JESUS GARANTE O DESTINO DOS REBELDES





A palavra que eu tenho falado é que o julgará no último dia.




O que disse Jesus que aconteceria com aqueles que ouvissem suas palavras, seus ouvintes naquele momento, mas não as guardassem, ou seja, não obedecessem, não dessem consideração?

As palavras que saíram da boca de Jesus foram estas: João 12:47-49 47 Mas, se alguém ouvir as minhas declarações e não as guardar, eu não o julgo; pois não vim julgar o mundo, mas salvar o mundo. 48 Quem me desconsiderar e não receber as minhas declarações, tem quem o julgue. A palavra que eu tenho falado é que o julgará no último dia;

Coerentemente, que disse Jesus a seus acusadores que incluíam o Sumo Sacerdote Caifás, pouco antes de sua morte? Disse Jesus que em conseqüência daquela injustiça e desrespeito para com ele, o Filho de Deus, o Rei do Reino, o futuro Juiz, que eles em revide ou em justiça estavam condenados à Geena (morte permanente)?
As palavras de Jesus foram:
- Mateus 26:62-64. ” 62 Em vista disso, o sumo sacerdote levantou-se e disse-lhe: “Não tens nenhuma resposta? O que é que estes testificam contra ti?” 63 Mas Jesus ficou calado. O sumo sacerdote disse-lhe, por isso: “Pelo Deus vivente, eu te ponho sob juramento para nos dizeres se tu és o Cristo, o Filho de Deus!” 64 Jesus disse-lhe: “Tu mesmo [o] disseste. “Contudo, eu vos digo: Doravante vereis o Filho do homem sentado à destra de poder e vindo nas nuvens do céu.

Assim verte a Tradução Almeida: (Mateus 26:62-64) 62 Levantou-se então o sumo sacerdote e perguntou-lhe: Nada respondes? Que é que estes depõem contra ti? 63 Jesus, porém, guardava silêncio. E o sumo sacerdote disse-lhe: Conjuro-te pelo Deus vivo que nos digas se tu és o Cristo, o Filho do Deus. 64 Repondeu-lhe Jesus: É como disseste; contudo vos digo que vereis em breve o Filho do homem assentado à direita do Poder, e vindo sobre as nuvens do céu.

Assim verte a Tradução Brasileira: (Mateus 26:62-64) 62 Levantando-se o sumo sacerdote, perguntou: Nada respondes? que é o que estes depõem contra ti? 63 Jesus, porém, conservou-se calado. O sumo sacerdote disse-lhe: Eu te conjuro pelo Deus vivo que nos digas se tu és o Cristo, o Filho de Deus. 64 Respondeu Jesus: Tu o disseste; contudo vos declaro que vereis mais tarde o Filho do homem sentado à direita do Todo-poderoso e vindo sobre as nuvens do céu.



Era uma mentira de Jesus? Exigiria Jesus que fosse feita justiça neste caso? Será que Jesus guardaria ressentimento destas palavras e ações contra ele??

Será que Jesus agiria como o profeta Jeremias, revelando ter os mesmos sentimentos de Jeremias?

Assim agiu Jeremias: (Jeremias 18:18-23) 18 E passaram a dizer: “Vinde, homens, e cogitemos contra Jeremias alguns pensamentos, porque do sacerdote não perecerá a lei, nem do sábio o conselho, nem do profeta a palavra. Vinde e golpeemo-lo com a língua e não prestemos atenção a nenhuma das suas palavras.” 19 Dá-me deveras atenção, ó Jeová, e escuta a voz dos meus oponentes. 20 Acaso retribuir-se-á mal por bem? Pois escavaram uma cova para a minha alma. Lembra-te da minha posição perante ti, para falar bem, mesmo a respeito deles, para fazer recuar deles o teu furor. 21 Portanto, entrega seus filhos à fome e passa-os ao poder da espada; e tornem-se as suas esposas mulheres privadas de filhos e viúvas. E tornem-se os seus próprios homens os que foram mortos por uma praga mortífera, seus jovens, os que foram golpeados com a espada na batalha. 22 Ouça-se um grito procedente das suas casas, quando trouxeres sobre eles repentinamente uma guerrilha. Pois escavaram um fojo para capturar-me e encobriram armadilhas para os meus pés. 23 Mas tu mesmo, ó Jeová, conheces bem todo o seu conselho contra mim para a [minha] morte. Não encubras o seu erro e não obliteres este pecado deles diante de ti; mas tornem-se eles os que se fazem tropeçar diante de ti. No tempo da tua ira, toma ação contra eles.

Será que Jesus agiria como o profeta Eliseu?

(2 Reis 2:21-25) . . .” 22 E a água continua curada até o dia de hoje, segundo a palavra de Eliseu, que ele havia falado. 23 E dali passou a subir a Betel. Quando subia pelo caminho, havia uns pequenos rapazes que saíram da cidade e começaram a fazer troça dele, e que lhe diziam: “Sobe, careca! Sobe, careca!” 24 Finalmente, ele se virou para trás e os viu, e invocou sobre eles o mal em nome de Jeová. Saíram então da floresta duas ursas e dilaceraram quarenta e dois meninos deles. 25 E ele seguiu de lá para o monte Carmelo, e de lá voltou a Samaria.


Entretanto, as palavras de Jesus foram bastante diferentes das palavras de Jeremias e de Eliseu. Jesus lhe prometeu “uma futura humilhação natural de encarar a verdade e a ter de admitir que cometeu tantos erros e especialmente este contra o Filho de Deus”.

Ao expulsar um demônio, iníquos judeus disseram que Jesus os expulsava por meio de Belzebu. Quanta ofensa! Coerentemente, que tipo de condenação lhes fez Jesus? Quando prestariam contas por tal blasfêmia? As palavras de Jesus foram: Mateus 12:33-37- 33 “Ou tornais a árvore excelente e seu fruto excelente, ou tornais a árvore podre e seu fruto podre; pois é pelo seu fruto que se conhece a árvore. 34 Descendência de víboras, como podeis falar coisas boas quando sois iníquos? Pois é da abundância do coração que a boca fala. 35 O homem bom, do seu bom tesouro, envia coisas boas, ao passo que o homem iníquo, do seu tesouro iníquo, envia coisas iníquas. 36 Eu vos digo que de toda declaração sem proveito que os homens fizerem prestarão contas no Dia do Juízo; 37 pois é pelas tuas palavras que serás declarado justo e é pelas tuas palavras que serás condenado.”


Os remanescentes de Judá ali em Jerusalém estavam produzindo os frutos próprios, esperados, o de iníquos. A iniqüidade era abundante em seus corações produzindo a blasfêmia.
Jesus lhes prometeu “uma futura humilhação natural de encarar a verdade além de terem que admitir que cometeram tantos erros contra o próprio Cristo”. O homem iníquo será ressuscitado e prestará contas de suas blasfêmias no Dia do Juízo. “Eu vos digo”, uma garantia dada por quem só fala a verdade.
Neste mesmo diálogo, Jesus classificou aquela geração dos seus dias de “iníqua e adúltera”, entretanto, afirmou que esta geração “iníqua e adúltera” será levantada junto com os homens de Nínive. Mateus 12:38-42

As palavras saídas da boca de Jesus foram: (Lucas 6:27-29) 27 Mas, eu digo a vós, os que estais escutando: Continuai a amar os vossos inimigos, a fazer o bem aos que vos odeiam, 28 a abençoar os que vos amaldiçoam, a orar pelos que vos insultam. 29 Àquele que te bater numa face, oferece também a outra; e a quem te tirar a tua roupa exterior, não negues nem mesmo a roupa interior.

Para ter autoridade máxima em pedir tais coisas, o modelo humano perfeito, Jesus mostrou na prática como fazê-lo. Exatamemente assim como o Pai Jeová, o Filho Jesus fez e pediu para fazer igual. As palavras saídas da boca de Jesus foram: (Lucas 6:40) 40 O aluno não está acima do seu instrutor, mas, todo aquele que for perfeitamente instruído será semelhante ao seu instrutor. (Lucas 6:46-48) 46 “Por que, então, me chamais de ‘Senhor! Senhor!’, mas não fazeis o que eu digo? 47 Todo aquele que vem a mim e ouve as minhas palavras, e as pratica, eu vos mostrarei a quem é semelhante: 48 Ele é semelhante a um homem construindo uma casa, que cavou e desceu fundo, e lançou o alicerce sobre a rocha. Conseqüentemente, quando veio uma enchente, o rio lançou-se contra aquela casa, mas não foi bastante forte para abalá-la, por ter sido bem construída.

Obviamente, Jesus não agiria como Jeremias, tampouco como Eliseu ou como qualquer outro humano imperfeito. Ele estabeleceu o modelo humano perfeito de conduta. Neste caso temos de comparar o que todos os outros fizeram com o modelo perfeito fez. Comparar o que todos os humanos imperfeitos falaram com o que o modelo perfeito falou.