DESIGUALDADE GARANTIDA EM LEI NO REINO DE ISRAEL

Criada em 07 de outubro de 2012 Última alteração em 10/07/15 às 16 : 00





DIFERENÇAS ENTRE A IGUALDADE DE JEOVÁ E A IGUALDADE HUMANA



Palavras de Jeová para seu mensageiro Isaías, mensageiro este que foi escolhido muito tempo depois de Moisés: (Isaías 55:8-9) 8 Pois os vossos pensamentos não são os meus pensamentos, nem os meus caminhos, os vossos caminhos, é a pronunciação de Jeová. 9 Porque assim como os céus são mais altos do que a terra, assim os meus caminhos são mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos, do que os vossos pensamentos.


Assim verte a Tradução Brasileira: (Isaías 55:8-9) 8 Pois os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos são os meus caminhos, diz Jeová. 9 Assim como os céus são mais altos do que a terra, assim os meus caminhos são mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos do que os vossos pensamentos.


Assim verte a Tradução Almeida: (Isaías 55:8-9) 8 Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor. 9 Porque, assim como o céu é mais alto do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos.


PENSAMENTOEsta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss):“11 conjunto de ideias de uma pessoa, de uma escola, de um povo, de uma raça ou de uma época” ....

pensamento

s.m. (sXIII) 1 ato ou efeito de pensar 2 aquilo que se pensa <é impossível adivinhar seus p.> 3 faculdade que tem como objetivo o conhecimento; inteligência <a linguagem é uma das formas de expressão do p.> 4 natureza, grau ou nível dessa faculdade <p. abstrato> 5 maneira de pensar, de julgar; opinião, ponto de vista <falou francamente, sem disfarçar seu p.> 6 faculdade de fantasiar, de imaginar <em p. conhecia lugares onde nunca esteve> 7 observação que resulta de reflexão; meditação <vivia mergulhado nos seus p.> 8 representação mental de algo concreto e objetivo; ideia <esse p. jamais me passou pela cabeça> 9 sentimento de responsabilidade; cuidado, preocupação <a saúde da mãe é um foco permanente do p. da filha> 10 sentença que, em poucas palavras, explicita regra ou princípio de alcance moral; máxima, provérbio <gostava de p. populares> 11 conjunto de ideias de uma pessoa, de uma escola, de um povo, de uma raça ou de uma época <p. de um fisósofo> 12 tema central de uma obra <o p. daquele romance é de fácil compreensão> 13 fil atividade cognitiva, racional; conhecimento por conceitos etim pensar + -mento sin/var ver sinonímia de julgamento hom pensamento(fl.pensamentar)


DESIGUALDADEEsta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): estado no qual as pessoas não são iguais entre si


desigualdade Datação: sXV

n substantivo feminino

1 caráter, estado de coisas ou pessoas que não são iguais entre si; dessemelhança, diferença

Ex.: d. de alturas

2 ausência de proporção, de equilíbrio

Ex.: d. de idade, de forças

3 falta de uniformidade, de regularidade

Ex.: d. de um terreno

4 falta de constância, de continuidade

Ex.: d. de humor

5 Rubrica: matemática.

expressão em que se comparam duas quantidades desiguais



Vamos analisar os pensamentos de Jeová em relação ao Seu conceito de igualdade em comparação com o conceito humano para encontramos esta diferença.


Em primeiro lugar vamos analisar as palavras, isto é, o conceito, para depois compararmos as ações, que são os frutos de cada conceito.


O conceito de Deus é revelado nos seus mandamentos dados ao humano, para que este viva o seu dia a dia por eles.


Por exemplo, vejamos o conceito humano sobre o relacionamento do dia a dia entre pessoas que formam um grupo. Falemos sobre amigos.



Qual é a definição de Amigo??

AMIGO – Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): …. cuja expectativa é favorável.....


amigo

adj. (sXIII) 1 que ama, que demonstra afeto, amizade <gente a.> <cão a.> 2 em que há amizade, benevolência; amical <conversação a.> <gesto a.> 3 cuja expectativa é favorável; benigno, propício <ocasião a.> n adj.s.m. 4 que ou aquele que é ligado a outro(s) por laços de amizade <ninguém era tão a. como ele> <tinha poucos a.> 5 que ou aquele que nutre admiração (por alguém ou algo); apreciador, amante 6 que ou o que ampara, defende 7 que ou o que mantém relações amistosas com outro(s) [diz-se esp. de povo, nação, país] n s.m. 8 infrm. amante, amásio 9 infrm. pessoa que é dada a algum hábito ou vício <a. de viagens> <a. da bebida> 10 infrm. us. como interlocutório pessoal a. da onça infrm. amigo falso, hipócrita, infiel; amigo-urso • a. de seu(s) amigo(s) aquele que se comporta como verdadeiro amigo • a. do alheio euf. ladrão • a. do peito amigo íntimo; principal amigo • a. oculto B cada um dos participantes do amigo-oculto gram a) aum.irreg.: amigaço, amigalhaço; b) nas acp. adj., sup.abs.sint.: amicíssimo, amiguíssimo etim lat. amícus,i 'id.' sin/var ver antonímia de adversário, malcriado e malvado ant inimigo; ver tb. sinonímia de adversário, malcriado e malvado col patota, tertúlia, turma hom amigo(fl.amigar)


Bem, e qual é a definição de Inimigo??

INIMIGO – Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): “...indivíduo que tem ódio a outro, ou que lhe é antagônico, hostil...”; “adversário”


inimigo

adj. (1188-1230) 1 que se encontra em oposição, se mostra hostil; contrário, funesto, adverso <sorte i.> 2 que milita em campo contrário <forças i.> 3 relativo ou pertencente a grupo oposto <bandeira i.> n s.m. 4 indivíduo que tem ódio a outro, ou que lhe é antagônico, hostil <seu mais ferrenho i. é o irmão> 5 adversário militar (nação, força armada, unidade de combate) <o i. assediava a capital> 6 dir.int.púb cidadão do país beligerante 7 p.ext. adversário político, ideológico, religioso etc. <os dois deputados são velhos i.> 8 p.ext. aquele que sente aversão por ou é avesso a algo <i. das formalidades> 9 p.ext. aquilo que se opõe a algo <a pressa é i. da perfeição> 10 p.ext. infrm. o diabo i. alugado CE pessoa a quem se mata a mando de outrem • i. jurado inimigo declarado, que não se oculta ou dissimula • i. público indivíduo que se constitui em ameaça à ordem social gram nas acp. adj., sup.abs.sint.: inimicíssimo etim lat. inimícus,a,um 'inimigo, hostil, contrário etc.' sin/var como adj.: ver antonímia de favorável; como adj. e subst.: ver sinonímia de adversário; como subst.: ver sinonímia de diabo ant amigo; como adj.: ver sinonímia de favorável; como adj. e subst.: ver antonímia de adversário

O que podemos notar nesta relação entre amigos e inimigos??

Nota-se claramente que a relação amigo e inimigo é uma relação baseada na parcialidade.

O que é parcialidade??

PARCIALIDADEEsta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): qualidade de quem é parcial.

parcialidade

s.f. (1521-1558) 1 qualidade de quem ou do que é parcial; parcialismo 2 grupo partidário de uma mesma causa; partido, facção etim parcial + -i- + -dade ant imparcialidade

Ser parcial – o que é isto??

PARCIALEsta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): que toma partido.... sem que importe a justiça ou a verdade....

parcial

adj.2g. (sXV) 1 que faz parte de um todo 2 que existe ou se realiza em partes <vitória p.> <contagem p.> <resultado p.> 3 que toma partido a favor ou contra uma pessoa, uma facção etc., sem que importe a justiça ou a verdade; injusto, partidário <juiz p.> etim lat.tar. partiális,e 'id.', de pars,tis 'parte, porção' sin/var ver antonímia de completo ant global, imparcial; ver tb. sinonímia de completo


Não resta qualquer dúvida, a relação “amigos & inimigos” mostra ser uma relação baseada na parcialidade.


Será que Jeová era “amigo” do povo israelita?? O que o registro histórico revela?? Será que Jeová via os israelitas como Seus amigos??

Então vejamos um dos mandamentos dados por Jeová para o seu mensageiro Moisés:Neste reino, tanto o natural quanto o estrangeiro devem se comportar do mesmo modo. (Levítico 17:13-16) 13 “‘Quanto a qualquer homem dos filhos de Israel ou algum RESIDENTE FORASTEIRO que reside no vosso meio, que caçando apanhe um animal selvático ou uma ave que se possa comer, neste caso tem de derramar seu sangue e cobri-lo com pó. 14 Pois a alma de todo tipo de carne é seu sangue pela alma nele. Por conseguinte, eu disse aos filhos de Israel:Não deveis comer o sangue de qualquer tipo de carne, porque a alma de todo tipo de carne é seu sangue. Quem o comer será decepado [da vida].15 Quanto a QUALQUER ALMA que comer um corpo [já] morto ou algo dilacerado por uma fera, QUER seja natural QUER RESIDENTE FORASTEIRO, neste caso terá de lavar suas vestes e banhar-se em água, e ele terá de ser impuro até à noitinha; e ele terá de ser limpo. 16 Mas, se não as lavar e se não banhar sua carne, então terá de responder pelo seu erro.’”

De forma adicional e plenamente coerente, assim falou Jeová, o Pai: (Êxodo 22:31) 31 E deveis mostrar-vos homens santos para mim; e não deveis comer no campo carne que seja algo dilacerado por uma fera. DEVEIS LANÇÁ-LA AOS CÃES.

Assim verte a Tradução Almeida: (Êxodo 22:31) 31 Ser-me-eis homens santos; portanto não comereis carne que por feras tenha sido despedaçada no campo; aos cães a lançareis.

AGORA VEJAMOS O CONCEITO HUMANO, O PENSAMENTO HUMANO E O MANDAMENTO HUMANO.

Em relação a este assunto, este foi o mandamento dado por Moisés ao povo: (Deuteronômio 14:21) 21Não deveis comer nenhum corpo [já] morto. Podes dá-lo ao residente forasteiro que está dentro dos teus portões, e ele tem de comê-lo; ou pode ser vendido a um estrangeiro, porque és um povo santo para Jeová, teu Deus.Não deves cozinhar o cabritinho no leite de sua mãe.

Assim verte a Tradução Brasileira: (Deuteronômio 14:21) 21 Não comereis a carne de um animal que morre por si. Poderás dá-la ao peregrino que está das tuas portas para dentro, para que a coma, ou poderás vendê-la ao estrangeiro; porque és povo santo a Jeová teu Deus. Não cozerás o cabrito no leite de sua mãe.


Houve uma desvalorização do estrangeiro, não houve??

Sim, a desvalorização é clara e evidente.


Embora o mandamento seja parecido, É INCRÍVEL A DIFERENÇA DOS CONCEITOS, NÃO É VERDADE??

Um mandamento obedece ao princípio da igualdade enquanto o outro obedece ao princípio da desigualdade. Foi adicionado uma dose de parcialidade, não foi??

Estavam os estrangeiros sendo tratados com a mesma estima com que eram tratados os naturais??

Estavam os estrangeiros recebendo o mesmo valor que era dado ao natural??


Não estava Jeová revelando o Seu conceito de igualdade?? Não estava Jeová revelando como a igualdade devia ser vivida de forma prática, no dia a dia entre o povo escolhido e os outros povos, isto é, estrangeiros que fossem habitantes ou que fossem turistas???

Bem, qual foi o mandamento praticado no dia a dia do povo israelita em relação a seus estrangeiros?? Será que os estrangeiros passaram a ser vistos como os “cães” a quem este tipo de carne devia ser lançada??

Segundo este mandamento dado por Moisés, o estrangeiro devia ser respeitado e tratado como um igual??

Porque és um povo santo para Deus, no entanto, eles.......


OUTRO DETALHE DO RELACIONAMENTO HUMANO ENVOLVENDO IGUALDADE. NÃO DESVALORIZE O ESTRANGEIRO.

Vejamos primeiro o pensamento de Jeová, o conceito de Jeová e o mandamento de Jeová: (Levítico 19:33-34) 33 “‘E caso um residente forasteiro resida contigo no vosso país, não deveis maltratá-lo. 34 O residente forasteiro que reside convosco deve tornar-se para vós como o vosso natural; tens de amá-lo como a ti mesmo, pois vos tornastes residentes forasteiros na terra do Egito. Eu sou Jeová, vosso Deus.

Assim verte a Tradução Brasileira: (Levítico 19:33-34) 33 Se um estrangeiro peregrinar convosco na vossa terra, não lhe fareis mal. 34 COMO O NATURAL ENTRE VÓS SERÁ O ESTRANGEIRO QUE PEREGRINA CONVOSCO, E AMÁ-LO-ÁS COMO A TI MESMO; porque fostes estrangeiros na terra do Egito: eu sou Jeová vosso Deus.

Assim verte a Tradução Almeida: (Levítico 19:33-34) 33 Quando um estrangeiro peregrinar convosco na vossa terra, não o maltratareis. 34 COMO UM NATURAL ENTRE VÓS SERÁ O ESTRANGEIRO QUE PEREGRINAR CONVOSCO; AMÁ-LO-EIS como a vós mesmos; pois estrangeiros fostes na terra do Egito. Eu sou o Senhor vosso Deus.

O pensamento de Jeová é bem claro, não é??


Como você deve tratar um estrangeiro??


Como alguém inferior??

Como alguém superior??

Como alguém igual??


Pode ainda haver alguma dúvida sobre a como deveria ser o relacionamento do servo do Deus Altíssimo para com os demais estrangeiros????


Sendo estrangeiros na terra do Egito, que tratamento receberam?? Como foram tratados?? Foram tratados como iguais ou como inferiores?? Foram valorizados ou foram desvalorizados?? Tinham eles os mesmos direitos que os egípcios ou eles eram os escravos dos egípcios para todos os tipos de serviços compulsórios?? Mesmo valor ou valores diferentes?? Mesma estima ou estima diferente?? Foram os israelitas amados pelos egípcios?? Se foram amados, com que espécie de amor??


Vamos agora ver um exemplo prático, uma coisa do dia a dia, no relacionamento do servo do Deus Altíssimo com os estrangeiros dentro do reino de Israel.


Emprestar dinheiro ou qualquer coisa de que se possa cobrar juros, inclusive semente, safras, grãos, alimento de forma geral, etc,...


O mandamento do Pai Celestial mostra ser coerente.

(Êxodo 22:25) 25 Se emprestares dinheiro ao meu povo, ao atribulado ao teu lado, não deves tornar-te como agiota para ele. NÃO LHE DEVES IMPOR JUROS.

Assim verte a Tradução Brasileira: (Êxodo 22:25) 25 Se emprestares dinheiro a algum pobre dentre o meu povo que está contigo, não lhe serás como credor; nem lhe exigirás juros.

Assim verte a Tradução Almeida: (Êxodo 22:25) 25 Se emprestares dinheiro ao meu povo, ao pobre que está contigo, não te haverás com ele como credor; não lhe imporás juros.

Não lhe sejas como credor??

CREDOREsta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): Aquele a quem se deve. Que ou aquele que é beneficiário em vantagens...

credor

\ô\ adj.s.m. (sXV) 1 jur a quem ou a que se deve dinheiro ou qualquer outro valor (diz-se de pessoa física ou jurídica) 2 que ou aquele que é beneficiário em vantagens, compensações, considerações 3 que ou o que é digno, merecedor F f. geral não pref.: acredor c. ordinário jur m.q. credor quirográficoc. pignoratício jur o que conta com o penhor, em seu benefício, de objetos móveis • c. quirográfico jur aquele cujo crédito não goza de qualquer privilégio; credor ordinário etim lat. credìtor,óris 'pessoa a quem se deve' > crededor > credor sin/var como adj.: ver sinonímia de merecedor ant devedor; como adj.: ver antonímia de merecedor


É muito interessante o uso desta palavra (credor). Neste caso, aquele que empresta não deveria ver a outra pessoa como um devedor. Este é um ângulo bem interessante no relacionamento entre humanos. Com esta expressão é dada uma profundidade bem maior na questão do empréstimo, pois aquele que empresta não impõe ao outro a devolução daquilo que ele emprestou. Trata-se de algo que não é praticado pelos humanos no relacionamento do dia a dia, pois os humanos consideram tal forma de vida como utópica em face dos interesses individuais em relação a coisas estocadas. O sentimento de posse fala alto, não fala??

O mais interessante é que as palavras de Jesus transmitem o mesmo tipo de informação.

Note as palavras de Jesus conforme retransmitida por Lucas:

(Lucas 6:34-35) 34 Também, se emprestardes [sem juros] àqueles de quem esperais receber, de que mérito é isso para vós? Até mesmo pecadores emprestam [sem juros] a pecadores, para receberem de volta o mesmo. 35 Ao contrário, continuai a amar os vossos inimigos e a fazer o bem, e a emprestar [sem juros], não esperando nada de volta; e a vossa recompensa será grande, e sereis filhos do Altíssimo, porque ele é benigno para com os ingratos e os iníquos.

Assim verte a Tradução Almeida:

(Lucas 6:34-35) 34 E se emprestardes àqueles de quem esperais receber, que mérito há nisso? Também os pecadores emprestam aos pecadores, para receberem outro tanto. 35 Amai, porém a vossos inimigos, fazei bem e emprestai, nunca desanimado; e grande será a vossa recompensa, e sereis filhos do Altíssimo; porque ele é benigno até para com os integrantes e maus.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Lucas 6:34-35) 34 Se emprestardes àqueles de quem esperais receber, que mereceis? até os pecadores emprestam aos pecadores, para receberem outro tanto. 35 Amai, porém, os vossos inimigos, fazei o bem e emprestai, nunca desanimando; será grande a vossa recompensa, e sereis filhos do Altíssimo. Pois ele é benigno para com os ingratos e maus.

Este sentimento de “desapegoa coisas físicas foi sintetizado nesta outra afirmação de Jesus, segundo Lucas:

(Lucas 6:30) 30 Dá a todo o que te pedir, e daquele que te tirar tuas coisas, não [as] peças de volta.

Assim verte a Tradução Almeida:

(Lucas 6:30) 30 Dá a todo o que te pedir; e ao que tomar o que é teu, não lho reclames.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Lucas 6:30) 30 Dá a todo o que te pede; e ao que tira o que é teu, não lho reclames.

Este interessante desapego foi chamado a atenção por Jesus. Certamente tratava-se de algo totalmente contrário ao sentimento do humano no seu relacionamento do dia a dia com o seu próximo.

De qualquer forma, o que ficou bem claro é que o ato de cobrar juros sempre foi tido por Jeová como um pecado, como uma coisa detestável, como algo abominável. A pessoa recebe mais do que emprestou, ou seja, ela pratica o lucro em cima daquele que pede ajuda..

Alguém que tivesse dúvida sobre como proceder com um estrangeiro no caso deste estrangeiro precisar de empréstimo, poderia questionar: Devo tratá-lo como eu trato o natural?? Geralmente é o pobre que precisa de empréstimo. Será que havia diferença entre o pobre israelita, o pobre hitita, o pobre jebuseu, o pobre cananeu, o pobre ninivita ou o pobre egípcio??

Bem, para não deixar qualquer dúvida em relação a este assunto, O Pai criou este interessante mandamento e o deu para Seu servo:

Não cobre juros do estrangeiro e não cobre juros do naturaleste é o mandamento. (Levítico 25:35-38) 35 “‘E caso teu irmão fique pobre e assim esteja financeiramente fraco ao teu lado, então TENS DE AMPARÁ-LO. Como residente forasteiro e colono tem de ficar vivo contigo. 36 NÃO COBRES DELE JUROS E USURA, mas tens de ter temor de teu Deus; e teu irmão tem de ficar vivo contigo. 37 Não deves dar-lhe teu dinheiro [cobrando] juros e não deves dar teu alimento por usura. 38 Eu sou Jeová, vosso Deus, que vos fiz sair da terra do Egito para dar-vos a terra de Canaã, para mostrar-me vosso Deus.

Assim verte a Tradução Brasileira: (Levítico 25:35-38) 35 Se teu irmão se tornar pobre e as suas mãos se enfraquecerem junto a ti, SUSTENTÁ-LO-ÁS. Ele viverá contigo como estrangeiro e peregrino. 36 NÃO RECEBERÁS DELE USURA NEM GANHO; mas temerás o teu Deus, para que teu irmão viva contigo. 37 Não lhe darás o teu dinheiro a usura, nem lhe darás os teus víveres por amor de lucro. 38 Eu sou Jeová vosso Deus, que vos tirei da terra do Egito, para vos dar a terra de Canaã, para ser o vosso Deus.

Assim verte a Tradução Almeida: (Levítico 25:35-38) 35 Também, se teu irmão empobrecer ao teu lado, e lhe enfraquecerem as mãos, SUSTENTÁ-LO-ÁS; como estrangeiro e peregrino viverá contigo. 36 NÃO TOMARÁS DELE JUROS NEM GANHO, mas temerás o teu Deus, para que teu irmão viva contigo. 37 Não lhe darás teu dinheiro a juros, nem os teus víveres por lucro. 38 Eu sou o Senhor vosso Deus, que vos tirei da terra do Egito, para vos dar a terra de Canaã, para ser o vosso Deus.

Note bem as palavras do Pai:

TRATE O TEU IRMÃO POBRE COMO SE ELE FOSSE UM ESTRANGEIRO.


Alguma dúvida???


Você deve receber juros do teu irmão que ficar pobre?? Não.

Você deve receber juros do estrangeiro??? Não.


Você deve tratar o teu irmão que ficou pobre com o MESMO tratamento que você deve dar ao estrangeiro.


O que fazer?? Não cobre juros dele. Não tire vantagem da condição dele.


Não cobre juros do teu irmão que ficar pobre, pois nesta condição ele se equivale a um estrangeiro. Meu irmão israelita que ficar pobre deve receber de mim o mesmo tratamento que eu devo dar a um estrangeiro?? A resposta dada por Jeová é bem clara, não é??


Desta forma, o Pai manifestou o Seu conceito sobre a igualdade que devia permear o dia a dia do Seu servo, estivesse ele residindo nos territórios do reino ou fora dele.


Alguma dúvida em relação a se deve ou não deve cobrar juros do estrangeiro????


AGORA VEJAMOS O CONCEITO HUMANO, O PENSAMENTO HUMANO E O MANDAMENTO HUMANO.


Dentro do reino de Deus, um tratamento desigual dado pelo servo de Deus aos demais humanos. Este tratamento desigual foi transformado em mandamento.

(Deuteronômio 23:19-20) 19Não deves fazer teu irmão pagar juros, juros sobre dinheiro, juros sobre mantimentos, juros sobre qualquer coisa pela qual se possam cobrar juros. 20 PODES FAZER O ESTRANGEIRO PAGAR JUROS, mas não deves fazer teu irmão pagar juros, para que Jeová, teu Deus, te abençoe em todo empreendimento teu na terra à qual vais para tomar posse dela.

A Tradução Brasileira assim verte: (Deuteronômio 23:19) 19 Não exigirás de teu irmão juros, nem de dinheiro, nem de comida, nem de coisa alguma por que se exigem juros. 20 De um estrangeiro poderás exigir juros; porém de teu irmão não os exigirás, para que Jeová teu Deus te abençoe em todas as coisas em que puseres a mão, na terra em que tu estás entrando para a possuíres.


Assim verte a Tradução Almeida: (Deuteronômio 23:19) 19 Do teu irmão não exigirás juros; nem de dinheiro, nem de comida, nem de qualquer outra coisa que se empresta a juros. 20 Do estrangeiro poderás exigir juros; porém do teu irmão não os exigirás, para que o Senhor teu Deus te abençoe em tudo a que puseres a mão, na terra à qual vais para a possuíres.


O que este mandamento dado por Moisés afirma de forma bem clara?? Você está autorizado a cobrar juros do estrangeiro, pois ele não é um dos nossos. Podes tirar vantagem da situação do estrangeiro, afinal de contas, ele não é um dos nossos. Jeová não vai deixar de te abençoar se você cobrar juros dos estrangeiros. Não se revela de forma prática a desvalorização do estrangeiro?? Este mandamento recebeu uma pitada de parcialidade, não recebeu??

Esta frase abaixo mostra ser um pensamento de Deus, ou seja, um pensamento de igualdade.


Os estrangeiros deviam ser tratados segundo o conceito de igualdade fornecido pelo Pai.

Dentro deste reino, os estrangeiros são respeitados; eles são tratados como iguais aos cidadãos do reino.

(Levítico 24:22) 22 “‘Uma decisão judicial deve ser válida para vós. O RESIDENTE FORASTEIRO DEVE MOSTRAR SER IGUAL AO NATURAL, PORQUE EU SOU JEOVÁ, VOSSO DEUS.’”


Aquilo que for a ofensa para um também será para o outro. Aquilo que for pecado para um também será para outro. Esta afirmação do Pai se baseia na imparcialidade, não é verdade??


Bem, vamos analisar um outro mandamento deste reino. Será que este mandamento passaria no teste de igualdade??

Este é o mandamento:

(Deuteronômio 15:1-3) 15Ao fim de cada sete anos deves fazer uma remissão. 2 E esta é a maneira da remissão: haverá remissão, da parte de cada credor, da dívida em que porventura deixou seu próximo incorrer. Não deve apertar seu próximo ou seu irmão quanto ao pagamento, pois tem de se proclamar uma remissão para Jeová. 3 Ao estrangeiro podes apertar quanto ao pagamento; mas remita a tua mão tudo o que for teu, que estiver com o teu irmão. . .


Assim verte a Tradução Almeida:

(Deuteronômio 15:1-3) 1 Ao fim de cada sete anos farás remissão. 2 E este é o modo da remissão: todo credor remitirá o que tiver emprestado ao seu próximo; não o exigirá do seu próximo ou do seu irmão, pois a remissão do Senhor é apregoada. 3 Do estrangeiro poderás exigi-lo; mas o que é teu e estiver em poder de teu irmão, a tua mão o remitirá.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Deuteronômio 15:1-3) 1 No fim de cada sete anos farás a remissão. 2 Este é o modo da remissão: todo o credor remitirá o que tem emprestado ao seu próximo; não o exigirá do seu próximo e do seu patrício; por se ter proclamada a remissão de Jeová. 3 Do estrangeiro poderás exigi-lo; porém tudo o que é teu que estiver no poder do teu patrício, remita-o a tua mão.

Bem, o que é remissão??


REMISSÃOEsta é definição dada por certo dicionário (Houaiss): ação de remitir, de perdoar.


remissão Datação: sXIII

n substantivo feminino

1 ação de remitir, de perdoar

Ex.: a r. da pena deveu-se a influências políticas

2 sentimento de misericórdia, de indulgência; compaixão

3 perdão dos pecados concedido pela Igreja

4 ausência de ação, de energia; frouxidão

Ex.: a derrota deveu-se à r. da cavalaria

5 intervalo entre a cessação e o reinício de alguma coisa; intermissão

6 alívio, consolo,

Ex.: sem a r. daquela ausência, continuava só e infeliz

7 enfraquecimento, diminuição ou atenuação temporária dos sintomas de uma doença

8 ação ou efeito de remeter, de encaminhar a um determinado ponto

Ex.: acompanhava com cuidado as r. do dicionário



Neste caso, este mandamento trata do perdão dado para todas as dívidas financeiras acumuladas em um período de sete anos.


Este mandamento tem por base o conceito de igualdade ou o conceito de desigualdade?? Este mandamento recebeu uma pitada de parcialidade, não recebeu??

O estrangeiro não deve receber o mesmo tratamento dado a teu irmão. Neste caso, ficou bem claro que o estrangeiro não é igual ao irmão. Novamente, o estrangeiro está sendo desvalorizado, não está??


Tratar a todos como iguais - Conhecemos este princípio como isonomia.


ISONOMIAEsta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): princípio geral do direito segundo o qual todos são IGUAIS perante a lei, não devendo ser feita nenhuma distinção entre pessoas que se encontram na mesma situação.


isonomia Datação: 1858

n substantivo feminino

1 estado dos que são governados pelas mesmas leis

2 Rubrica: termo jurídico.

princípio geral do direito segundo o qual todos são iguais perante a lei; não devendo ser feita nenhuma distinção entre pessoas que se encontrem na mesma situação

3 Rubrica: mineralogia.

estado dos cristais que são construídos segundo a mesma lei



A palavra falada por Jeová é bem clara: “O natural e o estrangeiro são iguais diante de Mim, ou seja, diante da Minha lei”.

Tratava-se de uma lei baseada na IMPARCIALIDADE, não é verdade??


Bem, estes humanos repetiram esta palavra falada por Jeová em outra ocasião. Pelo menos nesta ocasião o estrangeiro era igual ao natural diante da lei.


(Levítico 24:15-16) 15 E deves falar aos filhos de Israel, dizendo: ‘Caso algum homem invoque o mal sobre o seu Deus, então tem de responder pelo seu pecado. 16 Assim, quem maldisser o nome de Jeová, sem falta deve ser morto. A assembléia inteira deve sem falta atirar pedras nele. O residente forasteiro, igual ao natural, deve ser morto por maldizer o Nome.. . .


Assim verte a Tradução Almeida:

(Levítico 24:15-16) 15 E dirás aos filhos de Israel: Todo homem que amaldiçoar o seu Deus, levará sobre si o seu pecado. 16 E aquele que blasfemar o nome do Senhor, certamente será morto; toda a congregação certamente o apedrejará. Tanto o estrangeiro como o natural, que blasfemar o nome do Senhor, será morto.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Levítico 24:15-16) 15 Dirás aos filhos de Israel: Todo o homem que amaldiçoar ao seu Deus, levará sobre si o seu pecado. 16 Aquele que blasfemar o nome de Jeová certamente será morto; toda a congregação o apedrejará. Será morto tanto o estrangeiro como o natural, quando blasfemar o Nome.

Neste momento, o estrangeiro recebia o mesmo tratamento dentro do reino, no entanto, na hora do perdão das dívidas financeiras, o estrangeiro não recebia o mesmo tratamento dado ao natural. Neste momento, ou seja, no momento de receber o perdão da dívida financeira, o estrangeiro não era igual ao natural. Uma lei no reino determinava a existência e a prática da parcialidade.


Na hora dos benefícios, os estrangeiros não eram iguais aos naturais. Na hora da aplicação de penalidade, o estrangeiro era igual ao natural.


O natural não devia ser escravizado, mas os estrangeiros podiam ser escravizados. Neste caso, de forma pratica, revela-se que o estrangeiro não tinha o mesmo valor que o natural. No reino de Israel o estrangeiro era desvalorizado.

(Levítico 25:42-46) 42 Pois, são os meus escravos que fiz sair da terra do Egito. Não se devem vender assim como se vende um escravo. 43 Não deves espezinhá-lo com tirania e tens de ter temor de teu Deus. 44 Quanto a teu escravo ou tua escrava que se tornam teus dentre as nações que há em volta de vós, delas podeis comprar um escravo ou uma escrava. 45 E também dos filhos dos colonos que residem convosco como forasteiros podeis comprar deles e das suas famílias que estão convosco, que lhes nasceram na vossa terra; e eles têm de tornar-se vossa propriedade. 46 E tendes de transmiti-los como herança aos vossos filhos depois de vós, para [os] herdarem como propriedade por tempo indefinido. Podeis usá-los como trabalhadores, mas vossos irmãos, os filhos de Israel, não deves espezinhar, um ao outro, com tirania.


Assim verte a Tradução Almeida:

(Levítico 25:42-46) 42 Porque são meus servos, que tirei da terra do Egito; não serão vendidos como escravos. 43 Não dominarás sobre ele com rigor, mas temerás o teu Deus. 44 E quanto aos escravos ou às escravas que chegares a possuir, das nações que estiverem ao redor de vós, delas é que os comprareis. 45 Também os comprareis dentre os filhos dos estrangeiros que peregrinarem entre vós, tanto dentre esses como dentre as suas famílias que estiverem convosco, que tiverem eles gerado na vossa terra; e vos serão por possessão. 46 E deixá-los-eis por herança aos vossos filhos depois de vós, para os herdarem como possessão; desses tomareis os vossos escravos para sempre; mas sobre vossos irmãos, os filhos de Israel, não dominareis com rigor, uns sobre os outros.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Levítico 25:42-46) 42 Porque são meus servos, que tirei da terra do Egito; não serão vendidos como escravos. 43 Não dominarás sobre ele com rigor, mas temerás o teu Deus. 44 Quanto aos escravos, e às escravas que tiveres: das nações que estão ao redor de vós, delas comprareis escravos e escravas. 45 Também dos filhos dos estrangeiros que peregrinam entre vós, deles os comprareis, e bem assim das suas famílias que estão convosco, as quais eles geraram na vossa terra; e serão a vossa possessão. 46 Deixá-los-eis por herança a vossos filhos depois de vós, para terem como possessão; desses tomareis os vossos escravos para sempre, mas sobre vossos irmãos, os filhos de Israel, não dominareis com rigor, uns sobre os outros.

Ora, ora, outra pitada de parcialidade???


Ele é meu escravo e eu posso dá-lo a meu filho, que por sua vez dará o filho do escravo para o meu neto.

Ora, estes homens eram escravocratas?? Estes homens tinham outros homens como suas propriedades??

A história do dia a dia destes humanos dá o seu impessoal depoimento.


ESCRAVOCRATAS – Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): partidário da escravidão


escravocrata Datação: 1887

n adjetivo de dois gêneros

1 em que ocorre escravidão

Ex.: nações e.


n adjetivo de dois gêneros e substantivo de dois gêneros

2 que ou o que é partidário da escravidão; escravista



ESCRAVIDÃO – Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): condição de escravo; sistema socioeconômico baseado na escravização de pessoas.


escravidão Datação: 1671

n substantivo feminino

1 condição de escravo; servidão, cativeiro, escravaria, escravatura

Ex.: a e. humilha os seres humanos

2 sistema socioeconômico baseado na escravização de pessoas; escravismo, escravagismo, escravatura

3 sujeição a uma autoridade despótica

Ex.: a e. do povo hebreu no Egito

4 Derivação: por metáfora.

condição de quem se acha dependente de uma paixão, um vício etc.

Ex.: a e. do fumo

5 Derivação: por extensão de sentido.

qualquer coisa, situação ou atividade que impõe algum tipo de constrangimento

Ex.: aquele emprego era uma e.



Será que o escravo é tratado com igualdade?? A própria escravidão não é um sinônimo de desigualdade??


Será que estes escravos ocupavam esta condição por livre e espontânea vontade?? Tratava-se de um condição imposta pelos israelitas a outros povos?? Será que eles também participavam no comércio de escravos?? Será que compravam e vendiam seres humanos??

O que o depoimento acima revela?


Bem, não se pode negar. Estes homens participavam ativamente no comércio de escravos. Revelaram concordar com isto e gostar disto.


Estes homens amavam esta interessante condição de serem donos de outros humanos e tiravam todas as vantagens desta condição.


Era o escravo considerado um igual, ou seja, alguém com os mesmos direitos e os mesmos deveres que os naturais do reino??

Vejamos este outro mandamento: (Levítico 19:20) 20 “‘Ora, caso um homem se deite com uma mulher e tenha uma emissão de sêmen, sendo ela serva designada a outro homem e ela não tenha sido de algum modo remida, nem se lhe tenha dado a liberdade, deve haver punição. Não devem ser mortos, porque ela não fora posta em liberdade.


Assim verte a Tradução Almeida: (Levítico 19:20) 20 E, quando um homem se deitar com uma mulher que for escrava, desposada com um homem, e que não for resgatada, nem se lhe houver dado liberdade, então ambos serão açoitados; não morrerão, pois ela não era livre.


Assim verte a Tradução Brasileira: (Levítico 19:20) 20 Se alguém se deitar com uma mulher escrava, desposada com um homem, e que não for resgatada, nem posta em liberdade; serão ambos açoitados; não os farão morrer, porque ela não era livre.

Era uma coisa grave um homem deitar-se com a mulher de seu irmão, desde que o seu irmão fosse um israelita. Trata-se de pena capital (morte) para o homem, no caso de ser uma mulher israelita (natural do reino). No entanto, como a própria lei do reino determinava, não haveria punição de morte, se a mulher fosse uma escrava, mesmo que fosse uma escrava casada com um israelita (natural do reino). Mesmo ela sendo casada com um natural do reino, ela continuava sendo reconhecida como uma escrava, ou seja, alguém que não gozava dos mesmos direitos das outras mulheres naturais do reino. Tratava-se de alguém inferior. O homem não precisa ser morto, afinal, ela é só uma escrava.

Possuía uma escrava o mesmo valor que possuía uma mulher israelita??

Qual a razão do homem não ser morto em face do adultério cometido com a mulher casada com um israelita??


Não fica bem clara desigualdade?? Se esta ação fosse praticada dentro do reino cananeu, como seria visto pelos israelitas??


E quando se tratava da aplicação da plena vingança autorizada pela lei “dente por dente e olho por olho”, o que estava previsto no caso de um escravo tornar-se uma vítima??

(Êxodo 21:20-21) 20E caso um homem golpeie seu escravo ou sua escrava com um pau e o tal realmente morra sob a sua mão, sem falta deve ser vingado. 21 No entanto, se demorar um dia ou dois, não deve ser vingado, porque ele é seu dinheiro.

Assim verte a Tradução Almeida: (Êxodo 21:20-21) 20 Se alguém ferir a seu servo ou a sua serva com pau, e este morrer debaixo da sua mão, certamente será castigado; 21 mas se sobreviver um ou dois dias, não será castigado; porque é dinheiro seu.


Assim verte a Tradução Brasileira: (Êxodo 21:20-21) 20 Se um homem ferir o seu escravo (ou a sua escrava) com uma vara, e este morrer debaixo da sua mão, certamente será castigado. 21 Porém, se sobreviver um ou dois dias, não será castigado; porque é dinheiro seu.


Qual o motivo desta diferença de tratamento em uma lei tão específica??


Bem, e o que ocorreria se o escravo fosse golpeado por aquele que se considerava seu dono?? Será que o escravo tinha direito de retribuir o mesmo golpe àquele que o golpeou?? O escravo não era um igual, não é mesmo?? O tratamento dado a um escravo não podia ser igual ao tratamento dado ao homem livre, não é mesmo??


Mas e se o amo causar a cegueira em um dos olhos do escravo, o que deve ocorrer?? Deve ocorrer o “olho por olho”??

O que a legislação do reino determinava??

(Êxodo 21:26-27) 26E caso um homem golpeie o olho de seu escravo ou o olho de sua escrava e realmente o arruíne, deve mandá-lo embora como alguém liberto, em compensação do seu olho. 27 E se for o dente de seu escravo ou o dente de sua escrava que arrancar a golpe, deve mandá-lo embora como alguém liberto, em compensação do seu dente.


Assim verte a Tradução Almeida: (Êxodo 21:26-27) 26 Se alguém ferir o olho do seu servo ou o olho da sua serva e o cegar, deixá-lo-á ir forro por causa do olho. 27 Da mesma sorte se tirar o dente do seu servo ou o dente da sua serva, deixá-lo-á ir forro por causa do dente.



Assim verte a Tradução Brasileira: (Êxodo 21:26-27) 26 Se alguém ferir o olho do seu escravo (ou o olho da sua escrava) e o destruir; deixá-lo-á ir forro por causa do olho. 27 E, se deitar fora o dente do seu escravo (ou da sua escrava), deixá-lo-á ir forro por causa do dente.


FORRO – Esta é definição dada por certo dicionário (Houaiss): liberto da escravidão; alforriado


1forro Datação: 1170 Ortoépia: ô

n adjetivo

1 liberto da escravidão; alforriado

Ex.: escravos f.

2 Derivação: por extensão de sentido.

livre, desobrigado

Ex.: f. de uma responsabilidade

3 diz-se de animal fêmea que não está prenhe, esp. ovelha

Ex.: carneira forra

4 que não paga foro ou pensão

5 isento de qualquer pagamento


n adjetivo e substantivo masculino

6 que ou aquele que é natural ou habitante das ilhas de São Tomé e Príncipe

7 Rubrica: linguística.

diz-se de ou língua falada pelos forros



Apenas o fato da existência de tal mandamento já é uma prova irrefutável da prática do escravagismo por estes adoradores de Jeová.

No entanto, o ponto ser destacado é a existência de uma pitada de parcialidade em um mandamento, ou seja, a lei oficial do reino.


Estava estabelecido em lei o descumprimento da lei “dente por dente e olho por olho” no caso do escravo. Não resta a menor dúvida, o escravo não era igual. O escravo era alguém inferior que devia ser tratado como alguém inferior.


Não era este o tratamento que o escravo recebia em todos os demais reinos?? Não eram os sistemas socioeconômicos das demais nações ao redor baseados no escravagismo?? Sim, eram.

Então onde é que está o erro??


O erro está no fato de que o escravo não é considerado próximo. O escravo não era considerado um igual. O Pai havia dado o mandamento de amar ao próximo como a si mesmo.

Será que aquele que considera o seu próximo como o seu dinheiro, como sendo uma propriedade, como sendo algo que lhe pertence, está amando este próximo como a si mesmo?? Será que está tratando este humano como um igual a si mesmo??


Ora, que nação havia sido escolhida pelo Pai para obedecer ao mandamentos dados pelo Pai??

(Amós 3:1-2) 3Ouvi esta palavra que Jeová falou a vosso respeito, ó filhos de Israel, concernente à família inteira que fiz subir da terra do Egito, dizendo: 2Somente a vós vos conheci dentre todas as famílias do solo. Por isso ajustarei contas convosco por todos os vossos erros.


Assim verte a Tradução Almeida:

(Amós 3:1-2) 1 Ouvi esta palavra que o Senhor fala contra vós, filhos de Israel, contra toda a família que fiz subir da terra do Egito, dizendo: 2 De todas as famílias da terra só a vós vos tenho conhecido; portanto eu vos punirei por todas as vossas iniqüidades.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Amós 3:1-2) 1 Ouvi esta palavra que Jeová falou contra vós, filhos de Israel, contra a família toda que fiz subir da terra do Egito: 2 De todas as famílias da terra só a vós vos tenho conhecido; portanto visitarei sobre vós todas as vossas iniqüidades.



Bem, estes homens sentiam-se donos de outros homens.

Será que estes homens, livremente abririam mão de seus escravos?? Não era uma sociedade economicamente baseada na escravidão??

Será que tomariam a iniciativa em libertar seus escravos??

Se outros humanos, pacificamente solicitassem liberdade para aqueles escravos, seriam atendidos ou seriam vistos e tratados como inimigos?? O que será que estes escravocratas exigiriam para libertar os seus escravos??

Que depoimento impessoal foi deixado pela história??


Assim foi falado favoravelmente em relação a Salomão: “, Ele escravizou somente os povos que não eram da parte de Jeová, mas ele não escravizou a nenhum dos filhos de Israel” .

(1 Reis 9:20-22) 20 Quanto a todo o povo que sobrara dos amorreus, dos hititas, dos perizeus, dos heveus e dos jebuseus, que não eram parte dos filhos de Israel, 21 seus filhos que sobraram depois deles no país, os quais os filhos de Israel não puderam devotar à destruição, a estes Salomão continuou a recrutar para TRABALHO FORÇADO DE ESCRAVOS até o dia de hoje. 22 E a nenhum dos filhos de Israel constituiu Salomão em escravo; pois eram os guerreiros, e seus servos, e seus príncipes, e seus ajudantes-de-ordens, e os chefes dos seus condutores de carros e dos seus cavaleiros.

Assim verte a Tradução Almeida:

( 1 Reis 9:20-22) 20 Quanto a todo o povo que restou dos amorreus, dos heteus, dos perizeus, dos heveus e dos jebuseus, que não eram dos filhos de Israel, 21 a seus filhos, que restaram depois deles na terra, os quais os filhos de Israel não puderam destruir totalmente, Salomão lhes impôs tributo de trabalho forçado, até hoje. 22 Mas dos filhos de Israel não fez Salomão escravo algum; porém eram homens de guerra, e seus servos, e seus príncipes, e seus capitães, e chefes dos seus carros e dos seus cavaleiros.

Assim verte a Tradução Brasileira:

( 1 Reis 9:20-22) 20 Quanto a todo o povo que tinha ficado dos amorreus, dos heteus, dos perizeus, dos heveus, e dos jebuseus, que não eram dos filhos de Israel; 21 dos seus filhos que lhe tinham sucedido na terra, aos quais os filhos de Israel não puderam extinguir totalmente, deles fez Salomão uma leva de trabalhadores forçados, que continuam a ser até o dia de hoje. 22 Porém dos filhos de Israel não fez trabalhadores forçados; mas eram os homens de guerra, seus ministros, seus príncipes, seus capitães, e os chefes dos seus carros e dos seus cavaleiros.

Um pode ser usado como escravo, enquanto que o outro não pode ser usado como escravo. Não ficou claramente comprovada a prática de desvalorização do estrangeiro e da utilização do trabalho escravo??

Veja, ele só escravizou os incircuncisos, mas a nós, ele não escravizou.

O depoimento foi dado. Tratava-se da parcialidade sendo colocada em prática. Trata-se do depoimento daquele que não foi escravizado. Ele estava fazendo um elogio a seu rei e valorizando esta ação praticada por Salomão. Ele concordava com esta ação do seu rei, aprovando-a, revelando que o espírito de parcialidade permeava todo o reino, pois tanto o rei como os súditos eram cúmplices nesta parcialidade.

Bem, ele estava praticando a igualdade, não estava?? Segundo estas ações, dentro deste reino todos eram tratados com isonomia, não eram??

Bem, que espécie de igualdade era esta?? Que espécie de isonomia era esta??

Bem, neste caso, dentro deste reino, não fazia nenhuma diferença ser um natural ou ser um estrangeiro, ou será que fazia?? Alguém aí gostaria de ser um estrangeiro (a) dentro deste reino??

Bem, que espécie de isonomia existia neste reino??

Neste reino, o estrangeiro não era respeitado como tendo os mesmos direitos dos naturais. As leis vigentes para os súditos lhes autorizavam este tratamento com parcialidade para com o estrangeiro. Muito embora as leis dadas por Jeová para Moisés, o único que falava com Jeová face a face, determinasse a prática da imparcialidade, determinasse a prática da isonomia, os súditos tinham leis diferentes e praticavam a desigualdade, praticavam a parcialidade.

Gostaria você de viver o dia a dia neste reino sendo um natural ou sendo um estrangeiro?? Com leis como estas em um reino, que risco corriam os povos vizinhos??

Muito tempo depois de Moisés ter dado este mandamento para o povo, quais foram as palavras de Jeová em relação a atitude dos israelitas para com os estrangeiros??

Assim falou Jeová, o Pai:

(Jeremias 7:4-7) 4 Não confieis em palavras falazes, dizendo: ‘O templo de Jeová, o templo de Jeová, o templo de Jeová é o que são!’ 5 Pois, se positivamente tornardes bons os vossos caminhos e as vossas ações, se positivamente fizerdes justiça entre um homem e seu companheiro, 6 se não oprimirdes o residente forasteiro, o menino órfão de pai e a viúva, e se não derramardes sangue inocente neste lugar e não andardes atrás de outros deuses para a vossa calamidade, 7 eu, da minha parte, certamente vos manterei residindo neste lugar, na terra que dei aos vossos antepassados, de tempo indefinido a tempo indefinido.”’”



Assim verte a Tradução Almeida:

(Jeremias 7:4-7)4 Não vos fieis em palavras falsas, dizendo: Templo do Senhor, templo do Senhor, templo do Senhor são estes. 5 Mas, se deveras emendardes os vossos caminhos e as vossas obras; se deveras executardes a justiça entre um homem e o seu próximo; 6 se não oprimirdes o estrangeiro, e o órfão, e a viúva, nem derramardes sangue inocente neste lugar, nem andardes após outros deuses para vosso próprio mal, 7 então eu vos farei habitar neste lugar, na terra que dei a vossos pais desde os tempos antigos e para sempre.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Jeremias 7:4-7) 4 Não confieis em palavras mentirosas, dizendo: Templo de Jeová, templo de Jeová, são estes. 5 Se emendardes radicalmente os vossos caminhos e os vossos feitos; se deveras executardes o juízo entre um homem e o seu próximo; 6 se não oprimirdes o estrangeiro, o órfão e a viúva, e não derramardes neste lugar o sangue inocente, nem em prejuízo vosso andardes após outros deuses; 7 então vos farei habitar neste lugar, na terra que dei a vossos pais, desde os tempos antigos e para sempre.

Para não receberem uma prometida punição, o que os israelitas precisavam fazer e parar de fazer??

Fazer justiça entre um homem e seu companheiro; executardes a justiça entre um homem e o seu próximo; executardes o juízo entre um homem e o seu próximo. O que estava ocorrendo?? Estava havendo desigualdade, não estava havendo isonomia, ou seja, tratamento igual para todos. Estava havendo a parcialidade.

A escravidão é um tratamento desigual, não é verdade?? Pode haver alguma dúvida em relação a isto??

Falou ainda mais o Pai em relação ao que Ele via acontecer no dia a dia do povo israelita:

(Ezequiel 22:6-7) 6 Eis que vieram a estar em ti os maiorais de Israel, cada um [entregue] ao seu braço para derramar sangue. 7 Pai e mãe eles trataram com desprezo em ti. Para com o residente forasteiro agiram com defraudação no teu meio. O menino órfão de pai e a viúva eles maltrataram em ti.”’”


Assim verte a Tradução Almeida:

(Ezequiel 22:6-7) 6 Eis que os príncipes de Israel, que estão em ti, cada um conforme o seu poder, se esforçam para derramarem sangue. 7 No meio de ti desprezaram ao pai e à mãe; no meio de ti usaram de opressão para com o estrangeiro; no meio de ti foram injustos para com o órfão e a viúva.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel 22:6-7) 6 Eis que os príncipes de Israel, cada um conforme o seu poder, têm estado no meio de ti, para derramarem o sangue. 7 No meio de ti fizeram pouco caso de seu pai e de sua mãe; no meio de ti usaram de opressão para com o estrangeiro; no meio de ti foram injustos para com o órfão e a viúva.

O que fizeram contra o estrangeiro no seu dia a dia??

Falou ainda mais o Pai sobre o que Ele estava vendo acontecer no dia a dia do povo israelita:

(Ezequiel 22:28-29) 28 E seus profetas deram uma caiadura para eles, visionando uma irrealidade e adivinhando para eles uma mentira, dizendo: “Assim disse o Soberano Senhor Jeová”, quando o próprio Jeová não tinha falado. 29 Os do próprio povo da terra executaram um plano de defraudação e arrebataram em roubo, e maltrataram o atribulado e o pobre, e defraudaram o residente forasteiro sem qualquer justiça.


Assim verte a Tradução Almeida:

(Ezequiel 22:28-29) 28 E os profetas têm feito para eles reboco com argamassa fraca tendo visões falsas, e adivinhando-lhes mentira, dizendo: Assim diz o Senhor Deus; sem que o Senhor tivesse falado. 29 O povo da terra tem usado de opressão, e andado roubando e fazendo violência ao pobre e ao necessitado, e tem oprimido injustamente ao estrangeiro.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel 22:28-29) 28 Vendo vaidades e adivinhando-lhes mentiras, os seus profetas rebocam para eles com argamassa magra, dizendo: Assim diz o Senhor Jeová, quando Jeová não falou. 29 O povo da terra usou de opressão, e praticou roubos; afligiu ao pobre e ao necessitado; oprimiu injustamente ao estrangeiro.

O que fizeram contra os estrangeiros no seu dia a dia??

Depois do retorno de setenta anos de escravidão em Babilônia como punição por suas ações anteriores, isto é, trazendo o procedimento deles sobre suas próprias cabeças, assim falou Jeová para os israelitas:

(Malaquias 3:5-6) 5E vou chegar-me a vós para julgamento e vou tornar-me testemunha veloz contra os feiticeiros, e contra os adúlteros, e contra os que juram falsamente, e contra os que agem fraudulentamente com o salário do assalariado, com [a] viúva e com [o] menino órfão de pai, e os que repelem o residente forasteiro, ao passo que não me temeram”, disse Jeová dos exércitos. 6Pois eu sou Jeová; não mudei. E vós sois filhos de Jacó; não chegastes ao vosso fim.



Assim verte a Tradução Almeida:

(Malaquias 3:5-6) 5 E chegar-me-ei a vós para juízo; e serei uma testemunha veloz contra os feiticeiros, contra os adúlteros, contra os que juram falsamente, contra os que defraudam o trabalhador em seu salário, a viúva, e o órfão, e que pervertem o direito do estrangeiro, e não me temem, diz o Senhor dos exércitos. 6 Pois eu, o Senhor, não mudo; por isso vós, ó filhos de Jacó, não sois consumidos.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Malaquias 3:5-6) 5 Chegar-me-ei a vós para juízo; e serei uma testemunha veloz contra os feiticeiros, e contra os adúlteros, e contra os perjuros; contra os que oprimem o jornaleiro em seu salário, a viúva, e o órfão, e que desviam o estrangeiro do seu direito, e não me temem, diz Jeová dos exércitos. 6 Pois eu Jeová não mudo; por isso vós, filhos de Jacó, não sois consumidos.

Para não deixar nenhuma dúvida, estas foram as palavras do Pai em relação ao que Ele continuaria a observar no dia a dia do povo israelita:

As palavras do Pai são bem claras. Depois da punição dada em Babilônia, O Pai estava afirmando claramente para o povo que Ele estava mantendo um relacionamento, que Ele traria punição para aqueles que não tratavam o estrangeiro com isonomia, ou seja, contra aqueles que não praticavam verdadeira justiça entre um homem e seu companheiro.

O Pai afirmou:

Pois eu sou Jeová; não mudei. E vós sois filhos de Jacó; não chegastes ao vosso fim.

Pois eu, o Senhor, não mudo; por isso vós, ó filhos de Jacó, não sois consumidos.

Pois eu Jeová não mudo; por isso vós, filhos de Jacó, não sois consumidos.


Haviam eles apresentado motivos para que o Pai os consumisse??

As palavras do Pai foram bem claras, não foram??


Afinal, o Pai era a favor ou era contra a imposição de escravidão de um humano em relação a outro humano?? Seria Jeová um partidário da desigualdade??

Será que o Pai via como normal o amado povo escolhido impor escravidão a outros povos??

O que falou a Pai??

(Isaías 58:6-7) 6Não é este o jejum que escolhi? Soltar os grilhões da iniqüidade, desatar as brochas da canga e deixar ir livres os esmagados, e que rompais toda canga? 7 Não é partilhares o teu pão ao faminto e introduzires na [tua] casa pessoas atribuladas, sem lar? Que, caso vejas alguém nu, tu o tenhas de cobrir, e que não te ocultes da tua própria carne?

(Isaías 58:9-10) 9 Neste caso chamarias e o próprio Jeová te responderia; clamarias por ajuda e ele diria: ‘Eis-me aqui!’ “Se removeres do teu meio a canga, o apontar com o dedo e falar o que é prejudicial, 10 e concederes ao faminto o teu próprio [desejo da] alma e fartares a alma atribulada, então certamente raiará a tua luz mesmo na escuridão e as tuas trevas serão como o meio-dia.



Assim verte a Tradução Almeida:

(Isaías 58:6-7) 6 Acaso não é este o jejum que escolhi? que soltes as ligaduras da impiedade, que desfaças as ataduras do jugo? e que deixes ir livres os oprimidos, e despedaces todo jugo? 7 Porventura não é também que repartas o teu pão com o faminto, e recolhas em casa os pobres desamparados? que vendo o nu, o cubras, e não te escondas da tua carne?

(Isaías 58:9-10) 9 Então clamarás, e o Senhor te responderá; gritarás, e ele dirá: Eis-me aqui. Se tirares do meio de ti o jugo, o estender do dedo, e o falar iniquamente; 10 e se abrires a tua alma ao faminto, e fartares o aflito; então a tua luz nascerá nas trevas, e a tua escuridão será como o meio dia.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Isaías 58:6-7) 6 Acaso não é este o jejum que escolhi-romper as ligaduras da iniqüidade, desatar as ligaduras do jugo, deixar ir livres os oprimidos e quebrar todo o jugo? 7 Acaso não consiste ele em repartires o teu pão com o faminto, e recolheres em casa os pobres desamparados? em cobrires o nu quando o vires, e não te esconderes da tua carne?

(Isaías 58:9-10) 9 Então clamarás, e Jeová responderá; chamarás, e ele dirá: Eis-me aqui. Se tirares do meio de ti o jugo, o estender o dedo e o falar iniqüamente; 10 se abrires a tua alma ao faminto, e fartares a alma aflita; então nascerá a tua luz nas trevas, e a tua escuridão tornar-se-á como o meio dia.

Qual era o desejo do Pai?? O que vós devíeis fazer??

Alguém oprimido que havia acabado de ser liberto do jugo estava agora oprimindo e colocando jugo em cima de outras pessoas. Será que o Pai aprovaria isto para o benefício do povo que Ele havia acabado de libertar da opressão e do jugo do Egito??

Considerar-se superior àqueles humanos que eles estavam colocando sob jugo, poderia fazê-los não sentir vergonha por tais ações agressivas. Certamente eles concordavam com as teorias de viver a vida que os Egípcios praticaram contra eles. Eles só não concordavam em serem as vítimas da forma de vida dos Egípcios. Sendo praticado contra outros povos, estava tudo bem.

Nota-se bem claro que a igualdade é um sentimento individual. Trata-se da visão de um humano em relação a outros humanos com os quais ele convive no dia a dia.

Primogênito – O tratamento dado ao primogênito deve ser igual ao tratamento dado a todos os demais filhos?? Não é isto o que a igualdade pede?? Não é isto o que a imparcialidade pede??

O que o humano tem feito em relação a isto durante os milênios de história?? Será que era praticada a igualdade no seio familiar??

Davi e Absalão – como o olho de Davi via Absalão?? Com igualdade em relação aos demais humanos??





çç

kk












topo desta página