O COMPORTAMENTO DOS REMANESCENTES  

Criada em 27 de julho de 2013 Última alteração em 14/07/13 às 22 : 02





QUEM ERAM OS “REMANESCENTES”??

POR QUE SE TORNARAM “REMANESCENTES”??





O que é um remanescente?? Vejamos a definição dada pelo dicionário Houaiss: que ou o que sobra.

Remanescente.

remanescente

adj.2g.s.2g. (sXIV) que ou o que remanesce, que sobeja, que resta ¤ etim remanescer + -nte ¤ sin/var remanente


O verbo remanescer define quem é remanescente. Vejamos a definição dada pelo dicionário Houaiss: subsistir como sobrevivente, sobrar, restar....

Remanescer.

remanescer

v. (1214) int. subsistir como sobrevivente, sobra, resto etc.; sobrar, restar <ainda remanesciam, em meio ao abandono, uma flor ou outra> ¤ etim lat.*remanescère, incoativo de remanére 'parar, ficar'






Se deixará sobrar nela um grupo

(Ezequiel 14:22-23) 22 Mas, eis que certamente se deixará sobrar nela um grupo dos que escapam, os que serão levados para fora. Aqui estão os filhos e as filhas! Estão saindo até a vós, e vós tereis de ver seu caminho e suas ações. E certamente sereis consolados pela calamidade que terei trazido sobre Jerusalém, sim, por tudo o que eu tiver trazido sobre ela.’” 23 “‘E eles certamente vos consolarão ao virdes seu caminho e suas ações; e tereis de saber que não é sem causa que terei feito tudo o que terei de fazer contra ela’, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová.”


Assim verte a Tradução Almeida:

(Ezequiel 14:22-23) 22 Mas, se ainda restarem nela alguns sobreviventes que levem para fora filhos e filhas, quando eles saírem a ter convosco, vereis o seu caminho e os seus feitos, e ficareis consolados do mal que eu trouxe sobre Jerusalém, até de tudo o que trouxe sobre ela. 23 E sereis consolados, quando virdes o seu caminho e os seus feitos; e sabereis que não fiz sem razão tudo quanto nela tenho feito, diz o Senhor.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel 14:22-23) 22 Contudo eis que nela ficará um resto que será tirado para fora, tanto filhos como filhas; eis que sairão a ter convosco, e vós vereis o seu caminho e os seus feitos. Ficareis consolados do mal que fiz vir sobre Jerusalém, sim de tudo o que fiz sobre ela. 23 Eles vos consolarão, quando virdes o seu caminho e os seus feitos; e conhecereis que não fiz sem motivo tudo o que nela tenho feito, diz o Senhor Jeová.



Sabemos onde estamos na linha do tempo?? Precisamos nos encontrar na linha do tempo, ou seja, saber em que momento exato nós estamos em relação a linha do tempo. O que estava acontecendo?? O que já havia acontecido?? O que estava por acontecer??

Jeová estava falando com o profeta que Ele escolheu, isto é, Ezequiel.

Onde estava Ezequiel??

(Ezequiel 1:2-3) 2 No quinto [dia] do mês, isto é, [no] quinto ano de exílio do Rei Joaquim, 3 veio a haver a palavra de Jeová especificamente para Ezequiel, filho de Buzi, o sacerdote, na terra dos caldeus, junto ao rio Quebar, e naquele lugar veio a estar sobre ele a mão de Jeová.

Assim verte a Tradução Almeida:

(Ezequiel 1:1-3) 1 Ora aconteceu no trigésimo ano, no quarto mês, no dia quinto do mês, que estando eu no meio dos cativos, junto ao rio Quebar, se abriram os céus, e eu tive visões de Deus. 2 No quinto dia do mês, já no quinto ano do cativeiro do rei Joaquim, 3 veio expressamente a palavra do Senhor a Ezequiel, filho de Buzi, o sacerdote, na terra dos caldeus, junto ao rio Quebar; e ali esteve sobre ele a mão do Senhor.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel 1:1-3) 1 Ora aconteceu no trigésimo ano, no quarto mês, aos cinco dias do mês, que, estando eu no meio dos cativos, junto ao rio Quebar, se abriram os céus, e tive visões de Deus. 2 No quinto dia do mês, dia em que se completou o quinto ano do cativeiro do rei Jeoaquim,3 veio, na verdade, a palavra de Jeová ao sacerdote Ezequiel, filho de Buzi, na terra dos caldeus, junto ao rio Quebar; e aí esteve sobre ele a mão de Jeová.



Ezequiel nos informa onde ele se encontrava. Ele se encontrava na terra dos caldeus, junto ao rio Quebar. Ele também nos informa qual era a sua condição na terra dos caldeus. Não estava ali como um turista ou visitante, tampouco como um comerciante viajante cuidando de seus negócios. Ele não estava ali de livre e espontânea vontade. Sua condição na terra dos caldeus era uma condição de exilado, na verdade, estavam ali à disposição do reinado de Babilônia para serem usados em trabalhos forçados de escravo.

Moisés ainda estava vivo quando Jeová informou ao povo que eles chegariam a esta condição.

Assim lhes falou Jeová:

(Levítico 26:30-33) 30 E eu certamente aniquilarei os vossos altos sagrados e deceparei os vossos pedestais-incensários, e deitarei os vossos próprios cadáveres sobre os cadáveres dos vossos ídolos sórdidos; e minha alma deveras vos abominará. 31 E deveras entregarei vossas cidades à espada e farei desolados os vossos santuários, e não sentirei os vossos cheiros repousantes. 32 E eu, da minha parte, vou desolar o país, e vossos inimigos que moram nele olharão simplesmente espantados. 33 E a vós é que espalharei entre as nações e vou desembainhar a espada atrás de vós; e vossa terra terá de tornar-se uma desolação e vossas cidades se tornarão ruínas desoladas.



Neste momento em que Jeová falava com Ezequiel, a terra já se encontrava desolada?? Ainda não.

No entanto, já havia um grupo que havia sido levado cativo para o reino babilônico.

Entretanto, a cidade de Jerusalém e o seu templo ainda não haviam sido destruídos. Ainda havia um grupo de judeus residindo em Jerusalém sob o comando de um rei. Sim, ainda havia um rei da linhagem de Davi sentado no trono e toda uma família real usufruindo de suas regalias. Ainda havia um reino plenamente organizado em sua definida hierarquia.

Não nos esquecemos que Joaquim, um rei da linhagem de Davi também se encontrava no exílio junto com Ezequiel e muitos outros judeus.

Pelo que percebemos, nós estamos na corrente do tempo, naquela condição em que havia dois grupos de judeus. Um grupo se encontrava cativo em Babilônia e outro grupo se encontrava na cidade de Jerusalém, ou seja, dois grupos distintos de um mesmo povo.

Que sentimentos deviam ter entre si estes dois grupos?? Que sentimentos tinha Jeová pelos dois grupos?? Será que o grupo que havia ficado em Jerusalém era constituído de pessoas leais a Jeová, enquanto o grupo já exilado em Babilônia era constituído de pessoas desleais??

O que o humano pensava em relação a esta condição??

Exatamente por ainda estarem residindo em Jerusalém e ainda estarem prestando serviço sagrado no templo, este grupo podia se achar mais justo do que o grupo já exilado.

O que poderia induzi-los a pensar assim??

Segundo estes humanos, Jeová era um Deus que estava sempre dando a cada um, segundo aquilo que tal pessoa merecia. Ora, se Jeová permitiu que um grupo ficasse em Jerusalém, automaticamente, tratava-se de um grupo merecedor desta condição muito melhor do que a condição do outro grupo que já servia como escravo em Babilônia. Tratava-se de um raciocínio plenamente lógico em face daquela informação existente em suas mentes, quanto a Jeová ser um Deus que dava a cada um segundo o que cada um merecia.

Como sabemos que estes homens tinham tais pensamentos em relação às ações de Jeová??

Vamos analisar as palavras de um homem considerado como sábio entre os humanos. Certamente que o ponto de vista externado por este humano exercia influência na forma como pensavam os demais humanos.

No dia da inauguração do templo, Salomão externou em oração a Jeová a sua expectativa em relação a como Jeová devia cuidar dos casos de rebeldia do Seu amado povo e a relação disto com a o templo em plena inauguração.

(2 Crônicas 6:22-23) 22 Se um homem pecar contra o seu próximo e realmente puser sobre ele uma maldição, para sujeitá-lo à maldição, e ele realmente vier [dentro da] maldição perante o teu altar nesta casa, 23 então que tu mesmo ouças desde os céus, e terás de agir e julgar os teus servos, a fim de pagar de volta ao iníquo, lançando o seu proceder sobre a sua própria cabeça e declarando justo ao justo, dando-lhe segundo a sua própria justiça.



Assim verte a Tradução Brasileira:

(2 Crônicas 6:22-23) 22 Se alguém pecar contra o seu próximo, e lhe for imposto um juramento para o fazer jurar, e ele vier e jurar diante do teu altar neste lugar; 23 ouve do céu, move-te e julga os teus servos, pagando ao ímpio, para lhe fazeres recair sobre a cabeça o seu proceder; e justificando ao reto, para lhe dares segundo a sua retidão.

Dar a cada um segundo a sua própria justiça. Esta parecia ser a “regra”. Isto parecia ser algo bom, pois o justo receberia as bênçãos enquanto os iníquos receberiam as maldições. Estes homens apreciavam este tipo de “justiça”.

Mas, no caso do povo passar a agir iniquamente, que tratamento desejava Salomão??

Ele desejava que houvesse a “exceção da regra”. O que seria a exceção da regra??

(2 Crônicas 6:24-25) 24 E se o teu povo Israel for derrotado diante dum inimigo, porque estiveram pecando contra ti, e eles deveras voltarem e elogiarem o teu nome, e orarem e fizerem um pedido de favor diante de ti nesta casa, 25 então que tu mesmo ouças desde os céus, e terás de perdoar o pecado do teu povo Israel e trazê-los de volta ao solo que deste a eles e aos seus antepassados.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(2 Crônicas 6:24-25) 24 Se o teu povo de Israel for derrotado pelo inimigo, por terem pecado contra ti; e se converterem e confessarem o teu nome e orarem e fizerem súplicas diante de ti nesta casa; 25 ouve do céu, perdoa o pecado do teu povo de Israel, e torna a levá-los para a terra que lhes deste a eles e a seus pais.



No caso do povo amado praticar iniquidades, Salomão abriu a possibilidade para o perdão. Este perdão deveria acontecer no caso do iníquo voltar, elogiar o nome de Jeová e pedir tal favor (em oração) nesta casa ou em direção a esta casa.

Neste caso, o perdão seria um “favor concedido” àqueles que voltassem, elogiassem o nome de Jeová e fizessem este pedido de “favor” na casa de Jeová ou com as mãos estendidas na direção da casa.

Bem, o que é mesmo um favor??

Favor – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: o que se faz para alguém de graça, sem obrigação, um obséquio.

favor

\ô\ s.m. (sXIV) 1 o que se faz para alguém de graça, sem obrigação; obséquio 2 remissão de culpa concedida por indulgência; mercê, graça <pretendia conquistar o f. divino> 3 vantagem, benefício que se concede a alguém; proveito <trabalhava a (ou em) f. do amigo> 4 simpatia; consideração <com sua eficiência, logo conquistou o f. do chefe> 5 vantagem devida à preferência que se recebe de alguém ou ao poder que se tem sobre alguém <não se esforçava, tudo o que conseguia era de f.> 6 carta, missiva <por meio desta, quero agradecer o f. de V.Sª.> ¤ etim lat. fàvor,óris 'id.' ¤ sin/var benefício, benevolência, cortesia, fineza, graça, mercê, obséquio, préstimo, serviço; ver tb. sinonímia de carta e presente ¤ ant desfavor, oposição


Um obséquio?? Sim um obséquio.

Mas o que é mesmo obséquio??

Obséquio – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: algo que se faz para alguém desinteressadamente, apenas por gentileza...

obséquio

\zé\ s.m. (sXV) 1 ato de obsequiar 2 algo que se faz para alguém desinteressadamente, apenas por gentileza; favor, serviço 3 bondade de ânimo para com algo ou alguém; graça, benefício, benevolência ¤ etim lat. obsequium,ii 'id.' ¤ sin/var ver sinonímia de delicadeza e favor ¤ ant ver antonímia de delicadeza ¤ par obsequio(fl.obsequiar)


Percebemos o lugar que ocupava o perdão na mente destes homens.

Segundo as palavras de Jesus, o perdão sempre foi uma obrigação do homem em relação a seu próximo e não um obséquio, uma gentileza, uma exceção que se abria para com alguém que fizesse isto ou aquilo.

No entanto, segundo as palavras proferidas nesta oração, Salomão deixa claro que o perdão dado por Jeová seria uma exceção aberta por Jeová à regra de dar a plena retribuição ao iníquo segundo os seus caminhos.

Sendo uma exceção, é óbvio que a pessoa precisava ser merecedora de tal perdão. Tal pessoa alcançava uma condição privilegiada.

Neste caso, quem eram os privilegiados?? Ora, a casa de Israel, obviamente. A casa de Israel ocupava uma posição privilegiada, pois, depois de praticar a iniquidade, ainda podiam ser perdoados, não recebendo o que realmente mereciam.

O que é uma exceção??

Exceção – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: desvio de uma regra ou de um padrão convencionalmente aceito.

exceção

s.f. (sXVI) ato ou efeito de excetuar 1 desvio de uma regra ou de um padrão convencionalmente aceito 2 aquele que se desvia ou exclui de regras e padrões 3 não inclusão <com e. da loura, todos saíram> 4 condição ou situação privilegiada <tirava proveito das e.> 5 jur meio de defesa, regular e indireto, us. pelo réu com a finalidade de excluir os direitos do autor da ação ou retardar a decisão definitiva da causa ² leis de e. jur as que existem fora do direito comum ¤ etim lat. exceptìo,ónis 'exceção, restrição, reserva' ¤ ant princípio, regra


Retribuir a cada um segundo o seu proceder era a regra de justiça e o perdão era a exceção da regra de justiça concedida a alguns privilegiados que apresentassem certos méritos.

Embora a regra deixasse bem claro que o humano estaria recebendo o que ele fez por merecer, mesmo assim o perdão poderia dado a algumas pessoas. Tratava-se de algo estranho, pois a pessoa depois que cometeu a iniquidade fez por merecer a morte. Ora, se a pessoa já fez por merecer a morte, como poderia esta pessoa apresentar algum mérito para receber o perdão?? Tratava-se de um conceito contraditório.

Fica assim uma pergunta no ar:

Embora fosse este o pensamento do humano em relação a Jeová, seria esta a base do relacionamento entre Jeová e o seu amado povo??

Se naquele exato momento estava havendo um tratamento diferenciado em relação aos dois grupos, o que isto representava em relação a cada grupo??

Vamos observar agora o que Jeová falou a respeito dos dois grupos.

Desta vez, Jeová fala com Seu outro profeta. Trata-se do profeta Jeremias.

Onde se encontrava Jeremias?? Bem, enquanto Ezequiel se encontrava em Babilônia, Jeremias se encontrava em Jerusalém. Jeremias pertencia ao grupo dos remanescentes de Jerusalém.

Temos assim um profeta junto do grupo que estava em Babilônia e outro profeta junto com o grupo que havia sobrado em Jerusalém.

O que falou Jeová para Jeremias??

Usando de ilustrações, uma das características marcantes da personalidade de Jeová, assim Ele falou com Jeremias: Há figos bons e há figos ruins.

(Jeremias 24:1-10) 24 E Jeová me mostrou, e eis duas cestas de figos postas diante do templo de Jeová, depois de Nabucodorosor, rei de Babilônia, ter levado ao exílio Jeconias, filho de Jeoiaquim, rei de Judá, e os príncipes de Judá, e os artífices, e os construtores de baluartes, de Jerusalém, para levá-los a Babilônia. 2 Quanto a uma cesta, os figos eram muito bons, iguais a figos temporãos; e quanto à outra cesta, os figos eram muito ruins, de modo que não podiam ser comidos de ruins [que eram]. 3 E Jeová passou a dizer-me: “Que estás vendo, Jeremias?De modo que eu disse: “Figos, os bons figos sendo muito bons e os ruins sendo muito ruins, de modo que não podem ser comidos de ruins [que são].” 4 Então veio a haver para mim a palavra de Jeová, dizendo: 5 Assim disse Jeová, o Deus de Israel: ‘Como estes figos bons, assim considerarei os exilados de Judá, que vou mandar embora deste lugar para a terra dos caldeus, dum modo bom. 6 E vou fixar meu olho neles de modo bom e certamente os farei voltar a esta terra. E vou edificá-los e não os derrubarei; e vou plantá-los e não os desarraigarei. 7 E vou dar-lhes um coração para me conhecerem, que eu sou Jeová; e terão de tornar-se meu povo e eu mesmo me tornarei seu Deus, pois retornarão a mim de todo o seu coração. 8 “‘E como os figos ruins que não podem ser comidos de ruins [que são], assim é que Jeová disse, de fato: “Assim entregarei Zedequias, rei de Judá, e seus príncipes, e o restante de Jerusalém, que restam nesta terra e os que moram na terra do Egito 9 também vou dá-los para tremor, para calamidade, em todos os reinos da terra, para vitupério e para expressão proverbial, para escárnio e para invocação do mal, em todos os lugares aos quais os dispersarei. 10 E vou enviar contra eles a espada, a fome e a pestilência, até que cheguem ao seu fim sobre o solo que dei a eles e aos seus antepassados.”’”



Ora, o grupo que havia ficado em Jerusalém era o pior grupo?? Bem, eles provariam isto através de suas próprias ações, obviamente.

O que Jeová havia falado para o grupo já cativo em Babilônia em relação ao grupo que havia ficado em Jerusalém?? Ele falou: “Você vão ser testemunhas das ações de seus irmãos que sobraram em Jerusalém. Vocês testemunharão o que eles são capazes de fazer. Vocês serão consolados em face das ações deles”.



Percebemos que a expressão “remanescentes”, neste caso específico, refere-se aos judeus que haviam sobrado em Jerusalém. Estes faziam parte de um grupo de remanescentes, ou seja, aqueles que se deixou sobrar em Jerusalém.

Jeová habitava no templo de Jerusalém, ou seja, Ele marcava a Sua presença em um templo construído por mãos humanas.

Desta forma, os remanescentes habitantes de Jerusalém se sentiam próximos de Deus e viam os já cativos em Babilônia como estando longe de Deus.

No entanto, o que havia afirmado Jeová que iria acontecer com estes “remanescentes”??





Que outras previsões havia feito Jeová quando Moisés ainda estava vivo, sobre a forma como Ele agiria com o seu amado povo??

(Levítico 26:36-41) 36 “‘Quanto aos remanescentes entre vós, hei de pôr timidez nos seus corações, nas terras dos seus inimigos; e o ruído duma folha [sendo] impelida deveras os afugentará, e fugirão realmente como na fuga diante duma espada e cairão sem que alguém os persiga. 37 E hão de tropeçar uns nos outros como que diante duma espada, sem que alguém os persiga, e não haverá para vós a capacidade de resistir aos vossos inimigos. 38 E tereis de perecer entre as nações e a terra dos vossos inimigos terá de consumir-vos. 39 Quanto aos remanescentes entre vós, apodrecerão por causa do seu erro nas terras dos vossos inimigos. Sim, apodrecerão até mesmo por causa dos erros de seus pais, com eles. 40 E certamente confessarão seu próprio erro e o erro de seus pais na sua infidelidade, quando se comportaram de modo infiel para comigo, sim, mesmo quando andaram em oposição a mim. 41 Eu, da minha parte, porém, passei a andar em oposição a eles e tive de levá-los à terra dos seus inimigos....


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Levítico 26:36-41) 36 Quanto aos que de vós ficarem, eu lhe meterei no coração timidez nas terras dos seus inimigos: o ruído de uma folha agitada os porá em fuga; fugirão como quem foge da espada; e cairão sem que ninguém os persiga. 37 Sem que ninguém os persiga, tropeçarão uns sobre os outros, como se fugissem de diante da espada; não podereis resistir aos vossos inimigos. 38 Perecereis entre as nações, e a terra dos vossos inimigos vos devorará. 39 Os que de vós ficarem definharão pela sua iniqüidade nas terras dos vossos inimigos; também pelas iniqüidades de seus pais definharão com eles. 40 Confessarão a sua iniqüidade, e a de seus pais, nas suas transgressões que cometeram contra mim; confessarão que, por terem andado em oposição a mim, 41 eu também andei em oposição a eles, e os trouxe para a terra dos seus inimigos. Se então o seu coração incircuncidado se humilhar, e se aceitarem o castigo da sua iniqüidade;



Entre as muitas ações de iniquidade praticadas pelos remanescentes, o próprio Jeová chamou a atenção desta para Seu mensageiro Ezequiel.

O que os remanescentes que estavam em Jerusalém disseram em relação aos que estavam em Babilônia como escravos??

Jeová ouviu o que eles disseram e contou para Ezequiel:

(Ezequiel 11:14-16) 14 E continuou a vir a haver para mim a palavra de Jeová, dizendo: 15 Filho do homem, no que se refere aos teus irmãos, teus irmãos, os homens relacionados com o teu direito de resgate, bem como toda a casa de Israel, toda ela, são os a quem os habitantes de Jerusalém disseram: ‘Afastai-vos para longe de Jeová. Ela nos pertence; a terra que [nos] foi dada como possessão’; 16 portanto, dize: ‘Assim disse o Soberano Senhor Jeová: “Embora eu os tenha afastado para longe entre as nações e embora eu os tenha espalhado entre as terras, contudo me tornarei para eles um santuário, por um pouco de tempo, entre as terras às quais foram.”’


Assim reza a Tradução Brasileira:

(Ezequiel 11:11-16) 14 Veio a mim a palavra de Jeová, dizendo: 15 Filho do homem, teus irmãos, sim teus irmãos, os homens do teu parentesco, e toda a casa de Israel, todos eles, são aqueles a quem os habitantes de Jerusalém disseram: Apartai-vos para longe de Jeová; a nós nos é dada esta terra para a possuirmos. 16 Portanto dize: Assim diz o Senhor Jeová: Ainda que os removi para longe entre as nações, e os espalhei entre os países, todavia lhes servirei de santuário por um pouco de tempo nos países para onde foram.

Que estavam fazendo?? Estavam se descartando dos seus irmãos que se encontravam escravizados no império Babilônia?? Achavam que Jeová abençoava os remanescentes em Jerusalém e que havia se descartado dos demais??

Bem, as palavras deixam bem claro o sentimento que tinham em seus corações.

No entanto, o que falou Jeová, respondendo-lhes sobre esta questão??

Os remanescentes de Jerusalém passaram a ver e sentir os seus próprios irmãos que estavam em Babilônia como rejeitados por Jeová. Na verdade, quem os estava rejeitando eram eles, os remanescentes de Jerusalém.

Aparecera, alguns humanos profetizando paz para Jerusalém e seus remanescentes. Estes profetas faziam uma separação entre os judeus que se encontravam em Babilônia e os judeus ainda residentes em Jerusalém. Tais profetas lhes falavam palavras de paz, formando uma parede de divisão entre a situação dos prisioneiros em Babilônia e os remanescentes de Jerusalém. Para os judeus em Jerusalém haverá paz, enquanto que para os judeus em Babilônia havia plena punição. Somos diferentes dos que estão sendo punidos com o exílio em Babilônia.

Vendo tal situação aparentemente verdadeira, o que Jeová passou a falar para tais humanos??

(Ezequiel 13:9-16) 9 E a minha mão veio a estar contra os profetas que visionam o que não é verdade e que adivinham uma mentira. Não continuarão no grupo íntimo do meu povo e não serão inscritos no registro da casa de Israel, e não chegarão ao solo de Israel; e tereis de saber que eu sou o Soberano Senhor Jeová, 10 pela razão, sim, pela razão de que desencaminhastes meu povo, dizendo: “Há paz!” quando não há paz, e há quem constrói uma parede de separação, mas é em vão que há os que a rebocam a cal.11 Dize aos que rebocam a cal que ela cairá. Certamente ocorrerá um aguaceiro inundante, e vós, ó pedras de saraiva, caireis, e o próprio sopro de vendavais causará fendas. 12 E eis que a parede terá de cair. Não se dirá a vós: ‘Onde está o revestimento com que rebocastes?’ 13 Portanto, assim disse o Soberano Senhor Jeová: ‘Vou fazer irromper também um sopro de vendavais no meu furor, e na minha ira ocorrerá um aguaceiro inundante, e no meu furor haverá pedras de saraiva para uma exterminação. 14 E vou derrubar a parede que rebocastes a cal e pô-la em contato com a terra, e seu alicerce terá de ser exposto. E ela certamente cairá e vós tereis de chegar ao fim no meio dela; e tereis de saber que eu sou Jeová.’ 15 “‘E eu vou levar a cabo meu furor contra a parede e contra os que a rebocam a cal, e eu vos direi: “A parede não existe mais e os que a rebocaram não existem mais, 16 os profetas de Israel que estão profetizando a Jerusalém e que estão tendo para ela uma visão de paz, quando não há paz”’, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová.



Assim verte a Tradução Almeida:

(Ezequiel 13:9-16) 9 E a minha mão será contra os profetas que vêem vaidade e que adivinham mentira; não estarão no concílio do meu povo, nem nos registros da casa de Israel se escreverão, nem entrarão na terra de Israel; e sabereis que eu sou o Senhor Deus. 10 Portanto, sim, porquanto desviaram o meu povo, dizendo: Paz; e não há paz; e quando se edifica uma parede, eis que a rebocam de argamassa fraca; 11 dize aos que a rebocam de argamassa fraca que ela cairá. Sobrevirá forte chuva, grandes pedras de saraiva cairão, e um vento tempestuoso a fenderá. 12 Ora, eis que, caindo a parede, não vos dirão: Onde está o reboco de que a rebocastes? 13 Portanto assim diz o Senhor Deus: fendê-la-ei no meu furor com vento tempestuoso e, na minha ira, farei cair forte chuva, e grandes pedras de saraiva, na minha indignação, para a consumir. 14 E derribarei a parede que rebocastes com argamassa fraca, e darei com ela por terra, de modo que seja descoberto o seu fundamento; quando ela cair, vós perecereis no meio dela; e sabereis que eu sou o Senhor. 15 Assim cumprirei o meu furor contra a parede, e contra os que a rebocam de argamassa fraca; e vos direi: A parede já não existe, nem aqueles que a rebocaram, a saber, 16 os profetas de Israel, que profetizam acerca de Jerusalém, e vêem para ela visão de paz, não havendo paz, diz o Senhor Deus.

Para os remanescentes que thhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh