O POVO DE DEUS

Criada em 26 de junho de 2016       Última alteração em 06/07/16







O que é mesmo um povo??

Povo – esta é definição dada pelo dicionário Houaiss: conjunto de pessoas que..., para se caracterizarem como “povo” têm coisas em comum como costumes, história e tradições..

povo Datação: sXIII Ortoépia: ô

n substantivo masculino

1 conjunto de pessoas que falam a mesma língua, têm costumes e interesses semelhantes, história e tradições comuns

Exs.: o p. brasileiro

o p. russo

2 conjunto de pessoas que vivem em comunidade num determinado território; nação, sociedade

3 conjunto de indivíduos de uma mesma região, cidade, vila ou aldeia

Exs.: o p. de Petrópolis

o p. nordestino

4 conjunto de pessoas que não habitam o mesmo país, mas que estão ligadas por uma origem, sua religião ou qualquer outro laço

Exs.: o p. judeu

o p. cigano

5 conjunto dos cidadãos de um país em relação aos governantes

Ex.: o p. elege os governantes

6 conjunto de pessoas que pertencem à classe mais pobre; plebe

7 multidão de pessoas

Ex.: o que aquele p. está fazendo na praça?

8 pequena povoação; lugarejo, aldeia, vila

9 a gente de casa; a família

10 Regionalismo: Brasil. Uso: informal.

turma, gente

Ex.: o p. ainda não chegou para a festa?



Este homem estava trazendo informações que modificavam os costumes de um povo, entre os quais ele havia nascido.

O que disseram certos homens daquele povo??

(Atos 6:14) Por exemplo, nós o ouvimos dizer que esse Jesus, o nazareno, derrubará este lugar e MUDARÁ OS COSTUMES QUE MOISÉS nos transmitiu.”



Para manter a condição de povo, os indivíduos deste povo devem praticar os mesmos costumes praticados por seus antepassados, não é verdade??

O povo poderia perder a identidade de povo, exatamente por não mais fazerem o que o caracterizava como povo no seu passado.

Bem, tendo como base a definição dada pelo dicionário, sim, é isso mesmo.

Poderia um povo deixar de praticar os costumes que o identificam como certo “povo”, e ainda assim ser reconhecido como o mesmo povo??

Vejamos agora outro povo que fazia questão de não perder a identidade que haviam adquirido.

Eram os recabitas..

(Jeremias 35:6-10) 6 Mas eles disseram: “Não beberemos vinho, porque Jonadabe, filho de Recabe, nosso antepassado, foi quem nos deu a ordem, dizendo: ‘Não deveis beber vinho, nem vós nem os vossos filhos, por tempo indefinido. 7 E não deveis construir casa e não deveis semear semente; e não deveis plantar vinhedo, nem deve tornar-se vosso. Mas em tendas é que deveis morar todos os vossos dias, para que continueis vivendo por muitos dias na superfície do solo onde residis como forasteiros.’ 8 De modo que continuamos a obedecer à voz de Jonadabe, filho de Recabe, nosso antepassado, em tudo o que nos ordenou, não bebendo absolutamente nenhum vinho, todos os nossos dias, nós, nossas esposas, nossos filhos e nossas filhas, 9 e não construindo casas para morarmos nelas, para que nenhum vinhedo, nem campo, nem semente se tornem nossos. 10 E continuamos a morar em tendas e a obedecer e a fazer segundo tudo o que Jonadabe, nosso antepassado, nos ordenou.



Eles podiam perder a identidade deles??

Sim, poderiam.

O que tinham de fazer para perder tal identidade??

Tinham apenas de desobedecer a voz de seu antepassado Jonadabe.

No entanto, mesmo que desobedecessem a voz de Jonadabe, eles continuariam como povo.

Embora não se identificassem mais com aquele antepassado, com aquela característica dominante do antepassado, mesmo assim continuavam como povo, pois ainda existem outras características que identificam aquele grupo unido de pessoas.

No entanto, uma coisa ficou bem definida.

Jonadabe tinha a sua característica e o comportamento do povo não modificaria a característica de Jonadabe.

O povo copiaria a característica de Jonadabe ou não copiaria a característica de Jonadabe, no caso de ser apenas uma característica.

Se o povo passou um tempo identificando-se diante de outros povos (grupos) como o povo tal ou povo qual, este nome ainda continuaria a identificar aquele povo.

Por exemplo, mesmo que os recabitas deixassem de apresentar as características de Jonadabe filho de Recabe, eles ainda seriam reconhecidos como recabitas, pois estavam vinculados à pessoa de Recabe, o pai de Jonadabe. Ainda permaneciam vinculados ao nome “Recabe”.

Percebemos o ponto em questão??

Um povo qualquer pode ser vinculado a uma “pessoa”, muito embora não tenham as características morais daquela pessoa.

As características morais de Jonadabe não poderiam ser modificadas pelo povo.

O povo podia ser identificado pelo nome dado àquela pessoa ou ao nome moral que aquela pessoa tivesse.


Nome moral??

Sim, um nome moral.

Um nome ético??

Sim, um nome ético.

O que é um nome moral??

O que é um nome ético??

O que é um princípio moral??

O que é um princípio ético??

Princípio – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: lei de caráter geral com papel fundamental no desenvolvimento de uma teoria e da qual outras leis podem ser derivadas

princípio Datação: sXIV


4.1 Rubrica: física.

lei de caráter geral com papel fundamental no desenvolvimento de uma teoria e da qual outras leis podem ser derivadas

5 proposição lógica fundamental sobre a qual se apoia o raciocínio

Ex.: partir de um p. falso

6 Rubrica: filosofia.

fonte ou causa de uma ação

7 Rubrica: filosofia.

proposição filosófica que serve de fundamento a uma dedução



Moral – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: conjunto de valores, individuais ou coletivos, considerados universalmente como norteadores das relações sociais e da conduta dos homens

moral Datação: sXIV

n adjetivo de dois gêneros

1 concernente a ou próprio da moral

2 pertencente ao domínio do espírito do homem

3 que denota bons costumes segundo os preceitos estabelecidos por um determinado grupo social

4 que ensina, educa; edificante

Ex.: fábula m.


n substantivo masculino

5 disposição de espírito para agir com maior ou menor vigor diante de circunstâncias difíceis


n substantivo feminino

6 conjunto de valores, individuais ou coletivos, considerados universalmente como norteadores das relações sociais e da conduta dos homens

7 Rubrica: filosofia.

cada um dos sistemas variáveis de leis e valores estudados pela ética, caracterizados por organizarem a vida das múltiplas comunidades humanas, diferenciando e definindo comportamentos proscritos, desaconselhados, permitidos ou ideais

8 Regionalismo: Brasil. Uso: informal.

capacidade de se impor, de influenciar ou ter ascendência, hegemonia sobre outrem

Ex.: foi lá e conseguiu a vaga na m.



Ética – Esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: conjunto de regras e preceitos de ordem valorativa e moral de um indivíduo, princípios que disciplinam ou orientam o comportamento humano.

ética Datação: sXV

n substantivo feminino

1 parte da filosofia responsável pela investigação dos princípios que motivam, distorcem, disciplinam ou orientam o comportamento humano, refletindo esp. a respeito da essência das normas, valores, prescrições e exortações presentes em qualquer realidade social

2 Derivação: por extensão de sentido.

conjunto de regras e preceitos de ordem valorativa e moral de um indivíduo, de um grupo social ou de uma sociedade

Exs.: é. profissional

é. psicanalítica

há é. na universidade



>♥< Por exemplo, uma pessoa pode ter o seu nome definido por uma coisa invisível chamada “honestidade”.

Qual o nome dele??

O nome dele é Honesto.

Esta pessoa é reconhecida pelas suas palavras e pelos seus atos, palavras e atos que SEMPRE passam pela peneira da “honestidade”.

O povo “do” honesto é uma coisa. Trata apenas de um povo que está associado ao Sr. Honesto.

O povo honesto é outra coisa. Trata-se de um povo que se caracteriza por sua honestidade.


Uma outra pessoa pode ter o seu nome definido por uma outra coisa invisível chamada misericórdia.

Qual o nome dele??

O nome dele é Misericordioso.

Esta pessoa é reconhecida pelas suas palavras e pelos seus atos, palavras e atos que SEMPRE passam pela peneira da “misericórdia”.

Uma outra pessoa pode ter o seu nome definido por outra coisa invisível chamada perdão.

Qual o nome dele??

O nome dele é Perdoador.

Esta pessoa é reconhecida pelas suas palavras e pelos seus atos, palavras e atos que SEMPRE passam pela peneira do “perdão”.

Bem, como é que isto acontece??

Bem, esta pessoa SEMPRE usa esta coisa invisível como base para tomar TODAS as suas decisões. Desta forma, esta pessoa passa a ser identificada de acordo com esta coisa invisível.

Esta coisa invisível passa a ser uma marca registrada daquela pessoa. Passa a ser uma marca d'água característico daquela pessoa.

Isto é uma coisa individual, não é??

Sim, isto é individual..

No entanto, será que todo mundo pode ser Honesto??

Sim. Todos podem chegar a ter este invisível nome, desde que suas ações do dia a dia revelem que ele tem este nome.

<>É o COMPORTAMENTO da pessoa que dá a ela aquele nome.

Aliás, este nome invisível é muito mais importante do que o nome que o pai ou mãe dão para aquela criança, como Maria, Joaquim, Francisco, Josué, etc…

Como seria o nome de uma pessoa que vivesse o seu dia a dia com base nestas três virtudes acima??

O nome dele seria Sr. Honesto Misericordioso Perdoador.

Um bonito nome, não concorda??

Percebeu que não se trata de um nome automático??

Percebeu que é um nome que precisa ser conquistado e mantido diante de todas as circunstâncias??

Existem certas pessoas que não tem nome algum.

Como assim??

É que estas pessoas preferem ser aquilo que as circunstâncias pedem.

Nas circunstâncias pacíficas ele é um pacífico e nas de guerra, ele é um violento guerreiro.

Um outro prefere ser honesto em certas circunstâncias e desonesto em outras.

Outros afirmam que quando são bons, eles são realmente bons, mas, quando são maus, são realmente maus.

Percebemos que é a pessoa quem tem de fazer questão de não aviltar o seu nome??

Aviltar??

Sim, aviltar.

Aviltaresta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: tornar(-se) vil, indigno; desonrar(-se); rebaixar(-se)

aviltar Datação: sXIII

n verbo

transitivo direto e pronominal

1 tornar(-se) vil, indigno; envilecer(-se), desonrar(-se)

Exs.: o excesso de poder avilta os fracos

aviltou-se com a ambição sem limites

transitivo direto e pronominal

2 submeter(-se) a vexames; rebaixar(-se), humilhar(-se)

Exs.: vinga-se dos desafetos aviltando-os em público

avilta-se não reagindo a agressões

transitivo direto

3 baixar o preço de

Ex.: a concorrência estrangeira aviltou o vinho nacional



É uma questão de honra??

Honra – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: dignidade conferida pela observância de certos princípios socialmente estipulados; consideração devida a uma pessoa que se distingue por seus dotes intelectuais, artísticos, morais; privilégio

honra Datação: 1192

n substantivo feminino

1 princípio que leva alguém a ter uma conduta proba, virtuosa, corajosa, e que lhe permite gozar de bom conceito junto à sociedade

2 consideração devida a uma pessoa que se distingue por seus dotes intelectuais, artísticos, morais; privilégio

Ex.: uma h. reservada apenas aos heróis

3 dignidade conferida pela observância de certos princípios socialmente estipulados

Ex.: podes confiar nele, é homem de h.

3.1 virtuosidade, castidade sexual da mulher

4 grandeza, esplendor, glória

Ex.: pugnar pela h. da pátria

5 atitude de consideração, sentimento ou marca de deferência

Ex.: concede-me a h. de acompanhá-la à casa?

6 marca de distinção; homenagem

Exs.: lugar de h.

quadro de h.

7 função ou lugar de destaque numa escala hierárquica

Exs.: o presidente de h. de um júri

guarda de h.


ª honras

n substantivo feminino plural

8 manifestações que denotam respeito, consideração por alguém que se distinguiu por sua conduta

Ex.: nunca alguém foi merecedor de tamanhas h.

9 título ou cargo honorífico

Ex.: conquistou, em apenas um ano, as altas h. daquela corporação



Então, a pessoa pode desenvolver ou não desenvolver os dotes morais??

Sim, é isso mesmo.

Dote – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: qualidade apreciável, mérito de uma pessoa ou dom natural (mais us. no pl.); dádiva, prenda

dote Datação: 1344

n substantivo masculino

1 bem que um ascendente ou outra pessoa dá ao nubente na ocasião em que se casa

2 bem levado pela freira quando entra para o convento

3 Derivação: sentido figurado.

qualidade apreciável, mérito de uma pessoa ou dom natural (mais us. no pl.); dádiva, prenda

Ex.: seus d. de cozinheira não eram de desprezar

4 Rubrica: termo jurídico.

conjunto de bens que a mulher, ou alguém por ela, transfere ao marido para que o ajudem no prover aos encargos do matrimônio, sob a condição expressa de que a ela os restitua depois de dissolvida a sociedade conjugal


Percebemos que este nome invisível é um mérito pessoal que esta pessoa carrega sobre si??

Percebemos que é ela e somente ela quem faz o seu nome??

Percebemos que é ela e somente ela quem pode aviltar o seu próprio nome??

<>

Vamos ver agora o relacionamento entre uma pessoa que prezava o nome que tinha, se relacionando com outras pessoas.

Vejamos como ele fazia questão de não aviltar o seu nome.

Ele estava contando a certo mensageiro de nome Ezequiel a história do relacionamento Dele com o povo escolhido por Ele. Tratava-se de um relacionamento de centenas de anos, com várias gerações deste povo escolhido.

Ele deixa bem claro que durante este relacionamento, Ele fez questão de não aviltar o seu nome.

Vejamos o que Ele diz sobre Si mesmo, de acordo com a Tradução Brasileira de 1917:

(Ezequiel 20:5-10) 5 e dize-lhes: Assim diz o Senhor Deus: No dia em que escolhi a Israel, e levantei a minha mão para a estirpe da casa de Jacó, e me dei a conhecer a eles na terra do Egito, quando levantei a minha mão para eles, dizendo: Eu sou Jeová vosso Deus; 6 naquele dia levantei a minha mão para eles, jurando que eu os tiraria da terra do Egito para uma terra que lhes tinha espiado, que mana leite e mel, a qual é a glória de todas as terras. 7 Disse-lhes: Lançai de vós, cada uma as abominações dos seus olhos, e não vos contamineis com os ídolos do Egito; eu sou Jeová vosso Deus. 8 Mas rebelaram-se contra mim, e não me quiseram ouvir; não lançaram de si cada um as abominações dos seus olhos, nem abandonaram os ídolos do Egito: então eu disse que derramaria o meu furor contra eles, para cumprir contra eles a minha ira no meio da terra do Egito. 9 Mas o fiz por amor do meu nome, para que ele não fosse profanado à vista das nações, no meio das quais estavam, a cujos olhos eu me dei a conhecer a eles, tirando-os da terra do Egito. 10 Assim os fiz sair da terra do Egito, e os trouxe para o deserto.

- Não fiz com eles o esperado e merecido para que o Meu nome não fosse aviltado (profanado) diante das nações.

Ele continuou agindo assim durante os anos à frente.

Ele repetiu as suas ações..

(Ezequiel 20:13-14) 13 Mas a casa de Israel rebelou-se contra mim no deserto; não andaram nos meus estatutos, e rejeitaram os meus juízos, os quais, se os observar o homem, viverá por eles; e profanaram grandemente os meus sábados. Então eu disse que derramaria o meu furor sobre eles no deserto para os consumir. 14 Porém o fiz por amor do meu nome, para que ele não fosse profanado à vista das nações, a cujos olhos os fiz sair.


Passamos e perceber que tudo era uma questão de COMPORTAMENTO??


Comportamento – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: maneira de proceder de uma pessoa em relação a outra(s), esp. com referência às regras de boas maneiras


comportamento Datação: 1534

n substantivo masculino

1 ato ou efeito de comportar-se

2 procedimento de alguém face a estímulos sociais ou a sentimentos e necessidades íntimos ou uma combinação de ambos

3 maneira de proceder de uma pessoa em relação a outra(s), esp. com referência às regras de boas maneiras


Deus estava revelando a Sua maneira de proceder diante das circunstâncias do dia a dia, ou seja, o seu comportamento.

Como Ele faria isso??

De forma prática.

Depois de informar solenemente a Moisés o Seu nome, Deus estava mostrando de forma prática o comportamento Dele, comportamento este, que caracterizava o Seu nome.

▼▲ > Deus seria reconhecido pelo Seu comportamento.

O Pai estava chamando os Seus filhos para que o vissem em ação no dia a dia, diante das diversas circunstâncias.


- Não fiz com eles o esperado e merecido para não aviltar (profanar) o Meu nome diante das nações.


Percebemos o que mereciam estes humanos??

Mereciam o extermínio.

Mereciam ser tratados com plena justiça, recebendo o plenamente merecido.

Não deveria Deus praticar a plena justiça??

Se mostrasse ser um Deus de plena justiça, Ele estaria profanando o Seu nome diante das nações??

Bem, pelo menos ficou bem claro que justiça não é o nome de Deus..

Se Ele for um Deus de “justiça” (dar a cada um segundo o que cada um merece), Ele estaria profanando o nome Dele.


Ficou bem claro que o nome de Deus está vinculado a certos princípios que nada têm a ver com a justiça amada e esperada pelo humano.

<>

Percebemos que o “comportamento” do povo nada tinha a ver com o “comportamento” de Deus, não percebemos??

Percebemos que “comportamento” é algo totalmente pessoal e intransferível, não percebemos??

O comportamento de Deus poderia enaltecer o nome invisível do povo, glorificar o povo??

De maneira alguma.

O comportamento do povo poderia denegrir o nome de Deus, profanar o nome invisível de Deus??

De maneira alguma.

Comportamento é uma coisa pessoal, fruto de decisões pessoais.


<>

Ser o povo de Deus.

Afinal de contas, o que é ser povo de Deus??

O que é isso do ponto de vista de Deus??

O que é isso do ponto de vista do povo??

O que o homem de posses vê nesta expressão??

Bem, vamos ver o que este diálogo entre Moisés e Deus nos revelam sobre o que seria ser um povo de Deus.


(Êxodo 33:12-16) 12 Moisés disse a Jeová: Eis que tu me dizes: Faze subir a este povo; e não me declaras quem hás de enviar comigo. Contudo tu disseste: Conheço-te pelo teu nome, também achaste graça aos meus olhos. 13 Agora se achei graça aos teus olhos, mostra-me neste momento os teus caminhos, para que eu te conheça, a fim de achar eu graça aos teus olhos; e considera que esta nação é teu povo. 14 Respondeu-lhe: A minha face irá contigo, e eu te darei descanso. 15 Disse-lhe Moisés: Se a tua face não for comigo, não nos faças subir deste lugar. 16 Pois como se poderá saber que achamos graça aos teus olhos, eu e teu povo? porventura não é em andares tu conosco, de modo que somos separados, eu e teu povo, de todos os povos que se acham sobre a face da terra?

Considera que esta nação é teu povo??

Aos olhos de Moisés, até aquele momento, aquele Deus não considerava aquele povo como sendo Seu povo, o que poderia acontecer à partir daquele momento.

O que tinha Moisés em mente ao fazer este pedido ao Pai??

Depois de Deus considerar a nação como sendo Seu povo, como modificaria o COMPORTAMENTO de Deus em relação a ela e às demais nações??

Dando continuidade ao diálogo, poderemos perceber o que Moisés tinha em mente.

Achamos graça aos teus olhos??

Como se poderá saber que achamos graça aos teus olhos?? Não é por andares conosco?? Se andares conosco não andarás com os outros, não é?? Era uma questão de exclusividade??

Do ponto de vista de Moisés, até aquele momento não havia povo de Deus.

Segundo o pensar de Moisés, Deus iniciaria o reconhecimento de posse daquele povo em plena exclusividade.

Desta forma se mostra que fomos separados e passamos a ser teus??

Como se provará que somos especiais em relação a todos os demais??

Como usar o fato do relacionamento em benefício próprio em relação às demais nações?? Como??

Benefício pessoal em cima das outras nações??

___
O que faz o humano ao estar diante de um grande rebanho de ovelhas, e ele decide que estas e aquelas ovelhas passam a ser seu rebanho??

Bem, ele se apossa das ovelhas que deseja se apossar, sentindo-se dono destas e não dono daquelas outras. Como dono destas, ele vai cuidar destas.

Como não dono daquelas, ele não vai cuidar daquelas. Afinal de contas, que o dono “daquelas”, cuide “daquelas”.


Como o humano escolhia as suas ovelhas??

Escolhia aquelas que ele se agradava. Me agradei destas e não me agradei daquelas.

E assim, o humano fazia a sua escolha e tomava posse daquilo que seus olhos haviam visto como agradáveis.


Agradar – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: sentir-se enamorado, tomar-se de amores



1agradar Datação: sXV

n verbo

transitivo direto, transitivo indireto e intransitivo

1 ser agradável, transmitir satisfação a; dar prazer, contentar

Exs.: agradava os filhos

o garçom agradou aos fregueses

o espetáculo não agradou

pronominal

2 comprazer-se em; experimentar prazer, deleite; sentir-se encantado

Ex.: agradou-se dos presentes recebidos

pronominal

2.1 sentir-se enamorado, tomar-se de amores

Ex.: agradou-se da moça

transitivo direto

3 Regionalismo: Nordeste do Brasil.

fazer agrados, carinhos; afagar

Ex.: com muita naturalidade agradava crianças



Para se agradar de alguma coisa, esta coisa precisa ser “agradável”, logicamente. Algo que dá prazer e provoca o desejo de posse.


Agradável – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: que agrada, satisfaz, que transmite prazer, deleite, que satisfaz ou dá prazer aos sentidos.


agradável Datação: 1441

n adjetivo de dois gêneros

1 que agrada, satisfaz

Ex.: jardim a.

2 que transmite prazer, deleite; prazenteiro

Ex.: momentos a.

3 que demonstra delicadeza, afabilidade; cortês

Ex.: maneiras a.

4 que satisfaz ou dá prazer aos sentidos

Exs.: odor a.

sabor a.


n substantivo masculino

5 aquilo que dá prazer, satisfação

Ex.: unir o útil ao a.



Algo que encanta os olhos.


Encantar – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: envolver ou ser envolvido por algo sedutor; maravilhar(-se)


encantar Datação: sXIII

n verbo

transitivo direto e pronominal

1 submeter (algo, alguém ou a si mesmo) à ação de encanto, feitiço ou magia; enfeitiçar

Exs.: o feiticeiro encantou a princesa, transformando-a em rã

sem que ninguém esperasse, encantou-se num príncipe

transitivo direto e pronominal

2 Derivação: por extensão de sentido.

envolver ou ser envolvido por algo sedutor; maravilhar(-se)

Exs.: a música encantava nossos ouvidos

encantaram-se com os acordes dos violinos

transitivo direto

3 causar grande prazer a

Ex.: a boa notícia encantou-a

transitivo direto e pronominal

4 tornar(-se) invisível; fazer sumir ou sumir

Exs.: encantou-o com um gesto, fazendo a sala ficar vazia

o visitante encantou-se, esfumaçou-se, sumiu



Será que o Pai se deixaria encantar pelo povo??

O que tinha o povo para encantar a Deus??


Ficou bem claro, não ficou??

Aquele que escolhe, escolhe por causa de si mesmo. Escolhe por causa do prazer da escolha e do prazer que a coisa escolhida poderá lhe proporcionar.

Aquele que escolhe está pensando em si mesmo e no prazer que o escolhido poderá trazer para ele.

Esta é a escolha do ponto de vista do humano.

Era exatamente isso o que Moisés tinha em mente, quando falou em Deus considerar ele e aquela nação como Seus.

O que disse mesmo Moisés??


O povo exclusivo de Deus. > Moisés falou em exclusividade. Somos assim, os “separados” de todos os povos.

O povo que Deus se agradou. > Moisés falou em cair nas graças de Deus.

O povo com quem Deus andaria. > Moisés fala em Deus andar com o Povo diante das demais nações.


Moisés achava que poderia viver nas graças do Pai.

Será que conseguiria??

Passariam a viver nas graças do Pai??

Haviam caído nas graças de Deus??


Viver na graça de Deus??


Graça – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: favor ou benefício concedido por Deus a um fiel; boa vontade para com (alguém); benevolência, estima; dom que Deus concede aos homens e que os torna capazes de alcançar a salvação


graça Datação: sXIII

n substantivo feminino

1 favor que se dispensa ou recebe; mercê, dádiva

2 Rubrica: teologia.

dom que Deus concede aos homens e que os torna capazes de alcançar a salvação

3 Rubrica: teologia.

favor ou benefício concedido por Deus a um fiel

4 boa vontade para com (alguém); benevolência, estima

5 Rubrica: direito penal.

ato do chefe de uma nação pelo qual a pena de determinado preso é extinta ou comutada; perdão

6 nome (de alguém)

7 elegância e leveza de formas, do porte e/ou dos movimentos; graciosidade

Ex.: a bailarina dança com muita g.

8 qualidade do que é engraçado; comicidade

Ex.: escreve comédias com muita g.

9 ação engraçada ou divertida; brincadeira, divertimento, momice

Exs.: o avô se encanta com as g. dos netos

de que estão rindo, qual é a g.?


ª graças

n substantivo feminino plural

10 ação de agradecer; agradecimento(s), reconhecimento

Exs.: dar g. a Deus

dia de ação de g.

11 us. interjetivamente, expressa agradecimento; obrigado

12 Rubrica: mitologia grega.

as três deusas (Tália, Aglaia e Eufrosina) que personificam o dom de agradar

Obs.: inicial maiúsc.




Será que Deus pensava da mesma maneira que Moisés pensava??

Será que Deus sentia da mesma forma como Moisés sentia??

Bem, do ponto de vista do Pai, o que isso representaria para o povo??


O que disse a rainha de Sabá para Salomão??


(1 Reis 10:9) 9 Que Jeová, teu Deus, venha a ser bendito, aquele que se agradou de ti, pondo-te no trono de Israel; porque Jeová ama a Israel por tempo indefinido, de modo que te designou como rei para fazer decisões judiciais e justiça.”


