QUEM ESTABELECEU “HIERARQUIA” NO REINO DOS CÉUS??

Criada em 18 de setembro de 2011 - Última alteração em 05/09/16 às 19 : 30





HIERARQUIA ENTRE OS DISCÍPULOS (ALUNOS) DE JESUS, QUEM AS ESTABELECEU??

O que informou Paulo para seus alunos??

(Atos 20:28) 28 Prestai atenção a vós mesmos e a todo o rebanho, entre o qual o espírito santo vos designou superintendentes para pastorear a congregação de Deus, que ele comprou com o sangue do seu próprio [Filho].



Assim verte a Tradução Brasileira:

(Atos 20:28) 28 Atendei por vós, e por todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, a qual ele adquiriu com seu próprio sangue.

Não havia sido uma ordem direta de Jesus. Jesus havia passado três anos e meio com seus alunos, mas não lhes ordenou designarem bispos, superintendentes, chefes de cem, chefes de mil, quer da forma individual, quer em forma de grupo.


Depois de Jesus ter ido embora, o nosso irmão Paulo de Tarso afirmou que o espírito santo estava fazendo designações de bispos e pastores e chefes.

Milhares de anos antes, no caso de Moisés, será que foi Jeová quem fez as designações de comandantes dentre o povo??

(Êxodo 18:17-22) 17 Em vista disso, o sogro de Moisés disse-lhe: “Não é bom o modo como [o] fazes. 18 Por certo te esgotarás, tanto tu como este povo que está contigo, porque este assunto é pesado demais para ti. Não podes fazer isso sozinho. 19 Agora, escuta a minha voz. Eu te aconselharei e Deus mostrará estar contigo. Serve tu mesmo como representante do povo diante do [verdadeiro] Deus e tu mesmo tens de apresentar as causas ao [verdadeiro] Deus. 20 E tens de avisá-los de quais são os regulamentos e as leis e tens de fazê-los saber o caminho em que devem andar, e o trabalho que devem fazer. 21 Mas tu mesmo deves selecionar dentre todo o povo homens capazes, tementes a Deus, homens fidedignos, que odeiam o lucro injusto; e tens de pô-los sobre eles como chefes de mil, chefes de cem, chefes de cinqüenta e chefes de dez. 22 E eles têm de julgar o povo em toda ocasião propícia; e tem de dar-se que toda causa grande trarão a ti, mas toda causa pequena resolverão eles mesmos como juízes. Portanto, faze-o mais leve para ti, e eles têm de levar o fardo contigo.



Assim verte a Tradução Brasileira:

(Êxodo 18:17-22) 17 Replicou-lhe o sogro de Moisés: Não é bom o que tu fazes. 18 Sem dúvida tu te consumirás tanto a ti como a este povo, que está contigo; pois te é pesado demais; tu só não o podes fazer. 19 Ouve, pois, a minha voz, eu te aconselharei, e seja Deus contigo; sê tu pelo povo diante de Deus, e traze tu as causas a Deus; 20 ensinar-lhes-ás os estatutos e as leis, e lhes mostrarás o caminho em que devem andar, e a obra que devem fazer. 21 Além disto procurarás dentre o povo homens capazes, tementes a Deus, homens de verdade, que aborrecem a avareza; a estes porás sobre eles por maiorais de mil, maiorais de cem, maiorais de cinqüenta e maiorais de dez; 22 e julguem estes ao povo em todo o tempo. Toda a causa grave a trarão a ti, mas toda a causa pequena a julgarão eles mesmos; assim será mais leve para ti, e eles levarão a carga contigo.

Um grupo subdividido em diversos grupos pequenos, visando a organização de todo o grupo. == > Será sábio este procedimento mundialmente aceito e adotado??

O que os resultados têm revelado??

O que é desordem??

Desordem – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: ausência de ordem, ausência de arrumação.

desordem

s.f. (sXV) falta de ordem 1 ausência de arrumação, de organização (falando de objetos, de coisas) <uma casa em d.> <a d. das roupas> <quanta d.!> 2 falta de lógica; incoerência, desvario <d. de pensamento> 3 falta de regularidade; desigualdade, desarmonia <a d. de seus gestos> 4 desarranjo resultante de má administração, de má gestão <a d. das finanças> <d. administrativa> 5 ausência ou ruptura da ordem (num grupo, numa coletividade etc.); agitação, indisciplina <têm ocorrido graves d. em algumas capitais do país> 6 perturbação da ordem; briga, rixa, tumulto, confusão <nada de sério, apenas uma d. no interior do bar> ¤ etim des- + ordem ¤ sin/var ver sinonímia de confusão e antonímia de disposição ¤ ant ordem; ver tb. antonímia confusão e sinonímia de disposição


Um ambiente em desordem não é benéfico para as pessoas que convivem em um grupo. Em face disto, o humano tem buscado estabelecer um ambiente ordenado, um ambiente que gire em torno de uma certa organização.

A hierarquia se caracteriza quando há alguém acima de outras pessoas. A hierarquia se caracteriza com a presença do chefe. O chefe de cinco, o chefe de vinte, o chefe de cinquenta, o chefe de cem, o chefe de mil. As pessoas subordinadas a um chefe devem obediência a este chefe. Este chefe passa a comandar seus subordinados e a responder por eles diante de outras pessoas. Os chefes passam a usar os subordinados para alcançar objetivos e metas. O chefe também passa a “fiscalizar” os subordinados, pois esta é uma de suas atribuições.

Este passará a agir qual fiscal.

Fiscal – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: aquele que verifica o cumprimento de qualquer ordem, regulamento ou determinação.

fiscal

adj.2g. (1554) 1 relativo a fisco <lei f.> <nota f.> <autoridade f.> n s.2g. 2 econ funcionário do fisco 3 funcionário da alfândega 4 indivíduo que verifica o cumprimento de leis e regulamentos em estabelecimentos comerciais, industriais etc. 5 p.ext. aquele que verifica o cumprimento de qualquer ordem, regulamento ou determinação; inspetor, fiscalizador <f. de ônibus> <f. de prova> <f. de trânsito> 6 fig. aquele que censura, corrige; censor, crítico ² f. de linha futb m.q. bandeirinha ¤ etim lat. fiscális,e 'relativo ao fisco, ao tesouro ou erário público'


Buscando garantir o cumprimento da lei, o grupo pede a existência de fiscais. Os humanos gostam disso, e gostam muito.

Visando organizar as relações entre diversas pessoas em um grupo, os humanos usam a hierarquia.

Organizar – Esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: dar determinada ordem a; dispor de forma ordenada, arrumar, ordenar.

organizar

v. (1594) 1 t.d. dar determinada ordem a; dispor de forma ordenada; arrumar, ordenar <o. uma biblioteca> <o. os pensamentos> 2 t.d. e pron. conformar(-se), estruturar(-se) <o. uma empresa para diminuir custos> <o departamento organizou-se ao longo do tempo> 3 t.d. planejar a realização de (algo) e prover do necessário <o. uma festa> 4 t.d. formar, criar (algo), reunindo elementos ou indivíduos 5 pron. constituir-se em um grupo, em um organismo <organizaram-se para reivindicar seus direitos> 6 pron. coordenar de forma metódica (o próprio tempo, as atividades etc.) <falta aos compromissos por não se o.> ¤ etim fr. organiser 'tocar órgão', do lat.med. organizo,as,ávi,átum,áre, 'dotar de uma estrutura' ¤ sin/var assentar, constituir, criar, estabelecer, formar, fundar, instituir ¤ ant desarranjar, desmanchar, desmantelar, desorganizar, destruir, dissolver ¤ hom organizáveis(2ªp.pl.) / organizáveis(pl.organizável[adj.2g.])


O discípulo que faz “isto” É MAIOR do que o discípulo que faz “aquilo”??

Quando passou a ser “maior” ele deixou de ser um “igual, não é verdade??

HIERARQUIAEsta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): Organização caracterizada por haver uma ordem de prioridade entre os elementos.

hierarquia Datação: sXV

n substantivo feminino

1 organização fundada sobre uma ordem de prioridade entre os elementos de um conjunto ou sobre relações de subordinação entre os membros de um grupo, com graus sucessivos de poderes, de situação e de responsabilidades

Exs.: h. militar

h. eclesiástica

h. governamental

1.1 Rubrica: religião.

ordem e subordinação dos nove coros de anjos, segundo a Bíblia

2 Derivação: sentido figurado.

classificação, de graduação crescente ou decrescente, segundo uma escala de valor, de grandeza ou de importância

Ex.: h. de necessidades


Toda hierarquia tem uma desejável “elite”. O que é uma “elite”??


ELITE – Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): …. mais valorizado e de melhor qualidade.


elite

s.f. (1871) 1 o que há de mais valorizado e de melhor qualidade, esp. em um grupo social 2 soc minoria que detém o prestígio e o domínio sobre o grupo social v s.m. gráf p.us. 3 caráter us. em máquinas de escrever, em tamanho que corresponde a 12 letras por polegada etim fr. élite 'o que há de melhor'


Prestígio e domínio. Aqueles que dominam, a classe que domina, a classe que está acima. Trata-se de uma sociedade composta de pessoas de qualidade melhor que as outras.


Na “Hierarquia” as pessoas não têm um mesmo valor.

Hierarquia é um processo que visa administrar a “desigualdade”.

SER “MAIOR” NO REINO DOS CÉUS ERA UMA COISA QUE PREOCUPAVA OS APÓSTOLOS DE JESUS. O QUE BUSCAVAM?? BUSCAVAM PERTENCER A UMA ELITE, NÃO É VERDADE??

Em certa ocasião, assim falou Jesus para aqueles que desejavam uma posição elevada: (Mateus 18:1-3) 18 Naquela hora, aproximaram-se de Jesus os discípulos e disseram: “Quem é realmente O MAIOR no reino dos céus?” 2 Portanto, chamando a si uma criancinha, colocou-a no meio deles 3 e disse: “Deveras, eu vos digo: A menos que deis meia-volta e vos torneis como criancinhas, DE MODO ALGUM ENTRAREIS no reino dos céus.

Assim verte a Tradução Almeida: (Mateus 18:1-3) 1 Naquela hora chegaram-se a Jesus os discípulos e perguntaram: Quem é O MAIOR no reino dos céus? 2 Jesus, chamando uma criança, colocou-a no meio deles, 3 e disse: Em verdade vos digo que se não vos converterdes e não vos fizerdes como crianças, DE MODO ALGUM ENTRAREIS no reino dos céus.

Algo muito interessante foi informado por Jesus àqueles homens: Ser escolhido e estar junto de Jesus não levava esta pessoa automaticamente para dentro do reino de Deus, ou seja, o reino dos céus. Jesus estava informando que uma das coisas que impediam o humano individual de entrar no reino dos céus era o desejo de sair da condição de “igualdade” em relação a seu próximo.

Vocês precisam mudar de direção, mudar de opinião, mudar de costume, mudar de desejo.

Vocês precisam caminhar no sentido oposto ao que vocês estão caminhando.

CONVERTEREsta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): fazer mudar de direção...

converter

v. (sXIII) 1 bit. e pron. transformar ou transformar-se (alguém, algo, um estado, uma forma, um objetivo, uma função etc.) em <o fogo converte a lenha em cinzas> <converteram a fábrica em centro de lazer> <o riso converteu-se em pranto> <o comerciário converteu-se em banqueiro> 2 t.d. e pron. fazer mudar ou mudar de crença religiosa (ou de opinião, costumes etc.) <os missionários tentam c. os índios> <converteu-se ao protestantismo> <alguns céticos converteram-se às teorias positivistas> 3 t.d. fazer mudar de direção; virar, voltar <c. a mão de direção> 4 bit. trocar, comutar <c. mil libras esterlinas em real> <c. uma pena em outra mais branda> 5 t.d.int. basq encestar <o time converteu (a cesta) no último minuto> gram apresenta duplo part.: convertido, converso etim lat. converto,is,versi,versum,tère 'virar, transformar' sin/var mudar, transmudar ant desconverter, perverter, transviar

Segundo o rei do reino dos céus, este desejo de ser MAIOR” estava afastando estes já discípulos de entrarem no reino dos céus. Isto significa que ter tal desejo no coração afasta o humano de entrar no reino dos céus. Logo, eles precisavam dar meia-volta e trilhar um caminho oposto, precisavam ter desejos opostos para poderem entrar no reino dos céus. Quem estava falando era o rei, aquele que conhecia muito bem o reino. O rei estava revelando o caminho para se entrar no reino dos céus. Percebemos que entrar no reino dependia do humano não ter certos desejos.

O que entendemos disto?? Aquele que “deseja” ser MAIOR não consegue entrar no reino dos céus. Esta informação foi dada pelo próprio rei do reino dos céus. Trata-se de uma informação dada ao súdito individual.

Como pode existir um reino sem hierarquia?? A desigualdade não é uma realidade imutável com a qual temos de conviver?? Ora, se o mundo inteiro pratica a desigualdade, não temos de praticá-la também??

Os humanos caminham na direção daquilo que eles gostam. Estes humanos gostavam de estar no “Alto”. Gostavam de estar em “cima”. Estes humanos gostavam da história da existência de humanos de “qualidade melhor” a de outros humanos. Estes humanos caminhavam na direção do “Alto”, caminhavam na direção da superioridade. Individualmente, eles se sentiam felizes em estarem acima e ostentavam sua felicidade. Os que se colocam no “Alto” buscam privilégios e regalias, buscam um tratamento diferenciado daquele dado aos demais, buscam da parte dos outros o reconhecimento da posição “Alta” que julgam ocupar. Os demais precisam aceitar que alguém está no “Alto”. Este busca ser aceito como se ele realmente fosse “alguém especial” em relação aos demais. Estes buscam ser reverenciados. Percebemos que se trata de uma “fantasia pessoal” que necessita da cumplicidade de alguém, para que tal fantasia se torne uma realidade.

REVERENCIAR – Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): prestar culto, idolatrar...

reverenciar Datação: 1456

n verbo

transitivo direto

1 prestar culto, veneração a; adorar, venerar, idolatrar

Ex.: r. a imagem de um santo

transitivo direto

2 tratar com consideração, deferência; respeitar

Ex.: r. os professores

transitivo direto e intransitivo

3 saudar, cumprimentar respeitosamente

Exs.: os atores reverenciaram o público

r. diante do rei


Presta-se voluntária reverência àquele que é tido como superior. Quem presta reverência vê a outra pessoa como superior a ela, ou seja, alguém que está acima dela, alguém que é melhor do que ela. Dentro de uma hierarquia isto é o normal e o esperado.

Será que a pirâmide de Jesus era invertida??

Palavras de Jesus – ensino de Jesus ==> informação dada por Jesus: (Mateus 23:6-12) 6 Gostam dos lugares mais destacados nas refeições noturnas e dos primeiros assentos nas sinagogas, 7 e dos cumprimentos nas feiras, e de ser chamados Rabi pelos homens. 8 Mas vós, não sejais chamados Rabi, pois um só é o vosso instrutor, ao passo que TODOS VÓS SOIS IRMÃOS. 9 Além disso, NÃO CHAMEIS A NINGUÉM NA TERRA DE VOSSO PAI, pois um só é o vosso Pai, o Celestial. 10 Tampouco sejais chamados ‘líderes’, POIS O VOSSO LÍDER É UM SÓ, O CRISTO. 11 Mas o MAIOR dentre vós tem de ser o vosso ministro. 12 Quem se ENALTECER, será humilhado, e quem se humilhar, será enaltecido.

RABI – Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): aquele que é visto como um chefe espiritual.

1rabi Datação: 1272

n substantivo masculino

Rubrica: religião.

m.q. 1rabino ('chefe espiritual israelita')



RABINOEsta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): um líder religioso, ou seja, um líder.

1rabino Datação: 1573

n substantivo masculino

1 Rubrica: religião.

líder religioso de comunidade judaica

2 mestre, profundo conhecedor da doutrina rabínica



Assim verte a Tradução Brasileira: (Mateus 23:6-10) 6 e gostam do primeiro lugar nos banquetes, das primeiras cadeiras nas sinagogas, 7 das saudações nas praças, e de serem chamados mestres pelos homens. 8 Mas vós não queirais ser chamados mestres; porque só um é vosso mestre, e todos vós sois irmãos. 9 A ninguém sobre a terra chameis vosso pai; porque só um é vosso Pai, aquele que está no céu. 10 Nem queirais ser chamados mestres, porque só um é vosso mestre, o Cristo. 11 Mas o maior dentre vós será VOSSO SERVO. 12 Quem se exaltar, será humilhado; e quem se humilhar, será exaltado.



SER UM “IRMÃO” É SER UM “IGUAL”, É ESTAR NO MESMO NÍVEL.

SER UM “PAI” NÃO É SER UM IGUAL, É ESTAR “ACIMA”.

SER UM “MESTRE” É ESTAR ACIMA; SER UM “LÍDER” É ESTAR “ACIMA”; REJEITE ESTAR “ACIMA”. NÃO QUEIRAIS SER CHAMADOS DE.....

QUEM SE COLOCAR “ACIMA” SERÁ REBAIXADO.

O MENOR entre vós é o que será considerado MAIOR. Em lugar do “Amo” ser o MAIOR, o “escravo” é que é o MAIOR. Ninguém desejava ser o menor. Ninguém caminhava na direção de ser o menor.

Ser rei era sinônimo de ser mais rico. Ninguém desejava ser o “pobre”, todos desejavam ser o “rico”. As pessoas sentiam-se felizes por serem ricas. Todos valorizavam o “rico”. Todos desvalorizavam o “pobre”. Ninguém caminhava na direção de ser pobre. As pessoas sentiam-se infelizes por serem pobres. Todos desejavam ser o “amo”; ninguém desejava ser o “escravo”; todos desvalorizavam o “escravo”. O “escravo” era a posição MAIS BAIXA. Todos desejavam estar por cima. No entanto, no reino dos céus os valores são opostos.

VEJAM O MODELO EXISTENTE. Trata-se de um modelo idealizado e criado pelo homem. Vejam como as pessoas se comportam no modelo existente. Neste modelo existente, as pessoas se elevam e buscam o Alto. As pessoas caminham na direção do “Alto” e se sentem mais “Altas” que as demais, se sentem “melhores” do que as demais.

Primeiro, Jesus chamou a atenção para a HIERARQUIA EXISTENTE e como os humanos adoradores de Jeová (tribo de Levi) se comportavam no dia a dia em consequência dela, dentro da cidade “santa” de Jerusalém. Estes são os frutos da HIERARQUIA existente. Desejar ser superior, sentir-se superior e agir como se fosse superior eram características plenamente visíveis que identificavam os escribas, os sacerdotes, os fariseus e aquela inteira geração adoradora de Jeová. Depois, Jesus lhes mostrou qual o comportamento que o Pai projetou para os humanos. Eram comportamentos opostos, frutos de sentimentos opostos.

Segundo a colocação de Jesus havia o Pai Celestial na posição acima (Pai) e todos os demais ocupando a mesma posição de filhos.

Não deseje ser chamado de Instrutor. Não sejais chamados de “Instrutor”; não se intitule “instrutor”; não aceite ser chamado de “instrutor”; não chame a ninguém de “instrutor”. Trata-se de uma ordem individualizada, ela atinge a cada um na forma individual.

Não deseje ser chamado de “mestre”; não se intitule “mestre”; não aceite que ninguém seja teu “mestre”, pois eu sou o teu “Mestre”. Jesus é o “professor” e todos os demais são “alunos”. Jesus é o “mestre” e todos os demais são “discípulos”.

Em relação a formação de grupos, o que falou Jesus?? Ele afirmou: “Não formem grupos”.

A formação de grupos leva os humanos a se sentirem parte deste grupo, passando a valorizar tal grupo muito mais do que as pessoas identificadas como fazendo parte de outros grupos. A pessoa se identifica com um determinado grupo e passa a defender o grupo, as ideias deste grupo, simplesmente porque é o seu grupo. Desta forma, as informações provindas do grupo passam a ter para o indivíduo, uma importância maior e de mais credibilidade, apenas porque foram geradas no seu grupo. Sentindo parte deste grupo, uma pessoa decide excluir alguém deste grupo. A pessoa encontrará motivos plenamente válidos, reais ou imaginários, para ver aquela pessoa como não mais fazendo parte do seu grupo. Desta forma, o grupo passa a ser mais importante do que o indivíduo. Por um motivo real ou imaginário, o indivíduo passa a ser desvalorizado em relação ao grupo. O grupo passa a ser prioridade em relação ao indivíduo. Na defesa do grupo, ou seja, tendo como objetivo o bem-estar do grupo, os indivíduos começam a tomar ações de retaliação contra outros indivíduos do mesmo grupo.

Consequentemente, passa a haver uma competição entre os elementos dos grupos, onde cada um busca exaltar as informações e as ideias oriundas do seu grupo. Passa a ser dada uma credibilidade maior ao chefe do seu grupo, apenas porque ele é o chefe do seu grupo. Os chefes dos grupos passam a ser exaltados dentro dos seus grupos. Os erros dos chefes são minimizados pelos indivíduos de seu próprio grupo, enquanto que maximizam os erros dos chefes dos outros grupos.

Consequentemente, passa a ser cobrada a lealdade do indivíduo ao grupo que ele faz parte.

Desta forma, visando demonstrar lealdade ao grupo, se alguém ofender o grupo, os membros deste grupo passam a sentir inimizade por este alguém.

Percebemos assim que a formação de grupos não contribui para a paz e nem para o correto e eficiente aprendizado. Em face de todas estas coisas, como o humano deve se considerar??

Se todos decidirem não chamar a ninguém na terra de seu pai, sentindo-se exclusivamente filho do Pai Celestial, que resultado será alcançado?? O que isto representará de forma prática?? Como se comportará no dia a dia o humano ao colocar em prática esta diretriz?? Isto significa que não haverá muitas famílias (grupos). Isto significa que todos fazem parte da mesma família (grupo).

Como resultado final, não haverá grupos distintos de humanos, pois todos os humanos formariam um único grupo. Que grupo seria este??

Todos os humanos se considerariam pertencendo ao grupo de “filhos do Pai Celestial”. Neste caso, como veriam uns aos outros?? Como irmãos. Irmãos devido ao fato de serem filhos do Pai Celestial.

Ser filho do Pai Celestial é um fato, uma verdade inegável. É um fato e uma verdade para o Pai Celestial. No entanto, a pessoa individual precisa estar plenamente consciente deste fato, tanto em relação a si mesma como em relação a todo e qualquer humano que existir. Ela não deve tentar tapar o sol com uma peneira. O indivíduo precisa ver e aceitar tal fato. O indivíduo precisa levar em conta o sentimento do Pai Celestial.

NÃO DESEJEIS FAZER PARTE DE UMA HIERARQUIA. SE TODOS VÓS SOIS IRMÃOS, NÃO EXISTE HIERARQUIA, EXISTE?? NÃO TE ENALTEÇAS – Este é um dos mandamentos do reino dos céus.

O REINO DOS CÉUS É UM REINO FUNDADO SOBRE UMA “ORDEM DE 'IGUALDADE'” ENTRE SEUS SÚDITOS.

O SÚDITO DO REINO DOS CÉUS REJEITA ESTAR “ACIMA”.

A IGUALDADE é a característica do reino dos céus, é a BASE do reino dos céus, é o que IDENTIFICA o reino dos céus, é a marca registrada do reino dos céus. No entanto, para haver tal igualdade, o súdito individual precisa por em prática tal igualdade, por não se elevar sobre nenhum humano e não elevar nenhum humano acima de si mesmo e por não se considerar melhor do que outro humano.

EXERCENDO SEU LIVRE-ARBÍTRIO, O SÚDITO NÃO SE ENALTECE.

Havia uma competição. Não há como negar a existência de uma competição. Somente participa na competição aquele que tem um espírito de competição. Também não há como negar o motivo da competição. A existência de uma hierarquia humana traz como efeito colateral a existência de um espírito de competição entre seus membros.

Os apóstolos de Jesus estavam disputando uma alta posição de hierarquia, estavam disputando ficar na posição alta, estavam disputando o “ficar por cima”. Se estavam disputando, o que desejavam?? Desejavam fazer parte de uma ELITE. O “DESEJO” ANTECEDE QUALQUER DISPUTA. Eles desejavam o enaltecimento. Em que direção estavam caminhando?? Nenhum deles desejava “ficar por baixo”. Na hierarquia existente e vivida por eles, logo abaixo do rei estão os príncipes, que estão muito acima da plebe. A plebe por sua vez está acima dos escravos. O escravo era o grau mais baixo nesta hierarquia constituída e amada pelo homem. De forma prática, isto é, no dia a dia, as pessoas têm valores diferentes e são tratadas segundo a escala de tais valores.

Sendo Jesus o rei, eles queriam ser príncipes, ou seja, uma alta posição na hierarquia, a posição dos melhores, a posição da elite.

Os apóstolos estavam caminhando em direção àquilo que gostavam?? Sim, estavam. Havia uma disputa entre eles?? Sim, havia.

Eles estavam tão interessados e desejosos de estar em uma posição “alta” que despercebiam os sentimentos do rei que estava ali, vivendo o dia a dia junto com eles, no entanto, na condição de escravo, a posição mais baixa. O REI “MOSTROU SER” O MAIS ESCRAVO ENTRE OS ESCRAVOS. Humilde deve ser só o rei ou todos os súditos do reino??

SERÁ QUE ESTA “IGUALDADE” SE DAVA APENAS ENTRE OS DOZE APÓSTOLOS?? SERÁ QUE SERIAM DOZE PRÍNCIPES IGUAIS?? OS PRÍNCIPES OCUPARIAM UMA POSIÇÃO “ELEVADA” EM RELAÇÃO AO RESTO DOS DISCÍPULOS??

NESTE CASO, NÃO PASSARIA A EXISTIR UMA HIERARQUIA, DESAPARECENDO A “IGUALDADE” ENTRE DISCÍPULOS, IGUALDADE ESTA ESTABELECIDA DE FORMA PRÁTICA PELO REI, NO DIA A DIA COM OS SEUS SÚDITOS??

HAVERIA IGUALDADE ENTRE TODOS OS DISCÍPULOS OU APENAS ENTRE OS DOZE APÓSTOLOS, OU SEJA, NO NÍVEL DOS APÓSTOLOS??

OCUPARIAM OS APÓSTOLOS UMA POSIÇÃO ELEVADA EM RELAÇÃO AOS DEMAIS DISCÍPULOS??

SERIA UMA ELITE CONSTITUÍDA DE DOZE APÓSTOLOS?? IGUALDADE OU DESIGUALDADE??

Sendo os doze apóstolos os primogênitos (os primeiros) dentre os demais, será que seriam especiais em relação aos seus demais irmãos??

Será que o conceito aceito e praticado pelos humanos em relação aos “primogênitos”, que eles consideravam os “filhos especiais” com direitos especiais, também era usado pelo Pai Jeová e, consequentemente, por Jesus??

O conceito de “primogênito ser um filho especial” não foge totalmente do princípio da igualdade entre filhos??

A quem estava Jesus falando aquelas palavras acima a respeito de igualdade?? Estava falando apenas para os doze apóstolos?? “Todos vós sois irmãos”, se referia a quem?? (Mateus 23:1-5) 23 Jesus falou então ÀS MULTIDÕES e aos seus discípulos, dizendo: 2 Os escribas e os fariseus sentaram-se no assento de Moisés. 3 Portanto, todas as coisas que eles vos dizem, fazei e observai, mas não façais segundo as ações deles, pois dizem, mas não realizam. 4 Amarram cargas pesadas e as põem nos ombros dos homens, mas eles mesmos não estão dispostos nem a movê-las com o dedo. 5 Fazem todas as suas obras para serem observados pelos homens; pois ampliam as suas caixinhas [com textos], que usam como proteção, e alargam as orlas [de suas vestes]. . .

Jesus estava falando com “todos”. Então, o “todos vós sois irmãos” abrangia a TODOS os ouvintes, tanto os já discípulos como os ainda não discípulos, tanto homens como mulheres. Ele estava falando com a multidão?? Bem, os seus apóstolos foram “testemunhas” deste ensino dado à MULTIDÃO, não foram?? Note que o ensino estava sendo dado à multidão.

Palavras de Jesus – ensino de Jesus; informação dada por Jesus: (Mateus 20:24-28) 24 Quando os outros dez ficaram sabendo disso, indignaram-se com os dois irmãos. 25 Jesus, porém, chamando-os a si, disse: “Sabeis que os governantes das nações dominam sobre elas e que os grandes homens exercem autoridade sobre elas. 26 Não é assim entre vós; mas, quem quiser tornar-se grande entre vós tem de ser o vosso ministro, 27 e quem quiser ser o primeiro entre vós tem de ser o vosso escravo. 28 Assim como o Filho do homem não veio para que se lhe ministrasse, mas para ministrar e dar a sua alma como resgate em troca de muitos.”

Assim verte a Tradução Brasileira: (Mateus 20:24-28) 24 Ouvindo isto os dez, indignaram-se contra os dois irmãos. 25 Mas Jesus chamou-os a si, e disse: Sabeis que os governadores dos gentios dominam os seus vassalos, e sobre eles os grandes exercem autoridade. 26 Não é assim entre vós. Mas quem quiser tornar-se grande entre vós, será esse o que vos sirva; 27 e quem quiser ser o primeiro entre vós, será esse o vosso servo. 28 É assim que o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate de muitos.

Não podemos esquecer que se tratava de uma sociedade escravocrata, logo, a figura do “escravo” era bem real e cuja posição era bem definida.

A competição estava no ar, não estava?? O espírito de competição existente nestes apóstolos os levou a praticarem estas ações descritas acima. O espírito de competição produz o “superior” e o “inferior”.

Com estas palavras, Jesus revelou a existência de uma ordem inversa de valores. O mais humilde é o maior no reino dos céus. Aquele que menos se valoriza é aquele que, alegremente, mais ministra aos demais, é aquele que mais serve aos demais, ou seja, em uma sociedade escravocrata, ele é o escravo, é aquele que trabalha para o benefício do seu próximo. Segundo Jesus, o mais alto do reino é aquele que mais ajudava. Tratando-se de um reino de sacerdotes, logicamente, tratava-se de um reino de ajudadores. Segundo Jesus, sacerdote era uma posição de escravo do povo, função ocupada por alguém que não lucrava nada com seu trabalho em benefício do povo. Tratava-se de um trabalho altruísta.

O altruísta pratica o altruísmo.

Altruísmo – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: amor desinteressado ao próximo, abnegação.

altruísmo

s.m. (1891) 1 fil segundo o pensamento de Comte (1798-1857), tendência ou inclinação de natureza instintiva que incita o ser humano à preocupação com o outro e que, não obstante sua atuação espontânea, deve ser aprimorada pela educação positivista, evitando-se assim a ação antagônica dos instintos naturais do egoísmo 1.1 amor desinteressado ao próximo; filantropia, abnegação etim fr. altruisme 'id.' sin/var ver sinonímia de beneficência e desprendimento ant egoísmo, filáucia, misantropia; ver tb. antonímia de desprendimento e sinonímia de malevolência


Abnegar – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: renunciar os próprios interesses

abnegar

v. (1579) 1 t.d. e pron. renunciar a (os próprios interesses e/ou as tendências naturais) ou sacrificar-se em benefício de outrem ou em nome de uma ideia, de uma causa <abnegou a vida de prazeres para lutar pelos grandes ideais> <aqueles que se abnegarem de si terão altas recompensas morais> 2 t.d. não admitir, não aceitar; lançar fora, desprezar <abnegava a injustiça e a impiedade> gram a respeito da conj. deste verbo, ver -egar etim lat. abnègo,as,ávi,átum,áre 'recusar absolutamente' sin/var ver antonímia de aceitar ant ver sinonímia de aceitar


A pessoa renuncia, a pessoa abre mão de seus interesses para o benefício de outrem.

Assim, como Jesus se sentia em relação a seus discípulos que já o haviam negado e a Maria Madalena?? Jesus sentia-se como um irmão. Assim afirmou Jesus: (João 20:17-18) 17 Jesus disse-lhe: “Pára de agarrar-te a mim. Porque ainda não ascendi para junto do Pai. Mas, vai aos meus irmãos e dize-lhes: ‘Eu ascendo para junto de meu Pai e vosso Pai, e para meu Deus e vosso Deus.’” 18 Maria Madalena veio e trouxe a notícia aos discípulos: “Tenho visto o Senhor!” e que ele lhe dissera essas coisas.

Assim verte a Tradução Almeida: (João 20:17-18) 17 Disse-lhe Jesus: Deixa de me tocar, porque ainda não subi ao Pai; mas vai a meus irmãos e dize-lhes que eu subo para meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus. 18 E foi Maria Madalena anunciar aos discípulos: Vi o Senhor!-e que ele lhe dissera estas coisas.

Assim verte a Tradução Brasileira: (João 20:17-18) 17 Disse-lhe Jesus: Não me toques; porque ainda não subi ao Pai, mas vai a meus irmãos e dize-lhes que subo para meu Pai e vosso Pai, para meu Deus e vosso Deus. 18 Maria Madalena foi contar aos discípulos: Vi ao Senhor, e ele disse-me estas coisas.

Este foi o exemplo dado pelo rei do reino dos céus no seu dia a dia com os súditos, e isto, em uma sociedade escravocrata. Embora fosse o rei, ele sentia-se irmão de todos os súditos. Ele não se envergonhava de afirmar ser irmão de qualquer um dos súditos. Sendo o irmão mais velho, ele cuidava, ele zelava, ele ministrava os seus irmãos mais novos.

Porque Jesus era “irmão”?? Simplesmente porque ele era filho do Pai Celestial, assim como os demais discípulos também o eram. Não era este o conceito que os discípulos deviam ter em relação aos demais humanos???

Jesus afirmava ser irmão daqueles que o haviam abandonado após terem afirmado que morreriam com ele?? Sim, afirmava. Jesus revelou não guardar ressentimento dos seus irmãos pecadores. Jesus não se envergonhava de afirmar ser irmão daquele que o havia negado três vezes. Isto é algo bastante significativo em relação a pessoa de Jesus, não é??

A informação que havia sido dada por Jesus, agora precisava ser aceita e praticada, praticada da mesma forma como Jesus a praticou no dia a dia. Para poderem fazer igual, eles precisavam concordar com tal informação e não se envergonhar dela.

No reino dos céus, o rei é o “servo” dos seus súditos. Esta foi a palavra falada por Jesus, o rei. Esta foi a realidade vivida por Jesus, o rei.

Em todos os demais reinos, a ordem de valores era invertida em relação ao reino dos céus. Em todos os demais reinos, os súditos eram usados como “servos” do rei. Ser um servo era visto e sentido como ser alguém inferior. Uma coisa óbvia, pois o rei era visto como alguém que ficava acima.

Aquele que ocupava a posição de rei sentia-se melhor e acima dos demais.

A autoridade ocorria de cima para baixo. O grau de importância também ocorria de cima para baixo. Os grandes ocupam a parte de cima da hierarquia e exercem domínio sobre os que ficam abaixo dele, prevalecendo assim a desigualdade. A desigualdade tanto é sentida, como é colocada em prática, tanto pelo rei como por cada súdito. Os súditos buscam ocupar uma posição perto da altura do rei. Existe uma competição para ficar mais perto do rei, lá no alto.

DOMINAR – Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): ser senhor; dominar, mandar. Ter grande ascendência ou autoridade sobre....

dominar

v. (1538) 1 t.d. ter grande ascendência ou autoridade sobre <dominava os alunos com mão de ferro> <a Europa dominava os povos americanos> 2 t.d. conhecer e saber empregar com proficiência <d. vários idiomas> <d. uma tecnologia> 3 t.d. e pron. reprimir(-se), refrear(-se), conter(-se) <d. paixões> <d. um motim> <homem reto que sabe d.-se> 4 t.d. estar no alto ou consideravelmente mais alto que <a serra domina o vale> 5 t.d.int. preponderar, prevalecer <o azul dominava as demais cores do quadro> <neste concerto, as cordas dominam do princípio ao fim> 6 t.d. ocupar inteiramente <o incêndio dominou toda a galeria> etim lat.*domináre por domìnor,áris,átus sum,ári 'ser senhor, dominar, mandar' sin/var ver sinonímia de conquistar, prevalecer e reprimir ant sujeitar-se, submeter-se hom domináveis(2ªp.pl.) / domináveis(pl. dominável[adj.2g.])


Aquele que domina outros humanos, passa a tratar estes humanos como se fossem propriedade sua. Ele acha-se “dono”. Neste caso, que valor é atribuído àquele humano que é visto como “propriedade”?? É óbvio que fica estabelecida e praticada uma diferença de valores entre humanos. Os melhores dominam sobre os piores. Em uma sociedade escravocrata, isto é revelado de forma bem marcante.

Não é assim entre vós, não é para seguir o mesmo modelo.

TENHA O ESPÍRITO DE “ESCRAVO”; NÃO TENHA O ESPÍRITO DE “AMO”.

O EXERCÍCIO DO LIVRE-ARBÍTRIO – UMA OUTRA CARACTERÍSTICA BÁSICA DO REINO DOS CÉUS.

Palavras de Jesus – ensino de Jesus, informação dada por Jesus: Vejam o fruto da existência de uma hierarquia. É a imposição de cima para baixo, não é o livre-arbítrio. Trata-se do modelo autoritário, trata-se do autoritarismo. Este não é o modelo para vós. Não tenham o mesmo espírito deles. No reino dos céus é diferente. (Marcos 10:41-45) 41 Ora, quando os outros dez ficaram sabendo disso, principiaram a indignar-se com Tiago e João. 42 Mas Jesus, depois de chamá-los a si, disse-lhes: “Sabeis que os que parecem estar governando as nações DOMINAM sobre elas, e seus grandes EXERCEM AUTORIDADE sobre elas. 43 Não é assim entre vós; mas quem quiser tornar-se grande entre vós, terá de ser o vosso ministro, 44 e quem quiser ser o primeiro entre vós, tem de ser o escravo de todos. 45 Pois até mesmo o Filho do homem veio, não para que se lhe ministrasse, mas para ministrar e dar a sua alma como resgate em troca de muitos.”

Assim verte a Tradução Brasileira: (Marcos 10:41-44) 41 Ouvindo isto os dez, começaram a indignar-se contra Tiago e João. 42 Mas Jesus chamou-os para junto de si, e disse: Sabeis que os que SÃO RECONHECIDOS como governadores dos gentios, dominam sobre os seus vassalos, e sobre eles os seus grandes exercem autoridade. 43 Porém não é assim entre vós. Mas quem quiser tornar-se grande entre vós, será esse o que vos sirva; 44 e quem quiser ser o primeiro entre vós, será esse servo de todos.

Qual foi o caminho indicado por Jesus?? Não foi o caminho oposto?? Sim, foi.

Em lugar de caminharem para o “Alto”, eles deviam caminhar para o “Baixo”. Deviam sentir-se abaixo.

AUTORITARISMO – Que espécie de modelo é este?? O que caracteriza o autoritarismo??

AUTORITARISMO – Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): Se caracteriza pela prepotência, pela opressão, pela arbitrariedade, pela tirania.

Trata-se de uma imposição de autoridade. Toda imposição fere o princípio do livre-arbítrio.

autoritarismo

s.m. (1877) 1 qualidade do que ou de quem é autoritário 2 conjunto de princípios ou procedimentos autoritários 3 pol sistema político que concentra o poder nas mãos de uma autoridade ou pequena elite autocrática etim autoritário + -ismo sin/var (e afins) arbitrariedade, autocracia, cesarismo, despotismo, ditadura, opressão, prepotência, tirania


Autoritarismo – esta era a característica de todos os reinos existentes até então.

Impor a autoridade é tirania. Todos os reis se notabilizavam pela tirania, ou seja, pela imposição de sua autoridade. Não se respeitava o livre-arbítrio. O que existia era a satisfação da vontade de quem estava acima PELA IMPOSIÇÃO. JESUS MOSTROU SER DIFERENTE.

Exigir a obediência é uma ação de tirania.

Quando alguém não faz aquilo que o tirano tem em mente, o que geralmente ocorre?? Respeito pelo livre-arbítrio ou imposição da vontade do tirano?? Vejamos como o rei do reino dos céus agiu em certa ocasião, ensinando a seus alunos como deveriam se portar em situações semelhantes. (Lucas 9:51-56) 51 Chegando então a completar-se para ele os dias de ser tomado para cima, endureceu o rosto [na determinação] de ir a Jerusalém. 52 De modo que enviou mensageiros na sua frente. E eles foram e entraram numa aldeia de samaritanos, a fim de fazerem os preparativos para ele; 53 mas não o receberam, porque o seu rosto estava endurecido [na determinação] de ir a Jerusalém. 54 Vendo isso os discípulos Tiago e João, disseram: Senhor, queres que mandemos que desça fogo do céu e os aniquile?” 55 Mas ele se voltou e os censurou. 56 Foram assim a uma aldeia diferente. . .

Assim verte a Tradução Almeida: (Lucas 9:51-56) 51 Ora, quando se completavam os dias para a sua assunção, manifestou o firme propósito de ir a Jerusalém. 52 Enviou, pois, mensageiros adiante de si. Indo eles, entraram numa aldeia de samaritanos para lhe prepararem pousada. 53 Mas não o receberam, porque viajava em direção a Jerusalém. 54 Vendo isto os discípulos Tiago e João, disseram: Senhor, queres que mandemos descer fogo do céu para os consumir (como Elias também fez?) 55 Ele porém, voltando-se, repreendeu-os, (e disse: Vós não sabeis de que espírito sois.) 56 (Pois o Filho do Homem não veio para destruir as vidas dos homens, mas para salvá-las.) E foram para outra aldeia.



QUAL MOSTROU SER A ATITUDE DESTES DISCÍPULOS (ALUNOS)??

Os tiranos dependem da força, dependem do poder, dependem de soldados, dependem de armas, dependem da força física, dependem da sua autoridade. Os tiranos utilizam estas ferramentas para imporem suas vontades. Os tiranos sempre aniquilam aqueles que não satisfazem suas vontades, sempre usam de violência (ou faz ou então...), enquanto que aquele que respeita o livre-arbítrio sai e vai em busca de outros que já estejam dispostos. Todos os súditos devem respeitar o livre-arbítrio, e isto, sempre.

O rei “MOSTROU SER” mais humilde que todos os seus súditos, afinal, ele era o rei. NO REINO DOS “HUMILDES”, A MAIOR POSIÇÃO É DAQUELE QUE É MAIS “HUMILDE”.

Por outro lado, no reino da hierarquia, o rei sente-se MAIOR, sente-se ACIMA dos súditos e age de acordo com o seu SENTIMENTO DE SUPERIORIDADE. Ele é considerado “o maior de todos”; ele ocupa a posição “mais ALTA”. Existe uma cumplicidade de sentimentos.

Para onde caminhavam Tiago e João?? Em que direção caminhavam, humildade ou superioridade?? Não estavam caminhando na direção daquilo que gostavam?? Afinal, o que queriam Tiago e João?? Não buscavam um “favorecimento” pessoal para alcançarem uma posição elevada em relação aos demais apóstolos?? Não buscavam um tratamento diferenciado?? Não buscavam a desigualdade?? Sim, era exatamente isto o que buscavam. Não se tratava de uma competição?? Certamente. Não revelavam ter um espírito de competição?? Certamente. A AÇÃO NÃO É UMA CONSEQUÊNCIA DO DESEJO EXISTENTE?? Poderia existir uma ação como esta sem a existência anterior de um desejo?? Não. Os demais ficaram chocados com esta interessante, interesseira e egoísta forma de agir. (Marcos 10:35-37) 35 E Tiago e João, os dois filhos de Zebedeu, aproximaram-se dele e disseram-lhe: “Instrutor, queremos que faças para nós o que for que te peçamos.” 36 Disse-lhes ele: “Que quereis que eu faça para vós?” 37 Disseram-lhe: “Concede-nos que nos assentemos um à tua direita e outro à tua esquerda, na tua glória.”

Há como negar o DESEJO existente de estar no “alto” da hierarquia?? Não revelaram desejar fazer parte de uma “ELITE”??

Tiago e João estavam externando os seus sinceros desejos. Eles queriam ficar na posição mais alta, isto é, ao lado do rei.

O que pudemos perceber?? Pudemos perceber que a COMPETIÇÃO é um dos frutos da hierarquia. Afinal de contas, todos desejam alcançar a posição acima. Estes homens tinham um espírito de competição.

No entanto, havendo posições superiores, obviamente também haverá posições inferiores. Trata-se de uma pirâmide. Trata-se de uma hierarquia, trata-se de uma coisa bem óbvia. Quem é que queria a posição inferior??

Outra característica natural daquela geração (Versão Almeida): (Mateus 23:5) 5 Todas as suas obras eles fazem A FIM DE SEREM VISTOS pelos homens; pois alargam os seus filactérios, e aumentam as franjas dos seus mantos;

A fim de....”. Jesus mostrou a “motivação” existente no coração daqueles homens.

Quem valoriza o que faz espera ser notado, reconhecido, valorizado e elevado pelos expectadores por tudo o que faz. Afinal de contas, ele fez, não fez?? Um sentimento leva ao outro. Ele sempre deseja ter uma plateia. Este homem busca ser valorizado pelo que fez. Ele deseja ser considerado “melhor” do que outros. Desta forma ele revela o “objetivo” de estar fazendo algo.

No entanto, o que o rei do reino dos céus havia falado no “sermão do monte” para o súdito individual? (Versão Almeida): (Mateus 6:1-4) 1 Guardai-vos de fazer as vossas boas obras diante dos homens, PARA SERDES VISTOS por eles; de outra sorte não tereis recompensa junto de vosso Pai, que está nos céus. 2 Quando, pois, deres esmola, não faças tocar trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, PARA SEREM GLORIFICADOS pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam a sua recompensa. 3 Mas, quando tu deres esmola, não saiba a tua mão esquerda o que faz a direita; 4 para que a tua esmola fique em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará.

Cuidado, não faça isto, cuidado com este tipo de objetivo”. Assim verte a Tradução Brasileira: (Mateus 6:1) 1 Guardai-vos, não façais as vossas boas obras diante dos homens, para serdes vistos por eles; de outra sorte não tendes recompensa junto de vosso Pai que está nos céus.

Buscar a posição mais elevada era uma característica natural daquela geração. Em certa ocasião assim falou Jesus àqueles que assim se comportavam: (Lucas 14:7-11) 7 Prosseguiu então a contar aos convidados uma ilustração, ao notar como eles escolhiam os lugares MAIS DESTACADOS para si mesmos, dizendo-lhes: 8 Quando fores convidado por alguém para uma festa de casamento, não te deites no lugar mais destacado. Talvez ele tenha convidado ao mesmo tempo alguém mais distinto do que tu, 9 e aquele que te convidou venha com ele e te diga: ‘Deixa este homem ter o lugar.’ Então principiarás com vergonha a ocupar o lugar mais baixo. 10 Mas, quando fores convidado, vai e recosta-te no lugar mais baixo, para que, quando vier o homem que te convidou, te diga: ‘Amigo, vai mais para cima.’ Então terás honra na frente de todos os que contigo foram convidados. 11 Porque todo aquele que se enaltecer será humilhado, e aquele que se humilhar será enaltecido.”

Jesus estava mostrando como os homens daquela geração buscavam a notabilidade em tudo o que faziam: (Versão Almeida) (Lucas 20:45-47) 45 Enquanto todo o povo o ouvia, disse Jesus aos seus discípulos: 46 Guardai-vos dos escribas, que querem andar com vestes compridas, e gostam das saudações nas praças, dos primeiros assentos nas sinagogas, e dos primeiros lugares nos banquetes; 47 que devoram as casas das viúvas, fazendo, por pretexto, longas orações; estes hão de receber maior condenação.

O que estas pessoas estavam buscando?? Não estavam buscando o “Alto”?? Não estavam enaltecendo a si próprias?? Sim, estavam. Até mesmo enalteciam-se diante das viúvas e nas casas das viúvas fazendo longas orações, solicitando ajudas e bênçãos para tais viúvas, como se estas viúvas não tivessem a mesmíssima condição de igualdade diante de Deus em relação a fazer suas orações e serem ouvidas diretamente por Deus.

Não deveriam INVERTER os seus sentimentos??

Podemos afirmar que a desigualdade corria nas veias daquela geração. A desigualdade fluía de forma natural de dentro dos humanos daquela geração. Tinham um espírito de desigualdade.

Não se comportem como eles. Ao final, Jesus repetiu aquela frase bem conhecida: “Porque todo aquele que enaltecer a si próprio será humilhado, e aquele que se humilhar será enaltecido”.

Os próprios apóstolos estavam disputando, estavam buscando o estar por cima, estavam buscando ser grande, estavam buscando ser primeiro, estavam buscando um lugar elevado, o lugar mais destacado em uma possível hierarquia a ser introduzida por Jesus, afinal, Jesus falava em “entrar no reino dos céus”. Tanto aquele que deseja, quanto aquele que disputa estar no ALTO não conseguem entrar no reino dos céus. Colocar-se acima era o desejo de cada apóstolo, o que revelava ser o espírito comum àquela geração. Havia uma competição, pois todos buscavam a posição enaltecida, a parte alta da hierarquia. Havia um espírito de competição. Todos caminhavam na direção daquilo que gostavam. Depois do rei indicar o caminho, entrar no reino também é uma ação fruto do livre-arbítrio.

Os apóstolos viviam em uma sociedade escravocrata. A realidade vista no dia a dia pelos apóstolos era a seguinte: Ser escravo é estar no lugar mais baixo da hierarquia. Tratava-se do lugar mais baixo que o humano podia ocupar. Alguém valorizava o escravo?? Não se vendia um escravo pelo valor de um par de sandálias?? Havia o humano mudado em relação aos dias de Amós, o profeta a quem Jeová falou estas palavras abaixo?? (Amós 2:6) 6 Assim disse Jeová: ‘Por causa de três revoltas de Israel e por causa de quatro não o farei voltar atrás, por venderem o justo pela mera prata e o pobre pelo [preço de] um par de sandálias.

Quem atribuía tal baixo valor para um ser semelhante, um ser igual, um irmão?? Quem é que tratava o ser humano como uma mercadoria barata?? Os que se sentiam no “Alto”, obviamente.

SE VOCÊ FOR ESCOLHIDO PARA REALIZAR UMA TAREFA, NÃO TE ENALTEÇAS POR CAUSA DA TAREFA QUE TE FOI “DETERMINADA”.

Não deseje receber glória, não espere receber glória, elogios, reconhecimento, recompensa, aplauso...

Palavras de Jesus – ensino de Jesus: Esta é uma nova “norma de comportamento”. Esta é a “norma de comportamento” do súdito do reino dos céus. Esta norma de comportamento deve partir de dentro do súdito. Este é o “padrão de comportamento” do súdito. Este novo padrão produziria “novos costumes”. (Lucas 17:10) 10 Assim também vós, quando tiverdes feito todas as coisas que vos foram determinadas, DIZEI:Somos ESCRAVOS imprestáveis. O que temos feito é o que devíamos fazer.’”

NÃO TE VALORIZES POR TERES RECEBIDO E EXECUTADO UMA TAREFA. Não te compares com outro escravo. Não te preocupes com o que o outro escravo está fazendo. Não tenha o espírito de competição.

INDEPENDENTE DA TAREFA EXECUTADA, ESTA TAREFA NÃO O ELEVA SOBRE OS DEMAIS.

AS PALAVRAS FALADAS POR JESUS PÕEM TODOS OS SEUS SEGUIDORES NO MESMO NÍVEL.

NENHUM DE VOCÊS É MAIOR E NEM MENOR QUE OS DEMAIS.

As palavras de Jesus são bastante claras: Não DESEJE ser enaltecido; não te enalteças sobre os demais, não aceite ser enaltecido pelos demais e não enalteça a ninguém sobre você. Aquele que se enaltecer será humilhado.

Isto é igualdade, não é?? Este é o princípio da igualdade, não é??

A “palavra” é dirigida a cada súdito individual.

NO REINO DOS CÉUS NÃO EXISTE “SUPERIOR” E “INFERIOR”; O REINO DOS CÉUS É CARACTERIZADO PELA IGUALDADE” ENTRE TODOS OS SEUS SÚDITOS.

NO SÚDITO DO REINO NOS CÉUS NÃO DEVE EXISTIR O SENTIMENTO DE SUPERIORIDADE. Ele não gosta da superioridade, logo, ele não caminha em direção a ela.

Não aceiteis a paternidade de nenhum humano sobre vós, pois o vosso pai é o Pai Celestial. Obviamente, não se coloque como pai para nenhum humano. Todos vós sois filhos do Pai Celestial, logo, todos vós sois irmãos, todos vós estais no mesmo nível. Todos vós estais no nível de “filhos do mesmo Pai”, o Pai Celestial. Revelou-se a existência de plena “igualdade”?? Sim, revelou-se.
O princípio da igualdade é um princípio que deve ser tido como “inviolável”. Cada humano deve ter o princípio da igualdade como um princípio inviolável para ele próprio, pois é ele quem pode decidir sair da igualdade ou permanecer nela.

No estabelecido costume humano, o filho mais velho, o primogênito, era o filho especial, era aquele que recebia a melhor parte, era aquele que recebia a maior parte da riqueza acumulada pelo pai. Este costume é fruto da igualdade?? Tratava-se da prática da igualdade?? Estavam os filhos sendo tratados com igualdade??

Não se configurava a prática da parcialidade?? Não se tratava de favoritismo??

Não era José o filho favorito de Jacó, por ser o primeiro filho da esposa favorita, Raquel?? No entanto, em face de tal favoritismo, que sentimentos geraram nos demais irmãos mais velhos, filhos de Léia, irmã de Raquel??

Se a mulher fosse a primeira a nascer (primogênita) ela não recebia o mesmo tratamento dado a um homem (primogênito). Tratava-se de um costume que exercitava a igualdade??

IGUALDADE – Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss):

igualdade Datação: sXIII

n substantivo feminino

1 fato de não apresentar diferença quantitativa

Ex.: i. de salário

1.1 Rubrica: matemática.

relação existente entre duas grandezas iguais; fórmula que exprime esta relação

2 fato de não se apresentar diferença de qualidade ou valor, ou de, numa comparação, mostrarem-se as mesmas proporções, dimensões, naturezas, aparências, intensidades; uniformidade; paridade; estabilidade

Exs.: i. de oportunidades

i. de pulso

3 princípio segundo o qual todos os homens são submetidos à lei e gozam dos mesmos direitos e obrigações



Não apresentar diferença de “valor”. No reino dos céus não existe diferença de “valor” entre os súditos, pois todos os súditos têm o mesmíssimo “valor”. As palavras de Jesus foram bem claras não foram?? Relembrando, as palavras de Jesus foram: “Vocês são meus irmãos e todos vós sois irmãos, não te enalteças sobre o teu irmão”.

Apesar de Jesus ser uma criatura espiritual ele se considerava como um igual e tratava a todos como iguais.

IGUALDADE – Trata-se de ver todas as pessoas como iguais, isto sempre. Trata-se de sentir-se igual.

Igualdade é um sentimento, assim como a superioridade também é um sentimento. Sendo um sentimento, a igualdade estará presente em todos os níveis do relacionamento humano no seu dia a dia, isto é, tanto em palavras como em ações.



Todas as pessoas têm o mesmo peso e o MESMO VALOR, isto sempre.

Independente da aparência, todos continuam com o mesmo peso e o MESMO VALOR, isto sempre.

Independente do estado em que se encontram, todos continuam com o mesmo peso e o MESMO VALOR, isto sempre.

Independente do que estiverem fazendo, todos continuam com o mesmo peso e o MESMO VALOR, isto sempre.

Independente de terem ou não sido escolhidos para executar algum trabalho, todos continuam com o mesmo peso e o MESMO VALOR, isto sempre.

Todos valem uma vida. Todas as vidas humanas têm o MESMO VALOR.

O REAL valor da vida não foi e não é fixado por qualquer das criaturas; não é o humano quem determina o real valor da vida.

O REAL valor da vida foi pré-fixado por Aquele que CRIOU a forma de vida humana. Trata-se de um VALOR IMUTÁVEL.

Neste caso, o humano estava sendo informado do VALOR que a sua vida tem. O humano está sendo informado que, para o Pai, todos estão e continuarão no mesmo nível. O humano está sendo informado da perspectiva do Pai; o humano está sendo informado sobre como o Criador continua vendo suas criaturas. Jesus estava chamando a atenção dos humanos: Ele, o Criador, vê as coisas desta forma. Todos vós sois irmãos, e eu também sou vosso irmão. No entanto, o humano pode negar-se a aceitar aquilo que é um fato para o Criador, afinal, ele está exercendo o seu livre-arbítrio.

Suponhamos que o valor fixado pelo Criador para a “vida” individual seja o de um diamante de 200 quilates.

Não altere o valor que foi fixado para a “vida”.

Não rebaixe o valor da “vida” de outro.

Não aumente o teu valor; não encontre motivos para alterar o valor da tua vida perante outros ou para si mesmo.

Você não vale dois diamantes; você sempre continuará valendo um diamante para o Criador. Não encontre motivos para aumentar ou para diminuir o real valor da vida do teu semelhante.

Se o Criador fixou o valor de um diamante para a “vida”, o Criador, que é Imparcial, SEMPRE verá cada uma das demais vidas no mesmo valor de um diamante que Ele fixou.

Bem, O Pai via desta forma, e Jesus, que sempre concorda com o Pai, também via as coisas desta forma. Os filhos foram informados sobre a visão do Pai. Concordariam com o Pai?? Concordariam com o rei do reino dos céus?? Trata-se de exercer o livre-arbítrio.

A hierarquia junto com sua elite não se confronta diretamente com a igualdade??

O espírito de competição se confronta com o espírito de igualdade.

Bem, se todos são iguais, se Jeová vê a todos como iguais, como poderia acontecer uma hierarquia?? Qual é a semente que produz a hierarquia?? Qual o primeiro e imprescindível passo para a existência de uma hierarquia??

Trata-se do sentimento do humano individual, pois para todos permanecerem como iguais, todos devem continuar a se verem e se sentirem como iguais.

Mas e se alguém passar a se sentir superior?? Como alguém poderia passar a se sentir superior?? Esta pessoa encontraria um motivo plenamente lógico e válido em sua mente. No entanto, ela precisa contar com a cumplicidade de outros humanos, pois outros humanos precisam vê-la como superior a elas. Os demais precisam admitir que aquela pessoa é melhor. Estes humanos precisam “concordar” com os pensamentos dela.

É O TRABALHO QUE O SÚDITO RECEBEU PARA SER FEITO QUE DETERMINA A SUA POSIÇÃO EM UMA HIERARQUIA??

Servo é alguém que presta um serviço para outra pessoa. Ele fazia parte da nação “escolhida” por Jeová, enquanto que os demais não. Não se pode negar, ele realmente encontrava-se em uma condição “diferente”, condição diferente. Ele encontrava-se escolhido como um “servo” que executava uma função específica, enquanto os demais não estavam escolhidos para realizar a mesma função. Realmente, ele encontrava-se em uma condição diferente, condição diferente.

Em relação ao trabalho que uma pessoa foi chamada para executar, um trabalho que ela não tinha experiência anterior, como ela poderia se sentir melhor do uma outra pessoa que também foi escolhida na mesma condição que ela?? E se eu produzir mais, isto não indica que eu sou superior àquela outra pessoa?? Voltamos a condição de superior e inferior, não voltamos??

ESTAS PALAVRAS DE NOSSO IRMÃO PAULO ABAIXO, PÕEM TODOS OS DISCÍPULOS DE JESUS NO MESMO NÍVEL OU ESTABELECE UMA HIERARQUIA??

APÓSTOLO – TRATA-SE DE UMA POSIÇÃO DE DESTAQUE EM UMA HIERARQUIA?? SERÁ QUE É A POSIÇÃO MAIS ALTA??

Palavra de Paulo: (1 Coríntios 12:27-31) 27 Ora, vós sois corpo de Cristo e membros individualmente. 28 E Deus tem colocado os respectivos na congregação, primeiro apóstolos; segundo profetas; terceiro instrutores; depois obras poderosas; depois dons de curar; serviços prestimosos, capacidades de dirigir, línguas diferentes. 29 Será que todos são apóstolos? Será que todos são profetas? Será que todos são instrutores? Será que todos realizam obras poderosas? 30 Será que todos têm dons de curar? Será que todos falam em línguas? Será que todos são tradutores? 31 Mas persisti em buscar zelosamente os maiores dons. Contudo, ainda vos mostro um caminho que ultrapassa [isso].

Assim verte a Tradução Brasileira: (1 Corintios 12:27-30) 27 Ora vós sois corpo de Cristo, e individualmente um de seus membros. 28 A uns pôs Deus na igreja, primeiramente apóstolos, em segundo lugar profetas, em terceiro lugar doutores, depois milagres, depois dons de curar, socorros, governos, variedades de línguas. 29 São, porventura, todos apóstolos? são todos profetas? são todos doutores? são todos operadores de milagres? 30 têm todos dons de curar? falam todos em línguas? interpretam todos?

ELE NÃO ESCOLHEU O TRABALHO.

ELE FOI ESCOLHIDO PARA FAZER UM DETERMINADO TRABALHO.

ELE NÃO FOI ESCOLHIDO POR CAUSA DE SUA PRÉ-QUALIFICAÇÃO.

Quem definiu que certo trabalho é mais importante do que outro trabalho??? Não passa a existir um espírito de competição?? Esta sequência estabelecida por Paulo não revela ser um fruto de uma competição??

Muito embora vocês sejam iguais, dentro da igreja (congregação) vocês não são iguais, pois primeiro vem este e depois vem aquele, logo após vem este e depois aquele e depois o resto??? Será que no reino dos céus existe primeiro, segundo, terceiro, quarto, etc,??

Foram estas as mesmas palavras faladas por Jesus?? Trata-se de uma repetição das palavras já faladas por Jesus?? Foi Jesus quem estabeleceu esta hierarquia?? Foi o rei quem estabeleceu esta hierarquia?? Foi o rei quem estabeleceu esta sequência hierárquica??

Estava ou não estava estabelecida uma sequência hierárquica?? Estava ou não estava estabelecida uma “ordem de prioridade entre os membros” dentro do reino dos céus???

Estabeleceu-se ou não se estabeleceu a desigualdade??

No reino dos céus existe uma ordem de prioridade entre os membros em face do trabalho que lhes foi determinado fazer???

O trabalho “A” é mais importante do que o trabalho “B”, logo aquele que está executando o trabalho “A” é melhor do que aquele que está executando o trabalho “B”. Alguém foi escolhido para executar o trabalho “A”. O que isto significa em relação a este alguém?? Não significa absolutamente nada.

No entanto, se este alguém vê aquele trabalho como “o melhor”, este alguém pode presumir (chegar à conclusão) que ele é melhor do que os demais, se ele estiver fazendo aquele trabalho.

Como você se atreve a falar comigo nestes termos?? Eu sou um apóstolo, e você quem é?? Ponha-se no teu lugar. Aqui você sequer pode falar, pois você não está no mesmo nível. Você não pode falar com ele. Fale comigo que eu dou o seu recado a ele. Como você se atreve a contestar aquilo que eu falo?? Quando eu falo, você tem de calar a boca, afinal, eu sou do nível um e você é do nível cinco. Esta ordem partiu do nível um, logo, todos os níveis têm de obedecer.

Alguns afirmam que se não houver esta ordem de prioridade haveria a desordem. Neste caso, a hierarquia é a solução para a desordem?? Afirma-se que Deus não é Deus de desordem, o que é uma verdade.

Este é o resultado da existência de uma pirâmide hierárquica. Os níveis são colocados em prática pelos que se enquadram neles. Eles passam a destacar, exibir e IMPOR a sua posição. “Eu sou do nível dois e aqueles lá são do nível cinco”, eles não são iguais a nós. Eles têm de respeitar a nossa posição acima deles. Bem, isto é uma realidade, não é??

Você tem que me obedecer PORQUE eu sou apóstolo designado por Deus”?? Não se trata de uma INVERSÃO dos valores fixados por Jesus??

Foi esta uma das frases faladas por Jesus, o rei do reino dos céus?? Foi este o exemplo prático deixado pelo rei do reino dos céus??

Foi isto o que o “professor” ensinou?? Não estava Jesus ensinando NOVOS valores?? Não mostravam ser INÉDITOS para aquela geração??

Não está no mesmo nível?? Não está no mesmo nível?? Será que foi isto mesmo o que eu entendi?? Não está no mesmo nível?? Existe uma hierarquia??

Palavra de Paulo: (1 Coríntios 14:5) 5 Ora, eu gostaria que todos vós falásseis em línguas, mas prefiro que profetizeis. Deveras, quem profetiza É MAIOR DO QUE aquele que fala em línguas, a menos que, de fato, traduza, para que a congregação receba edificação. (1 Coríntios 14:18-19) 18 Agradeço a Deus que falo mais línguas do que todos vós. 19 Não obstante, numa congregação quero antes falar cinco palavras com a minha mente, para instruir também oralmente os outros, do que dez mil palavras numa língua.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(1 Corintios 14:5) 5 Quero que todos vós faleis em línguas, mas antes que profetizeis; maior é aquele que profetiza do que aquele que fala em línguas, a não ser que as interprete, para que a igreja receba edificação.

(1Corintios 14:18-19) 18 Dou graças a Deus que falo em línguas mais que todos vós; 19 mas na igreja eu antes quero falar cinco palavras com o meu entendimento, para que instrua também a outros, do que dez mil palavras em língua.

O profetizar tem mais valor do que o falar em línguas?? Uma função é mais importante do que uma outra??? Dentro da congregação uma função é mais importante do que a outra?? Quem determinou uma escala de importância dos “trabalhos” realizados dentro da congregação??

Obviamente que surge a pergunta: Porque a função “A” é mais importante do que a função “B”??

Certamente se encontrará motivos plenamente válidos.

Sendo a função mais importante, certamente ela deverá ter prioridade, não é verdade??

O reconhecimento da prioridade é uma coisa. Por exemplo, ter o oxigênio ou ter a água, qual dos dois é prioridade?? O oxigênio, obviamente. No entanto, a morte é o fim, tanto para quem ficar sem o oxigênio, quanto para quem ficar sem ingerir água. O que muda é a quantidade de tempo que se pode passar sem eles.

Embora o tempo faça do oxigênio uma prioridade, tanto a água como o oxigênio são vitais para a vida.

No entanto, independente do que se tenha sido capacitado para fazer, tal pessoa em si não passa a ser diferente do que ela era antes de ser “capacitada”.

Ora, ora, não era o “espírito santo” que capacitava tal pessoa para exercer aquela função?? Pode a pessoa continuar a realizar tal função sem o “espírito santo”?? Não, não pode. Ela não tem tal capacidade.

  1. Ela não continuará a falar em línguas sem o espírito santo.

  2. Ela não continuará a curar sem o espírito santo.

  3. Ela não continuará a profetizar se ela não receber uma real informação a ser repassada para outra pessoa.

  4. Uma coisa é comum para duas das três pessoas, isto é, aquele que fala em línguas e aquele que profetiza. Se o que ele falar não for uma exata repetição da palavra de Jeová, ele estará enganando àquele que o ouve.

No entanto, a pessoa pode achar-se melhor do que outra em face do serviço que executa, mesmo sem ter a capacidade pessoal para executá-lo?? Sim, ela pode.

Maior e menor – Isto revela a existência da igualdade ou da desigualdade??

Falo em línguas mais que todos vós??

Será que estavam se exibindo uns aos outros dentro do grupo, no local de reunião do grupo?? Será que estavam competindo?? Eu falo mais línguas do que todos vós??? Estavam sendo colocados em seus devidos lugares???

HIERARQUIA COLOCADA EM PRÁTICA – Não havendo nenhum apóstolo presente, primeiro falo eu que sou profeta, aqui você tem que repeitar a hierarquia, afinal, você não é um profeta, você só “fala em línguas”. Não seja um rebelde.

Assim verte a Tradução Brasileira: (1 Coríntios 14:5) 5 Quero que todos vós faleis em línguas, mas antes que profetizeis; MAIOR É aquele que profetiza do que aquele que fala em línguas, a não ser que as interprete, para que a igreja receba edificação. (1 Coríntios 14:18-19) 18 Dou graças a Deus que falo em línguas mais que todos vós; 19 mas na igreja eu antes quero falar cinco palavras com o meu entendimento, para que instrua também a outros, do que dez mil palavras em língua.

Maior e Menor?? Havendo um maior, obviamente, haverá o menor. Logicamente, o maior é superior ao menor.

Onde chegará o homem que vive o seu dia a dia tendo por base esta norma de procedimento?? Que sentimentos desenvolverá o humano que tiver esta norma de procedimento por base?? Que frutos produzirá esta semente depois de semeada no coração do homem?? Depois de estabelecido tal “padrão de comportamento”, quais serão as reações dos que aceitam tal padrão, em relação aos problemas do dia a dia?? Usarão tais “padrões” para resolverem os problemas de relacionamento no dia a dia, não usarão?? Que “costumes” serão criados a partir deste padrão?? Será que ele se considera no MESMO NÍVEL que os demais todo o tempo?? Será que haverá o espírito de superioridade??

Sua função recebida revela se você é maior ou menor em relação a outras funções?? Revela que você é superior àquele que não recebeu nenhuma função??

Foram estas as mesmas palavras faladas por Jesus?? Trata-se de uma repetição das palavras já faladas por Jesus??

Foi isto o que o “professor” ensinou?? A palavra produz um costume. Foi o professor Jesus quem instituiu este costume??

COMO ALCANÇAR UM NÍVEL ELEVADO?? Devia haver “competição” para alcançarem um nível elevado??

Quem faz MAIS “obras excelentes” não deve ser RECONHECIDO como “melhor”, e obviamente, ser RECOMPENSADO por ter feito MAIS?? Deveria haver um “espírito de competição” entre os discípulos de Jesus??

Quem faz “MAIS” passa a ser o “MAIOR”?? Quem faz mais passa a ter mais importância??

Como resolver um problema surgido no dia a dia??

Coloque na lista aquelas pessoas que fizeram estas coisas aqui listadas. Estas pessoas têm prioridade. ELAS MERECEM. Quanto àquelas que fazem estas outras coisas aqui listadas, pode rejeitá-las. ELAS NÃO MERECEM. O valor da pessoa está nas obras que ela faz. O valor da pessoa está no seu currículo. Foi esta a diretriz estabelecida por Jesus?? (1 Timóteo 5:9-13) 9 Seja colocada na lista a viúva que não tiver menos de sessenta anos de idade, esposa de um só marido, 10 dando-se dela testemunho de obras excelentes, se tiver criado filhos, se tiver hospedado estranhos, se tiver lavado os pés dos santos, se tiver socorrido os em tribulação, se tiver seguido diligentemente toda boa obra. 11 Por outro lado, rejeita as viúvas mais jovens, pois, quando os seus impulsos sexuais se interpõem entre elas e o Cristo, querem casar-se, 12 sofrendo julgamento por terem desconsiderado a sua primeira [expressão de] fé. 13 Ao mesmo tempo, aprendem também a estar desocupadas, vadiando pelas casas; sim, [e] não somente desocupadas, mas também tagarelas e intrometidas nos assuntos dos outros, falando de coisas de que não deviam.

PARA ONDE ESTE SENTIMENTO DE “DESIGUALDADE” PODE LEVAR O SER HUMANO??

QUANTO MAIS IMPORTANTE VOCÊ SE SENTIR, MAIOR SERÁ A TUA INTOLERÂNCIA EM SER OFENDIDO, E MAIOR PERIGO CORRERÁ O TEU OFENSOR.

FAZER “MAIS” DE DETERMINADAS “OBRAS” COLOCARIA A PESSOA EM UM NÍVEL SUPERIOR??

Uma é rica em obras excelentes e a outra é pobre em obras excelentes. Está é uma realidade. Bem, e agora, o que fazer?? A rica em obras excelentes é superior àquela que é pobre em obras excelentes, logo, não se pode dar a elas o mesmo tratamento. Fique com a rica e rejeite a pobre. Isto é o que ocorre em uma hierarquia humana. Este é o pensamento e o sentimento humano.

Assim, no caso de haver uma fome, quem se sentiria como alguém que deveria ser tratada com prioridade?? A rica em obras excelentes, obviamente. Ela se compararia com a pobre em obras excelentes, revelando uma realidade lógica, ou seja, uma fez e a outra não fez.

Certamente, não recebendo a prioridade esperada e desejada, ela iria queixar-se com alguém, visando que tal situação anormal, uma injustiça aos seus olhos, fosse imediatamente corrigida. Neste caso, que medidas adotaria aquele que criou esta regra de comportamento, bem como os que concordam com ela??

Nota-se claramente que esta regra de comportamento é um “pensamento de homens”. Mas, porque é um pensamento de homens??

Vivendo esta regra humana, certamente a viúva “rica em obras excelentes” que viesse a receber o mesmo tratamento dado a uma viúva “pobre em obras excelentes”, sentir-se-ia injustiçada, não é verdade?? Será que isto pode ocorrer dentro do reino dos céus??? Agiria assim o rei do reino dos céus?? Agiria o rei do reino dos céus de acordo com esta regra humana, tratando-as com desigualdade em face da desigualdade das obras realizadas??

Lembra-se daquela incrível ilustração de Jesus a respeito daqueles homens, que, apesar de receberem o que foi acordado com eles, e que por trabalharem desde a primeira hora, sentiam-se superiores àqueles que passaram a trabalhar a partir da décima primeira hora e que receberam o mesmo que os demais?? Vamos ver outra vez?? (Mateus 20:1-16) 20Porque o reino dos céus é semelhante a um homem, um dono de casa, que saiu cedo de manhã para contratar trabalhadores para o seu vinhedo. 2 Tendo concordado com os trabalhadores em um denário por dia, mandou-os ao seu vinhedo. 3 Saindo também por volta da terceira hora, viu outros parados, sem emprego, na feira; 4 e ele disse a estes: ‘Vós também, ide ao vinhedo, e eu vos darei o que for justo.’ 5 De modo que eles foram. Ele saiu novamente por volta da sexta hora e da nona hora, e fez o mesmo. 6 Finalmente, por volta da décima primeira hora, saiu e encontrou outros parados, e disse-lhes: ‘Por que ficastes parados aqui o dia todo sem emprego?’ 7 Eles lhe disseram: ‘Porque ninguém nos contratou.’ Disse-lhes: ‘Ide vós também ao vinhedo.’ 8 Quando anoiteceu, o dono do vinhedo disse ao seu encarregado: ‘Chama os trabalhadores e paga-lhes o seu salário, passando dos últimos para os primeiros.’ 9 Ao chegarem os homens da décima primeira hora, cada um deles recebeu um denário. 10 Portanto, ao chegarem os primeiros, CONCLUÍRAM QUE RECEBERIAM MAIS; mas eles também receberam o pagamento à razão de um denário. 11 Tendo-o recebido, começaram a murmurar contra o dono de casa 12 e disseram: Estes últimos fizeram uma só hora de trabalho; ainda assim OS FIZESTES IGUAIS A NÓS, os que levamos o fardo do dia e o calor abrasador!’ 13 as ele disse, em resposta, a um deles: ‘Amigo, não te faço nenhuma injustiça. Não concordaste comigo em um denário? 14 Toma o que é teu e vai. Eu quero dar a este último o mesmo que a ti. 15 Não me é lícito fazer o que quero com as minhas próprias coisas? Ou é o teu olho iníquo porque sou bom?’ 16 Deste modo, os últimos serão primeiros e os primeiros, últimos.”

Tratava-se da enorme diferença entre o “pensamento” do homem e o “pensamento” de Jeová, O Pai. Assim já havia falado O Pai para o Seu mensageiro Isaías: (Isaías 55:8-9) 8 Pois os vossos pensamentos não são os meus pensamentos, nem os meus caminhos, os vossos caminhos”, é a pronunciação de Jeová. 9 Porque assim como os céus são mais altos do que a terra, assim os meus caminhos são mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos, do que os vossos pensamentos.



Assim verte a Tradução Brasileira: (Isaías 55:8-9) 8 Pois os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos são os meus caminhos, diz Jeová. 9 Assim como os céus são mais altos do que a terra, assim os meus caminhos são mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos do que os vossos pensamentos.



Assim verte a Tradução Almeida: (Isaías 55:8-9) 8 Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor. 9 Porque, assim como o céu é mais alto do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos.


PENSAMENTOEsta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): conjunto de ideias de uma pessoa.....

pensamento

s.m. (sXIII) 1 ato ou efeito de pensar 2 aquilo que se pensa <é impossível adivinhar seus p.> 3 faculdade que tem como objetivo o conhecimento; inteligência <a linguagem é uma das formas de expressão do p.> 4 natureza, grau ou nível dessa faculdade <p. abstrato> 5 maneira de pensar, de julgar; opinião, ponto de vista <falou francamente, sem disfarçar seu p.> 6 faculdade de fantasiar, de imaginar <em p. conhecia lugares onde nunca esteve> 7 observação que resulta de reflexão; meditação <vivia mergulhado nos seus p.> 8 representação mental de algo concreto e objetivo; ideia <esse p. jamais me passou pela cabeça> 9 sentimento de responsabilidade; cuidado, preocupação <a saúde da mãe é um foco permanente do p. da filha> 10 sentença que, em poucas palavras, explicita regra ou princípio de alcance moral; máxima, provérbio <gostava de p. populares> 11 conjunto de ideias de uma pessoa, de uma escola, de um povo, de uma raça ou de uma época <p. de um fisósofo> 12 tema central de uma obra <o p. daquele romance é de fácil compreensão> 13 fil atividade cognitiva, racional; conhecimento por conceitos etim pensar + -mento sin/var ver sinonímia de julgamento hom pensamento(fl.pensamentar)



Ser igual. Os fizestes iguais a nós, os que....... Para aqueles homens, este não era um caso de igualdade. Eles não queriam ser igualmente tratados.


Por outro lado, pudemos observar que para o Pai todos eram iguais. O olho do Pai os via como iguais. O Pai deu um tratamento igual para todos, apesar da tão evidente realidade sobre o que haviam feito. Percebemos assim que para o Pai, independente do que o filho faça, ele continua a ser visto e tratado como um igual.

Muito embora pareça ser uma injustiça, na verdade, isto é um fruto da bondade. Desta forma, desaparece o mérito e permanece a bondade.

O que o Pai falou??


IGUAL – Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): …. cujos direitos e deveres não diferem...

igual

adj.2g. (sXIII) 1 que, numa comparação, não apresenta diferença quantitativa <dividir em partes i.> 2 que, numa comparação, não apresenta diferença qualitativa <combater com armas i.> 3 diz-se do que apresenta a mesma proporção, natureza, aparência, valor, intensidade; equivalente <os quartos eram todos i.> <os dias transcorriam i.> 4 cujos direitos e deveres não diferem <os homens são i. perante a lei> 5 que não apresenta desnível; plano, liso <uma superfície i.> 6 B diz-se de pessoa que, no trato com outras, não faz distinções de caráter social, econômico ou intelectual <ele é i. com todos> n s.2g. 7 pessoa que, em relação a outra, não apresenta diferença de qualidade ou valor <eles só se associam com os seus i.> n conj. 8 conj.cp. como, tal como, tal qual <andava de lá para cá, i. estivesse numa jaula> n adv. 9 igualmente, sem distinção <ele trata todo mundo i.> de i. a i. m.q de igual para igualde i. para i. 1 como se fosse do mesmo nível social; de igual a igual <fala com os figurões de i. para i.> 2 em pé de igualdade <brigou com o garoto grande de i. para i.>por i. com igualdade, de maneira igual • sem i. único em seu gênero; ímpar <um amor sem i.> etim lat. aequális,e 'igual, nivelado, de mesma duração, de mesma idade, camarada, companheiro' sin/var como adj.: ver sinonímia de concordante ant desigual, diferente; como adj.: ver antonímia de concordante


Eles não têm o direito de receber a mesma coisa, pois nós trabalhamos muito mais do que eles – reação humana fruto de um pensamento humano.

O que havia dito o dono da casa aos que começariam após a terceira hora??

Ele afirmou: Vós também, ide ao vinhedo, e eu vos darei o que for justo.


Será que o “Dono” da casa estava errado?? Quem deveria inverter a sua forma de viver o dia a dia?? Será que o “Dono” da casa é que vivia fora da realidade?? Que conceito sobre “justiça” tinha o dono da casa?? Que conceito de “justiça” tinham os trabalhadores??

As decisões são baseadas nos “sentimentos”. O que estava sendo discutido ali?? Não eram os “sentimentos” dos homens que haviam trabalhado doze horas?? Não eram os “sentimentos” do “Dono da casa”?? Qual o motivo de terem “sentimentos” diferentes?? O que o “Dono da casa” via como sendo “o que for justo”??

Suas diretrizes eram diferentes.

Tratava-se de um clássico exemplo de confronto entre os pensamentos humanos e os pensamentos de Deus.

O QUE FOI DESCONSIDERADO??

Foi desconsiderada a NECESSIDADE daquele que fez menos.

Estes homens possuíam um “espírito de competição” e possuíam um conceito próprio quanto ao que seria “justiça”. As circunstâncias os levaram a valorizarem-se e caminharem na direção do MÉRITO, fazendo-os desperceber ou desvalorizar a BONDADE que estava sendo feita para outra pessoa, que assim como ele, também era necessitada. O SENTIMENTO ANTECEDEU À PALAVRA FALADA. Revelou-se a competição. Revelou-se o ENALTECIMENTO; revelou-se o sentimento de SUPERIORIDADE em razão de realmente “ter feito mais”.

Imagine a alegria daquele “necessitado” da décima primeira hora ao receber o seu denário e poder levar para casa o sustento de seus familiares!!!!!!!!!!!

Não deviam os “necessitados” da primeira hora alegrarem-se em face de todos os demais “necessitados” poderem levar para casa o sustento para as diversas famílias?? Era ou não era uma questão de sentimentos??

Eles expressaram o conceito da hierarquia humana, não expressaram?? Segundo este conceito, eles estavam certos, não estavam??

Lembra-se de uma outra ocasião em que pessoas que se sentiram injustiçadas passaram a falar contra O Dono da casa?? Este é um fato acontecido, uma cena real. O Dono da casa ouviu, e assim falou para o Seu mensageiro Malaquias: (Malaquias 3:13-15) 13 Fortes foram as vossas palavras contra mim, disse Jeová. E dissestes: “Que falamos ENTRE NÓS contra ti?14 Dissestes: ‘De nada vale servir a Deus. E que lucro há em termos cumprido a obrigação para com ele e em termos andado acabrunhados por causa de Jeová dos exércitos? 15 E atualmente declaramos felizes os presunçosos. TAMBÉM os praticantes da iniqüidade foram edificados. Eles também têm experimentado a Deus e conseguem safar-se.’”. . .

Assim verte a Tradução Brasileira: (Malaquias 3:13-15) 13 As vossas palavras têm sido audazes CONTRA mim, diz Jeová. Contudo dizeis: Em que temos falado contra ti? 14 Tendes dito: Vão é servir a Deus: e que nos aproveita termos guardado o seu preceito, e termos andado de luto perante Jeová dos exércitos? 15 Assim nós chamamos ditosos aos soberbos; os que obram impiedade, são edificados; os que tentam a Deus, são libertados.

Qual o motivo das fortes palavras contra Jeová??

Os que “cumpriam as obrigações” estavam sendo igualmente tratados junto com os “praticantes da iniquidade”. Os que cumpriam as obrigações sentiram-se injustiçados, pois ASSIM COMO ELES, os “obreiros da impiedade” também estavam sendo libertos do aprisionamento de Babilônia.

Eles se viam como vítimas de uma injustiça, pois os outros povos eram adoradores de Baal, não eram??

Não é incrível a semelhança?? Bem, os sentimentos eram os mesmos, pois as diretrizes eram as mesmas.

O PAI REVELOU NÃO TER MUDADO.

Quem é que precisava mudar de conceito?? Quem é que precisava mudar a forma de viver o dia a dia?? A mudança de conceito levaria à mudança de sentimentos.

O espírito de competição e os seus frutos. Valorizando aquilo que se faz – a consequência.

Voltando a ilustração feita por Jesus, eles encontraram razões lógicas aos seus olhos, para se sentirem superiores aos que trabalharam muito menos, afinal eles trabalharam doze horas, enquanto que aqueles outros trabalharam apenas uma hora. Nós fizemos muito mais. Realmente, haviam feito. Sentiram-se desvalorizados em relação a outros. Passaram a se comparar com os outros naquilo que os outros haviam feito. Da comparação resultou “aquele que fez mais” e “aquele que fez menos”. Uma condição real. Assim, aquele que fez mais, valorizando aquilo que fez, automaticamente colocou-se ACIMA daquele que fez menos. Daí, passaram a achar-se merecedores de algo mais, afinal, quem faz mais, merece receber mais, não é verdade??? Eles juravam que estavam certos, pois o “conceito” da hierarquia humana assim o determina e eles concordavam inteiramente com este conceito, um conceito lógico. Assim, com base nesta teoria humana, foram levados a crer que estavam sendo tratados com injustiça. Qualquer humano que vivesse o seu dia a dia com base nesta “diretriz” (conceito), se sentiria injustiçado. No entanto, o que ficou bem claro?? Ficou bem claro que não se tratava de MÉRITO, antes, tratava-se de BONDADE.

AQUELE HOMEM, O DONO DAQUELA CASA, MOSTROU-LHES QUE ELE VIVIA SOB OUTRA DIRETRIZ.

O que sempre vê o olho da bondade?? Sempre vê um “necessitado”, sempre vê necessitados, igualmente necessitados. O que vê o olho da competição, o olho iníquo?? Vê alguém que “merece” e vê alguém que “não merece”. Obviamente, as ações a partir destes dois olhos, serão ações bem diferentes. O olho da bondade praticará uma ação uniforme em relação aos “necessitados”, enquanto o outro olho praticará uma ação diferenciada em relação aos mesmos “necessitados”, por atribuir-lhes valores diferentes.

Assim, o dono da casa os tratou como iguais, dando a todos o que era “justo”. Desta forma, o Dono da casa nos revela o real sentido da expressão “o que for justo”.

Não é realmente incrível esta ilustração feita por Jesus?? Sabiamente, ela fala sobre o egoísmo e seus frutos e sobre a bondade e seus frutos, contrastando o pensamento do Criador com o pensamento do homem.

A igualdade se confrontando com a desigualdade.

TINHA ESTA ILUSTRAÇÃO ALGO A VER COM O “REINO DOS CÉUS”?? Não foi exatamente isto o que o rei do reino dos céus afirmou?? Ele afirmou: “O reino dos céus é semelhante a um homem que agiu desta forma...”. Logo, tratava-se da realidade vivida dentro do reino dos céus, trata-se da forma de tratamento que “O Dono” da casa dá as pessoas. Assim, “O Dono” da casa revelou qual a “norma de procedimento” pela qual Ele vive o seu dia a dia, e na qual os súditos deveriam voluntariamente também passarem a viver, afinal, trata-se do reino do livre-arbítrio. Nos demais reinos, a forma de vida no dia a dia era baseada, na retribuição, no merecimento, na valorização pessoal pelo que se faz e na consequente desvalorização daquele que não faz a mesma coisa, o que não passa de competição. O dia a dia do reino dos céus era diferente, pois não devia haver o “espírito de competição”.

O que aconteceu quando humanos foram tratados segundo a justiça de Deus?? Estes humanos passam a afirmar que Deus é injusto.

O que isto revela??

Revela a existência de discórdia entre Deus e os humanos quanto ao que é justiça.

Dizei: “Somos escravos imprestáveis”. Esta é a “norma de comportamento” que serve de âncora para o súdito do reino dos céus. Este é o “padrão de comportamento” do súdito do reino dos céus. Realmente, quem não se autovaloriza, quem não valoriza o que faz, não caminha na direção do mérito e tampouco caminha na direção da competição. Uma das características da personalidade do súdito do reino dos céus é “NÃO SE VALORIZAR POR EXECUTAR TAREFAS”. Ele diz “sou apenas um escravo imprestável” em todas as ocasiões, sempre, e diz isto em relação a todas as coisas que se lhe pedem para fazer. Ele age assim por livre e espontânea vontade. Ele exerce o seu livre-arbítrio. Independente do que esteja acontecendo à sua volta, ele escolhe viver segundo esta norma de comportamento, norma “criada” pelo Pai Celestial e “fornecida” a ele pelo rei do reino dos céus.

Faltou-lhes o sentimento de igualdade. Qual era sua REAL condição?? Não era a de “necessitado”, necessitado exatamente igual a todos os outros que ali estavam???

Norma de comportamento do reino dos céus: “Não se eleve sobre teu irmão”. Estavam estes obedecendo a esta norma de procedimento do reino dos céus?? Bem, estes homens encontraram motivos lógicos e válidos para se elevarem sobre seus iguais.

Quem está competindo com seu irmão, sempre está interessado em saber o que vai acontecer com o outro.

Este clássico exemplo fornecido pelo apóstolo Pedro nos mostram claramente esta realidade.

(João 21:20-23) 20 Voltando-se, Pedro viu seguindo o discípulo a quem Jesus havia amado, aquele que na refeição noturna também se encostara no peito dele e dissera: “Senhor, quem é que te trai?” 21 Concordemente, quando o avistou, Pedro disse a Jesus: “Senhor, este [homem fará] o quê?” 22 Jesus disse-lhe: “Se for a minha vontade que ele permaneça até eu vir, de que preocupação é isso para ti? Continua tu a seguir-me.” 23 Em conseqüência, difundia-se esta palavra entre os irmãos, que esse discípulo não ia morrer. No entanto, Jesus não lhe disse que não ia morrer, mas: “Se for a minha vontade que ele permaneça até eu vir, de que preocupação é isso para ti?”

Assim verte a Tradução Brasileira:

(João 21:20-23) 20 Virando-se Pedro, viu que o ia seguindo o discípulo a quem Jesus amava, e que durante a ceia se reclinara no seio de Jesus e perguntara: Senhor, quem é o que te trai? 21 Vendo-o Pedro, perguntou a Jesus: Senhor, e a este que sucederá? 22 Jesus respondeu-lhe: Se eu quiser que ele fique até eu voltar, que tens tu com isso? segue-me tu. 23 Espalhou-se, pois, este boato entre os irmãos de que aquele discípulo não morreria; entretanto Jesus não disse a Pedro: Ele não morrerá, mas: Se eu quiser que ele fique até eu voltar, que tens tu com isso?

Que tens tu com isso?? Segue-me tu.

Jesus estava falando com Pedro sobre o que Pedro devia fazer, e no entanto, Pedro estava preocupado com o que João iria fazer. Pedro estava tomando conta da vida de João (afazeres), quando devia tomar conta de sua própria vida (seus afazeres).

O espírito de competição não devia existir nos discípulos de Jesus.

A pessoa valoriza o que faz, compara o que faz com o que outros fazem, está sempre se esforçando para superar o que a outra pessoa fez, exibe suas obras como um troféu, desejando ser louvado por suas obras e quer que outros reconheçam-na como “superior” àquele que não fez, em face das coisas que ela realmente fez. Bem, esta pessoa está caminhando na direção oposta ao reino dos céus, não está??

Depois de criada a hierarquia, não resta outra coisa a fazer, exceto atribuir relações de subordinação entre os membros, isto é, entre os níveis da hierarquia há submissão de uns em relação aos outros. Trata-se de administrar a “desigualdade”?? Sim, trata-se de administrar a desigualdade. Trata-se de ORGANIZAR a “desigualdade”?? Sim, trata-se de organizar a desigualdade.

Palavra de nosso irmão Paulo: A MULHER É INFERIOR AO HOMEM. Igualdade ou desigualdade??

Será que é isto mesmo?? Assim falou Paulo: (1 Coríntios 11:7-9) 7 Pois o homem não deve ter a cabeça coberta, visto ser imagem e glória de Deus; mas a mulher é a glória do homem. 8 Porque o homem não procede da mulher, mas a mulher do homem; 9 e, ainda mais, o homem não foi criado por causa da mulher, mas a mulher por causa do homem....

Embora o homem seja a imagem e glória de Deus, a mulher é apenas a glória do homem e não de Deus, logo, ela está abaixo do homem.

Depois de estabelecido que a mulher é inferior ao homem, qual é o comportamento que foi determinado para a mulher??

Palavra de Paulo: (1 Coríntios 14:33-35) 33 Pois Deus não é [Deus] de desordem, mas de paz. Como em todas as congregações dos santos, 34 fiquem caladas as mulheres nas congregações, pois NÃO SE LHES PERMITE FALAR, mas estejam em sujeição, assim como diz até mesmo a Lei. 35 Se, então, quiserem aprender algo, interroguem a seus próprios maridos em casa, pois é ignominioso para uma mulher falar na congregação.

Se a mulher fosse a primogênita, receberia ela a bênção destinada aos primogênitos?? Existia igualdade?? Não, não existia igualdade, pois a mulher era considerada inferior ao homem e tratada como propriedade do homem.

Pode-se fazer qualquer coisa visando a ordem, inclusive proibir alguém de falar??

As mulheres fiquem caladas em todas as igrejas dos santos. Maria, cale a boca, na igreja só os homens podem falar, não seja rebelde. Maria, quando é que você vai se convencer que aqui você não é igual aos homens?? Trata-se de uma imposição de cima para baixo?? Sim, trata-se de uma imposição. Tratava-se de uma regra de imposição visando colocar aquele que é inferior no seu devido lugar??

Será que Jesus também via a mulher com o mesmo olhar que Paulo via?? Foi este o tratamento dado pelo rei para as mulheres?? Que imposição fez Jesus para as mulheres?? Fez Jesus a imposição do silêncio para as mulheres?? Foi Jesus quem estabeleceu ser vergonhoso para a mulher “falar” na igreja?? Fez Jesus algum tipo de proibição em relação a mulher?? Não tratava Jesus a todos com igualdade?? Será que ser “irmã” vale menos do que ser “irmão”??

Assim verte a Tradução Brasileira: (1 Corintios 14:33-35) 33 porque Deus não é Deus de confusão, mas de paz. Como em todas as igrejas dos santos, 34 as mulheres estejam caladas nas igrejas; pois não lhes é permitido falar, mas estejam em sujeição, como também diz a Lei. 35 Se, porém, querem aprender alguma coisa, perguntem-na em casa a seus maridos; porque é vergonhoso para uma mulher o falar na igreja.

Não lhes é permitido falar?? Não. Visando impedir a confusão na igreja, foi exatamente isto o que determinou o nosso irmão Paulo.

Foi estipulado ser “vergonho” para a mulher falar na igreja, afinal de contas, Deus não é Deus de confusão.

Igreja dos “santos”?? Congregação dos “santos”?? Os demais humanos, os que estavam fora da igreja, o que eram?? Eram os “pecadores”?? Eram os “injustos”?? Eram os “iníquos”?? Eram os ímpios??

Palavra de Paulo: (Hebreus 13:17) 17 Sede obedientes aos que tomam a dianteira entre vós e sede submissos, pois vigiam sobre as vossas almas como quem há de prestar contas; para que façam isso com alegria e não com suspiros, porque isso vos seria prejudicial.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Hebreus 13:17) 17 Obedecei aos que vos governam e sede-lhes sujeitos, pois eles velam pelas vossas almas como os que têm de dar contas. Obedecei-lhes para que isto façam com alegria e não gemendo, pois isto é uma coisa sem proveito para vós.

Sede obedientes aos humanos; sede submissos aos humanos da dianteira?? Se eu deixar de obedecer a uma ordem dada por este humano, não serei considerado um desobediente, um rebelde?? Você teve a coragem de desobedecer àquele que está na dianteira?? Aquele humano que chegou na dianteira tem de ser obedecido?? Em favor da paz, a ordem do líder deve ser obedecida, não deve??

Os que tomam a dianteira foram colocados no posto de “vigia”?? Estão “vigiando” a ação de outros humanos?? Foram promovidos ao cargo de “fiscais” da lei?? Os que tomam a dianteira passam a responder diante de Deus por outros humanos?? O líder passa a ser um representante de Deus diante do liderado?? O líder passa a ser um elo de ligação entre Deus e os seus liderados?? Os líderes chegam a esta condição por uma designação de Deus??

Não é a palavra saída da boca do rei que deve ser obedecida por todos?? Não é a declaração do rei que deve permanecer em cada súdito?? O rei estava residindo com os súditos e estava lhes dando o exemplo em como obedecer a palavra “saída da boca” do Pai, não foi este o caso?? Não é o rei Jesus o único líder de todos os discípulos?? Não deve cada discípulo interligar-se diretamente à verdadeira videira, que é Jesus?? Não responderá cada discípulo diretamente a Jesus lá no último dia??

Instituiu Jesus alguma organização com subdivisões de cargos, indicando pessoas a serem obedecidas dentro desta organização?? Instituiu Jesus os chefes de mil, chefes de quinhentos, chefes de cem e outros chefes a serem obedecidos por seus subordinados?? Instituiu Jesus um modelo no qual existiam diversos comandantes (tendo comandados sob o seu domínio), sendo tais comandantes os diretamente comandados por ele, Jesus??

Desobedecer a um chefe qualquer seria insubordinação, não seria?? O desobediente devia ser punido por sua “desobediência a seu chefe”, não deveria?? Aquele que “desobedecesse a um chefe” estava desobedecendo a Jesus?? O chefe afirmaria que sim, pois ele se vê como uma autoridade em um cargo criado por Deus. No entanto, convém perguntar: Foi Deus quem criou tais cargos e determinou que certos humanos os ocupassem??

O que Moisés havia estipulado como regra?? Segundo Moisés, o que deveria acontecer com aquele que desobedecesse a um chefe?? Segundo Moisés, qual seria o grau de autoridade do chefe??

(Deuteronômio 17:9-13) 9 e tens de dirigir-te aos sacerdotes, aos levitas e ao juiz que estiver em exercício nesses dias, e tens de fazer uma consulta, e eles têm de transmitir-te a palavra da decisão judicial. 10 Então tens de proceder de acordo com a palavra que te transmitirão do lugar que Jeová escolher; e tens de cuidar em fazer segundo tudo o que te instruírem. 11 Deves proceder de acordo com a lei que te indicarão e segundo a decisão judicial que te disserem. Não te deves desviar da palavra que te transmitirão, nem para a direita, nem para a esquerda. 12 E o homem que se comportar presunçosamente, não escutando o sacerdote que ali está de pé para ministrar a Jeová, teu Deus, ou o juiz, tal homem tem de morrer; e tens de eliminar o mal de Israel. 13 E todo o povo ouvirá e ficará com medo, e não mais agirão presunçosamente. . .


Este mandamento define a autoridade do sacerdote ou do juiz sobre os demais humanos, afinal de contas eram homens que ministravam a Jeová. Visando evitar que os discordantes provocassem uma confusão, sua ação teria a morte como punição. Ou obedece ou morre. Assim foi definido por Moisés.

Será que esta mesma regra continuaria a ser usada no reino de Deus?? Jesus, aquele que foi designado rei, aprovou este modelo transmitido por Moisés dando-lhe sequência?? Já vimos que Jesus estabeleceu um outro modelo.

Aquele que toma a dianteira vai prestar contas sobre o comportamento dos seus subordinados???? Bem, estas foram as palavras do nosso irmão Paulo, não foram?? Será que é isto mesmo o que acontece dentro do reino de Deus??

Não deveria ser “sejamos obedientes às palavras do rei”?? Não deveria ser “obedeçamos ao professor”??

Neste caso específico, quais haviam sido as palavras do rei do reino dos céus?? A quem os súditos deviam obedecer?? Deviam obedecer EXCLUSIVAMENTE ao rei ou a qualquer um que se apresentasse como um enviado do rei?? Se o enviado do rei criar novas regras, o que deve fazer aquele súdito que conhece o rei?? Que motivação apresentou o rei para que o súdito individual obedecesse as palavras faladas por ele?? (João 14:21) 21 Quem tem os MEUS mandamentos e os observa, ESTE é o que ME ama. Por sua vez, quem me ama, será amado por meu Pai, e eu o amarei e me mostrarei claramente A ELE.(João 14:23-24) 23 Em resposta, Jesus disse-lhe: “Se alguém ME amar, observará a MINHA palavra, e meu Pai o amará, e nós iremos a ele e faremos a nossa residência com ele. 24 Quem não me ama, não observa as minhas palavras; e a palavra que estais ouvindo não é minha, mas PERTENCE AO PAI que me enviou.

Assim verte a Tradução Brasileira: (João 14:21) 21 Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é o que me ama; e aquele que me ama, será amado por meu Pai, e eu o amarei e me manifestarei a ele. (João 14:23-34) 23 Respondeu Jesus: Se alguém me amar, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e nós viremos A ELE e faremos nele morada. 24 Quem me não ama, não guarda as minhas palavras; a palavra que estais ouvindo, não é minha, mas do Pai que me enviou.

Não se trata de uma relação de individualidade?? Nesta relação informada por Jesus, cada um tem a responsabilidade de se interligar a Jesus, não é verdade??Não deve ser “esta” a palavra a ser repetida pelo aluno de Jesus para outro aluno de Jesus??

Não é cada humano que prestará contas individualmente a Deus sobre suas próprias palavras e ações???

O que disse Jesus??

Ficou bem claro, não ficou??

Aquele que observa as minhas declarações estará revelando que me ama. Concordar com as declarações do rei e voluntariamente passar a viver segundo elas no seu dia a dia – isto é amar o rei. Confeccionar e cantar lindos cânticos que homenageiam o rei – isto não é amar o rei. Isto é glorificar o rei. O rei não quer ser glorificado por humanos. O rei não aceita ser glorificado por homens.

Minhas palavras, meus mandamentos. Palavras do rei do reino dos céus, mandamentos do rei do reino dos céus. Todos os súditos se manteriam unidos em torno das palavras faladas pelo rei. Todos os súditos se manteriam unidos em torno dos mandamentos falados e praticados pelo rei. As palavras do rei revelam a plena individualidade. As palavras do rei não deixam espaço para líderes estarem respondendo a Deus ou a Jesus por seus liderados, como nosso irmão Paulo expressou.

O rei ainda falou mais: esta palavra não é minha, ela pertence ao Pai.

Aquele que não observa a minha palavra está revelando que não me ama.



Modelo estabelecido pelo Pai e plenamente praticado por Jesus.



Nas palavras de Jesus podemos verificar o tipo de relacionamento estipulado pelo Pai e informado por Jesus para o humano. Segundo as palavras de Jesus não existia uma hierarquia, não havia subdivisões de representantes dele ou do Pai. As palavras de Jesus sobre o modelo a ser copiado foram estas:

(João 17:20-23) 20 Faço solicitação, não somente a respeito destes, mas também a respeito daqueles que depositam fé em mim por intermédio da palavra deles; 21 a fim de que todos sejam um, assim como tu, Pai, estás em união comigo e eu estou em união contigo, para que eles também estejam em união conosco, a fim de que o mundo acredite que me enviaste. 22 Também, eu lhes tenho dado a glória que tu me tens dado, a fim de que sejam um, assim como nós somos um. 23 Eu em união com eles e tu em união comigo, a fim de que sejam aperfeiçoados em um, para que o mundo tenha conhecimento de que tu me enviaste e que os amaste assim como amaste a mim.



Assim verte a Tradução Brasileira:

(João 17:20-23) 20 Não rogo somente por estes, mas também por aqueles que crêem em mim por meio da sua palavra; 21 a fim de que todos sejam um, e que, como tu, Pai, és em mim e eu em ti, também sejam eles em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste. 22 Eu lhes tenho dado a glória que tu me tens dado, para que sejam um como nós somos um; 23 eu neles e tu em mim, para que sejam aperfeiçoados em um; e para que o mundo conheça que tu me enviaste e que tu os amaste, como também amaste a mim.

No modelo revelado por Jesus havia plena união. O modelo fornecido era o “Pai unido ao Filho” e todos os demais unidos ao Filho. Todos os demais humanos deviam se manter unidos ao Filho “de forma individual”.

Neste modelo, qual era a função de cada discípulo?? Era de falar. O discípulo falaria para que uma outra pessoa viesse a depositar fé em Jesus. Cada um devia depositar fé em Jesus. O discípulo levaria uma outra pessoa a depositar fé em Jesus, pessoa esta que levaria uma outra pessoa a depositar fé em Jesus e assim sucessivamente. Cada discípulo deveria ensinar uma outra pessoa a se interligar a Jesus, sem imposição e sem se apresentar como intermediário entre a pessoa e Jesus.

Neste modelo, ninguém recebe autoridade sobre ninguém. Não se trata de um modelo de hierarquia dividido em grandezas de autoridade.

O Filho unido ao Pai e cada discípulo unido ao Filho – este foi o modelo informado ao discípulo.

Jesus revela como este modelo funcionaria na prática.

Ele afirma:

(João 15:1-6) 15Eu sou a verdadeira videira e meu Pai é o lavrador. 2 Todo ramo em mim que não dá fruto, ele tira, e todo o que dá fruto, ele limpa, para que dê mais fruto. 3 Vós já estais limpos, por causa da palavra que vos falei. 4 Permanecei em união comigo, e eu em união convosco. Assim como o ramo não pode dar fruto de si mesmo, a menos que permaneça na videira, do mesmo modo tampouco vós podeis, a menos que permaneçais em união comigo. 5 Eu sou a videira, vós sois os ramos. Quem permanece em união comigo, e eu em união com ele, este dá muito fruto; porque separados de mim não podeis fazer nada. 6 Se alguém não permanece em união comigo, ele é lançado fora como ramo e seca-se; e homens ajuntam estes ramos e os jogam no fogo, e eles se queimam.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(João 15:1-6) 1 Eu sou a verdadeira videira, e meu Pai é o viticultor. 2 Toda a vara em mim que não dá fruto, ele a corta; e toda a vara que dá fruto, ele a limpa, para que o dê mais abundante. 3 Vós já estais limpos pela palavra que vos tenho falado; 4 permanecei em mim, e eu permanecerei em vós. Como a vara não pode dar fruto de si mesma, se não permanecer na videira; assim nem vós o podeis dar, se não permanecerdes em mim. 5 Eu sou a videira; vós sois as varas. Aquele que permanece em mim, e no qual eu permaneço, dá muito fruto, pois sem mim nada podeis fazer. 6 Se alguém não permanecer em mim, é lançado fora como a vara, e seca-se; semelhantes varas são ajuntadas, lançadas no fogo, e elas ardem.

Eu sou a videira e vós sois os ramos; eu sou a videira e vós sois as varas. Cada vara ou cada ramo devia se ligar diretamente na verdadeira videira.

Ficou bem claro, não ficou??

A vara não tem vida em si, o ramo não tem vida em si. Neste caso, o discípulo não tem vida em si, logo, todo discípulo individual deve interligar-se diretamente na videira. Este foi o modelo criado e aprovado pelo Pai.

Estava Jesus criando alguma hierarquia?? As palavras foram bem claras e estabelecem a individualidade. Não há hierarquia caracterizada com os seus diversos níveis, isto é, um rei que se interliga com seus príncipes, príncipes estes que têm autoridade sobre outros súditos. Abaixo dos príncipes vem os chefes dos exércitos em suas divisões, cada um deles tendo autoridade sobre outros súditos.

Este modelo humano não existe dentro do modelo revelado por Jesus. O modelo fornecido por Jesus é antagônico ao modelo vivido e praticado pelo humano até então.

O que havia era a individualidade de cada súdito se interligando diretamente a seu rei. Cada súdito deveria obedecer ao seu rei.

No modelo fornecido por Jesus não há intermediário entre o rei e o súdito individual. No modelo fornecido por Jesus cada súdito se interliga diretamente ao rei. Neste caso, inexiste intermediário. Neste modelo fornecido e praticado por Jesus não existe hierarquia humana.

No modelo do Pai fornecido por Jesus, o que existe é um tratamento individualizado com responsabilização individualizada, onde Ele se relaciona com todos, no entanto de forma individual e não com os representantes dos diversos grupos. Embora seja um relacionamento iniciado com um pequeno grupo, o objetivo do Pai é que este relacionamento seja ampliado a todos os humanos. Neste caso, o Pai está revelando ao humano o Seu modelo de relacionamento, que se mostra diferente do relacionamento que estamos acostumados a ver e a praticar.

O que ocorria então?? O rei estava RETRANSMITINDO os mandamentos do Pai e estava OBEDECENDO os mandamentos do Pai. Tratava-se de mandamentos criados pelo Pai. O mandamento dado pelo Pai revelava a forma como o Pai vivia o seu dia a dia. Jesus nos mostrou de forma prática, a forma como o Pai vivia o dia a dia entre os iníquos.

Não se trata de uma imposição de cima para baixo.

Qual a motivação do súdito individual em obedecer?? “Aquele súdito que obedece minha palavra comprova que me ama. Aquele súdito que comprova que me ama será amado pelo meu Pai”. Eu amarei àquele súdito e me manifestarei àquele súdito que obedece à minha palavra. No entanto a palavra não é minha, ela é do Pai. Aquele que obedece, assim o faz por concordar com a palavra falada pelo Mestre, e assim, revela amar o Mestre.

MANIFESTAR – Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): ...fazer-se percebido, dar-se a conhecer, revelar-se....

manifestar Datação: sXIII

n verbo

transitivo direto e intransitivo

1 declarar mercadoria na alfândega

transitivo direto, bitransitivo e pronominal

2 tornar(-se) manifesto ou público; declarar(-se), divulgar

Exs.: m. opinião

manifestei a meus pais meu desejo de partir

o jornal pouco se manifestou sobre as acusações

transitivo direto e pronominal

3 apresentar(-se), dar sinais de sua presença; mostrar(-se), revelar(-se)

Exs.: m. dor, alegria

a doença manifestava-se em diversos pontos do país

pronominal

4 Rubrica: religião.

fazer-se percebido, dar-se a conhecer; revelar-se

Ex.: Deus manifesta-se diferentemente às pessoas

pronominal

5 Rubrica: religião.

estabelecer comunicação ou evidenciar sua presença por meio de médiuns

Ex.: a entidade sempre se manifestava no final dos trabalhos

transitivo direto e pronominal

6 deixar(-se) transparecer; descobrir(-se), revelar(-se)

Exs.: m. fantasias

muitas maneiras por que se manifesta o inconsciente

intransitivo e pronominal

7 fazer demonstração ou manifestação pública

Ex.: milhares foram às ruas para m.(-se)



EU ME MOSTRAREI A ELE.

EU E O PAI IREMOS ATÉ ELE.

EU E O PAI MORAREMOS COM ELE.

TRATA-SE DE UMA RELAÇÃO ENTRE O REI E O SÚDITO, SEM HAVER INTERMEDIÁRIOS. Bem, isto é um caso de igualdade.

É NECESSÁRIO TORNAR-SE UM SÚDITO. TORNA-SE UM SÚDITO, AQUELE QUE, POR CONCORDAR COM O REI, OBEDECE AS PALAVRAS DO REI. ELE AMA AS PALAVRAS FALADAS PELO REI.

Percebemos o que o rei afirmou?? Eu vou até o súdito e vou morar com ele.

Eu e o Meu Pai iremos até o súdito e moraremos com ele.

Note agora estas outras palavras de nosso irmão Paulo:

Palavra de Paulo: (Tito 1:10-12) 10 Pois há muitos indisciplinados, conversadores improfícuos e enganadores da mente, especialmente os homens que aderem à circuncisão. 11 É PRECISO FECHAR A BOCA DE TAIS, visto que estes mesmos persistem em subverter famílias inteiras por ensinarem coisas que não deviam, por causa de ganho desonesto. 12 Certo deles, seu próprio profeta, disse: “Os cretenses são sempre mentirosos, feras prejudiciais, glutões desempregados.”

Visando acabar com uma suposta desordem, o que Paulo mandou fazer?? Não admitir que outras pessoas expressem conceitos diferentes dos seus?? Impedir que outras pessoas exponham para outros, qualquer conceito que se oponha ao seu?? Outra imposição?? Outra tirania?? Outra ordem visando impedir que alguém fale algo?? Outra ordem visando impedir que alguém fizesse algo?? Outras pessoas exercendo autoridade?? Ordenou Jesus o fechamento da boca de alguém que discordasse da palavra falada por ele?? Onde está o respeito pelo livre-arbítrio?? Se estes homens estavam errados, eles precisavam ser convencidos e não impedidos de falar, não é verdade?? “Colocar a mordaça na boca de alguém” foi praticado por Jeová ou por Jesus?? Onde fica a “liberdade de expressão”?? Não é esta a ação de um tirano?? Não se trata da ação de um ditador?? “Imposição” e “impedir alguém de se expressar” são ações de quem respeita o livre-arbítrio ou são ações de tirania??

A “liberdade de expressão” é uma via de mão dupla. No entanto, para o tirano ela é uma via de mão única. Ele sempre encontra motivos válidos para agir com tirania.

Expulsar é uma ação de tirania.

Qual era o motivo de alguém ser expulso de uma sinagoga?? O que é uma sinagoga??

SINAGOGA – Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss):

sinagoga Datação: sXIII

n substantivo feminino

1 lugar onde se reúnem os israelitas para o exercício do seu culto

2 assembleia de israelitas

3 lugar de reuniões e/ou templo israelita; esnoga

4 reunião, ajuntamento

5 Regionalismo: Brasil. Uso: informal.

barulho, desordem, confusão

6 Regionalismo: Brasil. Uso: informal.

festa ruidosa; pândega, pagode

7 Regionalismo: Brasil. Uso: informal.

reunião tumultuosa; casa onde ninguém se entende

8 Regionalismo: Brasil. Uso: informal.

cabeça ('parte do corpo humano')

9 Regionalismo: Brasil.

multidão que se junta em torno do prédio da bolsa de valores durante o pregão



Tratava-se de um local de reunião. O que se fazia ali?? Estudava-se as Escrituras. Pessoas eram expulsas das sinagogas?? Qual o motivo de pessoas serem expulsas das sinagogas, sendo um local de estudo das “escrituras”??

Obviamente, tratava-se de uma atitude de intolerância contra aquele que era expulso. O expulso dava um motivo realmente válido para os demais membros da sinagoga tomarem esta atitude tirânica contra ele. Eles encontravam motivos válidos para tomarem esta atitude contra alguém, assim como o apedrejado também dava um motivo válido para sofrer a ação de apedrejamento. Dar a tal pessoa o que ela merece. Segundo eles, isto era fazer justiça.

Aquele que toma a iniciativa de expulsar alguém, assim o faz com a autoridade que afirma ter.

Nas sinagogas não se respeita a liberdade de expressão, não se respeita a diferença de ponto de vista, pois o tirano se apossa da verdade. O tirano passa a agir como se ele fosse o dono da verdade. Enquanto ele não mudar de opinião, todos têm de permanecer com a mesma opinião do tirano. Em nome da unidade do grupo (motivo válido) se tomam ações de intolerância contra os que expressam conceitos diferentes, afinal, Deus não é Deus de confusão.

Depois de terem um motivo válido, estas pessoas tomavam uma decisão, decisão esta que era fruto do sentimento existente em seus corações. Eram ações frutos de alguém que respeita o livre-arbítrio?? Não se tratava de uma questão de opiniões divergentes sobre um determinado assunto?? Como resolver uma situação como esta?? Usando de autoridade, o tirano ou déspota age de uma maneira enquanto aquele que respeita o livre-arbítrio age de outra.

DESPOTISMO – Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss):

despotismo Datação: 1750

n substantivo masculino

1 poder isolado, arbitrário e absoluto de um déspota

2 Derivação: por extensão de sentido.

forma de governo baseada nesse poder

3 Derivação: por extensão de sentido.

qualquer manifestação de autoridade tendendo à tirania e à opressão



Vocês serão vítimas da intolerância dos homens.

Que previsão fez Jesus em relação a seus discípulos?? Jesus afirmou que eles seriam os expulsos. Eles sofreriam a ação. Eles seriam as vítimas desta atitude. Jesus não afirmou que seus discípulos também tomariam esta atitude intolerante, fazendo outras pessoas vítimas da intolerância. Jesus não tomou esta atitude intolerante. Jesus foi uma vítima da tirania, mas, não praticou nenhuma tirania. Assim afirmou Jesus: (João 16:1-2) 16Tenho falado estas coisas para que não tropeceis. 2 [Os] homens VOS expulsarão da sinagoga. De fato, vem a hora em que todo aquele que vos matar imaginará que tem prestado um serviço sagrado a Deus. . .

Assim verte a Tradução Almeida: (João 16:1-2) 1 Tenho-vos dito estas coisas para que não vos escandalizeis. 2 Expulsar-vos-ão das sinagogas; ainda mais, vem a hora em que qualquer que vos matar julgará prestar um serviço a Deus.

Não havia sido dado um motivo válido?? Depois de encontrarem um motivo válido, que ação tomariam estas pessoas?? Tomariam ações de intolerância contra a pessoa que forneceu tal motivo.

Os tiranos de apossam da verdade. O que se deve fazer em defesa da unidade do grupo??

Os “homens” nas sinagogas se consideravam os donos da verdade em relação às “escrituras”, logo, qualquer outro humano que discordasse publicamente daquelas “verdades”, seria expulso da sinagoga. E por que seriam expulsos??? Para não desviar outros membros, afinal, deve existir unidade na sinagoga. A sinagoga precisava ser protegida, a unidade da sinagoga precisava ser protegida. Como manter a unidade na sinagoga?? Por expulsar aquele que apresenta uma palavra diferente da falada pelos dirigentes da sinagoga. Quem determinava isto?? Os líderes das sinagogas, ou seja, os homens que estavam na dianteira, com a cumplicidade de muitos outros que concordavam com a tirania. Um ato de tirania em nome da paz dentro do grupo; tirania em nome da unidade do grupo.

O que queria Saulo?? O que fazia Saulo?? Saulo queria que os alunos de Jesus se retratassem. Como?? Usando a força, usando a arma de um tirano. Assim confessou nosso irmão Paulo: (Atos 26:11) 11 E, punindo-os muitas vezes, em todas as sinagogas, tentei OBRIGÁ-LOS a fazer uma retratação; e, visto que eu estava extremamente enfurecido contra eles, fui ao ponto de persegui-los até mesmo nas cidades de fora.

Assim verte a Tradução Almeida: (Atos 26:11) 11 E, castigando-os muitas vezes por todas as sinagogas, OBRIGAVA-OS a blasfemar; e enfurecido cada vez mais contra eles, perseguia-os até nas cidades estrangeiras.

Assim verte a Edição Pastoral:

(Atos 26:11) 11 Em todas as sinagogas eu procurava obrigá-los a blasfemar por meio de torturas e, no auge do furor, eu os caçava até em cidades estrangeiras.

Obrigá-los a fazer uma retratação?? Obrigá-los a blasfemar?? Uma interessante forma de convencer uma pessoa, não acha?? Não se tratava da apresentação de argumentos lógicos, ilustrações ou coisas assim, como fazia Jesus. Tratava-se do uso da força, tratava-se de armas de um tirano. Depois que Paulo mudou de opinião, as palavras que ele queria impor àqueles outros passou a ser “blasfêmia”. Ele reconheceu que estava errado em relação as palavras que até então ele via como verdade absoluta, e que em defesa de tais palavras, queria que outros se retratassem de suas palavras.

No entanto, e quanto a forma tirânica como ele tratava os discordantes??? Será que Paulo passou a ver isto como uma forma errada de agir?? Passou Paulo a ver aquela forma tirânica de agir como um pecado contra o livre-arbítrio??

Bem, e agora que ele era um discípulo de Jesus?? O que fazer com aqueles que discordavam de suas palavras?? Paulo mandou que tais pessoas fossem impedidas de falar?? Isto é um ato de tirania, não é?? Independente de quem pratique tal ato, e independente do motivo existente, este é um ato de tirania.

Para resolver o problema da diferença de opinião, o que fazia Jesus no seu dia a dia?? Será que ele usou de tirania?? Não podemos esquecer que Jesus era o poderoso rei, muito mais poderoso que todos os seus contemporâneos.

Segundo Jesus, porque estes homens tomavam estas atitudes de intolerância?? Jesus afirmou: “Farão estas coisas porque não conhecem nem o Pai, nem a mim”. (João 16:3) 3 Mas, farão estas coisas porque não vieram a conhecer nem o Pai nem a mim.

Assim reza a Tradução Almeida: (João 16:3) 3 E isto vos farão, porque não conheceram ao Pai nem a mim.

Até Jesus, estes homens, os israelitas, tomavam estas atitudes de intolerância contra as pessoas objetivando agradar a Jeová, o Pai Celestial, Deus de Abraão, Deus de Isaque e Deus de Jacó.

Será que visando agradar a Jesus, os discípulos de Jesus também passariam a tomar atitudes de intolerância contra aqueles que eles encontrassem motivos válidos??? Será que se tornariam ovelhas violentas?? Os que tomassem tais atitudes, certamente o fariam porque não conheceriam a Jesus, que mostrou ser uma fonte de livre-arbítrio. No entanto, estes homens praticariam estas ações de violência contra outros humanos para demonstrar a sua lealdade a Jeová, pois queriam demonstrar que estavam do lado de Jeová e contra os iníquos. Também desejavam demonstrar lealdade a Jesus. Também fariam estas coisas para demonstrar lealdade a Jesus. No entanto, não podemos esquecer que Jesus, mesmo sendo um rei muito poderoso, não praticou nenhuma exclusão de humanos que discordassem de suas palavras.

Palavras de Paulo: (2 Coríntios 10:3-6) . . .. 4 Porque as armas de nosso combate não são carnais, mas poderosas em Deus para demolir as coisas fortemente entrincheiradas. 5 Pois estamos demolindo raciocínios e toda coisa altiva levantada contra o conhecimento de Deus; e trazemos todo pensamento ao cativeiro, para fazê-lo obediente ao Cristo; 6 e mantemo-nos em prontidão, PARA INFLIGIR PUNIÇÃO POR TODA DESOBEDIÊNCIA, assim que a vossa própria obediência tiver sido executada plenamente.

Os amantes da punição não abrem mão da punição para toda desobediência, logo, mostram-se justiceiros, têm um espírito de justiceiro, desejando, esperando, pedindo e participando em punir todos os desobedientes. Não é a punição aquilo que merecem os desobedientes?? Sim, é o que merecem. O desejo de todo justiceiro é que seja aplicada tal punição imediatamente.

Para estes, o “deixar de punir” gera uma inquietante sensação de impunidade e até mesmo de cumplicidade.

QUANTO MAIS IMPORTANTE VOCÊ SE SENTIR, MAIOR SERÁ A TUA INTOLERÂNCIA EM SER OFENDIDO E MAIOR PERIGO CORRERÁ O TEU OFENSOR.

É esta “palavra” de Paulo uma mera repetição das “palavras” já faladas por Jesus e mera repetição de uma ação já praticada por Jesus, o rei do reino dos céus, praticante e defensor do livre-arbítrio?? Não mostrou Jesus ser um “contínuo perdoador”, mesmo sendo muito mais poderoso do que todos os seus contemporâneos?? Quando foi que Jesus impediu algum humano de se expressar, mesmo que este estivesse expressando toda a sua rebeldia contra a palavra falada por Jesus?? As palavras do rebelde não são o fruto de sua compreensão daquele assunto até aquele exato momento?? Este incidente abaixo retrata a disposição mental de Jesus: (Lucas 9:49-50) 49 Em resposta, João disse: “Preceptor, vimos certo homem expulsar demônios pelo uso de teu nome e tentamos impedi-lo, porque ele não segue conosco.” 50 Mas Jesus disse-lhe: “Não tenteis impedi[-lo], pois quem não é contra vós, é por vós.”

Assim verte a Tradução Almeida: (Lucas 9:49-50) 49 Disse-lhe João: Mestre, vimos um homem que em teu nome expulsava demônios; e lho proibimos, porque não segue conosco. 50 Respondeu-lhe Jesus: Não lho proibais; porque quem não é contra vós é por vós.



Impediu Jesus algum humano de falar ou ensinar algo, mesmo que fosse uma blasfêmia?? Impedir é uma ação que só parte de um “tiranoou déspota. Trata-se da ferramenta de um tirano. Deve alguém ser obrigado a ser obediente ao Cristo?? O rei do reino dos céus sempre respeita o livre-arbítrio, não é verdade?? Assim falou o rei do reino dos céus: (Mateus 12:35-37) . . .. 36 Eu vos digo que de toda declaração sem proveito que os homens fizerem prestarão contas no Dia do Juízo; 37 pois é pelas tuas palavras que serás declarado justo e é pelas tuas palavras que serás condenado.”

Estas sim, estas são as palavras de quem respeita o livre-arbítrio. Estas são as palavras características de quem é uma fonte de livre-arbítrio.

ESTAVA O REI SEMPRE PRONTO PARA INFLIGIR PUNIÇÃO POR CADA DESOBEDIÊNCIA DOS APÓSTOLOS, DOS DEMAIS JUDEUS OU DOS DEMAIS HUMANOS?? ERA ESTA A DISPOSIÇÃO INTERIOR DO REI?? ALIÁS, TINHA O REI ESTA DISPOSIÇÃO??

Não podemos esquecer que o rei tinha todo o poder.

NÃO É ESTA A DISPOSIÇÃO INTERIOR DE TODO TIRANO?? Quão diferente é da palavra do rei que afirmou: “Aquele que tem os meus mandamentos e guarda, este é o que me ama”.

O que fazia Jesus com os desobedientes?? Ele sempre os “censurava” através da palavra que saía de sua boca. Os desobedientes precisavam ouvir a palavra falada por Jesus, para o benefício deles.

A DISPOSIÇÃO DO SÚDITO DEVE SER A MESMA DISPOSIÇÃO DO REI.

Que mandamento obedecia Jesus??

Aquele mandamento também recebido por Moisés:

(Levítico 19:17) 17 “‘Não deves odiar teu irmão no teu coração. Decerto deves repreender o teu colega, para que não leves o pecado junto com ele.


Assim verte a Tradução Almeida:

(Levítico 19:17) 17 Não odiarás a teu irmão no teu coração; não deixarás de repreender o teu próximo, e não levarás sobre ti pecado por causa dele.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Levítico 19:17) 17 Não aborrecerás a teu irmão no teu coração; não deixarás de repreender o teu próximo, e não levarás sobre ti pecado por causa dele.

No seu dia a dia, o rei sempre usava a palavra e sempre acompanhada do pleno perdão. No lugar de impor a palavra, o rei sempre explicava a palavra, visando que o ouvinte entendesse a palavra e concordasse com a palavra, como o livre-arbítrio pede.

Jesus usava a espada que saía de sua boca, isto é, palavras sábias.

Palavras de nosso irmão Paulo: Já que me tornei o vosso pai, vos torneis meus imitadores. (1 Coríntios 4:14-16) 14 Estou escrevendo essas coisas, não para vos envergonhar, mas para vos admoestar como meus filhos amados. 15 Pois, embora tenhais dez mil tutores em Cristo, certamente não [tendes] muitos pais; porque eu me tornei vosso pai em Cristo Jesus por intermédio das boas novas. 16 Suplico-vos, portanto, que vos torneis MEUS IMITADORES.

Assim verte a Tradução Brasileira: (1 Corintios 4: 14-16) 14 Não vos escrevo estas coisas para vos envergonhar, mas para vos admoestar, como a filhos meus muito amados. 15 Embora tenhais dez mil instrutores em Cristo, não tendes, contudo, muitos pais; pois eu vos gerei em Cristo Jesus por meio do Evangelho. 16 Exorto-vos, portanto, a que VOS TORNEIS MEUS IMITADORES.

Ser pai é ser uma coisa superior, é estar acima. Eu estou acima dos instrutores e tutores que tivestes, logo, não imiteis os outros.

NÃO CHAMEIS NA TERRA A NINGUÉM DE VOSSO PAI – esta foi a declaração do rei do reino dos céus. Esta é a “norma de comportamento” do súdito do reino dos céus. Quando é que o discípulo individual começaria a obedecer a esta “norma de procedimento”?? O “súdito” do reino dos céus não tem e não chama a ninguém na terra de seu pai. Isto significa que no reino dos céus ninguém deve ser chamado de “pai”. Não pode ser aberta qualquer exceção. Isto manteria a unidade do reino dos céus, já que todos teriam o mesmo “pai”, o Pai Celestial. Chamar de “pai” também significa passar a imitar tal pessoa. Também significa obedecer a esta pessoa. Costumamos chamar e tratar de “Senhor” àquele que consideramos como nosso “pai”, pois este está acima de nós; normalmente, nós o vemos acima de nós.

Não estaria esta pessoa desviando para si a ATENÇÃO que deveria estar totalmente voltada para o Pai Celestial e para o rei do reino dos céus??

Afinal de contas, quem é o professor??

MEU “IRMÃO” QUER QUE EU O CHAME DE “PAI”??

COMO CHAMAR DE “PAI” ALGUÉM QUE É MEU “IRMÃO”?? Ele quer que “eu” o veja e o trate como sendo um “senhor”??

EU ESTOU “ENTRE” VOCÊ E O REI DO REINO DOS CÉUS?? Eu sou o “ELO de ligação” entre você e o rei do reino dos céus?? Neste caso, estou no mesmo nível ou estou ACIMA de você??

Palavras de Jesus: Eu sou a verdadeira videira e vós sois... União comigo, união comigo, união comigo, MINHAS declarações. (João 15:1-7) 15Eu sou a verdadeira videira e meu Pai é o lavrador. 2 Todo ramo em mim que não dá fruto, ele tira, e todo o que dá fruto, ele limpa, para que dê mais fruto. 3 Vós já estais limpos, por causa da palavra que vos falei. 4 Permanecei em união comigo, e eu em união convosco. Assim como o ramo não pode dar fruto de si mesmo, a menos que permaneça na videira, do mesmo modo tampouco vós podeis, a menos que permaneçais em união comigo. 5 Eu sou a videira, vós sois os ramos. Quem permanece em união comigo, e eu em união com ele, este dá muito fruto; porque separados de mim não podeis fazer nada. 6 Se alguém não permanece em união comigo, ele é lançado fora como ramo e seca-se; e homens ajuntam estes ramos e os jogam no fogo, e eles se queimam. 7 Se permanecerdes em união comigo e as MINHAS DECLARAÇÕES permanecerem em vós, pedi o que quiserdes e ocorrerá para vós. . .

Segundo o rei, o que é todo e qualquer discípulo?? Resposta do rei: “vós sois os ramos”. Assim, cada um discípulo é um ramo. Havia algum ramo especial?? Existiria algum ramo que seria usado como objeto de ligação” entre a videira e os demais ramos?? Exaltou o rei a algum ramo ou os colocou no mesmíssimo nível?? Cada discípulo era um ramo; cada discípulo é um ramo. Individualmente, cada ramo se interliga diretamente à verdadeira videira. É da responsabilidade de cada ramo manter-se ligado à verdadeira videira. Ligar-se à verdadeira videira é uma ação individual exercida através do livre-arbítrio. Trata-se de uma ação voluntária. Tudo tinha a ver com as DECLARAÇÕES; tudo dependia das DECLARAÇÕES; tudo girava em torno das DECLARAÇÕES.

NÃO É CRISTO O ÚNICO LÍDER PARA TODOS OS DISCÍPULOS??

Não era para todos IMITAREM a Jesus?? Havendo alguma dúvida em relação às palavras faladas por Jesus (por Jesus), bastava olhar as ações praticadas por Jesus (por Jesus) no seu dia a dia. Não devia ser este o caso??

NÃO ERA O CASO DE CADA UM OLHAR PARA SI MESMO E COMPARAR-SE COM O REI??

NÃO É O CASO DE COMPARAR CADA DECLARAÇÃO COM A DECLARAÇÃO SAÍDA DA BOCA DE JESUS, O REI DO REINO DOS CÉUS??

NÃO ESTÁ “O MODELO” DISPONÍVEL PARA TODOS OS HOMENS??

NÃO ESTÃO TODAS AS PALAVRAS (DECLARAÇÕES) FALADAS PELO REI DISPONÍVEIS PARA TODOS OS SÚDITOS??

Embora o rei tenha feito desta forma, eu estou fazendo de outra??

Será que era para cada um fazer seus próprios discípulos?? Não era o caso de ensinar a pessoa a copiar a Jesus?? Como ensinar alguém a copiar a Jesus?? Não seria por repetir as palavras faladas por Jesus (ensino teórico) e mostrar como Jesus OBEDECEU a esta mesma palavra falada por Jesus (ensino prático)??

Não continua Jesus sendo o Mestre?? Não continua Jesus sendo o professor?? Jesus está morto ou vivo??

O que havia falado o rei no chamado “sermão do monte”?? Assim falou o rei do reino dos céus: (Mateus 5:19) 19 Quem, portanto, violar um destes mínimos mandamentos e ensinar a humanidade neste sentido, será chamado ‘mínimo’ com relação ao reino dos céus. Quanto àquele que OS CUMPRIR e ensinar, esse será chamado ‘grande’ com relação ao reino dos céus.

Assim verte a Tradução Brasileira: (Mateus 5:19) 19 Aquele, pois, que violar um destes mínimos mandamentos, e assim ensinar aos homens, será chamado mínimo no reino dos céus; mas aquele que OS OBSERVAR e ensinar, esse será chamado grande no reino dos céus.



PARA NÃO DEIXAR QUALQUER DÚVIDA, JESUS MOSTROU COMO OBEDECER A CADA MANDAMENTO.

O MESTRE ENSINOU COMO OBEDECER A CADA MANDAMENTO.

NÃO ESTAVA O REI ENSINANDO A SEUS SÚDITOS COMO DEVIAM VIVER O DIA A DIA??

Como foi que Jesus nos ensinou a obedecer ao Pai Celestial?? O que ele fez?? Ele repetiu as palavras do Pai e mostrou como obedecer a cada palavra do Pai. Como ele fez isto?? Por tornar realidade para ele, a palavra falada pelo Pai. Como?? Copiando o exemplo do próprio Pai; copiando o exemplo do Dono da casa. Não foi este o caso?? Ou será que se tratava de um caso de imposição?? (João 5:19) 19 Portanto, em resposta, Jesus prosseguiu a dizer-lhes: “Digo-vos em toda a verdade: O Filho não pode fazer nem uma única coisa de sua própria iniciativa, mas somente o que ele observa o Pai fazer. Porque as coisas que Este faz, estas o Filho faz também DA MESMA MANEIRA.

Jesus revelou para nós que ele aprendeu por OUVIR e OBSERVAR o Pai. Ele não copiava NENHUMA outra criatura.

DURANTE TRÊS ANOS E MEIO, OS DOZE APÓSTOLOS FORAM TESTEMUNHAS DAS AÇÕES DO REI, ALÉM DE SEREM ALUNOS DO REI.

Afinal, quem MOSTROU SER o MODELO a ser copiado POR TODOS??

Não É Jesus o ÚNICO modelo a ser seguido por todos??

Assim, o discípulo de Jesus não pode fazer nem uma única coisa de sua própria iniciativa, mas somente aquilo que ele observa Jesus fazer. Porque as coisas que Jesus faz, estas o discípulo faz também DA MESMA MANEIRA.

Assim, o súdito do reino dos céus não pode fazer nem uma única coisa de sua própria iniciativa, mas somente aquilo que ele observa o rei fazer. Porque as coisas que o REI faz, estas o SÚDITO faz também da mesma maneira.

Assim, os sentimentos, as palavras e as ações do rei, PLENAMENTE PRATICADOS NO DIA A DIA, é que deviam ser imitados por cada um dos súditos do reino dos céus.

Para haver unidade entre TODOS os discípulos de Jesus (súditos do reino dos céus), bastaria que todos os discípulos seguissem o modelo deixado por Jesus (o rei do reino dos céus), obviamente. Tudo começa no indivíduo.

Estava Paulo revelando concordar com as DECLARAÇÕES e com a forma como o rei do reino dos céus fazia as coisas, por obedecer às palavras faladas por Jesus (o rei) e copiar o exemplo deixado por Jesus no relacionamento do dia a dia, no relacionamento deste, como rei que era, com os seus doze apóstolos e demais judeus?? Como súdito, estava Paulo fazendo da mesma maneira as coisas feitas pelo rei do reino dos céus?? Foi Paulo testemunha das ações de Jesus para com os demais discípulos e os demais humanos durante aqueles três anos e meio?? Foi Paulo testemunha de como Jesus obedeceu ao “sermão do monte” no seu dia a dia durante aqueles três anos e meio?? Não, não foi.

Estava Paulo copiando a Jesus (o rei) nos seus mínimos detalhes?? Usando o seu livre-arbítrio, estava permitindo Paulo que as declarações e ações do rei permanecessem nele?? Fazia Paulo questão de mostrar como Jesus HAVIA OBEDECIDO àquela declaração pronunciada por Jesus, palavra esta que Paulo devia estar apenas repassando para outro humano??

O que estas palavras de Paulo acima revelam??

Revelam haver unidade entre Paulo e Jesus?? Podia Paulo afirmar: “Eu e Jesus somos um”?? 7 Se permanecerdes em união comigo e as MINHAS DECLARAÇÕES permanecerem em vós, pedi o que quiserdes e ocorrerá para vós...

Estavam as declarações de Jesus permanecendo em Paulo, ou se tratava de novas declarações???

As palavras de Jesus foram: (João 17:20-23) 20 Faço solicitação, não somente a respeito destes, mas também a respeito daqueles que depositam fé em mim por intermédio da palavra deles; 21 a fim de que TODOS sejam um, assim como TU, PAI, ESTÁS EM UNIÃO COMIGO e eu estou em união contigo, para que eles também estejam EM UNIÃO CONOSCO, a fim de que o mundo acredite que me enviaste. 22 Também, eu lhes tenho dado a glória que tu me tens dado, a fim de que sejam um, assim como nós somos um. 23 EU EM UNIÃO COM ELES e tu em união comigo, a fim de que sejam aperfeiçoados em um, para que o mundo tenha conhecimento de que tu me enviaste e que os amaste assim como amaste a mim.

Jesus CONCORDAVA com as declarações do Pai, permanecendo unido ao Pai exatamente pelas declarações. As declarações do Pai eram o Elo de ligação entre “Pai e filho”. Concordando com o Pai, de forma voluntária, Jesus fazia das declarações do Pai as suas próprias declarações.

ISTO É O QUE CADA DISCÍPULO DEVE FAZER EM RELAÇÃO A JESUS.

Segundo Jesus, havia plena união entre ele e o Pai Jeová. As declarações de Jesus eram opostas ao ensino até então aceito como verdade e aos costumes até então encarados como normais e certos. Daí, Jesus adicionou: Pai, o mundo não veio a te conhecer, mas eu vim a conhecer-te. Pai, tu me amaste ANTES da fundação do mundo. (João 17:24-26) 24 Pai, quanto ao que me tens dado, quero que, onde eu estiver, eles também estejam comigo, a fim de que observem a minha glória que me tens dado, porque me amaste ANTES da fundação do mundo. 25 Justo Pai, o mundo, deveras, não veio a conhecer-te; mas eu vim a conhecer-te, e ESTES vieram a saber que tu me enviaste. 26 E eu lhes tenho dado a conhecer o teu nome e o hei de dar a conhecer, a fim de que o amor com que me amaste esteja neles e eu em união com eles.”

Depois de plenamente confirmada esta UNIÃO entre Jesus e o Pai, poderia haver alguma divergência entre a palavra (declaração) já falada por Jesus e qualquer outra palavra (declaração) que posteriormente viesse a ser atribuída a Deus ou a Jesus??

Em relação a hierarquia dentro do reino dos céus, as palavras de Jesus (o rei) não deixaram nenhuma dúvida: “Não deve haver nenhuma hierarquia entre vós; todos vós sois irmãos; não se elevem uns sobre os outros. Adotem a posição mais baixa, a de escravo. Não tenham o sentimento de superioridade”.

O rei mostrou ser exatamente assim.

TRATA-SE DE UMA QUESTÃO SIMPLES – Ou aprovamos o rei ou reprovamos o rei do reino dos céus.

Aprovar o rei é aprovar as “declarações” do rei. Não é aprovar a “pessoa” do rei.

Acreditar, aceitar e praticar as “normas de comportamento” que saíram da boca do rei do reino dos céus, também é uma questão de livre-arbítrio.

O que revelam estas palavras abaixo, faladas por nosso irmão Paulo??

QUE PERIGO EXISTE NA HIERARQUIA E SUA CONSEQUENTE VALORIZAÇÃO E DESVALORIZAÇÃO DE HUMANOS?? Não revela ser a competição uma companheira inseparável da hierarquia??

Tinha o nosso irmão Paulo um espírito de competição?? Que visão tinha o nosso amado irmão Paulo a respeito de si mesmo?? Que valor atribuía Paulo a si mesmo?? As palavras faladas são frutos do sentimento existente dentro do coração daquele que fala. Nossos sentimentos são produzidos de acordo com as “diretrizes” que comandam o nosso dia a dia. De acordo com as “regras de comportamento” que servem de base para o nosso dia a dia, os nossos sentimentos são revelados à outras pessoas, tanto através da nossa palavra (declaração) quanto através das nossas ações.

QUANTO MAIS IMPORTANTE VOCÊ SE SENTIR, MAIOR SERÁ A IMPORTÂNCIA QUE VOCÊ DARÁ ÀQUILO QUE VOCÊ FAZ, SENTINDO-SE OFENDIDO SE NÃO HOUVER O “RECONHECIMENTO” DA PARTE DE OUTROS.

NÃO EXISTE IMPOSIÇÃO - Você ACEITA a norma de procedimento, você CONCORDA com a norma de procedimento, você ENTENDE a norma de procedimento, você DEFENDE a norma de procedimento e você PRATICA a norma de procedimento sob quaisquer circunstâncias.

COM QUE NORMA DE PROCEDIMENTO CONCORDAVA E PRATICAVA PAULO?? Paulo se comparava com os demais. Segundo Paulo, a quantidade de suas obras comprovavam que ele era SUPERIOR a todos os demais: (Gálatas 1:13-14) 13 Vós, naturalmente, ouvistes [falar] da minha conduta anterior no judaísmo, que eu perseguia a congregação de Deus e a devastava até o excesso, 14 e que EU FAZIA MAIS PROGRESSO no judaísmo do que muitos da minha própria idade na minha raça, visto que EU ERA MUITO MAIS zeloso das tradições de meus pais.

Minhas obras comprovam que eu FUI superior, que eu era melhor. Eu fiz MUITO MAIS, eu me destaquei, eu me empenhei mais, logo, o que eu posso fazer se isto é uma verdade??

(2 Coríntios 11:21-27) 21 Digo isso para a [nossa] desonra, como se a nossa posição tivesse ficado enfraquecida. Mas, se outro for ousado em alguma coisa — estou falando desarrazoadamente — eu também sou ousado nela. 22 São eles hebreus? Eu também o sou. São israelitas? Eu também o sou. São [o] descendente de Abraão? Eu também o sou. 23 São ministros de Cristo? Respondo como louco: EU O SOU AINDA MAIS DESTACADAMENTE: em labores mais abundantemente, em prisões mais abundantemente, em golpes até o excesso, muitas vezes perto da morte. 24 Dos judeus recebi cinco vezes quarenta golpes menos um, 25 três vezes fui espancado com varas, uma vez fui apedrejado, três vezes sofri naufrágio, uma noite e um dia passei no profundo; 26 em jornadas muitas vezes, em perigos de rios, em perigos de salteadores de estradas, em perigos da [minha própria] raça, em perigos das nações, em perigos na cidade, em perigos no ermo, em perigos no mar, em perigos entre falsos irmãos, 27 em labor e labuta, muitas vezes em noites sem dormir, em fome e sede, muitas vezes em abstinência de comida, em frio e nudez.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(2 Corintios 11:21-27) 21 Falo com vergonha, como se nós fôssemos fracos. Mas naquilo em que alguém se faz ousado, com insensatez falo, também eu sou ousado. 22 São hebreus? também eu. São israelitas? também eu. São descendentes de Abraão? também eu. 23 São ministros de Cristo? falo como fora de mim, eu ainda mais; em trabalhos muito mais, muito mais em prisões, em açoites sem medida, em mortes muitas vezes. 24 Dos judeus cinco vezes recebi quarenta açoites menos um, 25 três vezes fui açoitado com varas, uma vez apedrejado, três vezes naufraguei, um dia e uma noite passei no abismo; 26 muitas vezes estive em jornadas, em perigos de rios, em perigos de salteadores, em perigos da minha raça, em perigos dos gentios, em perigos na cidade, em perigos na solidão, em perigos no mar, em perigos entre falsos irmãos; 27 em trabalho e fadiga, em vigílias muitas vezes, com fome e sede, em jejuns muitas vezes, em frio e nudez;

Continua Paulo a falar:

(2 Coríntios 12:1-7) 12 Tenho de me jactar. Não é proveitoso; mas passarei para visões sobrenaturais e revelações da parte do Senhor. 2 Conheço um homem em união com Cristo, o qual, há quatorze anos — quer [no] corpo, não sei, quer fora do corpo, não sei; Deus sabe — foi arrebatado como tal até o terceiro céu. 3 Sim, conheço a tal homem — quer no corpo, quer à parte do corpo, não sei, Deus sabe — 4 que foi arrebatado para o paraíso e ouviu palavras inefáveis, as quais não são lícitas ao homem falar. 5 De tal homem é que me jactarei, mas não me jactarei de mim mesmo, exceto com respeito às [minhas] fraquezas. 6 Pois, se é que eu quiser jactar-me, não serei desarrazoado, PORQUE DIREI A VERDADE. Abstenho-me, porém, a fim de que ninguém ponha para meu crédito mais do que ele vê que sou ou do que ele ouve de mim, 7 só por causa do excesso das revelações. Portanto, a fim de que eu não me sentisse enaltecido demais, foi-me dado um espinho na carne, um anjo de Satanás, para que me estivesse esbofeteando, a fim de que eu não me enaltecesse demais. . .


Assim verte a Tradução Brasileira:

(2 Corintios 12:1-7) 21 É necessário que me glorie, ainda que não convém, mas passarei às visões e revelações do Senhor. 2 Conheço um homem em Cristo que há quatorze anos (se no corpo, não sei; se fora do corpo, não sei, Deus o sabe) foi arrebatado até o terceiro céu. 3 Conheço o tal homem (se no corpo, ou separado do corpo, não sei; Deus o sabe) 4 que foi arrebatado ao Paraíso e ouviu palavras indizíveis, as quais não é lícito ao homem referir. 5 Do tal me gloriarei; de mim, porém, não me gloriarei, senão nas minhas fraquezas. 6 Pois se desejar gloriar-me, não serei insensato, porque falarei a verdade: mas abstenho-me para que ninguém julgue de mim fora do que vê em mim ou do que ouve de mim, 7 e por causa da extraordinária grandeza das revelações. Porquanto, para que eu me não engrandecesse demais, foi-me dado um espinho na carne, mensageiro de Satanás para me esbofetear, a fim de eu não me engrandecer demais.



Jactar-se//jactanciar-se Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): ...ostentar os próprios méritos e conquistas...

jactanciar-se

v. (1913) 1 pron. expressar orgulho exagerado de si mesmo ou ostentar os próprios ou pretensos méritos e conquistas; usar de vanglória ao referir-se a si mesmo <pouco faz, na verdade, mas nunca deixa de j.> <jactancia-se de ter namorado com toda a vizinhança> 1.1 pron. chamar atenção para (algo que se possua ou faça, e de que se orgulha) <j. de um Portinari recém-comprado> etim jactância + -ar sin/var jactar-se, jatar-se; ver tb. sinonímia de bravatear




Está bem clara esta definição, não está??



Eu fiz mais obras. Não são as obras realizadas que comprovam a superioridade?? Todas estas coisas feitas não provam que eu sou melhor?? Eu fiz mais. É a pura verdade. Basta que as pessoas saibam o quanto eu fiz. Eu fiz todas estas coisas e vocês sequer notaram?? Onde está o vosso reconhecimento?? Será que é falta de informação do que eu fiz??


SE EU ESTOU ME JACTANDO, A CULPA É DE VOCÊS, que não valorizam o que eu realmente fiz, afirmou Paulo.

De quem é a culpa por eu estar me gloriando?? É de vocês.


Paulo admite que estava se gloriando.


Paulo continua:

(2 Coríntios 12:11) 11 Tornei-me desarrazoado. Vós me compelistes a isso, porque eu deveria ter sido recomendado por vós. Pois não me mostrei em nem uma única coisa inferior aos [vossos] superfinos apóstolos, embora eu não seja nada.


Assim verte a Tradução Brasileira: (2 Corintios 12:11) 11 Tenho-me tornado insensato; vós a isso me obrigastes. Eu devia ser louvado por vós, porque em nada fui inferior aos maiores dentre os apóstolos, ainda que nada sou.


Assim verte a Tradução Almeida Revisada: (2 Corintios 12:11) 11 Tornei-me insensato; vós a isso me obrigastes; porque eu devia ser louvado por vós, visto que em nada fui inferior aos demais excelentes apóstolos, ainda que nada sou.


Revelando seu “espírito de competição”, não estava Paulo se comparando com os demais apóstolos?? Revelando o seu espírito de competição, não desejava Paulo ser louvado??


LOUVADO – Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): ...honrado, enaltecido, merecedor de gratidão... elogiado por seus méritos...

louvado Datação: sXIII

n adjetivo

que se louvou

1 merecedor de gratidão; honrado, incensado

Ex.: pessoa l. por suas benfeitorias

2 digno de louvores, elogios, por seus méritos; celebrizado, enaltecido

Ex.: sua gestão foi muito l.

3 favorecido pela sorte; abençoado

Ex.: aproveitou todas as oportunidades de sua vida l.

4 consagrado por orações, por cânticos laudatórios; abençoado, bendito

Ex.: mãe de Deus, para sempre l.


n substantivo masculino

Rubrica: termo jurídico.

5 técnico ou especialista nomeado ou escolhido pelo juiz ou pelas partes para dar seu laudo acerca das questões que lhe são encaminhadas; arbitrador, avaliador, perito



Eu devia ser louvado por vós?? Eu devia ser elogiado pelos meus méritos. Eu devia ser recomendado por vós?? Eu devia ser defendido por vós?? Ou será que devo ser igualado àqueles que fizeram menos do que eu?? Quem é que estava desejando ser louvado por aqueles humanos da cidade de Corinto?? Aquele que faz mais deve ser reconhecido como tendo feito mais, e exatamente por isto deve ser louvado, não deve?? Ou será que aquele que fez “mais” deve ser igualado àquele que fez “menos”??


O que falou o rei do reino dos céus no chamado “sermão do monte”? Vamos ver de novo: (Mateus 6:1) 1 Guardai-vos de fazer as vossas boas obras diante dos homens, PARA SERDES VISTOS por eles; de outra sorte não tereis recompensa junto de vosso Pai, que está nos céus.

Onde está a obediência ao: “Sou apenas um escravo imprestável”?? Não é esta a CONTÍNUA disposição interior do súdito do reino dos céus?? Não é esta a “norma de procedimento” que o súdito do reino dos céus concorda, adota e pratica, independente do que outras pessoas façam??


Palavras do rei do reino dos céus: Não aceito glória de homens - (João 5:39-45) 39 Pesquisais as Escrituras, porque pensais que por meio delas tereis vida eterna; e estas mesmas são as que dão testemunho de mim. 40 Contudo, vós não quereis vir a mim para ter vida. 41 NÃO ACEITO GLÓRIA DE HOMENS, 42 mas eu bem sei que não tendes em vós o amor de Deus. 43 Vim em nome de meu Pai, mas não me recebestes; se algum outro chegasse no seu próprio nome, a este receberíeis. 44 Como podeis crer, quando aceitais glória uns dos outros e não buscais a glória que é do único Deus? 45 Não penseis que vos hei de acusar perante o Pai; há um que vos acusa, Moisés, em quem depositastes a vossa esperança.


As palavras e o comportamento do rei foram bem claros, não foram?? “Eu não aceito ser louvado por humanos, não aceito ser glorificado por humanos”. O rei do reino dos céus não buscava a aprovação dos humanos e nem qualquer exaltação dada por humanos. É o professor quem aprova. O rei do reino dos céus sempre buscava a aprovação, louvor e exaltação do Pai, daquele a quem ele copiava, o Pai, que também era o seu Professor.

O aluno só deve buscar a aprovação do seu “professor” e não de outro aluno, não é verdade??


Revelou o nosso amado irmão Paulo ter a mesma disposição interior que revelou ter o rei do reino dos céus e seu professor??


SUPERIOR?? INFERIOR?? Este espírito competitivo, este sentimento de superioridade, para onde poderá lavar o homem??

O REI NÃO ESTÁ ME IMPONDO NADA, NO ENTANTO, ELE ESTÁ ME FALANDO O QUE FAZER E ME MOSTRANDO COMO ENTRAR NO REINO DOS CÉUS. SE EU CONCORDAR COM ELE, VOU CONSEGUIR ENTRAR NO REINO DOS CÉUS, POR TER OS MESMOS SENTIMENTOS DO REI. NO ENTANTO, SE EU DISCORDAR DELE, A PALAVRA DELE “MOSTRARÁ SER” VERDADE LÁ NO ÚLTIMO DIA, O DIA DA VERDADE. De quem será a vergonha, não será minha??

Respeitando o LIVRE-ARBÍTRIO, não é o súdito que tem de decidir “não desejar ser superior” a outro súdito?? Afinal, quem é que manda no meu desejo, não sou eu??

NÃO É UMA QUESTÃO DE “SER IMPEDIDO” DE FAZER E SIM DE “SER CONVENCIDO” A NÃO FAZER. ESTANDO CONVENCIDO, EU DECIDO NÃO FAZER.

NÃO É UMA QUESTÃO DE “SER OBRIGADO” A FAZER E SIM DE SER “CONVENCIDO” A FAZER. ESTANDO CONVENCIDO, EU DECIDO FAZER.

REVELANDO TOTAL RESPEITO PELO LIVRE-ARBÍTRIO, as palavras do rei do reino dos céus foram: (João 12:48-50) 48 Quem me desconsiderar e não receber as minhas declarações, tem quem o julgue. A palavra que eu tenho falado é que o julgará NO ÚLTIMO DIA; 49 porque não falei de meu próprio impulso, mas o próprio Pai que me enviou tem-me dado um mandamento quanto a que dizer e que falar. 50 Sei também que o seu mandamento significa vida eterna. Portanto, as coisas que eu falo, assim como o Pai mas disse, assim [as] falo.”

Será que no reino dos céus, alguém devia agir diferente do rei?? Claro que não. O rei estava dentro do reino dos céus. Para poder entrar no reino dos céus, o humano precisa ter os mesmos sentimentos do rei, pois os sentimentos o levarão as mesmas palavras e as mesmas ações do rei, aquele que estava ensinando seus irmãos a entrarem no reino.

Deixando bem claro sua posição em relação a Jesus, assim falou o Pai desde os céus para aqueles três apóstolos: Escutai-o, ouvi-o. (Mateus 17:4-6) 4 Como resposta, Pedro disse a Jesus: “Senhor, é excelente que estejamos aqui. Se desejares, armarei aqui três tendas, uma para ti, e uma para Moisés, e uma para Elias.” 5 Enquanto ele ainda falava, eis que uma nuvem luminosa os encobriu, e eis uma voz vinda da nuvem, dizendo: “Este é meu Filho, o amado, a quem tenho aprovado; escutai-o.6 Ouvindo isso, os discípulos prostraram-se com os seus rostos [em terra] e ficaram com muito medo.

Assim verte a Tradução Brasileira: (Mateus 17:4-6) 4 Pedro disse a Jesus: Senhor, bom é estarmos aqui; se queres, farei aqui três tabernáculos: um para ti, outro para Moisés e outro para Elias. 5 Falava ele ainda, quando uma nuvem luminosa os envolveu; e da nuvem saiu uma voz, dizendo: Este é o meu Filho dileto, em quem me agrado; ouvi-o. 6 Os discípulos, ouvindo-a, caíram de bruços e ficaram com muito medo.

A quem o discípulo deve escutar?? Não ficou bem claro??

As “normas de procedimento” criam e manipulam os sentimentos daquele que a entende e a aceita, que por sua vez, geram palavras e ações, que são frutos específicos daquela “norma” específica. São normas que valorizam a “vida”.

ALTO E BAIXO – SUPERIOR E INFERIOR. VISÃO DO ADORADOR DE JEOVÁ.

Por exemplo, ali está parado um cobrador de impostos conversando com uma adúltera, ambos sendo judeus. Que sentimento tinha tanto o sacerdote como o fariseu por estas duas pessoas?? Eles sentiam desprezo por estas pessoas. Desprezo está relacionado com desvalorização. Que palavras sairiam de suas bocas em relação a estas pessoas?? Será que se aproximariam delas e as abraçariam?? Será que sentar-se-iam com elas para tomar uma refeição?? Será que pousariam nos lares destas pessoas??

O sentimento que eles tinham por estas pessoas lhes impedia de praticar qualquer uma destas ações de amizade em relação a estes seus “irmãos” judeus.

No entanto, PORQUE o sacerdote e o fariseu tinham este “sentimento de desprezo” por estas pessoas?? Eles responderiam: “Porque eles são pecadores, e os pecadores têm de receber a devida punição, devem ser separados para a punição”.

Bem, eles eram “pecadores”?? Sim, eles realmente eram “pecadores”.

Os sacerdotes e os fariseus atribuíam a estas pessoas um BAIXO VALOR exatamente por estas pessoas serem “pecadoras”.

Neste caso, tanto o sacerdote quanto o fariseu SENTIAM-SE MUITO SUPERIORES aos cobradores de impostos, as prostitutas e as adúlteras que fossem seus irmãos judeus. Para estes homens, sua superioridade em relação àqueles pecadores era um fato consumado. Para eles, estas pessoas não poderiam receber do Pai as mesmas coisas que eles receberiam do Pai. Revelando o seu espírito de competição, eles se comparavam com estas pessoas em face daquilo que aquelas pessoas faziam e que eles não faziam. Na visão destes homens, os cobradores de impostos, as prostitutas, as adúlteras e outros pecadores judeus, eram um caso perdido, um caso encerrado. Afinal, o que estes pecadores mereceriam receber do Pai?? Haviam feito alguma coisa boa?? Mereciam receber alguma coisa boa?? Mereciam alguma ação favorável?? O que eles davam a estas pessoas?? Davam o seu desprezo, não davam?? Davam o fruto da desvalorização. Para eles, estes raciocínios eram plenamente lógicos e corretos, afinal, estes homens viviam o seu dia a dia segundo a regra da “justa retribuição”, ou seja, punição para o iníquo e bênçãos para os justos.

Ademais, tamanho era o desdém que sentiam pelos seus vizinhos samaritanos, que quando queriam ofender alguém, quando queriam humilhar alguém judeu, desvalorizando-o, eles chamavam tal pessoa de “samaritano”. (João 8:48-49) 48 Em resposta, os judeus disseram-lhe: “Não dizemos corretamente: Tu és samaritano e tens demônio?” 49 Jesus respondeu: “Eu não tenho demônio, mas honro a meu Pai, e vós me desonrais.

Bem, agora vem passando Jesus, o rei do reino dos céus. Que sentimento tinha o rei do reino dos céus por estas mesmas pessoas?? Que palavras sairiam da boca de Jesus em relação a estas mesmas pessoas?? Será que Jesus se aproximaria delas e as abraçaria?? Será que o rei do reino dos céus sentar-se-ia com elas para tomar uma refeição?? Entraria Jesus, o rei do reino dos céus, no lar destas pessoas e pousaria ali??

Bem, Jesus abraçaria, sentar-se-ia para comer com estas pessoas e pousaria no lar destas pessoas, como ele realmente fez. O rei do reino dos céus estava revelando o seu sentimento, sentimento este que deveria ser copiado pelo súdito.

Mas, PORQUE o rei do reino dos céus fazia “isto”, enquanto os sacerdotes e os fariseus não faziam “isto”?? Os sacerdotes e os fariseus eram contra os pecadores, eram contra os iníquos; eles sentiam inimizade pelos iníquos. PORQUE Jesus não sentia inimizade pelos iníquos??

Afinal, porque Jesus não atribuía a estes pecadores o mesmo BAIXO VALOR que os sacerdotes e os fariseus atribuíam a estes pecadores??

Quando questionado, assim Jesus respondeu: (Mateus 9:9-13) 9 A seguir, passando dali para diante, Jesus avistou um homem chamado Mateus, sentado na coletoria, e disse-lhe: “Sê meu seguidor.” Em conseqüência disso, este se levantou e o seguiu. 10 Mais tarde, enquanto estava recostado à mesa, na casa, eis que vieram muitos cobradores de impostos e pecadores, e começaram a recostar-se com Jesus e seus discípulos. 11 Vendo isso, porém, os fariseus começaram a dizer aos discípulos dele: “Por que é que o vosso instrutor come com os cobradores de impostos e os pecadores?” 12 Ouvindo-os, ele disse: “As pessoas com saúde não precisam de médico, mas sim os enfermos. 13 Ide, pois, e aprendei o que significa: ‘Misericórdia quero, e não sacrifício.’ Pois eu não vim chamar os que são justos, mas pecadores.” (Mateus 11:16-19) 16 Com quem compararei esta geração? Ela é semelhante às criancinhas sentadas nas feiras, que gritam para seus companheiros de folguedos, 17 dizendo: ‘Nós tocamos flauta para vós, mas não dançastes; lamuriamos, mas não vos batestes em lamento.’ 18 Correspondentemente, João não veio nem comendo nem bebendo, contudo dizem: ‘Ele tem demônio’; 19 o Filho do homem veio comendo e bebendo, todavia dizem: ‘Eis um homem comilão e dado a beber vinho, amigo de cobradores de impostos e de pecadores.Não obstante, a sabedoria é provada justa pelas suas obras.”

Qual o sentimento de Jesus por aqueles reais pecadores?? MISERICÓRDIA.

Recostar-se à mesa e comer com pecadores, assim como pousar na casa de um pecador são ações de amizade?? No caso de Jesus, sim. Jesus não era um ator.

NÃO ERA UMA QUESTÃO DE MÉRITO?? Não, não era.

Como Jesus os via?? Como enfermos.

Do que precisavam?? PRECISAVAM de remédio, PRECISAVAM da cura.

As ações dos sacerdotes e dos fariseus revelavam que eles tinham o “pecador” como um inimigo desprezível, pois suas palavras e suas ações em relação a estas pessoas eram ações de um inimigo. Desvalorizando-as, eles tratavam estas pessoas com desdém. O que queriam fazer com estas pessoas?? Excluir e Destruir.

DESDÉM – Esta é a descrição dada por certo dicionário (Houaiss):

desdém Datação: sXIII

n substantivo masculino

1 desprezo arrogante; altivez, soberbia, sobranceria

Ex.: a dona da loja tratou-o com d.

2 Derivação: por extensão de sentido.

comportamento distanciado; indiferença

Ex.: seu d. indicava falta de maturidade

3 falta de trato ou esmero (para com algo ou si mesmo); desalinho, negligência

Ex.: até para encontrar o namorado, vestia-se com d.



Quem se considera SUPERIOR, passa a tratar outros com DESDÉM. Só quem se considera superior é que trata outro humano com desdém.

Para você se considerar superior a alguém, você precisa encontra um motivo plenamente justificável dentro de sua mente, geralmente como o resultado de uma comparação entre você e a outra pessoa. Todas estas coisas são fruto do “espírito de competição”.

NÃO TE ENALTEÇAS – Este é um dos mandamentos do reino dos céus.

As ações de Jesus revelavam que ele tinha o pecador como um amigo, pois suas palavras e suas ações para com estas pessoas eram ações de um amigo. No entanto, não se tratava de cumplicidade. O que Jesus queria fazer?? Incluir e Salvar.

Enquanto eles desejavam e festejavam a morte do pecador, Jesus, o rei do reino dos céus, livrava o pecador de ser morto. O pecador merecia ser morto, não merecia?? Sim. Com sua ação em favor destes pecadores, Jesus causava indignação àquela geração de sacerdotes, àquela geração de levitas (tribo de Levi). Foi chamado de “amigo” de pecadores, pelo simples fato de que tais levitas e demais judeus eram “inimigos” dos pecadores. O rei do reino dos céus causava indignação por não desejar a morte dos pecadores?? Sim, isto mesmo. O rei do reino dos céus não acompanhava o sentimento dos súditos?? Não, não acompanhava.

Estes homens desejavam excluir e matar pecadores para provar que não eram cúmplices destes pecadores?? Sim, isto mesmo.

ESTES HOMENS REPROVAVAM AS AÇÕES DO REI DO REINO DOS CÉUS??

Estes homens se AUTO APROVAVAM perante o Pai e reprovavam tanto a Jesus, o rei do reino dos céus, como todo o restante da humanidade.

Afinal, que destino deve ser dado ao “pecador”?? Dependendo do valor que você atribuir ao pecador, você desejará dar a ele um destino diferente, um fim diferente.

NO ENTANTO, EU TENHO DE ESTAR PLENAMENTE CONSCIENTE DE QUE A MINHA “NORMA DE VALORES” PODE ESTAR ERRADA. EU NÃO SOU O DONO DA VERDADE.

EU TENHO DE LEVAR EM CONTA A “NORMA DE VALORES” DO REI.

Embora os humanos tenham atribuído um TÃO BAIXO valor para o “pecador”, qual é o valor REAL do “pecador”?? Que valor é atribuído pelo Pai Celestial e pelo rei do reino dos céus para o “pecador”??

Revelando-lhes o REAL valor do pecador, explicando-lhes através de ilustrações, o motivo de suas ações “amigáveis” em relação aos pecadores, as palavras de Jesus foram estas: (Lucas 15:1-7) 15 Todos os cobradores de impostos e pecadores chegavam-se então perto dele para o ouvirem. 2 Conseqüentemente, tanto os fariseus como os escribas murmuravam, dizendo: “Este homem acolhe pecadores e come com eles.3 Então lhes contou a seguinte ilustração, dizendo: 4 Que homem dentre vós, com cem ovelhas, perdendo uma delas, não deixa as noventa e nove atrás no ermo e vai em busca da perdida, ATÉ A ACHAR? 5 E quando a tiver achado, ele a põe sobre os seus ombros e se alegra. 6 E, ao chegar à casa, convoca seus amigos e seus vizinhos, dizendo-lhes: ‘Alegrai-vos comigo, porque achei a minha OVELHA QUE ESTAVA PERDIDA.7 Eu vos digo que assim haverá mais alegria no céu por causa de um pecador que se arrepende, do que por causa de noventa e nove justos que não precisam de arrependimento.

Assim verte a Tradução Brasileira: (Lucas 15:1-7) 1 Aproximavam-se de Jesus todos os publicanos e pecadores para o ouvir. 2 Os fariseus e os escribas murmuravam: Este recebe pecadores e come com eles. 3 Jesus propôs-lhes esta parábola: 4 Qual de vós é o homem que, possuindo cem ovelhas e tendo perdido uma delas, não deixa as noventa e nove no deserto, e não vai em busca da que se havia perdido ATÉ ACHÁ-LA? 5 Quando a tiver achado, põe-na cheio de júbilo sobre os seus ombros; 6 e chegando à casa, reúne os seus amigos e vizinhos e diz-lhes: Regozijai-vos comigo, porque achei a MINHA ovelha que se havia perdido. 7 Digo-vos que assim haverá maior júbilo no céu por um pecador que se arrepende, do que por noventa e nove justos, que não necessitam de arrependimento.



O pecador precisa (necessita) se arrepender. Ali está alguém que precisa (necessita) se arrepender.

SOMENTE DEPOIS de estar plenamente convencida acerca do erro de suas ações passadas é que a pessoa se arrepende. No entanto, a pessoa PRECISA (necessita) ser convencida de que ela está errada. O que ocorre se aquela pessoa jura que está certa?? O que o exemplo de Saulo de Tarso revelou em relação a isto?? Embora Saulo jurasse estar certo, embora jurasse estar agradando a Deus, não ficou revelado que ele precisava (necessitava) mesmo era ser “convencido”?? Centenas de anos antes de Jesus estar na terra, Jeová falou as seguintes palavras para seu mensageiro Jeremias: (Jeremias 5:1-2) 5 Percorrei as ruas de Jerusalém e vede, pois, e sabei e procurai vós mesmos nas suas praças públicas se podeis achar um homem, se existe alguém que pratique a justiça, alguém que procure a fidelidade, e eu perdoarei a ela. 2 Mesmo que dissessem: “Por Jeová que vive!” estariam com isso jurando pura falsidade.

Para Jerusalém não ser destruída por Nabucodonosor, rei de Babilônia, era necessário haver apenas um único homem “justo” dentro da cidade, mas não havia. Eles podiam jurar por Jeová que vive. Considerando-se “justos”, eles condenavam o mundo inteiro e queriam a morte do mundo inteiro!!!!!!!!!!

Vemos assim que a pessoa precisa ser convencida, convencida e não desprezada. Enquanto a pessoa não for convencida, ela continuará a revelar a sua doença. Assim, pudemos perceber que o pecado praticado é o resultado da doença; o pecado praticado comprova que a pessoa está doente.

Qual o sentimento que se tem por alguém que está doente?? A misericórdia, obviamente.

A OVELHA QUE ESTAVA PERDIDA. Quem é a ovelha que está perdida?? Que valor tem a ovelha perdida??

Novamente, vamos deixar Jesus responder: (Lucas 19:1-10) 19 E ele entrou em Jericó e [a] estava atravessando. 2 Ora, havia ali um homem de nome Zaqueu, e ele era chefe de cobradores de impostos e era rico. 3 Bem, ele procurava ver quem era este Jesus, mas não podia, por causa da multidão, porque era de estatura pequena. 4 De modo que correu na frente a um lugar mais adiante e subiu num sicômoro-figueira, a fim de vê-lo, porque estava para passar por ali. 5 Chegando então Jesus ao lugar, olhou para cima e disse-lhe: “Zaqueu, apressa-te e desce, pois hoje tenho de ficar em tua casa.” 6 Com isso ele se apressou e desceu, e o recebeu com alegria como hóspede. 7 Mas, quando viram [isso], todos começaram a murmurar, dizendo: ENTROU PARA POUSAR COM UM HOMEM QUE É PECADOR.” 8 Mas Zaqueu levantou-se e disse ao Senhor: “Eis que a metade dos meus bens, Senhor, dou aos pobres, e o que for que eu extorqui de qualquer um por meio de acusação falsa, eu restituo quatro vezes mais.” 9 A isto Jesus disse-lhe: “Neste dia entrou a salvação nesta casa, porque ele também é filho de Abraão. 10 Pois o Filho do homem veio buscar e salvar O QUE ESTAVA PERDIDO.”

Do ponto de vista dos questionadores, o que era Zaqueu?? Não era ele um “mal” a ser eliminado do meio do povo?? Zaqueu, visto pelos questionadores como um caso perdido, um desprezado cobrador de impostos, “um PECADOR” – aí está a ovelha perdida.

Ora, pecadores como Zaqueu eram vistos como o “mal” que devia ser eliminado do meio do povo. Não foi exatamente isto o que Moisés havia estabelecido?? Depois destas palavras, Jesus ainda lhes contou três ilustrações, para fazê-los ver o GRANDE VALOR que o Pai continuava a atribuir àquele “pecador” que eles tanto desprezavam. A última delas foi sobre um jovem filho rebelde e seu altivo irmão mais velho, ilustração esta chamada de “o filho pródigo”. O altivo irmão mais velho atribuía um baixo valor para seu rebelde irmão mais jovem. O altivo irmão mais velho certamente ficou surpreso com a reação do pai em relação a um filho “rebelde”, pois para ele, seu irmão mais jovem já era um caso perdido, um caso encerrado. Correr para abraçar um filho rebelde enquanto este ainda estava longe?? Abraçar-lhe e beijar-lhe mesmo sem que ele tivesse falado nada?? Cobri-lo com a melhor roupa?? Ponhe-lhe um anel no dedo?? Dar uma festa pela volta de um filho rebelde??? O “altivo filho mais velho” ficou surpreso e com raiva. O altivo irmão mais velho também se sentiu injustiçado. Como pode o meu pai dar uma festa para um filho rebelde e não dar uma festa para mim que me mantive cumprindo as obrigações para com ele?? Como pôde o meu pai atribuir um valor tão alto para um filho “pródigo”??

Qual é mesmo o significado de pródigo?? Vejamos a definição dada por certo dicionário (Houaiss):

pródigo Datação: sXV

n adjetivo

1 que dissipa seus bens, que gasta mais do que o necessário; gastador, esbanjador, perdulário

Ex.: parábola do filho p.

2 que é generoso ao dar; liberal, magnânimo

Ex.: é p. na caridade mas não faz alarde disso

3 que produz em abundância; fértil, fecundo

Ex.: o Brasil é uma terra p.


n substantivo masculino

4 indivíduo pródigo

5 Rubrica: termo de marinha.

peça colocada diagonalmente ao tabuado dos pavimentos ou do costado, que serve para prender os vaus ou as cavernas entre si e aumentar a resistência do corpo da embarcação



Bem, o erro do filho rebelde fica assim bem destacado para todos. Ele era realmente um filho rebelde.

Assim como o “altivo filho mais velho” desta ilustração, os “altivos” sacerdotes viam Zaqueu, seu irmão judeu e filho de Abraão, o “cobrador de impostos” como um caso perdido. Estes viam Zaqueu como um mal a ser eliminado do meio do povo. Assim, do ponto de vista do sacerdote e do fariseu, ocupantes da alta posição naquela hierarquia existente, que posição ocupava seu irmão Zaqueu nesta hierarquia?? Não era Zaqueu tratado com desdém por estes?? Eles atribuíam a Zaqueu um BAIXO VALOR.

Como a parte alta da hierarquia começou a agir e a ensinar outros a agir dentro do reino dos céus??

O que fazer em relação àquele discípulo de Jesus que estivesse ensinando algo diferente do que eles ensinavam??

Nem o recebais em vossos lares??

Em lugar de ir buscar tal pessoa para um bom, instrutivo e pacífico diálogo, visando convencer a pessoa, o que tais dirigentes ordenaram que fosse feito??

Intolerância contra o ensino de outra ou contra a pessoa que apresenta um ensino diferente??

(2 João 8-11) 8 Acautelai-vos para que não percais as coisas que produzimos por trabalho, mas para que obtenhais uma plena recompensa. 9 Todo aquele que se adianta e não permanece no ensino do Cristo não tem Deus. Quem permanece neste ensino é quem tem tanto o Pai como o Filho. 10 Se alguém se chegar a vós e não trouxer este ensino, nunca o recebais nos vossos lares, nem o cumprimenteis. 11 Pois, quem o cumprimenta é partícipe das suas obras iníquas.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(2 João 8-11) 8 Acautelai-vos, para que não percais o nosso trabalho, mas recebais pleno galardão. 9 Todo o que vai além do ensino de Cristo e não permanece nele, não tem a Deus; o que permanece neste ensino, tem tanto ao Pai como ao Filho. 10 Se alguém vem ter convosco e não traz este ensino, não o recebais em casa nem o saudeis; 11 porque aquele que o saúda, participa de suas más obras.

Não o recebais em vossos lares??

Não o cumprimenteis??

Quem o cumprimenta é cúmplice de suas iniquidades??

Desde quando alguém passa a ser cúmplice de outro por conversar com tal pessoa??

Sendo uma pessoa for iníqua, isto significa que devo tratá-la como se trata um inimigo??

Será que Jesus era cúmplice dos fariseus, dos seus apóstolos, dos cobradores de impostos e das prostitutas??

Praticava Jesus este ensino de intolerância contra a pessoa do pecador??

Praticava Jesus estas ações de inimizade contra pecadores de qualquer pecado??

Parece que este ensino instituído por Paulo e outros estava se tornando a regra a ser obedecida e praticada dentro do reino dos céus.

Assim ensinou o nosso irmão Paulo:

(1 Coríntios 5:9-13) 9 Eu vos escrevi na minha carta que cesseis de manter convivência com fornicadores, 10 não [querendo dizer] inteiramente com os fornicadores deste mundo, ou [com] os gananciosos e os extorsores, ou [com] os idólatras. Senão teríeis realmente de sair do mundo. 11 Mas, eu vos escrevo agora para que cesseis de ter convivência com qualquer que se chame irmão, que for fornicador, ou ganancioso, ou idólatra, ou injuriador, ou beberrão, ou extorsor, nem sequer comendo com tal homem. 12 Pois, o que tenho eu que ver com o julgamento dos de fora? Não julgais vós os de dentro, 13 ao passo que Deus julga os de fora? Removei o [homem] iníquo de entre vós.”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(1 Coríntios 5:9-13) 9 Na minha carta vos escrevi que não vos comunicásseis com os fornicários, 10 não significando de modo algum os fornicários deste mundo, ou os avarentos e roubadores, ou os idólatras, pois neste caso haveríeis de sair do mundo. 11 Mas sendo assim, vos escrevi que não comuniqueis com alguém que se chama vosso irmão se for ele fornicário, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou bêbedo, ou roubador; com esse tal nem sequer comais. 12 Pois que me vai a mim em julgar os que estão de fora? Não julgais vós os que estão de dentro? 13 Os de fora, porém, Deus os julgará. Tirai esse iníquo do meio de vós.

A ordem foi clara, não foi?? Quando foi dada esta ordem?? Em que ano foi dada esta ordem?? Provavelmente no ano 55 EC, isto é, apenas vinte e dois anos depois de Jesus ter terminado o seu semear.

Julgai os de dentro do reino dos céus. Depois de julgá-los, removei-os de vosso meio. Com tal homem, nem sequer comais.

Ora, este costume foi praticado por Jesus??

Não eram os fariseus e os judeus quem praticavam tais costumes??

Não era Jesus criticado e reprovado pelos sacerdotes e fariseus exatamente por praticar um costume 100% oposto a este de plena intolerância contra o pecador??

Será que o ensino dos sacerdotes e fariseus estavam sendo adotados e praticados dentro do reino dos céus??

Sim, estava.

Igualdade ou desigualdade??

Não ATRIBUÍAM a si mesmos a alta posição de “justos”, atribuindo aos outros a baixa condição de “pecadores”??

NO ENTANTO, QUAL ERA A REAL CONDIÇÃO DE CADA FILHO?? NÃO ERAM TODOS “PECADORES”??

Não era Zaqueu um praticante de iniquidade?? Não era Zaqueu um iníquo?? Sim, ele era.

Segundo tais humanos, Zaqueu não passava de um vaso próprio para a destruição. Zaqueu era desprezado exatamente por ser “pecador”, era tratado com desdém, no entanto, era este VALIOSO “pecador” que Jesus estava procurando. Procurando para que?? Para salvar. Para salvar como?? Através da palavra falada obviamente. A palavra falada irá convencer o ouvinte de que ele está em erro. Usando o seu livre-arbítrio e depois de estar convencido, Zaqueu precisava dar meia-volta e ninguém poderia fazer isto por ele, ninguém.

O que se faz com um diamante de 200 quilates que estiver todo sujo, bem sujo, sujo mesmo?? Será que ele perde o valor por estar neste estado de sujo?? Sabendo que se trata de um diamante, alguém o jogaria fora?? Todos se apressam em limpá-lo, não é verdade??

Que valor tinha para o Pai, o pecador Zaqueu?? O Pai se alegra tanto, que Ele convoca os vizinhos para uma festa. E, ao chegar à casa, convoca seus amigos e seus vizinhos, dizendo-lhes: ‘Alegrai-vos comigo, porque achei a minha OVELHA QUE ESTAVA PERDIDA.

Os sacerdotes, os fariseus e os demais judeus viviam o seu dia a dia segundo uma interessante regra de comportamento – o pecador não vale nada e ele tem de ser excluído ou destruído. Eles sentiam-se muito elevados e atribuíam NENHUM valor ao “pecador”.

Obviamente, seus sentimentos, suas palavras e suas ações contra os pecadores eram frutos desta norma de procedimento, eram frutos desta diretriz. Bastava rotular certos pecados de “pecados graves” e pronto, mesmo sendo pecadores, estavam prontos para odiar e matar os pecadores ou tratá-los com desdém. Vivendo por esta norma de conduta, um adorador de bezerros de ouro consegue sentir-se melhor que um irmão adorador de Baal e sentir-se feliz em matar os irmãos adoradores de Baal.

Este foi o sentimento externado por um admirado antepassado destes sacerdotes e fariseus em relação a certos pecadores, sentimento que eles copiavam: “Tenho aversão por eles; Odeio-os com ódio consumado”. (Salmos 139:21-22) 21 Acaso não odeio os que te odeiam intensamente, ó Jeová, E não tenho AVERSÃO aos que se revoltam contra ti? 22 Odeio-os com ÓDIO consumado. Tornaram-se para mim verdadeiros inimigos.

AVERSÃO – Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): repugnância, antipatia, rancor, ódio...

aversão Datação: 1598

n substantivo feminino

1 sentimento de repugnância em relação a pessoa ou coisa; repulsão, antipatia

Exs.: tem a. a indivíduos prepotentes

a. ao cigarro

2 rancor, ódio

Ex.: desenvolveu grande a. pelo padrasto



Praticar o ódio não é o oposto a praticar o amor?? Jesus praticava o ódio ou o amor??

O oposto também acontecia, isto é, determinadas ações eram rotuladas de mais justas que outras. A partir daí, criava-se a hierarquia, partindo-se dos mais justos até os mais iníquos. Assim, os mais justos constituíam uma elite e eram exaltados e os mais iníquos eram desprezados e odiados. Obviamente, havia a competição para ser visto como o mais justo, através de boas ações realmente praticadas, ações rotuladas de mais justas que outras ações. De forma incrível, eles não só achavam que “não falar” com pecadores era uma “obra excelente” como também eles achavam que “matar” pecadores era uma “obra excelente”. Assim, tornar-se inimigo de pecadores era visto como uma “obra excelente”. Não só queriam ser vistos como “justos”, como também queriam ser reconhecidos como justos e assim glorificados por tais supostos méritos.

Este havia sido o comportamento tido como certo, até as palavras opostas e o comportamento oposto de Jesus em relação aos “pecadores” que a nação como um todo desprezava, odiava e queria ver mortos, para poderem festejar. De forma 100% oposta ao Pai e exatamente como seus antepassados, estes homens FESTEJAVAM A MORTE dos iníquos.

Este comportamento era fruto do sentimento de SUPERIORIDADE que eles sentiam em relação aos demais humanos. Na HIERARQUIA existente em suas mentes existia Jeová, o Deus e Pai deles, depois vinha o povo escolhido por Jeová Deus, os circuncisos, sendo os escolhidos por Deus dentro deste povo, a parte principal, depois os não escolhidos dentro deste povo (seus irmãos), obviamente, e depois o resto da humanidade, os impuros incircuncisos pecadores.

Tratava-se de um sentimento totalmente oposto ao sentimento de Jeová e ao sentimento de Jesus em relação ao resto da humanidade?? Sim.

Tratava-se de um sentimento totalmente oposto ao sentimento de Jeová e ao sentimento de Jesus em relação aos pecadores?? Sim.


Neste caso, a hierarquia e o consequente sentimento de superioridade revelam ser um GRANDE PERIGO para a “vida”. Desvaloriza-se a “vida”.


Assim, tanto aquele que deseja ser grande como aquele que se enaltece não conseguem entrar no reino dos céus. Este é um dos sentimentos que o impede de entrar no reino dos céus. Entrar no reino dos céus é uma questão individual, é uma questão de livre-arbítrio.


A parcialidade é abundante em qualquer hierarquia, no entanto, assim como o Pai Celestial, o rei do reino dos céus também é IMPARCIAL, pois para eles, todos os súditos têm o mesmíssimo valor, um Alto valor. Cada um vale uma importante “vida”. No reino dos céus valoriza-se a “vida”, logo, aquilo que põe a vida em risco, não pode entrar no reino dos céus, ou seja, ele não consegue entrar, pois as portas do reino dos céus estão continuamente abertas a todos. O sentimento de superioridade põe a “vida” em risco.


O sentimento de superioridade dificulta até mesmo o aprendizado.


As palavras de Jesus foram estas: (Mateus 21:31-32) 31 Qual dos dois fez a vontade do pai?” Eles disseram: “O último.” Jesus disse-lhes: “Deveras, eu vos digo que os cobradores de impostos e as meretrizes ENTRARÃO NA FRENTE de vós no reino de Deus. 32 Porque João veio a vós num caminho de justiça, mas vós não acreditastes nele. No entanto, os cobradores de impostos e as meretrizes acreditaram nele, e vós, embora vísseis [isto], não o deplorastes depois, a ponto de acreditardes nele.


Como poderia uma meretriz entrar no reino dos céus na frente de um sacerdote?? Quem estava mais perto de Deus?? Quem é que oferecia os sacrifícios a Jeová no templo de Jerusalém como designação dada por Jeová?? Não era a meretriz vista pelo designado sacerdote como um caso perdido?? Para o designado sacerdote, a meretriz não era digna de entrar no templo; não era digna nem de tocar nele.


Qual era a mensagem de João Batista?? Era “arrependei-vos pois o reino dos céus se tem aproximado”.

No “alto” de sua condição justa, os sacerdotes e os fariseus não encontravam nada do que se arrepender. As prostitutas e os cobradores de impostos sim, eles eram pecadores. Afinal, somente os pecadores é que precisam de arrependimento. Justos não têm do que se arrepender. Não se precisava de muito esforço para se convencer a uma meretriz de que ela uma pecadora, não é verdade??


Não podemos nos esquecer que PARA ARREPENDER-SE, a pessoa precisa ESTAR CONVENCIDA de que suas ações passadas estavam erradas.


No entanto, na regra de conduta defendida e vivida pelos sacerdotes e demais levitas, não havia espaço nem mesmo para o arrependimento, pois para eles a pessoa tinha de pagar, tinha de receber aquilo que ela merecia por ter praticado aqueles pecados. Se fez, merece, se não fez, não merece. Como o arrependimento só acontece depois do perdão, não havia espaço para o perdão. Se houver perdão, só deve ser dado para quem merece, defendiam os sacerdotes, os fariseus e outros. Estes homens guardavam ressentimento do “pecador”.


O rei do reino dos céus vê cada pecador, independente de quem seja ele e independente de que pecado ele tenha cometido, como sendo alguém que necessita de arrependimento. Para que o arrependimento aconteça, o “pecador” recebe o perdão, pois ele NECESSITA do perdão.


Supondo-se que o valor pré-fixado por Jeová para a “vida” fosse o de um diamante de 200 quilates, que valor seria atribuído a um adúltero?? Passaria a ter um baixo valor por se tornar um cobrador de impostos?? Passaria a ter um baixo valor por tornar-se uma meretriz?? Que resposta deu Jesus para estas perguntas?? Que valor continua a ter a ovelha que está perdida?? Apesar do “baixo valor” dado por qualquer supostamente justo e certamente altivo, Jeová e Jesus continuam a atribuir a estas um “alto valor”.


Será que nosso amado irmão Paulo sentia o mesmo sentimento de Jeová e de Jesus pelos pecadores OU será que ele sentia o mesmo sentimento de seus admirados antepassados?? Que valor atribuía Paulo as meretrizes, aos fornicadores, aos adúlteros, aos cobradores de impostos, aos rebeldes?? Igual a Jesus, o rei do reino dos céus, sentaria Paulo para comer com qualquer pessoa que viesse a cometer estes pecados?? Qual médico, sentava-se Paulo para comer com os irmãos pecadores da “nova” nação santa (a congregação dos santos), ou será que, sentindo-se superior a estes irmãos pecadores de dentro da “nova” nação santa (a igreja dos santos), tratava-os com desdém, empurrando-os para longe de si?? Como poderia haver uma meretriz dentro da congregação dos “santos”?? As palavras e as ações de Paulo já forneceram a resposta. O rei do reino dos céus já viu tanto o sentimento como as ações praticadas por cada um dos discípulos.


QUANTO MAIS IMPORTANTE VOCÊ SE SENTIR, MAIOR SERÁ A TUA INTOLERÂNCIA EM SER OFENDIDO E MAIOR PERIGO CORRE O OFENSOR.


Vamos ver uma das palavras de nosso amado irmão Paulo que revelam o valor que estes já discípulos de Jesus davam a si mesmos: (1 Coríntios 6:1-4) 6 Atreve-se alguém de vós, que tenha uma causa contra outro, ir a juízo perante os injustos, e não perante os SANTOS? 2 Ou não sabeis que os SANTOS julgarão o mundo? E, se o mundo há de ser julgado por vós, sois vós inaptos para julgar assuntos muito triviais? 3 Não sabeis que havemos de julgar anjos? Por que, então, não assuntos desta vida? 4 Se vós, então, tiverdes assuntos desta vida para julgar, colocais como juízes a homens que são menosprezados na congregação?...


Assim verte a Tradução Brasileira: (1 Coríntios 6:1-4) 1 Atreve-se algum de vós, tendo negócio contra outro, a ir a juízo perante os iníquos, e não perante os SANTOS? 2 Porventura não sabeis que os SANTOS julgarão o mundo? e se o mundo é julgado por vós, sois indignos de julgar as coisas mínimas? 3 Não sabeis que julgaremos os anjos, quando mais as coisas desta vida? 4 Portanto se tiverdes de julgar as coisas desta vida, constituis como juízes aqueles que são de mínima importância na igreja?


Dentro da “igreja dos santos” existia os homens de máxima importância e os homens de mínima importância?? Já que dentro da “igreja dos santos” existiam os homens de mínima importância, como será que estes homens de máxima importância de dentro da “igreja dos santos” viam os de fora da igreja??

Até que “altura” chegarão estes homens, estes discípulos de Jesus??

Igreja dos “santos”?? Congregação dos “santos”?? Admitia-se “pecadores” dentro da igreja dos “santos”?? Os demais humanos, os que estavam fora da igreja, o que eram?? Eram os “pecadores imundos”?? Eram os “injustos”?? Eram os “iníquos”?? Os santos julgarão o “mundo”?? Os “santos” julgarão os “anjos”?? Esta é uma altura e tanto, não é?? Esta sim é que é uma bela “altura”!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Esta é uma “altura” incomparável.


Quem elevou estes homens a condição de “santos”?? Será que foi o rei que os elevou a esta condição de “santos”??


Qual foi a posição tomada pelo rei do reino dos céus?? (João 5:26-27) 26 Pois, assim como o Pai tem vida em si mesmo, assim também concedeu ao Filho ter vida em si mesmo. 27 E deu-lhe autoridade para julgar, porque é Filho do homem. (João 12:47) 47 Mas, se alguém ouvir as minhas declarações e não as guardar, EU NÃO O JULGO; pois não vim julgar o mundo, mas salvar o mundo.


Assim verte a Tradução Brasileira: (João 5:26-27) 26 Pois assim como o Pai tem vida em si mesmo, assim também deu ele ao Filho ter vida em si mesmo. 27 Ele lhe deu autoridade para julgar, porque é filho do homem. (João 12:47-48) 47 Se alguém ouvir as minhas palavras, e não as guardar, eu não o julgo; porque não vim a julgar o mundo, mas a salvar o mundo. 48 Quem me despreza e não recebe as minhas palavras, tem quem o julgue; a palavra que falei, essa o julgará no último dia.


Apesar da rebeldia deste, eu não o julgo. A declaração é que o julgará. Quando?? No último dia.


Apesar da rebeldia do mundo, O Pai decidiu mandar Seu filho para salvar o mundo rebelde. (João 3:17) 17 Pois, Deus enviou seu Filho ao mundo, não para julgar o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por intermédio dele.

Assim verte a Tradução Brasileira: (João 3:17) 17 Pois Deus não enviou o Filho ao mundo para julgar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por ele.



Apesar de ter recebido autoridade para julgar, o rei do reino dos céus, decidiu não condenar o mundo. Concordando com a decisão do Pai, ele manteve sua decisão de salvar o mundo. Não é de uma MERECIDA destruição que o mundo “necessita”. O mundo NECESSITA” ser salvo.


Não despreze o nosso irmão Paulo, não despreze os nossos irmãos fariseus, não despreze a nenhum humano. Lembra-se da “IGUALDADE”?? Não julgue nenhum humano; você não é o “juiz” dele, você é o “irmão” dele. Não atribua a estes um valor abaixo do Real valor que eles continuam a ter para o Pai. Eles CONTINUAM a ser amados pelo Pai Celestial.


O rei do reino dos céus continua a olhar para os nossos sentimentos, nossas palavras e nossas ações.



topo desta página