Bondade de Jeová

Carne e sangue (humanos) herdarão o reino de Deus ou não herdarão?? Existe imortalidade??




SERIA
O REINO DE DEUS USUFRUÍDO POR CARNE E SANGUE??

Criada em 27 de setembro de 2013 Última
alteração em 24/06/14


O nosso amado
irmão Paulo afirmou: “Carne e sangue não podem
herdar o reino de Deus”.


AMADO IRMÃO
PAULO, COMO SERÁ A RESSURREIÇÃO DOS MORTOS??


Para haver
ressurreição, a pessoa precisa estar na condição
de morta.


O que caracteriza a
condição de morto??


Morto
– Esta é a definição dada pelo dicionário
Houaiss: falto de vida; falto de atividade


morto

ô
adj.
(1255)
1
falto
de vida; que morreu
<indivíduo
m.
>
<planta
m.
>
2
sem
movimento e/ou sensibilidade; inerte, inanimado
<cérebro
m.
>
3
falto
de atividade, de movimento, de gente
<vilarejo
abandonado, m.
>
4
pálido,
esmaecido, desbotado
<tonalidade
m.
>
5
falto
de vigor, de vivacidade, de brilho
<aparência
m.
>
6
extremamente
cansado; exausto
<não
saiu pois estava m.
>
7
que
se apagou; extinto, apagado
<fogo
m.
>
8
que
caiu em desuso, não tem mais validade, circulação
ou curso
<letra
m.
>
<dinheiro
m.
>
<língua
m.
>
9
sequioso,
ávido
<estava
m. por entrar de férias
>
n
s.m.
10
aquele
que morreu
<levaram
o m. até o cemitério
>
11
no
biriba, cada uma das duas mãos, além das que são
distribuídas aos jogadores, e que ficam à parte; biriba
12
no
bridge,
o parceiro que não joga em determinada mão, e cujas
cartas ficam abertas sobre a mesa

m.
carregando o vivo

etn
B
N.E.

personagem
do bumba meu boi, representado por um indivíduo fantasiado e
mascarado, cuja fantasia mostra um boneco na parte da frente e os
membros inferiores dispostos atrás •
m.
de

tomado
por; em grau intenso; cheio
<m.
de tristeza
>
<m.
de fome
>
nem
m.

B
sob
nenhuma condição, de jeito nenhum
<não
viaja de avião nem m.
>

etim
lat.
mortuus,a,um
‘morto,
defunto’

sin/var
como
adj. e/ou subst.: defunto, desmaiado, falecido, finado, inexpressivo,
pálido

ant
vivo

O
morto tem capacidade para agir por conta própria?? Tem a
capacidade para fazer qualquer coisa?? O morto não passa a ser
um incapaz??

Incapaz
– Esta é a definição dada pelo dicionário
Houaiss: impossibilitado, impedido, que não
é capaz.

incapaz

adj.2g.
(1533)
que
não é capaz
1
que
não se permite proceder de determinada maneira
<i.
de mentir
>
2
que
tem impedimento; impossibilitado, impedido, inabilitado
<com
os nervos abalados, sentiu-se i. de comparecer à cerimônia
>
n
adj.2g.s.2g.
3
diz-se
de ou indivíduo sem competência, inábil,
ignorante
<está
cercado de auxiliares i.
>
<faz
tudo errado, é um i.
>
4
jur
diz-se
de ou aquele que não tem capacidade legal, que é
privado de certos direitos ou excluído de certas funções
por força de lei

gram
nas
acps. adj., sup.abs.sint.:
incapacíssimo

etim
lat.
incàpax,ácis
‘que
não compreende’

sin/var
como
adj.2g.s.2g.: ver sinonímia de
desastrado
e
tolo

ant
capaz;
como adj.2g.s.2g.: ver antonímia de
desastrado
e
tolo

Se
esta pessoa é incapaz de fazer qualquer coisa, para mudar o
seu estado ou qualquer outra coisa em relação a ela,
alguém terá que fazer alguma coisa para o benefício
dela.

Somente
nesta condição é que poderá ser mudado o
seu estado de morto. Não é ela quem mudará o
estado. Alguém terá de fazer isto por ela, pois ela se
encontra impossibilitada de fazer qualquer coisa por si própria
ou para alguém em face de sua incapacidade

Existem
muitas teorias em relação ao morto que contrariam a
definição de morto, pois afirmam que o morto não
se encontra incapacitado.

Para
haver ressurreição do morto, alguém que não
está morto, precisa interceder em forma de ação,
para que tal pessoa volte a viver. Estando o morto sem vida, alguém
precisa lhe dar vida outra vez.


Este era um assunto
muito discutido nos anos quarenta, cinquenta, sessenta e setenta.


Quem é que
discutia este assunto??


Os discípulos de
Jesus, obviamente.


Será que os
discípulos de Jesus tinham dúvidas sobre ressurreição??


Eles recebiam espírito
santo, não recebiam??


Mesmo assim, ainda
podiam ter dúvidas sobre quaisquer tipos de assuntos??


A escrita do livro
chamado 1 Coríntios foi terminada no ano 55 EC >>
aceita-se esta informação como “verdade”.


Esta informação
situará a resposta dada pelo nosso amado irmão Paulo
àquela pergunta inicial, na década de cinquenta.


Na década de
cinquenta, ou seja, entre os anos cinquenta e sessenta, o nosso irmão
Paulo forneceu uma definição quanto a como seria a
ressurreição dos mortos. Paulo estabeleceu que a
ressurreição de Jesus fornecia a base quanto ao que
aconteceria com aqueles que tinham fé em Jesus.


Passando a ser um
ferrenho defensor da ressurreição, Paulo devia ser
questionado diariamente sobre este assunto. Seria uma coisa muito
normal, este assunto fazer parte de uma carta que ele decidiu
escrever para alguns discípulos de Jesus residentes na cidade
de Corinto. A cidade de Corinto ficava na Grécia.


Os gregos não
acreditavam em uma ressurreição. A ressurreição
não fazia parte da cultura grega. Para os gregos, a morte não
interrompia a vida.


Mesmo entre os judeus
(tribo de Judá) e Levitas (tribo de Levi) não havia
unanimidade quanto a se acreditar em uma ressurreição.


Certo incidente quando
Jesus ainda estava vivo como humano, revelou de forma clara esta
falta de unanimidade entre judeus quanto a se crer na ressurreição.


Assim está
registado:


(Mateus
22:23-33) 23 Naquele dia, os saduceus, que dizem não haver
ressurreição, chegaram-se a ele e perguntaram-lhe: 24
“Instrutor, Moisés disse: ‘Se um homem morrer sem
filhos, seu irmão tem de tomar a esposa dele em casamento e
suscitar descendência para seu irmão.’ 25 Ora,
havia conosco sete irmãos; e o primeiro casou-se e faleceu, e,
não tendo descendência, deixou a sua esposa para seu
irmão. 26 Aconteceu do mesmo modo também com o segundo
e com o terceiro, até passar por todos os sete. 27 Por último,
morreu a mulher. 28 Conseqüentemente, na ressurreição,
de qual dos sete será ela esposa? Pois todos a tiveram.”
29 Em resposta, Jesus disse-lhes: “Estais equivocados, porque
não conheceis nem as Escrituras, nem o poder de Deus; 30 pois
na ressurreição, os homens não se casam, nem são
as mulheres dadas em casamento, mas são como os anjos no céu.
31 Quanto à ressurreição dos mortos, não
lestes o que vos foi falado por Deus, que disse: 32 ‘Eu sou o
Deus de Abraão, e o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó’?
Ele é o Deus, não de mortos, mas de vivos.” 33
Ouvindo [isso], as multidões ficaram assombradas com o seu
ensino.


O grupo dos saduceus
não acreditava na ressurreição. Eles tinham
fortes razões. Não havia quem lhes desse uma resposta
clara e convincente em relação a um raciocínio
plenamente lógico contrário a ressurreição
que eles se agarravam.


Jesus lhes trouxe uma
nova informação e os fez raciocinar. Esta inédita
informação não poderia ser comprovada por nenhum
daqueles humanos ali presentes.


Jesus confirmou a
existência de uma ressurreição. Jesus confirmou a
condição de morto que o humano individual passaria.


Jesus confirmou que os
humanos permaneceriam com plena consciência de suas ações
passadas, lembrando-se claramente dos seus convívios passados
até o momento de entrarem nos túmulos.


A informação
nova dada por Jesus foi que os ressuscitados não se casariam e
não seriam dados em casamento. Tratava-se de uma inédita
informação.


Eles serão como
os anjos.


Os anjos não se
casam?? Esta foi a afirmação de Jesus. Alguém
podia comprovar tal afirmação?? Claro que não.
Alguém podia agir qual fiscal desta informação
dada por Jesus?? Claro que não.


Neste caso, ficou bem
claro que existiam muitas informações na mente de Jesus
que aqueles homens sequer podiam imaginar ou constatar imediatamente
se eram verdade ou mentira. Faltava neles a capacidade detectar se a
informação dada por Jesus era verídica ou não.


Os ressuscitados seriam
transformados em anjos?? Foi isto o que Jesus afirmou?? Não,
não foi isto o que Jesus afirmou.


Jesus afirmou que os
ressuscitados seriam como os anjos no sentido de não se
casarem e não serem dados em casamento. Afinal de contas, o
raciocínio lógico que os saduceus se agarravam tinha a
ver com casamento, isto é, como seria a relação
que existiria entre os que findavam a relação de
casados com a morte de um ou dos dois cônjuges. A questão
discutida pelos saduceus era: Como seria possível haver a
continuidade da relação de casamento após a
ressurreição quando a viúva se envolvia em
diversos casamentos??


Outro detalhe que ficou
bem claro neste diálogo entre Jesus e os saduceus é que
os ressuscitados voltariam a viver, tendo plena consciência do
seu passado.


Além disso,
Jesus não afirmou que os humanos iriam viver nos céus.


Os saduceus não
ensinavam sobre uma ressurreição nos céus. Todos
discutiam uma ressurreição para viver aqui mesmo no
planeta terra. Pelo menos isto ficou bem claro.


Vamos ver uma descrição
dada pelo Pai em relação a ressurreição
de mortos??


Jeová escolheu
Ezequiel para ser o humano a quem Ele daria informações
inéditas sobre ressurreição de mortos. Será
que retornariam a viver como carne e sangue??


(Ezequiel
37:1-14)
37 A mão
de Jeová veio a estar sobre mim, de modo que ele me levou para
fora no espírito de Jeová e me pousou no meio do vale
plano, e [este] estava cheio de ossos.
2
E fez-me passar por eles ao redor, e
eis que havia muitíssimos na superfície do vale plano,
e eis que estavam muito secos.
3 E
ele começou a dizer-me: “Filho do homem, poderão
reviver
estes ossos?” A isto eu disse: “Soberano
Senhor Jeová, tu mesmo o sabes muito bem.”
4
E ele prosseguiu, dizendo-me:
“Profetiza a respeito destes ossos, e tens de dizer-lhes: ‘Ó
ossos secos, ouvi a palavra de Jeová:
5
“‘Assim disse o Soberano
Senhor Jeová a estes ossos: “Eis que introduzirei fôlego
em vós
e
tereis de reviver
. 6
E vou pôr tendões sobre
vós e fazer que venha carne sobre vós, e vou
revestir-vos de pele e pôr fôlego em vós, e tereis
de
reviver;
e tereis de saber que eu sou Jeová.”’”
7
E eu profetizei assim como fora
mandado. E assim que profetizei veio a haver um ruído, e eis
que havia um [som] retininte, e os ossos começaram a chegar-se
osso a osso.
8 E
eu vi, e eis que vieram sobre eles os próprios tendões
e a própria carne, e começaram a ser revestidos de pele
por cima. Mas, quanto a fôlego, não havia neles nenhum.
9 E ele
prosseguiu, dizendo-me: “Profetiza ao vento. Profetiza, ó
filho do homem, e tens de dizer ao vento: ‘Assim disse o
Soberano Senhor Jeová: “Entra dos quatro ventos, ó
vento, e sopra sobre estes mortos para que revivam.”’”
10 E
profetizei assim como me mandara, e passou a entrar fôlego
neles,
e
começaram a viver e a pôr-se de pé
,
uma força militar muitíssimo grande.
11
E ele prosseguiu, dizendo-me: “Filho
do homem,
no
que se refere a estes ossos, são a casa inteira de Israel.

Eis que estão dizendo: ‘Nossos ossos
ficaram secos e nossa esperança pereceu. Fomos cerceados,
ficando sozinhos.’
12 Por
isso profetiza, e tens de dizer-lhes: ‘Assim disse o Soberano
Senhor Jeová:
Eis
que estou abrindo as vossas sepulturas e vou fazer-vos subir das
vossas sepulturas, ó meu povo
, e
vou fazer-vos chegar ao solo de Israel.
13
E tereis de saber que eu sou Jeová,
quando eu abrir as vossas sepulturas e quando vos fizer subir das
vossas sepulturas, ó meu povo.”’
14
E vou pôr em vós o
meu espírito e tereis de reviver, e vou estabelecer-vos sobre
o vosso solo; e tereis de saber que eu, Jeová, é que
falei e fiz [isso]’, é a pronunciação de
Jeová.”

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel
37:1-14) 1
A mão de Jeová veio sobre mim, e ele me
levou para fora no espírito de Jeová, e me pôs no
meio do vale, que estava cheio de ossos; 2 e fez-me passar por
toda a roda deles. Eis que havia muitíssimos sobre a face do
vale; e eis que estavam em extremo secos. 3 Ele me perguntou:
Filho do homem, acaso podem
estes ossos
reviver?
Respondi: Senhor Jeová, tu sabes. 4 Disse-me mais:
Profetiza sobre estes ossos, e dize-lhes: Ossos secos, ouvi a palavra
de Jeová. 5 Assim diz o Senhor Jeová a estes
ossos: Eis que vou fazer entrar em vós o fôlego, e
vivereis
. 6 Porei sobre vós nervos, e
farei crescer carnes sobre vós, porei em vós o fôlego,
e
vivereis
; sabereis que eu sou Jeová. 7
Assim profetizei, como fui ordenado. Enquanto eu profetizava, houve
um estrondo, e eis que se fez um terremoto, e os ossos se achegaram
osso ao seu osso. 8 Olhei, e eis que estavam nervos sobre
eles, e cresceram as carnes, e a pele os cobriu por cima; porém
não havia neles fôlego. 9 Então ele
disse-me: Profetiza ao vento, profetiza, filho do homem, e dize ao
vento: Assim diz o Senhor Jeová: Vem, ó fôlego,
dos quatro ventos, e assopra sobre estes mortos, para que vivam. 10
Assim profetizei, como ele me ordenou, o fôlego entrou neles, e
viveram
, e
se levantaram sobre os seus pés
, um exército
grande em extremo.11 Então me disse: Filho do homem,
estes
ossos são toda a casa de Israel
. Eis que dizem:
Os nossos ossos secaram-se, e está perdida a nossa esperança.
Somos inteiramente exterminados. 12 Portanto profetiza, e
dize-lhes: Assim diz o Senhor Jeová: Eis
que vou abrir as vossas sepulturas, e vos farei subir das vossas
sepulturas, ó povo meu
; e vos introduzirei na
terra de Israel. 13 Sabereis que eu sou Jeová quando eu
tiver aberto as vossas sepulturas, e vos tiver feito subir das vossas
sepulturas, ó povo meu. 14 Porei em vós o meu
espírito, e vivereis, e vos meterei na vossa terra. Sabereis
que eu Jeová o falei, e o cumpri, diz Jeová.

Os
ossos estavam no estado de mortos e voltariam a viver. Eles viveriam
outra vez. Não seriam transformados em algo diferente do que
eram.

Ossos,
tendões, carne, pele e fôlego. Esta foi a sequência
clara e lógica dada por Jeová (Javé) sobre o que
aconteceria naquele vale cheio de ossos secos. Tudo a ver com a
constituição física do humano.

O
que o Pai falou depois??

Filho
do homem, no que se refere a estes ossos, são a inteira
cada de Israel.

Eu
vou fazer-vos subir de vossas sepulturas, ó meu povo.

Vós
sabereis que eu sou Jeová quando eu tiver aberto as vossas
sepulturas, e vos tiver feito subir de vossas sepulturas, ó
meu povo.

O
que o Pai afirmou que Ele iria fazer??

Ele
tiraria os humanos que compunham o povo de suas sepulturas e os faria
reviver como carne e sangue.

No
momento em que Jeová falava com Ezequiel, a casa de Israel
estava dividida em dois reinos. No entanto, foi neste momento que o
Pai informou a Ezequiel o que Ele iria fazer com respeito a todos os
mortos da inteira casa de Israel.

Depois
de voltarem a viver, onde estes humanos passariam a viver??

Sobre
o mesmo solo onde haviam habitado anteriormente.

Vos
metereis na vossa terra; vos introduzirei na terra de Israel.

Vos
metereis na vossa terra. Eles voltariam a ser carne e sangue. Eles
voltariam a morar na mesma terra onde haviam morado antes. O local
físico onde viveriam depois da ressurreição
seria o mesmo onde haviam vivido antes de entrarem nas suas
sepulturas.

Bem,
a descrição feita pelo Pai para Ezequiel foi completa e
cheia de detalhes em relação a ressurreição
de mortos. O Pai estabeleceu uma definição prática
de como seria uma ressurreição de humanos. Os humanos
voltariam a viver como carne e sangue. Os humanos voltariam a morar
no mesmo local físico onde haviam passado toda a sua vida
anterior.

Além
da esperança dada para a geração seguinte, estas
palavras do Pai também definiam o que aconteceria com todos
aqueles que descessem à sepultura. Milhares de homens e
mulheres haviam morrido e estavam nas sepulturas. Eram tantos que
formavam um vale cheio de ossos já ressequidos.

O
Pai revelou o que Ele faria no devido tempo.

Aqueles
que ouviriam as palavras saberiam o que Jeová havia falado e
que Jeová o estava cumprindo.

Como
isto seria possível se este ouvinte não fosse
ressuscitado literalmente??

Neste
caso, fica bem claro que o Pai falava de uma ressurreição
literal.

O
Pai continuou falando com Ezequiel. Desta vez, o Pai previu a união
de todas as tribos da casa de Israel. Aquele “reino dividido”
em duas capitais, Samaria e Jerusalém, cada uma com o seu rei,
deixaria de existir, sendo substituído por um reino único
tendo Davi como retornando a ser o maioral único entre eles.

O
Pai falou do retorno de Jacó e seus filhos e os filhos de seus
filhos, todos vivendo juntos na mesma terra que havia sido dada aos
antepassados.

(Ezequiel
37:21-25)
21
E
fala-lhes: ‘Assim disse o Soberano Senhor Jeová: “Eis
que tomo os filhos de Israel dentre as nações às
quais foram e vou reuni-los de todo o redor e trazê-los ao seu
solo.
22
E
realmente farei deles uma só nação no país,
nos montes de Israel, e um só rei é o que todos eles
virão a ter como rei, e não mais continuarão a
ser duas nações, nem mais ficarão divididos em
dois reinos.
23
E
eles não mais se aviltarão com os seus ídolos
sórdidos, e com as suas coisas repugnantes, e com todas as
suas transgressões; e eu hei de salvá-los de todos os
seus lugares de morada em que pecaram e vou purificá-los, e
terão de tornar-se meu povo e eu mesmo me tornarei seu Deus.
24
“‘“E
meu servo Davi será rei sobre eles e todos eles virão a
ter um só pastor; e andarão nas minhas decisões
judiciais e guardarão os meus estatutos, e certamente os
cumprirão.
25
E
realmente hão de morar na terra que dei ao meu servo, a Jacó,
na qual moravam os vossos antepassados, e realmente hão de
morar nela, eles e seus filhos, e os filhos de seus filhos, por tempo
indefinido, e Davi, meu servo, será seu maioral por tempo
indefinido.

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(Ezequiel
37:21-25) 21
Dize-lhes: Assim diz o Senhor Jeová: Eis que
vou tomar dentre as nações os filhos de Israel, para
onde eles tiverem ido, e os congregarei de todos os lados, e os
introduzirei na sua terra. 22 Deles farei uma só nação
na terra, sobre os mortos de Israel; e um só rei reinará
sobre eles todos. Nunca mais serão duas nações,
nem de maneira alguma se dividirão para o futuro em dois
reinos; 23 nem se contaminarão mais com os seus ídolos,
nem com as suas abominações, nem com qualquer uma das
suas transgressões; mas eu os livrarei de todas as suas
habitações em que têm pecado, e os purificarei.
Assim eles serão o meu povo, e eu serei o seu Deus. 24
O meu servo Davi será rei sobre eles; e todos eles terão
um só pastor. Também andarão nos meus juízos,
e guardarão os meus estatutos, e os praticarão. 25
Habitarão na terra que dei ao meu servo Jacó, na qual
vossos pais habitaram; nela habitarão, eles e seus filhos e os
filhos de seus filhos, para sempre; e o meu servo Davi será
para sempre o seu príncipe.

Habitarão
na terra que dei ao meu servo Jacó, eles e seus filhos e os
filhos de seus filhos, e o meu servo Davi será o príncipe
deles para sempre.

Qual
seria o local onde residiriam??

Na
terra dada a Jacó e na qual eles já haviam habitado.
Davi estaria lá e seria um príncipe. Seria recebido
como um príncipe e seria tratado como um príncipe. O
servo Davi seria ressuscitado, ou seja, ele reviveria, ele voltaria a
viver e seria o príncipe de uma casa de Israel novamente
unida, habitando na mesma terra de Canaã. Todos os detalhe
fornecidos por Jeová para Ezequiel não deixavam nenhuma
dúvida quanto a como seria a ressurreição feita
por Ele em relação aos humanos. O humano iria reviver,
ou seja, iria voltar a viver no mesmo lugar onde já havia
vivido antes.

Para
não deixar nenhuma dúvida, Jeová destacou a
presença de um humano conhecido por toda a casa de Israel,
isto é Davi.

Quando
seria esta volta à vida para a casa de Israel??

(Jeremias
30:22-31:1)
22 E
vós haveis de tornar-vos meu povo e eu mesmo me tornarei vosso
Deus.”
23 Eis
que saiu de Jeová um vendaval, o próprio furor, uma
tormenta impetuosa. Rodopiará sobre a cabeça dos
iníquos.
24 A
ira ardente de Jeová não recuará até que
ele tenha executado e até que tenha realizado as idéias
de seu coração.
Na
parte final dos dias vós lhe dareis a vossa consideração.

31Naquele
tempo”, é a pronunciação de Jeová,
“tornar-me-ei Deus para todas as famílias de Israel; e
quanto a eles, tornar-se-ão meu povo”.

Assim verte a Tradução
Brasileira:

(Jeremias
30:22-31:1) 22
Vós sereis o meu povo, eu serei o vosso
Deus. 23 Eis que a tempestade de Jeová, seu furor, já
saiu, sim uma tempestade varredeira; descarregar-se-á sobre a
cabeça dos iníquos. 24 Não retrocederá
o ardor da ira de Jeová, até que ele tenha executado, e
até que tenha cumprido os desígnios do seu coração.
Nos
últimos dias entendereis isso.
1 Naquele
tempo, diz Jeová, serei o Deus de todas as famílias de
Israel, e elas serão o meu povo.


Na parte final dos
dias, vós sobre quem recairá o vendaval da parte de
Deus, entendereis sobre o que Eu estou falado.


Naquele
tempo todas as famílias de Israel serão o meu povo.


Depois da punição,
depois de estarem mortos, depois de reviverem, isto é, nos
últimos dias, todas as famílias de Israel compreenderão
o que estou fazendo.


O nosso amado irmão
Paulo não estava escrevendo uma carta destinada a judeus. Sua
carta era destinada a todos os discípulos de Jesus na cidade
de Corinto, quer fossem judeus, quer fossem gregos, quer fossem de
qualquer outra nacionalidade.


Para muitos destes
homens, a ressurreição era algo inédito e
totalmente diferente do que eles acreditavam até então.


O que Jesus, o agora
mestre de Paulo, havia falado sobre ressurreição,
quando Paulo ainda não tinha a Jesus como seu mestre??


(João
5:28-29) 28
Não
vos maravilheis disto, porque vem a hora em que
todos
os
que se acham nos túmulos, ouvirão a sua voz e sairão:

29 os
que fizeram o bem, para a ressurreição da vida; e os
que praticaram o mal, para a ressurreição do juízo.


A afirmação
de Jesus foi bem clara: Todos os que se acham nos túmulos
sairão para uma ressurreição. Haverá uma
ressurreição de vida e uma ressurreição
de juízo. Alguém que não estava morto os
chamaria para viver outra vez, ou seja, os chamariam para fora dos
túmulos. Depois de ouvirem a voz, eles reviveriam. Isto
significava que eles permaneciam nos túmulos desde o dia em
que foram colocados ali, sendo definido haver uma hora em que seriam
chamados a saírem dos túmulos. Ficou bem claro que os
mortos necessitavam que alguém os chamasse para fora do
túmulo. Onde estavam os mortos?? Ora, todos os mortos estavam
no mesmo local para onde foram levados e colocados após a
morte.


Todos os que se acham
nas sepulturas sairão para uma ressurreição.


A ressurreição
para estes humanos revelava ser uma volta, um retorno para a condição
anterior
.


Qual era a condição
anterior?? Carne e sangue. Esta era a condição anterior
destes homens, aliás, de todos os homens colocados nos
túmulos.


Pessoa boas e pessoas
más seriam ressuscitadas, ou seja, seriam chamadas para fora
dos túmulos.


As pessoas boas e as
pessoas más morrem. Pessoas boas e pessoas más
permanecem no estado de morto. Segundo as palavras de Jesus, tais
pessoas precisam ouvir a voz de Deus ou dele para poderem sair dos
túmulos.


Segundo Jesus, no
momento em que ele repassou tais informações, todas as
pessoas mortas, quer boas, quer más, AINDA ESTAVAM nos
túmulos.


O sábio Salomão
observou que tanto os bons quanto os maus iam para o mesmo lugar e
que isto era algo muito estranho. Do seu ponto de vista, tanto o
justo quanto o iníquo morriam igualmente, ou seja,não
havia qualquer diferença no tratamento dado aos justos e aos
iníquos. Daí, o sábio Salomão poderia
questionar: O que adiantaria uma pessoa ser justa?? Que vantagem há
em ser justo??


Eclesiastes
9:1-3)
9 Pois, tomei
tudo isso ao coração, sim, para esquadrinhar tudo isso,
que os justos e os sábios, bem como suas obras, estão
na mão do [verdadeiro] Deus. A humanidade não está
apercebida nem do amor nem do ódio que todos eram anteriores a
eles.
2 Todos
são iguais naquilo que todos têm.
Um
só é o evento conseqüente para o justo e para o
iníquo
, para o bom, e para o puro e
para o impuro, e para aquele que oferece sacrifícios e para
aquele que não oferece sacrifícios.
O
bom é igual ao pecador; quem jura é igual ao que tem
estado com medo duma declaração juramentada.
3
Isto
é o que é calamitoso em tudo o que se tem feito debaixo
do sol, que, por haver um só evento conseqüente para
todos
, o coração dos filhos
dos homens está também cheio do mal; e há
doidice no seu coração durante a sua vida, e depois
dela — rumo aos mortos!


Assim verte a Tradução
Brasileira:


(Eclesiastes
9:1-3) 1
Pois a tudo isto apliquei o meu coração,
fiz de tudo isto o objeto do meu exame e vi que os justos e os
sábios, e as suas obras, estão nas mãos de Deus;
se é amor ou se é ódio, não o sabe o
homem. Tudo lhe pode sobrevir. 2 Todas as coisas sucedem
igualmente a todos: o
mesmo sucede ao justo e ao perverso, ao bom e ao puro e ao impuro;

ao que oferece sacrifícios e ao que não os oferece.
Como
é o bom, assim é o pecador; e aquele que jura como
aquele que teme o juramento.
3
Este
é um mal em tudo o que se faz debaixo do sol; a todos sucede o
mesmo.
Também o coração dos filhos
é cheio de maldade, e a loucura acha-se no seu coração
durante a sua vida, e depois vão ter com os mortos.


O sábio Salomão
estava observando pessoas que faziam boas coisas e pessoas que
praticavam coisas más, indo igualmente para seus túmulos,
naão havendo qualquer diferença entre elas. Na sua
visão das coisas, isto era algo mal, algo calamitoso.


Tanto as pessoas boas
quanto as pessoas más seriam chamadas para fora dos túmulos.
Como poderemos saber se uma pessoa é boa ou se é má??


O que Jesus havia
falado a respeito das pessoas que o ouviam?? Que espécie de
pessoas eram elas??


(Mateus
7:8-11) 8
Pois todo o que pede, recebe; o que busca, acha; e a
quem bate, abrir-se-lhe-á. 9 Qual de vós dará
a seu filho uma pedra, se ele lhe pedir pão? 10 Ou uma
serpente, se pedir peixe? 11 Ora
se vós, sendo maus,
sabeis dar boas dádivas
a vossos filhos, quanto mais vosso Pai que está nos céus,
dará boas coisas aos que lhas pedirem?


Segundo a afirmação
de Jesus, os seus ouvintes eram praticantes de coisas más.
Segundo a afirmação de Jesus, os seus ouvintes eram
aqueles que, sendo maus, faziam coisas más, embora fizessem
coisas boas para seus filhos.


Decerto, as pessoas
podiam até mesmo protestar, não se considerando pessoas
más, no entanto, Jesus sabia do que ele estava falando. Jesus
tinha o real conceito que definia uma pessoa como sendo boa ou má.
Assim, por depositar confiança absoluta em Jesus, no lugar de
questionar o que Jesus falou, devíamos aceitar como verdade e
procurar entender o porque desta afirmação de Jesus em
relação a nós.


Quem estaria mais
habilitado para tirar nossas dúvidas?? Seria um humano iguala
nós?? Será que o sábio Salomão teria a
correta resposta?? Será que outros sábios humanos
teriam a satisfatória resposta e explicação??


Segundo a afirmação
de Jesus, realmente, haveria uma ressurreição, tanto de
pessoas boas quanto de pessoas más.


A afirmação
de Jesus revelava que tal saída dos túmulos seria em um
tempo futuro em relação ao momento em que Jesus estava
falando.


Independente do
conceito pessoal quanto a se faz parte do grupo dos que fizeram boas
coisas ou se faz parte do grupo dos que fizeram coisas más,
todos seriam ressuscitados, ou seja, todos seriam chamados para fora
dos túmulos, ou seja, todos iriam reviver, todos iriam voltar
a viver.


Jesus não
afirmou que tais pessoas iriam ser transformadas em criaturas
espirituais invisíveis, deixando de ser carne e sangue.


Até então,
como haviam sido as ressurreições já
acontecidas??


Como foi a ressurreição
de Lázaro??


Assim está
descrito:


(João
11:32-44) 32
Quando Maria chegou ao lugar onde estava Jesus, ao
vê-lo, lançou-se-lhe aos pés, dizendo: Senhor, se
tivesses estado aqui, não teria morrido meu irmão. 33
Jesus, vendo-a chorar, e chorar também os judeus que a
acompanhavam, gemeu em espírito, perturbou-se 34 e
perguntou: Onde o pusestes? Eles lhe responderam: Senhor, vem e vê.
35 Jesus chorou. 36 Os judeus, então, diziam:
Vede como ele o amava! 37 Mas alguns deles disseram: Não
podia este homem, que abriu os olhos ao cego, fazer que este não
morresse? 38 Jesus, gemendo outra vez em si mesmo, foi ao
túmulo; era este uma gruta, a cuja entrada estava posta uma
pedra. 39 Jesus disse: Tirai a pedra. Disse-lhe Marta, irmã
do morto: Senhor, ele já cheira mal; porque está morto
há quatro dias. 40 Respondeu-lhe Jesus: Não te
disse eu que, se creres, verás a glória de Deus? 41
Tiraram, então, a pedra. Jesus, levantando os olhos,
disse: Pai, graças te dou que me ouviste. 42 Eu sabia
que sempre me ouves, mas assim falei por causa desta multidão
que me cerca, a fim de crerem que tu me enviaste. 43 Tendo
assim falado, clamou
em alta voz: Lázaro, sai para fora.
44 Saiu
aquele que estivera morto, ligados os pés e as mãos com
faixas, e envolto o seu rosto em um lenço. Disse-lhes Jesus:
Desatai-o e deixai-o ir.


Assim como Jesus falou,
assim ele fez: O homem Lázaro estava no túmulo e saiu
do túmulo ao ouvir a voz de Jesus.


Este homem estava
“morto” e seu corpo em decomposição, não
estava?? Sim, o homem Lázaro estava morto já há
quatro dias quando foi ressuscitado por Jesus.


Lázaro reviveu e
retornou ao mesmo ambiente no qual ele havia vivido até então.
Não houve qualquer mudança de ambiente. Lázaro
havia sido projetado para viver no planeta terra. Ele nasceu
no planeta terra, viveu no planeta terra, morreu no planeta terra e
foi ressuscitado para continuar a viver no planeta terra, o local
para o qual ele foi projetado viver
.


Como seriam as outras
ressurreições??


Seriam da mesma
maneira.


Onde seria a
ressurreição??


Seria aqui mesmo, ou
seja, aqui mesmo no planeta terra, o local onde o humano foi
projetado para viver
.


Na ressurreição,
o humano não deixaria de ser humano. Ele continuaria humano.
Ele continuaria a ser carne e sangue. Ele não se transformaria
em uma coisa diferente de um ser humano, logo, ele continuaria a
viver neste mesmo planeta. Afinal de contas, ele foi projetado e
criado para viver aqui neste planeta
, não foi??


Quando os humanos
morrem eles vão para o túmulo. Nos seus túmulos
eles aguardam a ressurreição. Jesus afirmou que os
humanos sairiam dos túmulos quando fossem
chamados. Isto significa que os humanos ficam nos túmulos até
serem chamados para fora dos túmulos.


Em relação
àquela geração de pessoas más, o que
afirmou Jesus??


Ele afirmou:


(Mateus
12:39-42) 39
Ele, porém, replicou: Uma
geração má e adúltera
pede
um sinal; e nenhum sinal se lhe dará, senão o do
profeta Jonas. 40 Pois assim como Jonas esteve três dias
e três noites no ventre do grande peixe, assim o Filho do homem
estará três dias e três noites no coração
da terra. 41 Os
ninivitas
se
levantarão
no
juízo juntamente com esta geração, e a
condenarão
, porque se arrependeram com a
pregação de Jonas; e aqui está quem é
maior do que Jonas. 42 A
rainha do sul
se
levantará
no
juízo juntamente com esta geração, e a
condenará
, porque veio dos confins da terra para
ouvir a sabedoria de Salomão; e aqui está quem é
maior do que Salomão.

Os
maus seriam levantados?? A afirmação de Jesus é
clara: Esta geração má e adúltera será
levantada
junto com os homens de Nínive.

Os
homens de Nínive já estavam nos túmulos e ainda
permaneceriam nos túmulos por mais um período de tempo.
Aquela geração má e adúltera ainda iria
morrer, ou seja, ainda iria entrar nos túmulos. Aquela geração
má também ficaria nos túmulos aguardando a
chegada do “dia do juízo”.

Jesus
deixou bem claro que aquela geração de ninivitas que
acreditou em Jonas seria levantada com a geração
contemporânea de Jesus. O que Jesus estava falando?? Gerações
separadas por centenas de anos estariam juntas?? Gerações
separadas por centenas de anos seriam chamadas juntas para saírem
dos túmulos??

Ora,
como poderia a geração que ouviu e acreditou em Jonas,
condenar aquela geração que ouviu e não
acreditou em Jesus?? Bem esta geração teria de ser
ressuscitada, de ser informada do que a geração
contemporânea de Jesus praticou e somente depois disso
condená-la por sua real iniquidade.

Jesus
afirmou que ainda haveriam outros a serem levantados junto com aquela
geração má.

(Mateus
10:14-15) 14
Se alguém não vos receber, nem ouvir
as vossas palavras, ao sairdes daquela casa ou daquela cidade, sacudi
o pó dos vossos pés. 15 Em verdade vos digo que
no
dia de juízo haverá menos rigor para a terra de Sodoma
e de Gomorra, do que para aquela cidade.

Novamente
Jesus estabelece o dia em que tais pessoas sairiam dos seus túmulos.
Seria no dia de juízo.

Jesus
falou ainda mais a respeito daquela geração má a
adúltera:

(Mateus
11:20-24) 20
Então começou a increpar as cidades
onde se operara a maior parte dos seus milagres, por não se
terem arrependido. 21 Ai
de ti, Corazim! ai de ti, Betsaida!
porque se em Tiro e
em Sidom se tivessem operados os milagres que em vós se
fizeram, há muito elas se teriam arrependido em saco e em
cinza. 22 Eu vos digo, contudo, que no
dia de juízo haverá menos rigor para Tiro e Sidom, do
que para vós
. 23 Tu, Cafarnaum,
elevar-te-ás, porventura, até o céu? descerás
até o Hades; porque se em Sodoma se tivessem operado os
milagres que em ti se fizeram, ela teria permanecido até o dia
de hoje. 24 Eu vos digo, contudo, que menos
rigor haverá no dia de juízo para a terra de Sodoma, do
que para ti.

De
forma coerente, Jesus confirma o que seria uma ressurreição
de julgamento para aqueles que fizeram coisas más.

As
cidades de Corazim e Betsaida seriam levantadas no dia do juízo,
assim como aconteceria com as cidades de Tiro e Sidom. De
forma paralela, o mesmo ocorreria com a cidade de Cafarnaum. Ela
também seria levantada no dia do juízo e com ela,
Sodoma. Segundo as palavras de Jesus haverá menos rigor para
Sodoma do que para Cafarnaum.

Tanto
Sodoma quanto Cafarnaum serão levantadas para uma ressurreição
de “julgamento”. Por que?? Por serem praticantes de
coisas más.

No
entanto, Jeus afirmou que haveria menos rigor para Sodoma.

A
cidade seria levantada?? Jesus falava de pessoas. Jesus falava de
pessoas da cidade de Corazim e da cidade de Betsaida e das atitudes
destas pessoas, comparando-as com as pessoas das cidades de Tiro e
Sidom. Jesus falou que aquela geração era má e
adúltera. Jesus estava informando àquela geração
que se sentia como nação santa, que eles eram uma
geração má e adúltera. Obviamente que as
pessoas das quatro cidades seriam levantadas. Jesus afirmou que era
isto o que ocorreria no dia do juízo. Todos ouviriam a voz de
Jesus e sairiam dos seus túmulos, ou seja, todos iriam
reviver, todos iriam voltar a viver no dia do juízo.

Segundo
Jesus, haverá cobranças no dia do juízo. Todos
estes humanos seriam questionados por suas más ações
praticadas, além do que, todas as suas más ações
seriam expostas a todos os demais ressuscitados.

Segundo
Jesus, as pessoas prestarão contas de suas palavras e de suas
ações no dia do juízo. Obviamente, que será
um dia de vergonha e de humilhação para quem falou e
fez coisas más, principalmente para o adorador de Jeová
(Javé), ou seja, os descendentes de Jacó, aqueles que
se consideravam muito melhores do que os incircuncisos, achando-os
indignos de manter um relacionamento, tampouco entrar em seus lares,
e nem mesmo para tomar uma refeição.

Jesus
afirmou mais:

(Mateus
12:36-37)
36 Eu
vos digo que de
toda
declaração sem proveito que os homens fizerem
prestarão
contas
no
Dia do Juízo
;
37 pois
é pelas tuas palavras que serás declarado justo e é
pelas tuas palavras que serás condenado.”

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(Mateus
12:36-37) 36
Digo-vos que de toda
a palavra ociosa que falarem os homens, dela
darão
conta
no
dia de juízo
; 37 porque pelas tuas
palavras serás justificado, e pelas tuas palavras serás
condenado.

Não
há qualquer menção de mudança de ambiente
para os ressuscitados. Até então, os ressuscitados
voltariam a viver no mesmo ambiente no qual haviam originalmente
nascidos e/ou criados
.

Por
que haveria menos rigor para as pessoas de Sodoma, Tiro e de outras
cidades??

Será
que Jesus deixou esta pergunta sem uma devida resposta??

