JEOVÁ NÃO SENTE AVERSÃO PELO INÍQUO


 

Criada em 17/03/10 // Última alteração em 13/05/10

JEOVÁ NÃO SENTE NOJO DO INÍQUO





Jeová não sente nojo do iníquo; não sente aversão; não sente desprezo. Tais SENTIMENTOS gerariam a reação de afastamento, geraria também o desejo de exterminar o iníquo.

Será que tal afirmação acima é realmente verdadeira?? Admitiria Jeová que um iníquo ficasse perto dele por qualquer período de tempo?? Conversaria Jeová com um iníquo?? Será que Jeová daria qualquer tipo de tarefa para ser executada por um iníquo?? Será que Jeová estenderia suas mãos para um iníquo?? Daria Jeová a sua bênção para um iníquo?? AMARIA Jeová a um iníquo??

Aos olhos de Jeová, o iníquo não é um vaso destinado à destruição, tampouco é um vaso a ser mantido à distância.

Ao ver um vaso iníquo, o que faz Jeová?? Aproxima-se dele, põe suas mãos sobre ele, e, como um oleiro passa a manipular tal vaso. Quanto mais iníquo é o vaso, maior é o desejo de Jeová de manipular tal vaso.

O que Jeová usa para manipular o vaso iníquo? Jeová usa a Sua palavra. Na Sua palavra pode vir uma promessa de punição. De acordo com a reação do vaso iníquo Ele cumpre a promessa ou revoga (deplora) tal promessa. Assim falou o próprio Jeová: (Jeremias 18:1-17) 18 A palavra que veio a haver para Jeremias, da parte de Jeová, dizendo: 2 “Levanta-te, e tens de descer à casa do oleiro e ali te farei ouvir as minhas palavras.” 3 E passei a descer à casa do oleiro, e eis que ele fazia uma obra na roda de oleiro. 4 E o vaso que fazia do barro foi estragado pela mão do oleiro, e ele tornou e foi fazer dele outro vaso, conforme parecia direito fazer aos olhos do oleiro. 5 E continuou a vir a haver para mim a palavra de Jeová, dizendo: 6 “‘Não posso eu fazer a vós como este oleiro [fez], ó casa de Israel?’ é a pronunciação de Jeová. ‘EIS QUE, COMO O BARRO NA MÃO DO OLEIRO, ASSIM SOIS VÓS NA MINHA MÃO, Ó CASA DE ISRAEL. 7 Em qualquer momento em que eu falar contra uma nação e contra um reino, para [a] desarraigar, e para [a] demolir, e para [a] destruir, 8 e esta nação realmente recuar da sua maldade contra a qual falei, também eu vou deplorar a calamidade que pensei em executar sobre ela. 9 Mas, em qualquer momento em que eu falar a respeito de uma nação e a respeito de um reino, para [a] edificar e para [a] plantar, 10 e ela realmente fizer o que é mau aos meus olhos por não obedecer à minha voz, também eu vou deplorar o bem que eu disse [para mim] fazer-lhe para seu bem.’ 11 “E agora, por favor, dize aos homens de Judá e aos habitantes de Jerusalém: ‘Assim disse Jeová: “Eis que formo contra vós uma calamidade e cogito contra vós um pensamento. Recuai, por favor, cada um do seu mau caminho, e tornai bons os vossos caminhos e vossas ações.”’” 12 E eles disseram: “É sem esperança! Pois andaremos seguindo os nossos próprios pensamentos e vamos executar cada um a obstinação de seu mau coração.” 13 Portanto, assim disse Jeová: “Perguntai vós mesmos, por favor, entre as nações. Quem já ouviu coisas como estas? Há uma coisa horrível que a virgem de Israel fez em demasia. 14 Acaso desaparecerá a neve do Líbano de cima da rocha da campina? Ou secar-se-ão águas estranhas, frescas, correntes? 15 Porque meu povo se esqueceu de mim, visto que fazem fumaça sacrificial a algo fútil, e nisto fazem os homens tropeçar nos seus caminhos, [nas] veredas de há muito tempo, para andarem em sendas, [num] caminho não aterrado, 16 a fim de fazer da sua terra um assombro, objeto de assobios, por tempo indefinido. Todo aquele que passar por ela olhará espantado e meneará a cabeça. 17 Eu os espalharei diante do inimigo como que com um vento oriental. As costas, e não a face, lhes mostrarei no dia do seu desastre.”

Quando Jeová usa a sua palavra para manipular um vaso iníquo, que objetivo Ele tem com uma promessa de punição?? Quando Jeová usa uma promessa de punição, seu objetivo é bem claro: Recuai, POR FAVOR, cada um do seu mau caminho.