Para Que Deus tivesse escolhido Salomão era porque Deus havia se agradado de Salomão.

Este foi o motivo da escolha.. Deus se agradou de você..

Se Deus é o Poderoso, então você é o “cara” do Poderoso. Você é o “cara” do agrado do Poderoso.


Como se sentia Davi??

O que pensava Davi, alguns séculos depois de Moisés??


(Salmos 18:18-19) 18 Confrontavam-me no dia do meu desastre, Mas Jeová veio a ser um esteio para mim. 19 E ele passou a levar-me para fora a um lugar espaçoso; Socorria-me porque se agradara de mim.


Tradução Brasileira reza:

(Salmos 18:18-19) 18 Eles me acometeram no dia da minha calamidade; Mas Jeová tornou-se o meu amparo. 19 Ele me tirou para um lugar espaçoso; Livrou-me, porque tinha prazer em mim.


Neste caso, os humanos afirmavam que Deus fazia Suas escolhas entre humanos, PORQUE se agradava deste ou daquele humano, assim como os humanos fazem suas escolhas.

Neste caso, os humanos estavam atribuindo a Deus, a personalidade que eles humanos tinham, atribuindo a Deus a mesma motivação que tinham em tomarem suas ações de escolhas entre humanos.


Bem, durante milênios, os humanos continuavam atribuindo a Deus a mesma personalidade que tinham, ou seja, atribuindo a Deus as motivações que eles humanos tinham como base para tomarem suas decisões.


Meu pai, eu quero aquela mulher para mim PORQUE eu me agradei dela, eu fiquei encantado com ela. Quanto às outras, eu não me agradei de nenhuma delas..


E assim, o humano escolhe outros humanos em face do AGRADO que sente por este ou aquele humano.


Para uns o AGRADO, enquanto para os outros o DESAGRADO.


Aquele do agrado, o escolhido, passa a ter um VALOR acima de todos os demais. É atribuído a este, o escolhido, uma estima acima dos demais e uma consideração acima dos demais.


- Eu escolhi este cavalo. Ele é do meu agrado. Tudo o que acontece com ele é do meu interesse. Me importo com tudo o que acontece com ele. Quero tudo do melhor para ele. Para mim ele é o mais importante entre todos os outros. O valor dele para mim é bem superior que o valor dos outros.


Alguma dúvida??

O escolhido tem ou passa a ter um DIFERENCIADO valor em relação aos não escolhidos.


Assim se comporta o humano.


Seria este TAMBÉM o COMPORTAMENTO de Deus??


Bem, Moisés achava que sim.


Demais humanos também achavam que sim.


>> Bem, vamos voltar a falar sobre o comportamento de Deus em relação ao convívio com o povo de Deus.


Vamos ver o que o Pai falou.


(Êxodo 33:2-3) 2 Enviarei um anjo adiante de ti; e lançarei fora os cananeus, os amorreus, os heteus, os perizeus, os heveus e os jebuseus.
3 Sobe para uma terra que mana leite e mel. Eu não subirei no meio de ti, porque és povo de cerviz dura; para que não te consuma eu no caminho.

Havia algo em relação a agrado?? Estava Deus encantado com o povo??

Tu és um povo de dura cerviz.

Tu és um povo rebelde.


Eu não vou andar junto com vocês. Se eu andar com vocês, vocês correm o risco de eu exterminar vocês.


Havia motivo para tal coisa tão extrema??

O Pai afirmou que sim..


O Pai ratifica no mesmo diálogo, deixando bem claro a situação do povo escolhido.


(Êxodo 33:5) 5 Pois Jeová disse a Moisés: Dize aos filhos de Israel: Tu és um povo de cerviz dura. Se por um só momento eu subir no meio de ti, te consumirei; portanto tira de ti os atavios, para que eu saiba o que te hei de fazer.

>>Se eu subir junto com vocês, em qualquer momento, Eu posso te consumir, Eu posso te exterminar.

Vejam, em qualquer momento Eu posso exterminar vocês.


>> Este é um grave problema do nosso relacionamento, vocês não acham??


O que será que impediria o Pai de exterminar alguém tão insistentemente rebelde a este ponto??

Como seria resolvido este relacionamento, sem que houvesse o extermínio do povo??


1 - O povo deixaria de ser rebelde?? Deixaria o povo de ser um povo de dura cerviz??

2 – O Pai, muito embora tivesse os motivos e a vontade de exterminá-los, REFREARIA esta vontade para o benefício do povo??


Bem, estas eram as duas opções possíveis para este problema. Esta incógnita precisava ser resolvida, não é mesmo??

Depois de informar ao povo o grande problema que tinha povo em ter o Pai andando junto com Ele, o Pai afirmou que iria ver o que iria fazer.

Bem, durante este tempo, o que fez o povo??

Será que também foi pensar no que poderiam fazer para resolver aquele problema de relacionamento??

O que o povo tinha decidido fazer após receber aquela informação do Pai em relação a incompatibilidade de andarem juntos??

Bem o povo começou a chorar..

Começou a chorar??

Sim.

Por que será que choravam??

Será que era de tanta vergonha de serem um povo de dura cerviz como o Pai lhes havia informado??

Ou será que choravam por ouvirem dizer que o Pai não iria com eles, e que eles tinham medo do Todo Poderoso não estar andando junto com eles??

A presença visível do Pai lhes dava a sensação de segurança em relação aos povos ali??

Será que era por isso que choravam??


Se aproximaram do Pai para negociar uma redução de sua condição de povo de dura cerviz??


- Papai, já que o Senhor nos informou sobre a nossa real condição tão rebelde assim, que tal o Senhor nos ajudar a deixarmos de ser tão rebeldes. O Senhor tem esta capacidade, não tem?? Papai, o que devemos fazer para deixar de ser tão rebelde??


Não foi isso o que fizeram, foi??

Não, não foi.


Povo de Deus – Será que passavam a ser uma das “posses” de Deus??

Seria a mesma coisa de meu cachorro, minha gata, minha casa, meu dinheiro??

Passavam a ser uma propriedade de Deus??

Foi este o pedido de Moisés, não foi??


e considera que esta nação é teu povo.



Papai, os demais não são teu povo, mas nós, a partir de agora pedimos para ser o teu povo.

O que desejava Moisés??

Desejava ser uma propriedade de Deus, quando os outros não eram??

O que isto significaria de forma prática??

Aquilo que os outros povos faziam entre si, nada representava para Deus. Os outros povos não poderiam encostar na propriedade de Deus, pois estariam indo contra o próprio Deus, um verdadeiro abuso.

>- Ei vocês aí, nenhum de vocês podem encostar no nosso povo, pois nós somos uma propriedade de Deus.

> - Se vocês fizerem alguma coisa contra nós, a propriedade de Deus, Deus passará a ter inimizade por vocês.

> - Ei vocês aí, nós podemos fazer qualquer coisa contra vocês, pois nós somos a propriedade de Deus, logo, Deus SEMPRE estará no nosso lado.

Sabe de uma coisa, esse negócio de ser propriedade de Deus é bem vantajoso, não é?? Você sempre terá Deus do teu lado. Fique sempre do povo que acolheste como teu e contra todos os outros que não são teus.

Será que o Pai acompanhava este espetáculo de pleno egoísmo?? Concordava com este espetáculo de pleno egoísmo??

Já vimos acima que o Pai havia informado a Sua vontade de Deus ao povo, e o que povo não havia OBEDECIDO a vontade anunciada de Deus. Vimos que Deus deixou de exterminar o povo DESOBEDIENTE em face do amor que Ele tem pelo Seu próprio nome.

Vimos também acima que o Pai informou ao povo a sua condição de povo de dura cerviz e do perigo constante que corria o povo de ser exterminado por Ele.

Este fato, ou seja, o extermínio do povo só não se deu em face do Pai ter um grande amor ao Seu próprio nome.

Será que não foram exterminados por serem o povo da GRAÇA de Deus?? Seriam eles os agraciados de Deus??

Porém o fiz por amor do meu nome, para que ele não fosse profanado à vista das nações, a cujos olhos os fiz sair.

Agora vejamos uma outra informação do Pai sobre o povo escolhido, povo que deseja se tornar uma propriedade de Deus, usufruindo assim a proteção de Deus.

