FONTE DE RETRIBUIÇÃO OU FONTE DE PERDÃO??

Criada em 06/04/2012 - Última alteração em 01/09/2014 ás 21 : 45





RETRIBUIDOR E RECOMPENSADOR OU PERDOADOR E PRESENTEADOR??



RETRIBUIDOREsta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): Dar em troca.

retribuidor

\ô\ adj.s.m. (1789)  que ou o que retribui; recompensador ¤ etim lat. retribútor,óris 'remunerador', der. de retribuère 'dar em troca, remunerar, retribuir'

RECOMPENSADOREsta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): Aquele que dá recompensa.

recompensador

\ô\ adj.s.m. (1789) que ou o que recompensa; retribuidor ¤ etim rad. do part. recompensado + -or ¤ sin/var como adj.: recompensatório

Trata-se de alguém que dá algo em troca de algo.

RECOMPENSAEsta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): Trata-se de uma paga dada por um motivo válido.

recompensa

s.f. (1553) ato ou efeito de recompensar(-se) 1 favor, presente com que se mostra reconhecimento por um obséquio, por uma boa ação; retribuição, prêmio 2 aquilo que se concede ou obtém como reparação ou compensação de um prejuízo, perda, ofensa etc.; compensação, restituição, indenização 3 jur pagamento que corresponde à promessa feita no sentido de retribuir aquele que conseguisse determinado resultado ² r. estipulada jur recompensa cujo valor é estipulado na respectiva promessa de retribuição ¤ etim regr. de recompensar ¤ sin/var recompensação; ver tb. sinonímia de pagamento ¤ ant castigo, punição ¤ hom recompensa(fl.recompensar)

Algo que se dá a alguém em troca de algo que tal pessoa já tenha feito. Trata-se de uma restituição por algo já feito por outra pessoa. Depois que a outra pessoa tomou uma iniciativa ela obtém direito a uma recompensa, um pagamento.

Trata-se de receber algo segundo seu próprio merecimento, segundo seus próprios méritos.

Primeiro a pessoa faz jus, para depois receber a recompensa.

PARA TODAS AS NOSSAS AÇÕES EXISTE UM 'PORQUE', PARA TODAS ELAS EXISTE UMA MOTIVAÇÃO. Será que somos interesseiros??

Primeiro uma pessoa 'A' apresenta uma ação que é vista como uma justificativa, e, de acordo com esta justificativa, haverá uma ação de 'B' em relação a 'A'. Assim, esta justificativa sempre será a base da ação do retribuidor.

O recompensador revela o seu reconhecimento da boa ação praticada, do trabalho executado, do favor feito. Não deve haver falhas no “justo recompensador”. Ele passa a aprovar ou desaprovar a ação praticada, dando ao autor da ação uma recompensa segundo a ação praticada.

Assim, o recompensador pratica o ato de recompensar.

RECOMPENSAREsta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): Premiar como consequência de um retorno.

recompensar

v. (sXIV) 1 t.d.bit. dar recompensa a; premiar, galardoar <r. um bom aluno (com uma medalha)> 2 t.d.bit. reconhecer (ação, atitude etc.) de, retribuindo; corresponder <o chefe recompensou seu esforço (com um elogio)> 3 t.d.bit. e pron. dar retorno (a alguém, algo ou a si mesmo); pagar(-se), compensar(-se) <o produto da pecuária não recompensa o investimento> <recompensa o cansaço com a certeza do lucro> <recompensou-se do trabalho com o sucesso obtido> 4 bit. iron. dar punição a; castigar <o professor recompensou-lhe a ousadia com uma nota baixa> ¤ etim lat.tar. recompenso,as,ávi,átum,áre 'compensar, recompensar' ¤ ant castigar, punir ¤ hom recompensa(3ªp.s.), recompensas(2ªp.s.) / recompensa(s.f.) e pl.; recompensáveis(2ªp.pl.) / recompensáveis(pl.recompensável[adj.2g.])



Ficou bem claro que para haver recompensa, primeiro tem que existir o mérito, ou seja, um merecimento.

MERECIMENTOEsta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): Aquilo que torna alguém digno ou passível de receber algo como prêmio ou castigo.

merecimento

s.m. (sXIII) 1 aquilo que torna alguém ou algo digno ou passível de receber prêmio ou castigo <tratar alguém de acordo com seus m.> 2 aquilo que empresta valor a algo; aquilo que há de bom, vantajoso, admirável ou recomendável em alguém ou algo; importância, preço, valor <o livro tem algum m.> 3 caráter, qualidade de quem, pelo valor, dotes morais e/ou intelectuais, é digno de apreço, de reconhecimento; capacidade, engenho, talento <um homem de m.> <um artista de muito m.> 4 jur m.q. mérito 5 rel frm. cada um dos padecimentos por que passou Cristo para salvar a humanidade <os m. da paixão de Jesus> ¤ etim merecer + -mento com alt. da vogal temática -e- > -i- ¤ sin/var apreço, aptidão, benemerência, capacidade, dom, dote, engenho, excelência, idoneidade, importância, mérito, superioridade, valia, virtude ¤ ant desmerecimento

Aquilo que torna a pessoa digna ou passível de receber um prêmio ou um castigo. Primeiro a pessoa pratica algo e este algo é que define o que ela merece. Esta pessoa passa a merecer. Primeiro a pessoa apresenta um motivo válido.

MERECEREsta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): estar, por suas qualidades ou conduta, no direito de obter algo bom ou no direito de passar por algo desfavorável....

merecer

v. (sXIII) 1 t.d.bit. estar, por suas qualidades ou conduta, no direito de obter (algo bom) ou sujeito a passar por (algo desfavorável) <m. a estima, os elogios de alguém> <todos merecemos castigo> <o trabalho mereceu do professor a nota máxima> 2 t.d. apresentar as condições desejadas ou necessárias para <um livro que merece ser lido> <tal carta não merece resposta> 3 t.d. estar em condições de obter ou receber (algo) <tais argumentos não merecem crédito> 4 t.d. fazer jus a; ter direito a (certa paga); valer <ele fez por m. o seu salário> <não merece a comida que come> ¤ etim lat. *merescère v.freq. de merèo,es,ui,ìtum,ére 'merecer, ganhar' ¤ ant desmerecer

Assim, um “justo retribuidor”, um “justo recompensador” é aquele que não comete erros ao recompensar alguém, dando sempre a esta pessoa, segundo o que ela merece, nem mais e nem menos. O “justo recompensador” vê o motivo válido e passa a agir com aquela pessoa de acordo com o motivo válido dado por esta pessoa.

Justo retribuidor é aquele que não erra no seu reconhecimento do mérito das ações da outra pessoa. Justo retribuidor é aquele que “julga” o mérito com perfeição.

A justa retribuição está intimamente relacionada com a total imparcialidade, pois independente de quem seja e independente do motivo, cada um deverá receber somente aquilo a que fez jus em face de suas ações praticadas.

Se merece receber coisas boas, ela receberá coisas boas e se ela merece receber coisas más, ela receberá coisas más. Ela receberá o que ela merece, o que ela fez por merecer.

Assim, foi definido que praticar a justiça é dar todo o tempo a cada um segundo aquilo que ele merece, e sem abrir exceções. Deixar de dar aquilo que ele merece é ser injusto. Segundo esta diretriz, nenhum iníquo deve ser favorecido. Logo, favorecer um ímpio seria cometer uma injustiça.

OS ADORADORES DE JEOVÁ SEMPRE O TIVERAM COMO UM “JUSTO RECOMPENSADOR” – SERÁ QUE ISTO É UMA VERDADE EM RELAÇÃO A JEOVÁ??

Assim afirmou um adorador de Jeová: (Salmos 18:18-26) 18 Confrontavam-me no dia do meu desastre, Mas Jeová veio a ser um esteio para mim. 19 E ele passou a levar-me para fora a um lugar espaçoso; Socorria-me porque se agradara de mim. 20 Jeová ME RECOMPENSA segundo a minha justiça; PAGA-ME DE VOLTA segundo a limpeza das minhas mãos. 21 Pois guardei os caminhos de Jeová E não me afastei iniquamente do meu Deus. 22 Pois todas as suas decisões judiciais estão diante de mim, E não removerei de mim os seus estatutos. 23 E mostrarei ser sem defeito para com ele E me guardarei do erro da minha parte. 24 E que Jeová me pague de volta segundo a minha justiça, Segundo a limpeza das minhas mãos diante dos seus olhos. 25 Com alguém leal agirás com lealdade; Com o varão vigoroso, sem defeito, procederás sem defeito; 26 Com aquele que se mantém limpo, tu te mostrarás limpo, E com o pervertido, tu te mostrarás tortuoso;

Assim verte a Tradução Almeida: (Salmos 18:18-26) 18 Surpreenderam-me eles no dia da minha calamidade, mas o Senhor foi o meu amparo. 19 Trouxe-me para um lugar espaçoso; livrou-me, porque tinha prazer em mim. 20 RECOMPENSOU-ME o Senhor conforme a minha justiça, RETRIBUIU-ME conforme a pureza das minhas mãos. 21 Pois tenho guardado os caminhos do Senhor, e não me apartei impiamente do meu Deus. 22 Porque todas as suas ordenanças estão diante de mim, e nunca afastei de mim os seus estatutos. 23 Também fui irrepreensível diante dele, e me guardei da iniqüidade. 24 Pelo que o Senhor ME RECOMPENSOU conforme a minha justiça, conforme a pureza de minhas mãos perante os seus olhos. 25 Para com o benigno te mostras benigno, e para com o homem perfeito te mostras perfeito. 26 Para com o puro te mostras puro, e para com o perverso te mostras contrário.

Assim verte a Tradução Brasileira: (Salmos 18:18-26) 18 Eles me acometeram no dia da minha calamidade; Mas Jeová tornou-se o meu amparo. 19 Ele me tirou para um lugar espaçoso; Livrou-me, porque tinha prazer em mim. 20 RECOMPENSOU-ME Jeová SEGUNDO a minha retidão, RETRIBUIU-ME SEGUNDO a pureza das minhas mãos. 21 Pois tenho guardado o caminho de Jeová, E não me tenho apartado impiamente do meu Deus. 22 Porque todos os seus juízos estão diante de mim, E não afasto de mim os seus estatutos. 23 Fui perfeito para com ele, E me guardei da iniqüidade. 24 Por isso Jeová me retribuiu SEGUNDO a minha retidão, Segundo a pureza das minhas mãos, aos seus olhos. 25 Com o benigno te mostrarás benigno; Com o homem perfeito te mostrarás perfeito; 26 Com o puro te mostrarás puro; Com o perverso te mostrarás contrário.

Jeová tem prazer em mim POR CAUSA da minha retidão – afirmou este adorador do Deus Altíssimo.

Jeová “me retribui” segundo os meus caminhosafirmou este adorador de Jeová, o Deus Altíssimo.

Jeová “me devolve” as coisas que eu fiz – ele foi benigno comigo PORQUE eu sou benigno”. Será que foi isto mesmo?? Será que Jeová concordava com estas expressões deste Seu servo amado??

Porque recebi coisas boas de Deus??

Aquilo de bom que o Deus Altíssimo fez para comigo foi fruto do meu mérito, fruto da minha retidão e da pureza das minhas mãos. No meu caso, o Deus Altíssimo foi um justo retribuidor. Se Ele fez é porque eu mereci. Se Ele me dá algo de bom é porque eu fiz por onde; eu fui merecedor daquilo que Ele me fez”.

Qual era a visão deste adorador do Deus Altíssimo sobre o relacionamento que ele tinha com Deus?? Qual era a opinião deste adorador do Deus Altíssimo sobre as coisas boas que ele recebia de Deus?? No que acreditava este servo do Deus Altíssimo?? Será que esta opinião do adorador do Deus Altíssimo coincidia com a opinião do Deus Altíssimo?? Qual das duas opiniões mostrava ser a verdade?? Será que este servo do Deus Altíssimo acreditava em uma mentira?? No caso deste adorador do Deus Altíssimo, ele vivia uma realidade ou uma fantasia??

O Deus Altíssimo é um “justo retribuidor”afirmou este servo do Deus Altíssimo.

Jeová deve “retribuir” ao iníquo segundo os seus caminhosassim afirmou este adorador do Deus Altíssimo, Jeová: (Salmos 28:3-4) 3 Não me arrastes junto com os iníquos e com os que praticam o que é prejudicial, Os que falam de paz com os seus companheiros, mas em cujos corações há o que é mau. 4 Dá-lhes segundo a sua atuação E segundo a ruindade das suas práticas. Dá-lhes segundo o trabalho das suas mãos. PAGA-LHES DE VOLTA O SEU PRÓPRIO ATO.



Assim verte a Tradução Almeida: (Salmos 28:3-4) 3 Não me arrastes juntamente com os ímpios e com os que praticam a iniqüidade, que falam de paz ao seu próximo, mas têm o mal no seu coração. 4 Retribui-lhes segundo as suas obras e segundo a malícia dos seus feitos; dá-lhes conforme o que fizeram as suas mãos; retribui-lhes o que eles MERECEM.

Assim verte a Tradução Brasileira: (Salmos 28:3-4) 3 Não me arrastes juntamente com os iníquos E com os que obram a iniqüidade, Os quais falam de paz com o seu próximo, Mas têm em seus corações a maldade. 4 Dá-lhes segundo a sua obra, e segundo a maldade dos seus feitos; Dá-lhes segundo o que fizeram as suas mãos, Retribui-lhes o que eles MERECEM.

Seja feita justiça, seja feita justiça, seja feita justiça. Queremos justiça, queremos justiça, queremos justiça. Queremos punição, queremos punição, queremos punição para os que a merecem.

Neste caso, o Justo retribuidor Jeová nunca faria nada de bom para os iníquos, não é verdade??

Neste caso, Jeová nunca amaria um iníquo, não é verdade?? Iníquo não é aquele que pratica uma ação que Jeová reprova?? Iníquo é aquele que merece uma punição.

Este outro servo do Deus Altíssimo também O via como um “justo retribuidor”. Segundo este servo de Deus, os iníquos tinham de receber de Jeová aquilo que eles mereciam. (Jó 27:13-21) 13 Este é o QUINHÃO do homem iníquo, da parte de Deus; E a herança dos tiranos, eles receberão do próprio Todo-poderoso. 14 Se os seus filhos se tornarem muitos, será para a espada; E seus próprios descendentes não terão bastante alimento. 15 Seus próprios sobreviventes serão enterrados durante uma praga mortífera, E as próprias viúvas deles não chorarão. 16 Se ele amontoasse prata como o próprio pó E preparasse vestuário como se fosse barro, 17 Ele prepararia, mas o justo seria quem se vestiria, E o inocente partilharia na prata. 18 Construiu a sua casa como alguma traça, E como a guarita construída pela sentinela. 19 Deitar-se-á rico, mas nada será ajuntado; Abre os olhos, mas não há nada. 20 Quais águas o alcançarão terrores repentinos; Durante a noite o furtará um tufão. 21 Um vento oriental carregará com ele e ele se irá, E de roldão o levará do seu lugar.

Assim verte a Tradução Brasileira: (Jó 27:13-21) 13 Esta é da parte de Deus a PORÇÃO do ímpio, e a herança que os opressores recebem do Todo-Poderoso: 14 Se os seus filhos se multiplicarem, será para a espada; e a sua prole não se fartará de pão. 15 Os que ficarem dele, pela peste serão sepultados, e as suas viúvas não chorarão. 16 Embora amontoe prata como pó, e acumule vestes como barro, 17 ele as pode acumular, mas o justo as vestirá, e o inocente repartirá a prata. 18 A casa que ele edifica é como a teia da aranha, e como a cabana que o guarda faz. 19 Rico se deita, mas não o fará mais; abre os seus olhos, e já se foi a sua riqueza. 20 Pavores o alcançam como um dilúvio; de noite o arrebata a tempestade. 21 O vento oriental leva-o, e ele se vai; sim, varre-o com ímpeto do seu lugar:

Bem, e se Jeová não desse ao iníquo este quinhão, esta porção, esta herança tão esperada e tão desejada por este adorador Dele??

Ora, e se Javé (Jeová) vê a opressão do iníquo e não retribui ao iníquo aquilo que ele merece??

Nada mais justo do que dar a este humano o que ele realmente merece por ser um iníquo, não é verdade?? Nada mais justo do que o iníquo receber a devida punição, não é verdade?? A sensação de impunidade é gerada naquele que deseja que aconteça a punição para aquele que é iníquo. Ele espera e deseja que aconteça a punição pelo pecado. Ele espera e deseja ver a punição sendo aplicada ao iníquo.

O que acontece quando este adorador espera e espera, mas o Pai Jeová não retribui ao iníquo, aquilo que o iníquo merece??

Este adorador do Deus Altíssimo notou que o Deus Altíssimo não estava cumprindo bem esta regra da justa retribuição da forma como ele desejava. Ele sentiu-se perturbado e horrorizado e assim ele se expressou: (Jó 21:5-20) 5 Virai as vossas faces para mim e olhai assombrados, E ponde a mão sobre a boca. 6 E quando me lembrei, também fiquei perturbado, E um estremecimento se apoderou da minha carne. 7 Por que é que os próprios iníquos continuam vivendo, Têm envelhecido, também se tornaram superiores em riqueza? 8 Sua descendência está firmemente estabelecida com eles à sua vista, E seus descendentes, diante dos seus olhos. 9 Suas casas são a própria paz, livres de pavor, E a vara de Deus não está sobre eles. 10 Seu próprio touro realmente fecunda e não desperdiça sêmen; Sua vaca tem cria e não sofre aborto. 11 Continuam enviando seus garotos iguais a um rebanho, E seus próprios meninos estão saltitando. 12 Continuam a elevar [a sua voz] com o pandeiro e a harpa, E prosseguem alegrando-se ao som do pífaro. 13 Passam bem os seus dias, E num instante baixam ao Seol. 14 E eles dizem ao [verdadeiro] Deus: ‘Desvia-te de nós! E não nos agradamos no conhecimento dos teus caminhos. 15 Que é o Todo-poderoso, para que o sirvamos, E que nos aproveita termos entrado em contato com ele?’ 16 Eis que seu bem-estar não está no seu próprio poder. O próprio conselho dos iníquos se manteve longe de mim. 17 Quantas vezes se apaga a lâmpada dos iníquos, E [quantas vezes] vem sobre eles o seu desastre? Na sua ira, [quantas vezes] reparte ele a destruição? 18 Ficam eles como palha diante do vento, E como a pragana furtada pelo tufão? 19 O próprio Deus guardará o prejudicial [do homem] para os próprios filhos dele; Recompensá-lo-á para que saiba [isso]. 20 Seus olhos verão a sua decadência, E beberá do furor do Todo-poderoso.

Assim verte a Tradução Almeida: (Jó 21:5-20) 5 Olhai para mim, e pasmai, e ponde a mão sobre a boca. 6 Quando me lembro disto, me perturbo, e a minha carne estremece de horror. 7 Por que razão vivem os ímpios, envelhecem, e ainda se robustecem em poder? 8 Os seus filhos se estabelecem à vista deles, e os seus descendentes perante os seus olhos. 9 As suas casas estão em paz, sem temor, e a vara de Deus não está sobre eles. 10 O seu touro gera, e não falha; pare a sua vaca, e não aborta. 11 Eles fazem sair os seus pequeninos, como a um rebanho, e suas crianças andam saltando. 12 Levantam a voz, ao som do tamboril e da harpa, e regozijam-se ao som da flauta. 13 Na prosperidade passam os seus dias, e num momento descem ao Seol. 14 Eles dizem a Deus: retira-te de nós, pois não desejamos ter conhecimento dos teus caminhos. 15 Que é o Todo-Poderoso, para que nós o sirvamos? E que nos aproveitará, se lhe fizermos orações? 16 Vede, porém, que eles não têm na mão a prosperidade; esteja longe de mim o conselho dos ímpios! 17 Quantas vezes sucede que se apague a lâmpada dos ímpios? que lhes sobrevenha a sua destruição? que Deus na sua ira lhes reparta dores? 18 que eles sejam como a palha diante do vento, e como a pragana, que o redemoinho arrebata? 19 Deus, dizeis vós, reserva a iniqüidade do pai para seus filhos, mas é a ele mesmo que Deus deveria punir, para que o conheça. 20 Vejam os seus próprios olhos a sua ruína, e beba ele do furor do Todo-Poderoso.

Este servo do Deus Altíssimo falou sobre o que ele estava vendo acontecer à sua volta, ele estava sendo testemunha destes fatos. Ele não estava vendo esta desejada justa retribuição acontecer. O iníquo não estava recebendo a justa punição.

Segundo este adorador do Deus Altíssimo, embora ele recebesse coisas boas do Deus Altíssimo por ser íntegro a Deus, os ímpios também estavam recebendo coisas boas deste mesmo Deus.

- “Quando lembro disso, me perturbo e a minha carne estremece de horror”.

Este adorador do Pai Jeová ficava horrorizado quando pensava nisso.

Gente, estou sendo testemunha da impunidade da parte de Deus e isto me deixa perturbado. Gente, eu fico horrorizado com tamanha impunidade.

Ora, por que este adorador do Pai Jeová ficava horrorizado??

Não era exatamente por ver que o Pai Jeová não estava punindo o iníquo segundo o que este adorador desejava??

Outros servos do Deus Altíssimo também ficaram perturbados pelo fato de Jeová não dar ao iníquo aquilo que o iníquo merecia. Ora, se o Deus Altíssimo não está dando aos iníquos o que eles merecem, onde está o Deus da justiça??? Começaram a fazer tais indagações entre si. O Pai observava e assim falou para o Seu mensageiro Malaquias: (Malaquias 2:17) 17 Fatigastes a Jeová com as vossas palavras e dissestes: ‘De que modo [o] fatigamos?’ Por dizerdes: Todo aquele que faz o mal é bom aos olhos de Jeová e de tais é que ele mesmo se agrada’; ou: ‘Onde está o Deus da justiça?’” (Malaquias 3:13-15) 13 Fortes foram as vossas palavras contra mim”, disse Jeová. E dissestes: “Que falamos entre nós contra ti?” 14 Dissestes: ‘De nada vale servir a Deus. E que lucro há em termos cumprido a obrigação para com ele e em termos andado acabrunhados por causa de Jeová dos exércitos? 15 E atualmente declaramos felizes os presunçosos. TAMBÉM os praticantes da iniqüidade foram edificados. Eles TAMBÉM têm experimentado a Deus e conseguem safar-se.’”

Assim verte a Tradução Almeida: (Malaquias 2:17) 17 Tendes enfadado ao Senhor com vossas palavras; e ainda dizeis: Em que o havemos enfadado? Nisto que dizeis: Qualquer que faz o mal passa por bom aos olhos do Senhor, e desses é que ele se agrada; ou: Onde está o Deus do juízo? (Malaquias 3:13-15) 13 As vossas palavras foram agressivas para mim, diz o Senhor. Mas vós dizeis: Que temos falado contra ti? 14 Vós tendes dito: inútil é servir a Deus. Que nos aproveita termos cuidado em guardar os seus preceitos, e em andar de luto diante do Senhor dos exércitos? 15 Ora pois, nós reputamos por bem-aventurados os soberbos; TAMBÉM os que cometem impiedade prosperam; sim, eles tentam a Deus, e escapam.

Havia uma sensação de impunidade no ar. Estas palavras saíam dos corações destes homens. Estes servos do Deus Altíssimo sentiam-se injustiçados, pois o “Justo Retribuidor” não estava dando aos iníquos aquilo que os iníquos mereciam, logo, eles perguntaram: Onde está o Deus do juízo? Onde está o Deus da justiça?? Onde está a devida punição para aqueles iníquos?? Os que cometem impiedade não estão recebendo a devida punição.

Os que cumpriram as obrigações estavam recebendo o mesmo tratamento dado àqueles que não cumpriram as mesmas obrigações??

O Deus da justiça não estava dando ao iníquo aquilo que o iníquo merecia. Embora indignados, eles foram testemunhas destas ações do Deus Altíssimo. Eles viveram esta realidade enquanto desejavam ardentemente uma outra realidade, ou seja, aquela que existia em suas mentes e corações. Eles desejavam ardentemente verem os iníquos recebendo a merecida punição. Desta forma deixaria de existir aquela sensação de impunidade.

Segundo estes servos do Deus Altíssimo, aqueles ímpios não mereciam retornar e ocupar a terra de Canaã, o que era verdade.

Se eles estivessem no comando das ações, seria dada por eles a plena punição para aqueles plenamente iníquos aos seus olhos.

No entanto, os vizinhos povos iníquos voltarem a ocupar as terras de seus antepassados, ou seja, serem tratados com misericórdia por Jeová, havia sido previsto pelo próprio Jeová e informado a Seu mensageiro Jeremias. Esta informação dada a Jeremias, assim foi registrada: (Jeremias 12:14-16) 14 Assim disse Jeová contra todos os meus maus vizinhos que tocam na propriedade hereditária que fiz que meu povo, sim, Israel, possuísse: “Eis que os desarraígo do seu solo; e desarraigarei a casa de Judá do meio deles. 15 E terá de acontecer que, depois de eu os desarraigar, hei de ter de novo misericórdia com eles e vou trazê-los de volta, cada um à sua propriedade hereditária e cada um à sua terra.16 E terá de acontecer que, se sem falta aprenderem os caminhos do meu povo, jurando pelo meu nome: ‘Por Jeová que vive!’ assim como ensinaram ao meu povo a jurar por Baal, serão também edificados no meio do meu povo.

Assim verte a Tradução Almeida: (Jeremias 12:14-16) 14 Assim diz o Senhor acerca de todos os meus maus vizinhos, que tocam a minha herança que fiz herdar ao meu povo Israel: Eis que os arrancarei da sua terra, e a casa de Judá arrancarei do meio deles. 15 E depois de os haver eu arrancado, tornarei, e ME COMPADECEREI DELES, e os farei voltar cada um à sua herança, e cada um à sua terra. 16 E será que, se diligentemente aprenderem os caminhos do meu povo, jurando pelo meu nome: Vive o Senhor; como ensinaram o meu povo a jurar por Baal; então edificar-se-ão no meio do meu povo.

O povo de Deus revelou que se fossem eles a cuidar daquele caso, haveria um outro tipo de punição, não aquela dada pelo Deus Altíssimo. Se dependesse do servo do Deus Altíssimo, aqueles povos iníquos seriam exterminados.

Este outro servo do Deus Altíssimo também testemunhou o fato de que Jeová não cumpriu uma promessa de fazer calamidade contra um povo muito iníquo. Ele ficou tão irado que desejou que sua vida fosse retirada do que ver tal coisa. Assim nos conta a própria indignada testemunha desta ação do Deus Altíssimo: (Jonas 3:10-4:4) 10 E o [verdadeiro] Deus chegou a ver os seus trabalhos, que tinham recuado de seu mau caminho; e por isso o [verdadeiro] Deus deplorou a calamidade de que falara que lhes ia causar; e ele não [a] causou. 4 Isso, porém, desagradava muito a Jonas e acendeu-se a sua ira. 2 Por isso orou a Jeová e disse: “Ai! ó Jeová, não foi esta a minha questão quando vim a estar no meu próprio solo? Por isso é que fui e fugi para Társis; pois eu sabia que és um Deus clemente e misericordioso, vagaroso em irar-se e abundante em benevolência, e que deploras a calamidade. 3 E agora, ó Jeová, por favor, tira-me a minha alma, pois é melhor eu morrer do que ficar vivo.4 Jeová disse por sua vez: “É de direito que se acendeu a tua ira?”

Assim verte a Tradução Almeida: (Jonas 3:10-4:4) 10 Viu Deus o que fizeram, como se converteram do seu mau caminho, e Deus se arrependeu do mal que tinha dito lhes faria, e não o fez. 1 Mas isso desagradou extremamente a Jonas, e ele ficou irado. 2 E orou ao Senhor, e disse: Ah! Senhor! não foi isso o que eu disse, estando ainda na minha terra? Por isso é que me apressei a fugir para Társis, pois eu sabia que és Deus compassivo e misericordioso, longânimo e grande em benignidade, e que te arrependes do mal. 3 Agora, ó Senhor, tira-me a vida, pois melhor me é morrer do que viver. 4 Respondeu o senhor: É razoável essa tua ira?

Este servo do Deus Altíssimo desejava desesperadamente que fosse feito justiça contra os ninivitas. Ele queria que os ninivitas recebessem aquilo que mereciam. Ele desejava ver a calamidade de toda a cidade de Nínive. Ele desejava ver a justa retribuição, uma justa punição recair sobre os iníquos ninivitas. Se ele tivesse poder, era exatamente o que ele faria. Ele ficou com uma grande sensação de impunidade. Os ninivitas já tinham dado todos os motivos válidos para receberem tal calamidade. Não foi exatamente por isto que Jeová o havia enviado até Nínive?? Jeová deixou de fazer aquilo que havia prometido fazer. Jeová deixou de dar aquilo que os Ninivitas fizeram por merecer. Jonas foi testemunha de que Jeová havia deixado de dar a merecida punição para o iníquo povo de Nínive. Ao testemunhar esta ação de Jeová, Jonas ficou tão perturbado que desejou e pediu a Jeová para que Ele lhe tirasse a vida. Para Jonas estes iníquos tinham de pagar por seus atos iníquos praticados, afinal, o desejo de Jonas era que alguém tinha de fazer justiça contra estes iníquos ninivitas. Como deixar de haver punição?? Como um iníquo iria ficar sem receber a merecida punição?? Como o Deus Altíssimo podia deixar estes “ímpios” sem a merecida punição??

Esta situação ia de encontro ao sentimento de Jonas, causado-lhe uma sensação de impunidade.

Infelizmente, Jonas não se via como um aluno rebelde que negara-se a cumprir uma missão recebida, tornando-se merecedor de uma calamidade contra si mesmo. Jonas não se via como alguém que havia deixado de receber a devida punição. Jonas não via que esta lição era especialmente para ele. Em relação a estes sentimentos e ações pelos iníquos, Jonas não tinha a Jeová como alguém a ser imitado. Será que Jonas havia parado para pensar em que ele mesmo não estava sendo tratado por Jeová segundo suas próprias ações??? Sentiu Jonas uma sensação de impunidade em relação a si próprio?? Decerto, que não. Jonas não se via como um iníquo que havia sido poupado da calamidade. Caso se visse como um iníquo, pelo menos, não seria no mesmo nível dos Ninivitas.

Novamente, Jeová mostra de forma prática que Ele não era um “Justo Retribuidor”, mostra que Ele não tem um espírito de justiceiro.

Jesus também chama a atenção para o fato do Pai não ser um “Justo Retribuidor”. Na ilustração contada por Jesus havia dois grupos de homens. Havia homens que fizeram jus a uma determinada paga assim como também havia homens que não fizeram a mesma coisa que os demais, mas que no entanto, receberam a mesma paga.

Estes homens viviam segundo a regra da justa retribuição, ou seja, que seja dado a cada um segundo suas próprias ações, segundo seus próprios méritos. Estes homens sentiam orgulho de praticarem a justa retribuição. Para aqueles homens, aquele que fazia mais merecia receber mais e aquele que fazia menos não poderia receber a mesma coisa recebida por aquele que fez mais. O Dono da casa estava dando àquele que trabalhou doze horas a mesma coisa dada àquele que trabalhou apenas uma hora. Na visão destes homens que trabalharam muito mais, estava caracterizada uma injustiça por parte do “Justo Retribuidor”, uma iniquidade, quando Este passou a dar a eles a mesma paga dada àqueles que trabalharam muito menos do que eles. Tratava-se de um sentimento produzido por um raciocínio plenamente lógico.

No entanto, foi exatamente isto o que fez o “Dono da casa”. O “Dono da casa” deu àqueles que trabalharam muito menos (uma hora), a mesma paga destinada àqueles que trabalharam muito mais (doze horas). O “Dono da casa”, não escondendo suas ações, fez isto bem na frente daqueles que trabalharam muito mais. Que reação isto causou naqueles que trabalharam muito mais?? Que resposta deu o “Dono da casa”??

