Bondade de Jeová

A coação sendo usada para impedir a pratica do mal, seria esta a solução de Deus??



 O
MEDO USADO PARA COIBIR A PRÁTICA DO MAL.

Criada
em 21 de setembro de 2013 – Última alteração em
07/10/13

No
império do terror, o medo era usado para coibir a prática
do mal. No império do terror existia a lei do medo.

Será
que o Pai usa deste expediente para fazer com que suas criaturas
obedeçam aos seus mandamentos??

O
que é o medo??

Medo
Esta é a definição
dada pelo dicionário Houaiss:
temor,
receio, apreensão

medo

ê
s.m.
(sXIII)
1
psic
estado
afetivo suscitado pela consciência do perigo ou que, ao
contrário, suscita essa consciência
<m.
ao se sentir ameaçado
>
2
temor,
ansiedade irracional ou fundamentada; receio
<m.
de tomar injeções
>
3
apreensão
em relação a (algo desagradável)
<m.
de decepcionar
>
²
a
m.
com
hesitação, timidamente •
não
ter m. de caretas

fraseol.
não
se deixar intimidar •
pelar-se
de m.
ser
tomado por grande pavor •
ter
m. da própria sombra

fraseol.
1
assustar-se
por qualquer coisa
2
ser
covarde
¤
etim
lat.
mètus,us
‘id.’
¤
sin/var
ver
antonímia de
coragem
¤
ant
intrepidez;
ver sinonímia de
coragem
¤
hom
medo(adj.s.m.)

Trata-se
de um sentimento.

Primeira
menção de medo na Escritura:

(Gênesis
3:10)
10 Respondeu-lhe o homem: Ouvi a tua voz no jardim,
e tive
medo
, porque estava nu; e escondi-me.

Adão
estava apreensivo em face do desconhecido?? O que será que o
Pai vai fazer??

Havia
em Adão uma apreensão:

O
que é apreensão??

Apreensão
Esta é a definição
dada pelo dicionário Houaiss:
receio,
temor diante do futuro

apreensão

s.f.
(a1542)
ato
ou efeito de apreender
1
assimilação
ou compreensão do que é cognoscível; percepção
<o
sentido desse texto é de difícil a.
>
2
grande
inquietação; preocupação, receio, temor
<a.
diante do futuro
>
3
tomada
com base legal; confisco
<houve
grande a. de contrabando
>
4
fil
na
escolástica, ação cognitiva através da
qual se toma como objeto um conceito, uma proposição ou
uma qualidade sensível, sem que este movimento intelectual
seja acompanhado de qualquer julgamento ou apreciação
valorativa
5
p.ext.
conhecimento
simples, imediato, intuitivo de um objeto
5.1
psic
ato
mais simples do conhecimento, pelo qual o espírito
imediatamente se apropria do objeto conhecido
6
p.ext.
(da
acp. 1
)
psic
ação
pela qual a memória capta e retém uma série de
lembranças
¤
etim
lat.medv.
apprehensio,ónis
‘ação
de tomar, de segurar’
¤
sin/var
ver
sinonímia de
inteligência
¤
ant
ver
sinonímia de
inépcia

Adão
tinha receio.

Receio
Esta é a definição
dada pelo dicionário Houaiss:
sentimento
de apreensão diante do que se julga perigoso.

receio

s.m.
(1393)
ato
ou efeito de recear
1
sentimento
de apreensão diante do que se julga perigoso
<anda
só à noite sem r.
>
2
incerteza
acompanhada de certo medo em relação a resultados ou
consequências; apreensão, temor
<assaltou-lhe
o r. de que não ia dar certo o combinado
>
²
sem
r.
ousadamente,
sem temor
¤
etim
regr.
de
recear
¤
sin/var
arreceio;
ver antonímia de
confiança
e
coragem
¤
ant
ver
sinonímia de
confiança
e
coragem
¤
hom
receio(fl.recear)

Adão
tinha um sentimento novo. Adão estava sentindo medo. Sua
reação foi de se esconder. Por que Adão passou a
ter medo?? Na sua mente havia motivos plenamente justificáveis
para ele se esconder. Ele não sabia o que podia lhe acontecer,
mas tinha receio de que algo de mal lhe pudesse acontecer. Adão
sentia-se em perigo. O perigo existente na mente de Adão era
real ou imaginário??

Vamos
analisar agora o medo e a ação de três gerações
consecutivas em face do medo. Abraão, Isaque e Jacó
revelaram suas reações em face do medo que sentiram
diante de algo que eles julgaram perigoso.

Ação
de Abraão por causa do medo:

(Gênesis
20:9-13)
9
Então
chamou Abimeleque a Abraão e lhe perguntou: Que é o que
nos fizeste? em que pequei eu contra ti, que trouxeste sobre mim e
sobre o meu reino este grande pecado? fizeste a mim o que se não
deve fazer.
10
Perguntou
mais Abimeleque a Abraão: Que viste tu, para fazeres isto?
11
Respondeu
Abraão:
Porque
pensei, certamente não há temor de Deus neste lugar;
matar-me-ão por causa de minha mulher.

12
Além disso ela é realmente minha irmã, filha de
meu pai, ainda que não de minha mãe, e veio a ser minha
mulher.
13
Quando Deus me fez andar errante da casa de meu pai, disse-lhe a ela:
Esta é a graça que me farás; em todo o lugar em
que entrarmos, dize: Ele é meu irmão.

Será
que o perigo existente na mente de Abraão era real ou
imaginário??

Abraão
presumiu que
aqueles homens lhe fariam um mal, e em face disso escondeu um fato,
uma situação real existente entre ele e sua irmã.
Ele não tinha certeza do que iria acontecer, logo, ele apenas
presumiu. Ele achou que…

Presumir
Esta é a definição
dada pelo dicionário Houaiss:
tirar
uma conclusão antecipada, baseada em indícios e
suposições, e não em fatos comprovados.

presumir

v.
(sXIII)
1
t.d.
tirar
uma conclusão antecipada, baseada em indícios e
suposições, e não em fatos comprovados;
conjecturar, supor
<p.
o melhor para todos
>
2
t.d.
supor
antecipadamente; prever, pressupor, achar
3
t.d.
m.q.
pressupor
(‘fazer
supor’)
4
t.d.
desconfiar
de; suspeitar
<presumiu
que seria traído
>
5
t.d.
formar
ideia sem base real; imaginar, pensar, supor
<não
presuma que sairá desta ileso
>
6
t.i.
e pron.
ter
presunção ou vaidade; vangloriar(-se)
<p.(-se)
de
intelectual
>
¤
etim
lat.
praesúmo,is,praesumpsi,praesumptum,ère
‘tomar
antes do tempo, fazer juízo antecipado, conjecturar,
suspeitar, julgar, presumir’
¤
sin/var
ver
sinonímia de
achar

Será
que era uma coisa comum matarem os maridos das mulheres de bela
aparência física para poderem ficar com elas??

Quanto
a Sara, ela realmente era irmã de Abraão por parte de
pai.

Quanto
a isto, o Pai falou tempos depois:

(Levítico
18:9)
9
A
nudez de tua irmã por parte de pai, ou por parte de mãe,
nascida em casa, ou fora de casa, sim a nudez dela, não a
descobrirás.

O
que ocorreu na geração seguinte??

Ação
de Isaque. Idêntica a de seu pai Abraão. O perigo
existente na mente de Isaque era real ou imaginário??

(Gênesis
26:7-11)
7
Os homens do lugar perguntaram-lhe acerca de sua mulher, e ele
respondeu: É minha irmã;
pois
temeu dizer: Minha mulher;
para
que, dizia ele, não me matassem por amor de Rebeca, porque era
ela formosa à vista.

8 Ora
tendo Isaque se demorado ali muito tempo, olhou Abimeleque, rei dos
filisteus, pela janela, e viu e eis que Isaque estava brincando com
sua mulher Rebeca. 9 Chamou Abimeleque a Isaque e disse: Está
visto que ela é tua mulher; como, pois, disseste: É
minha irmã?
Respondeu-lhe
Isaque: Porque eu dizia: Para que eu não morra por causa dela.

10
Replicou Abimeleque: Que é isso que nos fizeste? facilmente se
teria deitado um do povo com tua mulher, e tu terias trazido culpa
sobre nós. 11 E deu esta ordem a todo o povo: Qualquer que
tocar a este homem ou a sua mulher certamente morrerá.

Neste
caso vemos Isaque mentir àqueles que lhe perguntavam se Rebeca
era sua esposa. Mentir é um pecado, não é??

