A CASA REAL DE DAVI E O REINO DE DEUS

Criada em 31 de outubro de 2013 Última alteração em 28/04/16 às 14 : 14








CASA REAL DE DAVI – SERIA A REPRESENTAÇÃO DO REINO DE DEUS NA TERRA??

CASA REAL DE DAVI – ERA A VONTADE DE DEUS SENDO REALIZADA OU A VONTADE DO POVO SENDO REALIZADA??


Muitos humanos têm afirmado categoricamente que a casa real de Davi foi a representação física do reino de Deus na terra. Afirmam que Davi se sentava no trono de Jeová, sendo ele o legítimo representante de Jeová aqui na terra. A casa real de Davi era algo projetado, criado e aprovado por Jeová para o dia a dia da humanidade?? Fazia parte do projeto de Jeová para o dia a dia do povo escolhido??

A casa real de Davi veio a existência como a satisfação da vontade de Jeová para a nação??

Ou se tratava da vontade da nação que estava sendo praticada, sendo assim respeitada por Jeová??

Havia Jeová projetado uma coroa, um cetro, um palácio, um trono, escravos, soldados, espadas e todos os outros instrumentos de guerra, e solicitado que Davi fizesse uso de tais coisas?? Todas estas coisas eram invenções humanas ou criações de Jeová??


CASA REAL, que benefícios pode trazer??

Trará ela igualdade, vida e paz para todos??

A casa real de Davi é o símbolo da parcialidade?? Sim, é.

Será que Jeová é um Deus de parcialidade?? Não, não é.

Súditos pacíficos desejam um rei pacífico;

Súditos destruidores desejam um rei destruidor.

Súditos matadores desejam um rei matador;

Súditos perdoadores desejam um rei perdoador.



Reinar, coroa, trono, cetro, entronizar, entronização, realeza, rei, monarca, soberano, posse, domínio, glória e dignidade. Todas estas coisas estão diretamente relacionadas com uma “casa real”.

Quando falamos em “casa real”, estamos falando de “igualdade” entre todos os humanos??

Quando falamos em “casa real”, não estamos falando de um grupo de humanos que vivem agarrados a “privilégios”??

Quais são as coisas que caracterizam a existência de uma casa real??

Quais são as coisas visíveis e as coisas invisíveis que configuraram a casa real de Davi??


O que é privilégio??

Privilégio – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: direito, vantagem, prerrogativa, válidos apenas para um indivíduo ou um grupo, em detrimento da maioria.


privilégio

s.m. (sXIII) 1 direito, vantagem, prerrogativa, válidos apenas para um indivíduo ou um grupo, em detrimento da maioria; apanágio, regalia 2 p.ext. diploma que contém a concessão de um privilégio; patente 3 riqueza, conforto, bem material ou espiritual a que só uma minoria tem acesso <os p. da classe dominante> 4 dom natural; talento, condão <ter o p. de saber expressar em versos os sentimentos> 5 oportunidade ou concessão especial para realizar algo muito desejado ou valorizado; sorte, felicidade <p. de levar a amada ao baile> 6 jur situação de superioridade, amparada ou não por lei ou costumes, decorrente da distribuição desigual do poder político e/ou econômico etim lat. privilegìum,ìi 'lei excepcional concernente a um particular ou a poucas pessoas; privilégio, favor, graça' sin/var ver sinonímia de condão e faculdade par privilegio(fl.privilegiar)


Do lado oposto ao privilégio, encontramos a equidade.


Equidade – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: igualdade de direito de cada um; respeito a igualdade de direitos; imparcialidade.


equidade

\qü ou qu\ s.f. (sXV) 1 apreciação, julgamento justo 1.1 respeito à igualdade de direito de cada um, que independe da lei positiva, mas de um sentimento do que se considera justo, tendo em vista as causas e as intenções 2 virtude de quem ou do que (atitude, comportamento, fato etc.) manifesta senso de justiça, imparcialidade, respeito à igualdade de direitos <a e. de um juiz> <a e. de um julgamento> 3 correção, lisura na maneira de proceder, julgar, opinar etc.; retidão, equanimidade, igualdade, imparcialidade etim lat. aequìtas,átis 'igualdade, equidade' sin/var equidade, integridade, razão; ver tb. antonímia de contraposição ant iniquidade, injustiça; ver sinonímia de contraposição


Onde existem privilégios, configura-se a parcialidade.

Será que a parcialidade deve ser vista como algo imprescindível no relacionamento humano??

Será que a parcialidade é algo normal, natural e esperado no relacionamento humano??

Será que a “casa real” consta no projeto original de Jeová para o dia a dia do humano neste planeta terra??


Parcialidade – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: qualidade de quem ou do que é parcial...


parcialidade

s.f. (1521-1558) 1 qualidade de quem ou do que é parcial; parcialismo 2 grupo partidário de uma mesma causa; partido, facção etim parcial + -i- + -dade ant imparcialidade


Parcial – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: que toma partido a favor ou contra uma pessoa, uma facção, sem que importe a justiça ou a verdade; injusto.


parcial

adj.2g. (sXV) 1 que faz parte de um todo 2 que existe ou se realiza em partes <vitória p.> <contagem p.> <resultado p.> 3 que toma partido a favor ou contra uma pessoa, uma facção etc., sem que importe a justiça ou a verdade; injusto, partidário <juiz p.> etim lat.tar. partiális,e 'id.', de pars,tis 'parte, porção' sin/var ver antonímia de completo ant global, imparcial; ver tb. sinonímia de completo


O próprio dicionário nos define aquilo que é parcial como sendo a prática de algo “injusto”.

Desta forma, fica bem claro que a casa real está ligada à injustiça, à parcialidade e à desigualdade.

Será que a existência da casa real é um projeto de Jeová para o relacionamento humano?? Será que a injustiça, a parcialidade e a desigualdade fazem parte da personalidade de Jeová??


Vejamos agora os significados de cada um dos termos acima, que estão vinculados a existência de uma casa real, ou seja, a existência da desigualdade.


reinar

  1. (sXIII) 1 int. governar um Estado como chefe supremo, esp. como rei <reinou por pouco tempo> 2 int. tomar espaço e durar certo tempo <o silêncio reinava na reunião> 3 int. grassar, alastrar-se (tratando-se de moléstias, pragas etc.) <a pneumonia reinava ali> 4 int. B infrm. fazer travessuras; brincar, folgar <as crianças gostam de r.> 5 int. tornar-se notável; destacar-se <ele reina como filólogo> 6 int. RS entrar a fêmea no cio; alvoroçar 7 int. estar em vigor, em uso <essa moda reinou pouco> 8 t.i.int. ter poder, exercer influência <r. pela força> <duas pessoas reinam neste país> 9 t.d. levar a cabo; exercer, realizar <r. uma boa administração> 10 t.d. traçar, planejar, maquinar <r. situações embaraçosas> 11 int. RS m.q. alvoroçar etim lat. regno,as,ávi,átum,áre 'reinar' hom reino(1ªp.s.) / reino(s.m.)


1trono

s.m. (sXIII) 1 assento elevado destinado à realeza 2 p.met. poder ou autoridade real; realeza, soberania 3 p.met. o império governado por esse poder 4 p.met. a pessoa do rei 5 litur.cat assento para o bispo em solenidades religiosas 6 infrm. joc. vaso sanitário; latrina Tronos s.m.pl. teol 7 um dos nove coros de anjos, na hierarquia celeste t. do Altíssimo p.metf. o céu • subir ao t. ser aclamado como rei, começar a reinar gram dim.irreg.: troneto etim gr. thrónos,ou 'assento elevado' sin/var ver sinonímia de privada hom trono(fl.tronar)



(tro.no)


sm.

1 Assento largo e solene, de grande conforto e ger. pomposo, onde se sentam os soberanos ou as pessoas a quem se confere extrema dignidade: O trono do rei; o trono do papa.

2 Fig. Símbolo de poder soberano.

3 A pessoa do soberano: Os clamores do povo chegaram ao trono.

4 Joc. Pop. Vaso sanitário.


[F.: Do gr. thronus, ous.]


Subir ao trono

1 Fig. Ser coroado rei, ou aclamado como rei; começar a reinar (rei).


(co.ro.a) [ô]


sf.

1 Ornamento circular que se usa sobre ou cingindo a cabeça como insígnia da realeza ou nobreza.


entronizar

v. (a1522) 1 t.d. e pron. alçar(-se), elevar(-se), pôr ou subir ao trono <e.(-se) uma rainha, um bispo> 2 t.d. tornar elevado, sublime, glorioso; enaltecer, altear, engrandecer <aquele governo entronizava a corrupção> 3 t.d. colocar (imagem, ícone, quadro de santo) em altar ou em lugar de honra <entronizou, em sua casa, um Cristo crucificado> 4 bit. colocar, introduzir (algo) em <e. a alegria na alma> 5 pron. estabelecer seu domínio em, tomar posse de; apossar-se, assenhorar-se, dominar <as tropas inimigas entronizaram-se na cidade> etim lat.ecl. inthronizáre 'elevar ao trono', der. do gr. enthronízó 'elevar ao trono, à soberania ou à dignidade de' sin/var entronar, entronear ant desentronizar hom entronizáveis(2ªp.pl.) / entronizáveis(pl.entronizável [adj.2g.])


entronização

s.f. (1676) ato ou efeito de entronizar(-se), de colocar ou subir no trono 1 ato ou efeito de enaltecer, de engrandecer; enaltecimento, exaltação, engrandecimento 2 colocação de (imagem, ícone, quadro de santo) em altar ou lugar de honra 3 tomada de posse; estabelecimento do domínio etim entronizar + -ção sin/var entronizamento, exaltação ant desentronização


1realeza

\ê\ s.f. (sXV) 1 a dignidade real 2 designação abrangente de uma série de reis <a r. russa> 3 fig. magnificência, grandeza, sublimidade 4 partido monárquico <sempre apoiou a r.> etim 1real + -eza


rei

s.m. (1101) 1 chefe de Estado investido de realeza; príncipe soberano de um reino; monarca, soberano 2 p.ext. aquele que detém o poder absoluto ou grande parcela de poder 3 fig. o que se destaca entre os que pertencem ao mesmo grupo, profissão, classe etc. 4 lud peça importante do jogo de xadrez 5 lud cada uma das quatro figuras (uma de cada naipe) de maior valor no baralho reis s.m.pl. rel 6 m.q. Dia de Reis F inicial maiúsc. r. de boi etn B m.q. bumba meu boir. dos judeus Jesus Cristo • r. dos r. título dos reis dos partos, dos persas e da Etiópia • r. momo B 1 personagem a quem tradicionalmente se atribui o reinado da folia do período carnavalesco F iniciais freq. maiúsc; cf. momo 2 p.ext. pessoa investida desse título • aqui del r. ant. empr. para invocar o auxílio ou socorro da força pública, dos guardas reais • ter o r. na barriga mostrar-se arrogante, cheio de si gram fem.: rainha etim lat. rex,régis 'rei, soberano, monarca' par reis(pl.) / réis(pl.real)


1monarca

s.m. (sXIV) 1 indivíduo que exerce o poder supremo num governo monárquico (um rei, um imperador, um sultão etc.); soberano 2 pessoa ou coisa que domina em certa área ou gênero 3 RS indivíduo exímio e garboso na montaria 4 p.ext. RS animal imponente v s.2g. BA 5 pessoa conservadora n adj.2g. 6 B infrm. antiquado, antigo (diz-se de hábitos ou costumes) 7 AL que não está mais em voga; fora de moda 8 CE infrm. de grandes dimensões; muito grande etim lat. monárcha,ae 'soberano, rei, o que manda ou domina', do gr. monárkhés < gr. mónarkhos,os,on 'id.' col monarcada par nomarca(s.m.)


(so.be.ra.no)


a.

1 Que exerce o poder ou a autoridade sem restrições (governo soberano)

2 Que detém o poder (povo soberano)

3 Que encerra poder e infunde o máximo respeito (constituição soberana)

4 Que se destaca em primeiro lugar, que tem primazia: O país ainda apresenta um futebol soberano.

5 Fig. De qualidade indiscutível; SUPREMO; NOTÁVEL; EXCELENTE: Na coleção, encontrava-se a arte soberana de Portinari.

6 Que é decisivo, que impõe decisão (oportunidade soberana)

7 Arrogante, altivo: Passou com um olhar soberano.

8 Rel. Cujo poder, cujo desígnio é absoluto (Deus soberano; Virgem soberana)


sm.

9 Governante de Estado monárquico; REI; MONARCA


num.

10 Moeda inglesa de ouro, de uma libra esterlina


[F.: Do lat. vulg. superanus.]


posse

s.f. (sXIII) 1 ato ou efeito de se apossar de alguma coisa; propriedade 2 estado de quem possui uma coisa, de quem a detém como sua ou tem o gozo dela 3 estado de algo que é possuído por alguém, ou que esse alguém conserva consigo 4 investidura em um cargo; empossamento <tomou p. no cargo de diretor> 4.1 p.ext. cerimônia dessa investidura <cometeu gafes durante a p.> 5 MG MT área equivalente a uma légua quadrada 6 infrm. prédio rústico posses s.f.pl. 7 recursos financeiros de alguém; haveres, bens <é um homem de posses> 8 aptidão, capacidade quase p. jur posse que não é plena <o direito de servidão é uma quase p.> etim lat. posse inf. substv. de possum,potes,potùi,posse 'poder, ser capaz de' sin/var ver sinonímia de bens


(do.mí.ni:o)


sm.

1 Ação ou resultado de dominar: O domínio dos mais fortes.

2 Dominação, autoridade, poder: As terras ficaram sob seu domínio.

3 Posse, poder, propriedade: Os domínios do fazendeiro iam além do rio.

4 Extensão de terras sob a posse ou dominação de uma ou mais pessoas: A França perdeu o domínio sobre a Argélia. [Mais us. no pl.]

5 Possessão de território: A Argentina retomou o domínio das Malvinas.

6 Âmbito de uma arte ou ciência: o domínio do cubismo no início do séc XX..

7 Grande conhecimento: O seu domínio das ciências era impressionante.

8 Soberania, supremacia, poder: o domínio das elites sobre os mais pobres.

9 Alçada, competência, atribuição: Era uma questão que pertencia aos domínios daquele tribunal. [Mais us. no pl.]

10 Inf. Segmento final de um endereço eletrônico que identifica a entidade proprietária do endereço (no Brasil, p.ex.: br, org, gov).


[F.: Do lat. dominium.]


Domínio direto

1 Jur. Numa enfiteuse, seu domínio pelo senhorio, em forma de pensão anual fixa e perpétua, que recebe do enfiteuta


Domínio público

1 Conjunto das criações culturais (folclóricas, artísticas, intelectuais, científicas) que pertencem à comunidade em geral, que são transmitidas ou podem ser difundidas livremente entre a população.


Domínio útil

1 Jur. Numa enfiteuse, aproveitamento da coisa aforada e de seus frutos


De domínio público

1 Edit Diz-se de canções, músicas, narrativas, obras literárias, etc., que podem ser reproduzidas e difundidas livremente, seja por não terem autoria conhecida (como no caso de criações do folclore), seja por ter expirado o prazo de proteção legal (no caso de obras com autor conhecido).


(dig.ni.da.de)


sf.

1 Qualidade moral que infunde respeito; HONRA; AUTORIDADE

2 Modo de proceder ou de se apresentar, que infunde respeito; BRIO; MAJESTADE

3 Decência, decoro.

4 Função, cargo ou título de alta graduação (dignidade de reitor).

5 Ecles. Eclesiástico que exerce funções elevadas ou tem título proeminente em um cabido.


[F.: Do lat. dignitas, a tis. Ideia de 'dignidade': -ato, bacharelato.]


Todas estas expressões acima estão diretamente relacionadas com a existência de uma casa real.


Será que a existência da casa real é sinônimo de igualdade para todos??

Será que a existência de uma casa real é a solução para os problemas de relacionamento humano??

Será que o humano precisa que haja uma casa real para dirigir-lhes os passos??

Será que o humano necessita da existência de uma casa real para resolver os seus problemas de relacionamento humano??

Quais são as consequências naturais da existência de uma casa real??

Ora, para saber do resultado, nada melhor do que praticar isto durante séculos, não é mesmo??


Como um monarca, o rei detém o poder absoluto sobre todos, não devendo existir oposição à sua pessoa. O reino fica plenamente estabelecido quando inexiste resistência ao seu reinado, ou seja, ao seu domínio. Todos são obrigados a acatar a sua posição de autoridade. Através do seu poder, o rei esmaga todas as resistências ao seu reinado.

O rei detém poder absoluto quando todos no seu reino satisfazem a sua vontade, no entanto, o poder do rei está nas mãos de seus súditos, isto é, daqueles que o têm voluntariamente como sendo seu soberano. Esta é uma das interessantes contradições a respeito do poder absoluto do rei.

Todas as definições acima nos revelam uma posição no Alto, acima dos demais. O trono revela ser uma posição física fixa e no alto, onde o rei se senta na sua majestade (dignidade) decidindo sobre a vida e a morte de seus súditos. O rei revela ter a vida de seus súditos nas palmas de sua mão, dando a eles o destino que lhe convier.

Quanto maior for a dignidade que o rei achar merecer, maior será o seu trono.


Será que a casa real da nação de Israel revelou ser diferente daquilo que os significados das palavras acima atribuem a uma casa real??

O que o histórico da casa real comprovou??



No caso de Davi sentar-se no trono de Jeová como representante Dele na terra, depois de Davi, todos os demais reis que se sentaram no mesmo trono, automaticamente passariam a representar o reino de Deus na terra.

Afirma-se que o modelo de regência praticado pela casa real de Davi é o modelo usado por Jeová para reger (governar) a humanidade.

Esta é uma afirmação muito forte em relação ao reino de Deus. As ações tomadas por estes humanos passaram a ser ações tomadas pelos “representantes” de Deus perante toda a humanidade. Era um representante de Deus tomando ações e proferindo palavras que seriam vistas como palavras de Jeová e ações de Jeová. Neste caso, era uma casa real tomando ações e proferindo palavras que seriam vistas como palavras de Jeová e ações de Jeová, ou pelo menos aprovadas por Jeová. Isto passava a ser uma coisa muito séria.

As palavras e as ações destes humanos sentados no trono passariam a ser alicerces na formação da sociedade, pois os costumes praticados pela casa real seriam copiados pelo resto do povo, como a realidade comprovou.

Seria a regência animalesca praticada por toda a casa real de Davi, inclusive Davi, o modelo a ser adotado por Jeová para reger toda a humanidade??

Será que a existência de uma casa real é indispensável para a unidade de toda a humanidade?? Será que contribui para a existência de unidade e paz??

Ter esta afirmação como verdade, fará dela uma base para inúmeras outras afirmações. Muitas pessoas têm construído grandes castelos tendo esta afirmação como verdade. Os castelos sempre são construídos em cima de uma base ou alicerce.


Qualquer desrespeito à palavra deste homem seria o mesmo que estar desrespeitando a Jeová, a quem esta pessoa representava oficialmente??

Deixar de fazer uma vontade de Davi é a mesma coisa que deixar de fazer a vontade de Jeová??


Não é exatamente isto o que é definido como o certo??


Ao lermos este mandamento dado por Moisés, a que conclusão podemos chegar em relação ao representante de Jeová e sua posição diante do povo??


(Deuteronômio 17:8-12) 8 Caso alguma causa para decisão judicial te seja extraordinária demais, uma em que se derramou sangue, em que se tenha feito uma demanda judicial, ou se cometeu um ato de violência, questões de disputa, dentro dos teus portões, então tens de levantar-te e subir ao lugar que Jeová, teu Deus, escolher, 9 e tens de dirigir-te aos sacerdotes, aos levitas e ao juiz que estiver em exercício nesses dias, e tens de fazer uma consulta, e eles têm de transmitir-te a palavra da decisão judicial. 10 Então tens de proceder de acordo com a palavra que te transmitirão do lugar que Jeová escolher; e tens de cuidar em fazer segundo tudo o que te instruírem. 11 Deves proceder de acordo com a lei que te indicarão e segundo a decisão judicial que te disserem. Não te deves desviar da palavra que te transmitirão, nem para a direita, nem para a esquerda. 12 E o homem que se comportar presunçosamente, não escutando o sacerdote que ali está de pé para ministrar a Jeová, teu Deus, ou o juiz, tal homem tem de morrer; e tens de eliminar o mal de Israel.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Deuteronômio 17:8-12) 8 Se te surgir em juízo uma questão difícil demais, entre sangue e sangue, entre causa e causa, e entre ferida e ferida, isto é, questões de pendências, dentro das tuas cidades; levantar-te-ás e subirás ao lugar que Jeová teu Deus escolher. 9 Virás aos levitas sacerdotes, e ao juiz que houver nesses dias; indagarás, e eles te mostrarão a sentença do juízo. 10 Farás de acordo com a sentença que te mostrarem no lugar que Jeová escolher; e cuidarás em fazer segundo tudo o que te ensinarem. 11 Segundo o teor do ensino que te derem, e segundo o juízo que te disserem, farás; não te desviarás da sentença que te referirem nem para a direita nem para a esquerda. 12 O homem que se houver com presunção, não ouvindo ao sacerdote que está ali para ministrar diante de Jeová teu Deus nem ao juiz, esse homem morrerá; tirarás de Israel o mal.


Moisés definiu o agir presunçosamente contra o sacerdote ou o juiz, pessoas que estavam ali para ministrar outros diante de Jeová, como sendo um crime capital. Moisés definiu: “Tal homem morrerá”.

Neste caso, tanto as palavras como as ações destes homens não deveriam ser contestadas pelos demais membros do reino de sacerdotes.

Cuidarás em fazer tudo o que te ensinarem. Não havia espaço para discordar do ensino dado pelos sacerdotes e/ou juízes. Aceite sem contestação tudo o que eles mandarem você fazer.

Segundo o teor do ensino que te derem, e segundo o juízo que te disserem, farás. Não te desviarás da sentença que te proferirem nem para a direita e nem para a esquerda”.

A contestação da palavra do sacerdote e/ou juiz passou a ser considerado como crime capital. Esta era a mesma posição das demais casas reais existentes, logo, tratava-se de um pensamento humano e uma posição humana.

Em relação a ter sua palavra contestada, o sacerdote Jesus revelou ter uma posição bem diferente desta posição estabelecida por Moisés e praticada no reino de sacerdotes, tanto pela casa real como pelos sacerdotes.


Vejamos a posição tomada por Jesus:

(João 12:46-49) 46 Eu vim como luz ao mundo, a fim de que todo aquele que depositar fé em mim não permaneça na escuridão. 47 Mas, se alguém ouvir as minhas declarações e não as guardar, eu não o julgo; pois não vim julgar o mundo, mas salvar o mundo. 48 Quem me desconsiderar e não receber as minhas declarações, tem quem o julgue. A palavra que eu tenho falado é que o julgará no último dia; 49 porque não falei de meu próprio impulso, mas o próprio Pai que me enviou tem-me dado um mandamento quanto a que dizer e que falar.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(João 12:46-49) 46 Eu que sou a luz, vim ao mundo, a fim de que todo o que crê em mim, não permaneça nas trevas. 47 Se alguém ouvir as minhas palavras, e não as guardar, eu não o julgo; porque não vim a julgar o mundo, mas a salvar o mundo. 48 Quem me despreza e não recebe as minhas palavras, tem quem o julgue; a palavra que falei, essa o julgará no último dia. 49 Pois eu por mim mesmo não falei, mas o Pai que me enviou, esse mesmo me tem prescrito o que devo dizer e o que devo falar.


Qual dos dois modelos é o modelo de Jeová fazer as coisas?? O modelo estabelecido por Moisés ou o modelo estabelecido por Jesus??

Ser tolerante contra a contestação das palavras faladas ou ser intolerante contra a contestação de palavras faladas??

O mandamento dado por Moisés vinha acompanhado da imposição, não vinha??

Se contestar vai morrer.

Qual das duas ações deve ser a correta dentro do “reino de sacerdotes”??

Sendo Jeová o Rei, será que Ele agiria tal qual Moisés determinou o sacerdote e/ou o juiz agir ao ter sua palavra contestada?? Seria Jeová a intolerância em pessoa, matando todo aquele que contestasse a Sua palavra?? Poder para isto não lhe faltava, não é mesmo??

Ora, se era considerada uma presunção não acatar as palavras do “representante” de Jeová, existindo a determinação de pena capital para tal ação, o que dizer de contestar uma palavra do próprio Jeová??


As palavras de Jesus são bem claras. Jesus não se sente ofendido por alguém não concordar com palavras faladas por ele. Por que se ofender?? Por discordar, a pessoa não estaria desrespeitando a pessoa de Jesus. A pessoa estaria desrespeitando a palavra falada. Jesus afirmou que a palavra falada confirmaria sua autenticidade no último dia. Ora, se a pessoa contestou a palavra falada e apresentou uma outra palavra, nada como o tempo para comprovar a veracidade de cada palavra falada. Por que Jesus passaria a sentir inimizade por alguém que discorda da palavra que ele falou, sendo que ele tem plena certeza da verdade que está falando??

A forma de Jesus fazer as coisas era bem diferente da forma feita e estabelecida por Moisés com sendo a coisa certa a ser feita em um caso como este.

Na verdade, a forma de Jesus, aquele que era unidade com o Pai, fazer as coisas eram OPOSTAS à forma como Moisés fazia e determinava que fosse feita pelo povo. Jesus afirmou que COPIAVA as ações do Pai. Neste caso, fica bem claro que havia algo bem errado.



Bem, Moisés não falou sobre “rei”, afinal de contas, até então, tratava-se de um reino de sacerdotes. Ainda não existia a figura do rei humano. Jeová não havia previsto esta figura no Seu reino de sacerdotes, logo, não havia nenhum mandamento específico sobre tal posto (rei).

Algum tempo depois de Moisés, isto é, logo após a rebeldia do povo em adotar a casa real como forma de governo e rejeitar a forma de governo de Jeová (o reino de sacerdotes), alguém poderia perguntar: Afinal de contas, quem era o representante de Jeová, o rei ou o sacerdote?? Quem é que deveria obedecer a quem??

Será que Davi passaria a ser um rei sacerdote??

Para ele, isto seria impossível, pois ele era descendente de Judá e não de Levi. Jeová já havia definido que o sacerdócio estava vinculado à casa de Levi.


Muito tempo depois de Moisés, Jeová falou a seguinte palavra para Seu mensageiro Malaquias:

(Malaquias 2:5-7) 5 Quanto ao meu pacto, mostrou ser com ele, [um] de vida e de paz, e continuei a dá-las a ele, junto com medo. E ele continuou a temer-me; sim, porque ele mesmo ficou aterrorizado por causa do meu nome. 6 A própria lei da verdade mostrou estar na sua boca e não se achou injustiça nos seus lábios. Andava comigo em paz e em retidão, e muitos foram os que ele fez recuar do erro. 7 Pois, são os lábios do sacerdote que devem guardar o conhecimento e da sua boca devem as pessoas procurar [a] lei; porque ele é o mensageiro de Jeová dos exércitos.


Assim verte a Tradução Brasileira:


(Malaquias 2:5-7) 5 A minha aliança com ele foi de vida e de paz; eu lhas dei para que me temesse, e ele me temeu, e teve medo do meu nome. 6 A lei da verdade esteve na sua boca, e a injustiça não se achou nos seus lábios; ele andou comigo em paz e em eqüidade, e da iniqüidade apartou a muitos. 7 Pois os lábios do sacerdote devem guardar a ciência, e da sua boca devem os homens procurar a lei; porque ele é o mensageiro de Jeová dos exércitos.


Pela definição dada pelo Pai em relação ao “reino de sacerdotes”, o sacerdote devia ser procurado para que este informasse a lei. Não era o rei, antes, era o sacerdote quem deveria ser procurado pelos homens. O mensageiro de Deus era o sacerdote, e não o rei. Muito tempo depois, e Jeová continuava firme no seu relacionamento com os sacerdotes cobrando deles a execução correta da função de sacerdote, conforme definida por Ele.


O que estes homens haviam feito??

(Malaquias 2:8-9) 8 Mas vós, homens — vós vos desviastes do caminho. Fizestes muitos tropeçar na lei. Arruinastes o pacto de Levi”, disse Jeová dos exércitos. 9 E também eu, da minha parte, certamente farei que sejais desprezados e rebaixados para todo o povo, porquanto não guardastes meus caminhos, porém, mostrastes parcialidade na lei.”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Malaquias 2:8-9) 8 Mas vós vos tendes desviado do caminho; e tendes feito a muitos tropeçar na lei; tendes corrompido a aliança de Levi, diz Jeová dos exércitos. 9 Portanto também eu vos tenho feito desprezíveis e vis diante de todo o povo, assim como vós não tendes observado os meus caminhos, mas vos tendes deixado levar de respeitos humanos na lei.


Além de revelar a lei de Jeová para os súditos do reino de sacerdotes, o sacerdote também devia ser um dos que obedeciam a lei. No entanto, os sacerdotes estavam fazendo muitos súditos tropeçar na lei.


Assim falou Jeová para Ezequiel:

(Ezequiel 22:26-27) 26 Os próprios sacerdotes dela têm feito violência à minha lei, e eles continuam a profanar meus lugares santos. Não fizeram nenhuma diferença entre a coisa santa e a comum, e nada deram a conhecer entre a coisa impura e a pura, e ocultaram os seus olhos dos meus sábados, e eu sou profanado no meio deles. 27 Os príncipes dela no seu meio são como lobos dilacerando a presa em derramamento de sangue, destruindo almas para obter lucro injusto.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel 22:26-27) 26 Os seus sacerdotes violentam a minha lei, e profanam as minhas coisas sagradas. Não distinguem entre o santo e o profano, nem fazem que os homens discernam a diferença entre o imundo e o limpo, e dos meus sábados escondem os seus olhos, e eu sou profanado entre eles. 27 Os seus príncipes no meio dela são como lobos que arrebatam a presa, para derramarem o sangue, e destruírem as almas, a fim de ganharem lucro desonesto.


Como reais representantes de Jeová, os sacerdotes, mensageiros do Rei, estavam deixando a desejar quanto ao que o Rei desejava deles.


Ora, segundo as palavras de Jeová acima, o sacerdote não era um juiz, ou seja, aquele que aplicava decisões judicias sobre as pessoas, visando impor uma lei sobre as pessoas. Tampouco ele seria um legislador, ou seja, alguém que criava regras de comportamento para as pessoas. Segundo estas palavras de Jeová, no reino de sacerdotes, o sacerdote não deveria proferir sentenças, sentenças estas que não deveriam ser desrespeitadas pelo súdito, afinal de contas, mensageiro é apenas mensageiro.


O que é uma sentença??


Sentença – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: decisão ou a solução dada por uma autoridade a toda e qualquer questão submetida à sua jurisdição..


sentença

s.f. (sXIII) 1 frase lapidar que encerra um pensamento de ordem geral e de valor moral; provérbio, máxima 2 a decisão, a resolução ou a solução dada por uma autoridade a toda e qualquer questão submetida à sua jurisdição 3 p.ext. decisão ou resolução tomada por qualquer pessoa 4 julgamento de Deus sobre os homens 5 fig. frase que encerra uma decisão inabalável 6 gram obsl. m.q. oração 7 gram obsl. m.q. frase 8 lóg qualquer sentença declarativa, independente da consideração de veracidade ou falsidade; proposição etim lat. sententìa,ae 'sentimento, parecer, opinião etc.' sin/var ver sinonímia de máxima


Uma pessoa ou um grupo de pessoas resolve submeter um problema para alguém. Este alguém é visto por estas pessoas como uma autoridade. Esta pessoa profere uma solução para a resolução de tal problema. Esta solução pode ser considerada uma sentença. A sentença é oriunda de uma autoridade. Segundo Moisés, esta “autoridade” não poderia ser contestada. Moisés definiu que a penalidade pela contestação da autoridade seria a morte.


Será que isto é tirania??

Onde ficou a liberdade de expressão nos mandamentos dados por Moisés??

Jesus afirmou: Eu e o Pai somos um.

Neste caso, perguntamos: O mandamento dado por Moisés é o mesmo mandamento dado por Jesus??

De quem recebeu Moisés este mandamento de total intolerância?? Teria recebido de Jeová?? Jesus era uma cópia fiel de Jeová, não era??

De um tirano sai mandamentos de tirania e de um tolerante sai mandamentos de tolerância.


O mandamento dado por Moisés revelou ser um mandamento criado por um déspota.

O que é um déspota??


Déspota – esta é a definição dada pelo dicionário online de Português: Aquele que dirige ou governa de modo completamente autoritário.


adj. Que chefia, dirige ou governa de modo completamente autoritário; que é capaz de exercer sua autoridade de modo opressor; despótico.
Que se comporta de maneira tirânica para obter o poder completo; tirano.
P.ext. Que demonstra autoridade ou tirânia.
P.ext. Que se utiliza da autoridade opressora para dominar.
P.met. Que demonstra autoritarismo em quaisquer circunstâncias; autoritário.
s.m. Indivíduo que possui as características acima citadas; governante opressor.
Pessoa cujo gênio é autoritário e dominador.
Quem gosta de dominar por completo: déspota do xadrez.
História. Na Igreja ortodoxa oriental, o bispo ou patriarca.
Designação do príncipe ou chefe militar, na Renascença italiana.
Déspota Esclarecido. Indivíduo cujo governo segue a doutrina do despotismo esclarecido.
(Etm. do grego: despótes.ou)



O mandamento dado por Moisés, é um mandamento completamente autoritário, não é??


O que é mesmo autoritário??


Autoritário – esta é a definição dada pelo dicionário online de Português: que utiliza a imposição e o poder para governar


adj. Que se pode referir a autoridade.
Que se baseia na autoridade; que utiliza a imposição e o poder para governar: presidente autoritário.
Que incita respeito; que impõe obediência; impositivo: questionou o funcionário de modo autoritário.
Que tem o autoritarismo como base; que se utiliza do autoritarismo para governar; despótico.
(Etm. do latim: auctoritas + ário)


O modelo fornecido por Moisés era um modelo autoritário, ou seja, aquele que utiliza a IMPOSIÇÃO e o PODER para governar.

Ou faz do jeito que te mandei fazer ou serás morto.


O que desejava Moisés com tais mandamentos??

Como ele mesmo falou: E assim eliminarás o mal de Israel.


Nestas palavras, Moisés revela o objetivo do uso do poder:


(Deuteronômio 13:11) 11 Então todo o Israel ouvirá e ficará com medo, e não mais farão algo semelhante a esta coisa má no teu meio.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Deuteronômio 13:11) 11 Todo o Israel ouvirá, e temerá, e não se tornará a fazer uma coisa má como esta, no meio de ti.


Seria o império do medo??

Vemos que o mandamento era uma IMPOSIÇÃO do comandante sobre o comandado.

A força seria usada para INDUZIR a pessoa a obedecer ao mandamento dado pela autoridade.

O medo seria usado para INDUZIR a pessoa a obedecer aos mandamentos.


Foi esta a forma de Jesus, aquele que é unidade com o Pai, praticar o seu reinar??


O que ele informou aos seus apóstolos??

Ele disse: Os outros governantes agem com autoridade, mas não seja assim entre vós.

Nada de terror, nada de imposição.

Então, o que haveria??


Vejamos a informação dada por Jesus:


(Mateus 20:25-27) 25 Jesus, porém, chamando-os a si, disse: “Sabeis que os governantes das nações dominam sobre elas e que os grandes homens exercem autoridade sobre elas. 26 Não é assim entre vós; mas, quem quiser tornar-se grande entre vós tem de ser o vosso ministro, 27 e quem quiser ser o primeiro entre vós tem de ser o vosso escravo.


Assim verte a Tradução Brasileira:


(Mateus 20:25-27) 25 Mas Jesus chamou-os a si, e disse: Sabeis que os governadores dos gentios dominam os seus vassalos, e sobre eles os grandes exercem autoridade. 26 Não é assim entre vós. Mas quem quiser tornar-se grande entre vós, será esse o que vos sirva; 27 e quem quiser ser o primeiro entre vós, será esse o vosso servo.


Percebemos que a autoridade não deveria ser exercida de cima para baixo. Antes, deveria ser o oposto disso, ou seja, a autoridade deveria ser praticada de baixo para cima.

O que percebemos??

Percebemos que no reino de Deus, a autoridade é exercida de baixo para cima, pois só primeiro é aquele que se coloca na posição mais baixa.

O que faz aquele que fica na posição mais baixa??

Jesus falou em servo, em escravo.

Quem é que ocupava a posição mais baixa naquela sociedade escravocrata??

Não era o escravo??

No reino de Deus, a posição mais elevada é ocupada por aquele que mais serve a todos os demais, enquanto que no reino de Davi, na casa de Davi, o mais elevado ficava na posição de quem os demais vinham para servi-lo. Sendo assim, o primeiro no reino de Davi era aquele que era o mais servido. Logicamente, o maior era aquele que tinha mais servos, mais escravos.


Não resta a menor dúvida, o reino de Davi não podia ser o reino de Deus.


Segundo Jeová, no reino de sacerdotes, o sacerdote devia ensinar a lei, ou seja, devia ensinar outros a obedecer a lei. A palavra usada é “mensageiro”. No reino de sacerdotes, o sacerdote era um mensageiro de Jeová. Ora, neste caso, trava-se de um reino de mensageiros.

O que é um mensageiro??


Mensageiroesta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: ..aquele que leva e traz mensagem oral ou escrita..


mensageiro

adj.s.m. (sXIII) 1 que ou o que leva e/ou traz mensagem escrita ou oral; portador 2 que ou o que anuncia ou pressagia; anunciador, precursor, pressagiador <o céu foi toldado por nuvens m. de ventanias e tempestades> <mais do que simples m. de paz, era um m. de esperança para aquele sofrido povo> n s.m. 3 aquele que leva e/ou traz encomendas, mensagens etc.; portador, rápido, próprio 4 teat no antigo teatro grego, personagem que narra os eventos que antecedem a ação m. dos deuses mit o deus Hermes ou Mercúrio etim mensage(m) + -eiro, adp. do fr. messager 'id.', der. de message sin/var como subst.: ver sinonímia de arauto


Ser um mensageiro de Jeová, representava ser aquele que levava a lei de Jeová para os demais súditos do reino de sacerdotes. No reino de sacerdotes, cabia ao sacerdote repetir a lei que já havia sido dada por Jeová e que se encontrava na forma escrita.

Jeová esperava que o sacerdote informasse aos demais humanos do reino de sacerdotes, o que a lei de Jeová dizia sobre este ou aquele problema.

No entanto, segundo o mandamento de Moisés, o sacerdote devia ser uma autoridade controladora das ações dos súditos do reino de sacerdotes. Segundo Moisés o sacerdote devia exercer o poder controlador sobre os súditos.



Jesus deu o exemplo de como um sacerdote devia agir corretamente ao ser procurado por súditos do reino em face de problemas de relacionamento.


(Lucas 12:13-15) 13 Disse-lhe então um dos da multidão: “Instrutor, dize a meu irmão que divida comigo a herança.” 14 Ele lhe disse: “Homem, quem me designou juiz ou partidor sobre vós?” 15 Então lhes disse: “Mantende os olhos abertos e guardai-vos de toda sorte de cobiça, porque mesmo quando alguém tem abundância, sua vida não vem das coisas que possui....


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Lucas 12:13-15) 13 Um homem disse-lhe do meio da multidão: Mestre, manda a meu irmão que reparta comigo a herança. 14 Mas ele lhe respondeu: Homem, quem me constituiu juiz ou partidor entre vós? 15 Disse ao povo: Olhai e guardai-vos de toda a avareza, porque a vida de um homem não consiste na abundância das coisas que possui.


Assim verte a Tradução Almeida:

(Lucas 12:13-15) 13 Disse-lhe alguém dentre a multidão: Mestre, dize a meu irmão que reparte comigo a herança. 14 Mas ele lhe respondeu: Homem, quem me constituiu a mim juiz ou repartidor entre vós? 15 E disse ao povo: Acautelai-vos e guardai-vos de toda espécie de cobiça; porque a vida do homem não consiste na abundância das coisas que possui.


Jesus não agiu qual juiz ou partidor. Jesus não assumiu uma posição de autoridade, dando uma “sentença” sobre a questão, dando a palavra final sobre as ações dos súditos do reino. Jesus não agiu como um controlador da vida dos súditos do reino de sacerdotes. Jesus agiu qual sacerdote, indicando o que a lei dizia. Depois de informados sobre a lei, cabia exclusivamente aos ouvintes usar ou não usar a lei para resolver este problema. A decisão quanto ao que fazer continuava com o súdito. Ao sacerdote cabia informar a lei. A lei induziria o súdito a tomar uma decisão em relação àquele problema. Esta foi a forma projetada por Jeová para a solução de problemas no dia a dia do reino de sacerdotes.


No entanto, mesmo estando no deserto Moisés já agia como juiz para o povo, proferindo decisões judiciais (palavra final) sobre as questões que envolviam o relacionamento entre os da casa de Israel.

Assim se fez registrar:

(Êxodo 18:13-16) 13 E sucedeu, no dia seguinte, que Moisés se assentou como de costume para servir de juiz ao seu povo, e o povo ficou de pé diante de Moisés, desde a manhã até à noite. 14 E o sogro de Moisés chegou a ver tudo o que ele fazia para o povo. De modo que disse: “Que espécie de negócio é este que estás fazendo para o povo? Por que é que só tu continuas sentado e todo o povo continua a postar-se diante de ti, desde a manhã até à noite?” 15 Moisés disse então ao seu sogro: “É porque o povo está vindo a mim para consultar a Deus. 16 Caso lhes surja uma causa, ela tem de ser apresentada a mim e eu tenho de julgar entre um litigante e outro, e tenho de tornar conhecidas as decisões do [verdadeiro] Deus e suas leis.”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Êxodo 18:13-16) 13 Aconteceu que no dia seguinte Moisés se assentou para julgar o povo; e o povo conservou-se junto de Moisés desde a manhã até à tarde. 14 Vendo o sogro de Moisés tudo o que ele fazia ao povo, perguntou: Que é isto que tu fazes ao povo? por que estás tu assentado só, e todo o povo conserva-se junto a ti desde a manhã até à tarde? 15 Respondeu Moisés a seu sogro: É porque o povo vem a mim para consultar a Deus. 16 Quando eles têm alguma questão, vêm a mim; eu julgo entre um e outro, e faço-lhes saber os estatutos de Deus e as suas leis.


Na resposta dada, Moisés foi bem claro: Eu julgo entre um e outro.

Neste caso, ele proferia decisões sobre o que cada um tinha de fazer. Moisés dava a palavra final. Ele só deveria fazer-lhes saber quais eram os estatutos de Deus e as suas leis.


Depois Moisés afirmou: “E faço-lhes saber sobre os estatutos de Deus e as suas leis”.


No entanto, como percebemos, Jesus revelou a forma correta de fazer as coisas.

O sacerdote, como representante de Jeová, deve fazer saber a lei de Jeová. O sacerdote deve mostrar a lei. Quanto a decisão sobre o que fazer, isto deve ficar a cargo de cada humano. A lei deve ser engrandecida. A lei deve estar adiante de cada súdito, inclusive do sacerdote. A decisão permanece com o súdito. O súdito deve tomar a sua decisão tendo a lei como base.



O que mais falou Jeová sobre o seu pacto com Levi?? Havia uma aliança entre Jeová e Levi??

(Jeremias 33:19-21) 19 E a palavra de Jeová veio adicionalmente a Jeremias, dizendo: 20 Assim disse Jeová: ‘Se vós pudésseis violar meu pacto do dia e meu pacto da noite, sim, para não haver mais dia e noite no seu tempo, 21 também se poderia violar meu próprio pacto com Davi, meu servo, para que não viesse a ter um filho reinando no seu trono; também com os levitas, os sacerdotes, meus ministros....


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Jeremias 33:19-21) 19 A palavra de Jeová veio a Jeremias, dizendo: 20 Assim diz Jeová: Se puderdes invalidar a minha aliança com o dia, e a minha aliança com a noite, de sorte que não haja nem dia nem noite a seu tempo; 21 também poderá ser invalidada a minha aliança com o meu servo Davi, para que não tenha ele um filho que reine sobre o seu trono; também poderá ser invalidada a minha aliança com os sacerdotes levíticos, meus ministros.


No reino de sacerdotes, quem eram os ministros do Rei Jeová?? Eram os sacerdotes.

Quando Moisés ainda estava vivo, que espécie de reino havia na mente de Jeová?? Ele externou para Moisés qual era o Seu projeto em relação à forma de reinado que haveria na casa de Israel. Jeová revelou o Seu modelo de reinado.

Quando foi isto??

Foi no terceiro dia após terem saído do Egito.

O que Jeová falou para Moisés sobre o Seu projeto de governo para a casa de Israel?? Qual era a vontade declarada de Jeová em relação a forma de governo que existiria para o povo praticar no dia a dia??


Ele afirmou para Moisés:

(Êxodo 19:3-6) 3 E Moisés subiu até o [verdadeiro] Deus e Jeová começou a chamá-lo desde o monte, dizendo: “Isto é o que deves dizer à casa de Jacó e comunicar aos filhos de Israel: 4 Vós mesmos vistes o que fiz aos egípcios, para vos carregar sobre asas de águias e vos trazer a mim. 5 E agora, se obedecerdes estritamente à minha voz e deveras guardardes meu pacto, então vos haveis de tornar minha propriedade especial dentre todos os [outros] povos, pois minha é toda a terra. 6 E vós mesmos vos tornareis para mim um reino de sacerdotes e uma nação santa.’ Estas são as palavras que deves dizer aos filhos de Israel.”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Êxodo 19:3-6) 3 Subiu Moisés a Deus, e do monte Jeová o chamou, dizendo: Assim falarás à casa de Jacó, e anunciarás aos filhos de Israel: 4 Tendes visto o que fiz aos egípcios, de que modo vos trouxe sobre asas de águias e vos cheguei a mim. 5 Agora, pois, se atentamente ouvirdes a minha voz e guardardes a minha aliança, sereis a minha possessão peculiar dentre todos os povos (pois minha é toda a terra), 6 e vós me sereis reino de sacerdotes e nação santa. Estas são as palavras que falarás aos filhos de Israel.


A palavra é bem clara: Tratava-se de um “reino de sacerdotes”.

Qual era a forma de governo?? Um reino de sacerdotes. Como funcionava um reino de sacerdotes?? Ora, Jeová iria mostrar como funcionava.

A tribo escolhida por Jeová para prestar os serviços de sacerdote, foi a tribo de Levi. E de qual família?? Da família de Zadoque.


Centenas de anos depois de Moisés, já nos dias de Ezequiel, estas foram as palavras de Jeová, confirmando a família de Zadoque como aquela que continuaria prestando serviços de sacerdotes depois do retorno do exílio:

(Ezequiel 43:18-19) 18 E ele passou a dizer-me: “Filho do homem, assim disse o Soberano Senhor Jeová: ‘Estes são os estatutos do altar no dia de ser feito, para se oferecerem sobre ele holocaustos e se aspergir sobre ele sangue.’ 19 “‘E aos sacerdotes levíticos, que são da descendência de Zadoque, os que se chegam a mim para ministrar-me’, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová, ‘tens de dar um novilho, filho da manada, como oferta pelo pecado.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel 43:18-19) 18 E disse-me: Filho do homem, assim diz o Senhor Jeová: Estas são as ordenanças do altar no dia em que o fizerem, para oferecerem sobre ele holocaustos, e para aspergirem sobre ele sangue. 19 Aos sacerdotes levitas que são da linhagem de Zadoque, os quais estão perto de mim, para me servirem, diz o Senhor Jeová, darás um bezerro para uma oferta pelo pecado.


Confirmou Jeová em relação à família de Zadoque ser a escolhida por Ele para continuar a prestar os serviços de sacerdote diante Dele. Quem continuava a ser ministro do Rei?? O sacerdote.

(Ezequiel 44:15-16) 15 “‘E no que se refere aos sacerdotes levíticos, os filhos de Zadoque, que cuidavam da obrigação para com o meu santuário quando os filhos de Israel se transviaram de mim, eles é que se chegarão a mim para ministrar-me e terão de ficar de pé diante de mim para apresentar-me a gordura e o sangue’, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová. 16 Eles é que serão os que entrarão no meu santuário e eles é que se chegarão à minha mesa para ministrar-me, e terão de cuidar da obrigação para comigo.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel 44:15-16) 15 Mas os sacerdotes levitas, filhos de Zadoque, que cumpriram as funções prescritas do meu santuário, quando os filhos de Israel se desviaram de mim, eles se chegarão a mim para me servirem; e estarão diante de mim para me oferecerem a gordura e o sangue, diz o Senhor Jeová. 16 Eles entrarão no meu santuário, e se chegarão à minha mesa para me servirem, e cumprirão as coisas prescritas por mim.




NÃO PONHA NENHUM REPRESENTANTE ENTRE VOCÊ E O PAI – Esta foi a informação dada por Jesus, pois todos vós sois filhos do mesmo Pai.


Ao ter a sua vontade contestada em relação ao reino de sacerdote ser a forma de governo para a rebelde casa de Israel, deveria Jeová agir da forma intolerante quanto a ter sua palavra contestada??

De que forma agiu Jeová ao ter Sua vontade contestada quanto ao “reino de sacerdotes” ser a forma de governo para a casa de Israel??


A “casa real de Davi” não veio a existência por um plano de Jeová para o governo da casa de Israel, em face de que Davi não era da tribo de Levi, logo, Davi não era sacerdote. Em face do que a existência da casa real de Davi representava para Jeová, tendo como base os mandamentos de igualdade já revelados por Jeová para Moisés, não havia a menor possibilidade da casa real de Davi ter sido o projeto inicial de Jeová para o governo da casa de Israel.


A casa real de Davi veio a existência em face de uma decisão da rebelde casa de Israel de rejeitar a forma como Jeová estava exercendo a sua regência. A casa real de Davi veio a existência em face de Jeová não ser intolerante quanto a ter Sua vontade contestada, Dele respeitar o livre-arbítrio da rebelde casa de Israel e de conceder-lhes experimentar um reino igual ao das nações ao redor, isto é, um reino diferente do “reino de sacerdotes” exercido pelo Rei Jeová. Neste caso, Jeová estava respeitando a vontade do povo, permitindo-lhes satisfazerem suas vontades até que fossem dados os respectivos frutos daquela péssima escolha feita pelo povo quanto a forma de governo que eles desejavam ter.

Será que esta forma amigável de tolerância praticada por Jeová, podia ser vista como conivência e/ou cumplicidade Dele com a casa real de Davi?? Será que poderia ser vista como o projeto de Jeová para o dia a dia do reino Dele??


Conivente – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: sabendo de algo negativo a ser praticado por outrem, não faz nada para impedi-lo, embora pudesse fazê-lo;


conivente

adj.2g.s.2g. (1836) 1 que ou quem, sabendo de algo negativo a ser praticado por outrem, não faz nada para impedi-lo, embora pudesse fazê-lo; complacente, condescendente, transigente 2 que ou quem é cúmplice; que ou quem se conluiou n adj.2g. 3 bio que se aproxima ou se toca sem se fundir (diz-se de estrutura) <folhas c.> <asas c.> <válvulas c.> 3.1 morf.bot que se aproxima pelo ápice, sem se fundir (diz-se de peça floral) <estames c.> <pétalas c.> etim lat. connívens,entis, part.pres. de connivèo,es,ívi ou íxi,vére 'fechar, piscar os olhos, p.ext. dissimular, fazer que não vê, ser indulgente, passar a mão por cima' ant como adj.: inconivente




Cúmplice – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: aquele que colabora com outrem na realização de alguma coisa; sócio; parceiro


cúmplice

adj.2g.s.2g. (1544) 1 dir.pen que ou o que contribui de forma secundária para a realização de crime de outrem; codelinquente 2 p.ext. infrm. que ou aquele que colabora com outrem na realização de alguma coisa; sócio, parceiro <ele e o c. eram os verdadeiros responsáveis pelo sucesso do empreendimento> n adj.2g. fig. 3 que apresenta intenção repreensível, maliciosa ou sugestiva <olhares c.> 4 que possibilita, favorece, concorre na realização de algo <a escuridão c. contribuiu para que se esgueirasse sem ser visto> etim lat.tar. complex,ìcis 'unido, junto' sin/var como subst.: coautor; ver tb. sinonímia de sócio


No caso de Jeová, Ele pediu para que a “casa rebelde” fosse solenemente avisada sobre o que a “casa real” simbolizada pelo rei humano faria, e o que Jeová faria ao final desta experiência, experiência esta que Jeová estava permitindo que a casa rebelde praticasse temporariamente.


Assim pediu Jeová:

Assim verte a Tradução Brasileira:

(1 Samuel 8:9) 9 Agora ouve a sua voz; contudo lhes declararás solenemente e lhes farás ver como se portará o rei que há de reinar sobre eles.


Assim verte a Tradução Almeida:

(1 Samuel 8:9) 9 Agora, pois, ouve a sua voz, contudo lhes protestarás solenemente, e lhes declararás qual será o modo de agir do rei que houver de reinar sobre eles.


Apesar do aviso e/ou protesto apresentado por Jeová, a casa rebelde manteve a sua decisão quanto a rejeitar o reino de sacerdotes e substituir por uma casa real segundo o modelo humano.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(1 Samuel 8:19-20) 19 Mas o povo não quis escutar a voz de Samuel; e disseram: Não; mas queremos ter um rei sobre nós, 20 para que sejamos também como todas as nações. O nosso rei nos julgará, marchará à nossa frente e pelejará as nossas batalhas.


Assim verte a Tradução Almeida:


(1 Samuel 8: 19-20) 19 O povo, porém, não quis ouvir a voz de Samuel; e disseram: Não, mas haverá sobre nós um rei, 20 para que nós também sejamos como todas as outras nações, e para que o nosso rei nos julgue, e saia adiante de nós, e peleje as nossas batalhas.


Havia um motivo para Jeová ser rejeitado como Rei. Jeová não estava sendo rejeitado como pessoa, pois eles tinham grande desejo de que Jeová continuasse ali com eles. O que estava sendo rejeitada era a forma como o Rei Jeová praticava o seu reger para aqueles súditos. Aos olhos da casa de Jacó havia um motivo plenamente válido para desejaram uma outra forma de governo sobre eles. A rebelde casa de Jacó tomou uma decisão quanto a que tipo de rei desejavam ter sobre si.

Havia algo que Jeová não estava fazendo por eles. Tratava-se de algo que eles desejavam muito, muito mesmo.

Jeová foi tolerante quanto a esta decisão da casa rebelde, no entanto, não se pode afirmar que Ele concordava e que foi cúmplice.

Ora, o amor mais bonito é aquele que nunca foi vivido no dia a dia.

A casa rebelde tinha problemas de relacionamento com os povos ao redor. Como resolver tais problemas?? Eles viam na presença de um rei humano, o representante ideal para solucionarem seus problemas.

A casa rebelde não estava satisfeita com a forma como o Rei Jeová estava resolvendo os problemas.

Certamente que viam no Rei Jeová uma inoperância quanto àquilo que tanto desejavam.


A casa rebelde precisava experimentar esta forma de governo caracterizado com a existência de uma casa real. O Pai já havia avisado sobre o fim posterior desta péssima escolha. No entanto, mesmo sendo avisados, o povo decidiu por experimentar tal forma de governo. Não se pode negar que o desejo era muito forte, pois independente do prejuízo que teriam, mantiveram sua decisão em substituir a forma como as coisas estavam sendo feitas por Jeová, por um reino igual ao das nações ao redor.


Isto não representava que Jeová havia aprovado tal forma de governo, muito pelo contrário. O Pai havia avisado sobre o que aconteceria em face da escolha do povo por esta forma de governo.


O que isto representava??

Representava que Jeová não aprovava tal forma de governo.

Jeová já havia escolhido a forma de governo que Ele via como o melhor para a casa de Israel e já a estava praticando naquele momento.

Até aquele momento Jeová estava satisfazendo a Sua vontade quanto a forma de governo para a casa de Israel.


Será que Jeová devia substituir a Sua forma já escolhida de regência, isto é, um “reino de sacerdotes”, por aquela escolhida pelo povo rebelde, isto é, igual a usada por todas as nações?? Será que a forma de governo de Jeová (reino de sacerdotes) estava ultrapassada e obsoleta?? Será que Jeová devia passar a ser aquele tipo de rei que o povo tanto desejava?? Será que Jeová não tinha a capacidade de ser aquele tipo de rei que a rebelde casa de Jacó tanto desejava??

Pelo menos experimentar o reinado humano foi concedido pelo Rei da rebelde casa de Israel. Embora Jeová já soubesse o resultado final de tal escolha, mesmo assim permitiu que a casa rebelde praticasse sua escolha até que alcançassem aquele fim que Jeová já sabia e já lhes tinha avisado.

Em face do resultado final da escolha, a rebelde casa de Israel deveria admitir o erro da péssima escolha.

Em face de Sua tolerância, será que Jeová mudou o Seu plano original e embarcou na forma de governo solicitado pela rebelde casa de Israel como sendo nova forma de governo para a casa de Israel??


Será que os reis humanos se sentariam no trono do Pai Jeová??

Será que Davi se sentou no trono de Jeová??

O que disse Jeová para Davi??


(2 Samuel 7:15-16) 15 No que se refere à minha benevolência, não se retirará dele assim como a tirei de Saul, a quem removi por tua causa. 16 E tua casa e teu reino hão de ficar firmes por tempo indefinido diante de ti; teu próprio trono ficará firmemente estabelecido por tempo indefinido.”’”


Assim verte a Tradução Brasileira:


(2 Samuel 7:15-16) 15 porém a minha misericórdia não se retirará dele, como a retirei de Saul, a quem tirei de diante de ti. 16 Será estável para sempre diante de mim a tua casa e o teu reino; será estabelecido para sempre o teu trono.


Jeová foi bem claro, não foi???

Tua casa; teu reino; teu trono;


De quem era o trono e de quem era o reino??

De Davi, obviamente.


Decididamente, Davi não se sentou no trono de Jeová.

Davi se sentou no seu próprio trono.


Será que a tolerância e a convivência amistosa da parte de Jeová, o Rei, representava uma mudança de opinião e de planos Dele em relação a forma de governo para a casa de Israel?? Será que Jeová substituiria a Sua forma já anunciada e praticada por esta nova forma desejada pela rebelde casa de Israel, ou seja, um rei igual ao praticado pelas nações ao redor?? Era uma questão de opinião sobre como o rei devia agir, ou seja, de como o rei devia se comportar com os seus súditos. Quem é que devia mudar de opinião??


Se a casa real revelasse ser uma péssima escolha, quem sofreria as consequências por tal escolha??


O que falou Jeová para Salomão??

(1 Reis 9:3-9) 3 E Jeová passou a dizer-lhe: “Ouvi a tua oração e o teu pedido de favor com que pediste um favor diante de mim. Santifiquei esta casa que construíste, pondo ali meu nome por tempo indefinido; e meus olhos e meu coração certamente mostrarão estar ali para sempre. 4 E tu, se andares diante de mim assim como andou Davi, teu pai, com integridade de coração e com retidão, fazendo segundo tudo o que te ordenei, e se guardares os meus regulamentos e as minhas decisões judiciais, 5 então deveras estabelecerei o trono do teu reino sobre Israel por tempo indefinido, assim como prometi a Davi, teu pai, dizendo: ‘Não se decepará homem teu, [impedindo-o de sentar-se] no trono de Israel.’ 6 Se vós mesmos e os vossos filhos definitivamente recuardes de me seguir e não guardardes os meus mandamentos e os meus estatutos que pus diante de vós, e se realmente fordes e servirdes outros deuses, e vos curvardes diante deles, 7 então eu vou decepar Israel da superfície do solo que lhes dei; e a casa que santifiquei ao meu nome lançarei para longe de mim, e Israel deveras se tornará uma expressão proverbial e um escárnio entre todos os povos. 8 E esta mesma casa se tornará montões de ruínas. Todo aquele que passar por ela olhará espantado, e certamente assobiará e dirá: ‘Por que razão fez Jeová assim a esta terra e a esta casa?’ 9 E terá de dizer-se: ‘Pela razão de terem deixado a Jeová, seu Deus, que fizera os antepassados deles sair da terra do Egito, e eles terem passado a agarrar-se a outros deuses, e a curvar-se diante deles e a servi-los. É por isso que Jeová trouxe sobre eles toda esta calamidade.’”


Todo o povo sofreria em face de sua péssima escolha.


Durante os séculos à frente, a casa real mostrou ser uma péssima escolha. Finalmente, chegou aquele momento que Jeová afirmou para Salomão que chegaria, isto é, a casa de Israel seria decepada da terra de Canaã e o templo seria transformado em um montão de ruínas. O que isto comprovava?? Os resultados comprovavam que a casa real havia sido reprovada qual forma de governo para a casa de Israel. É pelo fruto que se conhece a árvore.


Afinal de contas, que tipo de rei desejava a rebelde casa de Jacó?? Será que desejavam um rei que tivesse a mesma personalidade de seu antepassado Jacó??

Será que a rebelde casa de Jacó glorificava os feitos do seu antepassado Jacó??

Será que a rebelde casa de Jacó glorificava os feitos dos doze filhos de Jacó??


Será que Jacó era visto como um ídolo pelos seus descendentes?? Será que os doze filhos de Jacó eram vistos como doze ídolos??

Será que estes homens ainda conseguiam ver Jeová abençoando seus antepassados em pleno apoio e concordância com estas ações??

Será que aquela ação de Jacó em relação à primogenitura, cobiçando-a, enganando e mentindo para seu próprio cego pai era visto como algo a ser glorificado em Jacó?? Sentiam vergonha por estas ações de seu antepassado ou o glorificavam por estas ações?? Será que ainda conseguiam encontrar motivos para glorificar Jacó em face destas ações egoístas contra Esaú e Isaque??


Bem, e quanto ao caso Diná??

Será que a rebelde casa de Jacó se envergonhava de ser descendente de homens que praticaram aquelas ações contra os homens da terra de Canaã??

Lembram o que aqueles homens fizeram a Siquém, a Hamor e todos os demais daquela cidade da qual eles eram forasteiros??


Diná, a filha de Jacó havia sido aviltada por Siquém, filho de Hamor, o heveu e maioral entre os heveus. Siquém tomou a iniciativa da plena retratação diante de sua desastrada ação contra Diná.

A partir deste momento, o que fizeram Jacó e seus filhos?? Houve engano, houve um plano para defraudar, houve a ação destruir, de roubar e de escravizar.


Ao final, o que disseram estes ilustres homens?? Deviam ficar impunes pelos que fizeram a nossa irmã??


Está registrado:


(Gênesis 34:25-31) 25 No entanto, sucedeu que no terceiro dia, quando sentiam dores, os dois filhos de Jacó, Simeão e Levi, irmãos de Diná, passaram a tomar cada um a sua espada e a ir insuspeitos à cidade, e mataram todo macho. 26 E a Hamor e a Siquém, seu filho, mataram ao fio da espada. Tiraram então Diná da casa de Siquém e saíram. 27 Os outros filhos de Jacó atacaram os homens mortalmente feridos e foram saquear a cidade, porque haviam aviltado a sua irmã. 28 Tomaram os seus rebanhos, e as suas manadas, e os seus jumentos, e o que havia na cidade e o que havia no campo. 29 E a todos os seus meios de subsistência, e a todas as suas criancinhas, e as esposas deles levaram cativas, de modo que saquearam tudo o que havia nas casas. 30 Em vista disso, Jacó disse a Simeão e a Levi: “Vós me trouxestes o banimento, fazendo de mim um mau cheiro para os habitantes do país, para os cananeus e para os perizeus, sendo eu poucos em número, e eles por certo se ajuntarão contra mim e me assaltarão, e eu terei de ser aniquilado, eu e a minha casa.” 31 Disseram, por sua vez: “Havia alguém de tratar nossa irmã como prostituta?”


Será que a rebelde casa de Jacó se envergonhavam diante dos demais habitantes da terra de Canaã em face destas ações de seus antepassados ou ainda glorificavam seus antepassados por estas iníquas ações??


Certamente, a rebelde casa de Jacó, glorificava Jacó e também glorificava os doze filhos de Jacó. De forma adicional ainda afirmavam que Jeová os havia abençoado com vitórias sobre os inimigos de Jeová.


Bem, a pergunta continua de pé: Que espécie de rei desejava a rebelde casa de Jacó??


Vamos analisar o primeiro homem escolhido por Jeová para ocupar a posição de rei, assim como desejado pela casa rebelde.

Quem era Saul??

(1 Samuel 9:21) 21 A isso Saul respondeu e disse: Não sou eu benjaminita da menor das tribos de Israel e a minha família a mais insignificante de todas as famílias da tribo de Benjamim? Então, por que me falaste uma coisa destas?”


Como foi visto pelo povo??

(1 Samuel 10:24-27) 24 Samuel disse então a todo o povo: “Vistes aquele que Jeová escolheu, que não há quem lhe seja igual entre todo o povo?” E todo o povo começou a gritar e a dizer: “Viva o rei!” 25 Samuel falou então ao povo sobre a prerrogativa legítima do reinado, e escreveu-a num livro e depositou-o perante Jeová. Depois, Samuel mandou todo o povo embora, cada um para a sua casa. 26 Quanto ao próprio Saul, foi para a sua casa em Gibeá e homens valentes, cujo coração Deus havia tocado, passaram a ir com ele. 27 Quanto aos homens imprestáveis, disseram: “Como é que este nos salvará?” Conseqüentemente, desprezaram-no e não lhe trouxeram nenhum presente. Mas ele continuou como alguém que ficou sem fala.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(1 Samuel 9:24-27) 24 Disse Samuel a todo o povo: Vedes a quem Jeová escolheu? pois não há entre todo o povo quem lhe seja semelhante. Então todo o povo rompeu em gritos e disse: Viva o rei! 25 Declarou Samuel diante do povo o que fariam os reis e, escrevendo-o num livro, depositou-o diante de Jeová. Então Samuel despediu todo o povo, cada um para a sua casa. 26 Voltou Saul também para a sua casa em Gibeá; e foram com ele os homens de valor, cujos corações Deus tinha tocado. 27 Mas os filhos de Belial disseram: Como pode este homem salvar-nos? Desprezaram-no, e não lhe trouxeram presentes. Saul, porém, portou-se como se fora surdo.


Era Saul um homem valente e destemido??

(1 Samuel 10:20-23) 20 Conseqüentemente, Samuel fez chegar perto todas as tribos de Israel e veio a ser selecionada a tribo de Benjamim. 21 Então fez chegar perto a tribo de Benjamim, segundo as suas famílias, e veio a ser selecionada a família dos matritas. Finalmente veio a ser selecionado Saul, filho de Quis. E foram procurá-lo, e ele não podia ser achado. 22 Por isso indagaram mais de Jeová: “Já chegou o homem para cá?” A isso Jeová disse: “Eis aí está, escondido entre a bagagem.23 Foram assim correndo e o trouxeram de lá. Quando ele tomou sua posição no meio do povo, era mais alto do que todo o resto do povo, dos seus ombros para cima.


Quando foi que a rebelde casa de Jacó revelou sua plena alegria com os seus dois pastores humanos dados por Jeová, segundo o coração de Jeová??

(1 Samuel 18:6-7) 6 E sucedeu que, entrando eles quando Davi retornou de golpear os filisteus, as mulheres começaram a sair de todas as cidades de Israel com canções e com danças ao encontro de Saul, o rei, com pandeiros, com alegria e com alaúdes. 7 E as mulheres que festejavam respondiam e diziam: “Saul golpeou os seus milhares, E Davi as suas dezenas de milhares.”


O que percebemos??

Percebemos que um povo pacífico deseja um rei pacífico, um povo dócil deseja um rei dócil, um povo que ama a riqueza deseja ter um rei rico, um povo violento deseja ter um rei violento, um povo mau deseja ter um rei mau, um povo perdoador deseja ter um rei perdoador.


A rebelde casa de Jacó desejava um rei que atendesse aos sentimentos existentes dentro deles, isto é, o engano, a violência, a vingança, o desprezo pelos incircuncisos, o desejo de riqueza entre outros.


O que Jesus falou a respeito da volta do rei??

(Mateus 24:27-28) 27 Pois, assim como o relâmpago sai das regiões orientais e brilha sobre as regiões ocidentais, assim será a presença do Filho do homem. 28 Onde estiver o cadáver, ali se ajuntarão as águias.


Em outra ocasião, Jesus nos falou a seguinte informação:

(Mateus 6:21) 21 Pois, onde estiver o teu tesouro, ali estará também o teu coração..


Ficou bem claro que onde estiver o rei pacífico e perdoador, ali se juntarão os que amam ser pacíficos e perdoadores.

De forma idêntica, onde estiver o rei violento e destruidor, ali também estarão os que amam a violência e a destruição.


Sendo Jeová aquele que lhes pedia para fazerem o oposto de coisas tais como a vingança, a violência e a assolação, o que sentiriam??


Eles sentiam desprezo pelos mandamentos de Jeová?? Sim. Moisés ainda estava vivo, quando Jeová previu. Vocês abominarão os meus estatutos.


(Levítico 26:42-44) 42 E eu deveras me lembrarei do meu pacto com Jacó; e lembrar-me-ei até mesmo do meu pacto com Isaque e até mesmo do meu pacto com Abraão, e lembrar-me-ei da terra. 43 No ínterim, a terra foi deixada abandonada por eles e saldava os seus sábados, enquanto jazia desolada, sem eles, e eles mesmos saldavam seu erro, porque, sim, porque tinham rejeitado as minhas decisões judiciais e suas almas tinham abominado os meus estatutos. 44 E apesar de tudo isso, enquanto continuarem na terra dos seus inimigos, certamente não os rejeitarei, nem os abominarei a ponto de exterminá-los, para violar meu pacto com eles; pois eu sou Jeová, seu Deus.


Segundo a previsão de Jeová, que coisas fariam os reis??


(1 Samuel 8:10-18) 10 Portanto, Samuel disse todas as palavras de Jeová ao povo que lhe pedia um rei. 11 E passou a dizer: “A seguinte será a prerrogativa legítima do rei que reinará sobre vós: Tomará os vossos filhos e os porá como seus nos seus carros e entre os seus cavaleiros, e alguns terão de correr na frente dos seus carros; 12 e a fim de designar para si chefes sobre mil e chefes sobre cinqüenta, e [alguns] para lavrarem por ele e para ceifarem a sua colheita, e para fazerem seus instrumentos de guerra e os petrechos de seus carros. 13 E tomará as vossas filhas para misturadoras de ungüento, e cozinheiras, e padeiras. 14 E os vossos campos, e os vossos vinhedos, e os vossos olivais, os melhores, ele tomará e realmente dará aos seus servos. 15 E tomará o décimo de vossos campos de sementeira e de vossos vinhedos, e ele certamente [os] dará aos seus oficiais da corte e aos seus servos. 16 E tomará os vossos servos e as vossas servas, e as vossas melhores manadas e os vossos jumentos, e terá de usá-los para a sua obra. 17 E tomará o décimo de vossos rebanhos e vós mesmos vos tornareis seus como servos. 18 E naquele dia certamente clamareis por causa do vosso rei que escolhestes para vós, mas Jeová não vos responderá naquele dia.”


Assim verte a Tradução Brasileira:


(1 Samuel 8:10-18) 10 Referiu Samuel todas as palavras de Jeová ao povo que lhe havia pedido um rei, 11 e disse: Assim se portará o rei que há de reinar sobre vós: tomará vossos filhos e os porá nos seus carros e entre os seus cavaleiros, e eles correrão adiante dos seus carros; 12 e os constituirá capitães de mil e capitães de cinqüenta, e lavradores dos seus campos, e segadores das suas messes, e fabricantes das suas armas e dos seus carros. 13 Tomará vossas filhas para perfumistas, cozinheiras e padeiras. 14 Tomará o melhor dos vossos campos, e das vossas vinhas, e dos vossos olivais, e dá-los-á aos seus servos. 15 Dizimará as vossas sementes e as vossas vinhas, para dar aos seus eunucos e aos seus servos. 16 Também tomará os vossos servos e as vossas servas, e os vossos melhores mancebos, e os vossos jumentos, e os empregará no seu trabalho. 17 Dizimará também os vossos rebanhos; e vós sereis seus servos. 18 Naquele dia vós lamentareis por causa do vosso rei, que vós mesmos escolhestes; e Jeová não vos responderá naquele dia.


Será que tais ações de iniquidade e plena desigualdade praticada pelos reis seriam prerrogativas legítimas dos reis?? O povo clamaria só porque o rei estava praticando suas prerrogativas legítimas?? Ou será que o povo clamaria por causa das iniquidades??

Ora, as ações descritas por Jeová respondem claramente esta pergunta.

Eram ações de iniquidade.

Será que os reis tinham a prerrogativa legítima de serem iníquos??



CASA REAL DE DAVI – QUANTO TEMPO FICARIA SEM UM MAIORAL NO TRONO??

A CASA REAL PERDERIA O SEU SÍMBOLO DE PODER, OU SEJA, PERDERIA A COROA.



Coroa – esta é a definição dada pelo dicionário Aulete Digital:


(co.ro.a) [ô]


sf.

1 Ornamento circular que se usa sobre ou cingindo a cabeça como insígnia da realeza ou nobreza.


A coroa é uma insígnia.


Insígnia – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: sinal distintivo de poder, de dignidade, nobreza ...com o fim de individualizá-lo e distingui-lo dos demais.


insígnia

s.f. (sXV) 1 sinal distintivo que é atributo de poder, de dignidade, de posto, de comando, de função, de classe, de corporação, de confraria etc.; símbolo, emblema, divisa <i. da realeza> 1.1 estandarte, bandeira <i. desfraldadas> 1.2 mar pavilhão ou flâmula que se iça a bordo de embarcação para indicar que transporta a autoridade que a ela faz jus 2 dir.com qualquer alusão simbólica (por desenhos) ou designação própria adotada por estabelecimento comercial ou industrial com o fim de individualizá-lo e distingui-lo dos demais etim lat. insignìa, acus.pl. neutro de insignis,e 'que tem um sinal distintivo' sin/var comenda, distintivo, emblema, sinal, venera; ver tb. sinonímia de condecoração


A coroa está vinculado à “nobreza”. Aquele que recebe a coroa pertence ao grupo dos “nobres”.


Nobreesta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: elevado, grandioso e insigne


nobre

adj.2g. (sXIII) 1 que tem título nobiliárquico; pertencente à nobreza; fidalgo, aristocrata <família n.> 2 relativo ou pertencente aos nobres <costumes n.> 3 p.ext. que merece respeito por seus méritos e qualidades; digno, ilustre, emérito <n. advogado> 4 que se distingue por sua solenidade, pompa; majestoso, augusto, magnífico <as linhas n. do edifício> 5 que é voltado para o bem; elevado, magnânimo, generoso <uma n. missão> 6 destinado a pessoas ou atos importantes; solene <salão n.> <portão n.> 7 quím que não reage com outros (diz-se de elemento); inerte <gás n.> <metal n.> n s.2g. 8 indivíduo nobre; aristocrata, fidalgo <a classe dos n.> <o antigo poder dos n.> gram como adj., sup.abs.sint.: nobilíssimo, nobríssimo etim lat. nobìlis,è 'conhecido; ilustre' sin/var ver sinonímia de elevado, grandioso e insigne e antonímia de malvado ant asqueroso, desnobre, ignóbil, plebeu, rasteiro, servil, torpe, vil; ver tb. sinonímia de apoucado, canalha, desconhecido, mal-afamado e malvado



UMA RUÍNA A FAREI à casa real de Davi – esta foi a promessa feita por Jeová para a casa real de Davi, pouco antes da destruição de Jerusalém e do templo pelos exércitos de Babilônia, como punição pelos previstos erros da casa real de Davi:

(Ezequiel 21:25-27) 25 E no que se refere a ti, ó mortalmente ferido maioral iníquo de Israel, cujo dia chegou no tempo do erro do fim, 26 assim disse o Soberano Senhor Jeová: ‘Remove o turbante e retira a coroa. Esta não será a mesma. Põe no alto o rebaixado e rebaixa o que estiver no alto. 27 Uma ruína, uma ruína, uma ruína a farei. Também, quanto a esta, certamente não virá a ser de [ninguém], até que venha aquele que tem o direito legal, e a ele é que terei de dá-lo.’


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel 21:25-27) 25 Ó tu, ímpio mortalmente ferido, príncipe de Israel, cujo dia é chegado, no tempo em que termina a iniqüidade; 26 assim diz o Senhor Jeová: Remove o diadema, e tira a coroa; o que é não mais será o mesmo: exalte-se o que está abatido, e abata-se o que está exaltado. 27 Eu o transtornarei, transtornarei, transtornarei; também o que é não continuará, até que venha aquele a quem pertence o direito; e lho darei a ele.

Assim verte a Tradução Almeida:

(Ezequiel 21:25-27) 25 E tu, ó profano e ímpio príncipe de Israel, cujo dia é chegado no tempo da punição final; 26 assim diz o Senhor Deus: Remove o diadema, e tira a coroa; esta não será a mesma: exalta ao humilde, e humilha ao soberbo. 27 Ao revés, ao revés, ao revés o porei; também o que é não continuará assim, até que venha aquele a quem pertence de direito; e lho darei a ele.


Maioral iníquo?? Sim. Não havia Jeová informado que os maiorais agiriam com iniquidade??

A palavra foi usada três vezes, representando uma insistência na ação.

A coroa seria retirada da casa real; o que é não será o mesmo; esta não será a mesma. Haverá uma mudança de estado. O que está no alto será rebaixado e o que está rebaixado será elevado. O que é não continuará até que venha aquele a quem pertence de direito; e a este é que darei.

Quem é que daria?? O próprio Jeová.

A quem pertencia o direito de usar a coroa?? Jeová é que sabia.


Rebaixar o que está elevado.

Exaltar o que está rebaixado.

De quem seria retirada a coroa?? Da casa real de Davi.

A quem seria dada a coroa?? Quando isto ocorreria??


As palavras de Jesus são idênticas: “Todo o que se enaltecer será humilhado e todo o que se humilhar será enaltecido”.


Vamos recorrer a um caso paralelo. Trata-se do caso de Nabucodonosor, o rei de Babilônia.


Ele mostrava-se arrogante e altivo. O Pai achou por bem humilhá-lo na sua posição altiva, para que este aprendesse a sua lição.


Você conhece bem esta história??

Vamos rever o que aconteceu no relato de Daniel, alguém que era um dos escravos na cidade de Babilônia e bem próximo ao rei.

Este é o sonho do rei:

(Daniel 4:13-17) 13 “‘Eu continuei a ver nas visões da minha cabeça, sobre a minha cama, e eis que havia um vigilante, sim, um santo, descendo dos próprios céus. 14 Ele clamava em alta [voz] e dizia o seguinte: “Derrubai a árvore e cortai-lhe os galhos. Sacudi a sua folhagem e espalhai os seus frutos. Fujam os animais de debaixo dela e as aves dos seus galhos. 15 Todavia, deixai-lhe o próprio toco na terra, sim, com banda de ferro e de cobre, entre a relva do campo; e seja molhado pelo orvalho dos céus e seja seu quinhão entre a vegetação da terra. 16 Mude-se-lhe o coração daquele do gênero humano e dê-se-lhe um coração de animal, e passem sobre ele sete tempos. 17 A coisa é por decreto dos vigilantes e o pedido é [pela] declaração dos santos, para que os viventes saibam que o Altíssimo é Governante no reino da humanidade e que ele o dá a quem quiser, e estabelece nele até mesmo o mais humilde da humanidade.”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Daniel 4:13-17) 13 Vi nas visões da minha cabeça, estando eu na minha cama, e eis que um vigia, a saber, um santo, descia do céu. 14 Ele clamou em alta voz e disse assim: Deitai abaixo a árvore, e cortai-lhe os ramos, fazei-lhe cair as folhas e espalhai o seu fruto; afugentem-se de debaixo dela os animais, e dos seus ramos as aves. 15 Contudo deixai na terra o tronco com as suas raízes, ligado com laço de ferro e de bronze, no meio da tenra relva do campo; e seja molhado do orvalho do céu, e seja a sua porção com os animais na erva da terra; 16 mude-se-lhe o coração para que não seja mais o de homem, e seja-lhe dado o coração de animal; e passem sobre ele sete tempos. 17 Pelo decreto dos vigias é a sentença, e pela palavra dos santos o mando: a fim de que conheçam os viventes que o Altíssimo domina no reino dos homens, e o dá a quem quiser, e constitui sobre ele o mais humilde dos homens.



Esta é a interpretação do sonho do rei:

(Daniel 4:20-26) 20 “‘A árvore que viste, que se tornou grande e ficou forte, e cuja altura finalmente atingiu os céus, e que era visível a toda a terra, 21 e cuja folhagem era bela e cujo fruto era abundante, e em que havia alimento para todos; debaixo da qual habitavam os animais do campo e em cujos galhos residiam as aves dos céus, 22 és tu, ó rei, porque te tornaste grande e ficaste forte, e tua grandiosidade cresceu e atingiu os céus, e teu domínio, a extremidade da terra. 23 “‘E sendo que o rei viu um vigilante, sim, um santo, descendo dos céus, dizendo também: “Derrubai a árvore e arruinai-a. Todavia, deixai-lhe o toco na terra, mas com banda de ferro e de cobre, entre a relva do campo, e seja molhado pelo orvalho dos céus e seja seu quinhão com os animais do campo, até terem passado sobre ele sete tempos”, 24 esta é a interpretação, ó rei, e o decreto do Altíssimo é o que tem de sobrevir ao meu senhor, o rei. 25 E expulsar-te-ão de entre os homens e tua morada virá a ser com os animais do campo, e vegetação é o que te darão para comer, como a touros; e tu mesmo virás a ser molhado pelo orvalho dos céus, e passarão mesmo sete tempos sobre ti, até saberes que o Altíssimo é Governante no reino da humanidade e que ele o dá a quem quiser. 26 “‘E por terem dito que se deixasse o toco da árvore, teu reino te estará assegurado depois de saberes que são os céus que governam....


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Daniel 4:20-26) 20 A árvore que viste, a qual crescia e se tornava forte, cuja altura chegava até o céu, e que era vista por toda a terra; 21 cujas folhas eram formosas, cujo fruto copioso, e em que havia sustento para todos, debaixo da qual habitavam os animais do campo, e em cujos ramos pousavam as aves do céu: 22 esta árvore és tu, ó rei, que tens crescido, e te hás tornado forte; pois a tua grandeza tem crescido e já chega até o céu, e o teu domínio até a extremidade da terra. 23 Porquanto o rei viu baixar do céu um vigia, a saber, um santo que disse: Deitai abaixo a árvore, e a destrói; contudo deixai na terra o tronco com as suas raízes, ligado com um laço de ferro e de bronze no meio da tenra relva do campo; e seja ele molhado do orvalho do céu, e seja a sua porção com os animais do campo, até que passem sobre ele sete tempos; 24 esta é a interpretação, ó rei, e é o decreto do Altíssimo, que é vindo sobre o rei meu senhor: 25 tu serás expulso dentre os homens, e a tua morada será com os animais do campo, e serás obrigado a comer feno como boi, e serás molhado do orvalho do céu, e sobre ti passarão sete tempos; até que conheças que o Altíssimo domina no reino dos homens, e o dá a quem quiser. 26 Porquanto mandaram deixar o tronco com as raízes da árvore; o teu reino te ficará firme, depois que tiveres conhecido que os céus dominam.



Exatamente assim como previsto, aconteceu. Nabucodonosor passou sete anos afastado da humanidade, morando com os animais, humilhado de sua orgulhosa posição real. Entretanto, estava-lhe assegurado o reinado. Após os sete anos de humilhação, ele retornou ao reino da humanidade, passando a estar consciente de sua humilhação, e, aceitando-a, escreveu uma carta a todo o seu reino, contanto toda a humilhação que sofreu da parte de Jeová.


Ao final, Nabucodonosor afirmou:


(Daniel 4:37) 37 Agora, eu, Nabucodonosor, louvo, e enalteço, e glorifico o Rei dos céus, porque todas as suas obras são verdade e seus caminhos são justiça, e porque ele é capaz de humilhar os que andam em orgulho.”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Daniel 4:37) 37 Agora eu Nabucodonozor louvo e engrandeço e glorifico ao Rei do céu, porque todas as suas obras são verdade, e os seus caminhos juízos; e ele pode humilhar os que andam na soberba.

A mesma humilhação estava prevista para a casa real de Davi. No caso de Nabucodonosor, o tempo foi de sete anos de inoperância, enquanto que no caso da casa real de Davi seria setenta anos de inoperância.


Que garantia foi fornecida por Jeová para a casa real de Davi??


PACTO DO DIA E DA NOITE.

A péssima escolha da rebelde casa de Israel havia produzido seus frutos de forma plena. Apesar de toda iniquidade da casa de Davi e da casa de Levi, Jeová não exterminaria nem a casa de Levi e nem a casa de Davi. Jeová previu uma humilhação para a casa de Davi.

Jeová passou a dar uma garantia de Sua lealdade para com a iníqua casa de Davi.

Não se tratava de aprovar as ações da casa real de Davi. Não se tratava de uma lealdade para com merecedores. Também não se tratava de mostrar lealdade para com humanos leais. Tratava-se de piedade para com a iníqua casa de Davi.


Estas foram as palavras de Jeová:


(Jeremias 33:17-26) 17 Pois assim disse Jeová: ‘No caso de Davi, não se decepará homem [seu, impedindo-o] de sentar-se no trono da casa de Israel. 18 E no caso dos sacerdotes, os levitas, não se decepará de diante de mim homem [impedindo-o] de oferecer holocaustos, e de fazer fumaça com a oferta de cereais, e de ofertar sacrifício, para sempre.’” 19 E a palavra de Jeová veio adicionalmente a Jeremias, dizendo: 20 Assim disse Jeová: ‘Se vós pudésseis violar meu pacto do dia e meu pacto da noite, sim, para não haver mais dia e noite no seu tempo, 21 também se poderia violar meu próprio pacto com Davi, meu servo, para que não viesse a ter um filho reinando no seu trono; também com os levitas, os sacerdotes, meus ministros. 22 Assim como não se pode contar o exército dos céus, nem se pode medir a areia do mar, assim multiplicarei a descendência de Davi, meu servo, e os levitas que me ministram.’” 23 E continuou a vir a haver para Jeremias a palavra de Jeová, dizendo: 24 Não viste o que os deste povo têm falado, dizendo: ‘As duas famílias que Jeová escolheu, ele também as rejeitará’? E o meu próprio povo eles estão tratando com desrespeito, para que não continue mais a ser nação diante deles. 25 Assim disse Jeová: ‘Se não fosse o fato de eu ter designado meu próprio pacto do dia e da noite, os estatutos do céu e da terra, 26 então, também, eu rejeitaria a descendência de Jacó e de Davi, meu servo, de modo a não tomar da sua descendência governantes sobre a descendência de Abraão, de Isaque e de Jacó. Pois recolherei os seus cativos e terei piedade deles.’”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Jeremias 33:17-26) 17 Pois assim diz Jeová: Nunca faltará a Davi varão que se assente sobre o trono da casa de Israel; 18 nem aos sacerdotes levíticos faltará diante de mim varão que ofereça holocaustos, e queime oblações, e ofereça sacrifícios continuamente. 19 A palavra de Jeová veio a Jeremias, dizendo: 20 Assim diz Jeová: Se puderdes invalidar a minha aliança com o dia, e a minha aliança com a noite, de sorte que não haja nem dia nem noite a seu tempo; 21 também poderá ser invalidada a minha aliança com o meu servo Davi, para que não tenha ele um filho que reine sobre o seu trono; também poderá ser invalidada a minha aliança com os sacerdotes levíticos, meus ministros. 22 Assim como o exército do céu não pode ser contado, nem ser medida a areia do mar; assim multiplicarei a linhagem de Davi, meu servo, e os levitas, meus ministros. 23 A palavra de Jeová veio a Jeremias, dizendo: 24 Acaso não consideras o que este povo tem falado, dizendo: Acaso Jeová acaba de rejeitar as duas famílias que escolheu? assim eles desprezam o meu povo, ao ponto de não considerá-lo mais uma nação. 25 Assim diz Jeová: Se não durar a minha aliança com o dia e com a noite, se eu não tiver determinado as ordenanças do céu e da terra; 26 também rejeitarei a linhagem de Jacó, e de Davi, meu servo, de sorte que não tomarei da sua linhagem os que dominem sobre a linhagem de Abraão, Isaque e Jacó. Pois farei voltar o cativeiro deles, e me compadecerei deles.

Jeová forneceu uma garantia de que a casa real de Davi continuaria tendo humanos sentando-se no trono, assim como os levitas continuariam sendo designados sacerdotes diante de Jeová para agirem quais ministros Seus.


Ocorreu a desolação de Jerusalém e do templo. E agora?? A cidade foi totalmente destruída. Toda a casa real de Davi estava exilada em Babilônia, junto com toda a casa de Levi e a casa de Judá.

Parecia não haver esperança alguma.

As palavras de Jeová acima formam bem claras.

Terei piedade deles. Farei voltar o cativeiro deles.


Depois de setenta anos de exílio, o Rei Jeová, Aquele que continuava exercendo o seu reinar sobre a nação de Israel decidiu que era a hora do povo voltar para reconstruir Jerusalém.

Como previsto pelo próprio Pai, a iníqua casa real de Davi (existência e atuação) os havia levado àquele estado de punição. No entanto, os súditos eram tão cúmplices quanto a casa real de Davi.


Será que a família real (casa real) seria substituída??

Não, não seria.

Não havia Jeová garantido a continuidade da casa real de Davi?? Sim, Ele havia garantido.

Em relação a forma de governo da casa rebelde, será que tudo continuaria exatamente como antes??


Depois de setenta anos sem que houvesse alguém da casa real de Davi sentado no trono em Jerusalém, um caso de punição de Jeová para toda a casa real, o que ocorreu??

Bem, conforme o Rei Jeová havia previsto, a casa real de Davi, a casa de Levi e toda a casa de Judá foram autorizados a retornar e reconstruir “Jerusalém e o templo”.


O Rei Jeová, em plena atividade no Seu reinar enviou uma informação para o maioral da casa real de Davi.

O que informou Jeová para o representante da casa real de Davi??


(Zacarias 4:6-10) 6 Por conseguinte, ele respondeu e me disse: “Esta é a palavra de Jeová a Zorobabel, dizendo: ‘“Não por força militar, nem por poder, mas por meu espírito”, disse Jeová dos exércitos. 7 Quem és tu, ó grande monte? Diante de Zorobabel [tornar-te-ás] uma planície. E ele certamente produzirá a pedra de remate. Será aclamada: “Quão encantadora! Quão encantadora!”’” 8 E continuou a vir a haver para mim a palavra de Jeová, dizendo: 9 As próprias mãos de Zorobabel lançaram o alicerce desta casa e suas próprias mãos [a] terminarão. E terás de saber que o próprio Jeová dos exércitos me enviou a vós. 10 Pois, quem desprezou o dia das coisas pequenas? E hão de alegrar-se e ver o prumo na mão de Zorobabel. Estes sete são os olhos de Jeová. Percorrem toda a terra.”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Zacarias 4:6-10) 6 Ele prosseguiu e me disse: Esta é a palavra de Jeová a Zorobabel, a qual diz: Não por força nem por poder, mas por meu espírito, diz Jeová dos exércitos. 7 Quem és tu, ó grande monte? diante de Zorobabel tornar-te-ás uma campina; ele produzirá a pedra angular, dizendo com algazarras: Graça, graça a ela. 8 Demais veio a mim a palavra de Jeová, dizendo: 9 As mãos de Zorobabel têm posto os alicerces desta casa; também as suas mãos a acabarão; e saberás que Jeová dos exércitos me enviou a vós. 10 Quem desprezou o dia das coisas pequenas? Pois se regozijarão, e verão o prumo na mão de Zorobabel, estes sete, que são os olhos de Jeová; eles discorrem por toda a terra.


Zorobabel não era um usurpador. Zorobabel estava sentado em um trono relativo à casa de Israel. A palavra de Jeová fala sobre o trabalho de reconstrução da casa. Havia alguém responsável pelo trabalho de reconstrução da casa.

Quem havia sido o responsável pela construção da primeira casa?? Foi Salomão.


Quem estava sendo responsável para reconstruir a casa?? Jeová mencionou especificamente o nome de um humano que iniciaria e acabaria a reconstrução da casa. Seu nome era Zorobabel.


Quem era Zorobabel??

Para não haver nenhuma dúvida de que a casa real de Davi continuou a ter continuamente um maioral sentando-se no trono em Jerusalém, podemos recorrer a uma sequência genealógica da casa real de Davi fornecida no livro de Mateus.


(Mateus 1:11-13) 11 Josias tornou-se pai de Jeconias e seus irmãos, por ocasião da deportação para Babilônia. 12 Depois da deportação para Babilônia, Jeconias tornou-se pai de Sealtiel; Sealtiel tornou-se pai de Zorobabel; 13 Zorobabel tornou-se pai de Abiúde; Abiúde tornou-se pai de Eliaquim; Eliaquim tornou-se pai de Azor;




Assim verte a Tradução Brasileira:

(Mateus 1:11-13) 11 e Josias gerou a Jeconias e a seus irmãos no tempo do exílio em Babilônia. 12 Depois do exílio em Babilônia, Jeconias gerou a Salatiel; Salatiel gerou a Zorobabel; 13 Zorobabel gerou a Abiúde; Abiúde gerou a Eliaquim; Eliaquim gerou a Azor;

Aí está. Zorobabel pertencia a casa real de Davi. Jeová dirigiu-se a Zorobabel como aquele que iniciaria e terminaria a reconstrução do templo em Jerusalém.

E assim se deu.


Que mais sabemos a respeito de Zorobabel??

O que a história fala mais a respeito dele??

(Esdras 3:1-2) 3 Ao chegar o sétimo mês, os filhos de Israel estavam nas [suas] cidades. E o povo começou a ajuntar-se como um só homem em Jerusalém. 2 E Jesua, filho de Jeozadaque, e seus irmãos, os sacerdotes, e Zorobabel, filho de Sealtiel, e seus irmãos, passaram a levantar-se e a construir o altar do Deus de Israel, para oferecer sobre ele sacrifícios queimados, segundo o que está escrito na lei de Moisés, o homem do [verdadeiro] Deus.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Esdras 3:1-2) 1 Tendo chegado o sétimo mês, e estando os filhos de Israel nas cidades, ajuntou-se o povo, como um só homem, em Jerusalém. 2 Então se levantou Jesua, filho de Jozadaque, e seus irmãos, sacerdotes, e Zorobabel, filho de Sealtiel, e seus irmãos, e edificaram o altar do Deus de Israel, para oferecerem sobre ele holocaustos, como está escrito na lei de Moisés, homem de Deus.



O que mais a história nos fala sobre as ações de Zorobabel??

(Esdras 3:8) 8 E no segundo ano da sua chegada à casa do [verdadeiro] Deus em Jerusalém, no segundo mês, Zorobabel, filho de Sealtiel, e Jesua, filho de Jeozadaque, e os restantes dos seus irmãos, os sacerdotes e os levitas, bem como todos os que do cativeiro tinham chegado a Jerusalém deram início; e então colocaram nas posições os levitas da idade de vinte anos para cima, a fim de que atuassem como supervisores da obra da casa de Jeová....


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Esdras 3:8) 8 Ora no segundo ano da chegada deles à casa de Deus em Jerusalém, no segundo mês, Zorobabel, filho de Sealtiel, e Jesua, filho de Jozadaque, e os outros seus irmãos, sacerdotes e levitas, e todos os que tinham vindo do cativeiro para Jerusalém, puseram mãos à obra e constituíram os levitas da idade de vinte anos e daí para cima, para superintenderem a obra da casa de Jeová.



O que mais se fala sobre Zorobabel??

(Esdras 5:1-2) 5 E Ageu, o profeta, e Zacarias, neto de Ido, o profeta, profetizaram aos judeus que estavam em Judá e em Jerusalém em nome do Deus de Israel [que estava] sobre eles. 2 Foi então que se levantaram Zorobabel, filho de Sealtiel, e Jesua, filho de Jeozadaque, e principiaram a reconstruir a casa de Deus, que estava em Jerusalém; e com eles estavam os profetas de Deus para auxiliá-los.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Esdras 5:1-2) 1 Ora os profetas Ageu e Zacarias, filho de Ido, profetizaram aos judeus que estavam em Judá e em Jerusalém; em nome do Deus de Israel lhes profetizaram. 2 Então se levantaram Zorobabel, filho de Sealtiel, e Jesua, filho de Jozadaque, e começaram a edificar a casa de Deus, que está em Jerusalém; com eles estavam os profetas de Deus, que os ajudavam.



O que mais se fala sobre Zorobabel?? Zorobabel, governador de Judá.

(Ageu 1:1-2) 1 No segundo ano de Dario, o rei, no sexto mês, no primeiro dia do mês, veio a haver a palavra de Jeová por intermédio de Ageu, o profeta, para Zorobabel, filho de Sealtiel, governador de Judá, e para Josué, filho de Jeozadaque, sumo sacerdote, dizendo: 2 Assim disse Jeová dos exércitos: ‘Quanto a este povo, disseram: “Não chegou o tempo, o tempo de se construir a casa de Jeová.”’”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ageu 1:1-2) 1 No segundo ano do rei Dario, no sexto mês, no primeiro dia do mês, veio a palavra de Jeová por intervenção do profeta Ageu a Zorobabel, filho de Sealtiel, governador de Judá, e ao sumo sacerdote Josué, filho de Jozadaque, dizendo: 2 Assim fala Jeová dos exércitos: Este povo diz: Não é o tempo de chegarmos nós, o tempo de se edificar a casa de Jeová.




O que mais se fala sobre Zorobabel??

(Ageu 1:14-2:9) 14 E Jeová passou a despertar o espírito de Zorobabel, filho de Sealtiel, governador de Judá, e o espírito de Josué, filho de Jeozadaque, o sumo sacerdote, e o espírito de todos os remanescentes do povo; e começaram a entrar e a fazer a obra na casa de Jeová dos exércitos, seu Deus. 15 Isso foi no vigésimo quarto dia do sexto mês no segundo ano de Dario, o rei. 2 No sétimo [mês], no vigésimo primeiro [dia] do mês, veio a haver a palavra de Jeová por intermédio de Ageu, o profeta, dizendo: 2 Dize, por favor, a Zorobabel, filho de Sealtiel, governador de Judá, e a Josué, filho de Jeozadaque, o sumo sacerdote, e aos remanescentes do povo, dizendo: 3 Quem resta entre vós que viu esta casa na sua glória anterior? E como a vedes agora? Não é, em comparação com aquela, como nada aos vossos olhos?’ 4 “‘Mas agora, sê forte, ó Zorobabel’, é a pronunciação de Jeová, ‘e sê forte, ó Josué, filho de Jeozadaque, o sumo sacerdote’. “‘E sede fortes, todos vós, povo da terra’, é a pronunciação de Jeová, ‘e trabalhai’. “‘Pois eu estou convosco’, é a pronunciação de Jeová dos exércitos. 5 [Lembrai-vos] da coisa que concluí convosco quando saístes do Egito e [quando] meu espírito estava posto entre vós. Não tenhais medo.’” 6 Pois assim disse Jeová dos exércitos: ‘Mais uma vez — dentro em pouco — e eu farei tremer os céus, e a terra, e o mar, e o solo seco.’ 7 “‘E vou fazer tremer todas as nações, e terão de entrar as coisas desejáveis de todas as nações; e eu vou encher esta casa de glória’, disse Jeová dos exércitos. 8 “‘Minha é a prata e meu é o ouro’, é a pronunciação de Jeová dos exércitos. 9 “‘A glória desta última casa se tornará maior do [que a da] anterior’, disse Jeová dos exércitos. “‘E darei paz neste lugar’, é a pronunciação de Jeová dos exércitos.”



Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ageu 1:14-2:9) 14 Jeová suscitou o espírito do governador de Judá, Zorobabel, filho de Sealtiel, e o espírito do sumo sacerdote Josué, filho de Jeozadaque, e o espírito de todo o resto do povo; eles vieram e trabalharam na casa do seu Deus, Jeová dos exércitos, 15 aos vinte e quatro dias do mês, no sexto mês, no segundo ano do rei Dario. 1 No sétimo mês, aos vinte e um dias do mês, veio a palavra de Jeová por intervenção do profeta Ageu, dizendo: 2 Fala agora a Zorobabel, filho de Sealtiel, governador de Judá, e ao sumo sacerdote Josué, filho de Jeozadaque, e ao resto do povo: 3 Dentre os que ficaram de vós, quais são os que viram esta casa na sua primeira glória? e em que estado a vêdes vós agora? acaso não é como nada nos vossos olhos? 4 Todavia agora esforça-te, Zorobabel, diz Jeová; esforça-te, Josué, sumo sacerdote, filho de Jeozadaque; e esforçai-vos, todo o povo da terra, diz Jeová, e trabalhai; porque eu sou convosco, diz Jeová dos exércitos, 5 segundo a palavra da aliança que fiz convosco, quando saístes do Egito, e o meu espírito habitou entre vós; não tenhais medo. 6 Pois assim diz Jeová dos exércitos: Ainda uma vez falta um pouco, e eu comoverei os céus, e a terra, e o mar, e a terra seca; 7 comoverei todas as nações, e as coisas preciosas de todas as nações virão, e encherei de glória esta casa, diz Jeová dos exércitos. 8 Minha é a prata, meu é o ouro, diz Jeová dos exércitos. 9 A última glória desta casa será maior do que a primeira, diz Jeová dos exércitos; e neste lugar darei a paz, diz Jeová dos exércitos.



Que mais se fala sobre Zorobabel??

(Ageu 2:20-23) 20 E veio a haver a palavra de Jeová pela segunda vez para Ageu, no vigésimo quarto [dia] do mês, dizendo: 21 Dize a Zorobabel, governador de Judá:Eu faço tremer os céus e a terra. 22 E hei de subverter o trono de reinos e aniquilar a força dos reinos das nações; e vou subverter [o] carro e os que andam nele, e [os] cavalos e seus cavaleiros virão abaixo, cada um pela espada de seu irmão.’” 23 “‘Naquele dia’, é a pronunciação de Jeová dos exércitos, tomar-te-ei, ó Zorobabel, filho de Sealtiel, meu servo’, é a pronunciação de Jeová; ‘e hei de constituir-te em anel de chancela, porque és tu a quem escolhi’, é a pronunciação de Jeová dos exércitos.”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ageu 2:20-23) 20 Pela segunda vez veio a palavra de Jeová a Ageu aos vinte e quatro dias do mês, dizendo: 21 Fala a Zorobabel, governador de Judá: Eu comoverei os céus e a terra, 22 sub verterei o trono de reinos e destruirei a força dos reinos das nações; subverterei os carros e os que neles montam; os cavalos e os seus cavaleiros cairão, cada um pela espada de seu irmão. 23 Naquele dia, diz Jeová dos exércitos, tomar-te-ei, meu servo Zorobabel, filho de Sealtiel, diz Jeová, e far-te-ei como um selo; porque te hei escolhido, diz Jeová dos exércitos.


Zorobabel sentou-se no trono de Davi. Zorobabel, aquele que foi escolhido por Jeová, sentou-se no trono de Davi na reconstrução de Jerusalém e de seu templo.

A afirmação de que o trono da casa real de Davi havia ficado vago por 2520 anos a partir da destruição de Jerusalém e de seu templo por Nabucodonosor, o rei de Babilônia, não resiste a este argumento histórico, adicionado da afirmação do próprio Jeová em relação a Zorobabel.


Para a casa de Israel, Zorobabel era o governante, tal qual Davi e todos os demais reis o foram, muito embora Zorobabel não tivesse mais a “coroa”.


Uma “nova realidade” para a casa real a partir do retorno do exílio de setenta anos em Babilônia.


No entanto, Zorobabel teve suas atribuições como maioral para o povo, definidas por Jeová, mais de setenta anos antes de Zorobabel sentar-se neste trono, quando Jeová as revelou ao Seu mensageiro Ezequiel. Aquela iníqua forma de regência praticada pela casa real até a destruição da cidade e do templo deixaria de existir; seria descontinuada e substituída por uma nova forma definida pelo próprio Jeová.


Aquelas iniquidades apontadas por Jeová através de Samuel, que seriam praticadas pela casa real, deveriam ser descontinuadas. Embora o povo achasse normal aquelas iniquidades praticadas pelos reis, Jeová não achava nada normal.


Rebaixa o que está no alto.

Aquela casa real de Davi não tinha mais os mesmos poderes que tinham antes. A casa real foi destituída de sua nobreza. A casa real de Davi havia sido rebaixada em sua importância diante do povo. Todo aquele que se enaltecer será humilhado.

O que a casa real não faria mais??


(1 Samuel 8:10-18) 10 Referiu Samuel todas as palavras de Jeová ao povo que lhe havia pedido um rei, 11 e disse: Assim se portará o rei que há de reinar sobre vós: tomará vossos filhos e os porá nos seus carros e entre os seus cavaleiros, e eles correrão adiante dos seus carros; 12 e os constituirá capitães de mil e capitães de cinqüenta, e lavradores dos seus campos, e segadores das suas messes, e fabricantes das suas armas e dos seus carros. 13 Tomará vossas filhas para perfumistas, cozinheiras e padeiras. 14 Tomará o melhor dos vossos campos, e das vossas vinhas, e dos vossos olivais, e dá-los-á aos seus servos. 15 Dizimará as vossas sementes e as vossas vinhas, para dar aos seus eunucos e aos seus servos. 16 Também tomará os vossos servos e as vossas servas, e os vossos melhores mancebos, e os vossos jumentos, e os empregará no seu trabalho. 17 Dizimará também os vossos rebanhos; e vós sereis seus servos. 18 Naquele dia vós lamentareis por causa do vosso rei, que vós mesmos escolhestes; e Jeová não vos responderá naquele dia.


O rei não devia se comportar segundo o que haviam feito até então. Como sobreviveriam??


A casa real de Davi não podia mais agir como a dona da cidade de Jerusalém, (cidade de Davi) pois foi-lhe dada uma delimitada porção da cidade. Não estavam mais destinados à riqueza através de tributo imposto sobre o povo e o uso de mão de obra escrava oriunda do povo. A casa real de Davi não mais exigiria tributos do povo e nem mais os escravizaria, como faziam até a desolação da cidade.

Receberiam do povo uma contribuição. Também haviam recebido o mandamento quanto ao que fazer com a contribuição.


(Ezequiel 45:7-10) 7 “‘E para o maioral haverá deste e daquele lado da contribuição sagrada e da propriedade da cidade, além da contribuição sagrada e além da propriedade da cidade, algo no lado ocidental para o oeste e algo do lado oriental para o leste. E o comprimento será exatamente como o de um dos quinhões, desde o termo ocidental até o termo oriental. 8 Quanto à terra, tornar-se-á sua como propriedade em Israel. E meus maiorais não mais maltratarão meu povo, e darão a terra à casa de Israel com relação às suas tribos.’ 9 Assim disse o Soberano Senhor Jeová: Já chega de vós, ó maiorais de Israel!’ “‘Removei a violência e a assolação, e praticai o próprio juízo e justiça. Retirai as vossas expropriações de cima do meu povo’, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová. 10 Deveis vir a ter balança exata, e um efa exato, e um bato exato.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel 45:7-10) 7 O que se der ao príncipe estará duma e da outra parte da santa oblação e da possessão da cidade, defronte da santa oblação e defronte da possessão da cidade, do lado ocidental para o ocidente e do lado oriental para o oriente; e de comprimento corresponderá a uma das porções desde o termo ocidental até o termo oriental. 8 Na terra lhe será um possessão em Israel; os meus príncipes não oprimirão mais o meu povo; mas distribuirão a terra pela casa de Israel segundo as suas tribos. 9 Assim diz o Senhor Jeová: Baste-vos, príncipes de Israel: cessai da violência e rapina, e executai juízo e justiça; tirai do meu povo as vossas exações, diz o Senhor Jeová. 10 Tereis balanças justas, e efa justa, e bato justo.


Segundo o próprio Jeová, quais eram as características marcantes da casa real de Davi até aquela data??

Violência e assolação; violência e rapina.

O que Jeová via a casa real de Davi fazer até aquela data??

A casa real de Davi oprimia o povo.

A casa real de Davi praticava a expropriação; a casa real de Davi praticava a exação.


Expropriação – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: ...ato de privar o proprietário daquilo que lhe pertence..


expropriação

s.f. (1850) 1 ato ou efeito de expropriar 2 a coisa expropriada 3 jur ato de privar o proprietário daquilo que lhe pertence e. processual jur ato do Estado que, praticado pelo juiz, transfere bem do devedor a outra pessoa, a fim de satisfazer o direito do credor, mesmo sem a sua anuência etim expropriar + -ção


Exação – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: exigir impostos, taxas; exigir mais do que lhe é devido..


exação

\z\ s.f. (sXV) frm. 1 ato ou efeito de exigir 2 jur em direito administrativo, atividade de arrecadar ou receber impostos, taxas, emolumentos etc.; exigência, cobrança de rendas públicas 3 ato ou efeito de (alguém) exigir mais do que lhe é devido <o deputado desmascarou as e. dos credores internacionais> 4 realização de algo com perfeição, capricho ou pontualidade <completar um trabalho com e.> 4.1 jur exatidão, correção, pontualidade no exercício de um múnus, cargo ou função 5 reclamação de uma dívida ou promessa etim lat. exáctio,ónis 'expulsão, degredo, cobrança de impostos, reclamação de dívida, ação de exigir, aperfeiçoamento', do rad. de exactum, supn. de exigère 'levar para fora etc.' sin/var exacção


do ponto de vista de jeová, A casa real de Davi era símbolo de opressão, violência, assolação e expropriação.


Quais eram as “novas atribuições” do rebaixado maioral após a reconstrução de Jerusalém e do templo??

(Ezequiel 45:16-17) 16 “‘No que se refere ao povo da terra, serão responsáveis por esta contribuição ao maioral em Israel. 17 E ao maioral caberá [prover] os holocaustos, e a oferta de cereais, e a oferta de bebida durante as festividades, e durante as luas novas, e durante os sábados, durante todas as épocas festivas da casa de Israel. Será ele quem proverá a oferta pelo pecado, e a oferta de cereais, e o holocausto, e os sacrifícios de participação em comum, para se fazer expiação pela casa de Israel.’


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel 45:16-17) 16 Todo o povo da terra concorrerá a esta oblação para o príncipe em Israel. 17 Tocará ao príncipe dar os holocaustos, e as ofertas de cereais, e as ofertas de libações, nas festas e nas luas novas, e nos sábados, em todas as festas fixas da casa de Israel. Ele preparará a oferta pelo pecado, e a oferta de cereais, e o holocausto e as ofertas pacíficas para fazer expiação pela casa de Israel.




Dentro da nova realidade definida por Jeová, o que o rebaixado maioral não deveria mais fazer??

(Ezequiel 46:16-18) 16 Assim disse o Soberano Senhor Jeová: ‘Caso o maioral dê uma dádiva a cada um dos seus filhos como sua herança, tornar-se-á ela propriedade dos seus próprios filhos. É uma propriedade por herança. 17 E caso dê uma dádiva de sua herança a um dos seus servos, então terá de tornar-se dele até o ano da liberdade; e terá de retornar ao maioral. Somente a sua herança — com respeito aos seus filhos — é que continuará a pertencer a eles mesmos. 18 E o maioral não deve tomar nenhuma herança do povo de modo a forçá-los a abandonar a sua propriedade. É da sua própria propriedade que deve dar uma herança aos seus filhos, para que o meu povo não seja espalhado, cada um da sua propriedade.’”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel 46-16-18) 16 Assim diz o Senhor Jeová: Se o príncipe fizer um presente a algum dos seus filhos, é herança deste, pertencerá a seus filhos; é a possessão deles por herança. 17 Mas se da sua herança fizer um presente a um dos seus servos, será deste até o ano da liberdade; então tornará ao príncipe. Mas quanto à sua herança, será ela para seus filhos. 18 Demais o príncipe não tomará nada da herança do povo, para os desapossar das suas possessões; da sua possessão deixará herança a seus filhos, para que o meu povo não seja espalhado, cada um da sua possessão.


A casa real de Davi não deveria continuar tomando as terras do povo, anexando-as as suas, aumentando assim a sua riqueza, como faziam até a destruição da cidade e do templo.


Dentro da nova realidade estipulada por Jeová para a casa real, o que mais devia fazer o maioral??

(Ezequiel 44:1-3) 44 E ele passou a levar-me de volta pelo caminho do portão do santuário, o externo que dá para o leste, e estava fechado. 2 Jeová disse-me então: “Quanto a este portão, continuará fechado. Não será aberto, e nenhum mero homem entrará por ele; pois o próprio Jeová, o Deus de Israel, entrou por ele, e ele tem de continuar fechado. 3 Todavia, o maioral — ele mesmo, como maioral, estará sentado nele para comer pão perante Jeová. Entrará pelo caminho do pórtico do portão e sairá por este caminho.”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel 44:1-3) 1 Então me fez voltar para o caminho da porta exterior do santuário, que olha para o oriente; era ela fechada. 2 Jeová disse-me: Esta porta ficará fechada, não se abrirá, nem entrará por ela homem algum, porque Jeová, Deus de Israel, entrou por ela; portanto ficará fechada. 3 Quanto ao príncipe, ele se assentará nela como príncipe, para comer pão diante de Jeová; pelo caminho do vestíbulo da porta entrará, e pelo caminho do mesmo sairá.


Dentro na nova realidade estipulada por Jeová para a casa real, quais eram as atribuições do maioral da casa real??

(Ezequiel 45:21-23) 21 “‘No primeiro [mês], no décimo quarto dia do mês, deve ocorrer para vós a páscoa. Sendo uma festividade, devem-se comer por sete dias pães não fermentados. 22 E naquele dia o maioral tem de prover um novilho como oferta pelo pecado por si mesmo e por todo o povo da terra. 23 E para os sete dias da festividade deve prover como holocausto a Jeová sete novilhos e sete carneiros, sadios, diariamente, durante os sete dias, e como oferta pelo pecado, diariamente um bode dos caprídeos...


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel 44:21-23) 21 No primeiro mês, aos quatorze dias do mês, tereis uma páscoa, festa de sete dias; comer-se-ão pães asmos. 22 Nesse dia o príncipe preparará para si e para todo o povo da terra um novilho como oferta pelo pecado. 23 Durante os sete dias da festa preparará um holocausto a Jeová, sete novilhos e sete carneiros sem mancha, cada dia durante os sete dias; e um bode cada dia como oferta pelo pecado.



O que Jeová havia dito para Jeremias??

Remove o diadema, e tira a coroa; o que é não mais será o mesmo:

Remove o turbante e retira a coroa. Esta não será a mesma.


SETENTA ANOS DEPOIS, Jeová manda fazer uma coroa.

A entrega da coroa. Quem foi coroado??


Quando do retorno da casa de Judá para a reconstrução de Jerusalém e do templo, a quem Jeová entregou uma coroa?? Será que foi para a casa real de Davi?? Não, não foi. A casa real de Davi estava sendo rebaixada, no entanto, a casa de Levi, sendo representada pelos sacerdotes, estava sendo elevada, recebendo o símbolo de poder e dignidade que antes estava com a casa real de Davi. A casa de Levi estava recebendo a coroa, isto é, recebendo o símbolo humano de dignidade. Os observadores precisavam ver esta cena para poderem entender a “nova posição” definida por Jeová para a casa real de Davi.

Vejamos o que afirmou Jeová para Zacarias:

(Zacarias 6:9-14) 9 E continuou a vir a haver para mim a palavra de Jeová, dizendo: 10 Tire-se algo do povo exilado, [sim,] de Heldai, e de Tobijá, e de Jedaías; e tu mesmo tens de entrar naquele dia, e tens de entrar na casa de Josias, filho de Sofonias, [junto com estes] que vieram de Babilônia. 11 E tens de tomar prata e ouro, e tens de fazer uma grandiosa coroa e pô-la sobre a cabeça de Josué, filho de Jeozadaque, o sumo sacerdote. 12 E tens de dizer-lhe: “‘Assim disse Jeová dos exércitos: “Aqui está o homem cujo nome é Renovo. E ele brotará de seu próprio lugar e certamente construirá o templo de Jeová. 13 E ele mesmo construirá o templo de Jeová, e ele, da sua parte, levará [a] dignidade; e terá de assentar-se e governar no seu trono, e terá de tornar-se sacerdote sobre o seu trono, e o próprio conselho de paz mostrará estar entre ambos. 14 E a própria grandiosa coroa virá a pertencer a Helém, e a Tobijá, e a Jedaías, e a Hem, filho de Sofonias, como recordação no templo de Jeová...


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Zacarias 6:9-14) 9 A palavra de Jeová veio a mim, dizendo: 10 Recebe da mão dos do cativeiro, a saber, de Heldai, de Tobias, e de Jedaías, e vem tu no mesmo dia e entra na casa de Josias, filho de Sofonias, para a qual vieram de Babilônia; 11 recebe deles ouro e prata, e faze coroas, e põe-nas na cabeça do sumo sacerdote Josué, filho de Jeozadaque. 12 Fala-lhe: Assim diz Jeová dos exércitos: Eis o homem cujo nome é o Renovo; brotará do seu lugar, e edificará o templo de Jeová. 13 Ele edificará o templo de Jeová; levará a glória, e se assentará e dominará no seu trono; será sacerdote sobre o seu trono: e haverá entre os dois o conselho de paz. 14 As coroas servirão a Helém, e a Tobias, e a Jedaías, e a Hem, filho de Sofonias, de memorial no templo de Jeová.


Quando foi que Jeová falou estas palavras para Zacarias?? Era o segundo ano do reinado de Dario. Havia um ponto na linha do tempo, ponto este que coincidia com o início da reconstrução do templo em Jerusalém.


Josué era um sumo sacerdote. Ele receberia a coroa de ouro. Ele sentaria num trono e seria sacerdote sobre o seu trono.

E quanto a Zorobabel??

Bem, Zorobabel era contemporâneo do sacerdote Josué.

Ora, o sumo sacerdote estava sendo coroado?? O que isto poderia significar?? Significaria exatamente aquilo que Jeová informou.

Ele governaria no seu trono.

Ele dominaria no seu trono.

Ele estaria sentado no seu trono.

Para Jeová havia um significado.


Não foi o humano que estava exaltando ou rebaixando a si mesmo.

Foi o próprio Jeová quem estava elevando a casa de Levi e rebaixando a casa real de Davi. O próprio Jeová estava tirando a coroa da casa de Davi e a estava dando a casa de Levi, aquela que, do ponto de vista de Jeová, tinha o direito legal.


Que mais Jeová falou a respeito de Josué, o sumo sacerdote que receberia a coroa??


(Zacarias 3:1-9) 3 E ele passou a mostrar-me Josué, o sumo sacerdote, de pé perante o anjo de Jeová, e Satanás de pé à sua direita para se lhe opor. 2 [O anjo de] Jeová disse então a Satanás: “Jeová te censure, ó Satanás, sim, censure-te Jeová, aquele que escolhe Jerusalém! Não é este um tição arrancado do fogo?” 3 Ora, quanto a Josué, aconteceu que estava vestido de vestes imundas e estava de pé perante o anjo. 4 Então ele respondeu e disse aos que estavam de pé perante ele: “Removei dele as vestes imundas.” E prosseguiu, dizendo-lhe: “Vê, fiz que passasse de ti o teu erro, e és vestido de trajes de gala.” 5 Então eu disse: “Ponha-se-lhe um turbante limpo na cabeça.” E eles passaram a pôr-lhe o turbante limpo na cabeça e a trajá-lo de vestes; e o anjo de Jeová estava de pé ali. 6 E o anjo de Jeová começou a dar testemunho a Josué, dizendo: 7 Assim disse Jeová dos exércitos: ‘Se andares nos meus caminhos e se cumprires a obrigação para comigo, então serás também tu quem julgarás a minha casa e também guardarás os meus pátios; e hei de dar-te livre acesso entre estes que ali estão de pé.’ 8 “‘Ouve, por favor, ó Josué, sumo sacerdote, tu e teus companheiros sentados diante de ti, pois são homens [servindo] como portentos; pois eis que estou trazendo meu servo Renovo! 9 Pois, eis a pedra que pus diante de Josué! Sobre a única pedra há sete olhos. Eis que gravo a sua gravura’, é a pronunciação de Jeová dos exércitos, ‘e num só dia vou afastar o erro daquela terra’.


Assim verte a Tradução Brasileira:


(Zacarias 3:1-9) 1 Ele me mostrou o sumo sacerdote Josué que estava diante do anjo de Jeová, e Satanás que estava à mão direita dele para ser o seu adversário. 2 Jeová disse a Satanás: Que Jeová te repreenda, ó Satanás; sim, repreenda-te Jeová que escolheu a Jerusalém: acaso não é este um tição tirado do fogo? 3 Ora Josué estava vestido de hábitos sujos, e posto em pé diante do anjo. 4 Este começou a falar e disse aos que estavam diante dele: Tirai-lhe estes hábitos sujos. A Josué disse: Eis que hei feito passar de ti a tua iniqüidade, e te vestirei de ricos trajos. 5 Eu disse: Ponham-lhe sobre a cabeça uma mitra limpa. Puseram-lhe, pois, sobre a cabeça uma mitra limpa, e vestiram-no de vestidos; e o anjo de Jeová estava perto, de pé. 6 O anjo de Jeová protestou a Josué, dizendo: 7 Assim diz Jeová dos exércitos: Se andares nos meus caminhos, e observares o que tenho prescrito, também tu julgarás a minha casa, e bem assim guardarás os meus átrios, e te permitirei entrar e sair entre os que estão aqui. 8 Ouve, pois, Josué, sumo sacerdote, tu e teus colegas que se assentam diante de ti; porque são homens de presságio; porquanto eis que farei vir o meu servo, o Renovo. 9 Eis a pedra que tenho posto diante de Josué; sobre uma só pedra são sete olhos. Eis que eu farei ao buril a sua escultura, diz Jeová dos exércitos, e tirarei a iniqüidade desta terra num só dia.


A acusação de Satanás era verdadeira ou falsa em relação aos sacerdotes??

O que Jeová tinha visto os seus ministros fazerem??


O próprio Jeová havia afirmado, como já visto acima:


(Ezequiel 22:26-27) 26 Os seus sacerdotes violentam a minha lei, e profanam as minhas coisas sagradas. Não distinguem entre o santo e o profano, nem fazem que os homens discernam a diferença entre o imundo e o limpo, e dos meus sábados escondem os seus olhos, e eu sou profanado entre eles. 27 Os seus príncipes no meio dela são como lobos que arrebatam a presa, para derramarem o sangue, e destruírem as almas, a fim de ganharem lucro desonesto.


Era uma condição lamentável, não era??

Apesar desta lamentável condição, o que Jeová fez??


Josué era o sumo sacerdote, e foi exatamente a ele que Jeová mandou coroar. Foi coroado aquele que estava na função de sacerdote. Por determinação de Jeová, a coroa foi entregue ao sumo sacerdote. Jeová afirmou que o sumo sacerdote governaria no seu trono (o de sacerdote). Configurou-se tratar de um “reino de sacerdotes”. Como sumo sacerdote, Josué recebeu a coroa de ouro. Por uma determinação de Jeová, o sumo sacerdote Josué foi coroado.

Jeová deixou bem claro que para Ele, a forma de governo da rebelde casa de Israel continuava a ser um “reino de sacerdotes”. A coroa de ouro e prata foi entregue aos sacerdotes. Assim, a coroa foi entregue a quem de direito pertencia, ou seja, aos sacerdotes. Jeová estava revelando aos humanos, qual era a sua vontade e escolha. Jeová revelou escolher a casa de Levi em detrimento da casa real de Davi. Jeová estava revelando que a Sua vontade não havia mudado em prol da casa real de Davi. Será que os humanos obedeceriam a esta ordem de Jeová?? Os humanos passariam a perceber que Jeová não havia mudado o seu “plano original” quanto ao reino de sacerdotes.


E quanto a Zorobabel, um dos príncipes da casa real de Davi??

Jeová não mandou que nenhuma coroa fosse colocada sobre a cabeça de Zorobabel, embora este pertencesse à casa real de Davi.

O que Jeová havia dito sobre a casa real de Davi?? Ele afirmou: “Remove o diadema e retira a coroa; o que é não será mais, pois Eu a darei a quem de direito legal”.

Não seria Zorobabel aquele que teria o direito legal de receber a coroa?? Do ponto de vista do humano, sim.

O direito legal é definido por Jeová. O caso aqui é de legalidade, ou seja, a legalidade do ponto de vista do Pai IHVH, aquele que era realmente o Rei daquela nação.

Foi Jeová quem retirou a coroa da casa real de Davi e a transferiu para os sacerdotes da casa de Levi.

Jeová mandou fazer uma coroa e a deu àquele que segundo Ele tinha o direito legal para usá-la, isto é, o sacerdote.

A coroa pertenceria a todos os demais sacerdotes. Ela não seria usada em nenhum ritual. A coroa serviria de memorial no templo de Jeová. A coroa pertencia a todos os sacerdotes, ou seja, todos os sacerdotes estavam coroados.

Quem é que definia o que deveria acontecer no “reino de sacerdotes”?? Não era o Rei Jeová??

Dentro do reino de sacerdotes, Zorobabel executava o cargo de governador e tinha as suas funções bem definidas por Jeová.

Qual era a função do sacerdote diante do Rei IHVH?? O que deveria fazer a casa sacerdotal??


(Malaquias 2:7) 7 Pois, são os lábios do sacerdote que devem guardar o conhecimento e da sua boca devem as pessoas procurar [a] lei; porque ele é o mensageiro de Jeová dos exércitos.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Malaquias 2:7) 7 Pois os lábios do sacerdote devem guardar a ciência, e da sua boca devem os homens procurar a lei; porque ele é o mensageiro de Jeová dos exércitos.


Tudo estava bem claro quanto a como funcionava o reino de sacerdotes..

O Rei entrava com a lei e os sacerdotes entravam com a função de destacar a lei diante de todo povo. Obviamente que os sacerdotes deveriam ser o exemplo do cumprimento desta mesma lei diante do povo. Os sacerdotes informariam a lei de forma teórica e com o seu exemplo do dia a dia revelariam a forma prática de obedecer a esta mesma lei.

Em face disso, o que representaria a casa de Davi diante do povo?? Que papel desempenhava?? Estava no projeto original do reino de sacerdotes??


O que era realmente a casa de Davi em relação ao reino de Deus??


A existência da casa de Davi deu-se como consequência de que exatamente??


Foi um projeto idealizado por Jeová e colocado em prática no seu tempo devido??


Logo no início desta página, pudemos ver o projeto de Jeová para a rebelde casa de Israel, aquele existente na mente de Jeová quando o povo ainda estava no Egito.

Tratava-se de formar um “reino de sacerdotes” e uma nação santa. Jeová apresentou o seu modelo de governo.


Ora, a existência da casa real de Davi nada tinha a ver com o reino de sacerdotes que Jeová, usando Moisés como Seu mensageiro, já havia descrito para a casa rebelde como deveria ser o seu funcionamento, e que já o havia colocado em prática mesmo no deserto.


A casa rebelde rejeitou o “reino de sacerdotes” e pediu um rei humano, tal qual o modelo do Egito onde haviam estado e tal qual o modelo das demais nações ao redor.


A casa real de Davi era o fruto da rejeição do modelo fornecido e executado por Jeová até aquela data.

A primeira casa real foi a casa real de Saul e logo depois foi a vez da casa real de Davi. As casas reais estavam em franca oposição ao “reino de sacerdotes” até então praticado por Jeová. A casa real de Davi (Judá) estava em franca oposição à casa de Levi (os sacerdotes do reino de sacerdotes). A casa real e seu modelo baseado na parcialidade e desigualdade, estava em franca oposição ao modelo de Jeová de imparcialidade e igualdade. O espírito prevalecente na casa real não é compatível com o espirito de Jeová.

A “casa real” de Davi era a solução humana para a resolução dos inúmeros problemas que a casa rebelde tinha no seu dia a dia, inclusive, os problemas com os seus muitos inimigos.


A casa real não se submetia ao “reino de sacerdotes”, representado por suas leis. Na verdade havia dois poderes paralelos atuando dentro do reino de Deus.

Os interesses do Rei Jeová eram um, enquanto os interesses da casa real eram outros.

O que falou Jesus em relação a todos os que vieram em seu lugar??

(João 10:7-10) 7 Portanto, Jesus disse de novo: “Digo-vos em toda a verdade: Eu sou a porta das ovelhas. 8 Todos os que vieram em meu lugar são ladrões e saqueadores; mas as ovelhas não os têm escutado. 9 Eu sou a porta; todo aquele que entrar por mim será salvo, e entrará e sairá, e achará pastagem. 10 O ladrão não vem a não ser para furtar, e matar, e destruir. Eu vim para que tivessem vida e a tivessem em abundância.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(João 10:7-10) 7 Tornou, pois, Jesus a dizer: Em verdade, em verdade vos digo: Eu sou a porta das ovelhas. Todos os que vieram antes de mim, são ladrões e salteadores; mas as ovelhas não os ouviram. 9 Eu sou a porta. Se alguém entrar por mim, será salvo; e entrará, sairá e achará pastagem. 10 O ladrão não vem senão para furtar, matar e destruir; eu vim para que elas tenham vida e a tenham em abundância.


Todos os da casa real de Davi mostraram ser ladrões e salteadores.

Será que Jeová via a mesma coisa??

O que Jeová via os pastores da casa real de Davi fazerem??

(Ezequiel 34:7-10) 7 “‘“Portanto, pastores, ouvi a palavra de Jeová: 8 ‘“Assim como vivo”, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová, “por certo, visto que as minhas ovelhas se tornaram algo a ser saqueado e minhas ovelhas continuaram a ser alimento para toda fera do campo, por não haver pastor, e meus pastores não buscaram as minhas ovelhas, mas os pastores continuaram a apascentar a si mesmos e não apascentaram as minhas próprias ovelhas”, 9 por isso, pastores, ouvi a palavra de Jeová. 10 Assim disse o Soberano Senhor Jeová: ‘Eis que sou contra os pastores, e certamente exigirei de volta as minhas ovelhas da sua mão e os farei cessar de apascentar as [minhas] ovelhas, e os pastores não mais se apascentarão a si mesmos; e vou livrar as minhas ovelhas da sua boca e elas não se tornarão alimento para eles.’”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel 34:7-10) 7 Portanto, ó pastores, ouvi a palavra de Jeová: 8 Pela minha vida, diz o Senhor Jeová, porquanto as minhas ovelhas foram entregues à rapina, e as minhas ovelhas serviram de pasto para todos os animais do campo, por não haver pastor, nem os meus pastores procuraram as minhas ovelhas, mas se apascentaram a si mesmos, e não apascentaram as minhas ovelhas; 9 portanto, ó pastores, ouvi a palavra de Jeová. 10 Assim diz o Senhor Jeová: Eis que sou contra os pastores; das suas mãos requererei as minhas ovelhas, e farei que cessem de apascentar as minhas ovelhas. Os pastores não se apascentarão mais a si mesmos: da sua boca livrarei as minhas ovelhas, para que não lhes sirvam de pasto.


No lugar de cuidar das ovelhas, todos os pastores que vieram antes de Jesus, quer os da casa real de Davi, quanto os da casa real em Samaria, apascentavam a si mesmos, ou seja, cuidavam de si mesmos, usavam as ovelhas para proveito pessoal.

A casa real sempre busca a riqueza, enquanto Jesus buscava a pobreza.

A casa real buscava escravizar outros e tê-los prestando serviços para eles, enquanto Jesus buscava ser o escravo de todos e fazia questão de servir a todos.


Não há dúvida. Todos os pastores da casa real de Davi continuavam a apascentar a si mesmos. Usavam a posição de rei para acumularem muita riqueza e para roubar o próprio povo.

Fica ainda mais claro, que aquelas ações previstas por Jeová que seriam praticadas pela casa real, eram realmente ações de pura iniquidade e não “prerrogativa legítima” da casa real.


Ao olhar para a casa real de Davi, o que Jeová via??

(Isaías 1:8-11) 8 E a filha de Sião ficou sobrando como uma barraca no vinhedo, como um rancho de vigia no pepinal, como uma cidade bloqueada. 9 Se o próprio Jeová dos exércitos não nos tivesse deixado sobrar uns poucos sobreviventes, nós nos teríamos tornado como Sodoma, teríamos sido semelhantes à própria Gomorra. 10 Ouvi a palavra de Jeová, ditadores de Sodoma. Dai ouvidos à lei de nosso Deus, povo de Gomorra. 11 De que me serve a multidão de vossos sacrifícios?” diz Jeová. “Já estou farto dos holocaustos de carneiros e da gordura de animais bem cevados; e não me agrado do sangue de novilhos, e de cordeiros, e de cabritos.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Isaías 1:8-11) 8 A filha de Sião é deixada como a choupana na vinha, como a choça no pepinal, como cidade sitiada. 9 Se Jeová dos exércitos não nos tivesse deixado alguns de resto, teríamos sido como Sodoma, ter-nos-íamos tornado tais como Gomorra. 10 Ouvi a palavra de Jeová, governadores de Sodoma, dai ouvidos à lei do nosso Deus, povo de Gomorra. 11 De que me serve a mim a multidão dos vossos sacrifícios? diz Jeová. Já estou farto dos holocaustos de carneiros, e da gordura de animais cevados; e não me agrado do sangue de novilhos, ou de cordeiros, ou de bodes.

Aos olhos de Jeová a casa real de Davi não passava de ditadores de Sodoma, governadores de Sodoma.

E quanto ao povo governado por esta casa real, quem eram?? Jeová os via como sendo o povo de Gomorra.


Bem, e quais eram os pecados de Sodoma??

O próprio Jeová nos diz:

(Ezequiel 16:49-50) 49 Eis que este é o que mostrou ser o erro de Sodoma, tua irmã: Orgulho, fartura de pão e a despreocupação do sossego foram [as coisas] que vieram a ser dela e das suas aldeias dependentes, e ela não fortaleceu a mão do atribulado e do pobre. 50 E elas continuaram a ser soberbas e a praticar uma coisa detestável diante de mim, e eu finalmente as removi, assim como vi [ser conveniente].


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel 16:49-50) 49 Eis que esta era a iniqüidade de Sodoma, tua irmã: a soberba, a fartura de pão e a próspera tranqüilidade achavam-se nela e em suas filhas, porém não segurava ela a mão do pobre e do necessitado. 50 Eram arrogantes, e cometeram abominações diante de mim; portanto, ao ver isto, as removi do seu lugar.

Estes eram os pecados da casa real de Davi, que também eram acompanhados pelo povo que havia pedido a regência da casa real.

Eram iguais a Sodoma??

Bem, do ponto de vista de Jeová, a casa real junto com o povo iam além disso, ou seja, eram piores do que Sodoma.


Jeová assim falou:

(Ezequiel 16:46-48) 46 “‘E tua irmã mais velha é a própria Samaria com as suas aldeias dependentes, que mora à tua esquerda, e tua irmã mais moça do que tu, que mora à tua direita, é Sodoma com as suas aldeias dependentes. 47 E não andaste nos seus caminhos, nem fizeste segundo as suas coisas detestáveis. Em pouco tempo começaste a agir ainda mais ruinosamente do que elas, em todos os teus caminhos. 48 Assim como vivo’, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová, ‘Sodoma, tua irmã, ela com as suas aldeias dependentes, não fez segundo o que tu fizeste, tu e as tuas aldeias dependentes.


Assim verta a Tradução Brasileira:

(Ezequiel 16:46-48) 46 Tua irmã maior é Samaria, que habita à tua mão esquerda, juntamente com suas filhas; e tua irmã menor, que habita à tua mão direita, é Sodoma e suas filhas. 47 Contudo não andaste nos seus caminhos, nem fizeste conforme as suas abominações; porém, como se isso fora coisa de pouca monta, foste mais corrompida do que elas em todos os teus caminhos. 48 Pela minha vida, diz o Senhor Jeová, não fez Sodoma, tua irmã, nem ela nem suas filhas, como fizeste tu e tuas filhas.


A atuação da casa real de Davi estava dentro de tudo aquilo que Jeová havia avisado ao povo que ela faria. Assim como Jeová previu e avisou, assim aconteceu.


Será que Jeová havia escolhido a casa real de Davi para representá-lo??


Os sacerdotes também apascentavam a si mesmos, embora a lei existente para eles já definisse o oposto.


Será que Davi estava sentado no trono de Jeová?? será que Davi usava as mesmas diretrizes de Jeová para a solução dos problemas do dia a dia.


De quem era o trono e de quem era o reino??

(2 Samuel 7:15-16) 15 No que se refere à minha benevolência, não se retirará dele assim como a tirei de Saul, a quem removi por tua causa. 16 E tua casa e teu reino hão de ficar firmes por tempo indefinido diante de ti; teu próprio trono ficará firmemente estabelecido por tempo indefinido.”’”

O trono era de Davi. O reino era de Davi.

(1 Reis 1:32-35) 32 O Rei Davi disse imediatamente: “Chamai-me a Zadoque, o sacerdote, e a Natã, o profeta, e a Benaia, filho de Jeoiada.” Eles entraram, pois, perante o rei. 33 E o rei prosseguiu, dizendo-lhes: “Tomai convosco os servos de vosso senhor e tereis de fazer Salomão, meu filho, montar na mula que me pertence e tereis de conduzi-lo para baixo a Giom. 34 E Zadoque, o sacerdote, e Natã, o profeta, terão de ungi-lo rei sobre Israel; e tereis de tocar a buzina e dizer: ‘Viva o Rei Salomão!’ 35 E tereis de subir atrás dele, e ele terá de entrar e sentar-se no meu trono; e ele mesmo será rei em meu lugar e é a ele que terei de comissionar para se tornar líder de Israel e de Judá.

Não podia haver mais de um rei.

(1 Reis 1:47-48) ...Então o rei prostrou-se sobre a sua cama. 48 E também foi isto o que o rei disse: ‘Bendito seja Jeová, o Deus de Israel, que hoje deu alguém para se assentar no meu trono, vendo-o os meus próprios olhos!’”


Salomão sentou-se no trono de Davi, não no trono de Jeová.

(1 Reis 2:10-12) 10 Davi deitou-se então com os seus antepassados e foi enterrado na Cidade de Davi. 11 E os dias que Davi reinou sobre Israel foram quarenta anos. Em Hébron ele reinou sete anos e em Jerusalém reinou trinta e três anos. 12 Quanto a Salomão, sentou-se no trono de Davi, seu pai; e, aos poucos, seu reinado ficou estabelecido com muita firmeza.


O que acontece quando existem duas casas reais dentro do mesmo reino??

O caso de Saul e Davi revelam muito bem o que pode acontecer.

Que espécies de sentimentos passam a existir??

(2 Samuel 2:8-10) 8 Quanto a Abner, filho de Ner, chefe do exército que havia pertencido a Saul, tomou a Is-Bosete, filho de Saul, e passou a fazê-lo atravessar para Maanaim 9 e a fazê-lo rei sobre Gileade, e os asuritas, e Jezreel, e sobre Efraim e Benjamim, e sobre Israel, todo ele. 10 Is-Bosete, filho de Saul, tinha quarenta anos de idade quando se tornou rei sobre Israel e reinou por dois anos. Somente a casa de Judá mostrava estar seguindo a Davi.

A existência de duas casas reais dividia a casa de Israel em dois reinos antagônicos, passando a existir a competição, a inimizade e a guerra.


O que ocorre quando existem dois reis dentro de uma mesma casa real?? Pessoas tomam partido, acompanhando a fantasia de um dos concorrentes e tornando-se súdito deste humano passam a nutrir inimizade por um dos concorrentes. Depois disto, matam e morrem na defesa deste humano considerado por ele como “real”.

(2 Samuel 15:10-14) 10 Absalão enviou então espiões através de todas as tribos de Israel, dizendo: “Assim que ouvirdes o som da buzina, tereis de dizer também: ‘Absalão tornou-se rei em Hébron!’” 11 Ora, com Absalão haviam ido duzentos homens de Jerusalém, que tinham sido chamados e que iam sem suspeita, e eles não sabiam de nada. 12 Além disso, ao oferecer os sacrifícios, Absalão mandou [chamar] Aitofel, o gilonita, conselheiro de Davi, da sua cidade de Gilo. E a conspiração ficou cada vez mais forte e o povo com Absalão aumentava continuamente em número. 13 Então veio a Davi um informante, dizendo: “O coração dos homens de Israel veio a estar atrás de Absalão.” 14 Davi disse imediatamente a todos os seus servos que estavam com ele em Jerusalém: “Levantai-vos e fujamos; pois não se mostrará haver escape para nós por causa de Absalão! Ide apressadamente, para que não venha depressa e realmente nos alcance, e traga sobre nós o mal e golpeie a cidade com o fio da espada!”

O que fazer para resolver um problema como este??

Espionagem, engano e traição.

(2 Samuel 15:33-37) 33 No entanto, Davi disse-lhe: “Se realmente fizeres a travessia comigo, então certamente te tornarás uma carga para mim. 34 Mas, se retornares à cidade e realmente disseres a Absalão: ‘Sou teu servo, ó rei. Eu costumava mostrar ser servo de teu pai, sim, eu, naquele tempo, mas agora até mesmo eu sou teu servo’, então terás de frustrar-me o conselho de Aitofel. 35 Não estão lá contigo Zadoque e Abiatar, os sacerdotes? E terá de dar-se que tudo o que ouvires da casa do rei deves contar a Zadoque e a Abiatar, os sacerdotes. 36 Eis que seus dois filhos estão com eles, Aimaás que pertence a Zadoque e Jonatã que pertence a Abiatar; e por meio deles tereis de enviar-me tudo o que possais ouvir.” 37 Assim Husai, companheiro de Davi, entrou na cidade. Quanto a Absalão, passou a entrar em Jerusalém.

A solução encontrada para tal situação foi a vitória de um concorrente sobre o outro concorrente, o que acarretou ser a morte para um dos concorrentes.

(2 Samuel 18:6-10) 6 E o povo continuou saindo ao campo para enfrentar Israel; e a batalha veio a ser na floresta de Efraim. 7 Finalmente foi derrotado ali o povo de Israel diante dos servos de Davi e a matança ali resultou ser grande naquele dia, sendo de vinte mil homens. 8 E a batalha ali se espalhou sobre toda a terra que se via. Outrossim, a floresta fez mais em devorar o povo do que a espada fez em devorá-lo naquele dia. 9 Por fim, Absalão achou-se diante dos servos de Davi. E Absalão montava num mulo, e o mulo entrou debaixo dum entrelaçamento de ramos duma grande árvore maciça, de modo que a sua cabeça ficou presa na grande árvore, e ele ficou suspenso entre os céus e a terra, ao passo que o próprio mulo debaixo dele foi para diante. 10 Então certo homem viu isso e o contou a Joabe, e disse: “Eis que vi Absalão pendurado numa grande árvore.. . .


Nas casas reais sempre existe competição pelo trono. Não pode haver duas casas reais dentro de um mesmo reino.


Dentro da mesma casa real de Davi, na briga pelo trono, Salomão mandou matar o seu próprio irmão Adonias. Ademais, Salomão encontrou motivos plenamente válidos para demover Abiatar da sua posição de sacerdote. Onde havia Salomão recebido tal poder para julgar e punir sacerdotes de Jeová??

(1 Reis 2:23-27) 23 Com isso o Rei Salomão jurou por Jeová, dizendo: “Assim me faça Deus e assim lhe acrescente mais, se não foi contra a sua própria alma que Adonias falou nesta coisa. 24 E agora, por Jeová que vive, que me estabeleceu firmemente e que me mantém sentado no trono de Davi, meu pai, e que fez para mim uma casa, assim como falou, hoje Adonias será morto.” 25 O Rei Salomão enviou imediatamente por meio de Benaia, filho de Jeoiada; e este passou a lançar-se sobre ele de modo que morreu. 26 E a Abiatar, o sacerdote, o rei disse: “Vai para Anatote, para os teus campos! Pois mereces a morte; mas neste dia não te entregarei à morte, porque carregaste a arca do Soberano Senhor Jeová diante de Davi, meu pai, e porque foste atribulado durante todo o tempo que meu pai foi atribulado.” 27 Portanto, Salomão expulsou a Abiatar do serviço de sacerdote de Jeová, para cumprir a palavra de Jeová, que ele havia falado contra a casa de Eli, em Silo.


Como o reino ficou plenamente estabelecido nas mãos de Salomão??

(1 Reis 2:45-46) 45 Mas o Rei Salomão será bendito e o próprio trono de Davi se mostrará firmemente estabelecido perante Jeová para sempre.” 46 Com isto o rei deu ordem a Benaia, filho de Jeoiada, que então saiu e se lançou sobre ele, de modo que morreu. E o reino ficou firmemente estabelecido na mão de Salomão.

Com a morte dos oponentes e desafetos, o reino de Salomão ficou firmemente estabelecido.


Na realidade humana, isto é, aquilo que foi criado pelo homem, subir ao trono é igual a ser aclamado como rei, começar a reinar.

Para os meros mortais existem as cadeiras, os assentos, no entanto, para o rei o que existe é o trono. A dignidade do rei pede um trono.


De quanta dignidade achava Salomão que a casa real de Davi merecia?? O trono de Salomão devia revelar a sua dignidade, não deveria??

(1 Reis 10:18-20) 18 Além disso, o rei fez um grande trono de marfim e o recobriu de ouro refinado. 19 Havia seis degraus [levando] ao trono, e o trono tinha um dossel redondo por detrás, e havia braços deste lado e daquele lado junto ao assento, e dois leões estavam em pé ao lado dos braços. 20 E havia ali doze leões em pé sobre os seis degraus, deste lado e daquele lado. Nenhum outro reino tinha feito um exatamente igual a ele.

Tratava-se de um local físico onde repousaria a dignidade real segundo os olhos do próprio rei, pois foi ele próprio quem definiu o seu grau de dignidade.

Tão alta era a dignidade que Salomão atribuía a si mesmo que o seu trono era mais majestoso do que todos os outros até então conhecidos.

Tão alta era a dignidade que havia seis degraus até o assento do rei. Assim, o rei ficava no sétimo e último degrau acima.


Quanto ao local onde residir, o comandante da casa real (rei humano) e o Comandante do reino de sacerdotes, tinham visões bem diferentes.

Ao colocar em prática o reino de sacerdotes, onde morava o rei Jeová?? Por escolha pessoal, Ele morava em tendas de pano.


Ao estar sentado em sua casa de cedros, estando de posse de tesouros conquistados e roubados, o que planejou Davi, um dos chefes da casa real?? Planejou construir um suntuoso castelo para Jeová residir, castelo este denominado de templo.

O que falou Jeová para Davi??


(2 Samuel 7:4-7) 4 E sucedeu naquela noite que a palavra de Jeová veio a Natã, dizendo: 5 Vai, e tens de dizer ao meu servo Davi: ‘Assim disse Jeová: Devias tu construir-me uma casa para eu morar [nela]? 6 Pois não morei numa casa desde o dia em que fiz os filhos de Israel subir do Egito até o dia de hoje, mas eu andava continuamente numa tenda e num tabernáculo. 7 Durante todo o tempo em que tenho andado entre todos os filhos de Israel, houve alguma palavra que eu tivesse falado a uma das tribos de Israel a que ordenei que apascentasse meu povo Israel, dizendo: ‘Por que não me construístes uma casa de cedros?’”...


Assim verte a Tradução Brasileira:

(2 Samuel 7:1-7) 1 Estando já o rei de assento na sua casa, e tendo-lhe Jeová dado descanso de todos os seus inimigos ao redor, 2 disse ele ao profeta Natã: Eis que eu estou morando numa casa de cedro, e a arca de Deus dentro de cortinas. 3 Respondeu Natã ao rei: Vai, faze tudo o que tens no teu coração, porque Jeová é contigo. 4 Mas naquela mesma noite veio a palavra de Jeová a Natã, dizendo: 5 Vai dizer ao meu servo Davi: Assim diz Jeová: Edificar-me-ás tu uma casa em que eu habite? 6 Desde o dia em que eu fiz subir os filhos de Israel do Egito até hoje, não tenho habitado em casa nenhuma, mas tenho peregrinado em tenda e em tabernáculo. 7 Em todos os lugares em que tenho peregrinado com todos os filhos de Israel, falei jamais palavra a alguma das suas tribos, a que mandei que apascentasse o meu povo de Israel, dizendo: Por que me não tendes edificado uma casa de cedro?


Jeová sentia-se um peregrino. Ele mantinha a liberdade de andar entre todas as tribos da casa de Israel, não escolhendo uma residência fixa entre nenhuma delas. O livre-arbítrio de Jeová deve ser respeitado, não deve??

Ora, o representante da casa real havia saído da condição de pastor dada por Jeová, para construir para si mesmo uma rica e confortável casa de cedros. Tratava-se de uma escolha pessoal dele.

Jeová também tinha feito a Sua escolha. Ele continuava a morar em tendas de pano, sem envergonhar-se disto.

No entanto, Davi não acompanhava do sentimento e da escolha de Jeová quanto a morar em uma tenda. Davi via a residência de Jeová em tendas como vergonha e humilhação para alguém tão importante quanto Jeová. No lugar dele decidir acompanhar a escolha de Jeová, ele desejava que Jeová acompanhasse a escolha dele, Davi, indo morar em uma casa de cedros, denominada templo.

No lugar de Davi envergonhar-se por desejar e construir uma suntuosa habitação de cedro, Davi achava vergonhoso Jeová habitar em uma tenda.

Davi devia envergonhar-se por ter construído uma casa tão suntuosa para si mesmo. No entanto, Davi não conseguia envergonhar-se por isto. Obviamente que Davi não via qualquer erro em construir uma casa suntuosa para si mesmo.

Davi estava construindo uma casa segundo a sua dignidade e majestade, logo, ele via incompatibilidade entre Jeová e uma tenda. Aos olhos de Davi a dignidade devia estar acompanhada do esplendor e da glória, e não da simplicidade.


Como um monarca, o rei detém o poder absoluto sobre todos, não devendo existir oposição à sua pessoa. O reino fica plenamente estabelecido quando inexiste resistência ao seu reinado, ou seja, ao seu domínio. Todos são obrigados a acatar a sua posição de autoridade. Através do seu poder, o rei esmaga todas as resistências ao seu reinado. A vontade do rei é satisfeita com o uso da força. A vontade do rei é imposta através da força. Esta é uma das características naturais da existência da casa real.


O rei detém poder absoluto quando todos no seu reino satisfazem a sua vontade, no entanto, o poder do rei está nas mãos de seus súditos, isto é, daqueles que o têm voluntariamente como sendo seu soberano. Esta é uma das interessantes contradições a respeito do poder absoluto do rei.

Todas as definições acima nos revelam uma posição no Alto, acima dos demais. O trono revela ser uma posição física fixa e no alto, onde o rei se senta na sua majestade (dignidade).

De forma oposta, Jesus, o rei da humildade mostrou ser o mais humilde entre os humildes. Desta forma, Jesus comandava os humildes. Como?? Por ser o mais humilde.


O mais corajoso lidera e comanda os corajosos. O mais forte lidera e comanda os demais fortes. O mais violento lidera e comanda os outros violentos. O mais desonesto lidera e comanda os demais desonestos. O mais justiceiro lidera e comanda outros justiceiros. Já no caso de Jesus, ele mostrou ser o mais humilde, liderando e comandando outros humildes e levando-os a humildade.


Que estado alcançou a casa real de Davi e os seus liderados??


(Isaías 3:8-12) 8 Pois Jerusalém tropeçou e a própria Judá caiu, porque sua língua e suas ações são contra Jeová, comportando-se rebeldemente aos olhos da sua glória. 9 A própria expressão das suas faces testifica realmente contra eles, e contam deveras seu pecado semelhante ao de Sodoma. Não [o] ocultaram. Ai da sua alma! Pois trouxeram calamidade sobre si mesmos. 10 Dizei que [irá] bem ao justo, porque eles comerão dos próprios frutos das suas ações. 11 Ai do iníquo! — Calamidade; pois o tratamento [dispensado] pelas suas próprias mãos será dispensado a ele! 12 Quanto ao meu povo, seus feitores agem com severidade e meras mulheres estão realmente dominando sobre ele. Ó meu povo, os que te encaminham fazem-te vaguear, e confundiram o caminho das tuas veredas.


Assim verte a Tradução Brasileira:


(Isaías 3:8-12) 8 Pois Jerusalém está arruinada, e Judá caído; porque a sua língua e as suas ações são contra Jeová, para desafiarem os olhos da sua glória. 9 O aspecto do seu semblante dá testemunho contra eles; e, como Sodoma, publicam o seu pecado, sem o disfarçar. Ai das suas almas! porque eles fazem mal a si mesmos. 10 Dizei do justo que ele será próspero, pois comerá o fruto das suas ações. 11 Ai do perverso! não será próspero, pois lhe será feito a ele o que fizeram as suas mãos. 12 Quanto ao meu povo, os que o oprimem, são crianças, e mulheres dominam sobre eles. Ó povo meu, os que te guiam, te enganam, e destroem o caminho das tuas veredas.

Uma situação calamitosa. Pediram uma liderança humana, receberam a liderança humana. Como resultado disso passaram e ser enganados pelos seus líderes, que passavam a usá-los ao sabor de suas vontades, levando-os para bem longe dos caminhos de Jeová. Tais líderes humanos os levavam aos mesmos caminhos de Sodoma, aquele que eles desprezavam por ter sido punida por Jeová.

Que situação calamitosa!!!

Não foi a escolha do próprio povo ter líderes humanos??



Representação de Jeová no reino de sacerdotes.


Jeová mostrou a Moisés um modelo das coisas pertencentes ao reino de sacerdotes.


(Êxodo 25:40) 40 E vê que os faças segundo o seu modelo que te foi mostrado no monte.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Êxodo 25:40) 40 Vê que os faças conforme o seu modelo que te foi mostrado no monte.


Foi mostrado a Moisés um modelo de tudo aquilo que ele devia construir em relação ao reino de sacerdotes.

(Êxodo 26:30) 30 E tens de erigir o tabernáculo segundo o seu plano que te foi mostrado no monte.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Êxodo 26:30) 30 Levantarás o tabernáculo conforme o modelo que te foi mostrado no monte.


Jeová não estava copiando um modelo inventado pelo homem. Jeová estava criando algo e revelando como este algo devia ser feito e praticado.


(Êxodo 31:6-11) 6 Quanto a mim, eis que deveras ponho com ele Ooliabe, filho de Aisamaque, da tribo de Dã, e deveras ponho sabedoria no coração de todo o sábio de coração, para que deveras façam tudo o que te mandei: 7 a tenda de reunião e a Arca para o testemunho, e a tampa que há sobre ela, e todos os utensílios da tenda, 8 e a mesa e seus utensílios, e o candelabro de ouro puro e todos os seus utensílios, e o altar do incenso, 9 e o altar da oferta queimada e todos os seus utensílios, e a bacia e seu suporte, 10 e as vestes de tricô e as vestes sagradas para Arão, o sacerdote, e as vestes dos seus filhos, para atuarem como sacerdotes; 11 e o óleo de unção e o incenso perfumado para o santuário. Farão tudo segundo o que te mandei.”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Êxodo 31:6-11) 6 Eis que eu designei juntamente com ele a Aoliabe e filho de Aisamaque, da tribo de Dã; e pus a sabedoria nos corações de todos os homens hábeis, para fazerem tudo o que eu tenho ordenado: 7 a tenda da revelação, e a arca do testemunho, e o propiciatório que está por cima dela, e todos os móveis da Tenda, 8 e a mesa com os seus utensílios, e o candeeiro puro com todos os seus utensílios, e o altar do incenso, 9 e o altar do holocausto com todos os seus utensílios, e a bacia com a sua base, 10 e os vestidos finamente tecidos e os vestidos sagrados do sacerdote Arão e os vestidos de seus filhos, para quando se empregarem no ofício sacerdotal, 11 e o óleo da unção, e o incenso aromático para o santo lugar: eles farão conforme tudo o que tenho ordenado


No entanto, em todo este contexto não é descrita nenhuma coroa, ninguém recebendo uma coroa, nem o comportamento de alguém que recebesse uma coroa, tampouco fala sobre um grupo de pessoas nobres, embora todas estas coisas fossem bem conhecidas de Moisés. Também não se fala em trono, em entronizar, em dignidade, em cetro, coisas estas que são características de uma casa real.

Será que Moisés não estava sentindo a falta de alguma coisa dentro deste reino de sacerdotes criado por Jeová para a casa rebelde??


Jeová tinha a Sua forma de fazer as coisas e as estava externando para Moisés. Jeová estava externando a Sua vontade de como as coisas deviam ser feitas.

O que o humano devia fazer?? Devia satisfazer a vontade externada de Jeová em relação àquela forma de governo, ou seja, um reino de sacerdotes.


Qual era a representação de Jeová no reino de sacerdotes??

Ora, o próprio Jeová estava presente todo o tempo no reino de sacerdotes. Sendo invisível aos olhos humanos, Jeová está em todos os lugares. O ser humano pode ter dificuldade em se acostumar com este fato em relação a Jeová, no entanto, isto é um fato.


O Pai providenciou algo visível que passou a simbolizar a Sua presença, muito embora Ele estivesse presente em todos os lugares.

O que Jeová providenciou??

A arca.

Foi uma criação de Jeová. Jeová projetou cada detalhe da arca e repassou para Moisés.

Depois Jeová falou para Moisés:


(Êxodo 25:21-22) 21 E tens de colocar a tampa em cima da Arca, e dentro da Arca colocarás o testemunho que te darei. 22 E ali me hei de apresentar a ti e falar contigo de cima da tampa, de entre os dois querubins que há sobre a arca do testemunho, sim, tudo o que eu te mandar para os filhos de Israel.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Êxodo 25:21-22) 21 Porás o propiciatório em cima da arca; e dentro da arca porás o testemunho que te hei de dar. 22 Ali virei a ti, e de sobre o propiciatório, do meio dos querubins que estão sobre a arca do testemunho, falarei contigo a respeito de todas as coisas que eu te ordenar com relação aos filhos de Israel.


O que continha a arca??

A arca continha o símbolo do reino de sacerdotes.

O que existia dentro da arca??

Os mandamentos do reino, ou seja, a lei do reino de sacerdotes.

Ali colocarás o testemunho que te darei, informou Jeová.


Do que Jeová chamou a arca??

Jeová a chamou de arca do testemunho.


O Rei estava presente no reino?? Sim estava.

Onde o Rei se apresentaria??


O próprio Jeová informou a Moisés: Ali virei a ti.

Ali onde??

De cima da tampa (repositório) e do meio dos querubins, cujas asas cobrem a tampa.


O que falaria o Rei Jeová para Moisés??

Falarei contigo a respeito de todas as coisas que Eu de ordenar em relação aos filhos de Israel. Jeová falaria sobre os mandamentos; falaria sobre as leis.


Depois de Jeová, o que era mais importante no reino de sacerdotes??

(Isaías 42:21) 21 O próprio Jeová, por causa da sua justiça, agradou-se de magnificar a lei e de fazê-la majestosa.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Isaías 42:21) 21 Foi do agrado de Jeová, por amor da sua justiça, engrandecer a lei e torná-la gloriosa.


Jeová resolveu engrandecer a lei e torná-la gloriosa; magnificar a lei e torná-la majestosa.

Quem deveria receber a glória?? A lei.

Quem devia ser tratada com majestade?? A lei.


Majestade – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: caráter do que impõe respeito e veneração; caráter do que se mostra grande, pomposo, altivo; sinônimo de grandeza, de dignidade...


majestade

s.f. (sXIII) 1 caráter do que impõe respeito e veneração; sublimidade <Deus em sua m.> <a m. da filosofia de Sócrates> 2 caráter do que se mostra grande, pomposo, altivo; imponência <a m. da paisagem> <a m. das catedrais góticas> <possuía m. nos gestos, no andar> 3 aspecto solene, nobre, que infunde respeito <a m. dos textos do padre Antônio Vieira> <quem foi rei nunca perde a m.> 4 título dado a soberanos de dinastias hereditárias quando se fala deles ou se dirige a eles <sua M. imperial> <vossa M. a rainha> F inicial freq. maiúsc. 5 aquele que exerce o poder supremo; soberano Sua M. Católica obsl. título conferido aos reis de Espanha • Sua M. Fidelíssima obsl. título conferido a soberanos portugueses • Sua M. Imperial título que se aplica a imperadores etim lat. majestas,átis 'majestade, grandeza, poder, dignidade, aspecto majestoso, importância' sin/var ver sinonímia de transcendência


Quem devia receber glória?? A lei.

O agrado de Jeová foi colocar a lei como a coisa majestosa e como a coisa a ser glorificada pelo humano pertencente à casa rebelde.


Que importância teria para o povo a lei do reino??

(Ezequiel 20:11) 11 “‘“E passei a dar-lhes os meus estatutos; e dei-lhes a conhecer as minhas decisões judiciais, para que o homem que continuar a cumpri-las também continue a viver por meio delas.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel 20:11) 11 Dei-lhes os meus estatutos, e mostrei-lhes os meus juízos, os quais, se os observar o homem, viverá por eles.


Representava vida.


O que falou Jesus sobre o que representava o mandamento de Jeová??

(João 12:50) 50 Sei também que o seu mandamento significa vida eterna. Portanto, as coisas que eu falo, assim como o Pai mas disse, assim [as] falo.”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(João 12:50) 50 Eu sei que o seu mandamento é vida eterna. Aquilo, pois, que eu falo, falo-o como o Pai mo tem dito.


Assim, no reino de sacerdotes a lei representava vida para seus súditos. A lei traria a vida, e não a morte.


No reino de sacerdotes, quem é que ministrava o Rei Jeová??

Jeová definiu que seriam os sacerdotes.


(Êxodo 28:1-2) 28E quanto a ti, faze chegar a ti Arão, teu irmão, e seus filhos com ele, do meio dos filhos de Israel, a fim de que atue para mim como sacerdote, Arão, Nadabe e Abiú, Eleazar e Itamar, os filhos de Arão. 2 E tens de fazer vestes sagradas para Arão, teu irmão, para glória e beleza.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Êxodo 28:1-2) 1 Faze também chegar a ti Arão, teu irmão, e seus filhos, dentre os filhos de Israel, para me servirem no ofício sacerdotal, a saber, Arão, e seus filhos Nadabe, Abiú, Eleazar e Itamar (filhos de Arão). 2 Farás vestiduras sagradas para Arão, teu irmão, para glória e formosura.


O Rei habitava em uma tenda de panos.

O Rei se apresentava por cima da arca do testemunho (arca do mandamento).

A base do Seu reino eram os mandamentos, e os Seus representantes eram os sacerdotes, aqueles que repassavam os mandamentos para os demais súditos. A autoridade do reino de sacerdotes era a própria lei.


Os sacerdotes eram os representantes do Rei. Esta forma de governo foi chamada por Jeová de “reino de sacerdotes”.

Esta forma de governo estabelecida pelo Rei Jeová estava em pleno funcionamento, quando o povo pediu a Samuel que fosse trocada por outra.

Nesta outra forma, isto é, a forma desejada pelo povo, Jeová não seria mais o rei. O rei teria autonomia e desobedeceria os mandamentos do reino de sacerdotes, passando a agir igual aos reis das demais nações ao redor. O rei passaria a agir qual “autoridade” para estes humanos que solicitaram a sua regência.

Será que Jeová mudou a sua representação ou será que Ele manteve-se no seu propósito original??

Será que o rei humano passou a ocupar o lugar dos sacerdotes dentro do reino de Jeová, um reino definido por Jeová como um reino de sacerdotes??


A casa rebelde passa centenas de anos sem representante coroado na casa de Davi.


Centenas de anos depois da coroa ser retirada da casa real de Davi e ser entregue a casa de Levi, o povo continuava desejando a volta da glória de uma casa real. O povo continuava desejando um rei humano com as mesmas características do reino exercido por Davi e seus filhos. Certamente, desejavam a glória dos dias de Davi e de Salomão.

Que sentimentos era nutrido pela casa de Jacó em relação aos incircuncisos?? O desprezo.

Será que Jesus acompanhava o mesmo sentimento da casa de Jacó pelos incircuncisos?? Não, não acompanhava.


Em certa ocasião, e já depois da ressurreição de Jesus, os apóstolos insistiram em falar sobre restabelecimento do reino na nação de Israel.

(Atos 1:6-11) 6 Tendo-se eles então reunido, perguntavam-lhe: “Senhor, é neste tempo que restabeleces o reino a Israel?” 7 Disse-lhes ele: “Não vos cabe obter conhecimento dos tempos ou das épocas que o Pai tem colocado sob a sua própria jurisdição; 8 mas, ao chegar sobre vós o espírito santo, recebereis poder e sereis testemunhas de mim tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até à parte mais distante da terra.” 9 E, depois de dizer estas coisas, enquanto olhavam, foi elevado e uma nuvem o arrebatou para cima, fora da vista deles. 10 E, enquanto fitavam os olhos no céu, durante a partida dele, eis que havia também dois homens em roupas brancas em pé ao lado deles, 11 e estes disseram: “Homens da Galiléia, por que estais parados aí olhando para o céu? Este Jesus, que dentre vós foi acolhido em cima, no céu, virá assim da mesma maneira em que o observastes ir para o céu.”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Atos 1:6-11) 6 Eles estando reunidos outra vez, perguntaram-lhe: Senhor, é agora, porventura, que restabeleces o reino a Israel? 7 Ele lhes respondeu: A vós não vos compete saber os tempos ou as épocas, que o Pai fixou pela sua própria autoridade; 8 mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samaria, e até as extremidades da terra. 9 Tendo dito estas coisas, foi Jesus elevado à vista deles, e uma nuvem o recebeu e ocultou aos seus olhos. 10 Estando eles com os olhos fitos no céu, enquanto ele subia, eis que dois varões com vestiduras brancas se puseram ao lado deles, 11 e lhes perguntaram: Galileus, por que estais olhando para o céu? esse Jesus que dentre vós foi recebido no céu, assim virá do modo como o vistes ir para o céu.

Assim verte a Tradução Almeida:

(Atos 1:6-7) 6 Aqueles, pois, que se haviam reunido perguntavam-lhe, dizendo: Senhor, é nesse tempo que restauras o reino a Israel?7 Respondeu-lhes: A vós não vos compete saber os tempos ou as épocas, que o Pai reservou à sua própria autoridade.

De que reino falavam estes homens??

Eles usaram a palavra restabelecer, mesmo depois de tudo o que Jesus já lhes havia explicado sobre o reino??

Restabelecer – Esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: repor ao seu estado primeiro, repor, fazer existir novamente.

restabelecer

v. (sXVII) 1 t.d. repor em seu estado primeiro, ou em melhor estado <r. uma firma> <r. a lucratividade> 2 t.d. apresentar com autenticidade <r. a verdade, os fatos> 3 t.d. e pron. repor, fazer existir novamente <r. o progresso> 4 t.d. e pron. dar(-se) novo vigor; recuperar(-se), curar(-se); revigorar <uma boa dieta há de restabelecê-lo> <r.-se fisicamente> 4.1 pron. recobrar a saúde <sofreu muito, mas restabeleceu-se depressa> 5 bit. pôr no lugar, na posição ou situação anterior; reintegrar, reconduzir <r. na escola o diretor demitido> 6 t.d. pôr novamente em bom estado; restaurar, recuperar <o sono restabelece as forças> 7 pron. voltar ao estado primitivo <restabeleceu-se a ordem na cidade> 8 t.d. instituir novamente <os conservadores queriam r. a escravidão> gram a respeito da conj. deste verbo, ver -ecer etim re- + estabelecer sin/var ver antonímia de abolir ant ver sinonímia de abolir


Restaurar – Esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: recuperar a posse ou o domínio; instituir novamente, restabelecer.

restaurar

v. (1333) 1 t.d. recuperar a posse ou o domínio de (alguma coisa perdida); recuperar <restaurou a faixa de terra invadida> 2 t.d. pôr em bom estado; reparar, recuperar, consertar <r. uma obra de arte> 3 t.d. instituir novamente; restabelecer <r. o regime democrático> 4 t.d. ter novo começo; recomeçar, reincidir <r. a guerra> 5 t.d. restituir o esplendor a <r. as artes> 6 t.d. dar compensação a; pagar, indenizar <r. danos> 7 t.d. e pron. dar novo vigor a (alguém, algo ou si mesmo); restabelecer(-se), reanimar(-se) <r. as energias> <restaurou-se com o repouso> etim lat. imp. restauro,as,ávi,átum,áre 'reparar, consertar etc.' sin/var ver antonímia de abolir e rasgar ant cancelar; ver tb. sinonímia de abolir e rasgar hom restauráveis(2ªp.pl.) / restauráveis(pl.restaurável[adj.2g.]); restauro(1ªp.s.) / restauro(s.m.)




O que desejavam ver??

Desejavam ver a gloria do reinado da casa de Davi. A visão humana dos apóstolos estava presa à casa real de Davi. Eles estavam desejosos de ver o restabelecimento da casa real de Davi e a sua consequente glória. Estavam desejosos de ver ao vivo toda aquela “glória” praticada pela casa real de Davi e cantada em verso e prosa por toda a casa de Judá. Eles desejavam ver um rei coroado. Eles sentiam falta da coroa. Eles desejavam a volta da coroa. A casa de Judá desejava ter de novo o seu rei coroado. Desejavam rever as vitórias de Davi sobre os inimigos da rebelde casa de Jacó.

Na visão da rebelde casa de Jacó dos dias de Jesus, o que corresponderia a uma restauração da barraca de Davi??

Certamente que eles desejavam rever as ações de Davi contra os inimigos da casa de Jacó, inimigos estes que os estavam atribulando em Jerusalém.

O que Jeová havia prometido a Davi??

(2 Samuel 7:8-11) 8 E agora dirás ao meu servo Davi o seguinte: ‘Assim disse Jeová dos exércitos: “Eu mesmo te tomei da pastagem, de trás do rebanho, para que te tornasses líder do meu povo Israel. 9 E mostrarei estar contigo aonde quer que fores e vou decepar todos os teus inimigos de diante de ti; e hei de fazer-te um grande nome, igual ao nome dos grandes que há na terra. 10 E certamente designarei ao meu povo Israel um lugar e os plantarei, e deveras residirão onde estão e não mais serão inquietados; e não mais os atribularão os filhos da injustiça como faziam no princípio, 11 sim, desde o dia em que pus juízes no comando sobre o meu povo Israel; e vou dar-te descanso de todos os teus inimigos. “‘“E Jeová te informou que é uma casa que Jeová fará para ti.

A rebelde casa de Jacó desejava cantar lindos cânticos de vitória sobre os inimigos, tal qual os cantados para Davi, quando este voltava das vitórias sobre os inimigos da casa de Jacó.

A casa de Davi está diretamente relacionada com o decepamento dos inimigos, desejo revelado pelo povo e parcialmente praticado por Davi em relação aos demais reinos existentes na terra de Canaã, inclusive o reino de Esaú, o irmão gêmeo de Jacó.

Assim, a casa Davi está relacionada com guerras, conquistas, vinganças contra seus inimigos, saquear os tesouros dos derrotados, escravização de derrotados, obtenção e armazenamento de riquezas e a glorificação ao rei em face das vitórias em batalhas, livrando o povo de seus inimigos através da morte deste, guerras internas que levaram a divisão do reino em dois, entre outras coisas.

Seriam estas as coisas saídas do trono de Jeová. Eram estas as ações do Rei Jeová?? Eram estes os sentimentos que o rei Jeová sentia pelos inimigos da casa de Jacó?? O rei Davi acompanhava a casa de Jaco no sentimento contra os filisteus e demais povos da terra de Canaã. Será que Jeová também acompanhava o sentimento da casa de Jacó pelos demais povos da terra de Canaã??

Um rei humano com os poderes dados por Jeová, com uma majestosa coroa sobre a cabeça e um exército de subordinados ao rei, servindo o rei, muitos armados com espadas e dispostos a matar e morrer por seu rei, um lindo palácio construído por escravos, onde se coloca um lindo trono onde o rei se senta na sua glória (vitória sobre os seus inimigos), local onde ele guarda a sua riqueza conquistada. Esta é a descrição do “reino” que todos ali estavam costumados a ver. Eles desejavam competir em força contra os demais reinos ali presentes.

Estes eram os reinos deste mundo. Certamente, os reinos deste mundo vêm acompanhados de suas glórias. Todos os reinos existentes se caracterizavam por estas coisas visíveis. O que havia dito Jesus em relação aos reinos deste mundo e a glória inerentes a eles??

(Mateus 4:8-10) 8 Novamente, o Diabo levou-o a um monte extraordinariamente alto e mostrou-lhe todos os reinos do mundo e a glória deles, 9 e disse-lhe: “Todas estas coisas te darei, se te prostrares e me fizeres um ato de adoração.” 10 Jesus disse-lhe então: “Vai-te, Satanás! Pois está escrito: ‘É a Jeová, teu Deus, que tens de adorar e é somente a ele que tens de prestar serviço sagrado...


Assim verte a Tradução Almeida:

(Mateus 4:8-10) 8 Novamente o Diabo o levou a um monte muito alto; e mostrou-lhe todos os reinos do mundo, e a glória deles; 9 e disse-lhe: Tudo isto te darei, se, prostrado, me adorares. 10 Então ordenou-lhe Jesus: Vai-te, Satanás; porque está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás.

A existência de uma casa real traz como efeito colateral as seguintes coisas a ela inerente: Reinar, coroa, trono, cetro, entronizar, entronização, realeza, rei, monarca, soberano, posse, domínio e dignidade, assim como também a existência de pessoas tendo o rei como seu senhor. Todas estas coisas estão diretamente relacionadas com uma “casa real”.

A casa de Israel permanecia rebeldemente rejeitando a forma de reinar insistentemente praticada por Jeová.

Desta vez, Jesus estava ali. Ele estava praticando o reino de sacerdotes como a forma de reger. No entanto, todo o povo, inclusive os apóstolos, continuavam desejando uma casa real. Aquela forma de Jesus reinar sobre eles foi rejeitada. Como seus antepassados, eles desejavam um rei que fosse à frente deles em suas batalhas. Eles desejavam matar os seus inimigos.


Depois de Jeová rebaixar a casa real de Davi diante de todo o povo, o que foi previsto por Jeová em relação ao desejo do povo quanto a casa real de Davi?? Séculos depois da coroa ser colocada sobre os sacerdotes, o que continuaria desejando a casa rebelde??


(Zacarias 12:7-13:1) 7 E Jeová há de salvar primeiro as tendas de Judá, com o fim de que a beleza da casa de Davi e a beleza dos habitantes de Jerusalém não fique engrandecida demais sobre Judá. 8 Naquele dia Jeová será uma defesa ao redor dos habitantes de Jerusalém; e quem entre eles estiver tropeçando terá de tornar-se naquele dia como Davi, e a casa de Davi, como Deus, como o anjo de Jeová diante deles. 9 E naquele dia terá de acontecer [que] procurarei aniquilar todas as nações que chegarem contra Jerusalém. 10 E eu vou derramar sobre a casa de Davi e sobre os habitantes de Jerusalém o espírito de favor e de rogos, e eles certamente olharão para Aquele a quem traspassaram e certamente O lamentarão como no lamento por um [filho] único; e haverá lamentação amarga por ele como quando há lamentação amarga por um [filho] primogênito. 11 Naquele dia será grande o lamento em Jerusalém, como o lamento de Hadadrimom no vale plano de Megido. 12 E a terra certamente lamentará, cada família sozinha; a família da casa de Davi sozinha, e suas mulheres sozinhas; a família da casa de Natã sozinha, e suas mulheres sozinhas; 13 a família da casa de Levi sozinha, e suas mulheres sozinhas; a família dos simeítas sozinha, e suas mulheres sozinhas; 14 todas as famílias restantes, cada família sozinha, e suas mulheres sozinhas. 13Naquele dia virá a haver uma fonte aberta para a casa de Davi e para os habitantes de Jerusalém, para o pecado e para uma coisa abominável.



Assim verte a Tradução Brasileira:

(Zacarias 12:7-13:1) 7 Também Jeová salvará primeiro as tendas de Judá, para que a glória da casa de Davi e a glória dos habitantes de Jerusalém não se engrandeçam sobre Judá. 8 Naquele dia defenderá Jeová os habitantes de Jerusalém; o que dentre eles tropeçar naquele dia será como Davi; e a casa de Davi será como Deus, como o anjo de Jeová diante deles. 9 Naquele dia procurarei destruir as nações que vierem contra Jerusalém. 10 Derramarei sobre a casa de Davi, e sobre os habitantes de Jerusalém o espírito de graça e de súplica. Olharão para mim, a quem traspassaram: e farão pranto sobre mim, como quem pranteia seu filho único; serão amargurados por causa de mim como quem o está por causa do seu primogênito. 11 Naquele dia haverá um grande pranto em Jerusalém, como o pranto de Hadadrimom no vale de Megido. 12 A terra pranteará, cada família à parte: a família da casa de Davi à parte, e suas mulheres à parte; a família da casa de Natã à parte, e suas mulheres à parte; 13 a família da casa de Levi à parte, e suas mulheres à parte; a família dos simeítas à parte, e suas mulheres à parte; 14 todas as mais famílias, cada família à parte, e suas mulheres à parte.

1 Naquele dia haverá uma fonte aberta para a casa de Davi e para os habitantes de Jerusalém para remover o pecado e a imundícia.


Séculos depois de Josué o sumo sacerdote ser coroado, o que a casa de Davi e os habitantes de Jerusalém ainda fariam??


Novamente a casa rebelde rejeitaria o reino de sacerdotes. Desta vez, a casa rebelde até mesmo mataria o representante de Jeová, discordando da forma como este representante reinava sobre eles. Eles desejavam a forma como Davi havia reinado.

Eles veriam a casa de Davi como um Deus diante dos habitantes de Jerusalém. Eles veriam a casa de Davi como um anjo de Jeová diante deles. Eles desejariam que a casa de Davi fosse um poderoso anjo de Jeová diante deles para matar e matar os seus inimigos incircuncisos.

Embora Jesus tenha vindo como “poderoso”, ele não atendia ao desejo da casa de Israel. Além de não atender ao desejo deles, Jesus ainda lhes pedia para terem sentimentos opostos aos que eles nutriam pelos seus inimigos circuncisos e incircuncisos.


O que fariam com tanta inimizade?? O que estava previsto??


(Zacarias 12:1-6) 12 Uma pronúncia: “A palavra de Jeová a respeito de Israel”, é a pronunciação de Jeová, Aquele que estendeu [os] céus, e lançou o alicerce da terra, e formou o espírito do homem no seu íntimo. 2 Eis que eu faço de Jerusalém uma taça [que causa] tontura a todos os povos ao redor; e também contra Judá ele virá a estar em sítio, [sim,] contra Jerusalém. 3 E naquele dia terá de acontecer [que] farei de Jerusalém uma pedra pesada para todos os povos. Todos os que a levantarem, sem falta se arranharão severamente; e todas as nações da terra hão de ser ajuntadas contra ela. 4 Naquele dia”, é a pronunciação de Jeová, “golpearei todo cavalo com desnorteamento e seu cavaleiro com loucura; e abrirei meus olhos sobre a casa de Judá e golpearei todo cavalo dos povos com a perda da vista. 5 E os xeques de Judá terão de dizer no seu coração: ‘Os habitantes de Jerusalém são para mim uma força por Jeová dos exércitos, seu Deus.’ 6 Naquele dia farei os xeques de Judá como um braseiro entre as árvores e como uma tocha acesa entre gavelas de cereal recém-segado, e terão de devorar à direita e à esquerda todos os povos ao redor; e Jerusalém ainda terá de ser habitada no seu [próprio] lugar, em Jerusalém.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Zacarias 12:1-6) 1 Oráculo da palavra de Jeová acerca de Israel. Assim diz Jeová que estende os céus, que lança os alicerces da terra, e que forma o espírito do homem dentro dele. 2 Eis que farei de Jerusalém um campo de titubeação a todos os povos em redor, e sobre Judá também virá ela no cerco contra Jerusalém. 3 Naquele dia farei de Jerusalém uma pedra de carga a todos os povos; todos os que carregarem com ela, serão gravemente feridos; e ajuntar-se-ão contra ela todas as nações da terra. 4 Naquele dia, diz Jeová, ferirei de pasmo todos os cavalos, e de loucura os que montam neles; abrirei os meus olhos sobre a casa de Judá, e ferirei de cegueira todos os cavalos dos povos. 5 Os chefes de Judá dirão no seu coração: Os habitantes de Jerusalém são a minha força em Jeová dos exércitos, seu Deus. 6 Naquele dia porei os chefes de Judá como um braseiro de fogo no meio de lenha, e como uma tocha de fogo entre feixes. Eles devorarão à direita e à esquerda todos os povos em redor; e Jerusalém habitará ainda outra vez no seu lugar, isto é, em Jerusalém.


Tanta animosidade resultaria em um cerco contra Jerusalém. Os chefes de Judá veriam a si mesmos e seriam vistos como anjos libertadores da parte de Jeová. O povo seria incendiado com estes sentimentos e seriam levados a extravasarem seu ódio pelos gentios reunidos contra Jerusalém.

O que aconteceria ao final??

Uma nova desolação de Jerusalém.

No entanto, Jeová novamente usaria de bondade para com a casa de Judá, a casa de Levi e a casa de Davi. Tempos depois de ficarem no ermo dos povos, eles voltariam a morar em Jerusalém. Os pecados voltaram a se repetir.

Uma das características principais do reino de sacerdotes era o contínuo perdão dado ao pecador, contrastando com a intolerância contra o pecador, como uma das características principais do governo real. No governo da casa real, o perdão era uma exceção, enquanto que no reino de sacerdotes o perdão é a regra. Realmente, são tronos bem diferentes.


No reino de sacerdotes, qual era a função do sacerdote?? Que descrição fez Jeová sobre o funcionamento do “reino de sacerdotes” antes da existência da casa real de Davi??

Esta e outras perguntas sobre “reino de sacerdotes” estão sendo analisadas em reino de sacerdotes






topo desta página