O SOBERBO ABOMINA A IGUALDADE, PORQUE??

Criada em 05/03/12 Última alteração em 21/05/12 às 19 : 20





QUEM É O SOBERBO??





Soberbo e Altivo são a mesma coisa?? Que relação pode existir entre “alto e baixo” com o soberbo??

SOBERBOEsta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss):

soberbo

 \ê\ adj.s.m. (sXIII) 1  que ou o que tem soberba; arrogante, orgulhoso n adj. 2  que se encontra em posição mais elevada que outro; sobranceiro, altaneiro <lá no alto, s. picos recortavam o céu>  3  que impressiona pelo aspecto grandioso; magnífico, sublime <o espetáculo estava s.>  ¤ gram a) nas acp. adj., sup.abs.sint.: soberbíssimo, superbíssimo; b) aum.irreg.: soberbaço; c) dim.irreg.: soberbete ¤ etim lat. superbus,a,um 'id.' ¤ sin/var como adj.: ver sinonímia de elevado e grandioso; como adj.s.m.: ver sinonímia de presumido ¤ ant como adj.: humilde, modesto; como adj.s.m.: ver antonímia de presumido

SOBERBAEsta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss):

soberba

 \ê\ s.f. (sXIII) 1  frm. sobranceria de algo em relação a outra coisa em plano mais baixo; elevação, sobrançaria <a s. da Acrópole sobre Atenas>  2  sentimento de altivez, sobranceria; orgulho <a s. de saber-se nobre de nascimento>  2.1  pej. comportamento excessivamente orgulhoso; arrogância, presunção <em que se apoiava toda aquela s.?>  ¤ etim lat. superbìa,ae 'orgulho, arrogância; altivez; presunção' ¤ sin/var sobrançaria; ver tb. sinonímia de imodéstia ¤ ant humildade, submissão; ver tb. sinonímia de austeridade

ALTIVEZEsta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss):

altivez

 \ê\ s.f. (1573) 1  qualidade de altivo 2  frm. p.us. altura, elevação 3  sentimento de dignidade, brio, nobreza 4  atitude de arrogância; soberba, intolerância ¤ etim altivo + -ez ¤ sin/var ver sinonímia de amor-próprio ¤ ant submissão

ALTIVOEsta é a definição dada por certo dicionário (Hoiuaiss):

altivo

 adj. (sXV) 1  de grande altura; elevado <montanha a. e escarpada>  2  dotado de brio, de dignidade; ilustre 3  que demonstra magnanimidade; generoso, nobre 4  dominado pela arrogância, pela soberba; intolerante, presunçoso 5  fig. que é altissonante, pomposo (diz-se de estilo) ¤ etim 1alto + -ivo ¤ sin/var ver sinonímia de presumido ¤ ant obnóxio; ver tb. antonímia de presumido ¤ hom altivo(fl.altivar)

O que ficou bem claro??

Ficou bem claro que para haver altivez, tem de haver diferença de altura. Sempre se caracteriza pela expressão: “Mais alto do que......”

Fica bem claro que não existe igualdade, pois uma coisa é “mais.... do que” a outra.

Também ficou claro que se trata de um sentimento, logo, se trata de uma coisa individual. A pessoa pode ter tal sentimento ou não ter tal sentimento.

Também ficou claro que o sentimento oposto à soberba é a humildade.

O soberbo sente-se superior. Ele encontra motivos bem lógicos em sua mente para ver outros humanos como inferiores a ele.

Os sentimentos se alojam no coração.

As palavras de Jesus foram estas: (Mateus 12:34-35) 34 Descendência de víboras, como podeis falar coisas boas quando sois iníquos? Pois é da abundância do coração que a boca fala. 35 O homem bom, do seu bom tesouro, envia coisas boas, ao passo que o homem iníquo, do seu tesouro iníquo, envia coisas iníquas....

Assim verte a Tradução Brasileira: (Mateus 12:34-35) 34 Raça de víboras, como podeis falar coisas boas, sendo maus? porque a boca fala o de que está cheio o coração. 35 O homem bom tira boas coisas do seu bom tesouro, e o homem mau tira más coisas do seu mau tesouro.

Assim verte a Tradução Almeida: (Mateus 12:34-35) 34 Raça de víboras! como podeis vós falar coisas boas, sendo maus? pois do que há em abundância no coração, disso fala a boca. 35 O homem bom, do seu bom tesouro tira coisas boas, e o homem mau do mau tesouro tira coisas más.



A iniquidade procede do coração, assim como também a bondade: (Lucas 6:45) 45 O homem bom, do bom tesouro do seu coração, traz para fora o bom, mas o homem iníquo, do seu [tesouro] iníquo, traz para fora o que é iníquo; pois é da abundância do coração que a sua boca fala.

Assim verte a Tradução Brasileira: (Lucas 6:45) 45 O homem bom do bom tesouro do seu coração tira o bem, e o homem mau do mau tesouro tira o mal; porque a sua boca fala o de que está cheio o coração.

Assim verte a Tradição Almeida: (Lucas 6:45) 45 O homem bom, do bom tesouro do seu coração tira o bem; e o homem mau, do seu mau tesouro tira o mal; pois do que há em abundância no coração, disso fala a boca.

Quem pratica o mal é porque é um homem mau pois ele tem um coração cheio de maldade. O homem mau também pratica atos de bondade para aqueles que ele atribui um alto valor, no entanto, o homem bom não pratica nenhum ato de maldade.

O coração é a origem das coisas que aviltam o homem: (Mateus 15:18-20) 18 No entanto, as coisas procedentes da boca saem do coração, e estas coisas aviltam o homem. 19 Por exemplo, do coração vêm raciocínios iníquos, assassínios, adultérios, fornicações, ladroagens, falsos testemunhos, blasfêmias. 20 Estas são as coisas que aviltam o homem; mas tomar uma refeição sem lavar as mãos não é o que avilta o homem.”



Assim verte a Tradução Brasileira: (Mateus 15:17-20) 17 Não sabeis que tudo o que entra pela boca, desce ao ventre e é lançado em lugar escuso? 18 Mas tudo o que sai da boca, vem do coração, e isto contamina o homem. 19 Pois do coração procedem maus pensamentos, homicídios, adultérios, fornicações, furtos, falsos testemunhos, blasfêmias. 20 Estas coisas são as que contaminam o homem; porém o comer sem lavar as mãos não o contamina.

Assim verte a Tradução Almeida: (Mateus 15:17-20) 17 Não compreendeis que tudo o que entra pela boca desce pelo ventre, e é lançado fora? 18 Mas o que sai da boca procede do coração; e é isso o que contamina o homem. 19 Porque do coração procedem os maus pensamentos, homicídios, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias. 20 São estas as coisas que contaminam o homem; mas o comer sem lavar as mãos, isso não o contamina.

A soberba é um sentimento e sai de dentro do coração do humano, qualquer humano: (Marcos 7:20-23) 20 Outrossim, ele disse: “O que sai do homem é o que avilta o homem; 21 pois, de dentro, dos corações dos homens, saem raciocínios prejudiciais: fornicações, ladroagens, assassínios, 22 adultérios, cobiças, atos de iniqüidade, fraude, conduta desenfreada e um olho invejoso, blasfêmia, soberba, irracionalidade. 23 Todas estas coisas iníquas saem de dentro e aviltam o homem.”

Assim verte a Tradução Brasileira: (Marcos 7:20-23) 20 Continuou: O que sai do homem, isso é o que o contamina. 21 Pois de dentro, do coração dos homens, é que procedem os maus desígnios, as fornicações, os furtos, os homicídios, os adultérios, 22 as avarezas, as malícias, o dolo, a lascívia, a inveja, a blasfêmia, a soberba e a loucura: 23 todas estas más coisas procedem de dentro e contaminam o homem.

Assim verte a Tradução Almeida: (Marcos 7:20-23) 20 E prosseguiu: O que sai do homem , isso é que o contamina. 21 Pois é do interior, do coração dos homens, que procedem os maus pensamentos, as prostituições, os furtos, os homicídios, os adultérios, 22 a cobiça, as maldades, o dolo, a libertinagem, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a insensatez; 23 todas estas más coisas procedem de dentro e contaminam o homem.



Como o Pai vê o homem altivo, o homem soberbo??

As palavras de Jesus foram estas: (Lucas 16:14-15) 14 Ora, os fariseus, que eram amantes do dinheiro, estavam escutando todas estas coisas, e começaram a escarnecer dele. 15 Conseqüentemente, ele lhes disse: “Vós sois os que vos declarais justos perante os homens, mas Deus conhece os vossos corações; porque aquilo que é altivo entre os homens é uma coisa repugnante à vista de Deus.

Assim verte a Tradução Brasileira: (Lucas 16:14-15) 14 Os fariseus, que eram avarentos, ouviam tudo isto, e mofavam dele. 15 Disse-lhes Jesus: Vós sois os que vos justificais diante dos homens, mas Deus conhece os vossos corações; pois o que é elevado entre os homens, é abominação diante de Deus.

Assim verte a Tradução Almeida: (Lucas 16:14-15) 14 Os fariseus, que eram gananciosos, ouviam todas essas coisas e zombavam dele. 15 E ele lhes disse: Vós sois os que vos justificais a vós mesmos diante dos homens, mas Deus conhece os vossos corações; porque o que entre os homens é elevado, perante Deus é abominação.

Perante o Pai é uma abominação; diante de Deus é uma abominação; é uma coisa repugnante diante de Deus.

Alguma dúvida?? Deus vê tal pessoa como uma abominação, como uma coisa repugnante, como alguém aviltado, como alguém contaminado.

Será que isto se refere a alguns humanos específicos ou se refere a qualquer humano que tiver este sentimento???

A igualdade, a equidade, se caracteriza por não fazer diferença entre pessoas. Será que esta é uma característica da personalidade de Jeová, o Deus Altíssimo??

Se Davi, um servo do Deus Altíssimo tivesse este sentimento no coração, também seria visto por Jeová como uma abominação?? Haveria igualdade ou desigualdade?? Haveria imparcialidade ou haveria parcialidade?? Trato a todos igualmente ou trato o meu servo de forma diferenciada?? Do meu amigo eu perdoo tudo enquanto do meu inimigo eu não perdoo nada?? Será que esta é a filosofia de vida do Deus Altíssimo???

Como identificar um homem soberbo, um homem altivo?? Quais são as características que identificam um homem soberbo??

Trata-se de uma pessoa qualquer, em qualquer página do tempo, que ao comparar-se com uma ou várias pessoas, sinta-se superior a estas pessoas em face de determinadas coisas ou de determinadas condições.

Trata-se de qualquer pessoa que ao sentir-se assim, passe a declarar-se em melhores condições do que as demais pessoas que estejam perto ou longe, vivas ou mortas.

No caso dos judeus, eles declaravam-se menos pecadores que os demais humanos. Sentiam-se e declaravam-se mais justos que os demais humanos. Todos os israelitas se consideram humanos melhores do que os outros humanos. Eles queriam e buscavam a superioridade sobre os demais povos, afinal, eles eram o povo escolhido por Deus. Eles eram o único povo com o qual, o Deus Altíssimo residia.

Não seria este motivo o suficientemente forte para identificar-lhes como os melhores humanos que haviam no planeta?? Não seriam eles superiores aos demais humanos pelo fato de terem sido escolhidos pelo Deus Altíssimo?? Será que eles foram escolhidos exatamente porque eram os melhores?????

Pelo menos o povo israelita encontrava motivos lógicos para se acharem um povo superior aos demais povos.



Bem, Jesus sabia identificar estas pessoas. Jesus convivia com estas pessoas todo o tempo. Jesus queria que estas pessoas percebessem os seus próprios sentimentos. Em certa ocasião assim falou Jesus: (Lucas 18:9-14) 9 Mas, ele contou a seguinte ilustração também a alguns que confiavam em si mesmos como sendo justos e que consideravam os demais como nada: 10 Dois homens subiram ao templo para orar, um sendo fariseu e o outro cobrador de impostos. 11 O fariseu estava em pé e começou a orar as seguintes coisas no seu íntimo: Ó Deus, agradeço-te que não sou como o resto dos homens, extorsores, injustos, adúlteros, ou mesmo como este cobrador de impostos. 12 Jejuo duas vezes por semana, dou o décimo de todas as coisas que adquiro.’ 13 O cobrador de impostos, porém, estando em pé à distância, não estava nem disposto a levantar os olhos para o céu, mas batia no peito, dizendo: ‘Ó Deus, sê clemente para comigo pecador.’ 14 Digo-vos: Este homem desceu para sua casa provado mais justo do que aquele homem; porque todo o que se enaltecer será humilhado, mas quem se humilhar será enaltecido.”

Assim verte a Tradução Brasileira: (Lucas 18:9-14) 9 Propôs também a seguinte parábola a alguns que confiavam na sua própria justiça e desprezavam aos mortos: 10 Subiram dois homens ao templo para orar: um fariseu, e outro publicano. 11 O fariseu, posto em pé, orava dentro de si desta forma: Ó Deus, graças te dou que não sou como os demais homens, que são ladrões, injustos, adúlteros, nem ainda como este publicano; 12 jejuo duas vezes por semana e dou o dízimo de tudo quanto ganho. 13 O publicano, porém, estando a alguma distância, não ousava nem ainda levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, sê propício a mim pecador. 14 Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque todo o que se exalta, será humilhado; mas o que se humilha, será exaltado.

Assim verte a Tradução Almeida: (Lucas 18:9-14) 9 Propôs também esta parábola a uns que confiavam em si mesmos, crendo que eram justos, e desprezavam os outros: 10 Dois homens subiram ao templo para orar; um fariseu, e o outro publicano. 11 O fariseu, de pé, assim orava consigo mesmo: ó Deus, graças te dou que não sou como os demais homens, roubadores, injustos, adúlteros, nem ainda com este publicano. 12 Jejuo duas vezes na semana, e dou o dízimo de tudo quanto ganho. 13 Mas o publicano, estando em pé de longe, nem ainda queria levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: ó Deus, sê propício a mim, o pecador! 14 Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque todo o que a si mesmo se exaltar será humilhado; mas o que a si mesmo se humilhar será exaltado.

Quais foram as características que identificaram aquele soberbo??

Bem, este homem era praticante de justiça.

Ele era um servo do Deus Altíssimo, ele não era ladrão, nem injusto, nem adúltero, além do que, ele fazia questão de pagar o dízimo honestamente, além de jejuar duas vezes por semana, enquanto outros servos só jejuavam uma vez por semana (aos sábados).

Não se pode negar. Este homem tinha um excelente currículo. Tratava-se de um servo com um excelente currículo em “obras excelentes”.

Obviamente que este homem sentia-se um homem mais limpo em relação aos demais humanos. Este homem via as obras pecaminosas praticadas pelos demais homens. As obras praticadas pelos demais homens eram obras classificadas como pecado pelo próprio Deus. Este homem tinha conhecimento disso e concordava com o Pai em relação a isto.

Em face de suas obras ele se autoaprovava. Ele comparava as suas obras com as obras dos outros e chegava a lógica conclusão de que ele era bem melhor do que os outros homens.

Este homem não quis humilhar nem aos demais homens, nem a seu irmão judeu dentro do templo do Deus Altíssimo, pois ele não proferiu nenhuma palavra. Sua oração era algo silencioso, feita no íntimo, feita na sua mente com os sentimentos provenientes do seu coração.

Ele dizia: Ó Deus, te agradeço por não ser igual ao demais homens. Tudo girava em torno do pecado.

Ele não fazia as mesmas coisas que os demais homens faziam, não é verdade?? Sim, ele não fazia.

Bem, este homem achava-se merecedor de uma melhor sorte em relação aos demais humanos?? Certamente. Suas ações eram melhores do que as ações dos outros homens, logo ele se declarava mais justo do que os demais homens. Ora, ora, mas isto não está certo??

Ora, sendo um fato que os demais homens eram praticantes daquelas iniquidades, enquanto ele não praticava aquelas iniquidades, isto não o colocaria automaticamente como mais justo do que os outros?? Sendo mais justo, não passava a ser melhor do que os demais homens, sendo merecedor de melhor sorte do que os demais??

Quem eram os “demais homens”?? Bem, eram os gentios, os incircuncisos, os praticantes de diversos pecados, estando incluídos nestes, os samaritanos, aqueles que eles desprezavam. Obviamente, também o eram, os seus irmãos judeus que praticassem estes tipos de pecados, inclusive aquele judeu cobrador de impostos.

Este sincero adorador do Deus Altíssimo via a apontava os reais pecados cometidos por estas pessoas, pecados estes que ele não cometia.

Bem, estes “demais homens” eram praticantes de iniquidades, não eram?? Certamente.

O que é mesmo desprezar?? Desprezar também é um sentimento, não é?? Será que tem algo a ver com desdenhar??

DESPREZOEsta é a definição dada por certo dicionário: Atribuir um baixo valor, isto é, desvalorizar outros, passando a ter por esta pessoa, baixa ou nenhuma estima, apreço ou consideração. Desafeição, desamor, desestima e indiferença são alguns dos sinônimos para desprezo.

Não era este o sentimento que os judeus sentiam pelos samaritanos?? Sim, era este. Este sentimento resultava em certas palavras e em certas ações contra os samaritanos, como por exemplo, não cumprimentá-los, mantendo um comportamento distanciado.

desprezo

\ê\ s.m. (sXV) 1 ato ou efeito de desprezar 1.1  falta de estima, apreço ou consideração; desdém <tratou-a com d.>  1.2  sentimento de repulsa 1.3  sentimento pelo qual o espírito se transporta acima da cobiça, do medo etc.; desprendimento <d. da riqueza> <d. do perigo>  ² dar-se ao d.  tornar-se digno de desprezo; aviltar-se ¤ etim regr. de desprezar ¤ sin/var contempto, depreciação, desafeição, desamor, desapreço, descaso, desconsideração, desdém, desestima, desrespeito, desvalorização, escárnio, indiferença, malbarato, menoscabo, menosprezo, pouco-caso; ver tb. sinonímia de repulsão ¤ ant admiração, afeição, amizade, amor, apego, apreço, benquerença, carinho, consideração, dileção, enaltecimento, estima, exalçamento, louvor, predileção, respeito, simpatia, ternura, valorização; ver tb. antonímia de repulsão ¤ hom desprezo(fl.desprezar)

DESDÉMEsta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss):

desdém

 s.m. (sXIII) 1  desprezo arrogante; altivez, soberbia, sobranceria <a dona da loja tratou-o com d.>  2  p.ext. comportamento distanciado; indiferença <seu d. indicava falta de maturidade>  3  falta de trato ou esmero (para com algo ou si mesmo); desalinho, negligência <até para encontrar o namorado, vestia-se com d.>  ² ao d.  com displicência, sem cuidado; negligentemente <usava as roupas ao d.>  ¤ etim provç. desdenh, regr. de desdenhar ¤ sin/var ver sinonímia de desprezo e imodéstia ¤ ant ver antonímia de desprezo e sinonímia de austeridade

A boca fala daquilo que o coração está cheioesta foi a afirmação de Jesus. Do que estava cheio o coração destes servos de Deus?? Aquilo que estes servos do Deus Altíssimo tinham no coração está registrado nas “Escrituras”.

Um servo do Deus Altíssimo assim se expressou em relação a certos pecadores, revelando o que havia em seu coração, além de mostrar ser um acusador: (Salmos 139:19-22) 19 Oh! que tu, ó Deus, matasses ao iníquo. Então certamente se retirariam de mim até mesmo os homens culpados de sangue, 20 Que dizem coisas sobre ti segundo a [sua própria] idéia; Tomaram [teu nome] dum modo fútil — teus adversários. 21 Acaso não odeio os que te odeiam intensamente, ó Jeová, E não tenho aversão aos que se revoltam contra ti? 22 Odeio-os com ódio consumado. Tornaram-se para mim verdadeiros inimigos.

Assim verte a Tradução Brasileira: (Salmos 139:19-22) 19 Oxalá que tirasses a vida ao perverso, ó Deus; Apartai-vos de mim, homens sanguinários. 20 Eles se rebelam malvadamente contra ti, E os teus inimigos tomam em vão o teu nome. 21 Não aborreço eu, Jeová, os que te aborrecem? Não abomino eu os que se levantam contra ti? 22 Aborreço-os com ódio completo; Eles se tornaram os meus inimigos.

Assim verte a Tradução Almeida: (Salmos 139:19-22) 19 Oxalá que matasses o perverso, ó Deus, e que os homens sanguinários se apartassem de mim, 20 homens que se rebelam contra ti, e contra ti se levantam para o mal. 21 Não odeio eu, ó Senhor, aqueles que te odeiam? e não me aflijo por causa dos que se levantam contra ti? 22 Odeio-os com ódio completo; tenho-os por inimigos.

Abomino, sinto aversão daqueles que se revoltam contra ti, ó Deus!! Odeio-os com ódio completo, ó Senhor!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Eu os tenho por inimigos, ó meu Pai!!!!!!!!!!

Tratava-se de lindas canções que acalentavam os corações destes servos do Deus Altíssimo.

Este servo do Deus Altíssimo resolveu ficar do lado do Deus Altíssimo e contra aqueles que se rebelavam contra o Deus Altíssimo. Ele tinha por amigo aqueles que não se rebelassem contra o Deus Altíssimo e tinha por inimigos aqueles que se rebelassem contra o Deus Altíssimo.

Senhor, eu odeio aquele que te odeia. Senhor eu estou do teu lado contra o teu inimigo. Eu tenho por inimigo e odeio aquele que se rebela contra o Senhor.

O servo do Deus Altíssimo continuou a expressar o seu sentimento pelos iníquos?? (Salmos 26:3-5) 3 Porque a tua benevolência está diante dos meus olhos E tenho andado na tua verdade. 4 Não me sentei com homens de inveracidade; E não entro com os que ocultam o que são. 5 Tenho odiado a congregação dos malfeitores E não me sento com os iníquos.

Assim verte a Tradução Brasileira: (Salmos 26:3-5) 3 Pois a tua benignidade está diante dos meus olhos; E tenho andado na tua verdade. 4 Não me tenho sentado com homens falsos, Nem terei relações com dissimuladores. 5 Odeio o ajuntamento do mal-fazejos, E com iníquos não me sentarei.

Assim verte a Tradução Almeida: (Salmos 26:3-5) 3 Pois a tua benignidade está diante dos meus olhos, e tenho andado na tua verdade. 4 Não me tenho assentado com homens falsos, nem associo com dissimuladores. 5 Odeio o ajuntamento de malfeitores; não me sentarei com os ímpios.

Tenho me separado completamente dos ímpios. Não me sentarei com eles.

Jesus revelou ter um sentimento bem diferente deste, pois ele sentava-se e comia com os ímpios, não é verdade????

Jesus pousava nas casas dos ímpios, não é verdade?? Jesus revelou ter um sentimento oposto ao sentimento deste servo do Deus Altíssimo, não é verdade??? Afinal de contas, ímpio é ímpio, não é verdade?? O que merece um ímpio??