Sim,
mentir é um pecado. Independente do motivo existente, mentir é
um pecado. Não existe justificativa que transforme a mentira
na coisa certa a ser feita, pois mentir é sempre um pecado.

Depois
de ser pego na mentira, Isaque apresentou o seu motivo para ter
mentido: Eu o disse por temer que iria morrer por causa dela.

Estava
acusando os habitantes daquele lugar?? Sim, Isaque estava acusando os
habitantes daquele lugar.

Qual
foi a resposta de Abimeleque?

Mais
um pouco e certamente alguém do povo se teria deitado com a
tua esposa e terias trazido culpa sobre nós”.

Segundo
Abimeleque o seu povo considerava como erro se deitar com a esposa de
um homem, qualquer homem.

Será
que por isto, o humano casado corria o risco de ser morto??

O
que ocorreu na geração seguinte??

Uma
ação de Jacó movida pelo medo: Medo de perder
coisas materiais acumuladas das quais ele tinha como valiosas coisas
de sua posse. O perigo existente na mente de Jacó era real ou
imaginário??

(Gênesis
32:6-8)
6
Voltaram
os mensageiros a Jacó, dizendo: Fomos ter com teu irmão
Esaú, e também está ele em caminho para se
encontrar contigo, e quatrocentos homens com ele.
7
Jacó
teve muito medo, e perturbou-se;

dividiu
em dois bandos o povo que estava com ele, e os rebanhos, e os bois e
os camelos;
8
e
disse: Se vier Esaú a um bando e o ferir, o outro bando que
resta escapará.

Jacó
presumiu
que seu irmão Esaú estava vindo com
quatrocentos homens somente para roubá-lo.

O
que decidiu fazer?? Pelo menos eu vou perder tudo. Ainda posso ficar
com a metade. Desta forma, Jacó decidiu agir com engano contra
seu irmão e em defesa de si próprio.

Jacó
até mesmo orou ao Deus Todo Poderoso pedindo que o livrasse da
mão do seu irmão:

(Gênesis
32:9-12)
9
Jacó
disse depois: “Ó Deus de meu pai Abraão e Deus de
meu pai Isaque, ó Jeová, tu que me dizes: ‘Volta
à tua terra e à tua parentela, e eu te hei de tratar
bem’,
10
sou
indigno de todas as benevolências e de toda a fidelidade de que
usaste para com o teu servo, pois atravessei este Jordão
apenas com o meu bastão e agora me tornei dois acampamentos.
11
Livra-me,
eu te peço, da mão de meu irmão, da mão
de Esaú,
porque
estou com medo dele
,
de
que venha e certamente me assalte, a mãe junto com os filhos.
12
E
tu, tu disseste: ‘Sem dúvida, tratar-te-ei bem e hei de
fazer tua descendência como os grãos de areia do mar,
que não podem ser contados por causa da [sua] multidão.’”

Agora,
Jacó decidiu pedir favor ao Pai como se fosse Esaú
fosse realmente um assaltante. Tratava-se de algo real ou de algo
imaginário??

Tratava-se
de algo real ou será que Jacó estava apenas
presumindo??

Estava
Esaú vindo a seu encontro como um bandoleiro, visando
tomar-lhe seus amados tesouros??

Não
quero perder tudo o que consegui acumular durante estes anos. Por
favor Pai, lembra-te da tua promessa.

Estes
homens estavam diante do futuro incerto, no entanto, eles presumiram
que corriam riscos em face das outras pessoas serem pessoas más.
Buscando defenderem-se de pessoas más, eles mentiram. Jacó
chegou a pedir ao Pai que o livrasse da mão do seu irmão,
como se o seu irmão fosse realmente um salteador.

O
fato de Esaú levar consigo quatrocentos homens para
encontrar-se com seu irmão, levou o seu irmão a
presumir que Esaú desejava roubá-lo??

O
que levaria Jacó a presumir tal coisa de seu próprio
irmão?? Será que Esaú, o seu irmão, já
havia em algum ponto do passado deles, revelado um desejo de roubar
coisas de Jacó??

Quem
é que havia usado de engano contra o seu próprio pai
Isaque para ficar com a chamada bênção que Isaque
desejava dar a Esaú?? Quem havia
desrespeitado
o desejo do seu próprio pai e
passado por cima de tal desejo,
enganado
um homem cego??

Havia
medo em Jacó em face de suas ações passadas??
Sim, havia.

Esaú
havia ficado com raiva de seu irmão?? Sim havia, afinal de
contas, Jacó havia usado de todo engano possível para
ficar com a bênção do primogênito e a havia
conseguido.

Depois
de tanto tempo, será que Esaú ainda guardava
ressentimento de seu irmão Jacó em face das atitudes
desonestas de Jacó??

Jacó
achava que sim.

Jacó
presumia que seu irmão Esaú estava guardando
ressentimento por uma ação desonesta sua para com ele e
seu pai Isaque.

Será
que Jacó já havia pedido perdão a seu irmão
por sua desonestidade junto a seu pai Isaque em relação
à bênção reservada ao primogênito??

Certamente,
que não. Afinal de contas, só pede perdão aquele
que realmente reconhece a ação anterior como sendo um
erro, que independente das circunstâncias, não deveria
ser cometido por ele.

Ao
saber que seu irmão estava vindo a seu encontro, o que mais
fez Jacó??

Desejando
aliviar uma suposta tensão, Jacó resolveu enviar
presentes a Esaú. Desejava comprar seu irmão Esaú
com presentes físicos, no entanto, escondendo suas demais
posses físicas.

(Gênesis
32:20-21)
20
direis:
Eis que o teu servo Jacó também vem atrás de
nós. Pois disse:

Aplacá-lo-ei
com o presente que vai adiante de mim
,
e depois verei a sua face; porventura me aceitará.
21
Assim passou o presente adiante dele; ele, porém, ficou aquela
noite no arraial.

Será
que Esaú estava interessado em presentes??

O
que fez Esaú ao chegar até Jacó??

Que
lição ensinou Esaú a Jacó??

(Gênesis
33:4)
4
Correu-lhe
Esaú ao encontro, deu-lhe um abraço, lançou-se-lhe
ao pescoço e o beijou; e eles choraram.

Em
relação a toda aquela encenação armada
por Jacó, o que perguntou Esaú??

(Gênesis
33:8-9)
8
Perguntou Esaú:
Qual
é a tua intenção

em todos estes bandos que encontrei? Respondeu Jacó: Para
achar graça diante do meu senhor.
9
Mas Esaú disse: Tenho bastante, meu irmão; fica com o
que tens.

Não
havia qualquer ressentimento por parte de Esaú em relação
a Jacó. Esaú correu ao encontro do seu irmão
mais jovem, e lançando-se ao seu pescoço, beijou-o e
chorou junto a seu irmão.

Tratava-se
de algo inesperado para Jacó. Certamente não seria esta
a reação de Jacó ao encontrar-se em uma situação
idêntica, na qual ele fosse a vítima de desonestidade e
de engano.

Não
foi Jacó quem correu ao encontro de Esaú para pedir-lhe
perdão.

Foi
o perdoador quem estava emocionalmente livre para correr até
seu mais jovem irmão, abraçá-lo e beijá-lo
. O irmão mais jovem estava com sua consciência pesada e
incerto quanto ao que seu irmão iria fazer. A liberdade
emocional estava com aquele que de forma liberal, perdoou o seu
desonesto irmão. Quem é que se sentia inseguro diante
de seu irmão?? O que os fatos revelaram??

Por
que Jacó se sentia inseguro diante de seu irmão Esaú??

Jacó
se sentia inseguro em relação a seu irmão Esaú
em face de suas anteriores ações desonestas para com
ele. Foi Jacó quem agiu com desonestidade.

O
que mais a história nos conta??

Os
acontecimentos que envolveram Diná, Siquém, Jacó
e seus filhos revelam que disposição de Jacó e
seus filhos em relação ao perdão e a
desonestidade??

(Gênesis
34:13)
13
E
os
filhos de Jacó começaram a responder COM ENGANO a
Siquém e a Hamor, seu pai
,
e a falar assim porque ele tinha aviltado Diná, irmã
deles…

A
Tradução Brasileira verte:

(Gênesis
34:13) 13
Então os filhos de Jacó, porque Siquém
havia contaminado a sua irmã Diná, responderam
com dolo a Siquém e a seu pai Hamor
,

Neste
incidente com Siquém, Jacó mostrou que a desonestidade
era uma coisa bem arraigada em sua personalidade, bem como em seus
filhos.

Juntando-se
à desonestidade, a violência passou a fazer parte da
história de Jacó e seus filhos.

Que
fizeram estes homens??

(Gênesis
34:25-29)
25
No
entanto, sucedeu que no terceiro dia, quando sentiam dores, os dois
filhos de Jacó, Simeão e Levi, irmãos de Diná,
passaram a tomar cada um a sua espada e a ir insuspeitos à
cidade,
e
mataram
todo
macho.
26
E
a Hamor e a Siquém, seu filho, mataram ao fio da espada.
Tiraram então Diná da casa de Siquém e saíram.
27
Os
outros filhos de Jacó atacaram os homens mortalmente feridos
e
foram
saquear a cidade
,
porque haviam aviltado a sua irmã.
28
Tomaram
os seus rebanhos, e as suas manadas, e os seus jumentos, e o que
havia na cidade e o que havia no campo.
29
E
a todos os seus meios de subsistência,
e
a todas as suas criancinhas, e as esposas deles levaram cativas
,
de
modo que saquearam tudo o que havia nas casas.

O
que ocorreu depois destes lamentáveis fatos??

Jacó
estava novamente receoso do que os outros poderiam fazer a ele em
face de suas péssimas ações.

Jacó
afirmou:

(Gênesis
34:30)
30 Em
vista disso, Jacó disse a Simeão e a Levi: “Vós
me trouxestes o banimento,
fazendo
de mim um mau cheiro para os habitantes do país, para os
cananeus e para os perizeus,
sendo
eu poucos em número, e eles por certo se ajuntarão
contra mim e me assaltarão, e eu terei de ser aniquilado, eu e
a minha casa.”

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(Gênesis
34:30) 30
Então disse Jacó a Simeão e a
Levi: Tendes-me perturbado, fazendo-me
odioso aos habitantes da terra, entre os cananeus e perezeus.

Tendo eu pouca gente, reunir-se-ão e me ferirão a mim;
e serei destruído, eu e minha casa.

Jacó
estava coberto de razão. Ele e seus filhos haviam praticado
coisas hediondas, coisas que poderiam suscitar o ódio dos
cananeus e perizeus. Isto era uma verdade.

O
que eles podiam fazer em relação a isto?? Oferecer
presentes??

Percebemos
que o medo fez com que estes servos de Deus tomassem atitudes
agressivas em relação a pessoas que
eles
presumiam
serem desejosas
de lhes fazerem o mal.

Agora
que Jacó e seus filhos já haviam cometido estas coisas
hediondas entre os cananeus e perizeus, será que Javé
estava do lado de Jacó e seus filhos e contra os filisteus e
perizeus??

Decerto
que não. O que Javé esperava dos filisteus e dos
perizeus em relação a Jacó e seus filhos??

Javé
esperava que os filisteus e os perizeus tratassem Jacó e seus
filhos com misericórdia.

Javé
esperava que todos estes crimes hediondos praticados por Jacó
e seus filhos fossem perdoados pelos filisteus e perizeus.

Centenas
de anos depois de Jacó, os descendentes de Jacó estavam
voltando para ocupar a terra de Canaã. Agora, estes homens
formavam uma grande nação recém-saída da
condição de escravidão no Egito.

Que
filosofia de vida tinham estes homens para o dia a dia no
relacionamento em grupo?? Que espécie de diretrizes tinham
estes homens para resolverem problemas de relacionamento?? Será
que copiavam as atitudes desonestas e violentas de Jacó e de
seus filhos. Será que transformaram aquelas atitudes de seus
antepassados em mandamentos a serem usados no dia a dia??

Vejamos
alguns dos mandamentos que os descendentes de Jacó tinham como
oficiais ordens de Deus.

Mandamentos
do império do medo e do terror. Eles deverão ficar com
medo.

(Deuteronômio
13:6-11) 6 “Caso teu irmão, filho de
tua mãe, ou teu filho, ou tua filha, ou tua querida esposa, ou
teu companheiro que é como a tua própria alma tente
engodar-te às escondidas, dizendo: ‘Vamos e sirvamos a
outros deuses’, que não conheceste, nem tu nem teus
antepassados, 7 alguns dos deuses dos povos ao
redor de vós, os que estão perto de ti e os que estão
longe de ti, de uma extremidade do país à outra
extremidade do país, 8 não deves
aceder ao seu desejo, nem o deves escutar, nem deve teu olho ter dó
dele, nem deves ter compaixão, nem deves encobri-lo [em
proteção]; 9 mas deves
impreterivelmente matá-lo. Tua mão deve ser a primeira
a vir sobre ele para o entregar à morte, e depois a mão
de todo o povo. 10 E tens de matá-lo a
pedradas e ele tem de morrer, visto que procurou desviar-te de Jeová,
teu Deus, que te fez sair da terra do Egito, da casa dos escravos. 11
Então
todo o Israel ouvirá e
ficará
com medo
,
e não mais farão algo semelhante a esta coisa má
no teu meio.

Qual
seria o resultado do medo??

E
não mais farão algo semelhante a esta coisa má
no teu meio.

Este
era o objetivo, isto é, usar o medo para coibir determinada
ação por parte dos humanos.

Não
podemos esquecer que tanto a execução (morte em si)
como a forma como a pessoa seria executada deveriam servir de
impedimento para a prática de certos pecados.

A
punição era apresentada como uma fonte de motivação
que refrearia o humano de cometer tal pecado.

Coibir
Esta é a definição
dada pelo dicionário Houaiss:
impor
rígido controle; intimidar; reprimir

coibir

o-i
v.
(1661)
1
t.d.
fazer
cessar; impedir que continue; refrear, reprimir
<c.
excessos
>
2
t.d.bit.
tolher,
impedir, intimidar
<queria
roubar, mas o medo o coibia
>
<coibiram-no
de se apresentar em público
>
3
bit.
impor
limites a; restringir, circunscrever; obrigar, forçar
<coibiram-no
de ausentar-se da cidade
>
4
pron.
impor-se
rígido controle; conter-se
<coibia-se
de fumar perto do pai
>
5
pron.
privar
a si mesmo de; abster-se
<coíbe-se
da bebida
>
¤
etim
lat.
cohibèo,es,
b
ùi,bìtum,bére
‘conter,
reter, deter, impedir, coibir, governar’, com mudança de conj.
¤
sin/var
como
pron.: ver sinonímia de
abster-se;
ver tb. sinonímia de
reprimir
¤
ant
consentir,
permitir; como pron.: ver antonímia de
abster-se

Esta
é a tática da intimidação.

Intimidação
Esta é a definição
dada pelo dicionário Houaiss:
ameaça

intimidação

s.f.
(1844)
ato
ou efeito de intimidar(-se)
¤
etim
intimidar
+
-ção
¤
sin/var
ver
sinonímia de
ameaça
e
timidez
¤
ant
ver
antonímia de
timidez

O
uso da ameaça para frear alguém.

Ameaça
Esta é a definição
dada pelo dicionário Houaiss:
fato,
ação, gesto ou palavra que intimida ou aterroriza.

ameaça

s.f.
(sXIII)
1
fato,
ação, gesto ou palavra que intimida ou atemoriza
<a
a. aterradora da guerra
>
2
indício
de acontecimento desfavorável ou maléfico; sinal
<a.
de temporal, de doença
>
3
ato
que ficou ou ainda está no princípio; intenção
<disse
que ia embora mas ficou na a.
>
¤
etim
lat.vulg.
minacia
(com
aglutinação do art.), do adj.
minax,ácis
‘iminente’
¤
sin/var
cominação,
intimidação
¤
hom
ameaça(fl.ameaçar)

A
pessoa deixaria de fazer algo em face da ameaça feita.

Coação
Esta é a definição
dada pelo dicionário Houaiss:
violência
física ou moral imposta a alguém para que faça,
deixe de fazer ou permita que se faça alguma coisa.

2coação

s.f.
(1694)
1
ato
ou efeito de coagir
2
jur
constrangimento,
violência física ou moral imposta a alguém para
que faça, deixe de fazer ou permita que se faça alguma
coisa

etim
lat.
coactìo,ónis
‘ação
de recolher, de arrecadar, emprego ou ofício de cobrador;
condição imposta, obrigação’

Será
que tal método é eficaz??

Que
espécie de frutos produzirá??

Será
que a coação produzirá obediência?? Que
tipo de obediência será esta?? Que outros frutos serão
produzidos pela coação??

Mais
mandamentos do império do medo, isto é, do império
da coação.