Que objetivo final tem Jeová?? (Jeremias 30:22-31:1) 22 “E VÓS haveis de tornar-vos meu povo e eu mesmo me tornarei vosso Deus.” 23 Eis que saiu de Jeová um vendaval, o próprio furor, uma tormenta impetuosa. Rodopiará sobre a cabeça dos iníquos. 24 A ira ardente de Jeová não recuará até que ele tenha executado e até que tenha realizado as idéias de seu coração. Na parte final dos dias VÓS lhe dareis a vossa consideração. 31NAQUELE TEMPO”, é a pronunciação de Jeová, “tornar-me-ei Deus para TODAS as famílias de Israel; e quanto a eles, tornar-se-ão meu povo”.

Vós, iníquos sobre os quais rodopiará minha tormenta impetuosa, sim, meu furor, vós, sereis os que irão dar a vossa consideração sobre isto, lá na parte final dos dias, e, haveis de tornar-se meu povo.



Que objetivo tem Jeová?? (Jeremias 13:11) 11 ‘Pois assim como o cinto se apega aos quadris do homem, assim fiz toda a casa de Israel e toda a casa de Judá apegar-se a mim mesmo’, é a pronunciação de Jeová, ‘A FIM DE QUE SE TORNASSEM PARA MIM UM POVO, E UM NOME, E LOUVOR, E ALGO BELO; mas eles não obedeceram’.

Que sejamos algo belo; este é o objetivo de Jeová. “Algo belo”, do ponto de vista de Jeová, obviamente. E Ele não desiste do seu objetivo. Ele não é como nós humanos. Afinal, quem está ensinando o que a quem??



Minhas mãos estão estendidas todo o tempo para os iníquos> Jeová não sente aversão pelo iníquo, pois estende suas mãos para caminhar com os iníquos; não sente vergonha de caminhar com o iníquos: (Isaías 65:1-5) 65Deixei-me buscar por aqueles que não perguntaram [por mim]. Deixei-me achar por aqueles que não me tinham procurado. Eu disse: ‘Eis-me aqui, eis-me aqui!’ a uma nação que não invocava o meu nome. 2 “O DIA INTEIRO ESTENDI AS MINHAS MÃOS PARA UM POVO OBSTINADO, os que andam no caminho que não é bom, atrás dos seus pensamentos; 3 o povo [que se compõe] dos que de contínuo me ofendem diretamente à minha face, sacrificando nos jardins e fazendo fumaça sacrificial sobre os tijolos, 4 sentando-se entre as sepulturas, que também passam a noite nas guaritas das sentinelas, comendo carne de porco, havendo nos seus vasos até mesmo caldo de coisas imundas; 5 os que dizem: ‘Fica onde estás. Não te aproximes de mim, pois eu certamente te transmitirei santidade.’ Estes são fumaça nas minhas narinas, um fogo ardendo o dia inteiro.

No entanto, há os sentem vergonha de estar do lado e de caminhar com os iníquos. Quem são estes??

Segundo o próprio Jeová são aqueles a quem Ele estende as Suas mãos. Estes têm aversão aos iníquos; não querem proximidade com os iníquos.

Aquele que é realmente SANTO estende suas mãos o dia inteiro para os iníquos. Estes mesmos iníquos têm aversão de outros iníquos e não querem ter a companhia de tais iníquos. Isto é algo realmente interessante.

Eram os “servos de Jeová” que se consideravam a “nação santa”, estes, a quem Jeová falava?? Sim, estes eram os iníquos que tinham nojo de iníquos.

Mesmo depois de Jeová lhes falar estas palavras, o povo, comprovando ser cego e surdo, manteve o mesmo sentimento por aqueles que eles viam como iníquos, pessoas que realmente cometiam iniquidade, obviamente.

A geração que ouviu estas palavras saídas da mente de Jeová e retransmitidas a eles diretamente pelo profeta Isaías, continuou ensinando a seus descendentes os seus SENTIMENTOS de desprezo e aversão pelo iníquo.

