EU NÃO ME AGRADO NA MORTE DO INÍQUO, E VOCÊ?

Criada em 25 de setembro de 2012 Última alteração em 29/10/12 às 10 : 27





NÃO ME AGRADO NA MORTE DO INÍQUO”


O que isto significa para Jeová??

O que isto deve significar para o profeta (mensageiro) escolhido por Jeová??

Será que Meu mensageiro acompanha o Meu sentimento (de Jeová) pelo iníquo??

Será que Meu povo se agrada com a morte do iníquo?? Será que dão festas quando o iníquo morre??


O Pai Celestial informa a seus filhos: “Se cometeres pecado, positivamente morrereis; positivamente morrerás, certamente morrerás.


Se você cometer este pecado positivamente morrereis.


Se você comer do fruto desta árvore positivamente morrereis, certamente morrereis.


(Gênesis 2:17) 17 Mas, quanto à árvore do conhecimento do que é bom e do que é mau, não deves comer dela, porque no dia em que dela comeres, positivamente morrerás.”


Assim verte a Tradução Almeida(Gênesis 2:17) 17 mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dessa não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás.


Assim verte a Tradução Brasileira (Gênesis 2:17) 17 mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás: porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás.



Para todos os pecados existe a mesma sentença, ou seja, certamente morrerás. Não continuarás a viver.


Muito tempo depois de Adão, assim falou o Pai Celestial:

(Ezequiel 18:10-13) 10 “‘E [se] alguém se tornou pai de um filho que é salteador, derramador de sangue, que fez coisas semelhantes a uma destas; 11 (mas ele mesmo não fez nenhuma destas coisas;) se também comeu sobre os montes e aviltou a esposa de seu companheiro; 12 se maltratou o atribulado e pobre; se arrebatou coisas em roubo, não restituindo a coisa tomada em penhor; e se elevou seus olhos para os ídolos sórdidos, fez uma coisa detestável. 13 Deu em troca de usura e cobrou juros, e ele positivamente não continuará a viver. Fez todas estas coisas detestáveis. Positivamente será morto. Sobre ele é que virá a haver seu próprio sangue.


Assim verte a Tradução Almeida:

(Ezequiel 18:10-13) 10 E se ele gerar um filho que se torne salteador, que derrame sangue, que faça a seu irmão qualquer dessas coisas; 11 e que não cumpra com nenhum desses deveres, porém coma sobre os montes, e contamine a mulher de seu próximo, 12 oprima ao pobre e necessitado, pratique roubos, não devolva o penhor, levante os seus olhos para os ídolos, cometa abominação, 13 empreste com usura, e receba mais do que emprestou; porventura viverá ele? Não viverá! Todas estas abominações, ele as praticou; certamente morrerá; o seu sangue será sobre ele.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel 18:10-13) 10 Se ele gerar um filho que se torne salteador, que derrame sangue e que faça a seu irmão qualquer destas coisas, 11 e que não cumpra com nenhum destes deveres, porém coma sobre os montes, e contamine a mulher do seu próximo, 12 oprima ao pobre e necessitado, tire de outro com violência, não devolva o penhor, e levante os seus olhos aos ídolos, cometa abominações, 13 dê o seu dinheiro à usura, e receba mais do que emprestou: acaso viverá ele? não viverá. Comete todas estas abominações; certamente morrerá, o seu sangue será sobre ele.




Neste caso, quem é que deveria matar o iníquo, já que o seu sangue está sobre sua própria cabeça?? Quem estaria liberado para matar o iníquo??


Qualquer um pode fazer isto, não pode?? Estando o sangue do iníquo (ímpio) sobre sua própria cabeça, o profeta podia matar os iníquos, não podia?? Estando o sangue do iníquo sobre a sua própria cabeça, a nação santa podia matar os iníquos, não podia??


Matando um iníquo, a nação santa não teria culpa de sangue, não é verdade?? Ela mataria o iníquo (ímpio) e permaneceria inocente, não é verdade??


Isto significa que existe diferença entre derramar sangue inocente e derramar sangue culpado??

Sendo alguém “A” culpado de assassinato, então, alguém “B” pode matá-lo, não se tornando culpado de derramar sangue, não é verdade??


Não podemos desperceber que Jeová afirmou que aquele que recebe mais do que emprestou (juros) também está cometendo uma abominação e que seu sangue também está sobre sua própria cabeça. Para Jeová, receber mais do que emprestou também é abominação. Para Jeová, trata-se de uma impiedade. Jeová deixa bem claro que para ele, o homem que recebe mais do que emprestou é um iníquo (ímpio). Será que o humano concorda com o Pai Celestial??


IMPIEDADE – Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): ...ausência de compaixão; crueldade, desumanidade, barbaridade.

impiedade Datação: 1563

n substantivo feminino

1 qualidade ou caráter de ímpio ou impio

1.1 falta de piedade, de respeito, de amor a Deus ou ao que é sagrado

1.2 desprezo pela própria religião ou pela religião oficial; irreligião

Ex.: a i. de Voltaire

2 Derivação: por metonímia.

o que exprime tal desprezo

Ex.: dizer impiedades sobre o papado

3 Derivação: por extensão de sentido.

falta de respeito pelos valores comumente admitidos

4 ausência de compaixão; crueldade, desumanidade, barbaridade

Ex.: demonstrar i. ao açoitar escravos



Para Jeová, o Pai de todos os envolvidos, receber mais do que emprestou é uma das formas de um filho Seu externar “ausência de compaixão” para com outro filho Seu. Neste caso, do ponto de vista do Pai, aquele que cobrou juros também seria um ímpio.


Pudemos perceber que do ponto de vista do Pai, aquele que cobrou juros é culpado de ter praticado uma abominação, tornando-se assim merecedor de morte. Em relação a este o Pai afirma: “Certamente morrerás”.


Será que matar alguém que recebe mais do que emprestou (cobra juros) transformaria a pessoa em culpada por derramar sangue inocente??

Bem, inocente esta pessoa não é. No entanto, do ponto de vista do Pai, tal pessoa que o matar é culpada de “derramar sangue”.


Ora, mesmo que Jeová afirme que uma pessoa é culpada de pecado, tornando-se assim merecedora de morte, se alguém tomar a iniciativa de matá-la, torna-se culpada de “derramar sangue”?? Sim. Ele derramou sangue, não derramou??

Independente do motivo, “derramar sangue” é um pecado.


Jeová informou ao profeta, que por sua vez o informou a “nação santa” sobre os pecados das outras nações.

Em relação àqueles povos que Jeová apontou como iníquos (ímpios) para os quais existia a promessa de que seriam vomitados da terra de Canaã, será que a função da nação santa era a de exterminá-los, matando-os com suas espadas?? O sangue destes homens iníquos (ímpios) estava sobre suas próprias cabeças, não estava?? Matando-os com suas espadas eles estavam livrando a terra de pessoas más, não é verdade??


  1. Será que a forma do Pai livrar-se do ímpio é matando o ímpio??

  2. Será que o ímpio é um vaso imprestável, cujo único destino é ser destruído??

  3. Do ponto de vista do Pai, será que existe iníquo (ímpio) irrecuperável??


Matando-os com suas espadas, ficariam os humanos livres da culpa de sangue??


O que Jeová havia falado em relação àqueles povos iníquos?? Assim havia falado Jeová: (Levítico 18:24-26) 24 “‘Não vos façais impuros por qualquer destas coisas, porque por todas estas coisas se fizeram impuras as nações que ponho para fora diante de vós. 25 Por conseguinte, a terra é impura e eu trarei sobre ela punição pelo seu erro, e a terra vomitará os seus habitantes. 26 E vós mesmos tendes de guardar os meus estatutos e as minhas decisões judiciais, e não deveis fazer nenhuma de todas estas coisas detestáveis, quer o natural quer o residente forasteiro que reside no vosso meio.. . 27 Pois todas estas coisas detestáveis foram feitas pelos homens da terra, que vos precederam, de modo que a terra é impura..


Assim verte a Tradução Almeida:

(Levítico 18:24-27) 24 Não vos contamineis com nenhuma dessas coisas, porque com todas elas se contaminaram as nações que eu expulso de diante de vós; 25 e, porquanto a terra está contaminada, eu visito sobre ela a sua iniqüidade, e a terra vomita os seus habitantes. 26 Vós, pois, guardareis os meus estatutos e os meus preceitos, e nenhuma dessas abominações fareis, nem o natural, nem o estrangeiro que peregrina entre vós 27 (porque todas essas abominações cometeram os homens da terra, que nela estavam antes de vós, e a terra ficou contaminada);


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Levítico 18:24-27) 24 Não vos contamineis com nenhuma destas coisas, pois com todas elas são contaminadas as nações que eu hei de expulsar de diante de vós. 25 A terra está contaminada, portanto visito nela as suas iniqüidades, e ela vomita os seus habitantes. 26 Vós guardareis os meus estatutos e os meus juízos, e não cometereis nenhuma destas abominações, nem o natural, nem o estrangeiro que peregrina entre vós 27 (porque todas estas abominações cometeram os homens da terra, que foram antes de vós, e a terra está contaminada).





QUANDO EU TE DISSER QUE “AQUELE INÍQUO CERTAMENTE MORRERÁ”, O QUE TU DEVES FAZER??

Quando eu disser ao iníquo: certamente morrerás...., o que tu terás de fazer??


(Ezequiel 3:17-19) 17Filho do homem, constituí-te vigia para a casa de Israel, e terás de ouvir a fala procedente da minha boca e terás de avisá-los da minha parte. 18 Quando eu disser ao iníquo: ‘Positivamente morrerás’, e tu realmente não o avisares e não falares para avisar o iníquo do seu caminho iníquo, a fim de preservá-lo vivo, ele, sendo iníquo, morrerá no seu erro, mas o seu sangue demandarei da tua própria mão. 19 Mas, no que se refere a ti, se tiveres avisado o iníquo e ele realmente não recuar de sua iniqüidade e de seu caminho iníquo, ele é que morrerá pelo seu erro; mas tu, tu terás livrado a tua própria alma.. . .