(Deuteronômio
17:8-13)
8
Caso
alguma causa para decisão judicial te seja extraordinária
demais, uma em que se derramou sangue, em que se tenha feito uma
demanda judicial, ou se cometeu um ato de violência, questões
de disputa, dentro dos teus portões, então tens de
levantar-te e subir ao lugar que Jeová, teu Deus, escolher,
9
e
tens de dirigir-te aos sacerdotes, aos levitas e ao juiz que estiver
em exercício nesses dias, e tens de fazer uma consulta, e eles
têm de transmitir-te a palavra da decisão judicial.
10
Então
tens de proceder de acordo com a palavra que te transmitirão
do lugar que Jeová escolher; e tens de cuidar em fazer segundo
tudo o que te instruírem.
11
Deves
proceder de acordo com a lei que te indicarão e segundo a
decisão judicial que te disserem. Não te deves desviar
da palavra que te transmitirão, nem para a direita, nem para a
esquerda.
12
E
o homem que se comportar presunçosamente, não escutando
o sacerdote que ali está de pé para ministrar a Jeová,
teu Deus, ou o juiz, tal homem tem de morrer; e tens de eliminar o
mal de Israel.
13
E
todo o povo ouvirá
e
ficará com medo
,
e não mais agirão presunçosamente.

Qual
seria o resultado do medo??

Não
resta nenhuma dúvida. Tratava-se de plena coação.

E
todo o povo ouvirá e ficará com medo, e não mais
agirão presunçosamente. Será que tal ameaça
refrearia o povo a não mais agir de forma presunçosa??

(Deuteronômio
19:16-20)
16
Caso
se levante contra um homem uma testemunha que trame violência,
para levantar contra ele uma acusação de revolta,
17
então
os dois homens que tiverem a disputa têm de ficar de pé
perante Jeová, perante os sacerdotes e perante os juízes
que estiverem em exercício naqueles dias.
18
E
os juízes têm de pesquisar cabalmente, e se a testemunha
for uma testemunha falsa e tiver levantado uma acusação
falsa contra seu irmão,
19
então
tendes de fazer-lhe assim como ele tramou fazer ao seu irmão,
e tens de eliminar o mal do teu meio.
20
Assim,
os remanescentes ouvirão e
ficarão
com medo
,
e nunca mais farão no teu meio algo mau como isso.

Qual
seria o resultado da coação?? Haverá o medo.

Assim,
os remanescentes ouvirão e ficarão com medo, e nunca
mais farão no teu meio algo mau como isso.

Como
impedir que algo mau como isto aconteça no meio do povo??

Uma
ameaça. Qual ameaça?? Faça contra ele aquilo que
ele tramou fazer contra o seu próximo??

Será
que este método resolveria permanentemente este problema do
meio do povo.

Que
espécie de pessoas seriam produzidas com tal mandamento??

Mais
uma coação. Mais um mandamento de plena coação.

(Deuteronômio
21:18-21) 18 “Caso um homem tenha um filho
obstinado e rebelde, que não escuta a voz de seu pai nem a voz
de sua mãe, e eles o tenham corrigido, porém, ele não
os queira escutar, 19 então seu pai e sua
mãe têm de pegar nele e trazê-lo para fora aos
anciãos da cidade dele e ao portão do seu lugar, 20
e têm de dizer aos anciãos da sua cidade:
‘Este filho nosso é obstinado e rebelde; não
escuta a nossa voz, sendo glutão e beberrão.’ 21
Então todos os homens da sua cidade têm de
atirar nele pedras e ele tem de morrer. Assim
tens de eliminar o mal do teu meio, e todo o Israel ouvirá e
deveras
ficará
com medo.

Qual
seria o resultado da coação?? O povo ficará com
medo

Assim
tens de eliminar o mal do teu meio, e todo o Israel ouvirá e
deveras ficará com medo.

O
que se esperava conseguir com tais ameaças?? Que o povo
ficasse com medo e que não mais praticassem coisas más
no meio do grupo.

O
objetivo era eliminar o mal. O desejo era que o mal não fosse
mais praticado no meio do povo escolhido??

Mais
um resultado esperado da coação.

(Deuteronômio
28:7-10) 7 “Jeová fará que
sejam derrotados diante de ti os teus inimigos que se levantarem
contra ti. Por um só caminho sairão contra ti, mas por
sete caminhos fugirão diante de ti. 8 Jeová
decretará para ti a bênção sobre os teus
depósitos de suprimentos e sobre todo empreendimento teu, e
ele certamente te abençoará na terra que Jeová,
teu Deus, te dá. 9 Jeová te
estabelecerá para si como povo santo, assim como te jurou, por
continuares a guardar os mandamentos de Jeová, teu Deus, e
teres andado nos seus caminhos. 10 E
todos os povos da terra terão de ver que o nome de Jeová
foi invocado sobre ti e hão de ficar com medo de ti.

A
violência havia sido transformada em mandamento. O terror e o
medo haviam sido transformados em
solução
para eliminar o mal do meio dos
descendentes de Jacó. A coação também
estava sendo usada como solução para o relacionamento
com outros povos.

Qual
seria o resultado esperado da violência e terror usados como
intimidadores??

Com
tamanha coação, o que Moisés esperava como
resultado final??

E
todos os povos da terra terão de ver que o nome de Jeová
foi invocado sobre ti e hão de ficar com medo de ti.

O
que esperavam como povo escolhido por Deus??

Tendo
o Deus Todo Poderoso como sendo o seu Deus e protetor, estes humanos
só conseguiam ver vitórias em cima de vitórias
contra todos os seus inimigos. Por terem o Deus Todo Poderoso do seu
lado, eles esperavam se tornar a nação mais poderosa da
terra. Por terem as bênçãos sobre os depósitos
de suprimentos, eles esperavam alcançar a condição
de povo mais rico da terra, passando a dominar os mais pobres.

O
que eles desejavam e esperavam em relação aos demais
povos??

Em
face de tais vitórias espetaculares, apoiadas pelo Deus Todo
Poderoso, eles desejavam que os demais povos ficassem com medo deles.

Contra
a Força Superior não deve haver resistência.

O
uso da coação
-
Eles estavam usando a intimidação da violência
para forçar os demais a fazerem coisas para eles e para
reconhecerem sua condição de povo abençoado por
Deus.

Bem,
o medo continuou fazendo parte do dia a dia da nação
dos descendentes de Jacó, tanto em face do que Moisés
havia determinado em lei, como também em face das
“retaliações” que recebiam dos povos da
terra de Canaã em “revide da violência” que
praticavam contra eles.

O
tempo foi passando e agora chegamos assim a uma outra ocasião
em que já existia um rei humano sobre os descendentes de Jacó,
isto é Davi, um humano da tribo de Judá.

Este
homem desejou que a arca (o símbolo do poder supremo) que
representava a presença de Jeová, ficasse próximo
a ele. Certamente que a presença da arca fortificaria a sua
posição qual rei de toda a nação. Quem
ousaria ficar contra o rei que tinha a plena bênção
do Deus Todo Poderoso??

A
presença da arca não trazia a bênção
do Todo Poderoso?? Era o que todo mundo pensava.

Será
que o livre-arbítrio de Jeová estava sendo respeitado??

Quando
já estavam transportando a arca para junto de Davi, ocorreu um
incidente no qual um humano chamado Uzá perdeu a vida, por
tentar segurar a arca que estava prestes a cair.

Neste
momento, Davi revelou o seu medo, pois as coisas não estavam
acontecendo segundo a sua vontade humana. As coisas não
estavam sob o seu controle.

(2
Samuel 6:6-10)
6 E
por fim chegaram até a eira de Nacom, e Uzá estendeu
então [a mão] à arca do [verdadeiro] Deus e
segurou-a, porque o gado quase causara um transtorno.
7
Nisso
se acendeu a ira de Jeová contra Uzá, e o [verdadeiro]
Deus o golpeou ali pelo ato irreverente, de modo que morreu ali perto
da arca do [verdadeiro] Deus.
8 E
Davi ficou irado pelo fato de Jeová ter irrompido numa brecha
contra Uzá, e aquele lugar veio a ser chamado de Peres-Uzá
até o dia de hoje.
9E
naquele dia Davi ficou com medo de Jeová e começou a
dizer: “Como virá a mim a arca de Jeová?

10 E
Davi não estava disposto a remover a arca de Jeová para
junto de si à Cidade de Davi. Portanto, Davi fez que fosse
levada à casa de Obede-Edom, o geteu.

E
agora, como virá a mim a arca de Jeová?? Davi queria
que a arca ficasse com ele, não queria??

O
que aconteceu depois disto??

Que
consequência houve pelo fato da arca ficar na casa de
Obede-Edom??

(2
Samuel 6:11)
11 E
a arca de Jeová ficou morando na casa de Obede-Edom, o geteu,
por três meses; e Jeová abençoava a Obede-Edom e
a todos os da sua casa.

A
arca estava representando bênçãos para aquela
casa onde ela se encontrava.

Depois
de três meses em que a arca estava na casa de Obede-Edom, e
pelo fato que aparentemente não havia mais perigo, Davi
persistiu na sua vontade de ter a arca o mais perto possível
de si.

Para
que Jeová não ficasse irado, e provocasse outra morte,
o que resolveu fazer Davi?? Ainda existia um pequeno medo em Davi, no
entanto ele decidiu agir.

(2
Samuel 6:12-14)
12
Por
fim se relatou ao Rei Davi, dizendo-se: “Jeová abençoou
a casa de Obede-Edom e tudo o que é seu por causa da arca do
[verdadeiro] Deus.” Então Davi passou a ir e a trazer a
arca do [verdadeiro] Deus da casa de Obede-Edom para cima à
Cidade de Davi, com alegria.
13E
sucedeu que, quando os carregadores da arca de Jeová tinham
marchado seis passos, ele sacrificou imediatamente um touro e um
animal cevado.
14
E
Davi estava dançando diante de Jeová, com todo o seu
poder, estando Davi cingido dum éfode de linho.

Que
tal agradar a Jeová com um presente?? Eles haviam embarcado em
uma aventura. Desconhecendo a reação de Jeová ao
tentarem “de novo” levar a arca para um local que Jeová
não havia definido desejar ir, Davi resolveu presentear Jeová
com a morte de dois animais após o sexto passo dado com a arca
em direção à “casa de Davi”.

Como
não aconteceu nada desta vez, Davi estava agora dançando
diante de Jeová com um éfode de linho.

Davi
vestiu-se com um éfode??

Será
que Davi estava agindo qual sacerdote??

(Êxodo
28:4)
4 E
estas são as vestes que farão: um peitoral, e um éfode,
e uma túnica sem mangas, e uma comprida veste enxadrezada, um
turbante e uma faixa; e eles têm de fazer as vestes sagradas
para Arão, teu irmão, e para seus filhos,
a
fim de que atue para mim como sacerdote.

Bem,
Davi estava vestido com um éfode, estava matando animais e e
ofertando-os a Jeová. Estas eram as atribuições
que Jeová havia dado aos sacerdotes, e segundo a vontade de
Jeová, os sacerdotes eram da tribo de Levi, enquanto Davi era
da tribo de Judá.

Davi
estava novamente alegre pois as coisas estavam caminhando segundo a
sua vontade, pois ele estava comandando as coisas.

Bem,
enquanto as coisas corriam da forma como os descendentes de Jacó
esperavam e desejavam, eles não tinham medo das nações
ao redor.

Sempre
que possível os descendentes de Jacó usavam o fato de
serem abençoados por Jeová como argumento intimidador
aos demais povos da terra da promessa.

No
entanto, muitas vezes as coisas fugiram do controle do povo
descendente de Jacó.

Em
muitas ocasiões Jeová afirmou-lhes: Não tenhais
medo, pois Eu não vos abandonarei.

Esta
foi uma das ocasiões:

(Isaías
41:14)
14
Não
tenhas medo, ó verme Jacó, homens de Israel.

Eu
mesmo te ajudarei”, é a pronunciação de
Jeová, sim, teu Resgatador, o Santo de Israel.

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(Isaías
41:14) 14
Não
temas, bichinho de Jacó, nem vós, povo de Israel.

Eu te ajudarei, diz Jeová, e o teu redentor é o Santo
de Israel.

Assim
verte a Tradução Almeida:

(Isaías
41:14) 14
Não
temas, ó bichinho de Jacó, nem vós, povo de
Israel
; eu te ajudo, diz o Senhor, e o teu redentor é
o Santo de Israel.

Assim
verte a Edição Pastoral:


(Isaías
41:14)
14
Não
tenha
medo,
vermezinho Jacó, bichinho Israel. Eu mesmo

o
ajudarei

-oráculo
de
Javé. O seu redentor

é
o Santo

de
Israel.

O
povo de Israel tinha medo de outros povos, no entanto, não
tinham medo de Jeová.

Assim
falou Jeová:

(Isaías
57:11-12)
11
De
quem ficaste receosa e [a quem] começaste a temer, de modo que
passaste a mentir?

Mas,
de mim é que não te lembraste. Não fixaste nada
no coração. Não estava eu ficando quieto e
ocultando as coisas?
Portanto,
de mim é que não tiveste medo.

12
Eu
mesmo é que contarei a tua justiça e os teus trabalhos,
que eles não te aproveitarão.
13
Quando
clamares por socorro, a tua coleção de coisas não
te livrará, mas um vento carregará mesmo com todas
elas. Uma exalação as levará embora, mas aquele
que se refugiar em mim herdará a terra e tomará posse
do meu santo monte. …

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(Isaías
57:11-13) 11
De
quem tiveste receio e medo, para que mentisses, e não te
lembrasses de mim, nem te importasses?
Certamente me
conservo calado e isso há muito tempo, pelo que não me
temes. 12 Eu publicarei essa justiça tua; e quanto às
tuas obras, elas não te aproveitarão. 13 Quando
clamares, livrem-te os que tens ajuntado. Levá-los-á o
vento, um assopro arrebatará a todos eles; porém o que
em mim confia, possuirá a terra, e herdará o meu santo
monte.

Assim
verte a Tradução Almeida:

(Isaías
57:11-13) 11
Mas
de quem tiveste receio ou medo, para que mentisses, e não te
lembrasses de mim, nem te importasses?
Não é
porventura porque eu me calei, e isso há muito tempo, e não
me temes? 12 Eu publicarei essa justiça tua; e quanto
às tuas obras, elas não te aproveitarão. 13
Quando clamares, livrem-te os ídolos que ajuntaste; mas o
vento a todos levará, e um assopro os arrebatará; mas o
que confia em mim possuirá a terra, e herdarão o meu
santo monte.

O
povo de Israel havia depositado sua confiança em espadas,
lanças, cavalos, carros de guerra e em muitas outras coisas
físicas. Eles viviam em face destas coisas e dependentes delas
para conseguirem os seus objetivos no dia a dia. Estas coisas físicas
eram seus ídolos.

Assim
como nas coisas físicas, também nas coisas espirituais,
o povo de Israel havia substituído as coisas de Deus por
coisas que Deus não lhes havia dado.

Por
exemplo, eles confiavam na violência, na vingança e na
intimidação para eliminarem o mal do meio do seu povo.

Eles
confiavam na violência e desejavam que os demais povos tivessem
medo deles. Eles praticaram a violência contra os povos
vizinhos. O que conseguiram?? Será que os povos vizinhos
ficaram com medo deles?? Será que os povos vizinhos passaram a
ser vizinhos melhores?? Será que o povo de Israel poderia ser
chamado de “bom vizinho” pelos demais povos da terra de
Canaã?? Será que o povo de Israel ficou conhecido como
o povo mais violento da terra de Canaã??

Será
que esta é uma sábia forma de convivência entre
humanos??

A
lei do medo e o império do terror conseguiram eliminar o mal
do meio do povo de Israel??

Existindo
pessoas que cometessem pecados, como eram tratadas tais pessoas??
Decerto, havia violência em cima de violência. Decerto,
havia execuções em cima de execuções.
Decerto havia maldade em cima de maldade.

Pelo
menos uma coisa ficou bem clara, o povo de Israel não tinha
medo de Jeová (Javé). Será que Jeová era
um Deus que despertava medo??

Certamente
que não era. Não que Ele não fosse
Todo-poderoso. Tratava-se da forma como Ele se relacionava com o povo
de Israel, que não o colocava como alguém de quem se
sentia pavor.

Aliás,
o Deus Todo-poderoso não queria se relacionar com pessoas
hipócritas. Na verdade, Ele não queria produzir pessoas
hipócritas. Não seria Ele a fonte de hipocrisia. Não
seria Ele a gerar filhos hipócritas. Mandamentos de medo geram
pessoas hipócritas.

O
que existia na terra do povo de Israel?? O que Jeová estava
vendo??

