SANSÃO - MEU NOME É VINGANÇA

Criada em 08 de setembro de 2011 - Última alteração em 17/02/14 às 15 : 16



SANSÃO – MEU NOME É VINGANÇA



Depois da palavra agressiva de uma pessoa contra você, o que deve acontecer?? Deve acontecer alguma coisa?? Será que fica um vazio??

Depois da agressiva ação de uma pessoa contra você, o que deve acontecer?? Deve acontecer alguma coisa?? Será que fica um vazio??

Será que a vingança é uma ação de intolerância??

Seria intolerância a que exatamente??

Tolerante é aquele que: desculpa.

Tolerante – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: que tolera; que desculpa certas falhas ou erros

tolerante

adj.2g. (1789) 1 que tolera 2 que desculpa certas falhas ou erros <a chefia sempre se mostrou t. com os atrasos dele> n adj.2g.s.2g. 3 diz-se de ou indivíduo que é dotado de tolerância ou indulgência <devemos ser t. com as crianças> <os t. ouvem e respeitam opiniões diferentes das suas> ¤ etim lat. tolerans,antis, part.pres. do v.lat. toleráre 'suportar, tolerar' ¤ ant fanático, ferrenho, implacável, inflexível, intolerante


Intolerante é aquele que: não desculpa.

Intolerante – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: falto de tolerância, de condescendência, de compreensão, inflexível, rígido.

intolerante

adj.2g. (1789) 1 falto de tolerância, de condescendência, de compreensão; inflexível, rígido <é i. com os erros de outrem> 2 que não admite opinião, posição etc. que divirja da sua <seita religiosa i.> <teórico i.> 3 med diz-se do organismo que manifesta alergia a certos medicamentos <organismo i. ao leite> n adj.2g.s.2g. 4 m.q. intolerantista ¤ etim lat. intolèrans,antis 'id.' ¤ ant tolerante


No princípio da mecânica, toda ação provoca uma reação igual e contrária.

Será que este princípio deve reger a relação entre humanos no seu dia a dia???

Esta é a lei de Isaac Newton, chamada de lei da ação e reação. Até determinado contexto, este princípio rege a relação entre os corpos sem vida.

Lei III: A toda ação há sempre uma reação oposta e de igual intensidade: ou as ações mútuas de dois corpos um sobre o outro são sempre iguais e dirigidas em sentidos opostos.

De forma paralela, será que a relação humana deve ser regida segundo este princípio??

Que princípio deve reger a relação humana??

O que é mesmo vingar?? Vejamos a definição dada por certo dicionário (Houaiss): obter, tirar desforra de; desagravar (se) [alguém que foi ofendido, atacado etc.]

vingar     Datação: sXIII

n verbo

 transitivo direto, bitransitivo e pronominal

1     obter, tirar desforra de; desagravar(-se) [alguém que foi ofendido, atacado etc.]; desafrontar(-se)

Exs.: v. a morte da família

 vingou a irmã das injúrias

 vingaram-se das chacotas do vizinho

 o artilheiro fez três gols e vingou-se da última derrota

 transitivo direto

2     servir de castigo a; castigar, punir

Ex.: sua atual pobreza vinga a antiga avareza

 intransitivo

3     resistir vivo; sobreviver

Exs.: naquela pobreza, poucos filhos vingavam

 a plantinha vingou e cresceu

 transitivo direto e intransitivo

4     Derivação: sentido figurado.

lograr, obter êxito; vir a existir ou a realizar-se

Exs.: suas ameaças não vingaram amedrontar-me

 o cristianismo vingou, apesar das perseguições

 suas propostas não vingaram

 transitivo direto

5     ultrapassar (espaço, distância); vencer, transpor

 transitivo direto e transitivo indireto

6     chegar a; atingir

Exs.: a maratona já vingara a última etapa, quando começou a chover

 o campeão vingou ao fim da pista em poucos segundos



Primeiro acontece uma ofensa verbal ou um ataque físico para depois acontecer a vingança. Trata-se de uma ação que acontece em retaliação de uma ação anterior.

Retaliação – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: revide a uma ofensa ou a uma agressão sofrida;

retaliação

s.f. (1881) ato ou efeito de retaliar 1 aplicação da pena de talião; revide com dano igual ao sofrido 1.1 p.ext. revide a uma ofensa ou a uma agressão sofrida; represália, vingança ¤ etim retaliar + -ção ¤ sin/var pena de talião, talião; ver tb. sinonímia de vingança ¤ par retalhação




Para vingar-se, a pessoa precisa ter sido ofendida e ter guardado ressentimento da ofensa praticada contra ela.

O que é mesmo uma ofensa?? Vejamos a definição dada por certo dicionário (Houaiss):

ofensa Datação: sXV

n substantivo feminino

1     palavra que atinge alguém na sua honra, na sua dignidade; injúria, agravo, ultraje, afronta

2     ação que causa dano físico; lesão

3     ato de atacar; ofensiva

4     ato ou dito que lesa um sentimento respeitável ou legítimo; desconsideração, desacato, menosprezo

5     violação de um preceito, de uma regra; transgressão, pecado, falta

6     sensação desagradável, desgosto, aborrecimento causado por agravo ou indelicadeza

A ofensa pode ocorrer tanto no físico, isto é, naquilo que pode ser tocado, como no espiritual, ou seja, aquilo que embora faça parte de mim, não pode ser visto com os olhos e não pode ser tocado com as mãos. A honra e a dignidade, embora não possam ser vistas, fazem parte da parte espiritual (invisível) do ser humano, isto é, de cada ser humano. Assim, palavras, gestos e ações podem ser uma real ofensa contra o próximo.

Não podemos deixar de destacar aqui a “imaginária” ofensa. Uma pessoa pode sentir-se ofendida por causa de uma palavra falada a respeito dela, palavra esta, que pode até mesmo ser a pura verdade.