Assim verte a Tradução Almeida

(Ezequiel 3:17-19) 17 Filho do homem, eu te dei por atalaia sobre a casa de Israel; quando ouvires uma palavra da minha boca, avisá-los-ás da minha parte. 18 Quando eu disser ao ímpio: Certamente morrerás; se não o avisares, nem falares para avisar o ímpio acerca do seu mau caminho, a fim de salvares a sua vida, aquele ímpio morrerá na sua iniqüidade; mas o seu sangue, da tua mão o requererei: 19 Contudo se tu avisares o ímpio, e ele não se converter da sua impiedade e do seu mau caminho, ele morrerá na sua iniqüidade; mas tu livraste a tua alma.


Assim verte a Tradução Brasileira

(Ezequiel 3:17-19) 17 Filho do homem, eu te dei por atalaia à casa de Israel; ouve, pois, da minha boca a palavra, e avisa-os da minha parte. 18 Quando eu disser ao ímpio: Certamente morrerás; se não o avisares, nem falares para avisar ao ímpio que se desvie do seu mau caminho, a fim de salvares a sua vida; morrerá esse ímpio na sua iniqüidade, mas o seu sangue, da tua mão o requererei. 19 Contudo se tu avisares o ímpio, e ele não se converter da sua maldade, nem do seu mau caminho, morrerá ele na sua iniqüidade; tu, porém, livraste a tua alma.



O Pai já havia falado em relação ao iníquo: “Ele certamente morrerá”. Depois disso, o iníquo ainda pode ser salvo??

O iníquo já praticou a abominação. Ele já é culpado de ter praticado uma abominação. O Pai ainda quer que eu vá falar com ele??

ALGUÉM PRATICOU A MALDADE E O PAI FALA COMIGO?? O QUE O PAI DESEJA DE MIM, AQUELE COM QUEM ELE FALOU??

Qual é o objetivo do Pai em falar comigo??


Pelo menos uma coisa ficou bem clara sobre o que o Pai deseja: “Ao ouvir a palavra da Minha boca, você deve avisá-lo da palavra que Eu falei”.

O que fazer então?? Falar com o ímpio.


O Pai quer que eu vá falar com o iníquo com o objetivo de preservá-lo vivo??


Qual deve ser o meu objetivo?? Preservar vivo o iníquo que praticou a maldade?? Mas o que ele merece não é a morte??


Ora, ora, mesmo depois da palavra “certamente morrerás”, o objetivo do Pai continua sendo de preservar o iníquo vivo??


Depois de ouvir esta informação dada pelo próprio Jeová em relação ao iníquo, o que o mensageiro devia fazer?? O mensageiro devia tomar uma espada e matar àquele que o sangue já estava sobre sua própria cabeça?? Ora, o Pai já havia falado que este iníquo “certamente morrerá”, já não havia falado??


(Ezequiel 33:7-9) 7E no que se refere a ti, ó filho do homem, constituí-te vigia para a casa de Israel, e da minha boca terás de ouvir [a] palavra e dar-lhes aviso da minha parte. 8 Quando eu disser ao iníquo: ‘Ó iníquo, positivamente morrerás!’ mas tu realmente não falares para avisar o iníquo do seu caminho, ele mesmo morrerá como iníquo no seu próprio erro, mas o sangue dele requererei de volta da tua própria mão. 9 Mas, no que se refere a ti, se realmente avisares o iníquo do seu caminho, [para que] recue dele, mas ele realmente não recuar do seu caminho, ele mesmo morrerá no seu próprio erro, ao passo que tu mesmo certamente livrarás a tua própria alma.


Assim verte a Tradução Almeida

(Ezequiel 33:7-9) 7 Quanto a ti, pois, ó filho do homem, eu te constituí por atalaia sobre a casa de Israel; portanto ouve da minha boca a palavra, e da minha parte dá-lhes aviso. 8 Se eu disser ao ímpio: O ímpio, certamente morrerás; e tu não falares para dissuadir o ímpio do seu caminho, morrerá esse ímpio na sua iniqüidade, mas o seu sangue eu o requererei da tua mão. 9 Todavia se advertires o ímpio do seu caminho, para que ele se converta, e ele não se converter do seu caminho, morrerá ele na sua iniqüidade; tu, porém, terás livrado a tua alma.


Assim verte a Tradução Brasileira

(Ezequiel 33:7-9) 7 Assim, filho do homem, eu te constituí por atalaia à casa de Israel; portanto ouve da minha boca a palavra, e da minha parte dá-lhes aviso. 8 Quando eu disser ao ímpio: Ó ímpio, certamente morrerás, e tu não falares para dissuadir ao ímpio do seu caminho; morrerá esse ímpio na sua iniqüidade, mas o seu sangue, eu o requererei da tua mão. 9 Todavia, se advertires o ímpio do seu caminho para que dele se converta, e ele não se converter do seu caminho; morrerá ele na sua iniqüidade, mas tu livraste a tua alma.




O Pai definiu: “Não desejar salvar a vida do iníquo é um pecado”. O sangue dele será cobrado de mim, o mensageiro. Passo eu a ser merecedor de morte no caso de não desejar salvar a vida do ímpio?? Bem, isto foi o que o Pai afirmou, não foi??


Tão importante é para o Pai que o profeta fale com o iníquo (ímpio), que o Pai afirmou que se o mensageiro não avisar ao iníquo objetivando dissuadir o iníquo, Ele cobrará do mensageiro a vida do iníquo.

Quem praticou a maldade, não foi o ímpio?? O Pai já disse que o ímpio certamente morrerá, não disse?? O que eu tenho a ver com isso??


Mensageiro, a vida do iníquo está em tuas mãos. Eu vou cobrar de você”.


Percebemos quanto valor o Pai dá a vida do iníquo (ímpio)?? Ora, o Pai valoriza e muito a vida do iníquo. Ele não desvaloriza o iníquo.


Não tenho prazer na morte do iníquo, antes, meu prazer é que o iníquo recue do seu caminho e viva” - Este é o sentimento do Pai.

(Ezequiel 18:23) 23 “‘Acaso me agrado de algum modo na morte do iníquo, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová, ‘[e] não em que ele recue dos seus caminhos e realmente continue a viver?’


Assim verte a Tradução Almeida

(Ezequiel 18:23) 23 Tenho eu algum prazer na morte do ímpio? diz o Senhor Deus. Não desejo antes que se converta dos seus caminhos, e viva?



Assim verte a Tradução Brasileira

(Ezequiel 18:23) 23 Acaso tenho eu prazer na morte do ímpio? diz o Senhor Jeová; não quero eu antes que se converta do seu caminho, e viva?

Não tenho prazer na morte de ninguém.

(Ezequiel 18:32) 32 “‘Pois, não me agrado na morte de quem morre’, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová. ‘Portanto, fazei um recuo e continuai a viver.’”


Assim verte a Tradução Almeida (Ezequiel 18:32) 32 Porque não tenho prazer na morte de ninguém, diz o Senhor Deus; convertei-vos, pois, e vivei,


Assim verte a Tradução Brasileira (Ezequiel 18:32) 32 Porquanto não tenho prazer na morte do que morre, diz o Senhor Jeová; portanto convertei-vos e vivei.


O Pai avisa ao iníquo sobre sua impiedade e depois afirma:



Não tenho prazer na morte do iníquo (ímpio)

(Ezequiel 33:11) 11 Dize-lhes: ‘“Assim como vivo”, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová, “não me agrado na morte do iníquo, mas em que o iníquo recue do seu caminho e realmente continue vivendo. Recuai, recuai dos vossos maus caminhos, pois, por que devíeis morrer, ó casa de Israel?”’


Assim verte a Tradução Almeida

(Ezequiel 33:11) 11 Dize-lhes: Vivo eu, diz o Senhor Deus, que não tenho prazer na morte do ímpio, mas sim em que o ímpio se converta do seu caminho, e viva. Convertei-vos, convertei-vos dos vossos maus caminhos; pois, por que morrereis, ó casa de Israel?


Assim verte a Tradução Brasileira

(Ezequiel 33:11) 11 Dize-lhes: Pela minha vida, diz o Senhor Jeová, não tenho prazer na morte do ímpio; mas sim em que o ímpio se converta do seu caminho e viva. Convertei-vos, convertei-vos dos vossos maus caminhos; pois por que morrereis, ó casa de Israel?

Tratava-se de um diálogo direto com um iníquo, pois assim falou o Pai:


Qual é o prazer do Pai?? Que o iníquo se converta do seu caminho e viva.

Jeová reafirma: “Se o iníquo recuar de sua iniquidade, ele continuará a viver”.


(Ezequiel 33:14-16) 14 “‘E quando eu disser ao iníquo: “Positivamente morrerás”, e ele realmente recuar do seu pecado e praticar o juízo e a justiça, 15 [e] o iníquo restituir a própria coisa penhorada e devolver as próprias coisas roubadas, andando realmente nos próprios estatutos da vida por não fazer injustiça, positivamente continuará vivendo. Não morrerá. 16 Nenhum dos seus pecados com que pecou será lembrado contra ele. Juízo e justiça é o que praticou. Ele positivamente continuará vivendo.’


Assim verte a Tradução Almeida

(Ezequiel 33:14-16) 14 Demais, quando eu também disser ao ímpio: Certamente morrerás; se ele se converter do seu pecado, e praticar a retidão 15 se esse ímpio, restituir o penhor, devolver o que ele tinha furtado, e andar nos estatutos da vida, não praticando a iniqüidade, certamente viverá, não morrerá. 16 Nenhum de todos os seus pecados que cometeu será lembrado contra ele; praticou a retidão e a justiça, certamente viverá.


Assim verte a Tradução Brasileira

(Ezequiel 33:14-16) 14 Demais, quando eu disser ao ímpio: Certamente morrerás; se ele se converter do seu pecado, e praticar o juízo e a justiça; 15 se esse ímpio restituir o penhor, entregar o que ele tinha furtado, andar nos estatutos da vida, não cometendo a iniqüidade; certamente viverá, não morrerá. 16 Nenhum dos seus pecados que cometeu, será lembrado contra ele; ele praticou o juízo e a justiça; certamente viverá.




O que o povo achava destas diretrizes pelas quais Jeová, o Pai, vivia o seu dia a dia?? Será que concordavam com o Pai??


(Ezequiel 33:17) 17E os filhos do teu povo disseram: ‘O caminho de Jeová não é acertado’, mas, no que se refere a eles, é o caminho deles que não é acertado.


Assim verte a Tradução Almeida

(Ezequiel 33:17) 17 Todavia, os filhos do teu povo dizem: Não é reto o caminho do Senhor; mas o próprio caminho deles é que não é reto.


