DO PONTO DE VISTA DE JEOVÁ, O QUE É A “PÁSCOA”??

Criada em 22 de março de 2013 Última alteração em 23/03/15 às 21 : 21





PÁSCOA, O QUE É??

PÁSCOA, O QUE REPRESENTA??

Foi uma cerimônia projetada e criada pelo homem??

Hebr.: pé-sahh. Lit.: passar por cima; passar por alto.

O que ocorre quando o perdão dado não é percebido por quem é perdoado??

O perdão é algo invisível e precisa ser percebido.



Perceber – Esta é definição dada pelo dicionário Houaiss: tomar consciência de, por meio dos sentidos; captar com a inteligência; compreender.

perceber

v. (sXIII) 1 t.d. tomar consciência de, por meio dos sentidos <percebe ao longe o som dos sinos> <percebeu, pelo cheiro, que havia fumaça no quarto> 2 t.d. captar com a inteligência; compreender <não percebeu o significado da mensagem> 3 t.d. notar, conhecer por intuição ou perspicácia <percebia que a esposa não estava satisfeita a seu lado> 4 t.d. receber (salário, rendimentos etc.) ¤ gram a respeito da conj. deste verbo, ver -eber ¤ etim lat. percipìo,is, cépi,céptum,cipère 'id.' ¤ sin/var ver sinonímia de entrever ¤ hom percebe(3ªp.s.), percebes(2ªp.s.) / percebe \ê\ (s.m.) e pl.


O que representaria a páscoa??

Representaria a vitória do bem sobre o mal?? Será que a “páscoa” pode significar uma coisa para o humano que a está comemorando, enquanto representa outra bem diferente para Aquele que criou tal cerimônia??



O Deus Todo Poderoso projeta e cria a páscoa antes de certo incidente. Depois de projetá-la, Jeová informa a Moisés o nome da cerimônia e a forma como deve ser feita.



(Êxodo 12:3-12) 3 Fala à assembléia inteira de Israel, dizendo: ‘No décimo dia deste mês devem tomar para si, cada um, um ovídeo por casa ancestral, um ovídeo por casa. 4 Mas, se a família se mostrar pequena demais para o ovídeo, então ele e seu vizinho mais próximo terão de levá-lo para a sua casa, segundo o número de almas; deveis cada um calcular proporcionalmente ao que come, quanto ao ovídeo. 5 O ovídeo para vós deve mostrar-se sadio, macho de um ano. Podeis escolhê-lo dentre os carneirinhos ou dentre os cabritos. 6 E terá de continuar a ser resguardado por vós até o dia quatorze deste mês, e toda a congregação da assembléia de Israel terá de abatê-lo entre as duas noitinhas. 7 E terão de tomar do sangue e esparrinhá-lo sobre as duas ombreiras e sobre a parte superior do portal pertencente às casas em que o comerão. 8 “‘E é nesta noite que eles terão de comer a carne. Devem comê-la assada ao fogo e com pães não fermentados, junto com ervas amargas. 9 Não comais nada dele cru ou cozido, cozido em água, mas assado ao fogo, sua cabeça junto com as suas pernas e suas partes internas. 10 E não deveis deixar nada dele sobrar até à manhã, mas o que sobrar dele até à manhã deveis queimar no fogo. 11 E é deste modo que o comereis: com os vossos quadris cingidos, sandálias nos vossos pés e vosso bastão na vossa mão; e tereis de comê-lo às pressas. É a páscoa de Jeová. 12 E nesta noite terei de passar pela terra do Egito e golpear todo primogênito na terra do Egito, desde o homem até o animal; e executarei julgamentos em todos os deuses do Egito. Eu sou Jeová. . .

Recorrendo a outras versões temos:

Assim verte a Tradução Almeida:

(Êxodo 12:3-12) 3 Falai a toda a congregação de Israel, dizendo: Ao décimo dia deste mês tomará cada um para si um cordeiro, segundo as casas dos pais, um cordeiro para cada família. 4 Mas se a família for pequena demais para um cordeiro, tomá-lo-á juntamente com o vizinho mais próximo de sua casa, conforme o número de almas; conforme ao comer de cada um, fareis a conta para o cordeiro. 5 O cordeiro, ou cabrito, será sem defeito, macho de um ano, o qual tomareis das ovelhas ou das cabras, 6 e o guardareis até o décimo quarto dia deste mês; e toda a assembléia da congregação de Israel o matará à tardinha: 7 Tomarão do sangue, e pô-lo-ão em ambos os umbrais e na verga da porta, nas casas em que o comerem. 8 E naquela noite comerão a carne assada ao fogo, com pães ázimos; com ervas amargosas a comerão. 9 Não comereis dele cru, nem cozido em água, mas sim assado ao fogo; a sua cabeça com as suas pernas e com a sua fressura. 10 Nada dele deixareis até pela manhã; mas o que dele ficar até pela manhã, queimá-lo-eis no fogo. 11 Assim pois o comereis: Os vossos lombos cingidos, os vossos sapatos nos pés, e o vosso cajado na mão; e o comereis apressadamente; esta é a páscoa do Senhor. 12 Porque naquela noite passarei pela terra do Egito, e ferirei todos os primogênitos na terra do Egito, tanto dos homens como dos animais; e sobre todos os deuses do Egito executarei juízos; eu sou o Senhor.

Assim verte a Edição Pastoral:

(Êxodo 12:3-12) 3 Falem assim a toda a assembléia de Israel: No dia dez deste mês, cada família tome um animal, um animal para cada casa. 4 Se a família for pequena para um animal, então ela se juntará com o vizinho mais próximo de sua casa. O animal será escolhido conforme o número de pessoas e conforme cada uma puder comer. 5 O animal deve ser macho, sem defeito, e de um ano. Vocês o escolherão entre os cordeiros ou entre os cabritos, 6 e o guardarão até o dia catorze deste mês, quando toda a assembléia de Israel o imolará ao entardecer. 7 Pegarão o sangue e o passarão sobre os dois batentes e sobre a travessa da porta, nas casas onde comerem o animal. 8 Nessa noite, comerão a carne assada no fogo e acompanhada de pão sem fermento com ervas amargas. 9 Vocês não comerão a carne crua nem cozida na água, mas assada no fogo: inteiro, com cabeça, pernas e vísceras. 10 Não deixarão restos para o dia seguinte; se sobrar alguma coisa, devem queimá-la no fogo. 11 Vocês devem comê-lo assim: com cintos na cintura, sandálias nos pés e cajado na mão; vocês o comerão às pressas, porque é a páscoa de Javé. 12 Nessa noite, eu passarei pela terra do Egito, matarei todos os primogênitos egípcios, desde os homens até os animais. E farei justiça contra todos os deuses do Egito. Eu sou Javé.



A páscoa não é uma “festividade” inventada pelo humano.

A páscoa era um ritual criado por Jeová, com um significado próprio daquela situação específica somente para aquela nação, que deveria ser entendida por toda a nação, que devia ser lembrado a cada ano e que devia ser repassado para as gerações seguintes daquela nação. As gerações seguintes lembrariam que seus antepassados passaram por aquela situação específica. As gerações seguintes lembrariam que aquela geração no Egito foi agraciada com a “páscoa de Jeová”. Eles deveriam lembrar: Jeová agraciou aquela geração do Egito com uma “pé-sahh”.

Trata-se de uma cerimônia.

O que é cerimônia??

Cerimônia – Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): conjunto de atos formais e solenes..., segundo regras estritas..

cerimônia

s.f. (sXIV) 1 conjunto de atos formais e solenes, de caráter religioso ou profano, segundo regras estritas; rito, solenidade <c. fúnebre> 2 p.ext. conjunto de atos informais, sem regras <a festa de aniversário foi uma linda c.> 3 p.ext. padrão de comportamento que expressa relação formal entre pessoas; etiqueta, protocolo <o ministro foi tratado com a c. que lhe era devida> 4 p.ext. manifestação de embaraço diante de pessoa ou acontecimento <mostrou c. na reunião com autoridades> 5 p.ext. ausência de traquejo social; acanhamento, timidez ² fazer c. recusar algo mesmo quando o deseja, por timidez • sem c. à vontade ¤ etim lat. caerimonìa ou caeremonìa,ae 'id.' ¤ sin/var ver sinonímia de timidez ¤ ant familiaridade; ver tb. antonímia de timidez ¤ par cerimonia(fl.cerimoniar); cerimônias(pl.) / cerimonias(fl.cerimoniar)


Aquele que cria a cerimônia atribui a ela os significados existentes em sua mente. Depois, o criador da cerimônia, externa para outros quais são estes significados.

Agora vejamos o significado de festividade.

Festividade – Esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): festa de grandes proporções; grande festa, festival;

festividade

s.f. (1648) 1 festa de grandes proporções, grande festa; festival 2 festa de cunho religioso ou cívico 3 grande júbilo, alegria desmedida; regozijo ¤ etim lat. festivìtas,átis 'alegria, prazer de um dia de festa; dia de festa'


Pudemos observar que a páscoa não era uma festividade. Será que aqueles humanos tiveram motivos para “festejar”??

Por desconhecer o real significado dado por Jeová à páscoa, os humanos poderiam vê-la como uma festividade, não é mesmo??

Desconhecendo o real significado atribuído pelo criador da cerimônia, os participantes atribuiriam outros significados a esta cerimônia.

Será que isto devia influenciar o dia a dia das gerações seguintes??

Qual foi o objetivo de Jeová ao criar tal cerimônia?? O que será que Jeová queria que os descendentes de Jacó percebessem??

Quem é que estava fazendo a “páscoa”??

Quem é que estava “passando por alto”??

Jeová estava fazendo algo, e queria que os beneficiados percebessem.

Páscoa, a palavra escolhida por Jeová, representava uma ação tomada por Jeová em relação a eles, isto é, os israelitas.

Jeová queria que aquele incidente ficasse marcado.

Jeová estava fazendo a “páscoa”. Jeová estava “passando por alto”.

Que espécie de visão teriam os israelitas em relação àquela ação de Jeová diretamente contra os primogênitos dos egípcios?? Até aquele momento, as pragas atacavam o humano de forma indireta.

De quem era a páscoa??



Os primogênitos dos israelitas foram “passados por alto” (pé-sahh).

Qual o motivo dos primogênitos israelitas terem sido “passados por alto” (pé-sahh)??



Que mais disse Jeová para a nação de Israel em relação àquela situação específica entre Ele e a nação de Israel??

(Êxodo 12:13) 13 E o sangue terá de servir de sinal para vós nas casas em que estais; e terei de ver o sangue e terei de “passar-vos por alto”, e a praga não virá sobre vós como ruína, quando eu golpear a terra do Egito.

Assim verte a Tradução Almeida:

(Êxodo 12:13) 13 Mas o sangue vos será por sinal nas casas em que estiverdes; vendo eu o sangue, “passarei por cima de vós”, e não haverá entre vós praga para vos destruir, quando eu ferir a terra do Egito. :

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Êxodo 12:13) 13 O sangue vos será por sinal nas casas em que estiverdes: quando eu vir o sangue, passarei por vós, e não haverá entre vós praga para vos destruir, quando eu ferir a terra do Egito.



O sangue colocado nas ombreiras das portas serviria de sinal. Vendo o sinal, passarei por alto; vendo o sinal, passarei por cima; vendo o sinal, eu passarei por vós.

Será que o Pai não sabia quem era israelita e quem não era israelita?? É óbvio que o Pai sabia. No entanto, ele pediu para que a marcação nos umbrais da porta fosse feita, não pediu??

Não havendo o sinal, o que faria o anjo de Jeová?? Ele mataria o primogênito que existisse ali naquela casa.

E terei de passar-vos por alto”.



Passar-vos por alto. Este é o significado da palavra páscoa.

"Lit.: passar por cima; passar por alto. Hebr.: pé-sahh."

Páscoa é igual a “passar por alto”.

Após Jeová detalhar para Moisés a Sua páscoa (pé-sahh), o que fez Moisés??

Moisés foi até o povo e repassou a informação dada por Jeová:

(Êxodo 12:21-23) 21 Moisés chamou prontamente todos os anciãos de Israel e disse-lhes: “Retirai e tomai para vós gado miúdo segundo as vossas famílias, e abatei a vítima pascoal. 22 E tendes de tomar um molho de hissopo e mergulhá-lo no sangue na bacia, e tendes de bater a parte superior do portal e as duas ombreiras com o sangue que está na bacia; e nenhum de vós deve sair para fora da entrada da sua casa até à manhã. 23 Então, quando Jeová passar para ferir os egípcios e deveras vir o sangue na parte superior do portal e nas duas ombreiras, Jeová certamente passará por alto a entrada e não permitirá que a ruína entre nas vossas casas para vos ferir.

Assim verte a Tradução Almeida:

(Êxodo 12:21-23) 21 Chamou, pois, Moisés todos os anciãos de Israel, e disse-lhes: Ide e tomai-vos cordeiros segundo as vossas famílias, e imolai a páscoa. 22 Então tomareis um molho de hissopo, embebê-lo-eis no sangue que estiver na bacia e marcareis com ele a verga da porta e os dois umbrais; mas nenhum de vós sairá da porta da sua casa até pela manhã. 23 Porque o Senhor passará para ferir aos egípcios; e, ao ver o sangue na verga da porta e em ambos os umbrais, o Senhor passará aquela porta, e não deixará o destruidor entrar em vossas casas para vos ferir.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Êxodo 12:21-23) 21 Chamou Moisés todos os anciãos de Israel e disse-lhes: Tirai do rebanho e tomai-vos cordeiros segundo as vossas famílias e matai a Páscoa. 22 Tomareis um molho de hissopo, ensopá-lo-eis no sangue que estiver na bacia, e marcareis a verga e as duas umbreiras com o sangue que estiver na bacia. Nenhum de vós sairá da porta da sua casa até pela manhã. 23 Pois Jeová passará para ferir os egípcios; quando vir o sangue sobre a verga e sobre as duas umbreiras, passará Jeová por aquela casa e não permitirá entrar o destruidor nas vossas casas para vos ferir.



Moisés confirmou o fato de Jeovápassar por alto” (pé-sahh) as casas que viessem a ser marcadas com o sangue do cordeiro abatido naquela noite.

Passar por alto a casa, não permitindo a entrada do destruidor.



O que mais disse Moisés em relação a esta cerimônia criada por Jeová??



(Êxodo 12:24-27) 24 E tereis de guardar esta observância como regulamento para ti e para os teus filhos por tempo indefinido. 25 E terá de acontecer que, quando entrardes na terra que Jeová vos dará, assim como declarou, então tereis de cuidar deste serviço. 26 E terá de acontecer que, quando os vossos filhos vos disserem: ‘Que significa para vós este serviço?’ 27então tereis de dizer: ‘É o sacrifício da páscoa a Jeová, que passou por alto as casas dos filhos de Israel no Egito quando feriu os egípcios, mas livrou as nossas casas.’”...

Assim verte a Tradução Almeida:

(Êxodo 12:24-27) 24 Portanto guardareis isto por estatuto para vós e para vossos filhos, para sempre. 25 Quando, pois, tiverdes entrado na terra que o Senhor vos dará, como tem prometido, guardareis este culto. 26 E quando vossos filhos vos perguntarem: Que quereis dizer com este culto? 27 Respondereis: Este é o sacrifício da páscoa do Senhor, que passou as casas dos filhos de Israel no Egito, quando feriu os egípcios, e livrou as nossas casas. Então o povo inclinou-se e adorou.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Êxodo 12:24-27) 24 Guardareis isto por estatuto para vós e para vossos filhos para sempre. 25 Quando tiverdes entrado na terra que Jeová vos há de dar, como tem prometido, observareis este serviço. 26 Quando vossos filhos vos perguntarem: Que quereis dizer com este rito? 27 respondereis: É o sacrifício da Páscoa de Jeová que passou as casas dos filhos de Israel no Egito, quando feriu aos egípcios e livrou as nossas casas. Então o povo, prostrando-se por terra, adorou.

Deixou de entrar em nossas casas, quando ao mesmo tempo entrava nas casas dos egípcios e matava os primogênitos dos egípcios.

Para Jeová a páscoa tinha um significado. Jeová desejava que o povo também visse a páscoa com o mesmo significado, pois Jeová sabia exatamente o que Ele queria com tal cerimônia.

