SEJA FEITA A TUA VONTADE

Criada em 14/04/2010. Última alteração em 19/01/2016 às 09 : 15



SEJA FEITA A TUA VONTADE TANTO NA TERRA COMO NOS CÉUS



Venha o teu reino. REALIZE-SE A TUA VONTADE, COMO NO CÉU, ASSIM TAMBÉM NA TERRA.

Seja feita a tua vontade, ou, seja feita a minha vontade?? Como você se sente quando precisa fazer algo contrário a seu desejo??

Vontade é uma coisa invisível, mas que sabemos que ela existe.

Vontade - Vamos ver a definição de vontade segundo o dicionário Houaiss: uma força interior que impulsiona o indivíduo a realizar algo, a atingir seus fins e desejos; ânimo, determinação, firmeza...

vontade Datação: sXIII

n substantivo feminino

1 faculdade que tem o ser humano de querer, de escolher, de livremente praticar ou deixar de praticar certos atos

2 força interior que impulsiona o indivíduo a realizar algo, a atingir seus fins ou desejos; ânimo, determinação, firmeza

2.1 disposição, empenho, interesse, zelo

Ex.: a v. política de um governo

3 capacidade de escolher, de decidir entre alternativas possíveis; volição

4 sentimento de desejo ou aspiração motivado por um apelo físico, fisiológico, psicológico ou moral; querer

Exs.: v. de tomar sorvete

v. de vomitar

v. de ajudar

5 prazer, apetite, deleite, gosto

Ex.: comia e dançava com v.

6 desejo impulsivo; capricho

Ex.: criança cheia de vontades

7 deliberação, determinação, decisão que alguém expressa para que seja cumprida ou respeitada

Ex.: realizou as v. do pai

8 Rubrica: filosofia.

nas doutrinas filosóficas racionalistas, motivação subjetiva capaz de conduzir de forma moral e refletida a ação humana, em oposição aos desejos e inclinações de caráter meramente afetivo

9 Rubrica: filosofia.

na tradição empirista ou hostil ao racionalismo, impulso de natureza emotiva ou desejante por meio do qual o ser humano age na realidade objetiva e conduz sua atividade mental



Verdade é uma força, algo invisível que está dentro de nós.

O que seria um ser humano sem vontade??

Ele seria um mero robô, que obedeceria a comandos diretos, e que depois ficaria em repouso, até receber outra ordem. Poderia ser também um robô programado para fazer coisas determinadas em face desta ou daquela circunstância.

Será que a vontade tem força própria e comanda o humano, dominando-o?? Será que o humano não passa de um robô comandado pela vontade??

Será que o humano consegue comandar e controlar sua vontade??

Será que o humano consegue comandar e controlar a vontade de outro humano??

Será que o Pai IHVH comanda e controla a vontade do humano??

Será que a vontade é algo que deva ser imposta??

Temos uma situação hipotética: Eu tenho uma vontade, isto é, um desejo de fazer algo, mas que não tenho a capacidade de fazer este algo, e a outra pessoa não quer fazer esta minha vontade. Como resolver esta questão??

Todos nós, quando estamos dormindo, estamos fazendo a vontade de Deus. O problema começa somente quando acordamos.

Já presenciou uma cena na qual uma criança fica empacada, se negando terminantemente a fazer algo que seus pais lhe pedem para fazer?? Ora, o pai ou mãe está expondo para seu filho uma vontade, não está??

Aquilo que o pai ou mãe está lhe pedindo para fazer vai de encontro com a vontade do filho. O filho está revelando ter um desejo contrário ao desejo dos pais. Temos uma disputa de vontades, uma verdadeira disputa de desejos.

Trata-se de um “eu quero” ou “eu não quero” da criança que vai de encontro com a vontade dos pais para ele naquele momento. Existem vontades antagônicas.

EmpacarEsta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: firmar teimosamente as patas sem que haja condições de o cavaleiro obrigá-lo a continuar a marcha.

2empacar

v. (1899) 1 int. B emperrar, parar (o cavalo ou o burro), firmando teimosamente as patas sem que haja condições de o cavaleiro obrigá-lo a continuar a marcha 2 int. B infrm. estacar, ficar parado; não dar prosseguimento 3 int. B S. falar com dificuldade; gaguejar, embuchar, tartamudear ¤ gram a respeito da conj. deste verbo, ver -acar ¤ etim hsp.-am. empacar 'emperrar, parar' ¤ ant desempacar


Neste caso, a criança nega-se a ser dirigida, orientada, comandada por seus pais.

Será que neste momento deve haver uma imposição de vontades??

O que fazer quando a satisfação da minha vontade depende de outra pessoa??

Gosta de mim aquele que satisfaz os meus desejos; Não gosta de mim aquele que não satisfaz os meus desejos.

Quando nascemos, a satisfação de todas as nossas necessidades, dependem exclusivamente de nossos pais, ou seja, daqueles que cuidam de nós. Por que isto ocorre??

Porque não temos a capacidade para satisfazer tais necessidades.

Desta forma, eles nos dão comida na boca, nos dão banho, trocam nossas roupas, nos carregam pra lá e pra cá.

Esta é uma posição cômoda, não é mesmo??

No entanto, o tempo vai passando e as coisas vão mudando. Não é mesmo??

Daí, chega um dia e falamos certas palavras para nossos pais:

- Papai, você não gosta de mim. Você não deixa eu fazer isto aqui. Papai você vai fazer isto pra mim, porque você gosta de mim, não vai??

- Amor, prova que me ama e faz isto aqui para mim. Se você não fez isto por mim é porque você não gosta de mim.

O que isto AINDA revela a respeito de nós??

Revela que AINDA não temos “capacidade” para satisfazermos todas as nossas vontades, não é mesmo??

No entanto, também revela outras coisas.

Isto revela que estamos chantageando alguém para que ele satisfaça a nossa vontade, não é mesmo??

O que é chantagem??

Chantagem – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: uma pressão para obter favores

3chantagem

s.f. (1899) 1 pressão exercida sobre alguém para obter dinheiro ou favores mediante ameaças de revelação de fatos criminosos ou escandalosos (verídicos ou não) 2 jur crime de extorsão por esse meio ² c. sentimental atitude ou dito com segundas intenções cujo objetivo é atingir alguém afetiva e/ou emocionalmente para alcançar o que se deseja ¤ etim fr. chantage der. de chanter 'extorquir dinheiro mediante ameaça'


Neste caso específico, trata-se de uma chantagem sentimental ou uma chantagem emocional.

Pessoas passam a tentar manipular o sentimento de outras pessoas em proveito pessoal, não é mesmo??

Ora, até as crianças gostam de fazer isso??

Ora, ora, e como gostam??

A incapacidade da criança é muito grande, não é mesmo??

O que acontece com aquele humano que vive o seu dia a dia de acordo com esta “norma de comportamento”??

Em que nível de prioridade este humano coloca a satisfação de seus desejos??

Quando a vontade é satisfeita, a pessoa experimenta uma emoção agradável, sensação esta chamada de prazer. Se uma coisa é agradável surge o desejo de repeti-la, não é verdade?? Neste caso, assim como um beija-flor vive de flor em flor, a criança vive de prazer e prazer. Esta prática pode se tornar um vício para aquela criança, que por sua vez, carregará este vício para a fase adulta. Ela estará sempre buscando sentir aquela sensação agradável, aquela sensação gostosa. Isto é uma coisa natural para uma criança. Será que para um adulto também seria uma coisa natural?? Esta característica infantil é também uma característica adulta?? Será que a criança deve permanecer com esta característica durante todo o seu crescimento??

Isto é uma característica infantil, não é mesmo??

Será que a criança fica saciada de sentir uma sensação agradável??

PRAZEREsta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): emoção agradável, ligada à satisfação de uma vontade.

prazer

v. (1152) 1 t.i.int. e pron. m.q. aprazer n s.m. 2 sensação ou emoção agradável, ligada à satisfação de uma vontade, uma necessidade, do exercício harmonioso das atividades vitais etc.; alegria, contentamento, júbilo, satisfação <ria de puro p. de viver> <o p. do dever cumprido> 2.1 deleite sexual 3 boa vontade, agrado <hospedou-os com p.> 4 diversão, distração, divertimento gram a respeito da conj. do verbo, ver -azer etim lat. placèo,es,cùi ou cìtus sum,placére 'agradar' sin/var ver antonímia de desgosto ant ver sinonímia de desgosto

VÍCIO – Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): defeito ou imperfeição grave; hábito de fazer algo;

vício

s.m. (sXIII) 1 defeito ou imperfeição grave de pessoa ou coisa 2 qualquer deformação que altere algo física ou funcionalmente <o v. da balança> 3 disposição natural para praticar o mal e cometer ações contra a moral; depravação 4 tendência específica para (algo indecoroso ou nocivo) ou qualquer ato ou conduta por essa tendência motivada <v. do jogo> 5 qualquer costume supérfluo, prejudicial ou censurável 6 p.ext. hábito de fazer algo; mania <o v. de estalar os dedos> 7 p.ext. erro contra as regras da linguagem ou de um outro saber <cometer v. de linguagem> <efetuar cálculos sem vícios> 8 dependência que leva ao consumo irresistível, esp. de bebida alcoólica ou substâncias estupefacientes 9 B N.E. infrm. o hábito de comer terra; geofagia 10 MG B N.E. o cio dos animais despontar o v. B S. satisfazer um hábito <o licor não é dos melhores, mas dá para despontar o v.> etim lat. vitìum,ìi 'falta, defeito, vício' sin/var ver sinonímia de cio e imperfeição ant virtude; ver tb. sinonímia de perfeição par vicio(fl.viciar)

O vício revela ser uma conduta sem freio. O viciado revela ter um desejo irresistível em fazer algo ou em sentir algo. O viciado mostra-se dependente daquela sensação agradável, mostra-se um escravo daquela sensação agradável. O que acontece quando não consegue satisfazer aquela vontade?? Ora, o viciado fica irritado com todos ao redor dele por não realizarem sua vontade. Por vezes, pode até mesmo se tornar violento com pais, mães, irmãos e demais pessoas do seu convívio, objetivando saciar aquela vontade. Trata-se de uma conduta desenfreada. Muitas crianças têm dificuldades de largar o hábito da chupeta (uma sensação agradável). Trata-se de um defeito grave, pois a pessoa revela não ter controle sobre o que faz.

No entanto, o que ocorre tempos depois??

Não fica envergonhada, se alguém registrou com fotos ou vídeos, aquela criança acima de certa idade, estando apegada a sua chupeta?? Percebemos que se trata de um aprendizado, não é mesmo??

Embora a criança não saiba, ela está começando a aprender a manipular o seu próprio sentimento.

A criança precisa aprender a manipular o seu próprio sentimento.

A criança precisa aprender a abrir mão de suas vontades.

Quem deve ir informando isso para a criança??

Não é o pai quem tem a obrigação de ensinar a criança a começar a manipular o seu próprio sentimento??

Por vezes, este desejo desenfreado é mais forte do que o medo da morte, logo, a satisfação do desejo se torna mais importante do que a própria vida. Ele arriscará a sua vida toda vez que sua vontade for despertada. O que realmente importa para este humano?? Não é a satisfação de sua vontade??

O que ocorre quando esta pessoa passa a comandar outras pessoas?? Será que ela porá a vida de outros em risco somente para satisfazer um desejo seu?? Ora, se ele não se importa com a sua própria vida, o que será da vida dos demais??

Se as palavras, REALIZE-SE A TUA VONTADE (ditas para Deus), forem proferidas por uma pessoa sincera, o que realmente representará?? Embora seja sincera, uma pessoa poderá fazer tal afirmação sem realmente saber do que está falando?? Sim. Ela poderá simplesmente achar que sabe. Poderá tratar-se de uma afirmação superficial, sem qualquer profundidade. O ser humano faz muitas afirmações, mesmo desconhecendo o que realmente está envolvido nela. Podem afirmar coisas apenas para sentir-se parte de uma coletividade (grupo), ou seja, apenas para ser vista como uma pessoa normal, simplesmente para participar de um diálogo, simplesmente porque achou bonito ou um outro motivo que esta pessoa ache válido. Tal afirmação poderá fazer parte de um ritual que lhe foi passado desde a infância, no entanto, sem qualquer explicação, tornando-se para ela um mero vício. Por que isto é assim?? Ele dirá simplesmente: “Porque sim”.

Esta afirmação que fazemos para nosso Pai nos céus pode ter um sentido para nós que afirmamos e uma outra para nosso Pai que a ouve. Isto pode acontecer?? Decerto que sim.

Um detalhe que não pode passar despercebido é que foi o próprio Pai quem nos revelou o que Ele gostaria de ouvir de nós; foi o próprio Pai quem criou esta oração. Ora, se foi o próprio Pai quem criou tal oração e nos mandou fazê-la, o que Ele deseja que o humano perceba?? Ora, trata-se de um diálogo que estamos tendo com o nosso Pai. Jesus, o nosso Instrutor, revelou-nos que esta é uma das vontades do Pai em relação a seus filhos. Logo, passamos a perceber quão importante é sabermos o que realmente estamos pedindo ao Pai. O Pai tem uma vontade.

Que questão interessante nos salta aos olhos??

Ora, o Pai tem uma vontade e esta vontade Dele não está sendo feita.

Ora, o Pai não está satisfazendo uma vontade Sua??

Uma pessoa Todo-poderosa, e que não está satisfazendo uma vontade sua?? Não é por falta de capacidade, não é mesmo?

O que será que o Pai está aguardando para satisfazer Sua vontade??

Será que o Pai está sem poder para realizar Sua vontade??

Será que o Pai não tem capacidade para realizar Sua vontade??

Já que o Pai nunca deixou de ser Poderoso, isto significa que existe algo sobre a vontade de Deus que precisamos entender.

Se você é filho, o que você deseja?? Você deseja satisfazer a vontade de seus pais ou você deseja que seus pais satisfaçam a tua vontade, satisfaçam os teus desejos, por sempre disponibilizar aquelas coisas que achamos gostosas? Você deseja usá-los para satisfazer as tuas vontades?? Você deseja ser usado por eles para que eles satisfaçam as vontades deles?? Eles te escolheram um nome, e agora?? Eles escolheram a roupa que vou usar, e agora?? Eles desejam que você seja um futuro veterinário, e agora?? Eles escolheram teu parceiro (a) para o futuro casamento, e agora?? Minha mãe decidiu me ensinar a cozinhar, e agora?? Ela decidiu me ensinar a limpar um banheiro, e agora?? Meu pai decidiu me ensinar a cuidar de galinhas, e agora?? Isto te deixaria feliz ou infeliz?? Ficaria frustrado por você não ter feito a tua escolha?? O que ocorre se eu não gostar destas coisas que eles estão me ensinando?? O que ocorre se eu não gostar das escolhas deles em relação ao que eu devo fazer??

Se você planeja casar, no que você pensa?? Pensa em se enquadrar nos desejos de alguém ou pensa em encontrar alguém que se enquadre em teus desejos, ou seja, alguém capacitado para satisfazer os teus desejos?? Não deveria ser alguém que se enquadre nos teus sonhos??

Quando um pai informa para seu filho a sua vontade, o que deve fazer um filho??

Neste momento, o filho é apresentado a uma palavra chamada obediência.

Neste momento, é esperado do filho que ele pratique o ato de obedecer.

Obedecer – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: submeter-se à vontade de (outrem)

obedecer Datação: sXIII

n verbo

transitivo indireto

1 submeter-se à vontade de (outrem)

Ex.: o. aos pais

transitivo indireto

2 estar sob o comando de; prestar vassalagem a

Ex.: durante a colonização, várias províncias ameaçaram não o. à metrópole

transitivo indireto

3 agir ou estar de acordo com

Exs.: o. às regras de trânsito

a escrita da História obedece às leis do discurso

transitivo indireto

4 ceder a (uma incitação ou sentimento); atender a

Ex.: o. aos chamados da natureza

transitivo indireto

5 estar submetido a uma força, a uma necessidade natural

Ex.: os animais obedecem aos instintos

intransitivo

6 reagir a um movimento coordenado; funcionar corretamente

Ex.: o freio do automóvel não mais obedece



A pessoa vai se submeter.

Neste caso, o filho vai submeter-se à vontade de seu pai.

Como??

Por fazer aquilo que o seu pai pediu para ser feito.

Mas, e a vontade do filho??

Bem, o filho precisa abrir mão de sua vontade para satisfazer a vontade do seu pai.

Vemos a necessidade do filho saber manipular a sua própria vontade, não vemos??

No entanto, quais podem ser as reações do filho??

O filho não sabe manipular sua vontade, e não quer abrir mão dela.

Bem, isso vai gerar um problema, não vai??

Certamente.

O que fazer para resolver este impasse??

Isto é um problema real, e que necessita de uma sábia solução.

O que o filho proporá a seu pai??

Neste caso, até mesmo uma troca passa a ser vista como a coisa natural. Eu faço algo para ele visando que ele faça algo para mim. Eu já fiz isto para você; agora é a tua vez de fazer isto por mim. A pessoa espera uma troca.

Percebemos que pode ser uma outra pessoa qualquer que não seja o pai ou mãe, não é verdade??

Neste caso, você dá algo que a outra pessoa deseja, esperando receber algo que você deseja.

Você estará praticando o verbo trocar.

Está praticando uma ação de troca, de permuta.

Troca – esta é definição dada pelo dicionário Houaiss: transferência mútua de qualquer coisa entre seus respectivos donos

troca Datação: a1552

n substantivo feminino

1 ato ou efeito de trocar(-se)

2 transferência mútua de qualquer coisa entre seus respectivos donos

3 m.q. substituição ('colocação')

4 conversão, mudança, transformação



Neste caso, seria uma simples troca de um prazer por um outro prazer ou algo que interesse àquela outra pessoa.

Também pode haver um comércio.

Passa a existir uma negociação, um comércio com negociação.

Comércio – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: troca de mercadorias ou serviços com o objetivo de lucro.

comércio

s.m. (1510) 1 atividade que consiste em trocar, vender ou comprar produtos, mercadorias, valores etc., visando, num sistema de mercados, ao lucro; negócio 2 conjunto dos comerciantes 3 conjunto dos estabelecimentos que comerciam num determinado lugar <o c. local não abriu> 4 estabelecimento comercial; venda, loja 5 fig. relação social ou afetiva <manter um c. cordial com os amigos> 6 fig. pej. contato corporal íntimo <c. carnal> ² c. eletrônico intern tipo de comércio em que as transações são feitas pela internet • c. exterior ou externo o que é realizado por meio de permuta de produtos entre países diferentes • c. interior o que se efetua dentro de um país • livre c. econ sistema de comércio em que os produtos importados são taxados de uma forma a permitir um preço igual ao dos produtos internos do país ¤ etim lat. commercìum,ii 'id.' ¤ par comercio(fl.comerciar)


Em relação a satisfação de vontades, devemos ser “negociadores”??

Usamos o dinheiro como o meio (elo) para satisfazermos os nossos desejos. Assim, quanto mais dinheiro nós tivermos, mais desejos nós poderemos satisfazer. Em face disto, todos se empenham avidamente em ter dinheiro. As crianças, assim como os de mais idade sonham em ter dinheiro. O que objetivam?? Satisfação de vontades. Sendo assim, o dinheiro é o objeto de desejo dos humanos. Poderíamos afirmar que o dinheiro é o objeto nº1 do nosso desejo. É a nossa prioridade. Trata-se de um MEIO para chegar a um FIM. Nós podemos COMPRAR a satisfação de nossas vontades??

PARA SATISFAZER A SUA VONTADE, O HUMANO TRANSFORMA AQUILO QUE NÃO É, NAQUILO QUE ELE QUER QUE SEJA. Isto ocorre primeiro dentro da mente do humano.

Temos usado o dinheiro exatamente para isto, não é verdade??

A história também tem revelado que muitos humanos têm buscado usar outros humanos para poderem satisfazer suas vontades, alguns usando a força bruta, enquanto outros se utilizam de todos os outros artifícios menos violentos, inclusive a chantagem emocional. Assim, passam a ver outras criaturas como uma extensão de seus corpos na busca da satisfação pessoal. Assim alguém “B” é visto como alguém que pode ser usado para satisfazer a vontade de “A”.

Durante os milênios de história, quando suas forças humanas se mostram insuficientes, o humano tem buscado usar seus “deuses” como um meio de satisfazer as suas vontades. Buscando satisfazer a “vontade”, tais humanos também têm procurado USAR seus deuses para proteger seus bens conquistados e armazenados, bens usados para satisfazer as vontades pessoais, sendo bens usados para fornecer aquela sensação agradável. Muitos têm buscado TROCAR alguma coisa com os seus deuses em prol da satisfação de suas vontades. Muitos queriam TROCAR a obediência a certas regras, por receber algumas bênçãos em troca. Neste caso, estes estão revelando o desejo de obter um LUCRO por estarem satisfazendo a vontade de alguém.

O que eu ganho por fazer esta tua vontade??

Esta é a pergunta que geralmente fazem. Muitos tentam COMPRAR a atenção e a dedicação de seus deuses (aqueles que podem satisfazer suas vontades) com presentes, que, segundo eles, alegram o coração de seus deuses, deixando-os mais flexíveis, mais fáceis de manipular ou até mesmo subservientes. Muitos acreditam que quando seus deuses não satisfazem seus pedidos é porque estes deuses estão zangados, e, logo buscam apaziguar seus deuses, lhes oferecendo um “agrado”. Aqueles que conseguem armazenar coisas, satisfazendo suas vontades, até mesmo tiram a vida daqueles que destas coisas necessitam, chegando ao ponto de estabelecerem negociações com seus deuses visando a destruição de outras vidas, quando tais necessitados se rebelam e decidem conquistar coisas já armazenadas por alguém. Alguns que desejavam conquistar riquezas (lucro) ofereciam o “sacrifício” da obediência a certas regras estipuladas por seus deuses, como se a obediência fosse uma moeda de troca. Assim os humanos têm buscado comprar ou escravizar seus próprios deuses e usá-los para a satisfação de suas vontades.

Ora, ora, um deus é alguém com quem você se comunica, logo, inteligente, e que é mais poderoso do que você, por isso, você pede a ele que faça aquilo que você não tem poder e nem capacidade para fazer, não é isto?? Muitas vezes, os humanos procuram trocar algo com os seus deuses, para que seus deuses possam lhes ser SUBSERVIENTES. Assim, humanos têm buscado MANIPULAR a vontade de seus deuses de acordo com suas próprias vontades, ou seja, na busca de seus interesses.

Percebemos que isto é coisa de criança, não é mesmo??

Como posso querer manipular alguém que é mais sábio do que eu???

Reações daqueles que não têm suas vontades satisfeitas.

Àquele que satisfaz suas vontades, ele ama, ele passa a amar, e por sua vez, ele não ama àquele que não satisfaz as suas vontades, e se o amava antes, então deixa de amá-lo. Aquele que não satisfaz a minha vontade passa a ser alguém imprestável.

Pessoas até mesmo têm-se tornado escravas de suas próprias vontades, fazendo qualquer, qualquer coisa, para satisfazer tais vontades, ou seja, prejudicando tanto a outros como a si mesmas, na busca da satisfação destas vontades. Podemos chegar ao ponto de encararmos a satisfação da vontade como algo mais importante do que nossa própria vida, mais importante do que continuar vivendo. Ora, que perigos constantes estarão correndo todos os outros humanos quando existe alguém assim, ou seja, um escravo de suas próprias vontades, estando este perto ou longe dele, não é mesmo?? Pai, mãe, marido, filho, irmão, amigo, vizinho, todos podem ser prejudicados. Ora, se para ele (a), a satisfação da vontade é mais importante do que sua própria vida, o que dizer de outras vidas?? Quem coloca sua vida em risco por fazer algo, ou seja, qualquer coisa gostosa (prazer), que poderá matá-lo a curto, médio ou longo prazo, representa um grande perigo para si mesmo e um grande perigo para outras pessoas. O que acontece quando coisas e pessoas aparecem como obstáculos à satisfação de suas vontades?? Na prática, as demais vidas não têm valor, não têm o real valor que elas possuem. Têm um valor que ele atribui a tais vidas naquele instante, um valor superficial. Pode até mesmo chorar por elas em um instante e em outro matá-las ativa ou passivamente. “Ativamente” por fazer algo que contribua diretamente para a morte desta pessoa. “Passivamente” por deixar de fazer algo que salve a vida desta pessoa, como por exemplo, deixá-la morrer de fome ou de frio, quando este tem a condição de ajudar. Filhos têm matado seus pais quando estes se tornam obstáculos à satisfação de alguma vontade sua de filho, ou mesmo quando seus pais, antigas fontes da satisfação de suas vontades, deixa de ser tal fonte.

Pais também têm matado filhos. Pais humanos também têm visto seus filhos como objetos a serem usados para a satisfação de suas vontades pessoais e passando a impor aos filhos estas suas vontades ou usando a coação para que seus filhos satisfaçam estas suas vontades. Ele fará isto quando encontrar uma boa justificativa para fazê-lo, principalmente se esta pessoa estiver em oposição à satisfação de alguma vontade sua. Tais pessoas imaginam que a outra pessoa tem a obrigação de satisfazer suas vontades. Filhos imaginam que seus pais são obrigados a satisfazerem suas vontades de filho, e que existem exatamente para isso.

Ora, nós vivemos em um mundo onde se prioriza a busca da satisfação das vontades pessoais. Neste caso, que valor é dado àquele que se torna um obstáculo?? Vivemos em um mundo em que os vencedores são valorizados, aplaudidos e invejados exatamente por terem conseguido satisfazer suas vontades. Os obstáculos são desvalorizados?? Sim. Vivemos em um mundo onde os filhos são ensinados e incentivados a buscarem e satisfazerem suas vontades. Todos os filmes, desde os infantis até os adultos ensinam e exaltam a satisfação de vontades. Exaltam os “VENCEDORES” que persistiram na busca da realização de suas vontades. Por vezes os sonhos se transformam em vontades. Estas pessoas são chamadas de “pessoas que venceram na vida”. Estas pessoas são exaltadas e usadas como um bom exemplo a ser seguido. Assim, estas pessoas são enaltecidas, e obviamente, invejadas. Os filmes e os seriados como novelas, induzem o humano a ficar torcendo para que o personagem finalmente consiga satisfazer sua vontade, independente do que ele faça para remover os obstáculos. Os vencedores são sempre pessoas sorridentes e felizes, independente da situação dos vencidos. A felicidade está intimamente ligada à satisfação da vontade. A satisfação da vontade proporciona uma agradável sensação, uma emoção agradável. Aquele que consegue satisfazer a sua vontade está sempre sorridente e feliz. O “final feliz” se dá quando o personagem consegue satisfazer a sua vontade. Nunca antes na história humana, esta busca individual foi tão exaltada, tão incentivada e tão praticada. Nunca, em nenhum outro ponto da história, o “eu” foi tão valorizado e glorificado. As pessoas querem ser “felizes” a qualquer custo. Criou-se então a regra de que somente será feliz, aquele que consegue realizar suas vontades (sonhos).

O que ocorrerá comigo se eu acreditar nesta regra e passar a viver segundo ela??

Depois que eu consigo satisfazer uma vontade, tendo aquela sensação gostosa, será que eu fico eternamente satisfeito ou esta sensação logo acaba?? Quanto tempo dura esta sensação gostosa? Quando esta sensação gostosa acaba, o que é que eu desejo?? Não sinto um vazio e um grande desejo de repetir aquela sensação outra vez??

Muitos têm até mesmo afirmado que os mais fortes e os mais capacitados é que sempre sairão vencedores, afinal, trata-se de uma competição. Afirmam que isto é uma seleção natural. Os mais fortes se utilizam dos mais fracos para seus propósitos (satisfação de vontades); isto é uma coisa natural. Aqueles que têm mais conhecimentos manipulam e usam os que possuem menos conhecimentos de acordo com suas vontades. Quem mandou você nascer no grupo dos menos capacitados?? Será que isto é uma coisa normal?? Para muitos, sim, isto é muito natural, desde que estejam no grupo dos mais capacitados, obviamente.

Os que têm vontades mais fortes vivem a superar os que têm uma fraca vontade, e assim, passa a existir uma imposição de vontades. Desta forma, os mais insistentes superam os menos insistentes.

No passado não muito distante, a força é que era usada, ou seja, os mais fortes é que satisfaziam suas vontades, utilizando-se dos mais fracos. Os mais fortes se tornavam mais ricos e usavam os mais pobres para continuarem a satisfazer suas vontades.

Esta era uma “realidade” produzida e vivida no dia a dia. No entanto, esta realidade era o fruto de uma “fantasia”, pois na verdade, todos os seres humanos devem ser livres e não deveriam ser obrigados a viverem satisfazendo as vontades de outros.

Depois de certo tempo, surgiu a ideia de que Deus havia determinado que certos humanos fossem escravos de outros humanos.

Veja este exemplo acontecido com os filhos de Noé.

(Gênesis 9:24-27) 24 Por fim, Noé acordou do seu vinho e soube o que lhe havia feito seu filho mais moço. 25 Ele disse então: “Maldito seja Canaã. Torne-se ele o escravo mais baixo de seus irmãos.” 26 E acrescentou: “Bendito seja Jeová, Deus de Sem, E torne-se Canaã escravo dele. 27 Conceda Deus amplo espaço a Jafé, E resida ele nas tendas de Sem. Torne-se Canaã também escravo dele.”



Assim verte a Tradução Brasileira:

(Gênesis 9:24-27) 24 Despertando Noé do seu vinho, soube o que seu filho mais moço lhe fizera. 25 E disse: Maldito seja Canaã; Servo dos servos será de seus irmãos. 26 E acrescentou: Bendito seja Jeová, o Deus de Sem; E seja-lhes Canaã por servo. 27 Dilate Deus a Jafé, E habite Jafé nas tendas de Sem; E seja-lhes Canaã por servo.

Neste caso, esta informação serviria para que o escravizado pudesse ser mantido na sua condição, sob o pretexto de, caso houvesse rebeldia, seria uma rebeldia contra Deus.

O filho mais velho e toda a sua descendência passou a ser usado como escravo.

Caso ele se rebelasse desta condição, estaria se rebelando contra uma ordem de Deus??

Óbvio que não.

Tratava-se apenas da ordem de um pai parcial com seus filhos, netos, bisnetos, etc..., muito embora, alguém pudesse afirmar que, tendo Noé a bênção de Deus, todas as palavras e ações de Noé teriam a APROVAÇÃO de Deus.

Desta forma, Canaã e seus descendentes foram desvalorizados diante de seus irmãos, que passavam a vê-los como humanos inferiores a eles, pois eram “amaldiçoados”. Assim, a palavra de Noé transformou um igual filho, em um amaldiçoado filho aos seus olhos. E aos olhos dos demais filhos??

Neste caso, o abençoado passava a ser o valorizado e o amaldiçoado passou a ser o desvalorizado. O que ocorria na prática do dia a dia??

Ora, o abençoado passava a se ver e a se sentir em uma condição mais valorizada diante do seu irmão amaldiçoado. O amaldiçoado passava a ser alguém sem valor. Aquele amaldiçoado passava a ser um ex-filho do seu pai, logo, passava a ser um ex-irmão, alguém que foi rebaixado.

Ora, que tratamento deve ser dado a alguém que não tem valor??

Bem, aos olhos dos demais filhos de Noé, Canaã passou a ter um valor abaixo deles, pois não passava de um amaldiçoado, aquele que o pai Noé havia desprezado e amaldiçoado de forma perpétua, julgando-o como alguém sem nenhum valor. Desta forma, o sentimento de Sem e Jafé em relação ao seu irmão, mudou de igualdade de irmão para a visão de alguém a ser usado como mero escravo.

Que poder não teve a palavra de um pai chamado Noé, no relacionamento entre seus próprios filhos, não é verdade??

Que valor é atribuído aos menos capacitados?? Um Alto valor ou um Baixo valor??

Assim, os perdedores passam a ser desvalorizados, ou seja, considerados inferiores aos vencedores. Nesta situação, todos vivem uma intensa competição, obviamente objetivando se saírem vencedores, afinal de contas, são os vencedores que satisfazem suas vontades e os vencidos satisfazem as vontades dos vencedores. Assim os perdedores mostram ser apenas objetos que precisavam ser removidos ou manipulados e usados. Este jogo passa a ser um autêntico “vale tudo”, gerando e aumentando a “insensibilidade”.

Insensibilidade – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: incapacidade de experimentar sentimentos de afeição, de amor, de piedade, pena, etc.;

insensibilidade

s.f. (sXV) 1 estado ou característica daquilo que é desprovido de sensibilidade a estímulo físico <i. ao frio> 2 incapacidade de emocionar-se, de experimentar sentimentos de afeição, de amor, de piedade, pena etc.; frieza, indiferença, dureza 3 indiferença a certos valores e realidades de ordem estética ou intelectual, ou incapacidade para percebê-los <i. para música> <i. para apreciar uma pintura> ¤ etim insensível com o suf. vel sob a f. lat. -bil(i)- + -dade ¤ sin/var ver sinonímia de indiferença ¤ ant sensibilidade; ver tb. antonímia de indiferença


Percebemos que no relacionamento em grupo, o humano necessita possuir sensibilidade.

Sensibilidade – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: faculdade de sentir compaixão, simpatia pela humanidade; piedade, empatia, ternura....

sensibilidade

s.f. (1672-1693) 1 qualidade do que é sensível <a s. do ser humano> 2 emoção, sentimento, esp. a faculdade de sentir compaixão, simpatia pela humanidade; piedade, empatia, ternura <nem todo brutamontes carece de s.> 3 faculdade de receber informações sobre as mudanças no meio (externo ou interno) e de a elas reagir; excitabilidade, receptividade <s. de um ser vivo, de um órgão etc.> 4 facilidade para ser ferido ou incomodado por algum agente físico <s. ao sol> 5 capacidade de captar e expressar sentimentos e coisas <a s. do artista> 6 disposição especial para sentir influências, para se ofender, se melindrar; suscetibilidade <ferir as s.> 7 disposição favorável em relação a algo; simpatia, solidariedade <já na adolescência, teve sua s. despertada para o problema social> 8 capacidade de detectar e amplificar minúsculas variações (de uma grandeza qualquer) <a s. de uma balança> 9 capacidade de reação imediata a um contato qualquer <bomba-relógio de alta s.> 10 aut o menor sinal de entrada capaz de produzir, num sistema, um sinal de saída com características específicas 11 est probabilidade de que um teste estatístico seja positivo para uma verdade estatística 12 fil faculdade responsável pela recepção das impressões sensoriais, tal como o vínculo inicial e intuitivo que o ser humano estabelece com os objetos do conhecimento 13 p.ext. fil no tomismo e no kantismo, a disposição afetiva ou passional diretamente vinculada às impressões sensoriais, e em conflito potencial com os ditames éticos da razão 14 fís capacidade apresentada pelos instrumentos de medida de reagirem a sinais, ger. definida pela magnitude do menor sinal capaz de ser detectado 15 fot reação a determinada quantidade de luz <s. de uma emulsão fotográfica> 16 med grau de alteração ou reatividade de um organismo a algum fator ou substância específicos ¤ etim lat.tar. sensibilìtas,átis 'sentido, significação' ¤ ant insensibilidade




Jeová, aquele que é o livre-arbítrio em pessoa, criou e nos entregou uma oração.

Jeová, aquele que é a igualdade em pessoa, criou e nos entregou esta oração.

No entanto, a oração ensinada por Jesus nos induz a pedir a Deus, que Ele faça a Sua vontade aqui na terra, que Ele satisfaça Seus desejos aqui na terra. Bem, isto significa que Jeová tem vontade própria assim como qualquer ser humano?? Decerto, que sim. Isto significa que Deus tem uma VONTADE em relação a toda a terra e a todos os humanos nela?? Sim, Ele tem.

Como pode acontecer isto?? Como pode Jeová ter a Sua vontade satisfeita? Como pode Jeová realizar o Seu desejo??

Bem, só o fato de estarmos vivos já é o resultado da satisfação da vontade de Jeová. As plantas produzirem flores e frutos também é o resultado da satisfação da vontade de Jeová. Os pássaros voarem livres nos céus também é o resultado da satisfação da vontade de Jeová. A existência da água salgada dos mares e da água doce dos rios também é o resultado da satisfação da vontade de Jeová.

Como poderia uma pessoa Todo-poderosa não estar satisfazendo a sua vontade aqui na terra?? Esta pessoa ainda cria uma oração e nos dá, para que peçamos a Ele que Ele faça a Sua vontade aqui na terra?? Será que estamos pedindo que o Pai use a força para que Sua vontade seja feita aqui na terra??

Será que a existência de filhos “ricos” e de filhos “pobres” é o resultado da satisfação da vontade de Jeová, o nosso Pai??

Será que a existência de filhos que acumulam coisas para si mesmos, também é o resultado da satisfação da vontade do nosso Pai??.

Será que a existência de filhos que impõem suas vontades sobre outros filhos é a satisfação da vontade do Pai??

Será que a existência de filhos que fazem chantagem sentimental para terem suas vontades satisfeitas é a satisfação da vontade do Pai??

Seja feita a tua vontade - Bilhões de pessoas já disseram isto pra Jeová. Fizeram isto ao repetir a oração criada pelo Pai Celestial e que nos foi ensinada por Jesus. Bilhões de pessoas falam isto para Jeová todos os dias. Mesmo agora, muitos estão afirmando isto para Jeová, o Nosso Pai. Assim está transcrita esta oração: (Mateus 6:9-10) 9 Portanto, tendes de orar do seguinte modo: “‘Nosso Pai nos céus, santificado seja o teu nome. 10 Venha o teu reino. REALIZE-SE A TUA VONTADE, COMO NO CÉU, ASSIM TAMBÉM NA TERRA.

Assim verte a Tradução Brasileira: (Mateus 6:9-10) 9 Portanto orai vós deste modo: Pai nosso que estás nos céus; santificado seja o teu nome; 10 venha o teu reino; SEJA FEITA a tua vontade, assim na terra, como no céu.

Tem o Pai tem uma “vontade” em relação a como eu devo viver o meu dia a dia??

Tem o Pai uma “vontade” sobre a forma como eu devo me comportar no meu dia a dia??

Tem o Pai uma “vontade” sobre a forma como eu devo me relacionar com outras pessoas??

Tem o Pai uma “vontade” sobre as coisas que eu devo gostar??

Tem o Pai uma “vontade” sobre as coisas que eu devo fazer??

Tem o Pai uma “vontade” sobre o “como” eu devo fazer as coisas??

Tem o Pai uma “vontade” sobre como deve ser a minha personalidade??



Estaria a vontade de Deus em rota de colisão com as vontades dos humanos?? Será que eu sou um OBSTÁCULO à realização da vontade de Deus?? Será que Jeová me vê como um “obstáculo” a ser removido? Se eu for realmente um obstáculo, deverei ser simplesmente removido?? Estariam os desejos de Deus em rota de colisão com os desejos dos humanos?? Estando em rota de colisão, o que se deve fazer??

Será que o Pai Jeová deve impor a Sua vontade??

Ele é o mais forte, não é??

Chegamos assim a uma incógnita. Chegamos a um sério problema que não pode deixar de ser resolvido.

INCÓGNITA – esta é a definição dada por certo dicionário (Houiaiss):

incógnita Datação: 1836

n substantivo feminino

1 Rubrica: matemática.

grandeza a ser determinada na solução de uma equação, de um problema [símb.: x]

2 Derivação: por extensão de sentido.

aquilo que se desconhece e se busca saber

3 Derivação: por extensão de sentido.

dado que não se pode avaliar, que se ignora; enigma, mistério

Ex.: nossa política financeira é uma i.



Chegamos assim a um impasse.

IMPASSEesta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss):

impasse Datação: sXX

n substantivo masculino

1 situação aparentemente sem solução favorável

Ex.: as negociações estão num i.

2 Derivação: por extensão de sentido.

dificuldade insolúvel; beco sem saída

3 Derivação: por extensão de sentido.

qualquer fato ou coisa que dificulta ou impede; embaraço, empecilho



Como primeira sugestão humana, o Criador poderia retirar o nosso livre-arbítrio, retirando assim estas vontades pessoais e assim todos fariam a vontade de Deus, exatamente assim como as plantas e os animais já o fazem. Ele tem o Poder para fazer as coisas desta forma, mas não é este o Seu desejo (de Deus).

Outra sugestão seria fazer as duas coisas, ou seja, satisfazer as duas vontades. O humano estaria fazendo a vontade de Deus durante um período e depois gozaria de umas férias, nas quais ele poderia fazer a sua própria vontade. Será que isto daria certo?? Bem, isto seria uma troca, não é verdade?? Outra sugestão seria o uso da força. E não adiantaria formar grupo de resistência contra Deus, adiantaria?? Neste caso, embora você persista com a tua vontade, você se resigna por aceitar uma IMPOSIÇÃO da vontade de Deus???

Será que haveria mais sugestões?? O humano poderia aceitar tal vontade por falta de uma melhor opção??? Até então, o humano seria infeliz, pois não estaria satisfazendo a sua vontade. Ou será que o humano poderia PASSAR A TER O MESMO DESEJO, a mesma vontade de Deus?? Como isto seria possível?? No caso de Jeová, até onde vai este desejo, esta vontade?? Quão profundo é este desejo?? Quão profunda é esta vontade?? Em que ponto é que Jeová desistiria de realizar Sua vontade (Dele)?? E no caso do ser humano, quão profundo é este desejo, quão profunda é esta vontade?? Em que ponto é que o humano desistiria de realizar a vontade de Jeová, que agora passou a ser a vontade deste humano?? VONTADE” é o que motiva o ser humano a fazer qualquer coisa. O ser humano também pode fazer coisas contra a sua “vontade”. Neste caso ele está simplesmente aceitando uma situação que lhe é imposta de forma temporária ou definitiva. Ele poderia estar negociando. Embora eu não goste, eu faço a tua vontade para depois você fazer a minha. Bem, isto seria uma troca de prazeres, não é verdade?? Também poderá estar aceitando a imposição da “vontade” de outra pessoa, por não ter outra opção naquele momento ou para usufruir de uma vantagem pessoal imediata ou futura. Isto revela que a pessoa queria estar fazendo algo diferente, outra coisa; sua vontade era estar fazendo outra coisa; seu desejo era estar fazendo algo diferente ou estar em outro lugar diferente. Ele está infeliz e desejando a felicidade. Ele estará fazendo um sacrifício momentâneo e sonhando e aguardando o seu momento de felicidade. Ele está plantando aqui para colher ali.

Será que o Pai Jeová poderia “impor” Sua vontade ao humano??

Imporesta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: forçar a cumprir

impor

v. (sXIV) 1 t.d.bit. e pron. tornar obrigatório ou indispensável; forçar(-se) a cumprir <i. um novo regime de trabalho (aos alunos)> <ela se impôs pesadas tarefas> 2 t.d.bit. fazer que se apresente ao espírito; incutir, infundir, inspirar <a sua figura impunha respeito (a todos)> 3 t.d.bit. pôr em vigor; criar, estabelecer, fixar <o governo vem impondo (à população) pesados tributos> 4 t.d.bit. aplicar; cominar, infligir <i. um castigo> <o padre impôs-lhe pesada penitência> 5 bit. pôr sobre ou em cima; apor, sobrepor <i. as mãos na cabeça de alguém> 6 bit. imputar caluniosamente; assacar <impuseram-lhe coisas que jamais fez ou disse> 7 t.i. e pron. afetar, dar(-se) aparência ou ares <i. de sábio> <gostava de i.-se como intelectual> ¤ gram a respeito da conj. deste verbo, ver gram no verbete pôr ¤ etim lat. impóno,is,posùi, posìtum,ponère 'pôr como obrigação, obrigar a, impor' ¤ sin/var ver sinonímia de exigir e obrigar ¤ par impunha(1ª3ªp.s.), impunham(3ªp.pl.), impúnhamos(1ªp.pl.), impunhas(2ªp.s.) / empunha, empunham, empunhamos, empunhas(fl.empunhar); impúnheis(2ªp.pl.) / empunheis(fl.empunhar)


Poder para isto Ele tem, não tem??

Vamos exemplificar. Uma pessoa perde um dos braços. Neste caso ela aceita esta imposição da situação. Ela não pode esquecer-se disto, pois ela vê em sua volta todos os dias, pessoas com dois braços realizando coisas que ela não pode mais fazer, que ela não tem mais a capacidade de fazer. Em outro caso, uma esposa aceita continuar casada por causa das vantagens materiais e do conforto que usufrui nesta relação, quando sua real vontade (real desejo) era estar vivendo uma outra vida. No mesmo caso, pode se achar um filho que, embora aceite a autoridade dos pais e obedeça-os, sua real vontade (real desejo) era estar vivendo uma vida de liberdade. No mesmo caso se encontra um filho que possui outros nove irmãos, sendo obrigado a aceitar este fato, mas que sua real vontade era ser um filho único. Um caso similar é de um filho que embora seja um dos gêmeos, não é o primogênito, e sua real vontade é a de ser o primogênito. Outro caso é de alguém que é pobre, cuja vontade é de ser alguém muito rico. Outro caso seria o de um escravo que não satisfeito com a escravidão, deseja avidamente a liberdade.

PARA SATISFAZER A SUA VONTADE, O HUMANO TRANSFORMA AQUILO QUE NÃO É, NAQUILO QUE ELE QUER QUE SEJA. Obviamente, o primeiro lugar onde isto ocorre é dentro na mente do humano.

Um exemplo clássico desta afirmação acima encontra-se nesta realidade plenamente observável nesta geração, em que pessoas que nasceram com o sexo masculino, mas, cuja vontade é ser do sexo feminino, ou o oposto disso. Este humano faz de conta que é, e busca ser aquilo que ele não é. Este humano vive uma fantasia, e no entanto quer que as demais pessoas o ajudem a transformar aquela fantasia em uma realidade. Muitas vezes ele insiste até mesmo usar o seu “deus” para transformar em realidade este seu mundo de fantasia.

Muitos humanos, por serem obrigados a viver uma vida que não gostariam de estar vivendo, ficam deprimidos, adoecem e morrem. A FRUSTRAÇÃO DE NÃO ESTAR SATISFAZENDO A SUA VONTADE PODE LEVAR O HOMEM À MORTE. A infelicidade pode levar o homem a doença e a morte. Ainda outros fogem da frustração por viverem uma vida dupla, no entanto, estas pessoas não são autênticas, tampouco são felizes. Vivem uma eterna mentira, vivem uma perigosa vida mentirosa. Na verdade transformam-se em excelentes atores e atrizes, vivendo todo o tempo a representação de personagens, no entanto, a frustração persiste.

Em cada um dos exemplos acima, existe uma vontade ainda não satisfeita, muito embora os motivos possam ser bem diferentes. Cada um dos personagens acima apresenta sua vontade, embora não realizada. EM ALGUNS CASOS, ESTA VONTADE INDIVIDUAL ENTRARÁ EM CONFRONTO DIRETO COM OUTRAS VONTADES INDIVIDUAIS. Em outros casos, a satisfação da vontade individual causará sérios transtornos, inclusive emocionais, causará uma infelicidade na vida de outras pessoas. Neste caso, a satisfação da minha vontade pode representar até mesmo a morte para outros humanos?? Minha satisfação, minha felicidade, pode estar causando sofrimento em alguém?? Isto pode ocorrer até mesmo sem que eu perceba.

Opa! Sem que eu perceba?? Mas e se “eu” for uma inocente vítima de “alguém que não perceba” o mal que está fazendo a mim?? Esperem aí, chegamos aqui em outra INCÓGNITA, não é verdade?? Temos aqui outro sério problema que não pode deixar de ser resolvido? Eu não desejo ser vítima de ninguém e não desejo que meu filho (a) seja vítima de ninguém. Eu não quero ser um simples obstáculo que foi removido. Ser vítima é algo que sempre dói muito. Temos que resolver este problema, pois eu não quero sofrer como vítima de alguém. Eu não quero estar infeliz por culpa de outra pessoa qualquer, amiga ou inimiga. E também não quero isso para meu filho (a). Engraçado, mesmo agora eu estou considerando o meu filho como mais importante que o filho do meu vizinho, não estou?? Meus familiares diretos não devem ser mais importantes que os demais humanos?? O que será que o Pai Celestial pensa sobre isto?? (Mateus 7:12) 12 Todas as coisas, portanto, que quereis que os homens vos façam, vós também tendes de fazer do mesmo modo a eles; isto, de fato, é o que a Lei e os Profetas querem dizer.

Será que considerar o meu filho como sendo mais importante do que o filho do meu vizinho, também é a satisfação da vontade de Jeová, o nosso Pai?? Será este o pensamento e o sentimento do Pai?? Será que o Pai “também” considera um filho mais valioso que outro filho??

Bem, a qualquer momento eu posso me tornar uma vítima de alguém que não me dá o mesmo valor que ele dá a um parente seu, a um amigo seu, a um filho seu.

A qualquer momento?? Sim, a qualquer momento. Basta que a outra pessoa encontre um motivo “válido” para ela me ver como um obstáculo a ser removido, atribuindo-me um baixo valor, isto é, um valor mais baixo do que o valor que ela atribui a algumas pessoas.

Ao repetirmos a oração do “Pai nosso”, AFIRMAMOS ser nosso desejo, que a vontade de Deus seja realizada na terra. Ao repetirmos a oração do “Pai nosso” afirmamos CONCORDAR em que o Pai faça a sua vontade. AFIRMAMOS concordar com a vontade de Deus. Bem, temos de perguntar a nós mesmos se isto é verdade. Será que é isto mesmo que nós queremos?? O que será que isto realmente representará para minha vida, isto é, para o meu dia a dia?? Mas o que ocorrerá se a vontade de Deus estiver em oposição à minha vontade individual?? ATÉ ONDE eu admitiria que Deus se intrometesse na minha vida?? ATÉ ONDE a vontade de Deus INTERFERE na minha forma de viver a vida no dia a dia?? Será que eu chegaria ao ponto de ver a Deus como um OBSTÁCULO à realização de minha vontade?? Por exemplo, se eu desejo ser rico, e for da vontade de Deus que eu seja pobre? Neste caso eu vou ser um pobre e vou ser infeliz. Por exemplo, se eu nasci mulher e desejo ser um homem?? Vou ser sempre infeliz?? Outro exemplo: se for da vontade de Deus que eu não armazene nada enquanto que eu desejo armazenar coisas para mim?? É óbvio que determinadas vontades individuais humanas são apenas passageiras e outras não são realizáveis. Tendo eu nove irmãos, eu jamais poderei satisfazer a minha vontade de ser o filho único. Embora eu possa prejudicar diversas pessoas, eu nunca serei filho único, pois não posso mudar os sentimentos de meus pais para o meu benefício. Isto é uma realidade da qual eu faço parte; é uma realidade imutável. Depois de tanto tempo de nascido, como eu poderia passar a ser o primogênito?? Isto só poderia acontecer se eu embarcar em um mundo de fantasia. Isto significa que eu tenho de viver infeliz pro resto da minha vida?? Tenho de viver frustrado por não ter satisfeita esta minha vontade?? Neste caso, não estou desejando o que já pertence a outra pessoa?? Sim, estou. Bem, isto é cobiça. Não ficou caracterizado a existência de um erro?? Sim, e neste caso, o erro é meu. Eu posso ter uma vontade, e no entanto, esta vontade vai de encontro a uma realidade já existente, realidade esta que não pode ser modificada sem que haja prejuízo para outras pessoas.

Isto é algo interessante em relação à vontade, não é?? Sim, realmente é. Significa isto que, no lugar de sair desesperadamente atrás de satisfazer minha vontade, eu devo SEMPRE QUESTIONAR minhas vontades?? Bem, é o que parece.

Mas, e se eu fizer parte de um grande grupo?? Ora, mesmo que seja a vontade de todo o grupo, se houver uma única vítima, significa que há erro, não é verdade?? Sim, pois eu não gostaria de ser esta única vítima. Isto significa que eu não devo participar da vontade do grupo. Isto significa que não devo me deixar levar pela vontade de um grupo.

Será que a minha vontade é realmente a coisa mais importante?? Será que a satisfação da minha vontade deve ser realmente a coisa mais importante para mim?? Bem, não posso me esquecer das vítimas.

Ora, de novo, as vítimas?

É, de novo.

A “palavra” pode modificar a minha vontade. A “palavra” pode me convencer a substituir minha vontade por outra. A “palavra” pode me ajudar a substituir meus sentimentos. A “palavra” pode me explicar a razão dos meus atuais sentimentos. A “palavra” me fará enxergar o que está além da satisfação da minha vontade. A “palavra” me fará enxergar as vítimas. A “palavra” me fará valorizar as possíveis vítimas. A “palavra” me dará um coração sensível. Eu preciso ouvir a “palavra”, entender a “palavra”, gostar da “palavra” e aceitar a “palavra”. Onde encontrar tal “palavra”??

ABNEGAÇÃO – O QUE É ISTO?

Vejamos a definição dada por certo dicionário (Houaiss): renunciar, abrir mão de algo (vontade) em benefício de outro.

abnegação Datação: 1549

n substantivo feminino

ato ou efeito de abnegar

1 ação caracterizada pelo desprendimento e altruísmo, em que a superação das tendências egoísticas da personalidade é conquistada em benefício de uma pessoa, causa ou princípio; dedicação extrema; altruísmo

1.1 Rubrica: religião.

renúncia ascética à própria vontade em função de anseios místicos ou princípios religiosos

1.2 Rubrica: ética.

sacrifício voluntário dos próprios desejos, da própria vontade ou das tendências humanas naturais em nome de qualquer imperativo ético



ALTRUÍSMO – O que é isto?

Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): levar o próximo em consideração.

altruísmo

s.m. (1891) 1 fil segundo o pensamento de Comte (1798-1857), tendência ou inclinação de natureza instintiva que incita o ser humano à preocupação com o outro e que, não obstante sua atuação espontânea, deve ser aprimorada pela educação positivista, evitando-se assim a ação antagônica dos instintos naturais do egoísmo 1.1 amor desinteressado ao próximo; filantropia, abnegação etim fr. altruisme 'id.' sin/var ver sinonímia de beneficência e desprendimento ant egoísmo, filáucia, misantropia; ver tb. antonímia de desprendimento e sinonímia de malevolência


Um pai vive abrindo mão de certas vontades pessoais, sempre visando o que existe de melhor para seu filho.

Neste caso, o filho também precisa entender o que é o melhor para ele que o pai está visando, pois o filho pode ter uma ideia bem diferente do pai sobre o que é o melhor para ele.

EGOCÊNTRICO – O que é isto??

Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): atitudes e comportamentos voltados para si mesmos.

egocêntrico

adj.s.m. (1926) psic que ou quem exibe atitudes ou comportamentos voltados para si mesmo, de modo relativamente insensível às preocupações dos outros etim eg(o)- + -cêntrico



TORNE SUA, A MINHA VONTADE; faça da minha vontade a tua vontade; abandone a tua vontade e fique com a minha. (Marcos 8:34) 34 Chamou então a multidão a si, com seus discípulos, e disse-lhes: “SE ALGUÉM QUER VIR APÓS MIM, REPUDIE-SE A SI MESMO e apanhe a sua estaca de tortura, e siga-me continuamente.... (Lucas 9:23) 23 Ele prosseguiu então a dizer a todos: “SE ALGUÉM QUER VIR APÓS MIM, REPUDIE-SE A SI MESMO e apanhe a sua estaca de tortura, dia após dia, e siga-me continuamente.

Lembra da chupeta?? Lembra da vontade da criança em relação a sua chupeta??

O que?? Abrir mão da satisfação da minha vontade, para dar lugar à satisfação da vontade de outra pessoa que viveu e morreu há milênios. E minha felicidade, onde fica?? Para ser feliz eu tenho de satisfazer a minha vontade, não é esta a regra?? Para ser feliz eu não tenho de satisfazer os meus gostos?? Não é este o verdadeiro caminho para a felicidade??

Negar a si mesmo significa voluntariamente abir mão de sua vontade. Será que negar a si mesmo leva a pessoa a ser feliz?? Negar a si mesmo leva a pessoa a ser mais feliz do que aquela que não nega a si mesma??

Não podemos nos esquecer da incógnita que nós humanos chegamos, quando nos empenhamos na busca da satisfação pessoal. Não podemos nos esquecer de que a qualquer momento podemos nos tornar vítimas de alguém que está satisfazendo suas próprias vontades e passarmos a sofrer muito ou até mesmo morrer. Também podemos mesmo sem saber, estar fazendo outros sofrerem com a satisfação de nossas vontades. Isto significa que o nosso sorriso está causando lágrimas em outras pessoas. Ao ficar ciente disto, como você se sente?? Ainda continua feliz??

No caso da chupeta, quem será a única vítima dela?? Os efeitos colaterais da chupeta existem, não existem??

Não fica configurado tratar-se de uma questão de sensibilidade??

Bem, se você ainda não se importa, você precisa ser uma infeliz vítima. Sendo você a infeliz vítima, o que você desejaria que a outra pessoa fizesse?? Não desejaria deixar de ser infeliz??

Vamos ver um exemplo em que a satisfação da vontade de uma pessoa gerou muitas vítimas. Trata-se da decisão do rei Davi, que mesmo tendo sido admoestado, mesmo tendo outras pessoas tentando convencê-lo em não satisfazer sua vontade, ele manteve firme a realização de sua vontade, pois apesar dos apelos, Davi deixou-se levar por sua vontade: (2 Samuel 24:1-17) 24 E novamente veio a acender-se a ira de Jeová contra Israel, quando se instigou Davi contra eles, dizendo: “Vai, faze a contagem de Israel e de Judá.” 2 O rei disse, pois, a Joabe, chefe das forças militares, que estava com ele: “Por favor, percorre todas as tribos de Israel, desde Dã até Berseba, e registrai o povo, e eu hei de saber o número do povo.” 3 Mas Joabe disse ao rei: “Acrescente Jeová, teu Deus, ainda cem vezes mais do que são, vendo-o os próprios olhos do meu senhor, o rei. Mas, quanto ao meu senhor, o rei, por que se deleitou nesta coisa?” 4 Por fim PREVALECEU a palavra do rei sobre Joabe e os chefes das forças militares. Portanto, Joabe e os chefes das forças militares saíram de diante do rei para registrar o povo de Israel. 5 Cruzaram então o Jordão e foram acampar-se em Aroer, à direita da cidade que está no meio do vale da torrente, em direção aos gaditas e a Jázer. 6 Depois chegaram a Gileade e à terra de Tatim-Hodsi, e seguiram para Dã-Jaã e deram volta até Sídon. 7 Chegaram então à praça forte de Tiro e a todas as cidades dos heveus e dos cananeus, e chegaram ao ponto final no Negebe de Judá, em Berseba. 8 Assim percorreram todo o país e chegaram a Jerusalém ao fim de nove meses e vinte dias. 9 Joabe deu então ao rei o número do registro do povo; e Israel somou oitocentos mil homens valentes que puxavam da espada, e os homens de Judá eram quinhentos mil homens. 10 E o coração de Davi começou a bater nele depois de ter contado o povo. Por conseguinte, Davi disse a Jeová: “Pequei muitíssimo naquilo que fiz. E agora, Jeová, por favor, deixa passar o erro do teu servo; pois agi muito nesciamente.” 11 Quando Davi passou a levantar-se de manhã, veio a própria palavra de Jeová a Gade, o profeta, visionário de Davi, dizendo: 12 Vai, e tens de dizer a Davi: ‘Assim disse Jeová: “Três coisas te imponho. Escolhe para ti uma delas, para que eu ta faça.”’” 13 Concordemente, Gade entrou até Davi e informou-o, e disse-lhe: “Devem vir sobre ti sete anos de fome na tua terra, ou três meses em que foges diante dos teus adversários, perseguindo-te eles, ou a ocorrência de três dias de pestilência na tua terra? Agora sabe e vê o que devo responder Àquele que me envia.” 14 Por isso Davi disse a Gade: “É muito aflitivo para mim. Por favor, caiamos na mão de Jeová, porque são muitas as suas misericórdias; mas não caia eu na mão dum homem.” 15 Jeová deu então uma pestilência em Israel, desde a manhã até o tempo designado, de modo que PERECERAM dentre o povo setenta mil pessoas, desde Dã até Berseba. 16 E o anjo estava estendendo sua mão para Jerusalém, a fim de a arruinar; e Jeová começou a deplorar a calamidade e por isso disse ao anjo que causava a ruína entre o povo: “Basta! Abaixe-se agora a tua mão.” E sucedeu que o próprio anjo de Jeová estava perto da eira de Araúna, o jebuseu. 17 E Davi passou a dizer a Jeová, ao ver o anjo que golpeava o povo, sim, passou a dizer: “Eis que fui eu que pequei e fui eu que cometi a falta; mas estas ovelhas — que fizeram elas? Por favor, venha a tua mão sobre mim e sobre a casa de meu pai.”

Não ficou evidente o Baixo valor que foi atribuído por Davi às possíveis vítimas?? Decerto que sim.

Você gostaria que teu irmão, teu pai, tua mãe, tua esposa, (o) teu filho (a) estivessem entre estas setenta mil vítimas da satisfação da vontade de Davi?? Certamente que não gostaria.

O que pode ser feito para corrigir definitivamente estas incógnitas?? (Mateus 7:12) 12 Todas as coisas, portanto, que quereis que os homens vos façam, vós também tendes de fazer do mesmo modo a eles; isto, de fato, é o que a Lei e os Profetas querem dizer.

ISTO SIGNIFICA QUE TENHO DE TER TODOS OS HOMENS EM ALTA ESTIMA, ATRIBUINDO A ELES O MESMO VALOR QUE EU GOSTARIA QUE ELE ME ATRIBUÍSSE.

Quanto mais sensível eu for, mais cuidado vou tomar ao buscar satisfazer minha vontade. Realmente, é uma questão de sensibilidade.

Neste caso, o que é realmente importante??

A coisa mais importante é a vida...

O que isto significa??

Significa que ao tomar decisões relativas às minhas vontades, eu sempre devo abrir mão de qualquer vontade minha que venha a pôr em risco a vida do meu próximo, pois é exatamente isto o que eu espero que ele faça em relação à minha vida.....

Não é esta uma questão de valor?? Sim, esta é uma questão de valor. QUANTO MAIOR FOR O VALOR que eu atribuir aos SENTIMENTOS e a vida da outra pessoa, MAIOR CUIDADO eu vou tomar em satisfazer uma vontade minha.

Que outro detalhe pudemos observar neste fato acontecido??

Notemos as palavras de Davi.

Ele disse: Eis que fui eu que pequei e fui eu que cometi a falta; mas estas ovelhas — que fizeram elas? Por favor, venha a tua mão sobre mim e sobre a casa de meu pai.

Em face desta interessante afirmação de Davi, perguntamos: Se a decisão foi exclusiva do teimoso Davi, o que a sua família mais próxima tinha a ver com isso na hora de uma possível punição???

O que se passava na cabeça de Davi, para que ele fizesse tal afirmação??

Será que Davi achava que ele praticava justiça por ele e por sua família e que praticava iniquidade por ele e por sua família???

Parece que sim, não é mesmo??

Será que toda aquela geração pensava da mesma forma???

Filho de justo, justo é e filho de iníquo, iníquo é???

Será que Davi vivia o seu dia a dia segundo esta regra de comportamento??

Pelo menos, é o que tudo indica, não é mesmo???

APANHE A SUA ESTACA DE TORTURA

Quem carregava uma estaca de tortura era sempre um criminoso, isto é, alguém sobre quem já existia uma sentença condenatória, uma sentença de morte. Aquele que tinha sido julgado e condenado carregava sua própria estaca de tortura ou cruz de tortura. Isto se deu no caso de Jesus. Este fato está registrado na história. Mesmo antes deste fato, seguir a Jesus era visto como seguir a um fora da lei; foi visto e sentido como estar seguindo alguém que foi julgado e condenado como um criminoso, mesmo sem ter sido plenamente ouvido. Jesus era visto pelos sacerdotes, pelos fariseus e pelos judeus em geral, que eram discípulos de Moisés, como alguém que descumpria a lei, ou seja, um fora da lei. Somente os amaldiçoados, os que não conheciam a lei é que dariam ouvidos às declarações de Jesus. Muitos tinham vergonha de serem vistos andando com Jesus, porque a filosofia de vida de Jesus era radicalmente diferente à filosofia de vida de toda aquela sociedade liderada pelos sacerdotes e pelos fariseus. (João 7:45-52) 45 Portanto, os oficiais voltaram aos principais sacerdotes e fariseus, e estes últimos lhes disseram: “Por que é que não o trouxestes para cá?” 46 Os oficiais responderam: “Nunca homem algum falou como este.” 47 Os fariseus responderam, por sua vez: Será que também vós fostes desencaminhados? 48 Será que um só dos governantes ou dos fariseus depositou fé nele? 49 Mas esta multidão, que não sabe a Lei, são pessoas amaldiçoadas.” 50 Nicodemos, que viera a ele anteriormente, e que era um deles, disse-lhes: 51 Será que a nossa lei julga um homem sem que primeiro o tenha ouvido e venha a saber o que ele está fazendo?” 52 Em resposta, disseram-lhe: “Será que tu também és da Galiléia? Pesquisa e vê que nenhum profeta há de ser levantado da Galiléia.”

Aos olhos daqueles homens, seu próprio Deus Jeová estava restrito a determinadas áreas geográficas para convocar Seus profetas (mensageiros). Além do que, a mensagem de Deus tinha de ser exatamente aquilo que eles gostariam de ouvir, isto é, ser exatamente aquilo que eles esperavam ouvir. A mensagem de Jeová tinha de confirmar como “verdade” aquilo que eles definiam como “verdade” ou aquilo que eles receberam dos antepassados como “verdade”. Se fosse diferente de suas verdades, não era encarada como sendo a mensagem de Jeová. Afinal, eles, os humanos conhecedores da lei e adoradores de Jeová, é que determinavam se a palavra falada pelo profeta Jesus era ou não uma mensagem de Deus. A palavra falada por Jesus tinha de coincidir com o que estava nas “Escrituras” e aprovar aquilo que já fosse praticado por eles no dia a dia. No entanto, como poderiam saber??? Algum deles pertencia ao grupo íntimo de Jeová?? Bem, parece que estes homens queriam mandar na vontade de Jeová, pois a vontade de Jeová tinha de coincidir com a vontade deles.

Ser um seguidor de Jesus em tais circunstâncias era fácil ou difícil?? Não estava Jesus sendo caçado como um fora da lei pela autoridade constituída, respeitada e admirada?? Sim, estava. Aquele que seguisse a um criminoso também era considerado um criminoso?? Sim, era. Este seguidor de Jesus também não seria caçado como criminoso assim como Jesus estava sendo caçado?? Sim, seria. Então este seguidor de Jesus tinha de carregar sua própria estaca de tortura ou cruz de tortura (ser encarado e tratado como criminoso) e continuar a seguir a Jesus, apesar disso.

Não era isto um sofrimento?? Ser desonrado não produz um sofrimento?? Quando você está sofrendo, você não tem de ficar triste?? Quem pode ser feliz com o sofrimento??? Quem pode ser feliz com a desonra?? E esta desonra era proveniente de homens designados por Jeová como sacerdotes e de respeitados estudiosos das “escrituras”, chamados de fariseus. Estes homens eram idolatrados pela população em geral. Diante da população, aos olhos da população, estes homens eram homens elevados, pois, eram eles quem aprovavam e desaprovavam pessoas diante do Pai Jeová e diante das demais pessoas. Estes homens se comportavam e eram aceitos como sol, lua e estrelas para o povo em geral. Estes homens elevados exigiam a veneração por parte de outras criaturas, exigiam que outras criaturas se curvassem diante deles, pois se sentiam superiores às demais pessoas; eles sentiam-se acima dos demais e eram tratados como tal. Afinal, eles eram a “autoridade”. Eles comandavam os hábitos e as ações de todo o povo. A população tinha medo de receber a desaprovação destes homens. Ser desonrado por estes homens e aos olhos do restante do povo podia ser visto como algo inconcebível, pois produziria um grande sofrimento. Quem pode ser feliz com tal carga emocional?? Quem pode ser feliz com tal sofrimento??? Quem pode viver feliz com a desaprovação de pessoas conhecidas, respeitadas, amadas e encaradas como superiores?? Quem poderia ser feliz com esta desonra?? E se tais autoridades fossem parentes próximos ou amigos estimados, a carga emocional não seria bem maior?? Decerto que sim. Afinal de contas, as pessoas consideram os amigos como pessoas especiais, pessoas a quem se dá mais importância do que as demais, não é verdade??

Bem, Jesus apresentou esta nova sensação para o humano. Assim afirmou Jesus: (Mateus 5:11-12) 11 Felizes sois quando vos vituperarem e perseguirem, e, mentindo, disserem toda sorte de coisas iníquas contra vós, por minha causa. 12 Alegrai-vos e pulai de alegria, porque a vossa recompensa é grande nos céus; pois assim perseguiram os profetas antes de vós. . .

Fique alegre com este teu sofrimento atual. Não encare estas coisas como um sofrimento. Veja as coisas com outros olhos. Abra os olhos e veja as coisas como um todo. Existe algo mais, existe algo maior do que este sofrimento atual. Isto não é motivo para sofrimento. Pule de alegria. Como, pule de alegria?? Sim, pule de alegria. Não encare tal situação incômoda como um motivo de tristeza.

Ora, no lugar de ser motivo de tristeza, tal situação incômoda devia ser encarada como motivo suficientemente grande para PULAR de alegria?? Bem, as “palavras” de Jesus foram estas. Eram “palavras” altamente informativas. Ele estava conduzindo seus seguidores para algo novo, para algo INÉDITO. Um sentimento novo, um sentimento inédito, fruto de uma nova perspectiva, fruto de uma palavra. Ser rejeitado por todos os amigos, vizinhos, e até parentes, ser esmigalhado, ser humilhado pelos homens importantes da cidade por estar repetindo as frases faladas por Jesus e por viver da mesma forma como Jesus viveu era motivo para pular de alegria. Se todas estas pessoas fizerem isto com você, alegre-se, pule de alegria. Sua alegria vem do fato de que, individualmente, você está fazendo a vontade de Deus, apesar de muitos estarem contra a vontade de Deus. Tua felicidade independe de serdes aprovado por outros humanos. A tua felicidade INDEPENDE de serdes aprovados por QUALQUER humano, pai, mãe, esposo, filho, amigo,....

O QUE EU PUDE PERCEBER?? Bem, percebi que não devo acompanhar as vontades de um grande grupo e nem mesmo de familiares queridos ou amigos, isto é, pessoas a quem eu atribuo um valor maior do que as demais. Devo acompanhar a vontade de Deus. Devo buscar a aprovação de Deus. Devo ter a Deus em estima maior do que a estima que eu venha a ter por qualquer outro humano. Devo amar a Deus acima de todas as outras pessoas. Também percebi que preciso de informações, preciso de muitas informações. Percebi que minha vontade é fruto do meu sentimento. Percebi que meus sentimentos DEPENDEM de informações, logo, tendo informações erradas, terei sentimentos errados e vontades equivocadas.

Bem, isto significa que eu poderei mudar de opinião em relação a determinados assuntos e poderei sentir uma vontade totalmente oposta àquela que estava sentindo antes. E tudo isto por causa da “palavra”!! Isto significa que aquilo que é correto e certo para mim hoje, pode ser o errado amanhã?? Sim, pode. Isto significa que eu posso estar criticando alguém que está fazendo aquilo que é oposto ao que eu estou fazendo, no entanto, o que ele está fazendo é que é o certo?? Sim, isto pode estar ocorrendo agora mesmo.

Percebo que a fonte de informação precisa ser uma fonte segura.



Qual deve ser a nossa fonte de informação?? O Criador, obviamente. Por que recorrer a um vizinho quando aquele que ME PROJETOU está disponível?? Meu vizinho pode se enganar, mesmo tendo as melhores das intenções.

Assim falou Jeová, O Criador, a respeito de Seus “pensamentos” e aos frutos óbvios, Suas “palavras” e Seus “caminhos”. O Pai estava falando para TODOS os seus filhos: (Isaías 55:8-11) 8 Pois os vossos pensamentos não são os meus pensamentos, nem os meus caminhos, os vossos caminhos”, é a pronunciação de Jeová. 9 Porque assim como os céus são mais altos do que a terra, assim os MEUS caminhos são mais altos do que os VOSSOS caminhos, e os MEUS pensamentos, do que os VOSSOS pensamentos. 10 Pois assim como desce dos céus a chuvada e a neve, e não volta àquele lugar, a menos que realmente sature a terra e a faça produzir e brotar, e se dê de fato semente ao semeador e pão ao comedor, 11 assim mostrará ser a minha palavra que sai da minha boca. Não voltará a mim sem resultados, mas certamente fará aquilo em que me agradei e terá êxito certo naquilo para que a enviei.

Se houver algum sofrimento, você tem de carregá-lo. Várias situações incômodas estão previstas no teu caminhar, mas alegre-se por saber como lidar com elas e poder superá-las. Seja feliz por carregá-lo, pois você superou obstáculos para conseguir continuar fazendo a vontade de Deus. Você provou ser autêntico em desejar fazer a vontade de Deus. No entanto, se você for um real criminoso, você estará carregando uma vergonha por ter satisfeito a tua vontade.

Mesmo que este seja o caso, nenhum humano está autorizado a rejeitá-lo, nem diante de si mesmo e nem diante do Pai Jeová.
Cada um deve cuidar de sua própria vergonha. Se este for o caso, então fique triste por ter errado. Ficar triste por ter errado é o que o Pai espera daquele que erra, ou seja, daquele que já reconhece o seu próprio erro.

Depois desta tristeza, o que fazer?? Ora, mudar de proceder. É o que o Pai espera, e você tem a capacidade para mudar. <as se não tiver, peça ajuda àqueles que já sabem.

Na verdade, eu preciso saber qual é a vontade de Deus para mim. Quem poderia me dizer qual é a vontade de Deus para mim?? Tem de ser alguém que pertença ao grupo íntimo de Jeová, alguém que realmente conheça a Jeová.

(João 17:25) 25 Justo Pai, O MUNDO, DEVERAS, NÃO VEIO A CONHECER-TE; mas eu vim a conhecer-te, e estes vieram a saber que tu me enviaste....

(João 16:3) 3 Mas, farão estas coisas porque NÃO VIERAM A CONHECER NEM O PAI NEM A MIM.

(João 8:54-55) 54 Jesus respondeu: “Se eu glorificar a mim mesmo, a minha glória não é nada. É meu Pai quem me glorifica, AQUELE QUE DIZEIS SER VOSSO DEUS; 55 E, NO ENTANTO, VÓS NÃO O CONHECESTES. MAS EU O CONHEÇO. E, se eu dissesse que não o conheço, seria igual a vós, mentiroso. Mas eu o conheço e observo a sua palavra.

Assim verte a Tradução Brasileira: (João 8:54-55) 54 Respondeu Jesus: Se eu me glorificar, a minha glória não é nada. Quem me glorifica é meu Pai, aquele que vós dizeis ser vosso Deus; 55 entretanto vós não o tendes conhecido, mas eu o conheço. Se eu disser que não o conheço, serei como vós, mentiroso; mas eu o conheço e guardo a sua palavra.

Eu observo a Sua “palavra”. A “palavra” do Pai informava a vontade do Pai e Jesus OBEDECIA a esta vontade.

As palavras de Jesus abaixo revelam a necessidade de precaução. Pessoas que o teriam como Mestre e Senhor iriam se enganar. Assim falou Jesus: (Mateus 7:21-23) 21 Nem todo o que me disser: ‘Senhor, Senhor’, entrará no reino dos céus, senão AQUELE QUE FIZER A VONTADE DE MEU PAI, que está nos céus. 22 MUITOS me dirão naquele dia: ‘Senhor, Senhor, não profetizamos em teu nome e não expulsamos demônios em teu nome, e não fizemos muitas obras poderosas em teu nome?’ 23 Contudo, eu lhes confessarei então: Nunca vos conheci! Afastai-vos de mim, vós obreiros do que é contra a lei.

Torna-se óbvia a necessidade se saber qual é a vontade do Pai. Para deixar as coisas ainda mais interessantes, Jesus afirmou que haveria equívocos quanto a estar fazendo a vontade do Pai. As afirmações de Jesus acima deixam claro que muitos só descobririam seus equívocos no Último Dia. Somente no Último Dia é que a pessoa descobriria que não estava fazendo a vontade do Pai. Somente no Último Dia é que a pessoa descobriria que não levou em conta os sentimentos do Pai. Somente no Último Dia é que o discípulo de Jesus descobriria que não fez a vontade do Pai. Não repasse automaticamente esta “surpresa” prevista por Jesus, apenas para outras pessoas. Eu reconheço a possibilidade de ocorrer comigo, e quanto a você, também reconhece? Eu prefiro pensar sobre isto agora e fazer uma análise disso agora, no entanto, eu também poderia deixar isto para o último dia.

Jesus confirmou: As pessoas se equivocarão; farão coisas imaginando estarem agradando a Deus. Pessoas farão coisas, imaginando estarem fazendo a vontade do Pai. (João 16:1-3) 16 “Tenho falado estas coisas para que não tropeceis. 2 [Os] homens vos expulsarão da sinagoga. De fato, vem a hora em que todo aquele que vos matar IMAGINARÁ que tem prestado um serviço sagrado a Deus. 3 Mas, farão estas coisas porque não vieram a conhecer nem o Pai nem a mim.

Assim verte a Tradução Brasileira: (João 16:1-3) 1 Eu tenho dito estas coisas, para que não vos escandalizeis. 2 Expulsar-vos-ão das sinagogas; ainda mais vem a hora em que todo o que vos mata, julgará oferecer um culto a Deus. 3 Isto farão, porque não conheceram ao Pai, nem a mim.



POR QUE HAVERIA EQUÍVOCOS?? Jesus afirmou: “PORQUE não vieram a conhecer nem o Pai nem a mim.

Uma coisa ficou bem clara: Para fazer a real vontade do Pai, é imprescindível CONHECER a personalidade do Pai.

Expulsar um discípulo de Jesus da sinagoga (igreja ou outro local de estudo das “Escrituras”), ação executada por qualquer humano em qualquer época, o que também inclui um discípulo de Jesus, é uma das coisas que não agradam a Deus, mas que seriam equivocadamente feitas inclusive por discípulos de Jesus visando agradar a Deus.

Para tomar a iniciativa de expulsar alguém do seu grupo, da sua irmandade, é necessário ter certeza do que se está fazendo, não é verdade?? E quanto a matar alguém?? Será que o Pai se agrada deste tipo de ação, seja ela praticada por quem quer que seja, contra quem quer que seja e seja lá qual for o motivo??

Muitos fariam tal coisa (matar um pecador) sinceramente convencidos de estarem fazendo a vontade do Pai. Estes humanos matariam outros humanos para, supostamente, agradar ao Pai.

No entanto podemos perguntar: Que pai ficaria feliz em ver um filho seu matando um outro filho seu?? Que pai amoroso estabeleceria a pena de morte como a norma de relacionamento entre seus filhos amados no caso de uma ofensa ocorrida entre eles ou uma ofensa direta ao pai?? Certamente, um pai amoroso estabeleceria o perdão como a norma de relacionamento entre os filhos que ele tanto ama, não é verdade?? Sendo uma ofensa exclusivamente contra o pai, este não admitiria intromissão entre ele e o filho ofensor, não é verdade??

Não apresentavam aqueles sacerdotes bons motivos, lógicos motivos, para se matar uma adúltera?? Não era esta ação praticada por muitos séculos antes de Jesus nascer como humano?? Matar aqueles em que se via um pecado - Não se tratava de uma ordem devidamente registrada nas “Escrituras”??

Nesta afirmação de Jesus, ficou bem claro que é imprescindível CONHECER ao Pai. Conhecer o Pai significa saber como o Pai reagiria nestas circunstâncias. Significa saber qual o real sentimento do Pai em relação àquelas pessoas expulsas e/ou mortas. Vasos descartáveis é o que estas pessoas passaram a ser para aqueles que os descartavam; foram tratadas como vasos descartáveis; pouco ou nenhum valor seria atribuído a estas pessoas. Seria este o mesmo sentimento do Pai em relação a estas pessoas, isto é, pessoas que cometem pecados?? Qual o real sentimento do Pai por aquela adúltera??

Será que o Pai tem o direito de me dizer o que fazer?? Em face da minha ignorância, trata-se de um dever Dele. Em face da minha ignorância, trata-se de um ato de amor da parte Dele. Ele sabe o que está falando, afinal, Ele é o Professor.

Apedrejar uma adúltera – Será que esta ação representava a satisfação da vontade de Jeová, o Pai dela?? Seria esta a reação do Pai para com uma filha adúltera??

Por exemplo, no caso dos fariseus, eles apresentavam as “Escrituras” como base para expulsar alguém da sinagoga. O discípulo de Jesus, repetindo as palavras de Jesus, afirmaria que a vingança é um pecado, enquanto que os fariseus afirmariam que a vingança era o cumprimento de uma ordem das “Escrituras”. Paulo, um exímio conhecedor das “Escrituras”, tentou fazer muitos dos discípulos de Jesus se retratarem, perseguindo-os em muitas cidades. Não tinha Paulo certeza do que estava fazendo?? Decerto que sim. No entanto, aquele expulso e aquele perseguido, que eram tidos como pecadores, na verdade estavam repetindo as reais palavras saídas da boca de Jeová. Na verdade, Paulo e os sacerdotes condenavam pessoas em face de informações que eles tinham como verdade e que para a surpresa deles, não eram verdades. Neste caso fica muito claro sobre a incapacidade do humano em condenar outros. Fica também muito claro o motivo da alegria daqueles que estavam passando por aquelas situações incômodas, situações provocadas por Paulo de Tarso e outros servos do Deus Altíssimo.

Para deixar as coisas ainda mais difíceis, ainda haveria o surgimento de pessoas que afirmariam ter uma mensagem de Deus, apesar de não ser verdade. Muitas pessoas seriam enganadas. Assim falou Jesus: (Mateus 24:11-12) 11 E surgirão muitos falsos profetas, e desencaminharão a MUITOS; 12 e, por causa do aumento do que é contra a lei, o amor da maioria se esfriará.

Apesar de tantas palavras diferentes, as ovelhas de Jesus reconheceriam a voz de Jesus, reconheceriam as “palavras” faladas por Jesus. Uma ovelha reconhece a voz de outra ovelha. Uma ovelha não manda outra ovelha fazer aquilo que não é natural de uma ovelha fazer. Uma ovelha não faz aquilo que não é natural de uma ovelha fazer. A ovelha é pacífica, ela é mansa, ela não pratica e não ensina a violência.

Assim falou Jesus: (João 10:27) 27 MINHAS OVELHAS ESCUTAM A MINHA VOZ E EU AS CONHEÇO, E ELAS ME SEGUEM. (João 10:14-15) 14 Eu sou o pastor excelente, E CONHEÇO AS MINHAS OVELHAS E AS MINHAS OVELHAS CONHECEM A MIM, 15 assim como o Pai me conhece e eu conheço o Pai; e entrego a minha alma em benefício das ovelhas.

JESUS FOI O EXEMPLO DE ABNEGAÇÃO - Além de dizer como fazer, Jesus também mostrou como é que se faz.

Jesus procurou saber qual era a vontade do Pai e a fez. Não procurou a sua própria vontade.

A “Vontade” do Pai é fruto do “SENTIMENTO” do Pai. Será que em tudo o que faço, tenho levado em consideração o SENTIMENTO do Pai??

Outro detalhe que Jesus chamou-nos a atenção foi este: Você tem de abrir mão de suas vontades pessoais e satisfazer a vontade do Pai. Este mostrou ser o sentimento de Jesus: (João 5:30) 30 Não posso fazer nem uma única coisa de minha própria iniciativa; assim como ouço, eu julgo; e o julgamento que faço é justo, porque NÃO PROCURO A MINHA PRÓPRIA VONTADE, mas A VONTADE DAQUELE QUE ME ENVIOU.

Como Jesus veio a saber qual era a vontade do Pai?? Os SENTIMENTOS do Pai produzem a VONTADE do Pai. A vontade do Pai foi materializada através da palavra falada e através das ações do próprio Jeová, ações que coincidem totalmente com as palavras faladas pelo Pai.

Isto significa que eu tenho de encontrar o meu lugar dentro da realização da vontade do Pai?? Sim, é exatamente isto o que eu peço na oração do “Pai nosso”. Eu peço que Ele satisfaça a vontade Dele. Nesta oração, eu não falo sobre satisfazer minhas vontades. Nesta oração eu não peço ao Pai para Ele satisfazer minhas vontades. Neste caso, eu preciso saber o que Deus espera de mim. Neste caso, não é o que eu espero de Deus que é importante e sim o oposto. Geralmente, nós procuramos a Deus para que Ele faça algo por nós e para nós, e geralmente quando as coisas não estão de acordo com nossa vontade. Nossa vontade também é fruto do nosso sentimento. Neste caso, nós é que temos de mudar os nossos sentimentos. Neste caso, trata-se de uma equipe de pessoas. Nesta equipe é o Pai quem projeta o que cada um vai fazer e durante quanto tempo vai fazer.

Sendo a vontade do Pai que o filho seja um homem pacífico, como terá o Pai esta Sua vontade satisfeita?? O Pai respeita o livre-arbítrio. Bem, o que fazer??

Aquele filho que concorda com esta vontade do Pai para ele, procurará saber como se comporta um homem pacífico e passa a se comportar como um homem pacífico até tornar-se um real homem pacífico.

É desta forma que a vontade do Pai é realizada.

O dia a dia de Jesus revelou que ele estava sempre sendo pressionado a não fazer a vontade de Deus.

Quem é que ousava fazer isso??

Vamos ver um exemplo:

(Mateus 11:16-17) 16 Com quem compararei esta geração? Ela é semelhante às criancinhas sentadas nas feiras, que gritam para seus companheiros de folguedos, 17 dizendo: ‘Nós tocamos flauta para vós, mas não dançastes; lamuriamos, mas não vos batestes em lamento.’



Assim verte a Tradução Brasileira:

(Mateus 11:16-17) 16 Mas a que hei de comparar esta geração? É semelhante aos meninos sentados nas praças, que gritam aos seus companheiros: 17 Nós vos tocamos flauta, e vós não dançastes; Entoamos lamentações, e não pranteastes.

Aquela geração insistia em que Jesus se comportasse segundo aquilo que faziam, ou seja, a que Jesus pensasse como eles e agisse como eles, sendo assim dirigidos por eles, comandados por eles.

Agora vejamos um outro exemplo:

(Mateus 16:22-23) 22 Em vista disso, Pedro, tomando-o à parte, principiou a censurá-lo, dizendo: “Sê benigno contigo mesmo, Senhor; não terás absolutamente tal [destino].” 23 Mas ele, voltando-lhe as costas, disse a Pedro: “Para trás de mim, Satanás! Tu és para mim pedra de tropeço, porque não tens os pensamentos de Deus, mas os de homens.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Mateus 16:22-23) 22 Pedro, chamando-o à parte, começou a admoestá-lo, dizendo: Deus tal não permita, Senhor; isso de modo algum te acontecerá. 23 Mas ele, voltando-se, disse a Pedro: Sai de diante de mim, Satanás; tu és para mim uma pedra de tropeço, porque não cuidas das coisas de Deus, mas sim das dos homens.

De forma preocupada e sincera, Pedro estava se comportando como um Satanás, ou seja, como um Opositor de Jesus, pois Jesus estava caminhado para um lado e Pedro estava tentando convencer Jesus a mudar seu caminho.

Jesus estava informando aos ouvintes sobre a sua vontade, ou seja, sobre o que ele faria em um futuro próximo. Foi neste momento que Pedro, se opondo a vontade de Jesus, lhe apresentou a alternativa de Jesus sair daquele caminho.

Pedro estava externando o seu desejo em relação a Jesus. Pedro queria ver Jesus coroado e cheio de glórias na cidade de Jerusalém como acontecia com todo rei que se prezava. Pedro queria ver um rei levando morte aos seus inimigos, como sempre acontecia. Pedro queria ver o restabelecimento do reinado livre de Israel. Pedro via em Jesus, uma figura que venceria desta forma, logo, seria inadmissível em sua mente ver Jesus sofrendo nas mãos daqueles opositores de Jesus.

Percebemos que aquele que não entende qual é a vontade de Deus, sempre estará pressionando outros a não fazerem a vontade de Deus.

Jesus deixou bem claro que são os pensamentos de homens que estão em oposição aos pensamentos de Deus.

No entanto, Jesus permaneceu fazendo a vontade de Deus, mostrando para nós como é que se faz.

Jesus também nos revelou qual deveria nossa disposição mental ao estar fazendo as coisas determinadas pelo Pai: (Lucas 17:7-10) 7 Quem de vós, que tiver um escravo arando ou cuidando do rebanho, lhe dirá, ao chegar ele do campo: ‘Vem logo para cá, e recosta-te à mesa’? 8 Antes, não lhe dirá: ‘Apronta-me algo para a minha refeição noturna, e põe o avental e ministra-me até eu ter acabado de comer e de beber, e depois podes comer e beber’? 9 Será que ele sentirá gratidão pelo escravo porque ele fez as coisas determinadas? 10 Assim também vós, quando tiverdes feito todas as coisas que vos foram determinadas, DIZEI:Somos escravos imprestáveis. O que temos feito é o que devíamos fazer.’”

Não busque o agradecimento, não busque o reconhecimento, não busque o elogio, não busque o aplauso, não busque o lucro, não busque a troca, não busque o engrandecimento. O que isto significa?? Significa que temos de mudar os nossos sentimentos, pois atualmente, isto é o que todos buscam. Hoje, todos buscam ser o mais elogiado, o mais reconhecido, o mais aplaudido, o mais importante. Devo aceitar esta palavra de Jesus e viver SEMPRE segundo ela??

A palavra falada por Jesus é a verdade, logo, toda palavra que é oposta a palavra falada por Jesus mostrará ser uma mentira. Se eu não compreender a palavra falada por Jesus, eu devo confiar em quem falou a palavra. Também devo olhar a forma como Jesus agiu, porque as palavras de Jesus se confundem com as ações de Jesus, pois “mostram ser” a mesma coisa.

Em lugar da busca da satisfação da vontade pessoal, Jesus nos revela de forma teórica e prática O QUE É estar preocupado em fazer e fazer a vontade do Pai. (Mateus 21:28-32) 28 Que achais? Um homem tinha dois filhos. Dirigindo-se ao primeiro, disse: ‘Filho, vai trabalhar hoje no vinhedo.’ 29 Em resposta, este lhe disse: ‘Irei, senhor’, mas não foi. 30 Dirigindo-se ao segundo, disse-lhe a mesma coisa. Em resposta, este lhe disse: ‘Não irei.’ Depois deplorou isso e foi. 31 QUAL DOS DOIS FEZ A VONTADE DO PAI?Eles disseram: “O último.” Jesus disse-lhes: “Deveras, eu vos digo que os cobradores de impostos e as meretrizes entrarão na frente de vós no reino de Deus. 32 Porque João veio a vós num caminho de justiça, mas vós não acreditastes nele. No entanto, os cobradores de impostos e as meretrizes acreditaram nele, e vós, embora vísseis [isto], não o deplorastes depois, a ponto de acreditardes nele.

(Mateus 26:42) ” 42 Novamente, pela segunda vez, afastou-se e orou, dizendo: “Pai meu, se não é possível que isto se afaste de mim sem que eu o beba, REALIZE-SE A TUA VONTADE.

(João 6:37-40) 37 Tudo o que o Pai me dá virá a mim, e aquele que vem a mim, eu de modo algum enxotarei; 38 porque desci do céu, não para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou. 39 ESTA É A VONTADE DAQUELE QUE ME ENVIOU, que eu não perca nada de tudo o que ele me tem dado, mas que eu o ressuscite no último dia. 40 POIS ESTA É A VONTADE DE MEU PAI, que todo aquele que observa o Filho e exerce fé nele tenha vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia.”

(Lucas 12:45-48) 45 Mas, se aquele escravo chegar a dizer no seu coração: ‘Meu amo demora em vir’, e principiar a espancar os servos e as servas, e a comer e beber, e ficar embriagado, 46 o amo daquele escravo virá num dia em que não [o] espera e numa hora que não sabe, e o punirá com a maior severidade e lhe determinará uma parte com os infiéis. 47 Então, aquele escravo, que entendeu a vontade de seu amo, mas não se aprontou, NEM FEZ EM HARMONIA COM A SUA VONTADE, será espancado com muitos golpes. 48 Mas aquele que não entendeu, e assim fez coisas que merecem golpes, será espancado com poucos. Deveras, de todo aquele a quem muito foi dado, muito se reclamará dele; e a quem encarregaram de muito, deste reclamarão mais do que o usual.

João 4:34) 34 Jesus disse-lhes: Meu alimento é eu FAZER A VONTADE DAQUELE QUE ME ENVIOU e terminar a sua obra.

(João 6:35-40) 35 Jesus disse-lhes: “Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim, não terá mais fome, e quem exerce fé em mim, não terá mais sede. 36 Mas, eu vos tenho dito: Vós até mesmo me vistes, e, contudo, não credes. 37 Tudo o que o Pai me dá virá a mim, e aquele que vem a mim, eu de modo algum enxotarei; 38 porque desci do céu, não para fazer a minha vontade, mas a VONTADE DAQUELE QUE ME ENVIOU. 39 Esta é a vontade daquele que me enviou, que eu não perca nada de tudo o que ele me tem dado, mas que eu o ressuscite no último dia. 40 POIS ESTA É A VONTADE DE MEU PAI, que todo aquele que observa o Filho e exerce fé nele tenha vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia.”

Quão profunda é a vontade de Jeová?? Será que Jeová abriria mão de satisfazer Sua vontade?? Será que Jeová desistira de satisfazer a Sua vontade??



SABER QUAL É A VONTADE DE DEUS.

Afinal de contas, qual é a vontade de Deus?? De forma resumida, a vontade de Deus foi assim definida por Jesus: (Mateus 7:12) 12 Todas as coisas, portanto, que quereis que os homens vos façam, vós também tendes de fazer do mesmo modo a eles; isto, de fato, é o que a Lei e os Profetas querem dizer.

Esta é uma das principais “palavras” que nos ajudarão a resolver as incógnitas acima mencionadas. Se todas as pessoas levarem a sério esta “palavra”, eu nunca irei sofrer como uma vítima de sua vontade. Há, como seria bom se todo mundo levasse a sério esta “palavra”!! Eu sei, eu sei!! Eu também preciso levar a sério esta “palavra” para que não haja vítimas produzidas por mim. Independente do que outros façam, eu tenho de tomar a iniciativa em fazer, pois eu já acredito na “palavra”.

Olha, a pessoa tem de ser importante, para alguém deixar de fazer algo que deseje só por causa dela. Bem, isto é verdade. Então vamos saber agora qual é a vontade de Deus. Novamente foi Jesus quem nos revelou de forma clara e resumida. Assim falou Jesus esta “palavra”: (Mateus 22:34-40) 34 Tendo os fariseus ouvido que ele silenciara os saduceus, ajuntaram-se num só grupo. 35 E um deles, versado na Lei, perguntou para prová-lo: 36 Instrutor, qual é o maior mandamento na Lei?” 37 Disse-lhe: “TENS DE AMAR A JEOVÁ, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua mente.38 Este é o maior e primeiro mandamento. 39 O segundo, semelhante a este, é: TENS DE AMAR O TEU PRÓXIMO como a ti mesmo.’ 40 Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas.”

Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas. É como se Jesus tivesse falado: Olha, tudo se resume em um único SENTIMENTO, o amor.

Jesus trouxe à nossa atenção o seguinte fato até então despercebido: Todo e qualquer pecado só acontece QUANDO você deixa de AMAR a Deus acima de todas as coisas e quando deixa de AMAR ao próximo como a si mesmo. Teu pecado é uma deficiência do teu AMOR.

Se você amar o Pai, você jamais vai querer ferir os sentimentos Dele, deixando-o triste. Se você amar o teu próximo, você também não vai querer fazer dele uma vítima, não vai admitir que ele sofra POR TUA CAUSA.

De forma bem resumida, a vontade de Deus é que eu AME, que eu ME IMPORTE com os demais, que eu considere como importantes tanto os que eu conheço, como também os que eu não conheço. Os que estão longe e os que estão perto têm o mesmíssimo valor; meu filho e o filho do vizinho têm o mesmíssimo valor; meu filho e o filho de um desconhecido têm o mesmíssimo valor.

Bem, agora eu tenho de pensar bastante nesta “palavra” para ver se ela realmente resolve todas as incógnitas. Sabe, eu gostei da palavra!!

Uma outra “palavra” bem interessante que também nos induz a pensar, está no início da oração. Nós afirmamos: “NOSSO” Pai nos céus. Poderia ter sido “meu pai”. No entanto, a palavra foi assim falada exatamente para nos chamar a atenção para um fato importantíssimo.

Bem, Ele é o meu Pai, ele me ama. Ele é também o teu Pai, e Ele te ama. Ele é o Pai da Maria e Ele a ama. Ele é o Pai do José e Ele o ama. INDEPENDENTE de que tipo de filho eu seja, Ele me ama tanto quanto ama você, Maria e José. Sabendo que Ele ama igualmente a todos os Seus filhos, INDEPENDENTE dos seus pecados, se eu causar o sofrimento em alguém, também estarei causando sofrimento no Pai. Sabe, esta “palavra” já está começando a abrir minha mente para coisas novas. Sabe, eu estou gostando!!

Mas, será que O Pai se importa realmente comigo?? Eu sou apenas alguém no meio de bilhões de humanos. Como saber se Ele realmente me vê, que Ele sabe que eu existo?? Bem, Jesus, aquele que realmente conhece o Pai nos transmitiu a seguinte “palavra”: (Mateus 10:29-31) 29 Não se vendem dois pardais por uma moeda de pequeno valor? Contudo, nem mesmo um deles cairá ao chão sem o [conhecimento de] vosso Pai. 30 Porém, os próprios cabelos de vossa cabeça estão todos contados. 31 Portanto, não temais; VÓS VALEIS MAIS DO QUE muitos pardais.

Como eu poderia saber?? Eu gostei de saber disso. Esta “palavra” pode modificar os meus sentimentos, pode modificar os meus desejos.

A vontade “Dele” é que eu aprenda a AMAR exatamente assim como Ele ama. Resumidamente, esta é a vontade de Deus. Esta é a “vontade” pela qual muitos oram: “Seja feita a tua vontade na terra”.

DESDE QUANDO esta é a vontade de do Criador?? Quando Ele projetou o ser humano, Ele também projetou a forma que o humano viveria; ele projetou o humano para fazer algo, Ele projetou o humano para cumprir uma tarefa. O DEUS DE AMOR CRIOU O HUMANO PARA SER A SUA IMAGEM E SEMELHANÇA.

Assim falou o Criador: (Gênesis 1:26) 26 E Deus prosseguiu, dizendo: “FAÇAMOS [o] homem à nossa imagem, segundo a NOSSA SEMELHANÇA, e tenham eles em sujeição os peixes do mar, e as criaturas voadoras dos céus, e os animais domésticos, e toda a terra, e todo animal movente que se move sobre a terra.”...

A vontade de Deus está estabelecida e não mudou. Sua vontade é que cada criatura se torne uma imagem e semelhança Dele. Qual é o sentimento que permeia e se destaca na personalidade de Jeová?? O AMOR. Depois de devidamente capacitado, o que fará o humano??

No projeto de Deus, qual é a função do homem?? “E tenham eles em sujeição os peixes do mar, e as criaturas voadoras dos céus, e os animais domésticos, e toda a terra, e todo animal movente que se move sobre a terra”.

Será para usá-los e destruí-los ou será para amá-los??

Sabe, eu gostei. Mas, estão chegando algumas perguntas na minha mente.....



Topo desta página