Assim verte a Tradução Brasileira

(Ezequiel 33:17) 17 Contudo dizem os filhos do teu povo: O caminho do Senhor não é reto; quanto a eles, porém, o caminho deles não é reto.


O povo revelou discordar da forma como Jeová vivia o seu dia a dia. O povo discordava das diretrizes de Jeová. Onde é que já se viu preservar vivo o iníquo?? Onde é que já se viu desejar o bem para o iníquo?? O povo como um todo, se alegrava com a morte do iníquo.


Em uma de suas canções, assim revelava o povo o seu desejo quanto ao fim que deve ser dado ao iníquo:

(Salmos 92:7) 7 Quando os iníquos florescem como a vegetação E estão florindo todos os que praticam o que é prejudicial, É para que sejam aniquilados para todo o sempre.


Assim verte a Tradução Almeida:

(Salmos 92:7) 7 quando os ímpios brotam como a erva, e florescem todos os que praticam a iniqüidade, é para serem destruídos para sempre.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Salmos 92:7) 7 Quando brotarem, como erva, os perversos, E florescerem os que obram a iniqüidade, É que serão destruídos para sempre.


Nesta outra canção, exalta-se a alegria em face da morte do iníquo.

(Salmos 58:10) 10 O justo se alegrará por ter observado a vingança. Banhará os seus passos no sangue do iníquo.


Assim verte a Tradução Almeida:

(Salmos 58:10) 10 O justo se alegrará quando vir a vingança; lavará os seus pés no sangue do ímpio.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Salmos 58:10) 10 Alegrar-se-á o justo, quando vir a vingança: Lavará os seus pés no sangue do iníquo.




Vamos agora analisar um caso real, uma situação real. O mensageiro é informado sobre a iniquidade de um povo. Tratava-se de um povo que merecia o extermínio, que merecia ser consumido ali no deserto. Todo o povo merecia o extermínio??


Jeová avisa a Moisés sobre o pecado praticado pelo povo e afirma: “certamente morrerão”.


(Êxodo 32:7-10) 7 Jeová disse então a Moisés: “Vai, desce, porque o teu povo que fizeste subir da terra do Egito tem agido ruinosamente. 8 Desviaram-se depressa do caminho em que os mandei ir. Fizeram para si uma estátua fundida de bezerro, e persistem em curvar-se diante dele e em oferecer-lhe sacrifícios, e em dizer: ‘Este é o teu Deus, ó Israel, que te fez subir da terra do Egito.’” 9 E Jeová prosseguiu, dizendo a Moisés: “Olhei para este povo e eis que é um povo de dura cerviz. 10 Portanto, deixa-me agora, para que a minha ira se acenda contra eles e eu os extermine, e faça eu de ti uma grande nação.”


Assim verte a Tradução Almeida

(Êxodo 32:7-10) 7 Então disse o Senhor a Moisés: Vai, desce; porque o teu povo, que fizeste subir da terra do Egito, se corrompeu; 8 depressa se desviou do caminho que eu lhe ordenei; eles fizeram para si um bezerro de fundição, e adoraram-no, e lhe ofereceram sacrifícios, e disseram: Eis aqui, ó Israel, o teu deus, que te tirou da terra do Egito. 9 Disse mais o Senhor a Moisés: Tenho observado este povo, e eis que é povo de dura cerviz. 10 Agora, pois, deixa-me, para que a minha ira se acenda contra eles, e eu os consuma; e eu farei de ti uma grande nação.


Assim verte a Tradução Brasileira

(Êxodo 32:7-10) 7 Então disse Jeová a Moisés: Vai tu, desce; porque o teu povo, que fizeste sair do Egito, se corrompeu. 8 Bem depressa se desviou do caminho que eu lhes tinha ordenado; fizeram para si um bezerro fundido, adoraram-no e, oferecendo-lhe sacrifícios, disseram: Estes são, ó Israel, os deuses que te fizeram subir da terra do Egito. 9 Disse mais Jeová a Moisés: Tenho visto a este povo, e eis que é povo de cerviz dura. 10 Agora deixa-me, para que a minha ira se acenda contra eles, e para que eu os consuma; e de ti farei uma grande nação.




Tratava-se de um povo que merecia o extermínio?? Foi o próprio Jeová que falou que mereciam, não foi?? Existia alguém que tivesse maior capacidade do que Jeová em saber o que estava acontecendo??


Ali na presença de Jeová, o que fez Moisés?? Vejamos a reação do mensageiro, aquele que tinha presenciado a reação de Jeová em face do pecado que o povo estava praticando naquele momento, enquanto Jeová estava falando com ele lá em cima do monte. Somente ele, Moisés, tinha ouvido as palavras e presenciado as reações de Jeová, não é verdade??


(Êxodo 32:11-14) 11 E Moisés passou a abrandar a face de Jeová, seu Deus, e a dizer:Por que, ó Jeová, devia acender-se a tua ira contra o teu povo que fizeste sair da terra do Egito, com grande poder e com mão forte? 12 Por que deviam os egípcios dizer: ‘Com mau intento os fez sair, a fim de matá-los entre os montes e exterminá-los da superfície do solo’? Desvia-te da tua ira ardente e deplora o mal contra o teu povo. 13 Lembra-te de Abraão, Isaque e Israel, teus servos, a quem juraste por ti mesmo, dizendo-lhes: ‘Multiplicarei a vossa descendência como as estrelas dos céus, e toda esta terra que indiquei, eu a darei à vossa descendência para que deveras tomem posse dela por tempo indefinido.’” 14 E Jeová começou a deplorar o mal que falou que ia fazer ao seu povo.


Assim verte a Tradução Almeida

(Êxodo 32:11-14) 11 Moisés, porém, suplicou ao Senhor seu Deus, e disse: Ó Senhor, por que se acende a tua ira contra o teu povo, que tiraste da terra do Egito com grande força e com forte mão? 12 Por que hão de falar os egípcios, dizendo: Para mal os tirou, para matá-los nos montes, e para destruí-los da face da terra?. Torna-te da tua ardente ira, e arrepende-te deste mal contra o teu povo. 13 Lembra-te de Abraão, de Isaque, e de Israel, teus servos, aos quais por ti mesmo juraste, e lhes disseste: Multiplicarei os vossos descendentes como as estrelas do céu, e lhes darei toda esta terra de que tenho falado, e eles a possuirão por herança para sempre. 14 Então o Senhor se arrependeu do mal que dissera que havia de fazer ao seu povo.


Assim verte a Tradução Brasileira

(Êxodo 32:11-14) 11 Porém Moisés suplicou a Jeová seu Deus, dizendo: Por que se acende a tua ira contra o teu povo, que tiraste da terra do Egito com grande fortaleza e com uma poderosa mão? 12 Porque diriam os egípcios: Para mal os tirou, a fim de os matar nos montes, e a fim de os consumir da face da terra? Volve-te do furor da tua ira e arrepende-te deste mal contra o teu povo. 13 Lembra-te de Abraão, de Isaque e de Israel, teus servos, a quem por ti mesmo juraste e disseste: Multiplicarei a vossa descendência como as estrelas do céu, e toda esta terra de que tenho falado, a darei a vossa descendência, e a herdarão para sempre. 14 Então Jeová se arrependeu do mal que dissera que havia de fazer ao seu povo.




Bem, o mensageiro intercedeu de forma favorável em relação ao povo que Jeová revelou sua intenção de exterminar, não intercedeu?? Tratava-se de um povo iníquo, não é verdade??

Foi o próprio Jeová que afirmou que eram iníquos e que eram merecedores do extermínio.

  1. Passou Moisés a interceder por um povo que merecia o extermínio??

  2. Queria Moisés que o iníquo continuasse a viver??

  3. Estava Moisés defendendo o iníquo de ser morto??


Depois, Jeová afirmou: “Estás certo, não vou exterminá-los; não vou consumi-los”.


Jeová já havia deplorado fazer um mal ao povo, não havia??


Logo depois, Moisés sai da presença de Jeová e desce do monte.


Quando chegou diante do povo e os viu na prática de seu pecado, pecado este que Jeová já tinha visto e aceito a defesa feita pelo próprio mensageiro, o que fez Moisés??


(Êxodo 32:25-29) 25 E Moisés chegou a ver que o povo ficara desenfreado, porque Arão os deixara ficar desenfreados para ignomínia entre seus opositores. 26 Moisés postou-se então no portão do acampamento e disse: “Quem está do lado de Jeová? A mim!” E todos os filhos de Levi começaram a ajuntar-se a ele. 27 Disse-lhes então: “Assim disse Jeová, o Deus de Israel: ‘Ponde cada um de vós a sua espada ao seu lado. Percorrei o acampamento e voltai, de portão a portão, e matai cada um o seu irmão, e cada um o seu próximo, e cada um o seu conhecido íntimo.’” 28 E os filhos de Levi passaram a fazer o que Moisés dissera, de modo que naquele dia caíram do povo cerca de três mil homens. 29 E Moisés prosseguiu, dizendo: “Enchei hoje vossas mãos de poder para Jeová, porque cada um de vós é contra seu próprio filho e contra seu próprio irmão, e para que ele vos conceda hoje uma bênção.”


Assim verte a Tradução Almeida

(Êxodo 32:25-29) 25 Quando, pois, Moisés viu que o povo estava desenfreado (porque Arão o havia desenfreado, para escárnio entre os seus inimigos), 26 pôs-se em pé à entrada do arraial, e disse: Quem está ao lado do Senhor, venha a mim. Ao que se ajuntaram a ele todos os filhos de Levi. 27 Então ele lhes disse: Assim diz o Senhor, o Deus de Israel: Cada um ponha a sua espada sobre a coxa; e passai e tornai pelo arraial de porta em porta, e mate cada um a seu irmão, e cada um a seu amigo, e cada um a seu vizinho. 28 E os filhos de Levi fizeram conforme a palavra de Moisés; e caíram do povo naquele dia cerca de três mil homens. 29 Porquanto Moisés tinha dito: Consagrai-vos hoje ao Senhor; porque cada um será contra o seu filho, e contra o seu irmão; para que o Senhor vos conceda hoje uma bênção.