Neste caso, a “páscoa” representava a sobrevivência dos primogênitos israelitas. Representava Jeová “passar por alto” os primogênitos israelitas.

Para Jeová representava Ele passar por alto os primogênitos israelitas, não matando-os. Jeová estava matando alguns merecedores e deixando de matar outros também merecedores.

Neste caso, os descendentes de Jacó, embora merecedores de morte, estavam sendo passados por alto por Jeová, ou seja, estavam sendo perdoados por Jeová, estavam sendo liberados de uma dívida por aquele que tinha o direito legal de cobrar.

Depois que Jeová passou no meio da terra do Egito, o que ocorreu?? Em praticamente cada casa existia um homem morto, pois foram mortos todos os primogênitos egípcios, tanto animal quanto humano. Que situação existia?? Todos os vivos estavam pesarosos. Havia plena tristeza pelos mortos, não é verdade??

O que fazer com os mortos?? Praticar os rituais e depois enterrar. A tristeza era coletiva.



O que disseram os egípcios aos israelitas??

(Êxodo 12:33) 33 E os egípcios começaram a pressionar o povo, a fim de mandá-los depressa para fora do país, “porque”, disseram eles, “a bem dizer já estamos todos mortos!”

Assim verte a Tradução Almeida:

(Êxodo 12:33) 33 E os egípcios apertavam ao povo, e apressando-se por lançá-los da terra; porque diziam: Estamos todos mortos.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Êxodo 12:33) 33 Os egípcios apertavam o povo, para o lançarem fora da terra à pressa, pois diziam: Todos nós somos mortos.



A situação dos egípcios era desesperadora, não era?? Havia um extremo pesar, não havia?? Estavam todos enlutados, não estavam?? Devemos respeitar o sentimento dos enlutados, não devemos??



Afinal de contas, porque estes homens foram deixados à parte?? Por que estes homens não receberam o mesmo tratamento dado aos egípcios??

Será que os egípcios eram iníquos enquanto os israelitas eram justos??



Bem, as ações dos egípcios revelavam que eles eram iníquos, não é verdade?? Eles eram os escravocratas, não eram??

Será que os israelitas eram pobres vítimas justas?? Eles eram os escravizados, não eram??

E quanto aos israelitas, será que suas ações provavam que eles eram justos??

O fato de ser vítima da escravidão torna tal pessoa em justa??

O que passaram a fazer os israelitas em face desta situação coletiva dos egípcios??



(Êxodo 12:35-36) 35 E os filhos de Israel fizeram segundo a palavra de Moisés, indo pedir dos egípcios objetos de prata, e objetos de ouro, e capas. 36 E Jeová deu ao povo favor aos olhos dos egípcios, de modo que estes lhes concederam o que se pedia; e despojaram os egípcios.

Assim verte a Tradução Almeida:

(Êxodo 12:35-36) 35 Fizeram, pois, os filhos de Israel conforme a palavra de Moisés, e pediram aos egípcios jóias de prata, e jóias de ouro, e vestidos. 36 E o Senhor deu ao povo graça aos olhos dos egípcios, de modo que estes lhe davam o que pedia; e despojaram aos egípcios.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Êxodo 12:35-36) 35 Fizeram também os filhos de Israel segundo as palavras de Moisés: pediram aos egípcios jóias de prata, e jóias de ouro, e vestidos. 36 Jeová deu ao povo graça aos olhos dos egípcios, de maneira que estes deram ao povo o que pedia. E despojaram aos egípcios.

Muitos apresentarão uma informação registrada sobre o diálogo do Pai Jeová com Moisés no monte Horebe.

(Êxodo 3:21-22) 21 E vou dar a este povo favor aos olhos dos egípcios; e certamente se dará que, quando fordes, não ireis de mãos vazias. 22 E cada mulher terá de pedir de sua vizinha e da mulher que reside como forasteira na sua casa objetos de prata e objetos de ouro, e capas, e tereis de pô-los sobre vossos filhos e vossas filhas; e tereis de despojar os egípcios.”


Assim verte a Tradução Bresileira:


(Êxodo 3:21-22) 21 Eu darei graça a este povo aos olhos dos egípcios; e, quando sairdes, não saireis vazios. 22 Mas cada mulher pedirá à sua vizinha e à sua hóspeda jóias de prata, jóias de ouro e vestidos; pô-los-eis sobre vossos filhos, e sobre vossas filhas, e despojareis aos egípcios.

Nesta informação registrada, é atribuída ao Pai Jeová a ação de pedir coisas tais como objetos de prata e objetos de ouro, bem como as vestimentas usadas pelos egípcios.

Vamos continuar a nossa sabatina.


O que é mesmo despojar??

Despojar – esta é a definição dada por certo dicionário (Houaiss): espoliar de seus pertences; roubar, saquear, defraudar.

despojar

v. (sXIII) 1 t.d. espoliar de seus pertences; roubar, saquear, defraudar <a tropa invadia residências, despojando os moradores> 2 bit. e pron. privar(-se) da posse; desapossar(-se) <o ladrão despojou-a de suas joias em plena rua> <é difícil d.-se de tudo que se tem> 3 t.d.bit. e pron. privar(-se) [do que revestia, adornava ou cobria]; despir(-se), desnudar(-se) <o outono começava a d. as árvores (de suas folhagens)> <despojou-se das joias e do vestido> 4 pron. pôr de lado; largar, abandonar, perder <despojando-se de seu orgulho, pediu perdão> ¤ gram a respeito da conj. deste verbo, ver -ojar ¤ etim esp. despojar 'id.' < lat. despoliáre, de espoliáre ¤ sin/var ver sinonímia de roubar e antonímia de enroupar ¤ ant ver sinonímia de enroupar ¤ hom despojo(1ªp.s.) / despojo \ô\ (s.m.)


Será que isto representava insensibilidade por parte dos israelitas?? Será que os israelitas se sentiam alegres com o que estava acontecendo com os egípcios??

Que coisa incrível, não é mesmo?? Aproveitando-se da situação dos egípcios para despojá-los de tesouros?? Eram coisas desejáveis aos olhos dos israelitas, tão desejáveis que sequer levaram em consideração a situação calamitosa em que se encontravam os egípcios enlutados.

O que será que Jeová pensava de tais ações do povo que Ele estava libertando da escravidão??

O perdão recebido estava ficando despercebido?? O perdoado não percebia nada??

Quem deveria repetir anualmente a cerimônia da páscoa?? Em face do significado muito particular de tal cerimônia, apenas os israelitas deviam participar de tal cerimônia. Não fazia sentido alguém que não fosse israelita participar em tal cerimônia.

No entanto, se um estrangeiro desejasse participar da cerimônia ele deveria ser circuncidado, assumindo assim oficialmente uma condição de cidadão israelita, adotando a nova cidadania. Assim agindo, este estrangeiro adotava a cidadania de israelita. Isto deixa bem claro que esta cerimônia tinha um caráter bem particular, pois relembrava um incidente específico do relacionamento entre o Deus Todo Poderoso, os Egípcios e os Israelitas, no qual Deuspassou por alto” os primogênitos do povo israelita em relação aos primogênitos dos egípcios.

(Êxodo 12:48-49) 48 E caso um residente forasteiro resida contigo e realmente celebre a páscoa para Jeová, seja circuncidado cada macho dele. Só então pode chegar-se para celebrá-la; e ele tem de tornar-se como o natural do país. Mas nenhum incircunciso pode comer dela. 49 Deve haver uma só lei para o natural e para o residente forasteiro que reside no vosso meio.”

Assim verte a Tradução Almeida;

(Êxodo 12:48-49) 48 Quando, porém, algum estrangeiro peregrinar entre vós e quiser celebrar a páscoa ao Senhor, circuncidem-se todos os seus varões; então se chegará e a celebrará, e será como o natural da terra; mas nenhum incircunciso comerá dela. 49 Haverá uma mesma lei para o natural e para o estrangeiro que peregrinar entre vós.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Êxodo 12:48-49) 48 Quando um estrangeiro peregrinar entre vós e quiser guardar a Páscoa a Jeová, circuncidem-se todos os seus machos, então se chegará e a observará. Será como o natural da terra, porém nenhum incircunciso comerá dela. 49 Haverá uma mesma lei para o natural e o estrangeiro que peregrina entre vós.



Centenas de anos depois da morte de Moisés, Jeová revelou algo estarrecedor em relação ao povo israelita quando este ainda estava no Egito. O que revelou Jeová??

Jeová afirmou: “Eu poderia ter exterminado o povo israelita enquanto ainda estavam no Egito”.

Como?? Eu poderia ter exterminado aquele povo que retirei do Egito??

Duas coisas estavam acontecendo simultaneamente, ou seja, a punição sobre os egípcios, que estava sendo percebida por todos, e o perdão do Pai para os israelitas, que estava passando despercebido por todos.

O Pai estava se refreando de exterminar os israelitas ali mesmo no meio da terra do Egito, e isto estava passando despercebido.

O que o Pai falou para Ezequiel, centenas de anos depois??

As palavras foram estas:

(Ezequiel 20:7-10) 7 E prossegui, dizendo-lhes: ‘Lançai fora, cada um de vós, as coisas repugnantes dos seus olhos, e não vos avilteis com os ídolos sórdidos do Egito. Eu sou Jeová, vosso Deus.’ 8 “‘“E eles começaram a rebelar-se contra mim e não quiseram escutar-me. As coisas repugnantes dos seus olhos eles não lançaram fora, individualmente, e não abandonaram os ídolos sórdidos do Egito, de modo que prometi derramar sobre eles o meu furor, a fim de levar a cabo a minha ira contra eles no meio da terra do Egito. 9 E eu prossegui, agindo em prol do meu próprio nome, para que não fosse profanado perante os olhos das nações entre as quais estavam, porque eu me dera a conhecer a eles perante os seus olhos, fazendo-os sair da terra do Egito. 10 Por isso os fiz sair da terra do Egito e os levei ao ermo.

Assim verte a Tradução Almeida:

(Ezequiel 20:7-10) 7 Então lhes disse: Lançai de vós, cada um, as coisas abomináveis que encantam os seus olhos, e não vos contamineis com os ídolos do Egito; eu sou o Senhor vosso Deus. 8 Mas rebelaram-se contra mim, e não me quiseram ouvir; não lançaram de si, cada um, as coisas abomináveis que encantavam os seus olhos, nem deixaram os ídolos de Egito; então eu disse que derramaria sobre eles o meu furor, para cumprir a minha ira contra eles no meio da terra do Egito. 9 O que fiz, porém, foi por amor do meu nome, para que não fosse profanado à vista das nações, no meio das quais eles estavam, a cujos olhos eu me dei a conhecer a eles, tirando-os da terra do Egito. 10 Assim os tirei da terra do Egito, e os levei ao deserto.



Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel 20:7-10) 7 Disse-lhes: Lançai de vós, cada uma as abominações dos seus olhos, e não vos contamineis com os ídolos do Egito; eu sou Jeová vosso Deus. 8 Mas rebelaram-se contra mim, e não me quiseram ouvir; não lançaram de si cada um as abominações dos seus olhos, nem abandonaram os ídolos do Egito: então eu disse que derramaria o meu furor contra eles, para cumprir contra eles a minha ira no meio da terra do Egito. 9 Mas o fiz por amor do meu nome, para que ele não fosse profanado à vista das nações, no meio das quais estavam, a cujos olhos eu me dei a conhecer a eles, tirando-os da terra do Egito. 10 Assim os fiz sair da terra do Egito, e os trouxe para o deserto.

Deixei de derramar sobre eles o meu furor sobre eles no meio da terra do Egito. Eles me deram motivos para derramar sobre eles o meu furor.

Não derramei sobre eles o meu furor por amor do meu nome, para que meu nome não fosse profanado à vista das nações.

Houve ofensa que causava furor, que causava a ira, que poderia lavá-los ao extermínio.

O Ofendido (Jeová) estava dando o seu depoimento.

Isto é algo estarrecedor. Não se tratava de pobres e inocentes vítimas sendo libertadas das garras do iníquo escravocrata.

Não eram os “israelitas” pobres e inocentes vítimas de escravidão por parte dos egípcios??

Não, os israelitas não eram pobres e inocentes vítimas de iniquidade.

Embora fossem vítimas de iniquidade, não eram inocentes vítimas.

Embora fossem vítimas da escravidão por parte dos egípcios, não eram inocentes vítimas.

O que Jeová falou centenas de anos depois??

O próprio Jeová deixou bem claro que podia tê-los exterminado quando ainda estavam no Egito. Jeová não falaria isto para um grupo de inocentes vítimas, ou será que afirmaria??

O perdão dado passou despercebido?? Os perdoados sequer perceberam o quanto tinham sido perdoados??

O que Jeová afirmou para Faraó??

(Êxodo 9:15-16) 15 Pois eu já poderia ter estendido minha mão para golpear a ti e a teu povo com pestilência, e para eliminar-te de cima da terra. 16 Mas, de fato, por esta razão te deixei em existência: para mostrar-te meu poder e para que meu nome seja declarado em toda a terra....

Assim verte a Tradução Almeida:

(Êxodo 9:15-16) 15 Agora, por pouco, teria eu estendido a mão e ferido a ti e ao teu povo com pestilência, e tu terias sido destruído da terra; 16 mas, na verdade, para isso te hei mantido com vida, para te mostrar o meu poder, e para que o meu nome seja anunciado em toda a terra.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Êxodo 9:15-16) 15 Agora eu poderia ter estendido a mão e ferido a ti e ao teu povo com pestilência, e tu terias sido cortado da terra; 16 mas deveras para isso te hei mantido em pé, para te mostrar o meu poder, e para que o meu nome seja anunciado em toda a terra.

Esta mesmíssima afirmação poderia ser dita para os israelitas no mesmíssimo momento e nos momentos posteriores do relacionamento entre Jeová e a nação de Israel, não poderia??



Não te exterminei para que o meu nome não fosse profanado perante os olhos das nações” – isto foi o que Jeová podia afirmar para a nação de Israel ainda no Egito. Coisa incrível, não é verdade??

Isto revela algo extremamente importante, não revela??

  1. Jeová estava mantendo um relacionamento com pessoas merecedoras do extermínio.

  2. Jeová estava praticando uma bondade para com alguém que merecia o extermínio.

  3. Jeová estava libertando da escravidão um povo que merecia o extermínio.

Desta forma, a cerimônia da páscoa, uma cerimônia criada pelo próprio Jeová, cuja palavra significa “passar por alto”, deveria ser vista pelos israelitas com os mesmos olhos que Jeová via.

Aquilo que Jeová estava dando a eles precisava ser percebido por eles.

Por muitas vezes a ira de Jeová havia produzido resultados visíveis aos humanos.

No entanto, o que Jeová deixou claro para Ezequiel??

Foram muitas as vezes em que fiquei irado, e que, no entanto, nada fiz contra o povo.

Todas as vezes que Eu não fiz nada contra o povo, o povo nada percebeu.

O perdão dado pode passar despercebido pelo perdoado?? Sim.

O perdão precisa ser percebido por aquele que recebe, pois se trata de algo invisível.

O que Jeová deixava bem claro com o passar por alto (páscoa) os primogênitos dos israelitas quando estavam no Egito??

Jeová estava passando por alto a transgressão. Este humano precisava estar ciente do que realmente havia acontecido. Este humano precisava se dar conta da sua real situação diante de Jeová.

Os israelitas podiam ver tal cerimônia como a cerimônia de um pobre e inocente povo que acabava de ser liberto de um iníquo povo escravocrata. Os israelitas podiam encontrar méritos em si mesmos em face dos egípcios terem recebido uma punição não recebida por eles no mesmo momento. Poderia ser vista como a vitória do bem sobre o mal.

Rotulando-se como inocentes, eles poderiam atribuir à páscoa um significado que fosse lógico com tal condição de pobres e inocentes vítimas.

Desta forma, a páscoa poderia ser comemorada como a libertação dos justos do jugo dos iníquos.

No entanto, embora fossem vítimas de escravocratas, eles não eram inocentes. Não eram pobres inocentes.

O pobre inocente não pratica ações que o fazem ser merecedor de extermínio, não é verdade??

Ao pobre inocente não se promete o extermínio. Não se fala em “levar à cabo a minha ira” contra alguém que é um pobre inocente.

Não devemos atribuir iniquidade a Jeová visando santificar o povo israelita.

Vamos ver uma ocasião que o perdão era dado, e que, no entanto, não era percebido pelo perdoado??

(Levítico 16:7-10) 7 E tem de tomar os dois bodes e fazê-los ficar de pé perante Jeová à entrada da tenda de reunião. 8 E Arão tem de tirar sortes sobre os dois bodes, uma sorte para Jeová e a outra sorte para Azazel. 9 E Arão tem de apresentar o bode sobre o qual recaiu a sorte para Jeová e tem de fazer dele uma oferta pelo pecado. 10 Mas o bode sobre o qual recaiu a sorte para Azazel deve ser posto vivo perante Jeová para fazer expiação por ele, a fim de ser enviado ao ermo, para Azazel.

(Levítico 16:20-22) 20 Quando tiver acabado de fazer expiação pelo lugar santo, e pela tenda de reunião, e pelo altar, então terá de apresentar o bode vivo. 21 E Arão tem de pôr ambas as suas mãos sobre a cabeça do bode vivo e confessar sobre ele todos os erros dos filhos de Israel e todas as suas revoltas em todos os seus pecados, e tem de pô-las sobre a cabeça do bode e tem de enviá-lo ao ermo pela mão de um homem preparado. 22 E o bode tem de levar sobre si todos os erros deles a uma terra desértica; e ele tem de enviar o bode ao ermo.

(Levítico 16:29-31) 29 E isso vos tem de servir de estatuto por tempo indefinido: No sétimo mês, no décimo [dia] do mês, deveis atribular as vossas almas, e não deveis fazer obra alguma, quer o natural quer o residente forasteiro que reside no vosso meio. 30 Pois neste dia se fará expiação por vós, para declarar-vos limpos. Sereis limpos de todos os vossos pecados perante Jeová. 31 É um sábado de completo repouso para vós, e tendes de atribular as vossas almas. É um estatuto por tempo indefinido.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Levítico 16:7-10) 7 Também tomará os dois bodes, e pô-los-á diante de Jeová à entrada da tenda da revelação. 8 Deitará sortes sobre os dois bodes; uma "para Jeová", e outra "para Azazel". 9 Apresentará o bode sobre que caiu a sorte "para Jeová", e oferecê-lo-á como oferta pelo pecado. 10 Mas o bode, sobre que caiu a sorte "para Azazel", pôr-se-á vivo diante de Jeová, para fazer expiação por ele, a fim de enviá-lo ao deserto para Azazel.

(Levítico 16:20-22) 20 Havendo acabado de fazer expiação pelo santo lugar, pela tenda da congregação e pelo altar, apresentará o bode vivo. 21 Porá ambas as mãos sobre a cabeça do bode vivo, e sobre ele confessará todas as iniqüidades dos filhos de Israel, e todas as suas transgressões, a saber, todos os seus pecados. Pô-los-á sobre a cabeça do bode, e enviá-lo-á ao deserto por mão dum homem que está encarregado disso. 22 O bode levará sobre si todas as iniqüidades deles para uma região solitária; e o homem soltará o bode no deserto.

(Levítico 16:29-31) 29 Isso vos será por estatuto perpétuo: no sétimo mês aos dez dias do mês afligireis as vossas almas, e não fareis trabalho algum, nem o natural, nem o estrangeiro que peregrina entre vós; 30 pois nesse dia se fará expiação por vós, para vos purificar; de todos os vossos pecados sereis limpos diante de Jeová. 31 É sábado de descanso solene para vós, e afligireis as vossas almas; é estatuto perpétuo.

Quem confessava os pecados do povo era o sacerdote e somente aquilo que ele considerasse como pecado. Por exemplo, sendo Israel uma nação escravocrata, ele não confessava como pecado, estar escravizando outros humanos.

Será que cada humano perdoado estava se dando conta de sua real condição diante de Jeová?? Óbvio que não.

Neste caso, o perdão passava despercebido.

O que há mais a se considerar em relação à pé-sahh de Jeová??

Vamos continuar..

O que ocorreu na páscoa que Jesus celebrou com os apóstolos?? Será que também houve perdão despercebido??

Logo depois de se iniciar a celebração da páscoa, o que ocorreu??

(Lucas 22:24) 24 No entanto, levantou-se também uma disputa acalorada entre eles sobre qual deles parecia ser o maior.

Assim verte a Tradução Almeida:

(Lucas 22:24) 24 Levantou-se também entre eles contenda, sobre qual deles parecia ser o maior.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Lucas 22:24) 24 Houve também entre eles uma discussão sobre qual deles era considerado o maior.

Assim verte a Tradução Almeida:

(Lucas 22:24) 24 Levantou-se também entre eles contenda, sobre qual deles parecia ser o maior.



Que palavras lhes foram faladas por Jesus??

(Lucas 22:25-27) 25 Mas ele lhes disse: “Os reis das nações dominam sobre elas, e os que têm autoridade sobre elas são chamados de Benfeitores. 26 Vós, porém, não deveis ser assim. Mas, que o maior entre vós se torne como o mais jovem, e o que age como principal, como aquele que ministra. 27 Pois, quem é maior, aquele que se recosta à mesa ou aquele que ministra? Não é aquele que se recosta à mesa? Mas eu estou no vosso meio como quem ministra.


Assim verte a Tradução Almeida:

(Lucas 22:25-27) 25 Ao que Jesus lhes disse: Os reis dos gentios dominam sobre eles, e os que sobre eles exercem autoridade são chamados benfeitores. 26 Mas vós não sereis assim; antes o maior entre vós seja como o mais novo; e quem governa como quem serve. 27 Pois qual é maior, quem está à mesa, ou quem serve? porventura não é quem está à mesa? Eu, porém, estou entre vós como quem serve.

Este desejo de ser grande e esta competição para ser maior certamente levavam para a desunião. O sentimento de Jesus era o oposto do sentimento dos seus apóstolos.

Será que os apóstolos necessitavam de algo além das palavras faladas por Jesus??

Bem, Jesus providenciou algo que marcasse aquele incidente provocado pelo espírito de competição de seus apóstolos. Certamente, aquilo que Jesus decidiu fazer iria ficar gravado na mente dos apóstolos e seria lembrado pelas futuras gerações de discípulos.

O que fez Jesus??

(João 13:4-9) 4 levantou-se da refeição noturna e pôs de lado a sua roupagem exterior. E, tomando uma toalha, cingiu-se. 5 Depois pôs água numa bacia e principiou a lavar os pés dos discípulos e a enxugá-los com a toalha de que estava cingido. 6 E, assim chegou a Simão Pedro. Este lhe disse: “Senhor, estás lavando os meus pés?” 7 Em resposta, Jesus disse-lhe: “O que estou fazendo, tu não entendes atualmente, mas entenderás depois destas coisas.” 8 Pedro disse-lhe: “Certamente nunca lavarás os meus pés.” Jesus respondeu-lhe: “A menos que eu te lave, não tens parte comigo.” 9 Simão Pedro disse-lhe: “Senhor, não só os meus pés, mas também as minhas mãos e a minha cabeça.”


Assim verte a Tradução Almeida:

(João 13:4-9) 4 levantou-se da ceia, tirou o manto e, tomando uma toalha, cingiu-se. 5 Depois deitou água na bacia e começou a lavar os pés aos discípulos, e a enxugar-lhos com a toalha com que estava cingido. 6 Chegou, pois, a Simão Pedro, que lhe disse: Senhor, lavas-me os pés a mim? 7 Respondeu-lhe Jesus: O que eu faço, tu não o sabes agora; mas depois o entenderás. 8 Tornou-lhe Pedro: Nunca me lavarás os pés. Replicou-lhe Jesus: Se eu não te lavar, não tens parte comigo. 9 Disse-lhe Simão Pedro: Senhor, não somente os meus pés, mas também as mãos e a cabeça.

No entanto os apóstolos ainda não haviam entendido o que Jesus estava fazendo e tampouco o porquê.

Quais palavras falou Jesus depois desta sua ação??

(João 13:12-17) 12 Tendo então lavado os pés deles e vestido a sua roupagem exterior, e tendo-se deitado novamente à mesa, disse-lhes: “Sabeis o que vos tenho feito? 13 Vós me chamais de ‘Instrutor’ e ‘Senhor’, e falais corretamente, pois eu o sou. 14 Portanto, se eu, embora Senhor e Instrutor, lavei os vossos pés, vós também deveis lavar os pés uns dos outros. 15 Pois estabeleci o modelo para vós, a fim de que, assim como eu vos fiz, vós também façais. 16 Digo-vos em toda a verdade: O escravo não é maior do que o seu amo, nem é o enviado maior do que aquele que o enviou. 17 Se sabeis estas coisas, felizes sois se as fizerdes.


Assim verte a Tradução Almeida:

(João 13:12-17)12 Ora, depois de lhes ter lavado os pés, tomou o manto, tornou a reclinar-se à mesa e perguntou-lhes: Entendeis o que vos tenho feito? 13 Vós me chamais Mestre e Senhor; e dizeis bem, porque eu o sou. 14 Ora, se eu, o Senhor e Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns aos outros. 15 Porque eu vos dei exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também. 16 Em verdade, em verdade vos digo: Não é o servo maior do que o seu senhor, nem o enviado maior do que aquele que o enviou. 17 Se sabeis estas coisas, bem-aventurados sois se as praticardes.

Como rei que sou, eu estabeleci o modelo para vossa maneira de agir no dia a dia, pois em lugar de buscar e disputar ser maior, deveis ser prestativos uns para com outros, logo, comportai-vos como escravos uns dos outros.

Deviam se envergonhar por persistirem com tal espírito de competição, não deveriam?? Agora, ao lembrarem-se desta cena proporcionada por Jesus, certamente não se esqueceriam do motivo de Jesus precisar fazer tal cena, não é verdade?? Desta forma, aquela cerimônia da páscoa recebeu uma marca inesquecível. Todos os demais discípulos de Jesus se lembrariam do acontecido. Não só se lembrariam do que Jesus fez, como também do porquê Jesus o fez.

O que mais estes homens fariam neste dia de páscoa??

(Mateus 26:31-35) 31 Jesus disse-lhes então: “Esta noite, todos vós tropeçareis em conexão comigo, pois está escrito: ‘Golpearei o pastor, e as ovelhas do rebanho ficarão espalhadas.’ 32 Mas, depois de eu ter sido levantado, irei adiante de vós para a Galiléia.” 33 Mas Pedro, em resposta, disse-lhe: “Ainda que todos os outros tropecem em conexão contigo, eu nunca tropeçarei!” 34 Jesus disse-lhe: “Deveras, eu te digo: Esta noite, antes de cantar o galo, repudiar-me-ás três vezes.” 35 Pedro disse-lhe: “Mesmo que eu tenha de morrer contigo, de modo algum te repudiarei.” Todos os outros discípulos disseram também a mesma coisa.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Mateus 26:31-35) 31 Então lhes disse Jesus: A todos vós serei esta noite uma pedra de tropeço: pois está escrito: Ferirei o pastor, e as ovelhas do rebanho ficarão dispersas; 32 mas depois que eu ressuscitar, irei adiante de vós para a Galiléia. 33 Disse-lhe Pedro: Ainda que sejas para todos uma pedra de tropeço, nunca o serás para mim. 34 Declarou-lhe Jesus: Em verdade te digo que esta noite, antes de cantar o galo, três vezes me negarás. 35 Replicou-lhe Pedro: Ainda que me seja necessário morrer contigo, de nenhum modo te negarei. Todos os discípulos disseram o mesmo.

Além de Judas Iscariotes trair Jesus, todos os demais apóstolos, que haviam se envolvido em uma disputa de superioridade entre si, iriam abandonar Jesus. Ainda nesta ocasião, Pedro afirmou ser melhor que os demais.

Pedro afirmou:

Jesus, mesmo que todos os demais tropecem, eu não o farei.

Esta arrogância de Pedro não ficaria sem resposta. O que lhe disse Jesus??

Jesus afirmou:

Será que Jesus guardaria algum ressentimento dos seus apóstolos?? O que Jesus afirmou para eles??

Não havia motivos suficientes para uma pé-sahh de Jesus em relação aos seus apóstolos?? Havia transgressões a serem passadas por alto.

O que aconteceu aos apóstolos que prometeram morrer com Jesus??

Primeiro vamos ver o que aconteceu com aqueles três homens que estavam no monte e ouviram Jeová falando: Este é o meu filho amado, escutai-o.

Quem eram eles??

Pedro, Tiago e João.

O que fizeram estes três homens naquele dia da páscoa deles??

(Mateus 26:36-45) 36 Jesus chegou então com eles a um lugar chamado Getsêmani e disse aos discípulos: “Sentai-vos aqui enquanto eu vou para lá orar.” 37 E, levando consigo Pedro e os dois filhos de Zebedeu, principiou a ficar contristado e muito aflito. 38 Disse-lhes então: “Minha alma está profundamente contristada, até à morte. Ficai aqui e mantende-vos vigilantes comigo.” 39 E, indo um pouco mais adiante, prostrou-se com o rosto [em terra], orando e dizendo: “Pai meu, se for possível, deixa que este copo se afaste de mim. Contudo, não como eu quero, mas como tu queres.” 40 E ele veio aos discípulos e achou-os dormindo, e disse a Pedro: “Não pudestes vigiar comigo nem mesmo por uma hora? 41 Mantende-vos vigilantes e orai continuamente, para que não entreis em tentação. O espírito, naturalmente, está ansioso, mas a carne é fraca.” 42 Novamente, pela segunda vez, afastou-se e orou, dizendo: “Pai meu, se não é possível que isto se afaste de mim sem que eu o beba, realize-se a tua vontade.” 43 E veio novamente e os encontrou dormindo, pois estavam com os olhos pesados. 44 Portanto, deixando-os, afastou-se novamente e orou pela terceira vez, dizendo mais uma vez a mesma palavra. 45 Veio então ter com os discípulos e disse-lhes: “Numa ocasião destas, vós estais dormindo e descansando! Eis que se tem aproximado a hora para o Filho do homem ser traído às mãos de pecadores.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Mateus 26:36-45) 36 Em seguida foi Jesus com eles a um lugar chamado Getsêmani, e disse a seus discípulos: Sentai-vos aqui, enquanto eu vou ali orar. 37 Levando consigo a Pedro e aos dois filhos de Zebedeu, começou a entristecer-se e angustiar-se. 38 Então lhes disse: A minha alma está numa tristeza mortal; ficai aqui, e vigiai comigo. 39 Adiantando-se um pouco, prostrou-se com o rosto em terra e orou: Pai meu, se é possível, passe de mim este cálice; todavia não seja como eu quero, mas como tu queres. 40 Depois voltou para seus discípulos e, encontrando-os dormindo, perguntou a Pedro: Nem ao menos uma hora pudestes vigiar comigo? 41 Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca. 42 Tornando a retirar-se, orou: Pai meu, se este cálice não pode passar sem que eu o beba, faça-se a tua vontade. 43 Voltando outra vez, encontrou-os dormindo, porque estavam com os olhos pesados. 44 Deixando-os novamente, foi orar pela terceira vez, repetindo as mesmas palavras. 45 Então voltou para os discípulos, dizendo-lhes: Agora dormi e descansai; está próxima a hora, e o Filho do homem está sendo traído nas mãos de pecadores.

Bem, estes três homens eram os que haviam recebido privilégios especiais em relação a companhia de Jesus. Também eram aqueles que mais disputavam a superioridade entre os doze. Tinham motivos para se sentirem especiais em relação aos demais, não tinham??

Foram estes três os chamados por Jesus para revelarem todo sentimento de amizade que afirmavam ter por Jesus.

Como se comportaram??

Ora, se Jesus dependesse destes três amigos para se sentir fortalecido para enfrentar o que estava por vir, em que situação se encontraria Jesus?? Certamente se encontraria arrasado.

Era um momento especial para Jesus. Era um instante que precedia aquele momento de glória de Jesus.

O que Jesus havia pedido a estes três, neste momento de tensão emocional para ele??

Fiquem acordados comigo.

Apenas isto??

Sim, apenas isto.

No entanto, por três vezes estes homens sucumbiram na possível ajuda que poderiam dar para Jesus.

Alguns minutos depois, o que mais fizeram estes e os demais companheiros inseparáveis de Jesus??

(Mateus 26:56) 56 Mas tudo isso se tem realizado para que se cumprissem as escrituras dos profetas.” Todos os discípulos o abandonaram então e fugiram.


Assim verte a Tradução Almeida:

(Mateus 26:56) 56 Mas tudo isso aconteceu para que se cumprissem as Escrituras dos profetas. Então todos os discípulos, deixando-o fugiram.

Que noite terrível para os doze apóstolos!!!

Havia muita coisa do que se envergonhar diante de Jesus, somente deste dia, não havia?? Será que o perdão dado por Jesus ficou despercebido??

Depois da ressurreição de Jesus, estes homens se reapresentariam diante de Jesus, não é verdade?? Havia motivos para se envergonharem diante de Jesus, não havia??

Haviam sido informados do que fariam, negaram veementemente que fariam e terminaram por fazer. Prometeram para Jesus: “Mesmo que tenhamos de morrer contigo, jamais te repudiaremos”.

Sabemos que Jesus jamais confiaria nestas palavras de seus amados apóstolos.

Havia péssimas lembranças para este dia, não havia?? Assim como no caso dos humanos no Egito, será que o perdão dado por Jesus ficou despercebido a seus apóstolos??

Será que conseguiriam comemorar o aniversário deste dia?? Havia motivos para festejar este dia?? Pelo menos em relação às suas próprias ações, os apóstolos não tinham nada a festejar neste dia.

De forma oposta, quais foram as ações de Jesus neste dia??

Não continuou perdoando os doze apóstolos?? Não lhes ensinou lições de humildade, de passividade e de misericórdia??

Jesus pediu para repetirem a cerimônia em lembrança dele. Lembrança do que ele havia feito por eles neste dia, não é verdade?? Afinal de contas, o que havia feito Jesus por aqueles doze homens naquele dia??

Não deveria ser um dia de muita vergonha para eles?? Se o perdão dado por Jesus não ficasse despercebido deles, certamente se envergonhariam e muito.

Este foi o dia em que os doze apóstolos foram marcados por praticarem ações contra tudo aquilo que Jesus lhes havia ensinado. De tudo aquilo que Jesus havia semeado nos corações dos doze apóstolos, que bons frutos puderam ser colhidos??

Não vos esqueçais deste dia. Não esqueçais do que eu fiz neste dia.

Bem, e quanto ao ritual estabelecido por Jesus??

O que aquele ritual com o pão e o vinho representava para Jesus??

O que aquele ritual representava para os doze apóstolos??

O que aquele ritual passou a representar para os demais discípulos de Jesus??

Comer o pão e beber o vinho?? Comer a carne e beber o sangue de Jesus??

Será que o significado era o mesmo??

Deveria ser, afinal de contas, Jesus falou que deveria haver uma união plena entre ele e todos os discípulos, união esta que representaria uma unidade, uma unidade tal qual a existente entre Jesus e o Pai celestial. Deviam pensar e falar de forma uniforme, não deveriam??

Milhares de anos depois daquele dia, o que têm afirmado os discípulos de Jesus sobre aquela data e o significado dela??

Um dos grupos religiosos, assim descreve esta ocasião: “Na noite antes de morrer, Jesus instruiu seus discípulos a relembrar o SACRIFÍCIO que ele estava prestes a fazer, pois ele disse: persisti em fazer isso em memória de mim – Lucas 22:19”.

Daí, convidam pessoas a estarem presentes para uma breve palestra na qual será explicado o por que A MORTE de Jesus é tão importante.

Vemos algo parecido com o que aconteceu com a pé-sahh criada e instituída por Jeová??

Sim, vemos.

O que é??

Não perceberem a condição de amplamente perdoados dos que estavam celebrando aquela pé-sahh com Jesus. Era o momento em que Jesus estava praticando o pé-sahh (passar por alto a transgressão) com os seus doze apóstolos.

A atenção é voltada para o sacrifício. A atenção é voltada para a morte da vítima sacrificial. O sacrifício serviu para...

(Êxodo 12:24-27) 24 E tereis de guardar esta observância como regulamento para ti e para os teus filhos por tempo indefinido. 25 E terá de acontecer que, quando entrardes na terra que Jeová vos dará, assim como declarou, então tereis de cuidar deste serviço. 26 E terá de acontecer que, quando os vossos filhos vos disserem: ‘Que significa para vós este serviço?’ 27então tereis de dizer: É o sacrifício da páscoa a Jeová, que passou por alto as casas dos filhos de Israel no Egito quando feriu os egípcios, mas livrou as nossas casas.’”...

Assim verte a Tradução Almeida:

(Êxodo 12:24-27) 24 Portanto guardareis isto por estatuto para vós e para vossos filhos, para sempre. 25 Quando, pois, tiverdes entrado na terra que o Senhor vos dará, como tem prometido, guardareis este culto. 26 E quando vossos filhos vos perguntarem: Que quereis dizer com este culto? 27 Respondereis: Este é o sacrifício da páscoa do Senhor, que passou as casas dos filhos de Israel no Egito, quando feriu os egípcios, e livrou as nossas casas. Então o povo inclinou-se e adorou.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Êxodo 12:24-27) 24 Guardareis isto por estatuto para vós e para vossos filhos para sempre. 25 Quando tiverdes entrado na terra que Jeová vos há de dar, como tem prometido, observareis este serviço. 26 Quando vossos filhos vos perguntarem: Que quereis dizer com este rito? 27 respondereis: É o sacrifício da Páscoa de Jeová que passou as casas dos filhos de Israel no Egito, quando feriu aos egípcios e livrou as nossas casas. Então o povo, prostrando-se por terra, adorou.

Despercebendo a condição de muito perdoados neste dia, Moisés exaltou o “sacrifício da páscoa”, e durante os séculos, os israelitas valorizaram o “sacrifício” da vítima pascoal, e o comer a páscoa. O ritual era repetido, era valorizada a morte do animal e não era repetido o aspergir o sangue nas três partes do portal das casas. O importante era matar o animal e comer sua carne em uma grande festividade.

Por que Moisés e o povo exaltavam o sacrifício??

Quem era sacrificado??

Qual o significado de sacrifício??

Sacrifício – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: oferenda ritual a uma divindade que se caracteriza pela imolação real ou simbólica de uma vítima, ou pela entrega da coisa ofertada;

sacrifício

s.m. (sXIII) ato ou efeito de sacrificar(-se) 1 oferenda ritual a uma divindade que se caracteriza pela imolação real ou simbólica de uma vítima ou pela entrega da coisa ofertada <s. de animais> 2 pessoa ou coisa sacrificada <Isaac foi o s. oferecido por Abraão> 3 renúncia voluntária ou privação voluntária por razões religiosas, morais ou práticas <a vida de atleta exige grandes s.> <fez grandes s. pela democracia> 4 privação financeira em proveito de alguém <é capaz de qualquer s. para dar conforto à família> 5 a missa ² espírito de s. tendência a sacrificar-se ou a ceder sem benefício imediato • ir para o s. turfe B infrm. participar (o cavalo) de uma corrida apenas para ajudar outro a vencer • santo s. a missa ¤ etim lat. sacrificìum,ìi 'sacrifício' ¤ sin/var ver sinonímia de imolação



Qual era a vítima deste sacrifício?? Uma ovelha ou cabrito eram mortos e oferecidos a Jeová qual divindade??

O que o Pai havia dito??

O animal deve ser macho, sem defeito, e de um ano. Vocês o escolherão entre os cordeiros ou entre os cabritos, 6 e o guardarão até o dia catorze deste mês, quando toda a assembléia de Israel o imolará ao entardecer. 7 Pegarão o sangue e o passarão sobre os dois batentes e sobre a travessa da porta, nas casas onde comerem o animal. 8 Nessa noite, comerão a carne assada no fogo e acompanhada de pão sem fermento com ervas amargas. 9 Vocês não comerão a carne crua nem cozida na água, mas assada no fogo: inteiro, com cabeça, pernas e vísceras.

Um cordeiro ou um cabrito por família, dependendo do tamanho da família.

Será que o sangue deste animal estava sendo oferecido a Jeová em TROCA da vida dos primogênitos de cada casa??

O que disse Jeová sobre isto??

O que Jeová falou para Moisés??

(Números 3:11-13) 11 E Jeová continuou a falar a Moisés, dizendo: 12 Quanto a mim, eis que deveras tomo os levitas dentre os filhos de Israel em lugar de todos os primogênitos dos filhos de Israel, que abrem a madre; e os levitas têm de tornar-se meus. 13 Pois todo primogênito é meu. No dia em que golpeei todo primogênito na terra do Egito santifiquei para mim todo primogênito em Israel, desde o homem até o animal. Devem tornar-se meus. Eu sou Jeová.”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Números 3:11-13) 11 Disse mais Jeová a Moisés: 12 Eu, eis que eu tenho tomado os levitas dentre os filhos de Israel em lugar de todo o primogênito que abre a madre entre os filhos de Israel, e os levitas serão meus; 13 pois todos os primogênitos são meus. No dia em que feri todos os primogênitos na terra do Egito consagrei para mim a todos os primogênitos em Israel, desde o homem até o animal; serão meus: eu sou Jeová.

Não houve troca do sangue dos animais pela vida dos primogênitos de Israel. Como Eu feri os primogênitos do Egito, então eu santifiquei para mim os primogênitos de Israel, tanto animais como humanos. Em face disto, todos os primogênitos de Israel são Meus. Desde o homem até o animal.

Neste caso, Jeová pegou para Si todos os primogênitos dos filhos de Israel, desde o homem até o animal. Ficou bem claro que o sangue daqueles animais não serviam como moeda de troca pela vida dos primogênitos humanos e animais.

Ficou bem claro que a morte de ovelhas e cabritos naquela pé-sahh do Egito tinha um significado específico para o Pai, enquanto tinha outro significado específico para aqueles que participaram dela, bem como para aqueles que recordavam aquela data.

O sangue dos animais pagaria pela vida dos primogênitos e tudo estaria quites?? No entanto, estando quites, porque outras vítimas passariam a ser mortas se aquelas primeiras haviam servido de moeda de troca?? Outras vítimas continuariam a ser sacrificadas apenas como recordação?? No entanto, não foi este o caso.

Como compensação pelos primogênitos dos egípcios Eu tomarei para Mim os primogênitos dos filhos de Israel. A compensação ocorreu neste termos.

Depois Jeová falou mais: Em lugar dos primogênitos de todas as tribos, Eu vou ficar apenas com os primogênitos da tribo de Levi. Estes passam a ser Meus.

O que vou fazer com eles??

Vou usá-los nos Meus serviços diante do povo e para o povo.

(Números 3:44-51) 44 E Jeová continuou a falar a Moisés, dizendo: 45 Toma os levitas em lugar de todos os primogênitos entre os filhos de Israel e os animais domésticos dos levitas em lugar dos seus animais domésticos; e os levitas têm de tornar-se meus. Eu sou Jeová. 46 E como preço de resgate dos duzentos e setenta e três dos primogênitos dos filhos de Israel que excedem os levitas 47 tens de tomar cinco siclos por cabeça. Deves tomá-lo em siclos do lugar santo. Um siclo são vinte geras. 48 E tens de dar o dinheiro a Arão e a seus filhos como preço de resgate dos excedentes deles.” 49 Assim, Moisés tomou o dinheiro do preço de redenção daqueles que excediam o preço de resgate dos levitas. 50 Tomou o dinheiro dos primogênitos dos filhos de Israel, mil trezentos e sessenta e cinco siclos, em siclos do lugar santo. 51 Moisés deu então o dinheiro do preço de resgate a Arão e a seus filhos por ordem de Jeová, assim como Jeová mandara a Moisés.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Números 3:44-51) 44 Disse Jeová a Moisés: 45 Toma os levitas em lugar de todos os primogênitos entre os filhos de Israel, e o gado dos levitas em lugar do gado deles; os levitas serão meus: eu sou Jeová. 46 Pela redenção dos duzentos e setenta e três dos primogênitos dos filhos de Israel, que excedem o número dos levitas, 47 receberás cinco siclos por cabeça: recebê-los-ás segundo o siclo do santuário (o siclo tem vinte obolos), 48 e darás a Arão e a seus filhos o dinheiro, com o qual são remidos os que são demais entre eles. 49 Moisés recebeu o dinheiro da redenção dos que excederam o número dos que foram remidos em lugar dos levitas; 50 dos primogênitos dos filhos de Israel recebeu ele o dinheiro: mil e trezentos e sessenta e cinco siclos, segundo o siclo do santuário. 51 Moisés deu o dinheiro da redenção a Arão e a seus filhos, segundo a palavra de Jeová, como Jeová ordenou a Moisés.

Depois de se fazer a contagem de todos os primogênitos, duzentos e setenta e três foi o número dos que excediam aos primogênitos dos levitas. Em face disso houve uma compensação de cinco ciclos por cabeça em favor dos levitas que tinham a Arão como representante.

Tudo isto comprova que o sangue dos animais abatidos para a páscoa, não havia entrado em qualquer tipo de compensação. Ademais, outras vítimas continuavam a ser sacrificadas anualmente.

Embora a ocasião não fosse de festividade, eles a relembravam como uma festividade e a comemoravam como uma festividade. Relembravam como uma festividade de libertação.

O que tem ocorrido durante estes dois milênios em relação a esta nova páscoa, páscoa esta que foi instituída por Jesus??

Tem ocorrido celebrações da morte de Jesus??

Sim, tem ocorrido celebrações da morte de Jesus.

Neste dia, Jesus é exaltado por causa de sua morte sacrificial.

Afirma-se que a morte de Jesus é a coisa mais importante que o Pai providenciou para o humano. O Pai desejava o “sacrifício”, isto é, uma morte sacrificial de um filho, sacrifício este que seria oferecido a Ele, para que Ele desse o Seu perdão para todos os demais filhos??

Neste caso, trata-se de um sacrifício, morte sacrificial, feito para a reparação da condição de pecado do humano.

Morte sacrificial de um humano em troca de algo??

No lugar de dar, Deus estava trocando??

Morte sacrificial de um filho em troca de algo para o benefício de outros filhos??

Quando falamos em morte sacrificial de um humano para o benefício de outros humanos, do que nos lembramos??

Não nos lembramos dos sacrifícios de crianças feitas aos diversos deuses??

Qual o objetivo de tais sacrifícios??

Não era aplacar a ira dos deuses ou alcançar uma condição privilegiada ou um benefício pessoal ou coletivo junto a este deus??

Não havia sempre uma troca entre Baal e seus adoradores??

O sangue derramado não era usado como moeda de troca com Baal??

Sim, era.

O que aconteceu no caso de Baal e Elias??

(1 Reis 18:26-28) 26 Concordemente, tomaram o novilho que lhes deu. Prepararam-no então e continuaram a invocar o nome de Baal, desde a manhã até ao meio-dia, dizendo: “Ó Baal, responde-nos!” Mas não havia voz e não havia quem respondesse. E eles continuaram a mancar em volta do altar que tinham feito. 27 E sucedeu, ao meio-dia, que Elias começou a mofar deles e a dizer: “Clamai ao máximo da vossa voz, pois ele é deus; porque deve estar preocupado com algum assunto, e tem excremento e precisa ir à privada. Ou talvez esteja dormindo e precise acordar!” 28 E começaram a clamar ao máximo da sua voz e a fazer cortes em si mesmos com punhais e com lanças, segundo o seu costume, até derramarem sangue sobre si.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(1 Reis 18:26-28) 26 Tendo eles tomado o novilho que lhes fora dado, prepararam-no, e invocaram o nome de Baal desde a manhã até o meio dia, dizendo: Baal, responde-nos. Porém não havia voz, nem havia quem respondesse. Rodeavam manquejando o altar que se tinha feito. 27 Ao meio dia Elias zombava deles, e dizia: Gritai em altas vozes, pois ele é um deus; ou está meditando, ou está em retiro, ou está em viagem, ou porventura está dormindo, e necessita que o acordem. 28 Clamavam em altas vozes, e segundo o seu costume se retalhavam com facas e lancetas, até sair-lhes sangue.

Eles ofereceram seu sangue a Baal. Será que era Baal quem gostava de sangue??

Estes homens tinham o costume de oferecerem sangue para Baal, até mesmo sangue humano, ou seja, o seu próprio sangue.

Estes homens estavam pedindo algo para Baal e como Baal não os estava escutando, eles resolveram apelar para o sangue humano, aos olhos deles como sendo algo mais valioso para Baal. O que esperavam?? Que depois do sangue derramado, Baal resolvesse atendê-los.

Qual era o objetivo destes homens?? Usar o sangue humano para atrair a atenção de Baal.

O que outros humanos passaram a fazer para chamarem a atenção de Baal??

(Jeremias 19:5) 5 E construíram os altos de Baal para queimar seus filhos no fogo como holocaustos a Baal, algo que não ordenei nem falei, e que nem me subiu ao coração.”’


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Jeremias 19:5) 5 e edificaram os altos de Baal, para queimarem seus filhos no fogo em holocausto a Baal; o que não ordenei, nem falei, nem entrou na minha mente.

Ora, se outros ofereciam animais queimados a Baal, que reação teria Baal ao receber humanos queimados?? Estes humanos estavam oferecendo o sangue de seus próprios filhos?? Estes homens estavam queimando seus próprios filhos como oferendas para Baal??

O que será que estes homens tanto desejavam, que chegaram ao ponto de oferecerem seus filhos como sacrifícios queimados para Baal??

(2 Reis 17:17) e continuaram a fazer seus filhos e suas filhas passar pelo fogo e a praticar a adivinhação, e a procurar presságios, e foram vender-se para fazer o que era mau aos olhos de Jeová, para o ofender;



Um dos reis em Jerusalém também queimou seus filhos no fogo como oferta a Baal. Seu nome era Manassés.

(2 Crônicas 28:3) E ele mesmo fez fumaça sacrificial no vale do filho de Hinom e passou a queimar seus filhos no fogo, segundo as coisas detestáveis das nações que Jeová havia desalojado de diante dos filhos de Israel.




(2 Crônicas 33:6) E ele mesmo fez os seus próprios filhos passar pelo fogo no vale do filho de Hinom, e praticou a magia, e fez uso da adivinhação, e praticou a feitiçaria, e constituiu médiuns espíritas e prognosticadores profissionais de eventos. Fez em grande escala o que era mau aos olhos de Jeová para o ofender.



O que mais nos conta o historiador??


(2 Reis 17:16-18) 16 E continuaram a abandonar todos os mandamentos de Jeová, seu Deus, e passaram a fazer para si estátuas fundidas, dois bezerros, e a fazer um poste sagrado, e começaram a curvar-se diante de todo o exército dos céus e a servir a Baal; 17 e continuaram a fazer seus filhos e suas filhas passar pelo fogo e a praticar a adivinhação, e a procurar presságios, e foram vender-se para fazer o que era mau aos olhos de Jeová, para o ofender; 18 Por isso Jeová ficou muito irado com Israel, de modo que os removeu da sua vista. Não deixou restar ninguém, exceto somente a tribo de Judá.

O que motivava estes homens a fazerem tais coisas??

Vejamos o exemplo de outro rei. Seu nome era Acaz. Vejamos o que motivou Acaz a buscar outros deuses.


(2 Crônicas 28:22-25) 22 Todavia, no tempo em que lhe causava aflição, ele agiu de modo ainda mais infiel para com Jeová, isto é, o Rei Acaz o fez. 23 E começou a oferecer sacrifícios aos deuses de Damasco que o golpeavam, e prosseguiu, dizendo: “Uma vez que os deuses dos reis da Síria os ajudam, oferecerei sacrifícios a eles para que me ajudem.” E estes mesmos se tornaram causa de tropeço para ele e para todo o Israel. 24 Ainda mais, Acaz ajuntou os utensílios da casa do [verdadeiro] Deus e retalhou os utensílios da casa do [verdadeiro] Deus, e fechou as portas da casa de Jeová e fez para si altares em cada esquina de Jerusalém. 25 E em todas as cidades, sim, nas cidades de Judá, ele fez altos para fazer fumaça sacrificial a outros deuses, de modo que ofendeu a Jeová, o Deus de seus antepassados.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(2 Crônicas 28:22-25) 22 No tempo da sua angústia cometeu ainda maiores transgressões contra Jeová, este mesmo rei Acaz. 23 Pois ofereceu sacrifícios aos deuses de Damasco, que o feriram, e disse: Porque os deuses dos reis da Síria os ajudam, portanto lhes oferecerei sacrifícios, para que me ajudem a mim. Porém eles foram a ruína dele e de todo o Israel. 24 Acaz ajuntou os vasos da casa de Deus, fê-los em pedaços, e fechou as portas da casa de Jeová; e fez para si altares em todos os cantos de Jerusalém. 25 Em cada uma das cidades de Judá fez altos para queimar incenso a outros deuses, e provocou a ira de Jeová, Deus de seus pais.

Acaz se revoltou contra Jeová, aquele Deus que ele achava que faria as coisas que ele queria. Como Jeová não fez o que ele desejava, ele retalhou os utensílios e fechou as portas do templo de Jeová. Se este Deus não faz aquilo que eu desejo, eu vou procurar outro deus que satisfaça a minha vontade.

Ora, se os deuses da Assíria os ajudam a vencer as batalhas, então eu também vou oferecer sacrifícios a eles para que me ajudem.

O que estes homens queriam??

Ter alguém poderoso a quem ele, visando agradar, oferecesse sacrifícios EM TROCA de algo que o rei desejava.

Eu fiz os sacrifícios, não fiz?? Então, por que não satisfaz a minha vontade? Então, por que não defende a nossa cidade?? Então, por que não nos dá a vitória sobre nossos inimigos??

O que acontecia quando o outro reino também tinha um Baal??

Será que era uma questão de qual dos deuses era mais “poderoso”??

Aquele povo que tivesse o deus Baal mais poderoso é quem dominaria sobre os demais povos??

Será que era uma questão de quem pagava mais a Baal?? Será que era uma questão daquele que fizesse maiores sacrifícios??



Holocausto – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: sacrifício em que a vítima é inteiramente queimada;

holocausto

s.m. (sXIV) 1 sacrifício, praticado pelos antigos hebreus, em que a vítima era inteiramente queimada 1.1 p.met. a vítima assim sacrificada 2 p.ext. sacrifício, expiação <oferecer o próprio filho em h.> 3 fig. ato de abnegar-se; renúncia, abnegação 4 hist massacre de judeus e de outras minorias, efetuado nos campos de concentração alemães durante a Segunda Guerra Mundial F inicial maiúsc. ¤ etim gr. holókautos (ou holókaustos),os,on 'sacrifício em que a vítima é inteiramente queimada', pelo lat. holocaustum,i 'id.' ¤ sin/var ver sinonímia de imolação




Como é vista a morte de Jesus pelos atuais discípulos de Jesus??

Que explicação foi dada por um descendente de Benjamim para os demais israelitas sobre a morte de Jesus?? Será que a morte de Jesus era um sacrifício feito a um Deus para que um perdão fosse dado por este Deus para certo grupo de pessoas??

Estabelecendo um paralelo entre o sacerdócio antigo e tentando explicar o fim do sacerdócio da tribo de Levi, sacerdócio exaltado e destacado pelos sacrifícios e holocaustos de animais, assim o nosso irmão Paulo de Tarso passou a explicar como Jesus se encaixava neste cenário, estabelecendo Jesus como um filho que seria usado em um ritual de sacrifício humano.

O sacrifício de animais seria substituído definitivamente por um sacrifício humano. Paulo observa: “O sacrifício humano vale muito mais do que o sacrifício de animais. O sacrifício de um humano sem pecado tem um valor muito superior a qualquer outro sacrifício já feito”.

Ele afirmou que Jesus ofereceu a si mesmo como “sacrifício” humano. Neste caso, Jesus era ao mesmo tempo, o sumo sacerdote e a ovelha sacrificada, na verdade um humano sacrificado. Neste caso Jeová seria o mentor intelectual de todas estas coisas e Aquele que recebia o valoroso sangue derramado do Seu Filho para poder perdoar outros filhos.

(Hebreus 7:26-28) 26 Pois, para nós era apropriado tal sumo sacerdote, leal, cândido, imaculado, separado dos pecadores e que chegou a ser mais alto do que os céus. 27 Ele não precisa, como aqueles sumos sacerdotes, oferecer diariamente sacrifícios, primeiro pelos seus próprios pecados e depois pelos do povo: (porque isto ele fez uma vez para sempre quando se ofereceu a si mesmo;) 28 porque a Lei designa como sumos sacerdotes a homens que têm fraquezas, mas a palavra do juramento afiançado, que veio depois da Lei, [designa] um Filho, que é aperfeiçoado para sempre.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Hebreus 7:26-28) 26 Pois nos convinha tal sumo sacerdote santo, inocente, imaculado, separado dos pecadores e feito mais alto que os céus, 27 que não tem necessidade, como aqueles sumos sacerdotes, de oferecer sacrifícios diariamente, primeiro pelos seus próprios pecados e depois pelos do povo; porque isto fez uma só vez para sempre, quando se ofereceu a si mesmo. 28 Pois a Lei constitui sumos sacerdotes a homens que têm enfermidades, mas a palavra do juramento que veio depois da Lei, constitui ao Filho, para sempre aperfeiçoado.



Ensinando aos seus compatriotas, e destacando a necessidade do sangue humano derramado em sacrifício, Paulo acrescentou: Ele, Jesus, entrou no lugar santo com o seu próprio sangue.

(Hebreus 9:11-14) 11 No entanto, quando Cristo veio como sumo sacerdote das boas coisas que se realizaram por intermédio da tenda maior e mais perfeita, não feita por mãos, isto é, não desta criação, 12 ele entrou no lugar santo, não, não com o sangue de bodes e de novilhos, mas com o seu próprio sangue, de uma vez para sempre, e obteve [para nós] um livramento eterno. 13 Pois, se o sangue de bodes e de touros, e as cinzas duma novilha, aspergidos sobre os aviltados, santifica até à purificação da carne, 14 quanto mais o sangue do Cristo, o qual, por intermédio dum espírito eterno, se ofereceu a Deus sem mácula, purificará as nossas consciências de obras mortas, para que prestemos serviço sagrado ao Deus vivente?


Assim verte a Tradução Brasileira?

(Hebreus 9:11-14) 11 Mas Cristo, tendo vindo como sumo sacerdote dos bens já realizados, por meio do maior e mais perfeito tabernáculo, não feito por mãos de homens, isto é, não desta criação, 12 nem pelo sangue de bodes e bezerros, mas pelo seu próprio sangue entrou uma vez para sempre no Santo lugar, havendo obtido uma redenção eterna. 13 Pois se o sangue de bodes e de touros e as cinzas de uma novilha aspergida sobre os contaminados, santifica-os para a purificação da carne, 14 quanto mais o sangue de Cristo que pelo Espírito eterno se ofereceu sem defeito a Deus, purificará a nossa consciência de obras mortas para servirmos ao Deus vivo?

Paulo acreditava que era o sangue que purificava, que era o sangue que santificava, logo, que o sangue humano de Jesus tinha de ser derramado para haver santificação, e que o sangue humano de Jesus era um sangue muito mais valoroso que todos os sangues de animais até então usados para purificar humanos. Neste caso, fica bem claro que na mente de Paulo, era o sangue derramado dos animais naqueles rituais, que tornava possível o perdão dos pecados dos seus antepassados.

Se você cometeu um pecado, corra, mate um animal e o ofereça a Jeová em troca do perdão Dele – esta era a filosofia de vida dos descendentes de Jacó.

O que Jeová pensa sobre isto??

(Ezequiel 20:11-12) 11 “‘“E passei a dar-lhes os meus estatutos; e dei-lhes a conhecer as minhas decisões judiciais, para que o homem que continuar a cumpri-las também continue a viver por meio delas. 12 E também lhes dei os meus sábados, para se tornarem um sinal entre mim e eles, para que soubessem que sou eu, Jeová, quem os santifica.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel 20:11-12) 11 Dei-lhes os meus estatutos, e mostrei-lhes os meus juízos, os quais, se os observar o homem, viverá por eles. 12 Demais lhes dei também os meus sábados para servirem de sinal entre mim e eles, a fim de que soubessem que eu sou Jeová que os santifica.

Será que Jeová os santificava através do ritual de derramamento de sangue de animais feito por sacerdotes humanos??

O humano torna-se impuro em face de um pecado que praticou. Bem como o humano voltaria a condição de limpo (condição de santo)??

O que aconteceu com Isaías??

(Isaías 6:5-7) 5 E eu passei a dizer: “Ai de mim! Pois, a bem dizer, fui silenciado, porque sou homem de lábios impuros e moro no meio de um povo de lábios impuros; pois os meus olhos viram o próprio Rei, Jeová dos exércitos!” 6 Em vista disso voou para mim um dos serafins, e na sua mão havia uma brasa viva que ele tirara do altar com uma tenaz. 7 E ele passou a tocar-me a boca e a dizer: “Eis que isto tocou os teus lábios, e teu erro sumiu e o próprio pecado teu está expiado.”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Isaías 6:5-7) 5 Então disse eu: Ai de mim! pois estou perdido; porque, sendo eu homem de lábios impuros e habitando no meio de um povo de lábios impuros, os meus olhos viram o Rei, Jeová dos exércitos. 6 Então voou para mim um dos serafins, tendo na sua mão uma brasa viva, que ele havia tomado de sobre o altar com uma tenaz. 7 Com a brasa tocou-me a boca e disse: Eis que esta brasa tocou os teus lábios; já se foi a tua iniqüidade e perdoado está o teu pecado.

O que aconteceu com o sumo sacerdote Josué??

(Zacarias 3:1-7) 3 E ele passou a mostrar-me Josué, o sumo sacerdote, de pé perante o anjo de Jeová, e Satanás de pé à sua direita para se lhe opor. 2 [O anjo de] Jeová disse então a Satanás: “Jeová te censure, ó Satanás, sim, censure-te Jeová, aquele que escolhe Jerusalém! Não é este um tição arrancado do fogo?” 3 Ora, quanto a Josué, aconteceu que estava vestido de vestes imundas e estava de pé perante o anjo. 4 Então ele respondeu e disse aos que estavam de pé perante ele: “Removei dele as vestes imundas.” E prosseguiu, dizendo-lhe: “Vê, fiz que passasse de ti o teu erro, e és vestido de trajes de gala.” 5 Então eu disse: “Ponha-se-lhe um turbante limpo na cabeça.” E eles passaram a pôr-lhe o turbante limpo na cabeça e a trajá-lo de vestes; e o anjo de Jeová estava de pé ali. 6 E o anjo de Jeová começou a dar testemunho a Josué, dizendo: 7 Assim disse Jeová dos exércitos: ‘Se andares nos meus caminhos e se cumprires a obrigação para comigo, então serás também tu quem julgarás a minha casa e também guardarás os meus pátios; e hei de dar-te livre acesso entre estes que ali estão de pé.’


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Zacarias 3:1-7) 1 Ele me mostrou o sumo sacerdote Josué que estava diante do anjo de Jeová, e Satanás que estava à mão direita dele para ser o seu adversário. 2 Jeová disse a Satanás: Que Jeová te repreenda, ó Satanás; sim, repreenda-te Jeová que escolheu a Jerusalém: acaso não é este um tição tirado do fogo? 3 Ora Josué estava vestido de hábitos sujos, e posto em pé diante do anjo. 4 Este começou a falar e disse aos que estavam diante dele: Tirai-lhe estes hábitos sujos. A Josué disse: Eis que hei feito passar de ti a tua iniqüidade, e te vestirei de ricos trajos. 5 Eu disse: Ponham-lhe sobre a cabeça uma mitra limpa. Puseram-lhe, pois, sobre a cabeça uma mitra limpa, e vestiram-no de vestidos; e o anjo de Jeová estava perto, de pé. 6 O anjo de Jeová protestou a Josué, dizendo: 7 Assim diz Jeová dos exércitos: Se andares nos meus caminhos, e observares o que tenho prescrito, também tu julgarás a minha casa, e bem assim guardarás os meus átrios, e te permitirei entrar e sair entre os que estão aqui.

O que aconteceu com toda a nação ainda no ermo??

(Números 14:19-23) 19 Por favor, perdoa o erro deste povo segundo a grandeza da tua benevolência e assim como perdoaste a este povo desde o Egito até agora.” 20 Jeová disse então: “Deveras perdôo segundo a tua palavra. 21 E, por outro lado, assim como vivo, toda a terra se encherá da glória de Jeová. 22 Mas todos os homens que têm visto a minha glória e os meus sinais que realizei no Egito e no ermo, e que ainda assim persistiram em pôr-me à prova estas dez vezes e não escutaram a minha voz, 23 nunca verão a terra que jurei aos seus pais, sim, todos os que me tratam sem respeito não a verão.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Números 14:19-23) 19 Perdoa a iniqüidade deste povo segundo a tua grande misericórdia, e como tens perdoado a este povo desde o Egito até aqui. 20 Tornou-lhe Jeová: Conforme a tua palavra lhe perdoei; 21 porém tão certo como eu vivo, e como toda a terra se encherá da glória de Jeová, 22 dos homens que, tendo visto a minha glória e os prodígios que fiz no Egito e no deserto, e todavia me puseram à prova já dez vezes e não obedeceram à minha voz, 23 nenhum deles verá a terra que com juramento prometi a seus pais, sim nenhum daqueles que me desprezaram a verá.

Era necessário haver um sacrifício humano?? Quem é que exigia um sacrifício humano para a existência do benefício de outros humanos??

Quem é que exigia um sacrifício humano para a santificação de outros humanos?? Quem é que exigia um sacrifício humano para a purificação de outros humanos??

Jeová agia tal qual um Baal??

Exigia Jeová o derramamento de sangue para haver o benefício do ofertante??

O benefício ao ofertante era algo trocado pela oferta?? Neste caso, foi Jeová quem estipulou o preço a ser pago para a obtenção do benefício??

(Hebreus 9:15-22) 15 De modo que é por isso que ele é mediador dum novo pacto, a fim de que, por ter havido uma morte para o [seu] livramento, por meio de resgate, das transgressões sob o pacto anterior, os chamados recebessem a promessa da herança eterna. 16 Pois, onde há um pacto, precisa ser provida a morte do pactuante [humano]. 17 Porque um pacto é válido baseado em [vítimas] mortas, visto que nunca está em vigor enquanto o pactuante humano está vivo. 18 Por conseguinte, tampouco o [pacto] anterior foi inaugurado sem sangue. 19 Pois, quando todo mandamento segundo a Lei tinha sido anunciado por Moisés a todo o povo, ele tomou o sangue de novilhos e de bodes, com água, e lã escarlate, e hissopo, e aspergiu o próprio livro e todo o povo, 20 dizendo: “Este é o sangue do pacto que Deus preceituou para vós.” 21 E ele aspergiu igualmente com sangue a tenda e todos os vasos do serviço público. 22 Sim, quase todas as coisas são purificadas com sangue, segundo a Lei, e a menos que se derrame sangue, não há perdão.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Hebreus 9:15-22) 15 Por isso ele é mediador de uma nova aliança, para que, tendo intervindo a morte para a redenção das transgressões que havia debaixo da primeira aliança, os que têm sido chamados, recebam a promessa da eterna herança. 16 Pois onde há um testamento, é necessário que intervenha a morte do testador; 17 pois um testamento não tem força senão pela morte, visto que nunca tem valor enquanto o testador vive. 18 Por isso nem a primeira aliança foi celebrada sem sangue. 19 Pois quando Moisés havia falado a todo o povo todos os mandamentos segundo a Lei, tomou o sangue dos bezerros e dos bodes, com água e lã tinta de escarlata e hissopo, e aspergiu não só o próprio livro como também a todo o povo, 20 dizendo: Este é o sangue da aliança que Deus ordenou para vós. 21 Também da mesma maneira aspergiu o tabernáculo e todos os vasos do serviço sagrado. 22 Segundo a Lei quase todas as coisas são purificadas com sangue, e sem derramamento de sangue não há remissão.

Paulo continua exaltando o sangue derramado, apontando para o sangue do pacto criado por Jeová e ofertado ao povo. Moisés usou o sangue de animais para selar o pacto, ou seja, para validar o pacto. Neste caso, é sangue que sela o pacto. Se não derramar sangue não há pacto.

O que falou Jesus?? Ele nos disse: Que o vosso sim signifique sim e o vosso não signifique não.........

O vosso sim já sela o pacto.

- “A menos que se derrame sangue não há perdão”.

Será que esta afirmação do nosso amado irmão Paulo é uma verdade??

Trata-se de uma verdade do relacionamento de Jeová com o humano??

Sendo um especialista na lei, o nosso amado irmão Paulo de Tarso devia se lembrar que havia perdão sem qualquer derramamento de sangue.

(Levítico 5:11-13) 11 “‘Ora, se não tiver os meios para duas rolas ou dois pombos novos, então terá de trazer como sua oferta pelo pecado que cometeu a décima parte de um efa de flor de farinha como oferta pelo pecado. Não deve pôr azeite sobre ela e não deve colocar olíbano sobre ela, pois é uma oferta pelo pecado. 12 E tem de trazê-la ao sacerdote e o sacerdote tem de apanhar dela seu punhado como lembrança dela, e tem de fazê-la fumegar sobre o altar, sobre as ofertas de Jeová feitas por fogo. É uma oferta pelo pecado. 13 E o sacerdote tem de fazer expiação por ele, pelo pecado que cometeu, por qualquer um destes pecados, e assim lhe tem de ser perdoado; e ela tem de tornar-se do sacerdote, igual a uma oferta de cereais.’”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Levítico 5:11-13) 11 Mas, se as suas posses não lhe permitirem trazer duas rolas, ou dois pombinhos, como a sua oblação por aquilo em que há pecado, trará ele a décima parte de uma efa de flor de farinha como uma oferta pelo pecado. Não lhe deitará azeite, nem lhe porá em cima incenso algum, pois é oferta pelo pecado. 12 Trá-la-á ao sacerdote, que dela tomará um punhado como o memorial, e a queimará sobre o altar, em cima das ofertas queimadas, de Jeová; é oferta pelo pecado. 13 O sacerdote fará expiação por ele no tocante ao pecado que cometeu em alguma destas coisas, e ele será perdoado; o restante pertencerá ao sacerdote, como a oferta de cereais.



Já vimos acima que, pelo menos em relação a Jeová, sempre existiu perdão sem derramamento de sangue. Como vimos acima, Jeová sempre deu o Seu perdão sem trocar pelo derramamento de sangue de uma vítima animal ou humana.

Vamos ver outro caso no que o próprio Jeová deu o seu perdão sem derramamento de sangue??

Moisés ainda estava vivo e estava no monte, estava na presença do Pai Jeová/Javé, quando o próprio Pai informou a Moisés do pecado que o povo estava praticando.

O Pai disse para Moisés: deixa-me para que se acenda a minha ira e eu extermine este povo.

Moisés intercedeu. Moisés usou de palavras.

O Pai Jeová/Javé afirmou: Está bem, eu deploro a calamidade que Eu disse que faria a este povo.

Quanto sangue foi derramado para que o Pai perdoasse aquele pecado do povo???

Vejamos o que foi relato sobre o que o Pai disse a Moisés:

(Êxodo 32:7-10) 7 Jeová disse então a Moisés: “Vai, desce, porque o teu povo que fizeste subir da terra do Egito tem agido ruinosamente. 8 Desviaram-se depressa do caminho em que os mandei ir. Fizeram para si uma estátua fundida de bezerro, e persistem em curvar-se diante dele e em oferecer-lhe sacrifícios, e em dizer: ‘Este é o teu Deus, ó Israel, que te fez subir da terra do Egito.’” 9 E Jeová prosseguiu, dizendo a Moisés: “Olhei para este povo e eis que é um povo de dura cerviz. 10 Portanto, deixa-me agora, para que a minha ira se acenda contra eles e eu os extermine, e faça eu de ti uma grande nação.”



Assim verte a Tradução Brasileira:

(Êxodo 32:7-10) 7 Então disse Jeová a Moisés: Vai tu, desce; porque o teu povo, que fizeste sair do Egito, se corrompeu. 8 Bem depressa se desviou do caminho que eu lhes tinha ordenado; fizeram para si um bezerro fundido, adoraram-no e, oferecendo-lhe sacrifícios, disseram: Estes são, ó Israel, os deuses que te fizeram subir da terra do Egito. 9 Disse mais Jeová a Moisés: Tenho visto a este povo, e eis que é povo de cerviz dura. 10 Agora deixa-me, para que a minha ira se acenda contra eles, e para que eu os consuma; e de ti farei uma grande nação.

Vejamos agora as palavras de Moisés e a decisão tomada pelo Pai:

(Êxodo 32:11-14) 11 E Moisés passou a abrandar a face de Jeová, seu Deus, e a dizer: “Por que, ó Jeová, devia acender-se a tua ira contra o teu povo que fizeste sair da terra do Egito, com grande poder e com mão forte? 12 Por que deviam os egípcios dizer: ‘Com mau intento os fez sair, a fim de matá-los entre os montes e exterminá-los da superfície do solo’? Desvia-te da tua ira ardente e deplora o mal contra o teu povo. 13 Lembra-te de Abraão, Isaque e Israel, teus servos, a quem juraste por ti mesmo, dizendo-lhes: ‘Multiplicarei a vossa descendência como as estrelas dos céus, e toda esta terra que indiquei, eu a darei à vossa descendência para que deveras tomem posse dela por tempo indefinido.’” 14 E Jeová começou a deplorar o mal que falou que ia fazer ao seu povo.



Assim verte a Tradução Brasileira:

(Êxodo 32:11-14) 11 Porém Moisés suplicou a Jeová seu Deus, dizendo: Por que se acende a tua ira contra o teu povo, que tiraste da terra do Egito com grande fortaleza e com uma poderosa mão? 12 Porque diriam os egípcios: Para mal os tirou, a fim de os matar nos montes, e a fim de os consumir da face da terra? Volve-te do furor da tua ira e arrepende-te deste mal contra o teu povo. 13 Lembra-te de Abraão, de Isaque e de Israel, teus servos, a quem por ti mesmo juraste e disseste: Multiplicarei a vossa descendência como as estrelas do céu, e toda esta terra de que tenho falado, a darei a vossa descendência, e a herdarão para sempre. 14 Então Jeová se arrependeu do mal que dissera que havia de fazer ao seu povo.

Bem, o que notamos??

Houve o pecado, houve uma promessa de extermínio e houve o perdão.

Será que houve alguma vítima sacrificada para que o perdão fosse dado???

Observamos que não, não é verdade???



O que mais estava ensinando o nosso irmão Paulo de Tarso??

(Hebreus 9:26) 26 Senão teria de sofrer muitas vezes, desde a fundação do mundo. Mas agora ele se manifestou uma vez para sempre, na terminação dos sistemas de coisas, para remover o pecado por intermédio do sacrifício de si mesmo.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Hebreus 9:26) 26 de outra forma lhe seria necessário ter sofrido muitas vezes desde o fundamento do mundo; mas agora tem sido manifestado uma vez para sempre na consumação dos séculos para abolição do pecado pelo sacrifício de si mesmo.

Paulo afirmou: Jesus se manifestou uma vez para sempre para a abolição do pecado pelo sacrifício de si mesmo, ou seja, pelo derramamento do seu próprio sangue.

A remoção do pecado do humano se daria pelo sacrifício de si mesmo feito por Jesus, sendo ele também o sumo sacerdote que ofereceria o seu próprio sangue diante de Deus.

De forma bem lógica com o seu ensino, Paulo continua: temos sido santificados por intermédio da oferta do corpo de Jesus.

(Hebreus 10:10) 10 Pela dita “vontade” [é que] temos sido santificados por intermédio da oferta do corpo de Jesus Cristo, uma vez para sempre.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Hebreus 10:10) 10 Na qual vontade temos sido santificados pela oferta do corpo de Jesus Cristo feita uma vez para sempre.

O que santifica o discípulo de Jesus?? Segundo Paulo de Tarso, através da oferta do corpo de Jesus.

Neste caso, a páscoa dos discípulos de Jesus teria como ponto principal a morte sacrificial de Jesus.

Neste caso, para os discípulos de Jesus, a coisa mais importante da páscoa é a morte sacrificial de Jesus.

Assim como para a páscoa dos judeus, a morte sacrificial do cordeiro é a parte mais importante, na páscoa dos discípulos de Jesus, a morte sacrificial de Jesus também mostra ser a coisa mais importante.

Será que para Jesus aquela pé-sahh realizada com seus apóstolos tinha o mesmo significado que os apóstolos atribuíram a ela??

Devia haver uma unidade de pensamentos entre Jesus e seus apóstolos, não deveria?? É claro que deveria.

Jesus tinha de concordar com os apóstolos ou os apóstolos tinham de concordar com Jesus??

Estava Jesus eliminando aquela pé-sahh relembrada até então e criando outra na qual ele era o cordeiro a ser morto sacrificialmente??

Jesus estava em Jerusalém e estava comendo a páscoa no mesmo dia em que todos os descendentes de Jacó a comemoravam. O que disse Jesus naquela pé-sahh??

(Mateus 26:17-28) 17 No primeiro dia dos Pães não Fermentados, os discípulos vieram a Jesus, dizendo: “Onde queres que preparemos para comeres a páscoa?” 18 Ele disse: “Ide à cidade, a fulano, e dizei-lhe: O Instrutor diz: ‘Está próximo o meu tempo designado; celebrarei a páscoa com meus discípulos na tua casa.’” 19 E os discípulos fizeram conforme Jesus lhes mandara, e aprontaram as coisas para a páscoa. 20 Tendo chegado a noitinha, ele estava recostado à mesa com os doze discípulos. 21 Enquanto comiam, ele disse: “Deveras, eu vos digo: Um de vós me trairá.” 22 Ficando muito contristados com isso, principiaram cada um a dizer-lhe: “Não sou por acaso eu, Senhor?” 23 Em resposta, ele disse: “O que mete comigo a mão no prato fundo é o que me há de trair. 24 Deveras, o Filho do homem vai embora, assim como está escrito a respeito dele, mas ai do homem por quem o Filho do homem está sendo traído! Teria sido melhor para ele, se esse homem não tivesse nascido.” 25 Como resposta, Judas, que estava prestes a traí-lo, disse: “Não sou por acaso eu, Rabi?” Ele lhe disse: “Tu mesmo [o] disseste.” 26 Ao continuarem a comer, Jesus tomou um pão, e, depois de proferir uma bênção, partiu-o, e, dando-o aos discípulos, disse: “Tomai, comei. Isto significa meu corpo.” 27 Tomou também um copo, e, tendo dado graças, deu-lho, dizendo: “Bebei dele, todos vós; 28 pois isto significa meu ‘sangue do pacto’, que há de ser derramado em benefício de muitos, para o perdão de pecados.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Mateus 26:17-28) 17 No primeiro dia dos pães asmos vieram os discípulos a Jesus perguntar-lhe: Onde queres que façamos os preparativos para comeres a páscoa? 18 Respondeu-lhes: Ide à cidade ter com certo homem, e dizei-lhe que o Mestre diz: O meu tempo está próximo; em tua casa celebrarei a páscoa com meus discípulos. 19 Eles fizeram como Jesus lhes havia ordenado, e prepararam a páscoa. 20 À tarde estava ele sentado à mesa com os doze discípulos. 21 Enquanto comiam, declarou Jesus: Em verdade vos digo que um de vós me trairá. 22 Eles, muitíssimo contristados, começaram um por um a perguntar-lhe: Porventura sou eu, Senhor? 23 Ele respondeu: O que põe comigo a mão no prato, esse é o que me trairá. 24 O Filho do homem vai-se, segundo está escrito a seu respeito, mas ai daquele por quem o Filho do homem é traído! melhor fora para esse homem se não houvesse nascido. 25 Judas, que o traiu, perguntou: Porventura sou eu, Mestre? Respondeu-lhe Jesus: Tu o disseste. 26 Estando eles comendo, tomou Jesus o pão e, tendo dado graças, partiu-o e deu aos discípulos, dizendo: Tomai e comei; este é o meu corpo. 27 Tomando o cálice, rendeu graças e deu-lho, dizendo: Bebei dele todos; 28 porque este é o meu sangue, o sangue da aliança, que é derramado por muitos para remissão de pecados.

Agora vejamos a mesma cena, sendo que, descrita no evangelho segundo Marcos:

(Marcos 14:12-26) 12 Ora, no primeiro dia dos pães não fermentados, quando costumavam sacrificar a [vítima] pascoal, seus discípulos disseram-lhe: “Aonde queres que vamos e preparemos para comeres a páscoa?” 13 Em vista disso, ele enviou dois dos seus discípulos e disse-lhes: “Ide à cidade, e um homem levando um vaso de barro com água virá ao encontro de vós. Segui-o, 14 e onde quer que ele entrar, dizei ao dono da casa: ‘O Instrutor diz: “Onde está a sala dos hóspedes para mim, onde eu possa comer a páscoa com meus discípulos?”’ 15 E ele vos mostrará uma grande sala de sobrado, mobiliada em preparação; ali preparai para nós.” 16 Os discípulos saíram, assim, e entraram na cidade, e acharam-no assim como ele lhes dissera; e fizeram preparativos para a páscoa. 17 Depois de anoitecer, chegou ele com os doze. 18 E, enquanto se recostavam à mesa e comiam, Jesus disse: “Deveras, eu vos digo: Um de vós, que está comendo comigo, me trairá.” 19 Eles principiaram a ficar contristados e a dizer-lhe um por um: “Não sou por acaso eu?” 20 Ele lhes disse: “É um dos doze, aquele que mete comigo [a mão] no prato fundo comum. 21 É verdade, o Filho do homem vai embora, assim como está escrito a respeito dele, mas ai daquele homem por quem o Filho do homem está sendo traído! Teria sido melhor para este homem, se não tivesse nascido.” 22 E, enquanto continuavam a comer, tomou um pão, proferiu uma bênção, partiu-o e o deu a eles, e disse: “Tomai-o, isto significa meu corpo.” 23 E, tomando um copo, rendeu graças e o deu a eles, e todos beberam dele. 24 E disse-lhes: “Isto significa meu ‘sangue do pacto’, que há de ser derramado em benefício de muitos. 25 Deveras, eu vos digo: De modo algum beberei mais do produto da videira, até o dia em que o beberei novo no reino de Deus.” 26 Finalmente, depois de cantarem louvores, saíram para o Monte das Oliveiras.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Marcos 14:12-26) 12 No primeiro dia dos pães asmos, quando sacrificavam a páscoa, disseram-lhe seus discípulos: Onde queres que vamos fazer os preparativos para comeres a páscoa? 13 Enviando ele dois de seus discípulos, disse-lhes: Ide à cidade, e vos sairá ao encontro um homem, trazendo um cântaro de água; 14 segui-o, e dizei ao dono da casa onde ele entrar que o Mestre pergunta: Onde é o meu aposento no qual hei de comer a páscoa com meus discípulos? 15 Ele vos mostrará um espaçoso cenáculo mobilado e pronto; ali fazei-nos os preparativos. 16 Partindo os discípulos, foram à cidade; acharam tudo como ele lhes havia dito, e prepararam a páscoa. 17 À tarde foi para ali com os doze. 18 Quando estavam à mesa e comiam, disse Jesus: Em verdade vos digo que um de vós, que come comigo, me trairá. 19 Começaram a entristecer-se e a perguntar-lhe um após outro: Porventura sou eu? 20 Respondeu-lhes: É um dos doze, aquele que põe comigo a mão no prato. 21 Pois o Filho do homem se vai, segundo está escrito a seu respeito; mas ai daquele por quem o Filho do homem é traído! melhor fora para esse homem se não houvesse nascido. 22 Estando eles comendo, tomou Jesus o pão e, tendo dado graças, partiu-o e deu-lhes, dizendo: Tomai; este é o meu corpo. 23 Tomando o cálice, rendeu graças, e deu-lho; e todos beberam dele. 24 Disse-lhes: Este é o meu sangue, o sangue da aliança, que é derramado por muitos. 25 Em verdade vos digo que nunca mais beberei do fruto da videira, até aquele dia em que o hei de beber novo no reino de Deus. 26 Tendo cantado um hino, saíram para o monte das Oliveiras.

Agora vejamos a mesma cena, sendo que, descrita no evangelho segundo Lucas:

(Lucas 22:7-20) 7 Chegou então o dia dos pães não fermentados, em que se tinha de sacrificar a [vítima] pascoal; 8 e ele mandou Pedro e João, dizendo: “Ide e aprontai a páscoa, para que comamos.” 9 Disseram-lhe: “Onde queres que [a] aprontemos?” 10 Ele lhes disse: “Eis que, ao entrardes na cidade, virá ao encontro de vós um homem levando um vaso de barro com água. Segui-o para dentro da casa em que ele entrar. 11 E tendes de dizer ao proprietário da casa: ‘O Instrutor te diz: “Onde está a sala dos hóspedes, em que eu possa comer a páscoa com meus discípulos?”’ 12 E esse [homem] vos mostrará uma grande sala de sobrado, mobiliada. Aprontai-a ali.” 13 Eles foram então e acharam-no assim como lhes dissera, e aprontaram a páscoa. 14 Por fim, quando chegou a hora, recostou-se à mesa, e os apóstolos com ele. 15 E ele lhes disse: “Desejei muito comer esta páscoa convosco antes de eu sofrer; 16 pois, eu vos digo: Não a comerei de novo até que se cumpra no reino de Deus.” 17 E, aceitando um copo, deu graças e disse: “Tomai isto e passai-o de um para outro entre vós; 18 pois, eu vos digo: Doravante não beberei mais do produto da videira até que chegue o reino de Deus.” 19 Tomou também um pão, deu graças, partiu-o e deu-lho, dizendo: “Isto significa meu corpo que há de ser dado em vosso benefício. Persisti em fazer isso em memória de mim.” 20 Do mesmo modo também o copo, depois de terem [tomado] a refeição noturna, dizendo: “Este copo significa o novo pacto em virtude do meu sangue, que há de ser derramado em vosso benefício.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Lucas 22:7-20) 7 Chegou o dia dos pães asmos, em que se devia imolar a páscoa, 8 e Jesus enviou a Pedro e a João, dizendo: Ide preparar-nos a páscoa para a comermos. 9 Eles lhe perguntaram: Onde queres que a preparemos? 10 Respondeu-lhes: Ao entrardes na cidade, encontrareis um homem trazendo um cântaro de água; segui-o até à casa em que ele entrar, 11 e dizei ao dono da casa: O Mestre manda perguntar-te: Onde é o aposento em que hei de comer a páscoa com meus discípulos? 12 Ele vos mostrará um espaçoso cenáculo mobilado; ali fazei os preparativos. 13 Eles foram e acharam como ele lhes dissera, e prepararam a páscoa. 14 Chegada a hora, pôs-se Jesus à mesa, e com ele os apóstolos. 15 Disse-lhes: Tenho desejado anciosamente comer convosco esta páscoa antes da minha paixão; 16 pois vos digo que nunca mais a hei de comer, até que ela se cumpra no reino de Deus. 17 Depois de receber o cálice, havendo dado graças, disse: Tomai-o e distribui-o entre vós; 18 pois vos digo que desde agora não beberei do fruto da videira, até que venha o reino de Deus. 19 Tomando o pão e tendo dado graças, partiu-o e deu aos discípulos, dizendo: Este é o meu corpo que é dado por vós; fazei isto em memória de mim. 20 Depois da ceia tomou do mesmo modo o cálice, dizendo: Este cálice é a nova aliança em meu sangue, que é derramado por vós.

No evangelho segundo João, do capítulo 13 ao capítulo 17, João descreve com riqueza de detalhes tudo o mais que ocorreu naquela noite, embora não mencione as frases sobre o pão e o vinho representarem o corpo e o sangue de Jesus.

No que tange ao que foi dito em relação ao sangue, que diferença existe??

Mateus:

  1. Bebei dele, todos vós; 28 pois isto significa meu ‘sangue do pacto’, que há de ser derramado em benefício de muitos, para o perdão de pecados.

  2. Bebei dele todos; 28 porque este é o meu sangue, o sangue da aliança, que é derramado por muitos para remissão de pecados.

Marcos:

  1. E disse-lhes: “Isto significa meu ‘sangue do pacto’, que há de ser derramado em benefício de muitos.

  2. Disse-lhes: Este é o meu sangue, o sangue da aliança, que é derramado por muitos.

Lucas:

  1. Este copo significa o novo pacto em virtude do meu sangue, que há de ser derramado em vosso benefício.

  2. Este cálice é a nova aliança em meu sangue, que é derramado por vós.

Nota-se claramente que apenas no evangelho de Mateus se faz referência a que o “sangue” seria para o perdão de pecados, muito embora não fale que a carne seria para o perdão de pecados, ou santificação do humano.

Os demais não falam nada sobre o sangue ser derramado para o perdão de pecados.

Será que o sangue de Jesus seria derramado para o perdão de pecados??

Foi este o ensino de Jesus durante os três anos e meio junto aos apóstolos??

Afinal de contas, o que é o “perdão”??

Perdão – Esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: remissão de pena ou de ofensa ou de dívida; desculpa, indulto; ato pelo qual uma pessoa é desobrigada de cumprir o que era de seu dever ou obrigação por quem competia exigi-lo.

perdão

s.m. (sXIII) 1 remissão de pena ou de ofensa ou de dívida; desculpa, indulto 2 ato pelo qual uma pessoa é desobrigada de cumprir o que era de seu dever ou obrigação por quem competia exigi-lo n interj. 3 fórmula de civilidade com que se pede desculpa ¤ etim lat.medv. perdonet 'que ele perdoe', 3ªp.s. do subj.pres. do v. perdonáre 'perdoar', de per- + donáre, expressão exclamativa que posteriormente se substantivou sob a f. perdon, donde o atual perdão




O perdão é dado (verbo dar) por aquele que foi realmente ofendido e não por aquele que se sente ofendido. Aquele que não foi ofendido não deve se intrometer entre ofensor e ofendido. Fica bem claro que se trata de uma relação que envolve apenas duas pessoas, ou seja, aquele que está praticando a ação e aquele que está recebendo a ação. Todos os demais são apenas intrometidos em uma dupla relação.

Remissão – Esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: ação de remitir, de perdoar; sentimento de misericórdia, de indulgência; compaixão

remissão

s.f. (sXIII) 1 ação de remitir, de perdoar <a r. da pena deveu-se a influências políticas> 2 sentimento de misericórdia, de indulgência; compaixão 3 perdão dos pecados concedido pela Igreja 4 ausência de ação, de energia; frouxidão <a derrota deveu-se à r. da cavalaria> 5 intervalo entre a cessação e o reinício de alguma coisa; intermissão 6 alívio, consolo, <sem a r. daquela ausência, continuava só e infeliz> 7 enfraquecimento, diminuição ou atenuação temporária dos sintomas de uma doença 8 ação ou efeito de remeter, de encaminhar a um determinado ponto <acompanhava com cuidado as r. do dicionário> ¤ etim lat. remissìo,ónis 'ação de pôr a caminho de novo' ¤ hom remição(s.f.) ¤ par reemissão(s.f.)


O perdão está diretamente relacionado com o sentimento de misericórdia e compaixão daquele que foi vitimado por aquele que praticou a ofensa. Trata-se de uma relação entre vítima e ofensor. A vítima sente misericórdia do seu ofensor, e por isto, a libera do pagamento da dívida.

Em face da descrição da forma única como o perdão deve ser praticado, onde é que cabe a existência de uma vítima sacrificial PARA QUE O PERDÃO seja dado pela vítima??

Onde cabe o sangue de Jesus ter de ser derramado para que o perdão fosse disponibilizado para os discípulos??

Primeiro o sangue é derramado para que possa haver perdão??

Será que Jeová pratica o perdão de forma diferente de como ele deve ser praticado??

Será que Jesus praticou um perdoar que não estivesse direta e unicamente interligado com a misericórdia da vítima pelo seu agressor??

Vejamos um caso real envolvendo Jesus qual perdoador.

(Lucas 7:40-50) 40 Jesus disse-lhe, porém, em resposta: “Simão, tenho algo para dizer-te.” Ele disse: “Instrutor, dize-o!” 41 Dois homens eram devedores de certo credor; um devia quinhentos denários, mas o outro, cinqüenta. 42 Quando não tinham com que [lhe] pagar de volta, perdoou liberalmente a ambos. Portanto, qual deles o amará mais?” 43 Em resposta, Simão disse: “Suponho que seja aquele a quem perdoou liberalmente mais.” Disse-lhe ele: “Julgaste corretamente.” 44 Com isso se voltou para a mulher e disse a Simão: “Observas esta mulher? Entrei na tua casa; tu não me deste água para os meus pés. Mas esta mulher molhou os meus pés com as suas lágrimas e os enxugou com os seus cabelos. 45 Tu não me deste nenhum beijo; mas esta mulher, desde a hora em que entrei, não deixou de beijar ternamente os meus pés. 46 Tu não untaste a minha cabeça com óleo; mas esta mulher untou os meus pés com óleo perfumado. 47 Em virtude disso, eu te digo que os pecados dela, embora sejam muitos, estão perdoados, porque ela amou muito; mas aquele a quem se perdoa pouco, ama pouco.” 48 Então disse a ela: “Teus pecados estão perdoados.” 49 Em vista disso, os que se recostavam com ele à mesa principiaram a dizer no seu íntimo: “Quem é este homem que até mesmo perdoa pecados?” 50 Mas ele disse à mulher: “Tua fé te salvou; vai em paz.”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Lucas 7:40-50) 40 Disse Jesus ao fariseu: Simão, tenho uma coisa para te dizer. Ele respondeu: Dize-a, Mestre. 41 Certo credor tinha dois devedores: um lhe devia quinhentos denários, e o outro cinqüenta. 42 Não tendo nenhum dos dois com que pagar, perdoou a dívida a ambos. Qual deles, portanto, o amará mais? 43 Respondeu Simão: Suponho que aquele a quem mais perdoou. Replicou-lhe: Julgaste bem. 44 Virando-se para a mulher, disse a Simão: Vês esta mulher? Entrei em tua casa, e não me deste água para os pés; mas esta mos regou com lágrimas e os enxugou com os seus cabelos. 45 Não me deste ósculo; ela, porém, desde que entrei, não cessou de beijar-me os pés. 46 Não ungiste a minha cabeça com óleo, mas esta com perfume ungiu os meus pés. 47 Por isso te digo: Perdoados lhe são os seus pecados, que são muitos, porque ela muito amou; mas aquele a quem pouco se perdoa, pouco ama. 48 Disse à mulher: Perdoados são os teus pecados. 49 Os que estavam com ele à mesa, começaram a dizer consigo mesmos: Quem é este que até perdoa pecados? 50 Mas Jesus disse à mulher: A tua fé te salvou; vai-te em paz.

Não tinham como pagar?? Não, não tinham??

O que foi feito?? Foram liberados do pagamento da dívida.

Os perdoados estavam cientes de que estavam recebendo o perdão, não estavam?? Sim, estavam.

Tendo sido liberados do pagamento da dívida, que tipo de reação podia ter o perdoado??

Qual foi a resposta de Jesus?? Ela muito amou.

A mulher percebeu o perdão de suas muitas faltas, no entanto, Simão não havia percebido o perdão. Ele não se via como devedor.

Durante aqueles três anos e meio junto àquela geração adúltera e pecaminosa, encontrando-se como vítima, como foi que Jesus reagiu no dia a dia diante dos seus ofensores, mesmo tendo todos aqueles poderes??

É óbvio que esta pé-sahh dos discípulos de Jesus tinha algo novo, instituído por Jesus. No entanto, Jesus não ordenou a seus discípulos que se abstivessem de relembrar aquela pé-sahh praticada no Egito, afinal de contas, todos eram descendentes de Jacó e a pé-sahh era um mandamento por tempo indefinido para os descendentes de Jacó.

Como discípulos de Jesus eles tinham algo adicional a se lembrarem neste dia. Tinha a ver com Jesus.

Aqueles doze apóstolos deviam perceber o quanto haviam sido perdoados naquele dia do pé-sahh de Jesus. Era Jesus quem estava praticando um pé-sahh (passar por alto a transgressão).

No entanto, estava em formação uma nova nação. Embora a nação fosse nova, de uma forma ou de outra ela continuava vinculada a Jerusalém e aos doze filhos de Jacó. Do ponto de vista do Pai, mostrava ser a continuação de um mesmo povo.

(Revelação 21:9-14) 9 E veio um dos sete anjos que tinham as sete tigelas cheias das últimas sete pragas, e falou comigo, dizendo: “Vem para cá, mostrar-te-ei a noiva, a esposa do Cordeiro.” 10 Levou-me assim no [poder do] espírito para um grande e alto monte, e mostrou-me a cidade santa de Jerusalém descendo do céu, da parte de Deus, 11 e tendo a glória de Deus. Seu resplendor era semelhante a uma pedra mui preciosa, como pedra de jaspe, brilhando como cristal. 12 Tinha uma grande e alta muralha, e tinha doze portões, e, junto aos portões, doze anjos, e havia nomes inscritos, os quais são os das doze tribos dos filhos de Israel. 13 Ao leste havia três portões, e ao norte havia três portões, e ao sul havia três portões, e ao oeste havia três portões. 14 A muralha da cidade tinha também doze pedras de alicerce, e sobre elas os doze nomes dos doze apóstolos do Cordeiro.



O que percebemos??

Percebemos que os humanos podem se enganar quanto àquilo que o Pai fala e faz.

Percebemos que ainda há muito mais a aprender a respeito do Pai e do Filho.

Jesus falou sobre o comer a sua carne e beber do seu sangue....

Tratava-se de algo real ou de algo simbólico???

Nesta condição, oferecer a carne aos discípulos era real???

Nesta condição, oferecer o sangue era real??

Não, não era.

Precisamos entender o que Jesus estava falando.

Vamos rever algumas informações dadas por Jesus.

Comparando-se com o maná, Jesus nos informa que: O Pai vos dá o verdadeiro pão do céu e eu sou o pão que dá vida, pois o maná foi um pão que não deu vida. Eu sou aquele pão que quando você comer, não terá mais fome.

(João 6:32-36) 32 Por isso, Jesus disse-lhes: “Digo-vos em toda a verdade: Moisés não vos deu o pão do céu, mas o meu Pai vos dá o verdadeiro pão do céu. 33 Porque o pão de Deus é aquele que desce do céu e dá vida ao mundo.” 34 Disseram-lhe, portanto: “Senhor, dá-nos sempre este pão.” 35 Jesus disse-lhes: “Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim, não terá mais fome, e quem exerce fé em mim, não terá mais sede. 36 Mas, eu vos tenho dito: Vós até mesmo me vistes, e, contudo, não credes.



Assim verte a Tradução Brasileira:

(João 6:32-35) 32 Replicou-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: Não foi Moisés quem vos deu o pão do céu, mas meu Pai é quem vos dá o verdadeiro pão do céu; 33 porque o pão de Deus é o que desce do céu e dá vida ao mundo. 34 Disseram-lhe, então: Senhor, dá-nos sempre esse pão. 35 Declarou-lhes Jesus: Eu sou o pão da vida; o que vem a mim, de modo algum terá fome; e o que crê em mim, nunca jamais terá sede.

Jesus falou mais: Eu sou o pão vivo.....

(João 6:48-51) 48 Eu sou o pão da vida. 49 Vossos antepassados comeram o maná no ermo, e, não obstante, morreram. 50 Este é o pão que desce do céu, para que qualquer um possa comer dele e não morrer. 51 Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém comer deste pão, viverá para sempre; e, de fato, o pão que eu hei de dar é a minha carne a favor da vida do mundo.”



Assim verte a Tradução Brasileira:

(João 6:48-51) 48 Eu sou o pão da vida. 49 Vossos pais comeram o maná no deserto e morreram. 50 Este é o pão que desce do céu, para que o homem coma dele, e não morra. 51 Eu sou o pão vivo que desci do céu; se alguém comer deste pão, viverá eternamente; e o pão que eu darei pela vida do mundo, é a minha carne.

Será que Jesus precisava morrer para que as pessoas pudessem comer da sua carne e beber do seu sangue???

O que mais nos informou Jesus??

(João 6:52-56) 52 Portanto, os judeus começaram a contender entre si, dizendo: “Como pode este homem dar-nos sua carne para comer?” 53 Concordemente, Jesus disse-lhes: “Digo-vos em toda a verdade: A menos que comais a carne do Filho do homem e bebais o seu sangue, não tendes vida em vós mesmos. 54 Quem se alimenta de minha carne e bebe meu sangue tem vida eterna, e eu o hei de ressuscitar no último dia; 55 pois a minha carne é verdadeiro alimento, e o meu sangue é verdadeira bebida. 56 Quem se alimenta de minha carne e bebe meu sangue permanece em união comigo e eu em união com ele.



Assim verte a Tradução Brasileira:

(João 6:52-56) 52 Disputavam, pois, os judeus entre si, dizendo: Como pode este homem dar-nos a comer a sua carne? 53 Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: Se não comerdes a carne do Filho do homem e não beberdes o seu sangue, não tendes a vida em vós. 54 Quem come a minha carne e bebe o meu sangue, tem a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia. 55 Pois a minha carne é verdadeira comida, e o meu sangue verdadeira bebida. 56 Quem come a minha carne e bebe o meu sangue, permanece em mim e eu nele.



Quem se alimenta de minha carne e bebe meu sangue permanece em união comigo e eu em união com ele.

Quem come a minha carne e bebe o meu sangue, permanece em mim e eu nele.

Será que Jesus precisava morrer para que a pessoa pudesse comer sua carne e beber seu sangue??

Para que isto fosse possível (comer a carne de Jesus e beber o sangue de Jesus), que explicação passou Jesus a dar àqueles que já estavam nervosos com o que estavam ouvindo??

Que nova informação lhes passou Jesus???

(João 6:57) 57 Assim como o Pai vivente me enviou e eu vivo por causa do Pai, também aquele que se alimenta de mim, sim, esse viverá por causa de mim.



Assim verte a Tradução Brasileira:

(João 6:57) 57 Assim como o Pai que vive, me enviou, e eu também vivo pelo Pai; assim quem de mim se alimenta, também viverá por mim.

Jesus informou:

Assim como o Pai é alimento para mim e eu vivo por causa do meu Pai, da mesma forma eu sou alimento para vocês e vocês viverão por minha causa.

Será que Jesus comia pedaços do Pai?? Será que Jesus comia da carne do Pai??

Será que Jesus bebia do sangue do Pai??

Ora, o Pai é espírito, não é??

Ora, como o Pai era alimento para Jesus??

Ainda naquela ocasião, o que mais informou Jesus???

(João 6:63) 63 É o espírito que é vivificante; a carne não é de nenhum proveito. As declarações que eu vos tenho feito são espírito e são vida.



Assim verte a Tradução Brasileira:

(João 6:63) 63 O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos tenho dito, são espírito e são vida.

Eu sou o alimento.

Meu Pai é o alimento.

O que era o alimento??

As palavras que eu vos tenho dito. As declarações que vos tenho feito. As informações que eu vos tenho dado.

Será que ficou bem claro??

O alimento que Jesus estava se referindo eram as informações que ele estava repassando para os humanos.

As informações do Pai são alimento invisível para mim, assim como as informações que eu vos dou são alimento invisível para vós.

Em outra ocasião Jesus informou: O mandamento do Pai é vida eterna. Eu só falo o que o Pai fala.....

(João 12:49-50) 49 porque não falei de meu próprio impulso, mas o próprio Pai que me enviou tem-me dado um mandamento quanto a que dizer e que falar. 50 Sei também que o seu mandamento significa vida eterna. Portanto, as coisas que eu falo, assim como o Pai mas disse, assim [as] falo.”



Assim verte a Tradução Brasileira:

(João 12:49-50) 49 Pois eu por mim mesmo não falei, mas o Pai que me enviou, esse mesmo me tem prescrito o que devo dizer e o que devo falar. 50 Eu sei que o seu mandamento é vida eterna. Aquilo, pois, que eu falo, falo-o como o Pai mo tem dito.

Jesus repete: A vida está na informação que sai da boca do Pai, isto é, no mandamento dado pelo Pai.

Que outra informação nos deu Jesus??

Eu só faço aquilo que eu vejo o meu Pai celestial fazer. Aquilo que o Pai faz, eu faço da mesma maneira.

(João 5:19) 19Portanto, em resposta, Jesus prosseguiu a dizer-lhes: “Digo-vos em toda a verdade: O Filho não pode fazer nem uma única coisa de sua própria iniciativa, mas somente o que ele observa o Pai fazer. Porque as coisas que Este faz, estas o Filho faz também da mesma maneira.



Assim verte a Tradução Brasileira:

(João 5:19) 19 Jesus, pois, lhes disse: Em verdade, em verdade vos digo que o Filho nada pode fazer de si mesmo, senão o que vir o Pai fazer; porque tudo o que ele fizer, o faz também semelhantemente o Filho.

Passamos a perceber que este alimento invisível é captado pelos olhos e pelos ouvidos....

O humano necessita do alimento material projetado pelo Pai e produzido pela terra.

De forma mais especial, o humano necessita de outro alimento. Trata-se do alimento invisível, aquele que alimenta o espírito (parte invisível) do homem, habilitando-o a comandar a carne, habilitando-o a tomar corretas decisões, habilitando-o a tomar as mesmas decisões tomadas pro Jesus ao confrontar-se com circunstâncias semelhantes às circunstâncias que Jesus esteve envolvido, ou seja, habilitando-o a ser igual a Jesus.

ASSIM COMO o Pai é alimento para mim e eu vivo por causo Dele, DA MESMA FORMA eu sou alimento para vós e vós vivereis por causa de mim.

Que alimento semeava Jesus??

Jesus semeava informações..

O semeador semeia palavras, semeia informações.

(Marcos 4:13-20) 13 Outrossim, disse-lhes: “Vós não sabeis esta ilustração, e, portanto, como entendereis todas as outras ilustrações? 14 O semeador semeia a palavra. 15 Estes, então, são os à beira da estrada, onde se semeia a palavra; mas, assim que [a] ouvem, vem Satanás e tira a palavra que foi semeada neles. 16 E, semelhantemente, estes são os semeados nos lugares pedregosos: assim que ouvem a palavra, aceitam-na com alegria. 17 Contudo, não têm raiz em si mesmos, mas continuam por algum tempo; então, assim que surge tribulação ou perseguição por causa da palavra, tropeçam. 18 Há ainda outros que são semeados entre os espinhos; estes são os que ouviram a palavra, 19 mas as ansiedades deste sistema de coisas e o poder enganoso das riquezas, e os desejos do resto das coisas, estão intervindo e sufocam a palavra, e ela se torna infrutífera. 20 Finalmente, os que foram semeados em solo excelente são os que escutam a palavra e a recebem favoravelmente, e dão fruto, trinta, e sessenta, e cem vezes mais.”



Assim verte a Tradução Brasileira:

(Marcos 4:13-20) 13 Perguntou-lhes: Não percebeis esta parábola, e como entendereis todas as parábolas? 14 O semeador semeia a palavra. 15 Os que se acham pelo caminho, onde a palavra é semeada, são aqueles, de quem, depois de a terem ouvido, vindo logo Satanás, tira a palavra que neles tem sido semeada. 16 Igualmente os semeados nos lugares pedregosos são aqueles que, ouvindo a palavra, imediatamente a recebem com alegria; 17 eles não têm em si raiz, mas duram pouco tempo; depois, sobrevindo tribulação ou perseguição por causa da palavra, logo se escandalizam. 18 Os outros, os semeados entre os espinhos, são os que ouvem a palavra, 19 e os cuidados do mundo, a sedução das riquezas e a cobiça de outras coisas, entrando, abafam a palavra, e ela fica infrutífera. 20 Os semeados na boa terra são os que ouvem a palavra e a recebem, e produzem fruto, a trinta, a sessenta e a cem por um.

Como estas informações são captadas???

Com os ouvidos.....

Como foi que Mateus repassou esta informação de Jesus??

Quem importante informação nos repassou Mateus??

(Mateus 13:18-23) 18 Escutai, então, a ilustração do homem que semeou. 19 Quando alguém ouve a palavra do reino, mas não a entende, vem o iníquo e arrebata o que foi semeado no seu coração; este é o semeado à beira da estrada. 20 Quanto ao semeado nos lugares pedregosos, este é o que ouve a palavra e a aceita imediatamente com alegria. 21 Contudo, ele não tem raiz em si mesmo, mas continua por algum tempo, e depois de ter surgido tribulação ou perseguição, por causa da palavra, logo tropeça. 22 Quanto ao semeado entre os espinhos, este é o que ouve a palavra, mas as ansiedades deste sistema de coisas e o poder enganoso das riquezas sufocam a palavra, e ele se torna infrutífero. 23 Quanto ao semeado em solo excelente, este é o que ouve a palavra e a entende, que realmente dá fruto e produz, este cem vezes mais, aquele sessenta vezes mais, outro trinta vezes mais.”



Assim verte a Tradução Brasileira:

(Mateus 13:18-23) 18 Ouvi, pois, vós a parábola do semeador. 19 Quando alguém ouve a palavra do reino e não a entende, vem o maligno e tira o que tem sido semeado no seu coração: este é o que foi semeado à beira do caminho. 20 O que foi semeado nos lugares pedregosos, é quem ouve a palavra e logo a recebe com alegria; 21 mas não tem em si raiz, antes é de pouca duração; e sobrevindo tribulação ou perseguição por causa da palavra, logo se escandaliza. 22 O que foi semeado entre os espinhos, é quem ouve a palavra, mas os cuidados do mundo e a sedução das riquezas abafam a palavra, e ela fica infrutífera. 23 O que foi semeado na boa terra, é quem ouve a palavra e a entende, e verdadeiramente dá fruto, produzindo a cento, a sessenta e a trinta por um.

Mateus nos traz importantes informações.

A palavra é semeada no coração.

A pessoa precisa ouvir a palavra e entender a palavra.

A palavra criará raízes no coração daquele que ouve, gosta e entende a informação que ouve.

A palavra produzirá frutos segundo a sua espécie.

Voltamos novamente a perguntar: Onde estava a “vida”??

Estava nas informações saídas da boca de Jesus??

Percebemos que, embora os humanos engrandeçam o sangue derramado de Jesus para a compra do perdão do humano, o humano continuaria a pecar e pecar e usar o sangue de Jesus para conseguir o perdão, sem que houvesse término deste círculo vicioso.

Quando é que o humano passaria a viver sem pecar???

Ora, se o humano não pecar não haverá necessidade de ser perdoado, não é verdade??

Muitos ainda ensinam que haverá um passe de mágica para que o humano pare de pecar.

Neste caso, ensina-se que o continuar a pecar e o parar de pecar não é da responsabilidade do humano.

Ensina-se que as circunstâncias é que seriam retiradas.

Ora, sem circunstâncias, o humano não é cutucado para tomar uma decisão.

Neste caso, sem as circunstâncias, este humano não erraria.

Ué, será que a culpa é da circunstância???

Nas informações dadas por Jesus, o ouvinte passaria por circunstâncias agressivas, mas, que por entender a informação dada por Jesus, ele tomaria a decisão certa em relação àquela circunstância.

Neste caso, Jesus deixou bem claro que o humano usaria aquela informação recebida de Jesus como base para suas decisões diante das circunstâncias do dia a dia.

Jesus conseguiu vencer o mundo por ouvir as informações do Pai, entender as informações do Pai e por observar as ações do Pai e copiar as ações do Pai.

Neste caso vem a seguinte pergunta: Quem é que deve se alimentar da carne e do sangue de Jesus??

Ora, aquele que não se alimentar da carne e do sangue de Jesus, isto é, do alimento fornecido por Jesus, nunca conseguirá a vida.

Esta informação foi dada pelo próprio Jesus:

Quem se alimenta de minha carne e bebe meu sangue tem vida eterna, e eu o hei de ressuscitar no último dia; 55 pois a minha carne é verdadeiro alimento, e o meu sangue é verdadeira bebida. 56 Quem se alimenta de minha carne e bebe meu sangue permanece em união comigo e eu em união com ele.

Quem come a minha carne e bebe o meu sangue, tem a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia. 55 Pois a minha carne é verdadeira comida, e o meu sangue verdadeira bebida. 56 Quem come a minha carne e bebe o meu sangue, permanece em mim e eu nele.

O que dizer daquele que ensinar que apenas alguns especiais é que estão autorizados a comer da carne e beber do sangue de Jesus???

O que você acha????

ç

ç

Topo desta página