Será que isto não seria traição de Jesus ao Deus Altíssimo??? Não devia Jesus também ficar do lado do Deus Altíssimo e contra os ímpios, exatamente assim como todo mundo fazia?????????

Obviamente, por não sentir-se um iníquo, por não sentir-se “um igual”, este servo do Deus Altíssimo continua a expressar o seu desejo em relação aos iníquos: (Salmos 28:3-4) 3 Não me arrastes junto com os iníquos e com os que praticam o que é prejudicial, Os que falam de paz com os seus companheiros, mas em cujos corações há o que é mau. 4 Dá-lhes segundo a sua atuação E segundo a ruindade das suas práticas. Dá-lhes segundo o trabalho das suas mãos. Paga-lhes de volta o seu próprio ato.

Assim verte a Tradução Brasileira: (Salmos 28:3-4) 3 Não me arrastes juntamente com os iníquos E com os que obram a iniqüidade, Os quais falam de paz com o seu próximo, Mas têm em seus corações a maldade. 4 Dá-lhes segundo a sua obra, e segundo a maldade dos seus feitos; Dá-lhes segundo o que fizeram as suas mãos, Retribui-lhes o que eles merecem.

Assim verte a Tradução Almeida: (Salmos 28:3-4) 3 Não me arrastes juntamente com os ímpios e com os que praticam a iniqüidade, que falam de paz ao seu próximo, mas têm o mal no seu coração. 4 Retribui-lhes segundo as suas obras e segundo a malícia dos seus feitos; dá-lhes conforme o que fizeram as suas mãos; retribui-lhes o que eles merecem.

Pai, por favor, não me iguale a estes iníquos. Dá a eles o que eles merecem”.

Será que o caso de Diná filha de Jacó com Siquém, filho de Hamor, o heveu, traduz e revela como agem os homens que falam de paz ao seu próximo, mas que têm o mal no seu coração??? O servo de Deus está liberado para fazer estas coisas??? Estas coisas são iníquas, independente de quem as faça, não é verdade???

O que ocorreu??? Assim se fez registrar nas “Escrituras” as ações destes servos do Deus Altíssimo: (Gênesis 34:13) . . .E os filhos de Jacó começaram a responder com engano a Siquém e a Hamor, seu pai, e a falar assim porque ele tinha aviltado Diná, irmã deles.

Assim verte a Tradução Almeida: (Gênesis 34:13) 13 Então os filhos de Jacó, respondendo, falaram enganosamente a Siquém e a Hamor, seu pai, porque Siquém havia contaminado a Diná, sua irmã,

Que mais fizeram além do engano?? Assim se fez registrar esta outra ação dos “servos do Deus Altíssimo”:(Gênesis 34:25-31) 25 No entanto, sucedeu que no terceiro dia, quando sentiam dores, os dois filhos de Jacó, Simeão e Levi, irmãos de Diná, passaram a tomar cada um a sua espada e a ir insuspeitos à cidade, e mataram todo macho. 26 E a Hamor e a Siquém, seu filho, mataram ao fio da espada. Tiraram então Diná da casa de Siquém e saíram. 27 Os outros filhos de Jacó atacaram os homens mortalmente feridos e foram saquear a cidade, porque haviam aviltado a sua irmã. 28 Tomaram os seus rebanhos, e as suas manadas, e os seus jumentos, e o que havia na cidade e o que havia no campo. 29 E a todos os seus meios de subsistência, e a todas as suas criancinhas, e as esposas deles levaram cativas, de modo que saquearam tudo o que havia nas casas. 30 Em vista disso, Jacó disse a Simeão e a Levi: “Vós me trouxestes o banimento, fazendo de mim um mau cheiro para os habitantes do país, para os cananeus e para os perizeus, sendo eu poucos em número, e eles por certo se ajuntarão contra mim e me assaltarão, e eu terei de ser aniquilado, eu e a minha casa.” 31 Disseram, por sua vez: “Havia alguém de tratar nossa irmã como prostituta?”

Assim verte a Tradução Almeida: (Gênesis 34:25-31) 25 Ao terceiro dia, quando os homens estavam doridos, dois filhos de Jacó, Simeão e Levi, irmãos de Diná, tomaram cada um a sua espada, entraram na cidade com toda a segurança e mataram todo varão. 26 Mataram também ao fio da espada a Hamor e a Siquém, seu filho; e, tirando Diná da casa de Siquém, saíram. 27 Vieram os filhos de Jacó aos mortos e saquearam a cidade; porquanto haviam contaminado a sua irmã. 28 Tomaram-lhes os rebanhos, os bois, os jumentos, e o que havia tanto na cidade como no campo; 29 e todos os seus bens, e todos os seus pequeninos, e as suas mulheres, levaram por presa; e despojando as casas, levaram tudo o que havia nelas. 30 Então disse Jacó a Simeão e a Levi: Tendes-me perturbado, fazendo-me odioso aos habitantes da terra, aos cananeus e perizeus. Tendo eu pouca gente, eles se ajuntarão e me ferirão; e serei destruído, eu com minha casa. 31 Ao que responderam: Devia ele tratar a nossa irmã como a uma prostituta?

Ora, a culpa é dele. Quem mandou este incircunciso ter desrespeitado a nossa irmã??? Ele colocou o seu sangue sobre sua própria cabeça??

Os descendentes destes homens viam-se como um grupo, exaltavam o seu grupo e rebaixavam o valor dos outros grupos, afinal, eles eram servos do Deus Altíssimo, eram descendentes de Abraão. Ferir e matar um escravo não é crime, afinal, o escravo é apenas um escravo??????? Ele é apenas o teu dinheiro?? Neste caso, que valor se está atribuindo a este escravo?? Alto ou baixo valor??? Ferir e matar um filisteu não é crime, afinal, ele é apenas um incircunciso iníquo, não é verdade????? Que valor se está dando a este filisteu?? Alto ou baixo valor?? Enganar um filisteu não é crime, afinal ele é um inimigo do Deus Altíssimo, não é verdade???? Que valor se está atribuindo a este filisteu??? Alto ou baixo valor?? Escravizar um servo do Deus Altíssimo é um grande crime?? Neste caso, que valor se está atribuindo a este servo do Deus Altíssimo??? Alto ou baixo valor???

Quanto mais importante se sente a pessoa, maior será a intolerância contra o erro dos vizinhos e maior perigo correrão os seus vizinhos.

Ó meu Deus, pratique a lei da retribuição contra o impio!!!!!!!!!!!! Não me veja como um igual a ele, pois eu não faço parte do grupo dele. Dê a eles o que eles merecem.

O servo do Deus Altíssimo continua falando para Deus: (Salmos 26:8-10) 8 Jeová, tenho amado a habitação da tua casa E o lugar do domicílio da tua glória. 9 Não tires a minha alma junto com os pecadores, Nem a minha vida junto com os homens culpados de sangue, 10 Em cujas mãos há conduta desenfreada E cuja direita está cheia de suborno.

Assim verte a Tradução Brasileira: (Salmos 26:8-10) 8 Amo, Jeová, a habitação da tua casa, E o lugar onde assiste a tua glória. 9 Não leves a minha alma juntamente com os pecadores, Nem a minha vida com os sanguinários, 10 Em cujas mãos há crimes; E cuja direita está cheia de peitas.

Assim verte a Tradução Almeida: (Salmos 26:8-10) 8 Senhor, eu amo o recinto da tua casa e o lugar onde permanece a tua glória. 9 Não colhas a minha alma com a dos pecadores, nem a minha vida a dos homens sanguinolentos, 10 em cujas mãos há malefício, e cuja destra está cheia de subornos.

Será que este servo do Deus Altíssimo não era um pecador??? Será que na sua mão não tinha o sangue de nenhum humano?? Será que ele achava que matar incircunciso não era manchar as mãos de sangue, tornar-se culpado de sangue?? Será que ele se considerava um pecador especial?? Será que ele se considerava como fazendo parte do “grupo de Jeová”, um grupo especial, estando assim contra todos os demais grupos??? Será que ele se via como alguém que apenas eliminava vasos imprestáveis, prestando um serviço sagrado para o Deus Altíssimo??

Será que esta ação deste servo do Deus Altíssimo não o colocava como um homem sanguinário pelo fato dele ser um servo do Deus Altíssimo???? (1 Samuel 18:27) 27 Davi levantou-se, pois, e ele e seus homens foram e golpearam dentre os filisteus duzentos homens, e Davi veio trazer os seus prepúcios e dá-los ao rei no número total, para formar uma aliança matrimonial com o rei. Saul, por sua vez, deu-lhe Mical, sua filha, por esposa.

Assim verte a Tradução Almeida: (1 Samuel 18:27) 27 quando Davi se levantou, partiu com os seus homens, e matou dentre os filisteus duzentos homens; e Davi trouxe os prepúcios deles, e os entregou, bem contados, ao rei, para que fosse seu genro. Então Saul lhe deu por mulher sua filha Mical.

Os filisteus e os demais homens que habitavam aquela terra eram culpados de pecado perante Jeová, o Deus Altíssimo. Foi exatamente isto o que Jeová havia falado para o servo escolhido. Foi exatamente por praticarem “coisas detestáveis” (abominações), que Jeová havia afirmado que eles eram merecedores de serem removidos daquela terra. (Levítico 18:25-27) . . .. 25 Por conseguinte, a terra é impura e eu trarei sobre ela punição pelo seu erro, e a terra vomitará os seus habitantes. 26 E vós mesmos tendes de guardar os meus estatutos e as minhas decisões judiciais, e não deveis fazer nenhuma de todas estas coisas detestáveis, quer o natural quer o residente forasteiro que reside no vosso meio. 27 Pois todas estas coisas detestáveis foram feitas pelos homens da terra, que vos precederam, de modo que a terra é impura.

Assim verte a Tradução Brasileira: (Levítico 18:24-27) 24 Não vos contamineis com nenhuma destas coisas, pois com todas elas são contaminadas as nações que eu hei de expulsar de diante de vós. 25 A terra está contaminada, portanto visito nela as suas iniqüidades, e ela vomita os seus habitantes. 26 Vós guardareis os meus estatutos e os meus juízos, e não cometereis nenhuma destas abominações, nem o natural, nem o estrangeiro que peregrina entre vós 27 (porque todas estas abominações cometeram os homens da terra, que foram antes de vós, e a terra está contaminada).

Assim verte a Tradução Almeida: (Levítico 18:24-27) 24 Não vos contamineis com nenhuma dessas coisas, porque com todas elas se contaminaram as nações que eu expulso de diante de vós; 25 e, porquanto a terra está contaminada, eu visito sobre ela a sua iniqüidade, e a terra vomita os seus habitantes. 26 Vós, pois, guardareis os meus estatutos e os meus preceitos, e nenhuma dessas abominações fareis, nem o natural, nem o estrangeiro que peregrina entre vós 27 (porque todas essas abominações cometeram os homens da terra, que nela estavam antes de vós, e a terra ficou contaminada);

Será que o servo de Deus podia praticar alguma das “coisas detestáveis” (abominações) e mostrar-se merecedor de continuar a morar na terra de Canaã??

Analisemos esta interessante ação deste servo do Deus Altíssimo.

Que motivos levaram a esta ação?? Se esta ação de Davi contra os filisteus, fosse um ação dos filisteus contra o servo do Deus Altíssimo, o que diriam os humanos que faziam parte deste grupo de “servos do Deus Altíssimo”?? Considerariam uma ação normal ou uma coisa detestável (abominação)?? E se os motivos fossem os mesmos, o que diriam tais servos do Deus Altíssimo?? O que diriam os observadores imparciais?? (1 Samuel 18:27-28) 27 Davi levantou-se, pois, e ele e seus homens foram e golpearam dentre os filisteus duzentos homens, e Davi veio trazer os seus prepúcios e dá-los ao rei no número total, para formar uma aliança matrimonial com o rei. Saul, por sua vez, deu-lhe Mical, sua filha, por esposa. 28 E Saul chegou a ver e saber que Jeová estava com Davi. . . .

Assim verte a Tradução Almeida: (1 Samuel 18:27-28) 27 quando Davi se levantou, partiu com os seus homens, e matou dentre os filisteus duzentos homens; e Davi trouxe os prepúcios deles, e os entregou, bem contados, ao rei, para que fosse seu genro. Então Saul lhe deu por mulher sua filha Mical. 28 Mas quando Saul viu e compreendeu que o Senhor era com Davi e que todo o Israel o amava,

Esta ação revela muito sobre os valores que os servos do Deus Altíssimo davam aos filisteus. Será que os filisteus eram vistos apenas como vasos imprestáveis próprios apenas para a destruição??

O que o conceito de igualdade, o que o conceito de imparcialidade do Deus Altíssimo pediria para uma situação assim??

Tempos depois, assim se expressou Jeová em relação a seus servos e aos amorreus: (Amós 2:6-11) 6 Assim disse Jeová: ‘Por causa de três revoltas de Israel e por causa de quatro não o farei voltar atrás, por venderem o justo pela mera prata e o pobre pelo [preço de] um par de sandálias. 7 Estão suspirando pelo pó da terra na cabeça das pessoas de condição humilde; e mudam o rumo do caminho dos mansos; e um homem e seu próprio pai foram ter com a [mesma] moça para profanar meu santo nome. 8 E estenderam-se sobre vestes tomadas em penhor, ao lado de todo altar; e na casa de seus deuses bebem o vinho dos que foram multados.’ 9 “‘Mas eu, por causa deles, tinha aniquilado o amorreu, cuja altura era como a altura dos cedros e que era vigoroso como as árvores maciças; e fui aniquilar seus frutos em cima e suas raízes embaixo. 10 E eu mesmo vos fiz subir da terra do Egito e vos fiz andar através do ermo por quarenta anos, para que tomásseis posse da terra do amorreu. 11 E continuei a suscitar alguns dos vossos filhos como profetas e alguns dos vossos jovens como nazireus. Não deve realmente ser assim, ó filhos de Israel?’ é a pronunciação de Jeová.

Assim verte a Tradução Almeida: (Amós 2:6-11) 6 Assim diz o Senhor: Por três transgressões de Israel, sim, por quatro, não retirarei o castigo; porque vendem o justo por dinheiro, e o necessitado por um par de sapatos. 7 Pisam a cabeça dos pobres no pó da terra, pervertem o caminho dos mansos; um homem e seu pai entram à mesma moça, assim profanando o meu santo nome. 8 Também se deitam junto a qualquer altar sobre roupas empenhadas, e na casa de seu Deus bebem o vinho dos que têm sido multados. 9 Contudo eu destruí o amorreu diante deles, a altura do qual era como a dos cedros, e cuja força era como a dos carvalhos; mas destruí o seu fruto por cima, e as suas raízes por baixo. 10 Outrossim vos fiz subir da terra do Egito, e quarenta anos vos guiei no deserto, para que possuísseis a terra do amorreu. 11 E dentre vossos filhos suscitei profetas, e dentre os vossos mancebos, nazireus. Acaso não é isso assim, filhos de Israel? diz o Senhor.

Cometeram mais abominações do que todos os amorreus: (2 Reis 21:8-11) . . .” 9 E eles não escutaram, porém, Manassés continuou a seduzi-los para fazerem o que era mau, mais do que as nações que Jeová aniquilara de diante dos filhos de Israel. 10 E Jeová continuou a falar por meio dos seus servos, os profetas, dizendo: 11 “Visto que Manassés, rei de Judá, fez estas coisas detestáveis, ele agiu de modo mais iníquo do que todos os amorreus antes dele, e passou a fazer até mesmo Judá pecar com os seus ídolos sórdidos. . .

Assim verte a Tradução Almeida: (2 Reis 21:8-9) 9 Eles, porém, não ouviram; porque Manassés de tal modo os fez errar, que fizeram pior do que as nações que o Senhor tinha destruído de diante dos filhos de Israel. 10 Então o Senhor falou por intermédio de seus servos os profetas, dizendo: 11 Porquanto Manassés, rei de Judá, cometeu estas abominações, fazendo pior do que tudo quanto fizeram os amorreus, que foram antes dele, e com os seus ídolos fez Judá também pecar;

Os servos do Deus Altíssimo cometeram mais abominações (iniquidades) do que todos os povos ao redor deles. Assim falou O Deus Altíssimo, confirmando suas outras afirmações: (Ezequiel 5:5-9) 5 Assim disse o Soberano Senhor Jeová: ‘Esta é Jerusalém. Coloquei-a no meio das nações, com terras ao seu redor. 6 E ela passou a comportar-se rebeldemente contra as minhas decisões judiciais, em iniqüidade maior do que as nações, e contra os meus estatutos, mais do que as terras ao seu redor, pois rejeitaram as minhas decisões judiciais, e quanto aos meus estatutos, não andaram neles.’ 7 Portanto, assim disse o Soberano Senhor Jeová: ‘Visto que fostes mais tumultuosos do que as nações ao vosso redor, não andastes nos meus estatutos e não executastes as minhas decisões judiciais — mas, porventura não agistes segundo as decisões judiciais das nações ao vosso redor? — 8 portanto, assim disse o Soberano Senhor Jeová: “Eis que sou contra ti, [ó cidade,] sim, eu, e vou executar no teu meio decisões judiciais aos olhos das nações. 9 E vou fazer em ti o que não fiz e como não mais farei, por causa de todas as tuas coisas detestáveis.

Assim verte a Tradução Almeida: (Ezequiel 5:5-9) 5 Assim diz o Senhor Deus: Esta é Jerusalém; coloquei-a no meio das nações, estando os países ao seu redor; 6 ela, porém, se rebelou perversamente contra os meus juízos, mais do que as nações, e os meus estatutos mais do que os países que estão ao redor dela; porque rejeitaram as minhas ordenanças, e não andaram nos meus preceitos. 7 Portanto assim diz o Senhor Deus: Porque sois mais turbulentos do que as nações que estão ao redor de vós, e não tendes andado nos meus estatutos, nem guardado os meus juízos, e tendes procedido segundo as ordenanças das nações que estão ao redor de vós; 8 por isso assim diz o Senhor Deus: Eis que eu, sim, eu, estou contra ti; e executarei juízos no meio de ti aos olhos das nações. 9 E por causa de todas as tuas abominações farei sem ti o que nunca fiz, e coisas às quais nunca mais farei semelhantes.



Bem, eles haviam se separado como um grupo que estava do lado do Deus Altíssimo. Será que o Deus Altíssimo concordava com estes sentimentos e estas atitudes tomadas pelos seus servos???? Será que alguém tinha tido a curiosidade de parar e perguntar diretamente ao Deus Altíssimo, se Ele concordava com tais coisas???????



Será que este servo do Deus Altíssimo também aprovava a si próprio?? (Salmos 7:8-9) 8 O próprio Jeová sentenciará os povos. Julga-me, ó Jeová, segundo a minha justiça E segundo a minha integridade que há em mim. 9 Por favor, tenha fim a maldade dos iníquos, E seja o justo firmado por ti; E Deus, como justo, prova o coração e os rins.

Assim verte a Tradução Brasileira: (Salmos 7:8-9) 8 Jeová administra justiça aos povos: Julga-me, Jeová, conforme a retidão e integridade que há em mim. 9 Cesse a maldade dos iníquos, Mas estabelece tu o justo, Pois o justo Deus sonda os corações e os rins.

Assim verte a Tradução Almeida: (Salmos 7:8-9) 8 O Senhor julga os povos; julga-me, Senhor, de acordo com a minha justiça e conforme a integridade que há em mim. 9 Cesse a maldade dos ímpios, mas estabeleça-se o justo; pois tu, ó justo Deus, provas o coração e os rins.

Ele não se considerava um iníquo, isto ficou bem claro. Ele se considerava justo. Obviamente, ele não via pecado algum em suas ações contra os iníquos povos ao redor.

Isto é ou não é uma autoaprovação????? Quem é que aprova, não é o professor??? Não era o Deus Altíssimo que deveria aprovar as ações do “servo”??? O “servo” deve ter as suas ações aprovadas pelo seu amo, não é verdade??? Eu sou um “servo aprovado” de Deus. Para Deus, que valor tem esta afirmação?????????? A quem eu estou aprovando????

Ó Senhor, eu sou um homem que pratica a justiça e sou um homem íntegro”. Não deveria esperar e ouvir do Pai a palavra de aprovação ou reprovação das ações praticadas??

Deve um “servo” do Deus Altíssimo buscar a aprovação de outro “servo”???

De quem um filho deve buscar a aprovação? Do pai, de um de seus irmãos, ou ainda, do vizinho???? O filho deve aprovar-se a si mesmo??

Meu Deus tem me sustentado por causa da minha integridade” – Assim falou o servo do Deus Altíssimo: (Salmos 41:11-13) 11 Por meio disso sei deveras que te agradaste de mim, Porque meu inimigo não brada em triunfo sobre mim. 12 Quanto a mim, sustentaste-me por causa da minha integridade E pôr-me-ás diante da tua face por tempo indefinido. 13 Bendito seja Jeová, o Deus de Israel, De tempo indefinido a tempo indefinido. Amém e amém.

Assim verte a Tradução Brasileira: (Salmos 41:11-13) 11 Por isso conheço que tu te deleitas em mim, Por não triunfar de mim o meu inimigo. 12 Quanto a mim, tu me sustens na minha integridade, E me colocas diante da tua face para sempre. 13 Bendito seja Jeová, Deus de Israel, Desde a eternidade até a eternidade. Amém e Amém.

Assim verte a Tradução Almeida: (Salmos 41:11-13) 11 Por isso conheço eu que te deleitas em mim, por não triunfar de mim o meu inimigo. 12 Quanto a mim, tu me sustentas na minha integridade, e me colocas diante da tua face para sempre. 13 Bendito seja o Senhor Deus de Israel de eternidade a eternidade. Amém e amém.

Não é o fato de os meus inimigos não triunfarem sobre mim a prova de que te deleitas em mim, de que te agradas de mim?? E porque te agradas de mim??? Não é por causa da minha integridade”??

Eles sabiam que o Deus Altíssimo não aprovava nenhuma das coisas abomináveis.

Será que o Deus Altíssimo era um Deus RETRIBUIDOR de sentimentos e de ações???

Se me deres amor, te retribuirei com amor; se me deres o desprezo, te retribuirei com o desprezo; se me deres a inimizade, te retribuirei com a inimizade; se me deres o ódio, te retribuirei com o ódio. Será que era esta a filosofia de vida do Deus Altíssimo??

O servo responderia que sim, pois na sua visão, o Deus Altíssimo era um retribuidor, um “justo retribuidor”.

O servo do Deus Altíssimo vivia o seu dia a dia sendo um retribuidor de sentimentos, e ainda guardava ressentimentos.

Obviamente, que, depois destes sentimentos do servo do Deus Altíssimo contra os ímpios, vêm as palavras e as ações deste servo, contra os homens ímpios.



Obviamente, alguém irá perguntar: Ora, se eu me esforcei mais e se eu fiz mais que aquele outro, igualar-me a ele não seria uma injustiça contra mim??



Bem, Jesus passou a explicar esta interessante questão àqueles que se sentiam melhores.



As palavras de Jesus foram: (Mateus 20:1-16) 20Porque o reino dos céus é semelhante a um homem, um dono de casa, que saiu cedo de manhã para contratar trabalhadores para o seu vinhedo. 2 Tendo concordado com os trabalhadores em um denário por dia, mandou-os ao seu vinhedo. 3 Saindo também por volta da terceira hora, viu outros parados, sem emprego, na feira; 4 e ele disse a estes: ‘Vós também, ide ao vinhedo, e eu vos darei o que for justo.5 De modo que eles foram. Ele saiu novamente por volta da sexta hora e da nona hora, e fez o mesmo. 6 Finalmente, por volta da décima primeira hora, saiu e encontrou outros parados, e disse-lhes: ‘Por que ficastes parados aqui o dia todo sem emprego?’ 7 Eles lhe disseram: ‘Porque ninguém nos contratou.’ Disse-lhes: ‘Ide vós também ao vinhedo.’ 8 Quando anoiteceu, o dono do vinhedo disse ao seu encarregado: ‘Chama os trabalhadores e paga-lhes o seu salário, passando dos últimos para os primeiros.’ 9 Ao chegarem os homens da décima primeira hora, cada um deles recebeu um denário. 10 Portanto, ao chegarem os primeiros, concluíram que receberiam mais; mas eles também receberam o pagamento à razão de um denário. 11 Tendo-o recebido, começaram a murmurar contra o dono de casa 12 e disseram: ‘Estes últimos fizeram uma só hora de trabalho; ainda assim os fizestes iguais a nós, os que levamos o fardo do dia e o calor abrasador!13 Mas ele disse, em resposta, a um deles: ‘Amigo, não te faço nenhuma injustiça. Não concordaste comigo em um denário? 14 Toma o que é teu e vai. Eu quero dar a este último o mesmo que a ti. 15 Não me é lícito fazer o que quero com as minhas próprias coisas? Ou é o teu olho iníquo porque sou bom?’ 16 Deste modo, os últimos serão primeiros e os primeiros, últimos.”



Assim verte a Tradução Almeida: (Mateus 20:1-16) 1 Porque o reino dos céus é semelhante a um homem, proprietário, que saiu de madrugada a contratar trabalhadores para a sua vinha. 2 Ajustou com os trabalhadores o salário de um denário por dia, e mandou-os para a sua vinha. 3 Cerca da hora terceira saiu, e viu que estavam outros, ociosos, na praça, 4 e disse-lhes: Ide também vós para a vinha, e dar-vos-ei o que for justo. E eles foram. 5 Outra vez saiu, cerca da hora sexta e da nona, e fez o mesmo. 6 Igualmente, cerca da hora undécima, saiu e achou outros que lá estavam, e perguntou-lhes: Por que estais aqui ociosos o dia todo? 7 Responderam-lhe eles: Porque ninguém nos contratou. Disse-lhes ele: Ide também vós para a vinha. 8 Ao anoitecer, disse o senhor da vinha ao seu mordomo: Chama os trabalhadores, e paga-lhes o salário, começando pelos últimos até os primeiros. 9 Chegando, pois, os que tinham ido cerca da hora undécima, receberam um denário cada um. 10 Vindo, então, os primeiros, pensaram que haviam de receber mais; mas do mesmo modo receberam um denário cada um. 11 E ao recebê-lo, murmuravam contra o proprietário, dizendo: 12 Estes últimos trabalharam somente uma hora, e os igualastes a nós, que suportamos a fadiga do dia inteiro e o forte calor. 13 Mas ele, respondendo, disse a um deles: Amigo, não te faço injustiça; não ajustaste comigo um denário? 14 Toma o que é teu, e vai-te; eu quero dar a este último tanto como a ti. 15 Não me é lícito fazer o que quero do que é meu? Ou é mau o teu olho porque eu sou bom? 16 Assim os últimos serão primeiros, e os primeiros serão últimos.



Parecia haver uma injustiça. Do ponto de vista do mérito, havia uma injustiça. Aquele que fez mais merece receber mais. Esta é a justiça do ponto de vista do mérito, ou seja, do merecimento. Nada mais justo do que aquele que fizer MAIS, também receber MAIS.

Não eram estes homens os adeptos da teoria do mérito ou merecimento?? Sim, eram. O que todas as declarações acima do servo do Deus Altíssimo revelavam em relação a este assunto?? Não revelam que este servo do Deus Altíssimo vivia e amava esta filosofia de vida, praticando-a no seu dia a dia????



Revelavam a opinião do servo, de que estava havendo um relacionamento dele com Deus, na base do merecimento, e no qual, o Deus Altíssimo era um retribuidor ou um justo pagador do merecimento de cada um. Era isto o que ele esperava de Deus.

Segundo esta visão, o Deus Altíssimo estava devolvendo ao humano tudo aquilo que o humano revelava merecer em face de suas ações passadas.

Tratava-se da enorme diferença entre o “pensamento” do homem e o “pensamento” de Jeová, O Pai. Assim já havia falado O Pai para o Seu mensageiro Isaías: (Isaías 55:8-9) 8 “Pois os vossos pensamentos não são os meus pensamentos, nem os meus caminhos, os vossos caminhos”, é a pronunciação de Jeová. 9 “Porque assim como os céus são mais altos do que a terra, assim os meus caminhos são mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos, do que os vossos pensamentos.



Assim verte a Tradução Brasileira: (Isaías 55:8-9) 8 Pois os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos são os meus caminhos, diz Jeová. 9 Assim como os céus são mais altos do que a terra, assim os meus caminhos são mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos do que os vossos pensamentos.



Assim verte a Tradução Almeida: (Isaías 55:8-9) 8 Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor. 9 Porque, assim como o céu é mais alto do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos.


PENSAMENTOEsta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss):

pensamento

s.m. (sXIII) 1 ato ou efeito de pensar 2 aquilo que se pensa <é impossível adivinhar seus p.> 3 faculdade que tem como objetivo o conhecimento; inteligência <a linguagem é uma das formas de expressão do p.> 4 natureza, grau ou nível dessa faculdade <p. abstrato> 5 maneira de pensar, de julgar; opinião, ponto de vista <falou francamente, sem disfarçar seu p.> 6 faculdade de fantasiar, de imaginar <em p. conhecia lugares onde nunca esteve> 7 observação que resulta de reflexão; meditação <vivia mergulhado nos seus p.> 8 representação mental de algo concreto e objetivo; ideia <esse p. jamais me passou pela cabeça> 9 sentimento de responsabilidade; cuidado, preocupação <a saúde da mãe é um foco permanente do p. da filha> 10 sentença que, em poucas palavras, explicita regra ou princípio de alcance moral; máxima, provérbio <gostava de p. populares> 11 conjunto de ideias de uma pessoa, de uma escola, de um povo, de uma raça ou de uma época <p. de um fisósofo> 12 tema central de uma obra <o p. daquele romance é de fácil compreensão> 13 fil atividade cognitiva, racional; conhecimento por conceitos etim pensar + -mento sin/var ver sinonímia de julgamento hom pensamento(fl.pensamentar)



Assim, aquele que se achava íntegro, desejava receber aquilo de bom que lhe cabia em face desta integridade demonstrada, pois, ele passava a merecer e fazer jus a algo bom por sua integridade demonstrada. Tratava-se de uma “justa retribuição”. Ele passa a ser digno de receber. Ele se achava digno de receber segundo aquilo que ele havia feito. Aquilo que ele faz o torna digno de receber, logo, se o outro não faz, este outro não se torna digno de receber.

Se este que não se tornou digno de receber, vier a receber, ocorreu uma injustiça da parte daquele que deu. A pessoa que vive esta filosofia de vida, ao encontrar-se em uma situação como esta, sentir-se-á uma vítima de injustiça.

Viva o dia a dia pelas regras do merecimento??



Não revelava ser um relacionamento baseado na troca, ou seja, na permuta??  

MERECIMENTOEsta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss):

merecimento

 s.m. (sXIII) 1  aquilo que torna alguém ou algo digno ou passível de receber prêmio ou castigo <tratar alguém de acordo com seus m.>  2  aquilo que empresta valor a algo; aquilo que há de bom, vantajoso, admirável ou recomendável em alguém ou algo; importância, preço, valor <o livro tem algum m.>  3  caráter, qualidade de quem, pelo valor, dotes morais e/ou intelectuais, é digno de apreço, de reconhecimento; capacidade, engenho, talento <um homem de m.> <um artista de muito m.>  4  jur m.q. mérito 5  rel frm. cada um dos padecimentos por que passou Cristo para salvar a humanidade <os m. da paixão de Jesus>  ¤ etim merecer + -mento com alt. da vogal temática -e- > -i- ¤ sin/var apreço, aptidão, benemerência, capacidade, dom, dote, engenho, excelência, idoneidade, importância, mérito, superioridade, valia, virtude ¤ ant desmerecimento

Viva o dia a dia pelas regras da retribuição??

Aqueles homens apresentaram o tanto quanto realmente haviam feito, ou seja, trabalharam no calor do sol durante as doze horas. Obviamente que isto os fazia sentirem-se dignos de receber um denário, o valor acordado entre as partes. O acordo foi o de receberem um denário por dia. Sentiam-se como fazendo jus a receber um denário, sentiam-se como merecendo receber o denário em face do trabalho realizado. Assim, aquele que não trabalhou a mesma quantidade de tempo, não faz jus a receber o mesmo denário. Ora, se aqueles outros trabalharam apenas uma hora, como poderiam fazer jus a receber um denário???

O dono da casa manda chamar aqueles que trabalharam apenas uma hora e mandou dar-lhes o pagamento de acordo com sua visão de justiça, isto é, um denário. E isto bem na frente dos demais.

Se eles receberem um denário, certamente eu receberei muito mais do que um denário. Esta é a lógica da justiça humana.

O que foi dito aos contratados da terceira, da sexta e da nona hora?? Foi-lhes dito: “Lhes darei o que for justo”.

SERÁ QUE SE TRATAVA DE VIVER O DIA A DIA COM BASE NA “JUSTA RETRIBUIÇÃO”??

Quando o dono da casa falou em dar o que for “justo”, o que isto representaria??

Para “aquele que ouvia” representava uma coisa, enquanto que para “o dono da casa” representava outra.

A filosofia de vida vivida por aqueles homens os faria ver “injustiça”, pois segundo a filosofia vivida no dia a dia deles, aquele que trabalhasse mais merecia receber mais. Tratava-se da “justa retribuição”.

O humano valorizava aquilo que fazia. O humano comparava aquilo que fazia com o que outro fazia e passava a estabelecer um motivo válido para a existência de desigualdade, ou seja, VALE MAIS aquele que FAZ MAIS. Logo, aquele que NADA FAZ, NADA VALE.

O que ficou provado???

Ficou provado que o dono da casa vivia segundo outra filosofia de vida. O dono da casa vivia segundo a filosofia da bondade e não segundo a filosofia do merecimento ou da filosofia da “justa” retribuição.

Qual das duas filosofias de vida estava errada?? Afinal de contas, o que Jesus queria que os alunos percebessem.

Que frutos seriam produzidos por cada uma das filosofias de vida?? Neste caso específico, qual das filosofias colocaria a “vida” em risco?? Qual das duas filosofias valorizam a “vida”??

A filosofia de vida a ser vivida no reino dos céus encontra-se em choque com a filosofia de vida vivida pelo humano. Neste caso, o humano em questão era um servo do Deus Altíssimo.

FOI UMA SITUAÇÃO REAL.

Jeová é chamado de injusto por agir com bondade para com iníquos.

Quando foi que isto aconteceu??

Vamos deixar o dono da casa contar o que houve: (Malaquias 3:13-15) 13 Fortes foram as vossas palavras contra mim”, disse Jeová. E dissestes: “Que falamos entre nós contra ti?” 14 Dissestes: De nada vale servir a Deus. E que lucro há em termos cumprido a obrigação para com ele e em termos andado acabrunhados por causa de Jeová dos exércitos? 15 E atualmente declaramos felizes os presunçosos. Também os praticantes da iniqüidade foram edificados. Eles também têm experimentado a Deus e conseguem safar-se.’”

Assim verte a Tradução Brasileira: (Malaquias 3:13-15) 13 As vossas palavras têm sido audazes contra mim, diz Jeová. Contudo dizeis: Em que temos falado contra ti? 14 Tendes dito: Vão é servir a Deus: e que nos aproveita termos guardado o seu preceito, e termos andado de luto perante Jeová dos exércitos? 15 Assim nós chamamos ditosos aos soberbos; os que obram impiedade, são edificados; os que tentam a Deus, são libertados.

Assim verte a Tradução Almeida: (Malaquias 3:13-15) 13 As vossas palavras foram agressivas para mim, diz o Senhor. Mas vós dizeis: Que temos falado contra ti? 14 Vós tendes dito: inútil é servir a Deus. Que nos aproveita termos cuidado em guardar os seus preceitos, e em andar de luto diante do Senhor dos exércitos? 15 Ora pois, nós reputamos por bem-aventurados os soberbos; também os que cometem impiedade prosperam; sim, eles tentam a Deus, e escapam.



As palavras ofensivas não foram dirigidas diretamente ao Pai Celestial. Foram palavras faladas entre eles. Eles estavam externando suas sinceras opiniões sobre as ações do Deus Altíssimo, Jeová. Falavam sobre como estavam se sentindo em face do tratamento que aqueles praticantes de impiedade estavam recebendo.

O que percebiam estes humanos que tinham retornado do exílio de setenta anos em Babilônia?? O que estavam testemunhando?? Eles perceberam que os outros povos, seus inimigos, também estavam retornando para seus locais de origem, recebendo o mesmo livramento concedido a eles, os cumpridores das obrigações, os que guardavam os preceitos de Deus, ou seja, os servos do Deus Altíssimo. O que desejavam ver?? Que sentimento havia em seus corações?? Desejavam ver a calamidade do iníquo; eles ficariam felizes por verem a calamidade dos que cometiam impiedade.

Na realidade, o que estava acontecendo??

Jeová estava usando de misericórdia, estava praticando a bondade para com aquele que não merecia. Era a mesmíssima misericórdia dada ao servo escolhido. Ao verem tal coisa, eles ficaram muito irritados. Será que estes filhos se sentiam acima daqueles que cometiam impiedade?? Será que estes filhos viam-se como melhores do que aqueles outros que foram tratados bondosamente?? Será que estes filhos se viam como mais justos do que aqueles que cometiam impiedade?? Suas palavras faladas entre si revelaram existir que sentimentos nos corações deles???

O próprio Jeová já os havia informado que isto iria acontecer desta forma. Assim falou Jeová para Seu mensageiro Jeremias: (Jeremias 12:14-16) 14 Assim disse Jeová contra todos os meus maus vizinhos que tocam na propriedade hereditária que fiz que meu povo, sim, Israel, possuísse: “Eis que os desarraígo do seu solo; e desarraigarei a casa de Judá do meio deles. 15 E terá de acontecer que, depois de eu os desarraigar, hei de ter de novo misericórdia com eles e vou trazê-los de volta, cada um à sua propriedade hereditária e cada um à sua terra.” 16 “E terá de acontecer que, se sem falta aprenderem os caminhos do meu povo, jurando pelo meu nome: ‘Por Jeová que vive!’ assim como ensinaram ao meu povo a jurar por Baal, serão também edificados no meio do meu povo.

Assim verte a Tradução Almeida: (Jeremias 12:14-16) 14 Assim diz o Senhor acerca de todos os meus maus vizinhos, que tocam a minha herança que fiz herdar ao meu povo Israel: Eis que os arrancarei da sua terra, e a casa de Judá arrancarei do meio deles. 15 E depois de os haver eu arrancado, tornarei, e me compadecerei deles, e os farei voltar cada um à sua herança, e cada um à sua terra. 16 E será que, se diligentemente aprenderem os caminhos do meu povo, jurando pelo meu nome: Vive o Senhor; como ensinaram o meu povo a jurar por Baal; então edificar-se-ão no meio do meu povo.

O povo escolhido por Jeová não gostou desta ação misericordiosa de Jeová para com um iníquo. No entanto, do ponto de vista de Jeová, eles é que eram os mais iníquos. Isto não é incrível???



OUTRA ILUSTRAÇÃO - O USO DA BONDADE DO PAI PARA COM UM JOVEM FILHO REBELDE CAUSA RAIVA NO SEU IRMÃO MAIS VELHO.



Novamente Jesus traz à atenção a forma bondosa que Jeová usa para tratar um filho iníquo.

Afinal, porque o filho mais velho ficou tão irado??

Jesus também revela a reação daquele outro filho, o mais velho, que, tendo cumprido as obrigações, sente-se injustiçado, em face do tratamento que é dispensado pelo pai ao filho iníquo. Ele é testemunha de que aquele filho iníquo não foi tratado segundo o merecimento dele e fica irritado. Ele fez o que era mal, como pode estar recebendo o que é bom?? Eu fiz o que era bom, logo, porque não recebi a mesma festa dada a ele?? Meu pai está sendo injusto para comigo, não está??

Decerto que o irmão mais velho não daria este tratamento bondoso para seu irmão. Provavelmente ele o visse como um ex-irmão, como alguém indigno de ser seu irmão.

Certamente, o filho mais velho vivia pela filosofia da justa retribuição, ou seja, dê a cada um aquilo que ele merece, segundo aquilo que ele fez.

Mesmo o filho mais jovem, também vivia a filosofia do merecimento, pois afirmou: “Não sou mais digno de ser chamado teu filho”. Ele estava convicto de que seu pai já não o via mais como um filho.

Assim falou Jesus: (Lucas 15:11-32) 11 Ele disse então: “Certo homem tinha dois filhos. 12 E o mais jovem deles disse a seu pai: ‘Pai, dá-me a parte dos bens que me cabe.’ Dividiu então os seus meios de vida entre eles. 13 Mais tarde, não muitos dias depois, o filho mais jovem ajuntou todas as coisas e viajou para fora, a um país distante, e ali esbanjou os seus bens por levar uma vida devassa. 14 Quando já tinha gasto tudo, ocorreu uma fome severa em todo aquele país, e ele principiou a passar necessidade. 15 Ele até mesmo foi e se agregou a um dos cidadãos daquele país, e este o enviou aos seus campos para pastar porcos. 16 E costumava desejar saciar-se das alfarrobas que os porcos comiam, e ninguém lhe dava [nada]. 17 Quando caiu em si, disse: ‘Quantos empregados de meu pai têm abundância de pão, enquanto eu pereço aqui de fome! 18 Levantar-me-ei e viajarei para meu pai e lhe direi: ‘Pai, pequei contra o céu e contra ti. 19 Não sou mais DIGNO de ser chamado teu filho. Faze de mim um dos teus empregados.”’ 20 Levantou-se assim e foi ter com seu pai. Enquanto ainda estava longe, seu pai o avistou e teve pena, e correu e lançou-se-lhe ao pescoço e o beijou ternamente. 21 O filho disse-lhe então: ‘Pai, pequei contra o céu e contra ti. Não sou mais DIGNO de ser chamado teu filho. Faze de mim um dos teus empregados.’ 22 Mas o pai disse aos seus escravos: ‘Ligeiro! Trazei uma veste comprida, a melhor, vesti-o com ela, e ponde-lhe um anel na mão e sandálias nos pés. 23 E trazei o novilho cevado e abatei-o, e comamos e alegremo-nos, 24 porque este meu filho estava morto, e voltou a viver; estava perdido, mas foi achado.’ E principiaram a regalar-se. 25 Ora, o filho mais velho dele estava no campo; e quando chegou e se aproximou da casa, ouviu um concerto de música e dança. 26 De modo que chamou a si um dos servos e indagou o significado destas coisas. 27 Este lhe disse: ‘Chegou teu irmão, e teu pai abateu o novilho cevado, porque o recebeu de volta em boa saúde.’ 28 Mas ele ficou furioso e não quis entrar. Saiu então seu pai e começou a suplicar-lhe. 29 Em resposta, ele disse ao seu pai: Eis que trabalhei tantos anos como escravo para ti, e nunca, nem uma única vez, transgredi o teu mandamento, contudo, nunca, nem uma única vez, me deste um cabritinho para alegrar-me com os meus amigos. 30 Mas, assim que chegou este teu filho, que consumiu com as meretrizes o teu meio de vida, abates para ele o novilho cevado.31 Disse-lhe então: ‘Filho, tu sempre estiveste comigo e todas as minhas coisas são tuas; 32 mas nós simplesmente tivemos de nos regalar e alegrar, porque este teu irmão estava morto, e voltou a viver, e estava perdido, mas foi achado.’”



Assim verte a Tradução Almeida: (Lucas 15:11-32) 11 Disse-lhe mais: Certo homem tinha dois filhos. 12 O mais moço deles disse ao pai: Pai, dá-me a parte dos bens que me toca. Repartiu-lhes, pois, os seus haveres. 13 Poucos dias depois, o filho mais moço ajuntando tudo, partiu para um país distante, e ali desperdiçou os seus bens, vivendo dissolutamente. 14 E, havendo ele dissipado tudo, houve naquela terra uma grande fome, e começou a passar necessidades. 15 Então foi encontrar-se a um dos cidadãos daquele país, o qual o mandou para os seus campos a apascentar porcos. 16 E desejava encher o estômago com as alfarrobas que os porcos comiam; e ninguém lhe dava nada. 17 Caindo, porém, em si, disse: Quantos empregados de meu pai têm abundância de pão, e eu aqui pereço de fome! 18 Levantar-me-ei, irei ter com meu pai e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e diante de ti; 19 já não sou DIGNO de ser chamado teu filho; trata-me como um dos teus empregados. 20 Levantou-se, pois, e foi para seu pai. Estando ele ainda longe, seu pai o viu, encheu-se de compaixão e, correndo, lançou-se-lhe ao pescoço e o beijou. 21 Disse-lhe o filho: Pai, pequei conta o céu e diante de ti; já não sou DIGNO de ser chamado teu filho. 22 Mas o pai disse aos seus servos: Trazei depressa a melhor roupa, e vesti-lha, e ponde-lhe um anel no dedo e alparcas nos pés; 23 trazei também o bezerro, cevado e matai-o; comamos, e regozijemo-nos, 24 porque este meu filho estava morto, e reviveu; tinha-se perdido, e foi achado. E começaram a regozijar-se. 25 Ora, o seu filho mais velho estava no campo; e quando voltava, ao aproximar-se de casa, ouviu a música e as danças; 26 e chegando um dos servos, perguntou-lhe que era aquilo. 27 Respondeu-lhe este: Chegou teu irmão; e teu pai matou o bezerro cevado, porque o recebeu são e salvo. 28 Mas ele se indignou e não queria entrar. Saiu então o pai e instava com ele. 29 Ele, porém, respondeu ao pai: Eis que há tantos anos te sirvo, e nunca transgredi um mandamento teu; contudo nunca me deste um cabrito para eu me regozijar com meus amigos; 30 vindo, porém, este teu filho, que desperdiçou os teus bens com as meretrizes, mataste-lhe o bezerro cevado. 31 Replicou-lhe o pai: Filho, tu sempre estás comigo, e tudo o que é meu é teu; 32 era justo, porém, regozijarmo-nos e alegramo-nos, porque este teu irmão estava morto, e reviveu; tinha-se perdido, e foi achado.

O filho mais velho revelou todo o seu sentimento em relação a esta situação totalmente inesperada para ele. Ele ficou surpreso com os sentimentos do seu pai em relação a seu iníquo irmão. Bem, a partir desta inesperada ação do pai, que sentimentos desenvolveria este irmão mais velho em relação a seu iníquo irmão mais jovem?? Passaria a amá-lo ou ficaria com mais raiva dele???

Nas suas conclusões a respeito de seu iníquo irmão mais jovem, o irmão mais velho não sabia e não havia levado em conta os sentimentos do seu pai pelo seu iníquo irmão mais jovem.

O pai revelou que continuava amando ao seu iníquo filho mais jovem. O filho mais velho tinha agora um problema de coração, um problema de sentimentos. Ele precisava sintonizar os seus sentimentos com os sentimentos do seu pai.

SERÁ QUE UM FILHO PRECISA APRESENTAR MÉRITOS PARA PODER SER AMADO OU PARA PODER CONTINUAR A SER AMADO PELO SEU PAI??

Como um filho pode deixar de ter tal sentimento?? Ele vê a iniquidade do outro; ele não comete a iniquidade cometida pelo outro e no entanto o outro ainda recebe o mesmo bom tratamento dado a ele. Neste caso, o outro ainda foi recebido pelo pai com grande amor, com grande alegria e com grande festa. Ainda com raiva, ele certamente diria: “Como pode o meu pai amar alguém iníquo”??

Como corrigir este sentimento?? Como evitar ter este sentimento??

As palavras de Jesus são estas: Não valorizes o que fazes; não te valorizes por fazer o que te foi mandado fazer. (Lucas 17:10) 10 Assim também vós, quando tiverdes feito todas as coisas que vos foram determinadas, dizei: ‘Somos escravos imprestáveis. O que temos feito é o que devíamos fazer.’”

Assim verte a Tradução Brasileira: (Lucas 17:10) 10 Assim também vós, depois de haverdes feito tudo o que vos foi ordenado, dizei: Somos servos inúteis, fizemos o que devíamos fazer.

Assim verte a Tradução Almeida: (Lucas 17:10) 10 Assim também vós, quando fizerdes tudo o que vos for mandado, dizei: Somos servos inúteis; fizemos somente o que devíamos fazer.

Este é o remédio contra a soberba. A soberba é um sentimento. Para não ter este sentimento, eu preciso não me valorizar e não valorizar nada do que eu faça. Desta forma, eu não vou me comparar com a outra pessoa naquilo que ela fez e não vou comparar o que ela recebeu com aquilo que eu recebi.

Jesus chama a atenção de seus alunos: “Depois que o escravo acaba de fazer uma tarefa qualquer que lhe foi ordenada, deve ele ficar aguardando ser valorizado pelo que fez”???? “Depois que terminar de fazer uma tarefa, não deve ele ir fazer uma outra tarefa”???

Depois que a criança acaba de comer a nutritiva refeição preparada pelo seu pai ele olha para o pai e lhe pergunta: Papai, o que é que eu vou ganhar por ter comido toda a comida”???

Ora, ora, a criança quer um prêmio por ter cumprido uma obrigação, obrigação esta que somente ela sairá beneficiada, pois trata-se da sua própria saúde física.

Na visão da criança ela está prestando um enorme favor para o seu pai. Para esta criança, excetuando o brincar, fazer qualquer outra coisa é estar fazendo um favor. Nota-se que a criança está buscando uma valorização do que ela está fazendo. Ela está buscando um reconhecimento de todo o esforço que ela está fazendo para realizar aquela atividade. Afinal, para ela é um grade esforço, pois, ela gosta mesmo é de brincar. Ela não considera o brincar como estar fazendo um grande esforço, ou considera???

Ora, os mandamentos de Jeová, o Deus Altíssimo, são regras para o nosso próprio benefício. Ele já faz as coisas da forma que nos manda fazer. De quem é o prejuízo por deixar de fazer, não é nosso??? Quem é que morre, não somos nós?? E ainda queremos uma recompensa por valorizarmos e cuidarmos da nossa própria “vida”?? Queremos uma recompensa por valorizarmos a nossa própria saúde física???

Os rebeldes servos do Deus Altíssimo estavam recebendo uma punição. Estavam na condição de escravos em terras do reino de Babilônia. Tratava-se de uma punição. Justos não recebem punições. A punição durou setenta anos.

Estes servos do Deus Altíssimo, desejando agradar ao Deus que afirmavam adorar, estavam valorizando coisas que eles estavam fazendo. Eles afirmavam que estavam jejuando para Jeová, que estavam fazendo todo aquele sacrifício por causa de Jeová. Para estes humanos assim falou o Deus Altíssimo: (Zacarias 7:4-7) 4 E continuou a vir a haver para mim a palavra de Jeová dos exércitos, dizendo: 5 Dize a todo o povo da terra e aos sacerdotes: ‘Quando jejuastes e houve lamentação no quinto [mês] e no sétimo [mês], e isto por setenta anos, jejuastes realmente para mim, sim, para mim? 6 E quando estáveis comendo e quando estáveis bebendo, não fostes vós que comíeis e não fostes vós que bebíeis? 7 Não [devíeis obedecer] às palavras que Jeová clamou por intermédio dos profetas anteriores, enquanto aconteceu que Jerusalém estava habitada e tranqüila, com as suas cidades em sua volta, e [enquanto] o Negebe e a Sefelá estavam habitados?’”

Assim verte a Tradução Brasileira: (Zacarias 7:4-7) 4 Então veio a mim a palavra de Jeová dos exércitos, dizendo: 5 Fala a todo o povo da terra, e aos sacerdotes: Quando jejuastes e pranteastes no quinto e no sétimo mês, durante estes setenta anos, acaso foi para mim, realmente para mim que jejuastes? 6 Quando comeis, e quando bebeis, não sois vós os que comeis, e os que bebeis? 7 Acaso não deveis ouvir as palavras que Jeová tem proferido por meio dos profetas anteriores, quando Jerusalém estava habitada e próspera, e as suas cidades circunvizinhas e o Neguebe e a Sefela estavam habitados?

Assim verte a Tradução Almeida: (Zacarias 7:4-7) 4 Então a palavra do Senhor dos exércitos veio a mim, dizendo: 5 Fala a todo o povo desta terra, e aos sacerdotes, dizendo: Quando jejuastes, e pranteastes, no quinto e no sétimo mês, durante estes setenta anos, acaso foi mesmo para mim que jejuastes? 6 Ou quando comeis e quando bebeis, não é para vós mesmos que comeis e bebeis? 7 Não eram estas as palavras que o Senhor proferiu por intermédio dos profetas antigos, quando Jerusalém estava habitada e próspera, juntamente com as suas cidades ao redor dela, e quando o Sul e a campina eram habitados?



O Pai está nos ensinando a entendermos e lidarmos com os nossos próprios sentimentos, que são o ponto de partida para as nossas palavras e para as nossas ações no dia a dia. No nosso dia a dia com quem nos relacionamos?? Nos relacionamos com o próximo, não é verdade?????

O coração é o solo onde são plantados todos os sentimentos. Estas palavras acima faladas por Jesus são uma semente. A “filosofia do merecimento” também é uma semente, assim como a “filosofia da bondade” também é uma semente. Estas sementes são plantadas no coração e no tempo devido, as árvores geradas começam a dar os seus frutos característicos. Uma semente de manga sempre produzirá uma mangueira e nunca produzirá uma jaqueira.

Ver sempre o outro humano como um igual me impedirá de sentir-me em um nível acima do dele, o que abrirá assim as portas para a prática de um mal qualquer contra ele no dia a dia.

Atribuir ao outro humano o mesmo valor que o Pai atribui a ele, me impedirá de desvalorizar o outro humano no dia a dia.

Isto significa que eu tenho de admitir que seja o Pai, aquele que atribui o correto valor para as pessoas, e concordar com o valor que o Pai dá ao iníquo pecador. Eu preciso entender por que o Pai mantém no filho iníquo um valor tão elevado.

Eu preciso LEVAR EM CONTA os sentimentos do Pai. Eu preciso RESPEITAR os sentimentos do Pai.

Afinal de contas, porque o Pai valoriza o iníquo pecador?? Porque ele Ama. Àquele que se ama, se ensina e se perdoa. O humano está sendo ensinado e perdoado pelo seu erro, não está sendo julgado.

A soberba é um sentimento que impede o servo do Deus Altíssimo de amar ao próximo como a si mesmo.

A SOBERBA É UM SENTIMENTO QUE IMPEDE O HUMANO DE AMAR AO PRÓXIMO COMO A SI MESMO.

Será que o servo do Deus Altíssimo estava sendo tratado pelo Deus Altíssimo segundo a filosofia vivida no dia a dia pelo servo?? Embora os servos se achassem dignos, como será que o Deus Altíssimo Jeová os via e os tratava??

O próprio Deus Altíssimo Jeová forneceu esta resposta para o seu mensageiro Ezequiel. O Deus Altíssimo Jeová falou que poderia tê-los exterminado várias vezes, mas que não o fez por causa do Seu nome. Eu tive dó, Eu agi com misericórdia. Assim falou Jeová: “Tive pena e não os exterminei”. (Ezequiel 20:17) 17 “‘“E meu olho começou a ter dó deles [para me impedir] de arruiná-los, e não os exterminei no ermo.

Assim verte a Tradução Almeida: (Ezequiel 20:17) 17 Não obstante os meus olhos os pouparam e não os destruí nem os consumi de todo no deserto.

Continua Jeová falando: Prometi exterminá-los e não os exterminei, ainda no deserto. (Ezequiel 20:21-22) 21 “‘“E os filhos começaram a rebelar-se contra mim. Não andaram nos meus estatutos, e não guardaram as minhas decisões judiciais por cumpri-las, por meio das quais, continuando a cumpri-las o homem, também continuará a viver. Profanaram meus sábados. De modo que prometi derramar sobre eles o meu furor, a fim de levar a cabo a minha ira contra eles no ermo. 22 E retirei a minha mão e fui agir em prol do meu próprio nome, para que não fosse profanado perante os olhos das nações, diante de cujos olhos eu os fizera sair.

Assim verte a Tradução Almeida: (Ezequiel 20:21-22) 21 Mas também os filhos se rebelaram contra mim; não andaram nos meus estatutos nem guardaram as minhas ordenanças para as praticarem, pelas quais o homem viverá, se as cumprir; profanaram eles os meus sábados; por isso eu disse que derramaria sobre eles o meu furor, para cumprir contra eles a minha ira no deserto. 22 Todavia retive a minha mão, e procedi por amor do meu nome, para que não fosse profanado à vista das nações, a cujos olhos os fiz sair.

Continua Jeová falando: “Vou continuar punindo vocês, mas não será segundo o merecimento dos vossos caminhos. A Minha punição sobre vós não é fruto do vosso merecimento”. (Ezequiel 20:43-44) 43 E certamente vos lembrareis ali dos vossos caminhos e de todas as vossas ações com que vos aviltastes, e tereis realmente aversão às vossas próprias faces por causa de todas as vossas coisas más que fizestes. 44 E tereis de saber que eu sou Jeová, quando eu tomar ação contra vós por causa do meu nome, não segundo os vossos caminhos maus ou as vossas ações corruptas, ó casa de Israel’, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová.”

Assim verte a Tradução Brasileira: (Ezequiel 20:43-44) 43 Ali vos lembrareis dos vossos caminhos e de todos os vossos feitos, pelos quais vos tendes contaminado a vós mesmos; e tereis nojo em vós por causa de todas as vossas maldades que tendes cometido. 44 Sabereis que eu sou Jeová, quando o tiver feito por amor do meu nome, e não conforme os vossos maus caminhos, nem conforme os vossos feitos corruptos, ó casa de Israel, diz o Senhor Jeová.

Assim verte a Tradução Almeida: (Ezequiel 20:43-44) 43 Ali vos lembrareis de vossos caminhos, e de todos os vossos atos com que vos tendes contaminado; e tereis nojo de vós mesmos, por causa de todas as vossas maldades que tendes cometido. 44 E sabereis que eu sou o Senhor, quando eu proceder para convosco por amor do meu nome, não conforme os vossos maus caminhos, nem conforme os vossos atos corruptos, ó casa de Israel, diz o senhor Deus.

Onde se encaixa aqui a filosofia do merecimento???? Não tratei os antepassados de vocês segundo a filosofia do merecimento, não estou tratando vocês segundo a filosofia do merecimento. Vou continuar a tratar vocês segundo a filosofia da bondade.

O que ficou bem claro??

Ficou bem claro que o povo se achava uma coisa, se achava, mas que a realidade exposta pelo Deus Altíssimo era outra, bem diferente.

Quando colocados frente a frete com a verdade do Deus Altíssimo, o que aconteceria a estes servos?? O Deus Altíssimo previu: “Ali vos lembrareis de vossas ações e tereis nojo de vós mesmos”.

Ficou bem claro que existe uma diferença entre o conceito humano e o conceito do Deus Altíssimo em relação a como deve ser o relacionamento Dele com os escolhidos por Ele, assim como também o relacionamento dos escolhidos com seus companheiros escolhidos e o relacionamento entre os escolhidos e os não escolhidos.

Cabe ao humano escolhido concordar e aceitar o conceito do Deus Altíssimo ou não. O Deus Altíssimo continuará respeitando o livre-arbítrio de todo servo escolhido. No entanto, cada filosofia de vida é uma semente, e cada semente só produz o tipo de árvore que lhe é característico.

Assim, Jesus nos toma pela mão e nos leva a perceber os atos dos outros servos do Deus Altíssimo. No entanto, Jesus também nos mostra o porque estes servos do Deus Altíssimo praticavam estes atos. Ele, Jesus, não só não praticou nenhum destes atos iníquos praticados pelos demais servos do Deus Altíssimo, como também nos mostrou como viver a filosofia do Pai.

Jesus também afirmou que para ser filho do Deus Altíssimo eu preciso fazer as mesmas coisas que o Deus Altíssimo faz. Amar o inimigo é uma das filosofias de vida pelas quais o Deus Altíssimo vive o Seu dia a dia, colocando em prática a Sua filosofia. (Mateus 5:43-48) 43 Ouvistes que se disse: ‘Tens de amar o teu próximo e odiar o teu inimigo.’ 44 No entanto, eu vos digo: Continuai a amar os vossos inimigos e a orar pelos que vos perseguem; 45 PARA QUE mostreis ser filhos de vosso Pai, que está nos céus, visto que ele faz o seu sol levantar-se sobre iníquos e sobre bons, e faz chover sobre justos e sobre injustos. 46 Pois, se amardes aos que vos amam, que recompensa tendes? Não fazem também a mesma coisa os cobradores de impostos? 47 E, se cumprimentardes somente os vossos irmãos, que fazeis de extraordinário? Não fazem também a mesma coisa as pessoas das nações? 48 Concordemente, tendes de ser perfeitos, assim como o vosso Pai celestial é perfeito.

Assim verte a Tradução Brasileira: (Mateus 5:43-48) 43 Tendes ouvido que foi dito: Amarás o teu próximo e aborrecerás o teu inimigo. 44 Eu, porém, vos digo: Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem, 45 PARA QUE vos torneis filhos de vosso Pai que está nos céus, porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons, e vir chuvas sobre justos e injustos. 46 Pois se amardes aos que vos amam, que recompensa tendes? não fazem os publicanos também o mesmo? 47 Se saudardes somente aos vossos irmãos, que fazeis de especial? não fazem os gentios também o mesmo? 48 Sede vós, pois, perfeitos, como vosso Pai celestial é perfeito.

Assim verte a Tradução Almeida: (Mateus 5:43-48) 43 Ouvistes que foi dito: Amarás ao teu próximo, e odiarás ao teu inimigo. 44 Eu, porém, vos digo: Amai aos vossos inimigos, e orai pelos que vos perseguem; 45 PARA QUE vos torneis filhos do vosso Pai que está nos céus; porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons, e faz chover sobre justos e injustos. 46 Pois, se amardes aos que vos amam, que recompensa tereis? não fazem os publicanos também o mesmo? 47 E, se saudardes somente os vossos irmãos, que fazeis demais? não fazem os gentios também o mesmo? 48 Sede vós, pois, perfeitos, como é perfeito o vosso Pai celestial.

O que ficou bem claro??

Ficou bem claro que ser filho do Deus Altíssimo é igual a ter os mesmos sentimentos do Deus Altíssimo. Significa amar o inimigo. É o Pai quem conjuga o verbo amar para nós. Como Ele ama aquele que age como um inimigo??

Será que Ele procura uma forma para retribuir este sentimento de inimizade ou será que Ele se mantém como uma “FONTE” de amor???

O que nosso amado irmão Tiago afirmou?? (Tiago 3:8-12) 8 Mas a língua, ninguém da humanidade a pode domar. É uma coisa indisciplinada [e] prejudicial, cheia de veneno mortífero. 9 Com ela bendizemos a Jeová, sim, [o] Pai, e ainda assim amaldiçoamos com ela a homens que vieram a existir “na semelhança de Deus”. 10 Da mesma boca procedem bênção e maldição. Não é correto, meus irmãos, que estas coisas se dêem assim. 11 Será que uma fonte faz brotar pela mesma abertura o que é doce e o que é amargo? 12 Meus irmãos, será que a figueira pode produzir azeitonas ou a videira figos? Tampouco pode água salgada produzir água doce.

Assim verte a Tradução Almeida: (Tiago 3:8-12) 8 mas a língua, nenhum homem a pode domar. É um mal irrefreável; está cheia de peçonha mortal. 9 Com ela bendizemos ao Senhor e Pai, e com ela amaldiçoamos os homens, feitos à semelhança de Deus. 10 Da mesma boca procede bênção e maldição. Não convém, meus irmãos, que se faça assim. 11 Porventura a fonte deita da mesma abertura água doce e água amargosa? 12 Meus irmãos, pode acaso uma figueira produzir azeitonas, ou uma videira figos? Nem tampouco pode uma fonte de água salgada dar água doce.

De uma fonte que sai o amor não pode sair a inimizade. Amor e inimizade são sentimentos. A inimizade não é fruto do amor, ela é fruto do ódio.

No entanto, este outro discípulo de Jesus continuava achando-se parte de um grupo melhor do que os gentios das nações. Assim afirmou este amado discípulo de Jesus: “Vocês fazem parte de uma oliveira brava, enquanto nós somos oliveira cultivada. Foi contra a natureza que fostes enxertado no nosso grupo”. (Romanos 11:24-25) 24 Porque, se foste cortado da oliveira que é brava por natureza e foste enxertado, contrário à natureza, numa oliveira cultivada, quanto mais aqueles, que são naturais, serão enxertados na sua própria oliveira! 25 Pois não quero, irmãos, que sejais ignorantes deste segredo sagrado, a fim de que não sejais discretos aos vossos próprios olhos: que a obtusão das sensibilidades aconteceu em parte a Israel, até que tenha entrado o pleno número de pessoas das nações,



Assim verte a Tradução Almeida: “Vocês fazem parte de um zambujeiro, enquanto que nós somos oliveira legítima. Foi contra a natureza que fostes enxertado no nosso grupo”. (Romanos 11:24-25) 24 Pois se tu foste cortado do natural zambujeiro, e contra a natureza enxertado em oliveira legítima, quanto mais não serão enxertados na sua própria oliveira esses que são ramos naturais! 25 Porque não quero, irmãos, que ignoreis este mistério (para que não presumais de vós mesmos): que o endurecimento veio em parte sobre Israel, até que a plenitude dos gentios haja entrado;

ZAMBUJEIRO – Assim define o dicionário Houaiss:

zambujeiro Datação: 1721

n substantivo masculino

Rubrica: angiospermas.

arbusto ou árvore pequena (Olea europaea var. sylvestris) da fam. das oleáceas, de ramos densos e espinhosos; azambuja, azambujeiro, azambujo, oleastro, oliveira-brava, zambuja, zambujo [Ocorre no Mediterrâneo, como variedade espontânea, derivada de sementes de cultivares da oliveira (Olea europaea).]



Em outra ocasião, assim se expressou este amado discípulo de Jesus, a sua visão diferenciada entre judeus por natureza e gentios (pecadores das nações): (Gálatas 2:15-16) 15 Nós, os que somos judeus por natureza e não pecadores das nações, 16 bem sabendo que o homem é declarado justo, não devido a obras da lei, mas apenas por intermédio da fé para com Cristo Jesus, sim, nós temos depositado a nossa fé em Cristo Jesus, para sermos declarados justos devido à fé para com Cristo e não devido a obras da lei, porque nenhuma carne será declarada justa devido a obras da lei.

Assim verte a Tradução Almeida: (Gálatas 2:15-16) 15 Nós, judeus por natureza e não pecadores dentre os gentios, 16 sabendo, contudo, que o homem não é justificado por obras da lei, mas sim, pela fé em Cristo Jesus, temos também crido em Cristo Jesus para sermos justificados pela fé em Cristo, e não por obras da lei; pois por obras da lei nenhuma carne será justificada.

Onde estava esta tal superioridade entre os judeus por natureza e os pecadores dentre os gentios, ou seja, das nações?? Não havia igualdade entre todos?? Não eram todos simplesmente pecadores?? Afinal, quem é fiel no mínimo também é fiel no muito e quem é injusto no mínimo também é injusto no muito, não é verdade??

Este outro discípulo de Jesus entendia que os pecados eram semelhantes. Assim foi afirmado por ele: (Tiago 2:10-11) 10 Pois, quem observar toda a Lei, mas der um passo em falso num só ponto, tem-se tornado ofensor contra todos eles. 11 Pois, aquele que disse: “Não deves cometer adultério”, disse também: “Não deves assassinar.” Ora, se não cometeres adultério, mas assassinares, tens-te tornado transgressor da lei.

Assim verte a Tradução Almeida: (Tiago 2:10-11) 10 Pois qualquer que guardar toda a lei, mas tropeçar em um só ponto, tem-se tornado culpado de todos. 11 Porque o mesmo que disse: Não adulterarás, também disse: Não matarás. Ora, se não cometes adultério, mas és homicida, te hás tornado transgressor da lei.

É o Legislador quem determina o real valor de cada pecado através da penalidade que Ele estipula para cada pecado. O que definiu o Legislador?? Ele afirmou: “A alma que pecar, esta é que morrerá”. (Ezequiel 18:4) 4 Eis que todas as almas — a mim me pertencem. Como a alma do pai, assim também a alma do filho — a mim me pertencem. A alma que pecar — ela é que morrerá.

Assim verte a Tradução Almeida: (Ezequiel 18:4) 4 Eis que todas as almas são minhas; como o é a alma do pai, assim também a alma do filho é minha: a alma que pecar, essa morrerá.

O Legislador já estipulou a mesmíssima penalidade para todos os pecados. Agora, são os pecadores que precisam concordar com o Legislador.

Quando o pecador concordar com o Legislador, jamais sentir-se-á superior a outro pecador.

çç


Topo desta página