Por exemplo, uma pessoa que julga, condena e mata adúlteras, se sentiria muito ofendida se fosse chamada de prostituta, não é verdade?? Neste caso, um grande grupo formado por estas pessoas também se sentiria muito ofendido se fosse chamado de um grupo de prostitutas, não é verdade??

Trata-se de um caso real. Este exemplo é de um caso real. As tribos de Judá e Levi que formavam o reino cuja capital era Jerusalém, orgulhava-se de matar adúlteras. Faziam isto para manter o reino limpo, logo, eles se consideravam limpos.

Como será que eles que excluíam e matavam adúlteras se sentiram ao ouvirem estas palavras??

(Jeremias 3:1-5) 3 Há um ditado: “Se um homem mandasse embora a sua esposa e ela realmente se afastasse dele e se tornasse de outro homem, deveria ele ainda retornar a ela?” Não foi decididamente poluída essa terra? “E tu mesma cometeste prostituição com muitos companheiros; e deveria haver um retorno a mim?” é a pronunciação de Jeová. 2 “Levanta os olhos para as veredas batidas e vê. Onde é que não foste estuprada? Tu te sentaste para eles à beira dos caminhos, assim como o árabe no ermo; e continuas a poluir a terra com os teus atos de prostituição e com a tua maldade. 3 Por isso se retém as chuvas copiosas e não veio a haver nem mesmo chuva primaveril. E testa de uma esposa que comete prostituição é que se tornou a tua. Tu te negaste a sentir-te humilhada. 4 Não clamaste a mim, daí para diante: ‘Meu Pai, tu és o amigo íntimo da minha mocidade! 5 Deve-se ficar ressentido por tempo indefinido ou ficar vigiando [algo] para sempre’? Eis que falaste, e prosseguiste a fazer coisas más e a prevalecer.”

Eles condenavam pessoas que agiam quais prostitutas. Bem, esta afirmação de Jeová, mostrava ser uma verdade em relação a forma de vida deles. No entanto, eles se sentiram ofendidos. No lugar de sentirem-se culpados e humilhados, eles sentiram-se ofendidos. A palavra falada tinha o objetivo de fazê-los ver uma verdade a respeito de si mesmos. Bem, eles negaram-se a sentir-se humilhados. Sentiram-se ofendidos.

Ora, nós condenamos prostitutas. Como pode alguém nos chamar de prostitutas?? Ora, ora, isto é uma ofensa contra nós.

Este é um caso real, usado pelo Pai Celestial para revelar aos alunos que: Sentir-se ofendido por causa de palavras faladas representa um perigo bem real.



Vejamos agora uma interessante “REGRA de comportamento” que servia de base para a convivência no dia a dia entre os humanos.

JUSTA RETRIBUIÇÃO

Sempre punir o humano que se tornasse um ofensor.

A mesma sorte de defeito que ele cause ao homem é que se deve causar a ele.

Fazei a ele o que ele tramou fazer a você.

Em relação às ofensas físicas, que “norma de procedimentohavia determinado Moisés para os descendentes de Jacó??

(Levítico 24:17-21) 17 “‘E caso um homem golpeie fatalmente qualquer alma do gênero humano, sem falta deve ser morto. 18 E quem golpear fatalmente a alma dum animal doméstico deve dar compensação por ela, alma por alma. 19 E caso um homem cause defeito no seu colega, então, como ele fez, assim se lhe tem de fazer. 20 Fratura por fratura, olho por olho, dente por dente; a mesma sorte de defeito que ele cause ao homem é que se lhe deve causar. 21 E quem golpear fatalmente um animal deve dar compensação por ele, mas quem golpear fatalmente um homem deve ser morto.

Se alguém planejasse me fazer um mal e isto viesse a público, o que tinha de ocorrer?? Que “norma de procedimentofoi estabelecida por Moisés?? Que solução devia ser dada para um problema como este??

(Deuteronômio 19:16-19) 16 Caso se levante contra um homem uma testemunha que trame violência, para levantar contra ele uma acusação de revolta, 17 então os dois homens que tiverem a disputa têm de ficar de pé perante Jeová, perante os sacerdotes e perante os juízes que estiverem em exercício naqueles dias. 18 E os juízes têm de pesquisar cabalmente, e se a testemunha for uma testemunha falsa e tiver levantado uma acusação falsa contra seu irmão, 19 então tendes de fazer-lhe assim como ele tramou fazer ao seu irmão, e tens de eliminar o mal do teu meio.

Ora, ora, não tinha sido apenas uma “intenção” não tornada real?? Sim. Na verdade o mal não foi concretizado. O que se mandou fazer?? Mandou-se pagar com o mal, uma trama de praticar o mal. Um ato concretizado como paga por um ato não concretizado.

Será que se tratava de uma supervalorização pessoal?? Será que se tratava de uma super intolerância??

Uma pessoa é um “ministro designado por Deus”, e passa a falar uma palavra para alguém e esta pessoa desconsidera a palavra falada por este “ministro”. Que “norma de procedimentodeterminou Moisés para este caso?? O que se devia fazer no caso de surgir um problema como este?? Qual devia ser a solução??

(Deuteronômio 17:10-12) 10 Então tens de proceder de acordo com a palavra que te transmitirão do lugar que Jeová escolher; e tens de cuidar em fazer segundo tudo o que te instruírem. 11 Deves proceder de acordo com a lei que te indicarão e segundo a decisão judicial que te disserem. Não te deves desviar da palavra que te transmitirão, nem para a direita, nem para a esquerda. 12 E o homem que se comportar presunçosamente, não escutando o sacerdote que ali está de pé para ministrar a Jeová, teu Deus, ou o juiz, tal homem tem de morrer; e tens de eliminar o mal de Israel.. . .

As “normas de procedimentoestabelecidas por Moisés eram bastante claras. Toda ofensa era considerada com algo muito grave, toda ofensa era considerada como algo intolerante, inadmissível e imperdoável. O que devia acontecer?? Devia haver a retribuição.

Neste caso, o certo, o correto, era haver uma retribuição. Não podemos esquecer que Moisés deixou bem claro que a tal retribuição devia ser na mesmíssima proporção, isto é, olho por olho.

No entanto, no segundo momento, a ação de desobediência a um homem que ocupasse determinada posição na pirâmide hierárquica (sacerdote ou juiz), devia ser retribuída com a morte. Não se tratava do “dente por dente”, pois a realidade comprovava que ia muito além disso.

O mal físico devia ser retribuído na mesma proporção, no entanto, a ofensa (um mal não físico) recebia um tratamento diferenciado, pois tratava-se de algo ainda mais inadmissível.

Não havendo a retribuição, restaria um espaço vazio.

Sensação de impunidade – este é o nome que pode ser dado a este espaço vazio.

Se a pessoa não cumprisse a norma determinada por Moisés, certamente seria vista como alguém que estava se rebelando contra Jeová, não é verdade?? Ele estaria desconsiderando as “orientações bíblicas”, não é verdade??

Que espécie de pessoas seriam produzidas por mandamentos de intolerância?? Pessoas tolerantes ou pessoas intolerantes??

Vamos considerar no registro histórico, as ações de um dos adoradores de Jeová que viviam o seu dia a dia de acordo com estas “normas de procedimentodeterminadas por Moisés. Trata-se de Sansão. Vamos observar o comportamento de Sansão no seu dia a dia e verificar no que ele acreditava e que espécie de pessoa ele era. Nesta ocasião, os filisteus dominavam sobre os israelitas.

O que dizer de uma pessoa que busca um pretexto para se vingar?? Ora esta pessoa não tem um motivo para fazer o mal contra alguém e vai fustigar tal pessoa para que ela finalmente te dê um motivo para você fazer alguma maldade contra ela?? Será que se trata de uma pessoa misericordiosa, amável, bondosa e perdoadora?? Trata-se de uma pessoa que sente amor ou que sente inimizade??

Não há um motivo válido para uma vingança e a pessoa busca um pretexto?? O que esta pessoa revela ter no seu coração??

Esta pessoa fala uma palavra ou toma uma ação tendo como objetivo que a outra pessoa fale algo ou faça algo que lhe justifique agir em vingança. Esta pessoa está buscando uma oportunidade para fazer alguma maldade contra aquele outro.

Isto acontece quando você sente uma inimizade contra tal pessoa.

Será que Jeová é assim??

Como pode alguém atribuir tal comportamento à pessoa de Jeová??

Bem, pelo menos, os humanos pactuados com Ele achavam que Ele era este tipo de pessoa.

Assim se fez registrar:

(Juízes 14:1-4) 14 Sansão desceu então a Timná e viu em Timná uma mulher das filhas dos filisteus. 2 Por isso subiu e o contou a seu pai e a sua mãe, e disse: “Há uma mulher que vi em Timná, das filhas dos filisteus, e agora obtende-a para mim por esposa.” 3 Seu pai e sua mãe disseram-lhe, porém: “Não há mulher entre as filhas dos teus irmãos e entre todo o meu povo, que vás tomar esposa dentre os filisteus incircuncisos?” Contudo, Sansão disse a seu pai: “Obtém-me só esta, porque ela é que está direita aos meus olhos.” 4 Quanto a seu pai e sua mãe, não sabiam que isto era da parte de Jeová, que ele estava procurando uma oportunidade contra os filisteus, visto que naquele tempo específico os filisteus dominavam sobre Israel.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Juízes 14:1-4) 1 Desceu Sansão a Timna, onde viu uma mulher das filhas dos filisteus. 2 Subiu, e deu notícias disso a seu pai e a sua mãe, e disse: Vi em Timna uma mulher das filhas dos filisteus; agora tomai-ma por mulher. 3 Responderam-lhe seu pai e sua mãe: Não há mulheres entre as filhas de teus irmãos, ou entre todo o meu povo, para que tu vás tomar mulher dos filisteus incircuncisos? Sansão disse a seu pai: Toma-me esta, porque ela muito me agrada. 4 Mas seu pai e sua mãe não sabiam que isso vinha de Jeová, pois ele procurava ocasião contra os filisteus. Ora naquele tempo os filisteus dominavam sobre Israel.

Assim verte a Tradução Almeida:

(Juízes 14:1-4) 1 Desceu Sansão a Timnate; e vendo em Timnate uma mulher das filhas dos filisteus, 2 subiu, e declarou-o a seu pai e a sua mãe, dizendo: Vi uma mulher em Timnate, das filhas dos filisteus; agora pois, tomai-ma por mulher. 3 Responderam-lhe, porém, seu pai e sua mãe: Não há, porventura, mulher entre as filhas de teus irmãos, nem entre todo o nosso povo, para que tu vás tomar mulher dos filisteus, daqueles incircuncisos? Disse, porém, Sansão a seu pai: Toma esta para mim, porque ela muito me agrada. 4 Mas seu pai e sua mãe não sabiam que isto vinha do Senhor, que buscava ocasião contra os filisteus; porquanto naquele tempo os filisteus dominavam sobre Israel.

O Senhor Jeová buscava uma ocasião contra os filisteus??

Jeová estava mandando Sansão buscar um pretexto?? Tratava-se de um plano de Jeová para que os filisteus dessem um motivo para Sansão usar a força contra eles??

Pretexto -esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: ação de encobrir, de disfarçar.

pretexto

\ê\ s.m. (1593) motivo que se declara para encobrir a verdadeira razão de (algo); desculpa, subterfúgio, alegação <foi embora com o p. de estar com dor de cabeça> ² a p. de com o objetivo aparente de; com a desculpa de; à conta de ¤ etim lat. praetéxtus,us 'ação de pôr diante; ação de encobrir, de disfarçar' ¤ sin/var ver sinonímia de alegação ¤ hom pretexto \ê\ (fl.pretextar)


Bem, esta era a crença daquela geração em relação à pessoa de Jeová. Neste caso, Jeová sentia inimizade pelos filisteus e queria um bom motivo para matar alguns deles.

Será que Jeová sentia inimizade pelos filisteus?? Bem, toda a nação de Israel achava que sim.

Centenas de anos depois de Sansão, o que disse Jesus??

(Mateus 5:43-46) 43 Ouvistes que se disse: ‘Tens de amar o teu próximo e odiar o teu inimigo.’ 44 No entanto, eu vos digo: Continuai a amar os vossos inimigos e a orar pelos que vos perseguem; 45 para que mostreis ser filhos de vosso Pai, que está nos céus, visto que ele faz o seu sol levantar-se sobre iníquos e sobre bons, e faz chover sobre justos e sobre injustos. 46 Pois, se amardes aos que vos amam, que recompensa tendes? Não fazem também a mesma coisa os cobradores de impostos?


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Mateus 5:43-46) 43 Tendes ouvido que foi dito: Amarás o teu próximo e aborrecerás o teu inimigo. 44 Eu, porém, vos digo: Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem, 45 para que vos torneis filhos de vosso Pai que está nos céus, porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons, e vir chuvas sobre justos e injustos. 46 Pois se amardes aos que vos amam, que recompensa tendes? não fazem os publicanos também o mesmo?

Para fazerem a afirmação de que Jeová procurava uma ocasião contra os filisteus, aqueles homens revelavam não conhecer a Jeová.

Em relação a conhecerem o Pai, O Filho assim afirmou:

(Mateus 11:27) 27 Todas as coisas me foram entregues por meu Pai, e ninguém conhece plenamente o Filho, exceto o Pai, tampouco há quem conheça plenamente o Pai, exceto o Filho e todo aquele a quem o Filho estiver disposto a revelá-lo.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Mateus 11:27) 27 Todas as coisas me foram entregues por meu Pai: e ninguém conhece o Filho senão o Pai; e ninguém conhece o Pai senão o Filho, e aquele a quem o Filho o quiser revelar.

Aqueles homens não conheciam a Jeová. Por isto é que fizeram aquela afirmação em relação a Ele. Eles atribuíram à pessoa de Jeová um comportamento que Jeová jamais teria.

Quem é que tinha um grande desejo de vingança sobre os filisteus?? Quem é que tinha os filisteus como inimigos e sentia verdadeira inimizade pelos filisteus??

O que afirmaram?? Naquele tempo os filisteus dominavam sobre Israel.

Bem, Sansão passou a se relacionar com os filisteus. O que aconteceu neste relacionamento??

O que aconteceu para que os filisteus o enganassem??

O que fez Sansão ao sentir-se enganado?? Vingança, obviamente.

(Juízes 14:10-19) 10 E seu pai seguiu descendo até a mulher, e Sansão passou a realizar ali um banquete, pois era assim que os jovens costumavam fazer. 11 E sucedeu que, quando o viram, tomaram imediatamente trinta padrinhos para ficarem com ele. 12 Sansão disse-lhes então: “Por favor, deixai-me propor-vos um enigma. Se sem falta mo declarardes durante os sete dias do banquete e deveras o decifrardes, neste caso vos terei de dar trinta peças de roupa interior e trinta mudas de roupa. 13 Mas, se não mo puderdes declarar, então sois vós os que tereis de dar-me trinta peças de roupa interior e trinta mudas de roupa.” Nisso lhe disseram: “Proponha-nos o enigma e ouçamo-lo.” 14 Assim, ele lhes disse: “Do comedor saiu comida, E do forte saiu o doce.” E por três dias não puderam declarar o enigma. 15 Sucedeu então, no quarto dia, que começaram a dizer à esposa de Sansão: Logra teu esposo para que nos declare o enigma. De outro modo queimaremos tanto a ti como a casa de teu pai com fogo. Foi para tirar-nos as posses que nos convidastes para cá?” 16 Por conseguinte, a esposa de Sansão começou a chorar junto dele e a dizer: “Tu deveras somente me odeias e não me amas. Propuseste um enigma aos filhos do meu povo, mas não mo declaraste.” A isto ele lhe disse: “Ora, não o declarei nem ao meu próprio pai nem à minha própria mãe, e devia eu declará-lo a ti?” 17 Mas ela chorava junto dele durante os sete dias que o banquete durou para eles, e sucedeu que no sétimo dia por fim lho declarou, porque ela o havia assediado. Ela declarou então o enigma aos filhos do seu povo. 18 Assim, os homens da cidade disseram-lhe no sétimo dia, antes de ele poder entrar no quarto interior: “O que é mais doce do que o mel E o que é mais forte do que o leão?” Ele lhes disse por sua vez: “Se não tivésseis lavrado com a minha novilha, Não teríeis decifrado meu enigma.” 19 Então, o espírito de Jeová se tornou ativo nele, de modo que desceu a Ascalom e golpeou trinta homens deles, e tomou aquilo de que os despiu e deu as mudas [de roupa] aos que declararam o enigma. E sua ira continuou acesa, e ele se foi embora, subindo para a casa de seu pai.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Juízes 14:19) 19 espírito de Jeová apoderou-se de Sansão, que desceu a Ascalom, matou trinta homens dos habitantes, tomou os despojos, e deu as mudas de vestidos aos que decifraram o enigma. Acendeu-se a sua ira, e subiu para a casa de seu pai.

Em face de ter sigo enganado, Sansão matou trinta homens para roubar deles as vestes e pagar sua dívida com os filisteus. Uma retribuição muito além do engano a que foi submetido.

Muito embora tenha tomado uma ação de vingança, ele ainda não estava satisfeito, pois sua ira continuou acesa.

Aconteceu ainda mais: Os atos levaram a uma consequência. A consequência levou à vingança. A vingança por sua vez levou a outra vingança que por sua vez levou a outra vingança.

(Juízes 14:20-15:8) 20 E a esposa de Sansão veio a pertencer a um padrinho seu que se associara com ele. 15 E depois de algum tempo, nos dias da sega do trigo, sucedeu que Sansão foi visitar sua esposa, levando um cabritinho. Disse, pois: “Hei de entrar, indo ter com a minha esposa no quarto interior.” E o pai dela não o deixou entrar. 2 Mas o pai dela disse: “Eu disse realmente comigo: ‘Sem dúvida a deves odiar.’ Por isso a dei a teu padrinho. Não é sua irmã mais moça melhor do que ela? Por favor, torne-se ela tua em lugar da outra.” 3 No entanto, Sansão lhes disse: “Esta vez tenho de estar livre de culpa contra os filisteus, caso eu trate com eles para o seu prejuízo.” 4 E Sansão seguiu seu caminho e passou a apanhar trezentas raposas e a tomar tochas, e passou a virar cauda a cauda e a pôr uma tocha entre duas caudas, bem no meio. 5 Então, pôs fogo às tochas e soltou-as nos campos de cereais em pé, pertencentes aos filisteus. Assim pôs fogo a tudo, desde os feixes até os cereais em pé, e até os vinhedos e os olivais. 6 E os filisteus começaram a dizer: “Quem fez isso?” Então disseram: “Foi Sansão, genro do timnita, porque lhe tomou a esposa e então a deu ao padrinho dele.” Em vista disso, os filisteus subiram e queimaram tanto a ela como a seu pai com fogo. 7 Sansão disse-lhes, por sua vez: “Se procedeis assim, nada me resta senão vingar-me de vós, e depois vou cessar.” 8 E ele foi golpeá-los, [empilhando] pernas sobre coxas, com uma grande matança, após o que desceu e começou a morar numa fenda do rochedo de Étão.

Houve um desentendimento em face de uma situação existente. O desentendimento envolvia apenas Sansão e o pai de sua esposa. Sansão ofendeu-se com a falta de consideração para com ele. Sansão passa a envolver outros no problema, prejudicando-os. Os filisteus prejudicados resolveram vingaram-se tanto do sogro de Sansão como da “esposa” dele que já estava casada com outro. Depois, Sansão decide vingar-se por sua “esposa” morta. Estava no ar o desejo de vingança. As duas partes sentiam o mesmíssimo desejo. O desejo de vingança.

Bem estas ações também pediram vingança. Será que ela aconteceu?? Bem, os filisteus queriam vingança.

(Juízes 15:9-16) 9 Mais tarde, os filisteus subiram e se acamparam em Judá, e andaram percorrendo Leí. 10 Então disseram os homens de Judá: “Por que subistes contra nós?” ao que disseram: “Subimos para prender Sansão, para fazer com ele assim como ele fez conosco.” 11 Portanto, três mil homens de Judá desceram à fenda do rochedo de Étão e disseram a Sansão: “Não sabes que os filisteus estão dominando sobre nós? Assim, pois, o que quer dizer isso que nos fizeste?” Ele lhes disse então: “ASSIM COMO ME FIZERAM A MIM, EU FIZ A ELES.12 Mas eles lhe disseram: “Foi para prender-te que descemos, para entregar-te na mão dos filisteus.” A isso Sansão lhes disse: “Jurai-me que vós mesmos não me atacareis.” 13 E eles prosseguiram, dizendo-lhe: “Não, mas apenas te prenderemos e te entregaremos na sua mão; mas nós de modo algum te faremos morrer.” Por conseguinte, prenderam-no com duas cordas novas e fizeram-no subir do rochedo. 14 Ele, da sua parte, veio até Leí, e os filisteus, da parte deles, gritaram de júbilo ao se encontrarem com ele. E o espírito de Jeová tornou-se ativo nele e as cordas que havia sobre os seus braços vieram a ser como fios de linho quando abrasados pelo fogo, de modo que seus grilhões se derreteram de cima das suas mãos. 15 Ele achou então uma queixada fresca de jumento, e estendeu a mão e tomou-a, e com ela foi matar a golpes mil homens. 16 Sansão disse então: “Com a queixada dum jumento — um montão, dois montões! Com a queixada dum jumento golpeei mil homens.”



Será que o desejo de vingança finalmente desapareceu?? Mesmo demonstrando Sansão ser alguém insuperável na força física, o desejo de vingança da parte dos filisteus não acabou:

(Juízes 16:1-3) 16 Certa vez, Sansão foi a Gaza e viu ali uma mulher prostituta, e entrando, foi ter com ela. 2 E relatou-se aos gazitas, dizendo-se: “Sansão entrou aqui.” Cercaram-no, pois, e ficaram de emboscada contra ele a noite inteira no portão da cidade. E ficaram quietos a noite inteira, dizendo: “Assim que a manhã clarear, então teremos de matá-lo.” 3 No entanto, Sansão ficou deitado até à meia-noite, e então se levantou à meia-noite e foi segurar as portas do portão da cidade e as duas ombreiras, e arrancou-as junto com a tranca, e as pôs sobre os seus ombros e foi carregá-las para cima ao cume do monte que está defronte de Hébron.



Quando será que acabaria esta troca de vinganças?? Sabendo do desejo dos filisteus, no entanto, sendo muito mais poderoso que todos eles, Sansão passou a desdenhar-se deles, passou a zombar deles.

(Juízes 16:4-21) 4 E sucedeu, depois, que ele se enamorou duma mulher no vale da torrente de Soreque, e o nome dela era Dalila. 5 E os senhores do eixo dos filisteus passaram a subir até ela e a dizer-lhe: “Logra-o e vê em que consiste seu grande poder, e com que podemos prevalecer contra ele, e com que podemos com certeza amarrá-lo para o dominar; e nós, da nossa parte, te daremos cada um mil e cem moedas de prata.” 6 Posteriormente, Dalila disse a Sansão: “Por favor, declara-me deveras: Em que consiste teu grande poder e com que podes ser amarrado para alguém te dominar?” 7 Sansão lhe disse então: “Se me amarrarem com sete tendões ainda úmidos, que não se secaram, então terei de ficar fraco e tornar-me igual a um homem comum.” 8 Portanto, os senhores do eixo dos filisteus trouxeram-lhe sete tendões ainda úmidos que não se secaram. Depois ela o amarrou com eles. 9 Ora, [os da] emboscada estavam sentados no quarto interior dela, e ela começou a dizer-lhe: “Os filisteus estão sobre ti, Sansão!” Nisso ele rompeu os tendões, assim como se rompe o fio retorcido da estopa quando cheira fogo. E não se ficou conhecendo seu poder. 10 Subseqüentemente, Dalila disse a Sansão: “Eis que zombaste de mim para falar-me mentiras. Agora, por favor, dize-me deveras com que podes ser amarrado.” 11 Ele lhe disse, portanto: “Se me amarrarem firmemente com cordas novas com que não se fez ainda nenhuma obra, então terei de ficar fraco e tornar-me igual a um homem comum.” 12 Dalila tomou, pois, cordas novas e o amarrou com elas, e disse-lhe: “Os filisteus estão sobre ti, Sansão!” Enquanto isso, os da emboscada estavam sentados no quarto interior. Nisso as rompeu, arrancando-as dos seus braços como se fossem um fio. 13 Mais tarde, Dalila disse a Sansão: “Até agora zombaste de mim para falar-me mentiras. Declara-me deveras com que podes ser amarrado.” Então ele lhe disse: “Se teceres as sete tranças da minha cabeça com o fio da urdidura.” 14 Concordemente, ela as fixou com o pino, dizendo-lhe: “Os filisteus estão sobre ti, Sansão!” Ele acordou então do seu sono e arrancou o pino de tear e o fio da urdidura. 15 Ela lhe disse então: “Como te atreves a dizer: ‘Eu te amo’, quando teu coração não está comigo? Zombaste de mim estas três vezes e não me declaraste em que consiste teu grande poder.” 16 E sucedeu que, assediando-o ela todo o tempo com as suas palavras e instando com ele, a alma dele ficou impaciente até à morte. 17 Por fim lhe expôs todo o seu coração e lhe disse: “Nunca veio navalha sobre a minha cabeça, por ser eu nazireu de Deus desde o ventre de minha mãe. Se eu fosse rapado, então certamente se retiraria de mim o meu poder, e eu ficaria deveras fraco e me tornaria igual a todos os demais homens.” 18 E vendo Dalila que lhe revelara todo o seu coração, mandou chamar imediatamente os senhores do eixo filisteus, dizendo: “Subi esta vez, pois ele me expôs todo o seu coração.” E os senhores do eixo filisteus subiram até ela para trazer o dinheiro na sua mão. 19 E ela passou a fazê-lo dormir sobre os seus joelhos. Chamou então o homem e fez que lhe rapasse as sete tranças da cabeça, após o que principiou a mostrar seu domínio sobre ele, e o poder dele continuou a se retirar dele. 20 Ela disse então: “Os filisteus estão sobre ti, Sansão!” Com isto ele acordou do seu sono e disse: “Eu me sairei disso como das outras vezes e me desembaraçarei.” E ele mesmo não sabia que foi Jeová quem se retirara dele. 21 Portanto, os filisteus o seguraram e lhe furaram os olhos, e levaram-no para baixo a Gaza, e prenderam-no com dois grilhões de cobre; e ele veio a ser moedor na casa dos presos....

Sansão estava se divertindo. Em um dos seus momentos de zombaria contra os filisteus, Sansão foi finalmente derrotado em relação a sua força física.

E agora, o que os filisteus resolveram fazer??

Bem, eles resolveram não matá-lo. Decidiram devolver as diversas humilhações recebidas de Sansão.

Será que a vingança continuava no ar??

Será que finalmente acabava aqui a troca de vinganças?? Estavam os filisteus satisfeitos?? Estavam saciados da sua vingança contra Sansão?? Não, não acabou ainda. O que mais aconteceu?? Mais vinganças obviamente. Agora eram os filisteus que estavam se divertindo às custa de Sansão.

(Juízes 16:23-27) 23 Quanto aos senhores do eixo filisteus, ajuntaram-se para oferecer um grande sacrifício a Dagom, seu deus, e para alegrar-se, e diziam: “Nosso deus nos deu na mão a Sansão, nosso inimigo!” 24 E vendo-o o povo, foram imediatamente louvar seu deus, “porque”, diziam eles, “nosso deus nos entregou na mão o nosso inimigo e o devastador de nossa terra, e aquele que multiplicava os nossos mortos”. 25 E sucedeu que, estando alegre o coração deles, começaram a dizer: “Chamai a Sansão, para que nos divirta.De modo que chamaram a Sansão da casa dos presos para servir de diversão diante deles; e passaram a fazê-lo ficar de pé entre as colunas. 26 Sansão disse então ao rapaz que lhe segurava a mão: “Deixa-me apalpar as colunas em que se firma a casa e deixa-me encostar-me nelas.” 27 (Incidentalmente, a casa estava cheia de homens e de mulheres, e estavam ali todos os senhores do eixo filisteus; e no terraço havia cerca de três mil homens e mulheres que olhavam enquanto Sansão os divertia.)



Agora que Sansão estava servindo de diversão para os filisteus, o que se passava no coração de Sansão?? O que o seu coração desejava?? Vingança, obviamente.

(Juízes 16:28-31) 28 Sansão clamou então a Jeová e disse: “Soberano Senhor Jeová, por favor, lembra-te de mim e fortalece-me só esta vez, por favor, ó tu, o [verdadeiro] Deus, e vingue-me eu dos filisteus com vingança por um dos meus dois olhos.29 Com isso, Sansão se firmou nas duas colunas do meio em que a casa se fundava firmemente e foi segurá-las, uma com a sua direita e a outra com a sua esquerda. 30 E Sansão passou a dizer: “Morra a minha alma com os filisteus.” Então se encurvou com poder e a casa foi cair sobre os senhores do eixo e sobre todo o povo que havia nela, de modo que os mortos, que entregou à morte ao ele mesmo morrer, vieram a ser mais do que os que entregara à morte durante a sua vida. 31 Mais tarde desceram seus irmãos e todos os da casa de seu pai e o levantaram, e levaram-no para cima e enterraram-no entre Zorá e Estaol, na sepultura de Manoá, seu pai. Quanto a ele, julgara a Israel por vinte anos.

Será que finalmente acabou esta retribuição de vinganças?? Bem, de acordo com as palavras faladas por Sansão, ainda resta uma vingança pelo seu segundo olho. Será que na ressurreição eles continuarão esta troca de vinganças??



Este ciclo vicioso da vingança é o resultado lógico esperado, quando se vive segundo as normas de comportamento estabelecidas por Moisés.

Este ciclo mostra ser um ciclo interminável.

A vingança mostra ser uma grande força motivadora para as ações dos humanos no seu dia a dia. O ressentimento precede a vingança. A vingança é uma ação. Trata-se de uma decisão tomada por um humano.

O que sempre precede a ação de vingança??

Um sentimento chamado “ressentimento”.

Ressentimento.

Embora já tenhamos uma visão geral do que é o ressentimento, vejamos a definição dada por certo dicionário (Houaiss): mágoa; rancor

ressentimento

s.m. (a1720) 1 ato ou efeito de ressentir(-se) 2 mágoa que se guarda de uma ofensa ou de um mal que se recebeu; rancor etim ressentir + -mento sin/var ver sinonímia de amofinação ant ver antonímia de desgosto


RancorEsta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): 1. sentimento de... 2….ódio profundo, não expresso.

rancor

\ô\ s.m. (sXIV) 1 sentimento de profunda aversão provocado por experiência vivida; forte ressentimento 2 ódio profundo, não expresso etim lat. rancor,óris 'ranço, fig. rancor' sin/var ver sinonímia de fúria e repulsão ant afeição; ver tb. antonímia de fúria e repulsão hom rancores \ô\ (pl.) / rancores(fl.rancorar)


Trata-se de algo invisível guardado dentro daquele que o tem e que pode ser expresso a qualquer momento.

Existe qualquer possibilidade de Sansão abrir mão de uma vingança?? O histórico deixado por Sansão e pelos filisteus que conviveram com ele revela que os dois lados seguiam as mesmas “normas de comportamento.

Os dois lados ofenderam, os dois lados, quando ofendidos, desejavam vingança, os dois lados receberam vingança e os dois lados praticaram a vingança e os dois lados não ficavam saciados com a vingança obtida. Não há qualquer dúvida, eles eram cúmplices do mesmo sentimento.

O povo israelita apreciava o fato de Sansão matar filisteus, afinal, tratava-se de um povo iníquo não é verdade?? Os israelitas atribuíam um baixo valor aos filisteus e tinham por eles uma baixa estima. De sua posição enaltecida eles desprezavam os povos iníquos.

No entanto, o relato histórico revelou que os israelitas não se uniram para apoiar e defender Sansão diante dos filisteus. O que está relatado é que os israelitas reuniram-se para o prenderem e o entregarem aos filisteus, o que foi permitido por Sansão.

Gostaria de ter como vizinhos pessoas que vivem o dia a dia segundo a “norma de procedimentodada por Moisés??

O que acontecerá caso haja uma ofensa?? Certamente iniciaremos este interminável ciclo vicioso.

Aquele que criou tal mandamento estava revelando para todos qual era a forma como ele fazia as coisas.

O que é um mandamento??

O mandamento mostra ser uma solução dada por quem está no comando para a solução de um problema surgido no dia a dia dos seus comandados.

Neste caso, Moisés estava revelando para o povo a forma como Jeová resolvia os Seus problemas de relacionamento.

Será que o ressentimento e a vingança fazem parte da personalidade de Jeová??

Será que o ressentimento é um dos sentimentos existentes no coração de Jeová??

O que o histórico do relacionamento de Jeová com os humanos tem revelado a respeito da forma como Jeová resolve Seus problemas de relacionamento??

No entanto, que “norma de comportamentohavia Jeová dado a Moisés para que “ele” obedecesse e para que “ele” ensinasse o povo a obedecer??

(Levítico 19:18) 18 “‘NÃO DEVES TOMAR VINGANÇA nem ter ressentimento contra os filhos do teu povo; E TENS DE AMAR O TEU PRÓXIMO como a ti mesmo. Eu sou Jeová.

O que deve ocorrer caso venha a haver uma OFENSA qualquer contra um humano qualquer?? Jesus confirma a “norma de procedimentooriunda do Pai Celestial:

(Mateus 5:38-41) 38 Ouvistes que se disse: ‘Olho por olho e dente por dente.’ 39 No entanto, eu vos digo: Não resistais àquele que é iníquo; mas, a quem te esbofetear a face direita, oferece-lhe também a outra. 40 E, se alguém quiser levar-te perante o tribunal para obter posse de tua roupa interior, deixa-o ter também a tua roupa exterior; 41 e, se alguém sob autoridade te obrigar a prestar serviço por mil passos, vai com ele dois mil. . .

Tenha o espírito desarmado sempre; tenha o espírito pacífico sempre; nunca te ofendas por causa da ofensa do teu semelhante.

Este é um espírito, isto é, uma disposição mental interior, que O Pai Celestial pede que eu tenha. Esta disposição mental antecede a toda e qualquer ação ofensiva do meu semelhante. Neste caso, o meu semelhante está protegido contra qualquer tipo de atitude agressiva da minha parte.

Esta disposição mental não deve estar condicionada à atitude do humano com quem eu conviva. Devo permanecer com ela apesar das atitudes agressivas do meu semelhante.

Neste caso eu devo absorver a ofensa do meu semelhante, independente do tipo de ofensa e sempre oferecer-lhe a outra face.

A agressão só é absorvida e diluída no amor que se deve sentir pelo próximo, isto é, o amor ao próximo como a si mesmo.

Existindo pessoas assim, pessoas que vivam o dia a dia segundo esta “norma de procedimentodo Pai Celestial, não seria muito bom ter tais pessoas como vizinhas?? O que acontecerá em caso de haver uma ofensa da minha parte?? Certamente ele estenderá a outra face, para a minha vergonha, humilhação e aprendizado.

Qual o humano que viveu o dia a dia praticando esta “norma de comportamentodada pelo Pai Celestial?? Sim, isto mesmo, Jesus.

Ele ensinou como fazer. Alguém aprendeu?? Bem, a reação deste discípulo foi oposta àquela reação de Sansão.

(Atos 7:57-60) 57 A isto eles clamaram ao máximo da sua voz e puseram as mãos sobre os ouvidos e arremeteram à uma contra ele. 58 E depois de o lançarem fora da cidade, começaram a atirar pedras nele. E as testemunhas deitaram as suas roupas exteriores aos pés dum jovem chamado Saulo. 59 E atiravam pedras em Estêvão, enquanto ele fazia apelo e dizia: “Senhor Jesus, recebe meu espírito.” 60 Então, dobrando os joelhos, clamou com forte voz: “Jeová, não lhes imputes este pecado.” E, dizendo isso, adormeceu [na morte].

Normas” de procedimento opostas levam àqueles que a vivem no dia a dia, a terem sentimentos opostos, que levam as palavras e ações apostas. Os praticantes de “normas” de procedimento dadas por Moisés vivem o dia a dia com base na vingança, enquanto que os praticantes de “normas” de procedimento dadas por Jesus vivem o seu dia a dia com base no perdão. As ações de Estêvão eram frutos dos sentimentos existentes no coração de Estevão. Os sentimentos de Estêvão eram frutos da diretrizes que Estêvão adotou como guia para seu dia a dia.

O QUE A VINGANÇA FAZ??

O ato da vingança é fruto de um sentimento. A vingança é fruto do ressentimento. Ressentimento é o sentimento que a pessoa ofendida pode sentir em relação ao ato praticando pelo ofensor. Este sentimento leva a palavras e ações de vingança contra o ofensor. São ações de ódio. A pessoa ofendida só ficará satisfeita quando satisfizer completamente o seu desejo de vingança. Aquele “vazio” só estará preenchido após uma ação punitiva contra aquela pessoa.

No entanto, a vingança também é um ofensa. Logo, a pessoa ofendida passa a guardar ressentimento daquela nova ofensa e passa a desejar uma nova desforra, uma nova vingança, que gerará um novo ressentimento e uma nova vingança. Somente a inexistências de um dos lados é que fará cessar o desejo de vingança. Além disso, não podemos esquecer que o desejo de vingança pode passar de geração para geração.

No entanto, o que Jeová esperava de Sansão?? Que ele não guardasse ressentimento. Logo Sansão não desejaria uma vingança, não pediria poderes para praticar sua vingança e não se vingaria.

O que é um homem-bomba?? Trata-se de um humano que toma a decisão de usar o seu próprio corpo como uma arma contra aquele que ele vê como um inimigo a ser morto. Desta forma, sua morte é usada como uma arma conta o inimigo. Eles não afirmam estarem possuídos por qualquer tipo de entidade espiritual. Eles o fazem em plena convicção de estarem agradando a Alá.

O que fez Sansão?? Na sua desesperada busca pela vingança ele transformou a sua morte em uma arma contra os seus inimigos.

Jeová o permitiu?? Sim.

O que realmente aconteceu??

  1. Sansão já tinha a sua vontade.

  2. Ele pede o espírito santo para poder satisfazer a sua vontade.

  3. Jeová lhe dá o espirito santo

  4. Sansão satisfaz a sua vontade.

Jeová dá o poder e você o usa segundo a tua vontade. Isto é respeitar o livre-arbítrio daquele que pede.

O QUE O AMOR FAZ???

Somente o amor pode interromper este ciclo vicioso. O perdão é um ato de amor. Quando finalmente é percebido, o ato de amor do ofendido, tal qual uma semente, fará brotar o mesmo amor dado pelo ofendido. Assim, o ofensor passará a amar o ofendido.

Sansão viveu plenamente a vingança. Sansão não amava o filisteu. Sansão não amava o seu próximo. Sansão amava a vingança e sentia repúdio pelo perdão. O retribuidor repudia o perdão, pois para ele aquele vazio não foi preenchido. Para ele fica no ar a sensação de impunidade.

Revela-se desta forma que o que ele esperava e desejava era uma punição dada ao ofensor, como uma forma de retribuição. Não havendo tal punição nasce uma sensação de vazio, chamado de sensação de impunidade.

Tendo Moisés estabelecido a vingança como sendo a coisa certa a ser feita, como a coisa certa a ser praticada no dia a dia para resolver os problemas de relacionamento em grupo, como a norma de conduta a ser praticada no dia a dia, revela ser bem lógico o pedido de Sansão a Jeová. A diretriz dada por Moisés estava produzindo o seu esperado fruto.

No entanto, Sansão estava pedindo a Jeová força para praticar um pecado.

Afinal, Jeová já havia falado para Moisés a correta norma de procedimento a ser adotada no dia a dia, ou seja, não deves tomar vingança e não deves guardar ressentimento, tens de amar.

Jeová te dá a força e você revela o que há dentro do teu coração.

Jeová te dá a força e você revela do que é feito o teu interior.

Ficou uma pergunta no ar, não ficou?? Sim, ficou.

Qual é a pergunta??

Ora, se o desejo de Jeová era que o humano perdoasse todas as agressões feitas contra ele, de onde surgiu este mandamento de não perdoar??

Este assunto está sendo analisado nesta outra página deste site, em: tens de vingar” ou “não deves se vingar”??

Topo desta página