Assim verte a Tradução Brasileira

(Êxodo 32:25-29) 25 Vendo Moisés que o povo estava desenfreado (pois Arão os desenfreou para serem mofados no meio dos seus inimigos), 26 pôs em pé à entrada do arraial e disse: Quem está do lado de Jeová, venha a mim. Então se ajuntaram a ele todos os filhos de Levi. 27 Depois lhes disse: Assim diz Jeová, o Deus de Israel: Cada um cinja a sua espada sobre a coxa. Passai e tornai a passar de porta pelo meio do arraial, e cada um mate a seu irmão, e cada um a seu companheiro, e cada um a seu vizinho. 28 Fizeram os filhos de Levi conforme a palavra de Moisés; e caíram do povo naquele dia quase três mil homens. 29 Moisés disse: Consagrai-vos hoje a Jeová, cada um contra seu filho, cada um contra seu irmão; para que ele vos conceda neste dia uma bênção.



Será que era esta a reação que Jeová esperava do seu mensageiro Moisés quando este estivesse diante do iníquo?? Jeová já não havia deplorado fazer o mal que havia intencionado e declarado fazer ao povo iníquo?? Sim, Ele já havia deplorado.


Segundo a palavra de Jeová para Ezequiel, o que esperava Jeová de Moisés?? Segundo a palavra de Jeová para Ezequiel, qual deveria ser a atitude de Moisés para com os iníquos??


Repetindo a pergunta: Já havia Jeová deplorado fazer a calamidade que Ele afirmou que traria sobre o povo?? Sim, já havia deplorado.


O que Moisés devia fazer??


Moisés não devia tomar nenhuma atitude violenta contra os iníquos. Como única testemunha humana, como um mensageiro, como um profeta, Moisés deveria usar a palavra para convencer o iníquo a recuar do seu mau caminho, pois esta é a função de um profeta e este é o objetivo de Jeová para o iníquo.


Caso Moisés não falasse para convencer o iníquo, o Pai aplicaria a punição no iníquo. No entanto, para o Pai, Moisés seria culpado pela morte do iníquo. Moisés, o único a ver a reação do Pai, teria uma prestação de contas com o Pai.


Punir ou não punir o iníquo é uma atribuição exclusiva do Pai Celestial, que Ele usa no momento que lhe parecer mais propício.


Um filho não deve punir outro filho. Punir um filho é uma prerrogativa do Pai.


Qual tinha sido a participação de Arão, o primo de Moisés, nesta ofensa a Jeová??

Além de primo de Moisés, Arão havia sido designado por Jeová para ser o mensageiro de Moisés para Faraó, gozando assim de certo respeito junto ao povo.

Primeiro vejamos a posição ocupada por Arão.

(Êxodo 4:14-16) 14 Acendeu-se então a ira de Jeová contra Moisés e ele disse: “Não é Arão, o levita, teu irmão? Sei deveras que ele pode realmente falar. E além disso, eis que está saindo ao teu encontro. Ao ver-te, certamente se alegrará no seu coração. 15 E tens de falar-lhe e pôr-lhe as palavras na boca; e eu mesmo mostrarei estar com a tua boca e com a sua boca, e hei de ensinar-vos o que deveis fazer. 16 E ele tem de falar por ti ao povo; e tem de dar-se que ele te servirá de boca e tu lhe servirás de Deus.


Assim verte a Tradução Almeida:

(Êxodo 4:14-16) 14 Então se acendeu contra Moisés a ira do Senhor, e disse ele: Não é Arão, o levita, teu irmão? eu sei que ele pode falar bem. Eis que ele também te sai ao encontro, e vendo-te, se alegrará em seu coração. 15 Tu, pois, lhe falarás, e porás as palavras na sua boca; e eu serei com a tua boca e com a dele, e vos ensinarei o que haveis de fazer. 16 E ele falará por ti ao povo; assim ele te será por boca, e tu lhe serás por Deus.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Êxodo 4:14-16)14 Acendeu-se a ira de Jeová contra Moisés, e disse: Não vive Aarão, teu irmão, o levita? Eu sei que ele pode falar bem. Eis que também te sai ele ao encontro e, vendo-te, se alegrará no seu coração. 15 Tu, pois, lhe falarás e porás as palavras na sua boca; eu serei com a tua boca e com a sua boca, e vos ensinarei o que haveis de fazer. 16 Ele falará por ti ao povo; ele te será por boca, e tu lhe serás por Deus.

Qual era a posição de Arão??


Arão era um repetidor de Moisés, um porta-voz de Moisés.

Moisés seria um porta-voz de Jeová e Arão o porta-voz de Moisés.


Vejamos qual foi a participação de Arão nesta ofensa a Jeová, ofensa esta que, segundo Jeová todo o povo merecia o extermínio:


(Êxodo 32:1-6) 32 Entrementes, o povo via que Moisés demorava em descer do monte. De modo que o povo se congregou em volta de Arão e lhe disse: “Levanta-te, faze para nós um deus que vá adiante de nós, pois quanto a este Moisés, o homem que nos fez subir da terra do Egito, certamente não sabemos o que lhe aconteceu.” 2 A isso Arão disse-lhes: “Arrancai as arrecadas de ouro que há nas orelhas de vossas esposas, de vossos filhos e de vossas filhas, e trazei-mas.” 3 E todo o povo começou a arrancar as arrecadas de ouro que havia nas suas orelhas e a trazê-las a Arão. 4 Ele tomou então [o ouro] das suas mãos e moldou-o com um buril, e passou a fazer dele uma estátua fundida de bezerro. E começaram a dizer: “Este é o teu Deus, ó Israel, que te fez subir da terra do Egito.” 5 Quando Arão chegou a ver isso, foi construir um altar diante dele. Por fim, Arão clamou e disse: “Amanhã há uma festividade para Jeová.” 6 Assim, no dia seguinte, levantaram-se cedo e começaram a oferecer ofertas queimadas e a apresentar sacrifícios de participação em comum. Depois o povo se assentou para comer e beber. Levantaram-se então para se divertir.


Assim verte a Tradução Almeida:

(Êxodo 32:1-6) 1 Mas o povo, vendo que Moisés tardava em descer do monte, acercou-se de Arão, e lhe disse: Levanta-te, faze-nos um deus que vá adiante de nós; porque, quanto a esse Moisés, o homem que nos tirou da terra do Egito, não sabemos o que lhe aconteceu. 2 E Arão lhes disse: Tirai os pendentes de ouro que estão nas orelhas de vossas mulheres, de vossos filhos e de vossas filhas, e trazei-mos. 3 Então todo o povo, tirando os pendentes de ouro que estavam nas suas orelhas, os trouxe a Arão; 4 ele os recebeu de suas mãos, e com um buril deu forma ao ouro, e dele fez um bezerro de fundição. Então eles exclamaram: Eis aqui, ó Israel, o teu deus, que te tirou da terra do Egito. 5 E Arão, vendo isto, edificou um altar diante do bezerro e, fazendo uma proclamação, disse: Amanhã haverá festa ao Senhor. 6 No dia seguinte levantaram-se cedo, ofereceram holocaustos, e trouxeram ofertas pacíficas; e o povo sentou-se a comer e a beber; depois levantou-se para folgar.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Êxodo 32:1-6) 1 Mas o povo, vendo que Moisés tardava em descer do monte, acercou-se de Arão e disse-lhe: Levanta-te, faze-nos deuses que vão adiante de nós; pois quanto a este Moisés, a esse homem que nos tirou da terra do Egito, não sabemos o que lhe terá acontecido. 2 Respondeu-lhes Arão: Tirai as arrecadas de ouro, que vossas mulheres, vossos filhos e vossas filhas têm nas orelhas, e trazei-mas. 3 Todo o povo tirou as arrecadas de ouro que tinham nas orelhas, trazendo as a Arão. 4 Ele as tomou das mãos deles, e com um buril deu forma ao ouro, e dele fez um bezerro fundido. Então eles disseram: Estes são, ó Israel, os teus deuses, que te tiraram da terra do Egito. 5 Arão, vendo isso, edificou um altar diante dele, fez uma proclamação e disse: Amanhã será festa solene a Jeová. 6 Levantando-se de manhã cedo, ofereceram holocaustos, e trouxeram ofertas pacíficas; o povo sentou-se a comer e a beber, e levantou-se a folgar.


Bem, há como negar a participação direta e cúmplice de Arão??


Sabemos da reação de Moisés, mandando matar participantes daquela ofensa contra Jeová, sendo que neste dia, os levitas mataram em torno de três mil pessoas, usando suas espadas. Ora, Arão fez o bezerro de ouro, fez um altar e ofereceu sacrifícios nele diante de todo o povo.

Houve justiça entre homem e homem?? Foram todos tratados como iguais a Arão??


UM OUTRO PROFETA E UMA OUTRA REAÇÃO


Desta vez, o Pai escolhe um outro profeta, ou seja, um outro mensageiro.

O objetivo do Pai permanecia o mesmo ao enviar um mensageiro a um povo iníquo, isto é, que o iníquo reconheça seu erro, se retrate e mude de proceder, ou seja, mude de caminho. Para mudar de caminho, o iníquo precisa ser convencido.


A cidade a ser avisada sobre seus pecados era Nínive. Os pecados de Nínive faziam-na merecedora de morte. O profeta sabia dos pecados de Nínive e também a via como merecedora de plena destruição.

Quando o Pai pediu a Jonas para ir até a cidade de Nínive para cumprir a sua função de mensageiro, Jonas não gostou nada nada desta missão.

Qual o motivo de Jonas não gostar nada nada desta missão??


Embora Jonas tivesse se rebelado e decidido ir para outro lugar, finalmente ele se encontrou na cidade de Nínive.

Que espécie de desejo tinha Jonas em relação ao destino que deveria ser dado aos humanos da cidade de Nínive??

Será que Jonas tinha o desejo de que os humanos da cidade de Nínive fossem preservados vivos??

Que sentimentos tinha Jonas pelos habitantes de Nínive?? Será que Jonas se importava com a vida deles??

Seria o objetivo de Jonas, o de falar aos habitantes de Nínive para convencê-los a mudar de caminho para que eles continuassem a viver?? Seria esta a motivação de Jonas falar com os Ninivitas?? Será que Jonas defenderia os ninivitas diante de Jeová, assim como o mensageiro Moisés defendeu os israelitas diante de Jeová??


Deixemos que a própria história registrada nos revele tanto o objetivo do Pai quanto o objetivo de Jonas.