(Isaías
59:1-8)
59 Eis
que a mão de Jeová não ficou tão curta
que não possa salvar, nem ficou seu ouvido tão pesado
que não possa ouvir.
2 Não,
mas os vossos próprios erros tornaram-se as coisas que causam
separação entre vós e vosso Deus, e os vossos
próprios pecados fizeram que escondesse de vós a [sua]
face para não ouvir.
3 Pois
as palmas das vossas próprias mãos ficaram poluídas
com sangue, e os vossos dedos, com erro. Vossos próprios
lábios falaram falsidade. Vossa própria língua
tem murmurado pura injustiça.
4
Não
há quem clame em justiça e absolutamente
ninguém
foi
a juízo em fidelidade.
Confiava-se
na irrealidade e falava-se futilidade. Concebia-se desgraça e
dava-se à luz o que é prejudicial.
5
Ovos
duma cobra venenosa é o que eles chocaram e estavam tecendo a
mera teia duma aranha. Qualquer que comia dos seus ovos morria e o
[ovo] esmagado era chocado para resultar numa víbora.
6
A
mera teia deles não servirá de roupa, nem se cobrirão
eles com os seus trabalhos. Seus trabalhos são trabalhos
prejudiciais e há atividade de violência nas palmas das
suas mãos.
7 Seus
próprios pés estão correndo para a pura maldade
e eles se apressam a derramar sangue inocente.
Seus
pensamentos são pensamentos prejudiciais
;
a assolação e o desmoronamento estão nas suas
estradas principais.
8
Desconheceram
o caminho da paz e não há juízo nos seus
trilhos. Suas sendas eles perverteram para si mesmos. Absolutamente
ninguém que pisar nelas conhecerá realmente a paz.

Assim
verta a Tradução Brasileira:

(Isaías
59:1-8) 1
Eis que a mão de Jeová não é
tão curta que não possa salvar, nem o seu ouvido tão
pesado que não possa ouvir; 2 mas as vossas iniqüidades
são as que fizeram uma separação entre vós
e o vosso Deus, e os vossos pecados fizeram-lhe esconder de vós
o seu rosto, de sorte que não vos ouça. 3 Pois
as vossas mãos estão manchadas de sangue, e os vossos
dedos de iniqüidade; os vossos lábios falam mentiras, a
vossa língua profere a iniqüidade. 4 Não
há ninguém
que
invoque a justiça com retidão, nem há quem
pleiteie com verdade; confiam na vaidade, e falam mentiras; concebem
o mal e dão à luz iniqüidade.
5
Chocam ovos de basiliscos, e tecem teias de aranha; o que comer dos
ovos deles, morrerá, e se um dos ovos for pisado, sairá
uma víbora. 6 As suas teias não servirão
para vestidos, nem os homens se cobrirão das obras deles; as
suas obras são obras de iniqüidade, e atos de violência
estão nas suas mãos. 7 Os seus pés correm
para o mal, e se apressam para derramar o sangue inocente; os
seus pensamentos são pensamentos de iniqüidade;

a desolação e a destruição acham-se nas
suas veredas. 8 O
caminho da paz eles não o conhecem; e não há
juízo nos seus passos; fizeram para si veredas tortas; todo o
que anda por elas, não conhece a paz.

A
situação era muito crítica. Os pensamentos
destes homens eram pensamentos de iniquidade e produziam plena
maldade e assolação todo o tempo.

O
que mais Jeová via??

(Oséias
4:1-3)
4 Ouvi
a palavra de Jeová, ó filhos de Israel, porque Jeová
tem uma causa jurídica contra os habitantes da terra,
pois
não há verdade, nem benevolência, nem
conhecimento de Deus na terra.
2
Irrompeu
o proferimento de maldições, e a prática do
engano, e assassinato, e furto, e adultério, e atos de
derramamento de sangue têm tocado em [outros] atos de
derramamento de sangue.
3 Por
isso a terra pranteará e todo habitante nela terá de
definhar-se com o animal selvático do campo e com a criatura
voadora dos céus, e até mesmo os próprios peixes
do mar serão ajuntados [na morte].

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(Oséias
4:1-3) 1
Ouvi a palavra de Jeová, filhos de Israel; pois
Jeová tem uma contenda com os habitantes da terra, porque na
terra não há verdade, nem misericórdia, nem
conhecimento de Deus. 2 Não
há senão o jurar, e o mentir, e o matar, e o furtar, e
o adulterar; cometem violências, e homicídios sucedem a
homicídios.
3 Portanto a terra pranteará,
e todo o que nela habita desfalecerá juntamente com os animais
do campo e com as aves do céu; e até serão
tirados os peixes do mar.

No
que Jeová se agrada??

(Oséias
6:6)
6 Pois,
agrado-me da benevolência e não do sacrifício
;
e do conhecimento de Deus antes do que de holocaustos.

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(Oséias
6:6) 6
Pois
misericórdia quero, e não sacrifício
;
e o conhecimento de Deus mais do que holocaustos.

A
cidade de Jerusalém e o templo construído por Salomão
já haviam sido totalmente destruídos e o povo já
estava em exílio quando Jeová falou as seguintes
palavras para o povo de Israel:

(Zacarias
7:8-12)
8 E
continuou a vir a haver a palavra de Jeová para Zacarias,
dizendo:
9 Assim
disse Jeová dos exércitos: ‘
Fazei
o vosso julgamento com verdadeira justiça; e praticai
mutuamente benevolência e misericórdias;
10
e
não defraudeis nem viúva, nem menino órfão
de pai, nem residente forasteiro, nem atribulado, e não
maquineis nada de mal um contra o outro nos vossos corações.

11 Mas,
persistiram em negar-se a prestar atenção e continuaram
a oferecer um ombro obstinado, e fizeram seus ouvidos demasiadamente
irresponsivos para ouvir.
12 E
tornaram seu coração como pedra de esmeril para não
obedecer à lei e às palavras que Jeová dos
exércitos enviara por meio de seu espírito, por
intermédio dos profetas anteriores; de modo que ocorreu grande
indignação da parte de Jeová dos exércitos.”

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(Zacarias
7:8-12) 8
A palavra de Jeová veio a Zacarias, dizendo: 9
Assim falou Jeová dos exércitos: Julgai
juízo verdadeiro, e mostrai misericórdia e compaixão,
cada um para com o seu irmão;
10
não
oprimais a viúva e o órfão, nem o estrangeiro e
o pobre; nenhum de vós intente no seu coração o
mal contra o seu irmão.
11
Mas
recusaram atender, e rebeldes voltaram a mim as costas, e fecharam os
seus ouvidos para não ouvirem.
12 Fizeram
duros como diamante os seus corações, para não
ouvirem a lei, nem as palavras que Jeová dos exércitos
tinha enviado pelo seu espírito por intervenção
dos profetas anteriores; portanto da parte de Jeová dos
exércitos se acendeu grande ira.

O
que o Pai havia pedido aos antepassados??

Mostrai
misericórdia e compaixão, cada um com o seu irmão;
não oprimais a viúva e o órfão, nem o
estrangeiro e o pobre; nenhum de vós intente no coração
o mal contra o seu irmão.

No
lugar de plena violência e o império do terror e do
medo, era para praticar a misericórdia e a compaixão.
No lugar da coação, deviam usar a misericórdia e
a compaixão.

O
que isto significava??

O
que é misericórdia??

Misericórdia
– Esta é a definição dada pelo dicionário
Houaiss: sentimento de dor e solidariedade com
relação a alguém que sofre uma tragédia
pessoal ou que caiu em desgraça// manifestação
deste sentimento através do ato, como o perdão.

misericórdia

s.f.
(sXIV)
1
sentimento
de dor e solidariedade com relação a alguém que
sofre uma tragédia pessoal ou que caiu em desgraça; dó,
compaixão, piedade
2
ato
concreto de manifestação desse sentimento, como o
perdão; indulgência, graça, clemência
n
interj.
3
exclamação
de alguém que pede que o livrem de castigo, de ato de
violência ou da morte

etim
lat.
misericordìa,ae
‘id.’

sin/var
ver
sinonímia de
comiseração
e
condescendência

ant
ver
antonímia de
condescendência

A
misericórdia só se torna visível quando
acompanhada do perdão.

A
quem se perdoa?? Somente àquele que cai em desgraça por
sua má ação.

O
que percebemos??

Percebemos
que em lugar do terror e do medo em face da violência contra o
pecador, o Pai desejava que o pecador fosse tratado com misericórdia.
O agressor devia ser tratado com misericórdia.

O
povo de Israel recusou-se a atender, e de forma rebelde, viraram as
costas para Jeová com suas leis de plena violência e
terror.

No
império do terror, império que idolatrava a coação,
havia apenas violência e assolação.