Assim está registrada esta interessante ilustração apresentada por Jesus: (Mateus 20:1-16) 20Porque o reino dos céus é semelhante a um homem, um dono de casa, que saiu cedo de manhã para contratar trabalhadores para o seu vinhedo. 2 Tendo concordado com os trabalhadores em um denário por dia, mandou-os ao seu vinhedo. 3 Saindo também por volta da terceira hora, viu outros parados, sem emprego, na feira; 4 e ele disse a estes: ‘Vós também, ide ao vinhedo, e eu vos darei o que for justo.’ 5 De modo que eles foram. Ele saiu novamente por volta da sexta hora e da nona hora, e fez o mesmo. 6 Finalmente, por volta da décima primeira hora, saiu e encontrou outros parados, e disse-lhes: ‘Por que ficastes parados aqui o dia todo sem emprego?’ 7 Eles lhe disseram: ‘Porque ninguém nos contratou.’ Disse-lhes: ‘Ide vós também ao vinhedo.’ 8 Quando anoiteceu, o dono do vinhedo disse ao seu encarregado: ‘Chama os trabalhadores e paga-lhes o seu salário, passando dos últimos para os primeiros.’ 9 Ao chegarem os homens da décima primeira hora, cada um deles recebeu um denário. 10 Portanto, ao chegarem os primeiros, concluíram que receberiam mais; mas eles também receberam o pagamento à razão de um denário. 11 Tendo-o recebido, começaram a murmurar contra o dono de casa 12 e disseram: ‘Estes últimos fizeram uma só hora de trabalho; ainda assim os fizestes iguais a nós, os que levamos o fardo do dia e o calor abrasador!’ 13 Mas ele disse, em resposta, a um deles: ‘Amigo, não te faço nenhuma injustiça. Não concordaste comigo em um denário? 14 Toma o que é teu e vai. Eu quero dar a este último o mesmo que a ti. 15 Não me é lícito fazer o que quero com as minhas próprias coisas? Ou é o teu olho iníquo porque sou bom?16 Deste modo, os últimos serão primeiros e os primeiros, últimos.”

Assim verte a Tradução Almeida: (Mateus 20:1-16) 1 Porque o reino dos céus é semelhante a um homem, proprietário, que saiu de madrugada a contratar trabalhadores para a sua vinha. 2 Ajustou com os trabalhadores o salário de um denário por dia, e mandou-os para a sua vinha. 3 Cerca da hora terceira saiu, e viu que estavam outros, ociosos, na praça, 4 e disse-lhes: Ide também vós para a vinha, e dar-vos-ei o que for justo. E eles foram. 5 Outra vez saiu, cerca da hora sexta e da nona, e fez o mesmo. 6 Igualmente, cerca da hora undécima, saiu e achou outros que lá estavam, e perguntou-lhes: Por que estais aqui ociosos o dia todo? 7 Responderam-lhe eles: Porque ninguém nos contratou. Disse-lhes ele: Ide também vós para a vinha. 8 Ao anoitecer, disse o senhor da vinha ao seu mordomo: Chama os trabalhadores, e paga-lhes o salário, começando pelos últimos até os primeiros. 9 Chegando, pois, os que tinham ido cerca da hora undécima, receberam um denário cada um. 10 Vindo, então, os primeiros, pensaram que haviam de receber mais; mas do mesmo modo receberam um denário cada um. 11 E ao recebê-lo, murmuravam contra o proprietário, dizendo: 12 Estes últimos trabalharam somente uma hora, e os igualastes a nós, que suportamos a fadiga do dia inteiro e o forte calor. 13 Mas ele, respondendo, disse a um deles: Amigo, não te faço injustiça; não ajustaste comigo um denário? 14 Toma o que é teu, e vai-te; eu quero dar a este último tanto como a ti. 15 Não me é lícito fazer o que quero do que é meu? Ou é mau o teu olho porque eu sou bom? 16 Assim os últimos serão primeiros, e os primeiros serão últimos.

O que ficou bem claro nesta ilustração contada por Jesus?? Ficou bem clado que o Pai não é um “Justo Retribuidor”. Também ficou bem claro que são os humanos que amam e vivem segundo esta filosofia de vida. São os humanos que se orgulham de viver segundo esta filosofia de vida.

Bem, o “Dono da casa” orgulhava-se de ser bondoso.

O Dono da casa deixou bem claro: “Eu não sou um justo retribuidor; Eu sou “Bom”, Eu sou Bondoso. O teu olho vê iniquidade neste Meu ato de bondade”??

Vejamos agora um outro exemplo no qual o Pai revelou não ser um “Justo Retribuidor”. O Pai primeiro fez e depois falou para Seu mensageiro: “Eu fiz desta forma”.

O próprio Jeová chama a atenção para este fato, revelando para Seu povo escolhido e amado, que Ele não os havia tratado segundo o que eles mereciam e que continuaria não os tratando segundo a justa retribuição.

Esta incrível informação foi dada por Jeová para um dos mensageiros que Ele escolheu e no tempo apropriadamente escolhido por Ele.

Filho do homem, os teus antepassados foram iníquos poupados da calamidade.

Primeiro, Jeová pergunta para seu mensageiro: Filho do homem, julgarás tu a estes praticantes de iniquidade?? (Ezequiel 20:4) 4 Julgá-los-ás tu? Julgá-los-ás tu, ó filho do homem? Faze-os saber as coisas detestáveis dos seus antepassados. . .

Assim verte a Tradução Brasileira: (Ezequiel 20:4) 4 Acaso os julgarás, filho do homem, acaso os julgarás? faze-os conhecer as abominações de seus pais;

Assim verte a Tradução Almeida (A Bíblia da Mulher - 2003): (Ezequiel 20:4) 4 Julgá-los-ías tu, ó filho do homem, julgá-los-ias? Faze-lhes saber as abominações de seus pais;

Informa a eles o que o que os antepassados deles praticaram e foram; informa a eles o que eles são.

Depois, Jeová passa a contar para Ezequiel as atitudes que Ele havia tomado em relação aos antepassados de Ezequiel e dos demais israelitas. Esta nova informação do Deus Altíssimo colocaria por terra a visão que eles tinham do relacionamento destes antepassados com o Deus Altíssimo. Não se tratava de antepassados fiéis?? “Não foi por causa do merecimento deles que Eu os tirei da terra do Egito, pois eles se mostraram rebeldes. Eu fiz o bem para aquele que havia praticado ações que Eu reprovo. Quando ainda estavam no Egito, eles me deram os motivos válidos para derramar Meu furor contra eles no meio da terra do Egito. Filho do homem, Eu podia tê-los exterminado ainda no Egito”. Assim falou Jeová: (Ezequiel 20:8-10) 8 “‘“E eles começaram a rebelar-se contra mim e não quiseram escutar-me. As coisas repugnantes dos seus olhos eles não lançaram fora, individualmente, e não abandonaram os ídolos sórdidos do Egito, de modo que prometi derramar sobre eles o meu furor, a fim de levar a cabo a minha ira contra eles no meio da terra do Egito. 9 E eu prossegui, agindo em prol do meu próprio nome, para que não fosse profanado perante os olhos das nações entre as quais estavam, porque eu me dera a conhecer a eles perante os seus olhos, fazendo-os sair da terra do Egito. 10 Por isso os fiz sair da terra do Egito e os levei ao ermo.

Assim verte a Tradução Almeida: (Ezequiel 20:8-10) 8 Mas rebelaram-se contra mim, e não me quiseram ouvir; não lançaram de si, cada um, as coisas abomináveis que encantavam os seus olhos, nem deixaram os ídolos de Egito; então eu disse que derramaria sobre eles o meu furor, para cumprir a minha ira contra eles no meio da terra do Egito. 9 O que fiz, porém, foi por amor do meu nome, para que não fosse profanado à vista das nações, no meio das quais eles estavam, a cujos olhos eu me dei a conhecer a eles, tirando-os da terra do Egito. 10 Assim os tirei da terra do Egito, e os levei ao deserto.

Ainda no Egito, não lhes fiz o prometido e merecido. Os que estavam no deserto (ermo) não estavam ali por seus méritos. Por seus méritos eles estariam todos mortos.Filho do homem, as coisas que para Mim são abomináveis, aos olhos daqueles teus antepassados no Egito eram encantadoras. Eles rebelaram-se contra Mim, não quiseram Me ouvir”.

Continua Jeová falando a Ezequiel: “Quando já estavam no ermo, eles continuaram a Me dar motivos válidos para que Eu os consumisse. Eu prometi exterminá-los, mas não o fiz por causa do Meu nome”. (Ezequiel 20:13-14) 13 “‘“Mas eles, [os] da casa de Israel, rebelaram-se contra mim no ermo. Não andaram nos meus estatutos e rejeitaram as minhas decisões judiciais, por meio das quais, continuando a cumpri-las o homem, também continuará a viver. E profanaram muitíssimo os meus sábados, de modo que prometi derramar sobre eles meu furor no ermo, a fim de exterminá-los. 14 Mas agi em prol do meu próprio nome, para que não fosse profanado perante os olhos das nações, diante de cujos olhos eu os fizera sair.

Assim verte a Tradução Almeida: (Ezequiel 20:13-14) 13 Mas a casa de Israel se rebelou contra mim no deserto, não andando nos meus estatutos, e rejeitando as minhas ordenanças, pelas quais o homem viverá, se as cumprir; e profanaram grandemente os meus sábados; então eu disse que derramaria sobre eles o meu furor no deserto, para os consumir. 14 O que fiz, porém, foi por amor do meu nome, para que não fosse profanado à vista das nações perante as quais os fiz sair.

Ainda no deserto, não lhes fiz o merecido e prometido.Filho do homem, eles rejeitaram as minhas ordenanças, eles rejeitaram as minhas decisões judiciais pelas quais o homem deve viver, eles rejeitaram as minhas regras de como viver o dia a dia”.

Continua Jeová falando para Ezequiel: “Apesar dos motivos válidos, não os exterminei no deserto. Uma geração deles foi punida no deserto, mas, Eu não os exterminei no deserto”. (Ezequiel 20:15-17) 15 E eu mesmo também levantei a minha mão [em juramento] a eles no ermo, de não levá-los à terra que eu [lhes] dera, uma [terra] que manava leite e mel, (ela é o ornato de todas as terras,) 16 visto que rejeitaram as minhas próprias decisões judiciais; e quanto aos meus estatutos, não andaram neles, e profanaram meus sábados, porque seu coração ia atrás dos seus ídolos sórdidos. 17 “‘“E meu olho começou a ter dó deles [para me impedir] de arruiná-los, e não os exterminei no ermo.

Assim verte a Tradução Almeida: (Ezequiel 20:15-17) 15 E, contudo, eu levantei a minha mão para eles no deserto, jurando que não os introduziria na terra que lhes tinha dado, que mana leite e mel, a qual é a glória de todas as terras; 16 porque rejeitaram as minhas ordenanças, e não andaram nos meus estatutos, e profanaram os meus sábados; pois o seu coração andava após os seus ídolos. 17 Não obstante os meus olhos os pouparam e não os destruí nem os consumi de todo no deserto.

Ainda no deserto, não lhes fiz o merecido. O que todos mereciam?? Todos mereciam serem consumidos no deserto. Bem, e quanto àquela sensação de impunidade?? “Filho do homem, eles amavam àqueles que eles idolatravam, e seguiam a estes ídolos. Eles andavam nas palavras e nas ações dos seus ídolos; seguiam nos passos dos seus ídolos. Eles rejeitaram andar nos Meus caminhos”. Desta forma, eles rejeitaram a palavra de Jeová e aceitaram a palavra falada pelos seus ídolos. Rejeitaram as diretrizes dadas por Jeová e aceitaram as diretrizes estabelecidas e praticadas por seus ídolos, seus antepassados.

Filho do homem, Eu pedi a geração seguinte para não andar nos caminhos de seus pais, mas eles não Me obedeceram. Aquela geração que havia saído do Egito rejeitou os Meus estatutos e estabeleceram para si seus próprios estatutos.

(Ezequiel 20:18-22) 18 E passei a dizer aos filhos deles no ermo: ‘Não andeis nos regulamentos dos vossos antepassados, e não guardeis os seus julgamentos, e não vos avilteis com os seus ídolos sórdidos. 19 Eu sou Jeová, vosso Deus. Andai nos meus próprios estatutos e guardai as minhas próprias decisões judiciais e cumpri-as. 20 E santificai os meus próprios sábados, e eles terão de servir como sinal entre mim e vós, [para] saberdes que eu sou Jeová, vosso Deus.’ 21 “‘“E os filhos começaram a rebelar-se contra mim. Não andaram nos meus estatutos, e não guardaram as minhas decisões judiciais por cumpri-las, por meio das quais, continuando a cumpri-las o homem, também continuará a viver. Profanaram meus sábados. De modo que prometi derramar sobre eles o meu furor, a fim de levar a cabo a minha ira contra eles no ermo. 22 E retirei a minha mão e fui agir em prol do meu próprio nome, para que não fosse profanado perante os olhos das nações, diante de cujos olhos eu os fizera sair. . .



Assim verte a Tradução Almeida: (Ezequiel 20:18-22) 18 Mas disse eu a seus filhos no deserto: Não andeis nos estatutos de vossos pais, nem guardeis as suas ordenanças, nem vos contamineis com os seus ídolos. 19 Eu sou o Senhor vosso Deus; andai nos meus estatutos, e guardai as minhas ordenanças, e executai-os 20 E santificai os meus sábados; e eles servirão de sinal entre mim e vós para que saibais que eu sou o Senhor vosso Deus. 21 Mas também os filhos se rebelaram contra mim; não andaram nos meus estatutos nem guardaram as minhas ordenanças para as praticarem, pelas quais o homem viverá, se as cumprir; profanaram eles os meus sábados; por isso eu disse que derramaria sobre eles o meu furor, para cumprir contra eles a minha ira no deserto. 22 Todavia retive a minha mão, e procedi por amor do meu nome, para que não fosse profanado à vista das nações, a cujos olhos os fiz sair.



Filho do homem, os teus antepassados eram todos ímpios”, ímpios poupados da calamidade.

Eles acreditavam que as coisas boas feitas pelo Deus Altíssimo para os seus antepassados revelavam a condição de integridade dos antepassados. Eles acreditavam que o Deus Altíssimo não faria nada de bom para os iníquos. Eles acreditavam que os antepassados deviam ser imitados. Eles tinham os antepassados como heróis a serem louvados e imitados, pois haviam agradado ao Deus Altíssimo.

Esta informação lhes revelava que eles viviam em um mundo de fantasias, em um mundo baseado em uma irrealidade. Tratava-se de um mundo de ilusões.

Filho do homem, as coisas boas que teus antepassados receberam da Minha parte não comprovam que eles eram pessoas justas.

Continua Jeová falando para Ezequiel: “Até a mesmo a vocês não tratarei segundo o que vós mereceis, pois não retribuirei a vós segundo os vossos maus caminhos”. (Ezequiel 20:42-44) 42 “‘E tereis de saber que eu sou Jeová, quando eu vos fizer chegar ao solo de Israel, à terra a respeito da qual levantei a minha mão [em juramento] de dá-la aos vossos antepassados. 43 E certamente vos lembrareis ali dos vossos caminhos e de todas as vossas ações com que vos aviltastes, e tereis realmente aversão às vossas próprias faces por causa de todas as vossas coisas más que fizestes. 44 E tereis de saber que eu sou Jeová, quando eu tomar ação contra vós por causa do meu nome, não segundo os vossos caminhos maus ou as vossas ações corruptas, ó casa de Israel’, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová.”

Assim verte a Tradução Almeida: (Ezequiel 20:42-44) 42 E sabereis que eu sou o Senhor, quando eu vos introduzir na terra de Israel, no país a respeito do qual levantei a minha mão, jurando que o daria a vossos pais. 43 Ali vos lembrareis de vossos caminhos, e de todos os vossos atos com que vos tendes contaminado; e tereis nojo de vós mesmos, por causa de todas as vossas maldades que tendes cometido. 44 E sabereis que eu sou o Senhor, quando eu proceder para convosco por amor do meu nome, não conforme os vossos maus caminhos, nem conforme os vossos atos corruptos, ó casa de Israel, diz o senhor Deus.

Vós tendes cometido muitas maldades; vós sois ímpios, ó casa de Israel.

NÃO VOU PROCEDER CONVOSCO SEGUNDO OS VOSSOS MAUS CAMINHOS”.

NÃO VOU PROCEDER CONVOSCO SEGUNDO OS VOSSOS ATOS CORRUPTOS”.

Mesmo quando Eu dou uma punição, não se trata da merecida e justa punição.





Assim, Jeová provou mais uma vez que ele não é um justo retribuidor.

Ficou assim plenamente comprovado que Jeová não deu a estes iníquos aquilo que estes iníquos mereciam. Ficou comprovado que Jeová não estava praticando a “justiça”, isto é, não estava dando a cada um segundo o que cada um merecia.

Uma única diferença: Foi o próprio Jeová quem afirmou isto, e de forma bem clara.

Estava Jeová perdoando àqueles que não mereciam?? Sim estava. Estava Jeová dando algo de bom para o iníquo?? Sim, Ele estava.

Que incrível professor!!!!!!



SÃO AS AÇÕES DO MEU VIZINHO QUE DEVEM COMANDAR OS MEUS SENTIMENTOS EM RELAÇÃO A ELE??

SÃO AS AÇÕES DO MEU FILHO QUE DEVEM COMANDAR OS MEUS SENTIMENTOS EM RELAÇÃO A ELE??

SÃO AS AÇÕES DO MEU PRÓXIMO QUE DEVEM COMANDAR OS MEUS SENTIMENTOS EM RELAÇÃO A ELE??

SÃO OS SENTIMENTOS, AS PALAVRAS E AS AÇÕES DOS HUMANOS, QUE COMANDAM OS SENTIMENTOS DE JEOVÁ EM RELAÇÃO A ELES??

É JEOVÁ UM “COMANDADO” PELOS SENTIMENTOS DOS HUMANOS?? SERÁ QUE JEOVÁ “ASSIMILA” OS SENTIMENTOS DOS HUMANOS E PASSA A DEVOLVÊ-LOS??

E QUANTO AOS SENTIMENTOS DE JEOVÁ?? Será que Jeová também era um retribuidor de sentimentos?? Será que Jeová se caracteriza por devolver a cada um a forma como Ele é tratado?? O que este adorador de Jeová afirmou?? Com alguém benigno te mostrarás benigno; com alguém puro te mostrarás puro; com alguém leal agirás com lealdade. Será que Jeová é mesmo assim?? Neste caso Ele amaria aquele que O ama e odiaria aquele que O odeia; Ele seria amigo daquele que O tivesse como amigo e seria inimigo daquele que O tivesse como um inimigo; Ele seria indiferente com aquele que se mostrasse indiferente. Neste caso Jeová seria um comprador dos sentimentos dos outros, um compartilhador dos sentimentos dos outros, um cúmplice dos sentimentos dos outros; um assimilador dos sentimentos dos outros. (Salmos 18:25-26) 25 Para com o benigno te mostras benigno, e para com o homem perfeito te mostras perfeito. 26 Para com o puro te mostras puro, e para com o perverso te mostras contrário. (Salmos 15:25-26) 25 Com alguém leal agirás com lealdade; Com o varão vigoroso, sem defeito, procederás sem defeito; 26 Com aquele que se mantém limpo, tu te mostrarás limpo, E com o pervertido, tu te mostrarás tortuoso;

Uma pessoa assim pode ser confiável?? Neste caso Ele passa a ser comigo qualquer coisa que eu seja para com Ele?? Neste caso, Ele depende do meu sentimento para poder corresponder a este meu sentimento, não é verdade?? Neste caso, Ele assimila o meu bom ou mal sentimento e passa a devolver-me o meu bom ou mal sentimento??

Ainda em relação aos sentimentos de Jeová para com os iníquos, assim se expressou este adorador de Jeová: (Salmos 5:4-6) 4 Pois tu não és um Deus que se agrade da iniqüidade; Ninguém mau pode residir contigo por tempo algum. 5 Nenhuns jactanciosos podem tomar posição diante dos teus olhos. Odeias deveras a todos os que praticam o que é prejudicial; 6 Destruirás os que falam mentira. Jeová detesta o homem que derrama sangue e que engana. (Salmos 11:5) 5 O próprio Jeová examina tanto o justo como o iníquo, E Sua alma certamente odeia a quem ama a violência.



Assim verte a Tradução Almeida: (Salmos 5:4-6) 4 Porque tu não és um Deus que tenha prazer na iniqüidade, nem contigo habitará o mal. 5 Os arrogantes não subsistirão diante dos teus olhos; DETESTAS a todos os que praticam a maldade. 6 Destróis aqueles que proferem a mentira; ao sanguinário e ao fraudulento o Senhor abomina. (Salmos 11:5) 5 O Senhor prova o justo e o ímpio; a sua alma odeia ao que ama a violência.

Assim verte a Tradução Brasileira: (Salmos 5:4-6) 4 Pois tu não és Deus que se compraza na maldade, O mau não poderá assistir contigo. 5 Não poderão permanecer à tua vista os arrogantes, Aborreces todos os que obram a iniqüidade. 6 Destruirás os que proferem mentiras, Ao sanguinário e ao fraudulento Jeová abomina. (Salmos 11:5) 5 Jeová prova ao justo, Mas ao iníquo e ao que ama a violência, a sua alma os aborrece.

Amas ao amigo e odeias o inimigo??

Afastamento; Jeová detesta; O Senhor abomina; Sua alma odeia; Sua alma aborrece – segundo este adorador de Jeová, estes eram os sentimentos de Jeová pelos iníquos. Obviamente, segundo este adorador de Jeová, o seu Deus era um Deus retribuidor das ações e dos sentimentos humanos.

Uma lei da retribuição: Ame a quem te ama e odeie a quem te odeia.

Será que Jeová era um adepto desta lei da retribuição?? Foi Jeová o criador desta lei da retribuição??

Independente da informação dada por outros adoradores de Jeová, agora nós vamos analisar a informação dada por Jesus. Vejamos as afirmações de Jesus em relação ao Pai.

Assim falou Jesus: (Mateus 5:43-48) 43 Ouvistes que se disse: ‘Tens de amar o teu próximo e odiar o teu inimigo.’ 44 No entanto, eu vos digo: Continuai a amar os vossos inimigos e a orar pelos que vos perseguem; 45 para que mostreis ser filhos de vosso Pai, que está nos céus, visto que ele faz o seu sol levantar-se sobre iníquos e sobre bons, e faz chover sobre justos e sobre injustos. 46 Pois, se amardes aos que vos amam, que recompensa tendes? Não fazem também a mesma coisa os cobradores de impostos? 47 E, se cumprimentardes somente os vossos irmãos, que fazeis de extraordinário? Não fazem também a mesma coisa as pessoas das nações? 48 Concordemente, tendes de ser perfeitos, assim como o vosso Pai celestial é perfeito.

Assim verte a Tradução Almeida: (Mateus 5:43-48) 43 Ouvistes que foi dito: Amarás ao teu próximo, e odiarás ao teu inimigo. 44 Eu, porém, vos digo: Amai aos vossos inimigos, e orai pelos que vos perseguem; 45 para que vos torneis filhos do vosso Pai que está nos céus; porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons, e faz chover sobre justos e injustos. 46 Pois, se amardes aos que vos amam, que recompensa tereis? não fazem os publicanos também o mesmo? 47 E, se saudardes somente os vossos irmãos, que fazeis demais? não fazem os gentios também o mesmo? 48 Sede vós, pois, perfeitos, como é perfeito o vosso Pai celestial.

Assim verte a Tradução Brasileira: (Mateus 5:43-48) 43 Tendes ouvido que foi dito: Amarás o teu próximo e aborrecerás o teu inimigo. 44 Eu, porém, vos digo: Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem, 45 para que vos torneis filhos de vosso Pai que está nos céus, porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons, e vir chuvas sobre justos e injustos. 46 Pois se amardes aos que vos amam, que recompensa tendes? não fazem os publicanos também o mesmo? 47 Se saudardes somente aos vossos irmãos, que fazeis de especial? não fazem os gentios também o mesmo? 48 Sede vós, pois, perfeitos, como vosso Pai celestial é perfeito.

NÃO PRATIQUEM A LEI DA RETRIBUIÇÃO. Imitai o Pai Celestial.

Retribua o sentimento que tiverem por você?? Foi isto o que Jesus ensinou e praticou?? Amar o inimigo é praticar a lei da retribuição?? Não é exatamente o oposto??

A informação dada por Jesus mostrou ser oposta às informações dadas pelos demais servos do Deus Altíssimo. Todos os demais servos do Deus Altíssimo praticavam o ódio pelo inimigo, pois eles viam o inimigo como alguém a ser odiado.

Pode algum humano comprar um pouco de sol ou de chuva?? Pode algum humano continuar a viver sem ter uma destas duas coisas?? Você continuaria a doar estas coisas imprescindíveis para alguém que o tratasse como um inimigo?? Não se trata de alguém que não merece receber tais coisas boas??

Primeiro Jesus traz à atenção a lei de retribuição orgulhosamente praticada pelos adoradores de Jeová até então. “Ouviste que foi dito: Amarás ao teu próximo, e odiarás ao teu inimigo”. Esta é a lei da retribuição: Ame quem te ama e odeie a quem te odeia; a quem te der motivos válidos para amar, ame; àquele que te der motivos válidos para odiar, odeie”. Esta lei de retribuição era amada e orgulhosamente praticada por todos os adoradores de Jeová até então. Os adoradores de Jeová eram adeptos desta lei e amavam a “justa retribuição”. Eles pediam, eles clamavam pela justiça; eles clamavam que Jeová desse a cada um segundo o caminho de cada um; eles clamavam por punição. Eles viviam o dia a dia segundo esta justiça e amavam dar a cada um segundo os seus caminhos iníquos. Eram homens justiceiros. Estavam sempre prontos para acusar e apedrejar pecadores ou ainda, matá-los com suas espadas. Eles não abriam mão da punição.

Os justiceiros ficam felizes ao verem o merecedor receber a devida punição, e, de forma oposta, ficam decepcionados quando um merecedor escapa da punição.

Depois Jesus traz à atenção a lei praticada por Jeová, o Pai. Não pratiquem a lei da retribuição. “Amai os vossos inimigos”. Não se deixe contaminar com a inimizade do teu próximo; não passe a ter a mesma inimizade que ele tem; não compre o sentimento dele; não assimile o sentimento dele.

AMAI OS VOSSOS INIMIGOS. É PARA AMAR ÀQUELE QUE NÃO TE AMA.

Logo após, Jesus mostra que o Pai não é um retribuidor, pois Ele faz coisas boas para os maus, assim como faz coisas boas para os bons; Ele faz coisas boas tanto para justos como para injustos. Neste caso, o Pai não era um justo retribuidor. O Pai não praticava esta tal “justiça” praticada por estes humanos que o tinham como Deus. O sentimento do Pai não era uma retribuição ao sentimento dos iníquos e as ações do Pai não eram ações de retribuição segundo as ações dos iníquos.

Ora, se os servos do Deus Altíssimo praticavam a lei da retribuição (ouviste que foi dito), não se tratava de uma ordem dada pelo Deus Altíssimo, não se tratava da Lei dada pelo Deus Altíssimo. Em relação a isto, o que acrescentou Jesus??

Jesus falou: “Faça aos outros aquilo que você gostaria que eles fizessem a você, pois isto é o resumo da Lei e dos profetas; pois esta é a Lei e os profetas”.

Estas palavras faladas por Jesus deixam bem claro que o Deus Altíssimo não mandou humanos praticarem a justa retribuição. Logo, se eles e os antepassados, isto é, toda a casa de Israel, haviam praticado a retribuição, eles o faziam por conta própria.

Bem, vejamos as palavras faladas por Jesus: (Mateus 7:12) 12 Todas as coisas, portanto, que quereis que os homens vos façam, vós também tendes de fazer do mesmo modo a eles; isto, de fato, é o que a Lei e os Profetas querem dizer.

Assim verte a Tradução Almeida: (Mateus 7:12) 12 Portanto, tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei-lho também vós a eles; porque esta é a lei e os profetas.

Assim verte a Tradução Brasileira: (Mateus 7:12) 12 Portanto tudo o que quiserdes que os homens vos façam, fazei-o assim também vós a eles; porque esta é a lei e os profetas.

Ficou bem claro, não ficou?? A justa retribuição não era uma lei dada pelo Deus Altíssimo para ser praticada no dia a dia do povo escolhido.

Voltando as palavras de Jesus sobre amar o inimigo, logo depois Jesus passou a fazer perguntas para ajudar seus ouvintes a entender: “Se amardes a quem vos ama, que fazeis de extraordinário?? Esta é a lei da retribuição. Aqueles que são abominados por vós, por serem publicanos (cobradores de impostos), não agem da mesma maneira”??

O Pai não é um retribuidor de sentimentos; O Pai é uma fonte de sentimentos benéficos. Tanto os justos como os injustos são agraciados com os sentimentos benéficos do Pai.

Se saudardes, se cumprimentardes apenas aos vossos irmãos, que fazeis de extraordinário?? Aqueles que são abominados por vós, os gentios, não agem da mesma maneira que vós agis?? Trata-se de cumprimentar somente àquele que eu considero merecedor do meu cumprimento. “Já aquele aquele outro lá não merece receber o meu cumprimento”. Não é assim que age o gentio?? Neste caso, que diferença há entre vós e os gentios??? Não imite o gentio, imite o Pai Celestial.

Aquele que cumprimenta está tomando a iniciativa, está oferendo a sua amizade, está oferecendo o seu bom sentimento, está sempre estendendo a sua mão, está sempre oferecendo a sua paz.

Logo depois, Jesus chama atenção dos ouvintes para o exemplo a ser seguido, isto é, o Pai Celestial: Sede vós perfeitos, assim como o Pai Celestial é perfeito. O Pai Celestial não age como os humanos agem; Ele não é um retribuidor; Ele é um perdoador.

Sede perfeitos na forma de amar; sede vós completos na forma de amar, amando tanto àqueles que te amam, como também àqueles que não te amam. Cumprimente, estenda a mão tanto àquele que te ama, como àquele que não te ama. Neste caso, onde fica a divisão entre merecedores e não merecedores?? Não seja um retribuidor de sentimentos; seja uma fonte de bons sentimentos; seja uma fonte de amor; seja como o Pai Celestial.

Jesus deixou bem claro: “O Pai Celestial é para ser imitado”.

Não seja hostil para com o iníquo.

HOSTIL – Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): Ação própria do “inimigo”.

hostil

adj.2g. (sXV) 1 que manifesta inimizade; próprio de inimigo <uma multidão h.> <país h.> <atitude h.> 2 que revela agressividade; ameaçador <dirigia-se aos transeuntes de um modo h.> 3 que manifesta má vontade, mau humor; pouco acolhedor <recepção h.> 4 que se opõe a; adversário, contrário, desfavorável <um jornal h. às causas progressistas> <ele é h. à venda do imóvel> etim lat. hostílis,e 'do inimigo' sin/var ver sinonímia de adversário e malcriado ant ver antonímia de adversário e malcriado


Não pratique nenhuma ação de hostilidade para com o iníquo; não tenha por ele o sentimento de inimizade. Não saudar o iníquo é uma ação de hostilidade, é uma clara manifestação de inimizade. Ao amigo faz-se sempre questão de saudar, estender a mão e cumprimentar, não é verdade?? Ao amigo faz-se sempre questão de manisfestar tal sentimento benéfico, não é verdade??

Apesar dos “motivos válidos” dados pelos iníquos para odiá-los, não os odeie.

Assim, ficou bem claro que o adorador do Deus Altíssimo sempre deseja a calamidade para o iníquo, enquanto que o Deus Altíssimo nunca deseja a calamidade para o iníquo. O servo do Deus Altíssimo se coloca no papel de vítima e como vítima ele sempre deseja ser vingado, ele sempre deseja uma merecida punição para o iníquo. Sendo amado por Jeová, o servo espera que Jeová traga a calamidade para o iníquo, agindo assim em defesa do servo amado. No entanto, o Deus Altíssimo estabeleceu que a vítima deve sempre perdoar o seu agressor. Perdoar é o dever de toda vítima.

Este mostrou ser o sentimento do servo adorador de Jeová: (Salmos 41:11) 11 Por meio disso sei deveras que te agradaste de mim, Porque meu inimigo não brada em triunfo sobre mim.

Assim verte a Tradução Almeida: (Salmos 41:11) 11 Por isso conheço eu que te deleitas em mim, por não triunfar de mim o meu inimigo.

Falou mais este servo do Deus Altíssimo: (Salmos 41:10) 10 Tu, porém, ó Jeová, mostra-me favor e faze-me levantar-me, Para que eu lhes retribua.

Assim verte a Tradução Almeida: (Salmos 41:10) 10 Mas tu, Senhor, compadece-te de mim e levanta-me, para que eu lhes retribua.

A retribuição fluía de forma natural de dentro deste servo do Deus Altíssimo, sentimento este acompanhado por todos os demais servos.

Quem é que perdoa, a vítima ou o agressor?? Para poder existir o perdão, primeiro tem de existir um ofensor. O ofensor entra com uma ofensa e a vítima entra com o seu perdão. Nós somos os ofensores e O Pai é o Perdoador. Copiando o Pai Celestial, Jesus também mostrou ser um perdoador, pois ele perdoou todas as ofensas de todos os seus ofensores. A que humano Jesus executou qualquer punição?? A que humano pediu Jesus ao Pai para punir??

Embora exista a ofensa, o Pai Celestial abre mão da justa retribuição em face da ofensa, passando a perdoar o ofensor. Embora exista a dívida, o Pai Celestial perdoa a dívida, embora não exista qualquer mérito no ofensor. O que existe é a qualidade de perdoador no coração da vítima. Para ser um perdoador, a pessoa precisa ser uma vítima. A vítima deve continuar a praticar ações de amor para o seu ofensor.

AME DA FORMA COMO O PAI CELESTIAL AMA.

Não sejamos retribuidores de sentimentos, retribuidores de palavras e nem retribuidores de ações. Sejamos uma contínua fonte de perdão. Passemos a imitar o Pai Celestial. Devemos sentir orgulho em perdoar. Os justiceiros sentem vergonha em perdoar.

Um filho “A” que foi ofendido por “B”, isto é, passou a ser uma vítima de “B”, ao ver que o Pai continua amando “B” com o mesmo amor que o amava antes, como se sentirá??

Assim, “A” se sentirá muito mal se ele não perdoou “B”. No entanto, “A” se sentirá muito bem se ele perdoou “B”.

Em lugar de desejar que o ofensor receba aquilo que ele merece, ou seja, que ele seja tratado segundo os seus próprios caminhos, devemos sempre perdoar o ofensor, pois, o CONTÍNUO desejo do Pai Celestial é que o ofensor seja RECUPERADO.





O QUE É DISCRIMINAÇÃO?? O QUE É DISCRIMINAR??

DISCRIMINAÇÃO – Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): Ação de separar, segregar, pôr à parte. Tratamento preconceituoso. Ato que quebra o princípio da igualdade.

discriminação

s.f. (1881) ato ou efeito de discriminar 1 faculdade de discriminar, distinguir; discernimento 2 ação ou efeito de separar, segregar, pôr à parte <d. racial> 3 p.ext. tratamento pior ou injusto dado a alguém por causa de características pessoais; intolerância, preconceito <os idosos lutam contra a d. no mercado de trabalho> 4 jur ato que quebra o princípio de igualdade, como distinção, exclusão, restrição ou preferências, motivado por raça, cor, sexo, idade, trabalho, credo religioso ou convicções políticas etim lat. discriminatìo,ónis 'separação' ant indiscriminação par descriminação(s.f.)



DISCRIMINAREsta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): Tratar de modo desigual.

discriminar

v. (1833) 1 t.d.bit. perceber diferenças; distinguir, discernir <d. bem as cores> <d. o certo do errado> <d. entre uma cópia e o original> 2 t.d. colocar à parte por algum critério; especificar, classificar, listar <é preciso d. os artigos em falta> 3 t.d. e pron. não (se) misturar; formar grupo à parte por alguma característica étnica, cultural, religiosa etc.; separar(-se), apartar(-se), afastar(-se) <a professora foi punida por d. os alunos negros, colocando-os nas últimas carteiras> <não se julgando igual aos demais, ele mesmo se discrimina> 4 t.d. p.ext. tratar mal ou de modo injusto, desigual, um indivíduo ou grupo de indivíduos, em razão de alguma característica pessoal, cor da pele, classe social, convicções etc. <é comum a polícia d. os pretos e pobres> etim lat. discrimìno,as,ávi,átum,áre 'separar, distinguir, diferençar, variar' sin/var ver sinonímia de discernir par descriminar(todos os tempos do v.)

Percebemos que trata-se de quebra do princípio da imparcialidade. Aquele que discrimina está agindo com parcialidade, ou seja, está quebrando o princípio da isonimia.


Não se misturar também é uma ação discriminatória. Excluir também é uma ação discriminatória. Excluir é igual a “separar”, que é igual a “pôr à parte”, que é igual a “segregar”.

JESUS AFIRMOU: O PAI NÃO DISCRIMINA; ELE TRATA OS BONS DA MESMA FORMA COMO TRATA OS MAUS; O QUE ELE DÁ PARA OS BONS, TAMBÉM DÁ PARA OS MAUS, NA MESMA MEDIDA.

Ora, o Pai não trata cada grupo de forma diferenciada, segundo o que cada grupo merece?? Ora, o Pai dá ao iníquo algo de bom?? Jesus afirmou que o Pai faz o bem tanto para bons quanto para maus. Jeová mostrou de forma prática que Ele faz o bem tanto para bons quanto para maus.

O Pai dá ao iníquo a mesma coisa que Ele dá ao justo?? Jesus afirmou que sim. Jeová mostrou na forma prática que Ele dá ao iníquo a mesma coisa na mesmíssima quantidade que Ele dá ao justo.

LOGO DEPOIS, JESUS ADICIONOU: NÃO FAÇAM DISCRIMINAÇÃO ENTRE BONS E MAUS. NÃO FAÇAM DISCRIMINAÇÃO ENTRE JUSTOS E INJUSTOS. SIGAM O EXEMPLO DO PAI.

Ora, se os maus são aqueles que me tratam como inimigo, se são aqueles que sentem inimizade por mim, isto significa que eu devo amá-los assim como eu amo aqueles que sentem amizade por mim?? Isto significa que devo tratar os meus inimigos assim como trato os meus amigos?? Isto significa que não deve existir diferença entre o tratamento dado a amigos e inimigos??

Ora, isto significa que eu não devo dar a meu ofensor aquilo que ele merece?? Não devo dar a ele a punição que ele merece?? O Pai já deu esta resposta tanto na palavra quanto nas suas ações em relação aos ofensores.

Ora, isto significa que eu não devo fazer separação entre bons e maus?? Não devo fazer separação entre ofensores e não ofensores?? Aquele ali faz parte do grupo que não merece receber a minha saudação ou o meu cumprimento?? Imitando o Pai Celestial, não devo oferecer o meu cumprimento, tanto para os que tratam como amigo como para aqueles que tratam como inimigo?? Deixar de oferecer o meu cumprimento não revela a ausência de perdão da minha parte?? Não se trata de uma punição dada por mim para aquele humano??

Isto significa que os meus sentimentos pelos ofensores deve ser o mesmo para com os não ofensores??

A resposta dada por Jesus foi: “Amai os vossos inimigos”.

Amai?? Até onde deve ir o meu amor pelo “ofensor”??

Ora, deixar de praticar o mal contra ele, já não é suficiente??

A resposta de Jesus foi: “Tens de fazer mais do que isto”.

A resposta dada por Jesus foi: “Faça assim como faz o Pai Celestial e mostre que és um filho Dele”.

Apesar do iníquo me dar motivos válidos para odiá-lo, eu devo amá-lo como eu amo um amigo??

Devo amá-lo assim como eu amo àquele que me dá motivos válidos para amá-lo??

Se houver alguma resistência minha em fazer algo de bom para o ofensor, como estender minha mão e cumprimentá-lo por exemplo, não revela isto que eu estou guardando ressentimento dele?? Sim, isto é verdade.

Em relação a guardar ressentimento, o que falou Jesus: “Oferecei-lhe a outra face, oferecei-lhe; Tome a iniciativa de oferecer a outra face”. (Mateus 5:38-39) 38 Ouvistes que se disse: ‘Olho por olho e dente por dente.’ 39 No entanto, eu vos digo: Não resistais àquele que é iníquo; mas, a quem te esbofetear a face direita, OFERECE-LHE também a outra.

Assim verte a Tradução Almeida: (Mateus 5:38-39) 38 Ouvistes que foi dito: Olho por olho, e dente por dente. 39 Eu, porém, vos digo que não resistais ao homem mau; mas a qualquer que te bater na face direita, OFERECE-LHE também a outra;

Só pode tomar a iniciativa em oferecer a outra face aquele que não guardou ressentimento.

Em relação a guardar ressentimento, o que o Pai já havia falado para Moisés: (Levítico 19:18) 18 “‘Não deves tomar vingança nem ter ressentimento contra os filhos do teu povo; e tens de amar o teu próximo como a ti mesmo. Eu sou Jeová.

Assim verte a Tradução Almeida: (Levítico 19:18) 18 Não te vingarás nem guardarás ira contra os filhos do teu povo; mas amarás o teu próximo como a ti mesmo. Eu sou o Senhor.

Assim verte a Tradução Brasileira: (Levítico 19:18) 18 Não te vingarás nem guardarás ira contra os filhos do teu povo, mas amarás o teu próximo como a ti mesmo: eu sou Jeová.

Esta era a Lei que Jesus obedecia, não é verdade?? Sim, era.

RESSENTIMENTO – Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): Mágoa que se guarda; rancor.

ressentimento Datação: a1720

n substantivo masculino

1 ato ou efeito de ressentir(-se)

2 mágoa que se guarda de uma ofensa ou de um mal que se recebeu; rancor



Existe um motivo válido para se guardar rancor, para se ficar ressentido. Aquele que guarda ressentimento passa a desejar uma vingança.

Ressentimento é um sentimento prejudicial que põe a “vida” em risco.

Ressentimento é um dos sentimentos que aviltam o homem.

Um outro detalhe, vingar é o mesmo que retribuir, não é?? Sim, é.

VINGANÇA – Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): Ato de devolver um mal recebido. Ato de retribuir um mal recebido. Agir em represália.

vingança

s.f. (sXIII) ato ou efeito de vingar(-se) 1 ato lesivo, praticado em nome próprio ou alheio, por alguém que foi real ou presumidamente ofendido ou lesado, em represália contra aquele que é ou seria o causador desse dano; desforra, vindita 2 qualquer coisa que castiga; castigo, pena, punição <seria esta doença uma v. por suas crueldades> ter a v. no coração alimentar grande desejo de se vingar etim vingar + -ança sin/var desforço, desforra, desforro, despique, represália, retaliação, revindita, saldo, vendeta, vindita; (cog.) vingação

A vingança é a comprovação audível e visível de que existe um “ressentimento”, ou seja, que o coração daquela pessoa está aviltado.

Um coração com ressentimento é um coração aviltado.

Fica bem claro que o coração de um “santo” não tem ressentimento.

Também fica bem claro que o santo não devolve o mal recebido.


Puxa, que situação a minha!!! Parece que eu tenho de nascer de novo.

Jeová falou: “Em lugar de guardar ira, em lugar de guardar ressentimento, você deve amar o teu próximo”. A diretriz é a mesma; a motivação é a mesma.

Aquilo que Jeová falou para Moisés foi repetido por Jesus. Todos os mandamentos dados pelo Pai estão interligados pelo Amor, estão baseados no Amor, em um profundo Amor.

Retribuir o mal não é amar, retribuir o ódio não é amar; retribuir a indiferença não é amar. Realmente, O Pai Celestial não é um “Justo Retribuidor”.

Ora, os servos do Deus Altíssimo não odiavam todos os iníquos?? A alguns eles tratavam com indiferença. Os sentimentos destes servos do Deus Altíssimo não eram opostos aos sentimentos do Deus Altíssimo??

Em relação a seus sentimentos pelos iníquos, assim se expressou um dos servos do Deus Altíssimo: (Salmos 139:21-22) 21 Acaso não odeio os que te odeiam intensamente, ó Jeová, E não tenho aversão aos que se revoltam contra ti? 22 Odeio-os com ódio consumado. Tornaram-se para mim verdadeiros inimigos.

Assim verte a Tradução Almeida: (Salmos 139:21-22) 21 Não odeio eu, ó Senhor, aqueles que te odeiam? e não me aflijo por causa dos que se levantam contra ti? 22 Odeio-os com ódio completo; tenho-os por inimigos.

Nestas palavras, este servo do Deus Altíssimo expressou sua hostilidade em relação aos iníquos. A hostilidade em relação aos iníquos era deste servo, tratava-se dos sentimentos deste servo. É óbvio que este servo desejava que o Deus Altíssimo o acompanhasse nos seus sentimentos pelos iníquos.

Ora, revela ser mais um clássico exemplo da diferença entre o pensamento de Jeová e o pensamento do servo de Jeová, não é verdade??



Ora, ora, que situação!!!!!!!!!!

Eu preciso ler tudo de novo.


INFERNO DE FOGO ou INTERMINÁVEL PUNIÇÃO - CRIAÇÃO DE UM DEUS PERDOADOR OU CRIAÇÃO DE UM DEUS QUE GUARDA RESSENTIMENTO, QUE GUARDA MUITÍSSIMO RESSENTIMENTO??

O que é o “inferno de fogo”??

Este comentário abaixo foi copiado da internet.

O Inferno de Fogo e a Igreja

O conceito sobre o inferno de fogo começou a ser adotado pela igreja católica principalmente a partir do 2.° século EC, bem depois da época dos primitivos cristãos, segundo a “Apocalypse of ‎Peter (Apocalipse de Pedro do 2.° século EC) foi a primeira obra cristã apócrifa a ‎descrever a punição e as torturas de pecadores no inferno”.[15]

No entanto, os primeiros Pais da Igreja discordavam na questão do inferno. Justino, o ‎Mártir, Clemente de Alexandria, Tertuliano e Cipriano acreditavam que o inferno era um ‎lugar de fogo. Orígenes e o teólogo Gregório de Nissa achavam que o inferno era um ‎lugar de separação de Deus — de sofrimento espiritual. Agostinho de ‎Hipona, por outro lado, sustentava a idéia de que o sofrimento no inferno era tanto ‎espiritual como físico — conceito que passou a ser aceito. “Por volta do ‎quinto século a rigorosa doutrina de que os pecadores não terão uma segunda ‎oportunidade após a vida, e que o fogo que os devorará jamais se extinguirá, ‎prevalecia em toda a parte”.[16]

No século XVI, reformadores protestantes tais como Martinho Lutero e João Calvino ‎entenderam que o tormento ardente do inferno simbolizava passar a eternidade ‎separado de Deus. No entanto, a idéia de o inferno ser um lugar de tormento ressurgiu ‎nos dois séculos seguintes. O pregador protestante Jonathan Edwards costumava ‎aterrorizar o coração dos colonos americanos no século XVIII com a descrição vívida do ‎inferno.‎

Pouco depois, porém, as chamas do inferno começaram a diminuir lentamente. “O ‎inferno quase morreu no século 20”.[17]

Ora, ora, um aprofundamento da lei de retribuição?? Uma retribuição amplificada?? No lugar do perdão, uma maior e mais severa punição, ou seja, uma contínua punição??

O que ficou bem claro??

Ficou claro que não foi Jesus quem noticiou e descreveu para seus discípulos, um inferno de fogo. Neste caso, foram os próprios discípulos de Jesus, isto é, homens que chamavam a Jesus de “Senhor e Mestre”, aqueles que estavam revelando e defendendo seus conceitos sobre o tratamento que, segundo eles, Deus devia dar aos pecadores.

Jesus, o Mestre e Senhor destes humanos, O ÚNICO que conhecia o Pai, já havia feito a seguinte afirmação em relação ao Pai: “O Pai perdoa todos os pecados de todos os pecadores”. (Marcos 3:28-30) 28 Deveras, eu vos digo que TODAS AS COISAS SERÃO PERDOADAS AOS FILHOS DOS HOMENS, NÃO IMPORTA QUE PECADOS E BLASFÊMIAS COMETAM BLASFEMAMENTE. 29 No entanto, quem blasfemar contra o espírito santo, nunca terá perdão, mas é culpado de pecado eterno.” (Mateus 12:31-32) 31 Por esta razão, eu vos digo: TODA SORTE DE PECADO E BLASFÊMIA SERÁ PERDOADA AOS HOMENS, mas a blasfêmia contra o espírito não será perdoada. 32 Por exemplo, quem falar uma palavra contra o Filho do homem, ser-lhe-á perdoado; mas quem falar contra o espírito santo, não lhe será perdoado, não, nem neste sistema de coisas, nem no que há de vir.


Assim verte a Tradução Brasileira: (Marcos 3:28-29) 28 Em verdade vos digo: Que aos homens serão perdoados TODOS os pecados, e as blasfêmias que proferirem; 29 mas quem blasfemar contra o Espírito Santo, nunca mais terá perdão, pelo contrário é réu de um pecado eterno.


Assim verte a Tradução Almeida: (Marcos 3:28-29) 28 Em verdade vos digo: TODOS os pecados serão perdoados aos filhos dos homens, bem como todas as blasfêmias que proferirem; 29 mas aquele que blasfemar contra o Espírito Santo, nunca mais terá perdão, mas será réu de pecado eterno.

O PAI É UM PERDOADOR”. Não foi isto o que Jesus afirmou??

O Pai não guarda ressentimento de nenhum pecado de nenhum pecador; Jesus não guarda ressentimento de nenhum pecado de nenhum pecador. Há ainda alguma dúvida disto??

A criação e a utilização de um lugar como o inferno de fogo está em completa oposição a esta declaração acima feita por Jesus em relação a personalidade do Pai Celestial.

UM PAI PERDOADOR FARIA ISTO COM O SEU FILHO?? Você faria isto com o teu filho amado?? Que relação existe entre inferno de fogo e perdão?? Que relação existe entre bondade e inferno de fogo??

São os humanos que não perdoam e que guardam ressentimento de pecadores, são os humanos que desejam que os ofensores finalmente paguem pelos seus pecados. São estes humanos que desejam que haja uma interminável punição para aqueles que os ofendem. Quanto ressentimento guardado!!!!! Trata-se de um amplificado e interminável ressentimento guardado por uma vítima.

O discípulo de Jesus deve guardar ressentimento??

Depois disto, estes mesmos discípulos de Jesus dizem ao Pai em oração: “Pai, perdoe as minhas dívidas, ASSIM COMO EU TENHO PERDOADO a todos aqueles que são meus devedores”.

O que o Mestre falou?? Ele afirmou: “Se não perdoardes os pecados de teu irmão, o Pai não te perdoará”. Quem é que perdoa o pecado, não é a vítima??

Assim está registrado: (Mateus 6:14-15) 14 Pois, SE perdoardes aos homens as suas falhas, também o vosso Pai celestial vos perdoará; 15 ao passo que, SE NÃO perdoardes aos homens as suas falhas, tampouco o vosso Pai vos perdoará as vossas falhas.

MORTE ETERNA PARA UNS E PERDÃO PARA OUTROS??

MORTE ETERNAÉ IGUAL A AUSÊNCIA DE PERDÃO, NÃO É VERDADE??

TRATA-SE DA AÇÃO DE UM DEUS PERDOADOR E QUE NÃO GUARDA RESSENTIMENTO??

Morte eterna – o que é isto?? Trata-se de uma morte da qual não há ressurreição, ou seja, trata-se de uma morte sem retorno à vida.

É esta a reação final de uma vítima??

É isto o que você faria com o teu filho amado??

Aqueles que acreditam na sobrevivência após a morte, ou seja, em uma alma imortal que sobrevive a morte do corpo, acreditam em um inferno, onde a pessoa recebe uma eterna punição. Trata-se de uma interminável punição; trata-se de uma contínua punição. Eterna punição revela a inexistência de perdão. “Eterna punição” revela um ressentimento por tempo indefinido, revela a existência de um “ressentimento contínuo”.

MORTE ETERNA – trata-se de um fruto do Deus que “perdoa” todos os pecados e blasfêmias de todos os homens?? Que relação existe entre morte eterna e o perdão??

O ressentimento é um pecado, não é?? Não foi o próprio Pai quem determinou que o ressentimento é um pecado?? O que falou o Pai para Moisés?? Que regulamento deu o Pai para Moisés praticar no dia a dia?? Era para viver o dia a dia perdoando. Assim falou o Pai: Não deveis guardar ressentimento; deveis amar. (Levítico 19:18) 18 “‘Não deves tomar vingança nem ter ressentimento contra os filhos do teu povo; e tens de amar o teu próximo como a ti mesmo. Eu sou Jeová.

Assim verte a Tradução Brasileira: (Levítico 19:18) 18 Não te vingarás nem guardarás ira contra os filhos do teu povo, mas amarás o teu próximo como a ti mesmo: eu sou Jeová.

Assim verte a Tradução Almeida: (Levítico 19:18) 18 Não te vingarás nem guardarás ira contra os filhos do teu povo; mas amarás o teu próximo como a ti mesmo. Eu sou o Senhor.

Aquele que ama não guarda ressentimento; aquele que guarda ressentimento é porque não ama e não perdoou.

Quando vos tornardes vítimas, não deveis tomar vingança e nem deveis guardar ressentimento. O que deveis fazer?? Deveis perdoar.

Aqueles que não acreditam em uma uma alma imortal, acreditam em uma morte eterna como punição interminável para certos pecadores.

Todos estes discípulos de Jesus também desafiam as afirmações de Jesus acima, pois não creem que o Pai seja um perdoador que não guarda qualquer tipo de ressentimento de qualquer pecador.

Geena de fogo ou geena ardente => o que é isso??

Geena” é a palavra usada para determinar um lugar específico fora de Jerusalém, isto é, o vale de Hinom, onde era queimado todo o lixo e as carcaças dos animais. Neste caso, o fogo ali era constante.

Ora, o fogo é um símbolo apropriado de destruição e não de vida ou outra coisa benéfica, em face do resultado prático do que acontece com o que é jogado nele.

Alguns dos discípulos de Jesus têm ensinado que “geena de fogo” é um local de fogo onde homens são lançados lá para sofrerem eternamente, pois suas almas imortais não são consumidas neste lugar.

Outros discípulos de Jesus têm ensinado que a “geena ardente” é o símbolo da destruição permanente daquele que ali é jogado.

Jesus falou sobre geena de fogo??

Sim, ele falou.

O que ele falou??

Logo no início do sermão do monte, Jesus falou sobre geena de fogo e sobre aqueles que ficariam submetidos a esta “condição” para alguns e “lugar específico” para outros.

Assim falou Jesus:

(Mateus 5:21-22) 21 Ouvistes que se disse aos dos tempos antigos: ‘Não deves assassinar; mas quem cometer um assassínio terá de prestar contas ao tribunal de justiça.’ 22 No entanto, digo-vos que todo aquele que continuar furioso com seu irmão terá de prestar contas ao tribunal de justiça; mas, quem se dirigir a seu irmão com uma palavra imprópria de desprezo terá de prestar contas ao Supremo Tribunal; ao passo que quem disser: ‘Tolo desprezível!’, estará sujeito à Geena ardente.



Assim verte a Tradução Brasileira:

(Mateus 5:21-22) 21 Tendes ouvido que foi dito aos antigos: Não matarás; e: Quem matar, estará sujeito a julgamento. 22 Mas eu vos digo que todo aquele que se ira contra seu irmão, estará sujeito a julgamento; e quem chamar a seu irmão: Raca, estará sujeito ao julgamento do sinédrio; e quem lhe chamar: Tolo, estará sujeito à geena de fogo.

Assim verte a Tradução Almeida:

(Mateus 5:21-22) 21 Ouvistes que foi dito aos antigos: Não matarás; e, Quem matar será réu de juízo. 22 Eu, porém, vos digo que todo aquele que se encolerizar contra seu irmão, será réu de juízo; e quem disser a seu irmão: Raca, será réu diante do sinédrio; e quem lhe disser: Tolo, será réu do fogo do inferno.

Ser lançado naquele vale de Hinom, um lugar de queima de lixo, plenamente conhecido pelos ouvintes de Jesus, não soava como uma boa coisa boa.

No entanto, não soava como um tormento eterno, em face de ser queimado e não morrer, pois aqueles homens não acreditavam em uma sobrevivência após a morte, na qual a pessoa morta continuava plenamente consciente em forma invisível (morte do corpo e a sobrevivência de um espírito consciente).

Somente aquele que se considera superior a seu irmão é que chamaria o seu irmão de “tolo”.

Tolo – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: que ou aquele que não tem inteligência; que ou o que é tonto, simplório, ingênuo, diz ou pratica tolices... => tem como sinônimos: estúpido, idiota, imbecil, paspalho, trouxa, abestalhado, besta, bestalhão.......

tolo

\ô\ adj.s.m. (1521-1558) 1 que ou aquele que não tem inteligência ou juízo 2 que ou o que é tonto, simplório, ingênuo, diz ou pratica tolices n adj. 3 que não tem nexo, significação ou razão de ser; disparatado, infundado <ideia t.> <suspeita t.> 4 que tem vaidade, presunção; enfatuado <exibia-se todo t. dentro da nova roupa> 5 boquiaberto, estupefato, pasmado <ficou t. com a beleza da moça> n s.m. ict B 6 m.q. sebastião (Mustelus canis) ¤ etim orig.obsc. ¤ sin/var (e afins) abestalhado, abobalhado, apalermado, aparvalhado, apatetado, asno, atolado, atoleimado, azêmola, babaca, babaquara, basbaque, besta, bestalhão, bobo, boboca, bocó, bronco, burro, cândido, débil, estulto, estúpido, idiota, imbecil, inocente, jegue, jerico, jumento, mentecapto, néscio, obtuso, otário, pacóvio, palerma, parvo, paspalho, simplório, tapado, tolo, tonto, trouxa, zebra ¤ ant (e afins) águia, ajuizado, ardiloso, arguto, astuto, atilado, douto, erudito, espertalhão, esperto, inteligente, ladino, lúcido, malandro, malicioso, matreiro, perspicaz, pícaro, raposa, sabichão, sábio, sagaz, sensato, solerte, vivo ¤ hom tola \ô\ (f.) / tola(s.f.) e pl.


Quando alguém atribui o baixo valor de tolo para seu irmão estará sujeito ou será réu do inferno de fogo ou geena de fogo.

Que valor davam estes homens, ou seja, todos os judeus e demais descendentes de Jacó que eram contemporâneos de Jesus, aos seus vizinhos samaritanos??

Eles não se relacionavam amistosamente com os samaritanos.

Quando desejavam ofender e humilhar alguém, chamavam esta pessoa de samaritano.

Assim se fez registrar:

(João 8:46-48) 46 Quem de vós me declara culpado de pecado? Se falo a verdade, por que não me acreditais? 47 Quem é de Deus escuta as declarações de Deus. É por isso que não escutais, porque não sois de Deus.” 48 Em resposta, os judeus disseram-lhe: “Não dizemos corretamente: Tu és samaritano e tens demônio?”. . .


Assim verte a Tradução Brasileira:

(João 8:46-48) 46 Qual de vós me convence de pecado? Se digo a verdade, porque não me credes? 47 Quem é de Deus, ouve as palavras de Deus; por isso vós não me ouvis, porque não sois de Deus. 48 Responderam-lhe os judeus: Não dizemos nós bem que és samaritano e tens demônio?

É óbvio que, de forma permanente, atribuíam ao samaritano um baixo valor e tinham por ele uma baixa estima, logo, sentiam-se e se comportavam como se estivessem acima dos samaritanos.

Ainda no sermão do monte, Jesus repete a palavra geena.

(Mateus 5:27-30) 27 Ouvistes que se disse: ‘Não deves cometer adultério.’ 28 Mas eu vos digo que todo aquele que persiste em olhar para uma mulher, a ponto de ter paixão por ela, já cometeu no coração adultério com ela. 29 Se, pois, aquele olho direito teu te faz tropeçar, arranca-o e lança-o para longe de ti. Porque é mais proveitoso para ti que percas um dos teus membros, do que ser todo o teu corpo lançado na Geena. 30 Também, se a tua mão direita te faz tropeçar, corta-a e lança-a para longe de ti. Porque te é mais proveitoso perder um dos teus membros, do que todo o teu corpo acabar na Geena.



Assim verte a Tradução Brasileira:

(Mateus 5:27-30) 27 Tendes ouvido que foi dito: Não adulterarás. 28 Eu, porém, vos digo que todo o que põe seus olhos em uma mulher, para a cobiçar, já no seu coração adulterou com ela. 29 Se o teu olho direito te serve de pedra de tropeço, arranca-o e lança-o de ti; pois te convém mais que se perca um dos teus membros, do que todo o teu corpo seja lançado na geena. 30 Se a tua mão direita te serve de pedra de tropeço, corta-a e lança-a de ti; pois te convém mais que se perca um dos teus membros do que todo o teu corpo vá para a geena.

Nenhum dos ouvintes de Jesus queria ser lançado no vale de Hinom. Eles conheciam o lugar geográfico e sabiam o que acontecia ali.

Agora Jesus fala sobre a cobiça. Olhar e desejar para si. Isto é cobiça.

Olhou e desejou; desejou e pegou.

Sentir cobiça e praticar a cobiça torna a pessoa sujeita à geena.

Os ouvintes de Jesus não queriam ser lançados naquele lugar.

Vejamos agora outra citação de Jesus usando a palavra geena. Ela é bem interessante.

(Mateus 10:28) 28 E não fiqueis temerosos dos que matam o corpo, mas não podem matar a alma; antes, temei aquele que pode destruir na Geena tanto a alma como o corpo.



Assim verte a Tradução Brasileira:

(Mateus 10:28) 28 Não temais aos que matam o corpo, mas não podem matar a alma; temei antes aquele que pode fazer perecer na geena tanto a alma como o corpo.



Assim verte a Tradução Almeida:

(Mateus 10:28) 28 E não temais os que matam o corpo, e não podem matar a alma; temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno tanto a alma como o corpo.

Temei Aquele que tem o poder de fazer perecer “na geena” tanto a alma como o corpo.

O humano só consegue queimar o corpo de outro humano, pois a alma, ou vida, é aquela que retorna para Deus, Aquele que é a fonte da vida.

Mesmo que o homem destrua o corpo de outro homem, O Pai Jeová pode restituir outro corpo e a vida com este corpo, algo que nenhum humano pode conseguir.

Do que o humano depende para estar vivo??

Vejamos esta visão que o Pai forneceu para Ezequiel, e encontremos a resposta para esta pergunta acima.

(Ezequiel 37:1-10) 37 A mão de Jeová veio a estar sobre mim, de modo que ele me levou para fora no espírito de Jeová e me pousou no meio do vale plano, e [este] estava cheio de ossos. 2 E fez-me passar por eles ao redor, e eis que havia muitíssimos na superfície do vale plano, e eis que estavam muito secos. 3 E ele começou a dizer-me: “Filho do homem, poderão reviver estes ossos?” A isto eu disse: “Soberano Senhor Jeová, tu mesmo o sabes muito bem.” 4 E ele prosseguiu, dizendo-me: “Profetiza a respeito destes ossos, e tens de dizer-lhes: ‘Ó ossos secos, ouvi a palavra de Jeová: 5 “‘Assim disse o Soberano Senhor Jeová a estes ossos: “Eis que introduzirei fôlego em vós e tereis de reviver. 6 E vou pôr tendões sobre vós e fazer que venha carne sobre vós, e vou revestir-vos de pele e pôr fôlego em vós, e tereis de reviver; e tereis de saber que eu sou Jeová.”’” 7 E eu profetizei assim como fora mandado. E assim que profetizei veio a haver um ruído, e eis que havia um [som] retininte, e os ossos começaram a chegar-se osso a osso. 8 E eu vi, e eis que vieram sobre eles os próprios tendões e a própria carne, e começaram a ser revestidos de pele por cima. Mas, quanto a fôlego, não havia neles nenhum. 9 E ele prosseguiu, dizendo-me: “Profetiza ao vento. Profetiza, ó filho do homem, e tens de dizer ao vento: ‘Assim disse o Soberano Senhor Jeová: “Entra dos quatro ventos, ó vento, e sopra sobre estes mortos para que revivam.”’” 10E profetizei assim como me mandara, e passou a entrar fôlego neles, e começaram a viver e a pôr-se de pé, uma força militar muitíssimo grande.



Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel 37:1-10) 1 A mão de Jeová veio sobre mim, e ele me levou para fora no espírito de Jeová, e me pôs no meio do vale, que estava cheio de ossos; 2 e fez-me passar por toda a roda deles. Eis que havia muitíssimos sobre a face do vale; e eis que estavam em extremo secos. 3 Ele me perguntou: Filho do homem, acaso podem estes ossos reviver? Respondi: Senhor Jeová, tu sabes. 4 Disse-me mais: Profetiza sobre estes ossos, e dize-lhes: Ossos secos, ouvi a palavra de Jeová. 5 Assim diz o Senhor Jeová a estes ossos: Eis que vou fazer entrar em vós o fôlego, e vivereis. 6 Porei sobre vós nervos, e farei crescer carnes sobre vós, porei em vós o fôlego, e vivereis; sabereis que eu sou Jeová. 7 Assim profetizei, como fui ordenado. Enquanto eu profetizava, houve um estrondo, e eis que se fez um terremoto, e os ossos se achegaram osso ao seu osso. 8 Olhei, e eis que estavam nervos sobre eles, e cresceram as carnes, e a pele os cobriu por cima; porém não havia neles fôlego. 9 Então ele disse-me: Profetiza ao vento, profetiza, filho do homem, e dize ao vento: Assim diz o Senhor Jeová: Vem, ó fôlego, dos quatro ventos, e assopra sobre estes mortos, para que vivam. 10 Assim profetizei, como ele me ordenou, o fôlego entrou neles, e viveram, e se levantaram sobre os seus pés, um exército grande em extremo.

Havia um corpo que necessitava de vida consciente, uma vida humana consciente.

Somente o Pai tem o poder para dar esta vida consciente a um corpo humano.

Neste caso, somente Pai pode eliminar o corpo e a vida (alma), não dando por uma segunda vez aquela vida para um outro corpo, corpo este que estará saudável.

No entanto, é em qualquer lugar e a qualquer momento que o Pai Jeová pode destruir tanto o corpo como a vida.

Discípulos de Jesus têm afirmado que esta geena de fogo é um lugar físico de tormento permanente e eterno para aquele que ali é jogado.

Este lugar físico não existe, pois sua existência e funcionamento revelaria um Pai que criou um lugar de tormento, revelando ser um Pai que guarda um eterno ressentimento de certos pecadores.

No caso da “morte eterna” também revelaria a ausência do perdão para certos pecadores, enquanto haveria perdão para pecadores reconhecidamente piores do que estes que receberiam a morte eterna.

Por exemplo, cristãos têm afirmado que Sodoma foi condenada a uma morte eterna. No entanto, o Pai Jeová afirmou claramente que Jerusalém comportou-se bem pior do que Sodoma, e desta forma, declarando Sodoma justa.

Foi assim que o Pai Jeová falou:

(Ezequiel 16:46-48) 46 Tua irmã maior é Samaria, que habita à tua mão esquerda, juntamente com suas filhas; e tua irmã menor, que habita à tua mão direita, é Sodoma e suas filhas. 47 Contudo não andaste nos seus caminhos, nem fizeste conforme as suas abominações; porém, como se isso fora coisa de pouca monta, foste mais corrompida do que elas em todos os teus caminhos. 48 Pela minha vida, diz o Senhor Jeová, não fez Sodoma, tua irmã, nem ela nem suas filhas, como fizeste tu e tuas filhas.

A Tradução Almeida assim verte:

(Ezequiel 16:46-48) 46 E tua irmã maior, que habita à tua esquerda, é Samária, ela juntamente com suas filhas; e tua irmã menor, que habita à tua mão direita, é Sodoma e suas filhas. 47 Todavia não andaste nos seus caminhos, nem fizeste conforme as suas abominações; mas, como se isso mui pouco fora, ainda te corrompeste mais do que elas, em todos os teus caminhos. 48 Vivo eu, diz o Senhor Deus, não fez Sodoma, tua irmã, nem ela nem suas filhas, como fizeste tu e tuas filhas.

Pelas tuas más ações, você justificou tanto Samaria quanto Sodoma.

(Ezequiel 16:52) 52 Tu também, que deste sentença favorável a tuas irmãs, leva a tua vergonha; pelos teus pecados que cometeste mais abomináveis do que elas, são elas mais justas do que tu; confunde-te também, e leva a tua vergonha, pois justificaste tuas irmãs.

A Tradução Almeida assim verte:

(Ezequiel 16:52) 52 Tu, também, pois que deste sentença favorável a tuas irmãs, leva a tua vergonha; por causa de teus pecados, que fizeste mais abomináveis do que elas, mais justas são elas do que tu; confunde-te logo também, e sofre a tua vergonha, porque justificaste a tuas irmãs.

O que faria o Pai com aquele que se mostrou bem pior do que Sodoma??

(Ezequiel 16:62-63) 62 Eu estabelecerei a minha aliança contigo e saberás que eu sou Jeová, 63 para que te lembres, e fiques confundida, e não abras mais a tua boca por causa da tua vergonha; quando eu te houver perdoado tudo o que fizeste, diz o Senhor Jeová.

Assim verte a Tradução Almeida:

(Ezequiel 16:62-63) 62 E estabelecerei o meu pacto contigo, e saberás que eu sou o Senhor; 63 para que te lembres, e te envergonhes, e nunca mais abras a tua boca, por causa da tua vergonha, quando eu te perdoar tudo quanto fizeste, diz o Senhor Deus.

Por que situação passariam os perdoados??

(Ezequiel 16:61) 61 Então te lembrarás dos teus caminhos, e ficarás envergonhada, quando receberes as tuas irmãs, as irmãs mais velhas e bem assim as irmãs mais moças; e tas darei por filhas, porém não pela tua aliança.

Assim verte a Tradução Almeida:

(Ezequiel 16:61) 61 Então te lembrarás dos teus caminhos, e ficarás envergonhada, quando receberes tuas irmãs, as mais velhas e as mais novas, e eu tas der por filhas, mas não por causa do pacto contigo.

Estas palavras do Pai foram confirmadas por Jesus que afirmou:

(Mateus 11:21-24) 21 Ai de ti, Corazim! Ai de ti, Betsaida! Porque se tivessem ocorrido em Tiro e Sídon as obras poderosas que ocorreram em vós, há muito se teriam arrependido em saco e cinzas. 22 Conseqüentemente, eu vos digo: No Dia do Juízo será mais suportável para Tiro e Sídon do que para vós. 23 E tu, Cafarnaum, serás por acaso enaltecida ao céu? Até o Hades descerás; porque, se as obras poderosas que ocorreram em ti tivessem ocorrido em Sodoma, ela teria permanecido até o dia de hoje. 24 Conseqüentemente, eu vos digo: No Dia do Juízo será mais suportável para a terra de Sodoma do que para ti.”



Assim verte a Tradução Brasileira:

(Mateus 11:21-24) 21 Ai de ti, Corazim! ai de ti, Betsaida! porque se em Tiro e em Sidom se tivessem operados os milagres que em vós se fizeram, há muito elas se teriam arrependido em saco e em cinza. 22 Eu vos digo, contudo, que no dia de juízo haverá menos rigor para Tiro e Sidom, do que para vós. 23 Tu, Cafarnaum, elevar-te-ás, porventura, até o céu? descerás até o Hades; porque se em Sodoma se tivessem operado os milagres que em ti se fizeram, ela teria permanecido até o dia de hoje. 24 Eu vos digo, contudo, que menos rigor haverá no dia de juízo para a terra de Sodoma, do que para ti.

Assim verte a Tradução Almeida:

(Mateus 11:21-24) 21 Ai de ti, Corazin! ai de ti, Betsaida! porque, se em Tiro e em Sidom, se tivessem operado os milagres que em vós se operaram, há muito elas se teriam arrependido em cilício e em cinza. 22 Contudo, eu vos digo que para Tiro e Sidom haverá menos rigor, no dia do juízo, do que para vós. 23 E tu, Cafarnaum, porventura serás elevada até o céu? até o inferno descerás; porque, se em Sodoma se tivessem operado os milagres que em ti se operaram, teria ela permanecido até hoje. 24 Contudo, eu vos digo que no dia do juízo haverá menos rigor para a terra de Sodoma do que para ti.

Houve a garantia de que todas as iníquas irmãs estariam vivas no “Último Dia”.

A mais iníqua levantada junto a aquelas que a mais iníqua condenava a uma morte eterna e pedia ao Pai uma morte eterna para elas, acusando-as de iniquidade??

Sim, seriam levantadas juntas.

O que haverá neste dia para aquela que o Pai chamou de mais iníqua??

O Pai afirmou que haverá vergonha e humilhação para aquela que acusava suas irmãs de iniquidade e que desejavam ver suas irmãs permanentemente mortas.

Ela mostrou ser mais soberba do que todas as suas irmãs, ou seja, mostrou ser muito mais soberba do que Sodoma e muito mais soberba do que Samaria e todas as demais irmãs, sentindo-se e comportando-se como se fosse melhor do que todas elas.

Estar diante de suas iníquas irmãs, após telas acusado de iniquidade diante do Pai Jeová, será algo bem constrangedor para ela.

Um verdadeiro tormento, um verdadeiro fogo que não queima e que não mata.

No entanto, não foi o Pai Jeová quem construiu este inferno ou esta situação.

As ações anteriores daquela que se exaltava sobre suas irmãs é que ocasionou esta situação.

O acusador terá problemas diante de todos aqueles que ele acusou de serem piores do que ele, que ele acusou de serem iníquos, enquanto eximia-se de ser um iníquo.

Será um memorável dia de vergonha e humilhação.

Os soberbos acusadores desejarão enterrar suas faces, mas não conseguirão.

Jesus falou sobre

Aquilo que se colocou no alto e se comportou como se fosse superior aos demais será lançado ao seu devido lugar abaixo. E isto acontecerá diante de todos aqueles que ele humilhou.

Assim informou o Pai:

(Revelação 18:6-8) 6 Fazei-lhe assim como ela mesma fez, e fazei-lhe duas vezes tanto, sim, duas vezes o número de coisas que ela fez; no copo em que ela pôs a mistura, ponde duas vezes tanto da mistura para ela. 7 Ao ponto que ela se glorificou e viveu em impudente luxúria, a tal ponto dai-lhe tormento e pranto. Porque ela está dizendo no seu coração: ‘Estou sentada como rainha, e não sou viúva, e nunca verei pranto.’ 8 É por isso que as pragas dela virão num só dia, morte, e pranto, e fome, e ela será completamente queimada em fogo, porque Jeová Deus, quem a julga, é forte.



Assim verte a Tradução Brasileira:

(Apocalipse 18:6-8) 6 Retribui-lhe também como ela retribuiu, pagai-lhe com dobro segundo as suas obras. No cálice que ela preparou, preparai para ela o dobro. 7 Quanto teve ela de glória e de luxúria, tanto lhe dai de tormento e de pranto. Pois diz no seu coração: Estou sentada como rainha, e não sou viúva e não verei o pranto. 8 Por isso num só dia virão as suas pragas: a morte e o pranto e a fome, e ela será queimada no fogo; porque forte é o Senhor Deus que a julgou.

Quem mais será lançado neste lago de fogo??

Quem mais será lançado nesta geena ardente??

(Revelação 19:20) 20 E a fera foi apanhada, e junto com ela o falso profeta, que realizava na frente dela os sinais com que desencaminhava os que tinham recebido a marca da fera e os que prestavam adoração à sua imagem. Ambos, ainda vivos, foram lançados no lago ardente que queima com enxofre.



Assim verte a Tradução Brasileira:

(Apocalipse 19:20) 20 A besta foi presa e com ela o falso profeta que fez os milagres diante dela, com os quais seduziu aos que receberam a marca da besta e que adoraram a sua imagem; estes dois foram lançados vivos no lago do fogo, que arde com enxofre.

Uma besta, ou seja, uma fera, junto com um falso profeta, ainda vivos foram lançados em um lago de fogo??

O uso que o Pai Jeová faz do “fogo”.



(Ezequiel 22:19-22) 19 Portanto, assim disse o Soberano Senhor Jeová: ‘Visto que todos vós vos tornastes como muita escória, portanto, eis que vos reúno no meio de Jerusalém. 20 Assim como se reúne prata, e cobre, e ferro, e chumbo, e estanho no meio do forno de fundição, para soprar sobre ele com fogo para que seja fundido, assim [os] reunirei na minha ira e no meu furor, e vou soprar e fazer que sejais fundidos. 21 E vou reunir-vos e soprar sobre vós com o fogo da minha fúria, e tereis de ser fundidos no meio dela. 22 Assim como se funde prata dentro de um forno de fundição, assim vós sereis fundidos no meio dela; e tereis de saber que eu mesmo, Jeová, derramei sobre vós o meu furor.’”



Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel 22:19-22) 19 Portanto assim diz o Senhor Jeová: Porquanto todos vós vos tornastes em escória, portanto eis que eu vos ajuntarei no meio de Jerusalém. 20 Como se ajuntam a prata, e o cobre, e o ferro, e o chumbo e o estanho no meio da fornalha, para assoprar o fogo sobre eles, com o fim de os fundir; assim vos ajuntarei na minha ira e no meu furor, e ali vos porei, e vos fundirei. 21 Na verdade congregar-vos-ei, e assoprarei sobre vós com o fogo da minha ira, e sereis fundidos no meio dela. 22 Como se funde a prata no meio da fornalha, assim sereis fundidos no meio dela; e sabereis que eu Jeová derramei o meu furor sobre vós.

Para que sejais fundidos no meio de Jerusalém e tereis de saber que derramei sobre vós o meu furor.

Para que fiqueis sabendo que fui Eu quem derramei o Meu furor sobre vós.

Certamente que o povo escolhido achava que o que estava acontecendo contra eles por parte dos gentios era algo contra o Pai Jeová.
O Pai Jeová lhes estava avisando que aquela situação ardente qual fogo tinha Ele como fonte de origem.

Eles se achavam pobres vítimas inocentes, no entanto, o Pai lhes estava avisando que eles estavam recebendo uma punição, logo, não eram pobres vítimas inocentes.

Vejamos agora esta nova situação na qual o Pai Jeová faz uso de “fogo”.

(Zacarias 13:8-9) 8 E terá de acontecer em toda a terra”, é a pronunciação de Jeová, “[que] duas partes nela serão decepadas [e] expirarão; e quanto à terceira [parte], será deixada sobrar nela. 9 E eu certamente levarei a terceira [parte] através do fogo; e eu realmente os refinarei como se refina a prata e os examinarei como se examina o ouro. Ela, da sua parte, invocará o meu nome, e eu, da minha parte, lhes responderei. Vou dizer: ‘É meu povo’, e ela, por sua vez, dirá: ‘Jeová é meu Deus.’”



Assim verte a Tradução Brasileira:

(Zacarias 13:8-9) 8 Em toda a terra, diz Jeová, duas partes nela serão exterminadas, e perecerão; mas a terceira ficará nela. 9 Farei passar a terceira parte pelo fogo, e os purificarei como se purifica a prata, e os provarei como se prova o ouro. Eles invocarão o meu nome, e eu os escutarei. Eu direi: São meu povo; e eles dirão: Jeová é o meu Deus.

Que uso estava o Pai Jeová fazendo do “fogo”??

Para que fim estava sendo usado o “fogo”??

Este um terço também passariam por uma situação de intensa tribulação, qual fogo. No entanto, o objetivo era outro. Este um terço passaria por esta intensa tribulação (qual fogo) glorificando ao Pai, apesar do sofrimento que tal situação (qual fogo) traria.

O que o Pai havia revelado sobre o que ocorreria naquele futuro??

(Malaquias 3:1-4) 3Eis que envio o meu mensageiro e ele terá de desobstruir o caminho diante de mim. E repentinamente virá ao Seu templo o [verdadeiro] Senhor, a quem procurais, e o mensageiro do pacto, em quem vos agradais. Eis que virá certamente”, disse Jeová dos exércitos. 2 Mas quem agüentará o dia da sua vinda e quem se manterá de pé quando ele aparecer? Pois ele será como o fogo do refinador e como a barrela dos lavadeiros. 3 E terá de assentar-se como refinador e purificador de prata e terá de purificar os filhos de Levi; e terá de depurá-los como o ouro e como a prata, e hão de tornar-se para Jeová pessoas que apresentam uma oferenda em justiça. 4 E a oferenda de Judá e de Jerusalém será realmente agradável a Jeová, como nos dias de há muito tempo e como nos anos da antiguidade.



Assim verte a Tradução Brasileira:

(Malaquias 03:1-4) 1 Eis que envio eu o meu mensageiro, e ele há de preparar o caminho diante de mim; de repente virá ao seu templo o Senhor, a quem vós buscais; e o anjo da aliança, no qual vós vos agradais, eis que ele vem, diz Jeová dos exércitos. 2 Mas quem pode suportar o dia da sua vinda? quem subsistirá quando ele aparecer? porque ele é como o fogo de fundidor e como o sabão de lavandeiros. 3 Sentar-se-á como fundidor e purificador de prata; purificará os filhos de Levi e os refinará como ouro e como prata. Eles farão a Jeová ofertas em justiça. 4 Então a oferta de Judá e de Jerusalém será agradável a Jeová, como nos dias antigos e como nos anos passados.

Esta situação já aconteceu na linha do tempo?? Que ocasião foi esta??

Que informação deu Jesus sobre esta ocasião??

(Mateus 24:15-22) 15 Portanto, quando avistardes a coisa repugnante que causa desolação, conforme falado por intermédio de Daniel, o profeta, estar em pé num lugar santo, (que o leitor use de discernimento,) 16 então, os que estiverem na Judéia comecem a fugir para os montes. 17O homem [que estiver] no alto da casa não desça para tirar de sua casa os bens; 18 e o homem [que estiver] no campo não volte para casa para apanhar a sua roupa exterior. 19 Ai das mulheres grávidas e das que amamentarem naqueles dias! 20 Persisti em orar que a vossa fuga não ocorra no tempo do inverno, nem no dia de sábado; 21 pois então haverá grande tribulação, tal como nunca ocorreu desde o princípio do mundo até agora, não, nem tampouco ocorrerá de novo. 22 De fato, se não se abreviassem aqueles dias, nenhuma carne seria salva; mas, por causa dos escolhidos, aqueles dias serão abreviados.



Assim verte a Tradução Brasileira:

(Mateus 24:15-22) 15 Quando, pois, virdes a abominação de desolação, predita pelo profeta Daniel, estabelecida no lugar santo (quem lê, entenda), 16 então os que estiverem na Judéia, fujam para os montes; 17 o que se achar no eirado, não desça a tirar as coisas de sua casa, 18 e o que estiver no campo, não volte para tomar a sua capa. 19 Mas ai das que estiverem grávidas e das que amamentarem naqueles dias! 20 Rogai que a vossa fuga não suceda no inverno, nem no sábado; 21 porque haverá então grande tribulação, tal como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem haverá jamais. 22 Se não se abreviassem aqueles dias, ninguém seria salvo; mas por amor dos escolhidos esses dias serão abreviados.

Naquela terra, ninguém escaparia daquela tribulação.

Esta foi a informação dada por Jesus:

(Lucas 21:32-36) 32 Deveras, eu vos digo: Esta geração de modo algum passará até que todas estas coisas ocorram. 33 Céu e terra passarão, mas as minhas palavras de modo algum passarão. 34 Mas, prestai atenção a vós mesmos, para que os vossos corações nunca fiquem sobrecarregados com o excesso no comer, e com a imoderação no beber, e com as ansiedades da vida, e aquele dia venha sobre vós instantaneamente 35 como um laço. Pois virá sobre todos os que moram na face de toda a terra. 36 Portanto, mantende-vos despertos, fazendo todo o tempo súplica para que sejais bem sucedidos em escapar de todas estas coisas que estão destinadas a ocorrer, e em ficar em pé diante do Filho do homem.”



Assim verte a Tradução Brasileira:

(Lucas 21:32-36) 32 Em verdade vos digo que não passará esta geração, sem que tudo se cumpra. 33 Passará o céu e a terra, mas não passarão as minhas palavras. 34 Guardai-vos, para não suceder que os vossos corações fiquem pesados com o excesso no comer e no beber e com os cuidados desta vida, e que aquele dia venha sobre vós de repente como um laço; 35 pois há de vir a todos os que estão sobre a face da terra. 36 Vigiai, porém, em todo o tempo, orando para que possais escapar de todas estas coisas que hão de acontecer, e para que possais manter-vos na presença do Filho do homem.

Não resta nenhuma dúvida. Aquela geração contemporânea de Jesus passaria por todas as situações informadas pelo Pai.

Haveria um grupo que passaria por esta tribulação e que sairia dela sendo uma oferta agradável para o Pai Jeová??

Será que o Pai Jeová se alegrava em dar esta tribulação qual fogo para seus filhos experimentarem??

Embora o Pai não se agrade do sofrimento pelo qual o Seu filho passará, o Pai Jeová se alegra com o resultado que pode ser obtido por esta tribulação.

É o filho quem consegue algo positivo nesta tribulação.

Durante a tribulação e depois dela, este filho continua falando que tem o Pai Jeová como seu Deus.

O que percebemos??

Percebemos que a mesma situação de plena tribulação, situação quente como o fogo sobre aquela nação adoradora de Jeová, produziria dois resultados opostos na mesma ocasião.

Haveria aqueles que se rebelariam contra a pressão e passariam a buscar soluções violentas e/ou enganosas para fugirem do calor da pressão.

Haveria também aqueles que reconheceriam esta ocasião como a ocasião para perdoarem amplamente os maus tratos sofridos, mantendo o seu amor aos agressores nesta ocasião de extrema pressão emocional.

O que diria o Pai Jeová para estes últimos??

- “São meu povo”.

Em contrapartida, aquele grupo que achava, esperava e pedia que o Pai Jeová matasse aqueles ofensores, e que passariam a sentir ódio dos agressores, aproveitando toda oportunidade e ajuda para usar de violência e/ou engano contra os agressores, sofreriam a decepção de não verem o Pai Jeová lhes defender assim como eles esperavam. Ficariam decepcionados ao perceberem que não eram os filhos intocáveis do Pai Jeová.

É exatamente neste momento de tribulação que as palavras de Eliú se mostram sábias:

(Jó 36:15-21) 15 Ele socorrerá o atribulado na sua tribulação E destapará seu ouvido na opressão. 16 E certamente te engodará [para longe] da boca da aflição! Um lugar mais amplo, não o aperto, haverá em seu lugar, E o consolo da tua mesa será cheio de gordura. 17 Certamente serás enchido com a sentença judicial contra o iníquo; A sentença judicial e o juízo é que segurarão. 18 Pois [cuida de] que o furor não te engode a bater palmas [por despeito], E não te deixes desencaminhar por um grande resgate. 19 Terá efeito teu clamor por ajuda? Não, nem na aflição Todos os [teus] poderosos esforços. 20 Não fiques suspirando pela noite, Para que os povos retrocedam [de] onde estão. 21 Guarda-te de não te virares para o que é prejudicial, Pois escolheste isso em vez de tribulação.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Jó 36:15-21) 15 Ele livra o aflito por meio da sua aflição, E na opressão lhe abre o ouvido. 16 Na verdade te haveria tirado da angústia Para um lugar espaçoso, onde não há estreiteza; E as iguarias da sua mesa seriam cheias de gordura. 17 Mas estás de completo acordo com o juízo do iníquo: O juízo e a justiça tomarão conta de ti. 18 Não permitas, pois, que a ira te induza a escarnecer; Nem te desvie a grandeza do resgate. 19 Bastarão, porventura, as tuas riquezas, para que não estejas em aperto, Ou todas as forças da tua fortaleza? 20 Não suspires pela noite, Em que povos são cortados do seu lugar. 21 Guarda, não declines para a iniqüidade, Pois isso escolhes antes que a aflição.

É exatamente neste momento que revelamos o que realmente desejamos que aconteça com o iníquo agressor e aqueles que o apoiam. É neste momento que revelamos o que realmente existe dentro do nosso coração.

O que mais falou o Pai Jeová sobre o calor da tribulação??

(Isaías 48:8-11) 8 Além disso não ouviste, nem soubeste, nem foi aberto teu ouvido daquele tempo em diante. Pois eu bem sei que, sem falta, agias traiçoeiramente e foste chamado de ‘transgressor desde o ventre’. 9 Por causa do meu nome controlarei a minha ira e por meu louvor me refrearei para contigo, para que não haja decepamento. 10 Eis que eu te refinei, mas não em [forma de] prata. Fiz a escolha de ti no forno de fundição da tribulação. 11 Por minha própria causa, por minha própria causa agirei, pois como pode alguém deixar-se profanar? E a minha própria glória não darei a outrem.


Assim verte a Tradução Brasileira:


(Isaías 48:8-11) 8 Tu nem as ouviste, nem as soubeste, nem há muito que se lhe abriu o teu ouvido; porque eu sabia que procedeste mui perfidamente, e foste chamado transgressor desde o ventre. 9 Por amor do meu nome dilatarei a minha ira, e por causa do meu louvor me refrearei para contigo, a fim de que eu não te extermine. 10 Eis que eu te purifiquei, porém não como a prata; escolhi-te na fornalha da aflição. 11 Por amor de mim, por amor de mim o farei; pois como seria o meu nome profanado? A minha glória não a darei a outrem.






O que percebemos existir tanto no caso do “inferno de fogo” quanto o da “morte eterna”, ensinos amplamente defendidos pelos discípulos de Jesus??

Nos dois casos revela-se a existência de uma punição infinitamente superior à ofensa praticada pelo iníquo.

Qual é a consequência direta do pecado??

O Pai Jeová nos informou que aquela alma que pecar, esta alma morrerá.

Tempos depois, Jesus nos informou que todos os que cometeram pecados, isto é, todos os que estiverem nos túmulos, exatamente por terem cometido pecados, ouvirão a voz de Jesus e de lá sairão, tanto aqueles que fizeram coisas boas quanto aqueles que fizeram coisas más.

O que afirmou Jesus??

(João 5:28-29) 28 Não vos maravilheis disso, porque vem a hora em que todos os que estão nos túmulos memoriais ouvirão a sua voz 29 e sairão, os que fizeram boas coisas, para uma ressurreição de vida, os que praticaram coisas ruins, para uma ressurreição de julgamento.



Assim verte a Tradução Brasileira:

(João 5:28-29) 28 Não vos maravilheis disto, porque vem a hora em que todos os que se acham nos túmulos, ouvirão a sua voz e sairão: 29 os que fizeram o bem, para a ressurreição da vida; e os que praticaram o mal, para a ressurreição do juízo.

Assim verte a Tradução Almeida:

(João 5:28-29) 28 Não vos admireis disso, porque vem a hora em que todos os que estão nos sepulcros ouvirão a sua voz e sairão: 29 os que tiverem feito o bem, para a ressurreição da vida, e os que tiverem praticado o mal, para a ressurreição do juízo.

Todos os que estiverem nos sepulcros.

Segundo a informação de Jesus, onde estariam as pessoas que fizeram coisas más?? Nos sepulcros.

Segundo a informação de Jesus, onde estriam as pessoas que fizeram coisas boas?? Nos sepulcros.

Jesus não informou ao humano que existia um outro lugar em que as pessoas más iriam. Segundo a informação de Jesus, as pessoas más estariam nos sepulcros.

Jesus nos informou que estas pessoas “más” sairiam dos sepulcros ASSIM COMO as pessoas “boas” também sairiam dos sepulcros.

Haveria diferença na ressurreição, pois aquele que faz coisas boas terá uma ressurreição de vida, enquanto aquele que pratica coisas más receberá uma ressurreição de julgamento.

Ficou bem claro que tanto o “inferno de fogo” como a “morte eterna” são resultados da ação de alguém que guarda ressentimento, são resultados da ação de alguém que não é perdoador, o que não é o caso do Pai Celestial, isto é, aquele Pai Celestial descrito por Jesus e copiado por Jesus. Afirmar que este “Deus Perdoador” guarda tanto ressentimento de certos pecadores, que os mantêm aprisionados sob perpétuo sofrimento é blasfemar contra este Deus, não é verdade??

Nos dois casos revela-se a ausência do perdão. Nos dois casos revela-se uma negação do fato de Deus ser um “Perdoador”.

Quando é que você pode deixar de perdoar um pecador?? Nunca. Isto seria um pecado seu. Não é um caso de questionar se o pecador merece ser perdoado, antes, é um caso de perdoar aquele que não merece.

No seu dia a dia, Jesus cumpria fielmente este mandamento dado pelo Pai; Jesus vivia o seu dia a dia perdoando. No chamado “sermão do monte”, Jesus repetiu este mandamento, mandamento este a ser obedecido pelo discípulo. Assim falou Jesus: (Mateus 5:38-39) 38 Ouvistes que se disse: ‘Olho por olho e dente por dente.’ 39 No entanto, eu vos digo: Não resistais àquele que é iníquo; mas, a quem te esbofetear a face direita, OFERECE-LHE também a outra.

Assim verte a Tradução Almeida: (Mateus 5:38-39) 38 Ouvistes que foi dito: Olho por olho, e dente por dente. 39 Eu, porém, vos digo que não resistais ao homem mau; mas a qualquer que te bater na face direita, OFERECE-LHE também a outra;

Assim verte a Tradução Brasileira: (Mateus 5:38-39) 38 Tendes ouvido que foi dito: Olho por olho, e dente por dente. 39 Eu, porém, vos digo: Não resistais ao homem mau; mas a qualquer que te dá na face direita, VOLTA-LHE também a outra;

O que Jeová afirmou que faria com o filho desobediente?? Será que Jeová afirmou que aplicaria uma interminável punição em algum filho rebelde?? O que disse o Pai?? (Jeremias 31:20) 20 É Efraim para mim um filho precioso ou um menino tratado com mimo? Pois, ao ponto de eu falar contra ele, sem falta me lembrarei dele ainda mais. Por isso é que as minhas entranhas ficaram turbulentas por ele. Decididamente terei piedade dele, é a pronunciação de Jeová.

Assim verte a Tradução Almeida: (Jeremias 31:20) 20 Não é Efraim meu filho querido? filhinho em quem me deleito? Pois quantas vezes falo contra ele, tantas vezes me lembro dele solicitamente; por isso se comovem por ele as minhas entranhas; deveras me compadecerei dele, diz o Senhor.

Quando foi que Jeová falou estas palavras?? Foi depois Dele punir Seu querido filho Efraim.

Não se trata de um sentimento totalmente oposto de alguém que criaria e colocaria seu filho em um inferno de fogo?? Não se trata de um sentimento totalmente oposto de alguém que aplica uma morte eterna em seu filho??

TOME A INICIATIVA DE OFERECER-LHE A OUTRA FACE.

Quem toma a iniciativa está revelando o que existe em seu coração, isto é, a ausência do ressentimento. Quem toma a iniciativa está revelando que perdoou.

Quem espera, quem dá, quem exige e quem pede ao Pai uma punição para o iníquo, tanto revela que sente um ressentimento pelo iníquo como também revela que está desobedecendo a um mandamento do Pai Celestial.

O que ficou bem claro??

Ficou bem claro que eu tenho muito o que aprender e muito o que mudar.



Topo desta página



Contador de Visitas