PASSANDO DE DOMINADO PARA DOMINADOR

Criada em 05 de novembro de 2012 Última alteração em 31/01/13 às 19 : 01



DOMINANTES E DOMINADOS



Será que é possível existir um relacionamento entre dominantes e dominados sem que haja a inimizade??


O que é exatamente a inimizade??

INIMIZADE – Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): ódio, indisposição, falta de afeição... É o oposto da amizade.


inimizade

s.f. (sXIII) falta de amizade; ódio, indisposição, malquerença etim lat. *inimicìtas,átis 'id.' sin/var ver sinonímia de desinteligência e divisão ant afeição, amizade; ver tb. antonímia de desinteligência e divisão


O que é afeição??

AFEIÇÃO – Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): … sentimento amoroso em relação a ...

afeição

s.f. (sXIV) 1 ligação afetiva; sentimento amoroso em relação a; afeto, afeiçoamento <a verdadeira a. se prova nas horas difíceis> 2 inclinação, pendor para alguma coisa <a. pelas artes> etim lat. affectio,onis de affectum supn. de afficio,is,feci,fectum, ficère 'afetar, causar impressão agradável' sin/var ver sinonímia de meiguice e antonímia de desprezo e repulsão ant ver sinonímia de desprezo e repulsão




Quando é que eu tenho direito a sentir inimizade por alguém??

Quando ele me der motivos suficientemente válidos, por tornar-se um agressor, que sentimento devo ter por ele??

O tratamento que eu dou a um amigo é o oposto ao tratamento que eu dou a meu inimigo.


Qual é a definição de Amigo??

AMIGO – Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): …. cuja expectativa é favorável.....

amigo

adj. (sXIII) 1 que ama, que demonstra afeto, amizade <gente a.> <cão a.> 2 em que há amizade, benevolência; amical <conversação a.> <gesto a.> 3 cuja expectativa é favorável; benigno, propício <ocasião a.> n adj.s.m. 4 que ou aquele que é ligado a outro(s) por laços de amizade <ninguém era tão a. como ele> <tinha poucos a.> 5 que ou aquele que nutre admiração (por alguém ou algo); apreciador, amante 6 que ou o que ampara, defende 7 que ou o que mantém relações amistosas com outro(s) [diz-se esp. de povo, nação, país] n s.m. 8 infrm. amante, amásio 9 infrm. pessoa que é dada a algum hábito ou vício <a. de viagens> <a. da bebida> 10 infrm. us. como interlocutório pessoal a. da onça infrm. amigo falso, hipócrita, infiel; amigo-urso • a. de seu(s) amigo(s) aquele que se comporta como verdadeiro amigo • a. do alheio euf. ladrão • a. do peito amigo íntimo; principal amigo • a. oculto B cada um dos participantes do amigo-oculto gram a) aum.irreg.: amigaço, amigalhaço; b) nas acp. adj., sup.abs.sint.: amicíssimo, amiguíssimo etim lat. amícus,i 'id.' sin/var ver antonímia de adversário, malcriado e malvado ant inimigo; ver tb. sinonímia de adversário, malcriado e malvado col patota, tertúlia, turma hom amigo(fl.amigar)


Bem, e qual é a definição de Inimigo??

INIMIGO – Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): “...indivíduo que tem ódio a outro, ou que lhe é antagônico, hostil...”; “adversário”; aquele que está em oposição;...

inimigo

adj. (1188-1230) 1 que se encontra em oposição, se mostra hostil; contrário, funesto, adverso <sorte i.> 2 que milita em campo contrário <forças i.> 3 relativo ou pertencente a grupo oposto <bandeira i.> n s.m. 4 indivíduo que tem ódio a outro, ou que lhe é antagônico, hostil <seu mais ferrenho i. é o irmão> 5 adversário militar (nação, força armada, unidade de combate) <o i. assediava a capital> 6 dir.int.púb cidadão do país beligerante 7 p.ext. adversário político, ideológico, religioso etc. <os dois deputados são velhos i.> 8 p.ext. aquele que sente aversão por ou é avesso a algo <i. das formalidades> 9 p.ext. aquilo que se opõe a algo <a pressa é i. da perfeição> 10 p.ext. infrm. o diabo i. alugado CE pessoa a quem se mata a mando de outrem • i. jurado inimigo declarado, que não se oculta ou dissimula • i. público indivíduo que se constitui em ameaça à ordem social gram nas acp. adj., sup.abs.sint.: inimicíssimo etim lat. inimícus,a,um 'inimigo, hostil, contrário etc.' sin/var como adj.: ver antonímia de favorável; como adj. e subst.: ver sinonímia de adversário; como subst.: ver sinonímia de diabo ant amigo; como adj.: ver sinonímia de favorável; como adj. e subst.: ver antonímia de adversário


Quando se tem alguém por inimigo, o que se deseja em relação a ele?? Vencê-lo obviamente. Isto é o que responderia qualquer humano.

Em consequência disto, surge a seguinte regra sentida e praticada pelos humanos no dia a dia: “Ame a quem te ama e odeie a quem te odeia. Se você não o odiar, pelo menos, ignore-o, despreze-o”.


A sociedade humana é constituída com base em uma pirâmide, na qual tem de haver dominantes e dominados. Muitos afirmam e defendem que a existência de um mundo sem dominantes é uma coisa utópica. Neste caso, a corrida para ser o dominante devia ser encarada como algo normal e necessário. Embora a história recente tenha mostrado que, na opinião de parte da humanidade, a figura do ditador deva ser abolida da pirâmide de todos os países, muitos ainda defendem uma mão de ferro. Onde é praticada a ditadura não é praticada a liberdade.


DOMINANTE – Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): que detém o poder, que manda.... Ex. Um escravagista.

dominante

adj.2g. (1670) 1 que domina 2 que detém o poder, a autoridade; que tem preponderância <classe d.> <valores d.> 3 que é mais difundido <moda d.> 4 gen que determina o fenótipo mesmo quando em heterozigose (diz-se de alelo) 5 jur que usufrui a servidão (diz-se de prédio, em direito civil) n s.f. 6 tendência ou traço característico (de alguém ou algo) <o tema da morte é uma d. em sua obra> 7 mús no sistema tonal clássico, o quinto grau de uma escala maior ou menor, aquele que é o mais importante depois da tônica ou final e em torno do qual se articula mais naturalmente a melodia antes de recair na tônica etim lat. domìnans,ántis part.pres. de *domináre por dominári


DOMINADO – Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): aquele sobre quem se tem autoridade (domínio).... Ex. Um escravo

dominado

adj. (1538) que se dominou 1 sobre quem se tem autoridade ou poder <escravo d.> 2 sobre o qual se exerce influência ou domínio <marido d. pela mulher> <região d. pelos cangaceiros> 3 contido por desejo próprio ou por força maior; reprimido <pranto d.> 4 em que predomina uma tendência, uma disposição <filme d. por cenas de violência> etim lat. dominátus,a,um 'que dominou, que reinou em', part.pas. de *domináre por dominári 'dominar' sin/var ver sinonímia de previsto ant indominado; ver tb. antonímia de previsto


Os israelitas alcançaram a condição de dominados. Como eles chegaram a esta condição??

Com mais de quatrocentos anos de antecedência, o próprio Pai celestial previu que os israelitas passariam por esta experiência.

Assim falou o Pai:

(Gênesis 15:13-16) 13 E ele começou a dizer a Abrão: “Sabe com certeza que o teu descendente se tornará residente forasteiro numa terra que não é sua; e eles terão de servir-lhes, e estes certamente os atribularão por quatrocentos anos. 14 Mas eu estou julgando a nação à qual servirão, e depois sairão com muitos bens. 15 Quanto a ti, irás em paz para os teus antepassados; serás enterrado numa boa velhice. 16 Na quarta geração, porém, voltarão para cá, porque ainda não se completou o erro dos amorreus.”


Assim verte a Tradução Almeida:

(Gênesis 15:13-16) 13 Então disse o Senhor a Abrão: Sabe com certeza que a tua descendência será peregrina em terra alheia, e será reduzida à escravidão, e será afligida por quatrocentos anos; 14 sabe também que eu julgarei a nação a qual ela tem de servir; e depois sairá com muitos bens. 15 Tu, porém, irás em paz para teus pais; em boa velhice serás sepultado. 16 Na quarta geração, porém, voltarão para cá; porque a medida da iniqüidade dos amorreus não está ainda cheia.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Gênesis 15:13-16) 13 E lhe foi dito: Sabe com certeza que a tua semente será peregrina em terra alheia, e será reduzida à escravidão, e será aflita por quatrocentos anos. 14 Sabe também que eu hei de julgar a nação, a que têm de servir: e depois sairão com grandes riquezas. 15 Tu, porém, irás em paz para teus pais; serás sepultado numa boa velhice. 16 Na quarta geração voltarão para cá, porque a medida da iniqüidade dos amorreus ainda não está cheia.


Antes de se tornarem escravos, Jacó e seus filhos praticavam o escravagismo??