(Jeremias 13:3-11) 3 Pela segunda vez veio-me a palavra de Jeová, dizendo: 4 Toma o cinto que compraste, o qual está sobre os teus lombos; levanta-te, vai ao Eufrates e esconde-o ali na fenda duma pedra. 5 Fui, pois, e escondi-o junto ao Eufrates, como Jeová me ordenou. 6 Passados muitos dias, disse-me Jeová: Levanta-te, vai ao Eufrates e toma dali o cinto, que te ordenei que o escondesses ali. 7 Então fui ao Eufrates, cavei e tomei o cinto do lugar em que o havia escondido; eis que já tinha apodrecido o cinto, e para nada prestava. 8 Então me veio a palavra de Jeová, dizendo: 9 Assim diz Jeová: Deste mesmo modo farei apodrecer a soberba de Judá e muita soberba de Jerusalém. 10 Este povo mau que recusa ouvir as minhas palavras, que anda na obstinação do seu coração e já se foi após outros deuses para os servir, e para os adorar, será tal qual este cinto, que para nada presta. 11 Pois assim como se une o cinto aos lombos dum homem, assim fiz unir-se a mim toda a casa de Israel e toda a casa de Judá, diz Jeová; para que me fossem por povo, e por nome, e por louvor, e por glória. Porém não quiseram ouvir.

O cinto, um objeto de posse, tornou-se algo que para nada prestava, a não ser para ser jogado fora.

Eu escolhi este povo para ser tal qual um cinto para Mim.

Para que Eu os escolhi??

para que me fossem por povo, e por nome, e por louvor, e por glória.

Para que a vontade do Pai fosse feita, o que era necessário??

Porém não quiseram ouvir.

O que fazia o povo??

Este povo mau que recusa ouvir as minhas palavras,

Além de se recusar a ouvir e praticar as informações dadas pelo Pai, o que mais fazia o povo??

anda na obstinação do seu coração e já se foi após outros deuses para os servir, e para os adorar,

O que é mesmo adorar??

Adorar a Deus é OBEDECER às informações de Deus.

Seria o “adorar” um simples praticar de culto cheio de danças e cantos?? Seria o “adorar” a prática de rituais definidos em um livro??

O que falou o Pai??

Eles são um povo mau. Era um povo constituído de pessoas más.

O povo anda na obstinação do seu coração humano (atrás das coisas que o humano gosta) e vai atrás de outros deuses para os servir e adorar.

Quem eram estes outros deuses??

Era qualquer um que lhes trouxessem palavras agradáveis aos seus corações humanos, cheios de desejos humanos.

O que o Pai lhes dava??

Lhes dava a Sua palavra.


Ora o que a palavra do Pai informava ao filho individual??

Informava ao filho individual o que o Pai esperava dele, filho, no seu dia a dia, se relacionando com seus outros irmãos.

Se o filho obedecesse, o filho se tornaria algo que o Pai sentiria orgulho, pois as outras nações louvariam a Deus em face do COMPORTAMENTO daquele povo, um grupo de filhos.

Aquele povo não tinha um COMPORTAMENTO segundo a vontade de Deus, no entanto, tinham um comportamento segundo a vontade de seus próprios corações humanos.

Tratava-se de uma guerra de vontades.

Eles deveriam fazer a vontade de Deus, no entanto, seguiam as vontades de seus corações humanos.

Ao ouvirem o que desejavam ouvir de um humano qualquer eles abandonavam a informação do Pai e obedeciam àquilo que aquele humano havia falado.

Vamos ver as informações paralelas de Jesus??

> - Cuidado para não vos tornardes algo que não vale para nada..

(Mateus 5:13) 13 Vós sois o sal da terra; se o sal se tiver tornado insípido, como se poderá restaurar-lhe o sabor? para nada mais presta, senão para ser lançado fora e pisado pelos homens.

> - Ao contrário, se tornem como um cinto que seja por nome, por louvor e por glória.

(Mateus 5:14-16) 14 Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade situada sobre um monte; 15 ninguém acende uma candeia e a coloca debaixo do módio, mas no velador, e assim alumia a todos os que estão na casa. 16 De tal modo brilhe a vossa luz diante dos homens, que eles vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus.

Qual era o sentimento que o povo tinha pelas normas de comportamento saídas da boca do Pai??

(Levítico 26:43) 43 A terra também será deixada por eles e folgará nos seus sábados, sendo assolada por causa deles; e eles tomarão por bem o castigo da sua iniqüidade, em razão mesmo de que rejeitaram os meus preceitos e a sua alma desprezou os meus estatutos.

Eles sentiam desprezo pelos mandamentos do Pai para o dia a dia deles??

Sim, sentiam.

Como ainda tinham coragem de afirmar que estavam obedecendo a Deus, se sentiam desprezo pelos mandamentos de Deus??

O que mais disse o Pai para o povo??

(Jeremias 16:11-13) 11 então lhes responderás: Porque vossos pais me abandonaram, diz Jeová; porque andaram após outros deuses, os serviram e os adoraram; porque me abandonaram, e não guardaram a minha lei. 12 Vós fizestes o mal ainda mais do que vossos pais; pois eis que andais, cada um após a obstinação do seu mau coração, de modo que não me escuteis. 13 Portanto eu vos lançarei fora desta terra para uma terra que não conhecestes, nem vós nem vossos pais; ali servireis a outros deuses de dia e de noite; pois não concederei favor algum.

Vossos pais me abandonaram e não guardaram minha lei..

Quando foi que começou??

Quando saíram do Egito, quando estavam no deserto, quando chegaram em Canaã....

Vós fizestes pior do que os vossos pais.

Eis que andais, CADA UM após a obstinação de seu mau coração.

Um coração sempre pronto para fazerem maldade.

Ora, é óbvio que sentiam total desprezo pelos mandamentos de Deus..

O que o povo amava fazer??

(Isaías 59:2-8) 2 mas as vossas iniqüidades são as que fizeram uma separação entre vós e o vosso Deus, e os vossos pecados fizeram-lhe esconder de vós o seu rosto, de sorte que não vos ouça. 3 Pois as vossas mãos estão manchadas de sangue, e os vossos dedos de iniqüidade; os vossos lábios falam mentiras, a vossa língua profere a iniqüidade. 4 Não há ninguém que invoque a justiça com retidão, nem há quem pleiteie com verdade; confiam na vaidade, e falam mentiras; concebem o mal e dão à luz iniqüidade. 5 Chocam ovos de basiliscos, e tecem teias de aranha; o que comer dos ovos deles, morrerá, e se um dos ovos for pisado, sairá uma víbora. 6 As suas teias não servirão para vestidos, nem os homens se cobrirão das obras deles; as suas obras são obras de iniqüidade, e atos de violência estão nas suas mãos. 7 Os seus pés correm para o mal, e se apressam para derramar o sangue inocente; os seus pensamentos são pensamentos de iniqüidade; a desolação e a destruição acham-se nas suas veredas. 8 O caminho da paz eles não o conhecem; e não há juízo nos seus passos; fizeram para si veredas tortas; todo o que anda por elas, não conhece a paz.

Enquanto seus pés corriam para praticarem toda maldade, seus atos de bondade eram como nuvens da manhã.

(Oséias 6:4) 4 Que te farei, ó Efraim? que te farei, ó Judá? porque a vossa bondade é como a nuvem da manhã e como o orvalho que cedo passa.

A Tradução Almeida assim reza:

(Oséias 6:4) 4 Que te farei, ó Efraim? que te farei, ó Judá? porque o vosso amor é como a nuvem da manhã, e como o orvalho que cedo passa.

O que gostavam de fazer??

Maldades.

O que abominavam fazer??

Bondades.

Afinal de contas, o que Deus pedia??

(Miquéias 6:8) 8 Ele te há mostrado, ó homem, o que é bom; e que é o que Jeová requer de ti, senão que procedas com justiça, e ames a misericórdia, e andes humilde com o teu Deus?

É claro que aquilo que o Pai pedia estava em plena oposição ao mau coração daquele povo.

Enquanto o Pai lhes pedia para fazerem bondades, eles amavam praticar suas maldades.

O Pai lhes pedia para praticarem a misericórdia. Não só praticar, antes deviam amar a misericórdia.

Misericórdia – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: sentimento de dor e solidariedade com relação a alguém que sofre uma tragédia pessoal ou que caiu em desgraça; dó, compaixão, piedade

misericórdia Datação: sXIV

n substantivo feminino

1 sentimento de dor e solidariedade com relação a alguém que sofre uma tragédia pessoal ou que caiu em desgraça; dó, compaixão, piedade

2 ato concreto de manifestação desse sentimento, como o perdão; indulgência, graça, clemência


n interjeição

3 exclamação de alguém que pede que o livrem de castigo, de ato de violência ou da morte



A misericórdia é um sentimento.

Deviam amar praticar a misericórdia.

Deviam sentir prazer em praticarem a misericórdia. Deviam sentir felicidade em prestar solidariedade, em sentir dó, em sentir piedade.

Sentir dó e piedade de quem??

Ora, tanto da vítima quanto do agressor.

Não era para sentir piedade da vítima e ódio do agressor, passando a praticar maldades contra o agressor.

Cada um daqueles humanos deveriam ser uma fonte de misericórdia, uma fonte de solidariedade, uma fonte de dó, uma fonte de compaixão.

Só quem ama a misericórdia é que consegue ser uma fonte de misericórdia.

Eles sempre encontravam motivos plenamente válidos em suas mentes deturpadas para serem pessoas más e praticarem a maldade contra seus semelhantes.

Vejamos algumas situações em que o Pai usa a expressão “Meu povo”.

(Jeremias 4:22)22 Deveras o meu povo é insensato, já me não conhece; são filhos obtusos, e não entendidos; são sábios para fazerem o mal, mas não sabem fazer o bem.

(Jeremias 9:2) 2 Oxalá que eu tivesse no deserto um albergue de viandantes, para poder deixar o meu povo, e me apartar deles! porque todos eles são adúlteros, assembléia de prevaricadores.

(Jeremias 31:33) 33 Mas esta é a aliança que farei com a casa de Israel depois daqueles dias, diz Jeová: Imprimirei a minha lei no seu interior, e a escreverei no seu coração; eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo;

(Isaías 3:12) 12 Quanto ao meu povo, os que o oprimem, são crianças, e mulheres dominam sobre eles. Ó povo meu, os que te guiam, te enganam, e destroem o caminho das tuas veredas.

Bem, será que em alguma destas quatro situações acima, Deus está revelando o seu AGRADO do povo??

Trata-se do povo do agrado de Deus??

Em nenhum momento até agora se vê este povo como sendo o povo do agrado de Deus, conforme o desejo externado de Moisés.

Desde o Egito até os dias dos profetas Jeremias e Ezequiel, o Pai revelou que o povo era rebelde em relação às suas palavras, palavras que revelavam a Sua vontade em relação ao COMPORTAMENTO do povo. Era a vontade do Pai que o povo tivesse um COMPORTAMENTO igual ao Dele, para poder levar glória a Ele diante das demais nações.

No entanto, o COMPORTAMENTO do povo era oposto ao esperado por Deus.

Enquanto o Pai esperava um “comportamento misericordioso”, o povo era mau e tinha um comportamento mau.

Eram um povo mau, um povo sábio em fazer maldades, quando o Pai desejava que fossem bondosos e misericordiosos.

Era um povo que abominava as normas de comportamento do Pai. Se OBEDECESSEM as normas de comportamento dadas pelo Pai, eles seriam pessoas bondosas e misericordiosas.

Neste caso perguntamos: As normas de comportamento de quem obedeciam este povo de Deus??

O Pai dizia de forma bem clara: Vocês seguem os vossos maus corações e outros deuses.

Quem eram estes deuses??

Eram humanos que apregoavam normas de comportamento opostas às normas de comportamento de Deus.

Veja esta norma de comportamento dada pelo Pai, cuja motivação é o amor:

(Levítico 19:18) 18 Não te vingarás nem guardarás ira contra os filhos do teu povo, mas amarás o teu próximo como a ti mesmo: eu sou Jeová.

O que diz mesmo esta norma de comportamento??

Diz que o meu comportamento quando alguém praticar uma agressão qualquer contra mim, deve ser o de não me vingar, não fazer a mesma coisa agressiva.

O que fazer com o agressor??

Ora, tenha misericórdia dele e trate ele com misericórdia.

Trate-o com indulgência, perdão, graça e clemência.

Segundo esta norma, o meu comportamento deve ser continuamente baseado no amor ao meu próximo. Um contínuo amor ao próximo como a mim mesmo.

Continuar amando o meu próximo, mesmo que haja uma agressão da parte dele.

Da minha parte não deve haver agressão.

Esta norma de comportamento do Pai é bem clara e simples.

No entanto, esta norma de comportamento era abominada, pois o humano praticava a retaliação no seu dia a dia.

Eles obedeciam outras normas de comportamento, e ainda diziam que eram de Deus.

Vejam estas normas de comportamento amadas pelo povo.

(Levítico 24:19-21) 19 Se alguém causar um defeito em seu próximo; como fez, assim se lhe fará a ele: 20 quebradura por quebradura, olho por olho, dente por dente; como causou um defeito num homem, assim se lhe retribuirá a ele. 21 Quem matar a um animal por este fará restituição; quem matar a um homem certamente será morto.

Não é clara esta norma de comportamento??

Se alguém causar um defeito em seu próximo; como fez, assim se lhe fará a ele

Como causou um defeito num homem, assim se lhe retribuirá a ele.



É uma norma clara e simples, não é??

Qual é o comportamento resultante??

Plena retribuição.

Se ele te odiar, odeie a ele também.

O homem tinha encontrado motivos válidos para deixar de amar o seu próximo como a si mesmo??

Era isso o que estava acontecendo??

Eles amavam somente aqueles que os amavam..

Como é que eu vou amar alguém que não me ama??

Como vou continuar amando alguém que me faz um mal??

Onde ficava a misericórdia?? Não ficava. Era abominada.

Se eu fizer o mal contra quem é mau, então eu não estou sendo mau.. Bem, este era o pensamento e o sentimento daquele povo. Estavam seguindo os seus corações.

Não era este o COMPORTAMENTO que o Pai esperava deles e que havia pedido a eles.

Eles NÃO CONCORDAVAM com o tipo de comportamento que o Pai esperava deles. Não concordavam com a misericórdia. Eles abominavam usar misericórdia para com pecadores.

Eles tinham aversão a este tipo de comportamento.

Indo mais fundo no comportamento ao ser ofendido, eles criaram esta norma de comportamento bem interessante:

(Deuteronômio 19:16-20) 16 Se uma testemunha maliciosa se levantar contra alguém para o acusar de algum transvio; 17 ambos os homens que tiverem a demanda comparecerão perante Jeová, perante os sacerdotes e os juízes que houver naqueles dias. 18 Os juízes indagarão bem; se a testemunha for falsa, e tiver dado falso testemunho contra seu irmão, 19 tratá-lo-eis como ele tinha intento de tratar a seu irmão; assim exterminarás o mal do meio de ti. 20 Os restantes ouvirão, e temerão, e nunca mais tornarão a cometer semelhante mal no meio de ti.

Indo além do mal realmente praticado, esta norma de comportamento definia que, aquilo que foi intencionado fazer contra alguém deveria ser pago com a maldade planejada.

Onde ficava a misericórdia?? Não ficava.

Quem é que deveria usar de misericórdia??

Não era a vítima a primeira a sentir misericórdia do seu agressor??

As testemunhas não deveriam acompanhar o sentimento de misericórdia da vítima em relação ao agressor??

No entanto, o que percebemos??

Não era um sentimento totalmente oposto??

Quanto mais importante se sente o ofendido, maior perigo correrá o ofensor.

> Se você souber que aquele homem sente ódio passivo por você, então odeio-o com ódio ativo.

Estes humanos estavam sempre prontos para praticarem uma maldade.

Vivendo no meio de tantos inimigos reais ou imaginários, como se comportavam estes homens??

Eram reconhecidos como pacíficos e pacificadores??

Eram reconhecidos como misericordiosos??

O Pai já disse o que estes homens eram, não disse??

Vamos ver outra vez??

Esta descrição dada pelo Pai ao Seu povo revelava que o Pai não se AGRADAVA do Seu povo, muito embora, o povo pensasse o oposto.

Viviam se sentindo como o povo que Deus tinha AGRADO.

Sentiam-se muito mais valorizados do que os demais habitantes de Canaã.

Não foi sem motivos que o COMPORTAMENTO do povo de Deus era o pior comportamento entre os iníquos.

O pior entre todos os iníquos??

Sim, isso mesmo.

Quem foi que disse isso??

Quem mais, além do Pai??

O Pai disse:

(Ezequiel 5:5-7) 5 Assim diz o Senhor Jeová: Esta é Jerusalém. No meio das nações a pus, e ao redor dela estão os países. 6 Ela se rebelou contra os meus juízos, praticando iniqüidade mais do que as nações, e transgredindo os meus estatutos mais do que os países que estão ao redor dela; pois os seus habitantes rejeitaram os meus estatutos, e quanto aos meus estatutos, neles não andaram. 7 Portanto assim diz o Senhor Jeová: Porque sois mais turbulentos do que as nações que estão ao redor de vós, e não tendes andado nos meus estatutos, nem guardado os meus juízos, nem procedido segundo as ordenanças das nações que estão ao redor de vós;

Alguma dúvida sobre o que era o povo de Deus, aos olhos de Deus, obviamente??

Aquela que tinha o COMPORTAMENTO mais iníquo entre todos os humanos.

O povo de Deus tinha o COMPORTAMENTO mais iníquo entre todos os demais povos.

Como resultado de buscarem a amarem outras normas de comportamento, tiveram o comportamento mais iníquo entre todos os povos.

Era um povo mau??

Sim era.

Eles juravam pra todo mundo que suas normas de comportamento tinham sido dadas por Deus.

No entanto, era mentira.

O Pai deixou bem claro que nada tinha a ver com aquelas outras normas de comportamento não baseadas no amor contínuo, normas amadas e obedecidas pelo povo.



Eram o povo de Deus??

Sim, eram.

No entanto, nada tinham a ver com Deus.

