Alimento espiritual é invisível e deve ser depositado no coração


ALIMENTO
ESPIRITUAL, O QUE É E ONDE ENCONTRAR

Criada
em 12 de outubro de 2012 – Última atualização em
07/04/14 às 17 : 35

ALIMENTO
ESPIRITUAL – o que é isto??

Jesus
veio à terra para estabelecer a diferença entre o certo
e o errado; entre o bem e o mal; entre o pecado e não pecado;
entre a verdade e a mentira. Jesus revelou tais coisas aos humanos
através de suas palavras e de suas ações. Será
que o humano aceita este fato em relação a Jesus?? O
que acarretaria o humano aceitar este fato em relação a
Jesus??

O
humano contemporâneo de Jesus precisaria rever todos os seus
conceitos sobre certo e errado. Para tal, este humano precisaria
confiar absolutamente em Jesus como sua fonte de informações,
afinal de contas, este humano já havia recebido muitas
informações.

ALIMENTO
Esta é a definição dada por
certo dicionário (Houaiss): substância
que sirva para nutrir.

alimento
Datação:
1584

n
substantivo
masculino

1
toda
substância digerível que sirva para alimentar ou nutrir

Ex.:
a
carne é um bom a.

2
Derivação:
sentido figurado.


o
que mantém, sustenta

3
Derivação:
por extensão de sentido.


tudo
o que pode concorrer para a subsistência de algo

Ex.:
a
mata serviu de a. ao incêndio

4
Derivação:
sentido figurado.


tudo
o que concorre para desenvolver as faculdades intelectuais e morais

Ex.:
a
leitura é o a. do espírito


alimentos

n
substantivo
masculino plural


Rubrica:
termo jurídico.

5
meios,
em natureza ou dinheiro, a que tem direito o alimentando e
indispensáveis a seu sustento, como habitação,
vestuário, assistência médica e, sendo menor,
educação e instrução

ESPIRITUAL
– Esta é a definição dada por certo dicionário
(Houaiss): desprovido de corpo, imaterial,
invisível.

espiritual
Datação:
sXIII

n
adjetivo
de dois gêneros

1
concernente
ao espírito; próprio do espírito ou a ele
pertencente

Ex.:
parentesco
e.

2
semelhante
ao espírito; desprovido de corporeidade; imaterial

Ex.:
anjos
são seres e.

3
relativo
a religião, a misticismo, a crenças; sobrenatural,
místico

Ex.:
poderes
e.

n
substantivo
masculino

4
tudo
que não é material; o que é próprio do
espírito

Ex.:
passou
a dedicar-se só ao e.

Alimento
é tudo que é digerível e que sirva para nutrir,
para alimentar. Alimento espiritual é algo invisível
que, obviamente, serve para nutrir algo invisível.

O
alimento é a base para o crescimento, ou seja, para o
desenvolvimento.

Repetindo
o dicionário temos: “tudo o que concorre para
desenvolver as faculdades intelectuais e morais”.

  1. Ah,
    faculdades intelectuais e morais são invisíveis!!

  2. As
    faculdades intelectuais e morais também necessitam de
    alimento.

  3. O
    alimento para as faculdades intelectuais e morais é um
    alimento invisível.

  4. A
    faculdade intelectual não é um corpo espiritual.

CRESCIMENTO
– Esta é a definição dada por certo
dicionário (Houaiss): .. aumento
de volume de quantidade ou de intensidade.

crescimento
Datação:
sXIV

n
substantivo
masculino

1
multiplicação
ou aumento em dimensão, volume, quantidade ou intensidade

Exs.:
c.
populacional

c.
econômico

c.
da criminalidade

o
c. de uma epidemia

2
Derivação:
sentido figurado.


desenvolvimento,
progresso, evolução; acréscimo em importância

Exs.:
inquieta-se
com o c. do vizinho

o
c. de um político

o
c. de um país

3
Rubrica:
fisiologia.


aumento
das principais dimensões (de um organismo vivo);
desenvolvimento físico

O
alimento deve ser nutritivo para aquele organismo.

NUTRITIVO
– Esta é a definição dada por certo
dicionário (Houaiss):

nutritivo
Datação:
sXV

n
adjetivo

1
que
nutre, que tem a propriedade de nutrir, de alimentar [sin.:
alimentício, nutrício, nutriente, nutrimental,
nutritício, nutrítico]

Ex.:
substância
n.

2
relativo
a nutrição; nutrício, nutricional

Ex.:
o
poder n. do feijão

Havendo
o alimento, certamente o organismo precisará que ocorra a
“nutrição”.

NUTRIÇÃO
– Esta é a definição dada por certo
dicionário (Houaiss): processos através
dos quais o organismo
absorve
o alimento.

nutrição
Datação:
1686

n
substantivo
feminino

1
ato
ou efeito de nutrir(-se); nutrimento

2
fonte
de sustento; alimento, nutrimento

Ex.:
nos
grãos tem-se excelente n.

3
m.q.
nutricionismo

4
Rubrica:
biologia.


conjunto
de processos através dos quais um organismo (animal, planta,
bactéria etc.) absorve e assimila os alimentos

5
Rubrica:
farmácia.


mistura
de substâncias com que se reforça a eficácia de
um medicamento

  1. O
    organismo precisa absorver o alimento para poder crescer.

  2. O
    alimento representa vida para o organismo, representa a continuidade
    da vida.

  3. Se
    o organismo não absorver o alimento, ele definha e morre.

  4. A
    simples existência do alimento não traz nenhum
    benefício para o organismo.

Por
exemplo, a água é um alimento imprescindível
para a árvore. No entanto, a simples existência da água
não traz qualquer benefício para a árvore. É
necessário que esta água possa ser usada pela árvore.
A água precisa ser absorvida pela árvore. De alguma
forma, a água precisa ser usada pela árvore. A água
precisa fazer parte da árvore.

  • Fisicamente
    falando, o organismo absorve os nutrientes dos alimentos e torna-se
    cada vez maior e mais forte.

  • Fisicamente
    falando, o organismo absorve toxinas dos alimentos e torna-se cada
    vez mais fraco e mais debilitado.

Além
da existência do alimento, é necessário que o
organismo se beneficie do contato direto com tal alimento.

Como
os organismos têm absorvido os alimentos??

Jeová
projetou e colocou em funcionamento um processo físico no qual
o organismo consegue absorver o alimento.

Nós
o chamamos de “digerir” o alimento.

Digerir
– Esta é a definição dada por certo
dicionário (Houaiss): realizar digestão;
promover a absorção;
assimilar; compreender.

digerir

v.
(sXV)
1
t.d.int.
fisl
fazer
ou realizar a digestão
<d.
o almoço
>
<d.
com dificuldade
>
2
t.d.int.
p.metf.
transformar
(algo abstrato ou concreto), promovendo uma absorção
2.1
t.d.int.
assimilar
(algo recebido de outrem); compreender
<digeriu
a explicação do mestre
>
<
muito, mas quase não digere
>
2.2
t.d.
sofrer
pacientemente; suportar com resignação
<d.
uma ofensa
>
¤
gram
a
respeito da conj. deste verbo, ver
-erir;
apresenta duplo part.:
digerido,
digesto

¤
etim
lat.
digèro,is,digessi,digestum,digerère
‘dividir,
absorver’

Também
existe um outro detalhe.

O
alimento que nutre um organismo pode ser tóxico para outro
organismo. Para um organismo representará vida, enquanto para
outro representará morte.

TOXINA
Esta é a definição dada por certo dicionário
(Houaiss): substância tóxica

toxina
Datação:
sXX
Ortoépia:
cs

n
substantivo
feminino


Rubrica:
bioquímica, imunologia.


substância
tóxica, esp. uma proteína, produzida durante o
metabolismo e o crescimento de certos microrganismos, animais e
plantas, e capaz de provocar a formação de anticorpos
ou antitoxinas

Uma
toxina pode produzir bons e maus efeitos. A toxina é o
resultado de uma reação entre substâncias.

TÓXICO
– Esta é a definição dada por certo
dicionário (Houaiss): que produz efeitos
nocivos no organismo.

tóxico
Datação:
1562-1575
Ortoépia:
cs

n
adjetivo
e substantivo masculino


Rubrica:
farmácia.

1
que
ou o que produz efeitos nocivos no organismo

Exs.:
substância
t.

a
cocaína é um t.

2
que
ou o que contém veneno

n
adjetivo

3
que
se deve à presença de veneno no organismo

Ora,
você quer me dizer que existem alimentos com nutrientes e
alimentos com coisas tóxicas?? Sim, é isto mesmo.

Isto
significa que algo aparentemente inofensivo para meu organismo pode
tornar-se potencialmente destrutivo para o meu organismo?? Sim, é
isto mesmo.

Ora,
você que me dizer que existem alguns alimentos que são
aparentemente nutritivos, mas que posteriormente se mostram ser
toxinas?? Sim, é isto mesmo.

Podemos
chamar tais coisas de veneno?? Sim, podemos.

Veneno
– Esta é a definição dada pelo dicionário
Houaiss: qualquer substância, preparada
ou natural, que por sua atuação química é
capaz de destruir ou perturbar as funções vitais de um
organismo.

1veneno

s.m.
(sXV)
B
1
qualquer
substância, preparada ou natural, que por sua atuação
química é capaz de destruir ou perturbar as funções
vitais de um organismo
1.1
secreção
venenosa de alguns animais; peçonha
2
fig.
tudo
o que corrompe, causa prejuízo moral
<filmes
violentos são v. para as crianças
>
2.1
pessoa
de má índole, que causa dano a outrem
<amigos
drogados foram um v. para o meu filho
>
3
fig.
intenção
perversa, malignidade, perversidade, maldade
<
muito v. no que ela disse
>
3.1
fig.
interpretação
deturpada, maldosa de algo
<ele
colocou v. em tudo o que eu disse
>
4
fig.
encanto
que atrai; sedução
<o
v. de teus lábios
>
5
B
infrm.
joc.

aguardente
de cana; cachaça
6
fisquím
substância
que desativa um catalisador
¤
etim
lat.
venénum,i
‘filtro,
poção mágica para se fazer amar; remédio;
veneno’
¤
sin/var
envenenador
(
fisquím);
ver sinonímia de
cachaça
¤
ant
antídoto
¤
hom
veneno(fl.venenar)

A
interação entre os alimentos produzirá uma
reação, reação esta que poderá ser
benéfica ou maléfica para o nosso organismo.

Por
vezes as toxinas não produzem um mal imediato, necessitando de
tempo para debilitarem um organismo. Algumas toxinas necessitam da
companhia de outras toxinas para fortalecerem-se dentro do organismo,
para então poderem debilitá-lo.

Neste
caso, o alimento espiritual é “algo invisível”
que tem como objetivo nutrir “algo invisível” para
que este “algo invisível” possa crescer e
tornar-se forte.

Em
relação ao alimento físico, muitas são as
conclusões que os estudiosos têm chegado em relação
a certos alimentos.

  • A
    humanidade está se apercebendo que a boa alimentação
    é imprescindível para a continuidade da vida.

  • A
    humanidade está se apercebendo que certos tipos de saborosos
    alimentos têm contribuído para o mal funcionamento do
    nosso organismo.

  • Muitos
    estudiosos têm classificado a gordura como uma toxina para o
    organismo, enquanto que outros estudiosos não a classificam
    assim.

Percebemos
que, embora a tecnologia tenha grande avanço, ainda há
muito o que aprender em relação ao alimento físico,
sendo que este é essencial para a continuidade da vida tanto
do bebê quanto do homem idoso.

  1. Temos
    percebido que aquilo que ingerimos na juventude têm provocado
    males nas idades posteriores.

  2. Temos
    percebido que o bebê pode tornar-se vítima de algum
    alimento consumido pela mãe.

Em
relação ao alimento físico, ao alimento visível,
ao alimento que se pode ver e tocar, que informação deu
o Pai para o humano que Ele havia acabado de projetar e fazer??

Como
projetista que era, é óbvio que Jeová sabia
exatamente qual era a alimentação que Ele havia
projetado para a parte física da Sua criatura de carne e
sangue.

(Gênesis
1:29-30)
29
E
Deus prosseguiu, dizendo: “
Eis
que vos tenho dado toda a vegetação que dá
semente, que há na superfície de toda a terra, e toda
árvore em que há fruto de árvore que dá
semente. Sirva-vos de alimento.
30
E
a todo animal selvático da terra, e a toda criatura voadora
dos céus, e a tudo o que se move sobre a terra, em que há
vida como alma, tenho dado toda a vegetação verde por
alimento.” E assim se deu.

Assim
verte a Tradução Almeida:

(Gênesis
1:29-30) 29
Disse-lhes mais: Eis
que vos tenho dado todas as ervas que produzem semente, as quais se
acham sobre a face de toda a terra, bem como todas as árvores
em que há fruto que dê semente; ser-vos-ão para
mantimento.
30 E a todos os animais da terra, a
todas as aves do céu e a todo ser vivente que se arrasta sobre
a terra, tenho dado todas as ervas verdes como mantimento. E assim
foi.

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(Gênesis
1:29-30) 29
Disse Deus mais: Eis
que vos tenho dado todas as ervas que dão semente, as quais se
acham sobre a face de toda a terra, e todas as árvores em que
há fruto que dê semente; ser-vos-ão para
mantimento.
30
A todos os animais selvagens e a todas as aves do céu e a tudo
que se arrasta sobre a terra, em que há vida, tenho dado todas
as ervas verdes para lhes servirem de mantimento; e assim se fez.

O
que o humano devia comer??

Ervas
que dão semente e todas as árvores em que há
fruto que dê semente.

  • Eis
    que vos tenho dado toda a vegetação que dá
    semente; e toda árvore em que há fruto de árvore
    que dá semente

  • Eis
    que vos tenho dado todas as ervas que produzem semente; bem como
    todas as árvores em que há fruto que dê semente

  • Eis
    que vos tenho dado todas as ervas que dão semente; e todas as
    árvores em que há fruto que dê semente

O
que o animal devia comer??

Todas
as ervas verdes.

  • tenho
    dado toda a vegetação verde por alimento

  • tenho
    dado todas as ervas verdes como mantimento.

  • tenho
    dado todas as ervas verdes para lhes servirem de mantimento

Buscando
identificar o alimento invisível, alimento espiritual, vamos
analisar estas afirmações de Jesus.

(Mateus
4:4)
4 Mas
ele disse em resposta: “Está escrito: ‘
O
homem tem de viver, não somente de pão
,
mas de cada
pronunciação
procedente da boca de
Jeová.’”

Assim
verte a Tradução Almeida

(Mateus
4:4) 4
Mas Jesus lhe respondeu: Está escrito: Nem
só de pão viverá o homem
, mas de
toda palavra
que sai da boca de Deus.

Assim
verte a Tradução Brasileira

(Mateus
4:4) 4
Mas Jesus respondeu: Está escrito: Não
só de pão viverá o homem,
mas de
toda a palavra
que sai da boca de Deus.

Além
do alimento físico, que outro alimento chamou Jesus à
atenção??

  • mas
    de cada
    pronunciação
    procedente da boca de
    Jeová.’

  • mas
    de toda
    palavra
    que sai da boca de Deus.

  • mas
    de toda a
    palavra
    que sai da boca de Deus.

Ele
afirmou para seus alunos: “Tenho alimento para comer de que vós
não sabeis, que vós não conheceis”.

(João
4:31-34)
31Entrementes,
os discípulos instavam com ele, dizendo: “Rabi, come.”
32Mas
ele lhes disse: “
Tenho
alimento para comer de que vós não sabeis
.”
33Os
discípulos começaram assim a dizer uns aos outros:
“Será que alguém lhe trouxe algo para comer?”
34Jesus
disse-lhes: “
Meu
alimento é eu fazer a vontade daquele que me enviou e terminar
a sua obra.

Assim
verte a Tradução Almeida

(João
4:31-34) 31
Entrementes os seus discípulos lhe rogavam,
dizendo: Rabi, come. 32 Ele, porém, respondeu: Uma
comida tenho para comer que vós não conheceis.

33 Então os discípulos diziam uns aos outros:
Acaso alguém lhe trouxe de comer? 34 Disse-lhes Jesus:
A
minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou, e
completar a sua obra.

Assim
verte a Tradução Brasileira

(João
4:31-34) 31
Entretanto os discípulos lhe rogavam, dizendo:
Mestre, come. 32 Mas ele lhes respondeu: Eu
para comer tenho um manjar que vós não conheceis.

33 Os discípulos, pois, diziam uns aos outros:
Porventura alguém lhe trouxe de comer? 34 Disse-lhes
Jesus: A
minha comida é fazer eu a vontade daquele que me enviou, e
completar a sua obra.

  1. Os
    alunos imaginavam tratar-se de algo material, algo visível.

  2. Jesus
    queria chamar a atenção de seus alunos para algo
    invisível. Jesus queria que eles vissem algo invisível.

  3. Tratava-se
    de algo invisível que deveria ser percebido. Embora o vento
    não possa ser visto, ele pode ser percebido, assim como as
    forças eletromagnéticas, que também não
    podem ser vistas, mas podem ser percebidas através de seus
    efeitos.

Bem,
tratava-se de um alimento, não é verdade?? Segundo a
afirmação de Jesus, sim.

As
palavras de Jesus foram claras: Existe um alimento físico e
existe um alimento invisível”.

Segundo
Jesus, qual é o alimento invisível??

  • mas
    de cada
    pronunciação
    procedente da boca de
    Jeová.

    • Meu
      alimento é eu fazer a vontade daquele que me enviou

  • mas
    de toda
    palavra
    que sai da boca de Deus.

    • A
      minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou

  • mas
    de toda a
    palavra
    que sai da boca de Deus.

    • A
      minha comida é fazer eu a vontade daquele que me enviou

Vamos
analisar esta outra afirmação de Jesus.

(João
6:63)
63É
o espírito que é vivificante; a carne não é
de nenhum proveito.
As
declarações
que
eu vos tenho feito são espírito e são vida.. . .

Assim
verte a Tradução Almeida:

(João
6:63) 63
O espírito é o que vivifica, a carne para
nada aproveita; as
palavras
que
eu vos tenho dito são espírito e são vida.

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(João
6:63) 63
O espírito é o que vivifica, a carne para
nada aproveita; as
palavras
que
eu vos tenho dito, são espírito e são vida.

O
que percebemos??

  1. As
    declarações que vos tenho feito são espírito
    e são vida.

  2. As
    palavras que vos tenho dito são espírito e são
    vida.

  3. As
    declarações que vos tenho deito são

    invisíveis e são
    vida.

O
que percebemos com esta outra declaração de Jesus??

(João
12:49-50)
49porque
não falei de meu próprio impulso, mas o próprio
Pai que me enviou tem-me dado um mandamento quanto a que dizer e que
falar.
50Sei
também que o seu mandamento significa vida eterna.

Portanto, as coisas
que eu falo, assim como o Pai mas disse, assim [as] falo.”

Assim
verte a Tradução Almeida:

(João
12:49-50) 49
Porque eu não falei por mim mesmo; mas o Pai,
que me enviou, esse me deu mandamento quanto ao que dizer e como
falar. 50 E
sei que o seu mandamento é vida eterna.
Aquilo,
pois, que eu falo, falo-o exatamente como o Pai me ordenou.

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(João
12:49-50) 49
Pois eu por mim mesmo
não falei, mas o Pai que me enviou, esse mesmo me tem
prescrito o que devo dizer e o que devo falar.
50
Eu
sei que o seu mandamento é vida eterna.

Aquilo, pois, que eu falo, falo-o como o Pai mo tem dito.

Nestas
afirmações de Jesus passamos a perceber:

  1. O
    alimento invisível é a palavra saída da boca do
    Pai.

  2. Por
    Jesus repetir as palavras que saíram da boca do Pai, suas
    palavras eram espírito e vida.

  3. O
    alimento espiritual significa vida eterna.

  4. A
    palavra que sai da boca do Pai representa vida eterna.

  5. Jesus
    só falava aquilo que ouviu sair da boca do Pai.

  6. As
    palavras que saem da boca do Pai devem tornar-se mandamentos para os
    humanos (filhos).

  7. Os
    mandamentos do Pai têm por objetivo preservar a vida dos
    filhos.

  8. Os
    mandamentos do Pai são informações de um
    Projetista para seus inteligentes projetados em como devem se
    comportar no dia a dia.

Como
o alimento espiritual pode representar vida eterna??

Jesus
estava falando com uma mulher samaritana.

(João
4:13-14)
13Em
resposta, Jesus disse-lhe: “Todo aquele que beber desta água
ficará novamente com sede.
14Quem beber da água
que eu lhe der, nunca mais ficará com sede,
mas
a água que eu lhe der se tornará nele uma fonte de água
que borbulha para dar vida eterna.
.
. .

Assim
verte a Tradução Almeida:

(João
4:13-14) 13
Replicou-lhe Jesus: Todo o que beber desta água
tornará a ter sede; 14 mas aquele que beber da água
que eu lhe der nunca terá sede; pelo contrário, a
água que eu lhe der se fará nele uma fonte de água
que jorre para a vida eterna.

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(João
4:13-14) 13
Replicou-lhe Jesus: Todo o que bebe desta água,
tornará a ter sede; 14 mas quem beber da água
que eu lhe der, nunca mais terá sede; pelo contrário a
água que eu lhe der, virá a ser nele uma fonte de água
que mana para a vida eterna.

Ora,
que coisa incrível!! Depois de beber da água dada por
Jesus, a pessoa se tornaria uma fonte de vida. Como isto se daria??

Se
daria da mesma forma como se dava com Jesus. Por repetir as palavras
do Pai, Jesus mostrava ser uma fonte de vida. Da mesma forma, aquele
que passasse a repetir as palavras de Jesus também passaria a
ser uma fonte de vida, pois as palavras que esta pessoa estaria
falando, eram exatamente as palavras saídas da boca de Jeová,
o Pai.

Ao
repetir as palavras de Moisés, a pessoa passava a ser uma
fonte de vida ou uma fonte de morte, calamidade e destruição??

Além
desta forma simples há ainda outra forma de se tornar uma
fonte de vida.

Isto
envolvia o “digerir” o alimento tornado disponível.

Quando
vimos a descrição da palavra “digerir”,
encontramos a expressão “compreender”.

Ao
ouvir as palavras saídas da boca de Jesus, o que afirmaram
aqueles homens que adoravam o que não conheciam??

Os
samaritanos afirmaram:

(João
4:40-42)
40Portanto,
chegando-se a ele os samaritanos, começaram a pedir-lhe que
ficasse com eles; e ficou ali dois dias.
41Em conseqüência
disso, muitos mais creram por causa do que dizia,
42e começaram a
dizer à mulher:
Não
é mais pela tua conversa que cremos; porque nós mesmos
temos ouvido e sabemos que este homem certamente é o salvador
do mundo.”

Assim
verte a Tradução Almeida:

(João
4:40-42) 40
Indo, pois, ter com ele os samaritanos, rogaram-lhe
que ficasse com eles; e ficou ali dois dias. 41 E muitos mais
creram por causa da palavra dele; 42 e diziam à mulher:

não é pela tua palavra que nós cremos; pois
agora nós mesmos temos ouvido e sabemos que este é
verdadeiramente o Salvador do mundo.

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(João
4:40-42) 40
Quando, pois, estes samaritanos vieram ter com Jesus,
pediram-lhe que ficasse com eles; e passou ali dois dias. 41
Muitos mais creram por causa das palavras de Jesus, 42 e
diziam à mulher: Não
é mais pelas tuas palavras que nós cremos; mas porque
nós mesmos temos ouvido e sabemos que este é
verdadeiramente o Salvador do mundo.

Ao
ouvirem as palavras faladas por Jesus, o que afirmaram??

  • sabemos
    que este homem certamente é o salvador do mundo.

  • sabemos
    que este é verdadeiramente o Salvador do mundo.

  • sabemos
    que este é verdadeiramente o Salvador do mundo.

Pelas
coisas que ouvimos dele, chegamos a conclusão que ele é
o salvador do mundo.

Pelas
informações que ele nos passou, concluímos que
ele é o salvador do mundo.

As
palavras saídas da boca de Jesus e ouvidas por estes homens os
levaram a fazer esta incrível afirmação a
respeito de Jesus. As palavras representariam a salvação
para o mundo. As informações representavam a salvação
do mundo.

Estes
humanos ouviram a palavra, gostaram da palavra e entenderam a palavra
(informações). Em face disto, eles classificaram a
palavra (informação) como “salvação”
para o mundo inteiro.

O
mundo precisava ser salvo??

O
mundo poderia ser salvo através das “informações”
dadas por Jesus??

Bem,
o Pai falou a palavra e Jesus repetiu a palavra falada pelo Pai. E
agora, o que acontece??

Algo
muito incrível aconteceu aqui. Não podemos deixar de
falar sobre isto.

Os
samaritanos chegaram a conclusão que Jesus salvaria o mundo
através das palavras que ele repassava aos humanos, enquanto
que os discípulos de Jesus afirmam que a salvação
do mundo se daria pelo sacrifício (morte praticada por alguém,
derramando o sangue) de Jesus.

Frase
1: A informação de Jesus salvaria o mundo.

Frase
2: A morte sacrificial de Jesus salvaria o mundo.

São
frase bem diferentes e apenas uma é a verdade.

Será
que os samaritanos estavam errados??

Continuemos
a falar sobre alimento.

O
alimento físico precisa ser ingerido.

O
alimento espiritual também precisa ser ingerido.

Como
ingerir o alimento espiritual disponibilizado pelo Pai e repassado
por Jesus??

Seria
suficiente apenas ouvir a palavra falada por Jesus??

O
que afirmou Jesus??

(Mateus
13:18-19)
18Escutai,
então, a ilustração do homem que semeou.
19Quando
alguém ouve a palavra do reino, mas não a entende
,
vem o iníquo e arrebata o que
foi
semeado no seu coração
;
este é o semeado à beira da estrada. . .

(Mateus
13:23) . . .Quanto ao semeado em solo excelente,
este
é o que ouve a palavra e a entende,

que realmente dá
fruto e produz, este cem vezes mais, aquele sessenta vezes mais,
outro trinta vezes mais.”

Assim
verte a Tradução Almeida:

(Mateus
13:18-19) 18
Ouvi, pois, vós a parábola do
semeador. 19 A todo o que ouve
a palavra do reino e não a entende
, vem o
Maligno e arrebata o que lhe foi
semeado no coração
; este é o que
foi semeado à beira do caminho.

(Mateus
13:23) 23
Mas o que foi semeado em boa terra, este
é o que ouve a palavra, e a entende;
e dá
fruto, e um produz cem, outro sessenta, e outro trinta.

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(Mateus
12:18-19) 18
Ouvi, pois, vós a parábola do
semeador. 19 Quando alguém ouve
a palavra do reino e não a entende
, vem o
maligno e tira o que tem sido semeado
no seu coração
: este é o que foi
semeado à beira do caminho.

(Mateus
13:23) 23
O que foi semeado na boa terra, é
quem ouve a palavra e a entende
, e verdadeiramente dá
fruto, produzindo a cento, a sessenta e a trinta por um.

Ficou
bem claro, não ficou?? A pessoa precisaria ouvir a palavra
(informação) e entender a palavra (informação).
A pessoa precisa digerir o alimento, a pessoa precisa digerir
a palavra, a pessoa precisa entender a palavra, a pessoa
precisa compreender a palavra (informação).

Somente
aquele que “entende”, somente aquele que “compreende”
é que dá fruto, logo, ele precisa “digerir”
a palavra. Somente aquele que entende perfeitamente a palavra é
que consegue se tornar uma fonte daquilo que ele entendeu.

Não
se tratava de qualquer palavra (informação). Tratava-se
da palavra (informação) saída da boca de Jeová
e repassada por Jesus.

Depois
de ouvir e entender esta palavra (informação), a pessoa
passaria a dar os frutos específicos da palavra falada.

Onde
esta palavra (informação) é semeada??

Esta
palavra é semeada no coração. Esta palavra é
semeada em um local invisível, isto é, o coração.

O
que nasce e reside nos corações??

Obviamente,
trata-se de coisas invisíveis, coisas que não podem ser
vistas.

São
os sentimentos que nascem e habitam os corações.

Vou
escrever minhas leis nos corações dos homens”.

(Jeremias
31:33)
33Pois
este é o pacto que concluirei com a casa de Israel depois
daqueles dias”, é a pronunciação de Jeová.
Vou
pôr a minha lei no seu íntimo e a escreverei no seu
coração.
E
vou tornar-me seu Deus e eles mesmos se tornarão meu povo.”

Assim
verte a Tradução Almeida:

(Jeremias
31:33) 33
Mas este é o pacto que farei com a casa de
Israel depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei
a minha lei no seu interior, e a escreverei no seu coração
;
e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo.

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(Jeremias
31:33) 33
Mas esta é a aliança que farei com a casa
de Israel depois daqueles dias, diz Jeová: Imprimirei
a minha lei no seu interior, e a escreverei no seu coração;

eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo;

Como
Jeová escreveria a Sua lei no coração do
humano?? Seria através de um ferro de marcar?? Seria
desrespeitado o livre-arbítrio do humano??

Que
sequência lógica nos revelou Jesus??

Onde
a semente seria semeada??

  • foi
    semeado no seu coração

  • foi
    semeado no coração

  • semeado
    no seu coração

Primeiro,
a pessoa precisa ouvir.

Depois
de ouvir, a pessoa precisa aceitar.

Depois
de aceitar, a pessoa precisa entender o que ouviu.

Apesar
dos problemas que seriam comuns a todos, aqueles que ouvissem,
aceitassem e entendessem a palavra falada por Jesus, passariam a dar
frutos. Haveria diferença na quantidade de frutos, no entanto,
eles começariam a dar frutos. A pessoa que acreditasse
passaria a usar as informações dadas por Jesus para
ajudá-la a resolver os problemas do dia a dia.

Alguma
coisa invisível nasceria e cresceria nos corações
destes ouvintes. O que seria?? Certamente seria algo invisível.

O
que habitam os corações?? Não são os
sentimentos??

Que
tipo de coração possuíam aqueles homens??

O
que o Pai havia falado para a geração de Ezequiel??

(Ezequiel
11:19-20)
19E
vou dar-lhes um só coração e porei no seu íntimo
um espírito novo;
e
certamente removerei da sua carne o coração de pedra e
lhes darei um coração de carne
,
20para
que

andem nos meus próprios estatutos e guardem as minhas próprias
decisões judiciais e realmente as executem; e eles poderão
realmente tornar-se meu povo e eu mesmo poderei tornar-me seu Deus.”’

Assim
verte a Tradução Almeida:

(Ezequiel
11:19-20) 19
E lhes darei um só coração, e
porei dentro deles um novo espírito; e
tirarei da sua carne o coração de pedra, e lhes darei
um coração de carne,
20 para
que
andem nos meus estatutos, e guardem as minhas
ordenanças e as cumpram; e eles serão o meu povo, e eu
serei o seu Deus.

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel
11:19-20) 19
Dar-lhes-ei um só coração, e
porei dentro deles um novo espírito; tirarei
da sua carne o coração de pedra, e lhes darei um
coração de carne
: 20 para
que
andem nos meus estatutos, e guardem as minhas
ordenações e as cumpram. Eles serão o meu povo,
e eu serei o seu Deus.

O
que o humano necessita para andar nos estatutos de Jeová, para
guardar as ordenanças de Jeová e para cumprir os
mandamentos de Jeová??

  • certamente
    removerei da sua carne o coração de pedra e lhes darei
    um coração de carne
    ,
    20
    para
    que andem nos meus próprios estatutos

  • tirarei
    da sua carne o coração de pedra, e lhes darei um
    coração de carne,

    20
    para
    que andem nos meus estatutos

  • tirarei
    da sua carne o coração de pedra, e lhes darei um
    coração de carne
    :
    20
    para
    que andem nos meus estatutos,

Para
obedecer aos mandamentos de Jeová, o humano precisa ter um
coração de carne, ou seja, um coração
sensível.

Ora,
estes humanos adoradores de Jeová tinham um coração
de pedra??

(Zacarias
7:9-12)
9Assim
disse Jeová dos exércitos: ‘Fazei o vosso
julgamento com verdadeira justiça; e praticai mutuamente
benevolência e misericórdias;
10e não
defraudeis nem viúva, nem menino órfão de pai,
nem residente forasteiro, nem atribulado, e não maquineis nada
de mal um contra o outro nos vossos corações.’
11Mas, persistiram em
negar-se a prestar atenção e continuaram a oferecer um
ombro obstinado, e fizeram seus ouvidos demasiadamente irresponsivos
para ouvir.
12E
tornaram seu coração como pedra de esmeril para não
obedecer à lei
e
às palavras que Jeová dos exércitos enviara por
meio de seu espírito, por intermédio dos profetas
anteriores; de modo que ocorreu grande indignação da
parte de Jeová dos exércitos.”

Assim
verte a Tradução Almeida:

(Zacarias
7:9-12) 9
Assim falou o Senhor dos exércitos: Executai
juízo verdadeiro, mostrai bondade e compaixão cada um
para com o seu irmão; 10 e não oprimais a viúva,
nem o órfão, nem o estrangeiro, nem o pobre; e nenhum
de vós intente no seu coração o mal contra o seu
irmão. 11 Eles, porém, não quiseram
escutar, e me deram o ombro rebelde, e taparam os ouvidos, para que
não ouvissem. 12 Sim, fizeram
duro como diamante o seu coração, para não
ouvirem a lei
, nem as palavras que o Senhor dos
exércitos enviara pelo seu Espírito mediante os
profetas antigos; por isso veio a grande ira do Senhor dos exércitos.

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(Zacarias
7:9-12) 9
Assim falou Jeová dos exércitos: Julgai
juízo verdadeiro, e mostrai misericórdia e compaixão,
cada um para com o seu irmão; 10 não oprimais a
viúva e o órfão, nem o estrangeiro e o pobre;
nenhum de vós intente no seu coração o mal
contra o seu irmão. 11 Mas recusaram atender, e
rebeldes voltaram a mim as costas, e fecharam os seus ouvidos para
não ouvirem. 12 Fizeram
duros como diamante os seus corações, para não
ouvirem a lei
, nem as palavras que Jeová dos
exércitos tinha enviado pelo seu espírito por
intervenção dos profetas anteriores; portanto da parte
de Jeová dos exércitos se acendeu grande ira.

Confirma-se
o fato de que é necessário ter um coração
sensível para poder obedecer a lei de Jeová:

  • E
    tornaram seu coração como pedra de esmeril para não
    obedecer à lei

    e
    às palavras que Jeová

  • fizeram
    duro como diamante o seu coração, para não
    ouvirem a lei
    ,
    nem as palavras que o Senhor dos exércitos

  • Fizeram
    duros como diamante os seus corações, para não
    ouvirem a lei
    ,
    nem as palavras que Jeová dos exércitos

Em
corações insensíveis não nascem
sentimentos nobres como a misericórdia e o perdão por
exemplo. O ódio sempre está presente em um coração
de pedra e sempre está acompanhado da intolerância e da
vingança.

Que
afirmou Jesus em relação ao coração dos
humanos adoradores de Jeová de sua geração como
humano??

(Mateus
13:13-15)
13É
por isso que lhes falo usando ilustrações, porque
olhando, olham em vão, e ouvindo, ouvem em vão, nem
entendem;
14e
é neles que tem cumprimento a profecia de Isaías, que
diz: ‘Ouvindo ouvireis, mas de modo algum entendereis; e
olhando olhareis, mas de modo algum vereis.
15Pois
o coração deste povo tem ficado embotado
e
seus ouvidos têm ouvido sem reação, e eles têm
fechado os olhos; para que nunca vissem com os olhos, nem ouvissem
com os ouvidos, nem entendessem com os corações e se
voltassem, e eu os sarasse.’

Assim
verte a Tradução Almeida:

(Mateus
13:13-15) 13
Por isso lhes falo por parábolas; porque
eles, vendo, não vêem; e ouvindo, não ouvem nem
entendem. 14 E neles se cumpre a profecia de Isaías,
que diz: Ouvindo, ouvireis, e de maneira alguma entendereis; e,
vendo, vereis, e de maneira alguma percebereis. 15 Porque
o coração deste povo se endureceu
, e com
os ouvidos ouviram tardamente, e fecharam os olhos, para que não
vejam com os olhos, nem ouçam com os ouvidos, nem entendam com
o coração, nem se convertam, e eu os cure.

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(Mateus
13:13-15) 13
Por isso lhes falo em parábolas, porque
vendo, não vêem; e ouvindo, não ouvem, nem
entendem. 14 Neles se está cumprindo a profecia de
Isaías, que diz: Certamente ouvireis, e de nenhum modo
entendereis; Certamente vereis, e de nenhum modo percebereis. 15
Pois
o coração deste povo se fez pesado
, E os
seus ouvidos se fizeram tardos, E eles fecharam os olhos; Para não
suceder que, vendo com os olhos E ouvindo com os ouvidos, Entendam no
coração e se convertam, E eu os sare.

Foram
necessárias muitas ilustrações para que estes
humanos começassem a entender o que Jesus queria lhes dizer.
Apesar das muitas ilustrações apenas uma minoria
começou a entender as palavras faladas por Jesus.

Estes
homens já tinham informações anteriores e
diferentes das informações dadas por Jesus, informações
estas que tinham um bom sabor para eles.

Embora
o alimento espiritual estivesse disponível, dependeria de cada
um gostar do sabor que ele tem.

O
Pai continua a respeitar o livre-arbítrio de cada filho. No
entanto, o filho precisa entender que, é aquele alimento que
representa vida para ele. Este alimento representa vida tanto para
aquele que já entendeu como para aquele que ainda não
entendeu.

Ora,
como assim??

Bem,
no caso de haver uma agressão daquele que ainda não
entendeu, a reação daquele que já entendeu será
uma ração pacífica e que não porá
a vida do agressor em perigo.

Este
alimento é realmente muito importante para a vida. Em outra
ocasião assim falou Jesus:

Trabalhai,
não pelo alimento que perece (alimento físico);
trabalhai pelo alimento invisível
=
(João
6:27)
27
Trabalhai,
não pelo alimento que perece, mas pelo alimento que permanece
para a vida eterna, que o Filho do homem vos dará
;
pois neste o Pai, sim, Deus, tem posto o seu selo [de aprovação].”

Assim
verte a Tradução Almeida:

(João
6:27) 27
Trabalhai,
não pela comida que perece, mas pela comida que permanece para
a vida eterna, a qual o Filho do homem vos dará;

pois neste, Deus, o Pai, imprimiu o seu selo.

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(João
6:27) 27
Trabalhai
não pela comida que perece, mas pela comida que permanece para
a vida eterna, a qual o Filho do homem vos dará;

porque sobre ele imprimiu o seu selo o Pai, que é Deus.

Ficou
bem claro sobre onde estes humanos conseguiriam o alimento espiritual
que permanece para a vida eterna, não ficou??

Jesus
era aquele que, através da repetição das
palavras do Pai, estava produzindo o alimento necessário para
o coração do humano começar a desenvolver os
nobres sentimentos tão necessários para a paz entre os
humanos.

Qual
era a autenticidade do alimento espiritual dado por Jesus??

pois
neste, Deus, o Pai, imprimiu o seu selo.

porque
sobre ele imprimiu o seu selo o Pai, que é Deus.

Tratava-se
de um alimento autêntico, um alimento puro, um alimento
nutritivo, um alimento que permanece para a vida eterna. A fonte
original do alimento invisível era Jeová, o Pai, e o
oficial instrumento repetidor era Jesus. Jesus era aquele que estava
estabelecendo a diferença entre o certo e o errado; a verdade
e a mentira; luz e escuridão.

COISAS
QUE SAEM DO CORAÇÃO – Que coisas são estas??

Coisas
invisíveis saem de um local invisível.

Sendo
o coração um local invisível e que guarda coisas
invisíveis, como podemos identificar as coisas que saem do
coração??

Bem,
vamos nos guiar pelas palavras (informações) faladas
por Jesus, afinal Jesus afirmou ser a luz do mundo, não é
verdade?? Nota-se claramente que Jesus é um guia.

Quais
foram as palavras faladas por Jesus que nos revelam como identificar
as coisas invisíveis que saem do coração??

(Marcos
7:20-23)
20Outrossim,
ele disse: “O que sai do homem é o que avilta o homem;
21pois,
de dentro, dos corações dos homens, saem

raciocínios
prejudiciais: fornicações, ladroagens, assassínios,
22adultérios,
cobiças, atos de iniqüidade, fraude, conduta desenfreada
e um olho invejoso, blasfêmia, soberba, irracionalidade.
23Todas estas coisas
iníquas saem de dentro e aviltam o homem.”

Assim
verte a Tradução Almeida:

(Marcos
7:20-23) 20
E prosseguiu: O que sai do homem , isso é que
o contamina. 21 Pois
é do interior, do coração dos homens, que
procedem
os maus pensamentos, as prostituições,
os furtos, os homicídios, os adultérios, 22 a
cobiça, as maldades, o dolo, a libertinagem, a inveja, a
blasfêmia, a soberba, a insensatez; 23 todas estas más
coisas procedem de dentro e contaminam o homem.

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(Marcos
7:20-23) 20
Continuou: O que sai do homem, isso é o que o
contamina. 21 Pois
de dentro, do coração dos homens, é que procedem

os maus desígnios, as fornicações, os furtos, os
homicídios, os adultérios, 22 as avarezas, as
malícias, o dolo, a lascívia, a inveja, a blasfêmia,
a soberba e a loucura: 23 todas estas más coisas
procedem de dentro e contaminam o homem.

Revendo
as palavras de Jesus, temos:

  • pois,
    de dentro, dos corações dos homens, saem

  • Pois
    é do interior, do coração dos homens, que
    procedem

  • Pois
    de dentro, do coração dos homens, é que
    procedem

As
palavras de Jesus são bem claras, pois identificam coisas que
saem do coração, isto é, que identificam as
coisas que procedem do coração.

Então
quais são as coisas invisíveis que saem de dentro do
coração invisível??

  • saem
    raciocínios
    prejudiciais: fornicações, ladroagens, assassínios,
    22adultérios,
    cobiças, atos de iniqüidade, fraude, conduta desenfreada
    e um olho invejoso, blasfêmia, soberba, irracionalidade.

  • procedem
    os maus pensamentos, as
    prostituições, os furtos, os homicídios, os
    adultérios,
    22 a
    cobiça, as maldades, o dolo, a libertinagem, a inveja, a
    blasfêmia, a soberba, a insensatez;

  • procedem
    os maus desígnios, as
    fornicações, os furtos, os homicídios, os
    adultérios,
    22 as
    avarezas, as malícias, o dolo, a lascívia, a inveja, a
    blasfêmia, a soberba e a loucura:

Vamos
rever esta mesma informação, agora repassada por
Mateus:

(Mateus
15:18-19)
18No
entanto, as coisas procedentes da boca saem do coração,
e estas coisas aviltam o homem.
19Por
exemplo,
do
coração vêm
raciocínios
iníquos, assassínios, adultérios, fornicações,
ladroagens, falsos testemunhos, blasfêmias.

Assim
verte a Tradução Almeida:

(Mateus
15:18-19) 18
Mas o que sai da boca procede do coração;
e é isso o que contamina o homem. 19 Porque do
coração procedem
os maus pensamentos,
homicídios, adultérios, prostituição,
furtos, falsos testemunhos e blasfêmias.

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(Mateus
15:18-19) 18
Mas tudo o que sai da boca, vem do coração,
e isto contamina o homem. 19 Pois do
coração procedem
maus pensamentos,
homicídios, adultérios, fornicações,
furtos, falsos testemunhos, blasfêmias.

Que
coisas invisíveis saem do coração?

  • do
    coração vêm
    raciocínios
    iníquos, assassínios, adultérios, fornicações,
    ladroagens, falsos testemunhos, blasfêmias.

  • do
    coração procedem
    os
    maus pensamentos, homicídios, adultérios,
    prostituição, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias.

  • do
    coração procedem
    maus
    pensamentos, homicídios, adultérios, fornicações,
    furtos, falsos testemunhos, blasfêmias.

A
informação de Jesus é bem clara, não
deixando nenhuma dúvida sobre as coisas invisíveis que
saem do interior do coração.

A
cobiça é uma coisa invisível.

A
inveja é uma coisa invisível.

A
soberba é uma coisa invisível.

Pensamentos
são invisíveis.

Embora
estas coisas sejam invisíveis, elas produzem ações
visíveis, bem como palavras audíveis.

Que
outras palavras falou Jesus que nos ajudam a entender sobre coisas
que saem do coração??

(Mateus
12:33-35)
33Ou
tornais a árvore excelente e seu fruto excelente, ou tornais a
árvore podre e seu fruto podre; pois é pelo seu fruto
que se conhece a árvore.
34Descendência de
víboras, como podeis falar coisas boas quando sois iníquos?
Pois
é da abundância do coração que a boca
fala.
35O
homem bom, do seu bom tesouro, envia coisas boas, ao passo que o
homem iníquo, do seu tesouro iníquo, envia coisas
iníquas. . .

Assim
verte a Tradução Almeida:

(Mateus
12:33-35) 33
Ou fazei a árvore boa, e o seu fruto bom; ou
fazei a árvore má, e o seu fruto mau; porque pelo fruto
se conhece a árvore. 34 Raça de víboras!
como podeis vós falar coisas boas, sendo maus? pois
do que há em abundância no coração, disso
fala a boca.
35 O homem bom, do seu bom tesouro
tira coisas boas, e o homem mau do mau tesouro tira coisas más.