Vejamos o que está armazenado no registro histórico:

(Gênesis 34:25-29) 25 No entanto, sucedeu que no terceiro dia, quando sentiam dores, os dois filhos de Jacó, Simeão e Levi, irmãos de Diná, passaram a tomar cada um a sua espada e a ir insuspeitos à cidade, e mataram todo macho. 26 E a Hamor e a Siquém, seu filho, mataram ao fio da espada. Tiraram então Diná da casa de Siquém e saíram. 27 Os outros filhos de Jacó atacaram os homens mortalmente feridos e foram saquear a cidade, porque haviam aviltado a sua irmã. 28 Tomaram os seus rebanhos, e as suas manadas, e os seus jumentos, e o que havia na cidade e o que havia no campo. 29 E a todos os seus meios de subsistência, e a todas as suas criancinhas, e as esposas deles levaram cativas, de modo que saquearam tudo o que havia nas casas.


Assim verte a Tradução Almeida:

(Gênesis 34:25-29) 25 Ao terceiro dia, quando os homens estavam doridos, dois filhos de Jacó, Simeão e Levi, irmãos de Diná, tomaram cada um a sua espada, entraram na cidade com toda a segurança e mataram todo varão. 26 Mataram também ao fio da espada a Hamor e a Siquém, seu filho; e, tirando Diná da casa de Siquém, saíram. 27 Vieram os filhos de Jacó aos mortos e saquearam a cidade; porquanto haviam contaminado a sua irmã. 28 Tomaram-lhes os rebanhos, os bois, os jumentos, e o que havia tanto na cidade como no campo; 29 e todos os seus bens, e todos os seus pequeninos, e as suas mulheres, levaram por presa; e despojando as casas, levaram tudo o que havia nelas.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Gênesis 34:25-29) 25 Ao terceiro dia quando os homens estavam sentindo dores, dois filhos de Jacó, Simeão e Levi, irmãos de Diná, tomaram cada um a sua espada, foram à cidade que se achava em segurança, e mataram a todos os homens. 26 Mataram também ao fio da espada a Hamor e a Siquém, seu filho, e, tirando a Diná da casa de Siquém, saíram. 27 Os filhos de Jacó vieram aos mortos e saquearam a cidade, porque havia sido contaminada a sua irmã. 28 Levaram-lhes os rebanhos, os bois, os jumentos e o que havia na cidade e no campo; 29 todos os seus bens, e todos os seus pequeninos e suas mulheres levaram cativos, e despojaram-nos, sim levaram tudo o que havia nas casas.

A resposta cedida pelo registro histórico foi bem clara, não foi?? Depois de matarem os homens, os filhos de Jacó levaram os pequeninos e as mulheres como presas suas, ou seja, como cativos, como escravos.

Reveja as palavras:


Neste momento eles eram escravizadores, pois eles dominavam sobre pessoas.


O tempo foi passando.


Como os descendentes de Jacó finalmente chegaram a condição de escravos??? Como eles passaram da condição de dominantes para dominados??


As circunstâncias os levaram ao Egito, o lugar onde havia comida. Um dos doze filhos de Jacó estava administrando o alimento estocado no Egito.


Como este filho de Jacó foi parar lá no Egito??

Bem, os seus irmãos o venderam como escravo. Concordando plenamente com tal prática, eles participaram no comércio escravagista, vendendo o próprio irmão. O filho de Jacó vendido por seus próprios irmãos tem por nome José.

Assim, José, o filho de Jacó estava administrando os alimentos no Egito em uma circunstância em que não havia alimento em outros lugares. Todos iam ao Egito na procura de alimento.

Que mudanças proporcionaria José no reinado do Egito ao tornar-se Administrador para o Egito?? Tendo a José como o administrador de todo o Egito, estando este abaixo apenas do Faraó, estes homens passaram a ser estrangeiros residentes no Egito.

Mas ainda não eram escravos. Óbvio que não, pois as circunstâncias lhes eram totalmente favoráveis.

Qual foi a condição inicial de Jacó e de seus filhos no Egito??

O histórico responde:

(Gênesis 45:17-20) 17 Por conseguinte, Faraó disse a José:Dize a teus irmãos: ‘Fazei o seguinte: Carregai os vossos animais de carga e ide, entrai na terra de Canaã, 18 e tomai vosso pai e os da vossa casa, e vinde para cá, a mim, a fim de que eu vos dê o bom da terra do Egito; e comei a parte gorda do país. 19 E a ti mesmo se manda: “Fazei o seguinte: Tomai para vós carroças da terra do Egito, para os vossos pequeninos e para as vossas esposas, e tendes de colocar vosso pai numa delas e vir para cá. 20 E não lastimem os vossos olhos o vosso equipamento, porque é vosso o bom de toda a terra do Egito.”’”


Assim verte a Tradução Almeida:

(Gênesis 45:17-20) 17 Ordenou Faraó a José: Dize a teus irmãos: Fazei isto: carregai os vossos animais e parti, tornai à terra de Canaã; 18 tomai o vosso pai e as vossas famílias e vinde a mim; e eu vos darei o melhor da terra do Egito, e comereis da fartura da terra. 19 A ti, pois, é ordenado dizer-lhes: Fazei isto: levai vós da terra do Egito carros para vossos meninos e para vossas mulheres; trazei vosso pai, e vinde. 20 E não vos pese coisa alguma das vossas alfaias; porque o melhor de toda a terra do Egito será vosso.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Gênesis 45:17-20) 17 Ordenou Faraó a José: Dize a teus irmãos: fazei isto; carregai as vossas bestas, ide para a terra de Canaã, 18 tomai a vosso pai e a vossa famílias e vinde para mim. Eu vos darei o melhor da terra do Egito, e comereis da abundância da terra. 19 Tu tens ordens para lhes dizer. Fazei isto: levai vós da terra do Egito carros para vossos filinhos e para vossas mulheres, trazei vosso pai e vinde. 20 Também não se vos dê de vossas alfaias, pois é vosso o melhor de toda terra do Egito.


O que ordenou Faraó?


Tratava-se de uma situação privilegiada em relação aos demais imigrantes, pois estes receberiam o melhor da terra do Egito. O que os colocava nesta condição privilegiada?? O fato de José ser o administrador para o Egito. Tratava-se de gratidão da parte de Faraó para com José em face de José ser o humano responsável do Egito estar passando muito bem em razão da grande fome que assolava todo o mundo. Havia motivos para muita gratidão, não havia???

Na visão de Faraó, José era o salvador do Egito e dos que fossem ao Egito em busca de alimento. Em face disto, que nome deu Faraó para José??

(Gênesis 41:44-45) 44 E Faraó disse mais a José: “Eu sou Faraó, mas sem a tua autorização nenhum homem poderá erguer sua mão ou seu pé em toda a terra do Egito.” 45 Depois, Faraó chamou José pelo nome de Zafenate-Panéia e deu-lhe por esposa Asenate, filha de Potífera, sacerdote de Om.. . .


Assim verte a Tradução Almeida:

(Gênesis 41:44-45) 44 Ainda disse Faraó a José: Eu sou Faraó; sem ti, pois, ninguém levantará a mão ou o pé em toda a terra do Egito. 45 Faraó chamou a José Zafnate-Paneã, e deu-lhe por mulher Asenate, filha de Potífera, sacerdote de Om. Depois saiu José por toda a terra do Egito.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Gênesis 45:44-45) 44 Ainda disse Faraó a José: Eu sou Faraó, e sem a tua ordem não levantará ninguém mão ou pé em toda a terra do Egito. 45 Faraó chamou a José Zafenate-Panéia, e deu-lhe por mulher Azenate, filha de Potífera, sacerdote de Om. Saiu José a percorrer a terra do Egito.

Muitos traduzem este nome como “Salvador do mundo”. Obviamente que isto não deixava de ser uma verdade.


O que fez Faraó em relação a estes imigrantes??

(Gênesis 47:11-12) 11 Deste modo, José fez seu pai e seus irmãos morar, e deu-lhes propriedade na terra do Egito, no melhor do país, na terra de Ramessés, assim como Faraó ordenara. 12 E José supria de pão seu pai e seus irmãos, e todos os da casa de seu pai, segundo o número dos pequeninos.


Assim verte a Tradução Almeida:

(Gênesis 47:11-12) 11 José, pois, estabeleceu a seu pai e seus irmãos, dando-lhes possessão na terra do Egito, no melhor da terra, na terra de Ramessés, como Faraó ordenara. 12 E José sustentou de pão seu pai, seus irmãos e toda a casa de seu pai, segundo o número de seus filhos.


Assim verte Tradução Brasileira:

(Gênesis 47:11-12) 11 José estabeleceu a seu pai e a seus irmãos, e deu-lhes uma possessão na terra do Egito, no melhor da terra, na terra de Ramessés, como ordenara Faraó. 12 José sustentou de pão a seu pai, a seus irmãos e a toda a casa de seu pai, segundo o número de seus filhinhos.

Onde estes imigrantes fixaram residência??


Então, como passaram da condição de imigrantes privilegiados para a condição de escravos??


Assim nos mostra o registro histórico:

(Êxodo 1:8-11) 8 Com o tempo se levantou um novo rei sobre o Egito, que não conhecia a José. 9 E ele passou a dizer a seu povo: “Eis que o povo dos filhos de Israel é mais numeroso e mais forte do que nós. 10 Vamos! Lidemos com eles astutamente, para que não se multipliquem e suceda que, caso nos sobrevenha uma guerra, eles certamente sejam também acrescentados aos que nos odeiam e lutem contra nós, e subam, saindo do país.” 11 Por isso puseram sobre eles chefes de trabalho forçado, com o objetivo de oprimi-los nos seus fardos; e eles foram construir cidades como lugares de armazenagem para Faraó, a saber, Pitom e Ramsés.


Assim verte a Tradução Almeida:

(Êxodo 1:8-11) 8 Entrementes se levantou sobre o Egito um novo rei, que não conhecera a José. 9 Disse ele ao seu povo: Eis que o povo de Israel é mais numeroso e mais forte do que nos. 10 Eia, usemos de astúcia para com ele, para que não se multiplique, e aconteça que, vindo guerra, ele também se ajunte com os nossos inimigos, e peleje contra nós e se retire da terra. 11 Portanto puseram sobre eles feitores, para os afligirem com suas cargas. Assim os israelitas edificaram para Faraó cidades armazéns, Pitom e Ramessés.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Êxodo 1:8-11) 8 Entretanto se levantou sobre o Egito um novo rei que não conhecia a José. 9 Ele disse ao seu povo: Eis que o povo dos filhos de Israel é mais numeroso e mais forte que nós. 10 Vinde, usemos de astúcia para com eles, para que não se multipliquem, e para que não aconteça que, havendo guerra, se unam com os nossos inimigos, pelejem contra nós e se retirem da terra. 11 Portanto, puseram sobre eles feitores para com cargas os afligirem. E os israelitas edificaram para Faraó as cidades-armazéns, Pitom e Ramessés.

Com o tempo vieram as mudanças nas circunstâncias. Houve mudanças no cenário. As circunstâncias agora eram outras. Circunstâncias novas, sentimentos novos.


Como era de se esperar, o sentimento de desigualdade passou a prevalecer no relacionamento com os imigrantes. O que fazer com tantos imigrantes?? Os imigrantes passaram a ser vistos como um perigo, pois eles não faziam parte do reino; não viviam em benefício daquele reino, pois viviam em busca de benefícios para o seu próprio reino. Os israelitas queriam formar o seu próprio reino. Temos de dominá-los; temos de tê-los sob o nosso domínio; vamos usá-los para o nosso benefício; vamos usá-los como nossa mão de obra escrava. Em lugar de trabalharem para acumularem riquezas para sua irmandade israelita, devem trabalhar para aumentarem a riqueza dos egípcios, afinal, estão em nosso território.


Desta forma, o povo israelita passou a ser o povo dominado. O povo dominado passa a ser vítima do povo dominador.

Como povo dominado, como deviam reagir os israelitas?? Deviam odiar àqueles que os escravizavam?? Deviam aproveitar cada oportunidade para matar um egípcio?? Deviam sentir inimizade pelos egípcios??

Não podemos esquecer que cada ação violenta praticada representaria uma reação violenta por parte daquele que os dominava.


O que fizeram os israelitas??

Será que praticaram a guerrilha?? Para onde levaria a guerrilha praticada contra os dominadores??

O que Jeová os viu fazer??

(Êxodo 3:6-10) 6 E prosseguiu, dizendo: “Eu sou o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó.” Moisés escondeu então a sua face, porque estava com medo de olhar para o [verdadeiro] Deus. 7 E Jeová acrescentou: “Indubitavelmente, tenho visto a tribulação do meu povo que está no Egito e tenho ouvido seu clamor por causa daqueles que os compelem a trabalhar; porque eu bem sei das dores que sofrem. 8 E estou para descer, a fim de livrá-los da mão dos egípcios e para fazê-los subir daquela terra para uma terra boa e espaçosa, para uma terra que mana leite e mel, para o lugar dos cananeus, e dos hititas, e dos amorreus, e dos perizeus, e dos heveus, e dos jebuseus. 9 E agora, eis que chegou a mim o clamor dos filhos de Israel e eu vi também a opressão com que os egípcios os oprimem. 10 E agora vem, e deixa-me enviar-te a Faraó, e faze que meu povo, os filhos de Israel, saia do Egito.”


Assim verte a Tradução Almeida:

(Êxodo 3:6-10) 6 Disse mais: Eu sou o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó. E Moisés escondeu o rosto, porque temeu olhar para Deus. 7 Então disse o Senhor: Com efeito tenho visto a aflição do meu povo, que está no Egito, e tenho ouvido o seu clamor por causa dos seus exatores, porque conheço os seus sofrimentos; 8 e desci para o livrar da mão dos egípcios, e para o fazer subir daquela terra para uma terra boa e espaçosa, para uma terra que mana leite e mel; para o lugar do cananeu, do heteu, do amorreu, do perizeu, do heveu e do jebuseu. 9 E agora, eis que o clamor dos filhos de Israel é vindo a mim; e também tenho visto a opressão com que os egípcios os oprimem. 10 Agora, pois, vem e eu te enviarei a Faraó, para que tireis do Egito o meu povo, os filhos de Israel.


Assim verte a Tradução Brasileira:


(Êxodo 3:6-10) 6 Disse-lhe mais: Eu sou o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó. Moisés escondeu o rosto, pois teve medo de olhar para Deus. 7 Então disse Jeová: Certamente tenho visto a aflição do meu povo que está no Egito, e tenho ouvido o seu clamor por causa dos seus superintendentes. Conheço os seus sofrimentos, 8 e desci para o livrar da mão dos egípcios e para o fazer subir daquela terra para uma terra boa e espaçosa, para uma terra que mana leite e mel; para o lugar do cananeu, do heteu, do amorreu, do perizeu, do heveu e do jebuseu. 9 Agora, eis que o clamor dos filhos de Israel é vindo a mim; demais tenho visto a opressão com que os egípcios os oprimem. 10 Vem tu, pois, e eu te enviarei a Faraó, para que tires do Egito o meu povo, os filhos de Israel.

Filhos de Israel?? Quem era Israel??

Não eram estes homens os descendentes de Jacó??

Sim, eram.

Como então apareceu este nome??

Foi o próprio Jeová quem decidiu mudar o nome de Jacó para Israel. Jeová afirmou: A partir de hoje o teu nome é Israel.

Havia algum motivo específico??

Bem, vamos deixar que o próprio Jeová fale:

(Gênesis 32:24-30) 24 Finalmente, Jacó ficou sozinho. Um homem começou então a engalfinhar-se com ele até subir a alva. 25 Quando viu que não tinha prevalecido contra ele, então lhe tocou na concavidade da articulação da coxa; e a concavidade da articulação da coxa de Jacó deslocou-se enquanto se engalfinhava com ele. 26 Depois disse: “Deixa-me ir, pois já subiu a alva.” A isso ele disse: “Não te deixo ir, a menos que primeiro me abençoes.” 27 Disse-lhe, pois: “Qual é teu nome?” a que ele disse: “Jacó.” 28 Disse então: “Não serás mais chamado pelo nome de Jacó, mas, sim, Israel, POIS contendeste com Deus e com homens, de modo que por fim prevaleceste.29 Jacó, por sua vez, indagou e disse: “Declara-me o teu nome, por favor.” No entanto, ele disse: “Por que indagas o meu nome?” Abençoou-o então ali. 30 Jacó chamou por isso o lugar pelo nome de Peniel, porque, segundo ele: “Tenho visto a Deus face a face e ainda assim foi livrada a minha alma.”


Assim verte a Tradução Almeida:

(Gênesis 32:24-30) 24 Jacó, porém, ficou só; e lutava com ele um homem até o romper do dia. 25 Quando este viu que não prevalecia contra ele, tocou-lhe a juntura da coxa, e se deslocou a juntura da coxa de Jacó, enquanto lutava com ele. 26 Disse o homem: Deixa-me ir, porque já vem rompendo o dia. Jacó, porém, respondeu: Não te deixarei ir, se me não abençoares. 27 Perguntou-lhe, pois: Qual é o teu nome? E ele respondeu: Jacó. 28 Então disse: Não te chamarás mais Jacó, mas Israel; PORQUE tens lutado com Deus e com os homens e tens prevalecido. 29 Perguntou-lhe Jacó: Dize-me, peço-te, o teu nome. Respondeu o homem: Por que perguntas pelo meu nome? E ali o abençoou. 30 Pelo que Jacó chamou ao lugar Peniel, dizendo: Porque tenho visto Deus face a face, e a minha vida foi preservada.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Gênesis 32:24-30) 24 Jacó ficou só; e lutava com ele um homem até o romper do dia. 25 Quando este viu que não podia com ele, tocou-lhe a juntura da coxa; e deslocou-se a juntura da coxa de Jacó, enquanto lutava com o homem. 26 Disse este: Deixa-me ir, porque vem rompendo o dia. Respondeu Jacó: Não te deixarei ir, se me não abençoares. 27 Perguntou-lhe, pois: Qual é o teu nome? Respondeu: Jacó. 28 Então disse: Não te chamarás mais Jacó, mais Israel; PORQUE tens perseverado com Deus e com os homens, e prevaleceste. 29 Jacó perguntou-lhe: Dize-me o teu nome. Respondeu ele: Porque é que perguntas pelo meu nome? E ali o abençoou. 30 Chamou Jacó ao lugar Peniel, pois disse: Tenho visto a Deus face a face, e a minha vida foi preservada.


Um homem de fortes vontades. Esta é a definição de “Israel”.

Jacó mostrou ser um homem obstinado em satisfazer suas vontades.

Agora, vejamos esta outra afirmação de Jeová em relação a este homem, que nos ajudam a enxergar a personalidade de Jacó:

(Oséias 12:2-5) 2E Jeová tem uma causa jurídica contra Judá, sim, para fazer um ajuste de contas com Jacó segundo os seus caminhos; pagar-lhe-á de volta segundo as suas ações. 3 No ventre agarrou seu irmão pelo calcanhar e com a sua energia dinâmica contendeu com Deus. 4 E continuou a contender com um anjo e gradualmente prevaleceu. Chorou para implorar favor para si mesmo.” Ele foi encontrá-lo em Betel e ali começou a falar conosco. 5 E Jeová, o Deus dos exércitos, Jeová é sua recordação.


Assim verte a Tradução Almeida:

(Oséias 12:2-5) 2 O Senhor também com Judá tem contenda, e castigará a Jacó segundo os seus caminhos; segundo as suas obras o recompensará. 3 No ventre pegou do calcanhar de seu irmão; e na sua idade varonil lutou com Deus. 4 Lutou com o anjo, e prevaleceu; chorou, e lhe fez súplicas. Em Betel o achou, e ali falou Deus com ele; 5 sim, o Senhor, o Deus dos exércitos; o Senhor e o seu nome.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Oséias 12:2-5) 2 Jeová tem uma controvérsia com Judá, e visitará sobre Jacó os seus caminhos; conforme os seus feitos lhe recompensará. 3 No ventre pegou do calcanhar de seu irmão, e na idade varonil perseverou com Deus; 4 sim, perseverou com o anjo, e prevaleceu. Chorou e fez-lhe súplicas. Achou-o em Betel, e ali falou ele conosco, 5 a saber, Jeová, Deus dos exércitos; Jeová é o seu memorial.


Realmente, tratava-se de um homem de fortes vontades e que lutava por suas vontades.

Jeová falou em um ajuste de contas com Jacó em face dos seus caminhos, Jeová falou em castigar Jacó segundo os seus próprios caminhos, isto é, devolver-lhe segundo os seus próprios caminhos.


Bem, estando no Egito e na condição de escravos, estes homens, os filhos de Israel, clamavam ao Deus Todo-poderoso para que este os livrasse de tal situação. Os egípcios os estavam vitimando.

Que percebemos??

  1. Independente de quem seja o escravagista, ele sempre provoca o clamor em outros humanos.

  2. Que Jeová sempre ouve o clamor dos escravizados, independente de quem sejam.


Depois de muito clamarem ao Deus Todo-poderoso será que estavam esperando alguma ajuda??

Será que estavam dispostos a uma rebelião armada?? Como se sentiam estes dominados?? Qual foi a reação destes dominados??


O que está registrado no histórico??

(Êxodo 6:6-12) 6Portanto, dize aos filhos de Israel: ‘Eu sou Jeová, e certamente vos farei sair de debaixo dos fardos dos egípcios e vos livrarei da sua escravidão, e deveras vos reivindicarei com braço estendido e com grandes julgamentos. 7 E certamente vos tomarei para mim como um povo e deveras mostrarei ser Deus para vós; e sabereis certamente que eu sou Jeová, vosso Deus, que vos faz sair de debaixo dos fardos do Egito. 8 E hei de levar-vos à terra a respeito da qual levantei minha mão em juramento para dá-la a Abraão, Isaque e Jacó; e hei de dá-la a vós como possessão. Eu sou Jeová.’” 9 Posteriormente, Moisés falou neste sentido aos filhos de Israel, mas eles, de desânimo e devido à dura escravidão, não escutaram Moisés. 10 Jeová falou então a Moisés, dizendo: 11Entra, fala a Faraó, rei do Egito, para que mande os filhos de Israel para fora da sua terra.” 12 No entanto, Moisés falou perante Jeová, dizendo: “Eis que os filhos de Israel não me escutaram; e como é que Faraó me irá escutar, visto que sou de lábios incircuncisos. . .


Assim verte a Tradução Almeida:

(Êxodo 6:6-12) 6 Portanto dize aos filhos de Israel: Eu sou Jeová; eu vos tirarei de debaixo das cargas dos egípcios, livrar-vos-ei da sua servidão, e vos resgatarei com braço estendido e com grandes juízos. 7 Eu vos tomarei por meu povo e serei vosso Deus; e vós sabereis que eu sou Jeová vosso Deus, que vos tiro de debaixo das cargas dos egípcios. 8 Eu vos introduzirei na terra que jurei dar a Abraão, a Isaque e a Jacó; e vo-la darei por herança. Eu sou Jeová. 9 Assim falou Moisés aos filhos de Israel, mas eles não lhe deram ouvidos, por causa da angústia de espírito e da dura servidão. 10 Falou mais o Senhor a Moisés, dizendo: 11 Vai, fala a Faraó, rei do Egito, que deixe sair os filhos de Israel da sua terra. 12 Moisés, porém, respondeu perante o Senhor, dizendo: Eis que os filhos de Israel não me têm ouvido: como, pois, me ouvirá Faraó a mim, que sou incircunciso de lábios?


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Êxodo 6:6-12) 6 Pelo que dize aos filhos de Israel: Eu sou Jeová, e vos hei de tirar de debaixo das cargas do Egito, vos hei de livrar do seu jugo e vos hei de remir com braço estendido e com grandes juízos. 7 Eu vos hei de tomar por meu povo, e hei de ser vosso Deus; e vós sabereis que eu sou Jeová vosso Deus, que vos tiro de debaixo das cargas dos egípcios. 8 E vos hei de introduzir na terra que jurei dar a Abraão, a Isaque e a Jacó; e hei de dá-la a vós por herança; eu sou Jeová. 9 Referiu Moisés isto aos filhos de Israel; porém não ouviram a Moisés por causa da angústia de espírito e por causa da dura escravidão. 10 Então falou Jeová a Moisés: 11 Entra, fala a Faraó, rei do Egito, que deixe sair da sua terra os filhos de Israel. 12 Respondeu Moisés perante Jeová: Eis que os filhos de Israel não me têm ouvido; como, pois, me ouvirá Faraó a mim, que sou incircunciso de lábios?


Bem, apesar dos clamores, estes homens estavam resignados a seu estado de dominados. Eles não praticavam a guerrilha contra o egípcios, isto é, contra os seus dominadores.


RESIGNADO – Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): conformado com a situação..... suporta o mal sem se revoltar....

resignado

adj. (1562-1575) que suporta um mal sem se revoltar; conformado etim lat. resignátus,a,um part.pas. do lat. resignáre 'resignar, renunciar' sin/var bem-mandado, bem-ouvido, conforme, dócil, longânime, obediente, paciente, submisso ant desobediente, impaciente, inconformado, inconforme, indócil, insubmisso, malmandado, mal-ouvido; ver tb. sinonímia de obstinado


Moisés não era um homem resignado. Quando ele viu alguém praticando um mal contra um indefeso hebreu, um escravo hebreu, o que ele fez??

O registro nos revela:

(Êxodo 2:11-12) 11 Sucedeu então, naqueles dias, tornando-se Moisés forte, que ele saiu, indo ter com seus irmãos para ver os fardos que levavam; e avistou certo egípcio golpeando certo hebreu dos seus irmãos. 12 Ele se virou então para um lado e para outro, e viu que não havia ninguém à vista. Golpeou então o egípcio e encobriu-o na areia.


Assim verte a Tradução Almeida:

(Êxodo 2:11-12) 11 Ora, aconteceu naqueles dias que, sendo Moisés já homem, saiu a ter com seus irmãos e atentou para as suas cargas; e viu um egípcio que feria a um hebreu dentre, seus irmãos. 12 Olhou para um lado e para outro, e vendo que não havia ninguém ali, matou o egípcio e escondeu-o na areia.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Êxodo 2:11-12) 11 Por aqueles dias, sendo Moisés já homem, saiu a ter com seus irmãos, e para as suas cargas atentou; e viu um egípcio ferindo a um de seus irmãos hebreus. 12 Olhou para uma e outra parte e, vendo que não havia ali ninguém, matou o egípcio e escondeu-o na areia.


Com tal justificada ação de violência, o que conseguiu Moisés??

(Êxodo 2:15) 15 Subseqüentemente, Faraó soube desta coisa, e ele procurou matar Moisés; Moisés, porém, fugiu de diante de Faraó para morar na terra de Midiã; e ele se assentou junto a um poço.


Assim verte a Tradução Almeida:

(Êxodo 2:15) 15 E quando Faraó soube disso, procurou matar a Moisés. Este, porém, fugiu da presença de Faraó, e foi habitar na terra de Midiã; e sentou-se junto a um poço.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Êxodo 2:15) 15 Ora, depois que Faraó soube disso, procurava matar a Moisés. Porém Moisés fugiu da presença de Faraó, e deteve-se na terra de Midiã; e sentou-se junto dum poço.


Que outra reação teria um dominador?? Buscar matar o rebelde é a ação natural do dominante. Aquele que não é resignado, ao estar em uma situação de dominado, transforma-se em rebelde.

No entanto, como o dominador trata o rebelde??

Quando o povo estava sendo libertado, ao enfrentar dificuldades, eles revelaram o desejo de retornar ao estado de dominado, o que comprova a sua resignação. Comprova também que sua situação como dominados não era insuportável.

Eles preferiam estar como escravos no Egito. Estar no Egito era mais suportável do que estar ali no deserto enfrentando aquela situação aparentemente insolúvel.


(Êxodo 16:2-3) 2 E toda a assembléia dos filhos de Israel começou a resmungar contra Moisés e Arão no ermo. 3 E os filhos de Israel diziam-lhes: “Se somente tivéssemos morrido pela mão de Jeová na terra do Egito, enquanto estávamos sentados junto às panelas de carne, enquanto comíamos pão a fartar, porque nos fizestes sair a este ermo, para fazer toda esta congregação morrer de fome.”


Assim verte a Tradução Almeida:

(Êxodo 16:2-3) 2 E toda a congregação dos filhos de Israel murmurou contra Moisés e contra Arão no deserto. 3 Pois os filhos de Israel lhes disseram: Quem nos dera que tivéssemos morrido pela mão do Senhor na terra do Egito, quando estávamos sentados junto às panelas de carne, quando comíamos pão até fartar! porque nos tendes tirado para este deserto, para matardes de fome a toda esta multidão.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Êxodo 16:2-3) 2 Toda a congregação dos filhos de Israel murmurou contra Moisés e Arão no deserto; 3 Disseram-lhes os filhos de Israel: Oxalá que tivéssemos morrido pela mão de Jeová na terra do Egito, quando estávamos sentados junto às panelas de carne, quando comíamos pão a fartar! pois nos trouxestes a este deserto, para matardes à fome a toda esta multidão.


Eles preferiam estar como escravos no Egito.

(Êxodo 17:2-4) 2 E o povo foi altercar com Moisés e dizer: “Dá-nos água, para que bebamos.” Moisés, porém, disse-lhes: “Por que estais altercando comigo? Por que persistis em pôr Jeová à prova?” 3 E o povo tinha ali sede de água, e o povo resmungava contra Moisés e dizia: Por que é que nos fizeste subir do Egito para fazer morrer de sede tanto a nós como nossos filhos, e nosso gado?4 Por fim, Moisés clamou a Jeová, dizendo: “Que hei de fazer com este povo? Mais um pouco e eles me apedrejarão!”


Assim verte a Tradução Almeida:

(Êxodo 17:2-4) 2 Então o povo contendeu com Moisés, dizendo: Dá-nos água para beber. Respondeu-lhes Moisés: Por que contendeis comigo? por que tentais ao Senhor? 3 Mas o povo, tendo sede ali, murmurou contra Moisés, dizendo: Por que nos fizeste subir do Egito, para nos matares de sede, a nós e aos nossos filhos, e ao nosso gado? 4 Pelo que Moisés, clamando ao Senhor, disse: Que hei de fazer a este povo? daqui a pouco me apedrejará.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Êxodo 17:2-4) 2 Contendeu, pois, o povo com Moisés e disse: Dá-nos água para bebermos. Respondeu-lhes Moisés: Por que contendeis comigo? porque tentais a Jeová? 3 Ali o povo teve sede de água, e murmurou o povo contra Moisés, dizendo: Por que nos fizeste sair do Egito, para nos matares de sede a nós, a nossos filhos e ao nosso gado? 4 Clamou Moisés a Jeová: Que farei a este povo? por pouco me não apedreja.

Eles preferiam estar em um lugar do que no outro. Bem, eles estavam “escravos” resignados. Sentiam saudades das condições do Egito. Eles não sentiam ódio dos seus dominantes.


Ademais, a liberdade sem alimento não é bom, assim também como a liberdade sem água também não é bom.

Estes detalhes também precisavam ser devidamente experimentados e analisados por estes escravos recém-libertados.


Como escravos que eram, foram usados para construírem cidades armazéns para seus dominantes.


Quando o escravagista dominador foi convidado a libertar seus escravos, o que fez??

Será que libertou imediatamente os escravos?? Será que pediu um pequeno tempo para analisar a questão favoravelmente?? Sentiu-se induzido a sentir misericórdia das vítimas???

Como ficaria a economia do reino, já que era baseada na mão de obra escrava???

Como ficariam as construções das grandes cidades e das cidades armazéns?? Quem substituiria os escravos nesta tarefa cansativa e desgastante??

Perder os escravos representava deixar de ser tão rico, representava parar de enriquecer, representava perder riquezas. O Egito encontrava-se como um país rico, mas queria aumentar ainda mais a sua riqueza, como é o desejo de qualquer rico.

O escravagista não queria abrir mão de sua comodidade de ter outras pessoas trabalhando para o seu deleite e lucro. Como todo escravagista, ele revelou que era inadmissível perder o domínio sobre seus escravos.

O que os outros escravagistas iriam pensar?? Como é que ele não consegue manter o domínio sobre os seus próprios escravos?? Onde é que já se viu escravos serem libertados sem o uso da espada??

Os outros escravos podem tomar isto como exemplo. Realmente, para um escravagista isto era algo inadmissível.


Foi necessário o uso da força??

Quem usou a força??

Será que os israelitas participaram de algum modo em se libertarem do Egito??

Que outra nação ajudou nesta libertação dos israelitas??

Qual foi a participação do povo israelita nesta libertação??


Estas eram as palavras a serem ensinadas às gerações seguintes:

(Êxodo 13:14-16) 14E terá de acontecer que, caso teu filho te indague mais tarde, dizendo: ‘Que significa isso?’ então terás de dizer-lhe: ‘Pela força da mão Jeová nos fez sair do Egito, da casa dos escravos. 15 E sucedeu que Faraó se mostrou obstinado quanto a nos mandar embora, e Jeová passou a matar todo primogênito na terra do Egito, desde o primogênito de homem até o primogênito de animal. É por isso que estou sacrificando a Jeová todos os machos que abrem a madre e estou remindo todo primogênito dos meus filhos.’ 16 E terá de servir de sinal na tua mão e de frontal entre os teus olhos, porque foi pela força da mão que Jeová nos fez sair do Egito.”


Assim verte a Tradução Almeida:

(Êxodo 13:14-16) 14 E quando teu filho te perguntar no futuro, dizendo: Que é isto? responder-lhe-ás: O Senhor, com mão forte, nos tirou do Egito, da casa da servidão. 15 Porque sucedeu que, endurecendo-se Faraó, para não nos deixar ir, o Senhor matou todos os primogênitos na terra do Egito, tanto os primogênitos dos homens como os primogênitos dos animais; por isso eu sacrifico ao Senhor todos os primogênitos, sendo machos; mas a todo primogênito de meus filhos eu resgato. 16 E isto será por sinal sobre tua mão, e por frontais entre os teus olhos, porque o Senhor, com mão forte, nos tirou do Egito.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Êxodo 13:14-16) 14 Quando teu filho te perguntar no futuro: Que é isto? responder-lhe-ás: Com mão forte Jeová tirou-nos do Egito, da casa da servidão; 15 quando Faraó se endureceu para não nos deixar ir, matou Jeová todos os primogênitos na terra do Egito, tanto os primogênitos dos homens como os primogênitos dos animais. Por isso é que eu sacrifico a Jeová todos os primogênitos, sendo machos; porém resgato a todos os primogênitos de meus filhos. 16 Isto será por sinal sobre a tua mão, e por frontal entre os teus olhos, pois com mão forte Jeová nos tirou do Egito.


O que percebemos??

  1. Que o escravagista se negou a conceder liberdade a seus escravos.

  2. Que o dominante sempre encontra motivos válidos para continuar dominando.

  3. Que o escravagista sempre usa o escravo para manter e/ou aumentar a sua riqueza.

  4. Que o escravo não levantou nenhuma arma para conseguir a liberdade.

  5. Que foi exclusivamente a mão de Jeová que os libertou.

  6. Que Jeová queria que isto nunca fosse esquecido por este povo libertado.


Este mesmo povo libertado da escravidão, deveria ser contra qualquer tipo de escravidão, não deveria?? Deveriam sentir repugnância da escravidão, não deveriam?? Por terem sido vítimas da escravidão e terem sofrido como vítimas da escravidão, não deveriam eles sentir misericórdia por qualquer um que se encontrasse em tal condição de vítima da escravidão???

Os dominados deviam sentir repugnância deste tipo de domínio que se lhes tinha sido imposto, não deviam?? Não haviam sofrido como dominados?? Não haviam sofrido como escravos?? Não clamaram a Deus por salvação daquela situação??

Após serem libertos, o que desejavam estes homens que haviam acabado de serem libertos da escravidão??


O que o registro histórico nos mostra em relação a isto??


Isto é o que veremos agora.


DE ESCRAVIZADOS PARA ESCRAVIZADORES



Séculos depois, isto é, quando Jerusalém e o templo estavam prestes a serem destruídos pelos babilônios, que espécie de acordo fizerem estes homens com Jeová??

O que o relato histórico nos revela??

Muito embora eles não considerassem o escravizar incircuncisos como um pecado, eles aceitavam o fato de que um israelita escravizar outro israelita ser um pecado. Mas será que eles escravizavam seus próprios irmãos hebreus?? Será que deveriam escravizar algum descendente de Abraão, de Isaque ou de Jacó??

Já no reinado de Zedequias, o próprio Jeová solicitou que os remanescentes do povo em Jerusalém libertassem seus escravos. Obviamente que os escravos incircuncisos, aproveitando o ataque de Nabucodonosor, procurariam fugir de volta para suas nações.

No entanto, seria ainda mais espantoso se os judeus (tribo de Judá) estivesse escravizando outros israelitas, não é verdade??


Ora, será que os remanescentes judeus (tribo de Judá) estava escravizando outros judeus (tribo de Judá)?? Não seria isto muito mais vergonhoso??


Antes de vermos o que acontecia em Jerusalém nos dias de Jeremias, vejamos o que aconteceu com o reino de Samaria, quando este capturou duzentos mil homens e mulheres de Judá. Tratava-se de filhos de Jacó lutando contra outros filhos de Jacó. Será que estes filhos de Jacó decidiram usar os outros filhos de Jacó (Judá) como escravos?? O que fizeram e o que disseram??

Vamos ver o registo histórico:

(2 Crônicas 28:6-8) 6 Conseqüentemente, Peca, filho de Remalias, matou em Judá cento e vinte mil num só dia, todos homens valentes, por terem abandonado a Jeová, o Deus de seus antepassados. 7 Além disso, Zicri, homem poderoso de Efraim, matou a Maaséias, filho do rei, e a Azricão, líder dos da casa, e a Elcana, o segundo depois do rei. 8 Outrossim, os filhos de Israel tomaram cativos a duzentos mil dos seus irmãos, mulheres, filhos e filhas; e também muitíssimo despojo tomaram para si como saque, levando depois o despojo a Samaria.


Assim verte a Tradução Almeida:

(2 Crônicas 28:6-8) 6 pois Peca, filho de Remalias, matou em Judá, num só dia cento e vinte mil todos homens valentes; porquanto haviam abandonado o Senhor, Deus de seus pais. 7 E Zicri, varão poderoso de Efraim matou Maaséias, filho do rei, e Azricão, e mordomo, e Elcana, o segundo depois do rei. 8 E os filhos de Israel levaram cativos de seus irmãos duzentos mil, mulheres filhos e filhas; também saquearam deles grande despojo, que levaram para Samária.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(2 Crônicas 28:6-8) 6 Pois Peca, filho de Remalias, matou em Judá num só dia cento e vinte mil homens, todos homens valentes; porque tinham abandonado a Jeová, Deus de seus pais. 7 Zicri, homem poderoso de Efraim, matou a Maaséias, filho do rei, a Azricão mordomo-mor e a Elcana, o segundo depois do rei. 8 Os filhos de Israel levaram cativos de seus irmãos duzentos mil: mulheres, filhos e filhas, e deles tiraram muitos despojos, e os levaram para Samaria.

Bem, depois da vitória, eles tomaram os cativos (Judá) e levaram até Samaria.


O que aconteceu depois disto??? Será que passaram a usá-los como escravos??

O que o relato histórico nos revela??

(2 Crônicas 28:9-15) 9 E aconteceu que havia ali um profeta de Jeová, cujo nome era Odede. Ele saiu, pois, diante do exército que chegava a Samaria e disse-lhes: “Eis que foi por causa do furor de Jeová, o Deus de vossos antepassados, contra Judá, que ele os entregou na vossa mão, de modo que fizestes uma matança entre eles com uma fúria que chegou até os céus. 10 E agora pensais em reduzir os filhos de Judá e de Jerusalém a servos e a servas para vós. Todavia, não há com vós mesmos casos de culpa contra Jeová, vosso Deus? 11 E agora escutai-me e devolvei os cativos que capturastes de vossos irmãos, porque a ira ardente de Jeová está contra vós.” 12 Em vista disso, [certos] homens dos cabeças dos filhos de Efraim, Azarias, filho de Jeoanã, e Berequias, filho de Mesilemote, e Jeisquias, filho de Salum, e Amasa, filho de Hadlai, levantaram-se contra os que entravam da campanha militar 13 e disseram-lhes: “Não deveis trazer para cá os cativos, pois resultará em culpa da nossa parte contra Jeová. Pensais em acrescentar aos nossos pecados e à nossa culpa, porque abundante é a culpa que temos e há ira ardente contra Israel.” 14 Por conseguinte, os homens armados deixaram os cativos e o saque diante dos príncipes e de toda a congregação. 15 Então os homens designados por nomes levantaram-se e tomaram os cativos, e vestiram do despojo todos os que deles estavam nus. Vestiram-nos, pois, e forneceram-lhes sandálias, e alimentaram-nos, e deram-lhes de beber, e untaram-nos. Além disso, no caso de todos os que cambaleavam, deram-lhes transporte em jumentos e levaram-nos a Jericó, a cidade das palmeiras, para junto dos seus irmãos. Depois retornaram a Samaria.


Assim verte a Tradução Almeida:

(2 Crônicas 28:9-15) 9 Mas estava ali um profeta do Senhor, cujo nome era Odede, o qual saiu ao encontro do exército que vinha para Samária, e lhe disse: Eis que, irando-se o Senhor Deus de vossos pais contra Judá, os entregou na vossa mão, e vós os matastes com uma raiva que chegou até o céu. 10 E agora vós quereis sujeitar a vós os filhos de Judá e de Jerusalém, como escravos e escravas; porventura não sois vós mesmos culpados para com o Senhor vosso Deus? 11 Agora, pois, ouvi-me, e tornai a enviar os cativos que trouxestes dentre vossos irmãos, pois o ardor da ira do Senhor está sobre vós. 12 Então alguns dos chefes dos efraimitas, a saber, Azarias, filho de Joanã, Berequias, filho de Mesilemote, Jeizquias, filho de Salum, e Amasa, filho de Hadlai, se levantaram contra os que voltavam da guerra, 13 e lhes disseram: Não fareis entrar aqui estes cativos; porque, além da nossa culpa contra o Senhor, o que vós quereis fazer acrescentaria mais a nossos pecados e a nossas culpas; pois já temos grande culpa, e o ardor da ira do Senhor está sobre Israel. 14 Então os homens armados deixaram os cativos e o despojo diante dos príncipes e de toda a congregação. 15 E os homens já mencionados por nome se levantaram e tomaram os cativos, e vestiram do despojo a todos os que dentre eles estavam nus; vestiram-nos, e os calçaram, e lhes deram de comer e de beber, e os ungiram; e, levando sobre jumentos todos os que estavam fracos, conduziram-nos a Jericó, a cidade das palmeiras, a seus irmãos. Depois voltaram para Samária.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(2 Crônicas 28:9-15) 9 Mas estava ali um profeta de Jeová, cujo nome era Obede, o qual, saindo ao encontro do exército que vinha para Samaria, lhes disse: Porque Jeová, Deus de vossos pais, estava irado contra Judá, por isso vô-los entregou às mãos, e vós os matastes com uma raiva que chegou até o céu. 10 Agora vós pensais em sujeitar os filhos de Judá e de Jerusalém para vos serem escravos e escravas; porém não há entre vós, sim entre vós, transgressores contra Jeová vosso Deus? 11 Agora ouvi-me, e tornai a enviar os cativos que fizestes entre vossos irmãos; porque o ardor da ira de Jeová está sobre vós. 12 Então alguns dos cabeças dos filhos de Efraim, a saber, Azarias, filho de Joanã, Berequias, filho de Mesilemote, Jeizquias, filho de Salum, e Amasa, filho de Hadlai, se levantaram contra os que voltavam da guerra, 13 e lhes disseram: Não fareis entrar aqui os cativos; porque a vossa intenção é fazer-nos culpados diante de Jeová, aumentando os nossos pecados e a nossa culpa. A nossa culpa já é grande, e o ardor da ira de Jeová está sobre nós. 14 Os homens armados deixaram os cativos e os despojos diante dos príncipes e de toda a congregação. 15 Os homens, acima mencionados, levantaram-se e tomaram os cativos, e do despojo vestiram a todos os que estavam nus, e proveram-nos de vestidos e de calçados e deram-lhes de comer e de beber, e ungiram-nos e fizeram montar em jumentos a todos que estavam fracos, e levaram-nos a Jericó, cidade das palmeiras, a seus irmãos. Depois voltaram para Samaria.


Bem, esta foi a posição tomada pelo reino de Israel com capital em Samaria em relação a seus irmãos judeus (tribo de Judá, cuja capital era Jerusalém).


Mas agora perguntamos: Será que judeus escravizavam judeus??


Jeremias foi testemunha desta situação e mensageiro de Jeová para o povo. Ele nos conta o que aconteceu na cidade de Jerusalém, onde ficava a capital do reino de Judá:

(Jeremias 34:8-11) 8 A palavra que veio a haver para Jeremias da parte de Jeová, depois que o Rei Zedequias concluiu um pacto com todo o povo que estava em Jerusalém para proclamar-lhes liberdade, 9 para cada um deixar ir livre seu servo e cada um sua serva, hebreu e hebréia, a fim de não usá-los como servos, isto é, a um judeu que é seu irmão. 10 De modo que obedeceram todos os príncipes e todo o povo que haviam entrado no pacto, de cada um deixar ir livre seu servo e cada um sua serva, a fim de não mais usá-los como servos, e eles passaram a obedecer e a deixá-los ir. 11 Mas depois voltaram atrás e começaram a trazer de volta os servos e as servas que haviam deixado ir livres, e foram sujeitá-los como servos e como servas.


Assim verte a Tradução Almeida:

(Jeremias 34:8-11) 8 A palavra que da parte do Senhor veio a Jeremias, depois que o rei Zedequias fez um pacto com todo o povo que estava em Jerusalém, para lhe fazer proclamação de liberdade, 9 para que cada um libertasse o seu escravo, e cada um a sua escrava, hebreu ou hebréia, de maneira que ninguém se servisse mais dos judeus, seus irmãos, como escravos. 10 E obedeceram todos os príncipes e todo o povo que haviam entrado no pacto de libertarem cada qual o seu escravo, e cada qual a sua escrava, de maneira a não se servirem mais deles, sim, obedeceram e os libertaram. 11 Mas depois se arrependeram, e fizeram voltar os escravos e as escravas que haviam libertado, e tornaram a escravizá-los.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Jeremias 34:8-11) 8 Depois que o rei Zedequias fizera uma aliança com todo o povo que estava em Jerusalém, veio da parte de Jeová a palavra a Jeremias, para lhes apregoar a liberdade; 9 a fim de que cada um deixasse ir livre, o seu servo, e cada um igualmente a sua serva, hebreu ou hebréia; e que ninguém se servisse dum judeu seu irmão. 10 Todos os príncipes e todo o povo, que haviam entrado na aliança, obedeceram, deixando ir livres, cada um o seu servo, e cada um a sua serva, de maneira que ninguém daqui em diante se servisse deles; sim obedeceram, e deixaram-nos ir. 11 Mas depois se arrependeram, e fizeram voltar os servos e as servas que eles haviam deixado ir livres, e sujeitaram-nos como servos e servas.


O rei Zedequias fez um pacto de liberdade para os escravos judeus.

Havia judeu escravizando judeu?? E isto acontecia dentro da cidade de Jerusalém?? Ora, o pacto feito deixa isto bem claro, não deixa??

Depois do pacto feito, há como duvidar que judeu estava escravizando judeu?? Se estavam escravizando judeus, obviamente que escravizavam tanto os demais filhos de Jacó, como os demais descendentes de Abraão.


Fizeram uma promessa solene e libertaram os escravos.

No entanto, depois voltaram atrás e os fizeram voltar a condição de escravos.

No entanto, fica no ar a seguinte pergunta: E se houvessem humanos dos outros filhos de Jacó servindo como escravos, deveriam continuar servindo como escravos?? E se houvesse outros descendentes de Abraão servindo como escravos dos judeus, deveriam continuar servindo como escravos?? E se houvesse outros humanos descendentes dos povos da terra de Canaã servindo como escravos, deveriam continuar servindo como escravos??


O que ocorreu quando os israelitas saíram libertos do Egito?? Uma grande mistura de povos escravizados saíram junto com os israelitas.

Assim nos informa o relato histórico:

(Êxodo 12:37-38) 37 E os filhos de Israel passaram a partir de Ramessés para Sucote, no número de seiscentos mil varões vigorosos a pé, além dos pequeninos. 38 E com eles subiu também uma vasta mistura de gente, bem como rebanhos e manadas, numerosíssima criação de animais. . .


Assim verte a Tradução Almeida:

(Êxodo 12:37-38) 37 Assim viajaram os filhos de Israel de a Ramessés a Sucote, cerca de seiscentos mil homens de pé, sem contar as crianças. 38 Também subiu com eles uma grande mistura de gente; e, em rebanhos e manadas, uma grande quantidade de gado.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Êxodo 12:37-38) 37 Viajaram os filhos de Israel de Ramessés a Sucote, sendo perto de seiscentos mil homens de pé, sem contar as crianças. 38 Subiu com eles uma grande mistura de gente; também rebanhos e gados, muitíssimas cabeças.

Estando no deserto ou na terra da promessa, será que os israelitas deviam usar esta vasta mistura de gente como mão de obra escrava??

Como será que Jeová via aquela grande mistura de gente?? Será que os via como pessoas livres ou como escravos do povo israelita??

O que pode ter acontecido naquele deserto??


Voltando para os dias de Jeremias, o que aconteceria com a mistura de gente que era usada pelos judeus (Judá) como mão de obra escrava??

Será que também deveriam ser libertadas da escravidão??

Tratava-se de um reino escravocrata. Haveria muito choro em perder sua mão de obra escrava.

Se judeus escravizavam judeus, não escravizariam todos os demais humanos??


A palavra de Jeová foi clara:


Isto não nos lembra nada??

Eu me lembro do Egito e de Faraó. A ação foi a mesma. Só que desta vez, isto é, no Egito, os escravos eram os hebreus e os escravizadores eram os egípcios. Embora a intenção fosse a mesma, lá no Egito, houve o impedimento do sucesso da ação tomada por Faraó quando viram-se sem seus escravos. Quem é que faria as tarefas feitas pelos escravos??


O que falou Jeová neste caso, isto é, no caso de Jerusalém??

Ele assim afirmou:

(Jeremias 34:13-16) 13Assim disse Jeová, o Deus de Israel: ‘Eu mesmo concluí um pacto com os vossos antepassados no dia em que os fiz sair da terra do Egito, da casa dos servos, dizendo: 14Ao fim de sete anos deveis cada um de vós deixar ir seu irmão, hebreu, que chegou a ser vendido a ti e que te serviu por seis anos; e tens de deixá-lo ir livre de estar contigo.” Mas, vossos antepassados não me escutaram, nem inclinaram seu ouvido. 15 E vós mesmos vos voltais hoje e fazeis o que é reto aos meus olhos, cada um proclamando liberdade ao seu companheiro, e concluís um pacto perante mim, na casa sobre a qual se tem invocado meu nome. 16 Então voltais atrás e profanais meu nome, e trazeis de volta, cada um seu servo e cada um sua serva, que havíeis deixado ir livres, ao agrado da sua alma, e os sujeitais para se tornarem vossos servos e vossas servas.’


Assim verte a Tradução Almeida:

(Jeremias 34:13-16) 13 Assim diz o Senhor, Deus de Israel: Eu fiz um pacto com vossos pais, no dia em que os tirei da terra do Egito, da casa da servidão, dizendo: 14 Ao fim de sete anos libertareis cada um a seu irmão hebreu, que te for vendido, e te houver servido seis anos, e despedi-lo-ás livre de ti; mas vossos pais não me ouviram, nem inclinaram os seus ouvidos. 15 E vos havíeis hoje arrependido, e tínheis feito o que é reto aos meus olhos, proclamando liberdade cada um ao seu próximo; e tínheis feito diante de mim um pacto, na casa que se chama pelo meu nome; 16 mudastes, porém, e profanastes o meu nome, e fizestes voltar cada um o seu escravo, e cada um a sua escrava, que havíeis deixado ir livres à vontade deles; e os sujeitastes de novo à servidão.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Jeremias 34:13-16) 13 Assim diz Jeová, Deus de Israel: Eu fiz uma aliança com vossos pais no dia em que os tirei da terra do Egito, da casa de servidão, dizendo: 14 Ao fim de sete anos, deixareis ir cada um a seu irmão hebreu que te for vendido e que te houver servido seis anos, deixá-lo-ás ir de ti livre; vossos pais, porém, não me ouviram, nem inclinaram os seus ouvidos. 15 Há pouco tornastes e fizestes o que é reto nos meus olhos, apregoando liberdade cada um ao seu próximo; tínheis feito uma aliança diante de mim na casa que é chamada do meu nome; 16 mas tornastes a profanar o meu nome, fazendo voltar cada um o seu servo, e cada um a sua serva, que haveis deixado ir livres conforme a sua vontade, e sujeitando-os para que fossem vossos servos e servas.


O que foi que Jeová falou mesmo??

Eu fiz um pacto com os vossos pais no dia em que os tirei da servidão no Egito: Ao fim de sete anos não deve haver escravidão de hebreu sobre hebreu.


Será que eu entendi direito?? Havia hebreu sendo escravizado por outro hebreu mesmo eles sendo escravos no Egito??

Decerto, havia hebreus com situação privilegiada no Egito. Por exemplo Efraim e Manassés haviam nascido no Egito e tinham a José como pai. Certamente, estes teriam condições de se manterem na ocupação de cargos privilegiados no Egito, não estando na mesma condição “escrava” dos demais.

Neste caso, estes homens podiam ter escravos hebreus ou outros que eles mesmos comprassem.

O que temos de real são as palavras de Jeová de que após um período de sete anos eles deviam acabar com esta escravidão, proclamando a liberdade para todos os hebreus.

Não iriam para a terra de Canaã, terra esta que seria dada por herança aos hebreus?? Logicamente, cada hebreu tinha o mesmo direito que o seu irmão hebreu. Do ponto de vista do Pai, um irmão não devia escravizar outro irmão.


O que fazer com a vasta mistura de gente?? A imparcialidade de Jeová nos é bem conhecida. Certamente o Seu desejo era que todos usufruíssem a liberdade. Foi exatamente isto o que Ele pediu que fosse feito desde o Egito.


O que era fazer o que é reto aos olhos de Jeová??


O que mais falou Jeová em relação aos antepassados??


Será que eu entendi direito??

Mesmo no deserto, mesmo todos recebendo a liberdade da escravidão no Egito, ainda havia hebreu mantendo outro hebreu como escravo??

Se não houvesse hebreu, mesmo assim havia aquela grande massa de gente.

Esta foi a afirmação de Jeová, não foi??


Bem, este foi o depoimento de Jeová, muito tempo depois da morte de Moisés.

Não restou nenhuma sombra de dúvida em relação ao que Jeová via na corrente do tempo.


O que objetivavam com tal promessa de libertar seus escravos?? Isto certamente mostrou ser um grande sacrifício que eles estavam fazendo. O fato de terem voltado atrás da ação tomada, voltando a escravizar àqueles que eles tinham concedido a liberdade, prova que eles amavam o escravagismo e que encontravam motivos plenamente lógicos para desejaram ter pessoas como escravos. Para tais pessoas, passarem a viver sem escravos mostrava ser algo muito difícil.

Como os nobres passariam a viver sem os seus escravos?? Eles teriam de fazer mudanças em sua forma de viver o dia a dia.

Não suportaram e voltaram atrás.


Que ação afirmou Jeová que ele tomaria??

(Jeremias 34:17-21) 17Portanto, assim disse Jeová: ‘Vós mesmos não me obedecestes, para continuardes a proclamar liberdade, cada um a seu irmão e cada um ao seu companheiro. Eis que vos proclamo uma liberdade’, é a pronunciação de Jeová, ‘para a espada, para a pestilência e para a fome, e certamente vos darei para tremor a todos os reinos da terra. 18 E eu vou entregar os homens que infringem meu pacto, visto que não cumpriram as palavras do pacto que concluíram perante mim [com] o bezerro que cortaram em dois para passarem entre os seus pedaços; 19 [a saber,] os príncipes de Judá e os príncipes de Jerusalém, os oficiais da corte, e os sacerdotes, e todo o povo da terra, que passaram entre os pedaços do bezerro — 20 sim, vou entregá-los na mão dos seus inimigos e na mão dos que procuram a sua alma; e seus cadáveres terão de tornar-se alimento para as criaturas voadoras dos céus e para os animais da terra. 21 E Zedequias, rei de Judá, e seus príncipes entregarei na mão dos seus inimigos, e na mão dos que procuram a sua alma, e na mão das forças militares do rei de Babilônia, que se estão retirando de [ir] contra vós.’


Assim verte a Tradução Almeida:

(Jeremias 34:17-21) 17 Portanto assim diz o Senhor: Vós não me ouvistes a mim, para proclamardes a liberdade, cada um ao seu irmão, e cada um ao seu próximo. Eis, pois, que eu vos proclamo a liberdade, diz o Senhor, para a espada, para a peste e para a fome; e farei que sejais um espetáculo de terror a todos os reinos da terra. 18 Entregarei os homens que traspassaram o meu pacto, e não cumpriram as palavras do pacto que fizeram diante de mim com o bezerro que dividiram em duas partes, passando pelo meio das duas porções. 19 Os príncipes de Judá, os príncipes de Jerusalém, os eunucos, os sacerdotes, e todo o povo da terra, os mesmos que passaram pelo meio das porções do bezerro, 20 entregá-los-ei, digo, na mão de seus inimigos, e na mão dos que procuram a sua morte. Os cadáveres deles servirão de pasto para as aves do céu e para os animais da terra. 21 E a Zedequias, rei de Judá, e seus príncipes entregarei na mão de seus inimigos e na mão dos que procuram a sua morte, e na mão do exército do rei de Babilônia, os quais já se retiraram de vós.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Jeremias 34:17-21) 17 Portanto assim diz Jeová: Vós não me ouvistes, para apregoardes a liberdade, cada um a seu irmão e cada um ao seu próximo; eis que vos estou apregoando a liberdade, diz Jeová, para a espada, para a peste e para a fome; farei que sejais um espetáculo horrendo a todos os reinos da terra. 18 Entregarei os homens que transgrediram a minha aliança, e não cumpriram as palavras da aliança que fizeram diante de mim, quando dividiram em duas partes o bezerro e passaram pelo meio das suas porções. 19 Os príncipes de Judá, e os príncipes de Jerusalém, e os eunucos, e os sacerdotes, e todo o povo da terra, os quais passaram pelo meio das porções do bezerro; 20 eu os entregarei nas mãos dos seus inimigos, e nas mãos dos que procuram tirar-lhes a vida; os seus cadáveres servirão de pasto para as aves do céu e para os animais da terra. 21 A Zedequias, rei de Judá, e os seus príncipes, entregá-los-ei nas mãos dos seus inimigos e nas mãos dos que procuram tirar-lhes a vida, e nas mãos do exército do rei de Babilônia, que se retiraram de vós.


O exército de Babilônia tinha acabado de se retirar de lutar contra Jerusalém. Depois disto o que fizeram estes homens?? Retomaram como escravos, aqueles mesmos que ele tinham dado a liberdade.


Jeová afirmou: Vou trazer os babilônios de volta e entregarei vocês nas mãos deles. Vou entregá-los nas mãos do exército do rei de Babilônia.


Estes homens passaram do estado de escravos para escravizadores e passaram a escravizar os seus próprios irmãos hebreus, além dos demais companheiros.

Não admitiram libertar seus escravos de uma forma voluntária, pois eram escravagistas. Quando houve muita pressão aceitaram fazê-lo, mas, quando a pressão desapareceu, retrocederam e foram novamente escravizar àqueles que por eles tinham sido libertos. Tendo os escravos sido libertos por eles, quem faria para eles as tarefas dos escravos???

O que isto revelou?? Revelou que praticavam o escravagismo e que amavam o escravagismo, independente de quem fossem os seus escravos.


Para que estes judeus usavam os seus escravos??

Será que também usavam escravos para construírem cidades armazéns para eles??

(1 Reis 9:17-21) 17 E Salomão prosseguiu, construindo Gezer e Bete-Horom Baixa, 18 e Baalate e Tamar, no ermo, no país, 19 e todas as cidades-armazéns que vieram a ser de Salomão, e as cidades para os carros e as cidades para os cavaleiros, e as coisas desejáveis de Salomão, que desejou construir em Jerusalém e no Líbano, bem como em toda a terra do seu domínio. 20 Quanto a todo o povo que sobrara dos amorreus, dos hititas, dos perizeus, dos heveus e dos jebuseus, que não eram parte dos filhos de Israel, 21 seus filhos que sobraram depois deles no país, os quais os filhos de Israel não puderam devotar à destruição, a estes Salomão continuou a recrutar para trabalho forçado de escravos até o dia de hoje.

Assim verte a Tradução Almeida:

(1 Reis 9:17-21) 17 Salomão edificou Gezer, Bete-Horom a baixa, 18 Baalate, Tamar no deserto daquela terra, 19 como também todas as cidades-armazéns que Salomão tinha, as cidades dos carros as cidades dos cavaleiros, e tudo o que Salomão quis edificar em Jerusalém, no Líbano, e em toda a terra de seu domínio. 20 Quanto a todo o povo que restou dos amorreus, dos heteus, dos perizeus, dos heveus e dos jebuseus, que não eram dos filhos de Israel, 21 a seus filhos, que restaram depois deles na terra, os quais os filhos de Israel não puderam destruir totalmente, Salomão lhes impôs tributo de trabalho forçado, até hoje.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(1 Reis 9:17-21) 17 Salomão edificou Gezer e Bete-Horom a baixa, 18 Baalate e Tamar no deserto do país, 19 e todas as cidades-armazéns que Salomão tinha, e as cidades dos carros e as dos cavaleiros, e tudo o que Salomão para o seu prazer quis edificar em Jerusalém, e no Líbano, e em toda a terra do seu domínio. 20 Quanto a todo o povo que tinha ficado dos amorreus, dos heteus, dos perizeus, dos heveus, e dos jebuseus, que não eram dos filhos de Israel; 21 dos seus filhos que lhe tinham sucedido na terra, aos quais os filhos de Israel não puderam extinguir totalmente, deles fez Salomão uma leva de trabalhadores forçados, que continuam a ser até o dia de hoje.


Os judeus, comandados por Salomão e praticando o escravagismo, fizeram seus escravos construírem muitas cidades armazéns.


Outros reis judeus continuaram a construir cidades armazéns:

(2 Crônicas 17:12) 12 E Jeosafá continuou a progredir e a tornar-se grande num grau superior; e ele prosseguiu, construindo em Judá fortes e cidades-armazéns. 13 E veio a ter muitos interesses nas cidades de Judá; e havia em Jerusalém guerreiros, homens poderosos, valentes.


Assim verte a Tradução Almeida:

(2 Crônicas 17:12-13) 12 Assim Jeosafá ia-se tornando cada vez mais poderoso; e edificou fortalezas e cidades-armazéns em Judá; 13 e teve grande quantidade de munições nas cidades de Judá, e soldados, homens valorosos, em Jerusalém.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(2 Crônicas 17:12-13) 12 Josafá tornou-se em extremo grande; e edificou em Judá castelos, e cidades-armazéns. 13 Empreendeu muitas obras na cidade de Judá; e tinha em Jerusalém homens de guerra, ilustres em valor.


O que percebemos??

  1. Percebemos que riqueza e poder andam de mãos dadas, e que juntas produzem as suas vítimas.

  2. Percebemos também que Jeová deseja que o escravagista abra mão do seu escravo sem que seja necessário o uso da violência.

  3. Percebemos que o desejo do Pai é que não haja nenhum escravo.

çç




Topo desta página