O
que disse Jesus??

(Lucas
12:48) 48 Mas
aquele que não entendeu, e assim fez coisas que merecem
golpes, será espancado com poucos. Deveras,
de
todo aquele a quem muito foi dado, muito se reclamará dele; e
a quem encarregaram de muito, deste reclamarão mais do que o
usual.

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(Lucas
12:48) 48
aquele, porém, que não a soube, e fez
coisas que mereciam castigos, será punido com poucos açoites.
De todo
aquele a quem muito é dado, muito será requerido; e
daquele a quem muito é confiado, mais ainda lhe será
exigido.

Aqueles
que foram escolhidos para serem ensinados sentiam-se muito melhores
do que os não escolhidos (gentios incircuncisos). Obviamente
que aos escolhidos (circuncisos) foi dado muito mais. Neste caso, de
quem seria exigido muito mais??

Aquela
geração contemporânea de Jesus seria muito mais
exigida do que todas as demais gerações e todos os
demais povos que não receberam nenhum ensinamento.

Jesus
estava revelando aos escolhidos a forma como o Pai lidaria com eles
em face da falta de confiança nas informações
retransmitidas por Jesus.

Se
as mesmas informações fossem dadas para os homens de
Sodoma eles acreditariam em Jesus e dariam meia volta em suas
iniquidades. Não foi isto o que Jesus falou para aquela
geração que não acreditava nele??

As
informações de Jesus continuavam plenamente lógicas
e não fugiam da IMPARCIALIDADE que caracteriza a personalidade
do Pai Jeová.

Ressurreição
de Jesus >> como se deu??


Como foi a ressurreição
de Jesus??


Jesus era um caso
diferente?? Sim, Jesus era um caso diferente. No caso de Jesus havia
um detalhe a mais.


Jesus tinha uma vida
antes de ser um “humano” (carne e sangue)?? Sim, ele
tinha.


Ele mesmo afirmou:


(João
8:56-59) 56
Vosso pai Abraão alegrou-se de ver o meu dia,
viu-o e regozijou-se. 57 Perguntaram-lhe os judeus: Ainda não
tens cinqüenta anos, e viste a Abraão? 58
Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: Antes
que Abraão fosse feito, Eu Sou.
59 Então
pegaram em pedras, para lhe atirar, mas ele encobriu-se e saiu do
templo.


Jesus falou ainda mais
a respeito deste assunto:


(João
17:4-5) 4
Eu te glorifiquei na terra, cumprindo a obra que me
tens dado para fazer; 5 agora glorifica-me tu, Pai, contigo
mesmo com
a glória que eu tive junto de ti, antes que houvesse mundo.


Antes de ser um humano
(carne e sangue), Jesus era uma criatura espiritual e vivia junto com
o Pai em um ambiente diferente do ambiente criado especialmente para
o humano, aqui no planeta terra. Originalmente, Jesus não era
feito de carne e sangue. Jesus já estava vivo antes do Pai
criar o mundo onde o humano viveria.


Jesus era originário
de um ambiente invisível aos olhos humanos. Embora o ambiente
seja real, ele é invisível aos olhos humanos.


Jesus foi originalmente
criado para viver no ambiente invisível aos olhos humanos.
Originalmente, Jesus não era de carne e sangue. Durante
milênios, Jesus tinha o invisível como o seu habitat
natural. Deus decidiu fazê-lo carne e sangue, fazendo-o nascer
como um humano nasce. Neste caso, primeiramente Jesus foi mudado do
estado invisível para o estado visível.


Quando Jesus foi morto
no estado visível em que estava, também precisava ser
ressuscitado. Ele estava realmente morto, não se tratava de
uma cena de teatro. Ao ser ressuscitado, isto é, ao voltar a
viver, ele retornou ao seu ambiente original, ambiente invisível
aos olhos humanos. Na sua ressurreição, Jesus passou do
seu temporário estado carnal para o seu original
estado espiritual (invisível ao olhos humanos).


Desta forma, a
ressurreição de Jesus foi diferente da ressurreição
dos demais humanos, pois no momento da ressurreição de
Jesus houve uma mudança de estado, ou seja, Jesus
estava retornando para o seu estado original, aquele que ele
foi projetado e criado.


Ele deixou de ser carne
e retornou ao seu ambiente original.


No caso da ressurreição
do humano, o humano também permaneceria no seu ambiente
original
. Sendo originalmente carne e sangue, de forma natural,
na sua ressurreição ele permaneceria carne e
sangue.


Não haveria
mudança de estado para os humanos de Corazim, de Betsaida, de
Tiro, de Sidom, de Cafarnaum e de Sodoma.


Será que estava
prevista alguma alteração no projeto original do Pai??


Será que o Pai
transformaria humanos em criaturas espirituais?? Será que o
planeta terra havia sido criado como um laboratório produtor
de criaturas espirituais??


Será que já
era o projeto do Pai transformar humanos originais em criaturas
espirituais, para que pudessem viver em outro ambiente??


O humano já
sabia qual havia sido o propósito do Pai ao criar o
humano para viver no planeta terra??


O Pai havia preparado o
ambiente do planeta terra para ser o habitat natural do ser humano.
Depois de saber da existência de um ambiente espiritual, será
que o humano ficaria satisfeito em continuar no ambiente terrestre,
continuando a ser de carne e sangue??


Será que O
Criador do humano seria forçado a fazer mudanças em
face desta insatisfação do humano??


Habitat
– Assim define o dicionário Houaiss:


habitat

habìtat,
corrente
abìtat
[lat.]
s.m.2n.
(1881)
1
eco
conjunto
de circunstâncias físicas e geográficas que
oferece condições favoráveis à vida e ao
desenvolvimento de determinada espécie animal ou vegetal
2
eco
tipo
de ambiente caracterizado por um conjunto de condições
bióticas e abióticas integradas
3
antrgeo
conjunto
de condições de organização e povoamento
pelo homem do meio em que vive
<h.
urbano>
<h.
rural>
4
p.ext.
local
onde algo é ger. encontrado ou onde alguém se sente em
seu ambiente ideal
<ao
ser admitida na biblioteca, ela encontrou o seu h.
>
F
f.aport.:
hábitat


De posse destas
informações, façamos agora para o nosso irmão
Paulo a seguinte pergunta:


Irmão Paulo,
como será a ressurreição??


Que resposta deu Paulo
aos discípulos de Jesus da cidade de Corinto??


Primeiro Paulo fala a
respeito da ressurreição de Jesus.


(1
Coríntios 15:3-8) 3
Pois eu vos entreguei primeiramente o
que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados
segundo as Escrituras, e que foi sepultado, 4 e que foi
ressuscitado ao terceiro dia segundo as Escrituras, 5 e que
apareceu
a Cefas e então aos doze. 6 Depois apareceu
a mais de quinhentos irmãos de uma vez, dos quais a maior
parte permanece até agora, mas alguns já dormiram; 7
depois apareceu
a Tiago, então a todos os apóstolos; 8 e por
último de todos apareceu
também a mim como a um abortivo..


Aparecer
– Esta é a definição dada pelo dicionário
Houaiss: tornar-se repentinamente
visível; revelar-se
subitamente


aparecer

v.
(1261)
1
t.i.int.
tornar-se
visível ou perceptível; revelar-se subitamente
<a
figura do pai aparecera-lhe em sonho
>
<o
sol já aparecia no horizonte
>
1.1
int.
tornar-se
repentinamente visível (o que estava escondido, perdido)
<o
livro sumido apareceu
>
2
int.
manifestar-se;
revelar-se
<a
tristeza aparecia-lhe no rosto
>
3
t.i.
comparecer
ou apresentar-se
<faz
tempo que ele não aparece na escola
>
4
pred.
apresentar-se,
mostrar-se (de algum modo)
<o
empregado aparecera afônico
>
<as
sombras apareciam assustadoras
>
5
int.
surgir,
suceder, ocorrer
<apareceram
vários casos de meningite na cidade
>
6
int.
ser
publicado ou divulgado
<um
jornal que só aparece mensalmente
>
7
int.
fig.
B
fazer-se
notar, chamar a atenção para si
<faz
tudo para a.
>

gram
a
respeito da conj. deste verbo, ver –
ecer

etim
lat.tar.
apparesco,ìs,ère
‘id.’,
apparére
‘id.’

sin/var
ver
sinonímia de
ocorrer,
raiar
e
surgir

ant
ver
sinonímia de
sumir


Estava invisível
e repentinamente apareceu.


Jesus apareceu??


Depois de sua
ressurreição, Jesus não ficou visível a
todos os demais humanos assim como Lázaro havia ficado??


Não, ele não
ficou.


Por que não??


Porque ele havia
retornado ao seu habitat natural, naquele para o qual ele
havia sido projetado e criado.


Uma das ocasiões
em que Jesus apareceu a seus discípulos está assim
descrito:


(João
20:19-20) 19 Portanto, quando já era tarde naquele dia, o
primeiro da semana, e,
embora
estivessem fechadas à chave as portas onde os discípulos
estavam, de temor dos judeus, veio Jesus e ficou em pé no meio
deles
,
e disse-lhes: “Haja paz convosco.” 20 E, depois de dizer
isso, mostrou-lhes tanto as suas mãos como o seu lado. Os
discípulos alegraram-se então por verem o Senhor.


Tomé não
estava presente, e, em face disto não acreditou que Jesus
havia ressuscitado. Por que Tomé não acreditava??
Porque Tomé não tinha visto Jesus com os seus próprios
olhos físicos. E por que não?? Porque Jesus estava
invisível aos olhos humanos. Assim como Jesus havia aparecido
repentinamente, ele também desaparecia repentinamente, segundo
a sua vontade.


Embora Jesus não
estivesse visível no ambiente fechado onde se encontravam os
discípulos, ele estava presente entre eles na sua condição
invisível. A partir do momento em que Jesus decidiu tornar-se
visível, seus discípulos puderam vê-lo.


O que fez Jesus na
ocasião seguinte em que ele decidiu aparecer??


Assim se fez registrar:


(João
20:24-29) 24 Tomé, porém, um dos doze, que era chamado
O Gêmeo, não estava com eles quando Jesus veio. 25
Conseqüentemente, os outros discípulos diziam-lhe: “Temos
visto o Senhor!” Mas, ele lhes disse: “A menos que eu
veja nas suas mãos o sinal dos pregos e ponha o meu dedo no
sinal dos pregos, e ponha a minha mão no seu lado, certamente
não acreditarei.” 26 Bem, oito dias depois, seus
discípulos estavam novamente portas adentro, e Tomé com
eles. Jesus
veio, embora as portas estivessem fechadas à chave, e ficou em
pé no meio deles
e disse: “Haja paz
convosco.” 27 A seguir, disse a Tomé: “Põe
o teu dedo aqui, e vê as minhas mãos, e toma a tua mão
e põe-na no meu lado, e pára de ser incrédulo,
mas torna-te crente.” 28 Em resposta, Tomé disse-lhe:
“Meu Senhor e meu Deus!” 29 Jesus disse-lhe: “Creste
porque me viste? Felizes são os que não vêem,
contudo, crêem.”


Jesus havia sido
ressuscitado, no entanto, nem todos os humanos o puderam ver
ressuscitado.


Por que??


Porque Jesus havia sido
ressuscitado para a mesma condição natural dele, ou
seja, como uma criatura invisível aos olhos humanos, sua
condição anterior para a qual havia sido originalmente
criado pelo mesmo Pai que havia criado Adão para viver em um
ambiente diferente do de Jesus.


Há dois
ambientes diferentes.


Após ser
ressuscitado para a sua condição original, Jesus podia
ver e ouvir os humanos, enquanto que os humanos não podiam
vê-lo e nem ouvi-lo, a menos que Jesus assim o desejasse.
Quando desejasse ser visto, Jesus tornaria isto possível para
aqueles que ele assim o desejasse.


O nosso irmão
Paulo continua sua carta:


(1
Coríntios 15:12-19) 12 Ora, se se prega Cristo, que ele tem
sido levantado dentre os mortos, como é que alguns entre vós
dizem que não há ressurreição dos mortos?
13 Se, deveras, não há ressurreição dos
mortos, tampouco Cristo foi levantado. 14 Mas, se Cristo não
foi levantado, a nossa pregação certamente é vã
e a nossa fé é vã. 15 Além disso, somos
também achados como falsas testemunhas de Deus, porque temos
dado testemunho contra Deus, de que ele levantou o Cristo, a quem
ele, porém, não levantou, se realmente é que os
mortos não hão de ser levantados. 16 Pois, se os mortos
não hão de ser levantados, tampouco Cristo foi
levantado. 17 Outrossim, se Cristo não foi levantado, a vossa
fé é inútil; ainda estais em vossos pecados. 18
De fato, também pereceram os que adormeceram [na morte] em
união com Cristo. 19 Se somente nesta vida temos esperado em
Cristo, somos os mais lastimáveis de todos os homens.


Assim verte a Tradução
Brasileira:


(1
Coríntios 15:12-19) 12
Ora se se prega que Cristo foi
ressuscitado dentre os mortos, como dizem alguns dentre vós
que não há ressurreição de mortos? 13
Mas se não há ressurreição de mortos, nem
Cristo foi ressuscitado; 14 e se Cristo não foi
ressuscitado, é logo vã a nossa pregação,
é também vã a vossa fé. 15 Somos
conhecidos também por falsas testemunhas de Deus, porque
testificamos contra Deus que ele ressuscitou a Cristo, ao qual ele
não ressuscitou, se, com efeito, os mortos não são
ressuscitados. 16 Pois, se os mortos não são
ressuscitados, nem Cristo foi ressuscitado; 17 mas se Cristo
não foi ressuscitado, a vossa fé é vã,
estais ainda em vossos pecados. 18 Também por
conseguinte os que dormiram em Cristo, pereceram. 19 Se nesta
vida temos unicamente esperado em Cristo, somos de todos os homens os
mais dignos de lástima.


Ora, aqueles que
acreditam em Jesus também continuam a morrer. Isto é um
fato. Isto estava causando indignação em alguns.


Paulo e estes homens
estavam testemunhando tais coisas.


A informação
dada por Jesus tinha sido:



(João
11:25-27) 25 Jesus disse-lhe: “Eu sou a ressurreição
e a vida. Quem exercer fé em mim, ainda que morra, viverá
[outra vez]; 26
e
todo aquele que vive e exerce fé em mim nunca jamais morrerá.

Crês
isso?” 27 Ela lhe disse: “Sim, Senhor; tenho crido que tu
és o Cristo, o Filho de Deus, Aquele que vem ao mundo. . .

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(João
11:25-2725
Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e
a vida. O que crê em mim, ainda que esteja morto, viverá;
26 e
todo o que vive e crê em mim, nunca jamais morrerá
;
crês isto? 27 Sim, Senhor, respondeu ela, eu creio que
tu és o Cristo, o Filho de Deus, que havia de vir ao mundo.


Para um grupo Jesus
poderia representar vida e para outros representar a ressurreição.
Para os vivos, Jesus representaria a continuidade da vida e para os
mortos representaria uma volta à vida através da
ressurreição. Todo aquele que está vivo e que
crê em mim nunca jamais morrerá.



Embora esta tenha
sido a informação dada por Jesus, o que Paulo e outros
discípulos de Jesus estavam presenciando?? Estavam
presenciando pessoas que afirmavam ter fé em Jesus morrendo
mesmo assim. Não estavam vendo o grupo dos humanos que
continuavam vivos por terem fé em Jesus. Todos estavam
morrendo. Aparentemente não estava havendo diferença
entre os que depositavam fé em Jesus e os que não
depositavam fé em Jesus. Para os dois grupos havia a mesma
morte. Até mesmo aqueles que faziam parte do grupo especial,
ou seja, para os quais Jesus havia se mostrado visível, também
estavam morrendo.



O que Paulo passou
a escrever logo depois:



(1
Coríntios 15:20-23) 20 No entanto, agora Cristo tem sido
levantado dentre os mortos, as primícias dos que adormeceram
[na morte]. 21 Pois, visto que a morte é por intermédio
dum homem, também a ressurreição dos mortos é
por intermédio dum homem. 22 Porque, assim como em Adão
todos morrem, assim também em Cristo todos serão
vivificados. 23 Mas, cada um na sua própria categoria: Cristo,
as primícias, depois os que pertencem a Cristo durante a sua
presença.

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(1
Coríntios 15:20-23) 20
Mas agora Cristo foi ressuscitado
dentre os mortos, sendo ele as primícias dos que dormem. 21
Pois desde que a morte veio por um homem, também por um homem
veio a ressurreição dos mortos. 22 Pois assim
como em Adão todos morrem, assim também em Cristo todos
serão vivificados, 23 mas cada um na sua ordem. As
primícias, Cristo, depois, os que são de Cristo, na sua
vinda.


Paulo defendia a
ressurreição diante de pessoas que questionavam certas
coisas.


Primeiramente, Paulo
apresenta a morte como uma coisa inevitável. Paulo apresenta a
teoria de que o humano recebeu a morte de Adão.


A morte foi imposta por
Adão aos demais humanos?? Esta foi a informação
dada pelo apóstolo Paulo.


Se a morte é por
meio de um só homem, a ressurreição também
é por intermédio de um só homem??

Assim
como
em
Adão “todos” morrem,
assim
também
em
Cristo “todos” são vivificados”.


Trata-se de uma
interessante teoria. Não podemos esquecer do termo “todos”
usados em relação a Adão e o mesmo termo “todos”
usado em relação a Jesus. Pelo menos até aqui
havia um equilíbrio da balança.


Paulo passa a defender
a transmissão automática do pecado de Adão
para os demais descendentes. “Assim como em Adão todos
morrem”. Usando isto como base, Paulo passa a afirmar que
através do segundo Adão, o humano também
receberia de forma automática o mesmo tipo de
vivificação para um ambiente invisível, embora
existissem categorias diferentes. Desta forma, ou seja, de forma
automática, cada “Adão” deixaria a sua
marca no seu descendente. Se uma era automática, a outra
também deveria ser automática. Isto era uma questão
de lógica e de imparcialidade. Até aqui esta regra é
imparcial.



Como será
então a ressurreição dos mortos??



Paulo passa então
a expor sua palavra:



(1
Coríntios 15:35-50) 35 Não obstante, alguém
dirá: “Como hão de ser levantados os mortos? Sim,
com que sorte de corpo hão de vir?” 36 Ó
desarrazoado! Aquilo que semeias não é vivificado a
menos que primeiro morra; 37 e, quanto ao que semeias, semeias, não
o corpo que se há de desenvolver, mas o mero grão, seja
de trigo, seja de qualquer dos outros; 38 mas Deus lhe dá um
corpo assim como lhe agrada, e a cada uma das sementes o seu próprio
corpo. 39 Nem toda a carne é a mesma carne, mas uma é a
da humanidade, e outra é a carne do gado, e outra [é] a
carne de aves, e outra de peixes. 40 E há corpos celestes e
corpos terrestres; mas a glória dos corpos celestes é
de uma sorte e a dos corpos terrestres é de sorte diferente.
41 A glória do sol é de uma sorte e a glória da
lua é de outra, e a glória das estrelas é de
outra; de fato, estrela difere de estrela em glória. 42 Assim
também é a ressurreição dos mortos.
Semeia-se em corrupção, é levantado em
incorrupção. 43 Semeia-se em desonra, é
levantado em glória. Semeia-se em fraqueza, é levantado
em poder. 44
Semeia-se
corpo físico, é levantado corpo espiritual.

Se
há corpo físico, há também um espiritual.
45 Até mesmo está escrito assim: “O primeiro
homem, Adão, tornou-se alma vivente.” O último
Adão tornou-se espírito vivificante. 46 Não
obstante, o primeiro é, não o que é espiritual,
mas o que é físico, depois aquilo que é
espiritual. 47 O primeiro homem é da terra e feito de pó;
o segundo homem é do céu. 48 Assim como [é]
aquele feito de pó, assim [são] também esses
feitos de pó; e assim como [é] o celestial, assim [são]
também esses que são celestiais. 49 E assim como temos
levado a imagem daquele feito de pó, levaremos também a
imagem do celestial. 50
No
entanto, digo isso, irmãos, que carne e sangue não
podem herdar o reino de Deus,
nem
pode a corrupção herdar a incorrupção. .
.


Assim verte a Tradução
Brasileira:


(1
Coríntios 15:35-50) 35
Mas alguém dirá: Como
são ressuscitados os mortos? e em que qualidade de corpo vêem?
36 Insensato, o que tu semeias, não se vivifica sem que
morra; 37 e o que semeias, não semeias o corpo que há
de nascer, mas o mero grão, como por exemplo, de trigo, ou de
alguma outra coisa; 38 Deus, porém, lhe dá um
corpo como lhe aprouve e a cada uma das sementes um corpo próprio.
39 Nem toda a carne é a mesma carne, mas uma é a
dos homens, outra a dos animais, outra a das aves e outra a dos
peixes. 40 Também há corpos celestes e corpos
terrestres; mas uma é a glória dos celestes, e outra a
dos terrestres. 41 Uma é a glória do sol, outra
a glória da lua e outra a glória das estrelas; porque
uma estrela difere de outra em glória. 42 Assim também
é a ressurreição dos mortos. Semeia-se em
corrupção, é ressuscitado em incorrupção;
semeia-se em vileza, é ressuscitado em glória; 43
semeia-se em fraqueza, é ressuscitado em poder; 44
semeia-se
corpo animal, é ressuscitado corpo espiritual.

Se há corpo animal, também o há espiritual. 45
Assim está escrito: O primeiro homem, Adão, foi feito
em alma vivente; o último Adão em espírito
vivificante. 46 Mas não é primeiro o espiritual,
senão o animal, depois o espiritual. 47 O primeiro
homem é da terra, é terreno; o segundo homem é
do céu. 48 Qual o terreno, tais também os
terrenos; qual o celestial tais também os celestiais; 49
e como trouxemos a imagem do terreno, também traremos a imagem
do celestial. 50 Ora
digo isto, irmãos, que a carne e o sangue não podem
herdar o reino dos céus
, nem a corrupção
herdar a incorrupção.

Informação
do nosso irmão Paulo de Tarso: No reino de Deus só
haverá corpos espirituais; no reino de Deus não haverá
corpos físicos.


Paulo passou a
raciocinar e apresentar argumentos lógicos para explicar a
questão de que tipo de corpo o descendente de Adão
seria ressuscitado. Ao final Paulo afirmou que é semeado
um corpo físico e é levantado um corpo
espiritual. Paulo explica que o corpo físico não
passava de uma semente. Depois de semeada no solo, tal semente
produziria um corpo espiritual. Assim como recebido do primeiro Adão
a característica de voltar ao solo, da mesma forma receberia
do segundo Adão a característica de sair do solo como
uma criatura espiritual (invisível aos olhos humanos).



Nosso amado irmão
Paulo definiu que todos serão ressuscitados em uma
dimensão espiritual tal qual Jesus, aquele que mostrou ser a
primícia.



Primícias-
Esta é a definição dada pelo dicionário
Houaiss:
primeira
coisa de uma série.


primícias

s.f.pl.
(1209)
1
primeiras
coisas de uma série; começos, prelúdios
1.1
os
primeiros frutos colhidos
1.2
os
primeiros animais nascidos num rebanho
1.3
primeiros
lucros
1.4
primeiros
livros escritos
1.5
primeiras
emoções e sentimentos

etim
lat.
primitìae,árum
‘parte
primeira dos despojos oferecida a uma divindade’


Paulo estava acostumado
com o termo “primícia”. Toda a nação
estava acostumada com este termo.


Segundo Paulo, Jesus
passou a ser a primícia, ou seja, o primeiro de uma série.
Segundo Paulo, Jesus havia inaugurado um novo caminho para os
humanos, um caminho que levava o humano para o ambiente invisível,
o mesmo ambiente invisível de onde Jesus tinha vindo e para
onde Jesus havia retornado após ser ressuscitado.



Parece que nosso
irmão Paulo havia encontrado a solução para
todos os questionamentos e problemas em relação a
ressurreição.



O argumento usado
pelo nosso irmão Paulo foi: Deus dá a cada uma semente,
segundo o que lhe agrada, e a cada uma das sementes o seu
próprio corpo.



Daí, Paulo
continuou raciocinando que o corpo humano não passa de uma
semente
. O humano de carne e sangue é uma semente para a
existência de um ser espiritual igual a Jesus. Semeia-se um
corpo físico e é levantado um corpo espiritual. No
momento em que o humano morre é que é semeado o seu
corpo físico. Este corpo físico é semeado na
terra
.


Se há um corpo
físico, também há um corpo espiritual.



Paulo continua: O
primeiro Adão tornou-se alma vivente e o último Adão
tornou-se espírito vivificante.



O primeiro é
físico (carne e sangue) e o segundo é espiritual. O
primeiro é da terra, é físico e visível,
e o segundo é do céu e invisível.


Jesus
passou a ser um segundo Adão
que geraria
sementes segundo a sua espécie, tal qual havia acontecido com
o primeiro Adão.


Se levamos
a imagem
do primeiro Adão naquilo que é
físico (carne e sangue), inclusive a morte, também
levaremos
a imagem
daquele que é espiritual (invisível),
inclusive na vida.


Logo, a ressurreição
será igual a ressurreição de Jesus.


Desta forma, aquilo que
havia acontecido a Jesus no momento de sua ressurreição,
também passaria a acontecer com os demais humanos.



Como??


Morreremos
na carne e seremos levantados em espírito, tal qual aconteceu
com Jesus.



Isto resolveria o
problema. Bastaria a pessoa acreditar que seu parente que acreditava
em Jesus (tinha fé) havia ressuscitado em espírito,
exatamente assim como havia acontecido com Jesus, logo, que este
parente já estava vivo junto com Jesus no reino invisível.
No entanto, o que Paulo falou foi que tinham de aguardar até
um dia específico logo à frete, ainda em seus dias de
vida humana.



Paulo continuou:


Irmãos, carne e
sangue não podem herdar o reino de Deus.



Como??



Isto
mesmo, carne e sangue não podem herdar o reino de Deus.



O que passa a
ocorrer depois desta informação??


Esta afirmação
de Paulo estava plenamente coerente com as anteriores afirmações
que ele havia feito.



O nosso irmão
Paulo continua sua explicação:



(1
Coríntios 15:51-58) 51
Eis
que eu vos digo um segredo sagrado: Nem todos adormeceremos [na
morte], mas todos seremos mudados, 52 num momento, num piscar de
olhos, durante a última trombeta. Pois a trombeta soará,
e os mortos serão levantados incorruptíveis, e nós
seremos mudados.
53
Pois isto que é corruptível tem de revestir-se de
incorrupção e isto que é mortal tem de
revestir-se de imortalidade. 54 Mas, quando [isto que é
corruptível se revestir de incorrupção e] isto
que é mortal se revestir de imortalidade, então se
cumprirá a palavra que está escrita: “A morte foi
tragada para sempre.” 55 “Morte, onde está a tua
vitória? Morte, onde está o teu aguilhão?”
56 O aguilhão que produz a morte é o pecado, mas o
poder para o pecado é a Lei. 57 Graças a Deus, porém,
pois ele nos dá a vitória por intermédio de
nosso Senhor Jesus Cristo! 58 Conseqüentemente, meus amados
irmãos, tornai-vos constantes, inabaláveis, tendo
sempre bastante para fazer na obra do Senhor, sabendo que o vosso
labor não é em vão em conexão com [o]
Senhor.

Assim
verte a Tradução Brasileira:

(1
Corintios 15:51) 51
Eis
que vos digo um mistério: Nem todos dormiremos, mas todos
seremos mudados,
52
num
momento, num abrir e fechar de olhos, ao som da última
trombeta. A trombeta soará, os mortos serão
ressuscitados incorruptíveis, e nós seremos mudados.

53
Pois é necessário que este corpo corruptível se
revista da incorruptibilidade, e que este corpo mortal se revista da
imortalidade.
54
Mas quando este corpo corruptível se revestir da
incorruptibilidade, e este corpo mortal se revestir da imortalidade,
então se cumprirá a palavra que está escrita:
Tragada foi a morte na vitória.
55
Onde está, ó morte, a tua vitória? onde está,
ó morte, o teu aguilhão?
56
O aguilhão da morte é o pecado, e a força do
pecado é a lei;
57
mas graças a Deus que nos dá a vitória por nosso
Senhor Jesus Cristo.
58
Portanto, meus amados irmãos, sede firmes, constantes,
aplicando-vos cada vez mais a obra do Senhor, sabendo que o vosso
trabalho não é vão no Senhor.

Nós,
os que estivermos vivos. Foi usada a 1ª pessoa do plural –
nós.


Vou lhes contar um
mistério, um segredo: “Nem todos adormeceremos na morte.
Durante o toque da última trombeta os vivos que creem em Jesus
serão mudados instantaneamente, logo, não precisarão
morrer. Neste momento, o que é corruptível será
revestido de incorrupção e o que é mortal será
revestido de imortalidade.”


O que ocorreria durante
o toque da última trombeta?? Segundo Paulo, ele e alguns
outros
que estivessem vivos em carne e sangue, neste momento
seriam instantaneamente mudados. Paulo afirmou: “E nós
seremos mudados”. Paulo esperava o toque da última
trombeta para os seus dias e não para um futuro distante
depois de sua morte. Paulo se incluía entre os mudados de
forma instantânea para uma vida espiritual, isto é, fora
do plano carnal (carne e sangue).


Mudados em que??


Seriam mudados de
criaturas humanas (carne e sangue) para criaturas espirituais
(invisíveis), sem passarem pelo estado de morte, isto é,
sem precisarem passar pela morte e pela espera no túmulo.
Neste caso, isto é, no caso de Paulo e de alguns da
congregação de coríntios, não haveria uma
ressurreição, e sim, uma instantânea mudança
do estado físico (visível) para estado espiritual
(invisível).


Neste caso, o que
estava ocorrendo?? Havia agora uma explicação para a
afirmação de Jesus de que aquele que estivesse vivo e
acreditasse nele não morreria. Neste caso específico, a
pessoa não precisaria morrer para ser transformada em criatura
espiritual através da ressurreição.


Paulo
ainda fala em imortalidade.
Todos os que têm fé
em Jesus e morrem, ao chegar o toque da última trombeta, serão
revestidos de imortalidade, e, todos os que têm fé em
Jesus e estiverem vivos, serão instantaneamente transformados
em criaturas espirituais e imortais.


Os que haviam morrido
exercendo fé em Jesus seriam levantados (ressuscitados) como
criaturas espirituais, assim como Jesus, acrescido do detalhe de
serem criaturas imortais.



Neste caso, fica
bem claro que carne e sangue, realmente não herdariam o reino
de Deus, pois não haveria mais humanos (carne e sangue)
vivendo dentro do reino de Deus.


Segundo Paulo, todos os
humanos que tivessem fé em Jesus, estando vivos, seriam
mudados, e os demais, estando mortos, seriam levantados
incorruptíveis e imortais.


Paulo continua falando.


O que produz a morte é
o pecado. A força do pecado é a lei. O poder para o
pecado é a lei. No entanto, obtemos a vitória por nosso
Senhor Jesus. Vitória sobre quem?? Vitória sobre o
que??


(1
Coríntios 15:56-57) 56
O aguilhão da morte é
o pecado, e a força do pecado é a lei; 57 mas
graças a Deus que nos dá a vitória por nosso
Senhor Jesus Cristo.


(1
Coríntios 15:56-57) 56 O aguilhão que produz a morte é
o pecado, mas o poder para o pecado é a Lei. 57 Graças
a Deus, porém, pois ele nos dá a vitória por
intermédio de nosso Senhor Jesus Cristo!


Ora, mas o que é
a lei??


Lei
– Assim define o dicionário Aulete Digital:


sf.


1
Norma ou conjunto de normas que emanam de um poder soberano e que
regulam a conduta de uma sociedade, estabelecendo sanções
para os desvios.


2
Norma ou conjunto de normas elaboradas pelo Poder Legislativo e
promulgadas pelo Poder Executivo.


3
Obrigações estabelecidas na convivência dos
homens em qualquer sociedade e que servem para torná-la
possível ou mais fácil, por estabelecerem um padrão
de conduta: as leis do dever, da honra, da delicadeza.


4
Fil. Relação constante entre fenômenos ou fases
de um fenômeno; padrão constante na manifestação
de um fenômeno: as leis da termodinâmica, da genética,
da oferta e da procura


5
Fil. Relação ou padrão constante entre elementos
de um sistema: as leis de um ecossistema, da matemática.


6
P.ext. Domínio, poder, mando: lei do mais forte: lei da
família.


7
P.ext. Convenções estabelecidas em um dado assunto ou
matéria: as leis da gramática, da poética.


8
Teol. Religião, crença, fé: a lei cristã,:
a lei judaica.


9
Condição imposta pelas circunstâncias: A lei da
vida.


10
Proporção, estabelecida pelo Estado, do metal mais
valioso numa liga para cunhagem de moedas (prata de lei).


[F.:
Do lat. lex, legis. Col.: código, consolidação,
corpo, legislação, polícia, repertório.]


A definição
de lei dada pelo dicionário é bem clara, não é??


Não é a
lei o conjunto de regras de comportamento que é criado pelo
Legislador, definindo o que é e o que não é
pecado??


Não se trata de
um conjunto de regras de comportamento que definem o que é
certo e o que é errado no convívio do dia a dia do
humano??


Será
que o erro está na existência da lei?? Será que
há algum erro na existência da lei?? Será que a
culpa do homem morrer está na existência da lei??


Para Paulo não
havia lei a ser obedecida, pois a lei havia sido abolida por Jesus. O
que havia então?? Havia a fé em Jesus.


Assim afirma nosso
irmão Paulo:


(Gálatas
3:23-25)
23 No
entanto, antes de chegar a fé, estávamos sendo
guardados debaixo de lei, entregues juntos à detenção,
aguardando a fé que estava destinada a ser revelada.
24
A
Lei, por conseguinte, tornou-se o nosso tutor, conduzindo a Cristo,
para que fôssemos declarados justos devido à fé.
25
Mas
agora que chegou a fé, não estamos mais debaixo dum
tutor.


Assim verte a Tradução
Brasileira:


(Gálatas
3:23-25) 23
Mas antes que viesse a fé, estávamos
debaixo da guarda da Lei, encerrados para a fé que havia de
ser revelada. 24 Assim
a Lei se tornou nosso pedagogo para conduzir-nos a Cristo, a fim de
sermos justificados pela fé.
25
Mas
tendo vindo a fé, não estamos mais debaixo de pedagogo.


Não estamos mais
debaixo de lei (tutor).


Não estamos mais
debaixo de lei (pedagogo).


Não havendo lei,
não há pecado, pois é a lei que define o que é
e o que não é pecado. Bastaria aceitar Jesus como o
“Salvador” e todos alcançariam uma vida celestial
e uma imortalidade. Passaríamos a ser “justificados”
pela fé. Aquele que tivesse fé em Jesus seria visto
como alguém justo, isto é, diferente de alguém
iníquo (ímpio). Ele poderia ser corretamente chamado de
“santo”, não poderia?? Desta forma, uma igreja
composta de pessoas justificadas pela fé, poderia ser
corretamente chamada de igreja dos santos, não poderia??
Certamente. Agora que chegou a fé, não estamos mais
debaixo de lei. Deus nos dá a vitória por meio de nosso
Senhor Jesus, o segundo Adão. Neste caso, seria uma vitória
sobre a morte.


Não
vim destruir; não vim revogar.


Por falar em lei, o que
afirmou Jesus sobre revogar a lei??


(Mateus
5:17-19)
17 Não
penseis que vim destruir a Lei ou os Profetas. Não vim
destruir, mas cumprir;
18 pois,
deveras, eu vos digo que antes passariam o céu e a terra, do
que passaria uma só letra menor ou uma só partícula
duma letra da Lei sem que tudo se cumprisse.
19
Quem,
portanto, violar um destes mínimos mandamentos e ensinar a
humanidade neste sentido, será chamado ‘mínimo’
com relação ao reino dos céus.

Quanto àquele que os cumprir e ensinar, esse será
chamado ‘grande’ com relação ao reino dos
céus.


Assim verte a Tradução
Brasileira:


(Mateus
5:17-19) 17
Não
penseis que vim revogar a lei ou os profetas; não vim revogar,
mas cumprir
. 18 Porque em verdade vos digo:
Enquanto não passar o céu e a terra, de modo nenhum
passará da lei um só i ou um só til, sem que
tudo se cumpra. 19 Aquele,
pois, que violar um destes mínimos mandamentos, e assim
ensinar aos homens, será chamado mínimo no reino dos
céus
; mas aquele que os observar e ensinar, esse
será chamado grande no reino dos céus.


Jesus foi bem claro:
Não vim revogar a lei; não vim destruir a lei.


Revogar
– esta é a definição dada pelo dicionário
Houaiss: tornar algo sem efeito, fazer deixar
de vigorar; anular….


revogar

v.
(sXIII)
1
t.d.
tornar
(algo) sem efeito, fazer deixar de vigorar; anular
<r.
uma lei
>
1.1
t.d.
jur
cancelar,
anular os efeitos (de um ato, uma lei etc.), proceder à
revogação de
¤
gram
a
respeito da conj. deste verbo, ver –
ogar
¤
etim
lat.
revóco,as,ávi,átum,áre
‘chamar,
dizer que volte, fazer retroceder; recuar, reconduzir’
¤
sin/var
ver
sinonímia de
abolir
¤
ant
ver
antonímia de
abolir
¤
hom
revogáveis(2ªp.pl.)
/
revogáveis(pl.revogável[adj.2g.])


Não vim fazer
deixar de vigorar a lei que o Pai Jeová deu para Moisés,
antes, eu vim cumprir esta lei.


Se Jesus afirmou que
não revogaria a lei, então quem poderia ter revogado a
lei??


Parece que o nosso
irmão Paulo não levou em consideração
estas palavras faladas por Jesus.


O que é um
aguilhão??


Fisicamente falando,
trata-se de uma vara afiada, geralmente usada para tanger bois.


Figurativamente
falando, trata-se de um fator estimulante, incitador, provocante.


Aguilhão
– Esta é a definição dada pelo dicionário
Houaiss:


aguilhão

s.m.
(1231)
1
vara
com ponta de ferro afiada, us. para tanger bois; aguilhada
2
p.ext.
ponta
perfurante
2.1
p.ext.
espinho
ou acúleo
3
p.ana.
peça
do moinho que corre por baixo do rodízio
4
p.ana.
B
N.E.

peça
de ferro que se coloca no meio dos eixos de madeira dos engenhos de
açúcar
5
p.ext.
B
N.E.

ponta
dos eixos menores da moenda de cana-de-açúcar
6
fig.
fator
estimulante, incitador, excitante; acicate, incentivo
7
p.ext.
anat.zoo
m.q.
ferrão
(‘órgão
quitinizado’, ‘extremidade pontiaguda’)
8
ict
m.q.
espadarte
(Xiphias
gladius)

etim
lat.vulg.
*aquileo,onis,
der. de
aquileus,
var. vulg. de
aculèus,i
‘aguilhão,
ferrão’


O uso do aguilhão
produz uma ação de aguilhoar.


Aguilhoar
– Esta é a definição dada pelo dicionário
Aulete Digital: Fazer sofrer física ou
moralmente.


(a.gui.lho.ar)


v.td.


1
Picar ou ferir com aguilhada ou aguilhão: O boiadeiro
aguilhoava os bois.


2
Fig. Agir como estímulo, incitamento; ESPICAÇAR;
ESTIMULAR; INCITAR; INSTIGAR: “…era apenas um rompante
momentâneo, uma maneira de aguilhoar meu desejo por ela…”
(João Ubaldo Ribeiro, Diário do farol)


3
Fig. Fazer sofrer física ou moralmente: O amor é um
sentimento que pode aguilhoar o coração.


[F.:
aguilh(ão) + -oar, com desnasalação.]


A
informação dada pelo Pai: “o filho não
herda a iniquidade do pai”.


O
Pai afirmou que a morte é uma consequência do pecado, ou
seja, um fruto produzido pelo pecado, e sendo que o pecado é o
descumprimento da lei, um ato individual e que não pode ser
transferido para ninguém.

(Ezequiel
18:19-20)
19 “‘E
certamente direis: “Por que é que o filho não
levará nenhuma [culpa] pelo erro do pai?” Ora, quanto ao
filho, praticou o juízo e a justiça, guardou todos os
meus estatutos e continua a cumpri-los. Ele positivamente continuará
a viver.
20 A
alma que pecar — ela é que morrerá.
O
próprio filho não levará nenhuma [culpa] pelo
erro do pai e o próprio pai não levará nenhuma
[culpa] pelo erro do filho.
A
própria justiça do justo virá a estar sobre ele
mesmo, e a própria iniqüidade do iníquo virá
a estar sobre ele mesmo.

Assim
verte a Tradução Brasileira:


(Ezequiel
18:19-20) 19
Contudo dizeis: Por que não leva o filho a
iniqüidade do pai? Quando o filho fizer o que é de
eqüidade e justiça, e guardar todos os meus estatutos, e
os cumprir, certamente viverá. 20 A alma que peca, essa
morrerá; o
filho não levará a iniqüidade do pai nem o pai
levará a iniqüidade do filho
. A justiça
do justo será sobre ele, e a impiedade do ímpio será
sobre ele.


Segundo o Pai Jeová,
o filho não levará a iniquidade do pai. Cada um leva a
sua própria iniquidade. A alma que não pecar, esta não
morrerá. Cada humano é responsável por sua
morte. Cada homem é responsável por sua vida.


Informação
dada pelo Pai: O justo continuará a viver.


(Ezequiel
18:5-9)
5 “‘E
no que se refere ao homem, se ele veio a ser justo e tem praticado o
juízo e a justiça;
6 se
não comeu nos montes e não elevou seus olhos para os
ídolos sórdidos da casa de Israel, e não aviltou
a esposa de seu companheiro, e não se chegou a uma mulher na
sua impureza;
7 e
se não maltratou a nenhum homem; se restituiu o penhor tomado
pela dívida; se não arrebatou nada em roubo; se deu o
seu próprio pão ao faminto e cobriu com roupa ao que
estava nu;
8 se
não deu nada em troca de juros e não tomou usura; se
retirou sua mão da injustiça; se praticou a verdadeira
justiça entre homem e homem;
9 se
tem andado nos meus estatutos e tem guardado as minhas decisões
judiciais para praticar a verdade, ele é justo. Ele
positivamente continuará a viver’
,
é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová.


Assim verte a Tradução
Brasileira:


(Ezequiel
18:5-9) 5
Porém, se um homem for justo, e fizer o que é
de eqüidade e justiça, 6 e se não comer
sobre os montes, nem levantar os seus olhos para os ídolos da
casa de Israel, nem contaminar a mulher do seu próximo, nem se
chegar à mulher na sua separação; 7 se
não oprimir a ninguém, porém tornar ao devedor o
seu penhor, se não tirar nada do alheio por violência,
se der do seu pão ao que tem fome e ao nu cobrir com vestido;
8 se não der o seu dinheiro à usura, nem receber
mais do que o que emprestou, se desviar a sua mão da
iniqüidade, e fizer verdadeiro juízo entre homem e homem;
9 se
andar nos meus estatutos, e guardar os meus juízos, para
proceder segundo a verdade; este tal é justo, certamente
viverá,
diz o Senhor Jeová.


Segundo
o Pai Jeová, o que “justifica” o homem??


Andar nos estatutos de
Jeová, guardar os juízos de Jeová para proceder
segundo a verdade.


Se o homem fizer coisas
“definidas” pelo Pai como justiça e deixar de
fazer coisas “definidas” pelo Pai como abomináveis,
este homem é justo. O justo continua a viver.


Se o humano obedecer a
lei ele se mostra justo.


Segundo Jeová, o
homem vence a morte por praticar permanentemente a justiça,
isto é, obedecer aos mandamentos.


Segundo Jeová, a
obediência traz a vitória sobre a morte, enquanto
obediente. A vitória sobre a morte se dá a cada decisão
que se toma no dia a dia.


Do
ponto de vista de Jeová, o homem que cumpre (obedece) os
mandamentos mostra que é justo.


Do ponto de vista do
Pai Jeová, o que justifica o homem diante Dele são
as ações
do homem diante dos mandamentos dados por
Ele.


As circunstâncias
do dia a dia exigem do humano uma decisão quanto ao que falar
e fazer.


A lei define para o
humano o que é o certo e o que é o errado. De posse
destas informações, o humano decide o que vai fazer,


Do ponto de vista do
Pai Jeová, para ser justo o humano precisar fazer certas
coisas e não fazer certas coisas. Por exemplo, para o Pai
Jeová, o homem que recebe mais do que emprestou não é
justo. Para o Pai Jeová, o homem que recebe mais do emprestou
é iníquo.


No entanto, segundo
Paulo, o que justifica o humano é a fé que este humano
tem em Jesus.


Segundo Paulo, a morte
utiliza o pecado como um aguilhão contra o ser humano.


Segundo Paulo, a morte
é o inimigo a ser vencido. Como poderia o humano vencer tal
inimigo??


Segundo Paulo, a força
do pecado está na lei, pois é a lei que define o que é
e o que não é pecado.


A morte colocaria a lei
debaixo do braço e sairia à procura de reais pecadores,
fazendo-os sofrer moral e fisicamente.


Paulo conclui o seu
raciocínio afirmando que Deus dá a vitória do
humano sobre a morte, através do nosso Senhor Jesus Cristo.


Contrariando o que
Jeová falou, Paulo afirmou que o humano sairia vitorioso sobre
a morte, sim, que o homem venceria a morte. De forma prática,
como se daria??


Estando justificado
diante de Deus por ter fé em Jesus, o humano receberia
de Deus a imortalidade.


Para receber a
imortalidade, o humano também receberia a
incorruptibilidade.


Incorruptível
– esta é a definição dada pelo dicionário
Houaiss: incapaz de deixar-se corromper,
seduzir, subornar.


incorruptível

adj.2g.
(sXIV)
não
corruptível
1
que
não se deteriora; imputrescível, inalterável,
inatacável
2
incapaz
de deixar-se corromper, seduzir, subornar; reto, honesto
<a
i. integridade de um juiz
>

etim
lat.tar.
incorruptibìlis,e
‘id.’

sin/var
incorrutível

ant
corruptível


Para receber a
imortalidade, é imprescindível que este humano NUNCA
seria corrompido. Um imortal pecador seria uma anomalia. Neste caso,
sendo incorruptível, a vida deste humano estaria garantida
perpetuamente, pois ele passaria a ser indestrutível, um ser
imortal.


Jesus mostrou que ele
não era imortal. Ele morreu. Ele precisou ser ressuscitado
pelo Pai.


Não se tratava
de uma peça teatral.


Ou será que
Jesus era imortal e só estava representado??


Paulo ensinava que
Jesus morreu. Se Jesus morreu, então ele não era
imortal.


Será que Paulo
estava se referindo a uma imortalidade somente depois de ser
transformado em uma criatura espiritual??


Já que o corpo
físico é algo destrutível, somente em um corpo
espiritual que o humano conseguiria a vida indestrutível.


Se tudo o que é
carnal é destrutível, somente uma transformação
do humano em uma criatura espiritual é que resolveria o
problema da morte.


Bem, pelo menos Paulo
de Tarso estava sendo plenamente coerente no seu ensino.


Será que Paulo
de Tarso estava levando em consideração todas as
informações dadas por Jesus e por Jeová??


Incapaz
– esta é a definição dada pelo dicionário
Houaiss: que tem impedimento, impossibilitado,
impedido, inabilitado…


incapaz

adj.2g.
(1533)
que
não é capaz
1
que
não se permite proceder de determinada maneira
<i.
de mentir
>
2
que
tem impedimento; impossibilitado, impedido, inabilitado
<com
os nervos abalados, sentiu-se i. de comparecer à cerimônia
>
n
adj.2g.s.2g.
3
diz-se
de ou indivíduo sem competência, inábil,
ignorante
<está
cercado de auxiliares i.
>
<faz
tudo errado, é um i.
>
4
jur
diz-se
de ou aquele que não tem capacidade legal, que é
privado de certos direitos ou excluído de certas funções
por força de lei

gram
nas
acps. adj., sup.abs.sint.:
incapacíssimo

etim
lat.
incàpax,ácis
‘que
não compreende’

sin/var
como
adj.2g.s.2g.: ver sinonímia de
desastrado
e
tolo

ant
capaz;
como adj.2g.s.2g.: ver antonímia de
desastrado
e
tolo


Incapaz
de morrer; incapaz de errar; incapaz de desobedecer.


Como o humano em
questão continuaria com o seu livre-arbítrio??


Com o livre-arbítrio
o humano pode escolher entre obedecer os mandamentos do Pai Jeová
ou desobedecer.


Adão tinha esta
liberdade de escolha e a exerceu.


Será que Jesus
não tinha esta liberdade de escolha??


Será que o Pai
Jeová também não tem esta liberdade de escolha??


Haveria uma mudança
da característica natural de Adão??


Será que a
existência do livre-arbítrio constitui um ERRO que
precisa ser reparado através da ressurreição
ensinada por Paulo??


Segundo Jeová, o
humano alcançaria a condição de ficar
impossibilitado de pecar??


(Ezequiel
18:24)
24 “‘Ora,
quando o justo recuar da sua justiça e realmente fizer
injustiça
; se estiver fazendo
segundo todas as coisas detestáveis que o iníquo tem
feito e estiver vivendo, não será lembrado nenhum dos
seus atos justos que praticou. Por sua infidelidade que praticou e
por seu pecado com que pecou, por estes é que morrerá.


Assim verte a Tradução
Brasileira:


(Ezequiel
18:24) 24
Mas
quando o justo se desviar da sua justiça, e cometer
iniqüidade
, e fizer conforme todas as abominações
que faz o ímpio, acaso viverá ele? Não será
lembrado nenhum dos seus atos de justiça que praticou; na sua
transgressão com que transgrediu, e no seu pecado com que
pecou, neles morrerá.


Jeová deixou bem
claro que o justo continua com a possibilidade de recuar da justiça
e cometer iniquidade.


Segundo Paulo,
recebendo a imortalidade, o humano perguntaria para a morte: Ó
morte, onde está a tua vitória e onde está o teu
aguilhão??


O
reino de Deus seria usufruído por espíritos e não
por humanos.



Carne
e sangue não podem herdar o reino de Deus. Carne e sangue não
podem entrar no reino de Deus.

Embora Paulo tenha
deixado bem claro que não havia uma lei específica para
o discípulo de Jesus, já que o que santificava era a fé
em Jesus, em outro lugar nesta mesma carta aos discípulos de
Jesus na cidade de Corinto, ele mesmo falou que certas pessoas não
herdariam o reino de Deus.

Ele afirmou:

(1
Coríntios 6:9-10)
9 O
quê! Não sabeis que os injustos não herdarão
o reino de Deus? Não sejais desencaminhados. Nem fornicadores,
nem idólatras, nem adúlteros, nem homens mantidos para
propósitos desnaturais, nem homens que se deitam com homens,
10 nem
ladrões, nem gananciosos, nem beberrões, nem
injuriadores, nem extorsores herdarão o reino de Deus.

Estas pessoas não
herdariam o reino de Deus por serem praticantes de certas ações.
Neste caso, a pessoa que praticasse tais coisas não seria
transformada em espírito para assim entrar no reino de Deus.

Neste caso, o reino
de Deus seria formado por espíritos incorruptíveis e
imortais.

Se
não há uma lei, então o que há??

Ora, apenas uma lei
pode definir se tais ações são ou não são
pecados. Se não houver uma lei definindo que tais coisas são
pecados, o que é então que está determinando que
tais coisas são pecados??

Para poderem herdar
o reino de Deus, os humanos em Corinto deviam deixar de praticar tais
coisas, embora não estivessem debaixo de nenhuma lei.

Ora, o que isto
queria dizer na verdade??

Que estas coisas
eram pecados.

O que define se
algo é pecado??

Somente uma lei.

Deve existir um
mandamento em plena vigência para que alguém possa ser
condenado por um pecado.

Bem, este é
mais um dos detalhes a serem respondidos pelo nosso amado irmão
Paulo. Irmão Paulo, o que define se tais coisas são
pecados, quando a lei foi abolida por Jesus??

E
o que dizer dos demais mortos, ou seja, aqueles que fizeram coisas
más??

O que dizer de Jacó
e dos demais descendentes de Jacó sobre os quais Davi havia de
ser príncipe habitando de novo a terra que foi dada para Jacó,
sobre os quais Jeová afirmou que Ele os traria de volta a vida
para viverem na mesma terra de Canaã?? O que dizer de todos os
demais incircuncisos?? O que dizer dos homens de Sodoma?? O que dizer
dos homens de Nínive?? O que dizer dos homens que morreram no
dilúvio?? O que dizer daquela geração adúltera
e iníqua que havia rejeitado Jesus, e para a qual Jesus
afirmou estarem juntos com os homens de Nínive, Tiro, Sidom e
Sodoma??

Jesus afirmou que
todos os humanos sairiam dos túmulos, tanto os bons
quanto os maus.

Nesta carta, o
nosso irmão Paulo não fez menção de tais
humanos que fizeram coisas más.

Pelo que
compreendemos das palavras de Paulo, carne e sangue não herdam
o reino dos céus, logo, estes demais humanos maus não
seriam ressuscitados como criaturas espirituais dentro do reino, e
neste caso, em que lugar fora do reino de Deus estes homens seriam
ressuscitados??

Será que
estas palavras de Paulo estavam em harmonia com as palavras que Jeová
falou para Ezequiel e com as palavras faladas por Jesus??

Vejamos agora uma
afirmação de Jesus sobre entrar no reino.

(Mateus
19:23-24)
23 Jesus,
porém, disse aos seus discípulos: “Deveras, eu
vos digo que será difícil para um rico entrar no reino
dos céus.
24 Novamente,
eu vos digo: É mais fácil um camelo passar pelo
orifício duma agulha, do que um rico entrar no reino de Deus.”

Parece que o nosso
irmão Paulo esqueceu de mencionar que os ricos também
não herdarão o reino de Deus. Segundo as palavras de
Jesus, os ricos não conseguem entrar no reino dos céus.

Parece que Paulo se
esqueceu que mesmo quando Jesus estava vivo como humano, já
era possível entrar no reino dos céus, mesmo sem
morrer. Pessoas de carne e sangue estavam entrando no reino de Deus.

(Mateus
23:13)
13 Ai
de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque fechais
o reino dos céus diante dos homens; pois, vós mesmos
não entrais, nem deixais entrar os que estão em caminho
para entrar.

Será
que o fariseu precisava morrer para poder entrar no reino dos céus??
Foi isto o que Jesus disse?? Não, não foi. Os fariseus,
além de não entrarem no reino dos céus, não
estavam deixando outras pessoas entrar no reino dos céus,
pessoas estas, de carne e sangue, que já estavam em caminho
para entrar. Naquele momento em que Jesus estava falando já
era possível entrar e sair do reino. Naquele momento era
possível para pessoas de carne e sangue, até mesmo
impedirem pessoas de carne e sangue de entrarem no reino dos céus.

Parece
que Paulo se esqueceu da informação dada por Jesus
sobre meretrizes e cobradores de impostos que entrariam no reino na
frente dos fariseus. Já era possível entrar no reino de
Deus quando Jesus estava vivo.


(Mateus
21:28-31)
28 Que
achais? Um homem tinha dois filhos. Dirigindo-se ao primeiro, disse:
‘Filho, vai trabalhar hoje no vinhedo.’
29
Em resposta, este lhe disse: ‘Irei,
senhor’, mas não foi.
30
Dirigindo-se ao segundo, disse-lhe a
mesma coisa. Em resposta, este lhe disse: ‘Não irei.’
Depois deplorou isso e foi.
31 Qual
dos dois fez a vontade do pai?” Eles disseram: “O
último.” Jesus disse-lhes:
Deveras,
eu vos digo que os cobradores de impostos e as meretrizes entrarão
na frente de vós no reino de Deus.

Assim
verte a Tradução Brasileira:


(Mateus
21:28-31) 28
Mas que vos parece? Um homem tinha dois filhos;
chegando ao primeiro, disse: Filho, vai trabalhar hoje na minha
vinha. 29 Ele respondeu: Irei, senhor; e não foi. 30
Chegando ao segundo, disse-lhe o mesmo. Porém este respondeu:
Não quero; mais tarde, tocado de arrependimento, foi. 31
Qual dos dois fez a vontade do pai? Responderam eles: O segundo.
Declarou-lhes Jesus: Em
verdade vos digo que os publicanos e as meretrizes entrarão
primeiro do que vós no reino de Deus.

Parece
que Paulo se esqueceu que o reino já estava no meio dos judeus
quando Jesus ainda estava vivo como humano. Jesus afirmou: “O
reino de Deus está no meio de vós”.

Tradução
Brasileira verte:

(Lucas
17:20-21)
20 Tendo os
fariseus perguntado a Jesus quando viria o reino de Deus, ele
respondeu:
O
reino de Deus não vem visivelmente,
21
nem
dirão: Ei-lo aqui! ou: Ei-lo acolá!
PORQUE
o
reino de Deus
está
no
meio de vós.

O
reino de Deus não vem visivelmente. O reino de Deus já
está no meio de vós. Não se poderá
apontar para ele e dizer: Está ali! Ou: Está lá!

Por
que não??

Porque
o reino de Deus está no vosso meio, embora vós não
o vejais com os olhos. Não podereis ver o reino de Deus com os
olhos físicos. Se procurardes um reino com castelos, com
príncipes e princesas (a corte), com soldados e com espadas,
coisas estas que caracterizam um reino humano, físico,
visível, realmente não o conseguireis ver, pois, do
reino de Deus não se pode dizer: Está ali! Ou: Está
lá! O reino também era algo invisível aos olhos
humanos. Não se tratava de um reino físico assim como
eram todos os demais reinos. Não se tratava de um reino
visível. Embora já existisse, nem todos os humanos
conseguiam vê-lo em operação. Pessoas de carne e
sangue estavam entrando no reino dos céus.

Jesus
afirmou que no reino de Deus não havia soldados para defender
o reino. Onde é que já se viu um reino sem soldados
para defender seus interesses??


(João
18:36)
36 Jesus
respondeu: “Meu reino não faz parte deste mundo.
Se
o meu reino fizesse parte deste mundo, meus assistentes teriam lutado

para que eu não fosse entregue aos judeus. Mas,
assim como é, o meu reino não é desta fonte….

Assim
verte a Tradução Brasileira:


(João
18:36) 36
Respondeu Jesus: O meu reino não é deste
mundo. Se
o meu reino fosse deste mundo, os meus súditos pelejariam,

para não ser eu entregue aos judeus; mas agora o meu reino não
é daqui.

Neste
caso, a afirmação de Jesus era que, naquele momento,
carne e sangue podiam entrar no reino dos céus.

Parece
que o nosso irmão Paulo também se esqueceu de outro
detalhe que Jesus chamou a atenção. Existiriam pessoas
dentro do reino que estariam fazendo coisas contra a lei do reino.
Dentro do reino haveria pessoas de carne e sangue cometendo
iniquidade. Estas pessoas seriam retiradas de dentro do reino, e,
estando jogados na fornalha de fogo, haveria o seu choro e o ranger
de seus dentes. Jesus deixou bem claro que quem executaria tais ações
contra os que faziam coisas erradas dentro do reino, seriam os anjos.

(Mateus
13:40-42)
40 Portanto,
assim como o joio é reunido e queimado no fogo, assim será
na terminação do sistema de coisas.
41
O
Filho do homem enviará os seus anjos,
e
estes reunirão dentre o seu reino
todas
as coisas que causam tropeço e
os
que fazem o que é contra a lei
,
42 e
lançá-los-ão na fornalha ardente. Ali é
que haverá o [seu] choro e o ranger de [seus] dentes.

Assim verte a
Tradução Brasileira:

(Mateus
13:40-42) 40
Pois assim como o joio é ajuntado e queimado
no fogo, assim será no fim do mundo. 41 O Filho do
homem enviará os seus anjos, e
eles ajuntarão do seu reino
tudo o que serve de
pedra de tropeço e os
que praticam a iniqüidade
, 42 e
lançá-los-ão na fornalha de fogo; ali haverá
o choro e o ranger de dentes.

Segundo
as palavras de Jesus, estas pessoas já estavam dentro do reino
de Deus. Algumas servindo de pedras de tropeço e outras
praticando a iniquidade, sendo que iniquidade é tudo o que é
contra a lei. Somente uma lei define se algo é ou não é
iniquidade. Ficou bem claro que o reino dos céus nunca deixou
de ter uma lei vigente.

Estas
pessoas ainda eram de carne e sangue e estavam dentro do reino.

Estas
pessoas ainda eram corruptíveis e já estavam dentro do
reino de Deus, enquanto que Paulo havia garantido que carne e sangue
não herdam o reino de Deus.

O
reino estaria em plena atividade. Pessoas estariam dentro do reino
servindo de pedras de tropeço para outras de dentro do reino.
Pessoas plenamente corruptíveis, pessoas de carne e sangue, e
estavam dentro do reino dos céus. Somente no final é
que tais pessoas seriam ajuntadas e lançadas em uma fornalha
de fogo. Dentro desta fornalha de fogo haveria o choro e o ranger de
dentes de tais pessoas que praticavam iniquidade dentro do reino.

Bem,
uma coisa ficou bem clara: Paulo não via as coisas desta
forma.

UM
outro detalhe que vemos nas palavras de Jesus é que ele
enviaria os seus anjos até o reino. Onde estaria tal reino??
Não estaria aqui na terra, ou seja, no mesmo local onde Jesus
afirmou que o reino de Deus estava??

O
reino de Deus está no vosso meio”. Onde estavam estes
homens?? Não estavam em Jerusalém, uma cidade física,
construída por humanos, aqui no planeta terra??

Como
é que Paulo explicaria estas palavras de Jesus sobre o reino,
aos irmão de Corinto, depois daquela explanação
que ele fez para os irmãos daquela cidade??

Segundo
Jesus, o trigo e o joio estavam se desenvolvendo dentro do reino.

(Mateus
13:24-30)
24 Apresentou-lhes
outra ilustração, dizendo: “O reino dos céus
tem-se tornado semelhante a um homem que semeou excelente semente no
seu campo.
25 Enquanto
os homens dormiam, veio seu inimigo e semeou por cima joio entre o
trigo, e foi embora.
26 Quando
a lâmina cresceu e produziu fruto, apareceu também o
joio.
27 Vieram
assim os escravos do dono de casa e disseram-lhe: ‘Amo, não
semeaste excelente semente no teu campo? Donde lhe veio então
o joio?’
28 Disse-lhes
ele: ‘Um inimigo, um homem, fez isso.’ Disseram-lhe:
‘Queres, pois, que vamos e o reunamos?’
29
Ele
disse: ‘Não; para que não aconteça que, ao
reunirdes o joio, desarraigueis também com ele o trigo.
30
Deixai
ambos crescer juntos até a colheita; e na época da
colheita direi aos ceifeiros: Reuni primeiro o joio e o amarrai em
feixes para ser queimado, depois ide ajuntar o trigo ao meu
celeiro.’”

Assim verte a
Tradução Brasileira:

(Mateus
13:24-30) 24
Jesus lhes propôs outra parábola: O
reino dos céus é semelhante a um homem que semeou boa
semente no seu campo. 25 Mas enquanto os homens dormiam, veio
um inimigo dele, semeou joio no meio do trigo e retirou-se. 26
Porém quando a erva cresceu e deu fruto, então apareceu
também o joio. 27 Chegando os servos do dono do campo,
disseram-lhe: Senhor, não semeaste boa semente no teu campo?
pois donde vem o joio? 28 Respondeu-lhes: Homem inimigo é
quem fez isso. Os servos continuaram: Queres, então, que vamos
arrancá-lo? 29 Não, respondeu ele, para que não
suceda que, tirando o joio, arranqueis juntamente com ele também
o trigo. 30 Deixai crescer ambos juntos até a ceifa; e
no tempo da ceifa direi aos ceifeiros: Ajuntai primeiro o joio e
atai-o em feixes para o queimar, mas recolhei o trigo no meu celeiro.

O Joio e o trigo
conviviam juntos dentro do reino. Dentro do reino conviviam ensinos
tais como o trigo e ensinos tais como o joio. Estes ensinos
produziriam frutos de acordo com a sua espécie. Desde o
momento em que Jesus havia semeado o trigo, o reino já estava
em plena atividade, tendo pessoas entrando e saindo do reino. Logo
depois de Jesus terminar o seu semear, apareceu um filho de Adão,
um opositor de Jesus, que passou a semear o joio. O reino já
estava em plena atividade quando o opositor de Jesus passou a semear
um ensino oposto ao ensino de Jesus, um verdadeiro joio.

Joio
– Esta é a definição dada pelo dicionário
online de Português: de sementes
tóxicas…., onde prejudica o crescimento dos cereais


Significado
de Joio


s.m. Planta da
família das gramíneas, de sementes tóxicas,
comum nos prados e nas culturas, onde prejudica o crescimento dos
cereais.
Fig. Coisa de má qualidade que se mistura às
boas e as prejudica. Separar o joio do trigo, separar os bons dos
maus, o bem do mal.

Trigo
– Esta é a definição dada pelo dicionário
online de Português: ….de que se
extrai a farinha usada especialmente para o fabrico do pão.
Planta alimentar..


Significado
de Trigo


s.m. Planta
herbácea anual, da família das gramíneas, que
produz o grão (cariopse) de que se extrai a farinha usada
especialmente para o fabrico do pão: o trigo é o cereal
por excelência, a planta alimentar mais cultivada no mundo.

Enquanto o joio é
uma semente tóxica, o trigo é uma semente alimentar.
Uma leva para a vida, enquanto que a outra leva para a morte.

Segundo Jesus, as
duas sementes foram semeadas dentro do reino, o trigo sendo semeada
por ele e o joio sendo semeada por um filho de Adão, embora
opositor, que foi embora depois de fazer o seu semear, e que tais
sementes semeadas assim no início da semeadura, só
seriam separadas no tempo da colheita, tempo em que cada semente
estava dando o seu respectivo fruto. Um inimigo, um homem havia
semeado o joio e depois ido embora, isto é, havia morrido,
enquanto Jesus continuava vivo. Até a época da
colheita, as suas semente conviveriam juntas dentro do reino.

Seriam os anjos, os
designados para fazerem o trabalho de separação e
colheita do trigo e do joio dentro do reino.

Dentro do reino dos
céus haveria ensinos quais trigo semeados por Jesus e ensinos
quais joio semeados por um humano que morreu logo depois do seu
semear.

Pessoas de carne e
sangue estariam vivendo dentro do reino de Deus, um reino no qual
havia duas sementes semeadas por duas pessoas diferentes, Jesus e um
opositor de Jesus. Dentro do reino dos céus havia dois ensinos
diferentes, isto é, o trigo e o joio.

Como Paulo iria
explicar tais coisas para os discípulos de Jesus da cidade de
Corinto??

Topo
desta página


Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar