PAPAI, EU RECONHEÇO QUE SOU CULPADO DESTE PECADO

Criada em 28 de outubro de 2012 - Última alteração em 01/12/12 às 18:58







QUE HAJA RETRATAÇÃOISTO É O QUE JEOVÁ ESPERA DO SER HUMANO

O que é retratação??

RETRATAÇÃOEsta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): confissão de erro.

1retratação Datação: 1683

n substantivo feminino

1 ato ou efeito de retratar(-se)

2 confissão de engano, de equívoco cometido, mediante declaração contrária a outra anteriormente feita; desmentido

3 pedido de desculpa por alguma ofensa, injúria etc. que se tenha cometido

4 aquilo que se diz a fim de retratar-se; desculpa

5 Rubrica: termo jurídico.

no direito penal, ato pelo qual um sujeito, acusado de um crime de calúnia, injúria ou difamação, confessa o seu erro, a fim de eximir-se da penalidade

Confissão de engano.

CONFISSÃOEsta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): “…; reconhecimento da culpa ou da acusação que lhe é imputada. ...”

confissão

s.f. (sXIII) 1 ato ou efeito de confessar(-se) 2 revelação, diante de testemunha(s) privada(s) ou pública(s), que alguém faz de um ato censurável que cometeu 3 reconhecimento, por uma pessoa, da culpa ou da acusação que lhe é imputada 4 p.ext. jur declaração por escrito desse reconhecimento <assinar uma c.> 5 revelação do que se sabe, sente ou pensa <c. de amor> 6 ação de proclamar uma crença ou uma doutrina <c. de fé> 7 p.ext. rel proclamação escrita dessa profissão de fé 8 p.met. rel cada uma das profissões de fé ou credos cristãos <c. luterana> <c. anglicana> <c. Católica> 9 p.met. conjunto dos que professam um desses credos <membro de alguma c. Cristã> 10 catol sacramento que consiste no ato de o penitente revelar ao confessor os próprios pecados, visando a sua absolvição; penitência 11 litur.cat m.q. confiteor ('oração') ² c. auricular catol a que é feita em voz baixa, ao ouvido do confessor ¤ etim lat.ecl. confissìo,ónis 'declaração, reconhecimento de seus pecados' (no lat.cl. significava 'declaração, reconhecimento')

CONFESSAREsta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): reconhecer

confessar

v. (1292) 1 rg.mt. e pron. rel entre os católicos, contar (pecados) [a um padre], buscando absolvição <confessou (ao pároco) suas más ações> <confessou(-se) com o novo padre> <é preciso confessar antes de comungar> 2 t.d. ouvir (católico) em confissão <o padre confessou o moribundo> 3 t.d.bit.int. p.ext. (da acp. 1) contar ou reconhecer como verdade (algo errado, em prejuízo próprio) <confessou (à polícia) o crime> <c. sob tortura é inválido, segundo a lei> 4 t.d.bit. e pron. p.ext. revelar(-se), declarar(-se) <era preciso c.(-lhe) seu amor> <confessou-se vencido> 5 t.d. fig. deixar notar ou transparecer; denunciar, revelar <os olhos confessam o que a boca nega> 6 t.d. professar, seguir (fé, religião, crença) <diz que agora confessa o credo protestante> ¤ etim confess- (< confessus,a,um 'que confessa') + -ar ¤ sin/var ver sinonímia de manifestar ¤ hom confesso(1ªp.s.) / confesso(adj.s.m.) e confesso \ê\ (s.m.)

Reconhecer que está em erro; reconhecer que cometeu um erro.

A pessoa precisa ter prévio conhecimento ou ser informada de que algo feito por ela é um erro.

Depois de informada, a pessoa precisa concordar que aquela atitude é errada e que independente das circunstâncias, ela está em erro.

O que ocorre quando a pessoa concorda que aquilo que ela fez é um erro??

  1. Será que ela aponta para outra pessoa afirmando ser esta a culpada por ela ter cometido o erro??

    1. Pai, foi João quem me mandou fazer”.

  2. Será que ela aponta para uma situação como a culpada por ela ter cometido o erro??

    1. Pai, eu fiquei com muita fome.

O que a pessoa deve fazer??

Deve admitir ser a culpada de ter cometido o erro.

Deve afirmar: Pai, eu sou culpado de ter feito isto.

Aquele que se sente culpado de erro fica triste em face de ter cometido o erro.

Ele se arrepende de ter feito. Ele lamenta ter cometido o erro.

ARREPENDEREsta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): lamentar o mal cometido; lamentar ato ou procedimento do passado”.

arrepender

v. (sXIII) 1 int. e pron. lamentar o mal cometido; sofrer pela falta praticada <ele arrependeu e encontrou a paz> <arrependia-se de ter roubado> 2 pron. retroceder com relação a atitude(s) ou compromisso(s) tomados <arrependeu-se de ter votado no candidato populista> 3 pron. lamentar ato ou procedimento do passado <casou muito cedo e se arrependeu> 4 pron. B infrm. mudar (o tempo) de bom a ruim <achou que o tempo ia se a. e pegou o guarda-chuva> ¤ gram/uso na acp. 1 p.us. como int. ¤ etim a- + port.ant. repender, do lat.vulg. *repoenitere 'sentir pesar'

A pessoa lamenta o mal que ela cometeu; a pessoa lamenta ter praticado o erro. A pessoa não fica com raiva da outra pessoa que possa lhe ter induzido ao erro.

Não podemos confundir o lamento pelo fato de ter errado com o fato de ter sido pego fazendo o erro. Não podemos confundir o lamento por uma consequência qualquer em face do cometimento do erro. Por exemplo, a pessoa pode lamentar profundamente estar preso. A pessoa pode lamentar profundamente estar recebendo uma punição qualquer.

Vamos ver um exemplo real de alguém lamentando os efeitos do erro praticado.

(Zacarias 7:4-7) 4 E continuou a vir a haver para mim a palavra de Jeová dos exércitos, dizendo: 5 “Dize a todo o povo da terra e aos sacerdotes: ‘Quando jejuastes e houve lamentação no quinto [mês] e no sétimo [mês], e isto por setenta anos, jejuastes realmente para mim, sim, para mim? 6 E quando estáveis comendo e quando estáveis bebendo, não fostes vós que comíeis e não fostes vós que bebíeis? 7 Não [devíeis obedecer] às palavras que Jeová clamou por intermédio dos profetas anteriores, enquanto aconteceu que Jerusalém estava habitada e tranqüila, com as suas cidades em sua volta, e [enquanto] o Negebe e a Sefelá estavam habitados?’”

Assim verte a Tradução Almeida:

(Zacarias 7:4-7) 4 Então a palavra do Senhor dos exércitos veio a mim, dizendo: 5 Fala a todo o povo desta terra, e aos sacerdotes, dizendo: Quando jejuastes, e pranteastes, no quinto e no sétimo mês, durante estes setenta anos, acaso foi mesmo para mim que jejuastes? 6 Ou quando comeis e quando bebeis, não é para vós mesmos que comeis e bebeis? 7 Não eram estas as palavras que o Senhor proferiu por intermédio dos profetas antigos, quando Jerusalém estava habitada e próspera, juntamente com as suas cidades ao redor dela, e quando o Sul e a campina eram habitados?

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Zacarias 7:4-7) 4 Então veio a mim a palavra de Jeová dos exércitos, dizendo: 5 Fala a todo o povo da terra, e aos sacerdotes: Quando jejuastes e pranteastes no quinto e no sétimo mês, durante estes setenta anos, acaso foi para mim, realmente para mim que jejuastes? 6 Quando comeis, e quando bebeis, não sois vós os que comeis, e os que bebeis? 7 Acaso não deveis ouvir as palavras que Jeová tem proferido por meio dos profetas anteriores, quando Jerusalém estava habitada e próspera, e as suas cidades circunvizinhas e o Neguebe e a Sefela estavam habitados?

Estes homens estavam escravizados em Babilônia. Durante setenta anos eles praticaram o jejum e a lamentação tanto no quinto como no sétimo mês.

Estando escravizados em Babilônia, estes homens lamentavam o fato de estarem fora do Negebe e Safelá. Externavam sua tristeza por jejuarem, e isto por setenta anos. Ninguém tem pena de nós por estarmos nesta escravidão??

No entanto, qual foi a pergunta que Jeová fez para estes homens??

Vós jejuastes para mim??

Qual foi a outra pergunta que Jeová fez??

Depois destas duas perguntas, o que mais perguntou Jeová para o punido povo que estava retornando para reconstruir Jerusalém??

Jeová estava chamando atenção para o erro, enquanto os punidos choravam no momento da punição pela punição que estavam recebendo. Eles lamentavam terem sido punidos, eles lamentavam a punição, quando deveriam lamentar o fato de terem desobedecido a Jeová.

Eles estavam com pena de si mesmos. Certamente achavam-se vítimas inocentes da maldade de outras pessoas.

Não foram admoestados constantemente a mudarem de proceder enquanto Jerusalém e as cidades vizinhas ainda estavam habitadas??

Assim, o que pudemos perceber??

  1. Que o humano não assumiu a culpa.

  2. Que o humano não sentiu-se culpado.

  3. Que não houve reconhecimento do erro.

  4. Que não houve a confissão de culpa.

  5. Que não houve a retratação.

Para haver a retratação é necessário saber do que você está se retratando.

Em se tratando de uma sociedade escravagista por convicção, ela precisava admitir que o escravagismo era algo errado. Devia entristecer-se por ter escravizado outros seres humanos. Não devia colocar a culpa nos povos vizinhos, pois eram eles que estavam praticando o escravagismo. Alguém pode ser obrigado a praticar o escravagismo?? A pessoa pode ser obrigada a trabalhar como escravo, no entanto, dificilmente alguém pode ser obrigado a escravizar outro humano.

Havia alguma retratação do povo israelita em relação ao escravagismo??

Em relação ao escravagismo, o que o Pai havia afirmado ao Seu povo amado quando Jerusalém ainda estava habitada??

(Isaías 58:6-7) 6Não é este o jejum que escolhi? Soltar os grilhões da iniqüidade, desatar as brochas da canga e deixar ir livres os esmagados, e que rompais toda canga? 7 Não é partilhares o teu pão ao faminto e introduzires na [tua] casa pessoas atribuladas, sem lar? Que, caso vejas alguém nu, tu o tenhas de cobrir, e que não te ocultes da tua própria carne? 8Neste caso romperia a tua luz como a alva; e rapidamente surgiria para ti o restabelecimento. E certamente andaria diante de ti a tua justiça; a própria glória de Jeová seria a tua retaguarda. 9 Neste caso chamarias e o próprio Jeová te responderia; clamarias por ajuda e ele diria: ‘Eis-me aqui!’ “Se removeres do teu meio a canga, o apontar com o dedo e falar o que é prejudicial, 10 e concederes ao faminto o teu próprio [desejo da] alma e fartares a alma atribulada, então certamente raiará a tua luz mesmo na escuridão e as tuas trevas serão como o meio-dia.



Assim verte a Tradução Almeida:

Isaías 58:6-10) 6 Acaso não é este o jejum que escolhi? que soltes as ligaduras da impiedade, que desfaças as ataduras do jugo? e que deixes ir livres os oprimidos, e despedaces todo jugo? 7 Porventura não é também que repartas o teu pão com o faminto, e recolhas em casa os pobres desamparados? que vendo o nu, o cubras, e não te escondas da tua carne? 8 Então romperá a tua luz como a alva, e a tua cura apressadamente brotará. e a tua justiça irá adiante de ti; e a glória do Senhor será a tua retaguarda. 9 Então clamarás, e o Senhor te responderá; gritarás, e ele dirá: Eis-me aqui. Se tirares do meio de ti o jugo, o estender do dedo, e o falar iniquamente; 10 e se abrires a tua alma ao faminto, e fartares o aflito; então a tua luz nascerá nas trevas, e a tua escuridão será como o meio dia.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Isaías 58:6-10) 6 Acaso não é este o jejum que escolhi? romper as ligaduras da iniqüidade, desatar as ligaduras do jugo, deixar ir livres os oprimidos e quebrar todo o jugo? 7 Acaso não consiste ele em repartires o teu pão com o faminto, e recolheres em casa os pobres desamparados? em cobrires o nu quando o vires, e não te esconderes da tua carne? 8 Então romperá a tua luz como a aurora, e depressa nascerá a tua cura; a tua justiça irá diante de ti; a glória de Jeová será a tua retaguarda. 9 Então clamarás, e Jeová responderá; chamarás, e ele dirá: Eis-me aqui. Se tirares do meio de ti o jugo, o estender do dedo e o falar iniqüamente; 10 se abrires a tua alma ao faminto, e fartares a alma aflita; então nascerá a tua luz nas trevas, e a tua escuridão tornar-se-á como o meio dia.

As palavras de Jeová são bem claras, não são??



- “Oh Pai, nós lamentamos profundamente termos escravizado outros povos, lamentamos profundamente termos praticado o escravagismo” - Houve algum lamento assim??

Deveria ter havido, não deveria??

Isto representaria que este pecado também havia sido identificado por eles.

Isto representaria que concordavam com o Pai, Aquele que os havia tirado da condição de escravos dos egípcios. Eles passariam a concordar com o Pai de que o “escravagismo” era um pecado, muito embora todas as nações ao redor praticassem o escravagismo. Ora, se é um pecado ser praticado contra mim, é um pecado ser praticado contra qualquer um.

- “Oh Pai, nos lamentamos profundamente termos praticado a vingança” – Houve algum lamento assim??

Será que para Jeová, a prática da vingança era um pecado??

No exato momento em que Jeová trazia punição sobre o reino de Judá, cuja capital era Jerusalém, os Edomitas passaram a aproveitar a oportunidade para se vingar dos judeus. Neste mesmo momento, o que falou Jeová para os descendentes de Esaú, irmão gêmeo de Jacó e filho de Isaque??

(Ezequiel 25:12-13) 12Assim disse o Soberano Senhor Jeová: ‘Visto que Edom agiu, tomando vingança da casa de Judá, e eles continuam a proceder extensivamente em erro e a vingar-se deles, 13 por isso, assim disse o Soberano Senhor Jeová: “Vou também estender a minha mão contra Edom e decepar dele homem e animal doméstico, e vou fazer dele um lugar devastado, desde Temã até Dedã. À espada é que cairão.



Assim verte a Tradução Almeida:

(Ezequiel 25:12-13) 12 Assim diz o Senhor Deus: Pois que Edom se houve vingativamente para com a casa de Judá, e se fez culpadíssimo, vingando-se deles. 13 portanto assim diz o Senhor Deus: Também estenderei a minha mão contra Edom, e arrancarei dele homens e animais; e o tornarei em deserto desde Temã; e cairão à espada até Dedã.



Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel 25:12-13) 12 Assim diz o Senhor Jeová: Porquanto Edom se houve vingativamente contra a casa de Judá, e cometeu graves ofensas e se vingou deles, 13 portanto assim diz o Senhor Jeová: Estenderei a minha mão sobre Edom e dele exterminarei homens e animais; fá-lo-ei desolado desde Temã, e até Dedã cairão pela espada.

Quem é que se vinga?? Não é aquele que primeiro recebe uma ofensa?? Não existe um motivo para haver a vingança??

Não se tratava de uma agressão a alguém inocente, pois Jeová usou a palavra vingança. As palavras do Pai foram bem claras:

Edom estava se vingando de Judá.

Neste caso, a lei do dente por dente e olho por olho, plenamente usada por Judá, não devia ser usada contra Judá??

Bem, não foram só os Edomitas que tinham motivos para agir com vingança contra Judá.

Agora, vejamos as palavras de Jeová para os filisteus:

(Ezequiel 25:15-17) 15Assim disse o Soberano Senhor Jeová: Visto que os filisteus agiram com vingança e foram vingar-se com vingança, com menosprezo na alma, para arruinar, com inimizade de duração indefinida, 16 por isso, assim disse o Soberano Senhor Jeová: “Eis que estendo a minha mão contra os filisteus, e vou decepar os queretitas e destruir o resto da costa marítima. 17 E vou executar neles grandes atos de vingança, com furiosas repreensões; e terão de saber que eu sou Jeová, quando eu trouxer sobre eles a minha vingança.”’”



Assim verte a Tradução Almeida:

(Ezequiel 25:15-17) 15 Assim diz o Senhor Deus: Porquanto os filisteus se houveram vingativamente, e executaram vingança com despeito de coração, para destruírem com perpétua inimizade; 16 portanto assim diz o Senhor Deus: Eis que estendo a minha mão contra os filisteus, e arrancarei os quereteus, e destruirei o resto da costa do mar. 17 E executarei neles grandes vinganças, com furiosos castigos; e saberão que eu sou o Senhor, quando eu tiver exercido a minha vingança sobre eles.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel 25:15-17) 15 Assim diz o Senhor Jeová: Porquanto os filisteus se houveram vingativamente e executaram vingança com despeito de alma para destruírem com perpétua inimizade; 16 portanto assim diz o Senhor Jeová: Eis que estenderei a minha mão sobre os filisteus, e exterminarei os quereteus e destruirei as relíquias da costa do mar. 17 Deles tomarei grandes vinganças com furiosas repreensões; saberão que eu sou Jeová, quando eu tiver exercitado a minha vingança sobre eles.

Novamente, as palavras de Jeová sobre a motivação da ação dos filisteus contra os judeus (Judá) é bem clara. Não se tratava de uma ofensa a um povo inocente, não se tratava de uma violência contra um inocente. As palavras do Pai são bem claras: Vingança, vingança, vingança.

O que ficou bem claro??

Ficou bem claro que estes homens tinham motivos para se vingarem dos judeus. Estes humanos tinham motivos para sentirem inimizade pelos judeus (Judá). Realmente, não se tratava de um povo inocente.

No entanto, Jeová revelou Sua posição contrária a vingança.

Será que somente os judeus tinham a aprovação de Jeová para praticarem a vingança??

Os judeus podem vingar-se dos seus inimigos, porém, os inimigos não podem vingar-se dos judeus.

Será que Jeová age desta forma??

Isto seria parcialidade, não seria?? Isto seria favoritismo, não seria??

A parcialidade não faz parte da personalidade de Jeová, o nosso Pai.

Neste caso, ficou bem evidente que Jeová é terminantemente contra que um filho Seu pratique vingança contra outro filho Seu.

Neste caso, aquele mandamento dado por Jeová para Moisés era plenamente válido, mas, não estava sendo obedecido.

Neste caso, ficou bem claro que este sim foi o mandamento dado por Jeová para Moisés praticar e ensinar o povo a praticar.

Falou Jeová para Moisés:

(Levítico 19:18) 18 “‘Não deves tomar vingança nem ter ressentimento contra os filhos do teu povo; e tens de amar o teu próximo como a ti mesmo. Eu sou Jeová.



Assim verte a Tradução Almeida:

(Levítico 19:18) 18 Não te vingarás nem guardarás ira contra os filhos do teu povo; mas amarás o teu próximo como a ti mesmo. Eu sou o Senhor.



Assim verte a Tradução Brasileira:

(Levítico 19:18) 18 Não te vingarás nem guardarás ira contra os filhos do teu povo, mas amarás o teu próximo como a ti mesmo: eu sou Jeová.

Ficou bem claro que aquele que praticou a violência contra os demais povos, atraiu para si a inimizade duradoura dos povos ao redor como o desejo de vingança destas nações.

Ficou bem claro que Jeová estava contra a vingança praticada tanto por Esaú, como Judá, filisteus ou quaisquer outros dos Seus filhos humanos.

No entanto, os judeus obedeciam a um mandamento dado por Moisés que os direcionava para a plena vingança. O mandamento dado por Moisés os autorizava a praticarem a plena vingança.

Este outro mandamento de Moisés em relação aos amonitas e aos moabitas autorizava o povo a ter inimizade perpétua contra tais povos descendentes Ló, primo de Abraão.

(Deuteronômio 23:3-6) 3Nenhum amonita nem moabita pode entrar na congregação de Jeová. Mesmo até a décima geração não pode entrar ninguém deles na congregação de Jeová, por tempo indefinido, 4 por não terem vindo em teu auxílio com pão e água no caminho, quando saístes do Egito, e porque contrataram contra ti a Balaão, filho de Beor, de Petor da Mesopotâmia, para invocar o mal sobre ti. 5 E Jeová, teu Deus, não quis escutar Balaão; mas Jeová, teu Deus, transformou-te a invocação do mal em bênção, porque Jeová, teu Deus, te amava. 6 Não lhes deves buscar a paz e a prosperidade em todos os teus dias, por tempo indefinido.



Assim verte a Tradução Almeida:

(Deuteronômio 23:3-6) 3 Nenhum amonita nem moabita entrará na assembléia do Senhor; nem ainda a sua décima geração entrará jamais na assembléia do Senhor; 4 porquanto não saíram com pão e água a receber-vos no caminho, quando saíeis do Egito; e, porquanto alugaram contra ti a Balaão, filho de Beor, de Petor, da Mesopotâmia, para te amaldiçoar. 5 Contudo o Senhor teu Deus não quis ouvir a Balaão, antes trocou-te a maldição em bênção; porquanto o Senhor teu Deus te amava. 6 Não lhes procurarás nem paz nem prosperidade por todos os teus dias para sempre.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Deuteronômio 23:3-6) 3 Não entrará amonita nem moabita na assembléia de Jeová; nem entrarão os seus descendentes, nem na décima geração, nem nunca, 4 porque não vos receberam com pão e água no caminho, quando saístes do Egito; e porque de Petor de Mesopotâmia alugaram contra ti a Balaão, filho de Beor, para te amaldiçoar. 5 Todavia Jeová teu Deus não quis ouvir a Balaão; porém trocou-te em bênção a maldição, porque te amava. 6 Não lhes procurarás paz nem prosperidade todos os teus dias para sempre.

Tratava-se de perpétuo ressentimento, não é verdade??

Relembremos as palavras de Moisés:

Como um povo com tais leis conseguiria se retratar diante de Jeová por agir com vingança e com ressentimento??

No entanto, eles precisavam fazer tal retratação. Se não fizessem tal retratação, como poderiam deixar de praticar tais pecados??

Logicamente que em primeiro lugar, este homens precisavam ser convencidos de que a vingança e o ressentimento eram pecados.

Que mais o Pai falou a respeito da percepção deste povo??

Assim falou Jeová: (Jeremias 8:8-12) 8 “‘Como podeis dizer: “Somos sábios e a lei de Jeová está conosco”? Seguramente, pois, o estilo falso dos secretários trabalhou em pura falsidade. 9 Os sábios ficaram envergonhados. Ficaram aterrorizados e serão apanhados. Eis que rejeitaram a própria palavra de Jeová, e que sabedoria é que eles têm? 10 Por isso entregarei as suas esposas a outros homens, seus campos, aos que tomam posse; pois, desde o menor até mesmo ao maior, cada um está obtendo lucro injusto; desde o profeta até mesmo ao sacerdote, cada um age de modo falso. 11 E tentam sarar superficialmente o quebrantamento da filha do meu povo, dizendo: “Há paz! Há paz!” quando não há paz. 12 Acaso sentiram vergonha por terem feito o que era detestável? Em primeiro lugar, eles positivamente não podiam sentir-se envergonhados; em segundo lugar, não sabem nem mesmo como sentir-se humilhados. “‘Por isso cairão entre os que estão caindo. Tropeçarão no tempo de se fixar a atenção neles’, disse Jeová.

Assim verte a Tradução Almeida:

(Jeremias 8:8-12) 8 Como pois dizeis: Nós somos sábios, e a lei do Senhor está conosco? Mas eis que a falsa pena dos escribas a converteu em mentira. 9 Os sábios são envergonhados, espantados e presos; rejeitaram a palavra do Senhor; que sabedoria, pois, têm eles? 10 Portanto darei suas mulheres a outros, e os seus campos aos conquistadores; porque desde o menor até o maior, cada um deles se dá à avareza; desde o profeta até o sacerdote, cada qual usa de falsidade. 11 E curam a ferida da filha de meu povo levianamente, dizendo: Paz, paz; quando não há paz. 12 Porventura se envergonham de terem cometido abominação? Não; de maneira alguma se envergonham, nem sabem que coisa é envergonhar-se. Portanto cairão entre os que caem; e no tempo em que eu os visitar, serão derribados, diz o Senhor.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Jeremias 8:8-12) 8 Como dizeis: Nós somos sábios, e a lei de Jeová está conosco? Mas, na verdade, eis que a falsa pena dos escribas a converteu em mentira. 9 Os sábios são envergonhados, espantados e presos; rejeitaram a palavra de Jeová, e que sabedoria é essa que eles têm? 10 Portanto darei suas mulheres a outros, e os seus campos aos que hão de possuí-los; porque desde o menor até o maior cada um está entregue à cobiça, desde o profeta até o sacerdote cada um procede aleivosamente. 11 Eles curam superficialmente o mal da filha do meu povo, dizendo: Paz, paz: quando não há paz. 12 Serão envergonhados, por terem cometido abominação, esses que de maneira alguma sentem vergonha, nem tão pouco sabem que coisa é confundir-se. Portanto cairão entre os que caem; no tempo em que eu os visitar, tropeçarão, diz Jeová.

Vamos ver a repetição destas palavras??

Assim falou Jeová para o mesmo mensageiro: (Jeremias 6:15) 15 Acaso se envergonharam de terem feito algo detestável? Em primeiro lugar, eles positivamente não sentem vergonha alguma; em segundo lugar, não chegaram a saber nem mesmo como sentir-se humilhados. Por isso cairão entre os que estão caindo; tropeçarão no tempo em que eu terei de ajustar contas com eles”, disse Jeová. . .

Assim verte a Tradução Almeida:

(Jeremias 6:15) 15 Porventura se envergonharam por terem cometido abominação? Não, de maneira alguma; nem tampouco sabem que coisa é envergonhar-se. Portanto cairão entre os que caem; quando eu os visitar serão derribados, diz o Senhor.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Jeremias 6:15) 15 Serão envergonhados, por terem cometido abominação, esses que de maneira alguma sentem vergonha nem tão pouco sabem que coisa é confundir-se. Portanto cairão entre os que caem; no tempo em que eu os visitar, tropeçarão, diz Jeová.

Eles não sentem vergonha por terem cometido abominação; nem tampouco sabem que coisa é envergonhar-se.

Isto era o que Jeová estava vendo. Jeová estava informando isto para o mensageiro Jeremias, aquele que fazia parte do povo e que, certamente, não era uma exceção.

E o povo escolhido afirmava:

- Que é que nós estamos fazendo de errado?? Nós somos inocentes; não pecamos.

Embora estas fossem as palavras do povo escolhido, Jeová apresenta a Sua contestação: (Jeremias 2:33-35) 33 “Por que, ó mulher, melhoras o teu caminho para procurar amor? Por isso também ensinaste coisas más aos teus caminhos. 34 Também, nas tuas saias foram achadas as manchas de sangue das almas dos pobres inocentes. Não as encontrei no ato de arrombamento, mas [estão] em todas estas. 35 “Mas tu dizes: ‘Permaneci inocente. Decerto, a sua ira recuou de mim.’ “Eis que entro numa controvérsia contigo por dizeres: ‘Não pequei.’

Assim verte a Tradução Almeida:

(Jeremias 3:33-35) 33 Como ornamentas o teu caminho, para buscares o amor! de sorte que até às malignas ensinaste os teus caminhos. 34 Até nas orlas dos teus vestidos se achou o sangue dos pobres inocentes; e não foi no lugar do arrombamento que os achaste; mas apesar de todas estas coisas, 35 ainda dizes: Eu sou inocente; certamente a sua ira se desviou de mim. Eis que entrarei em juízo contigo, porquanto dizes: Não pequei.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Jeremias 2:33-35) 33 Como diriges bem o teu caminho, para buscares o amor! pois até às mulheres perdidas lhes ensinaste os teus caminhos. 34 Também nas orlas dos teus vestidos se achou o sangue das almas dos inocentes pobres; não no lugar do arrombamento o achei, mas sobre todos estes vestidos. 35 Contudo disseste: Eu sou inocente; certamente a sua ira já se desviou de mim. Eis que eu entrarei em juízo contigo, porque dizes: Não tenho pecado.

Como podiam envergonhar-se?? Somente os que reconhecem o erro é que se envergonham.



çç




Topo desta página