Na geração dos dias de Jesus, o que pensavam eles sobre o SENTIMENTO e o relacionamento de Jeová para com os iníquos, denominados por eles como “os pecadores”?? Embora Jeová já tivesse dado aos próprios iníquos o Seu sentimento através de palavras e ações, eles ainda insistiam em desprezar os iníquos. Vejamos certo incidente: (João 9:1-41) 9 Ora, quando ia passando, viu um homem cego de nascença. 2 E seus discípulos perguntaram-lhe: “Rabi, quem pecou, este homem ou os seus pais, de modo que nasceu cego?” 3 Jesus respondeu: “Nem este homem pecou, nem os seus pais, mas foi para que as obras de Deus fossem manifestas no seu caso. 4 Temos de fazer as obras daquele que me enviou enquanto é dia; vem a noite em que nenhum homem pode trabalhar. 5 Enquanto eu estiver no mundo, sou a luz do mundo.” 6 Depois de dizer estas coisas, cuspiu no chão e fez barro com a saliva, e pôs este barro sobre os olhos [do homem] 7 e lhe disse: “Vai lavar-te no reservatório de água de Siloé” (que é traduzido ‘Enviado’). E ele foi então e lavou-se, e voltou vendo. 8 Portanto, os vizinhos e os que anteriormente costumavam ver que ele era mendigo, começaram a dizer: “Não é este o homem que costumava estar sentado e mendigar?” 9 Alguns diziam: “É ele.” Outros diziam: “Absolutamente não, mas é semelhante a ele.” O homem dizia: “Sou eu.” 10 Conseqüentemente, começaram a dizer-lhe: “Como é que foram abertos os teus olhos?” 11 Ele respondeu: “O homem chamado Jesus fez barro e untou-me os olhos [com ele], e disse-me: ‘Vai a Siloé e lava-te.’ Portanto, fui e lavei-me, e recebi visão.” 12 A isto disseram-lhe: “Onde está esse [homem]?” Ele disse: “Não sei.” 13 Conduziram aos fariseus o próprio homem anteriormente cego. 14 Incidentalmente, era sábado o dia em que Jesus fizera o barro e lhe abrira os olhos. 15 Esta vez, portanto, os fariseus também começaram a perguntar-lhe como recebera visão. Disse-lhes ele: “Ele pôs barro sobre os meus olhos, e eu me lavei e tenho vista.” 16 Portanto, alguns dos fariseus começaram a dizer: “Este não é homem de Deus, porque não observa o sábado.” Outros começaram a dizer: “Como pode um homem, que é pecador, realizar sinais desta sorte?” De modo que havia uma divisão entre eles. 17 Por isso, disseram novamente ao cego: “Que dizes a respeito dele, vendo que ele te abriu os olhos?” O [homem] disse: “Ele é um profeta.” 18 No entanto, os judeus não acreditaram a respeito dele que tivesse sido cego e recebera visão, até que chamaram os pais do homem que recebera visão. 19 E perguntaram-lhes: “É este o vosso filho que dizeis ter nascido cego? Então, como é que ele vê atualmente?” 20 Seus pais disseram, então, em resposta: “Sabemos que este é o nosso filho e que nasceu cego. 21 Mas, como é que ele vê agora, ou quem lhe abriu os olhos, não sabemos. Perguntai-lhe. Ele é maior de idade. Tem de falar por si mesmo.” 22 Seus pais diziam estas coisas porque temiam os judeus, pois os judeus já tinham chegado a um acordo de que todo o que o confessasse como Cristo fosse expulso da sinagoga. 23 É por isso que os pais dele disseram: “Ele é maior de idade. Interrogai-o.” 24 Portanto, chamaram pela segunda vez o homem que tinha sido cego e disseram-lhe: “Dá glória a Deus; sabemos que este homem é pecador.” 25 Ele, por sua vez, respondeu: “Se ele é pecador, não sei. Uma coisa sei, que, tendo eu sido cego, atualmente vejo.” 26 Disseram-lhe, portanto: “Que te fez ele? Como abriu os teus olhos?” 27 Respondeu-lhes ele: “Eu já vos disse, contudo, vós não escutastes. Por que quereis ouvi-lo de novo? Será que quereis também tornar-vos seus discípulos?” 28 Em vista disso, injuriaram-no e disseram: “Tu és discípulo daquele [homem], mas nós somos discípulos de Moisés. 29 SABEMOS QUE DEUS FALOU A MOISÉS; mas, quanto a este [homem], não sabemos donde é.” 30 Em resposta, o homem disse-lhes: “Isto certamente é uma maravilha, que não sabeis donde ele é, e, contudo, ele abriu os meus olhos. 31 SABEMOS QUE DEUS NÃO ESCUTA PECADORES, mas, se alguém é temente a Deus e faz a sua vontade, ele escuta a este. 32 Desde a antiguidade, nunca se ouviu [falar] que alguém abrisse os olhos de alguém que nasceu cego. 33 Se este [homem] não fosse de Deus, não poderia fazer nada.” 34 Em resposta, disseram-lhe: Nasceste inteiramente em pecados, e, contudo, ensinas tu a nós?” E lançaram-no fora! 35 Jesus ouviu que o tinham lançado fora, e, achando-o, disse-lhe: “Depositas fé no Filho do homem?” 36 O [homem] respondeu: “E quem é ele, senhor, para que eu possa depositar fé nele?” 37 Jesus disse-lhe: “Tu o viste, e, além disso, é ele quem está falando contigo.” 38 Ele disse então: “Deposito fé [nele], Senhor.” E prestou-lhe homenagem. 39 E Jesus disse: “Para [este] julgamento vim ao mundo: que os que não vêem possam ver e que os que vêem se tornem cegos.” 40 Aqueles dos fariseus que estavam com ele ouviram estas coisas e disseram-lhe: “Será que nós também somos cegos?” 41 Jesus disse-lhes: “Se fôsseis cegos, não teríeis pecado. Mas agora dizeis: ‘Nós vemos.’ Vosso pecado permanece.

Nasceste inteiramente em pecados, e, contudo, queres tu ensinar a nós”??

Sabemos que Deus não escuta pecadores> esta era uma das afirmações daquela geração.

Deus escuta àquele que é temente a Deus e que faz a Sua vontade, ou seja, Jeová não dá atenção, não escuta e não responde àquele que não faz Sua vontade.

Se vosso instrutor é um homem de Deus, porque ele come com os “pecadores”, em lugar de desprezá-los e afastá-los?? (Mateus 9:9-11) 9 A seguir, passando dali para diante, Jesus avistou um homem chamado Mateus, sentado na coletoria, e disse-lhe: “Sê meu seguidor.” Em conseqüência disso, este se levantou e o seguiu. 10 Mais tarde, enquanto estava recostado à mesa, na casa, eis que vieram muitos cobradores de impostos e pecadores, e começaram a recostar-se com Jesus e seus discípulos. 11 Vendo isso, porém, os fariseus começaram a dizer aos discípulos dele: POR QUE É QUE O VOSSO INSTRUTOR COME COM OS COBRADORES DE IMPOSTOS E OS PECADORES?”

Como um homem de Deus pode se sentir bem no meio de pecadores?? “Estar no meio de pecadores é algo que desagrada a Deus, pois Deus não se mistura com pecadores”. Esta é a afirmação base que leva a muitas outras afirmações.


Sendo um homem de Deus, como pode aceitar se hospedar na casa de um “pecador”, em lugar de desprezá-lo, em lugar de sentir aversão dele?? (Lucas 19:1-7) 19 E ele entrou em Jericó e [a] estava atravessando. 2 Ora, havia ali um homem de nome Zaqueu, e ele era chefe de cobradores de impostos e era rico. 3 Bem, ele procurava ver quem era este Jesus, mas não podia, por causa da multidão, porque era de estatura pequena. 4 De modo que correu na frente a um lugar mais adiante e subiu num sicômoro-figueira, a fim de vê-lo, porque estava para passar por ali. 5 Chegando então Jesus ao lugar, olhou para cima e disse-lhe: “Zaqueu, apressa-te e desce, pois hoje tenho de ficar em tua casa.” 6 Com isso ele se apressou e desceu, e o recebeu com alegria como hóspede. 7 Mas, quando viram [isso], todos começaram a murmurar, dizendo: “ENTROU PARA POUSAR COM UM HOMEM QUE É PECADOR.”


Sendo um homem de Deus, como pode ser AMIGO de “pecadores”, em lugar de acusá-los?? (Mateus 11:16-19) 16 “Com quem compararei esta geração? Ela é semelhante às criancinhas sentadas nas feiras, que gritam para seus companheiros de folguedos, 17 dizendo: ‘Nós tocamos flauta para vós, mas não dançastes; lamuriamos, mas não vos batestes em lamento.’ 18 Correspondentemente, João não veio nem comendo nem bebendo, contudo dizem: ‘Ele tem demônio’; 19 o Filho do homem veio comendo e bebendo, todavia dizem: ‘Eis um homem comilão e dado a beber vinho, AMIGO DE COBRADORES DE IMPOSTOS E DE PECADORES.’ Não obstante, a sabedoria é provada justa pelas suas obras.”


Como pode alguém que afirma ser profeta e homem de Deus, deixar que uma “pecadora” se encoste nele, que o toque, em vez de sentir repúdio por ela e expulsá-la?? (Lucas 7:36-40) 36 Ora, certo fariseu pedia-lhe que jantasse com ele. Concordemente, entrou na casa do fariseu e recostou-se à mesa. 37 E eis que uma mulher, conhecida na cidade como pecadora, soube que ele estava recostado numa refeição na casa do fariseu e trouxe um vaso de alabastro com óleo perfumado, 38 e, postando-se atrás, aos pés dele, chorava e principiava a molhar os pés dele com as suas lágrimas, e enxugava-os com os cabelos de sua cabeça. Beijava também ternamente os pés dele e untava-os com o óleo perfumado. 39 À vista disso, o fariseu que o convidara dizia no seu íntimo: “Este homem, SE FOSSE PROFETA, saberia quem e que espécie de mulher é que o toca, QUE ELA É PECADORA.40 Jesus disse-lhe, porém, em resposta: “Simão, tenho algo para dizer-te.” Ele disse: “Instrutor, dize-o!”

Vejamos os SENTIMENTOS de um profeta de Deus por alguém que este profeta considerava como pecador. Certamente, não era a AMIZADE: (2 Reis 3:13-14) 13 E Eliseu passou a dizer ao rei de Israel: “Que tenho eu que ver contigo? Vai aos profetas de teu pai e aos profetas de tua mãe.” Mas o rei de Israel lhe disse: “Não, porque Jeová convocou estes três reis para os entregar na mão de Moabe.” 14 A isto disse Eliseu: “Assim como vive Jeová dos exércitos diante de quem deveras estou de pé, SE NÃO FOSSE QUE TENHO CONSIDERAÇÃO PELA FACE DE JEOSAFÁ, REI DE JUDÁ, EU NEM OLHARIA PARA TI NEM TE VERIA.

Estas palavras de desprezo foram proferidas por um profeta, o profeta Eliseu, contra um rei do grupo formado por dez tribos de Israel, aqui chamado de “rei de Israel”. O nome deste “rei de Israel” era Jeorão. O rei de Israel era um adorador de ídolos, UM IDÓLATRA, enquanto o rei de Judá (Jeosafá) não era adorador daqueles ídolos. O profeta sentia consideração por um rei e desprezo pelo outro rei.

Vejamos agora o SENTIMENTO de um rei da inteira nação de Israel para com os iníquos. Este rei era um antepassado do profeta Eliseu. (Salmos 139:21-22) 21 Acaso não odeio os que te odeiam intensamente, ó Jeová, E não TENHO AVERSÃO aos que se revoltam contra ti? 22 ODEIO-OS com ódio consumado. Tornaram-se para mim verdadeiros inimigos. (Salmos 26:5) 5 Tenho odiado a congregação dos malfeitores E NÃO ME SENTO COM OS INÍQUOS.

O SENTIMENTO dos professores do povo revelava ser o de DESPREZO, de REPÚDIO pelos “pecadores”, AVERSÃO pelos “pecadores”, ÓDIO pelos pecadores, sendo normal e natural ser este também o SENTIMENTO do povo geral. Decerto, aquele tratamento dado por Jesus aos pecadores causava um grande ESPANTO a toda aquela geração. Afinal, por que se espantavam?? Se espantavam porque era comum o ódio, o desprezo e o repúdio aos pecadores. Jesus mostrava ser uma exceção à regra, pois todos os antepassados, os considerados “homens fiéis”, o que incluía reis, juízes, profetas e sacerdotes mostraram ter os sentimentos de ÓDIO, de DESPREZO e de REPÚDIO pelos “pecadores”. Os “pecadores” eram pessoas realmente cheias de pecado.

Havia Jeová ensinado o povo a ter este SENTIMENTO pelos “pecadores”??

Que mais afirmava aquela geração dos dias de Jesus?? Segundo o apóstolo João, naquele incidente relatado acima em que Jesus curou um homem cego de nascença, foi afirmado que Deus não usa “pecadores” para realizar obras poderosas. Assim está registrado: (João 9:15-16) 15 Esta vez, portanto, os fariseus também começaram a perguntar-lhe como recebera visão. Disse-lhes ele: “Ele pôs barro sobre os meus olhos, e eu me lavei e tenho vista.” 16 Portanto, alguns dos fariseus começaram a dizer: “Este não é homem de Deus, porque não observa o sábado.” Outros começaram a dizer: “COMO PODE UM HOMEM, QUE É PECADOR, REALIZAR SINAIS DESTA SORTE?De modo que havia uma divisão entre eles. . . (João 9:24-25) 24 Portanto, chamaram pela segunda vez o homem que tinha sido cego e disseram-lhe: Dá glória a Deus; SABEMOS QUE ESTE HOMEM É PECADOR.” 25 Ele, por sua vez, respondeu: “Se ele é pecador, não sei. Uma coisa sei, que, tendo eu sido cego, atualmente vejo.”

Neste caso, segundo tal afirmação acima, Moisés, Elias, Eliseu, Sansão e outros que realizavam sinais, que espécie de homens eram?? Será que não eram “pecadores”?? Certamente, ficou bem claro que, todos os humanos até então acreditavam que Jeová também sentia aversão pelos iníquos.

JEOVÁ AMA O INÍQUO


Que SENTIMENTO revelou ter Jeová por este povo iníquo?? Suas palavras que foram retransmitidas por Isaías foram: (Isaías 43:1-8) 43 E agora, assim disse Jeová, teu Criador, ó Jacó, e teu Formador, ó Israel: “Não tenhas medo, porque eu te resgatei. Eu [te] chamei pelo teu nome. Tu és meu. 2 Se passares pelas águas, vou estar contigo; e pelos rios, eles não passarão por cima de ti. Se andares através do fogo, não ficarás chamuscado, nem te crestará a própria chama. 3 Porque eu sou Jeová, teu Deus, o Santo de Israel, teu Salvador. Dei o Egito como resgate por ti, a Etiópia e Sebá, em lugar de ti. 4 Devido ao fato de que tens sido precioso aos meus olhos, foste considerado honroso E EU MESMO TE AMEI. Darei homens em lugar de ti e grupos nacionais em lugar da tua alma. 5 “Não tenhas medo, porque eu estou contigo. Do nascente trarei a tua descendência e do poente te reunirei. 6 Direi ao norte: ‘Entrega!’ e ao sul: ‘Não retenhas. Traze meus filhos de longe, e minhas filhas, da extremidade da terra, 7 todo aquele que for chamado pelo meu nome e que eu criei para a minha glória, que eu formei, sim, que eu fiz.’ 8 “Faze sair um povo CEGO, embora existam os próprios olhos, e os SURDOS, embora tenham ouvidos.

Embora fosse um povo cego e surdo, isto é, rebelde, muito rebelde, um povo iníquo, muito iníquo, mesmo assim Jeová afirma: Eu te amei. Jeová ama os iníquos.

Ainda para os iníquos, cuja tormenta de Jeová rodopiaria sobre suas cabeças, assim falou Jeová: (Jeremias 31:2-3) 2 Assim disse Jeová: “O povo composto dos SOBREVIVENTES da espada achou favor no ermo, quando Israel andava para obter seu repouso.” 3 De longe apareceu-me o próprio Jeová, [dizendo:] “E EU TE AMEI COM UM AMOR POR TEMPO INDEFINIDO. Por isso é que te atraí COM BENEVOLÊNCIA.

Haverá os sobreviventes desta tormenta. A dimensão do AMOR de Jeová para com este povo iníquo foi assim revelado pelo próprio Jeová, usando a 1ª pessoa do singular (Eu):”Eu te amei com um amor por tempo indefinido. Consegue medir a dimensão deste AMOR de Jeová por este povo iníquo?? Um amor por tempo indefinido.

Quem eram estes amados com esta dimensão de amor?? O próprio Jeová responde: (Ezequiel 5:5-7) 5 “Assim disse o Soberano Senhor Jeová: ‘Esta é Jerusalém. Coloquei-a no meio das nações, com terras ao seu redor. 6 E ela passou a comportar-se rebeldemente contra as minhas decisões judiciais, EM INIQÜIDADE MAIOR DO QUE AS NAÇÕES, e contra os meus estatutos, mais do que as terras ao seu redor, pois rejeitaram as minhas decisões judiciais, e quanto aos meus estatutos, não andaram neles.’ 7 “Portanto, assim disse o Soberano Senhor Jeová: ‘Visto que FOSTES MAIS TUMULTUOSOS DO QUE AS NAÇÕES AO VOSSO REDOR, não andastes nos meus estatutos e não executastes as minhas decisões judiciais — mas, porventura não agistes segundo as decisões judiciais das nações ao vosso redor? . . .

Os amados por Jeová com um AMOR por tempo indefinido, mostraram ser aqueles que agiram “em iniquidade maior do que as nações” (o mais iníquo) e que agiram de forma “mais tumultuosa que as nações” ao redor.

No entanto, este era o mesmo povo que tinha desprezo pelo iníquo. Mesmo recebendo contínua atenção, apesar da rebeldia, este era o povo que afasta para longe de si os iníquos, sentindo repulsa de tais iníquos. Sentiam aversão de iníquos? Sim, sentiam aversão dos iníquos. Este era o mesmo povo que falava alegremente em relação aos iníquos: (Salmos 58:10) 10 O justo se alegrará por ter observado a vingança. Banhará os seus passos no sangue do iníquo.



O QUE REVELARAM AS AÇÕES DE JESUS??

Eu e o Pai somos um, afirmou Jesus. Quem tem me visto tem visto o Pai, afirmou Jesus. Que SENTIMENTO revelou ter Jesus pelos “pecadores” que eram desprezados pelos “descendentes” deste mesmo povo?? De forma oposta a todos os de sua geração humana, Jesus revelou que AMAVA os “pecadores” desprezados. Enquanto estes homens desprezavam seus próprios irmãos descendentes de Abraão, Jesus não se envergonhou de conviver todo o tempo com os “pecadores” desprezados. Foi acusado de ser AMIGO de “pecadores” e não negou tal fato, pois isto era motivo de orgulho. Jesus encarou a tudo e a todos para revelar que era amigo de pecadores, não recuando em nenhum momento. Não se envergonhou de ter “pecadores” como apóstolos, discípulos, anfitriões e amigos. Até onde iria o amor de Jesus por tais “pecadores” desprezados por todos os demais?? Um amor por tempo indefinido, um amor que iria até o ponto de dar (entregar) sua vida em favor dos amigos. Ele mesmo afirmou: (João 15:12-16) 12 Este é o meu mandamento, que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei. 13 NINGUÉM TEM MAIOR AMOR DO QUE ESTE, que alguém entregue a sua alma a favor de seus amigos. 14 Vós sois meus amigos, se fizerdes o que vos mando. 15 Não mais vos chamo de escravos, porque o escravo não sabe o que seu amo faz. MAS, EU VOS CHAMEI DE AMIGOS, porque todas as coisas que tenho ouvido do meu Pai vos tenho deixado saber. 16 Vós não me escolhestes, mas eu escolhi a vós, e eu vos designei para prosseguirdes e persistirdes em dar fruto, e que o vosso fruto permaneça; a fim de que, não importa o que pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo dê.

Que espécie de amigos mostraram ser seus apóstolos?? Amigos que o abandonaram e que até mesmo negaram que o conheciam, se envergonhando de Jesus. (Mateus 26:31-35) 31 Jesus disse-lhes então: “Esta noite, TODOS VÓS TROPEÇAREIS EM CONEXÃO COMIGO, pois está escrito: ‘Golpearei o pastor, e as ovelhas do rebanho ficarão espalhadas.’ 32 Mas, depois de eu ter sido levantado, irei adiante de vós para a Galiléia.” 33 Mas Pedro, em resposta, disse-lhe: “Ainda que todos os outros tropecem em conexão contigo, eu nunca tropeçarei!” 34 Jesus disse-lhe: “Deveras, eu te digo: Esta noite, antes de cantar o galo, repudiar-me-ás três vezes.” 35 Pedro disse-lhe: “Mesmo que eu tenha de morrer contigo, de modo algum te repudiarei.” Todos os outros discípulos disseram também a mesma coisa. (Mateus 26:55-56) 55 Jesus disse às multidões, naquela hora: “Viestes com espadas e com cacetes, como contra um salteador, para prender-me? Dia após dia costumava eu estar sentado no templo, ensinando; contudo, vós não me detivestes. 56 Mas tudo isso se tem realizado para que se cumprissem as escrituras dos profetas.” TODOS OS DISCÍPULOS O ABANDONARAM ENTÃO E FUGIRAM. (Mateus 26:69-74) 69 Ora, Pedro estava sentado lá fora no pátio; aproximou-se dele então uma serva, dizendo: “TU TAMBÉM ESTAVAS COM JESUS, o galileu!” 70 MAS ELE NEGOU-O PERANTE TODOS, dizendo: “Não sei de que falas.” 71 Tendo saído para a portaria, foi notado por outra moça, e ela disse aos que estavam ali: “Este homem estava com Jesus, o nazareno.” 72 E ele novamente O NEGOU, COM JURAMENTO: “NÃO CONHEÇO ESTE HOMEM!73 Pouco depois, os que estavam parados ali aproximaram-se e disseram a Pedro: “Tu certamente és também um deles, pois, de fato, o teu dialeto te trai.” 74 ELE PRINCIPIOU ENTÃO A PRAGUEJAR E A JURAR: “NÃO CONHEÇO ESTE HOMEM!E imediatamente cantou um galo.

O AMOR QUE MOSTREI TER POR VOCÊS - Esta é a espécie de amor que vós tendes de demonstrar uns pelos outros: (João 13:34) 34 Eu vos dou um novo mandamento, que vos ameis uns aos outros; ASSIM COMO EU VOS AMEI, que também vos ameis uns aos outros.

ASSIM COMO EU VOS AMEIIndependente do pecado do pecador, não sentir nojo do pecador, não sentir vergonha do pecador, mostrar ser amigo de pecadores, não acusar os pecadores perante o Pai, perdoar sempre os pecadores, e finalmente dar sua vida pelos pecadores. Foi assim que Jesus amou os “pecadores” ou foi de forma diferente???

Temos de reconhecer o seguinte fato: “estamos muito longe em demonstrar o mesmo amor de Jesus pelos 'pecadores'”.

Se não estamos imitando a Jesus, por fazer as coisas exatamente como ele fez, revelando ser iguais a ele, então, a quem estamos imitando??

Que sentimentos demonstramos ter pelos “pecadores”?? O SENTIMENTO de quem estamos imitando?? Não sendo igual ao sentimento de Jeová ou igual ao sentimento de Jesus, então, a quem estamos imitando??

No lugar de sermos reconhecidos como AMIGOS de pecadores, somos reconhecidos como ACUSADORES de pecadores?? Somos reconhecidos como aqueles que mais se AFASTAM dos pecadores?? “Não se sente para comer com pecadores e sequer os cumprimente”; o que revela ser tal expressão? “Não se sente para comer com “irmãos pecadores” e sequer os cumprimente; o que revela ser tal expressão?? Revela ser o amor ensinado por Cristo?? Esta é uma expressão de quem sente AVERSÃO pelo iníquo, não é verdade?? Sim, é.

Se Jesus não sentia ódio, não sentia aversão, não sentia desprezo pelo iníquo, então que sentimento sentia Jesus pelos iníquos, pelos pecadores?? As ações de Jesus já revelaram o seu sentimento, no entanto, quando questionado por estas ações, assim respondeu Jesus: (Mateus 9:10-13) 10 Mais tarde, enquanto estava recostado à mesa, na casa, eis que vieram muitos cobradores de impostos e pecadores, e começaram a recostar-se com Jesus e seus discípulos. 11 Vendo isso, porém, os fariseus começaram a dizer aos discípulos dele: “Por que é que o vosso instrutor come com os cobradores de impostos e os pecadores?” 12 Ouvindo-os, ele disse: “As pessoas com saúde não precisam de médico, mas sim os enfermos. 13 Ide, pois, e aprendei o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício.’ Pois eu não vim chamar os que são justos, mas pecadores.”

Assim, ficou bem claro que as pessoas que questionavam as ações de Jesus careciam do sentimento de misericórdia. Só pode dar misericórdia quem tem misericórdia em si mesmo.

De forma oposta àqueles homens, Jesus estava deixando fluir dele o sentimento de misericórdia. O iníquo é um enfermo, um doente. Todo enfermo precisa de um médico e não de um juiz e de um carrasco.

Tais humanos que questionavam as ações de Jesus, afirmavam que os sentimentos de Jeová pelos iníquos eram os mesmos sentimentos delas, ou seja, o desprezo, a aversão e o ódio. Apontavam as “escrituras” para comprovar que Jeová sentia aversão por iníquos. (Salmos 5:4-6)  4 Pois tu não és um Deus que se agrade da iniqüidade; Ninguém mau pode residir contigo por tempo algum.  5 Nenhuns jactanciosos podem tomar posição diante dos teus olhos. ODEIAS deveras a todos os que praticam o que é prejudicial;  6 Destruirás os que falam mentira. Jeová DETESTA o homem que derrama sangue e que engana. (Salmos 11:5)  5 O próprio Jeová examina tanto o justo como o iníquo, E Sua alma certamente ODEIA a quem ama a violência.


Seria Jesus um mentiroso e rebelde contra Jeová?? Jeová afirmou desde os céus que aprovava as palavras e as ações de Jesus.

Certamente, comprovou-se o que Jesus falou a respeito daqueles adoradores de Jeová: “Os homens não vieram a conhecer-te; são cegos guiando outros cegos”.

Neste caso, os sentimentos de quem eu devo imitar, os sentimentos dos fariseus e demais judeus pelos seus “irmãos pecadores” ou os sentimentos de Jesus por quaisquer tipo de pecadores??

Se eu tenho o desejo de concertar o iníquo, tenho um excelente sentimento. No entanto, se eu não sei o que estou fazendo, eu posso transformá-lo em algo pior do ele já era, eu posso piorar a situação dele. Posso torná-lo pior do que eu. Jesus falou: (Mateus 23:15) 15 “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque percorreis o mar e a terra seca para fazer um prosélito, e, quando se torna tal, fazeis dele objeto para a Geena duas vezes mais do que vós mesmos. . .

Sentir desprezo por seu irmão, dirigir-se a um irmão com uma palavra de desprezo ou ainda dizer a seu irmão: tolo, desprezível, é fazer-se um objeto para a Geena. Assim está determinado na lei retransmitida por Jesus: (Mateus 5:21-22) 21 “Ouvistes que se disse aos dos tempos antigos: ‘Não deves assassinar; mas quem cometer um assassínio terá de prestar contas ao tribunal de justiça.’ 22 No entanto, digo-vos que todo aquele que continuar furioso com seu irmão terá de prestar contas ao tribunal de justiça; mas, quem se dirigir a seu irmão com uma palavra imprópria de desprezo terá de prestar contas ao Supremo Tribunal; ao passo que quem disser: ‘Tolo desprezível!, estará sujeito à Geena ardente.

Esta é uma das “palavras” de Jesus que servirá como base para o julgamento do humano lá no Dia do Juízo. Será perguntado ao discípulo: Por que desprezastes o teu irmão?

 

Topo desta página