As
leis do império do medo não previam a misericórdia
e colocavam a misericórdia como algo contra a lei do reino da
intolerância, coação e medo.

O
império do terror não podia produzir misericórdias
e benevolências.

Será
que o império do medo foi algo que se mostrou como uma solução
para o problema da criminalidade??

Será
que estava havendo uma tolerância ao errante?? será que
tal tolerância ao errante estava sendo visto e usado como um
incentivo à criminalidade.

Será
que a intolerância veio para solucionar os problemas de
relacionamento entre os humanos??

Um
humano tido como muito sábio externou a sua conclusão
de sua observação em relação a este
assunto.

(Eclesiastes
8:11)
11 Por
não se ter executado prontamente a sentença contra um
trabalho mau é que o coração dos filhos dos
homens ficou neles plenamente determinado a fazer o mal.

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(Eclesiastes
8:11) 11
Porque a sentença não se executa logo
contra uma má obra, por isso o coração dos
filhos dos homens é inteiramente disposto a praticar o mal.

O
sábio Salomão observou que a impunidade estava servindo
como um incentivo à prática da criminalidade.

Neste
caso, quando se fala em impunidade, fala-se em executar prontamente a
sentença contra uma má ação.

Se
a pessoa não recebe a imediata punição por sua
má obra, isto servirá de incentivo para o aumento da
criminalidade.

Esta
foi a conclusão que chegou o sábio Salomão.

O
que fazer para corrigir tal situação??

O
império do terror foi a solução encontrada por
Moisés. Como afirmou Moisés: “Eles ficarão
com medo e nunca mais farão esta coisa má”.

O
que mais observou o sábio Salomão??

(Eclesiastes
8:12-14)
12 Embora
o pecador faça o mal cem vezes e continue por longo tempo
conforme quiser, contudo, estou também apercebido de que
resultará em bem para os que temem o [verdadeiro] Deus, porque
têm tido temor dele.
13 Mas
não resultará em nada de bom para o iníquo, nem
prolongará ele os seus dias, que são como uma sombra,
porque ele não tem temor de Deus.
14

uma vaidade que se realiza na terra, que há justos a quem
acontece como que pelo trabalho dos iníquos e há
iníquos a quem acontece como que pelo trabalho dos justos. Eu
disse que também isto é vaidade.

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(Eclesiastes
8:12-14) 12
Embora o pecador pratique o mal cem vezes, e os dias
se lhe prolonguem, contudo eu sei com certeza que a felicidade será
para os que temem a Deus, que temem diante dele; 13 porém
a felicidade não será para o perverso, nem prolongará
ele os seus dias que são como sombra, porque não teme
diante de Deus. 14 Há uma vaidade que se realiza sobre
a terra: há justos a quem sucede segundo as obras do perverso,
e há perversos a quem sucede segundo as obras dos justos. Eu
disse que também isto é vaidade.

O
congregante não estava encontrando o lucro em ser justo. Que
vantagem tinha o justo em relação ao iníquo??

O
congregante continua a sua observação:

(Eclesiastes
9:1-3)
9 Pois,
tomei tudo isso ao coração, sim, para esquadrinhar tudo
isso, que os justos e os sábios, bem como suas obras, estão
na mão do [verdadeiro] Deus. A humanidade não está
apercebida nem do amor nem do ódio que todos eram anteriores a
eles.
2 Todos
são iguais naquilo que todos têm. Um só é
o evento conseqüente para o justo e para o iníquo, para o
bom, e para o puro e para o impuro, e para aquele que oferece
sacrifícios e para aquele que não oferece sacrifícios.
O bom é igual ao pecador; quem jura é igual ao que tem
estado com medo duma declaração juramentada.
3 Isto
é o que é calamitoso em tudo o que se tem feito debaixo
do sol, que, por haver um só evento conseqüente para
todos, o coração dos filhos dos homens está
também cheio do mal; e há doidice no seu coração
durante a sua vida, e depois dela — rumo aos mortos!

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(Eclesiastes
9:1-3) 1
Pois a tudo isto apliquei o meu coração,
fiz de tudo isto o objeto do meu exame e vi que os justos e os
sábios, e as suas obras, estão nas mãos de Deus;
se é amor ou se é ódio, não o sabe o
homem. Tudo lhe pode sobrevir. 2 Todas as coisas sucedem
igualmente a todos: o mesmo sucede ao justo e ao perverso, ao bom e
ao puro e ao impuro; ao que oferece sacrifícios e ao que não
os oferece. Como é o bom, assim é o pecador; e aquele
que jura como aquele que teme o juramento. 3 Este é um
mal em tudo o que se faz debaixo do sol; a todos sucede o mesmo.
Também o coração dos filhos é cheio de
maldade, e a loucura acha-se no seu coração durante a
sua vida, e depois vão ter com os mortos.

Nenhuma
vantagem em ser justo. O que acontece com o justo, também
acontece com o iníquo. O justo se priva de fazer coisas e ao
final de tudo ele morre do mesmo jeito que morre o iníquo.
Todos são iguais, independente daquilo que façam. O
justo é igual ao iníquo. Assim como morre um, assim
morre o outro.

O
congregante via tudo isto e achava frustrante.

De
forma consequente vem a pergunta: Por que então se empenhar em
fazer o bem?? Se o bom é igual ao pecador, por que se empenhar
em ser bom??

Um
outro homem também tido com sábio pelos seus
contemporâneos fez suas ponderações sobre o que
ele via.

Ele
via iníquos em melhor estado do que os justos.

Ele
nos fala sobre suas observações.

(Jó
21:5-20)
5 Virai
as vossas faces para mim e olhai assombrados, E ponde a mão
sobre a boca.
6 E
quando me lembrei, também fiquei perturbado
,
E um estremecimento se apoderou da minha carne.
7
Por
que é que os próprios iníquos continuam vivendo,
Têm envelhecido, também se tornaram superiores em
riqueza?
8
Sua
descendência está firmemente estabelecida com eles à
sua vista, E seus descendentes, diante dos seus olhos.
9
Suas
casas são a própria paz, livres de pavor, E a vara de
Deus não está sobre eles.
10
Seu
próprio touro realmente fecunda e não desperdiça
sêmen; Sua vaca tem cria e não sofre aborto.
11
Continuam
enviando seus garotos iguais a um rebanho, E seus próprios
meninos estão saltitando.
12
Continuam
a elevar [a sua voz] com o pandeiro e a harpa, E prosseguem
alegrando-se ao som do pífaro.
13
Passam
bem os seus dias, E num instante baixam ao Seol.
14
E
eles dizem ao [verdadeiro] Deus: ‘Desvia-te de nós! E
não nos agradamos no conhecimento dos teus caminhos.
15
Que é
o Todo-poderoso, para que o sirvamos, E que nos aproveita termos
entrado em contato com ele?’
16
Eis
que seu bem-estar não está no seu próprio poder.
O próprio conselho dos iníquos se manteve longe de mim.
17 Quantas
vezes se apaga a lâmpada dos iníquos, E [quantas vezes]
vem sobre eles o seu desastre? Na sua ira, [quantas vezes] reparte
ele a destruição?
18
Ficam
eles como palha diante do vento, E como a pragana furtada pelo tufão?
19 O
próprio Deus guardará o prejudicial [do homem] para os
próprios filhos dele; Recompensá-lo-á para que
saiba [isso].
20
Seus
olhos verão a sua decadência, E beberá do furor
do Todo-poderoso.

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(Jó
21:5-20) 5
Olhai para mim e pasmai, E ponde a mão sobre a
vossa boca. 6 Mesmo
de pensar nisto, me perturbo,
E o horror apodera-se da
minha carne; 7 Por
que vivem os iníquos, Se envelhecem, e se robustecem em poder?
8
Seus
filhos estabelecem-se com eles à sua vista, E os seus
descendentes diante dos seus olhos
. 9 As suas
casas estão livres de medo, E a vara de Deus não cai
sobre eles. 10 O seu touro gera, e não falha; Pare a
sua vaca, e não aborta. 11 Fazem sair a seus filhos
como um rebanho, E os seus pequenos saltam e brincam. 12
Cantam ao som do tamboril e da harpa, E regozijam-se ao som da
flauta. 13 Passam os seus dias em prosperidade, E num momento
descem a Cheol. 14 Contudo disseram a Deus: Retira-te de nós;
Pois não desejamos conhecer os teus caminhos. 15 Que é
o Todo-poderoso, para que o sirvamos? Que nos aproveitará, se
lhe dirigirmos orações? 16 Eis que não
está nas mãos deles a sua prosperidade; Longe de mim o
conselho dos iníquos! 17 Quantas vezes sucede que se
apaga a lâmpada dos iníquos? Que lhes sobrevém a
calamidade? Que Deus na sua ira lhes distribui dores? 18 Que
eles são como a palha diante do vento, E como a pragana que a
tempestade leva? 19
Deus,
dizeis vós, reserva a iniqüidade do pai para seus filhos,
Mas é a ele mesmo que Deus deveria punir, para que o sinta.
20
Vejam
os seus próprios olhos a sua destruição, E beba
ele do furor do Todo-poderoso.

Isto
deixava o sábio Jó perturbado. Os iníquos
estavam prosperando e vendo seus filhos e netos. Estavam aproveitando
as coisas da vida e estavam enriquecendo e enriquecendo. Os iníquos
não estavam pagando por suas iniquidades. Será que os
filhos é que deveriam pagar?? O Todo-poderoso devia fazê-lo
pagar, para que sentisse. Os seus próprios olhos deveriam ver
sua própria destruição.

Esta
impunidade estava deixando Jó perturbado e horrorizado.

Neste
caso, percebemos que tanto Jó como Salomão externaram
suas observações e suas conclusões sobre o que
deveria ser feito para solucionar tais problemas.

Assim,
a plena punição, a imediata punição para
os praticantes de iniquidade soava como a solução para
eliminação do iníquo.

Quando
Salomão proferiu suas conclusões, já existiam as
leis de terror e medo, leis estas dadas por Moisés.

Salomão
continuava vendo iníquos prosperando com seus filhos e netos.

Que
solução poderia haver para que o iníquo deixasse
de existir??

Afinal
de contas, por que Jeová não adotava medidas de terror
e medo contra os iníquos??

Afinal
de contas, por que Jeová não exterminava logo com todos
os iníquos, retribuindo ao iníquo plena e imediatamente
segundo o seu próprio caminho??

Séculos
de pois de Salomão, Jeová falou uma interessante
palavra sobre o fim dos iníquos. Ele afirmou:

(Ezequiel
18:23)
23 “‘Acaso
me agrado de algum modo na morte do iníquo’, é a
pronunciação do Soberano Senhor Jeová, ‘[e]
não em que ele recue dos seus caminhos e realmente continue a
viver?’

(Ezequiel
18:23) 23
Acaso
tenho eu prazer na morte do ímpio?
diz o Senhor
Jeová; não quero eu antes que se converta do seu
caminho, e viva?

Confirmou
Jeová que a sua forma de fazer as coisas, forma esta que
deixava os humanos perturbados e horrorizados, tinha um bom motivo.

Ele,
o iníquo, precisa recuar de sua iniquidade, mas, não é
pelo medo do Pai, não é pelo medo do que o Pai vai
fazer contra ele.

(Ezequiel
33:11)
11 Dize-lhes:
‘“Assim como vivo”, é a pronunciação
do Soberano Senhor Jeová, “
não
me agrado na morte do iníquo, mas em que o iníquo recue
do seu caminho e realmente continue vivendo.

Recuai, recuai dos
vossos maus caminhos, pois, por que devíeis morrer, ó
casa de Israel?”’

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel
33:11) 11
Dize-lhes: Pela minha vida, diz o Senhor Jeová,
não
tenho prazer na morte do ímpio; mas sim em que o ímpio
se converta do seu caminho e viva.
Convertei-vos,
convertei-vos dos vossos maus caminhos; pois por que morrereis, ó
casa de Israel?

Ora,
estes homens festejavam a morte dos iníquos. Estes homens
sentiam prazer genuíno com a morte dos iníquos.

No
entanto, qual é o prazer genuíno do Pai??

Que
o iníquo se converta do seu caminho de continue a viver.

O
que afirmou Jesus??

(Lucas
15:3-7)
3 Então
lhes contou a seguinte ilustração, dizendo:
4
Que
homem dentre vós, com cem ovelhas, perdendo uma delas, não
deixa as noventa e nove atrás no ermo e vai em busca da
perdida, até a achar?
5 E
quando a tiver achado, ele a põe sobre os seus ombros e se
alegra.
6 E,
ao chegar à casa, convoca seus amigos e seus vizinhos,
dizendo-lhes: ‘Alegrai-vos comigo, porque achei a minha ovelha
que estava perdida.’
7Eu
vos digo que assim haverá mais alegria no céu por causa
de um pecador que se arrepende, do que por causa de noventa e nove
justos que não precisam de arrependimento.

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(Lucas
15:3-7) 3
Jesus propôs-lhes esta parábola: 4
Qual de vós é o homem que, possuindo cem ovelhas e
tendo perdido uma delas, não deixa as noventa e nove no
deserto, e não vai em busca da que se havia perdido até
achá-la? 5 Quando a tiver achado, põe-na cheio
de júbilo sobre os seus ombros; 6 e chegando à
casa, reúne os seus amigos e vizinhos e diz-lhes:
Regozijai-vos comigo, porque achei a minha ovelha que se havia
perdido. 7 Digo-vos
que assim haverá maior júbilo no céu por um
pecador que se arrepende, do que por noventa e nove justos, que não
necessitam de arrependimento.

Palavras
fortes, estas palavras de Jesus.

No
entanto, nos mostram a plena realidade já informada pelo Pai
para Ezequiel.

Enquanto
os pactuados estavam se alegrando com a morte do iníquo, que
sentimento tinha Jeová em relação ao que o seu
povo estava fazendo??

Percebemos
que o povo estava indo na direção contrária a de
Jeová. Percebemos que os pensamentos e os sentimentos humanos
eram contrários aos pensamentos e sentimentos de Jeová
em relação ao que se deveria fazer com o iníquo.

A
sabedoria humana era favorável à destruição
do iníquo e de fazê-lo pagar prontamente pelo seu
trabalho mau. No entanto, o pensamento de Jeová era diferente.

Ora,
se o objetivo do Pai era que o iníquo recuasse do seu mau
caminho, será que o Pai daria a Moisés um mandamento
que impedisse o iníquo de recuar do seu mau caminho??

Se
existe a imediata retribuição ao iníquo por sua
maldade, como é que o iníquo iria recuar de sua
maldade??

Percebemos
mais uma vez que Jeová nunca poderia ser favorável a um
império do medo e a uma lei de imediata retribuição
ao iníquo em face da maldade do iníquo.

No
entanto, o que dizem os defensores da execução
sumária??

Em
um periódico religioso chamado Despertai, assim escreveram
certos homens:

***
g76
8/12
p.
28
Pode
ter
defeito
uma
lei
perfeita?
***


Bem,
a Lei realmente funcionou como um antigo tutor. Seus regulamentos
visavam
salvaguardar os israelitas de danos em sua relação com
Jeová Deus
,
e de ferirem a si mesmos desse modo. Foi-lhes dito: “Deveis
andar em todo o caminho que Jeová, vosso Deus, vos ordenou
para que vivais e vos vá bem, e deveras prolongueis os vossos
dias na terra de que tomareis posse.” — Deu. 5:33.


A
Lei era também um estribo disciplinador. Os erros não
passavam sem punição. A respeito das violações
graves da Lei, tais como o adultério, o assassínio e o
seqüestro, lemos: “Qualquer homem que tiver desconsiderado
a lei de Moisés morre sem compaixão, pelo testemunho de
dois ou três.” (Heb. 10:28)
A
execução sumária de transgressores deliberados
servia para encher de saudável temor os observadores e agia
como força de restrição contra os atos
anárquicos.

Bem,
se é sabedoria plena tal norma de comportamento, ela deve ser
continuamente usada por Deus para a manutenção da ordem
entre criaturas dotadas de livre-arbítrio, não é
verdade??

Dizem
que houve uma tolerância temporária desta
condição na qual pessoas cometiam maldades sem uma
execução sumária delas.

Vejamos
o que diz este outro periódico religioso?

***
w97
15/2
p.
7
Um
dia
acabará
o
sofrimento
***


Imagine
isso! Não mais haverá dor, lágrimas, clamor,
morte — acabará o sofrimento!


Quaisquer
desgraças que tenham
ocorrido
durante a tolerância temporária do mal

serão corrigidas. Até mesmo as lembranças de dor
e sofrimento humanos — que nunca fizeram parte do propósito
de Deus — serão apagadas para sempre.

Bem,
se estava havendo uma tolerância temporária, o que
acontecerá depois deste período de tempo??

ççççççççççç

Topo
desta página


Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar