ELE É CULPADO PORQUE DERRAMOU SANGUE

Criada em 13/12/2010 Última modificação em 29/05/2014



ABATER UM TOURO; ABATER UM CARNEIRO; ABATER UM CAPRÍDEO



Três animais especiais.



Que LIMITAÇÃO estabeleceu Jeová PARA SEU POVO em relação a matar um touro, um carneiro ou um caprídeo??

Assim falou Jeová: (Levítico 17:1-7) 17 E Jeová prosseguiu, falando a Moisés, dizendo: 2 Fala a Arão e a seus filhos, e a todos os filhos de Israel, e tens de dizer-lhes: ‘Isto é o que Jeová ordenou, dizendo: 3 “‘“Quanto a qualquer homem da casa de Israel que ABATER um touro, ou um carneirinho, ou um caprídeo NO ACAMPAMENTO, OU QUE O ABATER FORA DO ACAMPAMENTO 4 e não o trouxer realmente à entrada da tenda de reunião para apresentá-lo como oferta a Jeová, perante o tabernáculo de Jeová, a tal homem será imputada CULPA de sangue. Ele DERRAMOU sangue, e tal homem tem de ser decepado dentre seu povo, 5 a fim de que os filhos de Israel tragam seus sacrifícios que oferecem como sacrifícios no campo aberto, e eles têm de trazê-los a Jeová, à entrada da tenda de reunião, ao sacerdote, e têm de sacrificá-los a Jeová como sacrifícios de participação em comum. 6 E o sacerdote tem de aspergir o sangue sobre o altar de Jeová, à entrada da tenda de reunião, e tem de fazer fumegar a gordura como cheiro repousante para Jeová. 7 De modo que não devem mais oferecer os seus sacrifícios aos demônios caprinos com que têm relações imorais. Isto vos servirá de estatuto por tempo indefinido, nas vossas gerações.”’

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Levítico 17:1-7) 1 Disse Jeová a Moisés: 2 Fala a Arão e a seus filhos, e a todos os filhos de Israel, e dize-lhes: Isto é o que Jeová tem ordenado: 3 Qualquer homem da casa de Israel que matar boi, ou cordeiro, ou cabra no arraial, ou fora do arraial, 4 e o não trouxer à entrada da tenda da revelação para o oferecer como oblação a Jeová diante do tabernáculo de Jeová, a esse homem será imputado sangue (esse homem derramou sangue, e será exterminado dentre o seu povo); 5 a fim de que os filhos de Israel tragam os seus sacrifícios, que oferecem nos campos, sim a fim de que os tragam a Jeová, à entrada da tenda da revelação, ao sacerdote, e os ofereçam como sacrifício de ofertas pacíficas a Jeová. 6 O sacerdote aspergirá o sangue sobre o altar de Jeová, à entrada da tenda da revelação, e queimará a gordura por suave cheiro a Jeová. 7 Nunca mais oferecerão os seus sacrifícios aos demônios, aos quais idolatram. Isso lhes será por estatuto perpétuo nas suas gerações.



Derramar o sangue do boi, do cordeiro ou da cabra estava restrito a um único local. Fora deste local seria um pecado.

Jeová estipulou que derramar o sangue destes três animais em qualquer outro lugar, excetuando à entrada da tenda de reunião, perante o tabernáculo de Jeová, seria pecado. Foi dito mais: Isto vos servirá de estatuto por tempo indefinido nas vossas gerações. Assim como a circuncisão, este era outro estatuto por tempo indefinido nas gerações seguintes dos israelitas.

Por que o sangue destes três animais não podiam ser derramados em outro lugar??

Esta escolha foi de Jeová. Comer do fruto daquela árvore que estava no meio do jardim era um pecado para o primeiro casal, Adão e Eva. O que tinha de especial mo sangue destes três animais?? O próprio Jeová responde: (Levítico 17:11) 11 Pois a alma da carne está no sangue, e eu mesmo o pus para vós sobre o altar PARA FAZER EXPIAÇÃO pelas vossas almas, porque É O SANGUE QUE FAZ EXPIAÇÃO pela alma [nele].

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Levítico 17:11) 11 Porque a vida da carne está no sangue. Eu vô-lo dei sobre o altar, para fazer expiação pelas vossas almas; porquanto é o sangue que faz expiação em virtude da vida.



Jeová havia separado o sangue destes três animais para ser usado especificamente para fazer EXPIAÇÃO.

O que é expiação??

Expiação – Esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: purificação de crimes e faltas cometidas

expiação

s.f. (1562-1575) 1 purificação de crimes ou faltas cometidas 2 meio usado para expiar(-se); penitência, castigo, cumprimento de pena; sofrimento compensatório de culpa 3 rel no Antigo Testamento, uma classe de contrições que consistia em sacrifícios expiatórios, e cuja finalidade era a de reparar os pecados 4 jur cumprimento da pena imposta à pessoa a quem se imputou a prática de um crime ² e. suprema a pena de morte ¤ etim lat. expiatìo,ónis 'id.'


O sangue destes animais era o meio providenciado por Jeová para o humano purificar-se do pecado cometido. Desta forma, não deveria ser usado para outros fins, excetuando-se o fim para o qual o Pai o havia determinado.

Fica bem claro que derramar o sangue destes animais em quais quer outras circunstâncias constituía em pecado. Para todo e qualquer pecado, Jeová dá o aviso de que aquele que o fizer, certamente morrerá.

Bem, e quanto aos outros animais, o que falou Jeová?? (Levítico 17:13) 13 “‘Quanto a qualquer homem dos filhos de Israel ou algum residente forasteiro que reside no vosso meio, que caçando apanhe um animal selvático ou uma ave que se possa comer, NESTE CASO TEM DE DERRAMAR SEU SANGUE E COBRI-LO COM PÓ.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Levítico 17:13) 13 Qualquer homem da casa de Israel, ou dos estrangeiros que entre eles peregrinam, que tomar em caçada alguma fera ou ave que se podem comer; derramará o sangue dela, e o cobrirá com pó.



O que percebemos?? Percebemos que JEOVÁ RESERVOU o touro (boi), o carneiro (cordeiro) e o caprídeo (cabra) para Ele, assim como também reservou a tribo de Levi para Ele. Ficou bem claro que derramar o sangue de outros animais na terra em qualquer lugar e cobri-los com pó não seria pecado.

Apenas em que circunstância ÚNICA se devia abater um destes três animais?? Somente perante Jeová. Onde?? Em frente à tenda de reunião. Para que?? Para apresentá-lo como oferta à pessoa de Jeová. POR DECISÃO DE JEOVÁ, o sangue destes três animais só poderia ser derramado junto à base do altar. Derramá-lo em qualquer outro lugar seria um pecado.

Por decisão de Jeová comer do fruto daquela árvore que estava no meio do jardim era um pecado, e como todo pecado, tinha a sentença de morte (certamente morrerá).

Mas se alguém matasse um touro, um carneiro ou um caprídeo no acampamento ou fora dele e não o levasse até o lugar especificado por Jeová, para que seu sangue fosse derramado junto à base do altar, o que ocorria?? Neste caso, a pessoa tornava-se culpada DE TER DERRAMADO sangue. Jeová determinou que esta ação era um pecado. Como todo pecado, qual era a sentença?? A sentença era a morte (positivamente morrerá). Foi estabelecido pelo Rei que, dentro daquele reino, qualquer homem que praticasse esta ação teria sobre si a sentença de morte.

No entanto, qualquer homem da casa de Israel ou qualquer residente forasteiro que abatesse em qualquer lugar, qualquer outro animal que pudesse comer, não se tornava culpado de derramar sangue. Ele deveria DERRAMAR o sangue do animal na terra e cobri-lo com pó.

No entanto, se qualquer dos filhos de Israel abatesse um destes três animais, um touro, um carneiro ou caprídeo, derramasse seu sangue na terra e o cobrisse com pó, tornava-se culpado de TER DERRAMADO sangue. Em relação a um destes três animais, só não haveria culpa de sangue em uma única situação. O animal teria de ser abatido à entrada da tenda de reunião e o seu sangue tinha um uso específico, ou seja, aquele definido pelo próprio Jeová. E o sacerdote tem de aspergir o sangue sobre o altar de Jeová, à entrada da tenda de reunião.

O sangue destes três animais devia ser considerado como o meio providenciado por Jeová para que eles pudessem se purificar de pecados praticados. Não devia ser derramado em nenhum outro lugar, em qualquer circunstância.

Assim ficou bem claro, que os filhos de Israel não estavam autorizados a abater livremente estes três tipos de animais, ou seja, o touro, o carneiro e o caprídeo. Mais que isto, eles estavam proibidos de abatê-los FORA DO LUGAR ESPECIFICADO por Jeová. Junto à base do altareste era o ÚNICO lugar onde o sangue destes três animais deveria ser derramado. Derramar o sangue de um destes três animais fora do local especificado por Jeová, era considerado por Jeová como um pecado. Quem desobedecesse, tornava-se culpado de pecado perante Jeová. Qual o seu pecado?? “Ele derramou sangue”, foi a afirmação de Jeová. Tratava-se de uma desobediência a uma ordem de Jeová. Esta ordem era exclusiva para os filhos de Israel. A ordem foi dada para todos, o que incluía Aarão e seus filhos (sacerdotes) bem como todos os filhos de Israel.

Será que qualquer um dos filhos de Israel tendo viajado para outro reino qualquer, poderia abater um destes três animais, ou seja, um touro, um carneiro ou um caprídeo e derramar seu sangue na terra, sem se tornar culpado para Jeová, de derramar sangue?? Esta ação, sendo praticada por um israelita em qualquer lugar do planeta, excetuando à entrada da tenda de reunião, perante Jeová, era visto por Jeová como uma desobediência a Ele. Era o israelita quem estava pactuado com Jeová; era o israelita quem tinha esta obrigação para com Jeová em qualquer lugar do planeta. No entanto, um residente forasteiro qualquer, dentro do reino de Israel, dento do território de Israel que abatesse um destes três animais, fora do local especificado por Jeová, também cometia um pecado contra Jeová. O ofendido era Jeová. Dentro do território do reino, esta lei era válida para todos os que ali estivessem, quer morando, quer apenas visitando. Tratava-se da lei do reino.

Tratava-se de algo temporário??

Isto vos servirá de estatuto por tempo indefinido, nas vossas gerações.”’

Isso lhes será por estatuto perpétuo nas suas gerações.

Não se tratava de algo temporário. Dentro do reino, estes três animais só poderiam ser abatidos diante do tabernáculo onde estava configurada a presença de Jeová sobre a arca do testemunho, porque o sangue deveria ser derramado junto à base do altar diante de Jeová.

AUMENTO DE TERRITÓRIO - O povo estava saindo do deserto para o território do reino, o território prometido. Para aqueles homens estava havendo uma ampliação de território em volta da tenda de reunião, o único local onde o sangue destes três animais poderia ser derramado por eles, sem que isto representasse um pecado para eles. Como se adaptar a esta nova realidade??

O que fazer se eu desejar comer a carne de um destes três animais??

OUTRA ORDEM - Alguns anos depois desta ordem de Jeová, quando o povo estava iniciando a ocupação do território do reino, ou seja, a terra de Canaã, que outra ordem recebeu o povo?? (Deuteronômio 12:20-27) 20 Quando Jeová, teu Deus, ampliar o teu território, assim como te prometeu, e certamente disseres: ‘Vou comer carne’, porque tua alma almeja comer carne, podes comer carne SEMPRE QUE TUA ALMA A ALMEJAR. 21 Caso seja longe de ti o lugar que Jeová, teu Deus, escolher para ali pôr seu nome, então, assim como te ordenei, tens de abater [algum animal] DA TUA MANADA OU DO TEU REBANHO que Jeová te deu e tens de comer dentro dos teus portões, sempre que tua alma a almejar. 22 Do modo em que se come a gazela e o veado, somente assim é que a podes comer: tanto o impuro como o limpo a podem comer. 23 Apenas toma a firme resolução de não comer o sangue, porque o sangue é a alma e não deves comer a alma junto com a carne. 24 Não o deves comer. DEVES DERRAMÁ-LO NA TERRA COMO ÁGUA. 25 Não o deves comer, para que te vá bem a ti e a teus filhos depois de ti, pois farás o que é direito aos olhos de Jeová. 26 Deves levar apenas as tuas coisas sagradas que se tornarão tuas e as tuas ofertas votivas, e tens de ir ao lugar que Jeová escolher. 27 E tens de ofertar as tuas ofertas queimadas, a carne e o sangue, no altar de Jeová, teu Deus; e o sangue dos teus sacrifícios deve ser derramado contra o altar de Jeová, teu Deus, mas podes comer a carne.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Deuteronômio 12:20-27) 20 Quando Jeová teu Deus dilatar o teu território, como te prometeu, e disseres: Comerei carne, porquanto a tua alma deseja comer carne; poderás comer carne, conforme todo o desejo da tua alma. 21 Se estiver longe de ti o lugar que Jeová teu Deus escolher para ali pôr o seu nome; matarás do teu gado e do teu rebanho que Jeová te houver dado, como te ordenei, e comerás dentro das tuas portas, conforme todo o desejo da tua alma. 22 Como se come a gazela, e o veado, assim comerás estas carnes; delas comerá igualmente o imundo e o limpo. 23 Somente firma-te em não comeres o sangue, pois o sangue é a vida. Não comerás a vida com a carne. 24 Não o comerás; derramá-lo-ás sobre a terra como água. 25 Não o comerás, para que te vá bem a ti, e a teus filhos depois de ti, quando fizeres o que é reto aos olhos de Jeová. 26 Somente tomarás as tuas coisas sagradas que tiveres, as tuas ofertas votivas, e irás ao lugar que Jeová escolher. 27 Oferecerás os teus holocaustos, a carne e o sangue, sobre o altar de Jeová teu Deus; e o sangue dos teus sacrifícios derramar-se-á sobre o altar de Jeová teu Deus, e comerás a carne.

Moisés, Jeová vai dilatar o território, pois nós vamos entrar e morar na terra da promessa. A arca e o tabernáculo vão ficar perto de uns e longe de outros.

Moisés, quando eu estiver com vontade de comer a carne destes animais o que devo fazer?? Vou precisar viajar até onde estiver montado o tabernáculo para poder comer a carne destes três animais?? Devo me abster de comer a carne destes animais durante tanto tempo??

Poderás matar estes animais e derramar o sangue deles sobre a terra, como se o sangue deles fosse água?? Poderás matar estes animais dentro dos vossos portões??

Moisés, aquele estatuto recebido no deserto, não era um estatuto por tempo indefinido?? Não se tratava de um estatuto perpétuo para todas as gerações?? Um estatuto perpétuo pode ser mudado??

Deixava de ser um pecado ou estava havendo uma autorização para o cometimento do pecado?? Travava-se de uma rebeldia contra Jeová?? Tratava-se de um mandamento autorizando fazer aquilo que Jeová havia definido ser um pecado??

Moisés especificou o como satisfazer o desejo de comer a carne de um destes três animais: Toda vez que você desejar comer a carne de um destes três animais faça o seguinte,...

Deves DERRAMAR o sangue destes três animais na terra como água?? Deveis fazer com o sangue destes três animais o mesmo que se faz com o sangue da gazela e do veado?? Deveis derramar na terra como água??

Deveis derramar o sangue destes três animais SOMENTE junto à base do altar no tabernáculo de jeová. Tratava-se de um local específico.

Mas, o único local onde se poderia DERRAMAR o sangue destes três animais, não era na base junto ao altar?? Não foi o próprio Jeová quem estipulou que dentro do reino, qualquer humano que abatesse um destes três animais fora do local específico, ou seja, à entrada da tenda de reunião, perante Jeová, se tornava culpado de DERRAMAR sangue???

A pessoa que derramasse o sangue de um destes três animais em qualquer outro lugar, exceto junto à base do altar, não se tornava culpada de derramar sangue?? Não foi exatamente isto o que Jeová HAVIA DETERMINADO, apenas alguns anos antes?? Não se tratava de um estatuto por tempo indefinido nas gerações dos filhos de Israel??

Tratava-se de uma questão de simples obediência a uma ordem dada por Jeová.

Se você tiver vontade de comer carne, se a base do “altar” do tabernáculo de Jeová estiver longe, então abata um touro, um cabritinho ou um caprídeo, da sua manada e do seu rebanho, DERRAME o sangue deles na terra e o cubra com pó dentro dos teus portões???

Bem, a partir de agora, o homem que abatesse um touro, um cabritinho ou um caprídeo, e que não derramasse seu sangue junto à base do “altar”, não se tornava mais culpado de sangue perante Jeová?? De acordo com esta ordem de Moisés, não havia mais culpa de sangue, pois, o sangue destes três animais poderia ser derramado por qualquer pessoa e em qualquer lugar dentro do território do reino, e obviamente, em qualquer lugar fora do território do reino. De acordo com esta nova ordem, se poderia fazer “fumaça sacrificial” e comer a carne destes três animais em qualquer lugar do reino, afinal, a base do altar estava longe. A “FUMAÇA SACRIFICIAL” era o produto da queima da carne e gordura de um destes três animais no local especificado por Jeová e chamado de “ALTAR”. Afinal, deveria um israelita ficar tolhido de satisfazer sua vontade de comer a carne de um destes três animais só porque estava longe da “base de um certo altar”?? O humano não poderia construir outros “ALTARES”?? No lugar do humano ir até o “ALTAR”, ele poderia construir um “ALTAR” em qualquer lugar que ele achasse bom e conveniente??

Bem, se precisasse de um sacerdote, era só chamar um. Será que este jeitinho humano era continuar obedecendo ao mandamento dado por Jeová para ser obedecido em todas as vossas gerações ou será que era pura rebeldia contra Jeová??

Será que bastava arrumar um local bem alto para poder fazer ali um altar de sacrifícios, matando ali estes três animais para comer suas carnes, fazendo assim um sacrifício de participação em comum??

(Isaías 65:6-7) 6 Eis que está escrito diante de mim. Não ficarei quieto, mas vou dar uma recompensa; vou pôr mesmo uma recompensa no seu próprio seio, 7 pelos seus próprios erros e pelos erros dos seus antepassados ao mesmo tempo”, disse Jeová. “Visto que fizeram fumaça sacrificial sobre os montes e me vituperaram sobre os morros, também eu vou medir-lhes seu salário primeiro de tudo no seu próprio seio.”

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Isaías 65:6-7) 6 Eis que isso está escrito diante de mim; não me calarei, mas retribuirei (sim retribuirei no seio deles), 7 as vossas iniqüidades, e juntamente as iniqüidades de vossos pais, diz Jeová, os quais queimaram incenso sobre os montes, e me blasfemaram sobre os outeiros: portanto primeiro lhes medirei a recompensa no seu seio.

Centenas de anos depois de Moisés, Jeová falou sobre o pecado de “comer sobre os montes”.

(Ezequiel 18:10-11) 10 “‘E [se] alguém se tornou pai de um filho que é salteador, derramador de sangue, que fez coisas semelhantes a uma destas; 11 (mas ele mesmo não fez nenhuma destas coisas;) se também comeu sobre os montes e aviltou a esposa de seu companheiro;

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel 18:10-11) 10 Se ele gerar um filho que se torne salteador, que derrame sangue e que faça a seu irmão qualquer destas coisas, 11 e que não cumpra com nenhum destes deveres, porém coma sobre os montes, e contamine a mulher do seu próximo,

Ratifica Jeová que comer sobre os montes constituía um pecado.

(Ezequiel 22:8-9) 8 “‘Desprezaste os meus lugares santos e profanaste os meus sábados. 9 Mostrou-se haver em ti flagrantes caluniadores, com o fim de derramar sangue; e em ti comeram sobre os montes. No teu meio praticaram conduta desenfreada.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel 22:8-9) 8 Desprezaste as minhas coisas sagradas, e profanaste os meus sábados. 9 Homens caluniadores acharam-se no meio de ti para derramarem o sangue; e no meio de ti comeram sobre os montes; no meio de ti praticaram a luxúria.

Se o homem não comeu sobre os montes, ele é justo.

Uma das obras de justiça que caracterizava um homem justo era o fato dele não ter participado do costume de comer sobre os montes.

(Ezequiel 18:5-9) 5 “‘E no que se refere ao homem, se ele veio a ser justo e tem praticado o juízo e a justiça; 6 SE NÃO COMEU NOS MONTES e não elevou seus olhos para os ídolos sórdidos da casa de Israel, e não aviltou a esposa de seu companheiro, e não se chegou a uma mulher na sua impureza; 7 e se não maltratou a nenhum homem; se restituiu o penhor tomado pela dívida; se não arrebatou nada em roubo; se deu o seu próprio pão ao faminto e cobriu com roupa ao que estava nu; 8 se não deu nada em troca de juros e não tomou usura; se retirou sua mão da injustiça; se praticou a verdadeira justiça entre homem e homem; 9 se tem andado nos meus estatutos e tem guardado as minhas decisões judiciais para praticar a verdade, ELE É JUSTO. Ele positivamente continuará a viver’, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel 18:5-9) 5 Porém, se um homem for justo, e fizer o que é de eqüidade e justiça, 6 e se não comer sobre os montes, nem levantar os seus olhos para os ídolos da casa de Israel, nem contaminar a mulher do seu próximo, nem se chegar à mulher na sua separação; 7 se não oprimir a ninguém, porém tornar ao devedor o seu penhor, se não tirar nada do alheio por violência, se der do seu pão ao que tem fome e ao nu cobrir com vestido; 8 se não der o seu dinheiro à usura, nem receber mais do que o que emprestou, se desviar a sua mão da iniqüidade, e fizer verdadeiro juízo entre homem e homem; 9 se andar nos meus estatutos, e guardar os meus juízos, para proceder segundo a verdade; este tal é justo, certamente viverá, diz o Senhor Jeová.



Bem, uma das coisas detestáveis praticadas pela nação após entrar na “terra que mana leite e mel” era comer nos montes. Jeová chamou o comer nos montes de “coisa detestável”.

Que poderia haver de errado em comer nos montes?? Alimentar-se quando se está com fome, não constitui pecado, independente do local onde se esteja.

Poderiam matar um touro, um cabritinho ou um caprídeo e fazer um sacrifício de participação em comum sobre um monte?? Que pecado poderia haver nisto?? Que pecado havia em fazer fumegar a carne de um destes três animais e comê-la junto com os familiares e amigos?? Não bastava derramar o sangue sobre a terra qual água??

A carne fumegava sendo assada sobre madeira que estava sendo queimada, gerando uma fumaça com aquele cheiro característico??

Ora, conhecemos isto como churrasco, não é verdade??

O “sacrifício de participação em comum” realizado nos montes, não passava de um churrasco comunitário com a participação e bênção dos sacerdotes e profetas, que abençoavam este churrasco comunitário. Sem a presença dos sacerdotes não poderia haver o churrasco comunitário, chamado de sacrifício de participação em comum.

Será que tudo ficaria de acordo com a vontade de Jeová se tivesse a presença de um sacerdote??

Fazer fumegar é gerar uma fumaça. Não se tratava de uma fumaça sacrificial?? Não se tratava da mesma fumaça sacrificial gerada diante do tabernáculo??

O pecado era o fato de que Jeová determinou que o único local onde se poderia ABATER um touro, um carneiro ou um caprídeo, seria em frente à tenda de reunião, diante do tabernáculo de Jeová, sendo a base do “altar”, daquele altar, o único local onde o sangue do animal abatido poderia ser DERRAMADO. Deveria ser diante da pessoa de Jeová que habitava na tenda de reunião, ou tabernáculo. Quem o fizesse em qualquer outro lugar tornava-se culpado de derramar sangue. Jeová o via como culpado de derramar sangue. O humano tornava-se assim sentenciado de morte, pois cometeu um pecado diante de Jeová. Jeová o via como um infrator. Afinal de contas, quantas arcas existiam?? Não existia apenas uma arca??

Apenas alguns anos depois daquela ordem dada por Jeová, foi afirmado que aquilo que Jeová havia determinado como sendo pecado, não era mais pecado.

Será que esta determinação havia sido abolida por Jeová ou se tratava de desobediência?? Mudança de mandamento da parte de Jeová ou uma rebeldia da casa de Israel??

Comer nos altos era um costume entre os israelitas. Oferecer sacrifícios nos altos. Todos participavam deste costumes, inclusive o profeta Samuel, afinal, ele (o profeta) precisava abençoar o sacrifício. Para o povo este costume tinha a aprovação de Jeová. (1 Samuel 9:9-14) 9 (Antigamente, em Israel, era assim que o homem falava ao ir buscar a Deus: “Vinde e vamos ao vidente.” Pois o profeta de hoje costumava ser chamado outrora de vidente.) 10 Saul disse então ao seu ajudante: “Tua palavra é boa. Vem deveras, vamos.” E eles se foram à cidade onde estava o homem do [verdadeiro] Deus. 11 Indo eles para cima pela subida da cidade, encontraram umas moças que saíam para tirar água. Disseram-lhes, pois: “Está o vidente neste lugar?” 12 Responderam-lhes então e disseram: “Está. Eis que está na vossa frente. Apressai-vos agora, porque ele veio hoje à cidade, pois há hoje um sacrifício no alto, para o povo. 13 Assim que entrardes na cidade, ireis logo achá-lo antes de ele subir ao alto para comer; porque o povo não pode comer até que venha, visto que É ELE QUEM ABENÇOA O SACRIFÍCIO. Só depois é que os convidados podem comer. E agora subi, porque a ele — agora mesmo o achareis.” 14 Por conseguinte, subiram à cidade. Entrando para o meio da cidade, ora, eis que vinha Samuel ao seu encontro para subir ao alto.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(1 Samuel 9:9-14) 9 (Antigamente em Israel todo o que ia consultar a Deus, dizia assim: Vinde, vamos ter com o vidente; porque aquele que hoje se chama profeta, se chamava outrora vidente). 10 Disse Saul ao seu servo: Dizes bem, anda, vamos. Assim subiram à cidade em que estava o homem de Deus. 11 Quando eles subiam pela encosta à cidade, encontraram umas moças que saíam a tirar água, e lhes perguntaram: Está aqui o vidente? 12 Elas lhes responderam: Está, ei-lo aí tens diante de ti. Apressa-te porque hoje veio à cidade, porquanto o povo oferece hoje sacrifícios no alto. 13 Ao entrardes na cidade, logo o encontrareis, antes que suba ao alto para comer; pois o povo não comerá, a menos que ele não tenha vindo, porque ele é quem há de abençoar o sacrifício; e depois comem os que forem convidados. Subi agora, porque a esta hora o achareis. 14 E subiram à cidade; ao entrarem, saiu-lhes Samuel ao encontro, para subir ao alto.

Será que a presença e a bênção dada por Samuel, um profeta designado por Jeová, não transformava aquele costume em um costume aceitável para Jeová??

Será que a arca estava lá neste monte?? Será que o tabernáculo estava lá no monte??

Quem morria neste sacrifício?? O touro (boi), o novilho (cordeiro) ou o caprídeo (cabra). Não eram estas as ofertas feitas a Jeová?? Não estavam sendo oferecidas a Jeová??

Ó Soberano Senhor Jeová, estamos fazendo este sacrifício de participação em comum em teu santo nome.

Será que isto não adiantaria??

O PROFETA DE JEOVÁ abençoou o sacrifício feito no monte. Será que a presença e a aprovação de um profeta oficialmente escolhido por Jeová ou de um sacerdote que abençoassem os sacrifícios (morte do touro, do carneiro ou do caprídeo) tornava tal sacrifício aprovado por Jeová??

Onde estava o erro??

Estes animais só podiam ser abatidos na presença de Jeová, naquele lugar específico determinado por Jeová, ou seja, diante do tabernáculo.

Jeová fala de novo sobre o costume de oferecer sacrifícios nos montes (comer sobre os montes):

(Ezequiel 20:27-29) 27 Portanto, fala à casa de Israel, ó filho do homem, e tens de dizer-lhes: ‘Assim disse o Soberano Senhor Jeová: “Ainda neste respeito vossos antepassados falaram de mim de modo ultrajante, agindo contra mim com infidelidade. 28 E passei a fazê-los entrar na terra a respeito da qual eu levantara a minha mão [em juramento] de dá-la a eles. Quando chegaram a ver todo morro alto e toda árvore ramosa, então começaram a sacrificar ali os seus sacrifícios, e a dar ali as suas OFERTAS OFENSIVAS, e a apresentar ali os seus cheiros repousantes, e a derramar ali as suas ofertas de bebida. 29 Por isso eu lhes disse: ‘Que significa o alto ao qual estais chegando, que deva ser chamado pelo nome de Alto até o dia de hoje?’”’

Assim verte a Tradução Brasileira: (Ezequiel 20:27-28) 27 Portanto, filho do homem, fala à casa de Israel, e dize-lhes: Assim diz o Senhor Jeová: Ainda nisto me blasfemaram vossos pais, que cometeram contra mim uma transgressão. 28 Pois tendo-os eu introduzido na terra, a respeito da qual levantei a minha mão, jurando que lha daria a eles, então olharam para todos os outeiros altos, e todas as árvores frondosas, E ALI ofereceram os seus sacrifícios, E ALI apresentaram a provocação das suas ofertas. Também ali puseram os seus suaves cheiros e ali derramaram as suas libações. 29 Eu lhes disse: Que significa o alto a que vós ides? Assim o seu nome ficou sendo Bamá até hoje.



E ali ofereceram os seus sacrifícios; e ali apresentaram a provocação de suas ofertas. A casa de Israel fazia sacrifícios de participação em comum em qualquer monte que aparecesse diante deles. Para a casa de Israel, estes sacrifícios de participação dm comum deviam ser feitos nos Altos dos montes.

Bem, ONDE é que tinham de oferecer sacrifícios e apresentar suas ofertas??

Qual foi o LUGAR especificado por Jeová para eles apresentarem suas ofertas a Ele??

O LOCAL ESPECIFICADO por Jeová foi: à entrada da tenda de reunião, perante o tabernáculo de Jeová.

Jeová especificou os animais, especificou o lugar, especificou como fazer e especificou as atribuições de cada participante.

O que Jeová havia dito sobre matar os animais separados por Ele para serem ofertados sobre o Altar?? Assim falou Jeová: (Levítico 17:1-7) 17 E Jeová prosseguiu, falando a Moisés, dizendo: 2 Fala a Arão e a seus filhos, e a todos os filhos de Israel, e tens de dizer-lhes: ‘Isto é o que Jeová ordenou, dizendo: 3 “‘“Quanto a QUALQUER homem da casa de Israel que ABATER um touro, ou um carneirinho, ou um caprídeo NO ACAMPAMENTO, OU QUE O ABATER FORA DO ACAMPAMENTO 4 e não o trouxer realmente à entrada da tenda de reunião para apresentá-lo como oferta a Jeová, perante o tabernáculo de Jeová, a tal homem será imputada CULPA de sangue. Ele DERRAMOU sangue, e tal homem tem de ser decepado dentre seu povo, 5 a fim de que os filhos de Israel tragam seus sacrifícios que oferecem como sacrifícios no campo aberto, e eles têm de trazê-los a Jeová, à entrada da tenda de reunião, ao sacerdote, e têm de sacrificá-los a Jeová como sacrifícios de participação em comum. 6 E o sacerdote tem de aspergir o sangue sobre o altar de Jeová, à entrada da tenda de reunião, e tem de fazer fumegar a gordura como cheiro repousante para Jeová. 7 De modo que não devem mais oferecer os seus sacrifícios aos demônios caprinos com que têm relações imorais. Isto vos servirá de estatuto por tempo indefinido, nas vossas gerações.”’

Assim verte a Tradução Brasileira: (Levítico 17:1-4) 1 Disse Jeová a Moisés: 2 Fala a Arão e a seus filhos, e a todos os filhos de Israel, e dize-lhes: Isto é o que Jeová tem ordenado: 3 Qualquer homem da casa de Israel que matar boi, ou cordeiro, ou cabra no arraial, ou fora do arraial, 4 e o não trouxer à entrada da tenda da revelação para o oferecer como oblação a Jeová diante do tabernáculo de Jeová, a esse homem será imputado sangue (esse homem derramou sangue, e será exterminado dentre o seu povo);

Ficou bem claro que o ÚNICO local onde se poderia abater boi, cordeiro ou cabra e derramar seu sangue sem que fosse um pecado, seria à entrada da tenda de reunião, perante o tabernáculo de Jeová, tendo a presença de um sacerdote.

Será que Jeová havia mudado de ideia e autorizado “derramar o sangue” destes animais em qualquer outro lugar desde que fosse alto??

Seria o caso de “se você não puder ir até o altar, traga o altar até você e satisfaça o teu desejo de comer carne?? Como fazer isto?? Por fazer um altar e solicitar a presença de um sacerdote?? Será que uma comunidade podia ter seu próprio sacerdote?? Será que uma cidade podia ter o seu próprio grupo de sacerdotes?? Será que cada comunidade ou cidade podia ter o seu próprio altar onde estes animais pudessem ser sacrificados, desde que ficassem no “alto”??

O motivo apresentado por oferecer sacrifício nos altos, era o fato de que a casa de Jeová ainda não estava construída. Será que era tão grande assim o desejo de oferecer sacrifícios a Jeová ou será que o desejo era o de comer a carne de um destes três animais?? O desejo poderia ser grande, no entanto, tinha Jeová a obrigação de aceitá-los naquelas condições estipuladas pelo humano??

Bem, e depois do templo construído, o que mudava?? Não teriam de viajar longos percursos para satisfazerem seu desejo de comer carne no sacrifício de participação em comum?? Qual era a diferença entre a tenda e o templo??

Afinal de contas, tratava-se de um desvio de seguir a Jeová ou não?? Era um caso de estar fazendo a VONTADE de Jeová ou fazendo a vontade do humano??

Ao apresentar a sua oferta em um alto, o humano estava satisfazendo a vontade de Jeová ou estava satisfazendo a sua vontade de humano??

Será que até a casa de Jeová ficar pronta, oferecer sacrifícios nos altos não era pecado?? Será que a presença de um sacerdote removeria o pecado??

(1 Reis 3:2-3) 2 Só que o povo oferecia sacrifícios nos altos, pois até aqueles dias não se construíra ainda uma casa ao nome de Jeová. 3 E Salomão continuou a amar a Jeová, andando nos estatutos de Davi, seu pai. Só que era nos altos que oferecia regularmente sacrifícios e fazia fumegar as ofertas.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(1 Reis 3:2-3) 2 Entretanto o povo oferecia sacrifícios sobre os altos, porque até aqueles dias não se tinha edificado casa ao nome de Jeová. 3 Salomão amava a Jeová, andando nos estatutos de seu pai Davi, exceto que ele oferecia sacrifícios e queimava incenso nos altos.



A quem estava sendo oferecido tais sacrifícios?? Não estava Salomão oferecendo sacrifícios a Jeová??

(1 Reis 3:4-5) 4 Conseqüentemente, o rei foi a Gibeão para oferecer ali sacrifícios, pois aquele era o grande alto. Mil sacrifícios queimados passou Salomão a oferecer naquele altar. 5 Em Gibeão apareceu Jeová a Salomão num sonho, de noite; e Deus passou a dizer: “Pede o que te devo dar.”

Assim verte a Tradução Brasileira:

(1 Reis 3:4-5) 4 Foi o rei a Gibeom, para oferecer sacrifícios, porque aquele era o grande alto. Ofereceu Salomão mil holocaustos sobre aquele altar. 5 Em Gibeom apareceu Jeová a Salomão em sonho de noite. Disse-lhe Deus: Pede-me o que queres que eu te dê.

A palavra de Jeová centena de anos depois destas ações de Samuel, Davi, Salomão e outros, revela apenas que estes homens praticavam o pecado de “comer sobre os montes”.

Agora vejamos a palavra de Jeová depois Dele destruir a cidade e o templo. Falando sobre a reconstrução do templo e as ações anteriores da nação, assim falou Jeová:

(Ezequiel 44:6-14) 6 E tens de dizer à Rebeldia, à casa de Israel:Assim disse o Soberano Senhor Jeová: “Já chega de vós, por causa de todas as vossas coisas detestáveis, ó casa de Israel, 7 ao introduzirdes os estrangeiros de coração incircunciso e de carne incircuncisa, para que venham a estar no meu santuário a fim de profaná-lo, sim, a minha casa; ao apresentardes meu pão, gordura e sangue, ao passo que violam o meu pacto por causa de todas as vossas coisas detestáveis. 8 Tampouco cuidastes da obrigação para com as minhas coisas sagradas, nem fostes constituir para vós [outros] em guardiães da obrigação para comigo no meu santuário.”’ 9 “‘Assim disse o Soberano Senhor Jeová: “Nenhum estrangeiro, de coração incircunciso e de carne incircuncisa, pode entrar no meu santuário, quer dizer, nenhum estrangeiro que estiver no meio dos filhos de Israel.”’ 10 “‘Mas, no que se refere aos levitas que se afastaram para longe de mim quando Israel, que se transviou de mim, andou perdido atrás dos seus ídolos sórdidos, também terão de levar seu erro. 11 E terão de tornar-se ministros no meu santuário, em postos de supervisão sobre os portões da Casa, e ministros na Casa. ELES MESMOS ABATERÃO O HOLOCAUSTO E O SACRIFÍCIO PARA O POVO, e eles mesmos estarão de pé perante eles para ministrar-lhes. 12 Visto que lhes ministravam perante os seus ídolos sórdidos e se tornaram para a casa de Israel uma pedra de tropeço para [cair no] erro, por isso levantei a minha mão contra eles’, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová, ‘e terão de levar seu erro. 13 E não se aproximarão de mim para atuarem para mim como sacerdotes ou para se aproximarem de quaisquer das minhas coisas sagradas, das coisas santíssimas, e terão de levar sua humilhação e as coisas detestáveis que fizeram. 14 E eu certamente farei deles guardiães da obrigação para com a Casa, com respeito a todo o seu serviço e com respeito a tudo o que se deve fazer nela.’


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel 44:6-14) 6 Dirás aos rebeldes, a saber, aos da casa de Israel: Assim diz o Senhor Jeová: Bastem-vos, casa de Israel, todas as vossas abominações, 7 porque tendes introduzido estrangeiros, incircuncisos de coração e incircuncisos de carne, para que estejam no meu santuário, para que o profanem, a saber, a minha casa, quando ofereceis o meu pão, a gordura e o sangue, e vós quebrastes a minha aliança, além de todas as vossas abominações. 8 Não cumpristes as funções prescritas a respeito das minhas coisas sagradas; mas constituístes ao vosso prazer ministros que cumpram no meu santuário as funções prescritas por mim. 9 Assim diz o Senhor Jeová: Dos estrangeiros que se acharem no meio dos filhos de Israel, nenhum incircunciso de coração e incircunciso de carne, entrará no meu santuário. 10 Mas os levitas que se apartaram longe de mim, quando Israel se desviava, os quais se desviavam de mim para seguirem os seus ídolos; estes sim levarão sobre si as suas iniqüidades. 11 Contudo serão ministros do meu santuário, tendo o seu cargo junto às portas da casa, e ministrando na casa. ELES MATARÃO OS HOLOCAUSTOS E OS SACRIFÍCIOS PARA O POVO, e estarão diante deles para os servir. 12 Porque os serviram diante dos seus ídolos, e se fizeram para a casa de Israel uma ocasião de tropeço; por isso levantei a minha mão contra eles, diz o Senhor Jeová, e levarão sobre si a sua iniqüidade. 13 Não se chegarão a mim, para me servirem no ofício sacerdotal, nem para se chegarem a alguma das minhas coisas sagradas, às coisas que são santíssimas; mas levarão sobre si a sua vergonha e as suas abominações que têm cometido. 14 Contudo os constituirei ministros que cumpram as funções prescritas da casa, em todo o serviço dela e EM TUDO quanto nela se fizer.

Qual foi a tribo escolhida por Jeová para prestar os serviços sagrados?? Não foi a tribo de Levi??

Quais eram os serviços sagrados?? Não eram todos os serviços vinculados ao tabernáculo de Jeová??

De quem era a função de matar aqueles animais e derramar o seu sangue na base do altar??

O que falou Jeová??

ELES MESMOS ABATERÃO O HOLOCAUSTO E O SACRIFÍCIO PARA O POVO,

ELES MATARÃO OS HOLOCAUSTOS E OS SACRIFÍCIOS PARA O POVO,

Jeová foi bem claro. Vocês constituíram outros ministros, pessoas estranhas ao serviço, estrangeiros aos serviços do tabernáculo. Vocês não respeitaram as minhas prescrições sagradas.

Mesmo sendo levitas, será que poderiam matar aqueles animais e derramar o sangue na base de um altar construído em um monte qualquer e queimar tais animais oferecendo-os a Jeová?? O que Jeová havia falado?? Qual era o único lugar onde deveriam derramar o sangue daqueles animais?? Somente na base do altar do tabernáculo de Jeová.

O que aconteceria se um rei qualquer pedisse para um levita matar estes animais e queimá-los em um altar construído em cima de um monte??

Neste caso, o levita devia negar-se a fazer tal coisa, pois ele tinha uma lei específica para ele que determinava o local específico onde ele poderia executar tal serviço para o povo.

Neste caso, todos os humanos de todas as gerações após Moisés, comiam sobre os montes. Matavam estes animais e derramavam o sangue deles na terra, qual água. Neste caso, tornavam-se culpados de derramar sangue.

Neste caso, todas as gerações também eram culpadas de derramar sangue, pois derramavam o sangue daqueles três animais sobre os montes, isto é, fora do único lugar definido por Jeová como permitido.

No entanto, Jeová continuava se relacionando amigavelmente com estes que violavam claramente o Seu mandamento e obedeciam ao mandamento dado por Moisés.

O que isto prova??

Isto prova o quanto Jeová é misericordioso, não é verdade??

O mandamento criado por Moisés não transformou o “derramar o sangue destes três animais dentro dos portões daquele que almejasse comer carne”, em uma ação isenta de pecado. Apesar da liberação dada por Moisés através de um mandamento, Jeová continuava vendo como pecado o derramar o sangue destes três animais fora da base do altar do tabernáculo onde Ele residia.

Mesmo assim, Jeová continuava residindo com os iníquos. Mesmo assim, Jeová continuava se relacionando amistosamente com os rebeldes aos Seus mandamentos.

O que aconteceu depois da construção do templo??

Será que houve muito choro por parte dos demais, ou será que o mandamento dado por Moisés mantinha o hábito de comer sobre os montes ou dentro de seus portões a carne destes três animais, como algo aceitável a Jeová, desde que derramassem o sangue na terra e cobrissem com pó??

E depois que Jeová decidiu aceitar a separação do reino em dois??

Onde as pessoas do reino de Samaria comeriam seus churrascos?? Onde fariam o sacrifício de participação em comum??

Segundo Moisés, poderia ser feito dentro dos portões, não sendo necessário ir até Jerusalém??

Havia um grande problema?? Sim havia.

Havia uma rebeldia contra a palavra de Jeová. Esta rebeldia levava a problemas e mais problemas no dia a dia do povo.

O povo estava cometendo pecado e achando que estavam agradando a Jeová com os seus sacrifícios de participação em comum, onde faziam fumaça sacrificial nos montes.

O povo apresentaria o mandamento lhes concedendo o direito matar estes animais dentro de seus portões e derramar o sangue destes três animais na terra e cobrir, podendo fazer fumaça sacrificial, que consistia em queimar a carne sobre a madeira em chama e comê-la junto aos seus.

Será que isto era suficiente??

O que acontecia no caso do divórcio com direito a novo casamento??

Não apresentavam um mandamento dado por Moisés que legalizava o novo casamento desde que a pessoa tivesse uma carta de divórcio??

O que disse Jesus a respeito desta prática e deste mandamento??

(Mateus 19:7-8) 7 Disseram-lhe: “Então, por que prescreveu Moisés que se desse um certificado de repúdio e que ela fosse divorciada?” 8 Ele lhes disse: “Moisés, por causa da dureza dos vossos corações, vos fez a concessão de vos divorciardes de vossas esposas, mas este não foi o caso desde [o] princípio.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Mateus 19:9-8) 7 Replicaram-lhe: Por que, então, mandou Moisés dar carta de divórcio e repudiar a mulher? 8 Respondeu Jesus: Por causa da dureza do vosso coração é que Moisés vos permitiu repudiar vossas mulheres, mas não foi assim desde o princípio.

As palavras de Jesus foram bem claras:

- “Moisés vos fez a concessão”.

- “Moisés vos permitiu”.

Que mais disse Jesus??

- “Este não foi o caso desde o princípio”.

Que mais disse Jesus??

- “Por causa da dureza dos vossos corações”.

Independente do pecado do esposo ou da esposa, o que deveria acontecer??

O mandamento retransmitido por Jesus foi:

- “Ofereça a outra face”.

Oferecer a outra face é o mesmo que perdoar e não guardar ressentimento.

Oferecer a outra face deveria ser uma regra de comportamento que deveria ser usada também neste caso??

Esta regra de comportamento deve ser usada em todos os casos do dia a dia entre os humanos.

Jesus deixou isto bem claro ao afirmar:

(Mateus 6:14-15) 14 Pois, se perdoardes aos homens as suas falhas, também o vosso Pai celestial vos perdoará; 15 ao passo que, se não perdoardes aos homens as suas falhas, tampouco o vosso Pai vos perdoará as vossas falhas.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Mateus 6:14-15) 14 Pois se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará; 15 mas se não perdoardes aos homens, tão pouco vosso Pai perdoará as vossas ofensas.

Será que isto é um caso de perdão??

Sim, também é um caso de perdão.

O marido traído sexualmente ficará com as opções de perdoar ou não perdoar sua esposa adúltera.

O marido ofendido pode deixar de perdoar?? Sim ele pode.

No entanto, o que acontecerá quando ele fizer a oração do Pai nosso??

Ele dirá para o Pai: Pai, perdoe as minhas falhas, ASSIM COMO eu tenho perdoado aos meus devedores.

Ora, ele não perdoou sua esposa, logo, o seu pedido circunstancial de perdão feito ao Pai soaria uma coisa hipócrita, não soaria??

Ele estava afirmando ter feito uma coisa que na verdade ele não fez.

Conforme Jesus havia informado, se tratava de uma questão de coração.

Quem tem o coração duro não perdoa.

Percebemos que, embora Moisés tenha dado este mandamento ao povo, não havia sido Jeová quem o mandara dar ao povo este Mandamento. Percebemos que se tratava de uma iniciativa de Moisés em face da dureza do coração do povo.

De forma idêntica, foi o mesmo Moisés quem concedeu ao povo o direito de matar aqueles três animais e despejar o sangue deles no solo e cobri-lo, podendo comer a carne deles em qualquer lugar que fosse do agrado deles.

Embora a concessão tenha sido dada por Moisés, Jeová não havia sido o criador de tal mandamento.

A cobrança posterior feita por Jeová, identificando o comer sobre os montes como uma abominação, deixa bem claro a posição de Jeová.



topo desta página