Eram o povo de Deus que tinha um COMPORTAMENTO oposto ao comportamento de Deus.

Eram o povo de Deus, mas não obedeciam a Deus.

E o que dizer dos recabitas??



O que disse o Pai sobre os recabitas, o povo de Jonadabe??

(Jeremias 35:18-19) 18 À casa dos recabitas disse Jeremias: Assim diz Jeová dos exércitos, Deus de Israel: Porque haveis obedecido o mandamento de Jonadabe, vosso pai, guardando todos os seus preceitos, e fazendo segundo tudo o que vos ordenou; 19 portanto assim diz Jeová dos exércitos, Deus de Israel: A Jonadabe, filho de Recabe, não lhe faltará nunca varão que assista diante de mim para sempre.

O povo de Jonadabe OBEDECIA aos mandamentos de Jonadabe, um homem que já estava morto.

Apesar das dificuldades, aquele povo continuava OBEDECENDO as normas de comportamento dadas a eles por Jonadabe.

O Pai fez questão de fazer uma comparação entre os dois povos, para exaltar a OBEDIÊNCIA.

O Pai também falou que em certo tempo no futuro, aqueles que já eram o povo de Deus passariam a ser o povo de Deus.

Conseguiu entender??

Eles eram o povo de Deus, mas desobedientes.

Nada tinham a ver com a personalidade deste Deus.

A partir do momento em que passassem a OBEDECER a Deus, eles, já um povo de Deus, passaria a ser um povo de Deus.

Assim disse o Pai:

(Jeremias 31:33) 33 Mas esta é a aliança que farei com a casa de Israel depois daqueles dias, diz Jeová: Imprimirei a minha lei no seu interior, e a escreverei no seu coração; eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo;

(Jeremias 24:7) 7 Dar-lhes-ei coração para que me conheçam, que eu sou Jeová; eles serão o meu povo, e eu serei o seu Deus. Pois se voltarão para mim de todo o seu coração.

(Ezequiel 36:26-28) 26 Também vos darei um coração novo, e dentro de vós porei um espírito novo; tirarei da vossa carne o coração de pedra, e dar-vos-ei um coração de carne. 27 Dentro de vós porei o meu espírito, e farei que andeis nos meus estatutos, e guardareis os meus juízos e os praticareis. 28 Habitareis na terra que dei a vossos pais; vós sereis o meu povo, e eu serei o vosso Deus.


Agora sim. O povo de Deus finalmente será povo de Deus.

Agora haveria a plena caracterização entre o povo e o Deus do povo. Haveria uma ligação de identidade entre o povo e o seu Deus. Como isto aconteceria??

O povo OBEDECERIA as normas de comportamento de Deus, identificando-se assim com o Deus deles. Seriam reconhecidos e identificados como aqueles que faziam a vontade de Deus, assim como os recabitas eram reconhecidos e identificados como aqueles que obedeciam as normas de comportamento de Jonadabe, filho de Recabe.

Percebemos que tanto o Deus quanto o povo deveriam pensar e sentir da mesma maneira??

Os descendentes de Jonadabe concordavam com a informação saída da mente e boca de Jonadabe.

Exatamente por CONCORDAREM com a informação de Jonadabe é que eles se COMPORTAVAM da mesma forma como Jonadabe se comportou e pediu para eles se comportarem.

Deveriam ter uma unidade de pensamentos e de sentimentos.

Jonadabe e seus descendentes estavam em uma só sintonia.

Sintonia – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: acordo, similitude no sentir e no pensar; harmonia, reciprocidade, sintonização

sintonia Datação: 1858

n substantivo feminino

1 Rubrica: eletricidade.

qualidade de seleção dos receptores nos quais as emissões de frequências (diferentes daquela que corresponde à regulação do ressoador) produzem um efeito mínimo

2 Rubrica: psicologia.

estado das pessoas sintônicas, que se encontram em harmonia ou correspondência com o meio

3 Rubrica: radiofonia.

estado de dois sistemas suscetíveis de emitir e receber oscilações radioelétricas da mesma frequência

4 Derivação: sentido figurado.

acordo, similitude no sentir e no pensar; harmonia, reciprocidade, sintonização

Ex.: a mesa e os membros da reunião demonstraram rara s. de ideias

4.1 Derivação: sentido figurado.

simpatia que aproxima duas ou mais pessoas; sintonização

Ex.: tão logo se viram, entraram em s.



Deveria haver semelhança entre Deus e o povo de Deus, assim como havia semelhança entre Jonadabe e os descendentes de Jonadabe.

Semelhança – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: qualidade de semelhante; parecença entre seres, coisas ou ideias que têm elementos conformes, independentemente daqueles que são comuns à espécie; analogia, identidade

semelhança Datação: sXIII

n substantivo feminino

1 qualidade de semelhante

2 parecença entre seres, coisas ou ideias que têm elementos conformes, independentemente daqueles que são comuns à espécie; analogia, identidade

Ex.: são irmãos mas entre eles não há s. alguma

3 conformidade entre o modelo e o objeto imitado em arte

Ex.: é grande a s. entre o original e a cópia

4 aparência exterior; aspecto

Ex.: Deus fez o homem à sua imagem e s.

5 comparação entre duas coisas; confronto, cotejo, paralelo

Ex.: entre os dois trabalhos não se pode traçar s.



Semelhante – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: que é da mesma espécie, qualidade, natureza ou forma, em relação a outro ser ou coisa; similar; que é muito parecido; idêntico, análogo

semelhante Datação: sXIII

n adjetivo de dois gêneros

1 que é da mesma espécie, qualidade, natureza ou forma, em relação a outro ser ou coisa; similar

Exs.: pessoas s.

ideias s.

2 que é muito parecido; idêntico, análogo

Ex.: a música era s. a uma que embalara sua infância

2.1 parecido com o modelo

Ex.: cópia muito s.

3 Rubrica: geometria.

diz-se de figura geométrica em relação de homotetia a outra


n substantivo masculino

4 pessoa ou objeto da mesma natureza de outro, ou similar a outro

5 Derivação: por extensão de sentido.

m.q. próximo ('qualquer')


n pronome

6 como demonstrativo, refere-se comparativamente a algo já expresso anteriormente; tal

Ex.: não caia em s. erro



Bem ficou bem claro, não ficou??

O povo de Deus deveria ser semelhante a Deus.

O povo de Jonadabe era semelhante a Jonadabe.

Estou me lembrando de uma frase falada por Deus lá no princípio em relação ao humano.

(Gênesis 1:26) 26 Disse também Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança: domine ele sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todo o réptil que se arrasta sobre a terra.

O povo de Deus deveria ser a imagem e semelhança de Deus.

Como é que o humano seria a imagem e semelhança de Deus??

Ora, por se COMPORTAR igual a Deus.

Como é que o humano conseguiria tal coisa??

Por ouvir o que Deus tinha a dizer, concordar com o que Deus diz e fazer a mesma coisa que Deus faz.

Lembrei-me de outra informação, agora dada por Jesus.

Ele disse: Deveis ser unidade comigo, ASSIM COMO, eu sou unidade com o Pai.

(João 10:29-30) 29 Aquilo que meu Pai me deu é algo maior do que todas as outras coisas, e ninguém as pode arrebatar da mão do Pai. 30 Eu e o Pai somos um.”



(João 17:20-23) 20 Não rogo somente por estes, mas também por aqueles que crêem em mim por meio da sua palavra; 21 a fim de que todos sejam um, e que, como tu, Pai, és em mim e eu em ti, também sejam eles em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste. 22 Eu lhes tenho dado a glória que tu me tens dado, para que sejam um como nós somos um; 23 eu neles e tu em mim, para que sejam aperfeiçoados em um; e para que o mundo conheça que tu me enviaste e que tu os amaste, como também amaste a mim.

Jesus mostrou ser a semelhança do Pai??

Concordava Jesus com o Pai??

O que ele disse em relação a isso??

(João 5:19) 19 Jesus, pois, lhes disse: Em verdade, em verdade vos digo que o Filho nada pode fazer de si mesmo, senão o que vir o Pai fazer; porque tudo o que ele fizer, o faz também semelhantemente o Filho.

Como é que Jesus é um com o Pai??

  1. Eu e o Pai somos um.”

  2. para que sejam um como nós somos um;

  3. o Filho nada pode fazer de si mesmo, senão o que vir o Pai fazer; porque tudo o que ele fizer, o faz também semelhantemente o Filho.

<> Mesma maneira de pensar, mesma maneira de falar, mesma maneira de sentir e mesma maneira de agir.

Somente desta forma é que Jesus poderia ser semelhante a seu Pai.

Em face de tal semelhança nas palavras e nas atitudes, poder-se-ia dizer em relação a Jesus: tal Pai, tal Filho.

De forma análoga, deveria ser possível dizer: tal Deus, tal povo.

Para que isso fosse possível, cada filho de Deus naquele povo de Deus deveria pensar, sentir e falar como Deus.

Para que tal frase pudesse ser dita, era necessário que cada filho fosse a imagem e semelhança de Deus, exatamente como o Pai havia anunciado ser a Sua vontade.

No entanto, esta vontade não depende só do Pai.

Cada filho precisa concordar plenamente com o SENTIR do Pai.

O que motiva o Pai a tomar Suas decisões??

A motivação do Pai é SEMPRE o AMOR.

Sendo o Amor a fonte de motivação do Pai, o amor também deve ser a fonte de motivação de cada filho.

O amor é um sentimento, não é??

O que disse o Pai??



Neste caso, para o humano poder ser uma semelhança de Deus é necessário CONHECER a Deus, CONCORDAR com Deus, SENTIR igual a Deus. Significa ter os mesmos SENTIMENTOS que Deus tem e usá-los da mesma forma como Deus os usa para tomar suas decisões diante dos diversos problemas do dia a dia.

Aqueles humanos tinham um coração de pedra, logo, jamais conseguiriam ser o povo de Deus, um povo que fosse à semelhança de Deus. Eles tinham um coração duro como pedra, duro como a pedra de esmeril, enquanto que Deus tinha um coração sensível.

Havia uma incompatibilidade de corações. Uma incompatibilidade de sentimentos.

Sendo o sentimento a base para as tomadas de decisões, aqueles humanos jamais acompanhariam Deus nas decisões diante dos mesmos problemas.

Fica plenamente confirmado que o povo de Deus não era o povo de Deus. Embora fossem povo de Deus, não eram povo de Deus.

Embora fossem filhos de Deus, não eram filhos de Deus.

Não se podia dizer a respeito de cada filho: tal Pai, tal filho “A”, “B” ou “C”..

<>

Andando com um Ilustre Desconhecido??

Com quem estava andando aquele povo??

Estavam andando com alguém plenamente conhecido por eles, ou por alguém totalmente desconhecido por eles?

O que disse Moisés naquela ocasião??

Moisés estava andando com alguém desconhecido a ele.

Para se conhecer plenamente uma pessoa é necessário conviver diariamente com ela, não é verdade??

Você pode ter ouvido muitas histórias a respeito desta pessoa, no entanto, é no convívio diário que se pode realmente conhecer tal pessoa.

Quais as reações daquela pessoa diante de certas circunstâncias??

Serão sempre as mesmas reações??

Será uma pessoa plenamente confiável??

Será que Moisés estava acompanhado de um Negociante??

Que espécie de pessoa era aquela com quem Moisés estava acompanhado??

Será que Moisés estava acompanhado com um Intolerante??

Será que Moisés estava acompanhado com um Egoísta??

Será que Moisés estava acompanhado com um Justo Retribuidor??

Será que Moisés estava acompanhado com um Juiz??

Será que Moisés estava acompanhado com uma pessoa Mimada??

Realmente, Moisés não sabia com que espécie de pessoa ele estava caminhando no seu dia a dia.

Moisés sabia que Aquela pessoa que o estava acompanhando era Todo Poderoso.

Embora não soubesse o quanto, pelo menos isso Moisés sabia em relação Aquele que o acompanhava, ou seja, Deus.

Será que em um passe de mágica, poderia Moisés passar a conhecer a Deus??

mostra-me neste momento os teus caminhos, para que eu te conheça,

Seria isso uma coisa possível para Moisés??

Poderia Moisés conhecer a Deus naquele instante??

Moisés tinha pressa em conhecer a Deus??

O que ele queria, mesmo??

Moisés tinha pressa em AGRADAR a Deus??

Desejava alcançar a graça diante de Deus??



Desejava que Deus o tivesse em alta estima??

Estima – esta é a definição dada pelo dicionário Houaiss: sentimento de carinho ou de apreço em relação a alguém ou algo; afeição, afeto;

estima Datação: sXV

n substantivo feminino

ato ou efeito de estimar

1 sentimento de carinho ou de apreço em relação a alguém ou algo; afeição, afeto

Exs.: sua meiguice e bondade despertaram a e. de todos

tem grande e. pelas coisas herdadas da mãe

2 admiração e respeito que se sente por alguém, advindos do reconhecimento de seu valor moral, profissional etc.

Ex.: goza da e. de todos os seus subalternos

3 Estatística: pouco usado.

m.q. estimativa

Ex.: segundo a e. dos arquitetos, a obra levará três meses



Quero te conhecer para poder te agradar. Depois de eu te agradar, O Senhor passa a sentir estima por mim.

Será que o Pai só passaria a sentir estima por Moisés, DEPOIS de Moisés O agradar??

Será que esta é a sequência do Pai no Seu relacionamento??

Poderia Moisés adquirir todo o conhecimento necessário “naquele instante”??

Que tal dois ou três dias??

Que tal em uma semana??

Como eu posso agradar alguém que eu não conheço??

Me diga como você é, para que eu possa te agradar..

Será que o Deus desejava ser agradado por Moisés e pelo povo??

Façam isso e aquilo para me agradarem??

O Senhor gosta de churrasco??

Do que o Senhor gosta??

Basta nos dizer, e nós vamos fazer pro Senhor.

Poderiam Moisés e o povo agradarem a Deus??

O filho que OBEDECE ao Pai celestial, não o faz para agradar ao Pai.

O único que realmente se beneficia com a OBEDIÊNCIA ao Pai celestial é o filho e os irmãos dele.

O filho que OBEDECE ao Pai está se adaptando à verdade a respeito de si mesmo.

Bem, será que o Pai disse a Moisés como Ele era??

Sim, Ele disse.

O Pai proclamou como Ele era para Moisés.

Queres saber os meus caminhos para poder Me conhecer??

Bem, então saiba como Eu sou:

(Êxodo 34:5-8) 5 Tendo Jeová descido na nuvem, esteve com ele ali e proclamou o nome de Jeová. 6 Passando Jeová por diante dele, proclamou: Jeová, Jeová, Deus misericordioso e clemente, tardio em irar-se e grande em beneficência e verdade; 7 que guarda beneficência em milhares, que perdoa a iniqüidade, a transgressão e o pecado; e que de maneira alguma terá por inocente o culpado, visitando a iniqüidade dos pais nos filhos, e nos filhos dos filhos, na terceira e na quarta geração. 8 Então Moisés se apressou e, curvando-se para a terra, adorou.

Bem, o Pai disse a Moisés o que Ele era.

Será que Moisés já o conhecia “agora”?? Depois de ouvir esta proclamação, será que Moisés já podia agradar a Deus??

Centenas de anos depois de Moisés, será que o povo já conhecia a Deus??

(Oséias 04:1-3) 1 Ouvi a palavra de Jeová, filhos de Israel; pois Jeová tem uma contenda com os habitantes da terra, porque na terra não há verdade, nem misericórdia, nem conhecimento de Deus. 2 Não há senão o jurar, e o mentir, e o matar, e o furtar, e o adulterar; cometem violências, e homicídios sucedem a homicídios. 3 Portanto a terra pranteará, e todo o que nela habita desfalecerá juntamente com os animais do campo e com as aves do céu; e até serão tirados os peixes do mar.

Na terra não há conhecimento de Deus.

Embora o Pai tivesse feito uma proclamação solene sobre como Ele e tenha mantido um relacionamento com o povo escolhido durante centenas de anos, não havia conhecimento de Deus na terra.

Nenhum daqueles humanos que constituíam o povo conhecia a Deus.

Milhares de anos depois de Moisés, Jesus repetiu:

(João 8:54-55) 54 Respondeu Jesus: Se eu me glorificar a mim mesmo, a minha glória não é nada; quem me glorifica é meu Pai, do qual vós dizeis que é o vosso Deus; 55 e vós não o conheceis; mas eu o conheço; e se disser que não o conheço, serei mentiroso como vós; mas eu o conheço, e guardo a sua palavra.

Bem claro, não é??

Vocês não conhecem Aquele que dizeis ser o vosso Deus.

Como não conheciam a Deus??

Milhares de anos de relacionamento, e não conheciam Aquele Deus com quem mantinham um relacionamento diário??

Não conheciam Aquele Deus que proclamou como Ele era diante de Moisés, tendo Moisés registrado as informações e falado para o povo??

Como poderiam agradar Àquele que eles mesmos não conheciam??

Moisés não chegou a conhecer a Deus. Nem ele e nem o povo chegaram a conhecer a Deus, embora se relacionassem com este Deus.

Neste caso, quem mostrou ser o único que realmente conhecia o Pai??

Jesus afirmou categoricamente:

Este sim, este conhece a Deus.

E o que mais??


Este fazia o que o Pai esperava dele??

Sim.

Este obedecia a palavra de Deus.

Bem, e o que pede o Pai para Seu filho???

Ame... Ame e ame.

Seja uma fonte de amor..

Dê amor aos outros.

Dê amor aos outros.

Deus não pede para trocar... Ele pede para dar e dar e dar..


Topo desta página