SANTIFICADO SEJA O TEU NOME

Criada em 21 de maio de 2012  -  Última atualização em 29/09/15





NOSSO PAI NOS CÉUS, SANTIFICADO SEJA O VOSSO “NOME”.

VOSSO NOME??

A oração do Pai nosso não foi criada por nenhum humano. Quem a criou foi o próprio Pai Celestial. Ele nos manda repetir tal oração. Com que objetivo criou o Pai esta oração??

Como um mensageiro do Pai, assim nos informou Jesus: “Orai vós deste modo”. (Mateus 6:9) 9 “Portanto, tendes de orar do seguinte modo: “‘Nosso Pai nos céus, santificado seja o teu nome.. . .

Assim verte a Tradução Almeida: (Mateus 6:9) 9 Portanto, orai vós deste modo: Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o teu nome;

O PAI NOS CÉUS TEM UM NOME??

NOMEEsta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): palavra ou locução com que se designa pessoas; palavra que expressa alguma característica de um indivíduo, pela qual ele é conhecido; reputação

nome     Datação: sXIII

n substantivo masculino

1     palavra ou locução com que se designa uma classe de coisas, pessoas, animais, um lugar, um acidente geográfico, um astro etc.; denominação, designativo, designação

2     antropônimo dado a uma criança ao nascer, no batismo ou em outra ocasião especial; nome de batismo, antenome, prenome

3     nome de família, que se segue ao prenome

Ex.: a mulher a quem ele deu o seu n.

4     Derivação: por metonímia.

família, linhagem, estirpe

Ex.: honrar o seu n.

5     palavra que expressa alguma característica de um indivíduo ou circunstância de sua vida, pela qual ele é conhecido; alcunha, apelido

6     Derivação: por extensão de sentido.

conceito de que alguém goza (bom ou mau); fama, reputação

Ex.: ter bom n. na praça

6.1  boa reputação; renome, fama

Ex.: fez n. no teatro

7     indivíduo que se destaca em algum campo de atividade

Ex.: os grandes n. da literatura

8     título

Ex.: o n. de um filme

9     Rubrica: gramática.

designativo genérico de substantivo e adjetivo



Reputação – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: conceito de que alguém ou algo goza num grupo humano; fama

reputação Datação: sXV

n substantivo feminino

ato ou efeito de reputar

1 conceito de que alguém ou algo goza num grupo humano

Ex.: sua r. era a pior possível

2 renome, estima, fama

Ex.: era um homem de r.



Durante muitos séculos, o nome de uma pessoa ainda era acompanhado de um significado específico em relação a ela. O nome designava algo (físico ou não) em relação àquele que tinha o nome.

Jeová muda o nome de Abrão e de Sarai. Neste caso não se tratava de nenhuma característica física de Sara (Sarai).

Em relação a Abrão, assim falou Jeová: (Gênesis 17:5) 5 E não te chamarás mais pelo nome de Abrão, e teu nome tem de tornar-se Abraão, porque vou fazer-te pai duma multidão de nações.

Assim verte a Tradução Almeida: (Gênesis 17:5) 5 não mais serás chamado Abrão, mas Abraão será o teu nome; pois por pai de muitas nações te hei posto;

Em relação a Sarai, assim falou Jeová: (Gênesis 17:15) 15 E Deus prosseguiu, dizendo a Abraão: “Quanto a Sarai, tua esposa, não deves chamá-la pelo nome de Sarai, porque Sara é o seu nome.

Assim verte a Tradução Almeida: (Gênesis 17:15) 15 Disse Deus a Abraão: Quanto a Sarai, tua, mulher, não lhe chamarás mais Sarai, porem Sara será o seu nome.

Em relação a Jacó, assim falou Jeová: (Gênesis 32:27-28) 27 Disse-lhe, pois: “Qual é teu nome?” a que ele disse: “Jacó.” 28 Disse então: “Não serás mais chamado pelo nome de Jacó, mas, sim, Israel, pois contendeste com Deus e com homens, de modo que por fim prevaleceste.”

Assim verte a Tradução Almeida: (Gênesis 32:27-28) 27 Perguntou-lhe, pois: Qual é o teu nome? E ele respondeu: Jacó. 28 Então disse: Não te chamarás mais Jacó, mas Israel; porque tens lutado com Deus e com os homens e tens prevalecido.

No caso de Jacó também não se tratava de uma característica física, antes, se tratava da maneira comportamental deste humano.

Humanos também davam nomes a seus filhos de acordo com alguma coisa por eles observada (física). Assim como no caso de Esaú também se deu no caso de Jacó. (Gênesis 25:24-26) 24 Completaram-se gradualmente os seus dias para dar à luz, e eis que havia gêmeos no seu ventre. 25 Então saiu o primeiro, todo vermelho como um manto oficial de pêlo, de modo que o chamaram pelo nome de Esaú. 26 E depois saiu seu irmão, e a mão dele segurava o calcanhar de Esaú, de modo que o chamou pelo nome de Jacó. . . .

Assim verte a Tradução Almeida: (Gênesis 25:24-26) 24 Cumpridos que foram os dias para ela dar à luz, eis que havia gêmeos no seu ventre. 25 Saiu o primeiro, ruivo, todo ele como um vestido de pelo; e chamaram-lhe Esaú. 26 Depois saiu o seu irmão, agarrada sua mão ao calcanhar de Esaú; pelo que foi chamado Jacó. E Isaque tinha sessenta anos quando Rebeca os deu à luz.

Esaú tinha uma característica física. Esta característica física foi posta como nome dele.

Jacó tinha uma característica de comportamento. Esta característica de comportamento observada pelos pais foi dada a ele como um nome.

O que percebemos até agora??

Percebemos que os humanos já haviam recebido nomes de seus pais e usavam estes nomes até aquela data. Percebemos que Jeová passou a dar novos nomes a estes humanos, nomes de acordo com o significado que estava na mente de Dele, Jeová.

O novo nome que o Pai atribuía àquela pessoa geralmente tinha a ver com alguma característica de personalidade já demonstrada por aquele humano, geralmente algo que se destacava na personalidade daquele pessoa, como no caso de Jacó, ou ainda uma característica física, como no caso de Esaú. O novo nome dado também poderia referir-se a alguma função a ser desempenhada por aquele humano, como no caso de Abraão e de Sara.

Vamos ver ainda outro exemplo. Jeová escolheu os nomes para os filhos de um mensageiro Seu de nome Oséias. Eram nomes que tinham significados específicos para Jeová (Javé), em relação ao que Ele faria com o povo escolhido.

Assim nos conta o mensageiro Oséias: (Oséias 1:2-9) 2 Deu-se início à palavra de Jeová por meio de Oséias, e Jeová passou a dizer a Oséias: “Vai, toma para ti uma esposa de fornicação e filhos de fornicação, porque é positivamente por meio de fornicação que a terra se desvia de seguir a Jeová.” 3 E ele passou a ir e a tomar Gômer, filha de Diblaim, de modo que ela ficou grávida e no tempo devido lhe deu à luz um filho. 4 E Jeová prosseguiu, dizendo-lhe: “Chama-o pelo nome de Jezreel, pois ainda um pouco e terei de ajustar contas pelos atos de derramamento de sangue de Jezreel, contra a casa de Jeú, e terei de fazer cessar o domínio real da casa de Israel. 5 E naquele dia terá de acontecer que terei de quebrar o arco de Israel na baixada de Jezreel.” 6 E ela passou outra vez a ficar grávida e a dar à luz uma filha. E Ele prosseguiu, dizendo-lhe: “Chama-a pelo nome de Lo-Ruama, pois não mais terei misericórdia para com a casa de Israel, porque positivamente os levarei embora. 7 Mas terei misericórdia para com a casa de Judá, e vou salvá-los por Jeová, seu Deus; mas não os salvarei pelo arco, ou pela espada, ou pela guerra, por cavalos ou por cavaleiros.” 8 E ela foi desmamar Lo-Ruama e passou a ficar grávida e a dar à luz um filho. 9 De modo que Ele disse: “Chama-o pelo nome de Lo-Ami, porque vós não sois meu povo e eu mesmo mostrarei não ser vosso.

Assim verte a Tradução Almeida: (Oséias 1:2-9) 2 Quando o Senhor falou no princípio por Oséias, disse o Senhor a Oséias: Vai, toma por esposa uma mulher de prostituições, e filhos de prostituição; porque a terra se prostituiu, apartando-se do Senhor. 3 Ele se foi, pois, e tomou a Gomer, filha de Diblaim; e ela concebeu, e lhe deu um filho. 4 E disse-lhe o Senhor: Põe-lhe o nome de Jizreel; porque daqui a pouco visitarei o sangue de Jizreel sobre a casa de Jeú, e farei cessar o reino da casa de Israel. 5 E naquele dia quebrarei o arco de Israel no vale de Jizreel. 6 E tornou ela a conceber, e deu à luz uma filha. E o Senhor disse a Oséias: Põe-lhe o nome de Lo-Ruama; porque não tornarei mais a compadecer-me da casa de Israel, nem a perdoar-lhe de maneira alguma. 7 Mas da casa se Judá me compadecerei, e os salvarei pelo Senhor seu Deus, pois não os salvarei pelo arco, nem pela espada, nem pela guerra, nem pelos cavalos, nem pelos cavaleiros. 8 Ora depois de haver desmamado a Lo-Ruama, concebeu e deu à luz um filho. 9 E o Senhor disse: Põe-lhe o nome de Lo-Ami; porque vós não sois meu povo, nem sou eu vosso Deus.

Assim verte a Tradução Brasileira: (Oséias 1:2-9) 2 Quando Jeová falou ao princípio com Oséias, disse Jeová a Oséias: Vai, toma uma mulher de fornicação e filhos de fornicação; porque a terra comete fornicação, apartando-se de Jeová. 3 Foi-se, pois, e tomou a Gômer, filha de Diblaim; ela concebeu, e deu-lhe à luz um filho. 4 Disse-lhe Jeová: Põe-lhe por nome Jezreel; porque ainda um pouco de tempo, e visitarei o sangue de Jezreel sobre a casa de Jeú, e farei cessar o reino da casa de Israel. 5 Naquele dia quebrarei o arco de Israel no vale de Jezreel. 6 Ela tornou a conceber, e deu à luz uma filha. Disse Jeová a Oséias: Põe-lhe por nome Desfavorecida; porque não me tornarei a ter misericórdia da casa de Israel, para que eu lhes perdoe. 7 Terei, porém, misericórdia da casa de Judá, e os salvarei por Jeová seu Deus, e não os salvarei pelo arco, nem pela espada, nem pela guerra, nem pelos cavalos, nem pelos cavaleiros. 8 Ora tendo ela desmamado a Desfavorecida, concebeu e deu à luz um filho. 9 Disse Jeová: Põe-lhe por nome Não-Meu-Povo; porque vós não sois o meu povo, e eu não serei o vosso Deus.

Percebemos que a própria Tradução Brasileira já revelou um significado como um nome próprio?? “Desfavorecida” seria um nome próprio de uma das filhas, enquanto que “Não-Meu-Povo” seria o nome de outra filha.

Passamos assim a entender aquela afirmação que Jeová fez para Moisés, revelando a Moisés o significado do Seu próprio nome. Assim falou Jeová para Moisés: (Êxodo 3:13-15) 13 Não obstante, Moisés disse ao [verdadeiro] Deus: “Suponhamos que eu vá ter com os filhos de Israel e deveras lhes diga: ‘O Deus de vossos antepassados enviou-me a vós’, e eles deveras me digam: ‘Qual é o seu nome?’ O que hei de dizer-lhes?14 Então disse Deus a Moisés: “MOSTRAREI SER O QUE EU MOSTRAR SER.” E acrescentou: “Isto é o que deves dizer aos filhos de Israel: ‘MOSTRAREI SER enviou-me a vós.’” 15 Deus disse então mais uma vez a Moisés:. . .

Assim verte a Tradução Almeida: (Êxodo 3:13-14) 13 Então disse Moisés a Deus: Eis que quando eu for aos filhos de Israel, e lhes disser: O Deus de vossos pais me enviou a vós; e eles me perguntarem: Qual é o seu nome? Que lhes direi? 14 Respondeu Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos olhos de Israel: EU SOU me enviou a vós.

Jeová traduziu para Moisés o significado do Seu nome próprio. Tratava-se de um nome com um significado, significado este que estava na mente daquele que dava a si mesmo este nome, e que os humanos iriam perceber com o decorrer do tempo. Não foram os humanos que deram um nome ao Deus Todo Poderoso.

Se os humanos tivessem dado um nome ao Deus Todo Poderoso, certamente se trataria de um nome de acordo com o significado que seria fruto da observação do humano. No entanto, não foi isto o que aconteceu.

Meu nome é....

Jeová afirma: “Este é o meu nome”. Trata-se de um nome próprio.

(Êxodo 3:15) 15 Deus disse então mais uma vez a Moisés: “Isto é o que deves dizer aos filhos de Israel: Jeová, o Deus de vossos antepassados, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó enviou-me a vós.’ Este é o meu nome por tempo indefinido e esta é a recordação de mim por geração após geração.

Assim verte a Tradução Almeida: (Êxodo 3:15) 15 E Deus disse mais a Moisés: Assim dirás aos filhos de Israel: O Senhor, o Deus de vossos pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó, me enviou a vós; este é o meu nome eternamente, e este é o meu memorial de geração em geração.

Assim verte a Tradução Brasileira: (Êxodo 3:15) 15 Mais disse Deus ainda a Moisés: Assim dirás aos filhos de Israel: Jeová, o Deus de vossos pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó, enviou-me a vós. É este o meu nome para sempre, e é este o meu memorial para todas as gerações.

Observem e vejam o Meu nome.

Não podemos deixar de perceber que “SENHOR”, não tem como significado “MOSTRAREI SER”, tampouco “EU SOU”. “SENHOR” tem o seu significado específico.

No idioma original em que foram escritos estes livros que formam a primeira parte da Bíblia, ou seja, o hebraico, este nome aparece com quatro símbolos, caracteres ou letras maiúsculas, que para nós podem representar as letras YHVH, YHWH, JHVH, JHWH ou IHVH. Com o decorrer do tempo, esta primeira parte da Bíblia passou a ser chamada de Antigo Testamento.

O dicionário Aurélio assim define Jeová: Jeová é um nome. A pronúncia pode ser Javé, ou mesmo Jeová.

Jeová
[Do hebr. Jehovah, transliteração das quatro letras (IHVH, JHVH, JHWH, YHVH ou YHWH) que designavam Deus, cujo nome era tido por sacratíssimo, não podendo ser pronunciado em voz alta.]
Substantivo masculino.

1.Designação de Deus no Antigo Testamento; Javé. [Com cap.]

Independente de a pronúncia exata ser uma ou outra, ficou claro a existência de um nome próprio que Deus deu a Si mesmo e que este nome possuía um significado específico para Ele.

Moisés e estes demais humanos não sabiam que personalidade tinha este Deus com quem os seus antepassados haviam tido contato. Ele é assim; Ele é assado; Ele gosta disto; Ele gosta daquilo; Ele age assim; Ele age assado; Ouvi dizer que Ele é assim......

VOU MOSTRAR A VOCÊS COMO É QUE EU SOU – O relacionamento direto iria revelar de forma prática para estes humanos qual era a personalidade deste Deus que os havia escolhido para ser “Seu povo”. Até aquele momento este Deus era reconhecido como “Todo-poderoso”.

Como agradar a alguém que você não conhece a personalidade?? O Deus Todo Poderoso informou-lhes que passaria a morar com eles. Como se relacionar no dia a dia com alguém que você não conhece a personalidade??

Além de Todo-poderoso, o que mais caracterizava este Deus??

Embora existissem afirmações a respeito de Deus, será que todas elas eram verdadeiras??

Pelo menos Jeová sabia muito bem o que Ele era, ou seja, que espécie de personalidade Ele possuía.

Esta informação em relação a Seu nome foi dada a Moisés antes deste regressar ao Egito como um mensageiro entre Jeová e o povo escravizado e entre Jeová e o povo escravizador.

Ao ser contatado por Moisés, aquele que transmitia uma informação de Jeová, na verdade um pedido de Jeová, o que Faraó, o líder do povo escravizador, perguntou?? Ele perguntou: Quem é Jeová??

Jeová precisava mostrar para Faraó que espécie de Deus Ele era. Faraó tinha seus próprios deuses e os considerava como poderosos, pois ele era o escravizador. Além disso, os escravizados já estavam naquela condição por quatro gerações. No entanto, tanto Faraó como Moisés e todos os demais humanos ali não conheciam Jeová (Javé). Como poderiam?? Conhecer alguém não acontece em um passe de mágica. Conhecer algo ou alguém está diretamente relacionado a detalhes. Só passamos a conhecer algo que possua quatro detalhes, se e somente se, conhecermos plenamente os seus quatro detalhes.

Por exemplo, só conhecemos plenamente um programa “qualquer” usado em um computador, quando conhecemos plenamente cada detalhe das funções deste programa. Trata-se de um conhecimento teórico e prático.

Será que conhecer uma pessoa, seria algo que envolve conhecer apenas uma das qualidades desta pessoa??

Não podemos esquecer que cada qualidade estará recheada de muitos “detalhes”.

Em relação a Seu nome, o que mais havia falado Jeová para Moisés?? Ele assim afirmou: “Os antepassados não me conheciam pelo nome Jeová”. (Êxodo 6:2-3) 2 E Deus prosseguiu, falando a Moisés e dizendo-lhe: “Eu sou Jeová. 3 E eu costumava aparecer a Abraão, a Isaque e a Jacó como Deus Todo-poderoso, mas com respeito ao meu nome Jeová não me dei a conhecer a eles.

Assim verte a Tradução Almeida de 1967: (Êxodo 6:2-3) 2 Falou mais Deus a Moisés, e disse-lhe: Eu sou Jeová. 3 Apareci a Abraão, a Isaque e a Jacó, como o Deus Todo-Poderoso; mas pelo meu nome Jeová, não lhes fui conhecido.

Assim verte a Tradução Brasileira: (Êxodo 6:2-3) 2 Falou mais Deus a Moisés e disse-lhe: Eu sou Jeová; 3 e apareci a Abraão, a Isaque e a Jacó como Deus Todo-poderoso; mas pelo meu nome Jeová não lhes fui conhecido.

Eles me reconheciam como Deus Todo-poderoso. Eu costumava aparecer a eles como “Deus Todo Poderoso”.

Bem, “Deus Todo Poderoso” não é um nome, comum a ser dado a alguém ou será que é?? Embora para muitos possa parecer estranho, tratava-se de um nome. Não se trata de uma das qualidades de Deus?? Não se tratava de uma característica Dele?? Neste caso este também poderia ser um nome, pois esta qualidade só Ele possui. Quando alguém fala em Deus Todo-poderoso sabemos que está se referindo ao Criador. No entanto, o Criador tinha outras qualidades que precisavam ser percebidas e observadas pelos humanos. Em relação a estas outras qualidades, tal qual Todo-poderoso, elas também deveriam identificar a pessoa de IHVH, isto é, quando alguém se referisse a outras qualidades, todos pensariam imediatamente na pessoa de IHVH.

O que ficou bem claro??

Ficou bem claro que este “Deus Todo Poderoso dos antepassados” estava dando um nome a Si mesmo a partir daquele dia, ou, chamando a atenção dos humanos que se relacionariam com Ele para os detalhes do Seu nome. Além de ser Todo-poderoso, que outras qualidades tinha este Deus?? Além de ser reconhecido como o Todo-poderoso, poderia ele ser chamado de o Deus Perdoador?? Bem, até então os humanos não o conheciam pelo nome de Deus Perdoador. Tampouco o conheciam pelo nome de Deus Amoroso.

A PARTIR DE HOJE PODEM DE CHAMAR POR ESTE NOME. Também se tratava de um nome que possuía um significado que até então só Ele sabia, afinal, foi Ele quem deu a Si mesmo este nome. Não foi o humano quem atribuiu este nome ao Deus Todo Poderoso, por observar as características deste Deus.

Embora o Deus Todo-poderoso já tivesse o nome característico Dele, as pessoas só o conheciam como Deus Todo-poderoso.

O que mais precisavam saber sobre o Deus Todo-poderoso, as pessoas que conviviam com Ele??

O que mais informou O Deus Todo Poderoso em relação a Si mesmo para Moisés?? (Êxodo 6:6-8) 6 Portanto, dize aos filhos de Israel: ‘Eu sou Jeová, e certamente vos farei sair de debaixo dos fardos dos egípcios e vos livrarei da sua escravidão, e deveras vos reivindicarei com braço estendido e com grandes julgamentos. 7 E certamente vos tomarei para mim como um povo e deveras mostrarei ser Deus para vós; e sabereis certamente que eu sou Jeová, vosso Deus, que vos faz sair de debaixo dos fardos do Egito. . . 8 E hei de levar-vos à terra a respeito da qual levantei minha mão em juramento para dá-la a Abraão, Isaque e Jacó; e hei de dá-la a vós como possessão. Eu sou Jeová.’”

Assim verte Tradução Almeida de 1967, admitindo que Jeová seja o nome do Deus Todo Poderoso que havia contatado Abraão: (Êxodo 6:6-9) 6 Portanto dize aos filhos de Israel: Eu sou Jeová; eu vos tirarei de debaixo das cargas dos egípcios, livrar-vos-ei da sua servidão, e vos resgatarei com braço estendido e com grandes juízos. 7 Eu vos tomarei por meu povo e serei vosso Deus; e vós sabereis que eu sou Jeová vosso Deus, que vos tiro de debaixo das cargas dos egípcios. 8 Eu vos introduzirei na terra que jurei dar a Abraão, a Isaque e a Jacó; e vo-la darei por herança. Eu sou Jeová. 9 Assim falou Moisés aos filhos de Israel, mas eles não lhe deram ouvidos, por causa da angústia de espírito e da dura servidão.

Assim verte a Tradução Brasileira: (Êxodo 6:6-9) 6 Pelo que dize aos filhos de Israel: Eu sou Jeová, e vos hei de tirar de debaixo das cargas do Egito, vos hei de livrar do seu jugo e vos hei de remir com braço estendido e com grandes juízos. 7 Eu vos hei de tomar por meu povo, e hei de ser vosso Deus; e vós sabereis que eu sou Jeová vosso Deus, que vos tiro de debaixo das cargas dos egípcios. 8 E vos hei de introduzir na terra que jurei dar a Abraão, a Isaque e a Jacó; e hei de dá-la a vós por herança; eu sou Jeová. 9 Referiu Moisés isto aos filhos de Israel; porém não ouviram a Moisés por causa da angústia de espírito e por causa da dura escravidão.

O que significaria para Jeová ter aquele grupo de humanos como sendo Seu povo?? Bem, Ele sabia. Não foi Ele quem escolheu o povo?? O que significaria para aquele povo ter a Jeová como sendo seu Deus?? O povo ainda não sabia.

O povo escolhido só sabia o que esperar de um Deus Todo-poderoso. Aliás, quando escravos no Egito, nem mesmo isso ainda sabiam o que poderia significar.

Ser Todo-poderoso estava cheio de tantos detalhes, que o povo não sabia exatamente o que o Deus Todo-poderoso seria capaz de fazer.

O povo revelou não conhecer a Jeová. O que eles conheciam deste Deus?? Eles sabiam que Ele era o Todo Poderoso, sem conhecer os detalhes. No entanto, eles já estavam como escravos por mais de três séculos. Para eles, esta libertação tratava-se de uma missão impossível. Eles teriam de ser tirados do Egito e introduzidos em uma terra já ocupada por vários povos. Nada parecido havia acontecido antes.

Só o fato de estarem escravizados por quatro gerações já levantavam diversos questionamentos sobre o Deus Todo-poderoso, não levantavam??

Ora, se Ele era Todo-poderoso e era o Deus adorado por aqueles homens, por que este Deus Todo-poderoso permitia que eles estivessem naquela condição de escravos sofredores??

Esta era uma pergunta básica feita por qualquer pessoa que se sentisse livre para questionar, não é verdade??

Qualquer pessoa que superasse o medo do Todo-poderoso, faria esta pergunta a Ele, não é verdade??

Como um Deus Todo-poderoso, não teria Ele o poder de IMPEDIR que qualquer mal acontecesse com aquele que o adorava?? Ter o poder de IMPEDIR, Ele tinha. No entanto, até então Ele não tinha praticado o verbo Impedir, ou será que tinha??

Aquela condição escrava fornecia a resposta, não fornecia??

Embora Ele fosse um Deus Todo-poderoso, Ele PERMITIA que aquele que o adorava estivesse na condição de escravo.

Ora, quem adora o Deus Todo-poderoso deve ser aquele que escraviza, não é verdade??

Pelo menos, esta era a visão daqueles humanos, ou seja, aquele humano e/ou grupo de humanos que tivesse o Deus mais forte, era aquele que dominaria sobre os outros humanos.

O Deus Todo-poderoso estava mostrando de forma prática que, embora Ele fosse o Todo-poderoso, Ele PERMITIA que aquele que o adorava sofresse a condição de escravizado.

Existiam muitas outras perguntas nas mentes daqueles humanos, não é verdade??

Existiam muitos detalhes a respeito deste Deus Todo-poderoso que os humanos não sabiam, muito embora o Deus Todo-poderoso soubesse, afinal, Ele conhecia a Si mesmo, e muito bem.

A expressão de Jeová foi: Vós sabereis que Eu sou Jeová. Todos os verbos usados estavam no tempo futuro, pois naquele momento eles não tinham noção do que Jeová seria capaz de realizar para libertá-los da escravidão. No entanto, tratava-se de uma missão para um Deus Todo-poderoso.

O Deus Todo-poderoso passaria a mostrar os muitos detalhes que o caracterizavam como o Deus Todo-poderoso.

Era um momento em que Jeová precisava mostrar-se para o povo; Jeová precisava fazer algo, para o povo poder passar a acreditar nele como o Todo-poderoso. Desta forma, o povo passaria a ver Jeová em ação. O povo passaria por experiências incríveis, experiências estas que nenhum humano até então tinha passado. As ações falam muito a respeito da personalidade da pessoa, não é verdade??

É exatamente através das ações que os detalhes ficam evidentes e podem ser observados.

Jeová estava em plena ação no Egito, no entanto, tratava-se de uma ação com um objetivo que estava no coração de Jeová. Assim, Ele passou a falar para Faraó: (Êxodo 9:14-16) 14 Pois esta vez envio todos os meus golpes contra o teu coração e sobre os teus servos e teu povo, com o fim de que saibas que não há ninguém semelhante a mim em toda a terra. 15 Pois eu já poderia ter estendido minha mão para golpear a ti e a teu povo com pestilência, e para eliminar-te de cima da terra. 16 Mas, de fato, por esta razão te deixei em existência: para mostrar-te meu poder e para que meu nome seja declarado em toda a terra.

Assim verte a Tradução Almeida: (Êxodo 9:14-16) 14 porque desta vez enviarei todas as a minhas pragas sobre o teu coração, e sobre os teus servos, e sobre o teu povo, para que saibas que não há outro como eu em toda a terra. 15 Agora, por pouco, teria eu estendido a mão e ferido a ti e ao teu povo com pestilência, e tu terias sido destruído da terra; 16 mas, na verdade, para isso te hei mantido com vida, para te mostrar o meu poder, e para que o meu nome seja anunciado em toda a terra.

Por ser Todo-poderoso, Jeová poderia simplesmente eliminar todo o povo egípcio, sem qualquer tipo de pedido a Faraó, não poderia?? Bem, um povo escravizado desejaria ter sua libertação de forma rápida e imediata, não desejaria??

No entanto, Jeová revelou que tinha por objetivo que o seu nome fosse declarado, anunciado e conhecido em toda a terra.

O nome de Jeová seria conhecido em face das ações da pessoa de Jeová. O nome estaria acompanhado das ações e vinculado às ações praticadas. As pessoas diriam: Jeová, Aquele Deus que fez isto, Aquele Deus que fez aquilo. Tratava-se de mostrar tanto para Faraó quanto para os demais humanos, testemunhas, que Jeová (Javé) era muito mais do que um Deus Todo-poderoso. Vejamos este exemplo: (Êxodo 8:22-23) 22 E naquele dia certamente farei ficar à parte a terra de Gósen em que está meu povo, para que não haja ali nenhum moscão; a fim de que saibas que eu sou Jeová no meio da terra. 23 E deveras porei uma demarcação entre meu povo e teu povo. Amanhã ocorrerá este sinal.”’”

Assim verte a Tradução Almeida: (Êxodo 8:22-23) 22 Mas naquele dia separarei a terra de Gósem em que o meu povo habita, a fim de que nela não haja enxames de moscas, para que saibas que eu sou o Senhor no meio desta terra. 23 Assim farei distinção entre o meu povo e o teu povo; amanhã se fará este milagre.

Cada uma daquelas pragas revelavam para todos os observadores que este Deus era o Todo-poderoso, revelando muitos “detalhes” a respeito do poder Dele. No entanto, as pessoas poderiam observar algo mais além disso. Espera aí. Se ele é Todo-poderoso, por que ele não fez assim ou assim?? As pessoas ficariam com a pergunta e poderiam “presumir” (tirar conclusão antecipada) uma resposta. No entanto, para saber o que se passava no coração de Deus, somente perguntado a Ele, não é verdade??

Faraó passaria a saber que Jeová era capaz de fazer as coisas daquela forma. Ao mesmo tempo, os israelitas também passariam a saber que Jeová tinha o seu jeito de fazer as coisas, que certamente, não era o jeito deles fazerem as mesmas coisas.

Embora isso pudesse deixá-los intrigados, eles apenas presumiriam (tiraram uma conclusão antecipada) esta ou aquela resposta.

O que é uma conclusão??

Conclusãoesta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: ato ou efeito de concluir; ponto de vista a que se chega a partir de dados da observação, do raciocínio, de discussão; uma ideia, uma tese.

conclusão Datação: 1390

n substantivo feminino

1 ato ou efeito de concluir

2 ato, processo ou efeito de levar a termo; finalização, término

3 ensinamento que se extrai de um texto ou fato; moral

Ex.: a c. de uma fábula

4 última parte de uma obra literária ou musical

4.1 desfecho, epílogo, desenlace

Exs.: a c. de uma tragédia

a c. de uma trama

5 ponto de vista a que se chega a partir de dados da observação, do raciocínio, de discussão; ideia, tese

6 proposição que fecha um raciocínio e resulta de um processo dedutivo

7 Rubrica: lógica.

na lógica tradicional, terceira e última proposição de um silogismo, implicitamente contida nas duas premissas anteriores, e cuja verdade ou falsidade depende do caráter verdadeiro ou falso de tais premissas

8 Rubrica: lógica.

qualquer proposição que decorre necessária e logicamente, segundo regras operatórias implícitas ou explícitas, de enunciados anteriores



A pessoa chega a uma conclusão antecipada e a vende a outros como se fosse uma verdade (finalização) a respeito de alguma coisa que ele não conhece plenamente, neste caso, de uma pessoa que ele não conhece plenamente, ou seja, do Deus Todo-poderoso.

Ainda no Egito, assim falou Jeová para Moisés: (Êxodo 10:1-2) 10 Jeová disse então a Moisés: “Entra até Faraó, porque eu é que deixei seu coração e o coração de seus servos ficar insensível, para pôr estes meus sinais diretamente na frente dele, 2 e para que declares aos ouvidos de teu filho e do filho de teu filho quão severamente lidei com o Egito e meus sinais que estabeleci entre eles; e sabereis certamente que eu sou Jeová.”

Assim verte a Tradução Almeida: (Êxodo 10:1-2) 1 Depois disse o Senhor a Moisés: vai a Faraó; porque tenho endurecido o seu coração, e o coração de seus servos, para manifestar estes meus sinais no meio deles, 2 e para que contes aos teus filhos, e aos filhos de teus filhos, as coisas que fiz no Egito, e os meus sinais que operei entre eles; para que vós saibais que eu sou o Senhor.



A forma como o Deus Todo-poderoso estava fazendo as coisas, estavam induzindo Faraó a endurecer mais e mais o seu coração. Quando provocado e estando livre do medo, o humano revelará o que realmente existe em seu coração. Foi exatamente isso o que aconteceu com Faraó. Este relacionamento entre IHVH e Faraó estava sendo observado pelo povo escolhido. Eram coisas inéditas, e certamente gerariam muitos comentários e indagações a respeito de Deus, ou seja, a respeito do comportamento do Deus Todo-poderoso neste relacionamento com Faraó.

Jeová afirmou para Faraó: Eu podia ter eliminado da face da terra tanto a ti como o teu povo.

Poder para isso Ele revelou ter. No entanto, embora tivesse o poder para fazer, algo não O permitia fazer tal coisa, algo O refreava de fazer tal coisa, coisa esta, até mesmo desejada por alguns do povo a ser liberto.

Bem, poder para isto Ele tinha e revelou isto para todos os humanos que estavam passando por aquela experiência, isto é, tanto o povo escravizador como o povo escravizado.

Parece que Jeová não queria ser conhecido como um “Deus que simplesmente elimina, que simplesmente esmaga aqueles que se opõem a Sua vontade”, afinal, Ele tinha um nome a zelar.

Mais um detalhe em relação ao Deus Todo-poderoso. Notamos que o Todo-poderoso pedia para Faraó satisfazer Sua vontade de Todo-poderoso. Que coisa estranha estava acontecendo?? Aquele que podia exterminar tanto Faraó como todos os demais escravocratas ali no Egito, estava pedindo para que Faraó fizesse uma vontade Sua?? Só isso já revela um comportamento muito diferente do comportamento de um humano que tem mais poder que os demais, não é verdade??

Não foi apenas nesta ocasião que Jeová deixou de trazer calamidade sobre humanos por causa do Seu nome, um nome a zelar.

Em outra ocasião, séculos mais tarde, assim se expressou Jeová em relação a algo que havia acontecido no passado: “Não os exterminei por causa do Meu nome”.

O fato ter falado esta frase para Faraó, indicou que Faraó era um iníquo que merecia o extermínio, e todos concordam e afirmam que Faraó era realmente um iníquo.

Bem, e quanto a este outro iníquo para quem o Deus Todo-poderoso falou a mesma frase??

Com quem falava Jeová esta mesma frase?? A quem estava Jeová se referindo?? Será que era novamente em relação aos egípcios?? Era alguém tão iníquo quanto Faraó e um povo tão iníquo quanto os egípcios?? O Deus Todo-poderoso também havia feito um pedido para este povo, e também estava sendo ignorado? Quem eram estes?? Assim está registrado:

(Ezequiel 20:5-10) 5 E tens de dizer-lhes: ‘Assim disse o Soberano Senhor Jeová: “No dia em que escolhi Israel, passei também a levantar a minha mão [em juramento] à descendência da casa de Jacó e a dar-me a conhecer a eles na terra do Egito. Sim, passei a levantar a minha mão [em juramento] a eles, dizendo: ‘Eu sou Jeová, vosso Deus.’ 6 Naquele dia levantei a minha mão [em juramento] a eles de fazê-los sair da terra do Egito para uma terra que espiei para eles, uma [terra] que manava leite e mel. Era o ornato de todas as terras. 7 E prossegui, dizendo-lhes: ‘Lançai fora, cada um de vós, as coisas repugnantes dos seus olhos, e não vos avilteis com os ídolos sórdidos do Egito. Eu sou Jeová, vosso Deus.’ 8 “‘“E eles começaram a rebelar-se contra mim e não quiseram escutar-me. As coisas repugnantes dos seus olhos eles não lançaram fora, individualmente, e não abandonaram os ídolos sórdidos do Egito, de modo que prometi derramar sobre eles o meu furor, a fim de levar a cabo a minha ira contra eles no meio da terra do Egito. 9 E eu prossegui, agindo em prol do meu próprio nome, para que não fosse profanado perante os olhos das nações entre as quais estavam, porque eu me dera a conhecer a eles perante os seus olhos, fazendo-os sair da terra do Egito. 10 Por isso os fiz sair da terra do Egito e os levei ao ermo.

Assim verte a Tradução Almeida: (Ezequiel 20:5-9) 5 e dize-lhes: Assim diz o Senhor Deus: No dia em que escolhi a Israel, levantei a minha mão para a descendência da casa de Jacó, e me deu a conhecer a eles na terra do Egito, quando levantei a minha mão para eles, dizendo: Eu sou o Senhor vosso Deus. 6 Naquele dia levantei a minha mão para eles, jurando que os tiraria da terra do Egito para uma terra que lhes tinha espiado, que mana leite e mel, a qual é a glória de todas as terras. 7 Então lhes disse: Lançai de vós, cada um, as coisas abomináveis que encantam os seus olhos, e não vos contamineis com os ídolos do Egito; eu sou o Senhor vosso Deus. 8 Mas rebelaram-se contra mim, e não me quiseram ouvir; não lançaram de si, cada um, as coisas abomináveis que encantavam os seus olhos, nem deixaram os ídolos de Egito; então eu disse que derramaria sobre eles o meu furor, para cumprir a minha ira contra eles no meio da terra do Egito. 9 O que fiz, porém, foi por amor do meu nome, para que não fosse profanado à vista das nações, no meio das quais eles estavam, a cujos olhos eu me dei a conhecer a eles, tirando-os da terra do Egito.

Mais que coisa incrível!!!

Eu fiz um pedido a eles, mas eles se rebelaram contra Mim, e não quiseram me ouvir.

O povo que estava sendo libertado também podia ter sido eliminado ainda no Egito?? “Não o fiz para que o Meu nome não fosse profanado à vista das nações”?? Embora merecido e prometido, Eu me refreei de fazer tal coisa. Eu me refreei de exterminar os que estavam sendo libertados da mão de Faraó. Eu me refreei de exterminar aquelas vítimas de escravidão às mãos de Faraó??

Não eram vítimas?? Não eram pobres vítimas?? Não eram inocentes vítimas??

Bem, as palavras do Deus Todo-poderoso deixaram bem claro a igualdade entre os diferentes iníquos, não é verdade??

E eu prossegui, agindo em prol do meu próprio nome.

O que fiz, porém, foi por amor do meu nome.

O que poderia refrear alguém Todo-poderoso?? Quem pode refrear um Todo-poderoso??? Será que outro Todo-poderoso??

Quer dizer que o Todo-poderoso não cumpriu o prometido, não deu ao povo escravizado o merecido extermínio para que Seu nome não fosse profanado à vista das nações??

O fato de aqueles adoradores Dele terem ficado quatro gerações como escravos não era algo que profanava o nome de IHVH??

Para muitas pessoas, este “fato” (quatro gerações como escravos) era algo que profanava o nome do Deus Todo-poderoso.

Será que eu entendi bem?? A mesma frase falada pelo Deus Todo Poderoso para Faraó também estava sendo falada para o povo escravizado por Faraó?? Tanto aquele que escravizava quanto aquele que era escravizado podiam ser merecidamente exterminados naquela mesma ocasião?? Não havia nenhum mérito no povo que estava sendo libertado?? A vítima não estava sendo liberta por causa de seus próprios méritos?? Não eram justos que estavam sendo libertos dos injustos??

A vítima não era melhor do que o opressor?? Do ponto de vista de Jeová, não. Do ponto de vista de Jeová, vítima e opressor mereciam a mesma coisa.

Bem, isto revelava algo em relação ao nome de IHVH. IHVH também é um Deus Todo Imparcial.

Alguém perguntaria: Como pode ser isso??

Realmente, fica comprovado que Jeová tem um nome a zelar. Que espécie de “nome” quer Jeová zelar?? O que Ele tinha em mente?? Além daquele para quem Ele contasse, só o saberia aquele que O conhecesse muito bem, não é verdade??

Fica bem, claro que conhecer a Deus envolvia conhecer muitos detalhes a respeito Dele, detalhes estes só observáveis através do convívio contínuo com Ele.

Muitos eram os detalhes para se ver em relação a Ele ser um Deus Todo-poderoso, e o povo ficou encantado de observar tantos detalhes. Da mesma forma, muitos são os detalhes para se ver em relação a Ele ser um Deus Todo Perdoador, não é mesmo??

Como quer Jeová ser visto?? Com Ele age?? O que O motiva a tomar Suas decisões e praticar Suas ações?? O que O motiva a refrear-se de fazer coisas que ele poderia fazer??

O que O motiva a refrear-se de fazer alguma calamidade que ele mesmo havia prometido fazer contra um rebelde??

Ele afirmou em certa ocasião: “As nações ficarão agitadas por causa da Minha Bondade”. (Jeremias 33:8-9) 8 E eu vou purificá-los de todo o seu erro com que pecaram contra mim e vou perdoar-lhes “todos” os erros com que pecaram contra mim e com que transgrediram contra mim. 9 E ela certamente se tornará para mim um nome de exultação, louvor e beleza para com todas as nações da terra, que ouvirão [falar] de toda a bondade que eu lhes faço. E certamente ficarão apavorados e agitados por causa de toda a bondade e por causa de toda a paz que faço [vir] a ela.’”

Assim verte a Tradução Almeida: (Jeremias 33:8-9) 8 E os purificarei de toda a iniqüidade do seu pecado contra mim; e perdoarei “todas” as suas iniqüidades, com que pecaram e transgrediram contra mim. 9 E esta cidade me servirá de nome de gozo, de louvor e de glória, diante de todas as nações da terra que ouvirem de todo o bem que eu lhe faço; e espantar-se-ão e perturbar-se-ão por causa de todo o bem, e por causa de toda a paz que eu lhe dou.

Por ficarem espantadas e perturbadas com as ações de Jeová (Javé), as nações estavam revelando não conhecer Jeová, não é verdade?? Sim, isto é óbvio.

Jeová estava usando de bondade para com Faraó?? No mesmo momento estava usando de bondade para com o povo que estava sendo liberto da escravidão a Faraó?? Jeová estava usando de bondade tanto para com o agressor como para com a vítima??

Usar de bondade em favor de um agressor?? Usar de bondade para com um escravocrata??

Vou perdoar todos os pecados?? Você falou perdoar todos os pecados?? Eles não podiam imaginar que o “Deus Todo-poderoso” também fosse um “Deus Perdoador”. Podemos dizer que Ele é um Deus Todo Perdoador. Podemos dizer que Ele é um Deus Todo Misericordioso.

Embora o humano estivesse agindo com rebeldia sobre rebeldia, Jeová continuava usando de bondade?? Este humano precisava ver e reconhecer isto em relação a si mesmo, não precisava??

Se este humano tratado com tamanha bondade não fosse informado disso, ao ver outros recebendo alguma punição, o que ele poderia pensar a respeito de si mesmo??

Não pensaria que ele era melhor do que aquele que estava recebendo uma punição?? Provavelmente, ele não perceberia a bondade com que estava sendo tratado, não é verdade??

Ele poderia até mesmo não acreditar que o caso havia sido de exclusiva bondade para com ele, não é verdade?? Sim, ele poderia simplesmente acreditar que na verdade tratava-se de um mérito seu, um merecimento seu, poderia achar-se alguém especial, alguém que o Deus Todo-poderoso gostava mais do que os demais, alguém de quem o Deus Todo-poderoso se agradava, alguém que estava fazendo as coisas certas, alguém que era justo. Ele era uma vítima de Faraó, não era?

Será que aquele escravo que estava vendo a forma bondosa com que o Pai estava tratando Faraó, estava percebendo que o Pai também o estava tratando com a mesma bondade??

Será que ele qual vítima de escravidão, se sentiria ofendido em face do Deus Todo-poderoso estar tratando um iníquo escravocrata de forma bondosa??

Será que a vítima também merece punição??

O fato de ser uma vítima, não deveria fazer o Deus Todo-poderoso ficar do lado dela, vítima, tendo dó dela, e contra o agressor, Faraó e demais egípcios escravocratas, sentindo inimizade por eles??

Mas, se exatamente naquele momento ele estivesse sendo vítima de uma ação opressora e violenta?? Que conclusões ele tiraria a respeito de si mesmo e a respeito do agressor ao estar recebendo uma ajuda divina?? Que sentimentos ele teria em relação ao agressor, ao vê-lo receber uma punição qualquer da parte do Deus Todo-poderoso?? Festejaria ele este acontecimento??

O que havia Jeová (Javé) informado a Moisés?? (Êxodo 33:19) 19 Mas ele disse: “Eu mesmo farei toda a minha bondade passar diante da tua face e vou declarar diante de ti o nome de Jeová; e vou favorecer ao que eu favorecer e vou ter misericórdia de quem eu tiver misericórdia.”. . .

Assim verte a Tradução Almeida: (Êxodo 33:19) 19 Respondeu-lhe o Senhor: Eu farei passar toda a minha bondade diante de ti, e te proclamarei o MEU nome Jeová; e terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia, e me compadecerei de quem me compadecer.

Não se tratava de ter misericórdia de um merecedor, não se tratava de se compadecer de um merecedor. Não se tratava de ter misericórdia do justo, ou de uma pobre e inocente vítima. Aliás, em relação ao agressor escravizador e a vítima escravizada, isto ficou bem claro, não ficou?? Ele mesmo afirmou que poderia ter eliminado os dois, não afirmou??

Neste caso, os dois eram culpados de pecado, não eram?? Pelo menos do ponto de vista do Deus Todo-poderoso, os dois mereciam ser eliminados. Não foi exatamente isto o que falou o Deus Todo-poderoso??

O fato de ser vítima de Faraó não atribuía ao povo qualquer mérito especial, pois a vítima, apesar de vítima, tinha de continuar a obedecer aos mandamentos. Eles não deviam querer escravizar quaisquer estrangeiros que estivessem aproveitando a oportunidade para saírem das garras de Faraó, ou será que deviam?? Estes deixariam de ser escravos de Faraó e passariam a ser escravos dos israelitas?? Será que receberiam dos israelitas aquele mesmo tratamento desigual que recebiam dos egípcios??

Aprovaria o Pai uma escravidão praticada pelos escolhidos, enquanto condenava a escravidão praticada por Faraó e todo o povo egípcio??

Se agisse assim, que nome teria IHVH?? Ele seria um Deus Todo parcial, não seria??

Será que a pobre vítima preferia que o Deus Todo-poderoso fosse um Deus Todo Parcial, favorecendo-os??

Bem, ratificando esta informação dada a Moisés, séculos depois, Jeová (Javé) afirma que usaria de misericórdia para com povos que haviam ensinado o povo escolhido a jurar por Baal. Assim informou Jeová:

(Jeremias 12:14-16) 14 Assim disse Jeová contra todos os meus maus vizinhos que tocam na propriedade hereditária que fiz que meu povo, sim, Israel, possuísse: “Eis que os desarraígo do seu solo; e desarraigarei a casa de Judá do meio deles. 15 E terá de acontecer que, depois de eu os desarraigar, hei de ter de novo misericórdia com eles e vou trazê-los de volta, cada um à sua propriedade hereditária e cada um à sua terra.” 16 E terá de acontecer que, se sem falta aprenderem os caminhos do meu povo, jurando pelo meu nome: ‘Por Jeová que vive!’ assim como ensinaram ao meu povo a jurar por Baal, serão também edificados no meio do meu povo.

Assim verte a Tradução Almeida:

(Jeremias 12:14-16) 14 Assim diz o Senhor acerca de todos os meus maus vizinhos, que tocam a minha herança que fiz herdar ao meu povo Israel: Eis que os arrancarei da sua terra, e a casa de Judá arrancarei do meio deles. 15 E depois de os haver eu arrancado, tornarei, e me compadecerei deles, e os farei voltar cada um à sua herança, e cada um à sua terra. 16 E será que, se diligentemente aprenderem os caminhos do meu povo, jurando pelo meu nome: Vive o Senhor; como ensinaram o meu povo a jurar por Baal; então edificar-se-ão no meio do meu povo.

Tanto os que ensinaram quanto os que aprenderam a jurar por Baal seriam desarraigados e depois seriam tratados com misericórdia. E assim se deu.

Bem, esta ação de IHVH O caracterizava como um Deus Todo Parcial ou um Deus Todo Imparcial??

Ora, ora, se eles me ensinaram algo errado, o erro é deles, não é?? Eu fui enganado por eles, não fui?? Eu sou apenas uma vítima deles, não sou?? Em relação a esta situação específica, isto é, adoração a Baal, tanto aquele que ensinou quanto aquele que aprendeu estavam sendo punidos. No entanto, depois de punidos, ambos seriam tratados com misericórdia.

Bem, o que ensinou Moisés ao povo escolhido e amado de Deus, quanto ao que fazer aos povos que poderiam desencaminhá-los do Pai IHVH, por lhes ensinarem coisas detestáveis??

(Deuteronômio 20:16-18) 16 É somente das cidades destes povos que Jeová, teu Deus, te dá por herança, que não deves preservar viva nenhuma coisa que respira, 17 porque deves impreterivelmente devotá-los à destruição: os hititas e os amorreus, os cananeus e os perizeus, os heveus e os jebuseus, assim como te mandou Jeová, teu Deus; 18 a fim de que não te ensinem fazer segundo todas as suas coisas detestáveis que fizeram com os seus deuses e deveras pequeis contra Jeová, vosso Deus.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Deuteronômio 20:16-18) 16 Porém nas cidades destes povos, que Jeová teu Deus te está dando por herança, nada que tem fôlego deixarás com vida, 17 mas destruí-lo-ás totalmente: aos heteus, aos amorreus, aos cananeus, aos ferezeus, aos heveus, aos jebuseus; como Jeová teu Deus te ordenou; 18 para que vos não ensinem a fazer segundo todas as suas abominações que fizeram aos seus deuses; e assim pecareis contra Jeová vosso Deus.

Não tenha nenhuma misericórdia deles, ensinou e praticou Moisés. Não pratique a bondade para com eles, mate todos eles. Isto foi o praticou e o que ensinou Moisés.

De forma oposta, o Pai IHVH afirmou: Vou ter misericórdia daqueles que ensinaram coisas detestáveis ao meu povo.

O sentimento do Pai mostrou ser um sentimento bem diferente do sentimento dado a eles por Moisés, não mostrou??

Agora que ambos foram punidos, Eu espero que aqueles que ensinaram o Meu povo a fazerem coisas detestáveis, sejam agora ensinados pelo Meu povo a fazerem coisas santas.

Que situação do povo escolhido, não é mesmo??

Aqueles que haviam sido desviados do caminho de Jeová deviam ensinar às nações (antigos professores) a andarem nos caminhos do Pai Jeová??

Eram eles que deveriam ensinar aos seus anteriores professores???

Como o povo escolhido passou a ver esta atuação de Jeová (Javé)?? Culpado não é somente aquele que ensina a praticar o pecado?? Eles viam-se exclusivamente como vítimas daqueles iníquos. Os que testemunharam o cumprimento daquela informação dada a Jeremias sentiram-se ofendidos, sentiram-se injustiçados. Para eles havia alguma coisa errada na personalidade de Jeová. O que eles falaram??

O que presumiram?? A que conclusão chegaram??

Jeová ouviu o que eles falavam entre si e assim informou para Seu profeta escolhido: (Malaquias 3:13-15) 13 Fortes foram as vossas palavras contra mim”, disse Jeová. E dissestes: “Que falamos entre nós contra ti?” 14 Dissestes: ‘De nada vale servir a Deus. E que lucro há em termos cumprido a obrigação para com ele e em termos andado acabrunhados por causa de Jeová dos exércitos? 15 E atualmente declaramos felizes os presunçosos. Também os praticantes da iniqüidade foram edificados. Eles também têm experimentado a Deus e conseguem safar-se.’”

Assim verte a Tradução Almeida: (Malaquias 3:13-15) 13 As vossas palavras foram agressivas para mim, diz o Senhor. Mas vós dizeis: Que temos falado contra ti? 14 Vós tendes dito: inútil é servir a Deus. Que nos aproveita termos cuidado em guardar os seus preceitos, e em andar de luto diante do Senhor dos exércitos? 15 Ora pois, nós reputamos por bem-aventurados os soberbos; também os que cometem impiedade prosperam; sim, eles tentam a Deus, e escapam.

Dentro da sua visão de vítima, o povo escolhido esperava uma outra ação da parte do Deus Todo Poderoso, logo, ficaram decepcionados com esta ação do Deus Todo Poderoso. Na verdade, revelavam desconhecer a pessoa de Jeová, revelavam desconhecer a personalidade da pessoa de Jeová. O Deus Todo-poderoso estava revelando uma das facetas da Sua personalidade para o seu povo escolhido. O povo escolhido revelou não ter gostado. O povo escolhido não agiria daquela forma. O povo escolhido preferia a forma praticada e ensinada por Moisés.

O que mais falou Jeová em relação a Seu nome e a Sua personalidade?? Assim informou Jeová (Javé) a Moisés: (Êxodo 34:5-7) 5 E Jeová passou a descer na nuvem e a pôr-se ali junto dele, e passou a declarar o nome de Jeová. 6 E Jeová ia passando diante da sua face e declarando: “Jeová, Jeová, Deus misericordioso e clemente, vagaroso em irar-se e abundante em benevolência e em verdade, 7 preservando a benevolência para com milhares, perdoando o erro, e a transgressão, e o pecado, mas de modo algum isentará da punição, trazendo punição pelo erro dos pais sobre os filhos e sobre os netos, sobre a terceira geração e sobre a quarta geração.”

Assim verte a Tradução Almeida de 1967: (Êxodo 34:5-7) 5 O Senhor desceu numa nuvem e, pondo-se ali junto a ele, proclamou o nome Jeová. 6 Tendo o Senhor passado perante Moisés, proclamou: Jeová, Jeová, Deus misericordioso e compassivo, tardio em irar-se e grande em beneficência e verdade; 7 que usa de beneficência com milhares; que perdoa a iniqüidade, a transgressão e o pecado; que de maneira alguma terá por inocente o culpado; que visita a iniqüidade dos pais sobre os filhos e sobre os filhos dos filhos até a terceira e quarta geração.

Percebemos que a declaração formal do nome de Jeová (Javé) veio acompanhada de uma série de qualidades excelentes, qualidades estas que fazem parte da personalidade de Jeová. Tratava-se de uma descrição da personalidade; tratava-se da revelação de algo que estava vinculado ao nome Jeová (Javé), tratava-se das várias facetas da personalidade do Deus Todo-poderoso. Logo, as ações de Jeová estão intimamente vinculadas com estas qualidades. Tratava-se do Deus Todo-poderoso; do Deus Misericordioso; do Deus Compassivo; do Deus Tardio em irar-se; do Deus Grande em Beneficência; do Deus Grande em Verdade; do Deus Perdoador. Jeová se orgulha de ter estas qualidades, logo, para Ele, o deixar de usar tais qualidades significaria profanar o Seu nome. Eu sou Todo-poderoso; Eu sou Todo Compassivo; Eu sou Todo Imparcial; Eu sou Todo Perdoador; Eu sou Todo Verdade.....

O Pai IHVH declarou de forma solene o seu nome para Moisés.

Declarar – Esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: Tornar público, oralmente ou por escrito; anunciar(-se), revelar(-se), manifestar(-se); Dar(-se) o título de; nomear(-se), designar(-se)

declarar Datação: sXIII

n verbo

transitivo direto, bitransitivo e pronominal

1 tornar público, oralmente ou por escrito; anunciar(-se), revelar(-se), manifestar(-se)

Exs.: d. intenções

declarou aos pais que ia sair de casa

após ser insultado, declarou-se policial

pronominal

2 revelar-se partidário ou entusiasta de

Ex.: d.-se pela oposição

pronominal

3 revelar sentimento, intenção

Ex.: custou mas declarou-se à amada

pronominal

4 aparecer repentinamente; surgir, manifestar-se

Ex.: foi da noite para o dia que a doença se declarou

transitivo direto predicativo e pronominal

5 qualificar(-se) de forma a que seja tomado como verdade ou passe a ser um direito

Exs.: o júri declarou o réu culpado

declarou-se ciente dos termos do contrato

transitivo direto predicativo e pronominal

6 dar(-se) o título de; nomear(-se), designar(-se)

Exs.: o chefe declarou supervisor o funcionário mais antigo

pôs a coroa e passou a d.-se rei

transitivo direto e bitransitivo

7 firmar como resolução; decretar

Ex.: d. guerra (à nação vizinha)

transitivo direto

8 tornar claro; desvendar, esclarecer

Ex.: d. um projeto futuro



O Pai IHVH proclamou de forma solene o seu nome para Moisés.

Proclamar – Esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: declarar publicamente em voz alta e com solenidade; anunciar;..

proclamar Datação: 1563-1570

n verbo

transitivo direto e pronominal

1 declarar publicamente em voz alta e com solenidade; anunciar

Exs.: p. a paz

p.-se presidente

transitivo direto e bitransitivo

2 declarar enfaticamente; afirmar, asseverar

Ex.: proclamou (ao povo) que governaria

transitivo direto

3 promulgar uma lei; decretar, publicar

Ex.: p. uma nova lei

transitivo direto predicativo e pronominal

4 atribuir(-se) título ou posto; intitular(-se), aclamar(-se)

Exs.: o mundo proclamou a Argentina campeã da Copa de 86

o usurpador proclamou-se rei



Fica bem claro que IHVH tinha o Seu nome como algo muito valioso, muitíssimo valioso.

Estava relacionado com santidade.

O Pai IHVH afirmou: Eu Sou Santo.

A santidade está diretamente relacionada com o comportamento. A santidade está completamente vinculada ao comportamento.

Será que a santidade do nome de Deus estava vinculada à correta pronúncia do tetragrama??

Ou será que estava plenamente vinculada ao comportamento de Deus em relação àquelas qualidades que Ele afirmou ter??

O que é comportamento??

Comportamento – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: procedimento de alguém face a estímulos sociais ou a sentimentos e necessidades íntimos ou uma combinação de ambos

comportamento Datação: 1534

n substantivo masculino

1 ato ou efeito de comportar-se

2 procedimento de alguém face a estímulos sociais ou a sentimentos e necessidades íntimos ou uma combinação de ambos

3 maneira de proceder de uma pessoa em relação a outra(s), esp. com referência às regras de boas maneiras



Procedimento – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: maneira de agir, modo de proceder, de portar(-se); conduta, comportamento

procedimento Datação: sXIV

n substantivo masculino

ato ou efeito de proceder

1 maneira de agir, modo de proceder, de portar(-se); conduta, comportamento

2 modo de fazer (algo); técnica, processo, método

Ex.: p. de análise química

3 Rubrica: termo jurídico.

forma estabelecida por lei para se tratarem as causas em juízo e para o cumprimento dos atos e trâmites do processo



Muito embora Jeová soubesse como era a Sua personalidade, o povo escolhido não sabia. Neste caso, Jeová mostraria ao povo escolhido cada uma das facetas de Sua personalidade. Isto ocorreria de forma prática, obviamente.

O Pai não queria profanar o Seu nome. O Pai afirmou que Se Ele praticasse certas ações contra o povo escolhido, ações merecidas pelo povo escolhido, Ele estaria degradando, aviltando, profanando o Seu nome.

Ficou bem clara a informação que o Pai estava dando. Se Ele praticasse determinadas ações, Ele estaria profanando o Seu próprio nome.

As ações de IHVH poderiam profanar o Seu nome.

Será que as ações do povo escolhido conseguiam profanar o nome de IHVH??

PROFANAREsta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): usar de maneira inadequada, degradar, aviltar, macular, violar; transgredir regras e princípios,

profanar     Datação: 1588

 

n verbo

 transitivo direto

1     tratar com irreverência, desrespeitar a santidade de

Ex.: p. templos

 transitivo direto

2     Derivação: por extensão de sentido.

tratar desrespeitosamente; ofender, afrontar, macular

Ex.: grafiteiros profanam monumentos

 transitivo direto

3     transgredir (regra, princípio); violar, infringir

Ex.: p. os valores da sociedade civilizada

 transitivo direto

4     usar de maneira inadequada; degradar, aviltar

Ex.: p. a música clássica

 transitivo direto

5     atentar contra a honra de; macular, desonrar

Ex.: p. a memória de alguém


Decerto que o povo estava meio atônito por estarem lidando com alguém que eles realmente não conheciam.

Ficou claro que se eles estivessem no lugar de Jeová, eles agiriam de outra forma.

Embora existisse uma punição, não havia inimizade; embora existisse uma punição, ela vinha acompanhada de bondade; os que estavam sendo libertados também mereciam ser eliminados. O agressor era tratado com misericórdia, pois ele não recebia a punição que merecia.

Aquele que se comporta como meu inimigo é tratado com bondade por aquele que é meu Deus?? Meu Deus não fica do meu lado, passando a ser inimigo do meu inimigo?? Ora, ora, o meu Deus não odeia o meu inimigo?? Meu Deus trata o meu inimigo com misericórdia?? Meu Deus perdoa tudo o que o meu inimigo fez contra mim?? Meu Deus continua amando o meu inimigo??

Realmente, isto era algo que se mostrava estranho para o povo que foi escolhido por Deus para ser o povo de Deus.

Notou?? O povo foi escolhido por Deus. Não foi o povo que escolheu a este Deus entre tantos outros deuses. Se a escolha fosse do povo, eles estariam revelando ter um relativo conhecimento sobre Deus, não é verdade??

No entanto, o que revelava o povo?? O povo revelava não conhecer a Jeová, o Deus Todo Poderoso que os havia chamado para ser seu povo.

Este Deus Todo Poderoso não era como eles, não tinha os mesmos sentimentos deles.

Em certa ocasião, o povo escolhido desejou ser como as outras nações.

O Deus Todo Poderoso sabendo do desejo do povo escolhido assim lhes informou: (Ezequiel 20:32) 32 E aquilo que está subindo no vosso espírito positivamente não acontecerá, visto que dizeis: “Tornemo-nos iguais às nações, iguais às famílias das terras, ministrando à madeira e à pedra.”’”

Assim verte a Tradução Almeida: (Ezequiel 20:32) 32 E o que veio ao vosso espírito de maneira alguma sucederá, quando dizeis: Sejamos como as nações, como as tribos dos países, servindo ao madeiro e à pedra.

Jeová, o Deus Todo Poderoso não estava fazendo o que eles esperavam Dele, logo, eles mostravam-se decepcionados e revelaram o desejo de sair do relacionamento.

Jeová lhes informa que o perdão lhes seria dado e que eles, ao compreenderem suas ações, sentiriam nojo de si mesmos: (Ezequiel 20:43) 43 E certamente vos lembrareis ali dos vossos caminhos e de todas as vossas ações com que vos aviltastes, e tereis realmente aversão às vossas próprias faces por causa de todas as vossas coisas más que fizestes.

Assim verte a Tradução Almeida: (Ezequiel 20:43) 43 Ali vos lembrareis de vossos caminhos, e de todos os vossos atos com que vos tendes contaminado; e tereis nojo de vós mesmos, por causa de todas as vossas maldades que tendes cometido.

Jeová (Javé) se preocupava muito em Ele mesmo não profanar o Seu nome através de Suas atitudes. No entanto, Ele afirmou que o servo escolhido também tinha de tomar cuidado para não profanar o Seu nome. Assim falou Javé para Moisés: (Levítico 19:12) 12 E não deveis jurar mentira em meu nome, de modo a profanares o nome de teu Deus. Eu sou Jeová.

Assim verte a Tradução Almeida: (Levítico 19:12) 12 não jurareis falso pelo meu nome, assim profanando o nome do vosso Deus. Eu sou o Senhor.

Meu nome, meu nome, meu nome. Muitas vezes o Deus Todo Poderoso usa a expressão “meu nome”. Não se pode negar que Ele se preocupava muitíssimo com o Seu nome.

Percebemos claramente que Jeová (Javé) se preocupa com a “santidade” do Seu nome. Ele se preocupa com a santificação do Seu nome. Percebemos também que a santidade do nome envolve tanto palavras quanto ações daquele que tem o nome.

SANTIFICADOEsta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): que adquiriu a condição” de santo

santificado     Datação: sXIII

 

n adjetivo

1     que se santificou; que adquiriu a condição de santo

2     diz-se de cada um dos dias santos



SANTIDADEEsta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): qualidade ou virtude de santo; pureza

santidade     Datação: sXIII

 

n substantivo feminino

1     qualidade ou virtude de santo

2     estado de santificação; virtude, pureza, religiosidade



SANTOEsta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): essencialmente puro, perfeito; que não pode ser violado

santo     Datação: sXIII

 

n adjetivo

1     que pertence à religião ou aos ritos sagrados; relativo à divindade; que serve a uso sagrado

2     essencialmente puro, perfeito

Ex.: s. união

3     que não pode ser violado

Ex.: s. liberdade

4     diz-se de cada um dos dias da semana anteriores ao domingo de Páscoa; diz-se de cada um dos dias em que a Igreja proíbe o trabalho e manda consagrar ao culto religioso

5     útil, benéfico; seguro, eficaz

Ex.: um s. remédio

 

n adjetivo e substantivo masculino

6     que ou aquele que foi canonizado e/ou a quem os fiéis rendem culto

Exs.: s. Antônio

 tornou-se s.

7     que ou aquele que vive conforme a lei de Deus e a moral religiosa

8     Derivação: por extensão de sentido.

diz-se de ou pessoa de conduta exemplar, irrepreensível

9     Derivação: por extensão de sentido.

diz-se de ou pessoa que se finge inocente, simples, ingênua

 

n substantivo masculino

10   Derivação: por metonímia.

imagem de alguém que foi canonizado

11   Rubrica: religião. Regionalismo: Brasil.

nos cultos afro-brasileiros, termo equivalente a orixá, inquice, entidade etc.



É óbvio que o santo pode ser violado, se tiver o livre-arbítrio.

O Deus Todo Poderoso também afirmou que o povo escolhido também devia ser santo. Assim afirmou Javé (Jeová): (Levítico 11:45) 45 Pois eu sou Jeová, que vos conduzo para fora da terra do Egito, a fim de me mostrar Deus para vós; e tendes de mostrar ser santos, porque eu sou santo.

Assim verte a Tradução Almeida: (Levítico 11:45) 45 porque eu sou o Senhor, que vos fiz subir da terra do Egito, para ser o vosso Deus, sereis pois santos, porque eu sou santo.

Mostrar ser santo ou passar a ser santo e continuar a ser santo. Tratava-se de uma questão comportamental, não é mesmo??

Passamos a perceber um dos motivos de Jeová escolher um povo dentre tantos povos para ser Deus para eles. Eles deviam ser tão santos quanto Jeová. Como isto seria possível?? Seria um passe de mágica??

Eles precisavam ver o Deus Todo-poderoso em ação para poder imitá-lo, não é verdade??

O relacionamento do dia a dia, as regras dadas, a misericórdia dada e o perdão dado para todos os pecados, revelava algo, não revelava?? Revelava um objetivo a longo prazo, revelava um ensinamento contínuo.

Assim falou Jeová sobre este Seu contínuo ensinamento: (Deuteronômio 32:1-2) 32Dai ouvidos, ó céus, e fale eu; E ouça a terra as declarações da minha boca. 2 Meu ensinamento gotejará como a chuva, Minha declaração pingará como o orvalho, Como chuvas suaves sobre a relva, E como chuvas copiosas sobre a vegetação.

Assim verte a Tradução Almeida: (Deuteronômio 32:1-2) 1 Inclinai os ouvidos, ó céus, e falarei; e ouça a terra as palavras da minha boca. 2 Caia como a chuva a minha doutrina; destile a minha palavra como o orvalho, como chuvisco sobre a erva e como chuvas sobre a relva.

Obviamente, no tempo certo, este ensinamento produziria um bom resultado.

Realmente, tornar-se como o Pai, não se tratava de um passe de mágica.

Assim, armando-se com Suas qualidades, o Deus Todo Poderoso veio ensinar ao povo escolhido. O Deus Todo Poderoso veio tornar-se hóspede do povo escolhido, Ele veio habitar com o povo escolhido. O ensinamento se daria através das palavras faladas e do exemplo dado em como utilizar cada uma das qualidades que representavam o Seu nome, Jeová (Javé).

ELE É O VOSSO PAI. VOCÊS NÃO PERCEBERAM ISTO??

Além de Todo-poderoso, Amoroso, Perdoador e outros nomes que caraterizavam a personalidade de Jeová, ainda existe um outro nome pelo qual aqueles humanos ainda não o chamavam.

Alguns séculos depois, os descendentes de Abraão tiveram a Jesus como hóspede. Jesus passou a lhes revelar outra característica deste Deus Todo Poderoso que eles adoravam. Jesus passou a lhes revelar um outro nome, ou seja, uma outra característica existente na personalidade de Jeová, qualidade esta que, embora Ele tivesse revelado na forma prática durante todo aquele relacionamento, o povo escolhido não havia notado, não havia percebido. Qual era??

Jesus sempre O chamava de Pai. Aqueles humanos que eram adoradores do mesmo Deus, isto é, o Deus de Abraão, queriam matar Jesus em face de Jesus constantemente chamar a este Deus de Pai. (João 5:17-18) 17 Mas ele lhes respondeu: “Meu Pai tem estado trabalhando até agora e eu estou trabalhando.” 18 Deveras, por esta razão, os judeus começaram ainda mais a procurar matá-lo, porque não somente violava o sábado, mas também chamava a Deus de seu próprio Pai, fazendo-se igual a Deus.

Assim verte a Tradução Almeida: (João 5:17-18) 17 Mas Jesus lhes respondeu: Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também. 18 Por isso, pois, os judeus ainda mais procuravam matá-lo, porque não só violava o sábado, mas também dizia que Deus era seu próprio Pai, fazendo-se igual a Deus.

Ora, ora, eles ofendiam-se por Jesus chamar o Deus Todo-poderoso de seu Pai??

Será que somente Jesus é que era filho do Deus Todo-poderoso?? Havia algo de errado em Jesus afirmar ser “filho de Deus”?? Havia algo errado em chamar a Deus de Pai???

Jesus sempre O chamava de Pai. Jesus também afirmou: Ele é o meu Pai e vosso Pai; Ele é o meu Deus e vosso Deus. Assim afirmou Jesus: (João 20:17) 17 Jesus disse-lhe: “Pára de agarrar-te a mim. Porque ainda não ascendi para junto do Pai. Mas, vai aos meus irmãos e dize-lhes: ‘Eu ascendo para junto de meu Pai e vosso Pai, e para meu Deus e vosso Deus.’”

Assim verte a Tradução Almeida: (João 20:17) 17 Disse-lhe Jesus: Deixa de me tocar, porque ainda não subi ao Pai; mas vai a meus irmãos e dize-lhes que eu subo para meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus.

Vocês são meus irmãos”.

Nesta interessante afirmação de Jesus, foi revelado àqueles humanos que eles eram seus irmãos e adoradores do mesmo Deus. Jesus também não mente. Tratava-se de uma informação nova que estava sendo dada a eles?? Certamente.

Tratava-se do mesmo Deus de Abraão, aquele que Abraão conhecia como Deus Todo Poderoso, tratava-se do Deus cujo nome é Jeová (Javé), IHVH (Eu Sou).

Aquele Deus que os israelitas adoravam era o Pai de Jesus, não foi o que Jesus afirmou?? Jesus chamava-o insistentemente de Pai e da mesma forma insistente revelava aos demais que eles também eram filhos do mesmo Pai, o Pai Celestial. (Mateus 23:9) 9 Além disso, não chameis a ninguém na terra de vosso pai, pois um só é o vosso Pai, o Celestial. (Mateus 7:11) 11 Portanto, se vós, embora iníquos, sabeis dar boas dádivas a vossos filhos, quanto mais o vosso Pai, que está nos céus, dará boas coisas aos que lhe pedirem!

Assim verte a Tradução Almeida: (Mateus 23:9) 9 E a ninguém sobre a terra chameis vosso pai; porque um só é o vosso Pai, aquele que está nos céus. (Mateus 7:11) 11 Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas dádivas a vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que está nos céus, dará boas coisas aos que lhas pedirem?

Esta afirmação acima feita por Jesus, foi feita diante de pessoas que ainda não eram discípulos dele, pois Jesus falava para a multidão, logo, Jesus não chama-se de filho como se fosse uma exclusividade sua. Jesus também deixou bem claro que o iníquo também é filho do Pai Celestial. Vós iníquos; vosso Pai que está nos céus. Vós ímpios, vós maus, vós sois filhos do Pai Celestial. Jesus não falou que somente os justos é que são filhos do Deus Todo-poderoso, falou???? O que Jesus falou está bem claro, não está???

Jesus estava deixando bem claro: Além de ser Deus Todo-poderoso, Ele também é o nosso Pai.

Esta era outra faceta da personalidade do Deus Todo Poderoso que o povo escolhido não havia percebido em relação a Ele, apesar de tanto tempo de relacionamento com Ele. Ele estava revelando ser um pai amoroso. Tratava-se de um pai amoroso de filhos maus, um pai amoroso de filhos iníquos.

Jesus foi bem claro: “Vós sois filhos maus, vós sois filhos iníquos”.

Com quem falava Jesus estas palavras?? Falava com todos os ouvintes do chamado “Sermão do monte”.

Em outra ocasião, falando Jesus com seus discípulos, ele repetiu a mesma frase acima: “Vós sois iníquos, vós sois filhos iníquos”. (Lucas 11:1) 11 Então, na ocasião em que estava em certo lugar orando, quando parou, disse-lhe certo dos seus discípulos: “Senhor, ensina-nos a orar, assim como também João ensinou aos seus discípulos.” (Lucas 11:13) 13 Portanto, se vós, embora iníquos, sabeis dar boas dádivas a vossos filhos, quanto mais o Pai, no céu, dará espírito santo aos que lhe pedirem!”

Assim verte a Tradução Almeida: (Lucas 11:1) 1 Estava Jesus em certo lugar orando e, quando acabou, disse-lhe um dos seus discípulos: Senhor, ensina-nos a orar, como também João ensinou aos seus discípulos. (Lucas 11:13) 13 Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o Pai celestial o Espírito Santo àqueles que lho pedirem?

Com estas palavras, Jesus afirmou que seus discípulos eram maus, afirmou que os discípulos eram iníquos e afirmou que os discípulos maus eram filhos do Pai Celestial. Será que ainda há alguma qualquer dúvida em relação a isto??

Falando a uma multidão, Jesus deixou bem claro que o Deus Todo-poderoso era o Pai deles. Assim afirmou-lhes Jesus: (Mateus 6:14-15) 14 Pois, se perdoardes aos homens as suas falhas, também o vosso Pai celestial vos perdoará; 15 ao passo que, SE NÃO PERDOARDES aos homens as suas falhas, TAMPOUCO O VOSSO PAI VOS PERDOARÁ as vossas falhas.

Assim verte a Tradução Almeida: (Mateus 6:14-15) 14 Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós; 15 se, porém, não perdoardes aos homens, tampouco vosso Pai perdoará vossas ofensas.

O Deus Todo-poderoso é vosso Pai”.

Senhor Jesus, como devemos nos dirigir ao Deus Todo-poderoso em oração?? Deveis dizer: “Nosso Pai nos céus, …”. O que isto significa em relação ao Deus Todo-poderoso?? Significa que Ele é o meu pai.

Jesus, eu devo me dirigir ao Deus Todo-poderoso como meu Pai?? Sim, é isto mesmo. Chame-o de Pai, de Pai Celestial.

Percebemos também que Jesus afirmava ser irmão daqueles homens por um motivo bem simples, isto é, por todos serem filhos do mesmo pai, o Pai Celestial. Não se tratava de ser irmão por ser descendente de Abraão ou de pertencer a qualquer espécie de grupo formado por humanos. Não se tratava de pertencer a qualquer irmandade ligada por laços de sangue ou laços ideológicos. Não se tratava de passar a ser irmão por aquele humano ter passado a ser um discípulo dele. Ser filho do Pai Celestialeste era o laço de ligação entre Jesus e todos os demais judeus e levitas, isto é, o laço apontado por Jesus. Jesus estava lhes informando que este era o fato comum entre ele e todos os demais descendentes dos doze filhos de Jacó.

Abraão também era filho do Pai Celestial?? Sim, era. Abraão era um antepassado deles, assim como muitos outros que antecederam a Abraão. Ou será que Abraão era filho único do Pai Celestial??

Jesus queria que eles percebessem isto. Eles eram irmãos de Jesus?? Sim, eles eram irmãos de Jesus, mas não pelo fato de serem descendente de Abraão. Os apóstolos eram irmãos de Jesus?? Sim, eram, mas não pelo fato de serem descendentes de Abraão. Os demais discípulos eram irmãos de Jesus?? Sim, eram, mas não pelo fato de serem descendentes de Abraão. Os fariseus eram irmãos de Jesus?? Sim, eram, mas não pelo fato de serem descendentes de Abraão. Os ismaelitas também eram irmãos de Jesus??Sim, eram, mas não pelo fato de serem descendentes de Abraão. Os edomitas eram irmãos de Jesus?? Sim eram, mas não pelo fato de serem descendentes de Abraão. Os samaritanos eram irmãos de Jesus?? Sim, também eram, e da mesma forma, não pelo fato de serem descendentes de Abraão??

Esta era uma realidade que os judeus não deviam renegar.

Que fato real os interligava como irmãos?? Aquele fato que Jesus chamou a atenção, isto é, o de todos serem filhos do mesmo Pai, o Pai Celestial. Na verdade, Jesus também não era um descendente de Abraão, pois assim ele falou: “Mesmo antes de Abraão eu já vivia”. (João 8:57-58) 57 Portanto, os judeus disseram-lhe: “Não tens nem cinqüenta anos, e ainda assim viste Abraão?” 58 Jesus disse-lhes: “Digo-vos em toda a verdade: Antes de Abraão vir à existência, eu tenho sido....

Assim verte a Tradução Almeida: (João 8:57-58) 57 Disseram-lhe, pois, os judeus: Ainda não tens cinqüenta anos, e viste Abraão? 58 Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que antes que Abraão existisse, eu sou.

Apesar de não ser um real e natural descendente de Abraão, Jesus era irmão daqueles homens?? Sim, era.

O que os interligava como irmãos?? Serem filhos do mesmo pai, o Pai Celestial.

Jesus falou a seus discípulos: Não chameis na terra a ninguém de vosso pai, a ninguém, nem mesmo a Abraão.

(Mateus 23:9) . 9 Além disso, não chameis a ninguém na terra de vosso pai, pois um só é o vosso Pai, o Celestial.



Assim verte a Tradução Brasileira:

(Mateus 23:9) 9 A ninguém sobre a terra chameis vosso pai; porque só um é vosso Pai, aquele que está no céu.

Ora, o que representava não chamar nem mesmo Abraão de pai e só chamar o Pai celestial de pai??

Representava ver a todos os humanos como irmãos, pois até então, eles só viam como irmãos aqueles que fossem descendentes de Abraão. Eles se fechavam em uma irmandade tendo por base a Abraão. O ponto de referência inicial de sua irmandade estava fincada em Abraão. Sendo assim, aqueles que não fossem descendentes de Abraão, não seriam irmãos deles.

Lógica e consequentemente alguém perguntará: Se Abraão não era filho único do Pai celestial, todos os gentios incircuncisos eram irmãos dos judeus?? Todos eles eram filhos do Pai Celestial??

Bem, isto é um fato que não se pode negar, não se tem como negar. O judeu precisava reconhecer e admitir ser irmão tanto do samaritano como dos demais gentios incircuncisos. O judeu precisava aceitar esta realidade apontada por Jesus. Esta realidade já existia, ela só precisava ser aceita pelo povo escolhido, povo descendente de Abraão.

Afinal de contas, de quem Abraão era descendente??

Não era descendente de Noé?? Bem, e quanto a todos os outros, não eram descendentes do mesmo Noé??

Neste caso, percebemos que Jesus estava falando aos descendentes de Abraão para ampliarem radicalmente a irmandade deles, passando a abranger todos os humanos.

Depois de tantos séculos de relacionamento, será que aqueles humanos já conheciam o Deus Todo-poderoso?? O que falou Jesus já próximo do final do seu convívio com aqueles humanos em relação a isto?? Jesus afirmou: Pai, o mundo não veio a conhecer-te”. (João 17:25) 25 Justo Pai, o mundo, deveras, não veio a conhecer-te; mas eu vim a conhecer-te, e estes vieram a saber que tu me enviaste.

Assim verte a Tradução Almeida: (João 17:25) 25 Pai justo, o mundo não te conheceu, mas eu te conheço; conheceram que tu me enviaste;

Que mais afirmou Jesus?? Ele afirmou: “Pai, eu tenho lhes dado a conhecer o teu nome”. (João 17:26) 26 E eu lhes tenho dado a conhecer o teu nome e o hei de dar a conhecer, a fim de que o amor com que me amaste esteja neles e eu em união com eles.”

Assim verte a Tradução Almeida: (João 17:26) 26 e eu lhes fiz conhecer o teu nome, e lho farei conhecer ainda; para que haja neles aquele amor com que me amaste, e também eu neles esteja.

Obviamente, não se tratava de saber que o nome era Javé (Jeová), pois desde Moisés eles já haviam sido informados deste fato pelo próprio Jeová (Javé).

Como Jesus já havia feito aqueles humanos conhecerem o nome do Pai?? Jesus lhes informou: “Por copiar as ações do Pai”. (João 5:19) 19 Portanto, em resposta, Jesus prosseguiu a dizer-lhes: “Digo-vos em toda a verdade: O Filho não pode fazer nem uma única coisa de sua própria iniciativa, mas somente o que ele observa o Pai fazer. Porque as coisas que Este faz, estas o Filho faz também da mesma maneira...

Assim verte a Tradução Almeida: (João 5:19) 19 Disse-lhes, pois, Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que o Filho de si mesmo nada pode fazer, senão o que vir o Pai fazer; porque tudo quanto ele faz, o Filho o faz igualmente.

Eu sou uma cópia do meu Pai” – “Eu só faço aquilo que eu observo o Pai fazer” - Estas foram as afirmações de Jesus, um filho.

O discípulo de Jesus é lembrado a cada vez que ele faz a oração do “Pai Nosso”. Ele afirma: “Nosso Pai que está nos céus”. Ele foi informado e admite, ele concorda com o fato de Jeová ser o seu Pai. O humano admite que o Deus Todo-poderoso é também o seu Pai. Logo ele admite, no mínimo, ser irmão de qualquer outro que faça esta mesma oração, independente de que grupo racial, linguístico, religioso ou social ele faça parte. Ele deve admitir que independente da sua irmandade religiosa, ele é irmão de qualquer humano que tenha existido. Este é um fato que ele precisa aceitar em relação a si mesmo, isto é, ele não é especial em relação a nenhum ser humano vivo ou morto e nem em relação a qualquer outra criatura. Ele é um filho exatamente igual a qualquer outro filho.

Como é que se santifica o nome de Deus?? Por ouvir o Seu ensinamento e por imitá-lo em cumprir aquele ensinamento. Ele, O Pai, mostrou como se cumpre o ensinamento. Jesus, o filho, repetia as palavras do Pai e copiava aquilo que o Pai fazia.

Havendo alguma dúvida em como cumprir o ensinamento, basta olhar a forma como Jesus viveu o dia a dia como humano, sendo um hóspede entre o povo escolhido.

Será que o humano deve pedir a outro humano para fazer um pedido qualquer ao Pai?? O que Jesus falou a este respeito?? Deve usar qualquer humano como intermediário entre ele e o Pai??

Falando a uma multidão, Jesus mandou-os entrarem em seus quartos e “orar a teu Pai que está nos céus”. Assim falou Jesus no chamado “Sermão do Monte”: (Mateus 6:5-6) 5 Também, quando orardes, não deveis ser como os hipócritas; porque eles gostam de orar em pé nas sinagogas e nas esquinas das ruas largas, para serem vistos pelos homens. Deveras, eu vos digo: Eles já têm plenamente a sua recompensa. 6 Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto particular, e, fechando a tua porta, ora a teu Pai que está em secreto; então o teu Pai, que olha em secreto, te pagará de volta.

Assim verte a Tradução Almeida: (Mateus 6:5-6) 5 E, quando orardes, não sejais como os hipócritas; pois gostam de orar em pé nas sinagogas, e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam a sua recompensa. 6 Mas tu, quando orares, entra no teu quarto e, fechando a porta, ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará.

Ali no monte, novamente Jesus deixa bem claro que o Deus Todo-poderoso que está nos céus é o Pai, e que todos devem falar diretamente a Ele, independente do tipo e da quantidade de pecados que tenha cometido. Todos os pecadores podem e devem falar diretamente com o Pai Celestial. Isto é algo bem lógico, pois tanto aquele que pronuncia uma mentira, quanto aquele que adora um ídolo podem orar ao Pai sem a intermediação de outro pecador.

Tanto aquele que se acha mais justo (soberbo) quanto aquele que se acha mais iníquo podem e devem fazer suas orações diretamente ao Pai Celestial. Obviamente, não devem pedir para que outro pecador qualquer faça isto por ele. Ele não deve tomar a iniciativa de exaltar o seu irmão acima de si mesmo.

Naquele tempo, as pessoas chegavam-se a um profeta e lhe pediam para dar um recado qualquer ou fazer um pedido qualquer para o Deus Todo-poderoso. Eles imaginavam que aquela pessoa gozava de intimidade com Deus, e que, sendo ele um amigo de Deus, ele conseguiria fazer com que o seu pedido fosse aceito pelo Deus Todo-poderoso.

Neste caso, se alguém afirmar ser um intermediário ou desejar ser um intermediário entre você e o Pai Celestial, trata-se de alguém que acredita ser um filho especial, logo, não fique assustado por causa dele.

Não te esqueças: Tu és filho assim como ele é filho.



Topo desta página