Pai falava e só fazia o que o Pai fazia.

Certamente afirmam que o excluído não merece ser amado por eles, e, consequentemente, passam a afirmar que o excluído merece ser odiado. Não é para amar o merecedor, ou será que é?? Suas ações revelam o que há em seus corações. Assim, do ponto de vista destes homens, para ser amada, a pessoa precisa merecer. Será que esta diretriz é correta?? Foi e ainda é usada esta diretriz por Jeová?? Que diretriz estabeleceu e praticou Jeová??

Uma base rebeldeUma das bases para excluir um pecador é a afirmação humana de que existem pecados mais graves e pecados menos graves. O excluído comete um pecado rotulado de grave. Qual é o maior mandamento?? Quanto maior o mandamento, maior será a gravidade do pecado, e maior será a penalidade por tal pecado, pensavam aqueles humanos. Assim respondeu Jesus para aqueles que acreditavam nesta base: (Mateus 22:34-40) 34 Tendo os fariseus ouvido que ele silenciara os saduceus, ajuntaram-se num só grupo. 35 E um deles, versado na Lei, perguntou para prová-lo: 36 INSTRUTOR, QUAL É O MAIOR MANDAMENTO NA LEI?37 Disse-lhe: “‘Tens de amar a Jeová, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua mente.’ 38 Este é o maior e primeiro mandamento. 39 O segundo, semelhante a este, é: ‘Tens de amar o teu próximo como a ti mesmo.’ 40 DESTES DOIS MANDAMENTOS DEPENDEM TODA A LEI e os Profetas.” (Ezequiel 18:4) . . . Eis que todas as almas — a mim me pertencem. Como a alma do pai, assim também a alma do filho — a mim me pertencem. A ALMA QUE PECARELA É QUE MORRERÁ.

Toda a Lei dada por Jeová” tem por base estes dois mandamentos. Trata-se da Lei do Amor ou da lei do ódio?? Decerto, trata-se da lei do Amor. Logo, trata-se de uma lei que não manda praticar ações de ódio. Todo e qualquer pecado é uma INFRAÇÃO a apenas um ou aos dois mandamentos, e, para todo e qualquer pecado, a sentença é a morte, ou seja, o efeito colateral é a morte, a consequência é a morte. Assim, todos os pecados se igualam. Desta forma nenhum pecador pode condenar outro pecador; nenhum pecador pode se sentir superior a outro pecador. No entanto estas palavras de Jeová e estas palavras de Jesus são rejeitadas pelos que excluem seus irmãos. ELES CONTINUAM ACREDITANDO QUE SEUS PECADOS SÃO MAIS LEVES. Assim, SENTEM-SE pessoas mais limpas e melhores do que aqueles que eles estão excluindo.

Em certa ocasião, assim falou Jesus para os humanos que viviam segundo esta diretriz: (Lucas 13:1-5) 13 Naquela mesma época, estavam ali presentes certos que lhe relataram o caso dos galileus, cujo sangue Pilatos misturara com os sacrifícios deles. 2 Ele lhes disse, assim, em resposta: “Imaginais que esses galileus se mostraram piores pecadores do que TODOS OS OUTROS galileus, porque sofreram tais coisas? 3 Deveras, eu vos digo que NÃO; mas, a menos que vos arrependais, sereis todos igualmente destruídos. 4 Ou aqueles dezoito, sobre os quais caiu a torre de Siloé, matando-os, imaginais que eles se mostraram maiores devedores do que TODOS OS OUTROS homens que habitam em Jerusalém? 5 Deveras, eu vos digo que NÃO; mas, a menos que vos arrependais, sereis todos destruídos da mesma maneira.”

Do ponto de vista de Jesus aqueles galileus que haviam cometido um crime que eles achavam hediondo, não eram maiores pecadores do que aqueles que se escandalizavam com o crime daqueles galileus. A informação dada por Jesus é bem clara: “Vocês não são melhores do que aqueles homens”.

Alguém poderia questionar: “Jesus, você está me igualando àquele monstro que recebeu a merecida punição??

Assim verte a Tradução Almeida: (Lucas 13:1-5) 1 Ora, naquele mesmo tempo estavam presentes alguns que lhe falavam dos galileus cujo sangue Pilatos misturara com os sacrifícios deles. 2 Respondeu-lhes Jesus: Pensais vós que esses foram maiores pecadores do que TODOS os galileus, por terem padecido tais coisas? 3 Não, eu vos digo; antes, se não vos arrependerdes, todos de igual modo perecereis. 4 Ou pensais que aqueles dezoito, sobre os quais caiu a torre de Siloé e os matou, foram mais culpados do que TODOS os outros habitantes de Jerusalém? 5 Não, eu vos digo; antes, se não vos arrependerdes, todos de igual modo perecereis.

DESPREZAR é igual a atribuir Baixo ou nenhum valor e ainda sentir Baixa ou nenhuma estima por alguém ou por alguma coisa.

Para o grupo de adoradores de Jeová, o desassociado passa a ser visto como um ex-adorador de Jeová, pois para o grupo, ele não presta mais para ser um adorador de Jeová.

No pensamento deste adorador de Jeová, O Pai Jeová passou a sentir alguma espécie de inimizade contra aquele ofensor, e visando agradar a Jeová, se colocando do lado de Jeová, este adorador passa a se sentir ofendido com o pecador, mudando o seu sentimento em relação a este pecador, deixando de usufruir a satisfação de estar na companhia de tal humano, agora um agressor.

Primeiro vem o SENTIMENTO de desprezo pelo pecador e só depois vem a AÇÃO de desassociar o pecador. Este sentimento de desprezo PERSISTE até mesmo depois da morte do desassociado, pois não se realiza um discurso fúnebre para ele, afinal, para o grupo de adoradores de Jeová, o desassociado morreu no desfavor do grupo, obviamente, e também morreu no desfavor de Jeová, morreu como um amaldiçoado por Jeová, sendo merecedor da morte eterna. Assim não se misturam “com quem não presta”, mesmo depois da morte deste.

Para os adoradores de Jeová, na visão do adorador de Jeová, o desassociado é um ex-filho de Jeová, pois na condição de desassociado, este pecador não é mais um filho de Deus. Realmente, o desassociado não é digno de valor, estima e atenção. O olho do adorador de Jeová vê as coisas desta forma. “Ele não é mais nosso irmão”, afirmam para o grupo dos santificados. Realmente, é uma questão de desvalorização daquele que é excluído. Ele foi, agora ele não é mais. Ele perdeu o valor que tinha.


Por exemplo, para o fariseu, um adorador de Jeová, quem era o desassociado?? Era o “irmão judeu” (também adorador de Jeová) que cometia determinados tipos de pecados, sendo merecedor do repúdio dele e do grupo. Era também aquele “irmão judeu” que discordasse dos ensinos até então aceitos como “verdade” pelos dirigentes do grupo. Eles expulsavam tais irmãos pecadores das suas sinagogas. Obviamente, tudo ocorria POR CAUSA do nome de Jeová. Os dirigentes dos grupos eram homens estudiosos, conhecedores da lei, pesquisadores e conhecedores das “Escrituras”. O que objetivavam tais pessoas?? Jesus responde: (João 5:39) 39 PESQUISAIS as Escrituras, PORQUE pensais que por meio delas tereis vida eterna; e estas mesmas são as que dão testemunho de mim.

Estes sentimentos de desprezo e hostilidade e estas ações contra os pecadores eram o resultado prático (o fruto) DO DESEJO DE AGRADAR A JEOVÁ. Novamente, é Jesus quem nos informa: (João 16:1-3) 16 “Tenho falado estas coisas para que não tropeceis. 2 [Os] homens vos expulsarão da sinagoga. De fato, vem a hora em que todo aquele que vos matar IMAGINARÁ QUE TEM PRESTADO UM SERVIÇO SAGRADO A DEUS. 3 Mas, farão estas coisas PORQUE NÃO VIERAM A CONHECER nem o Pai nem a mim.

UMA INVERSÃO DE VALORES?? SEM SOMBRA DE DÚVIDAS, UMA INVERSÃO DE VALORES.

Estes homens apedrejavam pecadores pensando que estavam AGRADANDO a Jeová. Para tais homens esta ação era uma “obra excelente” a ser ofertada a Deus. Ofertavam a Jeová o corpo ensanguentado daquele pecador. Será que estavam agradando?? Os apedrejados não eram homens que haviam acabado de praticar determinados pecados?? Os sacerdotes e os demais estudiosos das escrituras expulsavam do grupo (das sinagogas) aqueles que afirmassem acreditar nas frases faladas por Jesus e que divulgassem isto para outros, pois as frases faladas por Jesus afrontavam os mandamentos transmitidos por Moisés, afrontavam os costumes transmitidos por Moisés. Isto passou a ser um pecado grave. Para eles, a expulsão também era uma “obra excelente” a ser ofertada ao Pai. Este incidente abaixo, contado por João, revela o espírito prevalecente naqueles dias: (João 9:22-23) 22 Seus pais diziam estas coisas porque temiam os judeus, pois OS JUDEUS já tinham chegado a UM ACORDO de que TODO O QUE O CONFESSASSE COMO CRISTO fosse EXPULSO da sinagoga. 23 É por isso que os pais dele disseram: “Ele é maior de idade. Interrogai-o.”

Ato de “tirania” ou exercício de “livre-arbítrio”?? Não encontravam estes homens razões lógicas para suas ações?? Não defendiam os ensinos de Moisés registrados nas Escrituras??


AQUELE QUE CONFESSASSE ACREDITAR NAS PALAVRAS FALADAS POR JESUS ERA DESASSOCIADO. ERA EXPULSO DO CONVÍVIO DOS DEMAIS, QUE ATÉ ENTÃO ERAM SEUS COMPANHEIROS DE ESTUDO E ADORAÇÃO.


Estes homens julgavam e condenavam aqueles que discordassem das palavras de Moisés. E quanto a Jesus, o que ele faria contra aquele que ouvisse suas palavras e não acreditasse?? Bem, seria uma ação de tirania?? Jesus responde: (João 12:46-49) 46 Eu vim como luz ao mundo, a fim de que todo aquele que depositar fé em mim não permaneça na escuridão. 47 Mas, se alguém ouvir as minhas declarações e não as guardar, EU NÃO O JULGO; pois não vim julgar o mundo, mas salvar o mundo. 48 Quem me desconsiderar e não receber as minhas declarações, tem quem o julgue. A PALAVRA que eu tenho falado É QUE O JULGARÁ no último dia; 49 porque não falei de meu próprio impulso, mas o próprio Pai que me enviou tem-me dado um mandamento quanto a que dizer e que falar.


Não se trata de uma ação de tirania contra aquele que ouve e não acredita, afinal, Jesus é uma ovelha. Ovelha não pratica atos de violência física e nem de violência psicológica.


Agora, este outro incidente, também narrado por João, revela que eles não só determinavam o que era uma blasfêmia como também tomavam a decisão de matar a pedradas àquele que cometesse este pecado. Eles se comportavam como juízes e como carrascos: (João 10:31-33) 31 Mais uma vez, os judeus apanharam pedras para o apedrejarem. 32 Jesus replicou-lhes: “Eu vos apresentei muitas obras excelentes da parte do Pai. Por qual destas obras me apedrejais?” 33 Os judeus responderam-lhe: “NÓS TE APEDREJAMOS, não por uma obra excelente, mas POR BLASFÊMIA, sim, porque tu, embora sejas um homem, te fazes um deus.”. . .


SEGUNDO ESTES HOMENS, O PECADO DE JESUS ESTAVA NAS PALAVRAS QUE SAÍAM DE SUA BOCA.

Não se tratava da ação de um povo que se considerava DONO da verdade?? Decerto que sim. Onde estava registrada esta “verdade” que eles tanto defendiam??


Neste caso específico, Jesus afirmava ser filho de Deus. Onde estava a blasfêmia?? Não eram todos os judeus igualmente filhos de Deus. Assim perguntou-lhes Jesus: (João 10:36) 36 dizeis a mim, a quem o Pai santificou e mandou ao mundo: ‘Blasfemas’, porque eu disse: Sou Filho de Deus?

Algum tempo depois mataram Estevam por este repetir as frases saídas da boca de Jesus, frases que afrontavam os costumes de Moisés. Afirmaram que havia blasfêmia contra Moisés. A palavra falada era o estopim de tanto ódio. Os regulamentos dados por Moisés encontram-se nas “Escrituras”, encontravam-se na Bíblia. As “diretrizes” fornecidas por Moisés encontram-se nas “Escrituras”, encontravam-se na Bíblia. Assim nos conta o historiador: (Atos 6:8-14) 8 Ora, Estêvão, cheio de graça e de poder, realizava grandes portentos e sinais entre o povo. 9 Mas, levantaram-se certos homens da chamada Sinagoga dos Libertos, e dos cireneus e alexandrinos, e dos de Cilícia e Ásia, para discutirem com Estêvão; 10 contudo, não podiam fazer face à sabedoria e ao espírito com que ele falava. 11 Induziram então secretamente uns homens a dizer: Nós o ouvimos falar declarações blasfemas contra Moisés e Deus.” 12 E atiçaram o povo, e os anciãos, e os escribas, e, vindo contra ele repentinamente, tomaram-no à força e o conduziram ao Sinédrio. 13 E apresentaram testemunhas falsas, que diziam: “Este homem não pára de falar coisas contra este santo lugar e contra a Lei. 14 Por exemplo, nós o ouvimos dizer que esse Jesus, o nazareno, derrubará este lugar e MUDARÁ OS COSTUMES QUE MOISÉS NOS TRANSMITIU.


As afirmações de Jesus afrontavam os costumes dos antepassados, REALMENTE afrontavam ao que era aceito como “verdade”, afrontavam ao que era aceito como “a lei”, afrontavam aquilo que aqueles homens aceitavam como a vontade de Deus para eles. Por isso os sacerdotes, os fariseus e demais estudiosos afirmavam que somente aqueles que não conheciam a “lei” é que seguiriam a Jesus: (João 7:45-49) 45 Portanto, os oficiais voltaram aos principais sacerdotes e fariseus, e estes últimos lhes disseram: “Por que é que não o trouxestes para cá?” 46 Os oficiais responderam: “Nunca homem algum falou como este.” 47 Os fariseus responderam, por sua vez: “Será que também vós fostes desencaminhados? 48 Será que um só dos GOVERNANTES ou dos fariseus depositou fé nele? 49 Mas esta multidão, QUE NÃO SABE A LEI, são pessoas amaldiçoadas.”

Obviamente, a “lei” da qual os governantes e os fariseus falavam, era a “lei” dada por Moisés. Um exemplo esclarecedor da posição 100% oposta do ensino de Jesus ao ensino ancestral, foi revelado por ele, Jesus, nas seguintes palavras: (Mateus 5:38-39) 38 Ouvistes que se disse: ‘Olho por olho e dente por dente.’ 39 No entanto, eu vos digo: Não resistais àquele que é iníquo; mas, a quem te esbofetear a face direita, oferece-lhe também a outra. .

Para estes homens, o “olho por olho e dente por dente” era uma lei dada por Moisés a ser obedecida, INCLUSIVE POR JESUS.

Trazia Jesus uma INVERSÃO DE VALORES em relação ao que havia sido declarado por Moisés e até então praticado por todo o povo?? Sim, Jesus trazia uma INVERSÃO de valores.

Os fariseus afirmavam ser discípulos de Moisés e confiavam plenamente em Moisés. Como reagiriam ao ouvirem Jesus contrariar um dos costumes transmitidos por Moisés?? Embora o “olho por olho e dente por dente” fosse um costume transmitido por Moisés, registrado nas “Escrituras”, registrado na Bíblia, e praticado nas diversas gerações, o que Jeová havia falado para Moisés?? Jeová falou para Moisés: “Não deves tomar vingança e nem deves ter ressentimento de teus irmãos”. Assim está registrado nas “Escrituras”, na Bíblia: (Levítico 19:18) 18NÃO DEVES TOMAR VINGANÇA nem ter ressentimento contra os filhos do teu povo; e tens de amar o teu próximo como a ti mesmo. Eu sou Jeová.

As ordens saídas da boca de Jesus, “parai de julgar e parai de condenar”, também mudavam os costumes transmitidos por Moisés. Ora, somente os ignorantes e desinformados é que se admiram e acreditam no que este Jesus fala, afirmavam os governantes e os fariseus. Somente aqueles que não têm nenhum valor, os amaldiçoados, é que seguem a este Jesus. Nós somos discípulos de Moisés, afirmavam, vangloriando-se. Nós não nos deixamos enganar pelas tuas palavras”, afirmavam para Jesus.

Estes estudiosos eram também os governantes do povo, e haviam se tornado “homens de alto valor”. Os sacerdotes eram os governantes do povo. A eles foi dada esta função. Assim afirmou o próprio Jeová um pouco antes da reconstrução do templo de Jerusalém, que havia sido completamente destruído por Nabucodonosor, rei de Babilônia, cumprindo este a vontade de Jeová: (Zacarias 6:11-14) 11 E tens de tomar prata e ouro, e tens de fazer uma GRANDIOSA COROA e pô-la sobre a cabeça de Josué, filho de Jeozadaque, O SUMO SACERDOTE. 12 E tens de dizer-lhe: “‘Assim disse Jeová dos exércitos: “Aqui está o homem cujo nome é Renovo. E ele brotará de seu próprio lugar e certamente construirá o templo de Jeová. 13 E ELE mesmo construirá o templo de Jeová, e ele, da sua parte, levará [a] dignidade; e TERÁ DE ASSENTAR-SE E GOVERNAR NO SEU TRONO, E TERÁ DE TORNAR-SE SACERDOTE SOBRE O SEU TRONO, e o próprio conselho de paz mostrará estar entre ambos. 14 E a própria grandiosa coroa virá a pertencer a Helém, e a Tobijá, e a Jedaías, e a Hem, filho de Sofonias, como recordação no templo de Jeová.

(Malaquias 2:7) 7 Pois, são os lábios DO SACERDOTE que devem guardar o conhecimento e DA SUA BOCA DEVEM AS PESSOAS PROCURAR [A] LEI; porque ele é o MENSAGEIRO de Jeová dos exércitos.

Este fato não pode ser descartado, pois a função de ensinar ao povo, retransmitir ao povo, a lei de Jeová, era uma designação do próprio Jeová. Assim, o sacerdote tinha uma grande responsabilidade. Como se sairiam?? Não era para CRIAR nada, deviam apenas RETRANSMITIR o que Jeová havia falado. O mensageiro só retransmite.

Outro fato que não pode ser descartado em relação aos sacerdotes é este: (Malaquias 2:8-9) 8 Mas vós, homens — VÓS VOS DESVIASTES do caminho. FIZESTES MUITOS TROPEÇAR na lei. Arruinastes o pacto de Levi”, disse Jeová dos exércitos. 9 E também eu, da minha parte, certamente farei que sejais DESPREZADOS E REBAIXADOS para todo o povo, porquanto NÃO GUARDASTES MEUS CAMINHOS, porém, mostrastes parcialidade na lei.”

Fica assim confirmado que o DESPREZAR está intimamente ligado com o REBAIXAR. Estes homens estavam no “alto” perante o povo e eram amados pelo povo. Jeová via tudo o que estava acontecendo, mas, não impedia que se desviassem do caminho, afinal, Jeová respeita o livre-arbítrio e aqueles humanos juravam que estavam fazendo a vontade do Pai.

ELES SE DESVIARAM DO CAMINHO ESTIPULADO POR JEOVÁ. O que aconteceria com aqueles que confiavam plenamente nestes homens?? O povo atribuía a estes homens um alto valor e uma alta estima. Os sacerdotes fizeram muitos tropeçar na lei, obviamente. Para Jeová, quem é que estava desencaminhando o povo?? Aqueles que os lideravam; aqueles em quem o povo depositava sua total confiança. Eles se desviavam do “caminho” e automaticamente conduziam o povo a fazerem a mesma coisa.

E o povo?? Como reagia o povo?? Bem, o povo amou-o mesmo assim. Esta foi a afirmação do próprio Jeová, aquele que tudo vê: (Jeremias 5:29-31) 29 Não devia eu ajustar contas por causa destas mesmas coisas”, é a pronunciação de Jeová, “ou não devia vingar-se a minha alma duma nação tal como esta? 30 Uma situação ASSOMBROSA, mesmo uma coisa HORRÍVEL fez-se existir no país: 31 Os próprios profetas realmente profetizam em falsidade; e quanto aos sacerdotes, estão subjugando segundo os seus poderes. E MEU PRÓPRIO POVO AMOU-O ASSIM; e que fareis vós ao final disso?”

O povo confiava tanto na palavra do profeta como na palavra do sacerdote. Amavam as coisas que ouviam. Amavam as palavras faladas por estes homens, pois as palavras faladas por estes homens produziam um adubo especial que alimentava os sentimentos existentes em seus corações, sentimentos de violência.

Sacerdotes, vejam, isto foi o que vocês fizeram: (Ezequiel 22:26) 26 Os próprios sacerdotes dela têm feito VIOLÊNCIA à minha lei, e eles continuam a profanar meus lugares santos. Não fizeram nenhuma diferença entre a coisa santa e a comum, e nada deram a conhecer entre a coisa impura e a pura, e ocultaram os seus olhos dos meus sábados, E EU SOU PROFANADO no meio deles.. . .

Ora, os mensageiros de Jeová, os homens designados para realizar tal função, estavam agindo desta forma?? Sim, infelizmente estavam. A tribo que foi separada para executar os serviços sagrados perante o povo estava tendo este comportamento?? Infelizmente, sim. Os próprios sacerdotes estavam praticando violência contra a lei de Jeová e profanando o próprio Jeová?? Sim, estavam. E mesmo assim eram amados pelo povo?? Sim, eram.

Será que realmente não estava sendo ensinada a lei de Jeová?? Se não era a lei de Jeová que estava sendo ensinada, o que estava sendo ensinado?? O próprio Jeová responde para a geração de Amós: (Amós 2:4) 4 Assim disse Jeová: ‘Por causa de três revoltas de Judá e por causa de quatro não o farei voltar atrás, por eles rejeitarem a lei de Jeová e [por] não terem guardado os próprios regulamentos dele; porém, AS SUAS MENTIRAS, atrás das quais andaram os seus antepassados, OS FAZIAM TRANSVIAR-SE.

Mentiras?? Bem, foi o que Jeová falou. Bem, as mentiras vinham dos antepassados, antepassados que eles confiavam. Que situação!!!



Apesar de tudo isso, são vocês, levitas, que CONTINUARÃO prestando o serviço no templo de Jerusalém. O sacerdócio continuará na família de Zadoque. Foi isto o que Jeová falou para os levitas depois da prometida e executada “punição” de destruição da cidade e do templo de Jerusalém: (Ezequiel 44:10-14) 10 “‘Mas, no que se refere aos levitas que se afastaram para longe de mim quando Israel, que se transviou de mim, andou perdido atrás dos seus ídolos sórdidos, também terão de levar seu erro. 11 E terão de tornar-se ministros no meu santuário, em postos de supervisão sobre os portões da Casa, e ministros na Casa. Eles mesmos abaterão o holocausto e o sacrifício para o povo, e eles mesmos estarão de pé perante eles para ministrar-lhes. 12 Visto que lhes ministravam perante os seus ídolos sórdidos e se tornaram para a casa de Israel uma pedra de tropeço para [cair no] erro, por isso levantei a minha mão contra eles’, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová, ‘e terão de levar seu erro. 13 E não se aproximarão de mim para atuarem para mim como sacerdotes ou para se aproximarem de quaisquer das minhas coisas sagradas, das coisas santíssimas, e terão de levar sua humilhação e as coisas detestáveis que fizeram. 14 E eu certamente farei deles guardiães da obrigação para com a Casa, com respeito a todo o seu serviço e com respeito a tudo o que se deve fazer nela.’

Apesar de tudo, vocês ainda prestam para continuarem sendo meus “ministros”.

Falou também para a família de Zadoque, os sacerdotes: “Não haverá mudanças, vocês continuarão a executar os serviços de sacerdotes”. (Ezequiel 44:15-16) 15 “‘E no que se refere aos sacerdotes levíticos, os filhos de Zadoque, que cuidavam da obrigação para com o meu santuário quando os filhos de Israel se transviaram de mim, eles é que se chegarão a mim para ministrar-me e terão de ficar de pé diante de mim para apresentar-me a gordura e o sangue’, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová. 16 Eles é que serão os que entrarão no meu santuário e eles é que se chegarão à minha mesa para ministrar-me, e terão de cuidar da obrigação para comigo.

Jesus fez uma previsão na qual indicava que muitos também iriam ser desencaminhados, isto é, tirados do caminho TRAÇADO POR JESUS. Haveria repetição destes tristes fatos. Seriam desencaminhados por pessoas que afirmariam que as palavras por eles faladas provinham de Jeová. Todo profeta afirma isto em relação as palavras que saem de suas bocas; afirmam: “esta é a palavra de Jeová”. Apesar deste aviso dado por Jesus, muitos seriam desencaminhados?? Sim, muitos seriam desencaminhados. (Mateus 24:11) 11 E surgirão muitos falsos profetas, e desencaminharão a MUITOS;

DESPREZO era o sentimento que o fariseu tinha pelo pecador. Sentindo-se muito superiores a tais pecadores, sentia-se desprezo por eles. A ação resultante do desprezo era manter o pecador afastado dele, sim, a exclusão. Não estender as mãos para cumprimentar, não se sentar para comer e não se misturar com tais pecadores eram ações resultantes de tais sentimentos. Para tais sacerdotes e fariseus adoradores de Jeová, os SEUS IRMÃOS JUDEUS (adoradores de Jeová) que fossem fornicadores, adúlteros, blasfemadores, extorsores, beberrões, ladrões, cobradores de impostos, idólatras e praticantes de outras imundices, não eram pessoas com quem se associar. Estas pessoas não tinham nenhum valor aos seus corações e olhos. Sentar para comer com tais pessoas, nem pensar. Para estes homens, Jeová sentia desprezo por tais irmãos judeus pecadores. Sentar para comer é uma ação que revela intimidade, amizade. Certamente, tais fariseus perguntavam: Por que este Jesus não age assim como nós agimos em relação a estes “pecadores imundos”?? Nós somos os professores do povo e recebemos esta designação da parte de Jeová. Todos os antepassados têm agido assim como nós. Este povo, que não sabe a lei, está sendo desencaminhado por este tal de Jesus. O que este Jesus faz e ensina é contra a lei dos antepassados. É uma blasfêmia contra Moisés.

No entanto, era Jeová quem estava sendo profanado no meio deles.

Bem, o que estes homens faziam era em obediência às “Escrituras”?? Sim. No entanto, JESUS NÃO OBEDECIA a estas ordens registradas nas “Escrituras”. Qual devia ser o motivo??

Bem, as ações de Jesus também revelavam seus SENTIMENTOS em relação aos mesmos “pecadores imundos”.

Um ensino e uma prática comum entre o povo era não sentar-se para comer com os “pecadores”. Até então (até Jesus falar e agir de forma oposta) era um ensino não questionado. A diretriz obedecida era: “Sentar-se para comer com pecadores é uma iniquidade”.

Estes que até então eram os oficiais instrutores do povo, por estarem ESPANTADOS E INDIGNADOS, questionaram esta INCOMUM ação de Jesus, que era 100% OPOSTA a ação deles, afinal, eles faziam questão de se manterem bem afastados dos “pecadores”, para não desagradarem a Jeová: (Mateus 9:9-13) 9 A seguir, passando dali para diante, Jesus avistou um homem chamado Mateus, sentado na coletoria, e disse-lhe: “Sê meu seguidor.” Em conseqüência disso, este se levantou e o seguiu. 10 Mais tarde, enquanto estava recostado à mesa, na casa, eis que vieram muitos cobradores de impostos e pecadores, e começaram a recostar-se com Jesus e seus discípulos. 11 Vendo isso, porém, os fariseus começaram a dizer aos discípulos dele: “POR QUE É QUE O VOSSO INSTRUTOR COME COM OS COBRADORES DE IMPOSTOS E OS PECADORES?12 Ouvindo-os, ele disse: “As pessoas com saúde não precisam de médico, mas sim os enfermos. 13 Ide, pois, e aprendei o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício.’ Pois eu não vim chamar os que são justos, mas pecadores.”

Afinal, qual o motivo destas pessoas serem discriminadas pelos demais?? Discriminadas?? Sim, discriminadas. Quem discrimina sempre encontra um motivo justificável e plenamente válido para discriminar.

DISCRIMINAÇÃO - Esta é a definição de certo dicionário (Houaiss) para este termo: ação ou efeito de separar, segregar, pôr à parte...

discriminação

s.f. (1881) ato ou efeito de discriminar 1 faculdade de discriminar, distinguir; discernimento 2 ação ou efeito de separar, segregar, pôr à parte <d. racial> 3 p.ext. tratamento pior ou injusto dado a alguém por causa de características pessoais; intolerância, preconceito <os idosos lutam contra a d. no mercado de trabalho> 4 jur ato que quebra o princípio de igualdade, como distinção, exclusão, restrição ou preferências, motivado por raça, cor, sexo, idade, trabalho, credo religioso ou convicções políticas etim lat. discriminatìo,ónis 'separação' ant indiscriminação par descriminação(s.f.)

Segregar, o que é isso??

Segregaresta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: separar com o objetivo de isolar, de evitar contato; desligar, desunir, desmembrar.., separar do rebanho..

segregar

v. (1563) 1 t.d.bit. e pron. separar com o objetivo de isolar, de evitar contato; desligar, desunir, desmembrar <ainda há países que segregam os negros> <s. o povo da participação político-social> <s.-se do convívio social> 2 t.d.bit. e pron. pôr(-se) de parte, separar(-se), apartar(-se) <o ciúme segrega o casal> <a sabedoria costuma s. os bons dos maus> <segregou-se do grupo voluntariamente> 3 t.d. expelir (qualquer secreção); secretar <s. bílis> ¤ gram a respeito da conj. deste verbo, ver -egar ¤ etim lat. segrègo,as,ávi,átum,áre 'separar do rebanho, apartar, escolher' ¤ sin/var ver sinonímia de separar ¤ ant ver antonímia de afastar e sinonímia de acumular, apensar, conciliar, encaixar, prender e somar


Segregaresta é a palavra que resume de forma clara o que é a desassociação praticada pelas testemunhas de Jeová.

DISCRIMINAREsta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): Tratar de modo desigual.

discriminar

v. (1833) 1 t.d.bit. perceber diferenças; distinguir, discernir <d. bem as cores> <d. o certo do errado> <d. entre uma cópia e o original> 2 t.d. colocar à parte por algum critério; especificar, classificar, listar <é preciso d. os artigos em falta> 3 t.d. e pron. não (se) misturar; formar grupo à parte por alguma característica étnica, cultural, religiosa etc.; separar(-se), apartar(-se), afastar(-se) <a professora foi punida por d. os alunos negros, colocando-os nas últimas carteiras> <não se julgando igual aos demais, ele mesmo se discrimina> 4 t.d. p.ext. tratar mal ou de modo injusto, desigual, um indivíduo ou grupo de indivíduos, em razão de alguma característica pessoal, cor da pele, classe social, convicções etc. <é comum a polícia d. os pretos e pobres> etim lat. discrimìno,as,ávi,átum,áre 'separar, distinguir, diferençar, variar' sin/var ver sinonímia de discernir par descriminar(todos os tempos do v.)

Ao natural deste reino você não deve cobrar juros, no entanto, ao estrangeiro, mesmo que seja residente no reino, você deve cobrar juros – isto é tratar de modo igual ou tratar de modo desigual??

Ao natural desde reino você deve perdoar-lhe a dívida, no entanto, ao estrangeiro, mesmo que seja residente no reino, você deve cobrar-lhe a dívida – isto é tratar de modo igual ou de modo desigual??

Independente de quem pratique tal diretriz acima, aquele que a cumprir estará praticando uma ação discriminatória. Neste reino, o estrangeiro é tratado de modo desigual. Neste reino, o estrangeiro é discriminado.

No caso acima, os cobradores de impostos e os pecadores recebiam um tratamento diferenciado, um tratamento desigual. Quem dava um tratamento diferenciado, desigual, a tais humanos?? Eram os seus próprios irmãos judeus, isto é, pessoas naturais do mesmo reino. Eram pessoas separadas, segregadas, postas à parte, excluídas ou restringidas dentro daquele grupo por um motivo específico. Qual o motivo?? Eram pecadores. Coxos, cegos, leprosos e outros deficientes físicos eram vistos como pecadores e recebiam um tratamento diferenciado, assim como os cobradores de impostos e outros pecadores. Assim, aqueles que eram vistos como “pecadores” eram discriminados por aquele grupo de humanos, os adoradores de Jeová.

Se você cumprimentar ao natural do reino, e no entanto, não cumprimentar ao estrangeiro, não está você praticando uma ação de discriminação contra o estrangeiro?? Qual o motivo de você só cumprimentar o natural?? Ah, você encontrou um motivo para não cumprimentá-lo?? Então você encontrou um motivo para discriminá-lo, para tratá-lo de modo desigual, ou seja, de um modo diferente do que você trata o natural. O que disse Jesus em relação a isto?? (Mateus 5:47-48) 47 E, SE CUMPRIMENTARDES SOMENTE OS VOSSOS IRMÃOS, QUE FAZEIS DE EXTRAORDINÁRIO? Não fazem também a mesma coisa as pessoas das nações? 48 Concordemente, tendes de ser perfeitos, assim como o vosso Pai celestial é perfeito.

Como JESUS NÃO ERA UM ATOR, assim como os sacerdotes e fariseus também não eram atores, como ele não estava representando um papel em uma grande peça teatral, Jesus, estava revelando o seu real SENTIMENTO pelos “imundos pecadores”, o que incluía os cobradores de impostos. Um fato não se pode negar, estes homens realmente eram pecadores. Sentar para comer com pecadores era uma questão de SENTIMENTO. É também uma questão de QUANTO VALOR é atribuído àquele pecador.

Jesus, você entra na casa de um criminoso?? Jesus, você senta na mesma mesa com um criminoso?? Jesus, você toma refeição junto com um criminoso?? Jesus, você entra na casa de um incircunciso, senta-se com ele e toma refeição junto com ele?? Jesus, você entra na casa de um ímpio, senta-se com ele e toma refeição junto com ele?? Jesus, você entra na casa de um judeu adúltero, senta-se com ele e toma refeição junto com ele?? Jesus, não são todos estes inimigos de Jeová?? Jesus, você está ofendendo a Jeová com esta tua ação de sentar e comer com um pecador como este. Jesus, o Pai Jeová não faria o que você está fazendo. Para estes homens, adoradores de Jeová, Jesus estava praticando uma “coisa detestável”. Do ponto de vista de Jeová, que espécie de ação estava praticando Jesus?? Tratava-se de uma “obra excelente” ou de uma “coisa detestável”??

Jesus revelou qual era o sentimento: MISERICÓRDIA. Jesus sentia MISERICÓRDIA pelos “pecadores imundos”. Os sacerdotes e os fariseus sentiam DESPREZO pelos mesmos pecadores. Não se misturar com cobradores de impostos e “pecadores” também era uma questão de sentimento. Os sacerdotes e fariseus sentiam AVERSÃO por tais “pecadores”.

Os pecadores eram os enfermos. O olhar de Jesus via no imundo pecador uma ovelha muito doente e que por estar doente NECESSITAVA de “urgentes” cuidados médicos. Um doente PRECISA ser tratado com misericórdia. Quanto mais doente está a ovelha, de mais cuidados ela PRECISA. Jesus afirmou: “Eu vim chamar os enfermos”.

Qual era o objetivo de Jesus chamar os enfermos?? Para CUIDAR deles obviamente, visando a cura de tais pecadores escolhidos. Como curá-los?? Através da “palavra” falada e através do exemplo dado, ou seja, a “palavra” falada sendo colocada em prática por Jesus, tornando-se estritamente necessário o PLENO CONVÍVIO de Jesus com tais enfermos escolhidos, para que os enfermos pudessem ver com seus próprios olhos como obedecer à “palavra” falada. O remédio era a “palavra” falada por Jesus. A misericórdia de Jesus em plena ação.

Como os SENTIMENTOS eram 100% OPOSTOS, é óbvio que as ações resultantes também fossem 100% opostas. Os sentimentos de Jesus mostraram ser 100% opostos aos sentimentos dos discípulos de Moisés. Jesus era conhecido como sendo um AMIGO de pecadores, pois suas ações revelavam isto: (Mateus 11:19) 19 o Filho do homem veio comendo e bebendo, TODAVIA DIZEM: ‘Eis um homem comilão e dado a beber vinho, AMIGO DE COBRADORES DE IMPOSTOS E DE PECADORES.’ Não obstante, a sabedoria é provada justa pelas suas obras.”

Jesus revelou ser um DEFENSOR de pecadores imundos, enquanto os demais revelavam ser ACUSADORES, CONDENADORES E EXECUTORES dos mesmos pecadores. Os discípulos de Moisés mostraram ser acusadores, condenadores e executores de pecadores. Os discípulos de Moisés mostraram ser homens violentos; mostravam ser “justiceiros”. O incidente que é contado por João, nos descreve que Jesus revelou ser um DEFENSOR de uma adúltera, uma imunda pecadora, enquanto os discípulos de Moisés mostravam ser o oposto: (João 8:1-11) 8 Mas Jesus foi para o Monte das Oliveiras. 2 De madrugada, porém, ele se apresentou novamente no templo e todo o povo começou a vir a ele, e ele se assentou e começou a ensiná-los. 3 Os escribas e os fariseus trouxeram então uma mulher apanhada em adultério, e, depois de a postarem no meio deles, 4 disseram-lhe: “Instrutor, esta mulher foi apanhada no ato de cometer adultério. 5 Na Lei, Moisés prescreve que apedrejemos tal sorte de mulher. Realmente, o que dizes tu?6 Naturalmente, diziam isso para o porem à prova, a fim de terem algo com que o acusar. Mas, Jesus abaixou-se e começou a escrever no chão com o seu dedo. 7 Quando persistiram em perguntar-lhe, endireitou-se e disse-lhes: “Que aquele de vós que estiver sem pecado seja o primeiro a atirar-lhe uma pedra.” 8 E, abaixando-se novamente, escrevia no chão. 9 Mas, os que ouviram isso começaram a sair, um por um, principiando com os anciãos, e ele foi deixado só, bem como a mulher que estivera no meio deles. 10 Endireitando-se, Jesus disse-lhe: “Mulher, onde estão eles? NÃO TE CONDENOU NINGUÉM?” 11 Ela disse: “Ninguém, senhor.” Jesus disse: “TAMPOUCO EU TE CONDENO. Vai embora; doravante não pratiques mais pecado.”

Enquanto aqueles adoradores de Jeová revelavam o seu sentimento e desejo de morte e violência contra uma real pecadora, Jesus revelava um sentimento oposto ao deles. O desejo daqueles homens era o de matar a pecadora, afinal de contas ela era uma pecadora. Ela havia ofendido o marido dela, não havia?? Ela havia desobedecido a lei, não havia?? O que ela merecia?? Será que Jesus desejava dar a ela aquilo que ela realmente merecia??

Imaginemos esta cena se reproduzindo em certos países do oriente onde existe uma pena de morte para a mulher que cometa tal ação. Todos querendo matar a adúltera, e aparece um homem lhes afirmando que ela deve ser deixada livre. Imaginemos o impacto, os questionamentos e os sentimentos que surgiriam por tal homem defensor de uma adúltera.

Nos dias de Jesus, estes homens matavam adúlteras com o nobre objetivo de agradar a Jeová e para manterem-se como um povo limpo. Tratava-se de uma ordem registrada nas “Escrituras”, na Bíblia. Desobedeceria Jesus a uma ordem registrada nas “Escrituras”, na Bíblia, e ensinaria o povo a também desobedecê-la?? Que sentimentos teriam por Jesus aqueles homens que defendiam as “Escrituras”?? Eles estavam defendendo a santidade do povo, não estavam?? Estavam mantendo o povo limpo da impureza daquela adúltera, não estavam??

Jesus, a Bíblia diz que temos de matar a adúltera, afirmariam os estudiosos da Bíblia. Matar, matar e matar, chicotear e aplicar outros castigos físicos, além de expulsar da sinagoga eram as ações destes homens violentos. Tratava-se de ações de ovelhas?? Jesus era um “perdoador”, Jesus não era um “justiceiro”.

Não podemos esquecer que Jesus era um clone espiritual do Pai.

Eles consideravam-se estar ACIMA daquela adúltera e Jesus os fez ver, que eles estavam no MESMÍSSIMO NÍVEL daquela adúltera, no MESMÍSSIMO NÍVEL. Bem, Jesus podia julgá-la, pois ele recebeu autoridade para julgar, no entanto, o que fez Jesus?? Mandou-a embora com livramento, julgando-a com pleno conhecimento de causa. Embora você tenha cometido pecado, você está perdoada.

Não podemos esquecer que Jesus era um clone espiritual do Pai.

A reação de Jesus revelou ser uma REAÇÃO INÉDITA, uma reação CONTRÁRIA à Moisés, CONTRÁRIA a lei dada por Moisés. Jesus, o que fazer com tal pecadora imunda?? “No lugar de acusá-la, Deixai-a ir com livramento”. No lugar de exigir a sua morte, deixai-a ir com livramento. DEIXÁ-LA IR LIVRE?? Uma adúltera devia ser deixada ir livre?? Nada devia ser feito contra ela?? Na mente dos sacerdotes e dos fariseus, isto gerava a sensação de impunidade. A altamente sábia resposta de Jesus mostrou ser esta, na frente dos acusadores e condenadores desta adúltera. Misericórdia em plena ação. No entanto, esta ação ia de encontro ao sentimento de toda uma nação em relação a imundos pecadores. Além disso, a lei dada por Moisés prescrevia o apedrejamento de tal pecadora, prescrevia a aplicação da punição. Assim, tens de eliminar o mal do teu meio, determinava a lei de Moisés. Estava Jesus instituindo um NOVO COSTUME, que AFRONTAVA o costume instituído por Moisés?? Sim, estava.

TRATAVA-SE DE UMA NOVA “REGRA DE CONDUTA” QUE AFRONTAVA UMA VIGENTE “REGRA DE CONDUTA” E QUE ESTAVA REGISTRADA NAS “ESCRITURAS”??

Temos que conviver com este humano, com este ímpio, com este iníquo, com este “mal”?? Uma fruta podre tem de ser removida para não estragar todo o cesto; este era o argumento lógico usado como uma sustentação para seus sentimentos e ações de desprezo pelo pecador e sua consequente destruição. O pecador é uma fruta podre. A fruta podre é aquela que não tem mais nenhum valor, é aquela fruta que não presta pra mais nada. Aos olhos daquela geração, defender um imundo pecador seria uma ação vergonhosa, extremamente vergonhosa, tratando-se de uma cumplicidade com tal pecador. Para eles, perdoar pecados era algo que Jeová podia fazer. Aos seus olhos, pecador era uma coisa NOJENTA. OS QUE SE VIAM MUITO ACIMA DAQUELA ADÚLTERA NÃO QUERIAM SE MISTURAR COM ALGUÉM AVILTADO, UMA PECADORA. Decerto, ficaram muito surpresos e indignados com estas ações de Jesus. Os líderes oficiais da nação, legitimamente autorizados, faziam violência à lei de Jeová, enquanto que Jesus cumpria fielmente as palavras saídas da boca de Jeová. Como era isto possível, se Moisés determinou que a adúltera fosse apedrejada?? Para os seguidores de Moisés, isto era uma blasfêmia contra Moisés, afinal, Jeová falara face a face com Moisés.

Não podemos esquecer que Jesus era um clone espiritual do Pai, daquele Pai que havia falado com Moisés.

É a Bíblia que diz, argumentavam os sacerdotes e os fariseus. Os seguidores de Moisés apresentavam as ordens de Moisés, ordens estas devidamente registradas nas “Escrituras”: (Deuteronômio 22:22-24) 22 Caso um homem seja encontrado deitado com uma mulher que tenha dono, então ambos TÊM DE MORRER juntos, o homem que se deitou com a mulher e a mulher. ASSIM TENS DE ELIMINAR O MAL de Israel. 23 Caso haja uma virgem, noiva dum homem, e um homem realmente a achou na cidade e se deitou com ela, 24 então tendes de levar ambos para fora ao portão daquela cidade e TENDES DE MATÁ-LOS a pedradas, e eles têm de morrer, a moça, por não ter gritado na cidade, e o homem, por ter humilhado a esposa de seu próximo. ASSIM TENS DE ELIMINAR O MAL do teu meio.

BEM, A ORDEM DE “MATAR O PECADOR” ESTAVA REGISTRADA NAS “ESCRITURAS”, ESTAVA NA BÍBLIA.

Tendes de matá-los, assim tens de eliminar o mal > Que SENTIMENTOS antecedem tais AÇÕES??

O QUE REVELAVA SER ESTE REINO, UM REINO DE “PERDOADORES” OU UM REINO DE “MATADORES”?? UM REINO DE “PERDOADORES” OU UM REINO DE “JUSTICEIROS”??

No lugar de “eliminar o mal”, deixai-a ir com livramento, apesar de ter sido pega no ato do pecado?? Bem, isto é ou não é AFRONTAR um costume instituído por Moisés e registrado nas “Escrituras”, registrado na Bíblia??

Como ser um povo santo tendo uma adúltera no nosso meio?? Só poderemos ser santos por eliminarmos os iníquos do nosso meio.

O ódio por Jesus destes homens que obedeciam às “Escrituras”, em face desta e de outras ações de Jesus em relação àqueles que praticavam pecados, continuou evidente até mesmo na hora da morte de Jesus. Eles afirmaram: “A outros ele salvou; queremos ver ele salvar-se a si mesmo”. (Mateus 27:41-42) 41 Do mesmo modo também os principais sacerdotes, junto com os escribas e os anciãos, começaram a divertir-se às custas dele e a dizer: 42 A outros ele salvou; a si mesmo não pode salvar! Ele é Rei de Israel; desça agora da estaca de tortura, e nós acreditaremos nele.

Justiça, justiça, justiça – gritavam os humanos contra um pecador qualquer.

Eles exigiam uma punição para o pecador, afinal ele causou uma infeliz vítima.

Tratava-se de uma sociedade que ficava do lado das vítimas e contra o agressor, fazendo-o pagar pelo mal feito à vitima. Sim, foi em uma sociedade intolerante contra o pecador, sociedade que exigia a punição do pecador, sociedade que apresentava as “Escrituras” (Bíblia) como a base para a sua INTOLERÂNCIA CONTRA O PECADOR, que Jesus revelava toda a sua MISERICÓRDIA PARA COM O PECADOR. Tratava-se de uma sociedade em que todos se achavam no direito de apedrejar pecadores. Que sentimentos podiam nutrir por Jesus, aquele que perdoava o agressor, aquele que fazia uma vítima chorar e padecer dores??

QUEM ERAM ESTES OUTROS A QUEM JESUS HAVIA SALVO?? DO QUE JESUS OS HAVIA SALVO?? DE QUEM JESUS OS HAVIA SALVO??

Estes “outros” eram os agressores, eram aqueles que haviam afrontado a lei e feito vítimas.

Os que afirmavam ser discípulos de Moisés, confiavam cegamente em Moisés, e além de defendê-lo fervorosamente, e por concordarem plenamente com Moisés, não deixavam nenhum pecador escapar da morte prevista por Moisés, pois Moisés mandara matar os agressores, enquanto Jesus mandava perdoar tais agressores: (João 9:24-29) 24 Portanto, chamaram pela segunda vez o homem que tinha sido cego e disseram-lhe: “Dá glória a Deus; sabemos que este homem é pecador.” 25 Ele, por sua vez, respondeu: “Se ele é pecador, não sei. Uma coisa sei, que, tendo eu sido cego, atualmente vejo.” 26 Disseram-lhe, portanto: “Que te fez ele? Como abriu os teus olhos?” 27 Respondeu-lhes ele: “Eu já vos disse, contudo, vós não escutastes. Por que quereis ouvi-lo de novo? Será que quereis também tornar-vos seus discípulos?” 28 Em vista disso, injuriaram-no e disseram: “Tu és discípulo daquele [homem], MAS NÓS SOMOS DISCÍPULOS DE MOISÉS. 29 Sabemos que Deus falou a Moisés; mas, quanto a este [homem], não sabemos donde é.

Não podemos esquecer que Jesus era um clone espiritual do Pai, Aquele que falara a Moisés.

Os sacerdotes, os fariseus e a grande maioria do povo, aqueles que não se sentiam amaldiçoados, confiavam, acreditavam, TINHAM FÉ que cada palavra falada por Moisés era uma repetição exata das palavras faladas por Jeová. Neste caso, eles concluíram que, se Jesus mandava fazer exatamente o oposto ao que Moisés havia mandado fazer, Jesus blasfemava contra Moisés e contra Jeová. NÃO VIMOS E NÃO OUVIMOS JEOVÁ FALAR COM ESTE JESUS. Como se atreve este tal de Jesus a falar contra Moisés, aquele que falou com Deus face a face??

Aquela geração iníqua queria ver um sinal de Jesus que comprovasse que Jeová falara ou falava com ele. (Lucas 11:29-30) 29 Quando as multidões se apinhavam, principiou a dizer: “Esta geração é uma geração iníqua; procura um sinal. Mas nenhum sinal lhe será dado, exceto o sinal de Jonas. 30 Porque, assim como Jonas se tornou um sinal para os ninivitas, do mesmo modo o será também o Filho do homem para esta geração. (Mateus 12:38-39) 38 Respondendo-lhe então alguns escribas e fariseus, disseram: “Instrutor, queremos ver um sinal da tua parte.” 39 Em resposta, disse-lhes: “Uma geração iníqua e adúltera persiste em buscar um sinal, mas nenhum sinal lhe será dado, exceto o sinal de Jonas, o profeta. (Mateus 16:1-4) 16 Ali se aproximaram dele os fariseus e saduceus, e, tentando-o, pediram-lhe que lhes mostrasse um sinal do céu. 2 Em resposta, disse-lhes: “[[Ao cair a noite, costumais dizer: ‘Haverá tempo bom, pois o céu está vermelho’; 3 e, de manhã: ‘Hoje haverá tempo frio e chuvoso, pois o céu está vermelho, mas de aspecto sombrio.’ Vós sabeis interpretar a aparência do céu, mas os sinais dos tempos não podeis interpretar.]] 4 Uma geração iníqua e adúltera persiste em buscar um sinal, mas nenhum sinal lhe será dado, exceto o sinal de Jonas.” Com isto se afastou, deixando-os atrás.



Depois de vermos a ação do AMIGO e DEFENSOR de pecadores imundos, defendendo uma adúltera apanhada em pleno ato, vejamos agora a ação de um ACUSADOR; vejamos como se comporta um ACUSADOR. As pessoas ACUSADAS realmente eram pecadoras imundas que haviam se desviado da lei e feito muitos tropeçar na lei. Assim nos é contado: (Zacarias 3:1-7) 3 E ele passou a mostrar-me Josué, o sumo sacerdote, de pé perante o anjo de Jeová, e SATANÁS de pé à sua direita PARA SE LHE OPOR. 2 [O anjo de] Jeová disse então a Satanás: “Jeová te censure, ó Satanás, sim, censure-te Jeová, AQUELE QUE ESCOLHE Jerusalém! Não é este um tição arrancado do fogo?” 3 Ora, quanto a Josué, aconteceu que estava vestido de VESTES IMUNDAS e estava de pé perante o anjo. 4 Então ele respondeu e disse aos que estavam de pé perante ele: “Removei dele as VESTES IMUNDAS.E prosseguiu, dizendo-lhe: “Vê, fiz que passasse de ti o TEU ERRO, e és vestido de trajes de gala.” 5 Então eu disse: “Ponha-se-lhe um turbante limpo na cabeça.” E eles passaram a pôr-lhe o turbante limpo na cabeça e a trajá-lo de vestes; e o anjo de Jeová estava de pé ali. 6 E o anjo de Jeová começou a dar testemunho a Josué, dizendo: 7 Assim disse Jeová dos exércitos: ‘Se andares nos meus caminhos e se cumprires a obrigação para comigo, então serás também tu quem julgarás a minha casa e também guardarás os meus pátios; e hei de dar-te livre acesso entre estes que ali estão de pé.’

Um tição arrancado do incêndio, para que presta? Jeová revela ter sido o responsável por tal incêndio: (Amós 4:11) 11 “‘Causei um derrubamento entre vós, como o derrubamento de Sodoma e Gomorra por Deus. E VIESTES A SER COMO UM TIÇÃO ARRANCADO DO INCÊNDIO; mas vós não retornastes a mim’, é a pronunciação de Jeová.

Jeová afirma ter sido Ele o causador da queima. Assim afirmou o próprio Jeová: (Ezequiel 15:1-7) 15 E continuou a vir a haver para mim a palavra de Jeová, dizendo: 2 Filho do homem, em que sentido vem a ser o pau de videira diferente de qualquer outra árvore, o rebento, que veio a estar entre as árvores da floresta? 3 Acaso se tira dele algum pau para fazer qualquer obra? Ou toma-se dele algum tarugo para pendurar nele qualquer espécie de utensílio? 4 Eis que tem de ser posto no fogo como combustível. O fogo certamente devora ambas as suas extremidades e o próprio centro dele fica abrasado. Acaso presta para qualquer obra? 5 Eis que, quando acontece estar intato, não é usado para qualquer obra. Quanto menos, então, quando o próprio fogo o devorou e ele ficou abrasado, pode realmente ser usado ainda para qualquer obra!” 6 Portanto, assim disse o Soberano Senhor Jeová: ‘Como o pau da videira entre as árvores da floresta, que entreguei ao fogo como combustível, ASSIM ENTREGUEI OS HABITANTES DE JERUSALÉM. 7 E eu pus minha face contra eles. Procederam do fogo, mas o próprio fogo os devorará. E tereis de saber que eu sou Jeová quando eu puser a minha face contra eles.’”

E agora que estavam saindo do fogo?? As vestes imundas ainda testemunhavam contra eles. Estavam cobertos de erros. O que fazer com tais homens imundos?? Quais foram as palavras do ACUSADOR?? Qual foi a decisão de Jeová??

Como?? Vai usar um vaso imprestável??

O ERRO, aqui representado por vestes imundas, cobria o sumo sacerdote. Afinal, tais homens haviam feito violência à lei de Jeová. Mesmo assim, era Jeová quem decidia continuar usá-los como sacerdotes. Teria sido uma falsa acusação?? Não, não era uma falsa acusação. Quem os estava acusando por pecados realmente cometidos?? Sim, Satanás, o acusador de nossos irmãos. Não estavam imundos devido a seus próprios pecados?? Sim, estavam. Bem, e agora, o que fazer com eles?? A decisão de Jeová: “Vou continuar a usá-los nos serviços sagrados do templo”. Satanás questiona e acusa: “Usar pessoas imundas, qual tição arrancado do fogo”, coisa que não presta pra nada?? SERIA ISTO UMA COISA VERGONHOSA PARA JEOVÁ?? Jeová decidiu continuar, e foi dito ao trajado de vestes imundas: “Vê, tua dívida foi cancelada; teu erro foi apagado. Foi dado a ti vestes limpas, trajes de gala. Agora, comece de novo no mesmo serviço.” Vê o que faço por ti? Por Eu ter perdoado teus pecados, foste declarado justo diante de mim; recomece o serviço. Eu te fiz limpo, agora, tome cuidado com a roupa limpa que te dei. Ele não tornou-se limpo por vontade e iniciativa próprios. Afinal, de quem era a vergonha e a humilhação?? Não era daquele que estava coberto de pecados e que recebeu o perdão?? Sim, era exclusivamente dele. Não era ele que continuava fazendo violência à lei de Jeová, concordando com os seus antepassados?? Sim, era.

Não podemos esquecer que Jesus era um clone espiritual do Pai.

Que méritos havia em Pedro, quando este recebeu de Jesus a função de pastorear as ovelhas de Jesus?? Naquele momento, não era Jesus quem o estava declarando limpo?? Declarar limpo” não é o mesmo que cancelar a dívida?? Sim. Ora, então quem foi “declarado” justo é porque teve sua “dívida cancelada”?? Sim. Então, o que este que foi “declarado” limpo devia fazer com aquele outro semelhante escravo que já tenha ou que venha ter uma dívida para com ele??

Para o ACUSADOR, aqueles trajados de vestes imundas eram DESPREZÍVEIS e não deveria haver mais qualquer tipo de contato com tais errantes. Para o ACUSADOR, tais errantes haviam se tornado algo sem nenhum valor; não prestavam pra mais nada e não deveria haver NENHUMA estima para tais pecadores.

Poderia um sacerdote ou um fariseu ser conhecido como sendo amigo de pecadores e de cobradores de impostos?? Certamente era mais fácil um camelo passar pelo orifício de uma agulha.

A MISERICÓRDIA produz seus frutos enquanto que o DESPREZO também produz os seus frutos próprios. São árvores bem diferentes.


Assim, fica bem claro que o desassociado é fruto do DESPREZO de pessoas que se consideram justas. Fica bem claro que o desassociado é um caso de segregação. São reações de pessoas que se consideram limpas e que vêm a REAL impureza na outra pessoa e que passam a considerá-la como algo imprestável, algo desprezível, algo que não possui o menor valor. Os ACUSADORES vêm estes pecadores como “Vasos Imprestáveis” e querem que seja dado a estes vasos, o mesmo tratamento que tais ACUSADORES dariam aos vasos imprestáveis. Os acusadores revelam os seus sentimentos pelos acusados. Seria amor ao próximo como a ti mesmo??? Eles exigem: “justiça, justiça, justiça”. Eles exigem uma punição para os acusados.


Tais ACUSADORES não queriam que Jeová chegasse e os visse estando na companhia de pessoas imprestáveis, pessoas impuras, pois Jeová é uma pessoa pura e santa. “Eles lembravam das palavras: (Levítico 19:1-2) 19 E Jeová falou mais a Moisés, dizendo: 2 “Fala à assembléia inteira dos filhos de Israel, e tens de dizer-lhes: Deveis mostrar-vos santos, porque eu, Jeová, vosso Deus, sou santo.

Decerto, queriam SE LIVRAR dos impuros, pois OS HUMANOS CHEGARAM A CONCLUSÃO que “Jeová, um Deus Santo, jamais Se permitiria ter a companhia de humanos impuros”.

Como uma conclusão leva a outra, OS HUMANOS CHEGARAM A OUTRA CONCLUSÃO:Jeová sendo Santo, Ele sente desprezo por quem é impuro. Tendo o humano se tornado impuro, este receberá o desprezo de Jeová, o Deus Santo”. (Salmos 5:4-6)  4 Pois tu não és um Deus que se agrade da iniqüidade; Ninguém mau pode residir contigo por tempo algum. 5 Nenhuns jactanciosos podem tomar posição diante dos teus olhos. Odeias deveras a todos os que praticam o que é prejudicial; 6 Destruirás os que falam mentira. Jeová detesta o homem que derrama sangue e que engana. (Salmos 11:5) 5 O próprio Jeová examina tanto o justo como o iníquo, E Sua alma certamente odeia a quem ama a violência.


Seriam verdadeiras estas afirmações a respeito de Jeová??


Visando agradar a um Deus Santo que, segundo eles, sente desprezo pelo iníquo e que odeia o iníquo, adoradores de Jeová passaram a afirmar: “Jeová eu sinto desprezo pelos iníquos”. “Jeová, eu os odeio com ódio consumado”. “Jeová, eu me afasto completamente dos iníquos”. Assim está registrado os sentimentos deste adorador de Jeová pelos que se revoltam contra Jeová: (Salmos 139:21-22) 21 Acaso não ODEIO os que te odeiam intensamente, ó Jeová, E não TENHO AVERSÃO aos que se revoltam contra ti? 22 ODEIO-OS com ódio consumado. Tornaram-se para mim verdadeiros inimigos. (Salmos 26:5) 5 Tenho ODIADO a congregação dos malfeitores E NÃO ME SENTO COM OS INÍQUOS.


O que Jeová havia falado para Moisés repassar para o povo?? “Não odeie aquele que comete pecado; não deixe de falar com ele; deves falar com ele”. (Levítico 19:17) 17 “‘NÃO DEVES ODIAR TEU IRMÃO NO TEU CORAÇÃO. DECERTO DEVES REPREENDER O TEU COLEGA, para que não leves o pecado junto com ele. . .


NÃO DEIXE DE REPREENDER O TEU IRMÃO PECADOR. Não deixe de falar com o pecador. Esta foi a ordem de Jeová.

Tratava-se de uma INVERSÃO de valores em relação aos valores fornecidos por Jeová?? Sim.


No entanto, este adorador de Jeová dizia para Jeová: “Jeová, veja por favor, eu excluo o iníquo da minha companhia”. O que esperavam os humanos com tais sinceras expressões?? Estas expressões revelavam os reais SENTIMENTOS dos adoradores de Jeová pelos pecadores. É da abundância do coração que a boca fala. Certamente esperavam que Jeová ficasse contente com eles; esperavam agradar a Jeová. Estes homens julgavam as suas próprias ações como sendo “obras excelentes”.


Que final desejavam estes “bons” homens, estes homens “justos” aos seus próprios olhos, para aqueles que eles viam como iníquos?? Que Jeová perdoasse tais pessoas e que todos pudessem ser amigos?? Desejavam que tais iníquos fossem tratados com Misericórdia?? Bem, o que estes “bons” homens desejavam ficou registrado nas “Escrituras” para que toda a humanidade pudesse saber: (Salmos 58:10) 10 O JUSTO SE ALEGRARÁ POR TER OBSERVADO A VINGANÇA. BANHARÁ OS SEUS PASSOS NO SANGUE DO INÍQUO.


Se alegrar com a vingança, se alegrar com a morte do iníquo - Certamente, este era o sentimento e o desejo dos sacerdotes, dos fariseus e de toda a nação que se considerava santa, a geração adoradora de Jeová, que era contemporânea a Jesus. Decerto, fariam uma festa para comemorar a morte dos iníquos. Tratava-se do sentimento de um DESTRUIDOR”.


Os “justiceiros” ficam felizes em punir e em ver o pecador ser punido.


Para aqueles humanos, o Deus Jeová que eles conheciam, não teria os mesmos sentimentos e as mesmas atitudes de Jesus, que mostraram ser 100% opostos aos expressados neste salmo.

Não podemos esquecer que Jesus era um clone espiritual do Pai.


POR QUE os sentimentos de Jesus eram 100% opostos aos revelados nestes salmos??? Jesus não era um “DESTRUIDOR”. Jesus era um “PERDOADOR”. Jesus é um “CONSTRUTOR”.


Como não era um ator, Jesus mostrou o seu real e SINCERO sentimento pelos “imundos pecadores”, ou seja, a MISERICÓRDIA.


A SABEDORIA É PROVADA JUSTA PELAS SUAS OBRAS, pelo resultado final produzido – Os sacerdotes e os fariseus apresentavam as suas obras. Jesus também apresentava as suas obras. Que obras se mostrariam justas??

IDE APRENDER O QUE SIGNIFICA: “Misericórdia quero”. Estes alunos revelavam a sua total carência neste importantíssimo sentimento, apesar do seu “estudo” das escrituras.

Sentir misericórdia de um “pecador imundo”?? Sentir misericórdia de uma “adúltera”?? Sentir misericórdia por um “extorsor”?? Sentir misericórdia por um “assassino”?? Sentir misericórdia de alguém que cometeu um crime hediondo?? Sim, sentir misericórdia de um pecador. Realmente, é uma questão de SENTIMENTO.

Conviver amistosamente com uma adúltera?? Conviver amistosamente com um extorsor?? Conviver amistosamente com um assassino?? Conviver amistosamente com aquele que acabou de praticar um crime hediondo??

Ora, pecador não é para ser odiado, acusado, condenado, desprezado, excluído e eliminado?? Bem, esta era a prática comum ensinada, sentida, praticada e defendida pelos sacerdotes e pelos fariseus, os quais apresentavam as “Escrituras” como base para suas ações. É a Bíblia que diz, afirmavam estes homens. No entanto, os sentimentos, as palavras e as ações de Jesus diziam que era para ter MISERICÓRDIA do pecador, do agressor. Tratava-se de valores opostos. De um lado existem mandamentos de um “destruidor” e do outro lado existem mandamentos de um “construtor”. Tratava-se de um ensino totalmente OPOSTO aos costumes transmitidos por Moisés e os fariseus viam isto como uma ofensa a Moisés e a Deus, pois confiavam cegamente em Moisés, amavam matar pecadores e sentiam aversão pelo perdão. Concordavam plenamente com estes mandamentos de violência. Eles odiavam os pecadores, pois haviam recebido um mandamento que os mandava odiar os pecadores, logo eles odiavam os agressores, odiavam os iníquos.

Não podemos esquecer que Jesus era um clone espiritual do Pai, Aquele que havia falado face a face com Moisés.

Teria sido o Pai Celestial a fonte daqueles mandamentos dados por Moisés e obedecidos pelo povo?? Teria sido o Pai Celestial a fonte dos dois mandamentos opostos, antagônicos??

ANTAGÔNICOEsta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss):

antagônico Datação: 1899

n adjetivo

que opõe duas forças ou princípios; contrário, incompatível, oposto

Exs.: ideias a.

gênios a.



A palavra saída da boca de Jeová para Zacarias, centenas de anos depois de Moisés foi: (Zacarias 7:8-12) 8 E continuou a vir a haver a palavra de Jeová para Zacarias, dizendo: 9 Assim disse Jeová dos exércitos: ‘Fazei o vosso julgamento com verdadeira justiça; e praticai mutuamente benevolência e misericórdias; 10 e não defraudeis nem viúva, nem menino órfão de pai, nem residente forasteiro, nem atribulado, e não maquineis NADA DE MAL um contra o outro nos vossos corações.’ 11 Mas, persistiram em negar-se a prestar atenção e continuaram a oferecer um ombro obstinado, e fizeram seus ouvidos demasiadamente irresponsivos para ouvir. 12 E tornaram seu coração como pedra de esmeril para não obedecer à lei e às palavras que Jeová dos exércitos enviara por meio de seu espírito, por intermédio dos profetas anteriores; de modo que ocorreu grande indignação da parte de Jeová dos exércitos.”

Não desejeis NADA DE MAL, não planejeis NADA DE MAL e não façais NADA DE MAL. Como um justiceiro conseguiria viver segundo estas regras de comportamento??

O que Jeová pediu para ser praticado?? Benevolência e misericórdias. O que o povo praticava?? Violência e assolação entre si e para os povos vizinhos. Tratava-se da prática do ódio em oposição à pratica do amor.

Não foi Jeová quem mandou eles praticarem a violência e a assolação contra os iníquos?? Poderia ter sido Jeová?? Nos dias de Zacarias, Jeová já os havia punido por eles praticarem violência e assolação contra aqueles que seus olhos viam como iníquos.

Alguém poderia falar para Jeová: “A violência e assolação que praticamos foi somente contra os iníquos e nós matamos os iníquos para agradar ao Senhor”.

Bem, Jeová responderia: Será que vocês não perceberam o quanto Eu gostei???

Misericórdia, bem, onde isto pode levar?? Que espécie de frutos pode dar?? Não levaria ao caos??

Coração de pedra. Este é um coração no qual a semente da misericórdia não se desenvolve nele.

A intolerância é uma árvore grande e forte em um coração de pedra.

Em relação ao resultado do uso da misericórdia, Jesus explicou a Simão, um fariseu. Não podemos deixar de notar que Jesus não só falava e raciocinava, como também entrava na casa, sentava-se e comia com os fariseus, revelando sua imparcialidade no trato com os “iníquos pecadores”: (Lucas 7:36-50) 36 Ora, certo fariseu pedia-lhe que jantasse com ele. Concordemente, entrou na casa do fariseu e recostou-se à mesa. 37 E eis que uma mulher, CONHECIDA NA CIDADE COMO PECADORA, soube que ele estava recostado numa refeição na casa do fariseu e trouxe um vaso de alabastro com óleo perfumado, 38 e, postando-se atrás, aos pés dele, chorava e principiava a molhar os pés dele com as suas lágrimas, e enxugava-os com os cabelos de sua cabeça. Beijava também ternamente os pés dele e untava-os com o óleo perfumado. 39 À vista disso, O FARISEU QUE O CONVIDARA DIZIA NO SEU ÍNTIMO: “ESTE HOMEM, SE FOSSE PROFETA, SABERIA QUEM E QUE ESPÉCIE DE MULHER É QUE O TOCA, QUE ELA É PECADORA.40 Jesus disse-lhe, porém, em resposta: “Simão, tenho algo para dizer-te.” Ele disse: “Instrutor, dize-o!” 41 Dois homens eram devedores de certo credor; um devia quinhentos denários, mas o outro, cinqüenta. 42 Quando não tinham com que [lhe] pagar de volta, PERDOOU LIBERALMENTE a ambos. PORTANTO, QUAL DELES O AMARÁ MAIS?43 Em resposta, Simão disse: “Suponho que seja aquele a quem PERDOOU LIBERALMENTE MAIS.Disse-lhe ele: “Julgaste corretamente.” 44 Com isso se voltou para a mulher e disse a Simão: “Observas esta mulher? Entrei na tua casa; tu não me deste água para os meus pés. Mas esta mulher molhou os meus pés com as suas lágrimas e os enxugou com os seus cabelos. 45 Tu não me deste nenhum beijo; mas esta mulher, desde a hora em que entrei, não deixou de beijar ternamente os meus pés. 46 Tu não untaste a minha cabeça com óleo; mas esta mulher untou os meus pés com óleo perfumado. 47 Em virtude disso, eu te digo que os pecados dela, embora sejam muitos, estão perdoados, porque ela amou muito; MAS AQUELE A QUEM SE PERDOA POUCO, AMA POUCO.” 48 Então disse a ela: “Teus pecados estão perdoados.” 49 Em vista disso, os que se recostavam com ele à mesa principiaram a dizer no seu íntimo: “Quem é este homem que até mesmo perdoa pecados?” 50 Mas ele disse à mulher: “Tua fé te salvou; vai em paz.”

Porque Jesus não desejava eliminar o mal, através da morte do praticante do mal?? Jesus não era um “destruidor”, Jesus era um “construtor”.

Qual era o objetivo de Jesus, o clone espiritual do Pai Jeová?? Era modificar o iníquo. Era convencer o iníquo a mudar de opinião e, consequentemente mudar de caminho.

Novamente, um mesmo pecador imundo sendo visto através de olhos diferentes. Novamente, os sentimentos opostos geravam ações opostas. Esta mulher era pecadora??? Sim. Por seus pecados, ela havia se sentenciado à morte?? Sim, havia. Ela estava no caminho da morte. Bem, e agora, o que fazer com tal pecadora que tinha a morte dentro de si?? Simão não permitiria que tal pecadora sequer encostasse nele, afinal, todos os profetas anteriores agiam assim, revelando ter os mesmos sentimentos pelos pecadores, o DESPREZO. Simão, obedecendo a Moisés, desejava ELIMINAR o mal do seu convívio, praticando a ação de um “destruidor”. (Deuteronômio 22:20-21) 20 Se, porém, este assunto se provou verdadeiro, não se achando evidência de virgindade na moça, 21 então eles têm de levar a moça para fora, à entrada da casa de seu pai, e os homens da sua cidade têm de matá-la a pedradas e ela tem de morrer, porque cometeu uma ignominiosa insensatez em Israel, cometendo prostituição na casa de seu pai. ASSIM TENS DE ELIMINAR O MAL DO TEU MEIO.

Quem é que pode perdoar pecados?? Ora, todos os humanos, desde que queiram, podem perdoar pecados. No entanto, estes homens se abstinham de perdoar, deixando esta missão só para Deus. Eles gostavam mesmo era de condenar e matar pecadores, reações naturais de um “destruidor”.

SOMENTE UM “ALTIVO” SENTE DESPREZO POR SEU IRMÃO. Altivo é todo aquele que sente ACIMA de qualquer humano pecador de qualquer pecado. Simão copiava este sentimento dos antigos profetas, por ele glorificados. Novamente, alguém imundo em face dos reais pecados cometidos estava recebendo MISERICÓRDIA por parte de alguém. Novamente, alguém que se considerava limpo querendo que tal pessoa fosse retirada do grupo, que não fosse usada, pois não prestava pra mais nada. Para Simão, esta pecadora não tinha nenhum valor, não era digna de estima e não era digna de atenção, ela estava em um estado repugnante e certamente era um caso perdido, uma maçã podre. E novamente, diante de um ACUSADOR, a persistência em usar MISERICÓRDIA para com alguém coberto com “vestes imundas”. Não se misturar e apontá-lo como iníquo – esta é atitude comum de um ACUSADOR. Sendo Jesus um homem santo, como podia deixar-se tocar por alguém impuro?? Simão revelou que tinha vergonha daquela pecadora estar ali na sua casa, enquanto que Jesus revelou que mesmo sabendo que ela era “pecadora”, não se envergonhava de estar sendo tocado por alguém realmente impuro. De forma oposta a Simão, Jesus tinha aquela pecadora em “alta estima”, apesar de seu estado imundo.

O ALTIVO NÃO CONSEGUE DAR UM CALOROSO ABRAÇO NAQUELA PESSOA DE QUEM ELE SENTE DESPREZO, ISTO É, NUM PECADOR.

Quanto maior a dívida, maior quantidade de MISERICÓRDIA deve ser usada para o ALTRUÍSTA (liberal) cancelamento da dívida. Ele não tem como pagar tal alta dívida; o que fazer com ele?? Ora, CANCELE a dívida dele. O que isto gera?? Que frutos produz?? Produz um grande AMOR por parte de quem é tratado com tamanha MISERICÓRDIA. Simão, o fariseu, achava que devia menos, enquanto que a mulher admitia que estava coberta de pecados; ela admitia que era uma pecadora imunda. Ela estava ciente do seu estado. Ela conseguia ver o estado lastimável de suas roupas.

Para cada pecado uma sentença de morte, logo, o pecador deve uma vida para cada pecado cometido. Como o humano só tem uma vida,... Quanto mais ações erradas o humano vai praticando, mais perto da morte ele vai ficando.

Ficou bem claro que a enorme dívida não foi negociada, não houve troca, não houve paga, antes, ela foi cancelada, um ato UNILATERAL” e “não condicionado” por parte do ofendido. Decerto, para se tomar uma atitude como esta, os sentimentos estão envolvidos. Os sentimentos de quem assim o faz, ou seja, do ofendido, ficam plenamente revelados. “Onde estiver o seu tesouro, ali estará o seu coração”.

Novamente: O devedor (ofensor) não tinha como pagar a dívida, simplesmente, não tem como pagar. Chegamos assim a um impasse. O credor (ofendido) tem de tomar uma ação.

Que frutos produziria o esmagamento de tal devedor sem condição de pagar a dívida?? Que frutos produziria o desprezo dado a tal devedor??

O que fazer com tal devedor?? Que ação tomaria um “justiceiro”?? Que ação tomaria um “perdoador”?? Que ação tomaria um “destruidor”?? Que ação tomaria um “construtor”?? Jesus disse: Mulher, teus pecados estão perdoados. Aquele que admite que muito deve é também aquele que muito valoriza o cancelamento de sua RECONHECIDA grande dívida, ou seja, o perdão que recebe. Tinha Jesus tal autoridade?? Sim. E quanto aos fariseus? Será que eles também tinham esta autoridade?? Sim, também tinham. No entanto, estes homens se negavam a perdoar. Este negócio de perdoar é só para Deus, afirmavam, esquivando-se do ato de perdoar.

Jesus revelou estar semeando uma semente excelente no coração daquela pecadora. O que aconteceria agora, depois da semente ser semeada?? O que notamos na reação da pecadora?? O que Jesus chamou a atenção?? De que sentimento falou Jesus?? Jesus afirmou que geraria amor e a reação da pecadora revelou exatamente isto.

Uma das óbvias conclusões que podemos chegar é que o perdão é um dos FRUTOS do amor, ou seja, para perdoar você precisa amar. O ofendido precisa ter o ofensor em ALTA estima; quanto maior for a dívida, maior precisa ser a estima do ofendido pelo ofensor. O ofendido revela que, para ele, o ofensor tem um ALTO valor e que independente do valor da dívida, o “VALOR DO OFENSORsempre será muito Maior que o “VALOR DA DÍVIDA”. De forma prática, o ofendido revela seu amor pelo ofensor.

PERDOAR É EXERCITAR O AMOR; QUEM NÃO PERDOA É PORQUE NÃO AMA. “Ame àquele que revela que não te ama, pois amar àquele que te ama, qualquer um faz; faça como o Pai” – estas foram as palavras de Jesus.

Uma outra conclusão é que o perdão PRODUZ amor, ou seja, o perdoado também passa a amar. Quando reconhece que sua dívida é grande, o ofensor passa a amar o ofendido. Quanto maior for a dívida perdoada, RECONHECENDO este o valor da dívida, maior será o amor que o perdoado sentirá pelo perdoador.

O que eu pude perceber?? Percebi que meu amor por alguém não pode estar condicionado a este alguém praticar ou deixar de praticar certas coisas, não pode estar condicionado à atitude dele, não pode estar condicionado ao sentimento dele. Independente de seus sentimentos e suas ações, meu amor por ele deverá permanecer inalterado.

Sempre Perdoar> era o determinava a lei.

Parai de julgar, parai de condenar> era o que determinava a lei. Que lei determinava isso?? A lei dada por Jesus lá no monte, o chamado “Sermão do Monte”.

Afinal de contas, o que é julgar?? Vamos ver a definição dada por certo dicionário (Koogan/Houaiss): JULGAR v.t. Decidir um litígio na qualidade de juiz ou árbitro: julgar um processo. / Pensar, supor: julgou necessário protestar. / Avaliar, emitir opinião, formular um juízo: julgar uma pessoa pela aparência. / Reputar, considerar: julgo-o bastante competente. / — V.pr. Ter-se por, considerar-se.

Para “julgar” é imprescindível que a pessoa se coloque na qualidade de JUIZ. Aquele que aceita esta pessoa como um juiz, passa a respeitar a decisão tomada por este “juiz”. Aquele que aceita tal pessoa como um juiz, passa a cumprir a decisão tomada por este “juiz”; passa a se submeter à decisão tomada por este “juiz”. A decisão tomada por um “juiz” passa a ser uma “decisão judicial”. Um “juiz” avalia um litígio qualquer entre duas ou mais pessoas e formula a sua opinião, que sendo oficial, deve ser obedecida por aqueles que o aceitam como um “juiz”. Assim, o juiz precisa ser uma pessoa investida de “autoridade”, uma pessoa que os demais aceitam como sendo “autoridade”, isto é, como uma pessoa que está acima das demais. Revelando estar na contramão dos demais humanos, Jesus negou-se a avaliar e decidir um litígio entre dois humanos, algo que envolvia uma partilha de bens. Embora tivesse toda a capacidade, e tivesse sido convidado, negou-se a ser juiz para aqueles humanos. Mostrou-lhes o que a lei de Jeová falava sobre a questão, mostrou-lhes o que devia servir de base para eles resolverem o litígio. O Juiz se sente ACIMA dos demais.

Não podemos esquecer que Jesus é um clone espiritual do Pai Jeová.

Afinal de contas o que é um “juiz”?? Vamos ver a definição dada por certo dicionário (Koogan/Houaiss): JUIZ s.m. Magistrado que tem por função ministrar a Justiça. / Pessoa que serve de árbitro em alguma pendência ou competição. / Nome dado aos chefes supremos dos hebreus até a instituição da realeza. // Juiz de direito ou juiz togado, magistrado que julga, em uma comarca, segundo as provas nos autos. // Juiz de fato, o mesmo que jurado ou membro do júri. // Juiz relator, o que funciona junto a um tribunal para relatar o feito. // Juiz de paz, antigo magistrado eletivo a quem competia o julgamento das causas de pequena relevância (desavenças, cobranças de pequeno valor, realização de casamento), da alçada de um juízo de paz ou juízo conciliatório. // Juiz de fora, antigo magistrado no período colonial, a que corresponde hoje o juiz de direito. // Juiz de primeira instância, juiz de comarca.

Um “juiz” é um magistrado. Bem, o que é um magistrado?? Vamos ver a definição dada por certo dicionário (Koogan/Houaiss): MAGISTRADO s.m. Funcionário ou oficial civil INVESTIDO DE AUTORIDADE jurisdicional (membros dos tribunais e das cortes etc.), administrativa (prefeito, subprefeito etc.) ou política (presidente, governador etc.). / Designação geral dos juízes, desembargadores e ministros.

Ficou bem claro. “Juiz” é um humano qualquer a quem é outorgada a autoridade para julgar, emitir pareceres e decisões judiciais em relação ao relacionamento entre outros humanos. Quando um humano, através de uma ação, ofende a lei, é unicamente um juiz quem o condena por ofensa a lei. Quem não é “juiz” não deve condenar aquele que ofendeu a lei, pois se o fizer, também estará ofendendo a lei, tornando-se um criminoso. Também ficou claro que para ser juiz, a pessoa precisa receber autoridade para exercer tal função.

Na lei obedecida por Jesus, há algum artigo que outorga a algum humano esta autoridade para julgar àqueles que cometam pecados?

Uma ordem dada por Jesus foi esta: “Parai de julgar”. Não julgueis.

Uma outra ordem dada por Jesus foi esta: “Parai de condenar”. Não condeneis.

NÃO JULGUE NINGUÉM, NÃO CONDENE NINGUÉM – Jesus não deu autoridade a NENHUM dos seus seguidores para agirem como juízes. De forma oposta, os seguidores de Jesus, individualmente, estavam proibidos por lei de agirem como juízes. Para cada um dos discípulos de Jesus, vale a ordem de Jesus.

Entre os discípulos de Jesus não existe a condição de MAIOR e a condição de MENOR. Todos são “irmãos” e nunca deviam sair desta condição de “igualdade”. Sendo todos eles pecadores, todos estão na MESMÍSSIMA condição.

Assim falou o Mestre: (Mateus 23:7-12) . . .. 8 Mas vós, não sejais chamados Rabi, pois um só é o vosso instrutor, ao passo que TODOS VÓS SOIS IRMÃOS. 9 Além disso, não chameis a ninguém na terra de vosso pai, pois um só é o vosso Pai, o Celestial. 10 Tampouco sejais chamados ‘líderes’, pois o vosso Líder é um só, o Cristo. 11 MAS O MAIOR DENTRE VÓS TEM DE SER O VOSSO MINISTRO. 12 Quem se enaltecer, será humilhado, e quem se humilhar, será enaltecido.

PODE HAVER AINDA ALGUMA DÚVIDA?? Bem, se ainda houver dúvida, vamos ler estas outras palavras faladas por Jesus no mesmo “Sermão do monte”:Se tu condenares o teu irmão à morte, tu também serás condenado a morte; o julgamento que deres a teu irmão, será dado a ti; se perdoardes sereis perdoados e se não perdoardes não sereis perdoados”. (Mateus 7:1-2) 7 Parai de julgar, para que não sejais julgados; 2 pois, com o julgamento com que julgais, vós sereis julgados; e com a medida com que medis, medirão a vós. (Mateus 6:14-15) 14 “Pois, se perdoardes aos homens as suas falhas, também o vosso Pai celestial vos perdoará; 15 ao passo que, se não perdoardes aos homens as suas falhas, tampouco o vosso Pai vos perdoará as vossas falhas.

Assim verte a Tradução Brasileira: (Mateus 7:1-2) 1 NÃO JULGUEIS, para que não sejais julgados; 2 porque com o juízo com que julgais, sereis julgados; e a medida de que usais, dessa usarão convosco. (Lucas 6:37) 37 NÃO JULGUEIS, e não sereis julgados; NÃO CONDENEIS, e não sereis condenados; perdoai, e sereis perdoados;


Assim verte a Tradução Almeida: (Mateus 7:1-2) 1 NÃO JULGUEIS, para que não sejais julgados. 2 Porque com o juízo com que julgais, sereis julgados; e com a medida com que medis vos medirão a vós. (Lucas 6:37) 37 NÃO JULGUEIS, e não sereis julgados; NÃO CONDENEIS, e não sereis condenados; perdoai, e sereis perdoados.



Assim, julgar e condenar pecadores, naquele instante, já era praticar algo contra a lei, já era desobedecer a lei, isto é, a nova lei vigente, enquanto que perdoar era obedecer a lei, isto é, a nova lei vigente. NÃO TE TORNES UM JUIZ PARA O TEU PRÓXIMO. Aquele que condena Adão, se torna um JUIZ para Adão. Para você julgar qualquer ser humano, você tem de se tornar um JUIZ para ele. Assim, você mostra ser um JUIZ; você passa a agir como um JUIZ para aquele humano. Assim, você se transforma em um JUIZ. SOMENTE O JUIZ tem autoridade para DECIDIR o que deve acontecer com aquele que praticou qualquer ação contra a lei.

QUEM É QUE PRATICA A AÇÃO DE CONDENAR?? O QUE É CONDENAR??

CONDENAR Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): Declarar culpado de pecado; imputar culpa; impor uma penalidade (uma pena), impor um castigo.

condenar

v. (1266) 1 t.d. e pron. declarar(-se) ou reconhecer(-se) culpado; imputar(-se) culpa <condena-o por abandoná-la> <não se condene por isso> 2 t.d.bit. jur proferir (um juiz) sentença ou decisão definitiva reconhecendo a culpa de <c. uma adúltera (à execração pública)> <c. um assassino (à prisão perpétua)> 3 t.d.bit. jur impor (o juiz ou o tribunal do júri) uma pena a <o júri condenou o réu (a dez anos de prisão)> 4 t.d. declarar ou demonstrar o risco de <a prefeitura condenou as casas construídas nas encostas> 5 t.d. declarar ilegal (ato, procedimento etc.) <a lei condena o peculato> 6 t.d. declarar (alguém ou algo) censurável ou não conforme às regras, valores coletivos etc. <c. o comportamento da juventude> 7 t.d. interditar ou proscrever o uso de (algo não conforme a uma ortodoxia) <c. uma heresia> 8 t.d. interditar o acesso a (algo ger. perigoso) <c. um navio, um edifício, um elevador> 9 t.d. ser um indício contra (algo ou alguém); incriminar <sua própria atitude condena-o por falta de seriedade> 10 t.d. julgar (doente) perdido ou declará-lo em estado desesperador <os médicos já a condenaram> 11 t.d.bit. e pron. p.ext. fig. impor(-se) uma obrigação ou castigo <o vício condena os homens (à degradação)> <condenou-se a subir de joelhos a escadaria da igreja> etim lat. condemno,as,ávi,átum,áre 'condenar, acusar etc.' sin/var acoimar, censurar, criticar, denunciar, desaprovar, glosar, incriminar, reprovar, tachar, verberar, vituperar; ver tb. sinonímia de obrigar, punir e antonímia de desculpar ant ver antonímia de aviltar e sinonímia de desculpar




Mesmo quando a lei prevê penalidades para a prática de um pecado, somente um juiz tem autoridade para determinar a aplicação da penalidade naquele pecador.

No entanto, vamos deixar aqui aberta a seguinte pergunta?? Será que estas ordens dadas por Jesus já haviam sido repassadas também para Moisés, muitas centenas de anos antes?? A resposta é sim. Não foi Jeová quem os mandou julgar e apedrejar pecadores?? Não, não foi.

Veja aqui. Veja aqui.

Realmente, a sabedoria é provada justa pelas suas obras, pelo fruto apresentado ao final.

Não podemos esquecer que Jesus é um clone espiritual do Pai Jeová.....

Se um sacerdote ou um fariseu dissessem para mim: Trate esta pessoa aqui como você trataria um cobrador de impostos, de que sentimento eles estavam falando?? Decerto, eles estavam falando do DESPREZO, o sentimento que eles sentiam pelo cobrador de impostos. Trate-o com o mesmo DESPREZO com que você trataria um cobrador de impostos. Use a exclusão. Era exatamente isto que o sacerdote e fariseu faziam. Trata-se do ponto de vista de um “destruidor”.

No entanto, se Jesus me der a mesma ordem: Trate esta pessoa aqui como você trataria um cobrador de impostos, de que sentimento falava Jesus?? Decerto, Jesus estava falando da MISERICÓRDIA, o sentimento que ele sentia pelo cobrador de impostos. Dê a esta pessoa o mesmo tratamento que você daria a um cobrador de impostos. Trate-o com a mesma MISERICÓRDIA com que você trataria um cobrador de impostos. Ele precisa de uma quantidade maior de MISERICÓRDIA. “Veja, esta é uma oportunidade para se praticar o amor ao próximo como a ti mesmo” - era o que Jesus queria mostrar. Era exatamente isto o que Jesus fazia, todo o tempo. Trata-se do ponto de vista de um “construtor”.

Assim, quanto a esta afirmação de Jesus abaixo, QUE sentimento ele espera que eu tenha pelo irmão que pecou e que não escuta o bom conselho?? Este irmão não está coberto de vestes imundas?? Sim, está. E como está!! Então, que sentimento será? Será o sentimento revelado pelo fariseu e seus antepassados ou será um sentimento 100% oposto ao do fariseu, isto é, aquele revelado por Jesus?? (Mateus 18:15-17) 15 Outrossim, se o teu irmão cometer um pecado, vai expor a falta dele entre ti e ele só. Se te escutar, ganhaste o teu irmão. 16 Mas, se não te escutar, toma contigo mais um ou dois, para que, pela boca de duas ou três testemunhas, todo assunto seja estabelecido. 17 Se não os escutar, fala à congregação. Se não escutar nem mesmo a congregação, SEJA ELE PARA TI APENAS COMO HOMEM DAS NAÇÕES E COMO COBRADOR DE IMPOSTOS.

DEPOIS DE PECAR, ELE PASSA TER “POUCO OU NENHUM VALORPARA VOCÊ?? É esta a ordem de Jesus??

Decerto, Jesus deseja que eu trate tal pessoa com mais MISERICÓRDIA, pois ele deve mais, a dívida dele é maior. A sua veste está mais imunda. Decerto, para mim, o valor deste pecador sempre será muito maior do que o valor da dívida dele para comigo. A quem deve mais, conceda-lhe mais MISERICÓRDIA. Este era o sentimento de Jesus. Ele afirmou que os pecadores são “doentes que precisam de médico”. Quanto mais doente, de mais CUIDADOS ele necessita. No entanto, para os sacerdotes e para os fariseus, os pecadores eram pessoas a serem acusadas, separadas e eliminadas, pois não possuíam qualquer valor, pelo fato de serem pecadoras imundas. Obviamente, os sacerdotes e os fariseus ensinavam ao povo geral a também sentirem e agirem assim como eles, que seguiam o sentimento e a ordem dos antepassados. Para onde levavam tais sentimentos e ordens dos antepassados?? Levavam para a morte. Para onde levavam os sentimentos e as ordens dadas por Jesus?? Levam para a “vida”; valorizam a “vida”; protegem a “vida”; preservam a “vida”. Os mandamentos de Jeová significam vida: (João 12:49-50) .... 50 Sei também que o seu mandamento SIGNIFICA VIDA ETERNA. Portanto, as coisas que eu falo, assim como o Pai mas disse, assim [as] falo.”

Será que Jesus queria que eu tratasse o “imundo pecador” como se ele fosse alguém sem valor?? Não é este um sentimento que põe a “vida” em risco?? Será que Jesus queria que eu agisse como um ACUSADOR de pecadores imundos?? Será que Jesus queria que meu SENTIMENTO pelo “imundo pecador” fosse o DESPREZO??? Será que Jesus queria que eu me transformasse em um fariseu??

Certamente que não, pois envolveria ter um sentimento 100% oposto ao dele, Jesus.

No entanto, apenas alguns anos depois da morte de Jesus (cerca de vinte e dois anos), veio a seguinte ordem: (1 Coríntios 5:9-13) 9 Eu vos escrevi na minha carta que cesseis de manter convivência com fornicadores, 10 não [querendo dizer] inteiramente com os fornicadores deste mundo, ou [com] os gananciosos e os extorsores, ou [com] os idólatras. Senão teríeis realmente de sair do mundo. 11 Mas, EU vos escrevo agora para que CESSEIS DE TER CONVIVÊNCIA COM QUALQUER QUE SE CHAME IRMÃO, que for fornicador, ou ganancioso, ou idólatra, ou injuriador, ou beberrão, ou extorsor, NEM SEQUER COMENDO COM TAL HOMEM. 12 Pois, o que tenho eu que ver com o julgamento dos de fora? Não julgais vós os de dentro, 13 ao passo que Deus julga os de fora? “REMOVEI O [HOMEM] INÍQUO DE ENTRE VÓS.

REMOVA-O DA IGREJA; REMOVA-O DA CONGREGAÇÃO?? SIM, ESTA É A ORDEM.

EXPULSE-O DA IGREJA; EXPULSE-O DA CONGREGAÇÃO?? SIM, ESTA É A ORDEM.

Mude o teu SENTIMENTO em relação a ele.Não precisa matá-lo fisicamente, no entanto, SINTA por ele a mesma REPUGNÂNCIA que se sente por um corpo morto e trate-o como tal”.

QUEM deu esta ordem?? QUEM era “Eu”?? Tratava-se de nosso amado irmão Paulo.

Será que o humano que deu esta ordem era um clone espiritual de Jesus??

Estava nosso amado irmão Paulo mostrando ser “UM” com o seu Mestre Jesus?? Tinha sido este o SENTIMENTO de Jesus para com tais pecadores?? Tinha sido esta a ATITUDE de Jesus para com tais pecadores?? Não era Jesus criticado exatamente por MANTER CONVIVÊNCIA com tais pecadores, COMER com eles em suas casas e POUSAR nas casas destes pecadores??

Tratava-se de um NOVO mandamento?? Tratava-se de uma NOVA Legislação?? Sim. Tratava-se de uma nova “diretriz”?? Sim. Esta ordem passou a ser uma lei?? Sim, para aquele que a obedece e ainda exige que outros a obedeçam.

No caso da existência de fornicadores, o que a irmandade formada de discípulos de Jesus estava fazendo ATÉ aquela presente data?? Que sentimentos demonstravam ter por tais pecadores ATÉ aquela presente data??

SERÁ QUE ELES AINDA ABRAÇAVAM CALOROSAMENTE TAL PESSOA APESAR DO PECADO DELA??

ATÉ aquela presente data eles “perdoavam” ou “condenavam” os fornicadores??

ATÉ aquela presente dada, a irmandade sentava-se e comia com irmãos fornicadores, extorsores, cobradores de impostos, gananciosos e idólatras, exatamente assim como Jesus fazia. A quem copiavam?? A Moisés?? A Davi?? Copiavam os profetas?? Copiavam os juízes?? Copiavam os sacerdotes?? Copiavam os fariseus???

Quem havia instituído este novo costume de sentar-se e comer com os iníquos?? Não havia sido o próprio Jesus?? Não foi Jeová aquele que continuou residindo com a iníqua casa de Israel??

Que costume único tinha todo o povo até o ano de 29 da Era Comum?? Que costume inédito instituiu Jesus a partir deste memorável ano??

Antes de dar esta ordem acima, nosso amado irmão Paulo, revelando o seu sentimento, afirma: “Relata-se que existe entre vós, um fornicador pior que os fornicadores das nações, e que vocês ainda continuam a manter relacionamento com ele. Vocês admitem que ele continue no vosso meio?? E AINDA VOS ALEGREIS COM ESTE FATO?? Como podem vocês tolerar a presença deste pecador no vosso meio?? Não devíeis vos envergonhar, prantear, julgar e remover tal homem do vosso meio?? Embora eu esteja ausente, eu já julguei este homem. (1 Coríntios 5:1-4) 5 Realmente, relata-se entre vós fornicação, e fornicação tal como nem há entre as nações, que certo [homem] tenha por esposa [a] de [seu] pai. 2 E estais vós enfunados, e nem ao menos pranteastes, a fim de que o homem que cometeu esta ação fosse tirado do vosso meio? 3 Eu, da minha parte, embora ausente em corpo, mas presente em espírito, certamente, como se estivesse presente, JÁ TENHO JULGADO O HOMEM que agiu de tal modo, 4...

Assim verte a Tradução Brasileira: (1 Corintios 5:1-3) 1 Consta geralmente que há fornicação entre vós, e tal fornicação qual nem ainda entre os gentios, de modo que há quem vive com a mulher de seu pai. 2 Estais vós inchados, e não pranteastes, para que fosse tirado do meio de vós aquele que tal ação praticou? 3 Pois eu, na verdade, ausente em corpo, mas presente em espírito, já tenho, como se estivesse presente, julgado aquele que assim se portou:

Assim verte a Tradução Almeida: (1 Corintios 5:1-3) 1 Geralmente se ouve que há entre vós imoralidade, imoralidade que nem mesmo entre os gentios se vê, a ponto de haver quem vive com a mulher de seu pai. 2 E vós estais inchados? e nem ao menos pranteastes para que fosse tirado do vosso meio quem praticou esse mal? 3 Eu, na verdade, ainda que ausente no corpo, mas presente no espírito, já julguei, como se estivesse presente, aquele que cometeu este ultraje.

Será que nosso amado irmão Paulo estava querendo dizer que se Jesus estivesse ali naquela hora e lugar, ele, Jesus, tomaria a mesmíssima decisão tomada por ele, Paulo??

Ora, isto acontece dentro da igreja e ninguém toma nenhuma ação?? Será que vocês não estão vendo que ele está ofendendo a Jeová??

Obedecendo ao Mestre Jesus, aqueles humanos não estavam condenando outros pecadores e estavam se relacionando amistosamente com pecadores. Será que estavam errados??

Bem, na visão de Paulo de Tarso, eles estavam errados.

EU TENHO JULGADO O PECADOR DE “DENTRO”. EXPULSEM O PECADOR DE “DENTRO”.

BEM, ATÉ ENTÃO ESTES HOMENS ESTAVAM COPIANDO AS AÇÕES DE JESUS PARA COM ESTES PECADORES, NÃO ESTAVAM??



SERÁ QUE ELES ESTAVAM COMETENDO UM PECADO?? NESTE CASO, AS MESMÍSSIMAS AÇÕES PRATICADAS POR JESUS TAMBÉM ERAM PECADO??



BEM, NÃO ERA ISTO O QUE OS SACERDOTES E OS FARISEUS AFIRMAVAM EM RELAÇÃO A ESTA MESMA AÇÃO DE JESUS??



Será que agora, depois desta carta, eles tinham de se envergonhar de repetir as ações de Jesus?? Será que a partir desta carta eles tinham de se envergonhar por terem o mesmo sentimento de Jesus pelo “fornicador”??



SE ESTE HOMEM FOSSE UM PROFETA, ELE SABERIA QUE ESPÉCIE DE MULHER É ESTA QUE O TOCA, QUE É UMA PECADORA.



NÃO FOI ESTA A FRASE DE UM FARISEU??



PORQUE ESTE JESUS COME COM FORNICADORES, COM ADÚLTEROS, COM IDÓLATRAS, COM INJURIADORES E EXTORSORES??



NÃO FOI ESTA A PERGUNTA INDIGNADA DE UM FARISEU??



(Salmos 26:5) 5 Tenho ODIADO a congregação dos malfeitores E NÃO ME SENTO COM OS INÍQUOS.

OBEDECENDO AS “ESCRITURAS”, OS SACERDOTES E OS FARISEUS REMOVIAM O INÍQUO DO MEIO DELES; NÃO COMIAM COM INÍQUOS.



TRATAVA-SE DE UMA INVERSÃO DOS VALORES FIXADOS POR JESUS, DO ANO 29 ATÉ O ANO 33?? SIM.



Eu, da minha parte, JÁ TENHO JULGADO O HOMEM que agiu de tal modo”.



Tratava-se de JULGAR e autorizar o “julgamento”?? Sim. DECIDA o que fazer com os de dentro. JULGUEM OS DE DENTRO E DEIXEM OS DE FORA PARA JEOVÁ JULGAR??? QUE DECISÃO DEVE O JUIZ TOMAR??Removei o iníquo de entre vós”. No entanto, cerca de vinte e dois anos ANTES, o mandamento dado E OBEDECIDO por Jesus foi: “não te tornes um JUIZ”; “não te comportes como um JUIZ”; “não julguem”; “parai de julgar”; não condenem; com o mesmo julgamento com que julgares, tu serás julgado”.

Ao ver uma coisa desta acontecendo dentro da congregação, isto é, uma convivência amistosa com pecadores, que decisão tomaria Jesus?? Será que Paulo de Tarso mostrava ser um clone espiritual de Jesus??



Tratava-se de um MANDAMENTO 100% oposto ao MANDAMENTO deixado por Jesus?? Sim.

Como reagiu o nosso amado irmão Paulo quando alguns irmãos também decidiram julgá-lo?? Assim reagiu Paulo: (1 Coríntios 4:2-5) 2 Além disso, neste caso, o que se procura nos mordomos é que o homem seja achado fiel. 3 Ora, para mim é um assunto muito TRIVIAL o de eu ser examinado por vós ou por um tribunal humano. Até mesmo eu não me examino a mim mesmo. 4 Pois não estou cônscio de nada contra mim mesmo. Contudo, não é por isso que eu seja mostrado justo, mas quem me examina é Jeová. 5 Por isso, NÃO JULGUEIS NADA antes do tempo devido, até que venha o Senhor, que tanto trará da escuridão para a luz as coisas . . .

TRIVIAL – Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss):

trivial Datação: 1675

n adjetivo de dois gêneros

1 que é do conhecimento de todos; corriqueiro, vulgar

1.1 que é muito usado, repetido, batido

2 que não revela maiores qualidades; ordinário


n substantivo masculino

3 qualquer prato simples do dia a dia, esp. os que compõem o cardápio das refeições caseiras



Paulo dava pouca ou nenhuma importância ao fato de ser julgado por qualquer humano. Porque isto ocorria??

Eu julgo, eu condeno, mas, não admito ser julgado por ninguém, exceto por Jeová. Não julgueis NADA antes do tempo devido. Este nada era em relação a todos os pecadores ou só em relação a ele, Paulo??

Nosso amado irmão Paulo podia julgar seus irmãos, no entanto, seus irmãos não podiam julgá-lo. Tratava-se de dois pesos e duas medidas. Tratava-se de um sistema de privilegiados?? Neste caso, nosso amado irmão Paulo considerava-se MUITO acima dos demais irmãos, pois ele podia fazer coisas em relação aos demais irmãos, enquanto os demais irmãos não podiam fazer em relação a ele.

Afinal de contas, não era ele um APÓSTOLO?? Ser um APÓSTOLO não o colocava acima dos demais irmãos, dos demais discípulos?? Havia Jesus criado um sistema de pirâmide hierárquica, copiando o resto do mundo?? Seria Paulo uma AUTORIDADE superior para seus irmãos, estando acima de seus irmãos, assim como é no resto do mundo??

O nosso amado irmão Paulo assim havia estabelecido ser a hierarquia dentro da igreja: “Em primeiro lugar vem os apóstolos”. (1 Coríntios 12:27-28) 27 Ora, vós sois corpo de Cristo e membros individualmente. 28 E Deus tem colocado os respectivos na congregação, primeiro apóstolos; segundo profetas; terceiro instrutores; depois obras poderosas; depois dons de curar; serviços prestimosos, capacidades de dirigir, línguas diferentes.

Assim verte a Tradução Brasileira: (1 Corintios 12:27-28) 27 Ora vós sois corpo de Cristo, e individualmente um de seus membros. 28 A uns pôs Deus na igreja, primeiramente apóstolos, em segundo lugar profetas, em terceiro lugar doutores, depois milagres, depois dons de curar, socorros, governos, variedades de línguas.

Bem, sendo Paulo um apóstolo, ocupando a primeira posição, não admitiria ser julgado por alguém que não estivesse acima dele, não é verdade?? Onde é que já se viu um instrutor, aquele que ocupa o terceiro lugar na hierarquia, agir como juiz de um apóstolo, aquele que ocupa o primeiro lugar na hierarquia?? E o que dizer de ser julgado por alguém que fale línguas?? Ora, nem pensar, afinal de contas que posição ocupa aquele que fala em línguas nesta hierarquia??

Bem, se este fosse o caso, o que o Mestre de Paulo havia ordenado neste respeito?? Assim havia ordenado Jesus: (Mateus 20:25-27) 25 Jesus, porém, chamando-os a si, disse: “Sabeis que os governantes das nações dominam sobre elas e que os grandes homens exercem autoridade sobre elas. 26 NÃO É ASSIM ENTRE VÓS; mas, quem quiser tornar-se grande entre vós tem de ser o vosso ministro, 27 e quem quiser ser o primeiro entre vós tem de ser o vosso escravo. (Marcos 10:41-44) 41 Ora, quando os outros dez ficaram sabendo disso, principiaram a indignar-se com Tiago e João. 42 Mas Jesus, depois de chamá-los a si, disse-lhes: “Sabeis que os que parecem estar governando as nações dominam sobre elas, e seus grandes exercem autoridade sobre elas. 43 NÃO É ASSIM ENTRE VÓS; mas quem quiser tornar-se grande entre vós, terá de ser o vosso ministro, 44 e quem quiser ser o primeiro entre vós, tem de ser o escravo de todos. (Mateus 23:8-12) 8 Mas vós, não sejais chamados Rabi, pois um só é o vosso instrutor, AO PASSO QUE TODOS VÓS SOIS IRMÃOS. 9 Além disso, não chameis a ninguém na terra de vosso pai, pois um só é o vosso Pai, o Celestial. 10 Tampouco sejais chamados ‘líderes’, pois o vosso Líder é um só, o Cristo. 11 Mas o maior dentre vós tem de ser o vosso ministro. 12 QUEM SE ENALTECER, SERÁ HUMILHADO, e quem se humilhar, será enaltecido.

Quem é que gostava de estar acima, mandando e desmandando, em posição de autoridade, cuja palavra era lei e que se não fosse obedecida, ele julgava e condenava o ouvinte rebelde?? Quem é que impunha sua autoridade?? Quem eram os tiranos?? Quem é que tratava as ovelhas com tirania?? Quem é que não se sentava com os iníquos?? Os sacerdotes, que por sua vez obedeciam às determinações de Moisés, devidamente registradas nas “Escrituras”.

Quem além dos sacerdotes amavam serem os destaques, amavam mandar fazer e outros atos de tirania?? Os fariseus, obviamente, aqueles que gostavam de ditar regras para que outros obedecessem. Jesus afirmou em relação a estes: (Mateus 23:1-4) 23 Jesus falou então às multidões e aos seus discípulos, dizendo: 2 Os escribas e os fariseus sentaram-se no assento de Moisés. 3 Portanto, todas as coisas que eles vos dizem, fazei e observai, mas não façais segundo as ações deles, pois dizem, mas não realizam. 4 Amarram cargas pesadas e as põem nos ombros dos homens, mas eles mesmos não estão dispostos nem a movê-las com o dedo.

Que mais afirmou Jesus em relação àquele que muito foi dado?? Jesus afirmou: (Lucas 12:45-48) 45 Mas, se aquele escravo chegar a dizer no seu coração: ‘Meu amo demora em vir’, e principiar a espancar os servos e as servas, e a comer e beber, e ficar embriagado, 46 o amo daquele escravo virá num dia em que não [o] espera e numa hora que não sabe, e o punirá com a maior severidade e lhe determinará uma parte com os infiéis. 47 Então, aquele escravo, que entendeu a vontade de seu amo, mas não se aprontou, nem fez em harmonia com a sua vontade, será espancado com muitos golpes. 48 Mas aquele que não entendeu, e assim fez coisas que merecem golpes, será espancado com poucos. Deveras, de todo aquele a quem muito foi dado, muito se reclamará dele; e a quem encarregaram de muito, deste reclamarão mais do que o usual.

Ora, ora, ele é um “escravo”?? Sim, ele é um escravo. E os outros, o que são?? Os outros também são escravos. Um “escravo” espancando outros escravos?? Como isto pode acontecer?? Certamente, este se considerava acima de “escravo”.

Aquele escravo que viu iniquidade nos outros e os espancou, o que receberá?? Receberá mais golpes do Amo.

Aquele escravo que cometeu iniquidades e foi espancado por um escravo, o que receberá?? Receberá menos golpes do Amo.

Ambos receberão golpes do Amo, do Amo.

Servir aos outros escravos, Jesus havia mostrado como era pra fazer, era para cuidar, era pra zelar. Não deveria ser o nosso amado irmão Paulo um exemplo em obedecer ao “sermão do monte”, assim como Jesus o foi??? Não deveria o nosso amado irmão Paulo obedecer a esta ordem dada por seu mestre Jesus?? Paulo também era um discípulo (aluno) de Jesus, não era?? Assim verte a Tradução Brasileira: (Mateus 7:1-2) 1 NÃO JULGUEIS, para que não sejais julgados; 2 porque com o juízo com que julgais, sereis julgados; e a medida de que usais, dessa usarão convosco. (Lucas 6:37) 37 NÃO JULGUEIS, e não sereis julgados; NÃO CONDENEIS, e não sereis condenados; perdoai, e sereis perdoados;

O nosso amado irmão Paulo afirmou: “Eu já julguei este homem”. Neste caso, Paulo estava obedecendo ou desobedecendo a seu Mestre Jesus??

PAULO AFIRMOU: Pois não estou cônscio de nada contra mim mesmo.

Quando nosso amado irmão Paulo, tendo buscado, recebido autoridade e usando-a com tirania, estava praticando toda aquela violência contra os discípulos de Jesus, invadindo lares, mandando açoitar, blasfemando, etc., será que ele estava cônscio dos pecados que estava praticando??

Todas as suas “violentas” ações contra os de dentro da nação judaica ele estava oferendo a Jeová como “obras excelentes”, não estava?? Não era a Jeová que Paulo oferecia aqueles corpos ensanguentados?? Ele encarava todas as suas ações violentas como estando prestando um “serviço sagrado” a Jeová, não encarava?? Os seus valores estavam invertidos, pois ele acreditava em outros valores e vivia segundo os valores em que ele acreditava. Ele não estava cônscio de seus erros, pois para ele, aquilo que ele falava e fazia era o certo e aquilo que os discípulos de Jesus falavam e faziam é que estava errado.

No entanto, somente Jesus foi capaz de frear Paulo. Nenhum humano conseguiria fazê-lo, pois ele não estava cônscio de nada contra ele mesmo. Tratava-se de uma conduta desenfreada, pois Paulo estava sem freio em praticar maldades.

Agora, já como um apóstolo, Paulo encarava seus sentimentos pelos pecadores como sendo o sentimento certo e o sentimento que os demais discípulos de Jesus tinham pelos pecadores até aquela data, como sendo o sentimento errado. Novamente, só Jesus poderia convencê-lo do contrário.



ESTA ORDEM DADA PELO NOSSO IRMÃO PAULO TEM O AMOR COMO SUA BASE?? QUE AMOR?? O AMOR DEMONSTRADO POR MOISÉS PELOS PECADORES OU O AMOR DEMONSTRADO POR JESUS PELOS PECADORES??

As ações de julgar, condenar e expulsar pecadores para longe de si faziam parte da conduta de Jesus?? TÊM ESTAS AÇÕES O VERDADEIRO AMOR COMO BASE?? As ações de Jesus fornecem a devida resposta. Jesus é um construtor e não um destruidor. Jesus mostrou ser e agiu um médico e não um juiz de pecadores.

Neste caso, era para “voltar” a agir como os discípulos de Moisés?? Neste caso, era para “voltar” aos ensinos de Moisés??

A QUEM o pecador irá prestar contas?? Todo pecador irá prestar contas à Jeová. QUANDO??? No Dia estipulado por Jeová. Em lugar de julgar e condenar aqueles que pecavam contra ele, assim prometeu Jesus a estes: (Mateus 12:36-37) 36 Eu vos digo que de toda declaração sem proveito que os homens fizerem prestarão contas no Dia do Juízo; 37 pois é pelas tuas palavras que serás declarado justo e é pelas tuas palavras que serás condenado.”

A atitude de Jesus não foi a de INTOLERÂNCIA, VIOLÊNCIA OU TIRANIA para com os seus contemporâneos praticantes de pecados. Não podemos confundir o “pecado” com o “pecador”.

Você revela não tolerar o pecado POR não praticar o pecado. Caso veja alguém cometendo um pecado, CONVENÇA-O E ENSINE-O a não mais praticar aquele pecado.

Não foi esta a ação de Jesus?? Sim, foi.

Teria sido esta também a ação de Moisés em relação aos pecadores dos mesmos pecados?? Óbvio que não.

TolerânciaAssim está definido em certo dicionário a expressão tolerância: admitir que outra pessoa pense e aja de forma diferente.

TOLERÂNCIA s.f. Disposição de admitir, nos outros, modos de pensar, de agir e de sentir diferentes dos nossos: na vida social, a virtude mais útil é a tolerância. / Favor feito a alguém em determinadas circunstâncias: isto não é um direito, é uma tolerância. / Propriedade do organismo de aceitar, sem dano, certas substâncias: a tolerância aos barbitúricos difere em cada paciente. / Excesso ou insuficiência de dimensão ou de peso admitidos na fabricação de qualquer coisa: a tolerância nas moedas é mínima. // Casa de tolerância, prostíbulo. // Tolerância imunológica, imunotolerância.

Intolerância _ Assim está definido em certo dicionário a expressão intolerância: atitude odiosa, agressiva; repugnância, para com aquele que é diferente.

INTOLERÂNCIA s.f. Qualidade do que é intolerante; repugnância. / Em matéria política, religiosa, atitude odiosa, agressiva, a respeito daqueles de cuja opinião ou crença se diverge. / Medicina Impossibilidade, para um organismo, de suportar certas substâncias (morangos, peixes, tinturas para cabelos, remédios etc.) que em si não são tóxicos, mas às quais ele é alérgico. (V. ALERGIA.)

E assim tens de ELIMINAR o mal do vosso meio”. VIOLÊNCIA - Bem, esta ordem havia sido dada por Moisés e continuava a ser obedecida pelos seus discípulos até então. Havia produzido pessoas que se alegravam em matar pecadores e desprezar pecadores. Havia produzido corações de pedra. Estava havendo um mesclamento dos mandamentos de Jesus com os mandamentos de Moisés?? Como poderia haver UNIÃO entre sentimentos 100% opostos???

NÃO SE MISTURE COM CERTOS TIPOS DE PECADORES DA NOSSA NAÇÃO??

Esta ação, como toda e qualquer ação é fruto de um sentimento. Seria esta, uma ação fruto do sentimento de Jesus?? Produziriam os sentimentos de Jesus uma ação como esta??

O que Jesus mostrou ser, tolerante ou intolerante?? Vejamos a definição de intolerante: não admite, não tolera posição divergente

intolerante Datação: 1789

n adjetivo de dois gêneros

1 falto de tolerância, de condescendência, de compreensão; inflexível, rígido

Ex.: é i. com os erros de outrem

2 que não admite opinião, posição etc. que divirja da sua

Exs.: seita religiosa i.

teórico i.

3 Rubrica: medicina.

diz-se do organismo que manifesta alergia a certos medicamentos

Ex.: organismo i. ao leite


n adjetivo de dois gêneros e substantivo de dois gêneros

4 m.q. intolerantista



Jesus foi ACUSADO de ser tolerante (permitia, respeitava, aceitava) com os pecadores, sendo verdadeira tal acusação. Jesus cumprimentava, sentava-se e comia na casa daqueles homens e mulheres “DESASSOCIADOS” pelos sacerdotes e fariseus, pessoas excluídas da irmandade judaica.

ERA UMA ORDEM DE EXCLUSÃO” DO PECADOR?? Sim, era. Bem, foi esta a “ordem” deixada por Jesus, o Mestre?? Esta “ordem” saiu da boca de Jesus?? Acabava aqui o ciclo de tempo para usar de MISERICÓRDIA, da maneira como foi usada por Jesus, o Instrutor? Bem, como não deu certo o que Jesus mandou fazer, façam agora deste jeito?? Tratava-se de CONCERTAR um erro de Jesus, o Mestre?? Havia Jesus praticado esta INTOLERÂNCIA contra estes pecadores ou contra quaisquer outros tipos de pecadores?? Deveriam “certos pecadores” serem separados para depois serem ACUSADOS de serem “iníquos”?? Estes passaram a ser os chamados “pecados intoleráveis”?? Intoleráveis para quem??

OBEDECERIA JESUS A ESTE MANDAMENTO?? Decerto, Jesus também seria desassociado.

Quando vocês formarem suas próprias sinagogas (local de estudo das escrituras), tratem com DESPREZO todo aquele que já for um discípulo e que venha a praticar CERTOS TIPOS de pecados, exatamente assim como já fazem os fariseus agora. “A teus irmãos podeis julgar”, foi isto o que saiu da boca de Jesus?? “Usem a exclusão; removam o pecador do convívio, removam o iníquo do convívio. O fornicador, o adúltero, o idólatra, o ganancioso, o extorsor, o injuriador, o ladrão e outros imundos têm de ser removidos do vosso meio. Não os trate com a mesma MISERICÓRDIA com que eu tratei tais imundos pecadores. Eu sempre cumprimentei e me sentei para comer e beber com todo tipo de pecador, tanto os de “dentrocomo os de “fora”, mas, vocês podem fazer diferente de mim.” Esta era a ordem de Jesus para seus alunos?? A ordem dada por Jesus foi 100% oposta: “PARAI de Julgar”. “NÃO TE TORNES UM JUIZ PARA TEU PRÓXIMO”. “NÃO CONDENE O PECADOR”.

SENHOR JESUS, ASSIM COMO O SENHOR FEZ, NÓS TANTO ESTAMOS EXPULSANDO OS PECADORES DOS NOSSOS LOCAIS DE ESTUDO DAS ESCRITURAS, COMO TAMBÉM NÃO SENTAMOS PARA COMER COM ELES E NÃO OS CUMPRIMENTAMOS.

Decerto, este comportamento já está e continuará a ser apresentado a Jesus como sendo uma “obra excelente”. Como será que Jesus vê tal comportamento?? Foram estas as ações do “Modelo”?? O que dirá o Mestre e Modelo como resposta??

Podemos falar e conviver com pecadores, desde que não sejam os que fazem parte da nação santa, nossa irmandade, ou seja, nossos irmãos em Abraão, ou, nossos irmãos em Moisés. Os judeus toleravam mulheres adúlteras das outras nações, mas não toleravam as mulheres dentro da irmandade judaica que se tornassem adúlteras; eles apedrejavam adúlteros judeus, “os de dentro”, mas não tomavam a mesma ação em relação a pessoas de outras nações, “os de fora”.

Esta “ordem” acima tem como BASE a seguinte informação e prática estabelecida por Moisés: Existe uma ordem de valores para os pecados. Existem pecados mais graves (intoleráveis) cuja sentença é a morte e existem outros pecados menos graves (toleráveis), cuja sentença não é a morte. Determinados “pecados” são mais “pecados” que outros “pecados”.

Esta “base” que também sustenta a ORDEM de desassociação é uma “VERDADE” ou é uma “MENTIRA”?? A exclusão e morte de pecadores aplicados pelos discípulos de Moisés mostraram ter esta mesma base. Assim, os pecadores que “cobravam juros” odiavam e matavam pecadoresadúlteros”; os pecadores que “guardavam ressentimento e se vingavam”, odiavam e matavam os pecadores que “adoravam Baal”; os pecadores que “não repartiam o seu próprio pão com o faminto”, odiavam e matavam os pecadores que “desobedeciam ao sacerdote ou ao juiz”; os pecadores que “falavam uma palavra de desprezo para seu irmão”, odiavam e matavam o pecadorpraticante de espiritismo”; os pecadores que chamavam seu irmão de “tolo, desprezível”, odiavam e matavam o pecadoradorador de bezerro de ouro”; os pecadores que “cometiam adultério no coração”, odiavam e matavam o pecador que “blasfemasse contra Jeová”; os pecadores que se achavam mais justos que todos os outros pecadores (soberba), dentro do templo de Jeová, revelavam seu ódio pelos iníquos e pediam a Jeová para matar todos os pecadores iníquos; todos estes pecadores juntos, odiavam e matavam os profetas enviados por Jeová, pois segundo eles, tais profetas não haviam sido enviados por Jeová, já que a cidade santa e o templo santo jamais poderiam ser destruídos e que aquela não poderia ser uma palavra de Jeová, pois Jeová jamais pediria para eles amarem os iníquos. Assim, condenavam os profetas por “blasfêmia” contra a cidade, contra o templo, contra Moisés, contra Jeová.

Bem, foi esta a “diretriz” estabelecida por Jeová para o humano viver segundo ela?? Bem, foi esta base estabelecida por Jeová?? Foi esta base confirmada por Jesus?? “Quem não tiver “PECADO”, que se apresente para ser juiz e carrasco desta adúltera” - esta foi a afirmação de Jesus. “A alma que “PECAR”, esta é que morrerá” - esta foi a afirmação de Jeová.

VISANDO EXALTAR A INCAPACIDADE HUMANA PARA JULGAR E CONDENAR PECADORES, JEOVÁ MANDOU JESUS NOS TRANSMITIR A SEGUINTE INFORMAÇÃO: (Mateus 5:27-28) 27 Ouvistes que se disse: ‘Não deves cometer adultério.’ 28 Mas eu vos digo que todo aquele que persiste em olhar para uma mulher, a ponto de ter paixão por ela, JÁ COMETEU NO CORAÇÃO ADULTÉRIO COM ELA.

Tem algum humano a CAPACIDADE de saber se alguém cometeu adultério no coração. Isto também é “pecado”, e como todo pecado, a sentença é a mesmíssima morte. Como remover este iníquo do vosso meio?? Guardar ressentimento também é pecado cuja sentença é a mesmíssima morte. Tem algum humano a CAPACIDADE de saber se a pessoa está ou não está guardando ressentimento?? Como remover este iníquo do vosso meio?? Desejar qualquer coisa que já seja do teu próximo, ou ainda, desejar qualquer coisa que esteja destinada a teu próximo também é pecado cuja sentença é a mesmíssima morte. Tem algum humano a CAPACIDADE de saber se a pessoa está ou não cobiçando?? Como remover este iníquo do vosso meio??

Aqueles que condenam pecadores revelam DISCORDAR de Jeová que afirmou claramente que todos os pecados têm o mesmo peso e o mesmo valor.

As palavras, as ideias ou os sentimentos destas declarações do nosso amado irmão Paulo, foram ensinados por Jesus?? Não era Paulo um dos alunos de Jesus?? Foi isto o que Jesus pediu para ser praticado pelos seus alunos?? FOI ISTO O QUE JESUS PRATICOU?? FORAM ESTAS AS AÇÕES DE JESUS?? Não foi Jesus CRITICADO exatamente por agir de forma 100% OPOSTA a esta ordem?? Não é esta ação, 100% OPOSTA a ação de Jesus?? Estava Jesus representando um papel numa peça teatral ou estava revelando sua personalidade?? Não afirmou Jesus que sua personalidade era exatamente igual à personalidade do Pai?? Não era este o sentimento e o costume dos profetas anteriores a Jesus?? Sim, era. Não era este o sentimento e o costume dos fariseus?? Sim, era. Não estão este sentimento e costume exaltados nos salmos?? Sim, estão. Não era este o sentimento e o costume de toda a “nação santa” até então?? Sim, era. Estes sentimentos e ações não têm por base o ensino dado por Moisés, ensino este que está registrado nas “Escrituras”?? Sim, têm. Ora, um sentimento e uma ação 100% opostos aos de Jesus?? Sim, é isto mesmo. Mudaria Jesus de personalidade, deixando de ser igual ao Pai??

Jesus nasceu como judeu, fazendo parte da “nação santa”. Sua prioridade era a ovelha perdida da casa de Israel. Os mais iníquos receberam prioridade. A “nação santa” era mais iníqua que outras nações?? Deixando bem claro que era isto mesmo, Jesus afirmou: Se estas obras que acabaram de ser realizadas aqui, fossem realizadas em Tiro e Sídon, eles se arrependeriam em saco e cinzas... (Mateus 11:20-21) 20 Principiou então a censurar as cidades nas quais se realizaram a maioria das suas obras poderosas, porque não se arrependeram: 21 Ai de ti, Corazim! Ai de ti, Betsaida! Porque se tivessem ocorrido em Tiro e Sídon as obras poderosas que ocorreram em vós, há muito se teriam arrependido em saco e cinzas....

Para se arrepender a pessoa precisa primeiro ADMITIR para si mesma que está errada. Sem este primeiro passo pessoal e intransferível, não haverá arrependimento. Alguém tem de lhe dizer que ela está cometendo pecados. Aquele que apontou o erro, também trouxe consigo muitas obras poderosas. Por que não admitiram o erro?? Teria sido por pura rebeldia???

No entanto, o que acontece se a pessoa acha que os “pecados” que lhe estão sendo apontados são “obras excelentes”?? Isto indica que está havendo uma inversão de valores, não é verdade??

NÃO É JEOVÁ, O ÚNICO QUE TEM A CAPACIDADE DE DETERMINAR O QUE É PECADO?? Não foi o próprio Jeová quem determinou que PARA O HUMANO, o ato de julgar e condenar é um pecado??

Aquela geração da nação santa era mais iníqua que Sodoma?? Deixando bem claro que era isto mesmo, Jesus afirmou: Se estas obras que acabaram de ser realizadas aqui em Cafarnaum, tivessem sido realizadas em Sodoma, ela teria permanecido até o dia de hoje. (Mateus 11:23) 23 E tu, Cafarnaum, serás por acaso enaltecida ao céu? Até o Hades descerás; porque, se as obras poderosas que ocorreram em ti tivessem ocorrido em Sodoma, ela teria permanecido até o dia de hoje.

Exatamente como as gerações passadas, embora sendo vistos por Jeová como muito iníquos, estes homens excluíam pecadores, para não serem poluídos por tais pecadores. Não queriam se misturar com imundos pecadores.

O que fazer depois de escutar “estas” palavras saídas da boca do próprio Jesus??? Discordar dele e ainda por cima ficar com raiva dele?? Bem, isto reforçaria a afirmação feita, não reforçaria?? Sim, reforçaria. Confirmaria a REBELDIA.

Mostraram ser um povo muito rebelde, gerações e mais gerações de rebeldes, pois, em relação à geração dos dias de Ezequiel, Jeová falou as seguintes palavras: “Se Eu te enviasse a outros povos, eles é que te escutariam, mas a casa de Israel, não vão querer escutar-te”. (Ezequiel 3:4-7) 4 E ele continuou a dizer-me: “Filho do homem, vai, entra no meio da casa de Israel, e tens de falar-lhes com as minhas palavras. 5 Pois não estás sendo enviado a um povo de idioma incompreensível ou de língua pesada, [mas] à casa de Israel, 6 não a numerosos povos de idioma incompreensível ou de língua pesada, cujas palavras não possas ouvir [com entendimento]. SE EU TE TIVESSE ENVIADO A TAIS, SERIAM ELES OS QUE TE ESCUTARIAM. 7 Mas, quanto à casa de Israel, não vão querer escutar-te, pois NÃO QUEREM escutar a mim; porque todos os da casa de Israel são de cabeça dura e de coração duro.

Eles são uma casa rebelde, afirmou o próprio Jeová: (Ezequiel 3:8-9) 8 Eis que fiz a tua face tão dura como as faces deles e a tua testa tão dura como as testas deles. 9 Igual ao diamante, mais dura do que a pederneira fiz a tua testa. Não deves ter medo deles e não deves ficar aterrorizado diante das suas faces, PORQUE SÃO UMA CASA REBELDE.

Falando a Ezequiel, Jeová referiu-se àquela geração do povo escolhido como sendo “A CASA REBELDE”, num total de 14 vezes.

O desassociado é considerado como alguém que é pior do que as pessoas das nações. Às pessoas das nações você pode cumprimentar e conviver, pode até sentar para comer com elas, no entanto, não cumprimente o desassociado.

Agora, depois desta ordem do nosso amado irmão Paulo, o que é realmente o desassociado??

Um amigo?? Ora, claro que não.

Um irmão?? Óbvio que não. Ele é um ex-irmão, pelo simples fato de ter sido um irmão em uma época passada. É afirmado em alto e bom som: “ele não é MAIS nosso irmão”. Ele é alguém que não é mais filho do Pai Celestial. Embora se trate de uma estranha afirmação, no entanto, ela é feita. Como conseguir transformar em verdade tal afirmação?? Ex-irmão?? Ex-filho?? Bem, neste caso ele realmente não era um irmão de verdade, não era um filho do mesmo Pai, ele apenas fazia parte da mesma religião, depois de batizado. Sobre isto, isto é, fazer parte de irmandades, assim falou Jesus à multidão: “Todos vós sois irmãos por serem filhos do mesmo Pai, O Celestial”. (Mateus 23:8-10) 8 Mas vós, não sejais chamados Rabi, pois um só é o vosso instrutor, ao passo que todos vós sois irmãos. 9 Além disso, NÃO CHAMEIS A NINGUÉM NA TERRA DE VOSSO PAI, POIS UM SÓ É O VOSSO PAI, O CELESTIAL. 10 Tampouco sejais chamados ‘líderes’, pois o vosso Líder é um só, o Cristo.

Bem, do ponto de vista de Jesus, ser irmão é ser filho do mesmo Pai, O Celestial. Os discípulos de Jesus SÃO IRMÃOS POR SEREM FILHOS DO PAI CELESTIAL. Não era por fazer parte de determinadas irmandades, chamando um humano qualquer de pai. Não era para afirmar ser filho de Abraão, ser filho de Moisés, ser filho de Davi ou de qualquer outro humano antes ou depois de Jesus.

Um desconhecido?? Não, claro que não. Ele tem de ser conhecido para poder ser desprezado por seus pecados. Ele tem de ser identificado como alguém que foi expulso do grupo. Ele é conhecido por sua imundice. Ele é exposto e acusado perante o grupo, para que o grupo possa sentir desprezo por ele. Ele é um separado e acusado diariamente diante do Pai. Diz-se a respeito deste: Pai, ele não é mais digno de continuar conosco, exatamente por causa da roupa imunda dele; ele não tem nenhum valor. Agora, ele é um vaso próprio para a destruição. Trata-se de uma clássica ACUSAÇÃO. Afirma-se: “Pai, não há ninguém imundo entre nós; estamos mantendo limpa a tua congregação”. Mesmo depois da morte, ele continua a ser acusado.

Um inimigo?? Também não. Pois se ele fosse um inimigo eu teria de amá-lo, eu teria de tratá-lo com amor. Um amor sem hipocrisia, obviamente. O inimigo continua sendo alguém valioso, pois eu tenho de continuar a amá-lo. O mesmo amor que eu sinto por aquele que eu vejo como um irmão? Bem, esta foi a ordem de Jesus. O exemplo dado por Jeová foi bem claro; a palavra falada também foi bem clara: “O dia inteiro Eu fico com minhas mãos estendidas àquele que me trata como inimigo”. Neste caso, eu teria de estender minha mão para ele diariamente, cumprimentá-lo e demonstrar meu amor e não o meu desprezo. Não se despreza a quem se ama. Se eu o amo é porque ele é valioso para mim. Jesus copiava o exemplo do Pai.

Neste caso, ele é pior do que um inimigo. Ele é alguma coisa ainda não definida. Todos apontam o dedo para ele ACUSANDO-O de ser um pecador e de estar no desfavor de Jeová.

Não fale, não responda ao cumprimento dele, não o ajude. Mas, e se por um acaso o desassociado INSISTIR em cumprimentar amigavelmente um membro da nação santa, que não o considera mais como um irmão, o que ocorre?? O que ocorre quando você cumprimenta uma inocente criança, aquela com a qual você brincava?? Pobre criança. Ela é pega pelo braço e empurrada para o lado. Ela está sendo bem ensinada. A reação da nação santa é um aumento no sentimento de desprezo. Decerto, perguntam: Por que este desprezível insiste em me cumprimentar? Despercebendo seu próprio pecado, ele pergunta: Será que ele quer me induzir ao pecado?? Será que ele quer que eu deixe de ser leal a Jesus e a Jeová?? Não posso permitir que ele me induza a deixar de prestar este serviço sagrado a meu Deus, afirmarão. Será que ele quer me aviltar, me contaminar com o seu cumprimento?? Será que ele não percebe que é indigno de se dirigir a mim por ser um aviltado?? Quem insistir em responder ao cumprimento deste pecador também será desassociado. O que isto representa?? Isto significa que o juiz não admite que a sua ordem seja descumprida, pois isto seria uma afronta à sua posição de juiz. O desassociado que insiste em cumprimentar pode ser visto como alguém que não respeita a sua condição de expulso, pode ser visto como um rebelde contra Jeová.

O que faria Jesus em uma situação como esta??

Decerto, Jesus seria desassociado, pois ele TOMARIA A INICIATIVA em cumprimentar, almoçar, jantar com este “pecador” e pousar na casa deste pecador.


Ora, de acordo com a afirmação de Jesus, se ele não é mais visto como um irmão, então o discípulo deveria cumprimentá-lo. Neste caso, Jesus falou e o desassociado que cumprimenta os membros da nação santa, cumpre: (Mateus 5:47-48) 47 E, SE CUMPRIMENTARDES SOMENTE OS VOSSOS IRMÃOS, QUE FAZEIS DE EXTRAORDINÁRIO? Não fazem também a mesma coisa as pessoas das nações? 48 Concordemente, tendes de ser perfeitos, assim como o vosso Pai celestial é perfeito.



Que tal um caloroso abraço?? Ora, se não é admitido responder a um simples “bom dia”, imagine a reação pela tentativa de um “caloroso abraço”!!!!!!!

QUEM SENTE DESPREZO PELO PECADOR NÃO CONSEGUE DAR UM CALOROSO ABRAÇO NO PECADOR.

Teria Jesus esta mesma ATITUDE que é demonstrada hoje por seus discípulos?? Decerto, Jesus também seria desassociado.

Afinal, quem é que está desobedecendo ao Mestre Jesus? Afinal, quem é que está REPUDIANDO tanto as palavras quanto as ações de Jesus?

Toda a nação santa afirmava: Só Deus perdoa pecados. No entanto, “deixar de perdoar” é que era pecado. Não é incrível esta INVERSÃO DE VALORES vivida intensamente pela nação santa que adotou o estatuto “dente por dente”??

Quem sentia DESPREZO pelos incircuncisos?? Quem sentia-se MUITO ACIMA dos incircuncisos?? Quem é que escravizava incircuncisos?? Entrar na casa de um gentio trazia aviltamento. Este era o sentimento do judeu e do levita, sinceros adoradores de Jeová. Assim está registrado: (João 18:28) 28 Conduziram então Jesus de Caifás para o palácio do governador. Já era de manhã cedo. Mas eles mesmos não entraram no palácio do governador, PARA QUE NÃO SE AVILTASSEM, mas pudessem comer a páscoa.

A Tradução Brasileira assim verte: (João 18: 28) 28 Conduziram a Jesus da casa de Caifás para o Pretório. Era de manhã cedo. Eles não entraram no Pretório PARA NÃO SE CONTAMINAREM, mas para poderem comer a páscoa.

Estes adoradores de Jeová sentiam-se muito limpos e não desejavam se contaminarem com os impuros. Realmente, tratava-se de um povo soberbo. O que Jeová via?? Jeová via a soberba dos filhos amados, iníquos filhos com quem Ele CONTINUAVA A MANTER relacionamento.

NÃO FALAR COM O SAMARITANO – uma “obra excelente” ou uma “coisa detestável”??

Obedecia Jesus a este costume do povo adorador de Jeová??

Em relação a este costume, que tipo de comportamento teve Jesus, como fruto de seus sentimentos?? Causando espanto naquela com quem havia iniciado uma conversa, Jesus revelou ser diferente de todos os judeus. Assim foi registrado: (João 4:5-9) 5 Concordemente, veio a uma cidade de Samaria, chamada Sicar, perto do campo que Jacó dera a José, seu filho. 6 De fato, ali se achava a fonte de Jacó. Ora, Jesus, cansado da jornada, estava sentado junto à fonte, assim como estava. Era cerca da sexta hora. 7 Veio uma mulher de Samaria para tirar água. JESUS DISSE-LHE: “DÁ-ME DE BEBER.” 8 (Pois os seus discípulos tinham ido à cidade para comprar comestíveis.) 9 Portanto, a mulher samaritana disse-lhe: “Como é que tu, apesar de SER JUDEU, me pedes de beber, quando eu SOU MULHER SAMARITANA?” (Porque os judeus não têm tratos com os samaritanos.)

A Tradução Brasileira assim verte: (João 4:5-9) 5 Chegou, pois, a uma cidade da Samaria, chamada Sicar, perto das terras que Jacó deu a seu filho José; 6 era ali a fonte de Jacó. Cansado da viagem, estava Jesus assim sentado ao pé da fonte; era cerca da hora sexta. 7 Uma mulher da Samaria veio tirar água. Disse-lhe Jesus: Dá-me de beber. 8 Pois seus discípulos tinham ido à cidade comprar alimentos. 9 Disse-lhe, então, a mulher samaritana: Como, sendo tu judeu, pedes de beber a mim, que sou mulher samaritana? Os judeus não se comunicam com os samaritanos.

O historiador apresentou o motivo do questionamento da mulher samaritana.

Jesus TOMOU A INICIATIVA em falar com alguém que todos os judeus negavam-se a falar, causando a interrogativa daquela com quem Jesus havia iniciado um diálogo. ISTO REVELOU QUE O QUE JESUS ESTAVA FAZENDO ERA ALGO INCOMUM, PELO FATO DELE SER UM JUDEU. Os judeus DESPREZAVAM os samaritanos e por isto não os cumprimentavam. Podemos imaginar um judeu andando em Jerusalém abraçado com um samaritano??

Que espécie de obra estava praticando Jesus ao falar com alguém que todos os judeus desprezavam?? Estava Jesus praticando uma “coisa detestável” ou uma “obra excelente”?? Do ponto de vista de Jeová, Jesus estava praticando uma “obra excelente”.

TRATAVA-SE DE VALORES OPOSTOS?? SIM, TRATAVA-SE DE UMA INVERSÃO DAQUELES VALORES DETERMINADOS POR JEOVÁ.

Está definido o sentimento?? Sim, está. DESPREZO. O desassociado é alguém que é indigno de valor, de receber estima e de receber atenção do verdadeiro adorador de Jeová, exatamente por este estar cheio de pecados. Ele está coberto com roupas imundas. Isto é o que a realidade mostra. Estes são os frutos produzidos pelo DESPREZO. É assim que agem os verdadeiros adoradores de Jeová hoje?? O que os relatos mostram?? O que Jeová, Jesus e os anjos têm visto?? DESPREZO pelos imundos pecadores?? Sim, as ações falam mais alto do que as palavras. Mesmo quando este “expulso” morre, morrendo na condição de “imundo pecador”, não lhe é feito um discurso fúnebre. O que revela tal ação?? Misericórdia ou DESPREZO?? Afirma-se com tal ação: “Pai, este imundo pecador não ofereceu a devida moeda a ser trocada pelo perdão, isto é, o devido arrependimento. Como morto não se arrepende, ele não pode mais pagar a dívida, logo, ele é um caso encerrado. Por isso, nós não lhe damos o nosso perdão. Ele é culpado por sua imundice, pelo seu pecado imundo; ele morreu imundo. Este é o nosso julgamento e nossa condenação eterna para ele e nossos atos em relação a ele confirmam o nosso sentimento e o nosso julgamento”. A acusação continua a ser feita mesmo depois da morte do pecador imundo?? Sim, continua. O ACUSADOR não descansa. O Acusador guarda ressentimento do pecador mesmo depois do pecador ter morrido.

Afinal, não é desprezo por qualquer um. O desprezo é pelo iníquo e ele é realmente iníquo. Desprezar é atribuir de “baixo valor” até “nenhum valor” àquele que é realmente iníquo.

Ele praticou algo contra Jeová?? Sim, praticou. É uma coisa detestável o que ele fez?? Sim, é. O que devo sentir por alguém que comete uma coisa detestável contra Jeová?? Devo ficar do lado de Jeová e contra tal pecador?? Devo odiar intensamente este inimigo de Jeová?? Que sentimento teve Jesus?? Ficou Jesus contra o pecador?? Como ser LEAL a Jeová??

Quando nos sentimos no nosso íntimo (coração) melhores que outros já estamos cometendo o pecado da SOBERBA. Ora, se no íntimo já é pecado, quanto mais o será externar tal sentimento. Pior será se passarmos a humilhar nossos semelhantes na presença ou na ausência deles ou mesmo usarmos palavras de desprezo. (Mateus 5:21-22) 21 "Ouvistes que se disse aos dos tempos antigos: ‘Não deves assassinar; mas quem cometer um assassínio terá de prestar contas ao tribunal de justiça.’ 22 No entanto, digo-vos que todo aquele que continuar furioso com seu irmão terá de prestar contas ao tribunal de justiça; mas, quem se dirigir a seu irmão com uma palavra imprópria de desprezo terá de prestar contas ao Supremo Tribunal; ao passo que quem disser : ‘Tolo desprezível!’, estará sujeito à Geena ardente.

Dirigir uma palavra de desprezo e dizer "tolo desprezível" é mais grave que assassinar, mas a penalidade é a mesmíssima morte. Este é o ponto de vista de Jeová, e Jesus veio nos dizer isto, além de mostrar o que fazer para ser justo.


MENOSPREZADOEsta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss):

menosprezado

adj. (sXIV) que se menosprezou 1 diminuído em valor, qualidade, virtude; depreciado <um artista m.> 2 a quem se dedica sentimento de desprezo, de desconsideração; desestimado, desprezado <a menina m. fugiu de casa> 3 que não foi levado em conta; considerado ou tratado com desdém; desprezado, desdenhado <conselhos m.> etim part. de menosprezar


Trata-se de violência psicológica que pode levar à depressão e a morte.


Qual é o objetivo de suas palavras de desprezo??


O SENTIMENTO precede as palavras e as ações. Primeiro se SENTE desprezo por alguém e somente depois é que o chamamos de desprezível ou tomamos qualquer outra ação contra ele. Qual é o seu objetivo?? Fazer com que a pessoa se sinta menosprezada. Já vimos acima a definição de tal palavra. O que as palavras de Jeová, que foram repetidas por Jesus deixam bem claro?? Que trata-se realmente de uma condenável ação de violência. Segundo Jeová, trata-se de um pecado.

Neste caso, Ser leal a Jeová, só acontecerá quando eu LEVAR EM CONTA o SENTIMENTO de Jeová por aquele que é iníquo. Assim, a coisa principal para mim será: NÃO FERIR O SENTIMENTO DE JEOVÁ.

Antes de tomar uma decisão, eu tenho de me perguntar: Que SENTIMENTO Jeová tem por este pecador?? Que VALOR tem este pecador para Jeová?? Será que para Jeová, este pecador CONTINUA a ter o mesmo valor que tinha antes do pecado?? Será que Jeová CONTINUA amando este pecador com o MESMO AMOR que o amava antes do pecado?? Será que Jeová guardou ressentimento deste pecador que O ofendeu??

QUEM ME DARÁ A VERDADEIRA RESPOSTA PARA ESTAS PERGUNTAS?? Jesus, o ÚNICO que conhece o Pai.

Depois de saber a verdadeira resposta para todas estas perguntas, eu tenho de me perguntar: Que sentimento deseja Jeová que eu sinta agora por este pecador?? Decerto, o Pai quer que eu O acompanhe no sentimento que Ele tem por este pecador. Decerto, O Pai quer que eu veja o pecador com os mesmos olhos que Ele vê. O Pai continua amando o Seu filho pecador, pois o verdadeiro amor nunca acaba.

No entanto, o que se tem observado??

O desassociado é alguém por quem você sente desprezo. Você sente desprezo por aquilo que é repugnante aos seus olhos. Você sente AVERSÃO por aquilo que aos seus olhos é algo repugnante. O que se deseja que aconteça com aquilo que é repugnante?? Um adorador de Jeová, muito querido por todos, assim nos revelou os seus próprios sentimentos: (Salmos 139:21-22) 21 Acaso não ODEIO os que te odeiam intensamente, ó Jeová, E não TENHO AVERSÃO aos que se revoltam contra ti? 22 ODEIO-OS com ódio consumado. Tornaram-se para mim verdadeiros inimigos.

Muitos têm acompanhado este querido adorador de Jeová em seus sentimentos pelos iníquos. Este adorador de Jeová estava apresentando como oferta à Jeová, o que ele ACHAVA SER “suas obras excelentes”, isto é, os seus sentimentos de ódio e aversão pelos iníquos.

Será que este querido adorador de Jeová, levou em conta o sentimento de Jeová pelos que se revoltavam contra Ele, Jeová?? Será que Jeová via tais palavras e ações como “obras excelentes” ou como “coisas detestáveis”??

Você não sente desprezo por aquilo que você ama. Não sente desprezo por aquilo que você admira. Não sente desprezo por aquilo que é valioso para você. Não sente desprezo por algo ou alguém que você sente prazer em estar ao seu lado. Desprezar também é igual a desvalorizar, ou seja, atribuir Baixo valor.

Isto é realmente uma questão de sentimentos?? Sim, é uma questão de sentimentos. Somente um “Altivosente desprezo por um semelhante humano; somente um “Altivovê um semelhante humano como algo repugnante. Você tem de “valer muito maisque a outra pessoa, pelo menos aos teus próprios olhos. O ALTIVO vive em um “mundo de fantasia”, que é todo seu e no qual ele é melhor do que muitos outros pecadores.

PREZAR” E “DESPREZAR” SÃO SENTIMENTOS 100% OPOSTOS.

O DESPREZO – UM SENTIMENTO QUE É FRUTO DA DESVALORIZAÇÃO.

PREZARvejamos a definição desta palavra segundo certo dicionário.

PREZAR v.t. Querer muito. / Ter grande estima por alguém ou alguma coisa. / Ter em alta consideração. / Apreciar. / Desejar. / — V.pr. Respeitar-se; orgulhar-se, honrar-se, ufanar-se.

DESPREZARvejamos a definição desta palavra segundo certo dicionário.

DESPREZAR v.t. Sentir ou manifestar desprezo por alguém: não se deve desprezar ninguém. / Não temer: ele despreza o perigo.

DESPREZOvejamos a definição desta palavra segundo certo dicionário.

DESPREZO s.m. Sentimento pelo qual se julga uma pessoa ou uma coisa indigna de valor, de estima ou de atenção: experimentar desprezo pelo mentiroso. / Sentimento pelo qual nos colocamos acima do temor e do desejo: o desprezo do perigo ou das riquezas. / Palavra ou atitude que inferioriza, que magoa; menosprezo: sentir o desprezo de alguém.

É você quem determina o valor que cada ser humano tem pra você. Pra você, a pessoa pode ter um Alto ou um Baixo valor. Este valor é você quem atribui. No entanto, nunca se pode esquecer qual é o valor que o Pai atribui ao pecador, qualquer pecador de qualquer tipo de pecado. Neste caso, o VALOR dado pelo Pai revela ser o REAL VALOR.

Jeová, Jesus e os anjos têm visto os “imundos pecadores” serem acusados, condenados e separados. Todos os demais humanos também têm visto tal tratamento que o adorador de Jeová tem dado ao “pecador”. Afirma-se: “Eles estão cobertos com roupas imundas, enquanto que nós estamos com roupas limpas. Eles são indignos”. Quem faz isto?? (1 Coríntios 6:11) 11 E, no entanto, isso é o que fostes alguns de vós. Mas vós fostes lavados, MAS VÓS FOSTES SANTIFICADOS, MAS VÓS FOSTES DECLARADOS JUSTOS no nome de nosso Senhor Jesus Cristo e com o espírito de nosso Deus.

Os que se sentem santificados e declarados justos, certamente também sentem DESPREZO (atribuem baixo ou nenhum valor) pelos que ainda não foram santificados e principalmente por aqueles que perderam sua condição de santificados. Assim, os “declarados justos” têm se SEPARADO de tais “imundos pecadores” e os tem ACUSADO desta sujeira perante o Pai. São ACUSADORES destes “imundos pecadores”. Não, não se mostram ser AMIGOS dos “imundos pecadores”. Podem os atuais adoradores de Jeová serem acusados de “AMIGOS dos pecadores”, assim como Jesus o foi?? Claro que não. Já que afirmam ter a Jesus como Modelo, deveriam poder receber o título de “Amigos de pecadores”, igualando-se ao Mestre. No entanto, é mais fácil um camelo passar pelo orifício de uma agulha do que o atual adorador de Jeová tornar-se um “amigo de pecadores”, tal qual as gerações passadas. Enquanto o compositor daquele tão exaltado salmo tinha inimizade pelos pecadores, Jesus revelou ser “amigo de pecadores”. São palavras de Jesus: (Lucas 6:40) 40 O aluno não está acima do seu instrutor, mas, todo aquele que for perfeitamente instruído será SEMELHANTE ao seu instrutor.

Na ordem natural, quem é que estabelece regras, o aluno ou o instrutor?? O aluno de Jesus será SEMELHANTE a Jesus, e não o oposto.

E quanto a Jesus?? Obedeceria Jesus a estas regras estabelecidas DEPOIS de sua morte?? Para obedecer a estas ordens, Jesus teria de mudar de personalidade. Mudaria Jesus de personalidade?? Mudaria Jesus seus SENTIMENTOS pelos imundos pecadores??

Adotaria Jesus o papel de ACUSADOR de pecadores perante o Pai?? “Não farei isto”, falou Jesus. Assim revelou ser Jesus: (João 5:45) 45 NÃO PENSEIS QUE VOS HEI DE ACUSAR PERANTE O PAI; há um que vos acusa, Moisés, em quem depositastes a vossa esperança.

Assim verte a Tradução Brasileira: (João 5:45) 45 Não penseis que eu vos hei de acusar perante o Pai; quem vos acusa é Moisés, no qual confiais.

Segundo Jesus, acusar perante o Pai era uma ação errada. Será que era mesmo. Bem devemos ter fé em Jesus, não é mesmo??

Vejamos de forma adicional o que foi falado na “revelação”:

(Revelação 12:10) 10 E ouvi uma voz alta no céu dizer: “Agora se realizou a salvação, e o poder, e o reino de nosso Deus, e a autoridade do seu Cristo, porque foi lançado para baixo o acusador dos nossos irmãos, o qual os acusa dia e noite perante o nosso Deus!

Assim verte a Tradução Almeida:

(Apocalipse 12:10) 10 Então, ouvi uma grande voz no céu, que dizia: Agora é chegada a salvação, e o poder, e o reino do nosso Deus, e a autoridade do seu Cristo; porque já foi lançado fora o acusador de nossos irmãos, o qual diante do nosso Deus os acusava dia e noite.

Qualquer um que acusar um irmão seu perante o Pai está agindo como um acusador, qualquer um.

Os discípulos de Jesus devem imitar a Jesus e nunca acusar os seus irmãos perante o Pai, não é mesmo??

Abaixo se encontram algumas formas de acusação perante o Pai. Em todas elas, a acusação é de pecado. Em todas estas, alguém está apontando para o pecado de alguém.

Moisés havia se mostrado ser um ACUSADOR de seus próprios irmãos: “há um que vos acusa, Moisés”; foi afirmado por Jesus. Neste é “em quem vós depositastes a vossa esperança”; no qual confiais.

Poderia ser esta uma frase decorada que fazia parte de uma peça teatral?? Até onde iria Jesus nesta posição de DEFENSOR de “imundos pecadores”?? Sob que circunstâncias ele deixaria de ser um DEFENSOR de “imundos pecadores”?? Nem mesmo quando o estavam matando, nem mesmo nesta situação, Jesus adotou a posição de ACUSADOR perante o Pai. Mesmo nesta situação extremamente dolorosa e humilhante, causada por estes “imundos pecadores”, Jesus se manteve como DEFENSOR de “imundos pecadores”. Assim falou Jesus: (Lucas 23:34) 34 [[Mas Jesus estava dizendo: PAI, PERDOA-LHES, POIS NÃO SABEM O QUE ESTÃO FAZENDO.”]] Outrossim, para distribuírem as roupas dele, lançaram sortes.

Mais uma atitude INÉDITA tomada por Jesus, uma atitude 100% oposta à tomada por qualquer um dos antepassados “fiéis”, tidos como heróis e ídolos a serem admirados e copiados. TODA AÇÃO É PRECEDIDA E COMANDADA POR UM SENTIMENTO; ESTA AÇÃO DE JESUS TAMBÉM O FOI. Jesus não era um ator.

É da abundância do coração que a boca fala.

Ser um ACUSADOR não fazia parte da personalidade de Jesus. Ele mostrou isto na prática. Jesus mostrou que aquela frase, não era uma linda frase de efeito. Era uma verdade.

Que sentimento precedeu a esta ação de Jesus?? A lei diz: AME TEU INIMIGO E ORE PELOS QUE VOS PERSEGUEM. Somente o Amor poderia preceder e comandar a esta ação de Jesus. Mesmo sendo espancado e morto por imundos pecadores, Jesus se manteve como DEFENSOR destes que o matavam, continuou AMANDO tanto àqueles que o traíam quanto àqueles que o matavam. Quem eram estes que o matavam?? Estes eram adoradores de Jeová e discípulos de Moisés.

O verdadeiro amor não acaba nunca.

Seus discípulos foram testemunhas destas palavras e ações de Jesus. Pecador é apenas pecador, esteja ele fazendo parte de qualquer grupo, e os sentimentos de Jesus eram os mesmos por pecadores de quaisquer grupos.

Ser um ACUSADOR não deve fazer parte da “personalidade” de um discípulo de Jesus, ou será que deve??

CUMPRIMENTAR IRMÃOS PECADORES OU NÃO CUMPRIMENTÁ-LOS?? O QUE DETERMINA A LEI?? QUAL FOI A ORDEM DE JESUS??

A ordem de humanos alunos de Jesus para outros humanos alunos de Jesus foi a de não cumprimentar, não falar, não sentar para comer com certos tipos de pessoas, ou seja, tratá-los de forma diferenciada. Não trate a todos com o mesmo tratamento. Dê o teu desprezo para este grupo determinado de pessoas. Não trate com desprezo a todos os iníquos; trate com desprezo SOMENTE àqueles que faziam parte do nosso grupo de santos e que depois voltaram ou passaram a ser iníquos.

No entanto, o que o Mestre, o Instrutor destes mesmos humanos já havia falado muito antes destes humanos darem esta ordem de tratamento diferenciado?? Em torno de vinte e dois anos antes, que ordem havia dado o Instrutor a estes mesmos alunos?? Vamos rever as palavras do Instrutor, Instrutor individual tanto daqueles alunos, como nosso: (Mateus 5:43-48) 43 Ouvistes que se disse: ‘Tens de amar o teu próximo e odiar o teu inimigo.’ 44 No entanto, eu vos digo: CONTINUAI A AMAR os vossos inimigos e a orar pelos que vos perseguem; 45 para que MOSTREIS SER FILHOS de vosso Pai, que está nos céus, visto que ele faz o seu sol levantar-se sobre iníquos e sobre bons, e faz chover sobre justos e sobre injustos. 46 Pois, se amardes aos que vos amam, que recompensa tendes? Não fazem também a mesma coisa os cobradores de impostos? 47 E, SE CUMPRIMENTARDES SOMENTE OS VOSSOS IRMÃOS, QUE FAZEIS DE EXTRAORDINÁRIO? não fazem também a mesma coisa as pessoas das nações? 48 CONCORDEMENTE, TENDES DE SER PERFEITOS, ASSIM COMO O VOSSO PAI CELESTIAL É PERFEITO.

Jeová chama àquele que o trata como um inimigo de “tolo, desprezível”?? Jeová “continua furioso” com àquele que o trata como um inimigo??

FOI DITO QUE O AMOR DEVIA ESTAR CONDICIONADO À ATITUDE DA OUTRA PESSOA. NO ENTANTO, ISTO ESTÁ ERRADO.

JESUS ESTAVA ESTABELECENDO OUTRA INVERSÃO DE VALORES.

O que eu pude perceber?? Percebi que meu amor por alguém não pode estar condicionado a este alguém praticar ou deixar de praticar certas coisas, não pode estar condicionado à atitude dele, não pode estar condicionado ao sentimento dele. Independente de seus sentimentos e suas ações, meu amor por ele deverá permanecer inalterado.

Foi dito a vocês que inimigo não era “próximo” e que o inimigo era para ser odiado, no entanto, eu vos digo: o inimigo também é próximo e também é para ser amado. Jesus estava instituindo um costume oposto ao instituído pelos antepassados.

Bastava rotular uma pessoa de inimigo e não se precisava mais amá-la. Ora, isto qualquer um pode fazer. É exatamente assim que toda a humanidade tem se comportado.

A ordem é bastante clara: Continuai a Amar a todos os teus inimigos; não os separe por grupos, não os separe por classes; não os trate de forma diferenciada. Tenha por todos eles o mesmíssimo grau de amor. Um amor continuado, contínuo. Não deixe de amar o teu inimigo em nenhum momento; não deixe de cumprimentá-lo. Depois destas palavras de Jesus, que motivos ainda poderia apresentar um discípulo para deixar de cumprimentar alguém??


DEIXAR DE AMAR O INIMIGO É UM PECADO?? SIM.


Não cumprimentar é uma atitude que se toma contra um amigo ou contra um inimigo?? O amar e o cumprimentar de Jesus INDEPENDIA da ação da outra pessoa. Jesus não devolvia o mesmo sentimento que a outra pessoa já tinha ou que passava a ter em relação a ele. Jesus mostrou ser uma FONTE de amor que não se poluía com o ódio recebido. A quem Jesus copiava?? Jesus copiava o Pai. Ele afirmou: “Eu e o Pai somos um”. Afirmou Jesus adicionalmente: Eu sou um copiador do meu Pai Celestial. (João 5:19) 19 Portanto, em resposta, Jesus prosseguiu a dizer-lhes: “Digo-vos em toda a verdade: O Filho não pode fazer nem uma única coisa de sua própria iniciativa, mas somente o que ele observa o Pai fazer. Porque as coisas que Este faz, estas o Filho faz também da mesma maneira.


Quando foi que Jesus deixou de amar àqueles que o tratavam como um inimigo?? Quando foi que Jesus deixou de cumprimentar fariseus, saduceus, sacerdotes, discípulos dissidentes, apóstolos que negaram conhecê-lo (repudiaram-no) ou quaisquer outros pecadores judeus??

QUANDO foi que Jesus passou a sentir inimizade por aqueles que sentiam inimizade por ele?? QUANDO foi que Jesus passou a sentir inimizade por aqueles que, mesmo afirmando ser “amigos”, tinham praticado contra ele, ações de “inimigos”??

Durante os três anos e meio de CONVIVÊNCIA DIÁRIA, Jesus mostrou a seus apóstolos COMO obedecer a este artigo da lei. Foi-lhes apresentada a teoria e foi-lhes mostrado no dia a dia, o cumprimento da teoria, isto é, a forma prática, o COMO fazer. Jesus os ESCOLHEU e os tinha como ALUNOS.

NUNCA PARE de amar o teu inimigo. Não invente uma desculpa para deixar de amar o teu inimigo.

QUEM É O INIMIGO DE JEOVÁ?? Neste caso, o inimigo de Jeová não é aquele que Jeová não ama. O inimigo de Jeová é aquele que, APESAR DE AMADO por Jeová, pratica contra Jeová, ações de um inimigo, ações que não são praticadas por um “amigo”. Assim, aquele que não leva em conta o REAL SENTIMENTO de Jeová, despercebidamente, pratica ações de inimigo contra Jeová.

Deixou Jeová de falar com a nação apóstata?? Ele afirmou que todo o tempo, tomava a iniciativa em falar com aqueles que o haviam rejeitado e que o ofendiam continuamente. Todo o povo agia como inimigo, isto é, davam a Jeová um tratamento que se dá a um inimigo e que não se dá a um amigo. Apesar da atitude hostil do povo que afirmava amar a Jeová, como continuava Jeová a agir com o povo?? Ele responde: (Isaías 65:1-3) 65 “Deixei-me buscar por aqueles que não perguntaram [por mim]. Deixei-me achar por aqueles que não me tinham procurado. Eu disse: ‘Eis-me aqui, eis-me aqui!a uma nação que não invocava o meu nome. 2 O DIA INTEIRO ESTENDI AS MINHAS MÃOS PARA UM POVO OBSTINADO, os que andam no caminho que não é bom, atrás dos seus pensamentos; 3 o povo [que se compõe] dos que DE CONTÍNUO ME OFENDEM DIRETAMENTE À MINHA FACE, sacrificando nos jardins e fazendo fumaça sacrificial sobre os tijolos,

O Pai NÃO DÁ tratamento diferenciado; o justo e o iníquo recebem Dele as mesmas coisas. Estenda as mãos e cumprimente a todos, tanto àquele que te trata como amigo quanto àquele que te trata como um inimigo. Seja como o Pai. O Pai ama a TODOS os seus inimigos (que O tratam como inimigo) com o mesmíssimo grau de Amor. O Pai não os trata de forma diferenciada. A mesma condição que o Pai dá ao justo, Ele também dá ao iníquo. O Pai ama tanto o justo como o iníquo com o mesmo grau de amor.

Deixar de cumprimentar” é um dos FRUTOS de um sentimento: a INIMIZADE.

Inimizade – Esta é a definição dada por certo dicionário para esta expressão:

INIMIZADE s.f. Sentimento duradouro de hostilidade; ódio, aversão, malquerença.

Você falava com uma pessoa até então, no entanto, você deixou de cumprimentá-la. Deixar de cumprimentar revela um novo sentimento. Afinal, vem logo a pergunta: Porque você deixou de cumprimentar a pessoa “A”?? Trata-se de um novo sentimento teu por “A”?? Trata-se de medo de “B”??

Deixar de cumprimentar é uma “passiva ação” de hostilidade, praticada por quem sente inimizade, contra aquele que é considerado por ele como um inimigo. Não responder ao cumprimento é uma “ativa ação” de hostilidade. Impor através da coação que os demais também não cumprimentem mais a esta pessoa, também é uma “ativa ação” de hostilidade. Impor é uma ação praticada por quem pratica e defende a tirania, obviamente repudiando o livre-arbítrio. Neste caso, não se trata de uma violência física, trata-se de algo pior, trata-se de uma “violência psicológica”. Se você deixa de cumprimentar alguém é porque VOCÊ SENTE “inimizade” por este alguém. Lembra-se do que Jesus falou?? Tendes de fazer ASSIM COMO o Pai celestial tem feito.

Não invente uma desculpa para deixar de cumprimentar o teu inimigo, isto é, aquele que o trata como um inimigo.

INIMIZADEJesus não tinha este SENTIMENTO por nenhum humano, nem mesmo como retribuição, logo, o discípulo de Jesus também não deve ter este SENTIMENTO por nenhum humano. Você não deve sentir inimizade por nenhum humano. São apresentados como fazendo parte da inimizade: o ódio, a aversão e a malquerença. Realmente, Jesus não tinha este sentimento.

Lembre-se: você não deve sentir inimizade (ódio, aversão) por nenhum humano. Se você não cumprimentar àquele que sente inimizade por você, o que fazes de extraordinário?? Não és iguais aos demais?? Os demais também não cumprimentam. Se você não ama àquele que sente inimizade por você, o que fazes de extraordinário?? Não és iguais aos demais?? Os demais também não amam. Os discípulos de Jesus se caracterizam por fazerem estas coisas, coisas que Jesus fazia. JESUS NÃO ERA IGUAL AOS DEMAIS.


No entanto, que “SENTIMENTOS” caracterizavam os discípulos de Moisés?? (Salmos 139:21-22) 21 Acaso não ODEIO os que te odeiam intensamente, ó Jeová, E não TENHO AVERSÃO aos que se revoltam contra ti? 22 ODEIO-OS com ódio consumado. Tornaram-se para mim verdadeiros inimigos. (Salmos 26:5) 5 Tenho ODIADO a congregação dos malfeitores E NÃO ME SENTO COM OS INÍQUOS.


Amar aquele que sente inimizade por você, não é amar a PERSONALIDADE dele, pois a personalidade dele está cheia de sentimentos errados, logo, é uma “PERSONALIDADE DOENTE”. Neste caso você compreende a doença daquela “chama de vida”, e consequentemente não leva em conta as suas ações, por saber que tais ações são frutos de sua doença e também por ter certeza que a doença tem cura. Se você odiar, sentir inimizade, sentir aversão e não se sentar com “iníquos”, a quem você estará obedecendo e imitando?? A Jesus?? Estarei “mostrando ser” filho de quem??

Jesus falou a palavra “filhos”; para que “mostreis ser” filhos. O Pai continua amando a todos os FILHOS, quer se comportem como amigos, quer se comportem como inimigos Dele. Continua providenciando imparcialmente sol, chuva, alimento e ar tanto para os filhos que “se comportam” como amigos, como para os filhos que “se comportam” como inimigos. Não é uma questão de afirmar ser filho, antes é uma questão de mostrar ser filho.

Se mostrará ser “filho”, aquele que fizer a mesma coisa que o Pai faz. A palavra de Jesus foi: “É o Pai celestial aquele a quem você tem de imitar”. Finalmente se poderá afirmar a respeito deste filho: Tal Pai, tal filho.

Não era para imitar Sansão, Davi, Moisés, Isaías, Jó, Noé, João, Paulo, Pedro ou outro humano qualquer; não era para imitar os sentimentos destes servos de Jeová. Era para imitar o Pai; era para imitar os sentimentos do Pai. O único modelo humano a ser imitado é Jesus.

Se eu odiar e desprezar àquele que trata a Jeová como um inimigo, não estarei odiando e desprezando àquele que Jeová ama?? Neste caso, se eu odiar àquele que Jeová ama, não estou tratando a Jeová como inimigo?? Então, faça como Jesus, obedeça a este artigo da lei.


NÃO CONHECER A JEOVÁ

Jesus afirmou: "os homens vos farão tais coisas (expulsar das sinagogas) e vão até mesmo matar alguns de vocês, IMAGINANDO que estão prestando um serviço sagrado a Deus". Podiam imaginar que estavam livrando a humanidade ou seu “grupo de pessoas santificadas e declaradas justas”, da convivência perniciosa com tal pecador imundo. Certamente o Deus Jeová que eles conheciam, se agradava de tais sentimentos e de tais atos contra os imundos pecadores. (João 15:21) 21 Mas, farão todas estas coisas contra vós por causa do meu nome, PORQUE NÃO CONHECEM AQUELE QUE ME ENVIOU. (João 16:2-3) 2 [Os] homens vos expulsarão da sinagoga. De fato, vem a hora em que todo aquele que vos matar imaginará que tem prestado um serviço sagrado a Deus. 3 Mas, farão estas coisas PORQUE NÃO VIERAM A CONHECER NEM O PAI NEM A MIM.

Por matarem os adoradores de ídolos junto ao monte Sinai, o que esperava Moisés receber de Jeová?? Uma bênção?? Sim, eles esperavam receber uma bênção. Ficaria Jeová agradecido aos matadores de pecadores?? (Êxodo 32:28-29) 28 E os filhos de Levi passaram a fazer o que Moisés dissera, de modo que naquele dia caíram do povo cerca de três mil homens. 29 E Moisés prosseguiu, dizendo: “Enchei hoje vossas mãos de poder para Jeová, porque cada um de vós é contra seu próprio filho e contra seu próprio irmão, E PARA QUE ELE VOS CONCEDA HOJE UMA BÊNÇÃO.”

AO APEDREJAREM E MATAREM “PECADORES”, OBEDECENDO AO QUE FOI ESTIPULADO POR MOISÉS E QUE ESTAVA NAS “ESCRITURAS”, SERÁ QUE TODO O POVO DE JEOVÁ ESTAVA REALMENTE AGRADANDO A JEOVÁ??

Estes homens eram adoradores de Jeová e o desejo destes homens era agradar a Jeová. Matar ou excluir imundos pecadores parece agradar a Jeová; na mente destes homens, isto agrada a Jeová. Poderia agradar àquele Jeová existente em suas mentes. Jesus afirmou: Eles farão tais coisas porque NÃO CONHECEM o Pai e não conhecem a mim”.

Jesus mostrou ser igual ao Pai. Ele disse: "Eu e o Pai somos um"; "quem me tem visto, tem visto o Pai." “O mundo não veio a conhecer-te, mas eu vim a conhecer-te”. “Eu sou um copiador do Pai Celestial, pois só faço as coisas que eu vejo o Pai fazer”.

Confirmamos que Jesus realmente mostrou ser um clone espiritual de Jeová, só falando o que o Pai falava e só fazendo o que o Pai fazia.

Jesus mostrou ser AMIGO dos pecadores. Jesus mostrou ser DEFENSOR de “pecadores imundos”. Jesus não matou e não excluiu da sua companhia quaisquer pecadores que praticassem qualquer tipo de pecado. Como o ensino de Jesus era algo totalmente INÉDITO para aquela geração, será que ele era o ÚNICO certo, estando TODOS os demais errados???? Esta mostrou ser a verdade.

Jesus fazia questão de que o pecador soubesse de seus pecados e logo perdoava todo e qualquer pecado. Qual revelava ser o seu objetivo?? Revelando o “imutável” valor do opressor, certamente o OBJETIVO de Jesus era o de “ENDIREITAR O OPRESSOR”. Quando é apontado um erro teu, o que sentes?? Ódio, rancor, revolta contra quem aponta o teu erro?? Negas o teu erro?? Isto seria muito perigoso. Isto é rebeldia.

Parar, pensar, questionar-se, admitir, lamentar, envergonhar-se pelo erro (arrepender-se) e amar àquele que embora lhe aponte o erro, também lhe perdoou o erro. Você não foi capaz de ver o erro por si mesmo, ou foi?? Já que não tiveste esta capacidade, agradeça àquele que lhe mostrou o teu erro. Isto é humildade. Reconheça que o objetivo dele não é te envergonhar, antes é o de te ajudar. A VERGONHA pertence àquele que percebe quão grande é a sua ofensa. Ou será que preferes continuar praticando erros no lugar de sentir a vergonha?? A vergonha é um sentimento. O ORGULHOSO TEM VERDADEIRA REPULSA PELA VERGONHA.

Um discípulo de Jesus que sente e faz diferente de Jesus, está agradando a Jesus?? Na mente deste discípulo, ele está agradando a Jesus. No entanto, Jesus não mudou a sua personalidade. Tal ALUNO imagina que, na verdade, Jesus não era aquilo que MOSTROU SER. Ele acredita que Jesus precisava passar e suportar todas aquelas coisas APENAS para cumprir as profecias, mas que depois da morte e ressurreição, Jesus mostrará sua REAL PERSONALIDADE contra tais “pecadores imundos”. Para tais alunos, Jesus finalmente fará sua “vingança” pelos danos sofridos às mãos de imundos pecadores. Não só esperam como também desejam, pois o sentimento que há no coração destes alunos ainda é o velho sentimento de vingança, acompanhado pelo desejo de destruição do opressor. Estes alunos de Jesus desejam que o iníquo pague até a sua última gota da dívida e que ainda conceda uma compensação por ter ofendido a ele ou a seus queridos.

Será que estes alunos mostram ser clones espirituais de Jesus??

Guardaria Jesus um RESSENTIMENTO pelo tratamento recebido dos iníquos humanos?? Se guardasse qualquer ressentimento não estaria ele afrontando a lei dada por Jeová?? O que Jeová havia dado como um dos estatutos da Sua Lei para Moisés?? (Levítico 19:18) 18 “‘Não deves tomar vingança nem ter ressentimento contra os filhos do teu povo; e tens de amar o teu próximo como a ti mesmo. Eu sou Jeová.

Guardaria Jeová um ressentimento de qualquer humano que cometer qualquer tipo de pecado?? O que Jesus afirmou?? Jesus afirmou: “Todos os pecados de todos os homens serão perdoados pelo Pai”. (Marcos 3:28) 28 Deveras, eu vos digo que TODAS AS COISAS SERÃO PERDOADAS AOS FILHOS DOS HOMENS, não importa que pecados e blasfêmias cometam blasfemamente. (Mateus 12:31) 31 Por esta razão, eu vos digo: TODA SORTE DE PECADO E BLASFÊMIA SERÁ PERDOADA AOS HOMENS, mas a blasfêmia contra o espírito não será perdoada.

Todos os pecados, pecados de toda sorte e quantidade, não importa o tipo de pecado ou o tipo de blasfêmia CONTRA JEOVÁ E CONTRA JESUS serão perdoados aos homens.

Logo, o que acontecerá com aquela geração iníqua e rebelde que ao final julgou e matou Jesus?? O próprio Jesus afirmou: (Mateus 12:41-42) 41 Homens de Nínive SE LEVANTARÃO NO JULGAMENTO COM ESTA GERAÇÃO e a condenarão; porque eles se arrependeram com o que Jonas pregou, mas, eis que algo maior do que Jonas está aqui. 42 A rainha do sul SERÁ LEVANTADA NO JULGAMENTO COM ESTA GERAÇÃO e a condenará; porque ela veio dos confins da terra para ouvir a sabedoria de Salomão, mas, eis que algo maior do que Salomão está aqui.

A Tradução Brasileira assim verte: (Mateus 12: 41-42) 41 Os ninivitas se levantarão no juízo juntamente COM ESTA GERAÇÃO, e a condenarão, porque se arrependeram com a pregação de Jonas; e aqui está quem é maior do que Jonas.
42 A rainha do sul
se levantará no juízo juntamente COM ESTA GERAÇÃO, e a condenará, porque veio dos confins da terra para ouvir a sabedoria de Salomão; e aqui está quem é maior do que Salomão.

Eles serão levantados, eles serão ressuscitados. Afinal, todos os pecados não lhes foram perdoados por Jeová e por Jesus?? A ressurreição daquela geração iníqua, junto com outros homens iníquos REVELARÁ CLARAMENTE QUE JEOVÁ PERDOOU TODOS OS PECADOS e todas as blasfêmias de todos os humanos. Por que o Pai faria isto?? Em face do Alto Valor que cada humano tem para Ele.

O VERDADEIRO AMOR NUNCA ACABA.

O DESASSOCIADO É UM FILHO PRÓDIGO QUE O PAI NUNCA DEIXOU DE AMAR.



SE O PAI VAI PERDOAR O ADÚLTERO, O IDÓLATRA, O GANANCIOSO, O EXTORSOR, O BLASFEMADOR, O APÓSTATA E A TODOS OS DEMAIS PECADORES, ENTÃO PORQUE VOCÊ ESTÁ CONDENANDO ESTES A QUEM JEOVÁ VAI PERDOAR???

Embora o irmão que está na casa do Pai possa ver o seu irmão que, usando o livre-arbítrio, foi embora para a vida devassa, como um ex-irmão, como um caso encerrado, como não mais fazendo parte da família, ele despercebe o SENTIMENTO do Pai em relação ao seu irmão que foi embora. O amor do Pai pelo filho que está longe PERMANECE INALTERADO. O Pai revela sua grande alegria ao ver de longe aquele filho iníquo e corre em direção a ele. NÃO HAVIA QUALQUER RESSENTIMENTO NO PAI. O irmão que está na casa não faria isto. Esta é uma questão de atribuição de valor. Para o irmão que ficou na casa, seu iníquo irmão passou a ter um Baixo valor, logo, ele também passou a ter uma baixa estima por seu iníquo irmão. Por ter ficado na casa, certamente ele atribuía a si mesmo um Alto valor em relação a seu iníquo irmão. Fazer uma festa para a volta do iníquo?? Para ele isto era um absurdo e uma afronta a ele. Tendo ficado na casa e repleto de boas ações, por que não fui festejado?? O irmão que ficou na casa, via injustiça nesta ação do Pai. No entanto, o que a reação do Pai revelou?? Jesus nos chama para o raciocínio. Através desta ilustração ele nos faz ver qual é o valor que o Pai CONTINUA a atribuir a seu filho, mesmo quando ele está longe, na vida devassa. O Pai CONTINUAVA a atribuir um Alto valor e CONTINUAVA a ter uma Alta estima por seu iníquo filho. O Pai revelou seu sentimento, por dizer: “Ele estava morto e agora está vivo”. O Pai chama a todos para participar da Sua Alegria. Esta ilustração rica em detalhes, nos revelam os sentimentos de cada personagem: (Lucas 15:20-32) 20 Levantou-se assim e foi ter com seu pai. ENQUANTO AINDA ESTAVA LONGE, seu pai o avistou e teve pena, E CORREU e lançou-se-lhe ao pescoço E O BEIJOU ternamente. 21 O filho disse-lhe então: ‘Pai, pequei contra o céu e contra ti. Não sou mais digno de ser chamado teu filho. Faze de mim um dos teus empregados.’ 22 Mas o pai disse aos seus escravos: ‘Ligeiro! Trazei uma veste comprida, a melhor, vesti-o com ela, e ponde-lhe um anel na mão e sandálias nos pés. 23 E trazei o novilho cevado e abatei-o, e comamos e alegremo-nos, 24 porque este meu filho estava morto, e voltou a viver; estava perdido, mas foi achado.E principiaram a regalar-se. 25 Ora, o filho mais velho dele estava no campo; e quando chegou e se aproximou da casa, ouviu um concerto de música e dança. 26 De modo que chamou a si um dos servos e indagou o significado destas coisas. 27 Este lhe disse: ‘Chegou teu irmão, e teu pai abateu o novilho cevado, porque o recebeu de volta em boa saúde.’ 28 MAS ELE FICOU FURIOSO e não quis entrar. Saiu então seu pai e começou a suplicar-lhe. 29 Em resposta, ele disse ao seu pai: ‘Eis que trabalhei tantos anos como escravo para ti, e nunca, nem uma única vez, transgredi o teu mandamento, contudo, nunca, nem uma única vez, me deste um cabritinho para alegrar-me com os meus amigos. 30 Mas, assim que chegou este teu filho, que consumiu com as meretrizes o teu meio de vida, abates para ele o novilho cevado.’ 31 Disse-lhe então: ‘Filho, tu sempre estiveste comigo e todas as minhas coisas são tuas; 32 mas nós simplesmente tivemos de nos regalar e alegrar, porque este teu irmão estava morto, e voltou a viver, e estava perdido, mas foi achado.’”

Se o pai não estivesse em casa, que recepção daria o ALTIVO irmão mais velho a este que consumiu com as meretrizes o meio de vida do pai?? Que tratamento receberia o ERRANTE irmão mais jovem?? O tratamento recebido seria FRUTO do sentimento que o ALTIVO irmão mais velho já nutria por seu INÍQUO irmão mais jovem. Será que seria uma festa?? Será que permitiria que seu iníquo irmão, pelo menos, entrasse na casa??

Que sentimento tem Jeová pelo desassociado?? Jeová AMA o desassociado mesmo quando este está longe. Certamente dará uma festa. E mais uma vez, aquele ALTIVO irmão mais velho, por não amar seu irmão, ficará furioso.

Os discípulos de Jesus que hoje revelam seu sentimento de DESPREZO pelos pecadores através de suas palavras e suas ações contra tais pecadores imundos, também serão perdoados por Jesus, para a sua futura vergonha e humilhação.

Outro detalhe adicional.

A organização de Jeová é constituída exclusivamente de súditos do Reino de Deus, logo, trata-se do reino de Deus aqui na terra. Este é o tratamento dado no reino de Deus para os “pecadores imundos”?? Certos tipos de pecadores têm recebido tal tratamento, principalmente os que já são súditos.

Apesar de todas as religiões cristãs afirmarem fazer parte do “reino de Deus”, não são estes súditos que têm a Jesus como seu rei e se intitulam os “únicos súditos do reino de Deus”, os “verdadeiros súditos do reino de Deus”, os “verdadeiros discípulos de Jesus”?? Sim, são. Não acusam as demais de serem falsas e condenadas a “morte eterna” em face da falsidade?? Sim, acusam. Neste caso, trata-se do SENTIMENTO e do TRATAMENTO que é dado aos súditos que se tornam “pecadores imundos”, já dentro do reino de Deus, que eles mesmos afirmam ser. “Retirem estes pecadores imundos de dentro do reino de Deus, um Deus Santo, pois aqui não é lugar para pecadores imundos”; este é o sentimento que resulta em ações. Retirem a maçã podre do meio das maçãs boas. “Muito cuidado com suas roupas limpas; eles podem sujar nossos trajes de linho resplandecente e branco”. Tais palavras e ações são frutos do real sentimento que os atuais alunos de Jesus têm pelos “imundos pecadores”.

O sentimento de superioridade é muito perigoso. Não podemos deixar de perceber os seus terríveis frutos.

VÓS HUMANOS, TODOS VÓS SOIS OVELHAS. VÓS SOIS AS MINHAS OVELHAS. INDEPENDENTE DO COMPORTAMENTO QUE VOCÊS MOSTRARAM ATÉ AGORA, VOCÊS SÃO OVELHAS, MINHAS OVELHAS. (Ezequiel 34:31) 31 “‘E no que se refere a vós, minhas ovelhas, ovelhas do meu pasto, vós sois homens terrenos. Eu sou vosso Deus’, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová.”

Que comportamento tiveram as ovelhas umas com as outras?? Bem, estas ovelhas depois de comerem no pasto, passavam a pisotear o resto do pasto para as outras não comerem; depois de beberem água, pisoteavam o lugar para que a água ficasse suja. Como pode uma ovelha ter este comportamento contra outra ovelha?? Bem, Jeová via tal comportamento, mas continuava a chamar tais ovelhas agressivas e violentas de minhas ovelhas. (Ezequiel 34:17-19) 17 “‘E quanto a vós, minhas ovelhas, assim disse o Soberano Senhor Jeová: “Eis que julgo entre ovídeo e ovídeo, entre os carneiros e os cabritos. 18 É algo de somenos importância para vós apascentardes a vós mesmos no melhor dos pastos, mas pisardes o resto dos vossos pastos com os vossos pés, e beberdes água pura, mas sujardes a que sobra, batendo com os vossos próprios pés? 19 E quanto às minhas ovelhas, devem elas pastar no pasto pisado pelos vossos pés e devem elas beber a água tornada suja pelo bater de vossos pés?”

Como pode uma ovelha agir assim contra suas iguais?? Como pode uma ovelha agir assim?? Que sentimento levava estas ovelhas a agir desta forma?? Seria o amor ao próximo como a si mesmo?? Uma ovelha que age assim contra sua irmã pode afirmar que a ama?? Poder pode, mas trata-se de uma mentira comprovada.

Muito embora estas ovelhas agressivas encontrassem razões e mais razões para agirem assim contra suas irmãs, que sentimento mantinha Jeová pelas ovelhas vitimadas?? Ele afirma qual será a Sua ação: (Ezequiel 34:20-24) 20 “‘Portanto, assim lhes disse o Soberano Senhor Jeová: “Eis aqui estou, eu mesmo, e hei de julgar entre o ovídeo gordo e o ovídeo magro, 21 visto que continuastes a empurrar com o lado e com o ombro, e visto que continuastes a marrar com os vossos chifres a todas as adoentadas até que as tínheis espalhado para fora. 22 E EU VOU SALVAR AS MINHAS OVELHAS e elas não mais se tornarão algo a ser saqueado; e vou julgar entre ovídeo e ovídeo. 23 E vou suscitar sobre elas um só pastor e ele terá de apascentá-las, sim, meu servo Davi. Ele mesmo as apascentará e ele mesmo se tornará seu pastor. 24 E eu mesmo, Jeová, me tornarei seu Deus, e meu servo Davi, maioral no meio delas. Eu, Jeová, é que falei.

As ovelhas agressiva achavam motivos válidos para expulsar do rebanho as ovelhas adoentadas, no entanto, elas despercebiam o sentimento do Pai por estas ovelhas adoentadas.

Será que o rei concorda com este SENTIMENTO e com este TRATAMENTO dispensado aos súditos pecadores??

Ele dará a sua resposta no tempo devido. Até lá, continuaremos observando como agem os súditos do reino de Deus contra os “pecadores imundos”. Embora testemunhemos estes fatos, NUNCA poderemos nos tornar “acusadores” destes “justos” súditos. Tampouco deveremos ter o desejo de “destruição” para quaisquer pecadores, nem mesmo para aqueles que nos matam. Assim como Jesus, não devo sentir INIMIZADE por ninguém e nem mesmo retribuir INIMIZADE àquele que sente INIMIZADE por mim. Não fomos projetados para sermos “destruidores”; então vamos agir como “recuperadores”, vamos “pensar” os opressores. O primeiro “opressor” a quem devo pensar, sou eu mesmo.

Uma das ordens dada por Jeová aos israelitas e que não foi obedecida por eles, é esta: (Levítico 19:18) 18 “‘Não deves tomar vingança nem ter ressentimento contra os filhos do teu povo; e tens de amar o teu próximo como a ti mesmo. Eu sou Jeová.

A VINGANÇA E O RESSENTIMENTO ESTÃO DIRETAMENTE RELACIONADOS COM O AMOR. REVELARÁ AUSÊNCIA DE AMOR.

Não tenha tais sentimentos pelo teu próximo; tenha amor pelo teu próximo. Realmente, para obedecer a esta ordem de Jeová, ou seja, para não praticar a vingança nem ter ressentimento, o humano precisa amar ao próximo como a si mesmo. Passando a dar real valor à sua “chama de vida”, certamente valorizará as demais “chamas de vida”, independente do seu estado.

Dentro do reino de Deus, se formos os ofendidos, estamos proibidos de ter ressentimento pelo ofensor, assim como também de tomar vingança contra ele. Como dentro do reino de Deus, desejar a vingança é o mesmo que se vingar, também NÃO DESEJAREMOS a vingança. Durante centenas de anos, os discípulos de Moisés desobedeceram a esta ordem do Pai, obedecendo a ordem dada por Moisés de “dente por dente e olho por olho”. Logo, seus corações permaneceram cheios deste sentimentos, cheios de inimizade, cheios de ressentimento e de vingança. Desta forma, em lugar de serem uma PROTEÇÃO para a “chama de vida”, mostraram ser uma CONSTANTE AMEAÇA para a “chama da vida”.

Dentro do reino também não se pode julgar, não se pode condenar ninguém, pois ao súdito cabe apenas PERDOAR toda e qualquer ofensa praticada contra ele. Se a ofensa foi praticada contra o Pai, o súdito não se intromete, pois ele sabe que o Rei também perdoará o ofensor.

Dentro do reino só deve ser praticada a lei do amor, logo, não haverá vingança e nem ressentimento.

Assim, o desejo de vingança, a inimizade, o desprezo e a condenação não poderão existir no coração do súdito.

O sentimento de DESPREZO é um sentimento iníquo?? Bem, vamos rever as palavras de Jeová retransmitidas por Jesus no Sermão do Monte. Assim está registrado: (Mateus 5:21-22) 21 Ouvistes que se disse aos dos tempos antigos: ‘Não deves assassinar; mas quem cometer um assassínio terá de prestar contas ao tribunal de justiça.’ 22 NO ENTANTO, DIGO-VOS que todo aquele que continuar furioso com seu irmão terá de prestar contas ao tribunal de justiça; mas, quem se dirigir a seu irmão com uma palavra imprópria de desprezo terá de prestar contas ao Supremo Tribunal; ao passo que quem disser: ‘Tolo desprezível!’, estará sujeito à Geena ardente.

A Tradução Brasileira assim verte: (Mateus 5:21-22) 21 Tendes ouvido que foi dito aos antigos: Não matarás; e: Quem matar, estará sujeito a julgamento. 22 Mas eu vos digo que todo aquele que se ira contra seu irmão, estará sujeito a julgamento; e quem chamar a seu irmão: Raca, estará sujeito ao julgamento do sinédrio; e quem lhe chamar: Tolo, estará sujeito à geena de fogo.

RacaAssim define certo dicionário (Houaiss) esta expressão:

raca Datação: sXIV

n adjetivo de dois gêneros e substantivo de dois gêneros

Uso: pejorativo.

diz-se de ou pessoa sem importância, insignificante, idiota



Pessoa sem importância, insignificante, sem valor.

Chamar de Raca ou chamar de Tolo é DIMINUIR o seu irmão; é expressar o valor que ele está dando a seu irmão. Decerto, é sentir-se superior a seu irmão. Também é passar a humilhar seu irmão, causando-lhe um sofrimento.

Embora não seja uma violência física, trata-se de algo bem pior, trata-se da violência psicológica. Trata-se da agressão emocional.

Continuar furioso é um sentimento, um sentimento iníquo, que Jeová classifica como pecado. Como é da abundância do coração que a boca fala, se dirigir a seu irmão com uma palavra de desprezo, revela que o coração de quem fala está abundante de desprezo, e Jeová também classifica como pecado. Outro fruto do desprezo é afirmar que seu irmão é tolo desprezível, o que Jeová também classifica como pecado. Apenas ter o sentimento, expressar sua opinião para terceiros ou falar diretamente ao pecador uma palavra de desprezo, revelam ser pecados com o mesmo peso para Jeová. Assim, não resta qualquer dúvida: desprezo é um sentimento iníquo que GERA palavras e ações iníquas”.

Estes súditos que desprezam pecadores, sentem-se superiores, sentem-se melhores ou mais justos que todos os demais humanos vivos?? “A única organização abençoada por Jeová”, afirmam. “E Jeová só abençoa os justos, Jeová não abençoa os iníquos”, afirmam. “A única organização que só ensina a verdade”, afirmam. “A única organização aprovada por Jeová”, afirmam. “A única organização da qual Jeová tira pessoas justas para instruir, ou usar de acordo com o Seu propósito”, afirmam. “Os demais serão destruídos eternamente”, afirmam os “DESTRUIDORES”. Dentro da organização de Jeová, não se tolera a existência de “imundos pecadores”, afirmam. Todas estas afirmações só foram feitas depois da morte do Mestre, Jesus. Bem, todas estas afirmações também eram feitas pelos sacerdotes, profetas, levitas, reis e por todo o povo escolhido por Jeová, antes do nascimento de Jesus. Sentindo-se melhores que os iníquos, melhores que os incircuncisos, estes humanos revelavam ter outro sentimento: a soberba, a altivez, cometendo tanto a violência física como a agressão emocional contra os “iníquos”.

Jesus afirmou: “Eu só escolhi pecadores”. “Eu só escolhi aqueles pecadores desprezados”. Os escolhidos (ovelhas) por Jesus para serem seus discípulos eram exatamente aqueles desprezados como “pecadores imundos” pelos sacerdotes e pelos fariseus, os que se consideravam superiores a todos os “pecadores imundos”. Os escolhidos eram os “desassociados” pelos sacerdotes e fariseus. Esta acusação de “pecadores imundos” feita às ovelhas escolhidas por Jesus, era mentirosa?? Não, não era. Os escolhidos estavam cobertos com “vestes imundas”. No entanto, o que o Instrutor falou para aqueles alunos que acusavam os imundos pecadores?? Lembra-se do que o Instrutor falou?? Ide aprender o que significa: misericórdia quero. Os alunos que acusavam outros alunos careciam do sentimento de Misericórdia. Quem sentir misericórdia pelo enfermo (imundo pecador), jamais vai acusar o enfermo (imundo pecador) desejando morte para o enfermo.

Depois da morte de Jesus foi dito a tais alunos: Vocês não são mais imundos. “No entanto, vós fostes santificados, vós fostes declarados justos no nome do nosso Senhor Jesus Cristo e com o espírito do nosso Deus”. Ao ouvirem tais afirmações, “estes” se elevam acima de todos os demais pecadores. Não são mais “mundanos”. Passaram a ser a nova “nação santa”. Passaram assim a não ser mais como o “resto dos homens”?? Os que até então eram “os inferiores”, passaram agora a ser “os superiores”?? Os “novos superiores” (justos) deviam ter os mesmos sentimentos dos “antigos superiores” (justos)?? Os “novos superiores” (justos) deveriam agir como agiam os “antigos superiores” (justos)?? A nova “nação santa” devia ter os mesmos sentimentos da antiga “nação santa”??

Os que eram desprezados por não conhecerem a lei de Moisés obedecida pelos sacerdotes, pelos fariseus e pelos judeus em geral, passaram a partir de agora a ser aqueles que desprezavam outros pecadores?? Passaram agora a ESTAR POR CIMA dos demais pecadores??

Vós sois santos; Nós julgaremos anjos. Como?? Nós julgaremos anjos?? Ficaremos acima dos anjos??? (1 Coríntios 6:1-3) 6 Atreve-se alguém de vós, que tenha uma causa contra outro, ir a juízo perante os injustos, e não PERANTE OS SANTOS? 2 Ou não sabeis que os SANTOS julgarão o mundo? E, se o mundo há de ser julgado POR VÓS, sois vós inaptos para julgar assuntos muito triviais? 3 Não sabeis que HAVEMOS de julgar anjos? Por que, então, não assuntos desta vida?

Fornecendo o exemplo de Mestre para seus discípulos, Jesus negou-se a julgar assuntos desta vida, muito embora tivesse toda a real “CAPACIDADE”: (Lucas 12:13-14) 13 Disse-lhe então um dos da multidão: “Instrutor, dize a meu irmão que divida comigo a herança.” 14 Ele lhe disse: “Homem, quem me designou juiz ou partidor sobre vós?

Um discípulo pode ser um discípulo fazendo exatamente o OPOSTO de seu Mestre?? Julgar assuntos desta vida; julgar irmãos??

Estes alunos se mostram ser clones espirituais de Jesus??



O que tem de acontecer antes de acontecer a exclusão??

Primeiro tem de existir um pecado.

E depois do pecado, o que ocorre??

Ocorre a indignação de pessoas em volta.

As indignadas pessoas em volta decidem resolver aquele problema.

Alguém tem de fazer alguma coisa. Isto é o que dizem.

O que fazem tais pessoas??

Colocam-se na posição de juiz e julgam aquela pessoa.

Como julgam??

Aquela pessoa deixa de ser aquele próximo amado até aquele instante. O relacionamento com aquela pessoa muda, logo, não será o mesmo praticado até aquele instante. Se davam a vida por aquele “irmão”, a partir daquele instante, não darão mais a vida por aquele humano, prestes a ser rotulado de ex-irmão.

Os que se colocam na posição de juiz definem uma decisão judicial em relação àquele pecador, ou seja, estabelecem o que vão fazer com aquele pecador.

Neste caso, o pecador fica nas mãos daqueles que se colocaram como juízes, ou seja, que vestiram uma roupa de juiz.



Será que o Pai Jeová/Javé faz a mesma coisa??

Será que o Pai Jeová/Javé se comporta como Juiz para aquele que comete pecado???



O que nos informou Jesus, aquele que veio estabelecer a verdade em relação às palavras e as ações do Pai Jeová??

Ele nos informou:

(João 5:22) 22 Porque o Pai não julga a ninguém, mas tem confiado todo o julgamento ao Filho,



Assim verte a Tradução Brasileira:

(João 5:22) 22 O Pai a ninguém julga, mas tem dado todo o julgamento ao Filho,



Será que Jesus julgaria um pecador??

Será que Jesus determinaria uma sentença a ser aplicada a um pecador???



Eu só faço aquilo que o meu Pai faz – esta foi a afirmação de Jesus.

Se o Pai não julga o pecador, então, eu como filho também não julgo.

Jesus mostra ser um clone espiritual do Pai, pois se o Pai não julga a ninguém, ele como clone espiritual faz a mesma coisa que o Pai faz e não faz aquilo que o Pai não faz.

Se meu Pai não se coloca como Juiz para o pecador, então, eu também não me coloco como juiz para nenhum pecador......

(João 5:19) 19 Portanto, em resposta, Jesus prosseguiu a dizer-lhes: “Digo-vos em toda a verdade: O Filho não pode fazer nem uma única coisa de sua própria iniciativa, mas somente o que ele observa o Pai fazer. Porque as coisas que Este faz, estas o Filho faz também da mesma maneira.



Assim verte a Tradução Brasileira:

(João 5:19) 19 Jesus, pois, lhes disse: Em verdade, em verdade vos digo que o Filho nada pode fazer de si mesmo, senão o que vir o Pai fazer; porque tudo o que ele fizer, o faz também semelhantemente o Filho.



Neste caso, como deveriam se comportar os discípulos de Jesus em relação àquele que cometeu um pecado??

Deveriam se comportar ASSIM COMO Jesus se comportou....

Sendo clones espirituais de Jesus, certamente se comportariam igual a Jesus. Não deve haver diferença entre Jesus e um clone espiritual de Jesus.

Não deveriam se comportar de maneira diferente de Jesus.

Deveriam perguntar: o que faria Jesus em uma ocasião como esta?? Que decisão tomaria Jesus em tal circunstância.....



Os discípulos de Jesus passaram a julgar discípulos de Jesus. Julgar irmãos?? Sim, passaram a julgar irmãos. Ora, já que julgariam até mesmo os anjos, por que não julgar os assuntos desta vida??? Alguns anos depois desta ordem de Paulo, o nosso amado irmão Tiago, estando em sintonia com o Mestre, assim pergunta àqueles discípulos de Jesus que afrontando a lei, agiam como juízes: Quem vos designou juízes?? Não devíeis ser cumpridores da lei?? Quem vos designou legisladores para criar uma nova lei?? Quem és tu para julgares teu irmão?? Quem te elevou à condição de juiz?? (Tiago 4:11-12) 11 Cessai de falar uns contra os outros, irmãos. Quem falar contra um irmão ou julgar seu irmão fala contra a lei e julga a lei. Ora, se tu julgas a lei, não és cumpridor da lei, mas juiz. 12 HÁ UM QUE É LEGISLADOR E JUIZ, aquele que é capaz de salvar e de destruir. Mas tu, quem és tu para julgares o [teu] próximo?


Jeová é aquele que cria as leis; Ele é o Legislador. Trata-se de uma prerrogativa exclusiva Dele. Será que eu aceito isto?? Trata-se de algo pessoal.

O que responderia o nosso amado irmão Paulo a esta pergunta bem pessoal feita pelo nosso também amado irmão Tiago??

Esta pergunta é pessoal e está dirigida a todo aquele que adotou a Jesus como seu Mestre, Modelo, Líder e Senhor.

Para nosso amado irmão Tiago, havia uma lei, lei esta que ele obedecia, lei esta que deveria ser obedecida por todos os discípulos de Jesus. Ele foi testemunha do fato de que Jesus havia obedecido a esta lei que ele estava obedecendo. Afinal, quem é que estava debaixo desta lei?? Afinal, quem é que tinha de obedecer a esta lei?? Para nosso amado irmão Tiago, estava sendo feita uma violência contra a lei saída da boca de Jesus. Para nosso amado irmão Tiago, alguém estava estabelecendo uma outra “diretriz”, uma outra norma de comportamento e um novo costume. Cessai de julgar teu irmão, foi o falado por Tiago para os discípulos de Jesus. Da boca de Jesus havia saído a ordem que faz parte da lei: “Pare de julgar; pare de condenar”. Qualquer um dos apóstolos ou outro aluno de Jesus que continuasse a julgar e condenar pecadores estava desobedecendo a ordem saída da boca do próprio Jesus, estava desobedecendo a lei criada por Jeová. Julgar e matar pecadores foi uma ordem dada por Moisés, muito embora a lei dada por Jeová para Moisés já proibisse o homem de julgar, condenar e matar outro humano, independente do pecado praticado por este humano.

Para nosso amado irmão Tiago só há um único LEGISLADOR e um único JUIZ, que obviamente é Jeová, aquele que tem o poder de salvar e de destruir. O Pai é o único que tem o direito de legislar, julgar e punir seus filhos. É prerrogativa EXCLUSIVA do Pai legislar, julgar e trazer punição sobre seu filho. Filho não tem nenhum destes direitos. Os filhos estão PROIBIDOS de legislar, PROIBIDOS de julgar e PROIBIDOS de punir seus irmãos. Assim como comer da árvore que estava no meio do jardim era uma PROIBIÇÃO para Adão, “julgar e condenar”, também é uma PROIBIÇÃO para qualquer descendente de Adão e principalmente para o discípulo de Jesus. Ao filho cabe simplesmente obedecer ao Pai. Será que nosso amado irmão Tiago estava errado?? Não estava ele falando da lei dada por Jeová para Jesus e retransmitida por Jesus para eles?? Afinal, segundo a lei anterior, falada e escrita por Moisés, humanos estavam AUTORIZADOS a julgar e executar outros humanos. No entanto, segundo a nova lei, lei que saiu da boca de Jesus, os discípulos de Jesus estavam PROIBIDOS de julgar. Julgar e condenar qualquer humano seria afrontar a nova lei. Ora, se o Pai não julga a ninguém, como poderia um pecador julgar outro pecador?? Já havendo uma lei que proibia julgar, lei esta que foi obedecida por Jesus, MANDAR irmãos julgarem “irmãos pecadores” é criar outra lei, é tornar-se um legislador. Que espécie de exemplo havia fornecido o Mestre, aquele que recebeu a “lei” diretamente do Legislador??? Assim, aquele que aceitasse o papel de juiz, julgasse e executasse outros humanos, além de afrontar a nova lei, revelava estar seguindo a que Mestre?? “Parai de julgar” e “parai de condenar” são ordens que revelam a vontade do Pai. Quem é este que se atreve a desconsiderar e afrontar a VONTADE do Pai?? Será que é o mesmo que diz ao Pai: “Seja feita a Tua vontade na terra como nos céus”??

A PERGUNTA CONTINUA DE PÉ: Mas tu, QUEM ÉS TU para julgares teu próximo?

O que é uma “Comissão judicativa”??? O termo judicativo é assim descrito por certo dicionário:

judicativo
[De judicar + -tivo.]
Adjetivo.
1.Judicante.
2.Que tem a faculdade de julgar.
3.Que sentencia.



A “comissão judicativa” estabelece uma sentença; ela sentencia um pecador. Somente juízes podem formar uma comissão judicativa.

A decisão da “comissão judicativa” tem de ser obedecida na terra inteira.

Aquele que se torna JUIZ em uma COMISSÃO JUDICATIVA” deve responder a esta pergunta de nosso irmão Tiago. Não se assenta ele em uma cadeira de JUIZ?? A “decisão judicial” estabelecida ali em relação àquele pecador, não tem de ser obedecida na terra inteira?? Neste caso, ele se coloca acima de todos os demais e formula uma decisão judicial” que tem de ser obedecida por todos os que estão abaixo dele. Aqueles que desobedecem a palavra do JUIZ também são julgados e desassociados. Como poderão negar que agem quais JUÍZES?? Como poderão negar que EXIGEM que suas “DECISÕES JUDICIAISsejam obedecidas??

Depois disto, como afirmar que aqueles que os desobedecem estão ofendendo a Jeová, quando Jeová lhes disse para não agirem quais juízes??

Assim como o “comer da árvore que está no meio do jardim” era uma PROIBIÇÃO para Adão e qualquer descendente dele, “julgar e condenar pecadores” também é uma PROIBIÇÃO para o discípulo de Jesus. A sentença é a mesma para todos os pecados. Passa a estar sentenciado todo aquele que cometer QUALQUER pecado. Para continuar a viver, do que ele precisa?? Ele precisa ser perdoado.

QUEM AGE COMO UM JUIZ ESTÁ PRATICANDO UM PECADO?? O QUE A LEI RESPONDE?? A LEI RESPONDE: SIM, ESTÁ.

Então, o que revelam estas e muitas outras afirmações feitas por discípulos de Jesus a respeito de si mesmos em relação e comparação com os demais humanos?? Eles são os injustos e nós os santos?? Não somos mais como o “resto dos homens”??? Não somos como os “mundanos”???

É da abundância do coração que a boca fala”. Este sentimento de SUPERIORIDADE é antigo e se revela nas diversas afirmações em relação a outros grupos de humanos. Esta é uma delas: (Gálatas 2:15-16) 15Nós, os que somos judeus por natureza E NÃO PECADORES DAS NAÇÕES, 16 bem sabendo que o homem é declarado justo, não devido a obras da lei, mas apenas por intermédio da fé para com Cristo Jesus, sim, nós temos depositado a nossa fé em Cristo Jesus, para sermos declarados justos devido à fé para com Cristo e não devido a obras da lei, porque nenhuma carne será declarada justa devido a obras da lei.

O que foi destacado nesta afirmação?? O sentimento de SUPERIORIDADE de quem fez a afirmação. É da abundância do coração que a boca fala. Somos diferentes dos pecadores das nações. Revelaria uma igualdade, se a frase fosse assim construída: “Nós pecadores, tanto judeus como as pessoas das nações”.... Ou ainda: “Nós, os pecadores judeus, ….

Aquele que se enaltecer será humilhado e aquele que se humilhar será enaltecido”, foi o que falou Jesus. “Se enaltecer” - o que é isso e como se faz isso?? Jesus explicou isto aos seus alunos.

Quem se enaltece, se sente ACIMA dos demais; ESTE É O ALTIVO. Sentar-se em uma cadeira de juiz, não é colocar-se ACIMA dos demais?? Ele encontra motivos e razões para estar acima dos demais. Quem se enaltece é aquele que julga e condena os “pecadores imundos”. “Ó Deus, eu não sou imundo. Obrigado por eu não ser imundo. Obrigado por eu não ser como o “resto dos homens”. Eles sim, eles são imundos. Veja a imundice deles. Eles merecem a definitiva destruição (não têm valor). Agora, veja a minha limpeza”. “Pai, veja como eu me mantenho afastado dos iníquos”. Um dos profetas assim se expressou para Jeová: (Jeremias 12:1-3) 12 Tu és justo, ó Jeová, quando faço a minha queixa a ti, deveras, mesmo quando falo contigo sobre assuntos de julgamento. Por que é que o caminho dos iníquos é bem sucedido, que todos os traiçoeiros são os despreocupados? 2 Tu os plantaste; também criaram raízes. Continuam progredindo; também produziram fruto. Estás perto na sua boca, mas longe dos seus rins. 3 E tu mesmo, ó Jeová, me conheces bem; tu me vês, e examinaste meu coração EM UNIÃO CONTIGO. Seleciona-os quais ovelhas para o ABATE e põe-nos à parte para o dia da MATANÇA.

Este outro profeta também não se achava um igual: (Ezequiel 4:12-15) 12 E tu o comerás como bolo redondo de cevada; e a este cozerás perante os olhos deles sobre fezes de excremento humano.” 13 E Jeová prosseguiu, dizendo: “Exatamente assim é que os filhos de Israel comerão seu pão de modo impuro entre as nações às quais os dispersarei.” 14 E eu passei a dizer:Ai! Soberano Senhor Jeová! Eis que a minha alma não é aviltada; nem comi qualquer corpo [já] morto, nem qualquer animal dilacerado, desde a minha mocidade e até agora, e não entrou carne imunda na minha boca.” 15 Por conseguinte, ele me disse: “Vê, eu te dei estrume de gado em vez de fezes humanas, e tens de fazer o teu pão sobre ele.”

Será que Jeová fica alegre ao ouvir tais sinceras expressões de seus servos?? “Revelam ser” expressões de quem “AMA O PRÓXIMO COMO A SI MESMO”??

O nosso amado irmão Davi também sentia-se acima dos demais humanos. Sua afirmação foi a seguinte: (Salmos 26:4-10) 4 Não me sentei com homens de inveracidade; E não entro com os que ocultam o que são. 5 Tenho odiado a congregação dos malfeitores E não me sento com os iníquos. 6 Lavarei as mãos na própria inocência E vou marchar ao redor do teu altar, ó Jeová, 7 Para fazer ouvir alto o agradecimento E para declarar todas as tuas obras maravilhosas. 8 Jeová, tenho amado a habitação da tua casa E o lugar do domicílio da tua glória. 9 Não tires a minha alma junto com os pecadores, Nem a minha vida junto com os homens culpados de sangue, 10 Em cujas mãos há conduta desenfreada E cuja direita está cheia de suborno.

Este adorador de Jeová sentia-se SUPERIOR aos demais humanos, não sentia-se?? Há como contestar estas sinceras afirmações externadas por Davi para Jeová.

Foi exatamente isto o que Jesus procurou mostrar para seus discípulos. Assim explicou Jesus esta lição, por destacar um adorador de Jeová com o sentimento de SUPERIORIDADE, ou seja, o fariseu: (Lucas 18:9-14) 9 Mas, ele contou a seguinte ilustração também a alguns que CONFIAVAM em si mesmos como sendo justos e que CONSIDERAVAM os demais como nada: 10 Dois homens subiram ao templo para orar, um sendo fariseu e o outro cobrador de impostos. 11 O fariseu estava em pé e começou a orar as seguintes coisas NO SEU ÍNTIMO: ‘Ó Deus, agradeço-te que NÃO SOU COMO O RESTO DOS HOMENS, extorsores, injustos, adúlteros, ou mesmo como este cobrador de impostos. 12 Jejuo duas vezes por semana, dou o décimo de todas as coisas que adquiro.’ 13 O cobrador de impostos, porém, estando em pé à distância, não estava nem disposto a levantar os olhos para o céu, mas batia no peito, dizendo: ‘Ó Deus, sê clemente para comigo pecador.’ 14 DIGO-VOS: Este homem desceu para sua casa PROVADO MAIS JUSTO DO QUE AQUELE HOMEM; porque todo o que se enaltecer será humilhado, mas quem se humilhar será enaltecido.”



É da abundância do coração que a boca fala. São os sentimentos que geram palavras e ações. O íntimo do fariseu estava cheio de SUPERIORIDADE, cheio de soberba, cheio de arrogância, cheio de altivez, cheio de enaltecimento, só podendo gerar palavras e ações soberbas, altivas. Jesus foi bem claro ao afirmar que o fariseu não chegou a externar o seu sentimento nem mesmo através de palavras. Isto para deixar bem claro que, apenas o sentimento, já é um pecado para Jeová. O fariseu se sentia acima dos demais pecadores, se sentia melhor que os demais pecadores, logo, ele estava revelando sua altivez através do seu pensamento conclusivo interno. Seu irmão judeu ali a seu lado no templo, o que era?? Bem, apesar deste ser um judeu, também era alguém com baixo valor aos olhos do fariseu. O fariseu se via como estando ACIMA dos demais (não judeus e aquele judeu ali no templo), pois se via nas graças do Pai, se via perto do Pai, enquanto os demais estavam muito longe do Pai. Por que aos seus olhos, os demais estavam longe do Pai?? Em face dos reais pecados praticados por estes outros. O fariseu agradecia a Deus o fato de não ser praticante daqueles pecados, no entanto, ele era um ACUSADOR daqueles que praticavam tais pecados. Ele se sentia aprovado, se sentia mais perto do Pai, se sentia valendo mais que os demais humanos, inclusive valendo mais do que aquele seu irmão judeu, pois este era um cobrador de impostos. O fariseu não se via como um caso de clemência. O fariseu não se sentia culpado de muitos pecados; não se sentia sentenciado de morte.

Como o cobrador de impostos se via?? Ele se via como não valendo nada, não tendo nada em seu favor, nada de bom a dizer a respeito de si mesmo; não se achava digno nem de levantar os olhos em direção a Deus; ele só queria que Deus usasse de CLEMÊNCIA para com ele, embora ele não a merecesse.

Reconhecia sua enorme dívida e não tinha como pagá-la. “Ó Deus, tudo agora depende exclusivamente do Senhor, sê clemente para comigo”. Ele reconhecia que o seu caso era exclusivamente de clemência. Ele se sentia CULPADO, se sentia SENTENCIADO e se sentia como merecedor da punição. Pai, eu sou um caso de clemência.

Assim define certo dicionário a expressão clemência: CLEMÊNCIA s.f. Virtude que consiste em perdoar ou atenuar os castigos; bondade, indulgência: agir com clemência. / Fig. Doçura: a clemência da temperatura.

A situação do cobrador de impostos era real?? Sim, era real. Ele era culpado de muitos pecados. Ele estava sentenciado de morte.

A AUTOVALORIZAÇÃO PRODUZ A SOBERBA.

A SOBERBA é um sentimento que DESVALORIZA a “chama de vida”, logo, PÕE EM RISCO a “chama de vida”.

Qualquer ser humano que se sentir e/ou se expressar desta forma estará se considerando justo e considerando os demais como nada. “Qualquer um” inclui qualquer servo de Jeová, qualquer apóstolo, qualquer discípulo, pois segundo Jesus, tal expressão conclusiva está no íntimo e sai do íntimo do servo de Jeová. Este é o pecado da soberba. Soberba também é um sentimento, e os sentimentos se alojam e se desenvolvem no coração. O pecado acontece primeiro no coração. Soberba é um sentimento iníquo que gera palavras e ações iníquas. Jesus chamava a atenção dos seus alunos: “Vejam como se sentem e como têm se expressado os servos de Jeová que se sentem justos”; “vejam o íntimo do altivo”. Os dois homens eram “servos de Jeová” e os dois tinham ido ao templo de Jeová para orar a Jeová, obviamente. É o “servo de Jeová” quem se considera justo e considera os demais humanos como nada. Afinal, não é ele um adorador de Jeová?? Sim, ele é, e os demais não são; esta situação temporária é verdadeira. E não é Jeová o ÚNICO Deus Verdadeiro?? Sim, Ele é. A história tem mostrado que o adorador de Jeová se sente superior tanto àquele adorador de Jeová que está coberto de pecados, como também àquele que ainda não é adorador de Jeová. É o “servo de Jeová” que afirma hoje: “A pior “Testemunha de Jeová” é muito melhor que qualquer mundano”. O que se revela nesta real afirmação?? Não revela enaltecimento?? Infelizmente, sim. Não revela o sentimento de superioridade?? Infelizmente, sim. Não revela arrogância?? Infelizmente, sim. Não se trata de uma auto aprovação? Infelizmente, sim. É da abundância do coração que a boca fala.

Esta é uma expressão de quem se sente ACIMA de todos os demais humanos?? Infelizmente, sim.

Tendo por base estas palavras de Jesus, o que “revelam ser” tanto o criador como o repetidor deste tão aclamado salmo?? (Salmos 139:21-22) 21 Acaso não ODEIO os que te odeiam intensamente, ó Jeová, E não TENHO AVERSÃO aos que se revoltam contra ti? 22 ODEIO-OS com ódio consumado. Tornaram-se para mim verdadeiros inimigos. (Salmos 26:5) 5 Tenho ODIADO a congregação dos malfeitores E NÃO ME SENTO COM OS INÍQUOS.

Bem, estes eram os SENTIMENTOS que os servos de Jeová ORGULHOSAMENTE afirmavam e revelam ter?? Sim, eram. Será que Jesus também tinha estes sentimentos?? QUALQUER humano que afirme ter estes sentimentos pelos iníquos, está agradando a Jeová ou a Jesus?? Os sentimentos PRECEDEM e comandam as palavras e as ações.

Será que revelam ser pessoas cheias de SUPERIORIDADE??? Somente pessoas que se sentem justas é que fariam tais afirmações. Revela ter partido de um coração cheio de outros interessantes sentimentos: ódio, aversão, inimizade e desprezo.

Não deixando qualquer dúvida sobre este fato inédito para seus ouvintes, assim falou Jesus: (Marcos 7:20-23) 20 Outrossim, ele disse: “O que sai do homem é o que avilta o homem; 21 pois, de dentro, DOS CORAÇÕES DOS HOMENS, SAEM raciocínios prejudiciais: fornicações, ladroagens, assassínios, 22 adultérios, cobiças, atos de iniqüidade, fraude, conduta desenfreada e um olho invejoso, blasfêmia, SOBERBA, irracionalidade. 23 TODAS estas coisas iníquas SAEM DE DENTRO e aviltam o homem.”

SOBERBA é assim definido por certo dicionário:

SOBERBA s.f. Elevação. / Orgulho, arrogância, presunção. / Sobranceria, altivez: falou com soberba.

ARROGÂNCIA é assim definido por certo dicionário:

ARROGÂNCIA s.f. Atitude altaneira; altivez; orgulho; insolência: ele mostra arrogância no trato.

O que acontecerá com este servo de Jeová?? Bem, ele terá de descer de sua posição altiva, elevada, ele será humilhado até a mesma proporção em que humilhou os demais humanos. No entanto, ele já está perdoado de sua imundice.

Outro fato que não devemos nos deixar escapar é que o fariseu tinha o seu PONTO DE VISTA da situação enquanto Deus tinha o DELE, aliás, um outro bem diferente. O fariseu SE ACHAVA na condição de aprovado, SE ACHAVA na condição de limpo, SE ACHAVA na condição de justo, SE ACHAVA na condição de santificado. Ele atribuía baixos valores a outros humanos, tanto os de perto quanto os de longe. O fariseu apresentava suas OBRAS que justificavam sua posição enaltecida em relação ao resto do mundo e inclusive àquele seu irmão adorador de Jeová ali a seu lado, dentro do templo de Jeová. Um detalhe, suas boas obras eram reais, afinal, ele cumpria muitos mandamentos! Do seu ponto de vista, o fato dele ser um “circunciso”, já o colocava acima dos “incircuncisos”. Do ponto de vista do fariseu, os demais se encontravam na condição de desaprovados, afinal, ele cumpria muitos mandamentos enquanto os outros não cumpriam. E ali, dentro do templo de Jeová, ele APONTAVA e ACUSAVA os imundos pecadores por seus REAIS pecados. O fariseu exibia, destacava e impunha sua posição enaltecida (justo) diante dos demais. Certamente diria: “Pai, eu não mereço ter a mesma sorte que eles pois eu cumpro muitos mandamentos. Pai, dê a eles a morte que eles merecem”. Foi garantido não só que ele perceberá o seu erro, como também que receberá as consequências do seu erro. Todos verão o seu erro; ele será exposto como que num palco. O fariseu sentia-se aprovado; aos seus próprios olhos, ele estava aprovado. Certamente, com suas palavras e ações, o fariseu impunha aos demais a sua condição de aprovado (justo) diante de Jeová, o Único Deus Verdadeiro, elevando-se sobre eles, exaltando-se sobre estes, passando a rebaixar, desvalorizar, passando a humilhar os demais, que aos seus olhos, se encontravam desaprovados, exatamente por estarem cobertos de pecados, trajados de roupas imundas. O fariseu em questão via as coisas assim. O que o fazia ver as coisas assim?? Bem, este é um outro detalhe, detalhe este que está sendo analisado em "não sejais como os fariseus"

ÀQUELE QUE MAIS SE DEU, MAIS SERÁ COBRADO DELE” – esta foi uma palavra de aviso dada por Jesus a seus alunos. (Lucas 12:45-48) 45 Mas, se aquele escravo chegar a dizer no seu coração: ‘Meu amo demora em vir’, e principiar a espancar os servos e as servas, e a comer e beber, e ficar embriagado, 46 o amo daquele escravo virá num dia em que não [o] espera e numa hora que não sabe, e o punirá com a maior severidade e lhe determinará uma parte com os infiéis. 47 Então, aquele escravo, que entendeu a vontade de seu amo, mas não se aprontou, nem fez em harmonia com a sua vontade, será espancado com muitos golpes. 48 Mas aquele que não entendeu, e assim fez coisas que merecem golpes, será espancado com poucos. DEVERAS, DE TODO AQUELE A QUEM MUITO FOI DADO, MUITO SE RECLAMARÁ DELE; e a quem encarregaram de muito, deste reclamarão mais do que o usual.

Ora, a lei foi dada ao circunciso ou ao incircunciso?? Quem recebe a lei, o discípulo ou aquele que não é discípulo??

Este humano não aceitava a afirmação de Jeová de que “todos os pecados são iguais”, em face de que todos têm a mesmíssima sentença de morte, ou seja, qualquer um deles leva a pessoa para a mesma morte. Na visão deste humano, existem pecados mais graves que outros pecados, informação esta que foi recebida de Moisés e que também estava nas “Escrituras”. Esta “diretriz” provoca determinados sentimentos. Logo, na sua opinião, deve haver punições mais severas para determinados tipos de pecados. Assim, quem pratica pecados mais leves são pessoas melhores do que aqueles que praticam os pecados mais graves. Então, ele faz uma lista de pecados, que segundo a sua opinião, são os pecados graves. No entanto, para Jeová, a regra é bem simples: “A alma que pecar – ela é que morrerá”. A alma que pecar QUALQUER pecado é a que morrerá. A alma QUE PECAR está automaticamente sentenciada de morte, ou seja, merecedora de morte. A afirmação de Jesus foi: “Quem não tiver “pecado”, seja o primeiro a atirar-lhe uma pedra”. Podemos ter paralelamente: “Aquele que não estiver sentenciado de morte, seja o primeiro a tornar-se um carrasco para ela”. A ainda mais: “Aquele que não estiver na mesma condição dela, seja o primeiro a atirar-lhe uma pedra”. Esta outra “diretriz” também provoca determinados tipos de sentimentos. Provoca sentimentos opostos aos provocados pela outra “diretriz”.

ESTE CONCEITO ERRADO SOBRE “PECADO”, LEVA O HUMANO A SER ALTIVO, ARROGANTE, SOBERBO.

O que Jeová via?? O que Jesus via?? Um homem imundo sentindo-se superior e acusando outro homem imundo por sua real imundice.

Qual foi a norma de conduta estabelecida por Jeová para o “pecador”?? Não julgue e não condene o “pecador”, pois você é um pecador.


Jesus não estava expondo um fariseu, Jesus estava expondo uma situação real existente, estava expondo um SENTIMENTO humano existente, expondo reações humanas consideradas normais, por aquele que gozava de uma relação com Jeová; Jesus estava revelando até que ponto o humano pode chegar. Jesus estava expondo o FRUTO de um ensino. Tendo este tipo de ensino, tendo esta diretriz, aceitando e vivendo o seu dia a dia sob esta diretriz, um ser humano qualquer pode chegar a este ponto de SOBERBA, de engrandecimento pessoal e a consequente desvalorização dos demais humanos vivos ou mortos, ao se encontrar em uma relação pactuada com o Criador. O ser humano vai encontrar razões e mais razões para agir assim. Neste caso em questão, o ser humano era um adorador de Jeová, tão consciente do que fazia, que seria capaz de realizar o seu DESEJO de destruir outro ser humano, mesmo um adorador de Jeová, que fosse imundo e DESPREZÍVEL, desprezível aos seus olhos, obviamente. Ele encontrava justificativa para praticar o mal. Ele estava praticando o mal para agradar ao Pai celestial. Ele se mostrava ser um “destruidore achava que Jeová se agradava disto. Que sentimento tem um destruidor para com um iníquo?? O que deseja o destruidor?? (Salmos 92:7) 7 Quando os iníquos florescem como a vegetação E estão florindo todos os que praticam o que é prejudicial, É PARA QUE SEJAM ANIQUILADOS para todo o sempre.



O DESTRUIDOR se agrada em ANIQUILAR o iníquo; seu desejo é ANIQUILAR. Como o próprio nome já diz, ele é um DESTRUIDOR.

O erro COMEÇA no indivíduo. O sentimento individual leva ao sentimento de um grupo. Vários indivíduos com o mesmo sentimento formam um grupo. O grupo passa a ser reconhecido por tal sentimento, através das ações individuais de seus membros. Depois disso, os membros passam a depositar sua confiança no grupo. Depois disso, individualmente também passam a exaltar e defender o grupo.

CUIDADO, não tenham estes sentimentos” - esta era a lição que Jesus queria passar para cada aluno, de forma individual.

A ordem de Jeová foi: ENDIREITAI o opressor. ENDIREITAI a “chama de vida” defeituosa. Esta ordem revelava o sentimento de Jeová pelo opressor?? Revelava o desejo de Jeová em relação ao opressor?? Sim, é isto mesmo. Jeová não abre mão deste Seu desejo. (Isaías 1:16-17) 16 Lavai-vos; limpai-vos; removei a ruindade das vossas ações de diante dos meus olhos; cessai de fazer o mal. 17 Aprendei a fazer o bem; buscai a justiça; ENDIREITAI O OPRESSOR; fazei julgamento para o menino órfão de pai; pleiteai a causa da viúva.”

Será que desassociar o pecador imundo, excluir o pecador, não é estar obedecendo a esta ordem divina?? Bem, foi assim que Jesus obedeceu a esta ordem divina?? Não. Um julgamento precede a decisão judicial de desassociar o pecador. Desassociar é uma decisão tomada por juízes. NINGUÉM NASCE JUIZ. Se tornar juiz é pecado e julgar também é pecado.

Cada um de nós filhos, temos uma relação individual com o Pai, assim como também temos uma individual prestação de contas com o Pai. Então, porque obedecer a ordem de um irmão, quando esta ordem vai de encontro a uma ordem do Pai?? Jesus afirmou: “Não tenha medo de desobedecer a teu irmão, antes, tenha medo de desobedecer ao Pai”.

Jesus estabeleceu o INÉDITO MODELO de como obedecer aos mandamentos do Pai. Sendo assim, tornemo-nos imitadores de Jesus, somente de Jesus. Cada um dos alunos deve imitar ao seu Mestre, unicamente ao Mestre. Um aluno de Jesus não deve imitar um outro aluno de Jesus, pois Jesus é o MODELO para todos os alunos, inclusive, para qualquer um dos apóstolos. Jesus não encontrou justificativa para praticar o mal. O médico precisa estar perto, precisa tocar no enfermo, precisa cuidar do enfermo, obviamente, não pode sentir aversão pelo enfermo. Jesus nunca sentiu desejo de destruir um enfermo. Jesus não era um destruidor, antes, Jesus era um RECUPERADOR.

Ademais, a ordem não foi a de eliminar o opressor do vosso meio; não foi de excluir o opressor; não foi de se separar do opressor. Fazer o bem e não fazer o mal para o opressor, esta foi a ordem. A ordem foi REPREENDER o pecador, foi ENDIREITAR o opressor.

Será que esta é uma daquelas questões em que, individualmente, você tem de decidir SE ACREDITA OU NÃO na palavra falada por Jesus?? Parece que é uma questão de acreditar nas afirmações de Jesus ou não acreditar nelas. Bem, quando vou saber se a afirmação de Jesus é verdadeira ou falsa?? Somente no último dia. Revelando sua ampla tolerância pelo rebelde, assim falou Jesus: (João 12:48) . . .Quem me desconsiderar e não receber as minhas declarações, tem quem o julgue. A PALAVRA QUE EU TENHO FALADO É QUE O JULGARÁ NO ÚLTIMO DIA;

O PERDÃO É A ARMA DO TOLERANTE. O TEMPO É O ALIADO DA VERDADE. NO TEMPO DEVIDO, TODA DIRETRIZ SERÁ PROVADA VERDADEIRA OU FALSA.

A palavra que sai da MINHA BOCA é que o julgará no ÚLTIMO dia.

Jesus afirmou que os iníquos homens de Tiro, de Nívive, de Sodoma e de Jerusalém estarão lá para presenciarem este fato. Como iníquo que sou, também estarei lá. Não sinta desprezo por mim.

Topo desta página