O que aconteceu assim que Jonas chegou até Nínive??

(Jonas 3:3-4) 3 Nisso Jonas se levantou e foi a Nínive, segundo a palavra de Jeová. Ora, a própria Nínive mostrou-se para Deus uma cidade grande, de três dias de caminhada. 4 Por fim, Jonas principiou a entrar na cidade numa caminhada de um dia, e continuava proclamando e dizendo: “Apenas mais quarenta dias e Nínive será subvertida.”


Assim verte a Tradução Almeida:

(Jonas 3:3-4) 3 Levantou-se, pois, Jonas, e foi a Nínive, segundo a palavra do Senhor. Ora, Nínive era uma grande cidade, de três dias de jornada. 4 E começou Jonas a entrar pela cidade, fazendo a jornada dum dia, e clamava, dizendo: Ainda quarenta dias, e Nínive será subvertida.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Jonas 3:3-4) 3 Levantou-se, pois, Jonas e foi a Nínive, conforme a palavra de Jeová. Ora Nínive era uma cidade em extremo grande, de três dias de jornada. 4 Jonas começou a entrar na cidade, fazendo a jornada dum dia, e clamou e disse: Ainda quarenta dias, e Nínive será subvertida.


Detalhes

  1. A cidade era grande, de três dias de caminhada.

  2. Jonas fez a jornada de um dia.

  3. Jonas proclamava:


O que aconteceu a seguir??

A proclamação de Jonas alcança o objetivo existente no coração do Pai.


(Jonas 3:5-10) 5 E os homens de Nínive começaram a depositar fé em Deus, e passaram a proclamar um jejum e a pôr serapilheira, desde o maior deles até o menor deles. 6 Quando a palavra atingiu o rei de Nínive, então ele se levantou do seu trono e despiu-se de seu manto oficial e cobriu-se de serapilheira, e assentou-se nas cinzas. 7 Além disso, fez proclamar e dizer em Nínive, pelo decreto do rei e dos seus grandes, dizendo: “Nenhum homem e nenhum animal doméstico, nem manada nem rebanho, deve saborear coisa alguma. Nenhum [deles] deve tomar alimento. Nem mesmo água devem beber. 8 E cubram-se de serapilheira, homem e animal doméstico; e clamem a Deus com força e recuem, cada um do seu mau caminho e da violência que havia nas suas mãos. 9 Quem sabe se o [verdadeiro] Deus [não] voltará e realmente [o] deplorará, e recuará da sua ira ardente, para que não pereçamos?” 10 E o [verdadeiro] Deus chegou a ver os seus trabalhos, que tinham recuado de seu mau caminho; e por isso o [verdadeiro] Deus deplorou a calamidade de que falara que lhes ia causar; e ele não [a] causou.


Assim verte a Tradução Almeida:

(Jonas 3:5-10) 5 E os homens de Nínive creram em Deus; e proclamaram um jejum, e vestiram-se de saco, desde o maior deles até o menor. 6 A notícia chegou também ao rei de Nínive; e ele se levantou do seu trono e, despindo-se do seu manto e cobrindo-se de saco, sentou-se sobre cinzas. 7 E fez uma proclamação, e a publicou em Nínive, por decreto do rei e dos seus nobres, dizendo: Não provem coisa alguma nem homens, nem animais, nem bois, nem ovelhas; não comam, nem bebam água; 8 mas sejam cobertos de saco, tanto os homens como os animais, e clamem fortemente a Deus; e convertam-se, cada um do seu mau caminho, e da violência que há nas suas mãos. 9 Quem sabe se voltará Deus, e se arrependerá, e se apartará do furor da sua ira, de sorte que não pereçamos? 10 Viu Deus o que fizeram, como se converteram do seu mau caminho, e Deus se arrependeu do mal que tinha dito lhes faria, e não o fez.


Assim verte a Tradução Brasileira:


(Jonas 3:5-10) 5 Os homens de Nínive creram em Deus; proclamaram um jejum, e vestiram-se de saco, desde o maior até o menor deles. 6 Chegou a nova ao rei de Nínive; ele se levantou do seu trono, se despiu do seu manto, e, cobrindo-se de saco, se assentou sobre a cinza. 7 Ele fez apregoar e publicou em Nínive pelo decreto do rei e dos seus nobres, o que se segue: Não provem coisa alguma nem homens nem animais, nem bois nem ovelhas; não comam, nem bebam água; 8 mas sejam cobertos de saco, tanto homens como animais, e clamem fortemente a Deus; sim convertam-se cada um do seu mau caminho, e da violência que se acha nas suas mãos. 9 Quem sabe se voltará Deus e se arrependerá, e se apartará do furor da sua ira, para que não pereçamos? 10 Viu Deus o que fizeram, como se converteram de seu mau caminho; Deus arrependeu-se do mal que tinha dito lhes faria, e não o fez.


Bem, o Pai ficou satisfeito com o resultado obtido com a proclamação. A proclamação feita gerou um resultado prático. Com este resultado, o iníquo continuaria a viver. Desta forma, o Pai retirou a sua promessa do mal que lhes ia causar.


Não vou mais matá-los dentro de quarenta dias.


Bem, o mensageiro devia alegrar-se, pois o objetivo dele estar ali havia sido alcançado pelo Pai. Assim, o mensageiro devia alegrar-se junto com o Pai. O mensageiro devia acompanhar o sentimento e o objetivo do Pai, não deveria??


Será que foi isto o que aconteceu?? Alegrou-se Jonas com este resultado?? Alegrou-se Jonas com esta continuidade de vida para os habitantes de Nínive??


O relato histórico continua:

(Jonas 4:1-3) 4 Isso, porém, desagradava muito a Jonas e acendeu-se a sua ira. 2 Por isso orou a Jeová e disse: “Ai! ó Jeová, não foi esta a minha questão quando vim a estar no meu próprio solo? Por isso é que fui e fugi para Társis; pois eu sabia que és um Deus clemente e misericordioso, vagaroso em irar-se e abundante em benevolência, e que deploras a calamidade. 3 E agora, ó Jeová, por favor, tira-me a minha alma, pois é melhor eu morrer do que ficar vivo.”

Assim verte a Tradução Almeida:

(Jonas 4:1-3) 1 Mas isso desagradou extremamente a Jonas, e ele ficou irado. 2 E orou ao Senhor, e disse: Ah! Senhor! não foi isso o que eu disse, estando ainda na minha terra? Por isso é que me apressei a fugir para Társis, pois eu sabia que és Deus compassivo e misericordioso, longânimo e grande em benignidade, e que te arrependes do mal. 3 Agora, ó Senhor, tira-me a vida, pois melhor me é morrer do que viver.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Jonas 4:1-3) 1 Mas isso desagradou extremamente a Jonas, e ele ficou irado. 2 Orou a Jeová e disse: Ah! Jeová, não foi esta a minha palavra, estando eu ainda no meu país? Por isso é que me apressei a fugir para Társis; pois eu sabia que tu és um Deus clemente e misericordioso, tardio em irar-se e de grande beneficência, e que te arrependes do mal. 3 Agora, Jeová, tira-me a vida; pois melhor me é morrer do que viver.


O resultado desagradou a Jonas?? Desagradou extremamente??

Sim, foi exatamente isto o que o relato histórico revela.


Que palavra falou Jonas??

Realmente, não restou nenhuma dúvida. As palavras de Jonas saíram do coração de Jonas. A boca fala daquilo que o coração está cheio.


O mensageiro queria ver a calamidade dos habitantes de Nínive.

Segundo as próprias palavras de Jonas, qual foi o motivo dele ter fugido de ir até Nínive para fazer o que Jeová o madara fazer??




Pois eu sabia que és um Deus perdoador”. Não foi isto o que eu disse?? Não foi esta a questão?? Não foi esta a minha palavra??


Agora sabemos exatamente o motivo de Jonas ter fugido. Ele já havia apresentado para Jeová os seus argumentos para não ir até Nínive.


Agora Jonas fala para Jeová: Não foi exatamente isto que eu havia dito antes?? Eu sabia que o Senhor é um Deus que deplora a calamidade anunciada.

O que vai adiantar eu anunciar a calamidade se o Senhor não vai trazer a calamidade??


Que sentimento devia ter o mensageiro pelos habitantes de Nínive?? Não devia interceder junto ao Pai para a continuidade da vida dos habitantes de Nínive?? Não devia Jonas defender os iníquos?? Não deveria ser o seu objetivo a salvação dos habitantes de Nínive??


Segundo o Pai, qual deveria ser o objetivo do mensageiro??



Falar-lhes com o objetivo de...


Bem, este mensageiro não tinha o mesmo objetivo do Pai. De forma prática, ele revelou que não tinha o mesmo sentimento do Pai pelos iníquos ninivitas.



DERRAMADOR DE SANGUE E SALTEADOR


Salteador é aquele que pratica um assalto.


ASSALTO – Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): … ataque com o uso da força...

assalto Datação: c1539

n substantivo masculino

1 ação ou efeito de assaltar; ataque impetuoso, assaltada

2 ataque repentino com uso de força e intuito criminoso

Ex.: a polícia identificou os autores do a. ao cofre do banco

3 Derivação: sentido figurado. Regionalismo: Brasil. Uso: informal.

ato ou efeito de exorbitar na cobrança de preço(s)

Ex.: o preço do vestido nessa loja é um a.

4 Rubrica: esportes.

em certos tipos de lutas (p.ex., esgrima), cada ataque do adversário

5 Rubrica: esportes.

cada um dos períodos de tempo em que se divide uma luta livre, de boxe, de jiu-jítsu etc.



Ele usa a força e depois pratica o roubo, isto é, toma o que antes pertencia ao derrotado.


Salteador e derramador de sangue são duas das muitas “coisas detestáveis” (abominações) que os israelitas não deviam fazer. Quem fizesse tais coisas detestáveis (abominações) “certamente morreria”. Não foi isto o que Jeová afirmou para Ezequiel??

Isto foi o que Jeová falou:

(Ezequiel 18:10-13) 10 Se ele gerar um filho que se torne salteador, que derrame sangue e que faça a seu irmão qualquer destas coisas, 11 e que não cumpra com nenhum destes deveres, porém coma sobre os montes, e contamine a mulher do seu próximo, 12 oprima ao pobre e necessitado, tire de outro com violência, não devolva o penhor, e levante os seus olhos aos ídolos, cometa abominações, 13 dê o seu dinheiro à usura, e receba mais do que emprestou: acaso viverá ele? não viverá. Comete todas estas abominações; certamente morrerá, o seu sangue será sobre ele.


Vamos exemplificar um grupo de pessoas, que agindo de forma unida, mostrou ser derramador de sangue e salteador. As palavras e os atos destes humanos estão assim registrados na história:

(Gênesis 34:25-29) 25 No entanto, sucedeu que no terceiro dia, quando sentiam dores, os dois filhos de Jacó, Simeão e Levi, irmãos de Diná, passaram a tomar cada um a sua espada e a ir insuspeitos à cidade, e mataram todo macho. 26 E a Hamor e a Siquém, seu filho, mataram ao fio da espada. Tiraram então Diná da casa de Siquém e saíram. 27 Os outros filhos de Jacó atacaram os homens mortalmente feridos e foram saquear a cidade, porque haviam aviltado a sua irmã. 28 Tomaram os seus rebanhos, e as suas manadas, e os seus jumentos, e o que havia na cidade e o que havia no campo. 29 E a todos os seus meios de subsistência, e a todas as suas criancinhas, e as esposas deles levaram cativas, de modo que saquearam tudo o que havia nas casas.


Há alguma dúvida quanto a se estes homens mostraram ser derramadores de sangue e saqueadores??

Independente de quem seja o humano, é a sua ação naquele momento que revelará o que ele realmente é.

A imparcialidade assim o exige, não é verdade??


Sendo um descendente destes homens, como você os veria?? Você se consideraria filho de um iníquo?? Será que você encontraria justificativas válidas para estas ações?? Teria coragem de santificar estas abominações de acordo com quem as tivesse praticado?? Será que dependendo de contra quem seja praticada, estas coisas deixam de ser abominações??


Estes homens encontraram uma boa justificativa em suas mentes. Assim afirmaram:

(Gênesis 34:31) 31 Disseram, por sua vez: “Havia alguém de tratar nossa irmã como prostituta?


Assim verte a Tradução Almeida:

(Gênesis 34:31) 31 Ao que responderam: Devia ele tratar a nossa irmã como a uma prostituta?


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Gênesis 34:31) 31 Responderam: Devia ele tratar a nossa irmã como a uma prostituta?


Não se tratava de uma enorme intolerância quanto a ser ofendido?? Não se trata de uma enorme intolerância contra o ofensor??

Note que neste caso, o ofensor ainda tentou retratar-se, aceitando todas as imposições do ofendido.


Não aceite qualquer retratação do ofensor?? Bem, foi exatamente isto o que ocorreu.

Não se destacaram pela total intolerância e grande violência?? Ah, não podemos esquecer do engano. Eles também agiram com engano para com o ofensor.


Independente das justificativas, o que estes homens fizeram?? Eles derramaram sangue, saquearam todos os bens e ainda escravizaram as mulheres e as crianças. Não há dúvida, estas coisas são abominações (ausência de compaixão; crueldade, desumanidade, barbaridade).


O que fazer com estas pessoas que cometeram tais abominações?? Certamente morrerás, não continuarás a viver.


Apesar das abominações, estas pessoas continuaram a viver, não é verdade?? Estas pessoas geraram muitos descendentes, não é verdade??


O Pai continuou se relacionando com estes humanos e com os descendentes destes homens, não continuou??


Depois de certo tempo, Jeová apresenta para os descendentes destes derramadores de sangue e saqueadores, as nações que moravam na terra de Canaã, como nações que praticavam coisas detestáveis (abominações). As nações eram reais praticantes de abominações.

Jeová afirma que tais nações não mereciam continuar a morar naquela terra em face de cometerem coisas detestáveis (abominações). Jeová ainda completa: Vocês não devem cometer nenhuma destas abominações.


Jeová afirmou: “Vou removê-las da terra de Canaã, em face da iniquidade delas. Elas não merecem continuar morando nesta terra”.

Jeová, o Pai, falou estas palavras para Moisés, o profeta, que as repassou para o povo escolhido.


Desta forma, estas nações foram declaradas iníquas e merecedoras de plena punição.

Sabedores destas informações, deveriam estes homens repetirem as ações dos filhos de Jacó, seus ancestrais, isto é, derramar sangue, saquear cidades e escravizar mulheres e crianças??


Que motivos válidos podiam passar a existir em suas mentes para que tais impiedades deixassem de ser “coisas abomináveis”??


Nestas condições, derramar sangue deixaria de ser uma abominação??


Qual era a função destes que receberam tal informação da parte do Pai?? O que deveriam fazer??


    1. Deviam odiá-los ou deviam amá-los??

    2. Deveriam matar todos os homens, escravizar mulheres e crianças e saquear suas cidades??

    3. Deveriam avisá-los sobre o que Jeová havia falado, objetivando preservá-los vivos??

    4. Deveria o profeta Moisés interceder junto ao Pai por estes cananeus??

    5. Deveria todo o povo escolhido, interceder pela vida dos cananeus??

    6. Deveriam defender tais iníquos diante de Jeová??

    7. Deveria Moisés repetir suas palavras em defesa dos declarados merecedores de extermínio??


Se não falares para avisar os cananeus, Eu punirei os cananeus pela iniquidade dos cananeus, no entanto exigirei o sangue deles das vossas mãos.

Será que aqueles que foram informados da iniquidade das nações ao redor estavam interessados em preservá-los vivos??


Será que os defenderiam diante do Pai, assim como Moisés defendeu os israelitas diante do Pai??


Será que Moisés, aquele que recebeu tal informação diretamente de Jeová a respeito dos cananeus, passou a agir em defesa dos cananeus assim como ele havia agido em defesa dos israelitas??

Agiu o profeta com imparcialidade?? Valorizou Moisés mais um grupo de iníquos do que o outro grupo de iníquos?? Defendeu um grupo e não defendeu o outro grupo?? Isto seria parcialidade, não seria??


Vejamos uma das ações de Moisés em relação aos cananeus.

Em certa ocasião, certos israelitas tiveram piedade das mulheres e dos meninos e não os mataram. No entanto, quando Moisés veio a saber disto, ficou muito indignado e mandou matar todas as mulheres de certa idade para cima e todos os meninos.

Assim se fez registrar:

(Números 31:13-18) 13 Então Moisés e Eleazar, o sacerdote, e todos os maiorais da assembléia saíram-lhes ao encontro fora do acampamento. 14 E Moisés ficou indignado com os homens designados das forças combatentes, os chefes dos milhares e os chefes das centenas, que retornavam da expedição militar. 15 De modo que Moisés lhes disse: “Preservastes viva a toda a fêmea? 16 Eis que estas são as que pela palavra de Balaão serviram para induzir os filhos de Israel a cometerem infidelidade para com Jeová na questão de Peor, de modo que veio o flagelo sobre a assembléia de Jeová. 17 E agora, matai a todo o macho dentre os pequeninos e matai a toda a mulher que tiver tido relações com um homem por se deitar com um macho. 18 E preservai vivas para vós a todas as pequeninas dentre as mulheres, que não tiverem conhecido o ato de se deitar com um macho....



Assim verte a Tradução Almeida: (Números 31:13-18) 13 Saíram, pois, Moisés e Eleazar, o sacerdote, e todos os príncipes da congregação, ao encontro deles fora do arraial. 14 E indignou-se Moisés contra os oficiais do exército, chefes dos milhares e chefes das centenas, que vinham do serviço da guerra, 15 e lhes disse: Deixastes viver todas as mulheres? 16 Eis que estas foram as que, por conselho de Balaão, fizeram que os filhos de Israel pecassem contra o Senhor no caso de Peor, pelo que houve a praga entre a congregação do Senhor. 17 Agora, pois, matai todos os meninos entre as crianças, e todas as mulheres que conheceram homem, deitando-se com ele. 18 Mas todas as meninas, que não conheceram homem, deitando-se com ele, deixai-as viver para vós.

Assim verte a Tradução Brasileira: (Números 31:13-18) 13 Saíram a recebê-los fora do arraial Moisés, e o sacerdote Eleazar, e todos os príncipes da congregação. 14 Indignou-se Moisés contra os oficiais do exército, capitães dos milhares e capitães das centenas, que vinham do serviço da guerra. 15 Disse-lhes Moisés: Deixastes viver todas as mulheres? 16 Eis que estas, por conselho de Balaão, fizeram que os filhos de Israel pecassem contra Jeová no negócio de Peor, e assim houve a praga entre a congregação de Jeová. 17 Agora matai a todos os machos entre os pequeninos, e matai as mulheres que conheceram homem, deitando-se com ele. 18 Porém as meninas que não conheceram homem, deitando-se com ele, deixai-as viver para vós.

Em que momento o profeta Moisés passou a defender os cananeus diante de Jeová?? Em que momento teve o mensageiro Moisés o objetivo de preservar vivos os cananeus e seus filhos?? Somente alguns e somente para usá-los como escravos?? Saquearam todos os bens dos cananeus?? Será que se tratava de uma demonstração de amor??

Que outras ações estão registradas na história? Será que se tratava de mais derramamento de sangue e saque de bens??

(Deuteronômio 3:5-7) ...Todas estas eram cidades fortificadas com muralha alta, portas e tranca, além de muitíssimas cidades campestres. 6 No entanto, devotamo-las à destruição, assim como fizéramos a Síon, rei de Hésbon, ao devotarmos cada cidade à destruição, homens, mulheres e criancinhas. 7 E todos os animais domésticos e o despojo das cidades tomamos para nós como saque.

Assim verte a Tradução Almeida – (Deuteronômio 3:5-7) 5 cidades estas todas fortificadas com altos muros, portas e ferrolhos, além de muitas cidades sem muros. 6 E destruímo-las totalmente, como fizéramos a Siom, rei de Hesbom, fazendo perecer a todos, homens, mulheres e pequeninos. 7 Mas todo o gado e o despojo das cidades, tomamo-los por presa para nós.

Assim verte a Tradução Brasileira(Deuteronômio 3:5-7) 5 Todas estas eram cidades fortificadas, com altos muros, portas e ferrolhos além de muitíssimas cidades da gente do campo. 6 Totalmente as destruímos, como fizemos a Seom, rei de Hesbom, fazendo perecer por completo em cada cidade os homens com as mulheres e os pequeninos. 7 Mas todo o gado, e o despojo das cidades, guardamo-los por presa para nós.

Bem, estavam matando pessoas iníquas. Decerto estavam livres da culpa de sangue, não estavam?? Afinal de contas estavam derramando sangue culpado, não é verdade??

Em relação a tomar as coisas pertencentes aos derrotados, ou seja, saquear os derrotados e usá-los para trabalhos forçados, que ação praticou Davi?? Que ação passou a tomar Davi contra os descendentes de Ló, um parente chegado de Abraão??

(1 Crônicas 20:1-3) 20 E sucedeu, aproximadamente no tempo da volta do ano, no tempo em que os reis fazem surtidas, que Joabe passou a chefiar a força combatente do exército e a arruinar a terra dos filhos de Amom, e passou a vir e a sitiar Rabá, enquanto Davi morava em Jerusalém; e Joabe prosseguiu, golpeando Rabá e derrubando-a. 2 Mas Davi tirou a coroa de Malcão da cabeça deste e achou-a de um talento de ouro em peso, e nela havia pedras preciosas; e ela veio a ficar na cabeça de Davi. E foi muito grande o despojo que tirou da cidade. 3 E tirou o povo que havia nela, e manteve-os ocupados em serrar pedras, e com ferramentas afiadas, e com machados; e Davi foi fazer assim a todas as cidades dos filhos de Amom. Por fim, Davi e todo o povo retornaram a Jerusalém.

Assim verte a Tradução Almeida:

(1 Crônicas 20:1-3) 1 Aconteceu pois que, na primavera, no tempo em que os reis costumam sair para a guerra, Joabe levou a flor do exército, e devastou a terra dos amonitas, e foi, e pôs cerco a Rabá; porém Davi ficou em Jerusalém. E Joabe bateu Rabá, e a destruiu.2 Tirando Davi a coroa da cabeça do rei deles, achou nela o peso dum talento de ouro, e havia nela pedras preciosas; e foi posta sobre a cabeça de Davi. E ele levou da cidade mui grande despojo. 3 Também fez sair o povo que estava nela e o fez trabalhar com serras, com trilhos de ferro e com machado, e assim fez Davi a todas as cidades dos amonitas. Então voltou Davi, com todo o povo, para Jerusalém.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(1 Crônicas 20:1-3) 1 Tendo decorrido um ano, ao tempo em que os reis costumam ir para a guerra, levou Joabe a flor do exército e devastou ao país dos filhos de Amom; veio e cercou a Rabá. Davi, porém, ficou em Jerusalém. Joabe bateu a Rabá e a destruiu. 2 Davi tirou a coroa da cabeça do rei deles, e achou nela o peso dum talento de ouro, e nela havia pedras preciosas; a coroa foi posta sobre a cabeça de Davi. Levou da cidade mui grande despojo. 3 Fez sair também o povo que nela estava, e mandou cortá-los com serras, com grades de ferro e com machados. Assim fez Davi a todas as cidades dos filhos de Amom, depois voltou com todo o povo para Jerusalém.



Do ponto de vista dos que matavam, eles estavam matando apenas pessoas culpadas de pecado, das quais o próprio Pai havia afirmado serem merecedoras de morte.

Obviamente, eles não se sentiam culpados do pecado de derramamento de sangue inocente.

Estavam derramando sangue humano, não estavam?? Bem, pelo menos nisto não há nenhuma dúvida.

Estavam saqueando os derrotados e escravizando-os??

Exatamente assim como seus antepassados, eles também não se sentiam culpados de derramamento de sangue inocente. Afinal de contas, eram pessoas que mereciam morrer.

No entanto, segundo a afirmação do Pai, o que estes que sabiam do estado de condenação dos cananeus deviam fazer??

Vamos ler de novo??



Falares para dissuadir. Dissuadir?? O que é dissuadir?? Como dissuadir?? Através da força??

DISSUADIR – Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): convencer a mudar de ideia.

dissuadir Datação: 1562

n verbo

bitransitivo e pronominal

convencer (alguém ou a si mesmo) a mudar de ideia, a abdicar de uma decisão; despersuadir(-se)

Exs.: o pai dissuadiu-a de entrar para o convento

dissuadiu-se de largar o emprego



Se você não mudar de ideia eu mato você e teus familiares” - Seria esta a forma de dissuadir os cananeus??

Como é que se convence alguém a mudar de ideia?? Aqueles que foram mortos pelos levitas logo após Moisés sair da presença de Jeová lá no monte, estavam sendo convencidos a mudar de ideia?? Que espécie de diálogo houve?? Que argumentos apresentou Moisés para estes homens deixarem de praticar aquele pecado??

Que argumentos foram apresentados para que os cananeus mudassem de ideia e passagem a agir de forma diferente da qual eles estavam agindo??

Para dissuadir uma pessoa precisamos nos importar muito com ela.

Convencer uma pessoa que ela está fazendo as coisas erradas é muito mais difícil do que usar de violência para ela parar de fazer o errado que ela estava fazendo. É necessário considerar a pessoa como sendo muito valiosa, para buscar convencê-la. Convencer exige muito mais tempo, paciência, tolerância, perdão e sabedoria. Decerto, os resultados posteriores não serão iguais, afinal, ela não foi plenamente convencida. Ela deixou de praticar algo apenas por medo de receber aquela punição anunciada.

O que está envolvido em convencer alguém??

CONVENCER – Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): persuadir por meio de razões ou argumentos bem fundados....

convencer Datação: 1369

n verbo

transitivo direto, intransitivo e pronominal

1 persuadir (alguém ou a si mesmo) a aceitar uma ideia ou admitir um fato, por meio de razões ou argumentos bem fundados

Exs.: tentou aliciá-la para o partido, mas não a convenceu

um advogado hábil quase sempre convence

só se convencerá com provas concretas

bitransitivo e pronominal

1.1 Derivação: por extensão de sentido.

fazer aceitar ou aceitar a realidade (de)

Exs.: a reação da amiga convenceu-o de sua amizade

ainda luta para se c. da morte do amigo

transitivo direto e intransitivo

2 envolver ou ser envolvente pela força dramática, pela trama, pela atuação dos protagonistas etc.; atrair

Exs.: a tragédia de Romeu e Julieta convence e comove o espectador

esse filme não convence



Para convencer alguém é necessário haver um “contínuo” diálogo com um objetivo específico.



Agora, observemos uma coisa incrível.

A casa de Israel já havia transgredido ao mandamento dado. Durante séculos, a casa de Israel estava transgredindo os mandamentos recebidos. O que Jeová fazia?? Durante todo este tempo Ele continuava tentando convencê-los a mudarem de proceder. Veja só o que o Pai falou.

Assim falou Jeová: (Jeremias 7:25-26) 25 desde o dia em que os vossos antepassados saíram da terra do Egito até o dia de hoje; e eu continuei a enviar-vos todos os meus servos, os profetas, diariamente levantando-me cedo e enviando-os. 26 Mas não me escutaram e não inclinaram seu ouvido, mas continuaram a endurecer sua cerviz. Agiram pior do que os seus antepassados!

Assim verte a Tradução Almeida: (Jeremias 7:25-26) 25 Desde o dia em que vossos pais saíram da terra do Egito, até hoje, tenho-vos enviado insistentemente todos os meus servos, os profetas, dia após dia; 26 contudo não me deram ouvidos, nem inclinaram os seus ouvidos, mas endureceram a sua cerviz. Fizeram pior do que seus pais.

Assim verte a Tradução Brasileira: (Jeremias 7:25-26) 25 Desde o dia em que vossos pais saíram da terra do Egito até o dia de hoje, tenho-vos enviado todos os meus servos, os profetas, levantando-me cedo cada dia e enviando-os. 26 Contudo não me escutaram, nem inclinaram os seus ouvidos, mas endureceram a sua cerviz: fizeram pior que seus pais.

Depois de tanto tempo, falando e falando, será que Jeová desistiu do iníquo, mesmo quando o iníquo que merecia o extermínio, já estava cativo em Babilônia??

Transmitindo a informação para Seu mensageiro em Babilônia, assim falou Jeová: (Ezequiel 18:30-31) 30 “‘Portanto, eu vos julgarei, a cada um segundo os seus caminhos, ó casa de Israel’, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová. ‘Retornai, sim, fazei um recuo de todas as vossas transgressões, e que nada se mostre para vós pedra de tropeço que induz ao erro. 31 Lançai de vós todas as vossas transgressões com as quais transgredistes e fazei para vós um novo coração e um novo espírito, pois, por que devíeis morrer, ó casa de Israel?’

Assim verte a Tradução Almeida:

(Ezequiel 18:30-31) 30 Portanto, eu vos julgarei, a cada um conforme os seus caminhos, ó casa de Israel, diz o Senhor Deus. Vinde, e convertei-vos de todas as vossas transgressões, para que a iniqüidade não vos leve à perdição. 31 Lançai de vós todas as vossas transgressões que cometestes contra mim; e criai em vós um coração novo e um espírito novo; pois, por que morrereis, ó casa de Israel,

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel 18:30-31) 30 Portanto vos julgarei, ó casa de Israel, cada um conforme os seus caminhos, diz o Senhor Jeová. Convertei-vos, e desviai-vos de todas as vossas transgressões; assim a iniqüidade não vos será pedra de tropeço. 31 Lançai de vós todas as vossas transgressões, com que transgredistes; e fazei-vos um coração novo e um espírito novo. Pois, por que morrereis, ó casa de Israel?

Neste caso, Jeová, o Pai, está servindo de exemplo para o mensageiro, permanecendo no seu objetivo de convencer o iníquo a recuar do seu mau caminho. Jeová estava mostrando na prática que Ele continuava usando sua palavra todo o tempo com o objetivo de fazer o iníquo recuar do seu mau caminho.

Que coisa incrível!! Jeová não desiste de salvar o iníquo.



Ficou bem claro que o profeta não devia ir contra o desejo do Pai em relação a um outro filho Seu, antes, este profeta devia compactuar com o desejo do Pai por sempre buscar convencer o iníquo a mudar de ideia.

Depois de convencido, o iníquo mudará suas ações e certamente irá convencer outro iníquo a também mudar de ideia.

Centenas de anos depois da morte de Ezequiel, um outro mensageiro repetiu as seguintes palavras que lhe foram faladas pelo Pai Celestial:

(Lucas 12:45-48) . . .Mas, se aquele escravo chegar a dizer no seu coração: ‘Meu amo demora em vir’, e principiar a espancar os servos e as servas, e a comer e beber, e ficar embriagado, 46 o amo daquele escravo virá num dia em que não [o] espera e numa hora que não sabe, e o punirá com a maior severidade e lhe determinará uma parte com os infiéis. 47 Então, aquele escravo, que entendeu a vontade de seu amo, mas não se aprontou, nem fez em harmonia com a sua vontade, será espancado com muitos golpes. 48 Mas aquele que não entendeu, e assim fez coisas que merecem golpes, será espancado com poucos. Deveras, de todo aquele a quem muito foi dado, muito se reclamará dele; e a quem encarregaram de muito, deste reclamarão mais do que o usual.



Assim verte a Tradução Almeida:

(Lucas 12:45-48) 45 Mas, se aquele servo disser em teu coração: O meu senhor tarda em vir; e começar a espancar os criados e as criadas, e a comer, a beber e a embriagar-se, 46 virá o senhor desse servo num dia em que não o espera, e numa hora de que não sabe, e cortá-lo-á pelo meio, e lhe dará a sua parte com os infiéis. 47 O servo que soube a vontade do seu senhor, e não se aprontou, nem fez conforme a sua vontade, será castigado com muitos açoites; 48 mas o que não a soube, e fez coisas que mereciam castigo, com poucos açoites será castigado. Daquele a quem muito é dado, muito se lhe requererá; e a quem muito é confiado, mais ainda se lhe pedirá.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Lucas 12:45-48) 45 Mas se aquele servo disser no seu coração: Meu senhor tarda em vir, e começar a espancar os criados e as criadas, a comer, a beber e a embriagar-se, 46 virá o senhor daquele servo no dia em que não o espera e na hora que ele não sabe, e o cortará pelo meio e lhe dará parte com os infiéis. 47 Aquele servo, que soube a vontade do seu senhor, e não se preparou, nem fez conforme a sua vontade, será castigado com muitos açoites; 48 aquele, porém, que não a soube, e fez coisas que mereciam castigos, será punido com poucos açoites. De todo aquele a quem muito é dado, muito será requerido; e daquele a quem muito é confiado, mais ainda lhe será exigido.

Em lugar de convencer os servos e servas acerca de seus pecados, o que começaram fazer alguns servos a quem se havia confiado muito?? Bem, acabando a paciência necessária àquele que busca convencer através da palavra falada, ele começou a usar a força. Ele começou a espancar os criados e as criadas, obviamente, desejosos que estes servos e servas cumprissem os mandamentos.

No entanto, estes servos que receberam mais informações que os demais, desperceberam as ações daquele que eles chamam de Mestre, isto é Jesus.

Durante todo o seu relacionamento direto com os iníquos, em que momento Jesus feriu alguém que realmente merecia??

O Mestre não revidou as palavras de inimizade, tampouco as ações de inimizade contra ele.

Suas palavras e ações inéditas para um humano, foram testemunhadas por seus doze apóstolos, demais discípulos e por toda aquela geração adoradora de Jeová, tanto os que agiam como amigos de Jesus, como os que agiam como inimigos dele.

As ações de Estêvão em relação aos iníquos que o matavam, foram copiadas do Mestre Jesus.

Estêvão não espancou. Estêvão foi espancado, aceitou ser espancado e, diante do Pai, ainda intercedeu favoravelmente em relação àqueles que o espancavam e matavam.

Será que era exatamente isto o que o Pai esperava de Moisés e dos demais mensageiros??

Quando Jesus estava sentado e comendo com os cobradores de impostos e os pecadores, o que ele estava fazendo??

Jesus estava convencendo estes homens a mudarem seus caminhos.

O que aconteceu no caso do chefe dos fariseus de nome Zaqueu??

(Lucas 19:5-10) 5 Chegando então Jesus ao lugar, olhou para cima e disse-lhe: “Zaqueu, apressa-te e desce, pois hoje tenho de ficar em tua casa.” 6 Com isso ele se apressou e desceu, e o recebeu com alegria como hóspede. 7 Mas, quando viram [isso], todos começaram a murmurar, dizendo: “Entrou para pousar com um homem que é pecador.” 8 Mas Zaqueu levantou-se e disse ao Senhor: “Eis que a metade dos meus bens, Senhor, dou aos pobres, e o que for que eu extorqui de qualquer um por meio de acusação falsa, eu restituo quatro vezes mais.” 9 A isto Jesus disse-lhe: “Neste dia entrou a salvação nesta casa, porque ele também é filho de Abraão. 10 Pois o Filho do homem veio buscar e salvar o que estava perdido.”



Assim verte a Tradução Almeida:

(Lucas 19:5-10) 5 Quando Jesus chegou àquele lugar, olhou para cima e disse-lhe: Zaqueu, desce depressa; porque importa que eu fique hoje em tua casa. 6 Desceu, pois, a toda a pressa, e o recebeu com alegria. 7 Ao verem isso, todos murmuravam, dizendo: Entrou para ser hóspede de um homem pecador. 8 Zaqueu, porém, levantando-se, disse ao Senhor: Eis aqui, Senhor, dou aos pobres metade dos meus bens; e se em alguma coisa tenho defraudado alguém, eu lho restituo quadruplicado. 9 Disse-lhe Jesus: Hoje veio a salvação a esta casa, porquanto também este é filho de Abraão. 10 Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Lucas 19:5-10) 5 Quando Jesus chegou àquele lugar, olhou para cima e disse-lhe: Zaqueu, desce depressa; porque importa que eu fique hoje em tua casa. 6 Ele desceu a toda a pressa e o recebeu com alegria. 7 Vendo isto, todos murmuravam, dizendo que ele tinha ido hospedar-se em casa de um pecador. 8 Zaqueu, levantando-se, disse a Jesus: Senhor, vou dar a metade dos meus bens aos pobres, e se em alguma coisa defraudei a alguém, lho restituirei quadruplicado. 9 Disse-lhe Jesus: Hoje entrou a salvação nesta casa, porquanto este também é filho de Abraão; 10 porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido.

No que falou Zaqueu?

  1. Vou dar a metade dos meus bens aos pobres.

  2. Se defraudei alguém, vou devolver.

No que falou Jesus??

  1. Hoje entrou salvação nesta casa.

  2. O filho do homem veio buscar e salvar o que estava perdido.

Dar a metade dos seus bens aos pobres já era alguma coisa não é mesmo?? Lembra-se da reação do rico que se sentia e que era tido como justo, quando foi convidado a dar seus bens aos pobres??

Em outra ocasião, que ilustração contou Jesus para aqueles que o criticavam por ele comer com os cobradores de impostos e demais apontados como pecadores que realmente eram??

(Lucas 15:1-7) 15 Todos os cobradores de impostos e pecadores chegavam-se então perto dele para o ouvirem. 2 Conseqüentemente, tanto os fariseus como os escribas murmuravam, dizendo: “Este homem acolhe pecadores e come com eles.” 3 Então lhes contou a seguinte ilustração, dizendo: 4Que homem dentre vós, com cem ovelhas, perdendo uma delas, não deixa as noventa e nove atrás no ermo e vai em busca da perdida, até a achar? 5 E quando a tiver achado, ele a põe sobre os seus ombros e se alegra. 6 E, ao chegar à casa, convoca seus amigos e seus vizinhos, dizendo-lhes: ‘Alegrai-vos comigo, porque achei a minha ovelha que estava perdida.’ 7 Eu vos digo que assim haverá mais alegria no céu por causa de um pecador que se arrepende, do que por causa de noventa e nove justos que não precisam de arrependimento.

Assim verte a Tradução Almeida:

(Lucas 15:1-7) 1 Ora, chegavam-se a ele todos os publicanos e pecadores para o ouvir. 2 E os fariseus e os escribas murmuravam, dizendo: Este recebe pecadores, e come com eles. 3 Então ele lhes propôs esta parábola: 4 Qual de vós é o homem que, possuindo cem ovelhas, e perdendo uma delas, não deixa as noventa e nove no deserto, e não vai após a perdida até que a encontre? 5 E achando-a, põe-na sobre os ombros, cheio de júbilo; 6 e chegando a casa, reúne os amigos e vizinhos e lhes diz: Alegrai-vos comigo, porque achei a minha ovelha que se havia perdido. 7 Digo-vos que assim haverá maior alegria no céu por um pecador que se arrepende, do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Lucas 15:1-7) 1 Aproximavam-se de Jesus todos os publicanos e pecadores para o ouvir. 2 Os fariseus e os escribas murmuravam: Este recebe pecadores e come com eles. 3 Jesus propôs-lhes esta parábola: 4 Qual de vós é o homem que, possuindo cem ovelhas e tendo perdido uma delas, não deixa as noventa e nove no deserto, e não vai em busca da que se havia perdido até achá-la? 5 Quando a tiver achado, põe-na cheio de júbilo sobre os seus ombros; 6 e chegando à casa, reúne os seus amigos e vizinhos e diz-lhes: Regozijai-vos comigo, porque achei a minha ovelha que se havia perdido. 7 Digo-vos que assim haverá maior júbilo no céu por um pecador que se arrepende, do que por noventa e nove justos, que não necessitam de arrependimento.

No que Jesus falou??

Jesus falou na alegria existente nos céus quando um pecador se arrepende, isto é, quando o iníquo recua do seu mau caminho.

Não resta nenhuma dúvida.

  1. O Pai tem o iníquo em alta estima.

  2. Jesus tinha o iníquo em alta estima.

  3. Jesus tinha um objetivo em mente, isto é, salvar a vida do iníquo.

  4. Os sacerdotes e os fariseus não tinham o iníquo em alta estima.

  5. Os sacerdotes e os fariseus não tinham o objetivo de salvar a vida do pecador.

  6. O Pai alegra-se quando o iníquo recua do seu mau caminho.

  7. O objetivo do Pai é salvar a vida do iníquo.

  8. O prazer do Pai é ver o iníquo admitir seu erro e mudar de caminho.

  9. O iníquo precisa ser convencido a mudar seus caminhos.

  10. Para convencer o iníquo é preciso falar com ele.

  11. Para falar com ele é necessário estar bem perto dele.

  12. Só se esforçará para convencer o iníquo a mudar de caminho, aquele que tem o iníquo em alta estima.




Topo desta página