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(Mateus
12:33-35) 33
Reconhecei que a árvore é boa e o seu
fruto bom, ou que a árvore é má e o seu fruto
mau; porque pelo fruto se conhece a árvore. 34 Raça
de víboras, como podeis falar coisas boas, sendo maus? porque
a boca fala o de que está cheio o coração.

35 O homem bom tira boas coisas do seu bom tesouro, e o homem
mau tira más coisas do seu mau tesouro.

Coisas
que são audíveis também saem do coração??

Bem,
esta foi a informação dada por Jesus.

  • Pois
    é da abundância do coração que a boca
    fala.

  • pois
    do que há em abundância no coração, disso
    fala a boca.

  • porque
    a boca fala o de que está cheio o coração.

Ficou
bem claro, não ficou??

As
palavras que falamos são um resultado direto daquilo que enche
o nosso coração.

Quando
falamos coisas más, isto é o resultado direto da
condição de nosso coração, pois ele está
cheio de coisas más.

Isto
foi exatamente aquilo que falou Jesus.

  • O
    homem bom, do seu bom tesouro, envia coisas boas, ao passo que o
    homem iníquo, do seu tesouro iníquo, envia coisas
    iníquas. . .

  • O
    homem bom, do seu bom tesouro tira coisas boas, e o homem mau do mau
    tesouro tira coisas más.

  • O
    homem bom tira boas coisas do seu bom tesouro, e o homem mau tira
    más coisas do seu mau tesouro.

Notamos
este outro detalhe??
Segundo Jesus, o tesouro do homem
é aquilo que enche o coração do homem.

Ora,
ora, trata-se de um tesouro invisível, armazenado em um local
invisível.

O
que notamos até aqui??

  • O
    alimento espiritual é um alimento que os olhos não
    vêm.

  • O
    alimento espiritual é armazenado em um local invisível.

  • O
    alimento espiritual que produz vida é a pronunciação
    que sai da boca do Pai.

  • As
    declarações do Pai são vida, ou seja,
    representam vida eterna.

  • As
    declarações do Pai são semeadas no coração.

  • Das
    sementes invisíveis nascem coisas invisíveis.

  • Os
    sentimentos, que são invisíveis, nascem e habitam no
    coração, também invisível.

  • As
    coisas invisíveis no coração produzem coisas
    visíveis, isto é, causam reações
    visíveis e audíveis

  • As
    ações (coisas visíveis) revelam quais são
    os sentimentos (coisas invisíveis) existentes no coração
    de quem pratica a ação.

  • As
    palavras (coisas audíveis) revelam quais são os
    sentimentos (coisas invisíveis) existentes no coração
    de quem profere a palavra.

  • As
    coisas invisíveis quem enchem o coração do
    homem, formam o tesouro do homem.

  • Existem
    bons tesouros e maus tesouros. Jesus falou de coisas boas e coisas
    más como sendo tesouros. Embora invisíveis, estes
    tesouros podem ser observados, tal qual o vento.

  • As
    ações e as palavras revelam para os observadores quais
    são os tesouros que existem no coração do
    homem.

Que
outra palavra falou Jesus sobre tesouro??

(Mateus
6:19-21)
19Parai
de armazenar para vós tesouros na terra, onde a traça e
a ferrugem consomem, e onde ladrões arrombam e furtam.
20Antes, armazenai para
vós tesouros no céu, onde nem a traça nem a
ferrugem consomem, e onde ladrões não arrombam nem
furtam.
21Pois,
onde estiver o teu tesouro, ali estará também o teu
coração.

Assim
verte a Tradução Almeida:

(Mateus
6:19-21) 19
Não ajunteis para vós tesouros na
terra; onde a traça e a ferrugem os consomem, e onde os
ladrões minam e roubam; 20 mas ajuntai para vós
tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem os
consumem, e onde os ladrões não minam nem roubam. 21
Porque
onde estiver o teu tesouro, aí estará também o
teu coração.

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(Mateus
6:19-21) 19
Não ajunteis para vós tesouros na
terra, onde a traça e a ferrugem os consomem, e onde os
ladrões penetram e roubam; 20 mas ajuntai para vós
tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem os
consomem, e onde os ladrões não penetram nem roubam; 21
porque
onde está o teu tesouro, aí estará também
o teu coração.

Jesus
nos trouxe a atenção este outro detalhe, ou seja, nós
nos apegamos àquilo que consideramos como sendo um tesouro.
Neste caso, o meu tesouro é aquilo que eu atribuo um grande
valor e importância.

Vamos
tornar prática esta história de alimento espiritual.

Vamos
tomar o perdão como exemplo. O perdão é algo
invisível.

Um
filho com quarenta e cinco anos de idade acorda em um determinado
dia, mas, permanece por muito mais tempo em sua cama.

De
repente, levanta-se e toma uma decisão:

-
Vou dar um grande abraço no meu pai.

Sem
avisar e sem levar o seu filhinho de cinco anos, ele chega até
a casa de seu pai de setenta e cinco anos de idade. Seu pai estava
cuidando de uma pequena horta.

Seu
pai logo lhe pergunta:

-
Onde está o meu netinho??

O
filho foi ao encontro de seu pai e falou:

-
Pai, deixa-me abraçar o senhor.

Depois
de um longo, muito longo e apertado abraço, fato este
estranhado pelo pai, o filho falou:

-
Pai, até ontem, eu te achava um pai muito severo e injusto
comigo. Eu me lembrava de cada palmada e de cada castigo que o senhor
havia me dado, no entanto, eu não havia me dado conta de
quantas vezes o senhor deixou de me dar uma merecida palmada ou um
merecido castigo. Agora reconheço que se o senhor fosse justo
comigo, eu receberia uma palmada a cada dois minutos. Pai, porque só
agora é que eu vi isto??

O
pai responde:

-
Filho, o perdão é algo invisível. Ele é
assim como a força eletromagnética. Além de
saber que ela existe, você precisa perceber que ela existe.

O
filho responde:

-
Pai, agora eu te amo muito mais do que te amava antes.

O
pai afirma:

Você
prova que me ama se fizerdes conscientemente a mesma coisa.

O
que percebemos??

  • Percebemos
    que o perdão é realmente algo invisível.

  • Percebemos
    que o perdão sai de dentro do humano.

  • Percebemos
    que o humano não dá a outro humano aquilo que o outro
    humano merece.

  • Notamos
    também que quando o perdoador entra em ação, o
    perdoado pode sequer perceber que está recebendo o perdão.

  • Notamos
    também que somente quando o humano passa a ver o seu erro é
    que ele percebe o quanto ele foi perdoado.

Agora
vem uma outra pergunta: Como é que se alimenta algo como o
perdão??

Somente
com a palavra (informação) que sai da boca de Jeová,
o nosso Pai. A palavra falada pelo Pai vai agir tal qual uma semente.
A palavra falada pelo Pai é plantada no coração
do ouvinte.

Depois
de ouvir a palavra (informação), poderemos perceber o
Pai colocando tal palavra em prática.

Ao
continuar a ouvir as palavras saídas da boca do Pai, iremos
aumentando a quantidade de perdão existente dentro de nós.
Assim, o nosso coração ficará cheio de perdão.
Consequentemente, deixaremos sair uma quantidade cada vez mais de
perdão para aqueles que dele necessitam, embora não
mereçam.

No
entanto, o perdão é fruto de um sentimento chamado
misericórdia. É necessário ser misericordioso
para conceder o verdadeiro perdão.

Este
foi o exemplo de uma coisa boa.

Agora
vejamos ao exemplo de uma coisa má, segundo a descrição
de Jesus.

Como
exemplo, vejamos a soberba.

O
que é mesmo a soberba??

SOBERBA
– Esta é a definição dada por certo
dicionário (Houaiss): …sentimento de
altivez.. o oposto da altivez é a humildade.

soberba

ê
s.f.
(sXIII)
1
frm.
sobranceria
de algo em relação a outra coisa em plano mais baixo;
elevação, sobrançaria
<a
s. da Acrópole sobre Atenas
>
2
sentimento
de altivez, sobranceria; orgulho
<a
s. de saber-se nobre de nascimento
>
2.1
pej.
comportamento
excessivamente orgulhoso; arrogância, presunção
<em
que se apoiava toda aquela s.?
>

etim
lat.
superbìa,ae
‘orgulho,
arrogância; altivez; presunção’

sin/var
sobrançaria;
ver tb. sinonímia de
imodéstia

ant
humildade,
submissão; ver tb. sinonímia de
austeridade

Vamos
a um exemplo prático de soberba. Trata-se da palavra falada
por Jesus, trata-se do exemplo apontado por Jesus. Jesus queria que
seus ouvintes entendessem como se comporta uma pessoa soberba, isto
é, qualquer pessoa.

(Lucas
18:9-14)
9Mas,
ele contou a seguinte ilustração também a alguns
que
confiavam
em si mesmos como sendo justos e que consideravam os demais como
nada
:
10Dois
homens subiram ao templo para orar, um sendo fariseu e o outro
cobrador de impostos.
11O fariseu estava em pé
e começou a orar as seguintes coisas no seu íntimo: ‘
Ó
Deus, agradeço-te que não sou como o resto dos homens,

extorsores, injustos,
adúlteros, ou mesmo como este cobrador de impostos.
12Jejuo duas vezes por
semana, dou o décimo de todas as coisas que adquiro.’
13O cobrador de
impostos, porém, estando em pé à distância,
não estava nem disposto a levantar os olhos para o céu,
mas batia no peito, dizendo: ‘Ó Deus, sê clemente
para comigo pecador.’
14Digo-vos: Este homem
desceu para sua casa provado mais justo do que aquele homem; porque

todo
o que se enaltecer será humilhado
,
mas quem se humilhar será enaltecido.”

Assim
verte a Tradução Almeida:

(Lucas
18:9-14) 9
Propôs também esta parábola a uns
que confiavam
em si mesmos, crendo que eram justos, e desprezavam os outros:

10 Dois homens subiram ao templo para orar; um fariseu, e o
outro publicano. 11 O fariseu, de pé, assim orava
consigo mesmo: ó
Deus, graças te dou que não sou como os demais homens
,
roubadores, injustos, adúlteros, nem ainda com este publicano.
12 Jejuo duas vezes na semana, e dou o dízimo de tudo
quanto ganho. 13 Mas o publicano, estando em pé de
longe, nem ainda queria levantar os olhos ao céu, mas batia no
peito, dizendo: ó Deus, sê propício a mim, o
pecador! 14 Digo-vos que este desceu justificado para sua
casa, e não aquele; porque
todo o que a si mesmo se exaltar será humilhado
;
mas o que a si mesmo se humilhar será exaltado.

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(Lucas
18:9-14) 9
Propôs também a seguinte parábola
a alguns que confiavam
na sua própria justiça e desprezavam aos mortos:

10 Subiram dois homens ao templo para orar: um fariseu, e
outro publicano. 11 O fariseu, posto em pé, orava
dentro de si desta forma: Ó
Deus, graças te dou que não sou como os demais homens
,
que são ladrões, injustos, adúlteros, nem ainda
como este publicano; 12 jejuo duas vezes por semana e dou o
dízimo de tudo quanto ganho. 13 O publicano, porém,
estando a alguma distância, não ousava nem ainda
levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó
Deus, sê propício a mim pecador. 14 Digo-vos que
este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque
todo o que se exalta, será humilhado;
mas o que
se humilha, será exaltado.

A
nação de Israel sempre chamava a si mesma de nação
santa. É óbvio que se sentiam muito melhores do que as
nações gentias. Eles viam os reais pecados praticados
pelos gentios. Cada pessoa da nação se sentia mais
santa que todos os demais humanos. É óbvio que
atribuíam um alto valor a si mesmos e um baixo valor aos
demais humanos. O simples fato de serem uma nação
escolhida e única que tinha um relacionamento direto com o
Pai, lhes induzia a se sentirem melhores que os demais humanos
incircuncisos. Ele via os reais pecados cometidos pelos
incircuncisos, pecados estes que ele achava que não estava
praticando. Dentro da plena lógica, eles se sentiam mais
justos e confiavam na sua justiça realmente praticada.

Percebemos
que soberbo é qualquer pessoa que:

  • confiavam
    em si mesmos como sendo justos e que consideravam os demais como
    nada
    :

  • confiavam
    em si mesmos, crendo que eram justos, e desprezavam os outros

  • confiavam
    em si mesmos, crendo que eram justos, e desprezavam os outros

De
dentro do soberbo, isto é, do coração do soberbo
sai palavras como estas:

  • Ó
    Deus, agradeço-te que não sou como o resto dos homens,

  • ó
    Deus, graças te dou que não sou como os demais homens

  • Ó
    Deus, graças te dou que não sou como os demais homens

Trata-se
de qualquer pessoa que se enaltecer sobre o seu semelhante.

todo
o que se enaltecer será humilhado

porque
todo o que a si mesmo se exaltar será humilhado

porque
todo o que se exalta, será humilhado;

Esta
pessoa deixará sair de forma natural aquilo que enche o seu
coração. Em outras palavras, a pessoa externará
o seu sentimento.

Agora
vem aquela pergunta: Como nasce a soberba no coração de
uma criança?? Como se alimenta a soberba??

Também
é alimentanda através de palavras. A palavra ouvida
também se comportará como uma semente. Ao encontrar um
solo fértil para aquele tipo de semente, esta brotará e
se fortalecerá a cada dia, tornando-se uma grande árvore
cheia de frutos. Trata-se de algo invisível, algo que não
vemos acontecer com os nossos olhos, no entanto, passa a ser
perceptível através da palavra falada e pelas ações
praticadas por esta pessoa.

Percebemos
claramente que o alimento espiritual é a informação
saída da mente e boca de Jeová. Será que podem
existir informações falsificadas??

Vamos
agora ver Jesus revelando que, embora humanos tivessem colocado a
assinatura de Jeová em determinados mandamentos, tais
assinaturas eram falsificadas.

Um
dos mandamentos que tinham uma assinatura falsificada de Jeová
foi assim revelado por Jesus:

(Mateus
5:38-39) 38 Ouvistes
que se disse:
Olho
por olho e dente por dente.’
39 No
entanto, eu vos digo:
Não
resistais àquele que é iníquo; mas, a quem te
esbofetear a face direita, oferece-lhe também a outra.

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(Mateus
5:38-39) 38
Tendes
ouvido que foi dito:
Olho por olho, e dente por dente.
39 Eu,
porém, vos digo:
Não resistais ao homem
mau; mas a qualquer que te dá na face direita, volta-lhe
também a outra;

Outro
mandamento que também tinha uma assinatura falsificada de
Jeová foi revelado por Jesus:

(Mateus
5:43-45) 43 Ouvistes
que se disse:
Tens
de amar o teu próximo e odiar o teu inimigo.’
44
No
entanto, eu vos digo:
Continuai
a amar os vossos inimigos e a orar pelos que vos perseguem;
45
para que mostreis ser
filhos de vosso Pai, que está nos céus, visto que ele
faz o seu sol levantar-se sobre iníquos e sobre bons, e faz
chover sobre justos e sobre injustos.

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(Mateus
5:43-45) 43
Tendes
ouvido que foi dito:
Amarás o teu próximo
e aborrecerás o teu inimigo. 44 Eu,
porém, vos digo:
Amai os vossos inimigos e orai
pelos que vos perseguem, 45 para que vos torneis filhos de
vosso Pai que está nos céus, porque ele faz nascer o
seu sol sobre maus e bons, e vir chuvas sobre justos e injustos.

O
mandamento era praticado por toda a nação durante as
diversas gerações e tido como um mandamento dado por
Jeová. Eles juravam que tal mandamento era um mandamento
autêntico. Tratava-se de mandamentos de ódio e
violência. Segundo Moisés, Jeová havia assinado
tais mandamentos. Segundo o povo, tais mandamentos tinham a
assinatura de Jeová.

Também
havia a questão do costume daquele sabor.

Jesus
nos falou sobre isto:

(Lucas
5:37-39) 37 Além
disso, ninguém põe vinho novo em odres velhos; mas, se
o fizer, então o vinho novo rebentará os odres e se
derramará, e os odres ficarão arruinados.
38
Mas, vinho novo tem de
ser posto em odres novos.
39 Ninguém,
tendo bebido vinho velho, quer o novo; pois ele diz: ‘O velho é
saboroso.’”

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(Lucas
5:37-39) 37
Outrossim ninguém põe vinho novo em
odres velhos; de outra forma o vinho novo arrebentará os
odres, e ele se derramará, e estragar-se-ão os odres.
38 Pelo contrário vinho novo deve ser posto em odres
novos. 39 Ninguém
que já bebeu vinho velho, quer o novo; porque diz: O velho é
bom.

Aqueles
humanos estavam acostumados com os mandamentos de ódio e
violência, tendo para eles um bom sabor. Eles gostavam dos
mandamentos.

Para
aqueles homens, havia verdade naqueles velhos mandamentos. Para eles,
aqueles velhos mandamentos é que definiam o que era certo e
errado, pecado e não pecado; luz e escuridão.

Estes
mandamentos também são alimento espiritual, não
são?? Os fariseus afirmariam que tal alimento espiritual era
uma pronunciação saída da boca de Jeová,
pois Jeová havia falado com Moisés.

Logo,
precisamos perguntar: O que este alimento espiritual produziria, vida
ou morte??

Trata-se
de um alimento que nutre para a vida ou de um veneno que leva para a
morte??

Conseguiriam
viver em paz entre si e com as demais nações iníquas
ao redor??

Conseguiriam
eles se tornarem uma contínua fonte de paz para seus
vizinhos??

Conseguiriam
eles se tornarem uma fonte de segurança para seus vizinhos??

Com
estes mandamentos eles haviam se tornado uma fonte de vida ou uma
fonte de morte para seus iníquos vizinhos??

Vivendo
por tais mandamentos, o que conseguiu Sansão??

Foi
Sansão uma fonte de paz e uma fonte de vida para os povos ao
redor (filisteus)??

Em
face disso, voltamos a perguntar: Teria sido Jeová a fonte de
tais mandamentos?? Havia Jeová colocado a sua assinatura em
tais mandamentos de ódio e violência??

Era
o objetivo de Jeová produzir pessoas que odiavam e matavam
seus vizinhos??

Isto
revela de forma bem clara que tais mandamentos tinham uma assinatura
falsificada de Jeová.

Jesus
estava estabelecendo a diferença entre certo e errado.

Segundo
Jesus, havia uma marca registrada na assinatura que Jeová
colocava em cada mandamento Seu, isto é, o amor. Isto
funcionaria como uma marca d’água.

(Mateus
22:35-40) 35 E um
deles, versado na Lei, perguntou para prová-lo:
36
Instrutor, qual é
o maior mandamento na Lei?”
37 Disse-lhe:
“‘Tens de amar a Jeová, teu Deus, de todo o teu
coração, de toda a tua alma e de toda a tua mente.’
38 Este é
o maior e primeiro mandamento.
39 O
segundo, semelhante a este, é: ‘Tens de amar o teu
próximo como a ti mesmo.’
40 Destes
dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas.”

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(Mateus
22:35-40) 35
e um deles, doutor da lei, para o experimentar,
fez-lhe esta pergunta: 36 Mestre, qual é o grande
mandamento da Lei? 37 Respondeu-lhe Jesus: Amarás ao
Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua
alma e de todo o teu entendimento. 38 Este é o grande e
primeiro mandamento. 39 O segundo semelhante a este é:
Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. 40 Destes
dois mandamentos dependem toda a Lei e os profetas.

Cada
um dos mandamentos saídos da mente e boca de Jeová
estavam comprometidos com o amor, tinham por base o amor.

Ora,
se um mandamento tem o ódio por base, certamente não
está comprometido com o amor, logo, não possui a marca
registrada de um mandamento criado pelo Pai. Não possui a
marca d’água.

Neste
caso, qualquer mandamento que não possuir a marca registrada
do Pai, não se origina do Pai. Se alguém colocar nele a
assinatura de Jeová, trata-se de uma falsificação
da assinatura de Jeová.

Pão
que desceu dos céus

Jesus
era um pão vivo, um alimento vivo. Quem se alimentar de Jesus
viverá para sempre.

Como
isto ocorre??

(João
6:56-58) 56 Quem
se alimenta de minha carne e bebe meu sangue permanece em união
comigo e eu em união com ele.
57 Assim
como o Pai vivente me enviou e eu vivo por causa do Pai, também
aquele que se alimenta de mim, sim, esse viverá por causa de
mim.
58 Este
é o pão que desceu do céu. Não é
como quando os vossos antepassados comeram, e, não obstante,
morreram. Quem se alimentar deste pão viverá para
sempre.”

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(João
6:56-58)
56 Quem come
a minha carne e bebe o meu sangue, permanece em mim e eu nele.
57
Assim como o Pai que vive, me
enviou, e eu também vivo pelo Pai; assim quem de mim se
alimenta, também viverá por mim.
58 Este
é o pão que desceu do céu. Não é
como o pão de vossos pais que comeram e morreram: quem come
este pão, viverá eternamente.

Esta
afirmação de Jesus causou uma polêmica tanto
entre os já discípulos como nos demais ouvintes. Eles
não entenderam a informação de Jesus e tampouco
sabatinaram Jesus na busca da explicação que Jesus
certamente lhes daria. Eles se precipitaram nas suas conclusões
e não se chegaram a Jesus para receberem a devida explicação.

O
que isto revelou em relação a estes homens??

Revelou
falta de humildade.

Admitir
que não sabe é uma virtude e uma verdade em relação
a si mesmo. Se eles admitissem humildemente não saber do que
Jesus estava falando e confiassem em Jesus como aquele que realmente
sabia, pediriam a Jesus uma explicação detalhada
daquela informação ouvida. Deviam sabatinar Jesus até
entenderem o que Jesus desejava que eles entendessem. Não
tinha Jesus o objetivo fixo de que todos entendessem suas
informações, informações estas que
representavam vida eterna para aquele que entendesse?? A felicidade
de Jesus era perceber que haviam entendido a informação
que ele estava repassando.

-
Jesus, eu não entendi o que acabaste de falar. Será que
você poderia explicar??

Esta
seria a reação de uma pessoa humilde. O humilde tem
paciência para aprender. O humilde admite que a outra pessoa
sabe muito mais do que ele.

No
entanto, em face dos conceitos já existentes em suas mentes e
uma certa desconfiança de Jesus, eles presumiram algo.
Chegaram a uma conclusão baseada em suas próprias
informações. A conclusão que chegaram
apresentava a lógica existente em suas mentes.

Mesmo
Jesus lhes dando um exemplo de como a sua informação
era plenamente lógica e coerente, eles não conseguiram
acompanhar a mente de Jesus, aquele que estava lhes passando a
informação.

Jesus
havia informado:


Assim
como o Pai vivente me enviou e eu vivo por causa do Pai, também
aquele que se alimenta de mim, sim, esse viverá por causa de
mim.


Assim
como o Pai que vive, me enviou, e eu também vivo pelo Pai;
assim quem de mim se alimenta, também viverá por mim.

Meu
Pai está vivo, não está?? Eu me alimento Dele e
por isto eu vivo.

Da
mesma forma, eu estou vivo, e todo aquele que se alimentar de mim,
também viverá por causa de mim.

-
“Vejam, eu sou um pão, um alimento. Todo aquele que
comer deste pão, viverá para sempre. Não se
trata de um pão físico, pois o Pai também é
um pão, e eu não vivo comendo pedaços do meu
Pai. As informações que o Pai tem são espírito
e são vida, e eu me alimento das informações que
saem da boca do meu Pai”.

Em
outra ocasião, o que Jesus havia falado?

(João
3:9-12)
9
Nicodemos
disse-lhe, em resposta: “Como podem suceder estas coisas?”
10
Em
resposta, Jesus disse-lhe: “És tu instrutor de Israel e
ainda assim não sabes estas coisas?

11
Digo-te
em toda a verdade: O que sabemos, falamos, e o que temos visto, disso
damos testemunho, mas vós não recebeis o testemunho que
damos.
12
Se
eu vos disse coisas terrenas e ainda assim não credes, como
crereis se eu vos disser coisas celestiais?..

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(João
3:9-12)
9
Como pode ser isso? perguntou-lhe Nicodemos. 10
Respondeu-lhe
Jesus: Tu és mestre em Israel, e não entendes estas
coisas?
11
Em verdade, em verdade te digo que falamos o que sabemos e
testificamos o que temos visto, e não recebeis o nosso
testemunho. 12 Se vos tenho falado das coisas terrenas, e não
me credes, como crereis, se vos falar das celestiais?

Estes
homens precisavam admitir que não sabiam. Precisavam descer de
sua posição de sábios; precisavam ser humildes.
Eles se colocavam na condição de instrutores e não
admitiam ser ensinados por ninguém, exceto por seus mestres,
aos quais eles veneravam.

Paulo
de Tarso falou sobre o seu Instrutor da lei.

(Atos
22:3)
3
Eu
sou judeu, nascido em Tarso da Cilícia,
mas
educado nesta cidade, aos pés de Gamaliel, instruído
segundo o rigor da Lei ancestral
,
zeloso por Deus, assim como todos vós sois neste dia.

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(Atos
22:3) 3
Eu sou judeu, nasci em Tarso da Cilícia, mas
criei-me nesta cidade, e
instruí-me aos pés de Gamaliel conforme o rigor da Lei
de nossos pais
, sendo zeloso para com Deus, assim como
todos vós o sois no dia de hoje;

Aqueles
instrutores precisavam se deixar ensinar, por admitir que não
sabiam e pedir humildemente que Jesus lhes explicasse o que ele tinha
em mente. Como Jesus estava falando com pessoas que achavam saber
tudo o que havia para aprender, eles buscavam desafiar Jesus,
competir com Jesus, no lugar de buscarem aprender de Jesus. Eles
tinham uma prevenção contra Jesus e negavam-se a
raciocinar com Jesus, confiando em Jesus.

Estes
homens ensinavam a lei?? Sim.

Ora,
que lei ensinavam?? Será que ensinavam a lei de Jeová??

Eles
juravam que sim. No entanto, rejeitavam Jesus. Como se dava isto??

No
entanto, a palavra falada por Jesus não tinha progresso entre
eles, apesar de Jesus nunca deixá-los sem uma resposta lógica
que os induzisse a raciocinar.

(João
8:37-38) 37 Sei
que sois descendência de Abraão;
mas
vós buscais matar-me, porque a minha palavra não faz
progresso entre vós.
38 Eu
falo das coisas que vi junto de meu Pai; e vós, portanto,
fazeis as coisas que ouvistes de vosso pai….

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(João
8:37-38) 37
Sei que sois descendência de Abraão; mas
procurais
tirar-me a vida, porque a minha palavra não cabe em vós.

38 Eu falo o que tenho visto na presença de meu Pai; e
vós fazeis o que ouvistes de vosso pai.

Jesus
falava algo que eles não concordavam. Jesus ensinava algo
oposto ao que eles ensinavam. Será que este seria um motivo
válido para matar alguém que se apresentava como
profeta?? Será que para não matar o profeta, a pessoa
precisava concordar com a palavra falada pelo profeta?? Será
que o profeta só poderia trazer notícias que agradassem
àqueles ouvintes??

(Deuteronômio
18:20-21) 20 “‘No
entanto, o profeta que presumir de falar em meu nome alguma palavra
que não lhe mandei falar ou que falar em nome de outros
deuses,
tal
profeta terá de morrer.
21 E
caso digas no teu coração: “Como saberemos qual a
palavra que Jeová não falou?”

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(Deuteronômio
18:20-21) 20
Mas o profeta que se houver com presunção,
falando em meu nome uma palavra que não lhe ordenei falar, ou
que falar em nome de outros deuses, esse
profeta morrerá
. 21 Se disseres no teu
coração: Como poderemos conhecer a palavra que Jeová
não falou?

Será
que alguém além de Jeová tinha a capacidade de
saber se o profeta estava repetindo com exatidão as palavras
saídas da boca de Jeová??

Nenhum
humano tinha tal capacidade.

Mesmo
não tendo tal capacidade, será que eles decidiram matar
profetas por cauda da palavra falada pelo profeta??

Como
podia alguém decidir matar um profeta, quando Jeová
falava com o profeta por meio de visões e sonhos??

Não
decidiram matar Jeremias dentro da casa de Jeová??

(Jeremias
26:8-9) 8 Sucedeu,
pois, que, acabando Jeremias de falar tudo o que Jeová [lhe]
ordenara falar a todo o povo, então, os sacerdotes e os
profetas, e todo o povo,
pegaram-no,
dizendo: “Positivamente morrerás.
9
Por
que é que profetizaste em nome de Jeová, dizendo: ‘Esta
casa se tornará igual àquela em Silo e esta mesma
cidade será devastada para ficar sem habitante’?

E todo o povo se congregava em
volta de Jeremias na casa de Jeová.

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(Jeremias
26:8-9) 8
Tendo Jeremias acabado de falar tudo o que Jeová
lhe ordenara que falasse a todo o povo, pegaram
nele os sacerdotes e os profetas e todo o povo, dizendo: Certamente
morrerás.
9
Porque
profetizaste em nome de Jeová, dizendo: Esta casa será
como Silo, e esta cidade ficará erma, e desabitada.

Todo o povo se ajuntou a Jeremias na casa de Jeová.

Falar
contra a cidade de Jerusalém e contra o templo ali construído
passou a ser um crime capital?? Para aquela geração de
Jeremias isto era um crime capital.

Será
que Jeová não podia falar nada contra a cidade e contra
o templo??

Aqueles
homens se sentiram ofendidos com a palavra falada pelo profeta e
decidiram matar o profeta?? Sim, foi exatamente isto o que aconteceu.

Ora,
os sacerdotes, os profetas e todo o povo fizeram isto?? Sim, todos
tinham o mesmo pensamento.

O
mesmo estava acontecendo com Jesus, não estava?? Sim.

Onde
ficava a liberdade de expressão??

Será
que uma pessoa deve ser impedida de falar?? Deve um profeta ser
impedido de falar, quando a sua função específica
é apenas repetir o que lhe foi mandado falar??

O
que Jeová estava vendo??

(Amós
2:11-12) 11E
continuei a suscitar alguns dos vossos filhos como profetas

e alguns dos vossos jovens como
nazireus. Não deve realmente ser assim, ó filhos de
Israel?’ é a pronunciação de Jeová.
12 “‘Mas
vós fostes dar de beber vinho aos nazireus e
impusestes
uma ordem aos profetas, dizendo: “Não deveis
profetizar.”

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(Amós
2:11-12) 11
De
vossos filhos suscitei profetas
, e de vossos mancebos
nazireus. Pois não é assim, filhos de Israel? diz
Jeová. 12 Mas aos nazireus destes vinho a beber; e
ordenastes aos profetas, dizendo: Não profetizeis.

O
profeta só podia profetizar o que os sacerdotes e demais
líderes do povo admitissem??

Quando
o profeta falasse algo que eles não gostassem, eles decidiam
matar os profetas??

Sim,
esta era a prática comum, não era??

O
que falou Jesus sobre isto??

(Lucas
11:47-51) 47 Ai
de vós, porque construís os túmulos memoriais
dos profetas, mas os vossos antepassados os mataram!
48
Vós, certamente,
sois testemunhas das ações de vossos antepassados,
contudo, consentis nelas, porque estes mataram os profetas, mas vós
construís [os seus túmulos].
49 Por
esta razão, a sabedoria de Deus também disse: ‘Eu
lhes enviarei profetas e apóstolos, e eles matarão e
perseguirão a alguns deles,
50 para
que o sangue de todos os profetas, derramado desde a fundação
do mundo, seja exigido desta geração,
51
desde o sangue de Abel
até o sangue de
Zacarias,
que foi morto entre o altar e a casa
.’
Sim, eu vos digo, será exigido desta geração.

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(Lucas
11:47-51) 47
Ai de vós! porque erigis os túmulos
dos profetas que vossos pais mataram. 48 Assim dais testemunho
e consentis nas obras de vossos pais, porque eles os mataram, e vós
lhes erigis os túmulos. 49 Por isso também disse
a sabedoria de Deus: Enviar-lhes-ei profetas e apóstolos, e a
alguns deles matarão e a outros perseguirão, 50
para que a esta geração se peça contas do sangue
de todos os profetas, derramado desde a fundação do
mundo, 51 desde o sangue de Abel até o sangue de
Zacarias,
que foi morto entre o altar e o santuário
; sim,
eu vos digo que se pedirá contas a esta geração.

Esta
intolerância não era um mandamento de Jeová.
Jeová é o criador do livre-arbítrio e
respeita o livre-arbítrio de todas as Suas criaturas. Como
poderia Aquele que mais respeita o livre-arbítrio, mandar
pessoas desrespeitarem o livre-arbítrio??

Zacarias
foi morto dentro do templo. Marca registrada da intolerância
dos sacerdotes. Os sacerdotes estavam praticando a tirania e usando a
violência para cercear a liberdade de expressão.

Que
mandamento existia desde Moisés??

(Deuteronômio
17:10-13) 10 Então
tens de proceder de acordo com a palavra que te transmitirão
do lugar que Jeová escolher; e tens de cuidar em fazer segundo
tudo o que te instruírem.
11 Deves
proceder de acordo com a lei que te indicarão e segundo a
decisão judicial que te disserem. Não te deves desviar
da palavra que te transmitirão, nem para a direita, nem para a
esquerda.
12 E
o homem que se comportar presunçosamente, não escutando
o sacerdote que ali está de pé para ministrar a Jeová,
teu Deus, ou o juiz, tal homem tem de morrer; e tens de eliminar o
mal de Israel.
13 E
todo o povo ouvirá e ficará com medo, e não mais
agirão presunçosamente.

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(Deuteronômio
17:10-13)
10 Farás de acordo com a sentença
que te mostrarem no lugar que Jeová escolher; e cuidarás
em fazer segundo tudo o que te ensinarem. 11 Segundo o teor do
ensino que te derem, e segundo o juízo que te disserem, farás;
não te desviarás da sentença que te referirem
nem para a direita nem para a esquerda. 12 O
homem que se houver com presunção, não ouvindo
ao sacerdote que está ali para ministrar diante de Jeová
teu Deus nem ao juiz, esse homem morrerá; tirarás de
Israel o mal.
13 Todo o povo ouvirá, e
temerá, e não mais se ensoberbecerá.

Era
um mandamento de intolerância e tirania. A palavra do sacerdote
não podia ser contestada. O sacerdote detinha a autoridade e o
poder de vida e morte para os demais do povo, excetuando a casa real
de Davi.

Assim
como no caso de Jeremias, comandados pelos sacerdotes, os levitas
determinavam se a palavra do profeta era ofensiva ao sacerdote ou
àquilo que o sacerdote determinava como santo.

Se
o humano precisa ouvir e entender para mudar de opinião, como
o Pai iria criar um mandamento cerceando a liberdade de expressão.
Somente os tiranos é que são contra a liberdade de
expressão, pois impõem suas informações
aos demais, impedindo qualquer real questionamento delas.

Questionar
uma informação é um pecado??

O
que faz aquele que não entende a informação??
Deve simplesmente calar-se??

Isto
é imposição, não é??

Obedeça
e não questione nada??

Para
haver compreensão é necessário haver o
questionamento daquele que ainda não entendeu. Por que isto é
assim?? Por que isto é assado??

Esta
sabatina em relação aos assuntos é natural.
Aquele que tem a capacidade para ensinar, alegra-se com a sabatina.
Ele se aproxima do sabatinador e lhe passa informações
adicionais, visando que o sabatinador entenda aquilo que ele, como
professor, está ensinando.

O
objetivo do professor é que o sabatinador entenda. O objetivo
do sabatinador é entender o que o professor está
ensinando. Neste caso, o professor e o sabatinador têm
objetivos paralelos. O ensino é uma via de mão dupla.
Aquele que ensina deve estar ciente disso e respeitar a limitação
daquele que é ensinado.

O
que este mandamento estabelecido por Moisés revela em relação
a personalidade de Jeová?? Tirano e intolerante em relação
aos Seus mandamentos??

Será
este o retrato fiel da personalidade de Jeová??

Não
é este mais um dos mandamentos que possuem uma assinatura
falsificada de Jeová?? Certamente. Jeová não é
tirano e nem apoia a tirania e os seus atos.

Neste
caso, as pessoas ficariam impossibilitadas de expressarem livremente
sua opinião contrária à do sacerdote. Ninguém
podia questionar nenhuma posição adotada por qualquer
sacerdote. Um mandamento que determinava claramente a inexistência
de liberdade de expressão.

Em
uma condição como esta, como palavra de Jesus
conseguiria prosperar entre os demais do povo, quando eles impediam
as pessoas de entrarem no reino.

Que
palavras usou Jesus para definir a situação da nação
nesta condição de tirania??

(Mateus
23:13) 13 Ai
de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque fechais
o reino dos céus diante dos homens; pois,
vós
mesmos não entrais, nem deixais entrar os que estão em
caminho para entrar.

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(Mateus
23:13) 13
Mas ai de vós, escribas e fariseus hipócritas!
porque fechais aos homens o reino dos céus; pois
nem vós entrais, nem deixais entrar os que estão
entrando.

Uso
da tirania para cercear a liberdade de expressão. Para que
houvesse o pleno entendimento, havia a necessidade do pleno respeito
à liberdade de expressão. O
“entendimento” caminha lado a lado com a “liberdade
de expressão”.

Tratava-se
do império do terror, um tirânico império do
terror visando impedir que as pessoas seguissem a Jesus e ouvissem a
Jesus, pois os sacerdotes definiam o que o povo podia ouvir e que o
povo não podia ouvir.

Não
se configurava um desrespeito ao livre-arbítrio?? Certamente.

Afinal
de contas, a quem estes sacerdotes e fariseus estavam obedecendo??

Não
estavam obedecendo aos mandamentos dados por Moisés para eles
viverem o dia a dia??

Então,
por que a palavra de Jesus não fazia progresso entre os
sacerdotes, os fariseus e os escribas??

O
que foi que Jesus afirmou??

(João
8:37-38) 37 Sei
que sois descendência de Abraão;
mas
vós buscais matar-me, porque a minha palavra não faz
progresso entre vós.
38 Eu
falo das coisas que vi junto de meu Pai; e vós, portanto,
fazeis as coisas que ouvistes de vosso pai….

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(João
8:37-38) 37
Sei que sois descendência de Abraão; mas
procurais
tirar-me a vida, porque a minha palavra não cabe em vós.

38 Eu falo o que tenho visto na presença de meu Pai; e
vós fazeis o que ouvistes de vosso pai.

Fazeis
as coisas que ouvistes de vosso pai. Quem era este pai?? Era Moisés.


Eu
falo das coisas que vi junto de meu Pai; e vós, portanto,
fazeis as coisas que ouvistes de vosso pai….

Eu
falo o que tenho visto na presença de meu Pai; e vós
fazeis o que ouvistes de vosso pai.

Jesus
falava de amor, de misericórdia, de livre-arbítrio. No
entanto, de que falava Moisés??

Haviam
rejeitado Jesus em função de Moisés?? Sim,
exatamente isto.

O
que disseram estes que rejeitavam Jesus sobre o motivo de rejeitarem
Jesus??

(João
9:27-29) 27 Respondeu-lhes
ele: “Eu já vos disse, contudo, vós não
escutastes. Por que quereis ouvi-lo de novo? Será que quereis
também tornar-vos seus discípulos?”
28
Em vista disso,
injuriaram-no e disseram: “
Tu
és discípulo daquele [homem], mas nós somos
discípulos de Moisés.
29
Sabemos
que Deus falou a Moisés; mas, quanto a este [homem], não
sabemos donde é.”

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(João
9:27-29) 27
Ele lhes respondeu: Já vo-lo disse, e não
ouvistes; por que quereis ouvir outra vez? porventura quereis também
vós tornar-vos seus discípulos? 28 Injuriaram-no
e disseram: Discípulo
dele és tu; mas nós somos discípulos de Moisés.
29
Nós
sabemos que Deus falou a Moisés, mas este não sabemos
donde ele é.

Eles
rejeitavam Jesus, pois orgulhosamente afirmavam ser discípulos
de Moisés, obedecendo aos mandamentos deixados por Moisés
e praticando as mesmas ações praticadas por Moisés.

A
quem eles tinham como mestre?? Moisés.

E
por quê??

Porque
sabemos que Deus falou a Moisés.

Sabemos
que as palavras (informações) de Moisés têm
a Jeová como procedência.

Tudo
o que faziam, haviam ouvido do pai Moisés.

Não
aceitavam ouvir as palavras de Jesus, pois Jesus falava contra os
costumes instituídos por Moisés.

Como
viam Jesus??

Como
aquele que estava tentando desencaminhá-los.

(João
7:45-49) 45 Portanto,
os oficiais voltaram aos principais sacerdotes e fariseus, e estes
últimos lhes disseram: “Por que é que não
o trouxestes para cá?”
46 Os
oficiais responderam: “Nunca homem algum falou como este.”
47 Os
fariseus responderam, por sua vez: “
Será
que também vós fostes
desencaminhados?
48 Será
que um só dos governantes ou dos fariseus depositou fé
nele?
49 Mas
esta multidão, que não sabe a Lei, são pessoas
amaldiçoadas.”

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(João
7:45-49) 45
Voltaram, então, os oficiais de justiça
aos principais sacerdotes e fariseus, e estes lhes perguntaram: Por
que não o trouxestes? 46 Responderam os oficiais: Nunca
homem algum falou como este homem. 47 Replicaram-lhes os
fariseus: Estais
vós também
iludidos?
48 Porventura creu nele alguma das autoridades, ou alguns dos
fariseus? 49 Mas este povo que não entende a Lei é
amaldiçoado.

Assim
verte a Tradução Almeida:

(João
7:45-49) 45
Os guardas, pois, foram ter com os principais dos
sacerdotes e fariseus, e estes lhes perguntaram: Por que não o
trouxestes? 46 Responderam os guardas: Nunca homem algum falou
assim como este homem. 47 Replicaram-lhes, pois, os fariseus:
Também
vós fostes
enganados?
48 Creu nele porventura alguma das autoridades, ou alguém
dentre os fariseus? 49 Mas esta multidão, que não
sabe a lei, é maldita.

Estava
tudo relacionado com a lei??

Mas
esta multidão,
que
não sabe a Lei
,
são pessoas amaldiçoadas.”

Mas
este povo que não entende a Lei é amaldiçoado.

Mas
esta multidão, que não sabe a lei, é
maldita

A
informação dada por Jesus contrariava a lei dada por
Moisés.
Quanto a isto, não há nenhuma
dúvida.

Aqueles
homens se portavam como defensores de Moisés e das leis dadas
por Moisés.

Eles
negavam-se a ouvir Jesus em face das informações já
existentes em suas mentes.

Como
poderiam entender, se nem mesmo queriam ouvir??

Se
Jesus não lhes explicasse, como iriam entender??

A
informação necessitava ser entendida. O alimento
espiritual precisava ser mastigado, engolido e digerido.

No
caso dos sacerdotes, fariseus e demais discípulos
de Moisés, havia um grande impedimento. Eles simplesmente se
negavam a ouvir Jesus, pois viam Jesus como alguém que buscava
desencaminhar toda a nação de seguir Moisés
e os ensinamentos dados por Moisés.

Aquele
que conhecesse a lei de Moisés e concordasse com ela, se
negaria a ouvir as informações dadas por Jesus, ficando
ofendido só de ouvir Jesus. Segundo aqueles homens, quem é
que seguia Jesus?? Somente aquele que não conhecesse a lei de
Moisés.

Cada
alimento espiritual produzirá frutos segundo a sua espécie.

A
lei dada por Moisés produziu homens como Davi, Sansão,
Elias, Eliseu, além dos escribas e dos fariseus dos dias de
Jesus.

Que
espécie de homens eram estes?? Como sabemos que espécie
de homens eram estes??

Ora,
as palavras e as ações destes homens revelam que
espécie de homens são eles.

Eram
matadores sem misericórdia.

O
que a lei dada por Jesus devia produzir??

Devia
produzir pessoas como Jesus. Pessoas misericordiosas e perdoadoras.

Estêvão
foi um exemplo de humano produzido pelo alimento espiritual fornecido
por Jesus.

(Atos
7:59-60) 59 E
atiravam pedras em Estêvão, enquanto ele fazia apelo e
dizia: “Senhor Jesus, recebe meu espírito.”
60
Então,
dobrando os joelhos, clamou com forte voz: “Jeová, não
lhes imputes este pecado.
E,
dizendo isso, adormeceu [na morte].

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(Atos
7:59-60) 59
Apedrejavam a Estêvão que invocava o
Senhor e dizia: Senhor Jesus, recebe o meu espírito. 60
Ele,
ajoelhando-se, clamou em alta voz: Senhor, não lhes imputes
este pecado.
Tendo dito isto, adormeceu.

Dois
alimentos diferentes. O trigo e o joio; certo e errado; bem e mal;
pecado e não pecado; verdade e mentira.

Um
produz justiça, enquanto o outro produz iniquidade. Fica óbvio
que somente um dos mandamentos tem a boca de Jeová como
origem, pois a boca fala daquilo que o coração está
cheio.


topo
desta página



Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar