AMALDIÇOAREI AQUELE QUE INVOCAR O MAL CONTRA TI

Criada em 05 de dezembro de 2013 Última alteração em 05/06/14 às 20 : 11





Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei aqueles que invocarem o mal contra ti.

Ninguém deve amaldiçoar meu filho, quer ele seja justo, quer ele seja iníquo.

As palavras de Jeová para Abraão foram bem claras: “vou abençoar a ti; vou abençoar os que te abençoarem e vou amaldiçoar os que te amaldiçoarem”.

Era um pacto??

Sim, era um pacto.

(Gênesis 12:1-3) 12 E Jeová passou a dizer a Abrão: “Sai da tua terra, e da tua parentela, e da casa de teu pai, para a terra que te mostrarei; 2 e farei de ti uma grande nação e te abençoarei, e hei de engrandecer o teu nome; e mostra-te uma bênção. 3 E hei de abençoar os que te abençoarem e amaldiçoarei aquele que invocar o mal sobre ti, e todas as famílias do solo certamente abençoarão a si mesmas por meio de ti.”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Gênesis 12:1-3)1 Ora disse Jeová a Abrão: Sai-te da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai para a terra que te mostrarei; 2 farei de ti uma grande nação, e te abençoarei e engrandecerei o teu nome. Sê tu uma bênção: 3 abençoarei os que te abençoarem, e amaldiçoarei aquele que te amaldiçoar; por meio de ti serão benditas todas as famílias da terra.

Ao olhar para alguém que acabou de cometer uma grande iniquidade, o que os teus olhos vêm??

Que tipo de sentimento passas a ter por esta pessoa?? Em face deste novo sentimento, o que desejas fazer com esta pessoa?? Queres que outras pessoas te acompanhem neste teu novo sentimento por esta pessoa?? O que aconteceu com o antigo sentimento que tinhas por ela antes dela cometer tal iniquidade??

Em relação ao pacto firmado por Jeová, será que era um pacto incondicional??

Será que tal afirmação estava condicionada ao abençoado estar e manter-se em uma situação aprovada aos olhos de Jeová??

Abraão e seus descendentes eram os abençoados. Não deveriam ser amaldiçoados por ninguém. Todos deviam abençoá-los.

O abençoar está diretamente ligado a que exatamente??

Abençoar – Esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: desejar bem a; exaltar ou louvar; conceder proteção a ou tornar próspero; amparar, auxiliar.

abençoar

v. (1562) 1 t.d. lançar bênção a; abendiçoar <o bispo abençoou os fiéis> 2 t.d. p.ext. desejar bem a, bem-fadar <era capaz de amar e a. qualquer um, sem distinção> 3 t.d. p.ext. exaltar ou louvar (algo ou alguém) <abençoou o jovem por seu ato de bravura> 4 t.d. p.ext. conceder proteção a ou tornar próspero; amparar, auxiliar <as pessoas de bem abençoam os que lutam pela justiça> 5 pron. fazer o sinal da cruz; persignar-se <na porta da igreja, abençoou-se> ¤ gram a respeito da conj. deste verbo, ver -oar ¤ etim a- + bênção sob a f. rad. desnasalizada benço- + -ar ¤ sin/var abendiçoar, bendizer, benzer ¤ ant execrar; ver tb. sinonímia de excomungar


E quanto a amaldiçoar, está ligado a que exatamente??

Amaldiçoar – Esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: imprecar contra; praguejar contra; reprovar, condenar; ter horror a; abominar, execrar; reprovar; abandonar; excomungar.

amaldiçoar

v. (1344) 1 t.d. lançar maldição a (ou sobre); imprecar contra (oral ou mentalmente); maldizer <aquele deus irado amaldiçoou seus adoradores> <todo dia ao chegar, baixinho, amaldiçoava o patrão> 2 t.d. praguejar contra; reprovar, condenar <aos gritos, começou a a. os traidores> 3 t.d. ter horror a; abominar, execrar <a. a má sorte> 4 t.d. destinar ao infortúnio, ao abismo; castigar, abandonar <se não fores justo, Deus vai a.-te> ¤ gram a respeito da conj. deste verbo, ver -oar ¤ etim a- + maldição sob a forma desnasalizada do rad. maldiçon- + -ar ¤ sin/var ver sinonímia de praguejar e antonímia de abençoar ¤ ant ver sinonímia de abençoar



Percebemos os vários sinônimos quanto a abençoar e amaldiçoar.


Passamos a perceber que os descendentes de Abraão deviam ser sempre amparados e auxiliados e nunca deveriam ser condenados, abominados ou execrados.



O que é mesmo execrar??

Execrar – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: ter ódio, aversão ou abominação; detestar.

execrar

\z\ v. (1585) 1 t.d. e pron. ter ódio, aversão ou abominação a (alguém ou si mesmo); amaldiçoar(-se), detestar(-se) <os adeptos da paz execram a guerra> <arrependido, execrava-se pela torpeza de seu ato> 2 t.d. desejar sofrimento, infelicidade ou mal a (alguém) ¤ etim lat. exsècro,as,ávi,átum,áre ou exsècror,áris,átus,sum,ári 'execrar, maldizer' ¤ sin/var ver antonímia de abençoar e venerar ¤ ant ver sinonímia de venerar




Resumindo, temos que os descendentes de Abraão sempre deviam ser amados e nunca deviam ser odiados.

Será que tais sentimentos benéficos por eles devia estar condicionado a algo em relação a eles mesmos??

E se eles fizessem algumas maldades?? Mesmo assim não deveriam ser odiados?? Podiam ser amaldiçoados??

O que o Pai afirmou?? Vou amaldiçoar todo aquele que te amaldiçoar.

Não te lembras de outra pessoa para a qual o Pai colocou em tal condição “protegida”??

Sim, foi Caim.

Em relação a condição de Caim, assim falou Jeová:

(Gênesis 4:13-15) 13 A isto Caim disse a Jeová: “Minha punição pelo erro é grande demais para suportar. 14 Eis que neste dia realmente me expulsas da superfície do solo e ficarei escondido da tua face; e tenho de tornar-me errante e fugitivo na terra, e é certo que quem me achar me matará.” 15 Então Jeová lhe disse: “Por esta causa, quem matar a Caim terá de sofrer vingança sete vezes....E Jeová estabeleceu assim um sinal para Caim, a fim de que não fosse golpeado por aquele que o achasse.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Gênesis 4:13-15) 13 Disse Caim a Jeová: A minha punição é maior do que a que se pode suportar. 14 Eis que hoje me lanças da face da terra, e da tua presença serei escondido; serei fugitivo e vagabundo na terra: todo o que me encontrar matar-me-á. 15 Respondeu-lhe Jeová: Por isso quem matar a Caim, sobre ele cairá a vingança sete vezes mais. Deu Jeová a Caim um sinal, de que não lhe daria a morte quem quer que o encontrasse.

Assim verte a Tradução Almeida:

(Gênesis 4:13-15) 13 Disse Caim a Jeová: A minha punição é maior do que a que se pode suportar. 14 Eis que hoje me lanças da face da terra, e da tua presença serei escondido; serei fugitivo e vagabundo na terra: todo o que me encontrar matar-me-á. 15 Respondeu-lhe Jeová: Por isso quem matar a Caim, sobre ele cairá a vingança sete vezes mais. Deu Jeová a Caim um sinal, de que não lhe daria a morte quem quer que o encontrasse.

Não havia nenhuma autorização para qualquer tipo de retaliação contra Caim.

Aquele, qualquer um que matar Caim trará sobre si a vingança sete vezes mais. Este era o ponto de vista de Jeová.

Tratava-se de uma coisa muito séria, sete vezes mais séria do que Caim ter matado Abel.

Esta era a primeira vez que se usa a palavra vingança.

Vingança – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: ato lesivo praticado por alguém que foi real ou presumidamente ofendido ou lesado, em represália contra aquele que foi o causador do dano.

vingança

s.f. (sXIII) ato ou efeito de vingar(-se) 1 ato lesivo, praticado em nome próprio ou alheio, por alguém que foi real ou presumidamente ofendido ou lesado, em represália contra aquele que é ou seria o causador desse dano; desforra, vindita 2 qualquer coisa que castiga; castigo, pena, punição <seria esta doença uma v. por suas crueldades> ² ter a v. no coração alimentar grande desejo de se vingar ¤ etim vingar + -ança ¤ sin/var desforço, desforra, desforro, despique, represália, retaliação, revindita, saldo, vendeta, vindita; (cog.) vingação


Praticar um ato lesivo contra um ofensor, em represália por sua ofensa, era algo sete vezes mais grave do que a primeira ação do ofensor. Jeová externou o seu ponto de vista. Será que os humanos concordariam??

E quanto a você?? Concordas com Jeová ou discordas Dele??

Será que Caim estaria correndo risco de morrer ao se encontrar com você?? Milhares de anos depois, que sentimentos tens por Caim??

Jeová colocou um sinal em Caim identificando-o como alguém que estava sob a Sua “proteção”. Ninguém deveria fazer mal a Caim. Ninguém deveria amaldiçoar Caim. Se alguém fizesse mal a Caim, sofreria vingança sete vezes mais.

Que reação deveriam ter as pessoas que testemunharam o fato, e aquelas que ficaram sabendo do fato pela palavra de outras pessoas?? Que reação deviam ter?? O Pai foi bem claro em relação a isto, não foi??

Praticar qualquer represália contra o ofensor era sete vezes mais grave do a primeira ação do agressor.

Será que Jeová iria praticar o verbo impedir?? Impediria Jeová alguém de matar Caim?? O que foi que Ele disse??

Como se expressou outro humano em face desta “proteção” dada a Caim??

Assim se expressou Lameque:

(Gênesis 4:23-24) 23 Por conseguinte, Lameque compôs estas palavras para as suas esposas Ada e Zilá: “Ouvi a minha voz, ó esposas de Lameque; Dai ouvidos à minha declaração: Matei um homem por contundir-me, Sim, um jovem, por dar-me uma pancada. 24 Se Caim há de ser vingado sete vezes, Então Lameque setenta vezes e sete.”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Gênesis 4:23-24) 23 Disse Lameque à suas mulheres: Ada e Zilá, ouvi a minha voz; Vós, mulheres de Lameque, escuta as minhas palavras: Pois matei um homem, porque me feriu; E um mancebo, porque me pisou. 24 Se por Caim tomar-se-á vingança sete vezes, Com certeza por Lameque o será setenta e sete vezes.

Em face do meu motivo plenamente justificável, com certeza a vingança por Lameque será de setenta vezes comparadas com as sete vezes prometidas por Jeová para o caso Caim.

Isto revela que as pessoas ficaram sabendo da condição de proteção existente para Caim da parte de Jeová. Lameque as via como uma proteção para Caim. Em face disto, Lameque compôs estas palavras.

As palavras de Jeová estavam gerando discussão entre Seus filhos. Tudo era uma questão de sentimentos por alguém que fez algo condenável.

Ora, se um homem que tirou a vida de seu próprio irmão nas circunstâncias que existiram e recebe este tipo de “proteção”, quanto mais o merecerá aquele que teve motivos plenamente válidos como estes – estas foram as palavras de Lameque.

Será que realmente se tratava de uma “proteção” ou de um lembrete da posição do Pai em relação a este assunto?? Ora, se Caim era culpado de pecado diante de Jeová, aquele que tirasse a vida de Caim tornava-se sete vezes mais culpado de pecado, também diante de Jeová.

Quem é que gostaria de estar em uma condição sete vezes pior do que a de Caim??

Olhando pelo lado de Lameque, esta pessoa se encontraria setenta vezes mais protegida por Jeová.

Na verdade, Lameque estava falando algo que havia dentro do seu coração. Sendo ele um homem justiceiro, ou seja, aquele que retribui maldade com maldade, ele havia encontrado uma suposta incoerência na posição que Jeová havia colocado Caim diante de seus irmãos.

Se uma pessoa comete uma maldade e a outra que comete uma maldade contra a primeira não deve receber qualquer retaliação??.

Qual foi a palavra de Jeová?? Caim será vingado sete vezes.

Era o primeiro caso de vingança em relação uma morte.

No entanto, o que aconteceria com aquele que matasse um suposto matador de Caim?? Este também não deveria ser tocado, não é mesmo??

Será que Jeová havia se tornado um defensor de assassinos??

O que foi dito em relação a Jesus??

TNM reza:

(Mateus 11:19) 19 o Filho do homem veio comendo e bebendo, todavia dizem: ‘Eis um homem comilão e dado a beber vinho, amigo de cobradores de impostos e de pecadores.’ Não obstante, a sabedoria é provada justa pelas suas obras.”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Mateus 11:19) 19 Veio o Filho do homem comendo e bebendo, e dizem: Eis um homem glutão e bebedor de vinho, amigo de publicanos e pecadores! Contudo a sabedoria é justificada pelas suas obras.

O que acontece com o olhar daquele que deseja matar o iníquo, quando alguém tenta dissuadi-lo ou se mantêm fazendo algo de bom em prol do iníquo?? O que ele vê??

O olhar daquele que deseja matar o iníquo vê o iníquo como um inimigo, obviamente. Logo, todo aquele que ajuda meu inimigo está se revelando um inimigo para mim. Ele é um amigo de um inimigo meu.

Para tal pessoa, a vida se resume em amigos e inimigos, isto é, pessoas que estão do lado dele ou contra ele. Para tal pessoa a vida se resume em amar aqueles que agem como amigos e odiar aqueles que agem como inimigos.

Esta pessoa vive o seu dia a dia tendo esta diretriz. Ela norteia a sua vida segundo tal diretriz, logo, suas palavras e ações são o resultado prático desta diretriz.

Como tal pessoa deseja matar ou concorda plenamente que Caim seja morto, ela verá a posição assumida por Jeová como a posição de protetor de um iníquo.

No entanto, Jesus norteava sua vida segundo outra diretriz.

Ele nos informa a diretriz correta:

(Mateus 5:43-45) 43 Ouvistes que se disse: ‘Tens de amar o teu próximo e odiar o teu inimigo.’ 44 No entanto, eu vos digo: Continuai a amar os vossos inimigos e a orar pelos que vos perseguem; 45 para que mostreis ser filhos de vosso Pai, que está nos céus, visto que ele faz o seu sol levantar-se sobre iníquos e sobre bons, e faz chover sobre justos e sobre injustos.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Mateus 5:43-45) 43 Tendes ouvido que foi dito: Amarás o teu próximo e aborrecerás o teu inimigo. 44 Eu, porém, vos digo: Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem, 45 para que vos torneis filhos de vosso Pai que está nos céus, porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons, e vir chuvas sobre justos e injustos.

Na diretriz vivida por aqueles que acusavam Jesus de ser amigo de pecadores só havia amor para aquele que merecesse tal amor, obviamente. De forma clara, eles pagavam a inimizade recebida com uma inimizade igual ou superior.

O raciocínio consistia em: “Se uma pessoa está cometendo uma iniquidade contra mim ou contra o meu próximo, esta pessoa passa a ter a minha inimizade”.

Esta diretriz leva a pessoa a ter estes sentimentos por aqueles que cometem iniquidades. Se cometeu uma iniquidade, tal pessoa passa automaticamente a ser odiada.

A pessoa define dentro de si que a outra pessoa é inimiga e passa a sentir ódio por esta pessoa, não sendo mais capaz de proteger e amparar tal pessoa. É óbvio que não abençoariam tal “inimigo”.

Percebemos claramente que era uma questão de sentimentos.

Jesus tinha outros sentimentos. Jesus vivia segundo outra norma de comportamento. Ele não deixava de amar àquele que praticasse contra ele, ações de inimizade. É óbvio que ele não deixaria de amar àquele que praticasse ações de iniquidade contra mim, por exemplo.

Em face disto, será que havia um erro em Jesus??

Se eu passar a sentir inimizade por alguém em face de uma real iniquidade que tal pessoa tenha praticado, isto significa que Jesus deverá acompanhar o meu sentimento por esta pessoa para demonstrar ser meu amigo??

Percebemos que Jeová não estava do lado de Caim e contra os demais. Jeová estava deixando claro a gravidade de alguém querer se colocar como um justiceiro vingador contra Caim. Jeová deixa bem claro que tal pessoa se tornaria sete vezes mais culpada do que Caim.

Se Caim revelava estar espiritualmente doente, a pessoa que matasse Caim revelava estar sete vezes mais doente do que Caim.

Será que Caim era um filho especial para Jeová?? Tratava-se de um filho diferenciado em relação a seus irmãos?? Afinal de contas, Caim era o filho primogênito.

Alguém ainda poderá questionar: No caso de Abraão e seus descendentes era bem diferente. Abraão era um homem justo. Jeová jamais iria abençoar um iníquo.

Continuam: Quem amaldiçoar o povo escolhido por Jeová, estará amaldiçoando pessoas justas.

Daí, afirmam adicionalmente: É por isto que Jeová amaldiçoará aquele que amaldiçoa o povo escolhido e abençoado por Jeová.

Vejamos agora uma ação do povo escolhido e abençoado.

Jeová falou para Jacó:

(Gênesis 28:13-15) 13 E eis que Jeová estava parado acima dela e passou a dizer: “Eu sou Jeová, o Deus de Abraão, teu pai, e o Deus de Isaque. A terra em que estás deitado, eu vou dá-la a ti e à tua descendência. 14 E tua descendência há de tornar-se como as partículas de pó da terra, e tu te hás de espalhar para o oeste, e para o leste, e para o norte, e para o sul, e todas as famílias do solo hão de abençoar a si mesmas por meio de ti e por meio de tua descendência. 15 E eis que estou contigo e vou guardar-te em todo o caminho em que andares, e vou retornar-te a este solo, porque não te abandonarei até que eu tenha realmente feito o que te falei.”. . .


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Gênesis 28:13-15) 13 Perto dele estava Jeová, que disse: Eu sou Jeová, Deus de teu pai Abraão, e Deus de Isaque. A terra em que estás deitado ta darei a ti e à tua posteridade; 14 a tua posteridade será como o pó da terra, e te dilatarás para o Ocidente, e para o Oriente, para o Norte e para o Sul. Por ti e por tua descendência serão benditas todas as famílias da terra. 15 Eis que estou contigo e te guardarei por onde quer que fores e te reconduzirei para esta terra; porque não te abandonarei até ter eu cumprido aquilo de que te hei falado.

Jacó estava sendo o abençoado. Qualquer um que amaldiçoasse Jacó e seus descendentes receberia uma maldição da parte de Jeová.

No seu trato com Labão, o pai das suas duas esposas, quais foram as palavras de Jeová a Labão através de um sonho??

(Gênesis 31:22-24) 22 Mais tarde, no terceiro dia, contou-se a Labão que Jacó fugira. 23 Em vista disso, tomou consigo seus irmãos e foi no encalço dele, numa distância de sete dias de jornada, e alcançou-o na região montanhosa de Gileade. 24 Deus veio então a Labão, o sírio, num sonho, de noite, e disse-lhe: “Guarda-te de que não fales nem bem nem mal a Jacó.”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Gênesis 31:22-24) 22 Foi Labão avisado ao terceiro dia que Jacó havia fugido. 23 Então, tendo tomado consigo seus irmãos, seguiu atrás de Jacó jornada de sete dias; e alcançou-o na montanha de Gileade; 24 Veio Deus a Labão, o arameu, em sonhos de noite, e disse-lhe: Guarda-te não fales com Jacó nem bem nem mal.

- “Independente do que Jacó tenha feito, não faça mal a ele”.

Naquele dia, o que falou Labão para Jacó??

(Gênesis 31:26-29) 26 Labão disse então a Jacó: “O que fizeste, por recorreres à astúcia para comigo e conduzires as minhas filhas embora como se fossem cativas tomadas pela espada? 27 Por que tiveste de fugir secretamente e ser astuto para comigo, e não me informaste, para que eu te despedisse com alegria e com cânticos, com pandeiro e com harpa? 28 E não me deste oportunidade de beijar meus filhos e minhas filhas. Agiste agora nesciamente. 29 Está no poder de minha mão fazer-vos dano, mas o Deus de vosso pai falou comigo na noite passada, dizendo: ‘Guarda-te de falares quer bem quer mal a Jacó.’


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Gênesis 31:26-29) 26 Disse Labão a Jacó: Que fizeste, que me iludiste e levaste minhas filhas como cativas da espada? 27 Por que razão fugiste ocultamente, me iludiste e não me fizeste saber, para que eu te despedisse com alegria e com cânticos, ao som de tambores e de harpas? 28 porque não me deixaste beijar a meus filhos e a minhas filhas? agora te portaste como um néscio. 29 Está no poder da minha mão fazer-vos o mal; porém o Deus de vosso pai falou-me ontem à noite, dizendo: Guarda-te não fales com Jacó nem bem nem mal.

Será que Jacó era um homem astuto, aquele que vivia enganando os outros para benefício próprio?

O que havia revelado o caso entre Jacó, Esaú e seu cego pai Isaque?? Não havia revelado que Jacó era um homem astuto e que gostava de viver enganando os outros para proveito próprio??

No entanto, o que Jeová pediu a Labão??

- “Guarda-te de não falares com Jacó, nem bem nem mal”.

Será que Jacó era um homem astuto??

Astuto – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: que sabe agir de maneira a angariar para si vantagens e a não se deixar enganar; esperto, matreiro, astucioso;

astuto

adj. (sXV) 1 que sabe agir de maneira a angariar para si vantagens e a não se deixar enganar; esperto, matreiro, astucioso 2 hábil para fazer maldades, esp. enganando outrem; astucioso, velhaco, finório ¤ etim lat. astútus,a,um 'astucioso, malicioso, manhoso, trapaceiro' ¤ sin/var ver sinonímia de espertalhão e antonímia de tolo ¤ ant ver antonímia de trapaceiro e sinonímia de tolo


Será que ainda há dúvidas se Jacó era um homem astuto??

Dias depois deste acontecimento com Labão, agora Jacó se deparou com seu irmão Esaú.

Como foi que Jacó agiu com seu irmão Esaú??

O que fez Jacó??

(Gênesis 32:3-5) 3 Jacó enviou então mensageiros adiante de si a Esaú, seu irmão, à terra de Seir, o campo de Edom, 4 e ordenou-lhes, dizendo: “Isto é o que direis a meu senhor, a Esaú: ‘Assim disse o teu servo Jacó: “Residi com Labão como forasteiro e fiquei por muito tempo, até agora. 5 E vim a ter touros e jumentos, ovelhas, e servos e servas, e eu gostaria de mandar informar meu senhor, a fim de achar favor aos teus olhos.”’”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Gênesis 32:3-5) 3 Então enviando mensageiros diante de si a Esaú, seu irmão, à terra de Seir, ao campo de Edom, 4 ordenou-lhes: Assim falareis a meu senhor Esaú: Teu servo Jacó manda dizer isto: Com Labão morei como peregrino, e com ele fiquei até agora. 5 Tenho bois, jumentos, rebanhos, servos e servas; e mando comunicar isso a meu senhor, a fim de achar eu graça aos seus olhos.

O que fez Jacó ao saber que Esaú estava vindo a seu encontro??

O que disse Esaú para seu irmão Jacó??

(Gênesis 33:4-9) 4 E Esaú foi correndo ao encontro dele, e começou a abraçá-lo e a lançar-se ao pescoço dele, e a beijá-lo, e romperam em pranto. 5 Levantou então seus olhos e viu as mulheres e os filhos, e disse: “Quem são estes contigo?” ao que ele disse: “Os filhos com que Deus tem favorecido teu servo.” 6 Aproximaram-se então as servas, elas e seus filhos, e curvaram-se; 7 e Léia também se aproximou, e seus filhos, e curvaram-se, e depois se aproximou José e Raquel, e curvaram-se. 8 Ele disse então: “Que queres dizer com todo este acampamento de viajantes que encontrei?” A isso ele disse: “A fim de achar favor aos olhos de meu senhor.” 9 Esaú disse então: “Eu tenho muitíssimos, meu irmão. Continue teu o que é teu.”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Gênesis 33:4-9) 4 Correu-lhe Esaú ao encontro, deu-lhe um abraço, lançou-se-lhe ao pescoço e o beijou; e eles choraram. 5 Levantando os olhos, viu as mulheres e meninos; e perguntou: Quem são estes? Respondeu-lhe Jacó: Os meninos que Deus na sua bondade deu a teu servo. 6 Então se chegaram as servas, elas e seus filhos, e prostraram-se em terra. 7 Chegaram-se também Lia e seus filhos e prostraram-se; depois chegaram-se José e Raquel, e prostraram-se. 8 Perguntou Esaú: Qual é a tua intenção em todos estes bandos que encontrei? Respondeu Jacó: Para achar graça diante do meu senhor. 9 Mas Esaú disse: Tenho bastante, meu irmão; fica com o que tens.

Com medo de ser roubado pelo seu próprio irmão, Jacó foi astuto e arquitetou e colocou em prática um plano para comprar a amizade de seu irmão.

Jacó chegou até mesmo a acusar seu irmão diante de Jeová, quando Esaú não tinha feito nada.

(Gênesis 32:11) 11 Livra-me, eu te peço, da mão de meu irmão, da mão de Esaú, porque estou com medo dele, de que venha e certamente me assalte, a mãe junto com os filhos.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Gênesis 32:11) 11 Livra-me da mão de meu irmão Esaú, porque eu o temo, para que não venha ele matar-me, a mãe com os filhos.

Havia medo em Jacó, no entanto, não havia nenhum ressentimento em Esaú.

Uma lição e tanto para Jacó, o astuto.

Embora agisse de modo astuto, não devia ser amaldiçoado pelos observadores e nem pelas vítimas.

Jeová chama Israel (Jacó) de Seu filho primogênito.

(Êxodo 4:22-23) 22 E tens de dizer a Faraó: ‘Assim disse Jeová: Israel é meu filho, meu primogênito. 23 E eu te digo: Manda embora meu filho, para que me sirva. Mas, caso te negues a mandá-lo embora, eis que mato teu filho, teu primogênito.”’”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Êxodo 4:22-23) 22 Dirás a Faraó: Assim diz Jeová: Israel é meu filho, meu primogênito. 23 Eu te disse: Deixa ir meu filho, para que ele me sirva; mas tu recusaste deixá-lo ir: eis que eu matarei a teu filho, teu primogênito.

Será que a condição de abençoado de Jacó se dava por ele ser o primogênito??

Será que a condição de abençoado de Jacó se dava por ele ser “justo” e de bom coração??

Será que uma “ação iníqua” deixa de ser uma “ação iníqua” se for cometida contra um iníquo??

O que ocorreria se Jacó e seus descendentes agissem iniquamente com outras pessoas?? Conseguiriam tais pessoas "vitimadas", ou as testemunhas, mudarem a condição de abençoados dada por Jeová para Jacó e seus descendentes?? Será que as vítimas tinham o direito legítimo de invocar o mal ou amaldiçoar Jacó e seus descendentes em face da real iniquidade cometida contra eles??

Vejamos estas ações de Jacó e seus descendentes:

(Gênesis 34:25-31) 25 No entanto, sucedeu que no terceiro dia, quando sentiam dores, os dois filhos de Jacó, Simeão e Levi, irmãos de Diná, passaram a tomar cada um a sua espada e a ir insuspeitos à cidade, e mataram todo macho. 26 E a Hamor e a Siquém, seu filho, mataram ao fio da espada. Tiraram então Diná da casa de Siquém e saíram. 27 Os outros filhos de Jacó atacaram os homens mortalmente feridos e foram saquear a cidade, porque haviam aviltado a sua irmã. 28 Tomaram os seus rebanhos, e as suas manadas, e os seus jumentos, e o que havia na cidade e o que havia no campo. 29 E a todos os seus meios de subsistência, e a todas as suas criancinhas, e as esposas deles levaram cativas, de modo que saquearam tudo o que havia nas casas. 30 Em vista disso, Jacó disse a Simeão e a Levi: “Vós me trouxestes o banimento, fazendo de mim um mau cheiro para os habitantes do país, para os cananeus e para os perizeus, sendo eu poucos em número, e eles por certo se ajuntarão contra mim e me assaltarão, e eu terei de ser aniquilado, eu e a minha casa.” 31 Disseram, por sua vez: “Havia alguém de tratar nossa irmã como prostituta?”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Gênesis 34:25-31) 25 Ao terceiro dia quando os homens estavam sentindo dores, dois filhos de Jacó, Simeão e Levi, irmãos de Diná, tomaram cada um a sua espada, foram à cidade que se achava em segurança, e mataram a todos os homens. 26 Mataram também ao fio da espada a Hamor e a Siquém, seu filho, e, tirando a Diná da casa de Siquém, saíram. 27 Os filhos de Jacó vieram aos mortos e saquearam a cidade, porque havia sido contaminada a sua irmã. 28 Levaram-lhes os rebanhos, os bois, os jumentos e o que havia na cidade e no campo; 29 todos os seus bens, e todos os seus pequeninos e suas mulheres levaram cativos, e despojaram-nos, sim levaram tudo o que havia nas casas. 30 Então disse Jacó a Simeão e a Levi: Tendes-me perturbado, fazendo-me odioso aos habitantes da terra, entre os cananeus e perezeus. Tendo eu pouca gente, reunir-se-ão e me ferirão a mim; e serei destruído, eu e minha casa. 31 Responderam: Devia ele tratar a nossa irmã como a uma prostituta?

Seriam estas as ações de um povo justo?? Não, claro que não.

Será que estas ações iníquas deixavam de ser ações iníquas em face de terem sido praticadas contra pessoas iníquas??

Deveriam continuar a ser um povo abençoado por Deus??

Será que os sobreviventes vitimados por estas iniquidades dos filhos de Jacó ainda deviam abençoar tais opressores??

Tanto os vitimados quanto as testemunhas deveriam manter-se sem guardar qualquer ressentimento dos filhos de Jacó, mesmo depois deste crime hediondo cometido contra todos aqueles homens e mulheres daquela cidade??

O que os demais povos deviam fazer ao serem testemunhas de tais iniquidades??

Os que defendem o mérito do povo para poderem receber a bênção e a proteção de Jeová ficam embaraçados para explicar uma situação como esta, não é verdade??

Eram ações de pura iniquidade. Não há como negar que eram ações de pura iniquidade.

Ainda outros poderiam afirmar que Jeová/Javé estava sendo conivente com a maldade de Jacó.

Ressentimento, engano, morte, roubo e escravizar mulheres e crianças.

Segundo o próprio Jacó, a que condição eles haviam chegado diante dos cananeus, periseus e demais habitantes da terra de Canaã??

Vós me trouxestes o banimento, fazendo de mim um mau cheiro para os habitantes do país, para os cananeus e para os perizeus, sendo eu poucos em número, e eles por certo se ajuntarão contra mim e me assaltarão

Tendes-me perturbado, fazendo-me odioso aos habitantes da terra, entre os cananeus e perezeus. Tendo eu pouca gente, reunir-se-ão e me ferirão a mim; e serei destruído, eu e minha casa.

Depois deste crime hediondo, como os demais povos do país veriam Jacó e seus filhos??

Certamente como pessoas odiosas em face do crime hediondo realmente cometido.

O que as testemunhas deste crime hediondo deviam fazer contra Jacó e seus filhos?? Não eram pessoas abençoadas por Jeová??

Deveriam estes homens continuar abençoando Jacó e seus doze filhos?? Deveriam amaldiçoá-los?? Deveriam sentir inimizade por Jacó e seus doze filhos?

Bem, imaginemos agora alguém praticando tais crimes hediondos contra os doze filhos de Jacó. O que será que os descendentes de Jacó pensariam de tais ofensores??

Com será que os veriam?? Como pessoas odiosas?? Como um verdadeiro mau cheiro?? Certamente.

Neste caso, que sentimentos teriam por tais pessoas?? Será que bendiriam tais pessoas?? Será que amariam tais pessoas?? Teriam orgulho de morar perto de tais pessoas??

Será que desejariam se vingar de tais pessoas?? Não guardariam um ressentimento eterno de tais pessoas e descendentes dela??

Bem, conhecendo os antecedentes dos descendentes de Jacó, certamente eles recorreriam à vingança.

Mas, e o que dizer dos descendentes de Jacó depois de praticarem tais crimes hediondos??

Será que mereciam ser defendidos por Jeová?? Se Jeová resolvesse defendê-los do ataque de outros povos, será que isto se daria por algum mérito dos descendentes de Jacó?? Não estaria Jeová defendendo criminosos praticantes de um crime hediondo??

Será que Jeová prometeu impedir que os observadores e outros sabedores praticassem o mal contra o abençoado??

Jeová não prometeu impedir que o mal praticado por eles lhes sobreviesse sobre sua própria cabeça.

Jeová lhes informou que os outros povos não deviam amaldiçoá-los. Os outros povos não deviam agir quais justiceiros contra o povo abençoado.

Será que Jacó e seus doze filhos se encontravam em uma condição aprovada diante de Jeová depois destes crimes hediondos??

Depois de praticarem estes crimes hediondos, o que falou Jeová para Jacó??

(Gênesis 35:1) 35 Deus disse depois a Jacó: “Levanta-te, sobe a Betel e mora ali, e faze ali um altar ao [verdadeiro] Deus que te apareceu quando fugiste de Esaú, teu irmão.”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Gênesis 35:1) 1 Disse Deus a Jacó: Levanta-te, sobe a Betel e habita ali; faze ali um altar ao Deus, que te apareceu quando fugiste da face de Esaú, teu irmão.

Deviam fugir daquele lugar?? Sim, deviam fugir dali. Saia deste lugar e vá morar em outro.

Depois destas coisas, o que disse Jeová sobre o futuro de Jacó??

(Gênesis 35:9-12) 9 Deus apareceu então mais uma vez a Jacó durante a sua vinda de Padã-Arã e o abençoou. 10 E Deus prosseguiu, dizendo-lhe: “Teu nome é Jacó. Não mais hás de ser chamado pelo nome de Jacó, mas Israel virá a ser o teu nome.” E começou a chamá-lo pelo nome de Israel. 11 E Deus disse-lhe ainda mais: “Eu sou o Deus Todo-poderoso. Sê fecundo e torna-te muitos. De ti procederão nações e uma congregação de nações, e dos teus lombos sairão reis. 12 Quanto à terra que dei a Abraão e a Isaque, a ti a darei, e à tua descendência depois de ti darei a terra.”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Gênesis 35:9-12) 9 Apareceu Deus a Jacó outra vez, quando voltou de Padã-Arã, e o abençoou. 10 Disse-lhe Deus: O teu nome é Jacó. Não te chamarás mais Jacó, porém o teu nome será Israel. E chamou-lhe Israel. 11 Disse-lhe mais: Eu sou Deus Todo-poderoso; frutifica e multiplica-te. Uma nação e uma multidão de nações sairão de ti, e reis procederão dos teus lombos. 12 A terra que dei a Abraão e a Isaque, a ti a darei; também à tua descendência depois de ti darei a terra.

Alguma mudança quanto ao abençoado??

Não, nenhuma mudança.

Ora, se fosse Caim quem tivesse praticado todas estas iniquidades, ainda seria dito que Caim merecia ser defendido por Jeová?? Alguém ainda chamaria Caim de homem justo e temente a Deus??

Neste caso, estaria Jeová do lado de um homem justo?? Estaria Jeová abençoando um homem justo??

Será que Jeová aprovava estes crimes hediondos praticados por Jacó e seus filhos??

Séculos depois daquela terrível ação de Jacó e seus filhos, os moabitas (descendentes de Ló, sobrinho de Abraão), pessoas familiarizadas com o mesmo Deus, notaram a presença do povo abençoado por Jeová na terra de Canaã. Certamente, aquele mau cheiro ainda não havia saído de cima dos descendentes de Jacó.

O que decidiram fazer??

Decidiram encontrar alguém que amaldiçoasse os descendentes de Jacó.

(Números 22:9-12) 9 Deus veio então a Balaão e disse: “Quem são estes homens contigo?” 10 De modo que Balaão disse ao [verdadeiro] Deus: “Balaque, filho de Zipor, rei de Moabe, mandou dizer-me: 11 Eis o povo que está saindo do Egito, e estão cobrindo a terra até onde o olho pode ver. Agora, vem deveras, maldize-os deveras para mim. Talvez eu possa lutar contra eles e eu realmente os expulse.’” 12 Mas Deus disse a Balaão: “Não deves ir com eles. Não deves amaldiçoar o povo, pois são benditos.”



Assim verte a Tradução Brasileira:

(Números 22:9-12) 9 Veio Deus a Balaão e perguntou-lhe: Quem são estes homens que estão contigo? 10 Respondeu Balaão a Deus: Balaque, filho de Zipor, rei de Moabe, os enviou, para que me dissessem: 11 Eis que o povo que saiu do Egito, cobre a face da terra; vem agora amaldiçoar-mo; talvez assim poderei pelejar contra ele, e expulsá-lo. 12 Tornou Deus a Balaão: Não irás com eles; não amaldiçoarás o povo, porque é bendito.

Eles não desejavam que os descendentes de Jacó permanecessem na terra de Canaã. O objetivo de Balaque era expulsar da terra de Canaã, os descendentes de Jacó. No entanto, Balaque sabia da condição de “abençoados” que gozavam os descendentes de Jacó, apesar daquele “mau cheiro”.

Será que havia algum humano que conseguisse trazer uma maldição sobre estes descendentes de Jacó??

Será que alguma maldade praticada pelos descendentes de Jacó faria desaparecer esta condição de “abençoados por Jeová”??

O que o anjo de Jeová falou para Balaão??

Ele falou: “Não amaldiçoarás o povo, porque é um povo bendito”.

Apesar de tudo o que havia acontecido, os descendentes de Jacó continuavam na condição de abençoados, permaneciam um “povo bendito”.

O que ocorreria se alguém decidisse amaldiçoar os descendentes de Jacó??

O que Jeová havia dito a Abraão??

abençoarei os que te abençoarem, e amaldiçoarei aquele que te amaldiçoar

E hei de abençoar os que te abençoarem e amaldiçoarei aquele que invocar o mal sobre ti


Invocar o mal sobre os descendentes de Abraão representava invocar o mal sobre si mesmo.

Independente do que eles fizessem, não se devia invocar o mal sobre eles.

Os gentios não deveriam invocar o mal sobre os descendentes de Jacó, mesmo que os descendentes de Jacó agissem com muita iniquidade.

Da mesma forma como Caim ocupava uma condição de “protegido” de Jeová, assim também os descendentes de Abraão ocupavam a condição de abençoados por Jeová.

Ninguém devia invocar o mal sobre eles.

Que tática encontrou Balaão, imaginando acabar com esta condição de "povo abençoado" usufruída pelos descendentes de Jacó??

Centenas de anos depois, assim nos informou Jesus:

(Revelação 2:14) 14 “‘Não obstante, tenho algumas coisas contra ti, que tens aí os que se apegam ao ensino de Balaão, o qual foi ensinar a Balaque a pôr uma pedra de tropeço diante dos filhos de Israel, para que comessem de coisas sacrificadas a ídolos e cometessem fornicação.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Apocalipse 2:14) 14 Tenho, porém, contra ti umas poucas de coisas, porque tens aí aos que seguem o ensino de Balaão, que ensinava a Balaque a pôr uma pedra de tropeço diante dos filhos de Israel, isto é, a comer das coisas sacrificadas aos ídolos e a fornicar.

Como isto se deu??

(Números 25:1-3) 25 Ora, Israel estava morando em Sitim. O povo principiou então a ter relações imorais com as filhas de Moabe. 2 E as mulheres vieram chamar o povo aos sacrifícios dos seus deuses, e o povo começou a comer e a curvar-se diante dos seus deuses. 3 Israel ligou-se assim a Baal de Peor; e a ira de Jeová começou a acender-se contra Israel.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Números 25:1-3) 1 Habitando Israel em Sitim, o povo começou a fornicar com as filhas de Moabe; 2 Elas convidaram o povo aos sacrifícios dos seus deuses, e o povo comeu, e adorou aos deuses delas. 3 Juntando-se Israel a Baal de Peor, acendeu-se a ira de Jeová contra Israel.

Será que o plano de Balaão foi bem sucedido??

Embora o povo realmente tenha ido livremente praticar a fornicação e adorar Baal de Peor, sem que ninguém os obrigasse a isto, e embora Jeová tenha se irado contra os abençoados descendentes de Jacó, isto não os tirou da condição de povo abençoado. Jeová deu Sua punição, no entanto, o povo não perdeu a condição de “abençoados” por Jeová, pois continuavam a ser um povo “bendito”.

Outro detalhe que pudemos observar foi que Jeová não impediu Balaão de colocar a pedra de tropeço para Israel, quando Ele tinha o poder para fazer tal coisa.

Será que Jeová passou a odiar Balaão por ele ter colocado tal pedra de tropeço para Israel?? Será que Jeová passou a ver Balaão como sendo Seu inimigo?? Será que Jeová passou a sentir ressentimento contra Balaque e Balaão por suas ações astutas contra os “abençoados”?? Será que Jeová passou a sentir inimizade por Balaque e Balaão em face de ter colocado em prática tal plano?

O tempo foi passando e passando.

A que condição chegaram os descendentes de Abraão??

Jeová os via como piores do que Sodoma.

Jeová lhes falou:

(Ezequiel 16:46-48) 46 “‘E tua irmã mais velha é a própria Samaria com as suas aldeias dependentes, que mora à tua esquerda, e tua irmã mais moça do que tu, que mora à tua direita, é Sodoma com as suas aldeias dependentes. 47 E não andaste nos seus caminhos, nem fizeste segundo as suas coisas detestáveis. Em pouco tempo começaste a agir ainda mais ruinosamente do que elas, em todos os teus caminhos. 48 Assim como vivo’, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová, ‘Sodoma, tua irmã, ela com as suas aldeias dependentes, não fez segundo o que tu fizeste, tu e as tuas aldeias dependentes.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel 16:46-48) 46 Tua irmã maior é Samaria, que habita à tua mão esquerda, juntamente com suas filhas; e tua irmã menor, que habita à tua mão direita, é Sodoma e suas filhas. 47 Contudo não andaste nos seus caminhos, nem fizeste conforme as suas abominações; porém, como se isso fora coisa de pouca monta, foste mais corrompida do que elas em todos os teus caminhos. 48 Pela minha vida, diz o Senhor Jeová, não fez Sodoma, tua irmã, nem ela nem suas filhas, como fizeste tu e tuas filhas.

Que condição horrível!!!

Mais corrompida do que Sodoma em todos os seus caminhos??

Sim, mais corrompida em todos os seus caminhos.

Será que neste estado deplorável, eles perderam a condição de abençoados?? Foram rejeitados?? Foram exterminados?? Podiam ser amaldiçoados por algum humano ou grupo de humanos?? Poder-se-ia invocar o mal sobre este povo em face do seu estado corrompido??

Depois de “punidos” com o exílio em Babilônia, os descendentes de Jacó continuavam a ser os abençoados por Jeová. Eles continuavam a ser os “benditos”.

Jeová revelou isto para seu mensageiro Zacarias.

(Zacarias 3:1-4) 3 E ele passou a mostrar-me Josué, o sumo sacerdote, de pé perante o anjo de Jeová, e Satanás de pé à sua direita para se lhe opor. 2 [O anjo de] Jeová disse então a Satanás: “Jeová te censure, ó Satanás, sim, censure-te Jeová, aquele que escolhe Jerusalém! Não é este um tição arrancado do fogo?” 3 Ora, quanto a Josué, aconteceu que estava vestido de vestes imundas e estava de pé perante o anjo. 4 Então ele respondeu e disse aos que estavam de pé perante ele: “Removei dele as vestes imundas.” E prosseguiu, dizendo-lhe: “Vê, fiz que passasse de ti o teu erro, e és vestido de trajes de gala.”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Jacarias 3:1-4) 1 Ele me mostrou o sumo sacerdote Josué que estava diante do anjo de Jeová, e Satanás que estava à mão direita dele para ser o seu adversário. 2 Jeová disse a Satanás: Que Jeová te repreenda, ó Satanás; sim, repreenda-te Jeová que escolheu a Jerusalém: acaso não é este um tição tirado do fogo? 3 Ora Josué estava vestido de hábitos sujos, e posto em pé diante do anjo. 4 Este começou a falar e disse aos que estavam diante dele: Tirai-lhe estes hábitos sujos. A Josué disse: Eis que hei feito passar de ti a tua iniqüidade, e te vestirei de ricos trajos.

Mesmo depois de setenta anos de exílio, o povo não havia perdido a condição de abençoados por Jeová. Nem mesmo esta condição de punidos lhes retirou a condição de abençoados. Mesmo nesta condição de punidos, ninguém devia amaldiçoar os descendentes de Jacó, ninguém devia invocar o mal sobre os descendentes de Jacó, pois eles continuavam a ser “benditos”. Havia protestos, no entanto, Jeová continuava a manter Jacó na condição de abençoados.

O que o Pai havia prometido quando Moisés ainda estava vivo??

(Levítico 26:41-45) 41 Eu, da minha parte, porém, passei a andar em oposição a eles e tive de levá-los à terra dos seus inimigos. “‘Naquele tempo talvez se humilhe o seu coração incircunciso e naquele tempo talvez saldem o seu erro. 42 E eu deveras me lembrarei do meu pacto com Jacó; e lembrar-me-ei até mesmo do meu pacto com Isaque e até mesmo do meu pacto com Abraão, e lembrar-me-ei da terra. 43 No ínterim, a terra foi deixada abandonada por eles e saldava os seus sábados, enquanto jazia desolada, sem eles, e eles mesmos saldavam seu erro, porque, sim, porque tinham rejeitado as minhas decisões judiciais e suas almas tinham abominado os meus estatutos. 44 E apesar de tudo isso, enquanto continuarem na terra dos seus inimigos, certamente não os rejeitarei, nem os abominarei a ponto de exterminá-los, para violar meu pacto com eles; pois eu sou Jeová, seu Deus. 45 E vou lembrar-me, em seu benefício, do pacto dos antecessores que fiz sair da terra do Egito sob os olhares das nações, para mostrar-me seu Deus. Eu sou Jeová.’”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Levítico 26:41-45) 41 eu também andei em oposição a eles, e os trouxe para a terra dos seus inimigos. Se então o seu coração incircuncidado se humilhar, e se aceitarem o castigo da sua iniqüidade; 42 lembrar-me-ei da minha aliança com Jacó, também da minha aliança com Isaque, também da minha aliança com Abraão me lembrarei, e da terra me lembrarei. 43 A terra também será deixada por eles e sem eles gozará os seus sábados na sua assolação. Eles aceitarão o castigo da sua iniqüidade, porque, sim porque rejeitaram os meus juízos, e as suas almas aborreceram os meus estatutos. 44 Também ainda assim não os rejeitarei, quando estiverem na terra dos seus inimigos, nem os aborrecerei, para os consumir de todo, e violar a minha aliança com eles; pois eu sou Jeová seu Deus. 45 Mas por amor deles me lembrarei da aliança com os seus antepassados, a quem tirei da terra do Egito à vista das nações, para ser o seu Deus: eu sou Jeová.

Apesar de tudo isto, Eu não os rejeitarei e não os exterminarei, pois assim, Eu estaria violando o Meu pacto com eles. Afinal de contas, Eu sou o Deus deles.

Apesar de tudo o que fizerem não vou ter sentimento de inimizade por eles. Não me esquecerei da minha aliança, logo, para Mim, eles continuarão a ser um povo bendito”.

O que percebemos em relação ao quadro completo?? Afinal de contas, a que estava condicionado a casa de Jacó continuar a ser um povo abençoado por Jeová??

Que independente das circunstâncias, o Pai é que não mudava a sua posição de “abençoador” daquele povo. O Pai afirmou: Não vou violar a minha aliança com eles; não vou violar o meu pacto com eles.

Jesus afirmou: “Ninguém poderá tirá-las das minhas mãos”.

(João 10:28-30) 28 E eu lhes dou vida eterna e elas não serão jamais destruídas, e ninguém as arrebatará da minha mão. 29 Aquilo que meu Pai me deu é algo maior do que todas as outras coisas, e ninguém as pode arrebatar da mão do Pai. 30 Eu e o Pai somos um.”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(João 10:28-30) 28 Eu lhes dou a vida eterna, e nunca jamais hão de perecer, e ninguém as arrebatará da minha mão. 29 Aquilo que meu Pai me tem dado, é maior do que tudo; e ninguém pode arrebatá-lo da mão do Pai. 30 Eu e meu Pai somos um.

Séculos depois, a mesma tática de Balaão estava sendo usada contra discípulos de Jesus??

Foi o que Jesus afirmou:

(Revelação 2:14-15) 14 “‘Não obstante, tenho algumas coisas contra ti, que tens aí os que se apegam ao ensino de Balaão, o qual foi ensinar a Balaque a pôr uma pedra de tropeço diante dos filhos de Israel, para que comessem de coisas sacrificadas a ídolos e cometessem fornicação. 15 Assim, tu tens também os que se apegam igualmente ao ensino da seita de Nicolau.



Assim verte a Tradução Brasileira:

(Apocalipse 2:14-15) 14 Tenho, porém, contra ti umas poucas de coisas, porque tens aí aos que seguem o ensino de Balaão, que ensinava a Balaque a pôr uma pedra de tropeço diante dos filhos de Israel, isto é, a comer das coisas sacrificadas aos ídolos e a fornicar. 15 Assim tu tens igualmente aos que seguem o ensino dos nicolaítas.

No caso de Balaque, ele foi bem sucedido, pois o povo passou a se ligar a Baal de Peor e a cometer fornicação com as mulheres moabitas. O povo foi de livre e espontânea vontade. No entanto, apesar do pecado cometido pelo povo, Jeová não os removeu da condição de abençoados.

O que estava ocorrendo entre os discípulos de Jesus??

Jesus lhes falou:

(Revelação 2:18-23) 18 E ao anjo da congregação em Tiatira escreve: Estas coisas diz o Filho de Deus, aquele cujos olhos são como chama ardente e cujos pés são como cobre excelente: 19 Conheço as tuas ações, e teu amor, e fé, e ministério, e perseverança, e que as tuas ações mais recentes são mais do que as anteriores. 20 “‘Não obstante, tenho contra ti que toleras aquela mulher Jezabel, que se chama profetisa, e ela ensina e desencaminha os meus escravos para cometerem fornicação e para comerem coisas sacrificadas a ídolos. 21 E eu lhe dei tempo para se arrepender, mas ela não está disposta a arrepender-se da sua fornicação. 22 Eis que estou para lançá-la num leito de doença, e os que cometem adultério com ela, em grande tribulação, a menos que se arrependam das ações dela. 23 E matarei os filhos dela com praga mortífera, de modo que todas as congregações saberão que sou eu quem pesquisa os rins e os corações, e eu vos darei individualmente segundo as vossas ações.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Apocalipse 2:18-23) 18 Ao anjo da igreja em Tiatira escreve: Isto diz o Filho de Deus, que tem olhos como uma chama de fogo, e os seus pés são semelhantes ao latão polido: 19 Sei as tuas obras, e o teu amor, e a tua fé, e os teus serviços e a tua perseverança, e que as tuas últimas obras são mais numerosas do que as primeiras. 20 Tenho, porém, contra ti que toleras a mulher Jezabel, que se chama a si mesma profetiza; ela ensina e seduz os meus servos a fornicar e a comer das carnes sacrificadas aos ídolos. 21 Eu lhe dei tempo para que se arrependesse, e ela não quer arrepender-se da sua fornicação. 22 Eis aí a lanço num leito, e numa grande tribulação os que adulteram com ela, se não se arrependerem dos atos ensinados por ela. 23 Farei morrer a seus filhos; e todas as igrejas conhecerão que eu sou o esquadrinhador dos rins e corações, e darei a cada um de vós segundo as suas obras.

Já havia acontecido tanto a idolatria como a fornicação, no entanto, Jesus continuava dando tempo para que ela se arrependesse da sua fornicação.

A congregação gentia de Tiatira tinha obras, tinha fé e tinha perseverança, tinha serviços, no entanto, tolerava os ensinos de Jezabel que chamava a si mesma de profetiza. A mulher Jezabel ensinava coisas opostas às coisas ensinadas e praticadas por Jesus, estabelecendo ídolos para serem seguidos tanto pelos homens daquela congregação, como das demais congregações.

Depois de aguardar, Jesus passou a avisar que ela devia voltar atrás de sua fornicação e idolatria. Depois, Jesus lhes avisa que a lançaria em grande tribulação junto com os que adulterassem com ela e que mataria os filhos dela com praga mortífera.

Haveria punição para aqueles que foram desencaminhados com a tática de Balaão. No entanto, não seriam rejeitados da condição de abençoados.

A fornicação podia se dar tanto no campo físico quanto no campo espiritual. Da mesma forma, o comer coisas sacrificadas a ídolos, também poderia se dar tanto no campo físico quanto no campo espiritual.

Como a tática era a mesma, o objetivo era desvincular a bênção de cima dos discípulos de Jesus. Os discípulos judeus ocupavam a condição de nação abençoada, assim como os discípulos gentios.

Depois de cometerem seus pecados no caso de Baal de Peor e serem punidos por Jeová, que tipo de sentimento passaram a ter o povo abençoado por Jeová em relação aos moabitas, descendentes do sobrinho de Abraão, Ló??

(Números 25:16-18) 16 Mais tarde, Jeová falou a Moisés, dizendo: 17 Sejam hostilizados os midianitas, e tendes de golpeá-los, 18 porque vos hostilizam com as suas ações astutas que praticaram astutamente contra vós no caso de Peor e no caso de Cosbi, filha dum maioral de Midiã, irmã deles, que foi golpeada fatalmente no dia do flagelo por causa do caso de Peor.”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Números 25:16-18) 16 Disse mais Jeová a Moisés: 17 Afligi aos midianitas, e feri-os, 18 porque vos afligiram com as suas ciladas, que enganosamente planejaram contra vós no tocante a Peor, e no tocante a Cosbi, sua irmã, filha do príncipe de Midiã, a qual foi morta no dia da praga no caso de Peor.

Tendes de guardar ressentimento dos midianitas e tendes de matá-los PORQUE eles agiram astutamente contra vós??

Teria sido esta uma ordem de Jeová??

Que mandamento Jeová já havia dado a Moisés para ser repassado ao povo??

(Levítico 19:18) 18 “‘Não deves tomar vingança nem ter ressentimento contra os filhos do teu povo; e tens de amar o teu próximo como a ti mesmo. Eu sou Jeová.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Levítico 19:18) 18 Não te vingarás nem guardarás ira contra os filhos do teu povo, mas amarás o teu próximo como a ti mesmo: eu sou Jeová.

O mandamento era bem claro. Esta era uma ocasião na qual os escolhidos e abençoados deviam obedecer a este mandamento, não é verdade??

Ou será que Jeová estava mandando os escolhidos e abençoados a guardar ressentimento e praticarem a vingança e a matança contra os midianitas??

Ora, se os midianitas estavam errados em sentir inimizade pelos descendentes de Jacó, como poderiam estar certos aqueles que sentissem inimizade pelos midianitas??

Da mesma forma como os descendentes de Jacó deviam continuar a ser amados pelos povos gentios, independente de suas ações iníquas contra eles, os gentios, assim também os israelitas deviam continuar amar os midianitas, independente destas ações astutas contra eles, israelitas.

Será que deveria haver dois pesos e duas medidas??

O mandamento dado por Jeová era bem claro, não era??

Tens de amar a teu próximo como a ti mesmo” - isto foi o que Jeová pediu para fazer no lugar de guardar ressentimento e praticar a vingança.

Será que neste caso estava autorizado o guardar ressentimento??

Será que o criador do mandamento estava autorizando a desobedecer ao mandamento??

Será que estavam abertas exceções quanto guardar ressentimento??

Será que para todos os mandamentos haviam exceções quanto ao seu cumprimento??

Quem é que amava a vingança??

Quem é que era intolerante??

Estava Jeová ensinando este tipo de vingança e intolerância??

Jesus afirmou que ele e o Pai eram um. Se Jesus estivesse ali, o que ele diria para Moisés fazer??

Jesus mandaria que Moisés praticasse a “carnificina” como vingança por causa de ações astutas (um “engano”)?? Pagar-se-ia um mal com um outro mal ainda maior??

Ao iniciar sua entrada para a terra de Canaã, que massacre promoveram tais descendentes de Jacó, estando liderados por Moisés, diante dos olhos de todos os demais povos da terra de Canaã??

(Números 31:13-18) 13 Então Moisés e Eleazar, o sacerdote, e todos os maiorais da assembléia saíram-lhes ao encontro fora do acampamento. 14 E Moisés ficou indignado com os homens designados das forças combatentes, os chefes dos milhares e os chefes das centenas, que retornavam da expedição militar. 15 De modo que Moisés lhes disse: “Preservastes viva a toda a fêmea? 16 Eis que estas são as que pela palavra de Balaão serviram para induzir os filhos de Israel a cometerem infidelidade para com Jeová na questão de Peor, de modo que veio o flagelo sobre a assembléia de Jeová. 17 E agora, matai a todo o macho dentre os pequeninos e matai a toda a mulher que tiver tido relações com um homem por se deitar com um macho. 18 E preservai vivas para vós a todas as pequeninas dentre as mulheres, que não tiverem conhecido o ato de se deitar com um macho.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Números 31:13-18) 13 Saíram a recebê-los fora do arraial Moisés, e o sacerdote Eleazar, e todos os príncipes da congregação. 14 Indignou-se Moisés contra os oficiais do exército, capitães dos milhares e capitães das centenas, que vinham do serviço da guerra. 15 Disse-lhes Moisés: Deixastes viver todas as mulheres? 16 Eis que estas, por conselho de Balaão, fizeram que os filhos de Israel pecassem contra Jeová no negócio de Peor, e assim houve a praga entre a congregação de Jeová. 17 Agora matai a todos os machos entre os pequeninos, e matai as mulheres que conheceram homem, deitando-se com ele. 18 Porém as meninas que não conheceram homem, deitando-se com ele, deixai-as viver para vós.

Isto sim é que é um verdadeiro massacre.

Esta sim é uma verdadeira carnificina.

Isto sim é que é uma verdadeira vingança!!

Isto sim é que é o fruto de um grande ressentimento!!

Os demais povos ao redor estavam observando estas cenas.

O que será que eles estavam vendo??

Será que estavam vendo o retorno daqueles homens que haviam praticado aquela violência no caso Diná?? Produziria um bom cheiro ou um péssimo cheiro??

Estas ações produziriam um cheiro igual ou pior do que o cheiro produzido no caso Diná??

Aqueles descendentes de Jacó não viam nada de errado nas ações dos seus doze patriarcas em relação ao caso Diná. Não sentiam nenhuma vergonha em relação a isto. Muito pelo contrário. Sentindo-se filhos privilegiados de Jeová, passavam a diminuir o valor dos povos incircuncisos a meras pessoas que mereciam ser executadas a qualquer momento, sem que houvesse qualquer culpa de sangue por esta ação. Não haviam tentado amaldiçoar um povo que Jeová afirmou que não era para amaldiçoar?? Não haviam usado de astúcia contra o povo abençoado, visando tirá-lo da condição de abençoado?? Sim, eles haviam feito tais coisas. Neste caso, na mente dos abençoados, matar um iníquo não gerava nenhuma culpa de sangue, afinal, o sangue daquele iníquo estava sobre sua própria cabeça.

Ora, no caso Caim, ele não deveria ser morto por ninguém. Caim havia praticado um pecado e não devia ser morto por ninguém. Jeová havia estabelecido a regra em relação a qualquer caso, não havia??

Matar Caim representava trazer sobre si uma condenação sete vezes pior do que a de Caim.

Matar qualquer pessoa culpada de pecado traria uma condenação sete vezes pior do que a condição daquele pecador. A regra que vale para um, vale para qualquer um, pois este é o princípio da imparcialidade.

No entanto, os israelitas não pensavam assim.

Bem, e quanto às mulheres e as crianças?? Ora, na visão dos israelitas também eram iníquas, e seu sangue estava sobre sua cabeça. Eles não se sentiam culpados de derramar sangue. Afinal de contas, não se tratava de sangue de pessoas iníquas??

Que pensamento tinham?? Se forem pessoas iníquas não há culpa em derramar o sangue delas.

Será que o Pai havia mudado o Seu ponto de vista apresentado no caso Caim??

O Pai lhe havia dado um mandamento.

Havia um mandamento simples e claro:

(Êxodo 20:13) 13 “Não deves assassinar.

Assim verte a Tradução Brasileira:
(Êxodo 20:13) 3 Não matarás.

Assim verte a Tradução Almeida:

(Êxodo 20:13) 13 Não matarás.

O registro afirma que foi dito a Noé:

(Gênesis 9:5-6) 5 E, além disso, exigirei de volta vosso sangue das vossas almas. Da mão de cada criatura vivente o exigirei de volta; e da mão do homem, da mão de cada um que é seu irmão exigirei de volta a alma do homem. 6 Quem derramar o sangue do homem, pelo homem será derramado o seu próprio sangue, pois à imagem de Deus fez ele o homem.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Gênesis 9: 5-6) 5 Certamente requererei o vosso sangue, o sangue das vossas vidas; da mão de todo o animal o requererei; e da mão do homem, sim da mão do irmão de cada um requererei a vida do homem. 6 Se alguém derramar o sangue do homem, pelo homem será derramado o seu sangue; porque o homem foi feito à imagem de Deus.

Assim verte a Tradução Almeida:

Gênesis 9:5-6) 5 Certamente requererei o vosso sangue, o sangue das vossas vidas; de todo animal o requererei; como também do homem, sim, da mão do irmão de cada um requererei a vida do homem. 6 Quem derramar sangue de homem, pelo homem terá o seu sangue derramado; porque Deus fez o homem à sua imagem.

Será que alguém estava liberado para derramar o sangue do seu irmão??

No entanto, o que aconteceria se meu irmão “A” derramasse o sangue do meu irmão “B”?? Será que o meu irmão “C” poderia derramar o sangue do meu irmão “A”??

Havia algum humano liberado para ser um vingador de sangue?? Havia Jeová liberado algum humano para agir qual vingador de sangue?? Havia Jeová indicado alguém para agir qual vingador??

O que disse Jeová no caso Caim??

(Gênesis 4:10) 10 A isto ele disse: “Que fizeste? Escuta! O sangue de teu irmão está clamando a mim desde o solo.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Gênesis 4:10) 10 Disse Jeová: Que fizeste? a voz do sangue de teu irmão está clamando a mim desde a terra.

Está clamando a mim.

Será que Jeová indicou algum humano para interceder neste caso??

E se alguém decidisse fazer algo??

Tratava-se de um intrometido, não é verdade??

Aquele, qualquer um, que matasse seu irmão se tornava culpado de derramar sangue e Javé afirmou que requereria o sangue derramado; requereria o sangue derramado (a vida) da mão daquele que tirasse a vida de seu irmão.

Será que haveria alguma exceção??

A afirmação era bem clara, não era??

Da mão de cada um um vou requerer.

Será que alguém conseguiria matar o seu irmão sem se tornar culpado de derramar sangue?? A afirmação registrada não concede nenhuma exceção; não deixa margem para nenhuma exceção. Diante de Jeová qualquer um que tirasse a vida do seu irmão se tornava culpado de derramar sangue, e Jeová iria requerer a vida que havia sido tirada, daquele que a tirou.

Desde o caso Caim, Jeová havia deixado bem claro que nenhum dos Seus filhos devia se intrometer nesta questão. Assim como no caso Caim, qualquer intrometido se tornaria sete vezes mais culpado diante de Jeová.

As palavras foram faladas para Noé. Neste caso, além dele só existiam, sua esposa e seus três filhos e as esposas de cada um dos seus filhos. A palavra “irmão” aqui usada deixa bem clara a relação entre todos os descendentes destes três homens. Todos eram irmãos.

Será que os descendentes de Jacó viam as coisas desta forma??

Vamos ver agora um exemplo de como os israelitas passaram ver a questão da culpa de sangue. Eles afirmaram que podiam matar alguém sem se tornarem culpados pelo sangue daquela pessoa. Como eles conseguiram passar por cima daquela afirmação de Jeová para Noé??

Assim raciocinavam os descendentes de Jacó:

(Josué 2:18-20) 18 Eis que vamos entrar no país. Deves atar este cordão de fio escarlate à janela pela qual nos fizeste descer e deves recolher à casa, contigo, teu pai e tua mãe, e teus irmãos e todos os da casa de teu pai. 19 E tem de dar-se que aquele que sair fora das portas da tua casa, o sangue deste estará sobre a sua própria cabeça e nós estaremos livres de culpa; e todo aquele que permanecer contigo na casa, o sangue deste estará sobre a nossa cabeça, se qualquer mão vier a estar sobre ele. 20 E se tu deres parte deste assunto nosso, então ficaremos livres de culpa quanto a este juramento teu que nos fizeste jurar.”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Josué 2:18-20) 18 Eis que quando nós entrarmos na terra, atarás este cordão de fio escarlate à janela pela qual nos fizeste descer; e recolherás em casa contigo teu pai, tua mãe, teus irmãos e toda a casa do teu pai. 19 Qualquer que sair para fora das portas da tua casa, o seu sangue lhe cairá sobre a cabeça, e nós seremos inocentes; e o sangue de qualquer que estiver contigo em casa, nos cairá sobre a cabeça, se alguém o tocar. 20 Porém, se denunciares esta nossa missão, seremos inocentes no tocante a este juramento que nos fizeste jurar.

Será que neste caso não havia culpa de sangue por matar alguém?? Só havia culpa de sangue se o humano que viesse a ser morto fosse um “inocente”?? Nós os mataremos, no entanto, não haverá culpa de sangue em nós. Nós os mataremos e continuaremos inocentes. Tratava-se de uma “matança santa”??

Bem, e se os israelitas fossem declarados culpados de pecado, nenhum dos povos vizinhos seria declarado culpado por matá-los, ou seria??

Segundo os descendentes de Jacó qualquer humano que fosse culpado de iniquidade poderia ser morto por outro humano sem se tornar culpado de derramar sangue, pois a culpa era do próprio morto.

Segundo os descendentes de Jacó, a culpa do iníquo estar sendo morto era do próprio iníquo. Neste caso, a culpa do sangue derramado não recairia sobre aquele que o matasse. Aquele que matasse um iníquo não teria sobre sua cabeça a culpa por derramar sangue, ou seja, tal pessoa não era culpada de pecado.

Será que estes humanos haviam esquecido do que Jeová havia falado no caso Caim?? Parece que sim.

Será que os descendentes de Jacó estavam isentos de alcançarem a condição de iníquos??

Alcançando os descendentes de Jacó a condição de iníquos, qualquer um poderia matá-los sem se tornar culpado de derramar sangue??

Não se poderia derramar sangue inocente, no entanto, será que se poderia derramar sangue culpado de iniquidade??

Que mandamento determinou Moisés a ser cumprido pelos descendentes de Jacó??

(Deuteronômio 19:8-13) 8 E se Jeová, teu Deus, ampliar o teu território segundo jurou aos teus antepassados e te der toda a terra que prometeu dar aos teus antepassados, 9 por guardares todo este mandamento que hoje te ordeno, cumprindo-o, de amar a Jeová, teu Deus, e de andar nos seus caminhos para sempre, então terás de acrescentar para ti mais três cidades a estas três, 10 para que não se derrame sangue inocente no meio da tua terra que Jeová, teu Deus, te dá por herança e não venha sobre ti culpa de sangue. 11 Porém, caso haja um homem que odeie seu próximo, e ele se tenha posto de emboscada contra este e se tenha levantado contra ele e golpeado fatalmente a sua alma, e ele tenha morrido, e o homem tenha fugido para uma destas cidades, 12 então os anciãos da sua cidade têm de mandar tirá-lo de lá, e têm de entregá-lo na mão do vingador do sangue, e ele tem de morrer. 13 Teu olho não deve ter dó dele, e tens de eliminar de Israel a culpa pelo sangue inocente, para que te vá bem.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Deuteronômio 19:8-13) 8 Se Jeová teu Deus dilatar os teus termos, como jurou a teus pais, e te der toda a terra que prometeu dar a teus pais 9 (se guardares todo este mandamento para o cumprires, que eu hoje te ordeno, de amar a Jeová teu Deus, e de andar sempre nos seus caminhos); acrescentar-te-ás mais três cidades além destas três, 10 para que se não derrame o sangue inocente no meio da tua terra que Jeová teu Deus te está dando por herança, e não haja sangue sobre ti. 11 Mas, se alguém, aborrecendo ao seu próximo, e armando-lhe ciladas, se levantar contra ele, e lhe der um golpe mortal, de sorte que venha a morrer; se se acolher a uma destas cidades, 12 os anciãos da sua cidade enviarão e o tirarão dali, e o entregarão nas mãos do vingador de sangue, para que morra. 13 Não terá piedade dele o teu olho, mas tirarás o sangue inocente do meio de Israel, para que te vá bem.

O homem inocente não deve ser morto, no entanto, o homem culpado de tirar uma vida deverá ser morto para que a terra não seja culpada pelo sangue inocente derramado.

Uma interessante argumentação.

No entanto, o que Jeová havia falado??

Aquele que derramasse o sangue do homem culpado de derramar sangue também seria exigido por Jeová quanto ao sangue que ele derramou do seu irmão.

Ele derramou sangue, não derramou??

Independente do sangue derramado ser culpado ou inocente, ele é apenas um “sangue derramado”.

Independente do motivo, não deveis derramar sangue do teu irmão.

Será que Jeová declarou os descendentes de Jacó culpados de pecado e tendo o sangue sobre suas cabeças??

(Ezequiel 18:10-13) 10 “‘E [se] alguém se tornou pai de um filho que é salteador, derramador de sangue, que fez coisas semelhantes a uma destas; 11 (mas ele mesmo não fez nenhuma destas coisas;) se também comeu sobre os montes e aviltou a esposa de seu companheiro; 12 se maltratou o atribulado e pobre; se arrebatou coisas em roubo, não restituindo a coisa tomada em penhor; e se elevou seus olhos para os ídolos sórdidos, fez uma coisa detestável. 13 Deu em troca de usura e cobrou juros, e ele positivamente não continuará a viver. Fez todas estas coisas detestáveis. Positivamente será morto. Sobre ele é que virá a haver seu próprio sangue.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel 18:10-13) 10 Se ele gerar um filho que se torne salteador, que derrame sangue e que faça a seu irmão qualquer destas coisas, 11 e que não cumpra com nenhum destes deveres, porém coma sobre os montes, e contamine a mulher do seu próximo, 12 oprima ao pobre e necessitado, tire de outro com violência, não devolva o penhor, e levante os seus olhos aos ídolos, cometa abominações, 13 dê o seu dinheiro à usura, e receba mais do que emprestou: acaso viverá ele? não viverá. Comete todas estas abominações; certamente morrerá, o seu sangue será sobre ele.

Assim verte a Tradução Almeida:

(Ezequiel 18:10-13) 10 E se ele gerar um filho que se torne salteador, que derrame sangue, que faça a seu irmão qualquer dessas coisas; 11 e que não cumpra com nenhum desses deveres, porém coma sobre os montes, e contamine a mulher de seu próximo, 12 oprima ao pobre e necessitado, pratique roubos, não devolva o penhor, levante os seus olhos para os ídolos, cometa abominação, 13 empreste com usura, e receba mais do que emprestou; porventura viverá ele? Não viverá! Todas estas abominações, ele as praticou; certamente morrerá; o seu sangue será sobre ele.

Aquele que tiver feito qualquer uma de todas estas coisas detestáveis não viverá. Certamente morrerá. Seu sangue estará sobre ele próprio.

Está sujeito à morte, ou seja, merecedor da morte, qualquer humano que cometer qualquer uma das coisas abomináveis, coisas que Eu determino como coisas abomináveis.

Jeová ratifica Sua posição:

(Ezequiel 18:20) 20 A alma que pecar — ela é que morrerá. O próprio filho não levará nenhuma [culpa] pelo erro do pai e o próprio pai não levará nenhuma [culpa] pelo erro do filho. A própria justiça do justo virá a estar sobre ele mesmo, e a própria iniqüidade do iníquo virá a estar sobre ele mesmo.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel 18:20) 20 A alma que peca, essa morrerá; o filho não levará a iniqüidade do pai nem o pai levará a iniqüidade do filho. A justiça do justo será sobre ele, e a impiedade do ímpio será sobre ele.

Certamente morrerá.

No entanto, quem é que poderia matá-lo sem se tornar culpado de derramar sangue??

O homem que recebeu mais do que emprestou cometeu uma abominação, estando condenado à morte e tendo o seu sangue sobre sua cabeça, tanto quanto o homem que derramou sangue.

O que fazer com o homem que recebeu mais do que emprestou?? Não tem ele o seu sangue sobre a sua própria cabeça??

Apesar do iníquo ter seu sangue sobre si mesmo, seria este o fim do iníquo?? Quem é que estava autorizado a matar o iníquo, já que ele estava com o seu sangue sobre sua própria cabeça??

O que o Pai afirmou depois disso??

(Ezequiel 18:21-23) 21 “‘Ora, quanto ao iníquo, se ele recuar de todos os seus pecados que praticou e realmente guardar todos os meus estatutos e praticar o juízo e a justiça, ele positivamente continuará a viver. Não morrerá. 22 Todas as suas transgressões que praticou — não serão lembradas contra ele. Continuará a viver por causa da justiça que praticou.’ 23 “‘Acaso me agrado de algum modo na morte do iníquo’, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová, ‘[e] não em que ele recue dos seus caminhos e realmente continue a viver?’


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel 18:21-23) 21 Mas se o ímpio se converter de todos os seus pecados que cometeu, e guardar todos os meus estatutos, e fizer o que é de eqüidade e justiça, certamente viverá, não morrerá. 22 Nenhuma das suas transgressões que cometeu, será lembrada contra ele; na sua justiça que praticou viverá. 23 Acaso tenho eu prazer na morte do ímpio? diz o Senhor Jeová; não quero eu antes que se converta do seu caminho, e viva?

O iníquo ainda podia recuar do seu caminho de iniquidade??

Mesmo depois de estar com o seu sangue sobre a sua cabeça, ele ainda poderia continuar a viver??

Depois de ser declarado iníquo ele ainda poderia ser declarado justo??

Nenhuma de suas ações de iniquidade serão lembradas contra ele??

Ora, o iníquo não teria de pagar com a sua vida por sua iniquidade??

Impunidade para o iníquo?? O iníquo precisa pagar pela sua iniquidade, não precisa??

O iníquo não tem de pagar pela iniquidade que cometeu??

As palavras de Jeová são bem claras.

Bem, e durante este tempo, o que deveria ser feito com o iníquo??

Nenhuma violência contra o iníquo devia ser praticada, pois Jeová estava aguardando que o iníquo se convertesse de seus caminhos iníquos.

Bem, isto era oposto ao que Moisés havia dito.

Moisés os havia autorizado a derramar o sangue dos pecadores, logo, eles participavam em matar pecadores, derramando sangue.

Moisés os havia autorizado a derramar sangue e eles se sentiam bem fazendo o que faziam.

A casa de Jacó tinha verdadeiro prazer na morte do iníquo.

No entanto, Jeová afirmou que Ele não tinha prazer na morte de iníquo.

Jeová afirmou que o seu prazer era ver o iníquo se converter do seu caminho e continuar a viver.

Jeová revelou ter prazer na vida e não na morte.

Para Jeová o iníquo deve continuar a viver para que ele possa recuar de seu caminho de iniquidade.

O que disse mais Jeová para a iníqua casa de Israel??

(Ezequiel 18:31-32) 31 Lançai de vós todas as vossas transgressões com as quais transgredistes e fazei para vós um novo coração e um novo espírito, pois, por que devíeis morrer, ó casa de Israel?’ 32 “‘Pois, não me agrado na morte de quem morre’, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová. ‘Portanto, fazei um recuo e continuai a viver.’”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel 18:31-32) 31 Lançai de vós todas as vossas transgressões, com que transgredistes; e fazei-vos um coração novo e um espírito novo. Pois, por que morrereis, ó casa de Israel? 32 Porquanto não tenho prazer na morte do que morre, diz o Senhor Jeová; portanto convertei-vos e vivei.

Apesar de vós estardes com o vosso sangue sobre as vossas cabeças, fazei um recuo e continuai a viver, pois Eu não tenho prazer na morte do iníquo.

Ora, Jeová era Aquele que poderia tirar a vida de toda a casa de Israel, afinal de contas, toda a casa de Israel era culpada de pecado, pois havia cometido muitas coisas abomináveis, inclusive por derramar muito sangue.

O que Jeová disse??

Ele disse: “O iníquo não será automaticamente morto. Vocês não têm de morrer por serdes iníquos. Vocês precisam recuar de vossos caminhos maus. Para isto, vocês necessitam estar vivos”.

Vejam: “Eu tenho poder para exterminar o iníquo a qualquer momento, no entanto, não é isto o que Eu faço. Eu estou lhes concedendo o Meu perdão para que vocês possam recuar dos vossos maus caminhos. Para que vocês recuem dos vossos maus caminhos, vocês precisam de tempo”, logo, precisam estar vivos.



No entanto, os descendentes de Jacó também não viram nada de errado nas ações de Moisés e seus comandados no caso das mulheres midianitas ali dentro do acampamento. Eles tinham um verdadeiro prazer na morte dos iníquos. Desta forma eles davam o incondicional apoio àquele que derramasse o sangue dos iníquos aos seus olhos.

Será que aquela parte restante das palavras ditas a Noé modificavam tanto as palavras como as ações de Jeová quanto a derramar sangue??

O que dizia??

Quem derramar o sangue do homem, pelo homem será derramado o seu próprio sangue, pois à imagem de Deus fez ele o homem.


Se alguém derramar o sangue do homem, pelo homem será derramado o seu sangue; porque o homem foi feito à imagem de Deus.

Quem derramar sangue de homem, pelo homem terá o seu sangue derramado; porque Deus fez o homem à sua imagem.

Será que havia aqui a tão sonhada autorização para matar o pecador??

Sim, é exatamente isto o que está escrito.

No entanto, o mandamento dado aos israelitas de não matarás e todas as palavras anteriores e posteriores de Jeová, continuavam revelando que Ele não havia mudado aquela posição dada no caso Caim.

Apesar disso, as ações da casa de Israel era bem diferente do que Jeová pedia e esperava.

A casa de Jacó revelava o grandioso desejo de derramar sangue iníquo.

Por serem o povo eleito de Jeová, automaticamente eles passaram a ver todos os demais povos como iníquos merecedores de morte.

Será que Jeová acompanhava este desejo da casa de Jacó. O sangue do iníquo devia ser derramado pelo homem??

Neste caso, se a casa de Jacó fosse vista pelos gentios como uma casa iníqua, não teriam eles os mesmos direitos de derramar o sangue da casa de Jacó sem ficarem culpados de derramar sangue??

Como será que o Pai via tais ações da casa de Jacó??

Eram ações normais de pessoas ofendidas?? Eram ações de legítimo “direito” de pessoas ofendidas??

Os ofendidos eram os abençoados.

Seriam reações normais de “abençoados”??

Os abençoados podiam matar iníquos, derramar o sangue dos iníquos sem ficarem culpados de derramar sangue?? Por que os abençoados poderiam derramar o sangue dos iníquos enquanto os gentios não podiam derramar o sangue dos escolhidos que fossem flagrados na condição de iníquos??

Se os gentios odiassem os escolhidos havia pecado da parte deles. Neste caso, por que os escolhidos podiam odiar e matar os gentios sem se tornarem culpados de derramar sangue??

Existe no ar a fumaça da parcialidade, não existe??

Sim, existe.

Não da parte de Jeová, obviamente.

Embora Jeová não visse as ações dos abençoados como corretas, eles achavam que sim, afinal de contas, eles estavam matando iníquos, pessoas culpadas de pecado perante Jeová.

Eles afirmavam que Jeová se alegrava quando eles matavam iníquos, pois eles se achavam instrumentos de matança nas mãos de Jeová.

No entanto, já percebemos que Jeová caminhava um caminho oposto ao da casa de Jacó.

O objetivo de Balaque era acabar com a condição de abençoado que gozava a casa de Israel. Embora ele tenha sido bem sucedido em fazer Israel pecar, Jeová não retirou a casa de Israel da condição de abençoada por Ele.

A condição de abençoado não se dava por nenhum mérito da casa de Israel.

A casa de Israel se encontrava em um estado lastimável de tantos pecados. No entanto, nenhum dos outros filhos tinha o direito de se intrometer na relação entre o iníquo escolhido e Jeová. Nenhum dos outros filhos deveria desejar a morte ou tomar a iniciativa de matar o iníquo filho. Não deviam ficar do lado do seu outro irmão vitimado. Os outros irmãos deveriam continuar a praticar a justiça. Odiar e matar não são sentimentos e ações de justiça, antes, são iniquidades. Independente de quem sejam os odiados, odiar é uma iniquidade. Independente de quem sejam os mortos, qualquer humano que matar outro humano, comete uma iniquidade.

O que Jeová falou para Caim, antes deste matar seu irmão Abel??

(Gênesis 4:6-7) 6 Então Jeová disse a Caim: “Por que se acendeu a tua ira e por que descaiu o teu semblante? 7 Se te voltares para fazer o bem, não haverá enaltecimento? Mas, se não te voltares para fazer o bem, há o pecado agachado à entrada e tem desejo ardente de ti; e conseguirás tu dominá-lo?”



Assim verte a Tradução Brasileira:

(Gênesis 4:6-7) 6 Perguntou-lhe Jeová: Porque andas tu irado? e por que te descaiu o semblante? 7 Porventura se procederes bem, não terás levantado o teu semblante? e, se não procederes bem, o pecado jaz à porta; a ti será o seu desejo, mas tu dominarás sobre ele.

Caim deveria se preocupar em fazer o bem; não deveria se preocupar com a condição de seu irmão.

Não se deve cometer uma iniquidade visando corrigir uma iniquidade praticada por uma terceira pessoa.

Aquele que cometeu a iniquidade não deve ser odiado; não deve ser amaldiçoado. Ele deve continuar a ser amado pelos demais irmãos que também amam a vítima. Não devem ficar do lado da vítima e contra o agressor. Vítima e agressor devem continuar a receber o mesmo amor que recebiam antes de se tornarem “agressor” e “vítima”.

Tendo Jesus ensinado e praticado o pleno perdão, isto passou a ser um assunto a ser discutido por uma geração que amava derramar sangue de iníquos.

Será que os discípulos que já pensavam e agiam como Estêvão, foram convencidos a odiarem os agressores??

Será que aqueles que amavam Estêvão passaram a odiar os agressores de Estêvão?? Será que os que testemunharam as agressões mudaram seus sentimentos em relação aos agressores??

Deveriam voltar aos ensinos de Moisés??

Os que praticavam iniquidades não deveriam ser odiados. Deveriam continuar a ser amados, apesar das vítimas também serem amadas.

Não deve ser discutida qualquer lealdade à vítima. Deve ser discutida a lealdade à Jeová e ao mandamento de Jeová.

O amor ao próximo como a si mesmo é um amor incondicional que independe do próximo ser um agressor ou uma vítima. Desta forma, se o próximo passa a ser um agressor, meu amor por ele não deve ser modificado em face disso.

O Pai não modifica o Seu amor em relação ao humano em face deste ter se tornado um agressor de um outro humano que Ele também ama.

O agressor continua sob a “proteção” de Jeová, pois Jeová objetiva que o agressor retorne do seu caminho e venha a ser uma vítima perdoadora.

Desta forma, o Pai revela o Seu amor à vida.

Para tornar tudo isto possível é necessário haver misericórdia para o iníquo, ou seja, aquele que se tornou o agressor.

Trata-se de uma proteção à vida.

O humano prefere o círculo vicioso de se tirar vidas.

No entanto, o que nos revelou Jesus??

(Mateus 5:43-48) 43 Ouvistes que se disse: ‘Tens de amar o teu próximo e odiar o teu inimigo.’ 44 No entanto, eu vos digo: Continuai a amar os vossos inimigos e a orar pelos que vos perseguem; 45 para que mostreis ser filhos de vosso Pai, que está nos céus, visto que ele faz o seu sol levantar-se sobre iníquos e sobre bons, e faz chover sobre justos e sobre injustos. 46 Pois, se amardes aos que vos amam, que recompensa tendes? Não fazem também a mesma coisa os cobradores de impostos? 47 E, se cumprimentardes somente os vossos irmãos, que fazeis de extraordinário? Não fazem também a mesma coisa as pessoas das nações? 48 Concordemente, tendes de ser perfeitos, assim como o vosso Pai celestial é perfeito.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Mateus 5:43-48) 43 Tendes ouvido que foi dito: Amarás o teu próximo e aborrecerás o teu inimigo. 44 Eu, porém, vos digo: Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem, 45 para que vos torneis filhos de vosso Pai que está nos céus, porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons, e vir chuvas sobre justos e injustos. 46 Pois se amardes aos que vos amam, que recompensa tendes? não fazem os publicanos também o mesmo? 47 Se saudardes somente aos vossos irmãos, que fazeis de especial? não fazem os gentios também o mesmo? 48 Sede vós, pois, perfeitos, como vosso Pai celestial é perfeito.

O que a vítima deve fazer??

A vítima deve amar ao seu inimigo sempre, amar de forma incondicional.

A vítima deve SEMPRE orar em favor do agressor.

A vítima NUNCA deve orar contra o agressor.

A vítima NUNCA deve se vingar e NUNCA deve pedir vingança ao Pai.

A vítima SEMPRE deve perdoar seu agressor.

A vítima NUNCA deve guardar ressentimento do agressor.

Pouco tempo depois da morte de Jesus, o passou a acontecer com os discípulos de Jesus??

O que Jesus afirmou estar vendo??

(Revelação 2:12-16) 12 E ao anjo da congregação em Pérgamo escreve: Estas coisas diz aquele que tem a longa espada afiada de dois gumes: 13 Sei onde estás morando, isto é, onde está o trono de Satanás; contudo, persistes em apegar-te ao meu nome e não negaste a tua fé em mim, mesmo nos dias de Ântipas, minha testemunha, o fiel, que foi morto ao vosso lado, onde Satanás está morando. 14 “‘Não obstante, tenho algumas coisas contra ti, que tens aí os que se apegam ao ensino de Balaão, o qual foi ensinar a Balaque a pôr uma pedra de tropeço diante dos filhos de Israel, para que comessem de coisas sacrificadas a ídolos e cometessem fornicação. 15 Assim, tu tens também os que se apegam igualmente ao ensino da seita de Nicolau. 16 Arrepende-te, portanto. Se não, virei a ti depressa e guerrearei com eles com a longa espada da minha boca. . .


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Apocalipse 2:12-16) 12 Ao anjo da igreja em Pérgamo escreve: Isto diz aquele que tem a afiada espada de dois gumes: 13 Sei onde habitas; onde Satanás tem o seu trono; e que conservas o meu nome e não negaste a minha fé, mesmo nos dias de Antipas, minha fiel testemunha, o qual foi morto entre vós, onde habita Satanás. 14 Tenho, porém, contra ti umas poucas de coisas, porque tens aí aos que seguem o ensino de Balaão, que ensinava a Balaque a pôr uma pedra de tropeço diante dos filhos de Israel, isto é, a comer das coisas sacrificadas aos ídolos e a fornicar. 15 Assim tu tens igualmente aos que seguem o ensino dos nicolaítas. 16 Arrepende-te, pois; ou se não, venho a ti sem demora, e pelejarei contra eles com a espada da minha boca.

Jesus via a história se repetir. Jesus estava falando com os discípulos gentios. Alguém estava colocando uma pedra de tropeço diante da nova nação de discípulos de Jesus, visando afastá-los da condição de abençoados discípulos gentios de Jesus. Eram os da seita de Nicolau ou nicolaítas.

Eles não deveriam participar em colocar tal pedra de tropeço diante dos discípulos de Jesus.

Haveria estrago?? Sim haveria estrago.

O que usaria Jesus contra os que aderiam ao ensino dos nicolaítas??

Arrepende-te, portanto. Se não, virei a ti depressa e guerrearei com eles com a longa espada da minha boca. . .

Arrepende-te, pois; ou se não, venho a ti sem demora, e pelejarei contra eles com a espada da minha boca.

Jesus não usaria de violência contra os que concordavam com o ensino dos nicolaítas. Ele usaria a espada que sai de sua boca, ou seja, a verdade.

Tratava-se de uma guerra de ensinos.

O que mais estava vendo Jesus??

(Revelação 2:18-25) 18 E ao anjo da congregação em Tiatira escreve: Estas coisas diz o Filho de Deus, aquele cujos olhos são como chama ardente e cujos pés são como cobre excelente: 19 Conheço as tuas ações, e teu amor, e fé, e ministério, e perseverança, e que as tuas ações mais recentes são mais do que as anteriores. 20 “‘Não obstante, tenho contra ti que toleras aquela mulher Jezabel, que se chama profetisa, e ela ensina e desencaminha os meus escravos para cometerem fornicação e para comerem coisas sacrificadas a ídolos. 21 E eu lhe dei tempo para se arrepender, mas ela não está disposta a arrepender-se da sua fornicação. 22 Eis que estou para lançá-la num leito de doença, e os que cometem adultério com ela, em grande tribulação, a menos que se arrependam das ações dela. 23 E matarei os filhos dela com praga mortífera, de modo que todas as congregações saberão que sou eu quem pesquisa os rins e os corações, e eu vos darei individualmente segundo as vossas ações. 24 “‘No entanto, digo aos demais de vós, os que estais em Tiatira, a todos os que não têm este ensino, aos mesmos que não chegaram a conhecer as “coisas profundas de Satanás”, conforme eles dizem: Não ponho sobre vós nenhum outro fardo. 25 Assim mesmo, apegai-vos ao que tendes até que eu venha.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Apocalipse 2:18-25) 18 Ao anjo da igreja em Tiatira escreve: Isto diz o Filho de Deus, que tem olhos como uma chama de fogo, e os seus pés são semelhantes ao latão polido: 19 Sei as tuas obras, e o teu amor, e a tua fé, e os teus serviços e a tua perseverança, e que as tuas últimas obras são mais numerosas do que as primeiras. 20 Tenho, porém, contra ti que toleras a mulher Jezabel, que se chama a si mesma profetiza; ela ensina e seduz os meus servos a fornicar e a comer das carnes sacrificadas aos ídolos. 21 Eu lhe dei tempo para que se arrependesse, e ela não quer arrepender-se da sua fornicação. 22 Eis aí a lanço num leito, e numa grande tribulação os que adulteram com ela, se não se arrependerem dos atos ensinados por ela. 23 Farei morrer a seus filhos; e todas as igrejas conhecerão que eu sou o esquadrinhador dos rins e corações, e darei a cada um de vós segundo as suas obras. 24 Digo, porém, a vós outros que estais em Tiatira, a quantos não seguem este ensino e que não conhecem as coisas profundas de Satanás, como eles dizem: Eu não vos ponho outro fardo; 25 somente aquilo que tendes, guardai-o bem, até que eu venha.

Alguém estava desencaminhando os discípulos gentios de Jesus para fornicação espiritual e a comerem coisas sacrificadas a ídolos, alimentos espirituais deteriorados, semelhantes ao joio. Sendo alimentos semelhantes ao joio, tratava-se de alimento espiritual oposto ao que havia sido dado por Jesus. Jesus não estava falando de alimento físico e nem de fornicação física.

Certamente que se tratava de alimento espiritual proveniente dos fariseus, aqueles especialistas na lei de Moisés.

Jesus havia avisado: Cuidado com o ensino (doutrina) dos fariseus e dos saduceus.

(Mateus 16:6) 6 Jesus disse-lhes: Mantende os olhos abertos e vigiai-vos do fermento dos fariseus e dos saduceus.”...

(Mateus 16:11-12) 11 Como é que não discernis que não vos falei de pães? Mas, vigiai-vos do fermento dos fariseus e dos saduceus.” 12 Compreenderam então que ele dissera que se vigiassem, não do fermento dos pães, mas do ensino dos fariseus e dos saduceus.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Mateus 16:6) 6 Disse-lhes Jesus: Olhai e guardai-vos do fermento dos fariseus e dos saduceus.

(Mateus 16:11-12) 11 Como não compreendeis que não vos falei a respeito de pão? Mas eu vos disse: Guardai-vos do fermento dos fariseus e dos saduceus. 12 Então entenderam que lhes não dissera que se guardassem do fermento dos pães, mas sim da doutrina dos fariseus e dos saduceus.

Que estranho sentimento para com o estrangeiro foi revelado nestas informações dadas por Moisés??

(Deuteronômio 14:21) 21 Não deveis comer nenhum corpo [já] morto. Podes dá-lo ao residente forasteiro que está dentro dos teus portões, e ele tem de comê-lo; ou pode ser vendido a um estrangeiro, porque és um povo santo para Jeová, teu Deus. “Não deves cozinhar o cabritinho no leite de sua mãe.


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Deuteronômio 14:21) 21 Não comereis a carne de um animal que morre por si. Poderás dá-la ao peregrino que está das tuas portas para dentro, para que a coma, ou poderás vendê-la ao estrangeiro; porque és povo santo a Jeová teu Deus. Não cozerás o cabrito no leite de sua mãe.

Ora, quem é o povo santo?? Quem é que tem de manter a santidade?? “Nós somos o povo santo, mas eles, eles podem comer, afinal de contas, eles são iníquos mesmo. Nós somos o povo da promessa; eles são apenas estrangeiros. Não deves cozinhar o cabritinho no leite de sua mãe”.

Foi um raciocínio e um sentimento muito interessantes praticados contra os estrangeiros.

Podeis comer de todas estas coisas. Apenas estas é que deveis praticar.

(Atos 15:23-29) 23 e escreveram por sua mão: “Os apóstolos e os anciãos, irmãos, aos irmãos em Antioquia, e Síria, e Cilícia, que são das nações: Cumprimentos! 24 Sendo que ouvimos [falar] que alguns dentre nós vos causaram aflição com discursos, tentando subverter as vossas almas, embora não lhes déssemos nenhumas instruções, 25 chegamos a um acordo unânime e pareceu-nos bem escolher homens para [os] enviar a vós, junto com Barnabé e Paulo, nossos amados, 26 homens que entregaram as suas almas pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo. 27 Mandamos, portanto, Judas e Silas, para que eles também possam relatar as mesmas coisas por palavra. 28 Pois, pareceu bem ao espírito santo e a nós mesmos não vos acrescentar nenhum fardo adicional, exceto as seguintes coisas necessárias: 29 de persistirdes em abster-vos de coisas sacrificadas a ídolos, e de sangue, e de coisas estranguladas, e de fornicação. Se vos guardardes cuidadosamente destas coisas, prosperareis. Boa saúde para vós!”


Assim verte a Tradução Brasileira:

(Atos 15:23-29) 23 enviando por mão deles a seguinte carta: Os apóstolos e os presbíteros, irmãos, aos irmãos dentre os gentios em Antioquia, na Síria e Cilícia, saúde. 24 Visto que soubemos que alguns dentre nós, aos quais não demos mandamento, vos têm perturbado com palavras, subvertendo as vossas almas, 25 pareceu-nos bem, chegados a um acordo, escolher homens e enviá-los a vós com os nossos amados Barnabé e Paulo, 26 que têm exposto as suas vidas pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo. 27 Enviamos, pois, Judas e Silas, que também por palavras dirão as mesmas coisas. 28 Pois pareceu bem ao Espírito Santo e a nós não vos impor maior peso além destas coisas necessárias: 29 que vos abstenhais de coisas sacrificadas aos ídolos, de sangue, de animais sufocados e de fornicação; destas coisas fareis bem de vos guardar. Saúde.

Será que todo o ensino de Jesus se resumia a guardar-se destas coisas?? Será que todo o sermão do monte se resumia em guardar-se destas coisas??

Ora, por serem gentios, eles tinham muitos costumes a retirarem de seus corações. No entanto, estas palavras dos dirigentes em Jerusalém, estabelecidos como autoridade, definia apenas estas regras para os gentios.

Se cumprirdes estas regras prosperareis. Boa saúde para vós.

Será que estava tudo bem??

O que falou Jesus para os gentios??

(Revelação 2:24-25) 24 “‘No entanto, digo aos demais de vós, os que estais em Tiatira, a todos os que não têm este ensino, aos mesmos que não chegaram a conhecer as “coisas profundas de Satanás”, conforme eles dizem: Não ponho sobre vós nenhum outro fardo. 25 Assim mesmo, apegai-vos ao que tendes até que eu venha.

Assim verte a Tradução Brasileira:

(Apocalipse 2:24-25) 24 Digo, porém, a vós outros que estais em Tiatira, a quantos não seguem este ensino e que não conhecem as coisas profundas de Satanás, como eles dizem: Eu não vos ponho outro fardo; 25 somente aquilo que tendes, guardai-o bem, até que eu venha.

Com que palavras Jesus finalizou??

Assim mesmo, apegai-vos ao que tendes até que eu venha; somente aquilo que tendes, guardai-o bem, até que eu venha.

Que promessa fez Jesus em relação àqueles que se deixassem desencaminhar pela mulher Jezabel??

22 Eis que estou para lançá-la num leito de doença, e os que cometem adultério com ela, em grande tribulação, a menos que se arrependam das ações dela. 23 E matarei os filhos dela com praga mortífera, de modo que todas as congregações saberão que sou eu quem pesquisa os rins e os corações, e eu vos darei individualmente segundo as vossas ações.


22 Eis aí a lanço num leito, e numa grande tribulação os que adulteram com ela, se não se arrependerem dos atos ensinados por ela. 23 Farei morrer a seus filhos; e todas as igrejas conhecerão que eu sou o esquadrinhador dos rins e corações, e darei a cada um de vós segundo as suas obras.

Como todo profeta, Jezabel também afirmava que suas informações eram provenientes de Jeová. Como todo profeta, ela afirmava ser uma profetisa da parte de Deus.

No entanto, as informações dadas pela profetiza Jezabel não correspondiam às mesmas informações dadas por Jesus. Tratavam-se de ensinos opostos aos ensinos dados por Jesus. Jesus estava bem vivo e sabia exatamente quais os ensinos que ele havia transmitido aos seus discípulos. Ao enviar informações através do espírito santo, Jesus não se contradizia daqueles ensinos que ele já havia dado, obviamente. No entanto, Jezabel afirmava ser profetiza e trazia ensinos opostos aos ensinos de Jesus. O que estava acontecendo?? Os discípulos de Jesus estavam se enamorando dos ensinos de Jezabel e achando-os atraentes. Os discípulos de Jesus passaram a cometer adultério com os ensinos transmitidos pela profetiza Jezabel.

Os que cometiam adultério com o ensino da profetiza Jezabel seriam lançados em uma grande tribulação.

Esta relação adúltera de ensinos produziriam filhos (novos ensinos).

Jesus afirmou que mataria tais filhos através de praga mortífera.

Todas as igrejas finalmente perceberão que sou eu quem pesquisa as coisas profundas do homem.

__

Topo desta página